segunda-feira, 7 de setembro de 2015

GUEST POST: O ESTATUTO DA SAGRADA FAMÍLIA

No entender do projeto, apenas um tipo de família pode existir

O projeto de lei chamado de Estatuto da Família foi arquivado ano passado, mas agora, com a Câmara mais conservadora desde 1964, chefiada por Eduardo Cunha, o país corre o grande risco de ver aprovada mais esta aberração.
O projeto define "entidade familiar como o núcleo social formado a partir da união entre um homem e uma mulher, por meio de casamento ou união estável, ou ainda por comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes". Se o projeto for aprovado, casais homossexuais não serão considerados uma família, o que vai contra a decisão do Supremo Tribunal Federal, que reconhece a união estável para casais do mesmo sexo.
Além disso, a precária redação, ao escolher o termo "descendentes" -- que se refere à parentalidade biológica -- exclui também as famílias adotivas. 
Semana passada, a comissão especial que analisa o Estatuto da Família se reuniu para ouvir o parecer de 58 páginas do relator. O projeto deve ser votado até o final do mês. E, se não houver muita pressão da sociedade, ele será aprovado. Pra começar, por favor, assinem a petição contra o Estatuto.
Para mostrar por que o Estatuto é um grande retrocesso, quero publicar alguns posts. O primeiro é de Cândida Ferreira, assistente social, teóloga, cronista, poeta, especializada em infância e violência doméstica. Cândida trabalha na prefeitura de Nova Iguaçu (RJ) e tem um blog

Quem lê o Estatuto da Família, que propõe políticas públicas e sociais para o núcleo familiar, depara-se com uma visão conservadora e excludente de família.
A justificativa do projeto é fundamentada da seguinte forma: “A família é considerada o primeiro grupamento humano organizado num sistema social, funcionando como uma espécie unidade–base da sociedade”. E também no art. 226 da Constituição Federal: “A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado”.
Vamos considerar esses dois pontos inicialmente. Primeiro, o autor do projeto está tomando um conceito de família de forma a-histórica e generalista. Família é uma instituição social e como tal historicamente determinada pelas sociedades, além de ser um conceito cultural, ou seja, cada sociedade tem sua maneira de significar o que é família.
O conceito apresentando é derivado da modernidade e seu modo de produção capitalista, a chamada família burguesa, nuclear, formada por pai, mãe e filhos. Philippe Ariès, historiador da infância e da família, mostra-nos como na Idade Média, por exemplo, a família não era pensada e vivida como na era moderna. O historiador chega à seguinte conclusão: “A análise iconográfica leva-nos a concluir que o sentimento da família era desconhecido da Idade Média e nasceu nos séculos XV-XVI, para se exprimir com um vigor definitivo no século XVII” (Ariès 1981, p. 201).
Tanto no campo, quanto entre a nobreza, sentimentos de pertencimento e linhagem falavam mais alto do que de uma família nuclear. Segundo o autor, havia mesmo uma oposição entre a família nuclear e o que os historiadores chamam de mesnie: “A família ou mesnie, embora não se estendesse a toda a linhagem, compreendia, entre os membros que residiam juntos, vários elementos, e, às vezes, vários casais, que viviam numa propriedade que eles se haviam recusado a dividir, segundo um tipo de posse chamado frereche ou fraternitas” (Ariès 1981, p. 201). 
Com o enfraquecimento deste tipo de relação, fruto do modo feudal, onde sentimentos de honra, serviço, vassalagem, são substituídos agora pelo Estado centralizado e as leis do contrato social, a família tem bens a preservar. Principalmente a nova família que nasce da classe burguesa, a família nuclear, precisa que os bens não sejam divididos. 
Podemos dizer que sabe-se que a família nuclear é fruto da modernidade. Família não é igual em todas as culturas. Família ocidental-burguesa formada por pai, mãe e filhos, não é a mesma em vários países do Oriente ou na África, onde família é compreendida como todos os integrantes da família, que aqui chamamos de família extensa. Aqui mesmo nas comunidades indígenas, família não é apenas o grupo nuclear, mas todos os parentes, consanguíneos ou não.
Num Estado laico, sua opinião sobre
quem criou a família não pode ser
critério de discriminação. Além do
mais, como e por que a existência de
vários tipos de famílias afeta a
família nuclear?
Então a justificativa do projeto cai por terra pois família não foi o primeiro grupo organizado a existir entre os humanos. A família que o projeto defende é fruto da era moderna.
O segundo ponto é o art 226 da Constituição Federal de 1988. A primeira análise que temos ao ler os incisos é que os legisladores procuram defender neste artigo as famílias que não são constituídas através do contrato social do casamento. É um avanço considerável que na década de 1980 os filhos (sejam de relações matrimonias regulamentadas por lei ou de relações estáveis e até passageiras) passam a ter direitos igualitários. 
Assim, dissipa-se a figura do bastardo, a figura da amante, e a Constituição passa a garantir direitos sociais relevantes a mulheres e filhos que ficavam à margem da lei. Outro avanço é a equiparação dos cônjuges, colocando os gêneros em pé de igualdade dentro da sociedade familiar. E o reconhecimento da família monoparental, ainda chamada de comunidade chefiada por um dos pais.
Avós criando netos? Não é família,
segundo o Estatuto da Família
Vale a pergunta: pode o Estado dizer o que é família, sendo ela construída historicamente dentro das sociedades?
Na proposta do projeto do Estatuto é signatária dos direitos sociais a família constituída por pai e mãe ou a monoparental. Logo, todos os que formam configurações familiares como avós e netos, tios e sobrinhos, irmãos, primos, não seriam considerados família? Isso sem falar, obviamente, nas uniões homoafetivas, o verdadeiro alvo do Estatuto. Ou seja, o projeto é excludente e deslocado da realidade social brasileira. 
Como assistente social que trabalha em um Centro de Referência de Assistência Social no município de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, atendo famílias com variadas configurações: monoparentais femininas e masculinas, tia-avó e sobrinhos-netos, irmã e irmão, avós e netos e até mesmo famílias constituídas sem consanguinidade, além de famílias em que filhos de outros casamentos coabitam no mesmo teto. 
A variedade de arranjos não enfraquece a familiar nuclear, mas aponta para a sua reconstrução histórica, pois vivemos hoje numa transição em que arranjos antes não permitidos (mas sempre existentes) agora estão sendo visibilizados socialmente.
Além de o Estatuto ser um projeto marqueteiro, família, entendida como todas as pessoas que habitam na mesma casa, já é o centro das políticas de assistência social e saúde, como por exemplo o NASF (Núcleo de Atendimento em Saúde da Família) e clínicas da família, que trabalham com conceitos ampliados. 
Não há nenhum estudo que comprove um tipo de família ideal para o combate à drogadição (tóxico dependência) e à violência doméstica, área que conheço bem. Na minha experiência, é nas famílias nucleares que ocorre a maioria dos abusos, principalmente os sexuais, além das violências de gênero. Quanto mais o modelo familiar é conservador, patriarcal, repressor, maiores são as chances dessas famílias se tornarem incestogênicas.
Muitos tipos de família existem
Como o sistema é repressor e autoritário, a tendência é que não ocorram denúncias sobre esse tipo de família vindo de dentro dela própria. Porém, os profissionais de saúde e educação acabam por denunciar violações graves. 
No que tange a violência doméstica e de gênero há um patrulhamento judicial dos pobres e um silêncio quanto as famílias de alto poder aquisitivo: quanto mais alto esse poder, mais silêncio se faz.
Interessante é que a literatura especializada em violência doméstica contra crianças e adolescentes aponta a família patriarcal, criada na idade moderna como o terreno fértil de violações de direitos individuais, repressão e por fim violências.
Colocar na centralidade das políticas públicas e sociais a família nesse entendimento conservador mostra o despreparo do autor do projeto e seu desconhecimento do tema na literatura especializada das ciências humanas. Além disso, mostra também o desconhecimento completo da realidade da sociedade brasileira em seus arranjos familiares, variando entre classes sociais e até mesmo regionais. 
Também é uma família
Por fim, em pleno século XXI vemos ser apresentado um projeto que restringe a cidadania e torna as políticas públicas e sociais, ao invés de inclusivas, excludentes, mais uma vez.
O fortalecimento das famílias passa pela estruturação de políticas públicas e sociais que garantam a todos os arranjos familiares acesso aos direitos sociais preconizados na Constituição, sem distinção alguma, de forma democrática, livre e igualitária. 
Também é uma família
Enquanto as casas legislativas desse país produzirem atentados à liberdade individual e também promoverem através de lei a acepção e preconceito quanto a pessoas e famílias, estaremos muito longe de ser uma sociedade democrática. Somos na verdade um Estado democrático liberal, mas não um Estado Democrático de Direitos. E precisamos ser de fato um Estado laico.
Também é uma família
É preciso continuar a luta e visibilizar o que segmentos fundamentalistas e conservadores querem retornar à invisibilidade. As famílias -- com todos seus vários arranjos -- existem, estão aqui e merecem respeito.

