terça-feira, 11 de agosto de 2015

GUEST POST: O ASSASSINATO DO LEÃO E AS LIÇÕES SOBRE ÉTICA E ESPECISMO

Robson, colaborador habitual aqui do blog, e autor do Consciência e do Veganagente, me cedeu este texto seu. Como ativista dos direitos animais, Robson tem tudo para acrescentar à discussão.

Boa parte do mundo ficou consternada com o cruel assassinato do leão Cecil, que era tido como um “símbolo” no Zimbábue, por um dentista estadunidense que gosta de caçar. Dessa reação, que envolveu pessoas veganas e não veganas, podemos tirar algumas lições sobre ética, empatia, superação do especismo e “veneração” ao princípio do “olho por olho, dente por dente”.
Muito se falou da indignação seletiva de muitos não vegans e também de muitos vegans perante o crime do dentista. De um lado, pessoas não veganas ficaram revoltadas e, em sua reação, deixaram claro que consideram moralmente animais de algumas determinadas espécies (cães, gatos e espécies selvagens) muito mais do que os de outras (animais “de consumo”).
E do outro, muitos vegans também mostraram que ainda não conseguiram se livrar por completo de suas antigas crenças especistas. Dedicaram uma atenção desproporcional à morte de Cecil como se ele fosse moralmente superior a incontáveis porcos, bovinos, caprinos, galináceos, peixes etc.
E das duas categorias, não faltaram exortações para que o dentista caçador fosse igualmente caçado e trucidado por vingadores. A crença de que exploradores e matadores de animais não humanos devem “pagar com a mesma moeda” foi um lugar-comum nas manifestações de indignação.
Daí podemos refletir sobre essas várias questões. Em primeiro lugar, trago uma reflexão dirigida a quem ainda não aderiu ao veganismo.
O que Cecil tinha que os animais criados pela pecuária não têm?
Perguntemo-nos o que Cecil tinha, fora o prestígio cultural dentro e fora do Zimbábue, que os bilhões de animais “de produção” que são mortos para consumo em todo o mundo não tinham ou não têm. Pensemos no que faz os humanos das sociedades modernas dividirem o Reino Animal em animais “para respeitar e valorizar” e seres “para explorar e consumir”.
O falecido “rei leão” zimbabuano tinha mais vontade de viver e ser livre do que um porco que vive toda a sua vida preso numa baia ou um boi que passa seus menos de dois anos de vida confinado num cercado? Sua vida tinha mais valor moral do que a de um animal dito “de consumo”? Se sim, por quê? Tente responder.
No final das contas, poderemos chegar à conclusão de que cada pessoa não vegana, por mais que se recuse a pensar sobre e admitir, e por mais que tenha chorado a morte de Cecil, tem dentro de si um pouco do dentista caçador. A atitude moral dele perante os seres não humanos não difere muito da de quem sabe que a pecuária e a pesca são atividades alicerçadas na desigualdade moral, na violência e na injustiça, mas, ainda assim, insiste em continuar consumindo produtos de origem animal.
Tanto o caçador quanto o onívoro que não se importa (não confundir com “não conhece”) com os Direitos Animais obtêm parte do prazer de suas vidas na miséria de animais não humanos. Ora é o paladar que deseja carnes e laticínios, ora é o regozijo psicológico obtido do ato de matar um “rei da selva”. Ambos têm a mesma base moral de inferiorização dos animais não humanos: o especismo, a crença de que os seres humanos têm totais e tirânicos poderes de decidir sobre a vida e a morte dos demais animais. Pense sobre isso.
Vegan, mas ainda hierarquizando vidas e desejando violência? Por quê?
A segunda reflexão deste texto é sobre a atitude de quem se diz vegan mas deu um peso muito maior ao assassinato do leão do que às tantas vítimas da pecuária e da pesca, além de terem desejado desgraças para o caçador. Pessoas assim dizem que saíram da moral especista e violenta, mas mostram que o especismo e a cultura de violência ainda não saíram delas.
Isso pôde ser visto a partir das reações de fúria perante o crime. Muitos vegans desejaram as punições mais atrozes possíveis ao caçador, manifestando um ódio que não sentem, por exemplo, de pecuaristas, donos de navios pesqueiros e empresários da aquicultura.
Nessa reação raivosa, erraram duas vezes. Primeiro, ao colocarem Cecil num pedestal de “animal especial” construído pela cultura especista, quando o que deveriam ter feito, enquanto vegans e supostamente abolicionistas, era demolir todos os pedestais de superiorização moral de alguns indivíduos ou espécies. Segundo, ao desejarem vingança contra o assassino do leão, ao invés de exigirem uma justiça que lhe dê a possibilidade de, no futuro, arrepender-se do crime, abandonar o hábito de caçar e abraçar com sinceridade o respeito aos animais.
Lembro o conceito que a teórica abolicionista Sônia T. Felipe elaborou alguns meses atrás: o xenoespecismo. Uma pessoa é xenoespecista quando manifesta dedicar mais valor moral a animais de certas espécies mortos em outros países do que àqueles que são cotidianamente explorados e abatidos na sua própria nação. Além disso, o xenoespecista reserva aos especistas de outros países (exemplo: chineses e coreanos que comem carne de cachorro, e toureiros espanhóis) um urrado ódio, inclusive xenofóbico, que evitam dirigir aos de seu país (ex.: brasileiros que adoram rodízios de carne, dizem “não viver” sem picanha, galeto e bacon e escrevem comentários carnistas antiveganos).
As tantas ocorrências de xenoespecismo entre pessoas autodeclaradas veganas na internet perante o caso Cecil evidenciam que ainda há muita gente que não entendeu muito bem o que são de fato o veganismo e os Direitos Animais por ele defendido. São pessoas que abandonaram o consumo de produtos evitáveis oriundos de exploração animal, mas ainda persistem em considerar, por exemplo, o assassinado “rei leão” das savanas do Zimbábue moralmente superior ao porco sem nome que tem um brinco numerado preso na orelha e está a dois dias de ser mandado para o matadouro.
Isso aponta para o fato de que a conscientização não deve ficar restrita ao sentido “vegans => não vegans”, mas também abranger o sentido “vegans abolicionistas veteranos => vegans novatos e pessoas em transição para o veganismo”.
Além disso, deve ser maximamente problematizada a demanda odienta de muitos vegans anti-humanistas pelo assassinato do dentista matador de Cecil. A defesa da vingança, manifestada em detrimento do desejo por justiça e mudança de consciência, é um tiro de fuzil no pé da defesa dos Direitos Animais.
Quando se deseja que um caçador sofra pena de morte -– autorizada ou não pela lei -– ou um peão de rodeio seja esmagado pelas patas do touro que corcoveia, está-se reproduzindo a crença de que o ser humano que adota uma postura antiética grave “não pode” se arrepender e mudar por consciência, e que só irá parar de cometer iniquidades quando morrer. Está-se descartando a possibilidade de muitos seres humanos serem devidamente educados e induzidos à conscientização. Também se está aí duvidando da capacidade do ser humano de se tornar ético depois de uma vida de pecados contra os animais não humanos.
O anti-humanista que demanda vingança letal contra matadores de animais ignora os diversos casos de algozes de seres não humanos que mudaram de consciência e coração. Entre esses exemplos, estão o ex-pescador de golfinhos Izumi Ishii, o ex-toureiro Álvaro Múnera, o ex-peão Gui Pádua, o ex-apicultor Leandro Petry e o ex-pecuarista Howard Lyman. Se dependesse de quem hoje declara ódio mortal pelo algoz de Cecil, todas essas pessoas teriam sido cruelmente assassinadas e jamais teriam tido a oportunidade de mudar de lado.
É possível que o matador do leão zimbabuano se arrependa no futuro. Ou talvez nunca reconheça o erro que é matar animais por diversão. Mas, arrependendo-se ou não, uma coisa é certa: ele tem uma probabilidade maior que zero de mudar de consciência nos próximos anos, e essa probabilidade será zerada se ele for morto em punição à morte de Cecil.
Este artigo, vislumbrando essas questões, convida as pessoas não veganas e as já veganas a refletir. Às primeiras: pensem se realmente faz sentido considerar Cecil moralmente superior a um boi de uma fazenda mato-grossense ou um peixe da costa atlântica brasileira. Às últimas: pensem no que corresponde melhor à ética vegana e à expansão do abolicionismo –- matar o caçador ou dar-lhe a oportunidade de mudar de lado e buscar a redenção.

162 comentários:

donadio disse...

"uma atenção desproporcional à morte de Cecil como se ele fosse moralmente superior a incontáveis porcos, bovinos, caprinos, galináceos, peixes etc."

Leões não são seres morais, assim como porcos, bois, cabras, galinhas, peixes, etc., também não são.

Cecil pertencia a uma espécie que está em risco de extinção. Nenhuma das espécies que você cita corre o mais remoto risco de extinção. Então são coisas completamente diferentes, e não tem nada a ver com "moral".

Anônimo disse...

Veganos mentem quando dizem que não matam pra comer, ser vegano é trocar a morte direta; e por isso com o abate controlado - que pode ser mais indolor; por mortes indiretas por envenenamento, asfixia e fogo.

Um bom exemplo vegano não come mel pra não "explorar as abelhas" mas substitui por melaço de cana que para ser produzido deve haver plantações de cana-de-açúcar que usam de defensivos agrícolas e na fase da colheita coloca fogo no canavial. Já imaginou quantos animais morrem nesse processo?

O que os defensores dos Animais não entendem é que não é certo comparar animais com pessoas pois estas podem responder civilmente e penalmente por seus atos, pessoas inimputáveis podem ter direito porque estas tem um responsável que respondem juridicamente por seus atos (na falta de parentes ou tutores o Estado é esse responsável), quando alguém tutela um animal, passa a ser responsável por este e por isto pode exigir que ele tenha direitos, ninguém pode entrar na casa do tutor e matar seu animal. Porém, quem iria ser o responsável por todas as ações de todas as espécies animais caso estes entrem no ornamento jurídico como seres detentores de direito? O Estado? Creio que isso só seria possível se a maioria dos pagadores e imposto - que são quem sustentam o Estado, estejam de acordo em arcar com mais essas despesas, afinal pra dar direito também teriam que se responsabilizar pelos atos, tipo indenizar uma pessoa que foi atacada por um animal, afinal não existe direito sem deveres.

a relação entre humanos é regida pelas leis, moral e costumes que os humanos podem escolher seguir ou morar sozinho ou procurar comunidade alternativa.

Já a relação entre humanos e as outras espécies é regida pela única lei que as outras espécies conhecem, a lei da Selva. É errado dá direitos a quem não pode se comprometer a cumprir seus deveres e NÃO TEM NINGUÉM QUE SE COMPROMETA POR ELES!

A melhor maneira de produzir alimentos em larga escala não é a agricultura e nem a pecuária, ambas trazem sérios problemas ambientais e envolvem a morte de animais (seja por agrotóxicos, seja por abate). A solução é a Integração Lavoura Pecuária, conhece?

http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/489736/1/Doc47.pdf

Thomas disse...

O dentista não vai se arrepender. Ele ama caçar, já matou o equivalente a um zoológico inteiro de espécies.

Na boa, mesmo quando eu concordo com vários pontos, não consigo gostar dos textos desse vegano aí. É normal as pessoas reagirem com ódio perante a uma injustiça. Isso faz parte da gente, em algum nível quase todo mundo sente esse ódio quando se depara com uma injustiça e deseja a morte de quem praticou tal injustiça. Eu digo "quase todo mundo" porque junto com o Gandhi, Jesus e Buda, está aí o nosso amigo vegano, um verdadeiro exemplo de evolução moral.

Quer dizer agora que quando a Lola postar sobre o estupro de uma mulher e nos comentários as minas clamarem pela castração e execução do estuprador, você vai chegar aqui e mandar um "PEARAI GENTE NAO PODE FALA ASSIM TEM VARIOS CASOS DE ESTUPRADORES QUE ESTUPRARAM VIOLENTAMENTE UMA MULHER E MATARAM ELA E ANOS DEPOIS SE ARREPENDERAM, PERAI, SE VCS SAO FEMINISTAS DE VERDADE VCS TEM QUE SER PACIFISTAS E COMPREENSIVAS, NAO PODE EXPRESSAR ODIO NENHUM NUNCA PQ ISSO FAZ MAL"

Zrs disse...

Robson, sempre trazendo mais luz para o debate vegano. Muito bom!

Thomas disse...

Anônimo das 11:50

Tudo isso aí já foi refutado há décadas.

Anônimo disse...

É mesmo, Thomas? Então me diga as refutações.

Os veganos escolhem alguns animais pra defender e nã estão nem aí pra outros. Outro bom exemplo, não tomam suco com corante vermelho porque mata as cochonilhas, mas compram celulares, tablets, DVDs, Câmeras digitais e muitos outros itens superflúos e não estão nem aí pras inúmeras outras espécies que morram em função desse produto, só pra ter ideias as minas de Coltan provocaram a morte da maioria dos gorilas e elefantes do Congo:

http://www.anda.jor.br/21/06/2012/minas-de-coltan-mataram-maioria-dos-elefantes-e-gorilas-do-congo

Anônimo disse...

E respondendo ao autor do texto, a diferença está na motivação da morte do Cecil, um animal da pecuária morre pra várias pessoas comerem, não foi pra capricho de um único homem que queria um trófeu.

donadio disse...

"as pessoas não veganas e as já veganas"

Que maneira horrível de dizer as coisas. Imagina se alguém dissesse "as pessoas que já são liberais", ou "as pessoas que já são cristãs".

Ou, ainda, "as pessoas que já deixaram de lado o veganismo".

Esse raciocínio teleológico, pelo qual os indivíduos necessariamente vão se alinhar a um destino histórico pré-fixado, é absurdo. "We are the Borg. You will be assimilated. Resistance is futile", anyone?

Ingrid Bezerra disse...

Concordo com o Anônimo 11 de agosto de 2015 12:17,

Simplesmente isso.

E eu tenho medo sim de uns tipos veganos radicais agressivos, inclusive o Jornalista Wando uma vez compartilhou no Twitter que ativistas dos direitos dos animais abusaram da filha de uma mulher que havia matado um cachorro. Horrível, sem noção, dá mais medo do que vontade de apoiar, embora eu também ache um absurdo a violência que a mulher cometeu com o cachorro.

Eu sou onívora e tenho infelizmente as minhas motivações pessoais para continuar sendo e certamente continuarei sendo até o fim da minha vida. E quando leio discursos agressivos e inflamados de veganos radicais me sinto ofendida injustamente já que não me considero a pior das pessoas por infelizmente ser onívora. Eu não torturo animais por prazer e me preocupo com a extinção das espécies, mas o consumo para mim é pleno e não estou diferenciando espécies porque aqui no Brasil só temos o costume de comer bois, galinha, peixe mas tem países que comem cavalo e outras espécies. Penso que se o abate for o mais indolor possível e a criação for de maneira confortável para os animais, já ajudaria bastante e seria o ideal, independente da espécie. Não me orgulho nem um pouco de ser onívora, apenas sou por minhas razões (infelizmente, mais uma vez).

Eu já criei galinhas como animais de estimação, como se cria um cão, e da mesma forma me alimento de vez em quando deste animal. Se eu fosse uma chinesa poderia ser a mesma coisa com cães. Então não creio que seja especismo o meu caso.

Acredito que futuramente o veganismo estará mais próximo da realidade da maior parte das pessoas, mas hoje em dia, do jeito que existe tanta gente passando fome no mundo e disposta a comer qualquer coisa que encontrar pela frente creio que será difícil.

Já li em um blog bizarro de uma vegana que ela considera o onívoro mais monstruoso do que o zoófilo (discordo completamente!) e ela escrevia textos com tanto ódio que sinceramente acho bem capaz que uma pessoa dessa poderia fazer mal a alguém por seu senso de justiça violento em nome dos animais. Acho que se os veganos tivessem um discurso menos agressivos ganhariam muito mais e afastariam muito menos.

Ah! também no blog da vegana violenta eu li sobre rações para cães vegana. Nossa... é até interessante, mas sei lá. Cachorro de vez em quando caça pequenos animais no quintal, já vi até comendo uma rato (no caso acho que o cachorro estava fazendo isso para chamar atenção, cães as vezes fazem loucuras para chamar atenção, não era porque ele passava fome ou coisa do tipo), como pode impor vegetarianismo aos animais?! Sei lá, acho sem lógica.

