terça-feira, 18 de agosto de 2015

GUEST POST: OS HOMENS QUEREM TER UM MOLEQUE

Semana passada, ao tuiter sobre meus 25 anos com o maridão, uma moça perguntou se não tínhamos filhos. Respondi que não, e a conversa continuou:
Então pedi pra que ela escrevesse um guest post sobre o assunto, sobre essa impressão que ela tem de que os homens costumam querer ter filhos. 
Não é uma impressão infundada: uma pesquisa feita nos EUA com mais de 5 mil homens e mulheres mostrou que mais homens que mulheres querem casar e ter filhos. Aliás, quanto mais velhas, menos mulheres querem casar. Outra pesquisa americana indicou que 8 em cada 10 homens querem ser pais.
Apresento Aline Lacerda, 30 anos, Relações Públicas. 

Quando eu fiz trinta anos, no início deste ano, comecei a perceber algumas diferenças significativas no meu corpo e na minha vida. Meu cabelo, além de ter fios brancos, cai mais que antes; meu fôlego piora a cada dia; a preguiça toma conta dos meus finais de semana; quaisquer três copos de cerveja me deixam com uma ressaca épica; não consigo emagrecer; passei a ser hipertensa, ​entre muitas outras coisas...
Não bastasse tudo isso, vem as cobranças. Você não vai casar nunca? Como assim, você não quer ter filhos? Você sabe que vai ser a velha dos gatos, não sabe?​ (tenho três).​
Sim, serei a velha de quantos gatos eu puder ter! Não, não quero ter filhos, não quero ser mãe de humanos! E​u​ não sei se vou casar um dia​. Aliás, não sei exatamente porque​ pode ser que eu encontre alguém que não queira filho. Na verdade, tenho mais razões para acreditar que não​ encontrarei.​
Os homens vem sempre com essa de "ter um moleque". Não vou nem entrar na questão machista do "moleque" e nunca "muleca", vou me ater só ao desejo de ter filhos.
Quando eu me pergunto por que não quero filhos, não tenho uma resposta pronta. Não quero porque não quero e ponto. Simplesmente não tenho vontade. Mas por que tantos homens querem? Como olhar para a grama do vizinho é mais fácil, tenho ​uma hipótese. É muito mais fácil ser pai. E nem vou considerar o indivíduo, se é participativo ou não. Mas vamos pontuar questões biológicas e sociais:
- Quem é que engravida e passa 9 meses lutando pela sobrevivência enquanto outro ser tenta te matar? (Sim, biologicamente é isso o que acontece)
- Quem sofre com o parto?
- Quem amamenta? (Ah, mas isso é lindo! Sim, e também dolorido e trabalhoso)
- Quem sai do trabalho para levar o bebê ​ao médico?
- Quem deixa qualquer compromisso para ir buscar a criança febril na escola?
- Quem troca a reunião de negócios pela reunião de "pais"?
- E quem é que diz que não dá pra fazer tudo isso acima porque trabalha para sustentar a família?
Já ouvi por aí: "criança é uma maravilha, pena que vem com a mãe". 
Querido,​ na boa,​ se a mãe não viesse junto, homem nenhum quereria uma criança, porque ​vocês não imaginam o trabalho que dá!
Enfim, como muitos creem que nós, mulheres, viemos ao mundo para parir, quem opta por não fazê-lo tem certa dificuldade em encontrar a metade da laranja. Afinal, quem vai querer uma mulher que não lhe dará um filho para que ele possa ensinar a andar de bicicleta ou levar ao estádio​ de futebol?
Sigo ​bem, ​obrigada, na companhia dos meus filhos Alfredo, Ariel e Amora.

191 comentários:

Anônimo disse...

homens sempre enxergaram as mulheres como incubadoras de suas proles, nada mais que isto.
Alias isto esta na raiz da nefasta criação da "propriedade privada"
Pois nos somos a revolução, em um mundo de economia comum, o estado será o pai, e não não precisaremos nos submeter mais ao patriarcalismo na figura do 'pai provedor"
Este e um mundo de homens, criados por homens, e para homens...vamos destruí-lo

Anônimo disse...

Ai meldels a Amora parece a minha Zelda! Amo as tricolores, gatas mais lindas.
Sobre o post, ah porfa neh? Concordo 1000% contigo. Eles nâo iam querer saber de criança se nâo viesse com a mãe. Tenho vários "pais de facrbook" na minha rede. A mãe lá se fodendo em escola, hospital, passeios e ninguém nota.

Mas se o pai passa baton em casa com a filha antes de tomar banho, Ó HERÓI PAI DO ANO. Santa hipocrisia.

Rafael Cherem disse...

Visão equivocada da paternidade, eu sou pai e só não amamentei e fiz o parto, o resto fiz questão de participar. Não quero medir o mundo por minha régua, mas parece que as vezes nesse blog, há um apego exagerado aos esteriotipos machistas que não correspondem à realidade da maioria dos homens, os quais trabalham e amam suas mulheres e suas familias, e colaboram em casa, essa figura do machistão que fica sentado vendo tv e pedindo cervejo, a qual parece que a autora do guest se baseia na decisão de não ter filhos, não existe na maioria dos lares.
E mais, quem não quer ter filhos ou quer não precisa ficar se justificando o tempo todo, é uma decisão estritamente pessoal.

Mila disse...

Lindos os filhotes! Sou mãe de uma angolata preta.

Eu até penso em ter filhos, mas agora, definitivamente não estou preparada e me surpreendo com uma galera da minha idade tendo filho com vinte e poucos anos, alguns começaram a ser pais na adolescência.
Imagino que para as moças acima de 30 anos, a pressão para encontrar um parceiro e ter um filho sejam enormes. Hoje em dia, vejo muitos pais sem a menor maturidade emocional para criar uma criança ou então terceirizam a criação dos filhos.
As responsabilidades são muito grandes e quase sempre são assumidas apenas pela mulher. Acompanhamento escolar, médico, interação com a criança, despesas financeiras. Fora que há preconceito com as mulheres na iniciativa privada quanto à pretensão de engravidar ou presença de filhos pequenos. Por ora, prefiro ser mãe de gato mesmo.

Eva disse...

Ah, tenho um desses na família, Anon 11:30. Não colabora em nada para cuidar da criança, mas no facebook é o pai do ano, vive postando foto todo orgulhoso. Quem vê, pensa que é o maior paizão.

Acho triste que muitas dessas cobranças vêm inclusive de mulheres. Eu não tinha me dado conta de como esse pensamento começa cedo até que, um dia desses, comentei na frente de uma menina, filha de uma conhecida, que eu não iria casar e ter filhos. (Não é uma decisão 100% ainda, mas acho que não vai rolar para mim e estou muito bem com a ideia.) Pois bem, a menina tem 7 aninhos e a reação dela foi: "Mas você TEM que ter filhos!". Eu disse: "Não tenho, não. Se eu não quiser, eu não vou ter.". Ela: "E você vai ficar SOZINHA?" (como se fosse uma espécie de condenação, a pior possível). Eu: "Tem gente que prefere". Ela: "Não, você TEM que casar e ter filhos."

Tipo, TODA MULHER nasceu pra isso, né?
Fiquei triste de ver o que o patriarcado já fez com a cabeça dessa criança. E olha que ela nem vive em um lar tão machista assim.

Anônimo disse...

Rafael Cherem disse...
"Visão equivocada da paternidade, eu sou pai e só não amamentei e fiz o parto, o resto fiz questão de participar. Não quero medir o mundo por minha régua, mas parece que as vezes nesse blog, há um apego exagerado aos esteriotipos machistas que não correspondem à realidade"
___________________
E você quer o que? Biscoitinho por não ter feito mais que sua obrigação?
Na boa cara vai ler um livrinho de história e deixa de passar vergonha na internet a toa, o machismo e estrutural não apenas um estereotipo, não só corresponde a realidade como vitimiza mulheres e meninas todos os dia, e por milenios.
Você como parte opressora não tem moral nenhuma para dizer como o feminismo deve ou não se encaminhar.
Volta pro esgoto masculino de onde saiu e some cara, fico pé da vida com omi pagando de entrão em um movimento onde ele e claramente diagnosticado como a fonte do problema, mas o ego deles querem coloca-los como protagonistas ate aqui.

Jonas Klein disse...

Olá Aline

E não e fácil a vida, o seu texto ate e bem interessante, e tem fato que requer uma observação:

"meu fôlego piora a cada dia; a preguiça toma conta dos meus finais de semana; quaisquer três copos de cerveja me deixam com uma ressaca épica; não consigo emagrecer; passei a ser hipertensa, ​entre muitas outras coisas."

Sem querer ser um chato mas talvez já sendo, você sabe porque o seu corpo esta assim? eu tenho 90% certeza que e por falta de atividade física, e eu não me refiro cuidar da casa como atividade física, eu me refiro atividade física ir para um academia ou mesmo em casa e malhar para valer, experimente começar controlar bem a sua alimentação e malhar que você vai ver que daqui a um ano você vai se sentir outra mulher com pleno vigor físico, saúde bem melhore com um corpo bem mais apreciável esteticamente(pelo menos na minha opinião).

O fato que o nosso organismo ele feito para o trabalho pesado, ou seja, aquele que demanda alto volume de esforço físico, sem isso e só a sua juventude começar passar que o corpo já começa degenerar e muito antes da hora.

O que disse talvez seja desagradável para você ler, mas se trata de fatos reais, se você falou do seu estado de saúde e forma física no texto, penso que provavelmente e porque já queria ler algo + ou - assim.


Agora quanto ao fato de você não querer ter filhos, isso quando pessoa pensa em casa realmente acaba dificultando as coisas, pois maioria dos homens de fato quer ter filhos, mas como a Lola mesma te disse, não são todos que querem ser pais, eu mesmo se algum dia eu me casar, eu vou deixar a minha parceira escolher se quer ter filhos comigo ou não, e vou acatar a decisão dela sem reclamar de nada, para mim ter filhos ta longe de ser uma prioridade.

E tem muito homem que não quer saber de ter filhos e pronto, e tem fato que talvez você não tenha percebido, eu não sei se você morar no interior, caso more se você se mudar para uma capital, você vai sentir uma considerável diferença no comportamento dos homens em tudo.

Se você começar prestar atenção vai perceber que quanto mais pequena e pobre uma cidade é mais machista ela tende a ser.

E tem coisa que e frustrante ver e como ainda em 2015 a maioria da sociedade vê as mulheres que não querem casar e/ou ter filhos, como fracassadas, loucas, burras e nem sei o que mais, em fim esta e só mais uma das facetas do machismo estrutural que existe no mundo.

Por fim eu apenas quero te ajudar, e se você ainda quer casar ou só viver com alguém, não desista de encontrar o cara certo para você, pois vale apena sim.

Senhorita F. disse...

Ter filhos é realmente uma questão extremamente diferente para pais e mães... Existem pais participativos , sim existem há logo acima um comentário de um pai... mas a questão é que a paternidade não é vista da msm maneira... um pai faz muito menos (trabalho efetivo msm) do que uma mãe e é mais valorizado... Um bom exemplo é o cara que pega o filho no fds joga bola ou vai ao shopping por 2 horas comparece a uma reunião qualquer... Porra o cara já virou super pai...
Costumo dizer que ter filhos envolve uma infraestrutura que é mantida pela mãe... o cara vai chegar do trabalho e brincar com o filho (lindo né!!!) mas a mãe lavou a roupa da criança, fez a comida, alimentou, cuidou do espaço o qual a criança está... e o pai chegou e foi brincar e ele é participativo (sim sim)... Nos separados isso as vezes é até mais visivel, qtos são os casos das crianças que levam suas malinhas de roupa pra casa do pai e depois retornam com a roupa suja para suas mães??? ou esse pai deixa pra uma vó , tia ou madrasta o trabalho de manter a infraestrutura e ele se comporta como irmão, levando só pra passear e comer besteira, afinal é fds!!! É uma idéia muito geral existem casos particulares? Sim existem até pq a mulherada sacou que não é dever só de um ou de outro, e tem mto cara consciente.
sobre o desejo de ser mãe eu tenho vontade de adotar, inexplicavelmente eu sempre tive um sentimento mto positivo sobre adoção, acredito em amar alguém independente do vinculo biológico que posso ter ou não com ela... estranhamente não vejo taaantos homens com esse msm sentimento , se vejo sua maior parte é gay. Não é uma estatistica e não é oficial são apenas pessoas com as quais conversei.
Ahhh uma observação, nas revistas livros e nas falas sempre é dito que pais participam, enquanto sobre aa mãe recai a palavra responsabilidade... Enquanto pai achar que ele está participando da criação do filho a relação nunca vai ser igualitaria... é responsável pela manutenção da educação, e qualidade de vida dessa criança...
Vejo pai dizendo que participa da educação, vc vai comprovar ele só foi avisado de decisões que foram tomadas por alguém - que não ele.

Ale disse...

Rafael Cherem, reveja seu discurso: "fiz questão de participar" e "colaboram em casa". Dão a impressão que o papel do homem é "ajudar" ao invés de assumir a responsabilidade como sua tb. Eu colaboro em várias coisas, tipo, não jogo papel no chão para não sujar a cidade, mas veja bem, eu não limpo a cidade, eu não varro a rua. Ou seja, o trabalho de manter a cidade limpa não é meu! Eu apenas dou uma ajudinha de merda. E é disso que a autora tá falando. Que é muito fácil ter um filho e "colaborar", trocar uma fralda de vez em qdo, pegar alguma coisa no mercado, sair pra passear com o filho uma vez por semana... mas e o resto?? Quem faz? Na maioria das vezes é a mãe sim, porque em nossa sociedade existe a crença que esse é o papel da mulher. A maioria das pessoas que tem filhos eu conheço são assim. Inclusive tenho amigas que tem medo de deixar o filho com o pai porque acham que o homem é incapaz de cuidar da criança sozinho. Talvez você não enxergue isso porque VOCÊ NÃO É UMA MULHER. Muito fácil vir dizer que a realidade não é essa porque realmente, ela não é a sua. Vamos ter mais empatia e escutar o que as colegas falam, ok?

Anônimo disse...

Meu chapéu, vou morrer de fofice com esses gatinhos!!!!!!! Soooooooo CUTE!! =D

Os meus pais não se metem nesse tipo de assunto. Porém, esses tempos eu fiquei super magoada falando com uma tia, que eu gosto muito e não via há anos e essa foi a primeira coisa que ela me pergunta " e o bebê"?... tipo, nem quis saber se estou feliz, se estou bem, o que estou fazendo aqui no outro lado do mundo... foi direto para "quando vai cumprir seu papel de chocadeira"??

Sabe como eu me sinto nessas horas??? Uma matriz reprodutora, uma daquelas pobres criaturas que devem ser constantemente inseminadas e emprenhadas pra não perder seu valor comercial.


Jane Doe

Mariana Nogueira disse...

O primeiro comentário (anôn 11:24) está com cara de ter sido feito por homem machista para criar discórdia entre as feministas...ignoremos!
Bom, óbvio que existem homens que não desejam ter filhos (vide o marido da Lola), mas eles são minorias, pois os impactos da paternidade sobre os homens são menores do que os da maternidade(claro que há exceções, trato aqui de regras), há também uma certa cultura de que ser pai é maravilhoso e essencial (ainda que essa cultura seja centenas de vezes maior para mulheres), além do próprio machismo, que idealiza a necessidade de um filho varão para dar continuidade a sua genealogia.
Creio que com o passar da idade é mais fácil o homem não querer mais filho, seja porque já o tem ou, então, porque encontrou conforto e satisfação com a vida sem filho. Portanto, a probabilidade de encontrar homem que aceite um casamento sem filhos é maior quando este homem não é tão novo.
Ademais, acho ótima a ideia de ser a velha dos gatos! Portanto, se o pior que pode acontecer é isso, fique tranquila, será ótimo!