107 comentários:

Mayra Regina TNM disse...

A maioria desses políticos que apoiam o estatuto desconhece a realidade de muitas famílias e se você pegar o discurso deles é sempre a mesma coisa, um monte de argumentos "ecoados". Olha, eu já não aguento mais escutar tanta besteira de professores, colegas, políticos, etc..agente cansa. A maioria dessas pessoas estão interessadas em "lucrar" moralmente com esse discursinho de familia tradicional e abençoada por um Deus. Eu não vou mentir que eu ando muito assustada com esse país atualmente, eu não quero nem imaginar como serão tensas essas eleições de 2018...sério, estou com muito medo!!
parabéns pelo post lola!!

Anônimo disse...

A função do Supremo Tribunal federal não e legislar, isto e função do congresso nacional.

nadiaschenker disse...

A função do STF é, entre outras, a de interpretar a Constituição vigente. Foi isso o que o STF fez.

André disse...

O STF legisla, faz política, faz intriga, faz de tudo.

Anônimo disse...

O problema não são as chamadas "famílias verticalizadas" o problema e o estado usando grupos chorões como massa de manobra, com intuito de regulamentar tudo, seja para um lado ou outro.

O objetivo da esquerda com estes embates e criar a chamada "família comum" ou "família soviet"
Onde qualquer coisa e uma família, todos em uma sociedade são uma família, ninguém e pai e mãe de ninguém, as responsabilidades são de todos, como numa grande utopia indígena.

Mas vamos ver o que isto causa na pratica olhando a antropologia história recente, na antiga União Sovietica ( o experimento social que mais se aproximou do socialismo puro) estas técnicas sociais de famílias comuns" era largamente difundidas, o resultado disto hoje? O povo russo teve seu conceito de família destruído pelo socialismo, hoje o russo não quer mais formar família e ter filhos, e isto esta criando um gravissimo problema demográfico, o país e norme e subpovoado, a população cada vez mais velha não se repõe ao que necessita, criando graves problemas previdenciarios e econômicos>

O governo russo já identificou isto e hoje criminaliza e reprime fortemente ideologia de gênero, feminismo e movimentos LGBTs no país russo.

Anônimo disse...

A Constituição vigente diz que família e composta por homem e mulher.
Art, 226

Anônimo disse...

Anônimo disse...
"O problema não são as chamadas "famílias verticalizadas" o problema e o estado usando grupos chorões como massa de manobra, com intuito de regulamentar tudo"
_
Perfeito, os esquerdistas sabem que uma sociedade plural como a brasileira não iria aceitar seu conceito de "igualdade estatal" imposto por sua ideologia, brasileiro dá valor e na propriedade privada. mas descobriram que se pode tornar a “sociedade comum’ de outra forma, taxando, regulamentando e estatizando progressivamente a vida dos cidadãos, os comunistas não conseguem ainda estatizar tudo e daí vão regulando, proibindo e restringindo as atividades econômicas, com os critérios e justificativas mais pusilânimes e violando o direito natural de propriedade do ser humano. Ou seja cada vez mais impostos, cada vez mais tributação , cada vez mais estado interferindo em tudo, ate na família.

André disse...

Tudo aquilo que se choca com o art. 5º perde a validade.

Anônimo disse...

Desistam aberrações, parafuso casa e com rosca, nunca parafuso com parafuso nem rosca com rosca, o choro e livre para vcs.

lola aronovich disse...

"Usando grupos chorões como massa de manobra". Alguém me avise se algum dia aparecer um grupo mais chorão do que mascus ou reaças.
E massa de manobra (e aquela expressão que vcs tanto gostam de usar, "idiotas úteis") são vcs. Vcs que nunca serão ricos, mas quando se fala em imposto para grandes heranças e fortunas (algo que jamais afetaria vcs), vcs saem correndo pra defender milionários. Pra mim, isso é que é idiota útil.
E acho que vcs não leram o post, pra variar. É o Estatuto da Família que quer interferir na família de cada um. É o governo (ou o legislativo não é governo?) determinando quem pode ou não ter direitos. É o total oposto do que vcs libertotários defendem.


Esse é seu argumento, ano das 12:20? Roscas e parafusos? Por isso que vcs não têm coragem de falar isso em público.

Jonas Klein disse...

Non 12:04

"O governo russo já identificou isto e hoje criminaliza e reprime fortemente ideologia de gênero, feminismo e movimentos LGBTs no país russo."

MENTIRA

Na Rússia apenas homossexualidade e reprimida com extrema violência inclusive, porque o putin e muito homofônico.

Antes que eu esqueça este e um espaço feminista, por isso não e lugar de mascu então fora já.

Anônimo disse...

1º Essa estoria de familia nao existe mais nos dias de hoje, é cada um por si!

2º Os gays querem protagonismo, querem ser reconhecidos por terem um tipo de relaçao diferente das outras, as lesbicas nao fazem tanta questao para serem reconhecidas como 'unidade familar'.

Anônimo disse...

