sexta-feira, 15 de maio de 2015

"QUEM ESCOLHE NOSSAS ROUPAS?"

A C. me enviou este email delicioso, cheio de food for thought.

Ei Lola, me chamo C. tenho 24 anos, sou mãe de um garoto de 5 anos, e sou feminista desde, desde... bem, acho que desde que me conheço por gente. Nunca aceitei quando minhã dizia que eu tinha que ajudar nas tarefas domésticas e meus irmãos não, ou antes disso, quando o assunto era brincadeira e roupas. Brincava de RPG com meus irmãos, sempre questionei tudo em minha volta.
E sigo assim, questionando o mundo e a mim mesma todos os dias. Comecei a ler seu blog há alguns anos, quando depois de me organizar politicamente num partido, percebi que o machismo não acaba com o fim do capitalismo...
Mas bem, o que me leva a escrever este email é a questão da moda. Quero fazer algumas reflexões. A moda como é proposta hoje serve ao capitalismo e ao machismo. A cada estação as grandes empresas inventam tendências e criam nas pessoas a falsa necessidade de adquirir esses "novos" itens. Como diz no vídeo "De onde vem as coisas", é a obsolescência programada. 
Para que servem os seios
Além disso, nossa conhecida sociedade machista produz as roupas que "valorizam" (pra mim, estigmatizam) o corpo das mulheres: decotes, saltos, vestidos curtos, longos, sensuais... Já cheguei a me desesperar ao entrar em lojas femininas pensando em tudo isso. 
O que nós realmente escolhemos e o que nos é imposto socialmente?
Eu adoro não usar roupa! Reconheço apenas dois benefícios das vestimentas -- higiene nas partes íntimas e esquentar o corpo. No mais, viveria nua. Uma vez que isso não é (ainda) possível, minhas escolhas são sempre por menos pano, shorts curtos, saias e vestidos idem, pouca blusa, pouco tudo.
Mas, não é isso que os machistas querem? Que mostremos nossos corpos? Porque é claro, nos vestimos pros homens, e só! Percebo a incoerência no meu próprio discurso. Por um lado reconheço a má intenção da indústria da moda, por outro, quero continuar com minhas mini roupas, pensadas e produzidas por estas mesmas indústrias. 
Só para deixar claro, não sou escrava da moda. Há alguns anos que não sei o que é usar salto. Compro somente o necessário (em termos de pão-durice, sou igualzinha a você Lola; com o salário de bolsista na faculdade, conseguia pagar todos meus gastos, metade do filho, e ainda, juntar na poupança pra poder viajar, e ser realmente feliz consumindo pouco).
Barbara Evans de costas
Sinto que vivemos no tal "se correr o bicho pega, se ficar o bicho come". Meu companheiro me fez pensar muito sobre isso. Uma vez ele me disse, quando saí com uma calça daquele tipo de ginástica, "todo homem que vê uma mulher com calça assim pensa e faz comentários sexuais, eu sei que você não quer isso". E realmente não quero, mas não tenho culpa por essas mentes pequenas. 
O que você pensa a respeito Lola?
PS: Leio muitas fontes de informação feminista, seu blog na minha opinião é o melhor do Brasil, principalmente porque você não ignora a luta de classes no feminismo. Meu sincero obrigado por trazer tanta informação importante, acho lindo ver os posts de mulheres que se descobriram feministas no Escreva Lola Escreva! 