Anônimo disse...

O dia que dois mitos caírem entre nós mulheres, o mito da maternidade, e o mito do amor romântico, ai sim termos força de verdade para derrotar o patriarcado para sempre.
Estes dois mitos são os maiores calcanhares de Aquiles do feminismo na minha concepção.

Zrs disse...

A psicanálise já diz, ter filhos é uma questão de desejo, pois se for pensar racionalmente mesmo, nenhuma mulher em sã consciência traria alguém para esse mundo: estrutura patriarcal, escassez crescente de recursos ambientes, falta de uma rede ampla e sólida de apoio materno, sofrimento inevitável e futuro dos filhos, etc, etc...

Zrs disse...

mudou a forma de publicar coments?

Anônimo disse...

Rafael Cherem, você não é a regra... assim como meu irmão que DIVIDE como a minha cunhada a empreitada de criar o pequeno. Ele não saiu de perto dela na maternidade, e quando ela tentou amamentar ele estava sempre lá, sentado ao lado dela. Os dois assumem turnos em TUDO, inclusive na hora de faltar no trabalho...

Mas ele é EXCEÇÃO!!! Você também é...

A maternidade é, na minha opinião (e que venha a avalanche de pedras atirados na minha direção), quase como uma maldição. E o mais triste é que, não adianta não ter filhos pra se livrar dessa encrenca.

Jane Doe

Zrs disse...

Não sei se é impressão minha, mas ultimamente tem crescido muito o endeusamento da mulher-mãe no meio feminista, um resgate da mulher como ser da natureza (ao contrário da mulher profissional), do "sagrado feminino", do louvor a menstruação, a gestação divinizada e romanceada, etc. Tenho observado também um número cada vez maior de jovens acadêmicas na casa dos vinte engravidando e floreando (de uma forma até ingênua) a maternidade. Pode ser, talvez, um certo desencanto com o mundo do trabalho...

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Rafael Cherem disse...das 11:34
Volta pro esgoto masculino de onde saiu e some cara, fico pé da vida com omi pagando de entrão em um movimento onde ele e claramente diagnosticado como a fonte do problema...

Fiaa(o)esse seu discurso é de ódio, o quê vc quer? Exterminar os homens da face da terra? O feminismo não é só uma luta das mulheres, conheço muitos homens mais feministas que você. Isso que você defende é justamente o oposto.

Anônimo disse...

Eu também não quero ter filhos, eu acho que não vale a pena perpetuar meus genes e meus valores tortos, além do trabalho escroto que um filho dá há também os gastos com rios de dinheiro e a abdicação de 99% da sua liberdade, normalmente quando eu digo isso meus pais ou conhecidos dizem "Ah é só uma fase, ter filhos é lindo e blá blá blá", mas a cada dia eu tenho mais convicção de que ter filhos é algo que poucos deveriam fazer e esses poucos deveriam ter condições financeiras e mentais e de preferência que fossem criados por um casal (independente de ser hetero ou homo) que ficassem juntos. Se pra mim já parece horrível a ideia de ter um filho imagine então pra uma mulher que vai se doar muito mais pela criança? Se um dia eu encontrar alguém pode ter certeza que essa pessoa tem que pensar igual a mim quanto a essa questão de filhos pq senão não vai dar certo.


AnonLivroAberto

Bizzys disse...

Eu também não quero casar nem ter filhos, sempre dizia isso quando era mais nova e as pessoas só retrucavam "ah, você vai mudar de ideia, vai casar sim, vai ter filhos sim". Hoje não sou tão cobrada porque tenho 25 anos, namoro, acho que as pessoas já estão "esperando" eu casar... Quando o casamento não vier, aí sim vai começar a encheção hahahahaha

Pra pessoa das 12:46: eu também acho que não precisava de tanta agressividade, mas falar de "homem mais feminista que mulher" é demais, né? Por mais que um homem apoie o feminismo ele não está fazendo mais que sua obrigação como ser humano decente (pra mim é obrigação lutar pela igualdade, desculpe quem não acha). E esse Rafael veio comentar aqui na maior arrogância, nem acho errado darem uma resposta atravessada.

O cara diz que esses homens machões, pai-de-facebook não existem na maioria dos lares, mas para começar, só no Brasil tem 5 milhões de crianças sem o nome do pai no registro. Mesmo não considerando um pai por criança, tem milhões de homens que simplesmente se desobrigaram de ser pais. Além disso, tem os pais-de-fds que o pessoal já citou, os pais que moram com a família mas não trocam uma fralda... É fato: a grande maioria dos homens não assume a responsabilidade de ser pai, como uma mulher assume a de ser mãe. Falar que quer "um moleque" é fácil, nesses termos.

Lara disse...

Eu quero ser mãe é uma coisa que desejo bastante, mas não tenho vontade de engravidar( pode acontecer e si ficarei feliz)acredito muito na adoção e quando estiver equilibrada profissionalmente pretendo adotar uma ou duas crianças. Casamento não sei se tenho vontade de dividir minha vida com alguém, principalmente pq muitos homens são mimados demais não tenho paciência pra isso, não digo nunca vai que encontro um cara legal e que seja feminista também rss.

A pressão existe sim as pessoas enchem, pois gostam de reparar a vida alheia e vc ser diferente é um ponto alto, pq uma grande parcela das mulheres ainda tem filhos muito cedo,deixam de viver momentos importante por conta da maternidade e boa parte delas assume quase todas as obrigações com os filhos.

Sófia disse...

Aline é desse jeito mesmo, eu tenho 25 anos e também já sinto uma pressão enorme para casar e engravidar. Ainda moro com os meus pais porque eu e meu namorado compramos um apartamento e estamos pagando juntos, ocorre que o imóvel foi comprado na planta, daí estamos aguardando. Enquanto isso ouço de todos o mesmo papo, "e ai, não vai casar não" "já passou da hora de ter filho hem" e até do meu namorado ouço comentários do tipo "Dá seu jeito que com 30 anos quero ter filho já..."

É o tipo de mentalidade que parece que nunca vai mudar e que procura fazer lavagem cerebral nas mulheres para que elas acreditem que a felicidade esta condicionada a se casar e ter filhos. A sociedade é tão alienada que tem gente que ainda acredita que um casamento é como uma propaganda de margarina tudo perfeito, tudo são flores, e por isso que muitas vezes não conseguem enfrentar os problemas quando aparecem.

Conheço tanta gente que pensa assim, eu pensava assim, até começar a enxergar que existe muita coisa além de casar e ter filhos.

Rê Bordosa disse...

Que lindos seus filhos felinos, Lola!
Eu to com 30 e também não penso em ter filhos. Talvez até os 40 eu mude de ideia, mas até lá não to ligando muito pra isso.
Serei a velha dos gatos com orgulho... Ops! Já sou! Tenho 5 e to bem satisfeita.
Meu marido tb não tem falado em filhos ultimamente. Quando o assunto surgiu ele concluiu logo que FILHO = + DESPESA E - LIBERDADE. Nós dois concordamos nesse ponto.

Anônimo disse...

"conheço muitos homens mais feministas que você"

ler uma frase destas em um blog feminista e de fazer meus ovários doerem.

Anônimo disse...

Já tive que ouvir de um homem que meus instintos estão errados porque não quero ser mãe lol, não é fácil aguentar só tupã na causa

Rê Bordosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
B. disse...

Zrs, não sei mesmo se é impressão nossa, mas ando notando isso tb...um endeusamento da "mulher primitiva" e demonização da dedicação ao trabalho. Sério!

Tenho conhecidas que veem o advento da profissionalização da mulher como algo ruim e que nos faz comer besteiras e que o certo é não ser tanto "escrava do capitalismo" e poder curtir a vida num parque comendo orgânicos. Que a imagem da "businesswoman" é nociva e que bom mesmo é só ficar em casa usando saião hippie e "maternando", sim existe esse verbo no meio atual feminista, significa se dedicar exclusivamente ao cuidado materno e não ficar de escrava do capitalismo.
Outra: essa mesma "vertente" do feminismo não recomenda pílula anticoncepcional por causa da bomba de hormônios (ok, nesse caso concordo com elas). Mas elas defendem não usar nada vindo da indústria farmacêutica e sim a natureza ditar o ritmo e quando o filho virá. É um feminismo meio Bela Gil.

Rê Bordosa disse...

Correção: lindos seus filhos felinos, Aline!
(Achei que eram da Lola, porque lembro da Lola comentar que também tem gatos).
De qualquer forma são umas fofuras! Gatos são perfeitos!

Rafael Cherem disse...

Pra moça que se exaltou, leia meu comentário sem ódio, sem raiva.

Onde dito os rumos do feminismo? Disse claramente que não meço o mundo por minha régua.
O machismo é estrutural, ok. Disperso em atitudes cotidianas, e não apenas encarnado no machão esteriotipado, no mascu onanista, na minha postagem mesmo não percebi o uso dos verbos participar e colaborar, pois vou muito além disso, mas estão lá, no subconsciente, esse é o combate diário de qualquer movimento progressista.

Passar bem.

Tamires disse...

Já viram How I Met Your Mother? Ted Mosby e Robin Scherbatsky que o digam!

Ingrid Bezerra disse...

Rê Bordosa, esses gatinhos aí são da Aline, os da Lola são um amarelo (Calvin) e uma preto e branca que esqueci o nome. :)



Eu também não quero ter filhos, nunca quis e sou convicta da minha decisão desde criança, mas as pessoas enchem mesmo o saco, só não me perturbam tanto porque fujo destes assuntos quando começam. Tenho 28 primaveras <3 (adoro essa idade!). E eu tive muita sorte, meus namorados todos que eu tive também não queriam ter filhos. Ah! E eu tive muita sorte também porque meu pai sempre quis ter uma única menina, ele sempre gostou das coisas da cultura feminina e esperava vivenciar essas coisas com uma filha desde quando era jovem e até hoje ele adora! (caraca, meu pai é muito fofo, ele gosta de ver Monster High! rsrs).

Anônimo disse...

Não e possível,alem do desejo masculino como um todo ser demonizado no feminismo, agora a paternidade também é.
Onde vocês vão parar feministas?

Anônimo disse...

Anon das 14:15 vamos parar num mundo onde os homens tem vergonha na cara e não ficam insistindo pra ser "pais" sem se dedicar realmente ao filho, nem são considerados pai do ano só porque levou o filho pra passear no sábado enquanto a mulher se ferra de todas as maneiras pra cuidar da criança. Onde quem não quer ter filho não precise ouvir barbaridades como as mencionadas nos comentários. Ah, e onde o desejo masculino não envolva a humilhação, subjugação ou agressão ao feminino. Passar bem.

lica disse...

Lola, achei uma coisa legal de compartilhar / divulgar aqui...

É uma lista colaborativa, no google drive, com nome/contato de ginecologistas em todos os estados do Brasil, que as próprias pacientes recomendam. Segue link.

Segue link da planilha no drive:

https://docs.google.com/a/bahianoticias.com.br/spreadsheets/d/1EJazwqYZ2sIYu1lNgitTnmaPpJmJ9rsjK0hKqgjRsd8/edit#gid=0

link de uma notícia contendo algum explicação da criadora, que é feminista:

http://www.bahianoticias.com.br/saude/noticia/13685-guia-colaborativo-de-recomendacao-de-ginecologistas-pretende-ajudar-mulheres.html

lola aronovich disse...

Pois é, Rê, esses gatos lindos são da Aline, autora do guest post! Os meus são Calvin, que é amarelo e vai fazer 15 anos, e Isabel, gatinha de 2,5 anos já! A gente pegou a Isabel quando a Blanche (gata preta divina) morreu, com quase 14 anos. Amo os gatos, mas sinto falta de cachorro também às vezes! É só que cachorro dá tanto trabalho a mais que gato...


Anon, ai ai, pobre desejo masculino, tão demonizado no feminismo! Desde quando o feminismo demoniza desejo masculino? Só se vc estiver falando de estupro, que, pras feministas, tem mais a ver com desejo de poder e dominação que com desejo sexual. E onde vc viu a paternidade sendo demonizada no feminismo? Ou neste post? Uma leitora diz que não quer casar e que um dos motivos é que a maioria dos homens quer ter filhos e vc interpreta como "demonização da paternidade". Tá precisando de aulinhas de interpretação de texto, hein? Aqui a gente só "demoniza" homem burro!

Anônimo disse...

homem não gosta da mulher e sim de possuir a mulher, de ter uma escrava em casa, sexual , e uma encubadiora humana. As mulheres precisam cair na real, quantas mulheres se submetem a tudo por homens ser traídas ,humilhadas, violentadas. só por achar que o homem ama ela, quanto desses homens são românticos , quantos chegam em casa e perguntam como você está?, quantos dividem as tarefas, quantos olham pra mulher como ser humano como seu igual. Se a mulher sair do estereótipo que ele almeja, ele não quer nem saber de aturar ela.

Anônimo disse...

A maioria quer ter filhos, mas quantos estão dispostos a serem pais?
tirar foto e botar no instagram igual neymar faz é fácil né.

Anônimo disse...

Oi Raven; )
#volta raven

S. disse...

Que piada o cara aí falando que maioria dos homens cuidam dos filhos kkkkkkkkkkkkkkk
Eles acham que pagar as contas já é cuidar muito, depois não sabem porque os filhos são mais apegados as mães.
Depois de uns meses da minha mãe ter engravidado, ela pediu meu pai para cozinhar porque ela estava muito cansada, não aguentava ficar muito tempo em pé, meu pai fez comida um dia só e disse que não ia fazer mais, dando piti porque tava cansadinho, que dó! Passaram a comer nos meu avós.
Minha mãe que nos dava banho, nos dava comida, faltava trabalho para levar no médico... Se meu pai arrumou a casa um dia, foi muito.
Também não tenho a mínima vontade de ter filho, não me enchem o saco, mas se eu falar isso já me olham como se eu fosse louca, aí vem a conversa de sempre "eu não queria e agora tenho", "filho é muito bom".
Nunca namorei, já falei a razão aqui, mas todo mundo acha estranho e é uma coisa bem tosca, parece que todo mundo quer saber da sua intimidade, só sabem perguntar cadê o namorado. Como falaram aí, não querem saber se você está bem, sua opinião sobre alguma coisa, nada.
E o engraçado é que a pessoa tem um relacionamento de merda, mas acha que você tem que namorar, que é a melhor coisa da vida, só assim você vai ser feliz.

Anônimo disse...

Conheço homens que não querem ter filhos e são vítimas de malandras endividadas que querem pensão.

Como quase tudo relativo aos seres humanos, a classe social pesa e influencia nas decisões. Generalizar não adianta para esclarecer discussões.

Tenho 41 anos, minha namorada nunca vai poder ter filhos, isso a torna a mulhere mais valiosa do mundo. Não quero gastar dinheiro, não quero pensão. Se quiser brincar com uma criança existem sobrinhos, que saem muito mais baratos e vão embora no fim de semana.

Grande maioria dos homens sonha em ter um herdeiro para suas dívidas, mas nem todos são malucos de jogar dinheiro no lixo.

Ex Socialista

B. disse...

Lica, obrigada pela divulgação, grande iniciativa dessa criadora, lista de bons ginecologistas!

Anônimo disse...

Não existe na maioria dos lares?°•° ???
Em que mundo você vive?

Anônimo disse...

Legal alguém criticar o mito do amor romântico. Quase não vejo isso em blogs de esquerda e/ou feministas.

A partir do momento que as mulheres POBRES começam a pensar, as populações diminuem. Europa, Canadá, Japão, Coréia do Sul, todos esses países estão diminuindo suas populações.

Por conta disso, os políticos morrem de medo, pois haverá menos otários para serem explorados. Além de ter muito mais velhinhos para receber aposentadoria.