@vbfri disse...

Eu, particularmente, acho que a atenção que se deu ao Cecil foi uma atenção exagerada, sim, mas que poderá trazer à consciência a questão da proibição da caça. Milhões de animais são mortos todos os anos por caçadores que querem enfeitar a lareira e, sim, pessoas que comem carne.
A morte de Cecil foi violenta ao extremo. Ele agonizou por 40 horas. Foi absurda. Mas mostrou ao mundo a crueldade da caça.
Eu sou contra o consumo de proteína animal por princípio. Já tentei ser vegan, mas fui criada à base de carne, manteiga, ovos. É difícil substituir, mas eu tento. Na minha casa não entra laticínios, nem carne. Acho incoerente defender gatos e cachorros e não defender bois e galinhas. Então eu busco não me envolver em questões de direitos dos animais pq eu me sinto uma fraude por não ter conseguido virar vegan.
Ao mesmo tempo, acho que esse argumento "ain, mas como defender o leão sem defender as galinhas" está na mesma linha de "ai, pq vc defende o direito dos animais e não defende as criancinhas".
Bem, o Cecil é um animal ameaçado de extinção e foi morto APENAS com o intuito de ter sua pele e sua cabeça utilizados como decoração. A carne ficou totalmente exposta.
Acho, sim, mais aceitável abater o animal para consumo do que para usar de troféu.
Sou a favor da indústria alimentícia que faz 90% de todos os seus produtos com carne/ovos/leite? NÃO.
Adoraria ser vegan, e juro que me esforço. Mas eu vou saber como se a comida que eu consumo na rua é ou não feita na manteiga? Na casa dos meus avós, por exemplo, exceto pela salada, toda a comida é feita na manteiga. Vou forçar meus avós, já idosos, a fazer comida especial para mim? Não.
Vou eu entrar na cozinha e fazer comida na preguiça de domingo?
Perdoe-me. Também não.
O que EU tenho feito é agradecer o animal que deu a vida/o leite a mim e pedir perdão.
E seguir em frente sem dramas.
Mas, sim, é um pouco especismo. Mas, sim, também tem que ser relativizado o alarde para conscientizar a galera, aos poucos, que a gente pode substituir a proteína animal. Mas, sim, também temos que ver que o leão é uma espécie em extinção.
Mas, sim, cada um luta pelo que quiser. Vamos parar de reclamar que o outro está lutando pelas crianças da Africa e não pelas do Brasil. Que está lutando pelas crianças do Brasil mas se esquece dos idosos. Que está lutando pelos idosos mas não defende os deficientes. Que está lutando pelo xxxx e esquecendo do yyyyy.
Deu.
Vamos lutar pelo respeito também nas lutas.

Anônimo disse...

Li o texto, analisei os questionamentos proposto e digo. O que os não veganos (falo a partir da minha experiência) pensam é, eu acho moralmente aceitável matar um animal para me alimentar, pois esta é uma necessidade legítima, mas acho cruel matar um animal por esporte pois esta não é uma necessidade legítima.
Disto isto, acho perfeitamente normal uma pessoa que come carne se sensibilizar com a caça, e com a crueldade com animais, pois estas práticas se tratam de sadismo puro e simples.
E sim eu penso que existe uma ordem, eu penso que serem humanos são mais importantes que animais, e animais mais importantes que uma leguminosa.
Eu acredito em leis da natureza.


Ingrid eu conheço pessoalmente uma pessoa que seria perfeitamente capaz de cometer crueldades com humanos em prol dos animais, esta pessoa vive falando que os seres humanos são nojentos, que bem feito quando tem epidemias, catástrofes e mil coisas ainda piores. Ela não agrediu ninguém ainda, porque até agora a família ainda consegue controlar, dar uns conselhos.
Sandra

Raven Deschain disse...

Normalmente eu concordo com o Robson, mas esse post me deu dor de cabeça.

Não vou achar NUNCA que deixar um animal ahonizando por 40 horas é o mesmo que comer uma coxinha num chinês.

Ingrid, eu já tinha visto isso de ração vegana e sério, puta merda, que absurdo. Felinos e caninos são essencialmente carnívoros. Já é terrível pra saúde deles dar ração seca ou comida de gente como refeição. Pqp dar ração sem nenhum tipo de proteína animal.

Kittsu disse...

Eu acredito sim que é pior matar uma ararinha azul ou um leão asiático do que um porco de raça comercial. E que é pior matar um porco de raça caipira em extinção do que um javaporco invasor. Pois não é só a moralidade do ato de matar que está em jogo.

Raven Deschain disse...

*agonizando


Aliás, se a pessoa é tão vegana assim, que sentido tem ter um animal de estimação? Só pra amaciar o ego?

Kittsu disse...

Absurdo. Quem não quer alimentar seus animais com carne, que crie herbívoros. É uma crueldade sem tamanho não alimentar os animais de acordo com a natureza de cada um, comparável a alimentar vaca com carne de gato ou canário com peixes.

Anônimo disse...

Eu alimento meu cachorro só com pizza, muita mão carregar ração no mercado. Só ligar no telepizza gigante e deixar na geladeira pra dar depois. E ele tá fofinho como eu gosto.

Donatien Alphonse François disse...

Eu não gosto de ver animais sofrendo, jamais caçaria por esporte, para ter um troféu na lareira de casa e muito menos animais em processo de extinção, mas não quero ser vegano, poderia ser mas não quero, gosto de comer carne. Eu sou onívoro e não me envergonho disso, tão pouco me orgulho, na verdade gostaria de comer muito mais especies, desde que fosse eu que os abatesse, porque quando vamos ao açougue estamos terceirizando o trabalho sujo, estamos sendo cúmplices de toda a sordidez do processo de criação e abate de animais. Eu não me importo que sejam mortos para nos alimentar, me importo sim com como isso é feito, porque muitas vezes é feito, como no caso de rinocerontes que tem seus chifres retirados na carne, tudo isso para ter o mesmo material de que são compostas nossas unhas, apenas para um asiático "ter uma ereção" coisa que ele poderia conseguir tomando um viagra. PQP
A caça de subsistência não me incomoda em nada, não existe pessoa mais interessada em preservar especies que a que vai caçar para alimentar sua família.

vou continuar lutando contra caçadores e comendo meu bacon ao mesmo tempo disse...

eu acho este um dos maiores erros dos veganos e similares, querer comparar um leão e um cachorrinho a uma vaca ou ao bacon. obviamente as experiencias e identificação para cada animal são diferentes, dependem de cultura, ambientação e outros fatores, ao colocarem no mesmo patamar estes animais a maioria das pessoas acaba simplesmente ignorando seus argumentos. ao focar numa utopia a longo prazo, um mundo sem se alimentar de animais (duvido que um dia seja viavel), acabam por ignorar a luta por melhores condições no abate e criação trariam maiores efeitos a curto prazo ..

Quem sou eu? disse...

Nao tenho dados (se alguém tiver seria legal compartilhar) mas acredito que a quantidade de vegetais necessária para substituir os nutrientes da carne deva ser bem grande. Plantações tbm geram muitos problemas como desmatamento (e a morte de espécies animais), uso de agrotóxicos e fertilizantes que contaminam o solo e lençóis de água, entre outros. O que eu considero como necessário para evitar tantos danos ao meio ambiente é evitar o desperdício, diminuir o consumo (rodízio de comida nem pensar), regulação dos criadouros para que os animais tenham uma vida confortável e uma morte com o mínimo de dor, controle da taxa de natalidade da população (por meio de conscientização e educação sexual) etc. Não acho que só ser vegano faça alguma diferença.

Elen disse...

Puta merda... Não dá para engoli mesmo essa conversa fiada de " me preocupo com bichos mas viu come-los assim mesmo".
Ficaram putos com o leão agonizando? Acham mesmo que os bichos para o abate levam vida rei? São tratados como lixo e agonizam para morrer também, além de morrerem de forma cruel . NÃO TEM DIFERENÇA.
E acho o cúmulo, alguns falando que é só tratar bem para no final serem assassinados, como se fizesse alguma diferença.
As pessoas preferem dar desculpas esfarrapadas e nem tentam parar ou diminuir o consumo e ainda tem a cara de pau de falar que se preocupam.

Anônimo disse...

Caça põe esporte e uma babaquice cruel mesmo, os índios caçam para se alimentarem assim como leões e outras espécies também o fazem, não por crueldade. Faz parte da natureza, do equilíbrio.
Mas o que se questiona não e isto, e sim que no mesmo continente o no oriente médio nunca se matou tantos cristãos quanto agora, e a esquerda mundial se cala, e alguns de seus governos defende até " diálogo " com os radiciais. Na síria o estado islâmico decaptou e queimou vivos outro dia centenas de cristãos que não renegaram sua fé, e transformaram suas filhas, irmãs e mulheres em escravas sexuais . as mesmas pessoas de esquerda ( feministas incluso) que se indgnaram com a norte estúpida do leão, não dizem uma palavra sobre a morte de cristãos.
A verdade e que tanto quatro consideram marginais bandidos aqui, como aliados contra seus inimigos " burguêses" a esquerda considera radicais islâmicos revolucionários aliados contra seus inimigos cristãos

Anônimo disse...

Só digo uma coisa: a hipocrisia reina absoluta. De todos os lados. As pessoas gostam mesmo é de apontar os dedos sujos pras outras. Mas é como dizem, quando você aponta um dedo pra alguém, seus outros três dedos estão apontados pra você msm...

Zrs disse...

Triste e lamentável saber que ainda estamos longe, muito longe do entendimento das pessoas sobre os danos tremendos do encarceramento animal para o nosso único e exclusivo deleite, e como isso tem levado a destruição do nosso planeta (pastagens, hoje são muito mais nocivas ao meio ambiente que a poluição de carros, por ex, e isso são dados da ONU, agência super conservadora, sem dizer da imensidão de terras que são exclusivas para o plantios de soja e milho utilizadas quase que com exclusividade nas rações animais).

Não quero nem comentar aqui o sofrimento por que passam cada animal utilizado como mera mercadoria em nossa sociedade, sem qualquer respeito por sua dor ou existência.

Mas, enfim, é isso aí. Vamos continuar tirando sarro, fazendo ironias ou xingando veganos, e vegetarianos, e dando as mãos para o nosso querido latifúndio, para os nossos pecuaristas e afins.

Anônimo disse...

Me desculpem mas vão passar fome primeiro antes de acusar os onívoros de não entenderem os direitos dos animais. Quanta bobagem, credo.

Zrs disse...

Sobre criação bovina e os impactos ao meio ambiente

http://www.jornalciencia.com/meio-ambiente/diversos/4240-producao-de-carne-bovina-e-ate-10-vezes-mais-prejudicial-ao-meio-ambiente-do-que-a-de-outros-animais

Zrs disse...

“Produtos de origem animal causam mais danos do que produzir minerais de construção como areia e cimento, plásticos e metais. A biomassa e plantações para alimentar animais causam tanto dano quanto queimar combustíveis fósseis”.

http://portal.rebia.org.br/saude/8180-onu-recomenda-mudanca-global-para-dieta-sem-carne-e-sem-laticinios

Anônimo disse...

Sou vegan e concordo plenamente com a Raven e com a Kittsu sobre animais de estimação. Eu não posso financiar a indústria da carnificina de vários outros animais para alimentar animais de estimação carnívoros. Isso não faz o menor sentido para a ética vegana. Já cuidei de cachorro e gatos na casa dos meus pais antes de ser veg, mas depois que veganizei só abriguei e cuidei de coelhos, galinhas e porcos :)

Anônimo disse...

Pelo visto ninguém leu meu link ou quis se informar sobre a Integração Lavoura Pecuária. A ONU não recomenda ela? É claro, é uma organização política, não existe esse forma de produção na UE, eles nem devem saber o que é isso. Logo, ao invés de fazer propaganda a uma prática comum no Brasil e divulgar o boi verde, eles pregam que se deve manter a agricultura tradicional e usar trocentos adubos químicos e depois jogar milhares de litros de veneno no solo. É sério isso, saiam desses blogues veganos que não são anda imparciais e se informem de verdade sobre isso, o próprio Greenpeace já defende essa causa e faz acordo com fazendas e frigoríficos:

www.greenpeace.org/brasil/pt/Noticias/Acordo-de-Gado-dando-nome-aos-bois/

Vocês podem querer desqualificar o GP, afinal o melhor argumento dos veganos é atacar os outros, o WWF também defende essa modalidade de produção:

http://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/areas_prioritarias/pantanal/nossas_solucoes_no_pantanal/desenvolvimento_sustentavel_no_pantanal/pecuaria_sustentavel_no_pantanal/pecuaria_organica_no_pantanal/


AH, e a pecuária (mesmo a tradicional) não é a atividade humana que mais causa impacto ao ambiente, isso é outro mito que os veganos divulgam porque não se informam melhor. A atividade humana mais nociva, com exceção das Usinas nucleares que geram lixo tóxico, é a produção de papel e celulose. Tanto que a União Européia proibiu fábricas de papel lá e terceriza o setor, mesmo tendo fazendas até hoje. Por isso, quanto fazem milhões de panfletos para distribuir os veganos estão fazendo mais mal ao meio ambeiente que uma fazenda. E de novo, eles não vivem sem matar animas, apenas escolhem algumas espécies para defender e se esquecem que seu estilo de vida moderno mata muitas outras.

https://blogdoquintiere.wordpress.com/2012/11/13/impactos-ambientais-a-industria-de-papel-e-celulose/

Anônimo disse...

Que se fodam cristãos e burgueses

Anônimo disse...

Leões são animais ameaçados de extinção, e a população deles tem decaído muito na África, assim como elefantes, rinocerontes, etc. Esses veganos querem mesmo que eu lamente mais pela pobre galinha que eu devorei no almoço do que um animal ameaçado, torturado e caçado por diversão? Senta lá, Cláudia!

Anônimo disse...

Ah, e não esqueçam de que quando vocês ficarem doentes ou precisarem de uma cirurgia para salvar suas vidas, vocês devem procurar um pajé e se tratar com chazinho e homeopatia.

Por que é uma monstruosidade especista incompatível com a moral superior vegana, utilizar cobaias para testar medicamentos/técnicas cirúrgicas só para salvar vidas humanas.

Zrs disse...

Conspiracy é um doc bem recene e didático sobre a problemática da criação animal e os impactos para as questões climáticas, bem como a atuação de algumas ONGs ambientalistas nesta questão.

https://vista-se.com.br/o-documentario-cowspiracy-a-conspiracao-da-vaca-esta-em-pre-venda-no-brasil/

Zrs disse...

Anônimo que está utilizando dados do Greenpeace e WWF, sugiro que dê uma olhada no doc que postei acima, desmistifica um pouco e esclarece a postura de algumas ongs sobre esse ponto.

E olha, o conjunto de pesquisadores da FAO, que produziram uma série de estudos sobre a problemática, são pesquisadores sérios, com uma grande bagagem e experiência do tema. Sugiro que você pesquise um pouco mais.

B. disse...

Tenho minhas opiniões sobre veganismo. Eu acho que é muito fácil falar pra ser vegano sem considerar a realidade das pessoas. Como a vbfri falou, e ficou na minha cabeça, imagina ir almoçar na casa dos avós e se recusar a comer o que prepararam pq é carne ou algo feito com leite. Sério, é até falta de educação. Mas conheço várias pessoas que fariam isso, e inclusive conheço quem leva marmita se vai com um grupo de amigos comer fora.

Tem um blog chamado Não Sou Exposição que fala que comida não é só necessidade, é socialização. E é verdade.
Sem contar que tem gente que glamouriza isso né. Conheço vários veganos que ficam a manhã toda colhendo vegetais, criando receitinhas, indo na feira (que é dia de semana, de TARDE). Aí a mãe de familia que trabalha o dia todo, chega em casa tipo as 19h e ta com fome, vai ficar picando legume pra fazer receitinha do Instagram ou algo pratico, como os odiados congelados? Muito facil demonizar não veganos em vez d econhecer a realidade.