"mas quando se fala em imposto para grandes heranças e fortunas (algo que jamais afetaria vcs), vcs saem correndo pra defender milionários. Pra mim, isso é que é idiota útil"
_
Lola isto e um pensamento muito limitado de sua parte, não e questão de defender milionários, mas sim de defender o capital que gera emprego e renda em qualquer nação civilizada, a França tentou fazer isto e voltou atras,porque viu o dinheiro dos investidores indo para outros lugares, uma crescente evasão de divisas. Estado não produz nada apenas expropria a produção alheia para existir. Por isto o socialismo puro nunca deu certo em parte alguma no mundo. Ate em países onde o estado pratica a social democracia, como Suécia, o patrimonio privado de empresas como Volvo, Saab e outro gigantes e respeitado.

Anônimo disse...

Desculpe, mas eu mesmo sendo feminista(defendo a liberdade econômica e social da mulher0 não consigo ver dois homens como um casal.

André disse...

12:20,

Cadê seu deus agora: http://www.motomoura.com.br/Eshop.Admin/imagens/motomoura/Thumbs/TN500_ROSCA.PARAFUSO.UNIV.08.MM%20(1).JPG

Anônimo disse...

Andre mostrando uma gambiarra, perfeito para comparação, casamento e homem e mulher, o resto e gambiarra.

Anônimo disse...

"Vcs que nunca serão ricos"

Lola pare de crescer o olho no patrimonio dos outros, que coisa mais feia.

Rebeca disse...

Espero que as feministas e gayzistas sejam coerentes e defendam o casamento entre irmãos, pai e filha, mãe e filho, neta e avô, etc, etc, etc. Se é para relativizar tudo, então que o incesto não seja tabu. Concordam?

André disse...

12:51,

Gambiarra é amarrar com arame. Se a engenharia mecânica consegue projetar várias alternativas de conexão física, por que a mente humana tem que ficar restrita ao sistema binário que os religiosos criaram?

Cão do Mato disse...

Eu gostaria de saber desses nazievangélicos o seguinte: garantir direitos aos demais tipos de famílias vai prejudicá-los em quê?? Poderiam me esclarecer essa dúvida, por favor?

lola aronovich disse...

Rebeco, espero que vc esteja ciente de que seu argumento é o mesmo usado para se opor a casamentos interaciais nos EUA na década de 1960. Igualzinho.


Ah, desculpe te decepcionar, anon das 12:52! Vc realmente acha que vai ficar rico trabalhando?

Cão do Mato disse...

Rebeca: no Velho Testamento os homens hebreus tinham várias mulheres. Que tal voltar essa moda? Eu ia adorar...

lola aronovich disse...

E por que tem tanto reaça aqui hoje? Vcs não deveriam estar segurando bonecos infláveis de Lula e Dilma pra protestar no 7 de setembro?



Ah sim, tenho a mesma dúvida do Cão do Mato. Aliás, coloquei esta dúvida na legenda de uma foto no post. O QUE TER VÁRIOS TIPOS DE FAMÍLIAS INTERFERE NA FAMÍLIA TRADICIONAL? Nunca entendi isso. Por que e como um casal gay casando e adotando criança vai afetar o meu casamento hétero? Expliquem, por favor. Sempre quis saber.

Cão do Mato disse...

Anônima das 12:39, então igualdade só vale quando te beneficia diretamente? Espertinha você, né?

Rebeca disse...

"Rebeco, espero que vc esteja ciente de que seu argumento é o mesmo usado para se opor a casamentos interaciais nos EUA na década de 1960. Igualzinho."

E?

Desculpe, mas isso não rebate o meu argumento. Só respeitarei o posicionamento de vcs se forem a favor de qualquer casamento incestuoso, afinal, é um direito do cidadão.

Cão do Mato, não entendi o seu posicionamento. Estamos falando da constituição brasileira.

Anônimo disse...

Para falar a verdade eu acredito que o olavão, bolsonaro, essas coisas, nem odeiam tanto os gays e as lésbicas, mas eles sabem que podem usar do ódio contra eles para levantar uma horda de imbecis que vão lhes lamber os pés e dar um bom dinheiro e visibilidade.

Anônimo disse...

Meu deus do céu, só chorume nessa caixa de comentários, nem parece um site feminista (feministas q não ~conseguem~ enxergar um casal homoafetivo como são: UM CASAL, essa é nova), sinceramente, esse lugar era bem melhor frequentado. Lola ajuda aí

Vcs tb são muito BURROS, leiam o artigo seus idiotas. O outro lá falando da Russia, deixa de ser panaca, a taxa de fecundidade deles é quase igual a do Brasil, e que "família soviética" foi essa???? Um dado q não sei pq foi ocultado no artigo, é q mais da metade das configurações familiares do brasil hj não são tradicionais. Quem quer regular o que é ou não família (ou meter o bedelho na sua) é o imbecil relator dessa estatuto, ou será q vcs não percebem isso?

"Espero que as feministas e gayzistas sejam coerentes e defendam o casamento entre irmãos, pai e filha, mãe e filho, neta e avô, etc, etc, etc. Se é para relativizar tudo, então que o incesto não seja tabu. Concordam?" - Seu lixo, onde mais acontece incesto são em famílias ditas: tradicionais, e houve um tempo no passado (inclusive na história BÍBLICA) onde o incesto era absolutamente normal. Não, as feministas, os ~gueisistas~ não vão defender incesto, pedofilia e nada q vcs câncervadores e pseudo-liberais (pq se for pra reprimir minoria, aí qualquer censura vale) querem empurrar como sendo nossa responsabilidade. Se vc faz tanta questão de que incesto deixe de ser tabu, faça isso vc seu cínico, ninguém aqui é seu empregado, seu nojo.

Rebeca Sapeca disse...

Anônima do 13:17.

Vocês só serão coerentes se forem a favor do incesto. Não adianta colocar dois pesos e duas medidas nessa questão. Por que a liberdade individual serve para um e não serve para outro?

Hipocrisia deslavada.

Anônimo disse...

Não entendi muito bem o que o incesto tem a ver com isso, mas uma coisa concordo: Porque o incesto tem que ser tabu?
não deveria, se irmã(o) quer transar com irmâ(o), pai,mãe com filhx, primxs, e se todos são maiores e conscientes, o que que alguem mais tem a ver com isso?

Anônimo disse...

Eu não sou contra as relações incestuosas, pq sei q isso faz e fez (MUITO, e como fez) parte da cultura de vários povos, inclusive na suposta família de Adão e Eva e entre os hebreus (q os cristãos hj pagam pau). A regra é a mesma: se envolve seres humanos aptos para uma relação amorosa e sexual, é consentido e não faz mal a nenhum dos envolvidos, então bora, eu não tenho nada a ver com isso; mas em relação ao casamento (não sei se já acontece entre primos aqui no Brasil ou em outro lugar do globo), seria redundante, pq o casamento é primeiramente, a garantia de heranças e patrimônios, se vc é irmão ou filho não tem pq garantir herança ou patrimônio através do casamento, pois isso já está garantido por vc ser um irmão ou um filho.