O certo para mim é que homens e mulheres se unam para melhorar de vida e ganhar mais, sem crianças, sem gastos malucos.

Ex Socialista

Donatien Alphonse François disse...

Não ter filhos é uma opção totalmente válida, seja pelo motivo que for, o importante nessa questão não é o que os outros pensam sobre sua decisão, mas deixar isso bem claro quando for se relacionar com alguém. É muito ruim se relacionar com alguém que tem objetivos de vida totalmente diferentes e opostos ao seu, sem mencionar que isso não faz o menor sentido. É como diz o velho deitado: o combinado não sai caro. Uma vez que ambos não querem é vida que segue e ninguém tem nada a ver com isso. Há muitas vantagens em não ter filhos, tempo e dinheiro são as primeiras que me vem a cabeça, viajar sem pressa de voltar, não ter com quem se preocupar e por aí vai... No meu caso não levei nada disso em consideração, desde que me lembro por gente sempre quis ser pai, não apenas ter filhos e deixar a deus dará, queria participar de tudo, na medida do possivel, demorei para encontrar uma mulher que também quisesse isso, a maioria não queria, talvez por eu ir direto ao ponto. Eu estou longe de ser um pai e marido perfeito, mas não há nada que eu ame mais que minha família e continuar a desfrutar do amor deles é tudo que mais quero nessa vida, principalmente porque não acredito que terei outra chance em outra vida.

S. disse...

Não e possível,alem do desejo masculino como um todo ser demonizado no feminismo, agora a paternidade também é.

Se vocês ligassem para paternidade, cuidariam dos próprios filhos. Mas jogam o trabalho pesado em cima da mulher e acham que pagando as contas já estão fazendo muito.

Depois de uns meses de minha mãe ter engravido, pediu meu pai para cozinhar porque ela não estava aguentando ficar em pé muito tempo, ele cozinhou um dia e deu piti falando que não ia fazer mais porque tava cansado, que dó! Tiveram que comer nos meus avós.
Minha mãe que nos dava banho, comida, faltava trabalho para levar no médico. Se meu pai arrumou a casa uma vez, foi muito.
Não me encheu o saco com história de filho, mas se eu falar para alguém que não quero vem a baboseira de sempre que já falaram aí, além de me olharem espantados como seu eu fosse louca.

Jane Doe

Também fico puta com isso, só querem se meter nossa intimidade, comigo só sabem perguntar "cadê a namorado?", não querem saber se estou bem, minha opinião sobre qualquer coisa.
E o engraçado é q quem pergunta isso tem um relacionamento de merda, mas acha que você tem que ter um macho, senão não vai ser feliz, ficar sozinha é ruim. Melhor é viver um relacionamento meia boca, que não te faz feliz, para não ficar sozinha.

Anônimo disse...

Lola você viu o vídeo do canal gays, falando que sexo lésbico era incompleto, que fedia a bacalhau, que tava faltando coisa ali, achei uma total falta de respeito
https://www.youtube.com/watch?v=al6wz7ksFwE
vc podia falar sobre isso

Kittsu disse...

A minha família mesmo não toca no assunto, mas no serviço tá um porre. De gente com o qual sequer tenho intimidade, e todas mulheres. Dos homens só vejo comentários sobre como as mulheres ficam irascíveis e irracionais quando grávidas. Já até brigaram comigo quando eu brinquei que iria ficar só nos bichinhos, me acusaram de criar bichos como filhos e que eu dava mais valor em humanizar um animal e isso era patológico e (seguem bobagens).
A verdade é que: não quero ter que cumprir obrigações inadiáveis que só eu posso fazer. É um comprometimento do qual não faço questão, e é coisa muito séria - se eu não for capaz, vou fazer uma pessoa sofrer. Nem.
E o segundo ponto: sou muito preocupada com a violação de minha intimidade. Não consigo imaginar ter que abrir mão disso pra todos aqueles exames vexaminosos, imagina então na ocorrência de violência obstétrica? E se não achar um médico que me trate que nem gente (e isso é raridade)? Ah, nem.

Fico aqui de boa, o mundo não vai acabar por falta de prole minha. Quem achar ruim que me empreste sua vagina pra parir no meu lugar, aí eu penso no caso.

Natasha disse...

Vão se foder machos!!! Vcs adoram a paternidade??? Então, por que n cuidam dos filhos ?????
Só o que eu vejo é homem jogando tudo nas costas das mães e se sentindo os fodões só pq pagam as contas.
Quem cuidava de mim era minha mãe, nem me levar no médico meu pai queria e quando n tinha jeito, ainda ficava com cara de merda por ter que me levar.
Dava a desculpa do trabalho, legal minha mãe tb trabalhava tb e aí????
Motivo n falta para ficar longe de macho, escravizam as mulheres de todas as formas.

lola aronovich disse...

Nossa, anon das 14:54! Não, não tinha visto esse video não. Que desserviço! Que droga mostrar gays falando essas besteiras todas sobre sexo entre lésbicas! Eles falam o mesmo que os homens héteros falam -- que não é bem sexo, que falta algo ali. Muito ruim (pra não dizer ridícula) essa visão de que lésbicas não fazem sexo porque não tem um pênis no meio. Adoraria se alguém pudesse escrever um guest post sobre o vídeo. Seria ainda melhor se fosse uma mulher lésbica. Alguém se habilita, por favor?
Pelo menos o vídeo tá sendo bem negativizado! (não sei se é assim que se fala).

Anônimo disse...

Zrs, não é impressão não...

É algo aliás que eu vejo com mistura de pavor e surpresa...
Se dentro do feminismo a mulheres não é vista como sujeito, que seu corpo e sua vida devem ficar a mercê da biologia, então eu não vejo mais esperança de as coisas mudarem.

Tem até as que acreditam que o direito de engravidar e de ficar em casa cuidado dos filhos está ameaçado =O (e obviamente as mulheres que não querem isso são seres demoníacos servidoras do capitalismo). Sério... parece coisa do "orgulho hétero" e do "100% branco" D=

Concordo com quem disse aí em cima - enquanto existir o mito do amor materno/romântico não haverá libertação pra nós... seremos eternamente, como já disse anteriormente, gado a ser inseminado...

Jane Doe

Odara disse...

Realmente, para os pais que se aproximam mais de uma divisão de tarefas os termos são sempre: participa, colabora ou ajuda :(

Rafael, em que mundo você vive? Claro que alguns pais colaboram e participam....mas, na maioria dos lares, os homens seguem um papel bem estereotipado de machão em relação à paternidade SIM! Não dão um prego numa barra de sabão! !!!

Fiquei feliz em ver algumas mulheres aqui falando em adoção! Mas eu também percebo uma rejeição muito maior dos homens a adoção (será que tem pesquisa? ). Quer dizer, eles querem um moleque pra comprovar a virilidade deles porque pra cuidar depois. ....tá difícil!

Anônimo disse...

Lica, obrigada pela lista!

Sobre o post.... Bom, meu pai teve 4 filhas, por ele nenhuma teria filhos, então meio que rola uma pressão pra que eu não tenha (situação financeira, saúde etc), sorte dele que só uma teve. Ele reconhece que filho atrasa a vida de uma mulher, por ele, todas as filhas ficariam embaixo das asas, servindo de secretarias pros planos deles. Rsrs
(Quem não entendeu, contém humor na frase acima, trata-se de uma visão simplista e engraçada do que realmente é)
Tô chegando na casa dos 30, nunca tive grande vontade, mas já pensei em ter filhos. Acho que não vou ter e isso as vezes me deixa triste, mas sempre vejo que não é o fim do mundo.
Meu marido vira e mexe fala, estamos junto faz 10 anos... Sonhamos, imaginamos como seriam, já escolhemos até nomes. Mas ele é super tranquilo, aceita o que vier (ou não vier, no caso).

Jamile disse...

Eu também passo por uma situação parecida! Tenho um namorado ha 3 anos - temos planos de casar - e desde que percebi que o namoro estava sério de verdade, já disse que não tenho vontade de ter filhos. Ele nunca tentou me convencer do contrário, mas dizia que gostaria de ter..eu apenas dizia que, dessa forma, nunca nos casaríamos, pq, caso casássemos, uma hora ele iria querer ter filhos e eu diria que não e teríamos que nos separar. O tempo passou e hoje ele mesmo não quer ter filhos - e não, eu nunca tentei convencê-lo disso. Eu tenho 12 gatos em casa (ainda moro com meus pais e irmão) e ele, que mora sozinho, tem um gatinho. Quando casarmos, continuaremos com nossos gatos (se minha mãe deixasse levar todos, levaria, mas ela nao deixaria pq tb os ama muito kkk)e seremos pais dos nossos gatinhos! Quando minha mãe fala de netos, eu já aviso que não vou ter filhos, que não quero e ela já teve o abuso de dizer que eu não gosto do meu namorado de verdade!! Disse que quando se ama alguém se quer ter filhos com ele. E uma tia minha falou a mesma coisa...eu fiquei muito chateada e só disse que amo meu namorado sim, mas ter filhos ou não não tem nada a ver com isso. Quem vê assim pensa que toda gravidez é planejada e esperada, e, não tenho números, mas tenho certeza que não é assim que funciona.já a mãe dele diz que não ter filhos é egoismo. Fico tipo...WHAT???? Como assim egoísmo? E se for? Qual o problema em querer pensar em mim e fazer a minha vontade e não o que esperam?

Zrs disse...

Jane e B

Ainda bem que não sou só eu que está percebendo essa exaltação no mov. feminista da "essência" mais biológica da Mulher e o parir como um ato quase divino. O espaço da mulher como profissional ou que escolhe outros caminhos tem ficado cada vez menor. Dentro do mov. alguns grupos tem me causado muito espanto, muito mesmo.

Tem um entrevista interessante da E. Badinter em que ela aborda (espantada) esse fenômeno que vem acontecendo tb na França, uma volta da mulher para a exclusividade do lar, para a esfera do biológico, um endeusamento dessa condição, uma volta as origens, ao nosso "ser" e contra o capitalismo" (como se alguém estivesse fora dele...o mercado já percebeu o filão.) Ela fala tb que isso pode estar relacionada a crise na Europa e falta de outras perspectivas de realização para as mulheres. Ela tb diz que pode ser algo de questionar a geração anterior, enfim, assunto que merece um post.

Mari disse...

Os homens acham que trabalhando fora algumas horas já é o suficiente, enquanto a mulher é mãe e dona de casa em tempo integral, na maior parte dos casos.

Meu pai tem uma prima e quando os filhos dela e do marido eram pequenos viviam bagunçando na casa como crianças normais. A mulher, logicamente, ficava estressada em ter que cuidar de 6 crianças sozinha, enquanto o marido estava deitado no sofá assistindo Tv e perguntando o porquê da esposa estar tão estressada (Minha mãe presenciou esta cena).

Isso foi enquanto os filhos eram pequenos, depois de alguns anos ele foi embora e a prima do meu pai teve que se virar nos trinta para criar os filhos sozinha. Dos seis filhos, quatro são mulheres, todas arrumaram filhos com homens que pagam R$ 150/200 por mês e acham que o dever de pai está cumprido.

Infelizmente é assim na maioria dos casos do Brasil e o pai que faz um pouquinho a mais se acha um super pai, só que não, amigo. Vocês não fazem mais do que a obrigação em dividir a responsabilidade.

Anônimo disse...

Pois é Lola eu vi numa página feminista criticando eles pelo vídeo, acho que foi o da moça você é machista, fui ver achei um deserviço. E quanta ignorância deles e machismo junto,
Meu Deus eu tive que postar aqui, não é a primeira vez que eu ouço gays falarem essas merdas, que sexo lésbico é preliminar e outras coisas absurdas. Eu queria muito ajudar mas nunca tive experiência sexual com mulheres, não sei se seria bom falar por quem já teve. Mas já tá batido os gays falarem das lésbicas pejorativamente, uma falta de respeito com as mulheres e com a comunidade glbt.

Mari disse...

Os homens acham que trabalhando fora algumas horas já é o suficiente, enquanto a mulher é mãe e dona de casa em tempo integral, na maior parte dos casos.

Meu pai tem uma prima e quando os filhos dela e do marido eram pequenos viviam bagunçando na casa como crianças normais. A mulher, logicamente, ficava estressada em ter que cuidar de 6 crianças sozinha, enquanto o marido estava deitado no sofá assistindo Tv e perguntando o porquê da esposa estar tão estressada (Minha mãe presenciou esta cena).

Isso foi enquanto os filhos eram pequenos, depois de alguns anos ele foi embora e a prima do meu pai teve que se virar nos trinta para criar os filhos sozinha. Dos seis filhos, quatro são mulheres, todas arrumaram filhos com homens que pagam R$ 150/200 por mês e acham que o dever de pai está cumprido.

Infelizmente é assim na maioria dos casos do Brasil e o pai que faz um pouquinho a mais se acha um super pai, só que não, amigo. Vocês não fazem mais do que a obrigação em dividir a responsabilidade.

Odara disse...

É. ...mas uma coisa é ter vontade ou receio de parir...e outra desejo ou receio de ser mãe...pois também existe a opção da adoção ;)

Bizzys disse...

Odara, o que você falou sobre homens e adoção é interessante. É mais isso de "comprovar a virilidade", "transmitir os genes", "passar o legado da família" que de ter, amar e cuidar de uma criança.

Isso me lembrou de uma série que vejo, True Detective (um micro spoiler da segunda temporada a seguir): tem um casal que está querendo ter um filho, mas não consegue. A mulher sugere adoção e o cara recusa, diz que adotar é "carregar o problema de outra pessoa". Vejo essa mesma postura dos homens em relação a filhos de mães solteiras.

O importante é "espalhar a sementinha", mas na hora de ajudar a cuidar da planta que nasceu, eles correm léguas! XD

Anônimo disse...

Nós homens somos vítimas do machismo de toda a sociedade. No meu caso, perdi várias namoradas pois no primeiro dia dizia que não queria ter filhos, como elas sofreram lavagem cerebral, terminavam comigo.

Filhos custam um caminhão de dinheiro durante do casamento e dois caminhões em caso de separação.

Mila disse...

Me identifiquei Kittsu.
Agora q tenho um emprego e um namorado, minha família vive jogando indiretas sobre como eu trato minha gata melhor que humano (o "melhor" para eles é a mínima obrigação de quem quer cuidar bem de um bichinho: comida de qualidade, vacinas, brinquedos, cuidados com a higiene) e que eu deveria arrumar um filho. Bizarro isso.

Anônimo disse...

A sociedade tá toda errada de cobrar que mulheres sejam mães, mas esse relato tem muito ressentimento da autora por não encontrar um parceiro que partilhe do mesmo sentimento com relação a ter filhos que ela. Sobre isso: ninguém é obrigado, nem você a ter filhos, nem os homens do mundo a abrir mão de tê-los com quem tiver vontade.

Rafael Cherem disse...

Odara, minhas palavras são contra o esteriotipo. Nenhum ser humano é uma coisa só, a prática do machismo está diluída em várias condutas.

lola aronovich disse...

Anon das 15:37, uma moça no Twitter me passou um link prum vídeo de algumas lésbicas que assistem um pornö gay cis. Foi lançado hoje mesmo, pelo que vi. É uma excelente resposta ao vídeo dos gays. Mas eu ainda queria um guest post, porque é ridículo.

Anna disse...

não anonimo, o que vejo por ai é que filho custa dois caminhoes de dinheiro em um casamento e um carrinho de mão em caso de separação

Donatien Alphonse François disse...