B. disse...

Anônimo 16:43

Conheço gente que em situações de doença, tomam só chazinho e demonizam 100% a indústria farmaceutica ou a medicina tradicional.

Anônimo disse...

E porque um animal ameaçado de extinção é mais importante de um que não está ameaçado, alguém pode me dar um motivo racional pra isso ? Se um animal está ameaçado de extinção é porque não aguenta mais as condições que o planeta oferece pra viver, manter a espécie em cativeiro e força-la a se reproduzir não vai dar a esses animais uma vida minimamente satisfatoria, não tem sentido nisso. Deve-se zelar pelos INDIVIDUOS das espécies em extinção e deixa-los morrer em paz, assim como deve-se zelar pelos das especies que não estão em extinção, e garantir que levem uma vida livre, sem serem trancafiados e explorados e depois abatidos. Os animais não precisam de nós pra sobreviverem, assim como nós não precisamos explorá-los pra sobrevivermos


E outra coisa, se você não "foi educada" pra ser vegano e usa isso como desculpa pra continuar comendo carne, queijo etc, olha, é a mesma coisa que falar "eu não fui educada pra ser feminista" e continuar reproduzindo machismo. A única diferença entre esses dois é que as pessoas só mudam de opinião no que favorece a elas mesmas.

Anônimo disse...

Sim! Exatamente.

14 disse...


B.

Tudo isso aí que você criticou são atitudes de pessoas, nenhum desses argumentos é válido contra o veganismo. Uma simples procura no google já te dá informações de opções veganas MAIS BARATAS E MAIS SAUDAVEIS do que qualquer dieta onivora.

14 disse...

E pra ser mais específica: hoje, por exempo, comi: 4 bananas no café da manhã, um pão com geleia de lanche, arroz com lentinha e couve refougada no almoço, duas mexericas de tarde e minha janta será caldo de abóbora com o resto da couve e mais um pão. Ou seja, me alimentei BEM o dia inteiro por menos de 10 reais, e as refeições foram todas preparadas no final de semana, então falta de tempo não entra como desculpa. Alem disso, meu imc é 22 (super ok) e meus exames de sangue apontam que está tudo absolutamente bem com minha saude. Veganismo não é dieta de elite não.

@vbfri disse...

Anonimo falou:

--E outra coisa, se você não "foi educada" pra ser vegano e usa isso como desculpa pra continuar comendo carne, queijo etc, olha, é a mesma coisa que falar "eu não fui educada pra ser feminista" e continuar reproduzindo machismo.--

Então. Pq é super fácil ser feminista numa sociedade machista. E é SUPER fácil VOCÊ MESMO desfazer os SEUS PRÓPRIOS preconceitos.

Eu não uso "fui educada assim" como desculpa. Como eu já falei, eu QUERO me tornar vegan. E é uma desconstrução, SIM. É difícil, SIM.

E é igual feminismo. Você foi criadx escutando que mulher tem que "se dar o respeito", que homem "é assim mesmo". E não é de uma hora para outra que você vai "virar" feminista.

Eu fui criada num ambiente ULTRA conservador. Os meus avós querem o Bolsonaro como PRESIDENTE do BRASIL. Eles querem a VOLTA DA DITADURA.

ESSE foi o ambiente onde eu fui criada. Descontruir isso EM MIM é um trabalho DIÁRIO.

Então, se você é criado com a crença de que "carne é importante", que "leite tem cálcio", quando você descobre que é tudo mentira, você tem que ir contra INCLUSIVE O SEU MÉDICO.

Dizer que é fácil ser vegan, ou feminista, ou LGBTT, ou qualquer minoria, é difícil demais num lugar que dá ZERO suporte.

É um luta necessária? COM CERTEZA.

Mas falar que é uma "desculpa", desculpa. Vai catar coquinhos.

Aliás, vou dizer uma coisa também: o PIOR grupo que eu conheci foi o de vegans. JUSTAMENTE por esse tipo de CAGAÇÃO DE REGRA.

Tá ali a pessoa se esforçando para parar de consumir proteína animal, indo contra toda a crença, e vem um IDIOTA dizer que se vc não é vegan é pq não está se esforçando.

Um dia uma menina, numa comunidade vegan do facebook, disse que tinha parado de comer carne e ainda consumia leite e ovos e QUERIA fazer a transição para o veganismo e perguntou como tinha sido a transição do pessoal da comunidade. A galera da comunidade, ao invés de APOIAR a menina, resolveu HUMILHAR por ela ainda consumir leite e ovos.

De raiva, me deu vontade de comer um bife de picanha (e foi na época em que eu era crudívora) e colocar na comunidade.

Frederico disse...

Acho que quem fez comentários arrumando desculpas por não ser vegano ou por priorizar a morte do leão em detrimento dos outros animais que morrem diariamente não entendeu o texto. Ou então ficou mais preocupado em aliviar a consciência do que efetivamente debater. Porque o núcleo do texto do Robson é justamente que não devemos fazer diferenciação entre os animais, incluindo aí os humanos e os não-humanos. É uma discussão sobre sobre a ética (ou a falta dela) no assassinato desses animais. Independente se eles estão a caminho da extinção ou não, eliminar a vida de um animal senciente é errado, pois o que está em discussão é o ato de matar e não quem foi morto. Sob esse olhar, vidas diferentes não deveriam ter pesos diferentes. Obviamente, assassinar um animal ameaçado de extinção tem um peso maior do ponto de vista biológico, mas o que se discutiu no texto foi o aspecto ético do assassinato. Em relação à possibilidade de arrependimento que aparece no texto, temos um filme maravilhoso que trata da questão de mudança de postura em relação a esse respeito pela vida, que é o Peaceable Kingdom, que, inclusive, conta a história do Howard Lyman citado.

Já em relação a alimentação, não cabe aqui uma disputa de "o que causa mais mal", a alimentação a base de carne ou a indústria de DVD (sério mesmo esse argumento? que apelação hein?). O que interessa pra discussão é que a industria de exploração animal faz mal para os animais que a sustentam, faz mal para a biosfera e faz mal, particularmente, para o ser humano. Também um bom filme que trata disso é o PlanEat, que nem pode ser considerado um filme vegano, pois um dos cientistas que aparece no filme fala dos experimentos que eles realizaram em animais para testar a hipótese dos malefícios do consumo de carne.

E termino fazendo o mesmo convite do Robson que é o da reflexão. Antes de se sentir ofendido(a) e já sair se defendendo da sua postura de comer carne ou de querer a morte de outras pessoas, reflita um pouco sobre ela. Não existe nada de mais em discordar da postura vegana, mas faça isso com tranquilidade e propriedade, sem querer simplesmente desqualificar a fala alheia. Falo por experiência própria, pois demorei bastante tempo para aderir a uma filosofia de vida vegetariana (a caminho do veganismo) e tive meus embates ao longo do caminho, inclusive usando vários dos argumentos que apareceram nos comentários. Mas procurei me inteirar sobre o assunto e vi o tanto de bobagem que defendia. E essa mudança fez muita diferença na minha vida (e continua fazendo, pois é um constante aprendizado). Ah, e tudo isso, sem "ficar picando legume pra fazer receitinha do Instagram ou algo pratico". É possível preparar o almoço da semana inteira no fim-de-semana, é possível lanchar à noite ao invés ter que fazer jantar e é possível até mesmo ir a um restaurante. Nada disso é proibido para veganos. ;-)

Anônimo disse...

OFF, gente aí na cidade de vocês também tem carro de som convocando pra manifestação anti-PT no dia 16? Já vi dois carros desses aqui em Curitiba, sei lá achei isso bizarro.

B. disse...

"então falta de tempo não entra como desculpa" Então vai falar isso pra pessoas da periferia, que trabalhas muitas horas por dia.

"Aliás, vou dizer uma coisa também: o PIOR grupo que eu conheci foi o de vegans. JUSTAMENTE por esse tipo de CAGAÇÃO DE REGRA."]

vbfri, obrigada por dizer isso! É um saco mesmo.

Alias, pergunta pros veganos: se chega uma amiga/parente/etc de vcs vendendo brigadeiro pra ganhar uma renda extra (como acontece em faculdades, por exemplo), o que vcs fazem? "Não como brigadeiro, não", vão deixar de comer o almoço na casa de familia por causa disso? Pergunta sincera mesmo.

Anônimo disse...

Gostei demais do texto! Foi uma tremenda reflexão sobre especismo! Eu vejo frequentemente isso de pessoas dizendo: ele merecia isso, aquilo, aquilo outro. Não é justiça e sim vingança. Entendo que muitos se deixam levar pela emoção mas não podemos agir dessa forma. Parabéns pelo texto, vai ao encontro de muitas coisas que penso!

@vbfri disse...

Faz todo o sentido:

Ao invés de CONSCIENTIZAR a galera e fazer do Cecil uma bandeira para o fim da carnificina que são esses "esportes" (caça, rodeio, etc) e, depois, evoluir para uma bandeira de conscientização que a alimentação com proteína animal financia o sofrimento dos animais, vamos DEMONIZAR quem está já BUSCANDO mudar a alimentação.

Vamos humilhar TODO mundo que come carne e ser o chato dos grupos, dizendo que se vc come carne vc está assassinando bichinhos (está SIM, mas há formas e formas de se EDUCAR as pessoas).

Você humilhar a galera realmente vai ajudar a sua bandeira.

Só que não.

Anônimo disse...

Menos, gente. Beeeeemmm menos...

Frederico disse...

B. e @vbfri, sim, tem vegano que é um saco. Também tem feminista que é um saco, tem gente da esquerda que é um saco. Mas nem por isso eu deixo de ser vegetariano, feminista e de esquerda. Porque eu acredito e defendo ideias e não pessoas. É nisso que devemos focar. Gente é complicada em qualquer lugar do planeta e defendendo qualquer ideologia. :-)

Quanto ao almoço na casa de família, não é esse drama todo. A não ser que seja um churrasco (coisa que nem é hábito na minha família), vai ter arroz, provavelmente feijão e uma salada (e talvez até outros acompanhamentos). A única coisa que eu não vou comer é a carne. E como é família, eu mesmo faço o meu prato pra substituí-la. E, diversas vezes, nem tem a carne, pois todo o mundo come o prato que eu preparo. Aliás, fazer o almoço coletivamente é um dos prazeres da convivência familiar. ;-)

@vbfri disse...

É igualmente ético, né, gente,
1) dar uma facada numa pessoa, deixar ela agonizando 40 horas e, então, dar um tiro na cabeça dela
2) dar logo a porcaria do tiro e matar a pessoa na hora.

Morreu igual, né?

É uma merda que tudo é feito à base de manteiga, leite, carne e ovos. Que você vai num restaurante self-service e não sabe se a galera refogou no óleo ou no azeite.

É uma merda que achar chocolate vegan beira o impossível. É uma merda que são poucas as opções.

Mas a MAIOR merda é essa cagação de regra. Ainda mais sobre pessoas que estão fazendo a transição e que estão BUSCANDO FORMAS DE SE TORNAREM VEGANAS.

Tenho um casal de amigos que veio para Bsb no ano passado. A esposa é vegan, o marido, não.

Como eu os recebi?

Sabendo da restrição dela, eu fui atrás de restaurantes que tinham opção de comidas veganas deliciosas.

Sabe como eu consegui a lista desses restaurantes?

Com uma outra amiga vegan que ME AJUDA na transição. Com uma amiga que dá apoio e não fica nessa cagação de regra.

Com uma amiga que também levou um tempo para fazer essa transição.

E, sim, eu acho que a humanidade já evoluiu o suficiente para parar de depender da vida de outros animais para se alimentar.

Vamos usar o Cecil como bandeira? MESMO SENDO ESPECISMO?

Ou vamos ficar "ain, mimimi, como você é hipócrita e especista, pq vc come carne e está matando animais indefesos".

@vbfri disse...

Família materna:

Rio Grande do Sul. Churrasco.

Graças a Deus, sim, tem arroz, tem salada, tem opção e eu como isso. Não como a carne. Beleza.

Casa dos meus avós no domingo:

Arroz com lentilha FEITO NA MANTEIGA.
Estrogonofe de frango.
Charutinho de carne.
Salada.
Arroz branco.

Às vezes, a única opção é o arroz com lentilha (que sempre tem) e o charutinho.

Eu como o arroz com lentilha.

Opções de sobremesa: sorvete de creme, mousse de maracujá, pudim de leite e gelatina.

Meus avós tem +80. Todos os que estão vivos.

Vou cagar regra na casa deles, sendo que eles moram sozinhos? Desculpaê. Não vou não.

@vbfri disse...

Ah. E eu vou na casa dos meus avós do arroz com lentilha todos os domingos, JUSTAMENTE para eles não ficarem sozinhos.

Kittsu disse...

Parabéns, isso é uma coisa muito nobre. Pela sua preocupação tenho certeza que seus bichinhos são muito felizes.

Kittsu disse...

Parece delicioso. .. Quero comer na casa dos teus avós.

Frederico disse...

@vbfri, acho que você está muito magoada com suas experiências anteriores com veganos e está descontando em quem não precisa... :-) Ninguém está falando pra você fazer ou deixar de fazer as coisas. Você fez uma pergunta e ganhou uma resposta. Não ganhou uma regra. Você faz o que bem entender e ninguém tem nada com isso (e desculpe se isso soou em tom grosseiro, não é essa minha intenção). Você tem que estar bem com a sua consciência. Se não dá pra ser vegana, seja vegetariana (isso, com certeza, dá pra ser sem maiores problemas em almoços de família). Faça a transição dentro das suas possibilidades. Encare isso como processo. Explique pras pessoas porque você assumiu essa postura. E, como isso, você pode provocar mudanças ao seu redor. Vai mudar os seus avós de 80 anos? Provavelmente não. Mas pode mudar tios, primos, sobrinhos, o que for. Repare que estou usando "pode" e não "tem que". Só tem um detalhe aqui.

Esteja preparada também para respeitar as outras pessoas que não pensam o mesmo que você em outros assuntos. Afinal, respeito às diferenças e às transições é uma via de mão dupla. ;-)

Quanto à sua pergunta sobre ética, nenhuma das duas mortes é "eticamente" válida. De novo, não se está discutindo a forma como se mata, mas sim o ato de matar. Temos que tomar cuidado com esse tipo de comparação, senão corremos o risco de cair nas armadilhas de "estuprou, mas não matou", ou "estuprou, mas ela estava deixou". Assim como não cabem estupros "bons" e "ruins", não cabem assassinatos mais ou menos graves.

E quanto ao chocolate vegan, não é tão difícil assim. Se você reparar, praticamente todo chocolate meio amargo ou amargo é vegano, pois eles não têm leite (nem outros produtos de origem animal). E são os melhores chocolates, inclusive pra saúde. ;-)

(P.S.: ironicamente o reCAPTCHA que apareceu pra validar minha mensagem agora pedia pra eu marcar todas as fotos em que aparecia uma carne. Acho que o Blogger está me mandando alguma mensagem) :-D

14 disse...

Não estou me referindo ao pessoal da periferia e sim aos que tem condições e usam desculpas pra continuar consumindo produto de exploração. Se você é da periferia pelo menos já tem acesso a informação, e se você não é não use a situação DOS OUTROS como justificativa pra seu comportamento

Ilka disse...

Batendo palmas para você Frederico.

Gente chata existe em todo lugar, e daí se o vegano é chato? Não vou deixar de ser feminista porque existem as chatas, mas os veganos tem que ser bonzinhos e fofos.

Raven Deschain disse...

Hahaha Virginia, adorei teus avós! Tb quero comer lá.

Eli disse...

E uma pessoa que tá pouco se lixando pra todo tipo de animal tipo eu? Gente falando "Quem mata animal devia morrer" e eu "mas vc come carne de boi". Eu pouco me lixei pro leão (um pouco só no sentido de podia não ter matado já que não ia comer), do mesmo jeito q pouco me lixo pro boi que vai parar no meu prato, ou o cachorro que é morto pra alimentar gente na China.

MAIORIA dos veganos e vegetarianos só o são porque já não gostavam de carne antes (normalmente desde a infância). É tipo como se eu chegasse e falasse que não como carne de cachorro, porque será né? Daí eles ficam tentando enfiar aqueles vídeos deles guela abaixo pra ver se a gente fica com nojo também.