CASAMENTO (do latim: CASA, q tb originou CASAL, tudo relativo à casa, na Roma Antiga, os pares q se uniam amorosamente, todos eram CASAIS, pq após a união eles residiam em uma CASA, e por isso eles eram CASAIS. Em um sentido etimológico radical: CASAL e CASAMENTO tem a ver com quem vive com seu parceiro romântico em uma CASA, esse era o original conceito das palavras CASAL e CASAMENTO)
FAMÍLIA (também de origem latina (FAMULI), tinha ver com que vivia na casa de um "pai de família", até o escravo/criado e os animais domésticos eram considerados FAMÍLIA; mais um termo deturpado do original etimológico)

E casamento é homem com homem, mulher com homem, mulher com mulher, mulher com vários homens e homem com várias mulheres, pq durante a história, as famílias em algum momento se organizaram assim, Jacó e suas várias mulheres nunca deixaram de ser família, nem Jesus, seu padrasto e sua virgem mãe.

Anônimo disse...

"Vocês só serão coerentes se forem a favor do incesto. Não adianta colocar dois pesos e duas medidas nessa questão. Por que a liberdade individual serve para um e não serve para outro?" -

Quem tá dizendo q é contra as liberdades individuais de incesto sua trouxa? Se vc quer casar com o seu irmão problema é seu sua cínica, vai encher o saco de outro sua bostinha. Ninguém é obrigado a defender nada q vc queira não sua retardada, foda-se o q vc acha coerente ou não. O assunto aqui são famílias, não INCESTO, não sei se vc percebeu sua anta

Anônimo disse...

Estão vendo? Já estão querendo relativizar até o incesto aqui, é nisso que dá quando esquerdistas falam o que pensam.

Meu caro (ou minha cara), não importa se é entre pessoas conscientes e maiores de idade, incesto é nojento e grotesco. Se nós formos considerar "normal" algo agora porque já foi "normal" em alguma sociedade de alguma época, deveríamos também tolerar sacrifícios humanos e mutilação genital feminina.

Anônimo disse...

"O assunto aqui são famílias, não INCESTO, não sei se vc percebeu sua anta"

O assunto é família, sexualidade e "aceitação de casais diferentes". Uau, como é que isso foi chegar em incesto? Estou tããão surpreso.

Jonas Klein disse...

Rebeca Danada

Você burrinha assim ou só se faz?

Tem uma clara diferença entre incesto, e formas diferentes de família, pois se houver uma gravidez num incesto entre pai e filha, por exemplo, a criança corre alto risco de nascer com problemas congênitos, além disso, tratar incesto como uma forma valida de união conjugal, abriria a porta para haver muitos abusos (especialmente em termos sexuais) dentro das famílias.

Anônimo disse...

"Meu caro (ou minha cara), não importa se é entre pessoas conscientes e maiores de idade, incesto é nojento e grotesco. Se nós formos considerar "normal" algo agora porque já foi "normal" em alguma sociedade de alguma época, deveríamos também tolerar sacrifícios humanos e mutilação genital feminina"

exato, tipo quando feministas defendem a organização humana baseada em tribos indígenas primitivas, ou nos macacos bonobos :p

Anônimo disse...

So tem reaça aqui hoje Lola, reaça fica me casa com a familía no feriado, seus leitoras habituais estão em orgias homoeroticas usando drogas.

S. disse...

Ridículo demais, e aqueles que foram criados pelos avós por ex, não são família porque não tem o pai nem a mãe?
Também não entendo como outros tipos de famílias vão atrapalhar a família tradicional.
São tão escrotos que tem gente que acha absurdo gays ou lésbicas adotarem, preferem que as crianças continuem largadas nos orfanatos.
Mas amante tendo direitos é o fim, filhos tudo bem, agora amante? Imagina a mulher traída ainda tendo que aceitar isso? Sacanagem demais.

Anônimo disse...

"quando feministas defendem a organização humana baseada em tribos indígenas primitivas"

Elas defendem o infanticidio de gemeos cometido por mulheres de certas tribos brasileiras também?

Anônimo disse...

"Tem uma clara diferença entre incesto, e formas diferentes de família, pois se houver uma gravidez num incesto entre pai e filha, por exemplo, a criança corre alto risco de nascer com problemas congênitos, além disso, tratar incesto como uma forma valida de união conjugal, abriria a porta para haver muitos abusos (especialmente em termos sexuais) dentro das famílias."

Besteira. E família tem que ter filho agora? Ui, tem que ser mais inclusivo, meu filho! E abrir a porta para abusos dentro das famílias? Pelo que eu li nos comentários, só tem gente defendendo incesto entre "adultos conscientes". E de qualquer forma, não sabe que o termo mais usado pelas esquerdas hoje é "intimidade intergeracional" ao invés de "abuso sexual infantil"?

Honestamente, não há muita diferença entre homossexualismo e incesto entre adultos. E ambos dão nojo. Como quem os defendem.

Anônimo disse...

Vcs sabiam que o casamento como contrato, onde vc troca de nome com o marido, tem origem num costume antigo que acontecia entre homens. Na região do Levante, arábia, mesopotâmia, etc. os homens faziam uma espécie de aliança, um acordo ou uma sociedade. Eles iriam compartilhar terras, gado e até mesmo membros da própria família. Essa aliança/acordo/sociedade acontecia através de uma cerimônia (como se fosse um casamento) e por fim cada homem levava o nome do outro, essa é a origem do casamento como contrato, como cerimônia e a troca de sobrenome nos casamentos ocidentais. Vcs lembram do relato bíblico em q JAVÉ faz uma aliança com Abrão, pois é, aquela aliança era esta cerimônia conhecida entre os homens daquela época e região, Abrão passou a se chamar "Abraão" e Javé passou a se chamar "deus de abraão", tudo aquilo relatado em Gênesis 15:10 nada mais é do q a origem da cerimônia de casamento atual no ocidente e a origem da troca de sobrenomes, era uma pratica comum dos antigos homens mesopotâmicos.

Anônimo disse...

"Mas amante tendo direitos é o fim, filhos tudo bem, agora amante?"

E qual o problemas? Amante e menos mulher e sofre menos machismo? Quem esta traindo a esposa e o omi e não a amante que na maioria das vezes nem sabe que o safado e casado.
Que o machismo destes escrotos seja tributado e taxado pelo estado sim.

E mascus tristes de feriadão, aproveitem o 7 de Setembro(celebração da nojeira chamada patriotismo), e que vocês adoram lamber botas de milico nojento, e se joguem na frente de um tanque de guerra que estiver passando por favor, suam daqui.

Anônimo disse...

"Mas amante tendo direitos é o fim, filhos tudo bem, agora amante?"

E qual o problemas? Amante e menos mulher e sofre menos machismo? Quem esta traindo a esposa e o omi e não a amante que na maioria das vezes nem sabe que o safado e casado.
Que o machismo destes escrotos seja tributado e taxado pelo estado sim.