Eu não entendi porque meu comentário não foi publicado, não ataquei ninguém, não generalizei pessoas de modo ofensivo como tantos anônimos aqui costumam fazer, mas tudo bem, talvez eu não esteja acrescentando nada mesmo, os comentários do Jonas certamente são mais pertinentes que os meus, uma vez que são publicados, ao menos não estou tentando parecer "mais feminista" que as feministas. Sendo assim, não vejo motivo para continuar lendo um blog no qual não poderei participar como comentarista, ler e não poder comentar mesmo que educadamente, concordando ou não, com o texto é inútil. Sei que não é sua opinião Lola, mas muitas vezes, analisando não apenas os comentários daqui, mas de muitos outros blogs, o feminismo que muitas defendem é o do discurso de ódio, não combatem o machismo, mas o homem, qualquer homem, mesmo que ele não seja um babaca escroto, apenas pelo simples fato de ser homem e você permite que sejam publicados aqui, não preciso dizer como isso afeta a imagem do feminismo como um todo. Não sou nem nunca serei masculinista, mas com certeza também não serei feminista, nem pró, nem anti feminista... Então adeus e boa sorte!

Thai-chan disse...

Eu quero filhos, mas por adoção! Tbm já ouvi um monte e olha que só tenho 23 anos. Minha familia é bem de boa, o pior são as pessoas de fora mesmo e como não quero casar, me olham como se fosse louca de adotar sozinha! Mas acho isso besteira, nem me abalo, costumo dizer que mãe não é estado civil e dai a galera para, pelo menos até o assunto surgir de novo.

lola aronovich disse...

Calma, Donatien, não pule pra conclusões precipitadas! Seu comentário não foi publicado por um erro meu. Eu pensei que ele estivesse repetido e mandei um pra caixa de spam. Agora que vc falou eu fui ver e vi que não estava repetido. Só isso! Nunca deletei nenhum comentário seu e nem deletaria, ok?

Infelizmente tive que ativar a moderação hoje porque os mascus sanctos da turminha abjeta do Marcelo estão muito empenhados em deixar ameaças aqui.
E, claro, tem o mascu da turma do pobretão que continua falando as besteiras de sempre ("Lola só casou cedo porque não tinha opções" -- tipo, como ele sabe?!). Este guest post funde a cabeça de todos os mascus, porque segundo eles só mulheres querem casar e engravidar, homens não. E, ainda segundo mascus, mulher só quer casar depois dos 30, depois que fez milhares de orgias (essa é uma ideia geral e unânime do masculinismo em todo o mundo; os mascus de língua inglesa falam em "carrossel de pica").
Aí vem uma pesquisa e diz que quanto mais velha, MENOS a mulher quer casar! Isso contradiz totalmente o que diz o Instituto Mascu As Vozes Me Disseram. Então eles estão muito indignados hoje (e sempre).

B. disse...

Pois é Zrs, tb tô vendo muito isso de "volta ao lar" como "combate ao capitalismo".

Olha: nisso de as feministas quererem ser boazinhas demais e negarem 100% o capitalismo (não digo criticar, e sim NEGAR), a gente ainda vai se fuder, com o perdão da palavra.

Anônimo disse...

Vixi! Deu uma zica geral nos comentaristas da Lola!!!!

#voltaraven
#ficadonatien

xx disse...

Não é nesse!!! Ele quer generalizar, o que acontece com a a minoria. Ah dá licença.

Dinny disse...

Nossa Donatien, já ouviu falar da iniciativa Maracujina? Huahua calma.

Anônimo disse...

Acho que a decisão de não ter filhos tem como principais vantagens:
Tempo
Dinheiro e
Liberdade

Anônimo disse...

Engraçado quem sente mais orgasmos são lésbicas, e quem sente menos a relações que envolvem piu pius, e tá faltando algo? tá faltando vergonha na cara dessas bee.

Anônimo disse...

Poisé, Zrs e B.

E sabe o que mais me frustra e me deixa abismada sobre essa coisa do "culto ao feminino e volta a natureza, etc."??? É que essa vertente do feminismo parece viver no mundo dos unicórnios (e as outras vertentes ficam quieta, por maternidade é o dogma mais sagrado do mundo)...
Não estamos cansadas de saber que muitas mulheres não conseguem sair do ciclo de violência por causa da dependência financeira e - muitíssimo pior - da dependência emocional do marido e filhos???
Alguém acha que algum dia haverá representação feminina na política e ciências se todas nós deixáramos de ser esses "demônios capitalistas" pra ficar em casa cumprindo seu papel de fêmea???
Alguém realmente é tão imbecil de achar que amanha os homens vão acordar bonzinhos e largar todos os privilégios deles pra as mulheres ficarem em casa "maternando"?

Olha, nada contra quem quer ter essa vida, muito pelo contrário... respeito e admiro casais que levam isso na boa e são felizes...

Mas nenhuma mudança estrutural em nenhuma sociedade aconteceu sem MUITA luta.

Como diz os Grayjoys do Game of Throne - We do not sow. We take what's ours

Se não pegarmos o que é nosso, ninguém vai nos dar presente... garanto isso a vocês...


Jane Doe

anon A. (radfem) disse...

Eu nunca li desse feminismo que quer a volta da mulher como um ser da natureza e maternal. Como diabos elas acham que conseguem fugir ou combater capitalismo sendo dona de casa, dependendo financeiramente de um cara? Se o cara terminar com elas, elas se ferrariam ainda mais para o capitalismo. Eu espero que isso seja desculpa furada delas, é muito bizarro alguem acreditar em combater o capitalismo assim.

Por diversos motivos, também faço parte da trupe que pretende adotar, mas engravidar está fora de questão. O meu marido sempre considerou que essa decisão deveria ser minha, e dividimos tarefas domésticas (e inclusive ele faz mais que eu, já que dividimos na base de balancear horas trabalhadas fora com tarefas domésticas). Ainda assim, quem iria se ferrar na gravidez e parto seria 100% eu, e seria uns 80% eu no primeiro ano, devido a amamentação e licença maternidade. Além do tiro que minha carreira iria tomar. Sem chance. E faz muito mais sentido para mim dar oportunidades melhores para alguém que já teve a infelicidade de nascer do que gerar mais uma vida.

E o cara que diz para não nos basearmos em 'esteriotipos': Análise social se faz com generalizações. Tanto faz se um cara é um ótimo pai se a maioria joga todo o trabalho nas costas das mulheres. Se cada exceção anulasse uma análise social seria impossível combater machismo, racismo ou homofobia.

Anônimo disse...

Não tenho pena do donatien, essa mesma ladainha de sempre, que eu tô cansada, as mulheres sempre tem que se preocupar em não machucar pra os homens. Temos que falar não são todos, alguns, quando sabemos que é a maioria e se a minoria não machista se irrita com isso é porque tem algo errado. Falamos do homem no geral sim,o homem se beneficia do machismo. Não tem nada de pregar ódio, somos até boazinhas demais, manter o Jonas aqui é uma piada, quando se sabe que ele só quer a parte do benefício que o feminismo trará pra ele, tipo o fato de mulheres fazerem mais sexo e ele não precisar recorrer a métodos de compra de sexo. Não sou poliana , não admito homem se fazendo de vítima ofendido isso é só artimanha pra calar as mulheres nada de novo sob o sol.

Senhorita F. disse...

Vi vários comentários bem legais e sobre adoção cada dia mais me orgulho das mulheres que vem surgindo aí!!!!
Vi alguém comentando que mulher quer filho pela pensão... e não consegui não pensar em mulheres que convivem comigo... e porque pensar nelas???
Essas mulheres trabalham fora, lutaram por carreiras que permitissem cuidar dos filhos e obter renda, enquanto os pais se dão ao trabalho de depositar $200 / $300 reais e acham que estão sustentando a "vagabunda".
Mtas mulheres evoluíram e se desenvolveram mas o papel de provedor ficou impregnado nos homens, só que eles esqueceram de desenvolver esse papel... Comprar uma caixa de leite não faz o cara pai... MAs essas mães por mais dificuldades que possam apresentar são mto mais completas e mto mais fortes.

Anônimo disse...

Em relação ao comentário sobre o vídeo das lésbicas, há muito tempo venho percebendo que a comunidade LGBT tem tratado de apagar o "L". Quase tudo que se vê ou lê na internet ligado ao universo LGBT fala de homens gays, inclusive com a repetição ad nauseum de estereótipos gays, como homens seminus, sarados e lindos (segundo um certo padrão divulgado por aí entre os gays). Há muito pouco (ou nada) sendo produzido com pontos de vista lésbico, com as opiniões das lésbicas ou com problematização das questões lésbicas. Não quero generalizar, mas essa é uma percepção que tenho baseado nas muitas leituras de material LGBT na internet. Exceções vejo no Canal das Bee no You Tube, que acho o mais abrangente em termos de abordagem de temas importantes, inclusive feminismo, e no Blogueiras Feministas, que fala bastante também sobre visibilidade trans. Ou seja, o movimento que supostamente englobaria diversas manifestações de sexualidade parece (digo parece, não afirmo que é assim 100% do tempo) ter um discurso monocórdico, no caso, voltado para um certo padrão de gay masculino. E misoginia no mundo gay é bastante real.

B. disse...

Totalmente, Jane Doe, essa vertente vive no mundo dos unicórnios...será que não tem contas p pagar?
Conheço gente que demoniza quem trabalha em escritório em vez de ter um "emprego mais da natureza". Já tive que ver uma dessas feministas natureba dizendo que tinha pena de quem trabalhava "trancafiado em escritório", disse isso postando foto em parque durante a tarde.

Em partidos políticos de esquerda, já ouvi o discurso que não se deve admirar mulheres tipo CEOs ou mesmo atrizes ricas que fazem caridade (exemplo: Angelina Jolie) pq não passavam de burguesas. Outra palavra proibida pra essas é "empreendedorismo", parece que uma pessoa pobre querer ser empreendedora é pecado e ainda dizem "o sonho do oprimido é ser o opressor".

Só no mundo dos unicórnios mesmo que não se precisa de dinheiro pra viver/sobreviver.

S. disse...

E o que acham do movimento de algumas feministas dizendo que há opressão na menstruação e saem menstruadas na rua com a roupa toda cagada de sangue? Tiram fotos e colocam no facebook, como se fosse um orgulho não usar absorvente e deixar o sangue vazar para todos os lados.
Eu acho ridículo, tem umas feministas muito loucas.

Anônimo disse...

Quando minha priminha tinha 6 anos, ela foi passar um fds na minha casa e me pediu para colocá-la pra dormir. Eu nunca tinha feito isso e fiquei toda orgulhosa porque não acho que tenho muito jeito com criança e ela me pediu mesmo assim. Fui lá, inventei uma historinha pra ela e como não sou muito criativa contei uma história de princesa mesmo e no final a princesa casava. Quando eu cheguei nessa parte ela deu um pulo:
- não, casar não!
Eu, perguntei - ué, porque não?
Mais por estar interessada no que ela ia dizer e curiosa com a reação dela.

Ela só foi meio vaga e disse que não e eu mudei o fim da história. A princesa virava enfermeira (porque a mãe dela é enfermeira, achei que ela ia gostar) e cuidava de muitas pessoas no mundo todo e foi feliz pra sempre blá blá blá (não lembro o resto).

Mas até hoje acho curiosa essa reação dela. Agora ela já está 11 anos e quer ser cientista <3

Anônimo disse...

Eu tenho 36 anos e sofro muito com esta pressão tbm. Eu sei que muitas mulheres brancas, de classe média-alta das grandes metrópoles tem romantizado a vida de dona-de-casa, mas eu não tenho a mesma realidade que elas e nem sou da mesma geração delas. Eu sou de uma família da classe média-baixa do interior da Bahia e ainda estou desempregada atualmente.

Muitas dessas hippies de boutique falam mal do capitalismo, mas de comunista de verdade elas não tem nada e vão querer arranjar um príncipe com as mesmas condições financeiras dos pais delas para dar um lar confortável e com alguns luxos a elas e até mesmo pagar empregada doméstica que na maioria das vezes vai ser negra e que em alguns casos precisa deixar os filhos pequenos em casa porque precisa trabalhar fora. Muitas delas viajam para a Europa desde crianças. Aos 23 elas já fizeram muitas coisas que o capitalismo vindo dos pais delas já tinha pra oferecer. Por isso que chegam a esta idade entediadas. Sabem que se o casamento e a vida mágica na Arcádia fracassar vão poder voltar a estudar e trabalhar facilmente nem que seja nos negócios da família e deixar os filhos com as mães delas, empregadas e babás talvez negras, pra variar.
Muitas delas são pessoas muito egoístas e mimadas e ainda talvez até um pouco racistas já que muitas querem brincar de serem as típicas princesinhas brancas dos contos de fadas da Europa medieval. Não querem nem saber dos problemas e das dificuldades das mulheres que tem uma realidade e historia de vida diferente delas, aliás muitas delas vomitam aqueles clichês pedantes de auto-ajuda na qual todo pobre tem culpa de ser pobre. Fazem propaganda de comida orgânica cara e nem sempre tão natural assim, mas na maioria das vezes são especistas, coisa que eu não sou. Desse tipo eu quero distância. Não por elas quererem ter filhos, serem donas de casa, brancas ou ricas e viajadas, mas por serem pessoas tão egoístas e alienadas.

Anônimo disse...

E o que acham do movimento de algumas feministas dizendo que há opressão na menstruação e saem menstruadas na rua com a roupa toda cagada de sangue?

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK PERA KKKKKKKKKKKKKKKKK não consigo parar de rir!!!

Gisele

Jonas Klein disse...

Jane Doe

Olha eu já vi muita coisa dentro do movimento feminista, mas este tipo de discurso de "culto ao feminino e volta a natureza, etc." não, o que vejo com alguma frequência e que mulheres que optam por ser só dona de casa, mãe, esposa dedicada merecem ter a sua decisão respeitada, o que concordo plenamente.



Anon 17:15

Va dizer bobagem la no mato, quem sabe resolver os seus problemas e não fica só reclamando, e arregaça as manga e vai luta, não precisa de privilégios para se dar bem em tudo na vida, logo se o machismo acabar hoje mesmo, eu não perco nada com isso.

Anônimo disse...

Menstruação é visto como algo impuro. Assim como tem gente que erotiza amamentação, so uma forma de protesto.Mas sempre seremos as loucas, afinal quebramos padrões né.

Anônimo disse...

Geralmente é gay homem que toma mais espaços, ate pagina de humor feminino são homens gays que controlam. Gina indelicada, Barbie sem ken, e la do fala de uma coisa homem!

Anônimo disse...

É mesmo é?

Marcia disse...

Usar camisinha nem pensar? É só tu te cuidar .

Anônimo disse...

Olha tenho que concordar, se sentir tão mal assim com apenas 30 anos não é normal.

Anônimo disse...

Se eu fosse pai, preferia ter um menino a uma menina, porque mulher sofre MUITO nesse planeta. ´Sempre que nasce uma mulher penso no que ela vai sofrer no futuro :(

Joseph K

Anônimo disse...

É horrível perceber que e ruim ser mulher so pq os homens impõem isso, se não fosse pelo machismo eu seria menos triste

Anônimo disse...

Não entendi a suposta ironia não. É verdade ou não que seu pai não quer netos? E se não for verdade, realmente, não entendi a "ironia"..

Anônimo disse...

Quanto drama.

Tudo bem não querer filhos. Isso é escolha pessoal.
Mas ficar dizendo que o feto quer te matar, fala sério.

É melhor ser a maluca dos gatos.

Anônimo disse...

Vish falou tudo.. Conheço um monte assim.. enche a boca pra falar mal de "trabalhar em escritório", fica em casa levando uma vida ótima, mas sabem q se der alguma merda têm o dindin da família pra socorrer. Aí é fácil viver a "vida hippie" e rir da cara de quem tem emprego tradicional.

Anônimo disse...

Tb achei esse comentário do feto assassino bem desvairado.

Laura disse...