Sinceramente, vai passar um pouco de fome e depois vem me dizer se continua achando que animal não é alimento. Tudo um bando de playboyzinho.

Anônimo disse...

Só algumas coisinhas de boa. Sério.

Plantar em escala industrial pra alimentar todo mundo também mata animais, de forma direta ou indireta com pesticidas, veneno pra ratos e incêndios. Como fazer, então? Vamos reduzir à força a população mundial e viver todos da própria hortinha? Porque no mínimo a mesma quantidade de bichos que são abatidos pra consumo de carne vai morrer se o mundo inteiro virar vegetariano. Sério, queria saber como isso vai ser resolvido.

Eu sei que alguém começou a estudar a possibilidade de fazer carne em laboratório. Tira-se uma célula do animal e a reproduz em meio de cultura pra fazer carne. Da última vez que ouvi falar sobre o assunto a técnica tinha funcionado, só que fazia carne muito mole, que só servia pra hambúrgueres e outros aglutinados. As pesquisas continuaram, em que ponto estão? Porque se a "carne de proveta" for lançada no mercado provavelmente vai ser mais fácil convencer as pessoas a comerem carne feita em laboratório do que a pararem de comer. Por que não tem ninguém cobrando isso? É oito ou oitenta, ou todos param de comer qualquer carne de qualquer fonte ou não vale? É de um extremo a outro ou vale encontrar um jeito não ortodoxo pra resolver os problemas?

Ração vegana pra CÃES? É sério isso, porra? Tem gente cujo delírio já chegou a esse ponto? Cães são animais CARNÍVOROS, não quer dar carne pro seu pet tenha um bichinho herbívoro, caramba! O que eu já vi de notícias de gente burra quase matando gatos e cachorros de desnutrição por alimentá-los com dieta vegana... parece que são só gente burra usando o veganismo como desculpa pra própria burrice.

Anônimo disse...

ISSO! Penso como vai, tb sou vegetariana por enquanto. Minha comida é barata e prática.

Artes da Maria disse...

Não como pq é uma escolha minha, não sou obrigada. Judeus, muçulmanos, hindus, católicos e etc possuem restrições alimentares ao menos uma vez no ano e ninguém fala nada, pq n posso ter minhas restrições por motivos que eu acredito serem justos? As pessoas que me amam entendem e me respeitam.

Natasha disse...

Hipocrita é aquele que nao faz absolutamente nada pra diminuir o sofrimento animal e mesmo assim diz q morre de pena, a maioria é assim. Agora se você tenta de alguma forma é diferente.
Não tem nada a ver humilhação, temos q falar a realidade, o sofrimento deles, se n for assim as pessoas vão se tocar como? Não entendi isso, é pra fingir q a situação n é tão ruim ?
Vocês ficam é na defensiva, assim como os machistas quando confrontados com o próprio machismo e dão milhões de desculpas para se convencer q é difícil demais n comer carne.
N comer carne é coisa de playboy sério? Kkkk Sou pobre e mesmo assim vegetariana.
Onde q é falta de educaçao comer algo q n gosta? Não entendi até agora, parece q todo mundo só come carne. Tirando carne, eu como o q tiver.
Eu n sou obrigada a comer carne e a pessoa n é obrigada a cozinhar para mim, n tem drama nenhum.

Anônimo disse...

Engraçado, nos mascus descemos a lenha mas quando o erro é nosso tem que pegar leve.
Vamos pegar leve com assassinos de mulheres também.

Anônimo disse...

Anon das 19:30 você é feminista ou ao menos mulher? Porque seu papo não tá fazendo muito sentido pra mim.

Anônimo disse...

O Cecil era um leão que estava em uma área de preservação ambiental, tida como tal em razão da necessidade de preservação de toda uma espécie. Meia hora de discovery é suficiente para perceber a complexidade das relações existentes entre esses animais, a importância de que existam em seu habitat natural, a dificuldade que os mesmos tem para sobreviver em espaços onde o homem invade.
Os grandes animais africanos estão ameaçados porque são caçados por esses imprestáveis por motivos moralmente inaceitáveis: prazer ou ganância. Como não gerar revolta?
Concordo que a sociedade de modo geral é indiferente ao tratamento dado aos animais criados para alimentação humana, mas não seria esse ponto a debater?
Somos carnívoros, a proteína é comprovadamente essencial ao desenvolvimento humano, não faltará soja se todos resolverem ser veganos? (fora que os povos que viveram unicamente da agricultura, não pecuaristas, foram exterminados na primeira seca um pouco mais duradoura).
Apontar incoerências sem relativizar o próprio extremismo é uma atitude esdrúxula. Acho muito relevante que houve comoção no caso do Cecil e realmente espero que isso traga mais proteção a esses animais.
Fabi

Fabiano disse...


O motivo principal é que existem espécies animais carismáticas que evocam nos seres humanos empatia (como grandes felinos, pandas, chimpanzés, papagaios,borboletas, cães, gatos) e outros nem tanto (como lagartixas, formigas, rãs, surucucu, porcos, vacas, galinhas).

Eu compreendo perfeitamente quando veganos fazem o questionamento "por que vc ama alguns animais, enquanto mata outros?" E eles estão corretos quando colocam esses dilemas éticos.

Sou vegetariano, mas não sou vegano. Eu assumo que ainda não consegui alcançar a ética de não provocar morte e sofrimento desnecessário aos animais para satisfazer meu desejo alimentar.

Fabiano disse...

Meu comentário ficou truncado.


Faltou o início:

Alguns dizem que a comoção mundial da morte do Leão Cécil é porque se trata de uma espécie em extinção. Mas existem centenas de outras espécies em extinção, como insetos, invertebrados marinhos, peixes, anfíbios, répteis sendo mortos diariamente, e poucos dão a mínima.

Raven Deschain disse...

Sobre animais de estimação, penso que ainda bem que não sou vegana. Pois é um contra senso. Mesmo que seja um animal herbívoro, sei lá, uma iguana. Se não é certo matar animais pra alimento, não é certo manter animal tramcado em casa pro seu entretenimento (porque animais de estimação são em suma, entretenimento ué).

Eu fico na defensiva mesmo. Em vez de ficar falando "e esse cadáver no seu prato" eu tiro bicho de rua. Bicho que muita gente abandonou. Deixou pra morrer. Como disse em outro post, tem uns que tão tão ferrados que o único jeito de alimentar é com carne desfiada cozida. Faço oq? Deixo morrer por causa da vaca, que a propósito já está morta? Aí vem vegano anônimo na internet me chamar de hipócrita? Vão se foderem. Não tive até cavalo em casa pra isso. Eu perguntei aqui no abeigo e na associação e ninguém, ninguém é sequer vegetariano. Pode ser a minha realidade e ela é limitada, ok. Mas além de se meterem nos pratos das pessoas vcs ajudam em alguma coisa?

Samantha disse...

Olha, acho que alimentação é algo particular e inerente a cada um. É vegano quem quer, é onívoro quem quer e deveria ser simplesmente isso.

Mas acho que ultimamente está acontecendo uma cagação de regra inacreditável que cobram posturas das pessoas "não veganas", como se elas fosse a responsável por grande parte do mau do mundo.

Sinto muito, mas para mim o contexto de matar por matar um leão que fazia parte de um parque ambiental, com requintes de crueldade (ele agonizou por 40 horas. 40 horas!) é muito diferente de matar animais para comer. Claro, eu não estou feliz com o tratamento dos matadouros e gostaria que tudo fosse feito de uma forma menos dolorosa e com respeito aos animais; mas já li textos aqui dizendo que nem isso é o bastante, que não pode comer carne, ponto.

Também não consigo associar a forma de alimentação com especismo. Animais carnívoros matam animais para o consumo; ok, na natureza é tudo diferente, mas se vamos nos ater a questões naturais, então uso o mesmo argumento que usam em questões de preconceitos: se temos de aderir as formas naturais para podermos fazer algo, bora viver no mato, porque vivemos de forma não natural todo o tempo. Não é esse também o argumento.

E por fim: respeito demais pessoas veganas. Respeito muito, jamais criticaria sua forma de alimentação e se vierem na minha casa, certamente serão bem recebidas e terão um cardápio que as contemple, por mais onívora que eu seja. E se eu for em suas casas, jamais esperarei que cozinhem uma carne, pois entendo o que é o veganismo para estas pessoas. Agora, por favor, parem de achar que pessoas não veganas devem "refletir o seu não veganismo", equiparando o consumo de carne animal com outras formas de opressão.





Anônimo disse...

Olha, esses debates que colocam as pessoas que deveriam estar do mesmo lado umas contra as outras me causa ânsia.

Ingrid Bezerra disse...

anônimo 11 de agosto de 2015 19:24, eu nunca vi um onívoro obrigar um vegano a consumir produtos oriundos de animais. Só vejo o contrário. Veganos (os chatos) as vezes são muito parecidos com os anti escolha no caso dos abortos quando tentam dizer que tem anticoncepcional, etc para prevenir gravidez indesejada, etc. Acham que a vida das pessoas é igual a deles em tudo portanto muito fácil abolir a carne na vida com facilidade.

Ainda ficam pedindo para não darmos atenção aos ativistas agressivos porque são minoria, etc. Sei lá, no facebook a gente vê a agressividade dessa gente e ficamos sim pensando que num ato de loucura uma pessoa dessas pode atacar a gente por usarmos coisas vindas de animais. Ainda bem que no meu convívio não tem essa gente, só me aterrorizo com os loucos da internet torcendo para nunca cruzar com um desses.

E não me acho hipócrita por ter pena do leão torturado e continuar a comer carne. Se eu fosse escolher a minha morte eu iria preferir que fosse feita de maneira rápida e indolor ao ter que passar por o que aquele leão passou. Comer carne faz parte da cultura mundial dos humanos, vai levar tempo para o mundo se tornar vegano, embora eu acredite que isso acontecerá e será bom.

A Raven disse que as rações normais já fazem mal aos animais, eu nem sabia disso! Então realmente imagine essas rações veganas! Hahahaha. O cachorro pode até comer essa ração, mas ele vai procurar proteína animal de outra forma caçando outros animais que encontrar, então do que adianta?!

Cada um tem suas razões pessoais para continuar a consumir carne, da mesma forma que vocês tem razão e direito de seguir a dieta vegana.

Como eu já havia dito em uma outra postagem, passei por uma fase da minha vida em que perdi tudo e vivi em extrema miséria por um período. Fiquei inclusive sem energia elétrica em casa, catei chepa na feira, mexi em lixo dos outros procurando algo que dava para aproveitar, e uma das coisas que eu mais precisei fazer foi pedir restos de carne nos açougues para alimentar eu e meus irmãos. Eu comia carne inclusive estragada porque não tinha outra coisa. Eu só não virei mendiga porque eu tinha uma casa na favela. A minha vida mudou, hoje moro bem, vivo bem, como bem, mas simplesmente como tudo que me vier a mesa, simplesmente como todas as coisas, raspo o prato, como os farelos e os últimos grãos do fundo do prato acredito que faço isso por causa da privação que passei. Como sim os animais e me sinto satisfeita e agradecida por cada pedaço, sei que tem muita gente por aí que ninguém sabe que está passando pelo mesmo que eu passei e dariam tudo por um bife. Nessas horas é importante comer carne porque dá mais energia, quem passa fome acaba tendo que dormir muito para esquecer a fome, é foda. Não desperdiço nada e fico triste quando vou ao restaurante e vejo pessoas deixando comida no prato.

Acho que pra gente cuidar dos animais a gente tem que primeiro cuidar das pessoas, inclusive não sendo agressivos, porque vão ser as pessoas que vão cuidar dos animais e se conscientizarem a não maltratarem os animais. Sem essa arrogância de merda que muitos veganos tem de julgarem todos os onívoros e se sentirem capazes de julgar até o que a gente sente com relação aos animais nos chamando de hipócritas. Hipócrita é o cacete, quando eu vejo gente matando sapo dá vontade de fazê-los comer o sapo já que mataram. E se eu passasse uma privação ainda pior, tipo as que tem na África eu comeria até cachorro, sem dúvida.

Anônimo disse...

Eu estou tentando apenas aprender com a leitura do texto e dos comentários. Então, gostaria de perguntar algo que me parece essencial e que, honestamente, não entendi. O que é "especismo"? É o fato de hierarquizar espécies? É isso mesmo? Todas as espécies? Quer dizer, a vida de uma pessoa deve valer o mesmo que a de uma barata? Estou perguntando sinceramente, talvez o que parece absurdo para mim não seja para mais alguém.

Natasha disse...

Somos carnívoros, a proteína é comprovadamente essencial ao desenvolvimento humano, não faltará soja se todos resolverem ser veganos? (fora que os povos que viveram unicamente da agricultura, não pecuaristas, foram exterminados na primeira seca um pouco mais duradoura).


Não é essencial, se assim fosse, todo vegetariano ou vegano já deveria ter morrido a muito tempo.
Queria saber de onde tiram essa de soja, só sabem falar disso, só existe soja para comer? Eu n como soja, acho horrível.


Samantha

Não tem diferença alguma, parem de se enganar. Olha as galinhas por ex, ficam todas juntos num cubículo, mal podem andar, se estressam, dai começam a se matar e para isso n acontecer, vem uns fdp e arrancam os bicos delas. Nenhuma diferença do que aconteceu com leão??? Procurem vídeos de como eles são tratados para vcs verem q n tem diferença nenhuma, na verdade é até pior, o animal caçado n é torturado a vida inteira.
Animais irracionais n tem escolha ou comem carne ou morrem, bem diferente do ser humano.
Não entendo como alguém fala em respeito e assassinato ao mesmo tempo. Então se matar uma pessoa de forma n dolorosa, tá tudo certo?
Não sei se vai dar para parar de abusar de animais tão cedo, talvez leve séculos, mas é foda ver tanto descaso.

Anônimo disse...

Tá certinho, come carne mas fica revoltada quando animal é morto... Hipócrita? Imagina...
O homem mata a mulher porque ama. Hipócrita? Imagina... Não são só os homens que n querem abrir mão de privilégios.
Querem usar gente passando fome para n parar de comer carne? Cretinice demais. Essas pessoas não tem escolha, agora você que não passa por nada disso, não vai nem tentar porque alguém tá passando fome? Me poupe.

Artes da Maria disse...

Ingrid eu entendo seu ponto de vista. Respeito quem come carne mas eu n consigo comer e n quero que se metam no meu prato rs, assim como eu n me meto no dos outros.
Quanto a questão de que os onívoros n obrigam os vegetarianos a comer carne é to diferente do que vc imagina, mtos vegs sofrem com pressões absurdas da família e amigos, que chegam a esconder carne nos seus pratos e preparações. O desrespeito é enorme, principalmente se o veg em questão for adolescente.
Eu adoro uma blogueira vegana e acho que quem tem reservas com vegs deveria ler o blog dela, pra tirar a má impressão:

http://www.papacapimveg.com

Ela é vegan, homossexual, feminista e luta pela libertação da Palestina (morou lá). A Sandra foi uma grande inspiração pra mim, ela é super inclusiva e mtos leitores do blog são onívoros.

Kittsu disse...

Sobre animais africanos sendo mortos por riquinhos estrangeiros: Eu queria chamar a atenção para o caso dos rinocerontes. Está uma verdadeira guerra: caçadores nativos matam rinocerontes para vender para estrangeiros por uma quantia que para aquela realidade deles é uma pequena fortuna, e o exército/guardas florestais desses países onde ocorre a caça ilegal de rinocerontes tem literalmente caçado e matado esses caçadores, enquanto os financiadores da matança de rinocerontes ficam impunes, no geral ricaços chineses.
Comemora-se a morte dos caçadores pobres, mas ninguém fala em rastrear a punir os financiadores. Todas as ações são de repressão aos caçadores nativos: filmar, pagar guardas armados, etc. Não é a minha realidade, mas também nunca ouvi falar de uma ação que ofereça a eles uma oportunidade de ganhar uma grana equivalente à caça do rinoceronte de uma maneira legal e ética.
Na ausência de um estado que atue em prol dos seus cidadãos e de oportunidades de ter uma renda decente, fala-se que traficantes de diamantes, drogas e produtos animais dominaram a "gestão" do território, e se utilizam largamente da corrupção das autoridades pra esse fim.