E mascus tristes de feriadão, aproveitem o 7 de Setembro(celebração da nojeira chamada patriotismo), e que vocês adoram lamber botas de milico nojento, e se joguem na frente de um tanque de guerra que estiver passando por favor, suam daqui.

donadio disse...

"não e questão de defender milionários, mas sim de defender o capital que gera emprego e renda"

Olha, vamos entender as coisas.

"Capital" é o dinheiro investido na produção. Não é o dinheiro gasto no consumo pessoal dos ricos.

Imposto sobre grandes fortunas não é imposto sobre o capital. É imposto sobre o dinheiro descapitalizado com o fim de ser consumido de forma improdutiva.

Quer defender o capitalismo, entenda primeiro o que é e como funciona o capitalismo.

Anônimo disse...

"Meu caro (ou minha cara), não importa se é entre pessoas conscientes e maiores de idade, incesto é nojento e grotesco. Se nós formos considerar "normal" algo agora porque já foi "normal" em alguma sociedade de alguma época, deveríamos também tolerar sacrifícios humanos e mutilação genital feminina."

Você é muito besta, não é considerar normal pq já foi normal, é uma coisa chamada liberdade individual, ou será q os pseudo-liberais do século 21 não conhecem essa palavra. Quando vc lê a bíblia vc tb acha grotesco o Deus hebreu sendo conivente com a relação incestuosa do "pai da fé" abrão e a irmã dele? Eu tb acho nojento pessoas q fazem comentários ridículos, nem por isso eu desrespeito a sua liberdade individual de fazê-los.

"reaça fica me casa com a familía no feriado, seus leitoras habituais estão em orgias homoeroticas usando drogas." kkkkkkkkkkkkkkkkk, vcs são muito otários, reaça enche o saco e só fala bosta em site feminista isso sim.

Anônimo disse...

13:51, e quando os homens (mascus) tentam basear a sociedade nos chipanzés? Olha, vendo por esse lado, pel menos os bonobos são mais pacíficos. Sério, o que não falat no mundo é HOMEM que usa tribos e religiões como desculpa para bater na mulher, estuprar, forçar a mulher a abortar a filha, trair a esposa...

Anônimo disse...

Mutilação feminina é um ato que os homens tem orgulho de serem a favor.

Anônimo disse...

"Você é muito besta, não é considerar normal pq já foi normal, é uma coisa chamada liberdade individual, ou será q os pseudo-liberais do século 21 não conhecem essa palavra."

E eu sem saber que estava lidando com um(a) grande piadista! Porque todos sabemos como as liberdades individuais são lindamente respeitadas em países como Cuba, China, Coréia do Norte, Vietnã, e toda essa corja que vocês adoram babar.

"Quando vc lê a bíblia vc tb acha grotesco o Deus hebreu sendo conivente com a relação incestuosa do "pai da fé" abrão e a irmã dele?"

Acho sim. De onde diabos é que você tirou a idéia que eu sou cristão, judeu ou que quer que seja? Além de ser dono(a) da verdade, deve ser onisciente também. Quer escrever uma biografia minha? Lembra de colocar nela que eu sou Wiccano, viu?

"Eu tb acho nojento pessoas q fazem comentários ridículos, nem por isso eu desrespeito a sua liberdade individual de fazê-los."

Porque não pode me impedir, diga-se de passagem. Pelo tom de fúria impotente no seu post, tenho certeza que iria apagar minhas opiniões se pudesse.

Evandne da Silva disse...

E desde quando cabe ao Estado dizer o que é família. Famílias existiram nas diversas configurações no último meio milênio sem precisar de um congressista dizendo que elas existem. Simplesmente sou contra qualquer definição de família. Conseguimos funcionar bem, e até melhor, sem um governante querendo dizer o que nós deveríamos ser. Empoderamento só existe se caminharmos para algum grau de anarquia.

Anônimo disse...

"Mutilação feminina é um ato que os homens tem orgulho de serem a favor."

Que foi que te disse isso, as vozes na sua cabeça? Aliás, gente da sua laia (esquerdistas, homens ou mulheres) é que é mais provável de defender esse tipo de coisa, em nome da "diversidade cultural". É só ver como vocês andam defendendo o infanticídio entre as tribos brasileiras sem um pingo de vergonha na cara.

Jonas Klein disse...

Anon 13:54


O que você escreveu só desonestidade intelectual ou falta de noção da realidade mesmo?

Tratar incesto como forma valida de relação conjugal, abre caminho para muitos abusos dentro das famílias sim.

Pois para uma garota de 16 anos, que me conheceu semana passada em uma balada, se eu a convidar para namora comigo para ela e muito fácil rejeitar o meu convite, mas o convite vier do pai dela que tem poder hierárquico sobre ela e a sustenta será que ela consegue rejeitar um convite para namora fácil assim?

intendeu agora porque incesto e problema? ou vai precisar de desenho 3D?

O Lola comentário homofônico aqui agora pode? o comentário deste anon foi homofônico direto.

Anônimo disse...

Eu sou a favor de toda relação afetiva e sexual entre:

Pessoas, aptas biologica/psicologicamente pra isso, que consentem nessas relações e q não agrida os envolvidos e terceiros. Essa pra mim é a regra básica, não tem pq eu ser contra algo tão simples como isso.

E favor de casamento entre homem com homem, mulher com mulher, mulher com homem, mulher e mais de um homem, homem e mais de uma mulher.

Não sou contra relações incestuosas pq elas se encaixam na regra básica acima, mas casamento seria REDUNDANTE, pq se eles são irmãos ou pais e filhos, a herança e os patrimônios já são garantidos em razão do grau de parentesco, e logo não há necessidade do contrato de casamento.

Em questão de liberdades individuais (LEGAIS), vc achar nojento ou não é relativo e não interessa a ninguem, alguém pode achar q eu e o meu namorado (sou uma mulher) não somos um casal ou somos nojentos, pois bem, FODA-SE, continua sendo minha liberdade individual, e isso vale pra outras configurações românticas q "obedecem" aquela regrinha lá, rs; na minha humilde opinião.

Anônimo disse...

Como eu disse, as únicas pessoas que defendem o incesto por aqui o fazem quando são "adultos conscientes". Nesse caso, suponho que você não tenha nada contra? Você quer fugir do problema tornando uma questão sobre incesto em uma questão sobre pedofilia, como se fossem a mesma coisa.

E o final do comentário foi simplesmente hilário. "Ô Lola! Me ajuda aqui!" De qualquer forma, pelo que eu escrevi, o máximo que se pode dizer é que eu ofendi gente que apoia o movimento homossexual, não gays em si. Embora tenha praticamente certeza que ele será apagado de qualquer forma.

Anônimo disse...

14:18, não, eu não sou esquerdista. Veja, qual é o porque da mutilação feminina? Causar dor na mulher no ato sexual, para que ela não traia e se "submeta ao marido" pelo sofrimento. Isso é bom para quem? Para os homens, óbvio. Podem ser contra em público, mas adorariam ter a esposa castrada, aliás, prazer feminino não sigfica nada para vocês não é mesmo?