Que bom esse post. Na verdade eu poderia ir além.
Também estou com 30 anos e me separei ano passado, aí meu ex queria voltar e veio com o papo de que queria ter filhos. Depois tive relacionamentos também e os caras (na faixa dos 35)sempre vinham com esse papo de que querem ter filhos. Mas eu achava que, considerando o senso comum de que mulher quer casar e ter filhos, eles queriam me 'iludir' com esse papo achando que eu gostaria mais deles e tal. E o contrário acontecia. Aí reatei com um desses rolinhos e ele veio com essa história e eu respondi que não queria e tal e ele ficou mega decepcionado, mas meio que confiante que ia mudar minha opinião sobre isso.
Então eu tive certeza que homens querem ter filhos sim.. claro. Eu tb.. é quase ter um sobrinho morando com vc. Mas ficar com toda responsabilidade sendo que também já cheguei a conclusão que não existe essa de amor maior.. amor maior é pq vc não tem opção, não pode devolver, nem terminar o relacionamento.. aí é claro (e não estou sendo irônica, eu faria o mesmo inclusive) que as mulheres passam a dar o melhor de si e amar a criatura.

pp disse...

Eu tb não quero filhos de jeito nenhum, mas o feto tenta matar a mãe? isso me lembrou quando a personagem de crepúsculo engravida da menina meio vampira, que quebra as costelas dela por ser mto forte... ahahahah

Fernanda disse...

Aí gente, biologicamente é mais provável a MÃE quem 'tenta matar' o filho, que é um ser estranho dentro dela e ela pode produzir anticorpos que podem atacá-lo (dependendo de fatores como tipo sanguíneo, etc).
A coisa que afeta as mulheres são as mudanças físicas inerentes do fato de carregar um 'pesinho' se alimentando dos nutrientes que elas passam pela placenta, e isso pode causar hipertensão, diabetes, etc, mas não é o FETO, e sim o período da gestação em si.
Ah, e amamentação não dói, pelo menos não pode doer, se isso acontece alguma coisa está errada, como a pega da criança no seio e isso pode causar machucados.

E bonito estudar a gestação, mas também me nego a ter filhos e também quase me matam por falar isso. Polêmico falar que não quer ser mãe.

Anônimo disse...

Quando li o inicio do post achei que ela tinha 60 anos (e nao 30), quanto exagero. Mas concordo que as mulheres tem o direito de optar se querem ou nao ter filho.

Anônimo disse...

Gatos lindos e fofos ^^

Anônimo disse...

Porque os homens gostariam de ter filhos? Qual o motivo disso? Eles teriam então o "instinto paterno"? E mais, porque que eles sempre pensam em ter MENINOS como filhos? (China e India mandam lembranças).

Anônimo disse...

Diva

Querido anônimo das 15:51

Se vc é vítima do machismo, imagina nós mulheres?! Imagina tb as suas ex namoradas que passaram por uma educação machista, opressora e castradora!!
Não fique aflito, vc ainda conhecera uma mulher que tb não quer ter filhos.
Sou casada e nem eu e nem meu marido queremos ter filhos.
Fique tranks champs. :)

Anônimo disse...

A psternidade vale alguma coisa? Tipo, na historia da humanidade as mulheres que deveriam ficar cuidando só dos filhos, onde que a paternidade tem importancia mesmo? As mulheres que trabalham poderiam ter filhos sozinhas, porque nesse caso os pais seriam dispensaveis?

Anônimo disse...

Jura que achou? Tá dizendo que ela tem 30 anos desde o começo do post.

Anônimo disse...

"Quando li o inicio do post achei que ela tinha 60 anos (e nao 30), quanto exagero. Mas concordo que as mulheres tem o direito de optar se querem ou nao ter filho."

hahahahahahahah assino embaixo.

Donatien Alphonse François disse...

Lola

Foi mal! : (

Peço desculpas sinceramente, me precipitei, espero não ter te ofendido, não foi minha intenção. Gosto muito do blog, é minha leitura diária sobre feminismo, quando vi que meu comentário não estava sendo publicado me senti frustrado, era como ser excluído de algo que considero importante, fiquei mal o dia todo, agora vejo que não tinha nenhum motivo para isso. Saiba que eu entendo totalmente seus motivos para ativar a moderação, não sei de onde você tira tanta força para lidar com tantos canalhas te ameaçando, te admiro muito por isso, eu já teria desistido a tempos... Dito isso, um forte abraço e um beijo enorme no seu coração! ^_^

Agora vou tomar mais uma jarra de maracujina pra ficar calminho... calminho!!! kkkkkkk

lola aronovich disse...

Tudo bem, Donatien, sem stress! Não se preocupe que não me ofendi não. Eu também acharia estranho se um comentário meu não fosse aprovado em algum blog que comento sempre. E, como fazia um tempinho que não acionava a moderação por tantas horas, sei que isso causou confusão pra muita gente (recebi DM de uma leitora no Twitter dizendo que não estava conseguindo comentar, por exemplo). Não vou te elogiar porque os canalhas que vc citou morrem de ciúmes de qualquer homem com quem converso (vide meu marido e o pobre Jonas Klein -- força aí, Jonas!). É realmente patológico o negócio.

nick disse...

Não vejo problemas tanto em querer quanto não querer ter filhos. Não deveria ser algo "automatico", deveria ser fruto de reflexão do casal, mas não dá pra crucificar alguém por ter esse desejo.
Vi muitos comentários de gente dizendo que filho seria um "aumento de despesa e redução de liberdade", mas quem define o que é despesa e liberdade ? Muita gente gasta boa parte do salário com baladas, outros gastam com roupas, outros gastam com seus bichos de estimação, outros com filhos: cada um gastando no que lhe dá prazer.
Considero errado esse pensamento maniqueista de que o homem expressar que quer ter filhos está necessariamente "oprimindo" a sua companheira. Se os dois combinarem, qual é o problema ? Se querem abdicar de algumas horas no dia para criar um ser humano, ensinar valores, vê-lo crescer, se orgulhar por ele, tem algum problema nisso ?

Quanto a divisão de tarefas nessa criação do filho, tem que ser combinado também. Se um dos conjugês tiver um salário maior (sendo homem ou mulher), que mal faz o outro diminuir a sua carga horária para cuidar da criança ? Ou se algum tem algum trabalho mais flexível (um trabalho que possa ser feito em casa, por exemplo), essa pessoa é a mais indicada a cuidar do dia a dia da casa - e da criança - certo ?

Cecília disse...

Boa noite! Eu li os coments e queria comentar sobre essa percepção da Zrs e B. sobre as vertentes feministas naturebas... eu não participo de reuniões feministas e não sou de nenhum grupo, meu feminismo é muito um modo de viver e pensar, nenhuma mulher que faz parte da minha vida real é feminista no sentido estudioso da palavra, só conheço feministas na internet, o que acho uma pena. Sou mãe há 4 anos e há dois não trabalho formalmente. Entre familiares e amigos, que também têm filhos pequenos, sempre me perguntam quando voltarei ao trabalho e se estou fazendo concurso ou algo assim! O que quero dizer é que sinto uma pressão para trabalhar formalmente de todos do meu ciclo de elacionamento incluindo vizinhos e aqueles que dividimos filas durante o dia... todos ficam impressionados quando falo que não trabalho! Mas sabe, não era pra mulher lutar pra ser o que ela quiser? Eu quero e estou planejando um trabalho em que eu possa estar mais tempo com minha filha e eu não me sinto uma escrava do lar por isso...

nick disse...

Anônimo 20:44

Talvez os homens - e mulheres - tenham vontade de ter filhos porque existe um instinto paterno/materno sim, vontade de transmitir algo, de deixar um legado.
Quanto a ter filhos homens, isso diz mais respeito ao que nossa sociedade machista considera como mais "prestigioso". Um filho, desde que nasce, é visto com mais glamour do que uma menina!

Elaine Telles disse...

Achei muito pertinente essa questão levantada sobre a mulheres que decidiram "retornar ao real significado de ser mulher: parir e criar". Na teoria parece muito bonito, mas na prática é algo completamente inalcancável para qualquer mulher que não seja rica. O parto naturalizado e caríssimo, a dedicacao exclusiva à crianca, sem precisar trabalhar... essa era a realidade da mulher de antigamente, quja vida consistia em um bom casamento que lhe permitisse ficar em casa. As pobres tinham que parir e trabalhar.

Julia disse...

18:27 Muito bom seu comentário. Qual sua profissão?
Comente mais, por favor? :)

Anônimo disse...

Você, por acaso,tem um útero e fez a escolha de não ter filho,pra saber como é e opinar sobre o porquê de ficar "se justificando"?
Então, cala a boca.

Julia disse...

Que historia ê essa de feminista que sai suja de sangue de menstruação?
Vcs acreditam nessas coisas ou estão trollando?

Anônimo disse...

SE FEDE A BACALHAU ????? Que absurdo !!!!! Ridículo comentário desse ... Deixem as mulheres homoafetivas viverem em pazzzzz !!!! Tão ofensivo quanto dizer que mulher tem que ser submissa !!!

Realmente quem fala uma INSANIDADE DESSAS .... Não teve a sorte e o grande prazer de conhecer de forma íntima uma mulher !!!

Quanto a essa da procriação ... Pra que todo o casal deter a obrigação de procriarem ????? Ou adotarem crianças ????? Uma relação afetiva entre dois seres adultos não obriga !!! Mas se o casal consente e estão conscientes dos grandes encargos e mudança radical de vida pra criar uma criança ... Que o façam da melhor maneira possível .... Que crie cidadãos prontos para o mundo !

Anônimo disse...

Espero encontrar uma mulher assim na minha vida (sem os gatos). Viver sem tanta preocupação, podendo fazer o que quiser com o dinheiro que sobra, não ter que lidar com pegadas de lama na casa ou coisas quebradas por bolas atiradas, não ter tanto trabalho doméstico... isso seria perfeito!

Já dizia o velho eremita das montanhas:
Filho bão é filho dozoto.

Natália Van den Eynde disse...

Lutando pela sobrevivência por 9 meses, oi? Hahaha... Calma gente, tb não vamos exagerar. Concordo mto que homem quer mais ser pai que mulher assim como gosta mto mais de casar que mulher. Apesar da logica machista dizer o contrario, qntas mulheres passam o resto da vida viuvas ou divorciadas e quantos homens fazem o mesmo? Sem duvidas o homem tem mto mais vantagens tanto no casamento qnto na paternidade. Mas mesmo assim, se a escolha de ser mae for sua nao desista de encontrar alguem q abrace a causa com vc, logico que parir e amamentar ainda sera tarefa da mae, mas isso nao quer dizer que seja impossivel encontrar um cara que se torne um bom pai, apesar de dificil. Estamos super felizes com nossa moleca que esta a caminho!

Anônimo disse...

Logica feminista.
"Mulher livre e moderna, e a que não quer ter filho (mas não admita isto de forma direta, xiiiiu, tem que ser sugerido) e quando todas as mulheres forem livres, ningu´me mais vai ter filho de omi, e a humanidade acaba, ééééé"

ex-feminista disse...

Disso você não fala, não é Lola? Um homem GAY foi condenado na Espanha a 3 anos de prisão por estupro de uma mulher que NUNCA O VIU ANTES (apenas afirmou "ter reconhecido o estuprador"). O homem provou que estava mantendo conversas com seu namorado pelo facebook na HORA do suposto crime, inúmeros amigos e parentes confirmaram sob juramento que ele é gay, e mesmo assim o juiz ignorou tudo.

http://www.superpride.com.br/2015/07/gay-jura-inoencia-mas-e-condenado-por-abuso-sexual-a-mulher.html

Feminismo nunca matou homem nenhum: apenas torna a vida um inferno mental que faz com que os próprios se matem antes!
(no mesmo país, Espanha, a média de suicídios em 2012 foi de 3.539 homens contra 815 mulheres, fonte: Instituto Nacional de Estadística da Espanha)

https://es.wikipedia.org/wiki/Ley_Org%C3%A1nica_de_Medidas_de_Protecci%C3%B3n_Integral_contra_la_Violencia_de_G%C3%A9nero

Anônimo disse...

Desde q me entendo por gente q esse papo de ter filho me dá aversão. Eu desprezava as bonecas, minha mãe até avisava pra não me darem pq era perder dinheiro.

Sou mulher, cis, hétero e meu instinto maternal é subterrâneo.

Ao longo da vida tive alguns namorados e toda vez que a coisa começava a querer ficar séria, eu já avisava: filho, nem pensar.

"Ah, mas um dia você vai mudar de ideia...." Bom, já passei dos 40 e isso não aconteceu.

Ficava um pouquinho mais séria ainda, eu voltava na conversa. "Você sabe que eu NÃO VOU SER MÃE NESTA ENCARNAÇÃO, né?". E se o cidadão insistisse nos argumentos, eu simplesmente mandava ele arrumar outra mulher.

Nem com homem que tivesse filhos eu namorava.

Nunca engravidei na vida. Sou cautelosa até hoje, porque isso de "mulher depois de uma certa idade tem problema pra engravidar" é conversa de médico querendo vender ciclo em clínica de reprodução pra mulheres ansiosas e cheias de corticóides no corpo (só na minha família imediata tem duas que engravidaram naturalmente depois dos 45, aliás "antigamente" era assim, qdo não havia tanta neurose procriativa comercializada). Quis fazer laqueadura mas médico nenhum faz em mulher sem filhos, nem pagando eu consegui, plano de saúde, SUS, nada. Tentei mesmo. Passo longe de ser pobre mas isso aí o dinheiro não comprou pra mim.

Com trinta e pouco eu casei e tô com o benzão até hoje. Ele sempre deixou claro que abriria mão de ser pai respeitando a minha vontade, mas que por ele tudo bem, que não via problema em ser pai. Essa mentalidade é, de fato, bem masculina dentro da socialização que os homens recebem. Porque no fim das contas, quem segura o rojão é sempre a mãe - dela que é cobrado, não do homem que basicamente só tem que pagar pensão e olhar pra cara do filho amado uma ou duas vezes por mês, no Burger King do shopping.

Pra homem é realmente muito mais fácil ser pai desde o começo, já que é fora do corpo dele que a gravidez acontece.

Homem, no máximo, "ajuda" nas tarefas. O que obviamente supõe que a obrigação é de outra pessoa, no caso, uma mulher (seja a casada com ele ou a empregada que lhe serve, às vezes a mãe dele).

Então pra eles é muito moleza. Não são eles que vão sofrer com a causa máxima de perda do empoderamento feminino na sociedade (e nem precisa chegar a ser mãe, basta estar no mercado de trabalho em idade fértil. Eu mesma bolei um jeito de constranger mortalmente qualquer candidato a empregador na pergunta do "mas não tem filhos mesmo?" e sempre deu certo, usando um pouco desse preconceito q a sociedade criou mas a meu favor, obviamente). Não é deles que é esperado perder dia de serviço pra levar filho em médico, participar de reunião de pais e mestres, até a licença-maternidade exclusivamente feminina é, no fim das contas, um machismo do caralho.

E se nascer filho homem, eba, um companheirão!!!! Sacudo, vai comer todo mundo no berçário. Se nascer uma menina, nossa que desgraça. Vai dar trabalho, tem que comprar a espingarda pra afugentar outros machos (feito ele) da sua princesinha proibida.

Quanto mais eu olho pra coisa, menos motivo vejo pra procriar. E mais entendo porque homens são totalmente ok com a ideia.

Mulher não-nulípara é mulher PRESA, por excelência, em uma prisão que os homens nem de longe compartilham. Então é claro que a ideia é segurar.

To foraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Anônimo disse...

Meu marido queria ter menina pq elas são mais apegadas ao pai.. acabou que tive um menininho.. rs.

Anônimo disse...