No fim das contas, quem vai extinguir os rinocerontes não são realmente esses caçadores ilegais... e sim os seres humanos não cuidando dos seus.

Anônimo disse...

20:11

Sou mulher e feminista, por quê?

Faz todo sentido sim, ninguém hesita em chamar machista de hipócrita, lixo... esse papinho de pegar leve n existe. Agora quando o erro é nosso, fica todo mundo de mimimi, não pode nem falar a realidade que se doem toda. É hipocrisia sim, comer carne e falar que tem peninha dos bichos.

Vou trocar a palavra animal por pessoa em alguns coisas que disseram aqui, aí com certeza vão achar absurdo. Já que animais não importam tanto, mais tarde, talvez, o problema deles se resolvam, afinal, o que são milhões de animais mortos todos anos? Nada.

Agora as pérolas:

Matar uma pessoa com respeito não é tão errado assim, desde que ela não sofra muito.
Respeito?????

Eu mato algumas pessoas mas outras não e as que não mato, quando vejo alguém matando fico puta.

Não quer parar de comer? Beleza. Mas n espere que alguém acredite no mimimi de que se importam muito com o sofrimento deles.

Anônimo disse...

Anon 20:11
Eu entendo perfeitamente que esse papo de pegar leve é uma bobagem. Porém, não posso substituir a palavra "animal" por "pessoa" pois, para mim, pessoas não equivalem a animais. Para mim, é minha visão do mundo, não sei se é melhor do que a sua ou dos veganos em geral. Estou aqui procurando aprender. Coloquei a pergunta acima sobre o especismo, e ainda não obtive uma resposta. Se você puder esclarecer, seria ótimo.
Pessoalmente, eu como carne e talvez seja hipócrita, pois compartilho da indignação e compaixão pelos animais que são cruelmente mortos. Sei que a carne que como vem de um abatedouro que maltrata animais, e gostaria que essa situação fosse diferente. Porém, vejo, sim, uma hierarquia entre os animais, e isso, pelo que estou observando, está na base de tudo.

Elise disse...

Pois é, onívoros são bonzinhos e veganos e vegetarianos ruins... Ninguém se mete...
kkkkkkkkk Ah,tá bom. Sei que tem vegano, vegetarianos chatos, mas isso é piada?
To cansada de ouvir piadinha escrota sobre ser vegetariana, ficam enchendo o saco, fazem pressão, já chegaram a quase esfregar um hambúrguer na minha cara, para ver se eu ia resistir.
Eu tentei virar vegetariana quando criança, meu pais não deixaram, fizeram muita pressão e ficaram me aterrorizando dizendo que ia acabar morrendo.
Respeito zero. Agora eu não fico enchendo o saco dos outros para pararem de comer.
Me desculpem mas também não acredito nisso de que tem pena de animais enquanto tá com um bife no bucho.
É o que fala no texto, uns bichos podem morrer mas outros não, lógica e coerência nenhuma.

Anônimo disse...

O especismo define-se pela discriminação arbitrária daqueles que não pertencem a uma determinada espécie. A maior parte dos humanos são especistas perante os restantes animais, uma vez que os consideram seres inferiores e os colocam num patamar abaixo do seu, não lhes conferindo qualquer tipo de direitos. -


Tem mais aqui:

http://www.sociedadevegan.com/discriminacao-animais-especismo

Jac disse...

Detestei o post e detestei os comentários.

O post por querer colocar uma carga maior nos ombros de quem se sensibilizou com a morte do Cecil. Sim, todas as mortes são horríveis, mas vamos aproveitar e focar a luta em algo específico? Vamos unir forças para dizer que não é aceitável caça "esportiva"? É a mesma questão quando há um caso midiático de violência contra a mulher - vamos tomar como base o ocorrido para levar às pessoas que normalmente não tem contato com o feminismo a questão de violência de gênero.

E detestei os comentários porque é sempre o mesmo mimimi contra vegan/vegetarianos. Se você não é vegetariano é simplesmente porque não quer pagar o preço de ser vegetariano - seja caminhando um pouco mais para encontrar um restaurante com boas opções sem carne, seja tomando vitaminas complementares, seja tendo o trabalho de se alimentar melhor, seja o trabalho de aturar comentários infelizes em círculos de convívio social, seja o trabalho de se explicar quando for comer na casa de alguém, seja o esforço de não comer algo que agrade seu paladar.

Eu sou vegetariana desde que nasci (25 anos!) e não sou vegan pelo simples fato que é díficil ser vegan - não estou disposta pagar o preço de ser vegan. Ponto. Assumam também isso e acabem com as explicações mil - porque é chato pra quem tem que se explicar e é chato pra quem acaba ouvindo.

E uma coisa que detesto é o recorte econômico que fazem. Querem pintar vegetarianos como riquinhos que podem se dar ao luxo de comer coisas caríssimas em restaurantes refinados. Bitch, please. Arroz, feijão, batata, cenoura, macarrão, fubá, banana, pão - já existe comida vegetariana em qualquer casa, mesmo nas mais pobres.

(Não estou querendo impor a qualquer pessoa ser vegetariana. Se para a pessoa pobre o esforço para ser vegetariano é muito grande, ele que vai saber. Só não me venham desmerecer o vegetarianismo por ser algo de "elite". É a mesma coisa que falar que os movimentos feministas e lgbt são de elite - desmerecendo o movimento ao mesmo tempo que apagando a participação de classes mais pobres)

Anônimo disse...

Obrigada pela explicação de especismo, fui ler no link. Acho que o melhor argumento é a defesa do "respeito por todos os que tem a capacidade de sofrer ou de desfrutar emoções". Porém, não consigo aceitar a "igualdade". Se eu tiver que escolher entre uma pessoa e uma galinha, escolherei sempre a pessoa.
Aqui com os meus botões, acho que seria mais produtivo defender o respeito, e não a igualdade.

Anônimo disse...

Ah tá, anon das 21:29, entendi agora o que você quer dizer. Bom, respeito é bom e todo mundo gosta. Acusar, tentar enganar e ameaçar pessoas não adianta de nada e os dois grupos deviam se respeitar antes de tudo.

Raven, ração não é boa pros animais? Nunca ouvi falar disso, pode me explicar como é que isso funciona?

Lamento mas eu NUNCA vou considerar que a vida de uma barata vale tanto quanto a minha. Quero mais é que as baratas morram e não ligo se estrebucharem.

E a minha pergunta ali em cima, como se pode resolver o problema se o mundo inteiro virar vegetariano e plantação em escala industrial pra alimentar todo mundo matar animais, de forma direta ou indireta com pesticidas, veneno pra ratos e incêndios? Como fazer? E as indústrias não alimentícias que também matam animais, como as minas mencionadas pelo anom ali em cima, a indústria eletrônica que usa os materiais dessas minas, a indústria da moda que usa couro, etc?

É realmente possível viver nesse mundo sem matar nenhum animal? Porque mesmo que voltássemos às hortas particulares ainda teríamos que eliminar as pragas das plantações pra não morrer de fome.

Anônimo disse...

Entre uma galinha e um estuprador, um pedófilo, ou um covarde agressor de mulheres e crianças, eu escolheria a galinha toda vida sem pensar duas vezes. Até uma mosca ou uma barata vale mais que um verme nojento desses...

Frederico disse...

Mais três comentários.

Primeiro, pra quem acha que teríamos que ocupar mais terras para alimentar uma população exclusivamente vegana, lembrem-se que a criação de animais para abate ocupa dois terrenos: o local para criar os animais e o local para plantar o alimento para esses animais consumirem. Se considerarmos os grandes latifúndios e fazendas de criação de gado, corre o risco de ainda sobrar espaço no final da mudança. :-) Também é possível produzir sem pesticidas. Produtos orgânicos são cultivados assim. Além disso, o grande problema de alimentação no mundo não é de produção, mas de distribuição e, principalmente, de desperdício (no Brasil, alguns dados apontam que, em média, 50% do lixo gerado em residências é de origem orgânica).

Segundo, pra quem realmente acredita que onívoros não forçam veg(etari)anos a consumir carne, experimente procurar um self-service cuja salada seja inteiramente livre de presunto ou frango (ou outro tipo de carne qualquer). Ou experimente fazer um tour por lanchonetes e ver quantas opções de salgados veganos existem (aliás, dependendo, você não vai achar nem mesmo salgados vegetarianos). Eu só fui perceber isso no dia em que eu parei de comer carne. Aliás, nem posso falar que não como carne, porque logo as pessoas já me "tranquilizam": "a, não se preocupe, temos peixe". E isso, pra ficar só na oferta do mercado. Por que se eu começar a falar das piadinhas, aí vamos longe!

Por fim, eu adoro o gosto da carne e deixei de comer por isso ferir princípios que eu defendo. E não é uma tarefa fácil isso. Como eu, conheço outros. Portanto, não acredito nessa fala de que "a maioria dos veg(etari)anos detesta carne" (aliás, de onde vem esse dado? foi feito algum levantamento sobre isso? o que é "maioria"? quantos porcento?)

Raven Deschain disse...

Gente, li meio por cima e tou indo dormir. Huahua

Mas não. A ração seca brasileira faz mal. Porque ela é feita basicamente de cereais (carboidrato, que eles nem processam) e e pouca carne (que acaba sendo tripas, restos de ossos e outras porcarias). O animal se alimenta de milho, arroz e afins, mas não de carne. Se tiver corante, como a maioria das rações tem, pior ainda.

Aqui tem um link, mas não é o link certo. Aqui é pra quem quer iniciar a dieta. Mas amanhã procuro certinho e deixo pra vcs.

http://www.cachorroverde.com.br/index.php/gatos/dieta-cozida-para-gatos/

Anônimo disse...

Desculpas, apenas desculpas de quem não quer sair da zona de conforto. Incrível as pérolas ! Engraçado, dar qualquer ração para um cachorro já não é natural. Agora se vc der uma ração vegan, geral cai matando em cima. Vai entender... Ser humano carnívoro ??? O intestino humano está bem mais para herbívoro, longo, dando chances do cadáver ingerido apodrecer. Não por acaso, temos várias doenças atuais relacionadas com o consumo de cadáveres.
Mtos preferem viver em um mundo encantado, fechando os olhos para a realidade e criticando aqueles que buscam soluções. Falar que bilhões de animais são brutalmente assassinados todos os anos é ser inconveniente ? Falar sobre o impacto que a pecuária está causando no meio ambiente, (falta de água por exemplo) é ser chato ? E a fome no mundo ? De que adianta chorar por uma criança africana, ao mesmo tempo em que se saboreia um churras !?
Desculpas, para mascarar a falta de vontade de mudar e a indiferença para todos os problemas. "Ah, todas as atividades humanas matam, afetam os animais". Ou seja, já que não é possível fazer tudo, melhor não fazer nada ! Parabéns !!!!!
Pra alguém que realmente quer mudar, não há um churrasco, um almoço em família que impeça. Se dizer verdades inconvenientes é ser chato, careta, então por favor, continuem a ridicularização. Se querem fechar os olhos para todos problemas do mundo, ok ! Só não esperem ser aplaudidos por isso.

Paula disse...

eu só quero dizer que muitas feministas aqui estão fazendo com os veg(etar)anos a mesmíssima coisa da qual reclamam sofrerem de homens machistas (ser acusada de chata, ser silenciada, ridicularizada, ser chamada de elitista, etc.). Pq apontar injustiças é ser chato, né?

E digo mais, aos que pensam que valem mais que uma galinha, os machistas pensam o mesmíssimo de nós. "Me poupe me comparar com uma mulher, eu não tenho o mesmo valor de uma mulher".
Parabéns por agirem do mesmíssimo modo que os machistas. O ser humanos não muda mesmo, só olha para o próprio umbigo.

Como já diseram por aí, não são só os machistas que não querem perder privilégios....

certas pessoas levaram aquele papo de "e o homem* foi criado à imagem e semelhança de Deus" a sério demais..

Ingrid Bezerra disse...

Artes da Maria, eu compreendo o que você disse e realmente eu não havia pensado nisso, nessas coisas dos pais e etc quererem impor carne no cardápio dos filhos, família e amigos pressionando e tal. Mas acredito nisso com certeza! E discordo desse comportamento de impor carne. Se eu conhecesse vegetarianos e eles viessem em minha casa, jamais ofereceria carne. Acho um abuso isso. Acredito que a família que impõe, talvez seja por ignorância, preocupação ou por achar que é frescura. Eu não penso assim, não desmereço as causas dos outros.

E sobre o Blog que você me indicou eu gostei muito! Achei um barato. :D

Achei super interessante o comentário da Kittsu e eu penso muito nisso. Sei que crueldade não se justifica mas ao mesmo tempo também compreendo que muitas pessoas muito pobres caçam e traficam animais para se suprir. Não concordo e sou capaz de denunciar até se eu ver, mas acima de tudo penso que os governos deveriam dar estímulos financeiros para que as pessoas que fazem isso para sobreviver abandonem estas práticas e se tornem conscientes.

Elise eu sou onívora e sou boazinha <3 e tem veganos que passam dos limites e parecem mauzinhos sim.

Frederico, sobre o seu argumento de que é difícil encontrar alimentos veganos e por isso se torna uma imposição, eu concordo plenamente, deve ser difícil sim. E isso tudo que você diz contraria muito o que muitos veganos aqui estão dizendo que é fácil, que qualquer um pode ser... Não mesmo! Isso depende muito da pessoa, da vida da pessoa, até do histórico da pessoa, etc. Não é fácil e não é crueldade de muitos comer carne.

A cultura da carne é fortíssima e vocês vão ter que destruir vários cardápios clássicos pelo mundo a fora, e digo e repito: o que mais causa repulsa nos veganos é a arrogância, essa mania de sair julgando a todos os onívoros como se fôssemos um robô com botão de desligar a opção carne com facilidade e lógico, essa ridícula ideia de que somos hipócritas por defendermos um abate digno em primeiro momento, de nos sensibilizarmos com animais sendo torturados em caças absurdas, cães e gatos abandonados e esquartejados e etc. Cada um ajuda como pode, ninguém é perfeito, nem mesmo vocês.

E eu queria saber o que veganos fazem com as baratas quando entram na casa deles. Eles pegam pelas anteninhas e atiram pela janela sem matar (aí é uma boa dica! Eu já fiz isso uma vez! :D ) ou enxotam de outra forma?! Não me digam que pisam, porque é nojento (eu não piso em barata porque odeio a nojeira que fica)!

Eu lembro do finado Orkut, onde eu vi veganos pela primeira vez na vida. Tinha comunidades de denunciar pessoas que maltratavam animais, aí nos tópicos o pessoa postava o perfil da pessoa e escrevia geralmente assim: OLHEM ESSA MONSTRA!!!, muitas vezes era crueldade por crueldade mesmo, mas outras vezes eu vi por exemplo no perfil fotos de uma família do tipo de roça fazendo uma abate de uma galinha, outra vez vi de uma ovelha, mas não estava sendo por crueldade, acho anti ético e meio feio postar esse tipo de foto na internet, mas sinceramente não vi crueldade, vontade de torturar e tal. Daí eu questionei... pra quê?!?!?! os ataques se voltaram para mim! hahahaha, não havia diálogo, só ofensas e ainda floodaram com um monte de piroca aquela parte do meu perfil que ficavam os documentários para serem aprovados. Achei ridículo. E eles não eram poucos não. No facebook eu vi alguns com a mesma agressividade e julgamentos de sempre, mas aí eu cago e ando pra facebook então já não me atingem. Juro que quem vê acha bem bizarro e irracional o que muitos fazem. Muitas vezes não é agente que ridiculariza veganos, são os próprios com essa selvageria. fazer o quê?! Acaba a causa ficando camuflada em meio a tanta sandice.

Raven Deschain disse...

Engraçadinho que feminista tem que ser boazinha, fofinha, amiguinha, mas o cara vem falar em cadáver.

Migo! Dar a porra da ração vegana pra um animal carnívoro é burrice! Nós, humanos, não somos carnívoros? Ok. Bom pra gente. Felinos e caninos SÃO.

Se uma ração cheia de carboidrato e pouca carne faz mal pra eles que dirá uma ração sem nenhuma carne? E vc leu a porra do link que postei? Viu que TEM VEGETAIS na porra da receita de alimentação natural? Ou tua vibe é só encher o saco mesmo?