Anônimo disse...

Duas pessoas adultas conscientes , se apaixonam e resolvem se relacionar, e são repudiadas e discriminadas socialmente por puro determinismo biológico, o argumento reacionário do 'parentesco de sangue".As pessoas precisam entender a diferença entre família biológica e família social. Espero que um dia este preconceito acabe.

zeta.

André disse...

Rebeca,

O problema do incesto é garantir que ele se iniciou depois que as partes já estavam adultas e conscientes de seus desejos. Por mim, se não for fruto de um abuso prévio, o incesto está valendo.

Cão do Mato disse...

Rebeca, a Constituição também garante a laicidade do Estado... E até parece que a preocupação de vocês é com a Constituição, né? Vocês estão usando um artigo pra tentar impor uma visão religiosa do conceito de família.

Natália Van den Eynde disse...

O mundo anda assustador...

André disse...

Evandne da Silva,

Desde que o Estado passou a regular direitos como o de propriedade, herança, adoção, etc. então o Estado tem que definir o que é família.

Anônimo disse...

laicidade não significa laicista, o governo comunista sovietico era laicista não laico, o governo comunista maoísta era laicista não laico.
Em uma democracia laica religiosos tem o direito de ter representatividade politica e de defender seus pontos de vista socialmente sim, calar religiosos e anti democratico.

Anônimo disse...

Eita povo doido, onde entrou o incesto nesta história?

Zero disse...

é sempre igual. alguém propõe o assunto (famílias "alternativas") que, na pratica são tão "reais" quando a "tradicional".

quantas famílias tem meio-irmão ? ou é criação de tios / avós ou até tutores legais? ou tem filhos adotivos?

aí, como de praxe. vem um cidadão no auge da "maturidade" e larga:

" e o incesto ? vocês TEM que defender também ".

não culpo eles, afinal estão acostumados com TEM:

eles TEM que acatar tudo sem questionar. ou serão imorais / comunistas / ateístas.

André disse...

14:34,

O povo é conservador, religioso, com baixa escolaridade e retrógrado. Não sei os outros, eu defendo direitos iguais para todos, minorias e maiorias, mesmo os que forem conservadores, religiosos e retrógrados.

Zero disse...

realmente religião é muito oprimida no Brasil. deve ser por isso que temos vários partidos evangélicos fazendo panelinha no congresso. ou você deve estar se referindo ao judaísmo? aí sim, não existe partido judeu no congresso...

se o judaísmo ou a umbanda propusessem a fundação de um partido próprio, pra terem representação. os primeiros a falar em laicismo / secularismo seriam os evangélicos do congresso....

Anônimo disse...

Lola tu tens que escrever um post sobre a nova forma de dominação feminina, os caras se aproveitando do feminismo pra fazer as mulheres pagarem tudo pra eles, fazer da casa delas motel, os homens estão usando as mulheres e se aproveitando do feminismo pra não ter nenhum custo, nem o lanche eles querem dividir.
Você tem que falar sobre isso, tem muita feminista caindo nessa armadilha.

Anônimo disse...

Agora eles se aproveitam tanto financeiramente como sexualmente dando uma de pró feminista

Rafael Cherem disse...

Uma ADIN mata essa imbecilidade.Alguns grupos nao deveriam votar,a realidade é essa,acreditam em qualquer coisa e qualquer um

S. disse...

13:58

O que o machismo tem a ver com traição? Mulher também trai. Essa história de que amante não sabe de nada é balela, tem as que são enganadas mas muitas sabem e não estão nem aí.
Se é para indenizar alguém, que indenize a esposa que foi sacaneada.

donadio disse...

Só para entender...

João casa com Maria.

Eles têm um filho.

Maria morre, João casa de novo com Susana.

Aí João morre, fica Susana, com o filho de João e Maria.

Susana e o filho de João e Maria são uma família?

Cão do Mato disse...

Zero, você está enganado... Crente adora judeu! Não sei porque, afinal, judeu não é cristão... Vide a manifestação de grupos evangélicos apoiando as atrocidades só Estado Sionista no ano passado. E judeus não precisam ter partido no Congresso, o poder e a influência que eles têm fora de lá são mais do que suficientes. E mesmo que eles tivessem um partido, duvido muito que nos obrigasem a seguir o calendário judaico e nos proibissem de comer carne de porco...

Anônimo disse...

O estado islâmico aprovou seu comentário
Aliás as meninas cristãs na síria feitas de escravas sexuais, e os garotinhos mortos em praias nos lembram o que aconteceria com os judeus em Israel se fraquejarem

donadio disse...

Quanto ao incesto, não vejo qual a analogia. Um(a) homossexual é uma pessoa que só se sente bem num relacionamento afetivo/sexual com uma pessoa do mesmo sexo. Em qualquer dos casos, essa pessoa tem milhões de escolhas. E não, ela não tem "direito" a um parceiro do mesmo sexo. Se ninguém a quiser, ela fica sozinha.

Se uma pessoa tem desejos incestuosos e estes são tabu... bom, a não ser que ela tenha uma misteriosa "orientação sexual" que consiste em somente se sentir bem num relacionamento afetivo/sexual com pessoas da própria família, ela ainda é ou heterossexual ou homossexual, e ainda tem milhões de escolhas fora da sua família. Nunca vi ninguém assim, nem mesmo nos raros casos de pessoas que efetivamente praticam incesto. Então é isso: fantasia, fantasia misturada com strawman - se uma pessoa hipotética, que ninguém nunca viu, nem conversou com, não pode casar com o próprio irmão, então algumas centenas de milhares de pessoas bem concretas, com quem todos nós já nos defrontamos no dia-a-dia, não podem casar com quem também quer casar com elas, por que são pessoas do mesmo sexo.

Aí a lógica manda perguntar: e se não pode casamento de irmão com irmã, e isso por algum motivo misterioso impede pessoas do mesmo sexo de se casarem, por que diabos poderia casamento entre quaisquer pessoas? Se a lógica é, dezessete pessoas no mundo todo são infelizes por que não podem casar com a própria mãe, logo vamos impedir trinta milhões de pessoas de serem felizes proibindo o casamento entre pessoas do mesmo sexo... então porque não impedimos logo todo mundo de ser feliz casando com pessoas de qualquer sexo?

Ou, deixando de lado a questão da felicidade, por que é que tem de haver casamento ou família, e porque é que essas coisas tem de estar regulamentadas em lei?

Cão do Mato disse...

Sim.

Anônimo disse...

Já que vai ter estatuto da família cristã, quero estatuto da família satânica também. Estatuto cristão #nãomerepresenta

Anjo disse...

Isso e uma forma de favorecer as familias ricas, unicas que se encaixam no padrao burgues conservador e agradar a bancada evangelica, e a influencia evangelica sobre o estado. Alias nem existe uma bancada catolica, e esses politicos conservadores nao representam o povo, que nao e conservador em muitos pontos de sua visao de mundo.

Anônimo disse...