Eu apenas reproduzi o comentário q fizeram lá em cima! E não pude acreditar, pq isso além de nojento é ridículo. Esse tipo de exposição além de muito desnessária, não leva nada... A não ser, sermos ridicularizadas e execradas mais do q já somos! Mas eu ri tanto, q quase mijei nas calças kkkkk bizarríssimo!!
Gisele

aiaiai disse...

excelente! eu quis ter filhos e calhou de eu encontrar um homem q gostava de mim, eu gostava dele e ele queria ter filhos! tive um só e é ótimo. dá um trabalhão danado, pra sempre!

mas, voltando ao post, gostei pq depois q me separei já tive 3 namorados que eu poderia muito bem ter ficado mais tempo com eles, porém: dois queriam porque queriam ter filhos. eu não quero mais. o terceiro, queria porque queria casar. e eu não quero mais. na verdade, tive q terminar com os três pois eles, mesmo sabendo que eu não queria nada disso, continuavam insistindo e fazendo exigências como se eu fosse obrigada a querer casar com eles e (para dois) casar e ter filhos.

tenho uma amiga q diz: mais 'aiaiai' vc é tão ótima que até eu gostaria de casar e ter filhos com você kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk deve ser isso.

ou então, o que acho mais provável, eles tavam querendo alguém p cuidar deles. to fora. só cuido do meu filho e mesmo assim ele sabendo que a vida é dele e ele tem que se virar.

agora, aline, autora do post, siga em frente, só faça o que vc quiser pq tanto casamento qt filho são escolhas que a gente tem que fazer só quando quer muito mesmo.

Com relação ao seu sentimento de que está velha com 30 anos, eu fiquei um pouco preocupada. Aos 50 eu me senti meio desse jeito e quando fui ver (graças aos exames periódicos que faço todo ano) estava com problema hormonal. ñ era nada grave e com um tratamento simples voltei a me sentir bem. não tó dizendo q vc tá com problema de saúde mas não custa dar uma checada, né? esse lance de que velhice deixa a gente cansada, sei não, mas acho que é mito. Vejo tantos idosos tão bem dispostos...

Anônimo disse...

"Quando li o inicio do post achei que ela tinha 60 anos (e nao 30), quanto exagero. Mas concordo que as mulheres tem o direito de optar se querem ou nao ter filho."

Concordo plenamente. Me deu até medo de "trintar" agora...

Anônimo disse...

Vai ter gato sim!

Vai ter 12 e se reclamar vão ser 15!

Anônimo disse...

Ao pessoal indignado com alguns comentários: gente, é óbvio que o sistema reprodutor vivíparo (não só o humano, o sistema vivíparo em geral) é muito parecido com o parasitismo. O feto vive no corpo de outro indivíduo tirando os nutrientes de que precisa e jogando as impurezas no sangue da mãe, não contribuindo com o indivíduo que o hospeda. É tão parecido com o parasitismo que o corpo da mulher tem que fazer uns malabarismos celulares pra que o organismo dela não ataque o embrião, como bem disse a Fernanda. Mas, biologicamente, o embrião contribui pra perpetuação da espécie e o parasita não serve pra nada, por isso o sistema reprodutor se empenha em proteger o embrião. Não é porque alguém diz, com razão, que os sistemas são parecidos que vamos começar a parar mulheres grávidas na rua pra xingá-la, chamar o feto de parasita e obriga-la a abortar.

É como na questão do aborto, falando nisso. Quando alguém defende a legalização todo mundo já presume que essa pessoa não quer educação sexual, distribuição de contraceptivos, esterilização voluntária acessível. Dizer que o sistema reprodutor vivíparo é parecido, não igual, parecido com o parasitismo (e é) não significa que odiamos bebês e queremos que eles morram. Não significa que odiamos os embriões e sairemos por aí xingando mulheres grávidas e dizendo que elas estão carregando um parasita. Não vamos obrigar ninguém a abortar. Parem com esse pensamento extremista que só causa problemas.

Anônimo disse...

Sabe o que eu acho? Que as mulheress têm que ter direito a escolher a vida que elas quiserem, de acordo com seus desejos e suas possibilidades. Porque o que eu tenho visto é cerceamento por todos os lados: tanto o discurso da maternidade orgânica quanto o da exaltação ao workaholic são extremamente opressores.
As pessoas são diferentes, têm histórias de vida singulares. Por isso, não dá pra julgar as decisões alheias com nosso olhar individual.
Há mulheres que têm na maternidade o grande barato da vida. Outras sonham em construir uma carreira de sucesso. E tá OK! A gente devia brigar pra que, assim como os homens, pudéssemos fazer essas escolhas sem ser criticadas, pra que tenhamos equiparação de salários, pra que tenhamos oportunidades iguais, pra que a licença paternidade seja ampliada, de modo que os pais possam dividir com a mãe os cuidados ao bebê nesses primeiros meses tão exaustivos. Pra mim, o feminismo passa por aí. Esse discurso de "só é feminista de verdade quem faz xyz" é sempre furado. E desrespeitoso até.
Não acho bacana dizer que toda mulher que resolve parar de trabalhar para se dedicar aos filhos é uma riquinha mimada e egoísta. Assim como acho super babaca dizer que uma mulher que não quer ter filhos é uma infeliz que vai virar a louca dos gatos.
Dizer que todo homem é um cretino é uma bobagem e uma mentira. Existem homens parceiros, que dividem as responsabilidades, que estão muito a fim de serem pais de verdade. É claro que é exceção. Mas nossa briga é inverter essa lógica, é deixar claro que essa deve ser a regra, e não afastar do movimento as mulheres que conscientemente optaram por ser mães.
Falo isso do lugar de mulher que é mãe de dois meninos, que trabalha e que tem como missão educar dois carinhas dentro da ideologia feminista. Contando com o pai deles, que partilha dessa visão de mundo e divide comigo a responsabilidade pela criação dos dois, pra isso. Ou seja, é difícil estruturar uma família assim, mas é possível. E eu sou feminista sim. E ninguém vai caçar minha carteirinha, pq ela tá impressa na alma.
Mari

donadio disse...

"Há mulheres que têm na maternidade o grande barato da vida. Outras sonham em construir uma carreira de sucesso. E tá OK! A gente devia brigar pra que, assim como os homens, pudéssemos fazer essas escolhas sem ser criticadas"

Hm. Nós, homens, não temos essa escolha. Nós temos que construir uma carreira, se possível de sucesso. Mas mesmo uma carreira de fracasso está acima, na hierarquia da masculinidade, de ter na paternidade o grande barato da vida. Qualquer homem que optar por ser simplesmente pai, sem uma profissão fora de casa, será considerado vadio, gigolô, preguiçoso, aproveitador, provavelmente homossexual, e por aí vai.

Que essa proibição nos prende apenas à nossa zona de conforto, é verdade. Mas não deixa de ser uma gaiola só por ser dourada e acolchoada.

B. disse...

S,

eu acho bem desnecessário isso.

Anônimo disse...

"estranho e é uma coisa bem tosca, parece que todo mundo quer saber da sua intimidade, só sabem perguntar cadê o namorado"

kkkk todos acham que eu nunca tive namorado,sempre perguntam "cade o namorado"
simplesmente nao interessa e deveria nao interessar pra vc tbm,vai cuidar da sua vida.
Adoro por minhoca na cabeça dessas pessoas.

é muito engraçado.

Anônimo disse...

Anon das 05:08 o que esse caso tem a ver com feminismo? Pelo que eu vi é um caso de incompetência investigativa ou impunidade. O estuprador pode ser muito parecido com o acusado, a mulher pode ter se enganado, o estuprador pode ser algum riquinho (ou filho de pistolão, ou do próprio juiz) e aí a autoridade corrupta não quer manda-lo pra cadeia então pegou o acusado pra servir de bode expiatório. Enfim, mil e uma explicações são possíveis, mas como você visivelmente sofre de Delirius Masculis Realistis claro que o feminismo é culpado de toda e qualquer injustiça cometida contra os homens, inclusive as que os homens cometem contra outros homens. Afinal, o objetivo das feministas é maltratar e eliminar os homens da face da Terra.

SQclaroqNÃO, trouxa.

B. disse...

Acho (achoo né) que ninguém aqui tá criticando mulheres que optam por parar de trabalhar pra se dedicarem a família. Conheço várias que fizeram essa opção. Mas vamos contextualizar essa escolha?

Largou o trabalho pra se dedicar a família, contando somente com o salário do marido. É uma escolha.
Mas e se o marido quiser se separar? E se perder o emprego? E se trair? Etc Etc etc. Pra mim, depender de marido é muito furada, vi isso acontecer na minha família, as mulheres que fizeram isso só se fu.
Comigo, que sou jovem, aconteceu com meu pai quando eu ainda não trabalhava, toda hora jogando na minha cara que eu era sanguessuga. Era humilhante ter que ficar pedindo dinheiro. Não defendo a vida workaholic-trabalhadora-insana, mas acho o trabalho e nossa independência financeira extremamente importantes.

Anônimo disse...

Nunca quis ter filhos e sempre me incomodou a cobrança social. Tenho 39 anos, sou casada há 8 com um homem maravilhoso que pensa da mesma forma que eu. Somos muito felizes e ficamos mais felizes ainda em não super-povoar essa Terra tão detonada!

Cão do Mato disse...

Concordo com o Donadio. Para a mulher, sucesso profissional é, ainda, uma opção (no futuro isso tende a mudar, eu espero...). Para nós, homens, ainda é uma obrigação. Já comentei aqui sobre o estudo britânico que analisou vários casais em que o homem optou por ficar em casa, com os afazeres domésticos e cuidando dos filhos, enquanto a mulher trabalhava fora. O resultado disso tempos depois? As mulheres desses homens passaram a respeitá-los menos (segundo elas próprias). Ainda temos que conviver com a "obrigação sexual" de estar sempre pronto para o sexo (e não me venham com essa de que esse tipo de cobrança é apenas dos próprios homens, porque não é). Vivemos menos e ainda levamos a culpa por causa disso, tendo que aguentar a falácia de que "mimimi...homem vive menos porque não vai no médico" (conta outra, vai...). Eu tenho filho e sou eu quem leva ele no médico na maioria das vezes e sempre participo das reuniões de pais e eventos na escola.

Mariana Nogueira disse...

Cão do Mato, tudo isso é ocasionado pelo machismo. Para você ver que o feminismo liberta não só a mulher, mas também o homem! E quanto ao seu filho, não faz mais do que a obrigação, seria ótimo se ao invés de ajudar na criação dos filhos, os homens passassem efetivamente a a criá-los conjuntamente com a mãe!

Jonas Klein disse...

Donadio

"Qualquer homem que optar por ser simplesmente pai, sem uma profissão fora de casa, será considerado vadio, gigolô, preguiçoso, aproveitador, provavelmente homossexual, e por aí vai."

Calma ai, atualmente já existe uma posição majoritária na sociedade que mulher que depende financeiramente do parceiro, e uma prostituta e ponto final, por tanto esta historia que para mulher ficar dependendo financeiramente de homem e tudo bem não cola mais hoje em dia, apesar de que tem mulheres que são proibidas de trabalhar pelo parceiro, por isso não se pode chamar ninguém de prostituta sem conhecer bem a vida da pessoa.

OBS: eu posso provar o que digo aqui...



cão do mato

"As mulheres desses homens passaram a respeitá-los menos (segundo elas próprias). Ainda temos que conviver com a "obrigação sexual" de estar sempre pronto para o sexo (e não me venham com essa de que esse tipo de cobrança é apenas dos próprios homens, porque não é)."


Aqui tem problema que o seguinte, e o fato das pessoas acharem que só porque bancam a sua casa, parceiro(a) e o que mais for, pensarem que já tem o direito de sair mandando e desmandando e achar que outra pessoa tem menos valor porque e sustentada(o) e etc. a destruição desta mentalidade e necessária para que aja equilíbrio nas relações afetivas.

Por fim o fato que, hierarquia e relação afetiva não combinam.

ex-feminista disse...

Anon 10:58

"o que esse caso tem a ver com feminismo?"
Leia o link sobre como a lei opera na Espanha/. Atualmente o testemunho da suposta vítima possui um peso muito grande (demanda feminista, lei aprovada por pressão do movimento).


"Enfim, mil e uma explicações são possíveis..."
Mas como você sofre de Hipocrisistis Tipicus Feministis Dois Pesus et Duas Medidus, deixou que fique pelas mil explicações possíveis mesmo. Afinal, numa-sociedade-estruturalmente-machista-blablabla, qual o problema de um homem sofrer uma injustiça grave, não é? É muito male tears esses homens reclamando de ter que ir pra cadeia só porque uma de mil explicações possíveis (não-explicadas) caiu nas costas de algum deles, trouxa!


"Afinal, o objetivo das feministas é maltratar e eliminar os homens da face da Terra."
É? Não sei, você que está dizendo. Me avisa caso eu tenha usada uma falácia do espantalho igual a essa no meu comentário anterior.

Raven Deschain disse...

Quer uma medalha, Cão do Mato.

Anônimo disse...

esse negocio ai de endeusamento da mae conta muito muito o fator sorte e companheiros muitos esclarecidos q nao irao podar aquelas q querem trabalhar que nao quer seguir o ritmo de vossas companheiras.

nem na suecia,q nao e perfeita,chegamos
q dira no brasil.

Aninha disse...

Adorei o vídeo das lésbicas! Ri muito

Anônimo disse...

Eu acho ótimo que as feministas não tenham filhos, odeiem crianças e queiram ter dezenas de gatos e destilem veneno sobre quem quer ser mãe.

Enquanto isso, as mulheres religiosas e conservadoras estão tendo vários filhos, curtindo a maternidade, e passando seus valores para as próximas gerações.

Bizzys disse...

Anônima das 05:15, adorei seu comentário! Conta aí o que você fala para constranger os empregadores nas entrevistas, fiquei curiosa. XD

E Cão do Mato, cadê a mentira em dizer que homens vão menos ao médico? Porque além de não irem a consultas se não estiverem morrendo, os homens também vivem adotando condutas irresponsáveis (sair brigando por aí, dirigir bêbado, etc e tal) que resultam em morte. Vai olhar a lista dos ganhadores do prêmio Darwin e me fala quantos homens estão lá, e quantas mulheres. Pelo amor da deusa, até campanha de "lave o pinto" o governo precisou fazer, porque nem isso os homens fazem pela própria saúde.

Jonas Klein disse...

ex-feminista


kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Isso não existe, você no mínimo nunca foi feminista então, pois depois que conhece e concorda com as ideias do feminismo você jamais deixa de ser feminista, eu tenho 95% de certeza que você não passa de um mascu, se dizendo ex-feminista para tentar dar alguma credibilidade ao que você diz.


Outra coisa aprenda a não acreditar em tudo o que lê na web, pois muitas vezes o que dito e mentira ou uma meia verdade, além disso tem muitos casos onde a pessoa só conta parte da historia que lhe interessa.