Odara disse...

Olha, me desculpem mas eu, sinceramente, acho que eu valho mais do que uma galinha!

Anônimo disse...

Raven Deschain, pelas suas palavras percebe-se o quão boazinha, fofinha e amiguinha vc é. Eu que sou homem sou mais bonzinho, fofinho e amiguinho que vc...
Eu realmente não sei porque vc diz que é impossível que cães e gatos sigam uma
dieta vegetariana. Para gatos no Brasil eu até compreendo é um pouco mais difícil, pois, está mais avançado lá fora. De qualquer forma o que realmente importa são os nutrientes, não a fonte.
Agora, como assim ter um bicho de estimação é entretenimento ? Por esse pensamento vemos vários animais maltratados, afinal, não é um ser vivo é apenas um entretenimento, qnd cansar é só largar, como trocar de canal na TV.

Vou usar as palavras da Ingrid Bezerra, alô Ingrid Bezerra ! "Juro que quem vê acha bem bizarro e irracional o que muitas fazem. Muitas vezes não é a gente que ridiculariza feministas, são as próprias com essa selvageria. fazer o quê?! Acaba a causa ficando camuflada em meio a tanta sandice."

Anônimo disse...

Não Odara você não vale mais que uma galinha. Aliás acho que uma galinha vale mais do que você que é mentirosa. Um dia fala que adotou e outro que pariu! Eu não falei nada no post porque só li no dia seguinte mas você acha que somos idiotas?

Mila disse...

Acho muito chato quando alguns vegans radicais invalidam qualquer demonstração de pesar que não-vegans sentem dos animais classificando como hipocrisia e que a vida do cachorro vale mais que a do boi, mas não movem uma palha para ajudar animais ao seu redor.
Eu ajudo gatos de rua. Pq não cachorros? Pq gosto de gatos e sei que há mais discriminação com gatos que com cães (fruto de muitos séculos de ignorância sobre esses adoráveis bichinhos), mas isso não significa que não gosto de cachorros. Trabalhar com isso exige custos: ração, medicamento, castração, vacinas, lar temporário, cuidados. E há pessoas que ajudam que são vegans e não vegans, sendo que ninguém é superior.

São preocupações em campos diferentes. Há assuntos que sensibilizam mais: caça esportiva, testes clínicos em bichos, animais em circo e agora zoológicos. Tudo é um processo de aprendizado e de empatia pelos animais que não vai de uma hora para outra, afinal é mais fácil as pessoas criarem essa empatia por quem está próximo (no caso, cães e gatos) e creio que isso vale para a vida. E então vem gente e diz que não temos o direito de nos indignar por um animal que está sofrendo porque comemos carne. Sinto muito, não vou deixar de ajudar animais ao meu alcance pq uma galera diz que não tenho o direito. Enquanto focalizam o discurso em quem tem ou não direito a carteirinha de amantes de animais, tem bichinho precisando de ajuda. O tempo deles é diferente do nosso.

Anônimo disse...

Alô, anon das 08:35 você sabe o que significa "carnívoro"? Significa que tal criatura é INCAPAZ DE DIGERIR E TIRAR NUTRIENTES DE VEGETAIS,Porra! Um gato NÃO PODE ser alimentado com dieta vegana porque ele simplesmente NÃO VAI SER CAPAZ DE DIGERIR E RETIRAR NUTRIENTES DA MATÉRIA VEGETAL DE QUE É COMPOSTA A RAÇÃO VEGANA! Porra, parem de tentar impor veganismo a animais carnívoros! Não importa se é aqui ou lá fora, um animal carnívoro simplesmente é incapaz de digerir vegetais. Um animal carnívoro que come vegetais está apenas ajudando a função intestinal, as fibras da plantas vão estimular o funcionamento do intestino mas não serão digeridas e o animal não vai tirar nenhum nutriente delas. Já vi centenas de notícias de gente intransigente e estúpida quase matando os gatos de estimação porque se recusaram a usar o cérebro. Olha, preguem veganismo pras pessoas o quanto quiserem, mas parem de tentar incluir os animais carnívoros nessa utopia.

Ah, antes que venham com mimimi, se for pra falar de pessoas eu dialogo sim, eu respeito, mas se você quer matar um animal carnívoro desnutrido porque sua cabeça está tão enfiada na sua fantasia vegana que você esqueceu que no mundo real carnívoros são carnívoros e não há ideologia que mude isso, então eu vou é te dar um tapa pra que você acorde. Tá cheio de bestas por aí que protestam contra o sofrimento animal, mas arranjam um cão ou gato pra matar de fome e desnutrição porque se recusam a dar carne pra ele... é mole?

Anônimo disse...

Qualquer pessoa que mate um carnívoro de fome e desnutrição por causa de ideologia vale menos que uma barata.

Odara disse...

"Não Odara você não vale mais que uma galinha. Aliás acho que uma galinha vale mais do que você que é mentirosa. Um dia fala que adotou e outro que pariu! Eu não falei nada no post porque só li no dia seguinte mas você acha que somos idiotas?"

Oh, puxa! Fui desmascarada pela astúcia e perspicácia do anon 08:46....
Kkkkkkkk
Bom anon, eu não lhe devo satisfação mas vou explicar mesmo assim.
Eu tenho 3 filhos : 1 biológico (que eu pari!) e 2 adotivos. 1+2=3 !!!!
Mas você não consegue entender, né? Com essa lógica binária que vem causando tanta intolerância no mundo fica difícil....Quem adota não pode parir. Quem come carne não pode defender os animais. Quem é feminista não pode gostar de homem. E por aí vai.....

Anônimo disse...

O consumo de carne é algo cultural, muito enraizado e que existe em praticamente todas as culturas. No Brasil não se come cachorro, mas se come vaca e porco. Na Índia não se come vaca, mas se come carneiro e frango (inclusive os sanduíches dos McDonald's da Índia são na maioria de frango), em alguns cantos da China come-se cachorro, vaca, gato, até rato. Na Libéria come-se caramujo. As pessoas que vivem junto do lago Vitória literalmente comem mosca. Ou seja, é preciso séculos de desconstrução cultural (e eliminação da desigualdade social) pra que o mundo vire vegetariano. Poderiam começar estimulando a redução do consumo de carne, pedindo o barateamento dos hortifrútis, divulgando receitas vegetarianas com bom balanceamento de nutrientes e saborosas, enfim, muitos lugares por onde começar. Um grupo vegetariano da faculdade em que eu estudo começou assim, fazendo campanha pra que todos fiquem um dia pelo menos sem comer carne em nenhuma refeição. Funcionou. Na rua da faculdade tem um restaurante vegetariano com uma comida deliciosa e por bom preço que até quem não é vegetariano frequenta. Um grupo de moças veganas começou a vender seus produtos por lá, que são muito bons, sem c*g*r regra, sem escândalo, sem ameaçar ninguém de morte, simplesmente mostrando que comidas diferentes podem ser gostosas. Elas vendem muito, muito mesmo, até pra quem não é vegano. E adivinha, todas essas iniciativas funcionam bem melhor do que sair por aí dizendo que quem come carne tem que morrer e ameaçando os outros.

Mas pra muita gente não, tudo tem que ser resolvido na base do grito e da violência, da ofensa. Ou é oito ou é oitenta, ou você desliga o botãozinho da carne ou você merece ser eliminado da face da Terra. Engraçado é o quanto esse tipo de pessoa é o que mais adora reclamar da falta de respeito dos outros. Ah vá, viu! Ao invés de ficar ameaçando meio mundo vão abrir um restaurante vegetariano ou um bufê vegano com comida BOA. Dona Carmem e dona Juju estão de prova que isso ajuda muito mais do que ficar estrebuchando de raiva na internet.

Tinúviel disse...

Anônimo das 18:45, cães são animais ONÍVOROS, não carnívoros. Gatos sim são animais predominantemente carnívoros e não precisam de carboidratos pra viver (ou seja, a maioria das rações disponibilizadas no mercado é inadequada pra eles).

De qualquer forma, existe sim a possibilidade de se oferecer uma dieta vegetariana aos seus animais de estimação, muito embora no Brasil isso ainda não seja possível. A alimentação natural (de cães e gatos) é uma tendência mundial, e existem veterinários nutrólogos especialistas em recomendar a dieta específica para cada animal. Em países desenvolvidos há suplementos que possibilitam ao tutor oferecer uma dieta sem carne (ainda que não livre de insumos animais, pois os ovos são uma presença obrigatória), desde que suplementada adequadamente. O ponto é que esses suplementos ainda não são vendidos no Brasil, então por aqui não rola.

Odara disse...

Aplausos!!!!!

Anônimo disse...

alguém escreveu que viu foto de abate de uma galinha e de uma ovelha e não achou crueldade...
oi ???????

achou o que ? fofo ?

pare o mundo, please !!!

Tinúviel disse...

(aproveito pra dizer que fiquei muito feliz de encontrar pelo menos mais duas protetoras de animais por aqui, um abraço meninas!!!)

Anônimo disse...

Resumo do texto: nem veganos nem não-veganos podem protestar contra a morte de leões porque veganos superiores não acham correto. Fim.

Zrs disse...

Pois é, veganismo tem que ser bem fofinho, leve como uma pluma, não pode ser direto ou mostrar e escancarar as violências e contradições.Feminismo não, tem que ser forte, falar das violências, mostrar fotos, depoimentos e tudo mais.Menos, galera, bem menos. Não acredita ou milita na luta pelos direitos dos animais, beleza, mas tb não desmereça ou fique ditando regras de que como deve ser este movimento.

Em tempo, não sou vegana,.

Anônimo disse...

Repito, a Integração Lavoura Pecuária é a forma mais ecologicamente eficiente de produzir alimentos em larga escala, aliás, a ÚNICA forma ecológica.

A Agricultura tradicional necessita de de adubos químicos, empobrece o solo e necessita de muitos venenos pra matar as pragas. Pesquisas científicas que mostram o impacto cultural dessa agricultura não faltam:

http://www.agr.feis.unesp.br/imagens/winotec_2008/winotec2008_palestras/Impacto_ambiental_da_irrigacao_no_Brasil_Salassier_Bernardo_winotec2008.pdf

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/14947?gathStatIcon=true

http://www.sidalc.net/cgi-bin/wxis.exe/?IsisScript=ACERVO.xis&method=post&formato=2&cantidad=1&expresion=mfn=033917

Com a ILP, as fezes e o ato de pisar do gado amaciam a terra pra agricultura, eliminando e muito a necessidade de abudos químicos e deixando o solo descansar da agricultura, o que evita o empobrecimento de uma monocultura.

Como já foi dito, não se alimenta pessoas sem matar animais (seja por venenos ou abate) mas pode se alimenta de forma mais ecológica. Vejam os resultados das pesquisas:

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/remoa/article/viewArticle/3553

http://www.scielo.br/pdf/rbcs/v25n3/21.pdf

http://www.scielo.br/pdf/rbcs/v31n5/a28v31n5.pdf

B. disse...

Oi, Jac.

"E uma coisa que detesto é o recorte econômico que fazem. Querem pintar vegetarianos como riquinhos que podem se dar ao luxo de comer coisas caríssimas em restaurantes refinados."

Na minha opinião, veganos são assim, não vegetarianos ;)

Mila disse...

Zrs, o ponto não é esse, pelo menos para mim. Quando eu era criança, vi meu tio matando uma galinha e fui comer só depois de mais de 10 anos (sendo chamada muitas vezes de fresca, que eu não era humilde, minha mãe até me bateu por conta disso). Várias vezes, as pessoas só aprendem quando a realidade é esfregada na cara delas. Depois que vi um documentário sobre maus tratos aos animais sob diferentes perspectivas (abate, animais de circo, laboratórios, estimação), fiquei seis meses sem ingerir carne (voltei graças ao RU vegetariano, que fez uma soja horrível que me fez passar mal e as opções vegs não eram acessíveis pra mim, que na época só andava com o dinheiro do RU).
O ponto é a cagação de regra de alguns veganos acusando os outros de não terem ética, mesmo protetores de animais, só pq comem carne. Que só se não comermos carne, vamos ter o direito de nos sensibilizar com qualquer causa animal. Enquanto essas pessoas ficam preocupadas em julgar quem merece o carimbo de amante de animais, tem gente se ferrando pra resgatar animal de rua, animal em situação de abuso, sabe. Gato preto que leva tiro pq uns ignorantes acreditam que dá azar. O animal tá ali precisando de ajuda, na sua porta. Não vou ficar "ah não vou ajudar pq não tenho ética pq não sou vegana", eu vou fazer o possível para acolher o animal e mudar o que posso ao redor de mim.

Anônimo disse...

não sei a realidade de vcs, mas na minha cidade querer comer de maneira saudável é uma facada no bolso. Custam 20, 30% a mais por uma comida que, em tese, deveria ser mais barata. Parece que aproveitam que o "vegano é gourmet" para explorar ainda mais.

Raven Deschain disse...

Primeiro: não sou amiguinha, fofinha e delicadinha com babaca anônimo da internet. Todo mundo aqui tá careca de saber disso.

Segundo: ainda bem que a moça aí encima te respondeu, porque eu só ia mandar tu te foder.

Raven Deschain disse...

Oi Tinúviel. Concordo. Alimentação natural é a melhor maravilhosidade. Minha gata tá até com os pelos mais bonitos.

Mas olha, bota tempo. 😒¬¬

Raven Deschain disse...

Mila, eu resgatei uma vez uma gata branca que não tinha nem rabo nem orelhas porque algum idiota fez "ritual" com ela no Halloween. Ela quase morreu comigo.

Daí me vem um zé mané me chamar de hipócrita, pq como carne uma vez na semana? Ah, sifudê. Não tenho saco.

Tinúviel disse...

Oi Raven!

Sei bem como é, tenho quatro gatos, cada um com uma necessidade nutricional diferente... é um tempão gasto, mas é mais ou menos a mesma coisa que gastamos quando optamos por preparar algo natural e saudável em vez de comer uma lasanha de caixinha! Eu fico exausta, mas vale a pena ^^

Em tempo: flerto com o vegetarianismo há tempos, e acredito que iniciarei 2016 como vegetariana... mas entendo que uma coisa não impede a outra, se fosse obrigatório ser vegetariano/vegano pra ser protetor de animais, as coisas estariam ainda piores pra eles...

Raven Deschain disse...

Eu adoro vegetarianismo. Acho execelente. Admito que me falta força de vontade.

Mas veganismo acho impossível.... enfim.

Gente, que raios, não tou achando o link, mas o blog que mais frequento é o Felinos Urbanos. Eles falam bastante da questão alimentar lá. =)

Anônimo disse...

Tô com o anônimo lá de cima que falou da União Lavoura e Pecuária... A utopia vegana, a hipótese de conceder direitos aos animais, é simplesmente delirante... Só se tem direitos sem deveres sendo tutelado, e em que mundo seria possível tutelar os direitos de todos os animais? (alguém falou que isso já tinha sido refutado e não disse como. Eu iria adorar saber...) Se simplesmente TODA atividade humana ferra com a vida de um sem número de animais? Já beira o impossível garantir o direito de todos os seres humanos... Fica parecendo que esses veganos são gente que (por motivos meio óbvios, aliás) acham que vivemos num mundo de recursos infinitos, onde vai ser possível ter todos os Ipads do mundo sem desalojar e matar nenhum bichinho.

Existe uma economia limitada de direitos. Nós e os animais teremos, muitas vezes, interesses conflitantes.

PS: Tem uma historiadora que escreve de forma muito interessante sobre isso, chama-se Joanna Bourke, em um livro chamado "What It Means to Be Human?"

Artes da Maria disse...

Algumas pessoas tem a idéia de que ser vegano é caro pq não saem da caixinha dos produtos industrializados. O veganismo de feira é muito barato, mais barato do que comer com carne.
Eu não entro no debate sobre agressividade dos veganos pq eu sou vegetariana e n sou agressiva rs, reconheço que alguns são mas isso não desmerece a luta.
Um amigo da família tem uma irmã que fez a transição para o veganismo e estava perdida, como forma de ajudar eu fiz uma apostila enorme com todas as minhas receitas vegans, é o único modo que eu tenho de ajudar a causa. Por esses dias ela vem na minha casa para aprender a fazer pão, ela não consegue trabalhar com fermentação. Eu faço meu próprio pão e sei que sou privilegiada por poder faze-lo.
Eu quero fazer um blog com as minhas receitas práticas (ou não), sem soja e industrializados. O blog está sendo concebido e eu espero ajudar muita gente.