Eu estou impressionada com a quantidade de mascus que forjam comentários aqui. Pessoal, não vai rolar , vão chorar em outro lugar porque quem conhece esse blog sabe dessa artimanha.
Esse anônimo de 12:39 não é feminista ou então é radfem e essa Rebeca , como a Lola escreveu é rebecO(mascu forjando comentário)

Ana Carolina Serrao disse...

Solitário detectado. Seus únicos amiguinhos são os parafusos e roscas e objetos da caixinha de ferramentas.

Zero disse...

Cão do Mato,

evangélicos defendem o país Israel, como berço de seu messias, e não o povo judeu não. católicos muito menos. eles apenas usam como mais um pilar ou pretexto, nada mais.

judeus nem horários em TV aberta tem, como as igrejas fazem aqui.

o que eu quis dizer, que a bancada evangélica que tanto prega religião em locais públicos, seria a primeira a levantar bandeira pelo estado laico em caso de proposta de partido de outra religião. e creio que ninguém duvida disso.

Raven Deschain disse...

O QUÊ???????

ORGIA HOMOERÓTICA????

E eu trabalhando?

Cês nem me convidam?

Taty disse...

Perguntem pra americana Heather Barwick foi criada por um casal lésbico e é totalmetne contra a adoção de crianças por casais gays.

Kittsu disse...

*suspiro desanimado*
...Essa caixa de comentários de hoje tá daquele jeito...

A unica coisa que se salvou foi o anônimo falando da origem das cerimônias de casamento como um contrato.

Anônimo disse...

Pra uma pessoa que não liga pra família,não liga pra genealogia não fico chocada,aliás VC tem filhos né isso é sua família.
Lembre-se VC só tem o que tem hoje porque a sua FAMÍLIA te deu condições pra isso, ah mas porque VC precisou mesmo registrar seu filho? Hein?
Taty

André disse...

Taty,

Por que será que a Heather Barwick ganha tanto destaque? Por que não procurar casos de filhos adotivos de casais gays que estão satisfeitos e dar a mesma publicidade a eles? Por que isso a incomoda tanto? Formar família é sempre um risco, muita coisa pode dar errado, não só entre os cônjuges mas também com os filhos. Nem por isso vemos pessoas (não malucas) pedindo o fim da família tradicional.

Anônimo disse...

afs nao vo permiti q vcs destrua a familia perfeita trandicional crista isso e o fim dos tempos eh os iluminate

Fabio Guapo disse...

Embora a presença feminina no mercado de trabalho traga mais bens e serviços sendo produzidos, o que tornará a sociedade mais rica, isso NÃO necessariamente significa que a sociedade estará melhor: crianças terão menos contato com os pais (e por consequência, serão deixadas aos corvos das escolas, creches e babás digitais), a cozinha doméstica será substituída por comida congelada e seus nefastos efeitos à saúde das pessoas, etc. Cada família é um caso particular e embora a mulher não seja feita pela natureza para ser a provedora (basta olhar a gravidez, bem mais comum em sociedades mais primitivas, que completamente desabilita a mulher de boa parte dos trabalhos), há mulheres que podem providenciar mais recursos que seus maridos e isso possibilita que eles, ao invés delas, passem mais tempo com seus filhos.
Em resumo, embora a parte econômica seja fácil de discutir, os impactos sobre as crianças devem ser a parcela prioritária da discussão. Se elas não aprenderem com os pais a resolverem seus conflitos voluntariamente, não será na escola, nas universidades e nas creches que aprenderão; muito pelo contrário, como provado por todo paraquedista que adentra nossa atmosfera voluntarista. É muitíssimo importante que ocorra conexão emocional dentro da família para que ocorra a proteção da criança contra quaisquer predadores, por exemplo.
Gostaria de complementar que a lei da licença maternidade foi criada não para favorecer as mulheres, e sim as crianças que precisam de mais cuidados nos primeiros meses de vida. Todos que criticaram aqui também são filhos...

André disse...

Fabio Guapo,

"basta olhar a gravidez, bem mais comum em sociedades mais primitivas, que completamente desabilita a mulher de boa parte dos trabalhos"
Se é nesse tipo de informação que você fundamenta suas convicções não me espanta o restante do seu comentário.

Anônimo disse...

21:17,fabio guapo, e uma criança sera muito ma is bem cuidada ten do duas mães. A maternidade é fundamental para o desenvolvimento infantil, ao contrario da paternidade, como foi mostrado por toda a historia Humana. Desse modo, temos que admitir que um casal lesbico consegue conciliar melhor o trabalho com os filhos do que um hetero. Viva as mães.

Anônimo disse...

OFF, Danilo Gentili e companhia sendo ownados no próprio programa, o melhor é a cara de cu dele kkkkkkk

https://www.facebook.com/526644744139394/videos/682784025192131/ (pode clicar que não vai dar ibope pro programa não, o vídeo tá em outra página no Face)

J.M. disse...

Abriram a tampa do bueiro, feriadão a mascuzada e reaçada se solta. Cruzcredo!

Anônimo disse...

Mas isto tudo faz parte da agenda desconstrutivista coletivista fanática anônimo, eles afastam a figura dos país das crianças as deixando a cargo do estado e seus doutrinadores, a inversão de valores que vemos os jovens afundados hoje e resultado disto, drogas, sexo sem limites, crime como filosofia revolucionária etc.

Anônimo disse...

Mascu rebecO nem disfarça e resolveu envolver incesto, algo totalmente sem nexo dentro da discussão. Vários mascus são cybertrans. Olha mascuzinho rebecO cybertrans, se vc quer pegar seu/a irmão/a isso é problema seu e só lamento pelo/a seu/a pobre irmão/a. É um castigo ter um mascu como parente.

Gostei tbm da ideia do post sobre os mascus que usam o feminismo para cometer abusos sexuais, entre outros abusos contra mulheres. Inclusive daquela típica mentalidade mascu que apartamento de mulher que mora sozinha é "motel". Deve ser até perigoso deixar um cara desses subir até o apartamento, vai que ele comete um estupro.

John Doe disse...

Eu acho assustador que grande parte da população ainda tenha essa mentalidade em 2015.

Reaças, façam o favor de me explicar uma coisa: no ponto de vista doentio de vcs, por que uma criança criada por uma família composta de duas pessoas pessoas do mesmo sexo, teria uma criação pior a de uma criada pela família tradicional, na qual o marido vive traindo a esposa e dando esse exemplo de desrespeito desde cedo`

J.M. disse...

Não dá pra esperar nada lógico dos "argumentos" desses defensores da sagrada família do comercial de margarina. Quando se pergunta em que uma família formada por um casal gay ou lésbico vai interferir em sua santa família heterossexual, o melhor que conseguem "argumentar" são analogias com parafusos e fechaduras e coisas do tipo. Também, o que esperar de seres que parecem viver em universo paralelo? O que eles ganham com todo esse ódio e por que tentar impedir que milhões de famílias tenham direitos básicos assegurados? Muito medo desse lindo amor cristão.

Anônimo disse...