Roxy Carmichael disse...

essa caixa de comentários tá ótima
tô adorando as alfinetadas em latim!
é comum que um debate sobre a opção por não ter filhos desemboque em donas de casa versus workaholics. oposição sustentada pelas duas vertentes. será que não existe mil meio termos não?

será que não existem trabalhos que não são necessariamente ser executiva na reunião de negócios como alguém aí exemplificou? será que não existe maternidade que não anula a mulher em prol de uma abnegação que coloca o filho no altar? existem trabalhos em diferentes arranjos e maternagens em diferentes arranjos também. não significa que um trabalho que tem flexibilidade de horário e que possa ser desempenhado em casa tenha que necessariamente ser preenchido com os cuidados com uma criança. ou então que você tenha que necessariamente trabalhar feito uma condenada, acumulando muito dinheiro e lascando os trabalhadores (quando se fala em executivos, penso nisso. acho que a mulher tem que ocupar espaços de poder sim, mas que essa hierarquia que gera tanta desigualdade social tem que ser repensada e desconstruída no médio-longo prazo). a pessoa pode trabalhar um período e usar outro período pra praticar esportes, fazer trabalho voluntário, estimular a criatividade, não?

quanto à maternagem, penso que deve rolar de conciliar um projeto profissional inspirador e não meramente acumulador, com criar uma criança sem necessariamente ter que abdicar da sua identidade, individualidade, subjetividade, não? certa vez li um texto de uma mulher que criticava isso de substituir a foto do perfil na rede social pela foto da criança. eu concordei com a crítica. rede social é uma bobeira, mas não deixa de ser um discurso identitário muito forte. daí que se reduzir ao papel de mãe, sei lá, particularmente não concordo. de resto acho que vale quase tudo, desde que a pessoa tenha independência e independência na nossa forma de organização social é igual a independência financeira. eu realmente gostaria de ser mais aberta e entender a dependência do parceiro como uma escolha como qualquer outra, mas confesso que tenho dificuldade. e explico porque: de todas as coisas que você pode escolher para se agarrar e ter um ponto de referência, a relação afetivo-amorosa é a mais instável. porque depende em grande medida de outra pessoa, não só de você. porque a nossa forma de se relacionar hoje em dia é outra (ainda bem!). então eu vejo como a mais arriscada das escolhas. e tenho até muita dificuldade em entender como escolha na verdade. porque me parece tão parecida com o que foi o status quo até bem pouco tempo atrás. concordo com o jonas que o status quo mudou nesse sentido. mas só nesse. a mulher tem que trabalhar E cuidar da casa. me parece tão afinada com a divisão sexual do trabalho que acho realmente muito difícil entender até que ponto é escolha, até que ponto é determinismo biológico e social.
e é pensando nisso que eu particularmente não gosto dessa opção ecofeminista rosseauniana como diz a badinter, da mulher como natureza, do determinismo biológico, da volta ao que foi o status quo, mas agora como escolha. ideologia que está intimamente relacionada com as classes abastadas, não há como negar.

Anônimo disse...

Diva

Querida anônima de 12:06

Algumas mulheres ofeiam crianças independentes de serem feministas ou não, outras amam, outras não ligam assim como alguns homens odeiam crianças, outros amam e outros não ligam.
Eu amo crianças, tenho duas sobrinhas e um afilhado mas amo muito mais minha carreira e sou casada com um homem que tb não quer ter filhos.
Quanto a ser religioso ou não, muitas pessoas atéias não são feministas, sou católica e tive primeira comunhão e sou feminista sim, pq acredito que tanto is homens quanto as mulheres merecem respeito e direitos e deveres iguais.
Ter ou não ter filhos não tem NADA a ver com gostar ou odiar. O que mais eu vejo são mulheres que tem 5, 6, 8, 10 filhos e ofendem, agridem, maltratam e torturam todos eles!!!
Preste mais atenção ao seu redor. O que mais tem são péssimas mães e péssimos país agredindo o(a) filho(a) e muitos param nas páginas policiais depois de matar um filho!
Que lindo ter "vários filhos" como se fosse mera chocadeira, cuidar de nenhum e viver de bolsa família né fofa?
Que valores vc tá falando? Machismo, racismo, homofobia? Ensinar às filhas que mulher só serve pra ser serviço de casa e aos filhos que eles são machões comedores que podem fazer o que quiserem?
Pergunta pra muitos machistas, gressores, molestadores, assassinos o tipo de "valores tradicionais" pessoas como vc passaram ora eles.
Desculpe se minga sinceridade é veneno pra uma Poliana como vc.
Até.

@vbfri disse...

Anonimx falou:

"Enquanto isso, as mulheres religiosas e conservadoras estão tendo vários filhos, curtindo a maternidade, e passando seus valores para as próximas gerações".

Nossa! Sério??? Que engraçado!!!
A maior parte das pessoas que eu conheço que têm "vários" filhos (2 ou 3, afinal o Brasil já está na taxa de reposição, que é 2,1), "curtindo" a maternidade, reclamam que filho dá muito trabalho, que a vida sexual com o marido, ou esposa (se ainda estiverem juntos, né?) acabou, que não conseguem mais viajar e se sentem culpados por não achar a maternidade a coisa mais linda do mundo.

Uma amiga minha, inclusive, acabou de ter o terceiro filho (por escolha, vontade, enfim). Um dia desses, tudo o que ela queria era se trancar num quarto e chorar. E, olha, ela ADORA ser mãe.

Estou pra ver essa pessoa que "está curtindo" a mater/paternidade o tempo todo.

A maior parte das mães que eu conheço, já quis jogar filho da janela ou se jogar da janela pelo menos uma vez na vida.

Claro que quando a pessoa é "pai quando dá" (ou pai de final de semana ou mero pagador de pensão) deve curtir muito a história de ter filho. É tipo ter um boneco que fala e que, quando dá trabalho, devolve pra mãe.

Anônimo disse...

"Eu acho ótimo que as feministas não tenham filhos, odeiem crianças e queiram ter dezenas de gatos e destilem veneno sobre quem quer ser mãe.

Enquanto isso, as mulheres religiosas e conservadoras estão tendo vários filhos, curtindo a maternidade, e passando seus valores para as próximas gerações."

Me considero feminista, quero ter 3 filhos, e religiosa e conservadora é a sua mãe.

Anônimo disse...

Lola, seria ótimo se alguém escrevesse sobre esse feminismo meio "new age" que ando vendo por aí com certa frequência, porque tenho uma impressão que ele é meio que um desserviço com toda essa treta mística de feminilidade-mãe-natureza...

Anônimo disse...

Ex-feminista: aponte por favor no meu comentário onde eu disse que o acusado deve ficar na cadeia independentemente da culpa ter sido dele ou não. Aponte onde eu disse que é ok ele ficar preso sendo inocente (e sempre há a possibilidade dele não ser, mas pra mascu mesmo torturador assassino é inocente se matar mulheres). Aponte, por favor, onde eu disse que as mil e uma possíveis explicações possíveis devem ser desconsideradas pra manter o cara na cadeia. Inclusive deixei bem claro, se foi provado que ele não cometeu o crime é incompetência administrativa, impunidade, corrupção, etc. E isso você não pode colocar na conta do feminismo, colega. Quem inventou a impunidade e a corrupção foram os homens machistas.

Aliás, já considerou a possibilidade de que o juiz seja um reaça homofóbico que está mantendo o acusado preso como "castigo" por ser gay? Acontece muito na vida real. Tem gente por aí que ainda acha que adultério tinha que dar cadeia (só pra mulher é claro). E homofobia e machismo foram inventados pelos homens machistas, não pelas feministas. Feministas querem o fim da homofobia e do machismo. E aí, você vai entrar no fórum mascu agora e culpa-los pelo caso do pobre rapaz? Ou vai ficar de "mimimi, as feminazis não querem ir pra Espanha libertar o coitadinho acusado pela vadia mentirosa, porque é claro que ela mentiu, mulher nunca é estuprada só se arrepende de ter dado, mimimi"?

Agora, por favor, leia o SQclaroqNÃO que eu escrevi embaixo dessa última frase que você se deu ao trabalho de ler. Isso significa "só que claro que não", seu trouxa.

E é claro que a palavra da vítima deve ter peso num caso de estupro, mascu lesado. Pelo menos, mais peso do que a palavra do agressor tem que ter. Existem muito mais casos de estupros reais do que de falsas denúncias, então a vítima tem que ser levada a sério e sua palavra TEM que ter mais peso que a do agressor. Ah, quanto às suas estatísticas sobre suicídio masculino, homens não buscam ajuda pra problemas emocionais porque o MACHISMO (não feminismo) diz que homem não precisa de ajuda, que sentimento é coisa de boiola, que sofrer de depressão é frescura, que homem se cura na porrada, que homem não chora. Mais uma coisinha pra você tirar da conta do feminismo porque essa exigência de invulnerabilidade emocional não é das feministas. É dos machistas como você.

Obrigada pelas male tears. Tô indo lá fazer chazinho. Ah, da próxima vez que você se quiser passar por um não-mascu evite essa desculpa da "falácia do espantalho".

Bye bye

Cão do Mato disse...

Bom, se os homens vivem menos porque "não vão no médico", como explicar que a diferença entre a expectativa de vida das mulheres e dos homens gira em torno de 8 anos NO MUNDO TODO??? O próprio ex-ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse que isso ocorre em todos os países... Como explicar que essa diferença seja praticamente a mesma na Dinamarca e na Somália? Ainda que lancemos mão do onipresente clichê feminista segundo o qual numa sociedade, por mais avançada que seja em termos de igualdade de gênero, "ainda há muito o que fazer", é inegável que, se essa questão fosse meramente sócio-cultural, a diferença entre as expectativas de vida poderia existir no mundo todo, mas jamais poderia ser A MESMA no mundo todo! Afinal, por mais que "ainda haja o que fazer", é inegável que a mentalidade de um homem sueco ou dinamarquês é muito mais avançada nessas questões, do que a de um homem somali ou iraquiano, certo? Como explicar que a diferença seja praticamente a mesma? Quanto ao argumento de que homens morrem mais cedo porque dirigem como loucos e também saem se matando nos botecos por aí, gostaria de lembrar que em países com trânsito ultra-civilizado e baixíssimos índices de criminalidade, a diferença também permanece a mesma. Ou seja, não é uma questão meramente de "mentalidade". Há questões biológicas muito importantes envolvidas. Mas admitir isso implica em investimento público em saúde masculina e isso, infelizmente, não dá muito "ibope"... É mais fácil jogar a culpa nos homens ("vive menos porque não vai no médico, a culpa é deles mesmos, então eles que se danem..."). E, por fim, quanto à campanha para "lavar o pinto", eu ouvi falar... Só ouvi! Fiquei sabendo que vários famosos, como o Zico, iriam participar. Vocês viram? Nem eu... Prá terminar: a infecção por HPV também predispõe ao aparecimento de câncer de pênis. Tem vacinação contra HPV para meninos? Pois é...

Cão do Mato disse...

Mariana Nogueira: eu por acaso disse que, ao levar o meu filho ao médico e participar de todas as outras atividades, estou fazendo um favor? M

Anônimo disse...

Cão do Mato,

Falando de Brasil e de outros lugares do mundo, a maioria dos gestores e pessoas com poder de discussão são homens. Isto é, há várias demandas que interessariam aos homens, e eles mesmo tendo poder decisório para se beneficiarem não o fazem? Pq isso?
Toda a questão de saúde da mulher foi levantada por muitos anos de reivindicações, de mulher morrendo no parto, e é claro que há muito a se fazer.
Sobre o seu questionamento de "homens não vão ao médico", novamente falando de Brasil, tem que se levar em contar toda a construção cultural. Tem homem que tem preconceito de fazer exame de próstata, mesmo sabendo dos altos índices de incidência.
Pode ser que haja um problema de abordagem. Utilizando o HIV como exemplo, em determinados contextos observa-se problemas de abordagem. Esse recorte pode ser por faixa etária, por sexo, por condição social. Vejo que há deficiência de abordagem em campanhas direcionadas à homens heterossexuais, pois HIV ainda é "doença gay" (embora os estudos tenham identificado o aumento entre mulheres casadas, idosos e jovens). Campanhas institucionais podem e muito desmistificar o mito de que homem não pode se prevenir.
Mas aí novamente voltamos ao assunto inicial. Se incomoda tanto aos homens, se é um assunto que merece ser discutido, pq nada disso é problematizado?

Julia disse...

Você é louco, cão???
Com tanta merda que os merdas fazem no tempo em que vivem você ainda quer que vivam mais? Deixa de ser egoísta, cara. Cadê a sua humanidade?????

Julia disse...

*com tanta merda que os homens fazem

Meu cérebro já está confundindo as coisas rs

Bizzys disse...

hahaha Julia, te amo <3

B. disse...

Eu gostaria muito de um post sobre esse assunto. Tudo aquilo que sempre relacionei ao feminismo agora está sendo demonizado:

- Pílula para fins contraceptivos: horror da indústria farmacêutica.
- Mercado de trabalho: opressão do capitalismo, trancafiada em escritório, vivendo sob a ótica do capitalismo.
- Ascensão social de pobres (mulheres pobres): oprimido querendo ser opressor, a única coisa que nos libertará é a revolução socialista.
- Voto feminino: não adianta nada, eleições são burguesas. Tem que destruir tudo para construir socialismo.
- Pílula para regular menstruação/ciclo: não está deixando ciclo fluir.

(os comentários após os itens não são meus, e sim coisas que li no feminismo new age etc.)

E eu tenho (quase) certeza de que no advento do socialismo, seríamos tratadas da mesma forma que hoje, mas com nova roupagem.

Alguem disse...

"Ou seja, não é uma questão meramente de "mentalidade". Há questões biológicas muito importantes envolvidas. "

hj existe internet e tem muito lixo na internet
Suecia e ademais nao sao países ilhados do mundo nao.
Sim,o feminismo na Suecia tambem é muito recente,seculo 20.Consequentemente idosos de hj havera diferenças de idade em vida longa.

Anônimo disse...

"Ascensão social de pobres (mulheres pobres): oprimido querendo ser opressor, a única coisa que nos libertará é a revolução socialista."

por ex. temos bolsa familia e é no nome de mulheres e outros programas sociais pq elas cuidam dos filhos e estes tem q está na escola.Mas q escola é esta?
Materias de feminismo,psciologia,filosofia deveriam ser partes da grade curricular das escolas.
Mas ainda falta estrutura,ainda falta o fim da corrupçao.Nao é so nos politicos nao,mas nos juizes.Gilmar mendes nao é flor que se cheire por ex. e de quem sai de sua escola.

Zrs disse...

B,

Você viu a entrevista da E. Badinter em que ela aborda um pouco sobre esses novos temas "new age" entre as mulheres? Dá uma olhada.

http://veja.abril.com.br/multimidia/video/o-culto-da-mae-perfeita-e-diabolico-com-as-mulheres-afirma-elisabeth-badinter

ex-feminista disse...

Jonas Klein, estou pouco me lixando apra o que eu "pareço" ser pra você ou não. Assinei como ex-feminista só pra ressaltar como já fui um capacho cheio de remorso que me anulava em nome de uma culpa social parecida com uma culpa religiosa (como a que você certamente sente). Não assinei assim pra tentar dar alguma legitimidade a mais ao meu discurso, ele se vale por si só.

Então pode continuar com a resposta automática "discordou muito da gente então é mascu huur dur mascu" que isso não abala em nada quem já teve que aguentar dezenas de grupos de discussão (reais e virtuais) com o mesmo rebanho feminista se expressando em bloco sempre com as mesmas frases freitas e termos importados da moda.

Anônimo disse...

16h17:

Eu leio um blog mascu pra dar risada e quem escreve “huur dur” é mascu. Gotcha.

Julia disse...

Bizzys, também te amo :)

Anônimo disse...

Mas @vbfri, troque maternidade por carreira e dá no mesmo. Vc conhece alguém que esteja plenamente satisfeito com a carreira o tempo inteiro? Que dispense as férias pelo amor ao trabalho (OK, tem gente que faz isso, mas por obsessão, não por amor)? Que nunca tenha tido vontade de chorar num dia de trabalho horroroso?
A vida é assim. A gente ama e odeia ao mesmo tempo. A questão é essa idealização de que a maternidade faz a mulher se sentir plena o tempo todo. Não faz. Há dias incríveis e dias absolutamente enlouquecedores. E isso acontece pq ter filhos é horrível? Não. Tenho filhos e acho maravilhoso! Mas tem dias em que ser mãe é difícil, sim. Pq sou humana e pq meus filhos são humanos. E seres humanos nem sempre estão cem por cento conectados. Colocar em qualquer coisa a expectativa da felicidade plena é o primeiro passo pra frustração certeira. Porque nada nem ninguém é capaz de oferecer isso. Pq felicidade plena não existe.
O importante é estarmos satisfeitos com nossas escolhas, sejam elas quais forem. Pq os dias nublados hão de vir, independente do que se escolher. Isso é certo.
Mari

ex-feminista disse...