Anônimo disse...

E gastar um tempão pra fazer a própria comida vegana todo dia é uma deseconomia para a maior parte das pessoas que trabalham, então mesmo comendo tomate cheio de pesticida do feirão do mercado, ainda é caro.

Artes da Maria disse...

Na verdade nem demora tanto, a comida do dia a dia é bem prática e pode ser congelada, armazenada na geladeira e etc.
Arroz e feijão todo mundo faz e é só fazer um refogadinho e uma salada, por exemplo. Polenta com um molhinho de legumes, sopas, moquecas, refogados, ensopados, empanados, hamburgers, pizzas, estrogonofes e etc, é possível fazer qualquer coisa.
Não tem muita diferença no tempo de preparo entre os pratos vegetarianos e pratos com carne, e ainda tem a praticidade de não precisar por a carne para descongelar na noite anterior.
Vegetais são armazenados mais facilmente que carnes, mas se a pessoa só quer comer comida processada e rápida (3 min no microondas) não tem jeito mesmo.
Não estou tentando convencer ninguém a parar de comer carne, mas o mito que a comida vegetariana é trabalhosa e cara é derrubado muito facilmente.
Hoje eu ainda não almocei e vou fazer minha comida daqui a pouco. Vou cozinhar 1/2 quilo de feijão (temperar um pouco e congelar o resto), vou fazer um arroz e refogar couve (os dois eu como hoje e amanhã), vou "fritar" um pouco de batata doce na air fryer e talvez faça uma salada de alface e beterraba crua. O tempo que eu grelharia um bife eu faço minha couve :). Eu vou demorar uns 30 minutos para fazer essa comida, só pq vou cozinhar o feijão, enquanto trabalho no computador. Na minha visão de mundo vale super a pena me alimentar com comida caseira e fresca.

Artes da Maria disse...

Mesmo quem trabalha fora pode preparar a comida no fim de semana e deixar congelada. Eu congelo sopas para o jantar, pratos principais para o almoço, hamburgers para grelhar quando estou com pressa.
Faço massa de pizza e deixo bem embrulhada, na hora de fazer eu descongelo o molho e coloco o recheio.

B. disse...

"E gastar um tempão pra fazer a própria comida vegana todo dia é uma deseconomia para a maior parte das pessoas que trabalham, então mesmo comendo tomate cheio de pesticida do feirão do mercado, ainda é caro."

Falou tudo.

Ah, sim, todo mundo tem tempo pra fazer seu próprio sabonete, pra fazer comida todo dia, pra ir em feirinha (pelo menos na minha cidade, as feiras são em dia de semana de tarde).

Tinúviel disse...

Raven, o Felinos Urbanos que conheço é um grupo de CED de São Luís do Maranhão, será que existem dois Felinos Urbanos? Pois nunca vi a questão da alimentação natural ser discutida, ao menos no blog deles... que é esse aqui: http://felinosurbanos.blogspot.com.br/

Uma das minhas atividades na proteção é o CED também, compartilho aqui o link da página do meu projeto, caso queira conhecer: http://www.facebook.com/gatasdrua ;)

Zrs disse...

Continuo repetindo, tem uma série de grandes e respeitosos pesquisadores mostrando os males que a criação crescente de animais tem para o nosso meio ambiente (o que inclui as derrubadas para pastagens, muito maiores que para plantio, o plantio extensivo e assustador de soja e milho para ração animal, etc, etc), nunca se comeu tanta proteína na nossa história. Mas, enfim, isso não quer dizer nada, pois continuaremos a comer carne e dar de ombros para os avisos, e para os estragos que já estão aí, batendo na nossa porta.

Raven Deschain disse...

Odeio comida congelada. Não tem gosto de nada ou fica salgada demais. Haha

Anônimo disse...

Obrigada pela dica Raven. Vou ver se encontro alguma coisa falando sobre isso.

Raven Deschain disse...

Oba Tinúviel, quero sim. Obrigada. Então, ela mesma.

Deve ser por isso que não tou achando o link. Ela deve ter postado no facebook. :v

Anônimo disse...

Zrs, total ou quase extinção humana talvez seja o único jeito do mundo voltar a ter equilíbrio. O que acontece na natureza quando uma espécie vira praga? Bom, de um jeito ou de outro é o que iremos descobrir.

Tinúviel disse...

Raven, acredito que no face do Felinos Urbanos tenha mais coisas sim, quando eu acompanhava era postado com mais frequência do que no blog ;)

Nós do Gatas de Rua não abordamos muito outras questões que não o CED ainda, pois somos um grupo novo e há muuuitos gatos pra castrar por aqui hehe, as fotos dos que já castramos estão na página.

Sobre AN, gosto muito do Cachorro Verde, que tu citou mais acima.

Artes da Maria disse...

Ir a feira é outro mito.
Eu não vou em feira pq no meu bairro não tem. Já teve e acabou pq ninguém comprava, só a barraca do pastel tinha fila rs.
Eu moro em um lugar muito isolado, longe de outros bairros maiores e não tem nenhum mercado grande perto.
Eu compro minhas coisas nos mini mercados que tem no meu bairro, ou em mercados on line (frete de 14 reais) no tempo das vacas gordas. Não tenho carro e n compensa pagar táxi para eu ir aos sacolões ou mercados grandes da minha cidade.
Quando minha sogra está por aqui eu pego carona e até compro nesses lugares.
Não se enganem, sempre há alguma alternativa. As quitandas e mercadinhos daqui vendem batata, cenoura, alface, batata doce, xuxu, abobrinha, e alguns outros legumes. Nem sempre tem o que eu quero e é uma alegria quando encontro milho fresco, berinjela ou mandioquinha. Os mercados abrem de segunda a sábado até as 8 da noite e no domingo até o meio dia, eu faço compras que duram 1 semana e quando compro no mercado on line compro para 15 dias.
As verduras eu compro de um senhorzinho que tem uma horta no fundo do quintal, ele cobra muito barato (2 reais) e os maços são enormes. A couve que compro dele como 4 vezes, a salsinha eu tenho que congelar para não estragar.
Praticamente todo mundo cozinha algo em casa, só pessoas que comem em restaurantes as 3 refeições n cozinham, e mesmo essas tem opções sem carne. Mesmo quem come marmitex pode negociar e pedir para tirar a carne e por mais legumes.
Outras pessoas que não cozinham são aquelas que tem quem cozinhe para elas: mãe, empregada... Muitas dessas não dão valor ao ato de cozinhar, acham um serviço inferior e desnecessário.
Enfim... Não é impossível, a agressividade com quem vive de uma forma diferente é enorme.
Eu não faço meu sabonete, não sou rica e como agrotóxico como todas as pessoas que não comem exclusivamente carne (e que não podem bancar orgânicos).
Eu me recuso a comer o medo, é isso.

Paula disse...

Artes da Maria: esperando pelo seu blog :)

Faço meus os seus comentários. Lembrando tb que legumes são mais baratos que carnes, e usam menos energia (não precisam ser congelados).

Anônimo disse...

"tem uma série de grandes e respeitosos pesquisadores mostrando os males que a criação crescente de animais tem para o nosso meio ambiente"

Ah sim, ótimos argumentos desses veganos. É mostrado que ILP é a melhor forma de produzir alimentos, são citados muitos artigos científicos e mostrado que o Greenpeace e o WWF são a favor dessa prática e i que eles respondem?

Ou ignoram completamente os argumentos, ou usam o apelo à pedra (falando mal do Greenpeace e o WWF) sem mostrar nenhum dado concreto, ou usam o apelo à autoridade anônima.

Ah, e a ONU defende que todos deviam comer insetos, ou seja, não é uma organização vegana (lembrando que eles são um grupo com interesse político, por isso não é do interesse deles defender uma prática criada no Brasil):

http://g1.globo.com/natureza/noticia/2013/05/agencia-da-onu-sugere-dieta-base-de-insetos-contra-fome-no-mundo.html

E como eu já disse, e não vi nenhuma refutação séria, como dar direitos a quem não pode fazer o contrato social, ou seja, escolher cumprir as leis.

Anônimo disse...

A probabilidade dele mudar não importa. Interessa mais a certeza de que outros animais não serão machucados, se ele for morto.

Carol disse...

Entendo quem escreveu, entendo mesmo. Mas queria muito saber o quanto adianta sempre aparecer meia dúzia de gente com esse mesmo discurso de "vocês defendem um mas esquecem os que são abatidos pra consumo" sempre que uma crueldade é feita. Como eu disse, eu entendo e concordo que cometemos crueldade todo dia quando comemos carne, mas ISSO NÃO AJUDA A MELHORAR NADA. Consciência não é algo quase adquire da noite pro dia, pra maioria das pessoas. Ela começa com uma indignação com um cachorro maltratado, até passar pra um cavalo atropelado e chegar numa vaca que será abatida. Muita gente ainda está estacionada no começo desse pensamento, mas não é dizendo "não fez 100%, não vale" que ela vai evoluir magicamente. Somos criados pra não nos importamos com "carne", então, temos que construir nosso caminho até lá. É muito bom refletir sobre o assunto, mas acho que a postura de quem se importa com animais tem que mudar. Não é pelas pessoas, é pelos animais mesmo. Cada vida salva vale, vamos estimular isso. Deixem as pessoas chorarem pelo Cecil, deixem que se indignem! Amanhã ou depois elas estarão mais abertas a chorar por um animal no abatedouro. Vamos tentar abrir mais e mais a mente das pessoas, mesmo que de um modo lento.

Samantha disse...

Eu não vou defender o meu direito de me importar com animais mesmo comendo carne porque, com todo o respeito, acho isso uma estupidez atroz. Essa guerra de veganos x carnívoros que se importam com animais brutalmente assassinados mesmo comendo carne é tão idiota quanto a briga entre feministas que defendem a prostituição com as que são contra a prostituição e semelhantes.

Acho apenas que ao invés de chamar o amiguinho de hipócrita porque ele come carne mas se preocupa com o leão (ou recolhe cachorros de rua, ou alimenta gatinhos abandonados ou milita pela aprovação de leis que punam quem maltrata animais ou...) as pessoas deveriam unir forças naquilo que elas concordam. Perder tempo atacando os hábitos e pensamentos do colega apenas porque ele não é igual a você, é bem... estúpido. Não ajuda tua luta, faz pessoas se desmotivarem e não leva nada a lugar nenhum.

Vejo isso acontecendo em todo o tipo de movimento social. Quem ganha com isso é apenas os defensores do status quo. Dedos na cara nunca nos levou a lugar nenhum.

Joana disse...

Sempre assim. Quem não faz nada, se revolta com quem tenta fazer alguma coisa. Por que tanto esforço para justificar o injustificável? Veganismo incomoda tanto pois quase todo mundo no íntimo sabe que não é ético explorar animais para satisfazer o paladar.

Anônimo disse...

Caramba, será que é difícil entender que carne satisfaz o paladar pq milhões de anos de evolução darwiniana fizeram nossos corpos entenderem carne como algo apetitoso e não um tufo de capim ?

Dano ambiental haverá existindo pastos ou lavouras, se os bois forem criados em pastos e abatidos rapidamente e sem crueldade, qual o problema em se comer animais? E sim , sou especista, embora animais, ñ rola um bife de coxa humana pq, enquanto espécie ainda somos os únicos neste mundinho que usa internet , faz filosofia (as vezes filosofia ruim tb, como Peter Senger e Olavo de Carvalho), produz arte e ciência e tantas coisas legais. Sorry, amigos animais, eu gosto de vocês mas eu gosto mais é de gente.

Anônimo disse...

Mas você não come uma carne crua sangrando e em meio a couro e pêlos, como os animais carnívoros. O que agrada seu paladar são pedaços de carne específicos que já foram previamente selecionados, limpos, sem "nervos" ou "músculos" e bem temperados com ervas né?

Nosso corpo não entende carne como algo apetitoso e saudável, não somos carnívoros. Comer carne trás doenças, inclusive câncer e diminui a qualidade e a expectativa de vida. Sobre o seu blablablá especista já batido eu me abstenho. Se quiser que procure mais informações por si...

Anônimo disse...

Assume que é especista e que vai continuar se alimentando de animais sim, mas depois tem a cara de pau de chamar animais de amigos e dizer que gosta deles. Gosta nada!

Essa hipocrisia toda me mata ¬¬

Anônimo disse...

Eu li o texto, e, com todo o respeito ao autor, achei ele apenas um discurso inflamado, que esconde nas entrelinhas um ar de superioridade.
Isso porque em todas as suas divagações, esqueceu o autor de um fato de suma importância: Cecil era um leão que vivia em uma área de reserva ambiental, de forma livre, ainda que monitorado à distância. Já os "animais de consumo" referidos, são, exatamente como sugere o nome atribuído, produzidos para o consumo.

Portanto, não se trata de criar uma hierarquia entre as vidas, exaltar uns e menosprezar outros.
As vacas, porcos, galinhas, entre outros, são criados para o abate - se isso é certo ou errado, é outra questão. Já o leão Cecil era um animal protegido, vivendo dentro de área de reserva, e o seu abate cruel - 40 horas agonizando -, tem também uma motivação torpe, a caça esportiva, o que, ao meu ver é o que tocou tanto as pessoas.

Isto é, ainda que seja possível reduzir as duas situações à "animais sendo mortos por humanos", elas não são nenhum pouquinho parecidas e por isso não deveriam ser comparadas.

Anônimo disse...

Portanto, não se trata de criar uma hierarquia entre as vidas, exaltar uns e menosprezar outros.

Você é cego, só pode. Óbvio que tem hierarquia, porque que uns podem ser mortos e outros não? vem um bando de gente morrendo de pena de gato, leão, mas galinha, vaca, porco podem ser mortos a vontade.

Anônimo disse...

Esse texto me convenceu.
Inicialmente eu fiquei revoltado com o caso Cecil, mas depois de ler esse texto e perceber que eu estava sendo hipócrita decidi não me importar mais. Pode matar leão, baleia, golfinho, arara azul e o zoológico inteiro que não vou mais dar a mínima.

Anônimo disse...

Não faz diferença o que você fala (talvez em você ser um mentiroso ou não, apenas). Você nunca deu a mínima e provavelmente nunca vai se importar mesmo. Tem gente que é realmente caso perdido. Ninguém vai ficar insistindo e te adulando pra você virar vegetariano/vegano não. Desce desse pedestal e se manca.

Anônimo disse...

Grande diferença que esse ser acha que faz no mundo só em dizer que se importa com leão, baleia, golfinho, arara azul e outros animais em extinção. Não move uma palha, mas quer ser especial por ter se revoltado com a morte do Cecil kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Anon de 01:54, qualquer pessoa que se importe com UM animal que seja faz diferença. Vamos amadurecer um pouquinho, porra.

Anônimo disse...

E eu não poderia concordar mais com a Carol e a Samantha. Levantar o dedo na cara das pessoas quando elas se importam com algo é estúpido demais quando você lida com vidas. Quanto mais gente se importar, mais vidas serão salvas, simples assim.

Anônimo disse...

"(...)Sinceramente, vai passar um pouco de fome e depois vem me dizer se continua achando que animal não é alimento. Tudo um bando de playboyzinho".

Sim, porque as pessoas comem carne para não morrerem de fome. Aham.
Gente, pelo amor. Eu sou ovolactovegetariana e, se um dia estiver numa situação extrema em que eu precise comer um animal pra continuar viva, eu vou comer. Estado de necessidade. É a mesma situação de pessoas que vivem na pobreza, enfim.


"Plantar em escala industrial pra alimentar todo mundo também mata animais, de forma direta ou indireta com pesticidas, veneno pra ratos e incêndios. Como fazer, então? Vamos reduzir à força a população mundial e viver todos da própria hortinha? Porque no mínimo a mesma quantidade de bichos que são abatidos pra consumo de carne vai morrer se o mundo inteiro virar vegetariano. Sério, queria saber como isso vai ser resolvido".