Eu vejo os membros da família tradicional criticando a adoção por homossexuais, mas percebo que nenhum deles possui filhos adotados. Ora, se vocês se preocupam tanto que os gays possam adotar, por quê não adotam? É sabido que há mais pais interessados em adotar, do que crianças para serem adotadas. Isso porque esses pais querem apenas crianças pequenas e brancas. Então parem de hipocrisia, se vocês não fazem sua parte para construir uma sociedade melhor, não tentem impedir que outras pessoas o façam. Quantas vezes você que critica a adoção por gays já foi fazer um trabalho social em um orfanato ou dedica uma parte do seu tempo com serviços voluntários para crianças de rua?

Anônimo disse...

na qual o marido vive traindo a esposa e dando esse exemplo de desrespeito desde cedo`

Claro, pq homossexuais n traem, n são agressivos... kkkkkkkkkk nada contra eles casarem, adotarem, mas bem ridículo e desonesto santificar famílias alternativas e crucificar a tradicional.
Vi uma entrevista uma vez da Thammy que se assumiu lésbica, dizendo que o trabalho domestico era das namoradas, eram as empregadinhas dela, traiu n sei quantas vezes uma namorada, ela mesma contou num programa.

anon A. (radfem) disse...

"Esse anônimo de 12:39 não é feminista ou então é radfem"

Massa que o feminismo radical tem uma representação de lésbica bem mais forte que o liberal, mas se alguém é homofóbico é claro que só pode ser radfem. A mesma coisa com racismo, tiraram de algum bueiro que radfems são racistas mesmo quando ouvimos e representamos mulheres negras muito mais que o feminismo liberal. Ou sermos transfóbicas, quando somos praticamente o único movimento que acolhe homens trans (vá entrar em uma comunidade trans, como homem trans, e reclamar de machismo que sofreu quando era mulher, de algo haver com o seu sistema reprodutor ou quando é lido como mulher, vá).

Anônimo disse...

"Ou sermos transfóbicas, quando somos praticamente o único movimento que acolhe homens trans"

Nada contra ou a favor em relação a radfems, mas você ta de deboche, né? Esse "acolhimento" é porque vocês não consideram eles homens. Vocês chamam eles de 'xoxoto' ou 'piroco'? kkk

André disse...

00:46,

Nenhum tipo de família está isento de erros. A questão é que os muitos erros observados nas famílias héteros não nos faz jogá-las na ilegalidade.

Anônimo disse...

Ai 09:11, que tédio... esse "argumentio" só funciona para alienados que frequentam a página do olavão. zzzzzzzzz

Anônimo disse...

Xorando de rir com os "entendidos" em governo soviético. Cês sabem o que eram bolcheviques e melcheviques?

Rafael Cherem disse...

Que loucura que é essa página de comentários, nenhum argumento racional, nem em defesa do projeto! Não seria o momento de selecionar melhor quem comenta?

Anônimo disse...

Eu tive uma família tradicional e foi uma merda. Posso então pedir pra abolirem a família tradicional por isso? Eu tenho uns parentes evangélicos que transformaram minha vida num inferno, posso então fazer um projeto de lei pra que os evangélicos sejam proibidos de procriar, ou proibir que eles convivam com crianças? Não, né? Então porque esses putos querem regular a vida das famílias diferentes desse padrão babaca? Que peguem esse estatuto da família e enfiem no meio do rabo, direto na prega rainha e façam bom proveito.

Rebeca, Rebeca, mascu com pepeca, sabia que incesto entre adultos que consentiram não é crime na lei brasileira? Se você quer liberação social do incesto dê a cara a tapa e lute pelo direito de transar com sua irmã/seu irmão ao invés de cobrar das feministas que faça seu trabalho por você.

Fábio Guapo, essa história já é mais velha que a mãe da minha bisavó. Se quer saber o quanto o seu argumento é uma merda, abra um livro de História no capítulo sobre o séc. XIX.

Anon das 00:46 engraçado que as famílias héteros fazem toda essa merda mas CLARO que você não considera isso desculpa pra extinguir a família tradicional hétero. Quer um óleo de peroba pra passar na cara ou um machado pra rachar seu crânio no meio e enfiar um pouco de vergonha nele? Eu pessoalmente recomendo o machado.

Raven Deschain disse...

Rebeca rebeca mascu com pepeca.

Huahsuahus

Gente, isso foi épico.

Danilo Muller disse...

eu moro em morro e o que mais vejo é mulheres criando filhos sozinhas outras crianças sendo criadas pelas avós sera que pra essas pessoas isso tambem nao é familia? é bonitinho dizer famila sem perceber que as familias tradicionais nao sao exemplo nenhum o que eu mais vejo é casos de violencia domestica abandono paternal crianças sendo criadas da pior maneira possivel.

lorena disse...

Essa gente idiota ao invés de definir se o que cada um tem é uma família ou não, deveria se preocupar em melhorar as condições de vida da população em geral, pra que crianças possam ter uma educação melhor e para que os 'pais/mães' não precisem enterrar seus filhos por causa da violência e do descaso nos hospitais públicos.

Mila disse...

Também me pergunto que direitos estariam sendo retirados da "tradicional família" com a restrição do conceito. Ora, sempre existiram famílias fora do modelo binário marido-esposa e sempre existirão, não importa o quanto os conservadores esperneiem. Sempre existiram mulheres criando seus filhos sozinhas pq o pai simplesmente deu no pé; ou a criança órfã vivendo com o tio/avô/irmão mais velho, viúvos ou divorciados que não se casaram de novo; casais que não podem ou não querem ter filhos, casais de "namoridos", que ... Enfim, são tantas configurações possíveis! Não enxergo mais a família margarina (papai, mamãe, filhinho) como modelo hegemônico. Parece que o Congresso brasileiro legisla olhando para o passado.

Anônimo disse...

É mesmo, Tatytroll, sem a minha família tradicional eu não teria fobia social, problemas de relacionamento, depressão nem impulsos suicidas. Eu não teria tido o privilégio de ser mandada calar a boca toda hora, de ser o enfeitinho na foto de família, de ser o bibelô dos meus pais, de apanhar cada vez que eu lembrava minha família de que eu era gente e não brinquedo, de levar surra sem ao menos saber por quê eu estava apanhando, de ser tratada com "terapia da culpa" sempre que discordasse do meu pai imaturo e egocêntrico. Eu devo muito mesmo à minha família tradicional.

Agora com licença que eu vou ali protestar pelo fim da "família". Essa merda já atrasou e destruiu vidas demais.

Anônimo disse...


Sou professora de História e não aguento mais este revisionismo histórico imbecil que ocorre na internet, vamos parar de caçar os comunistas porque o que os conservadores querem fazer com este país é bem mais sério.

b) O estatuto é uma aberração pois discrimina famílias tanto formada por gays e por héteros, casais gays adotam crianças os recorrem a inseminação eles formam famílias, os fundamentalistas deviam deixar a sexualidade das pessoas em paz

c) Casais héteros adotam crianças, não é justo que estas famílias sejam discriminadas depois de praticarem um gesto tão bonito, este congresso é um horror