Ignorando o chilique da Anon das 13:31 e seus xingamentos, vamos lá:

- demonstrou não exatamente um descaso, mas resumiu minha denúncia inicial a um erro eventual do tipo "pode acontecer com todo mundo". Se fosse numa denúncia de estupro, já seria taxado automaticamente de apologista etc. Dois pesos, duas medidas.

- "sempre há a possibilidade dele não ser, mas pra mascu mesmo torturador assassino é inocente se matar mulheres" - Fazendo presunções sobre o oponente no debate, mais uma falácia. Denunciei ESTE caso aqui porque há inúmeras matérias mencionando provas apresentadas e ignoradas pelo juiz. Confira o link que postei antes.

- "Incompetência administrativa, impunidade, corrupção, etc. E isso você não pode colocar na conta do feminismo, colega" - Imagina, claro que não. O atual aparelhamento do feminismo no meio acadêmico de Humanas nem conta. Quem já esteve próximo numa faculdade sabe do preço de discordar ideologicamente desses grupos. Mas tudo bem, sob seu raciocício a mulher não inventou a corrupção (nem a democracia).

- "já pensou que poderia ser um juiz homofóbico..." - já. Continua sendo igualmente injusto, sem mais nem menos. Já considerou [insira preconceito X aqui]? Pode ser também. A denúncia continua.

- "Ou vai ficar de "mimimi, as feminazis não querem ir pra Espanha libertar o coitadinho" - tentou exagerar minha demanda para que a dona do blog TRATASSE DA DENÚNCIA a partir deste meio (texto) e não exigindo algum tipo de ação prática ("ir pra Espanha"). Nome: falácia do espantalho.

- "...acusado pela vadia mentirosa, porque é claro que ela mentiu, mulher nunca é estuprada só se arrepende de ter dado, mimimi" - Você realmente presume muito o que seu oponente perfeito deveria estar pensando.

- "é claro que a palavra da vítima deve ter peso num caso de estupro" - Não disse que não deve, disse que não deve ter MUITO peso, não deve ter um peso excessivo, que chegue a passar por cima do princípio da presunção de inocência do sistema jurídico democrático. Você parece não se importar que a lei esteja sofrendo algum tipo de distorção pois não é contra o seu grupo social.

- "Pelo menos, mais peso do que a palavra do agressor tem que ter" - claro, só que para declarar alguém AGRESSOR é preciso antes PROVAR E JULGAR. Ou seja, nada de relato de acusador valendo mais que prova da defesa em processo jurídico.

- "Existem muito mais casos de estupros reais do que de falsas denúncias" - não é o que quis a própria Delegacia da Mulher: http://www.jcnet.com.br/Geral/2013/02/falsos-estupros-atrapalham-policia.html

- "quanto às suas estatísticas sobre suicídio masculino, homens não buscam ajuda pra problemas emocionais porque o MACHISMO (não feminismo) diz que homem não precisa de ajuda" - Errado. Mais uma leitura do mundo baseada apenas na sua crença política. Baseada numa visão do homem como se fosse o estereótipo de um filme de faroeste dos anos 50. Homens sempre buscam formas de ajuda, mas atualmente as feministas tem inclusive tentado constrangê-los moralmente a buscar só as que autorizarem.

- "Mais uma coisinha pra você tirar da conta do feminismo porque essa exigência de invulnerabilidade emocional não é das feministas. É dos machistas" - não é das feministas, é das mulheres em geral, quando selecionam seus parceiros. Mas isso não coloco na conta de ninguém, pois é um processo natural. Coloco na conta do feminismo a partir do momento em que a diferença na forma como o desejo de cada sexo vira ideologia.

- "Obrigada pelas male tears" - de nada, depois dê um google em "that means semen".

- "da próxima vez que você se quiser passar por um não-mascu evite essa desculpa da "falácia do espantalho"." - Não é desculpa, é apenas a lógica, essa invenção de homens machistas da Grécia Antiga.

Anônimo disse...

Diva

Notei alguns erros de português que escrevi, mas foi culpa do corretor do celular.
Abs

Anônimo disse...

Sabe Lola, nunca mais vou ler uma postagem sobre maternidade aqui, essas mães de gatos são um porre (tenho uma vizinha que pqp, ama chamar atenção), dizem que sofrem preconceito mas na verdade odeiam que mulheres tenham filhos e não perdem a chance de destilar sobre isso. SIM É MAIS DIFÍCIL PRA MULHER TER UM FILHO, e infelizmente o que não é? Lutar enquanto outro ser tenta te matar? bitch please, ninguém tá te obrigando a parir. Pressão da sociedade? tenta ter um filho pra você sentir a verdadeira pressão!

A MOM

Anônimo disse...

Eu, sinceramente, antes me importava com os olhares fulminantes e os questionamentos. Agora liguei o foda-se! Sou casada ha 5 anos e temos uma vida boa, ter filhos é uma opção totalmente descartada para nós. Nossos projetos estão no âmbito de gastar dinheiro conhecendo o leste europeu, não de gastar dinheiro com filhos. Fora que amamos silêncio e privacidade. Ainda vou ouvir muitas cobranças, pois tenho uns 10 anos de relógio biológico para procriar. Se insistem muito nos porquês, falo também. Se perguntou é porque quer saber o que penso. Nunca vi a maternidade com lentes cor de rosa, sempre achei uma função estafante. E também não gosto da rotina com crianças, quando meus sobrinhos estão em casa, não dá para fazermos nada. Deixamos de ser nós mesmos. Fora a qualidade de vida, vejo casais com filhos que trabalham e o dinheiro vai todo para filhos. O tempo, fora o trabalho de cada, é todo destinado a filhos. Acho ótimo quem quer e se sente realizado. Meus sinceros parabéns! Mas, eu e meu marido estamos fora.

Fernanda Araujo disse...

Sobre o comentário da anônima ao dizer que childfrees se incomodam com quem tem filhos. Nunca vi! O que vejo direto é quem tem filhos se incomodando com mulheres-casais que não querem. Sofro isso direto! Aquela ladainha de quem vai cuidar na velhice, de único amor verdadeiro, de vida preenchida. E o pior é que quando falamos os motivos, ainda levam pelo lado pessoal e acham que estamos atacando os filhos deles. Eu e meu esposo preenchemos muito bem nossa vida, sem filhos! O povo tem que cair na real e ver que a felicidade e filhos não é unanimidade! Tá cheio de mães infelizes com o papel aí e sequer elas podem falar sobre isso.

Anônimo disse...

Tenho certeza que muitos homens brasileiros forçariam as suas esposas se pudessem quando soubessem que seriam pais de meninas. Homem odeia garotas, exceto na parte sexual.

Anônimo disse...

"meninas são mais apegadas ao pai" porque? As mães odeiam as filhas? O que eu mais vejo são garotas se dando melhor com a mãe enquanto o pai fica bajulando o irmão.

Anônimo disse...

Tem gente que gosta de enganar também. Claro que tem mulheres que adoram a maternidade. Mas tem várias que adoram mandar os outros ter, para vê-los na fria também. É como" se minha vida ficou uma merda, agora todos tem que ficar assim".E na hora que a amiga tem, ela diz: " Viu como é difícil?" Quem fala o tempo todo de maternidade maravilhosa, de amor incondicional o tempo todo, podem reparar que é infeliz no papel. Parece que querem provar para si mesmas algo que não sentem. Quem é feliz no papel não fala tanto. E inclusive até assume as dificuldades e entende os motivos das childfrees.

Odara disse...

Hoje eu vi um comercial de boneca na TV aberta e fiquei pensando no post ....
Desde criança a mulher é estimulada, pra não dizer obrigada, a ficar treinando para ser mãe! (A tal boneca falava: mamãe tenho fome...e depois a menininha feliz dava papinha, trocava a fralda e ninava a boneca em tamanho natural de um bebê pequeno)
Depois a mulher fica adulta e a sociedade cobra: Cadê? Não vai fazer tudo como te ensinamos desde sempre?

Outra coisa que li nos comentários agora é sobre a convivência entre pessoas com e sem filhos....
Há muita intolerância! Tanto de um lado como de outro: quem tem fica tentando convencer quem optou por não ter (é tão lindo, o amor e mimimi) e quem não quer ter fica criticando a escolha e reclamando de ter que conviver com crianças no mundo! (eu sei que tem lugares onde não é adequado levar uma criança e comportamentos infantis complicados de aguentar mas tem gente que exagera no "criança fora")
Claro que eu estou generalizando e existem muitas pessoas legais e inclusivas mas a intolerância anda fogo!

Anônimo disse...

Não sei pq, mas a maioria é, eu mesma era mais apegada a meu pai e minha irmã tb. Isso se pai e mãe forem igualmente bacanas, pq se o pai é um babaca que ignora a filha, aí óbvio que não.

Anônimo disse...

Ah, anon das 17:31 você é aquele mascu novato que chegou aqui tentando constranger as feministas fazendo piadinha com esperma pra que elas não respondessem suas asneiras? Aquele que eu esmaguei no debate e ainda sambei, sapateei, dancei regatteon e depois fiz o Lago dos Cisnes em cima? Rapaz, faz tempo, hein? Aquela porradaria conjunta entre eu, a Sara e a Mirella acabou mesmo contigo né, só voltou a trollar o blog agora. Infelizmente pra você e felizmente pra mim seu treinamento não foi muito bom, você continua plenamente reconhecível como mascu, tirando estatísticas do rabo, botando palavras na boca dos outros, querendo ditar como as comentaristas devem agir e a pauta do blog, chorando pra dizer que os homens são uns coitadinhos oprimidos pela sociedade matriarcal,inventando mentiras sobre expressões idiomáticas (que eu estudei por anos) e revelando quem é assim que abre a boca. Dá licença que eu não vou te dar atenção de novo. Cai fora.

Pra quem quiser saber o post em que esse mané "atacou" primeiro, é o post 'Fingi ser Homem no Twitter e Ninguém Ameaçou me Estuprar'. É a mesma ladainha, sem tirar nem pôr.

Anônimo disse...

Anon 20:13, falou e disse! As moças que mais endeusam a maternidade que eu conheço são justamente as que têm dificuldades com os filhos: batem nas crianças por meio motivo, gritam com elas dizendo tudo o que deixaram de fazer por conta delas, falam mal do pai que não divide tarefas com elas na frente das crianças. Enquanto isso, dizem que "ser mãe é padecer no paraíso", "amor de mãe é o único amor verdadeiro", "quando sua mãe morrer, você vai perder seu único anjo" e etc etc etc. Parece que querem que terceiros legitimem a própria maternidade, ou que expiam os abusos com as crianças nesse discurso de "só mãe entende".

Lila disse...

Meu marido nunca quis!!! E eu por pressão social(tinha medo de ser taxada de estranha), consegui convence-lo, na verdade ele não me ajuda muito mesmo, acho até que eu deixo ele folgar, o texto é perfeito!!! Eu vivo exatamente o que foi descrito!!! Se me arrependo? SIIIIIMMMMMM!!!! Nunca devia ter embarcado nessa furada, não me sinto completa, e nem sinto todo aquele amor maternal, só sinto cansaço e mais cansaço! Não tenho duvida de que esta foi pior decisão que eu já tomei, por mais que eu me esforce em ser uma boa mãe, ainda ouço muitas criticas, só tenho me F*****

donadio disse...

"Concordo com o Donadio."

Mas eu, evidentemente, não concordo com você. As conclusões que você tira desse fato são completamente diferentes das minhas. Você acha que as mulheres oprimem os homens, eu acho que o fenômeno é simplesmente o preço da supremacia masculina.

donadio disse...

"Calma ai, atualmente já existe uma posição majoritária na sociedade que mulher que depende financeiramente do parceiro, e uma prostituta e ponto final"

Acho que você não tem a menor ideia do que está falando. Hoje a maioria das mulheres trabalha fora. Mas há uma quantidade significativa de mulheres - em todas as classes sociais; ao contrário do preconceito coxinha que abunda por aqui, isso não é 'coisa de pobre' - que trabalha exclusivamente em casa. Diga a uma delas, ou a algum familiar próximo de uma delas, que ela é "uma prostituta e ponto final", para ver o que te acontece.

Planeta Terra mandando lembranças.

Anônimo disse...

Lésbicas fazem sexo sem o estupro naturalizado socialmente Lola
Mas quando dizemos que o que eles portam e uma arma biológica de opressão vc diz que estamos exagerado

Anônimo disse...

Esgoto masculino?
Do que se trata?

Anônimo disse...

E quem gosta de mulher, então?

Anônimo disse...

É necessário equilibrar o tempo para o trabalho e o tempo para os filhos. O casal decide como. Acho extremamente normal que homens fiquem a maior parte do tempo com os filhos e não só a mulher. E de ninguém tiver saco pra criança contrata babá ou não tenha filhos. Devia ser estimulada a adoção por homens solteiros pois podem sim criarem filhos sem mulher.

Anônimo disse...

Filho é uma desgraça mesmo.

Anônimo disse...

Eu mudei de ideia quanto a ter filhos. Não me interessava, achava que nunca teria e de repente, o instinto gritou, kkk.
Conto isso só pra saberem que ok mudar de planos. Tenho amigas que não mudaram para o sim e para o não e outras que mudaram, mas ao contrário de mim. Acho desnecessário terminar uma relação no presente porque daqui há dez anos o outro pode querer ter filho. Se acontecer, e você ainda estiver com a pessoa, o que convenhamos, tem muita chance de não rolar, daí vê o que faz.
Menos futurologia, que isso gera ansiedade.
Ps. Concordo que há cobrança e, sim, isso enche demais.

Anônimo disse...

Olha, com tanta pedofilia no mundo, acho que se deve ter muito cuidado com homens que querer adotar crianças (principalmente meninas) sozinho.

Alana Rios disse...

Anõnimo do 18 de agosto, 12:07

O cara pôs a opinião dele, de que as vezes parece existir um "apego exagerado aos estereótipos", e vc já vai tacando pedra e dizendo que ele "quer um biscoito" e dizendo que ele é " parte do problema" e mandando ele voltar pro esgoto.
Eu juro que tento, mas não consigo entender onde as radfems (vc é uma, ao que parece) são melhores que os machistas. Ambos os grupos se sustentam em discursos de ódio muito parecidos.

Jonas Klein disse...

Donadio

"Acho que você não tem a menor ideia do que está falando." A e então lê isso aqui:

http://ego.globo.com/paparazzo/noticia/2015/01/homem-sem-grana-nao-da-tem-que-bancar-diz-nubia-oliiver-no-paparazzo.html

Va lá nos comentários, clica em populares, e leia o comentário do Marcelo Vatanabe, ai depois a gente conversa.

"Planeta Terra mandando lembranças." eu que digo.

Julia disse...

23:30, eu lembro de você. Tu é foda.

Fernanda Araujo disse...

Lila, admiro sua coragem ao reconhecer que não gostou da maternidade. É um tabu violento. Tenho uma amiga que já me confidenciou que não gostou do papel também.

Mas, você não acha que hoje em dia essa taxação de "estranha" não vem diminuindo? Vejo muitos casais sem filhos por aí. E por escolha mesmo.

Anônimo disse...

Haha, obrigada Julia. Você é também o máximo e fez alguns dos melhores comentários do blog.

Lila disse...

Acho que vem diminuindo, mas depende do meio que você frequenta pois é lá que a gente se sente mais cobrado.