Querido. Vamos lá. Só umas coisinhas.
Primeiro: hoje, a maior parte das plantações existentes são para produzir alimentos para alimentar quem? ( )seres humanos ( ) rebanho animal que será morto para alimentar seres humanos.

Acertou se marcou a segunda opção.

Se o mundo decidisse virar vegetariano não seria preciso desmatar mais nenhuma florestinha, ok? as áreas desmatadas para plantio de soja (que não são pra gente consumir diretamente na sua GRANDE MAIORIA), por exemplo, já seriam suficientes, entendeu?

Não é inviável um mundo vegetariano.


AH, por último. Algúem lá em cima falou sobre "vida confortável para os animais que serão abatidos" ou algo assim. GENTE. RESPIRA. AGORA PENSA.
Abate humanitário não existe. OK? Não existe. É até contraditório colocar ambas as palavras na mesma frase. Nao se iludam. O bife de vocês não teve uma vida confortável. O presunto no café da manhã tbm não.
Quem é dono desses animais e ganha dinheiro com isso quer GANHAR DINHEIRO. E não garantir uma vida feliz para os animaizinhos. Apenas parem de se iludir com isso tá? Nao vai acontecer. NUNCA.
(e mesmo se acontecesse: não acho que seja um consolo vc ter tido uma vida feliz e depois alguém chegar e falar "é isso campeão, agora já deu, bora pro abate". Porque, oi? vc quer continuar vivo não é? Então. Todo mundo quer).

Bjos, Madah.

Anônimo disse...

"Querido. Vamos lá. Só umas coisinhas.
Primeiro: hoje, a maior parte das plantações existentes são para produzir alimentos para alimentar quem? ( )seres humanos ( ) rebanho animal que será morto para alimentar seres humanos."

Beleza hein, mesmo que isso seja verdade (até hoje só vejo fontes veganas repetindo isso e nenhum estudo que comprove) é porque menos de 10% da população mundial é vegana, se todas as pessoas do mundo tivessem que consumir só vegetais, o número atual de plantações seria insuficiente porque decuplicaria a demanda. Além disso, o gado criado em pasto não precisa de nenhum grão - por isso não invalida a Integração Lavoura Pecuária, que ainda é a melhor forma de produzir alimentos.

Por isso, se estão preocupados com o meio ambiente, no lugar de brigar com os produtores rurais e com todo mundo que come carne, é mais inteligente fazer acordos e cobrar metas, exigir do governo que fiscalize, assim como o Greenpeace e outras organizações do meio ambiente.

A produção da ILP é maior que a da agricultura tradicional, se fosse mais incentivada e tivesse o apoio da população, seria suficiente para alimentar todos e o Brasil se tornaria referência na produção de alimentos mundiais, outros países iam copiar a ideia e os grandes impactos da agricultura seriam reduzidos drasticamente. Parece utopia? Se informe então, leia os artigos científicos postados.

E mesmo na agricultura local, a menos industrial possível, é preciso acabar com as pragas - só que é feito de uma maneira natural, por isso não importa o que você come, vai matar algum animal. Todos estamos no mesmo barco, necessitamos da morte de animais para sobreviver, os veganos só mentem a si mesmos quanto a isso.

Anônimo disse...

por favor, alguém me explica a necessidade de usar um sapato-bolsa-roupa de couro ?

Anônimo disse...

"se todas as pessoas do mundo tivessem que consumir só vegetais"

Só vegetais.

SÓ. VEGETAIS.

Eu vou toda semana a um restaurante vegano (moro no interiorzão do brasil, mato grosso) que é vegano só as quintas feiras e nos outros dias é vegetariano e lá eu como lasanha, quibe (SIM!), cachorro quente, macarronada... sem nenhum ingrediente animal (nenhum mesmo) e delicioso.

Veganos não comem só salada. É possível adotar essa dieta e ainda sim sentir muito prazer na mesa ok? te desafio a experimentar e você vai ver como e delicioso (se eu não te avisar vc nem suspeitaria, juro). Palavra de quem comia carne há dois anos e amava um churrasco. ;)

PS: veganos também matam baratas quando elas aparecem na sua cozinha; e também tomam remédio de verme uma vez por ano; e eu, particularmente, sinto um nojo completo de ratos.

Isso em nada contraria o veganismo.

PS2: não existem estudos dizendo que é viável?
E inviável, existe?
Vc é capaz de abrir mão de alguns prazeres para evitar algum sofrimento animal, ou você nega que o estilo de vida vegano cause menos impacto (e menos dor a outros seres)?
Você come carne pq gosta ou pq sabe que hahaha é inviável se todo mundo decidir ser vegetariano então vc faz esse sacrefício..? ¬¬

Madah.

Anônimo disse...

"por favor, alguém me explica a necessidade de usar um sapato-bolsa-roupa de couro ?"

Por ser natural, é naturalmente biodegradável, agora se for utilizar um derivado de petróleo gera lixo que não se degradará por séculos. Além disso, o couro costuma ser mais resistente e maleável que couro sintético.

Anônimo disse...

Madah,

As lasanhas e quibes veganos são feitos de quê mesmo? Não há nenhum componente vegetal e nem animal neles?

"você nega que o estilo de vida vegano cause menos impacto (e menos dor a outros seres)?"

Nego. Apesar dos veganos acreditarem nesse mito, não dá pra saber quem consome menos papel (que é muito mais nocivo que a pecuária, veja o link postado acima sobre os impactos de sua produção), jóias (já viu como o mercúrio no rio envenena pessoas e animais?), produtos eletrônicos (leu a notícia sobre as minas de coltam, que é apenas um dos inúmeros problemas deles?), óleo de soja (que contamina o solo), energia elétrica (qualquer usina: nuclear, térmica ou UHE mata animais), produtos feitos de ferro (minas de novo) etc. O impacto da vida nas cidades vai muito além que a alimentação (que também mata), se quisessem parar com as mortes evitáveis os veganos deveriam viver como os povos Amish, sem nada de tecnológico.

Paula disse...

"é naturalmente biodegradável"

huhauahuahuahuahuahuahauhauahuahuahuauah

alguem aqui obviamente não sabe como funciona uma fábrica de peças de couro.. não sabe que, por naturalmente ser biodegradável, o couro tem que ser transformado em durável.

E para tal produz uma das águas residuárias mais tóxicas da indústria, alí com a galvânica.

Vcs que ficam se justificando tão igualzinho aos machistas. Eu só entendo duas expliações: "eu não consigo"(pq paladar é difícil de controlar mesmo, senão não tinha tanto gordo no mundo) ou "eu não me importo"(o que faz de vc desprezível, mas com lógica).

Eu sou vegetaiana e tenho a humildade de admitir que veganos tem SIM um estilo de vida mais ético que o meu. Sim, máis ético. Porque tanto uma pessoa que não estupra e mata é mais ética do que uma que o faça, um vegano é mais ético que o onívoro.

Ah, e para o ser que queria fontes que uma alimentação sem carnes e laticícios é melhor para o meio ambiente, que tal a porra da ONU como fonte?

http://www.theguardian.com/environment/2010/jun/02/un-report-meat-free-diet

mas como disse brilhantemente o primeiro comentarista:

"Eles podem falar todo o sentido que eles gostam, mas quem está ouvindo? Não os gananciosos, nem os que negam a mudança climática, nem todas as pessoas que acreditam firmemente que a ciência vai chegar a algum tipo de resposta e nesse meio tempo eles podem continuar a fazer o que quiserem.
E aposto no número de pessoas que estão vindo a esta lista de discussão para dizer: 'Eu gosto de minha carne e eu vou continuar a comer, então nem!'"

Anônimo disse...

Madah,

As lasanhas e quibes veganos são feitos de quê mesmo? Não há nenhum componente vegetal e nem animal neles?

Não, essas comidas são feitas sem qualquer matéria conhecida em sua composição.

¬¬

componente vegetal: SIM
componente animal: nenhum. zero. nem o óleo pra fritar. nem o pãozinho do cachorro quente. sem leite, sem ovos, sem queijo, sem carne. nadinha. ;) (DELÍCIA).

....

Concordamos aqui. A questão é causar menos impacto ambiental possível e isso vai muito além do nosso prato (aliás, veganismo é isso tá? não se restringe a comida não). Mas concordo que, em muitos outros aspectos, veganos são tão poluidores quanto os demais. O ideal seria andar menos de carro, não usar tantas embalagens descartáveis(isso inclui fraldas pra bebês, absorventes íntimos para mulheres, copos no seu ambiente de trabalho), engloba economizar energia elétrica, reaproveitar a água quando dá.

Entenda: não é não causar nenhum impacto (uma zebra causa impacto ambiental quando peida). É ter uma vida viável causando menos impacto possível, adotando hábitos mais ecologicamente corretos (e isso vai variar de acordo com o local em que você mora, sua capacidade econômica, etc). Todos essas boas práticas que citei são viáveis (e todos os veganos que conheço se preocupam com essas questões também). Não comer carne é só mais um desses aspectos (e também viável).

Esse seu discurso de que veganos devem viver como seres afastados da sociedade é infantil. O que veganos buscam é um estilo de vida harmonioso com a natureza e com os outros animais, causando o menor impacto possível (e não nenhum).
A carne é geralmente só o primeiro passo numa série de mudanças de hábitos necessárias para a sobrevivencia do planeta e da nossa própria espécie, além de um comportamento de empatia para com outros seres.

A questão do consumo de carne está englobada nesse estilo de vida, mas também é válida por outro motivo: se vc vê o sofrimento e pode evitá-lo, vc vai? é como sua avó matar galinha para o almoço de domingo. A galinha estava viva, morreu para você comer, mas você não vai morrer se você não comê-la. Ela sentiu dor e morreu desnecessariamente. FIM. O vegetarismo está justificado.

Madah

Anônimo disse...

Paula,

Já expliquei isso: a ONU não considera a ILP, até onde eu sei eles nem devem saber o que é isso. Além disso, ela é formada por políticos e não cientistas, não sei se há razão política para divulgar algo que não é feito na Europa.

E eles não defendem tanto o veganismo assim, já que recomendam que se coma insetos:

http://g1.globo.com/natureza/noticia/2013/05/agencia-da-onu-sugere-dieta-base-de-insetos-contra-fome-no-mundo.html

E quando ao couro, ainda que seja duro ele se degrada mais rápido que o PVC, derivado do petróleo (aliás a indústria petrolífera é pouca amiga dos animais também).

http://chic.uol.com.br/moda/noticia/voce-sabe-identificar-as-diferencas-entre-as-pecas-de-couro-legitimo-e-aquelas-de-couro-sintetico

Anônimo disse...

Madah

"componente vegetal: SIM"

Então vários animais morreram pra serem produzidos, e não são só as "pragas", o veneno entra na água fluvial e contamina o solo, os rios e o ar. Matando diversos outros animais.

http://www.sober.org.br/palestra/12/08O389.pdf

O problema é não deixar de comer carne, mas incentivar a ILP que é menos danosa que a Agricultura tradicional.

Anônimo disse...

Para mostrar que não estou exagerando os benfícios da Integração Lavoura Pecuária:

http://www.matsuda.com.br/Matsuda/Web/entrevistas/detalhe.aspx?idnot=W13082015171679&lang=pt-BR

http://www.agripoint.com.br/curso/ilp/

http://www.beefpoint.com.br/cadeia-produtiva/dicas-de-sucesso/entenda-como-a-ilp-pode-ajudar-no-aumento-da-produtividade-da-pecuaria-67155/

http://cpamt.sede.embrapa.br/biblioteca/workshop-mortalidade-de-pastagens-no-estado-de-mato-grosso/USO%20DA%20ILP_Dr.%20Ademir%20Zimmer.pdf

Paula disse...

Querido anônimo que se preocupa com os insetos: que eu saiba, ninguem vive exclusivamente de carne. Então isso não é argumento contra os veganos ou até mesmo contra onívoros, mas contra o modo de produção de alimentos, o que é uma causa válida.

a ILP é melhor que a monocultura, sem dúvida, mas pq o gado no caso tem que ser morto? Eles não podem estar em grande quantidade de qualquer maneira, pq senão compactam o solo. Umas 20 vacas fariam o serviço de adubo sem grandes custos. E onde entram porcos, frangos e peixes nessa equação?

Anônimo disse...

Tava lendo aqui sobre o que seria ILP.

Hm.

Interessante. Basicamente consiste em otimizar o espaço degradado. As consequências são a recuperação de solos degradados e o aumento de produção.

ok.

uma pergunta: essa forma de manejo elimina o uso de agrotóxicos? eu não vi nada sobre isso.

Eu não quero criticar sobre o que pouco conheço, mas isso me pareceu uma forma de ganhar mais dinheiro gastando menos. É legal aproveitar mais os espaços, mas não com o objetivo de aumentar a produção (e consequentemente o consumo de carne e derivados.

Desculpe. Posso estar enganada, mas são objetivos conflitantes com o veganismo.

Madah.

Anônimo disse...

Olá Madah,

Esses sistema reduz o uso de agrotóxicos sim, mas não há nenhuma forma de plantar alimentos sem matar pragas, mesmo o plantio orgânico necessidade de mortes, só que o faz de forma natural.

https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/2417744/sistema-de-producao-em-spd-reducao-drastica-de-agrotoxicos

donadio disse...

"SÓ. VEGETAIS.

Eu vou toda semana a um restaurante vegano (moro no interiorzão do brasil, mato grosso) que é vegano só as quintas feiras e nos outros dias é vegetariano e lá eu como lasanha, quibe (SIM!), cachorro quente, macarronada... sem nenhum ingrediente animal (nenhum mesmo) e delicioso.

Veganos não comem só salada.
"

Olha, tudo que não é animal, ou é vegetal, ou é mineral. Mineral, ao que eu saiba, ninguém come. Então, toda comida que não é de origem animal, é de origem exclusivamente vegetal. Ou, como você coloca, "SÓ. VEGETAL." Vegetal não é necessariamente salada. Vegetal também é trigo, soja, feijão, etc. São coisas que precisam ser plantadas, e exigem superfície terrestre para serem plantadas.

A discussão é: se passarmos todos a nos alimentar exclusivamente de vegetais (aí incluindo cereais e legumes, não só salada), a superfície cultivada vai aumentar ou diminuir? O argumento abolicionista é que vai diminuir, por que para sustentar os animais que nós comemos são necessários vegetais (vaca, porco, galinha, não vivem de ar, e se alimentam de vegetais). A falácia está em que os vegetais que nós comemos não são os mesmos que fazem parte da dieta dos animais que comemos. Vacas comem grama, que é um tipo de vegetal que nós não consumimos (não por motivos culturais, mas por que não somos capazes de digerir).

Essa é a discussão. Não se vegano só come salada, ou se soja ou arroz não são vegetais por que não são salada.

donadio disse...

"eu gosto mais é de gente" x2

Anônimo disse...

Paula,

O fato é que não dá pra produzir alimentos sem matar, então por mais que os veganos insistam que os onívoros matam pra comer, esquecem que eles também matam porque não tem como se alimentar de outra forma. E não são apenas os insetos: pássaros, pequenos roedores, peixes, lagartos e muitos outros animais são mortos indiretamente pelos defensivos agrícolas.

Anônimo disse...

Sobre a tal ração vegetariana para os animais:

http://petcare.com.br/blog/dieta-vegetariana-para-caes-e-gatos-e-possivel-nao/

Anônimo disse...

Eu também como cenouras e alfaces selecionadas, limpas e temperadas, seu argumento é redundante. Abs

Anônimo disse...

Vou desconsiderar o "cara de pau" para esclarecer que sim, os animais, plantas, rios e toda a belezura que é a natureza é bela e é claro que eu e todos os seres humanos não psicopatas gostamos dela, mas como disse antes e repito, goato mais de humanos que dos demais seres deste planeta, qual o problema com isso? Nós humanos, mulheres e homens, pobres e ricos, negros e brancos, coxinhas ou petralhas, somos a única espécie dentre as bilhões que habitaram este planeta que fazem matematica, arte, tecologia e filosofia. Somos nós humanos um mero punhado de átomos, átomos estes em nada distintos dos de uma rocha ou de nosso sol, e somos capazes e fazer perguntas e refletir sobre estes outros punhados de átomos desprovidos de inteligência abstrata, e isto para mim basta para dizer que cada humano é sim especial e único.