Minha resposta: C., obrigada pelo carinho. Você faz várias reflexões interessantes, e espero que role um debate saudável na caixa de comentários. Praticamente qualquer pessoa na face da Terra entende mais de roupa do que eu. 
Compreendo o seu mal-estar com roupas. Também não gosto.
Em casa eu me beneficio da falta de janelas (há vantagens em ter poucas) para andar nua. Bom, não completamente nua porque, se eu não estiver de calça, os mosquitos sugam todo meu sangue por baixo da mesa. Mas não visto nada acima da cintura. E seria bem bacana se a gente pudesse sair assim na rua, pelo menos a gente que mora nesse calorzão. Eu fui uma vez, dois anos atrás, a uma praia de nudismo, e a sensação de entrar no mar sem vestir nada é de total liberdade. Recomendo!
Eu já tive mais preconceito com a moda, que associo quase sempre a uma indústria bilionária e elitista e a um padrão de beleza racista e, obviamente, gordofóbico. Mas entendo que vestir-se é também uma forma de expressão, e muita gente se aproveita disso para passar uma mensagem. E também, até entendo que moda tenha a ver com mais coisa além de roupa. 
Li um artigo na revista Ms. uns anos atrás (se alguém puder traduzi-lo aqui pro bloguinho, o que você está esperando?) que relacionava feminismo e moda e que me fez pensar. 
Um dos argumentos era que, se as feministas ignorarem a moda (como eu faço), estamos deixando passar nosso poder de influenciar essa indústria. De lá pra cá, li outros textos mostrando que moda e feminismo não são incompatíveis. Tenho certeza que no mundo acadêmico existe bastante pesquisa acerca dessa discussão
Entendo também que nem toda roupa seja opressora. Opressor é não ter escolha. Tipo: nós mulheres não podemos sair às ruas sem camisa, porque corremos o risco de sermos presas ou linchadas ou assediadas até dizer chega. Enquanto isso, homens andam por aí descamisados, mesmo tendo os mamilos que nós temos.  
Logicamente, o conceito de escolha é muito relativo. Temos que nos perguntar o quanto de escolha realmente temos nas nossas "escolhas". Tanto é imposto socialmente desde que nascemos que essas imposições soam até naturais e passam desapercebidas. Nossos "gostos pessoais" não são tão pessoais assim. São moldados por toda uma cultura.  
Tem tanta coisa que a gente, do alto do nosso privilégio, sequer repara... Por exemplo: tenho uma aluna de Guiné Bissau, linda, com a pele escura que brilha. E ela disse outro dia na aula que precisa se policiar mais ainda que outras mulheres com a roupa que veste. Porque, por ela ser negra, ela é sempre sexualizada. Ela contou que recentemente estava num ponto de ônibus fazendo o que as pessoas fazem no ponto de ônibus (aguardando o ônibus) quando um carro parou perto dela e perguntou quanto era. E ela estava de calça jeans e camiseta!
Ela também contou pra turma que não pode de jeito nenhum usar minissaia ou mesmo shorts, porque será sexualizada. E acrescentou que um homem branco pode usar bermuda numa boa, mas se um negro usa bermuda, ele é visto primeiro como um assaltante. 
Portanto, que escolha um negro realmente tem em usar bermuda, ou uma negra em usar minissaia? Que escolha essa minha aluna tem em não ser vista como prostituta?
Bom, acho que já dei o pontapé inicial pra uma ampla discussão. Vamulá! Caprichem aí nos comentários.

132 comentários:

Bizzys disse...

Curti muito o post!

Eu, ao contrário da autora do post, não gosto muito de roupas curtas e abomino decotes. Quase não fico nua nem em casa por um motivo simples: sou MEGA frienta! Faz 23 graus e já estou de blusa hahaha.
Nunca fui de seguir moda, na maior parte do tempo uso calças jeans, camiseta e tênis. Gosto muito de vestidos e saias longas - além de achar lindo, percebi que sou menos assediada quando uso esse tipo de roupa. As pessoas falam que as mulheres provocam o assédio porque usam vestidos "quase mostrando o útero", mas eu não tenho nenhum vestido cujo comprimento seja um pouco mais acima da linha dos joelhos, e é só sair na rua com um deles para ouvir homens bostejando. Está aí um tipo de "não-escolha": desistir de usar uma roupa que gosto para não sofrer assédio.


Existe sim uma pressão sobre as mulheres para que estejamos na moda, e para usarmos certos tipos de roupa. Tem encheção de saco de todos os lados: se usamos roupas mais confortáveis e básicas, somos "mal-arrumadas, sapatões, desleixadas". Se usamos roupas curtas e decotes, somos "putas". Se usamos roupas elegantes mas discretas, estamos nos "envelhecendo" ou "esquecendo a feminilidade". Se usamos roupas muito na moda, somos "fúteis". E em todo site ou revista voltada para o público feminino, aparece de vez em quando a fatídica reportagem "X peças de roupas que os homens detestam". É de enlouquecer!

O julgamento vem de todos os lados, então o importante é usar as roupas que você gosta. Não acho que usar roupas decotadas é "agradar o patriarcado", já que você está seguindo o seu gosto. Seguir a moda só é furada se a pessoa vive gastando o que não pode ou usando roupas que detesta só porque é "in".

Anônimo disse...

Há um blog sobre moda chamado man repeller que se originou na ideia de uma jovem de que ela realmente queria se vestir só para si, explorar a moda ao invés de se vestir para atrair um homem ou ter " bom gosto". Não é um blog feminista ou profundo mas eu sinceramente acredito que a moda é a coisa que consumimos que tem o maior poder de nos subjugar ou, ao contrário, ampliar quem somos.

Bizzys disse...

Lembrei de um assunto relacionado: pijamas e lingeries. Parece que 90% dessas peças são feitas para as mulheres ficarem sexy e se exibirem para homens!

Saio para comprar pijamas e só tem dois tipos: pijamas infantis com florzinhas e bonequinhas ou baby-dolls sensuais de renda e oncinha. Se vou comprar lingerie, são três tipos: os mega coloridos de adolescente, os rendados e cheios de laços e fitas (e calcinhas minúsculas que mal cobrem os quadris) e as "calçolas beges da vovó"!

Isso me irrita muito, não consigo achar peças básicas que sejam confortáveis e bonitas. Esse setor de moda íntima é bem "agrada-ômi" mesmo.

Jonas Klein disse...

Bom eu não vou bem escrever direito o que penso, se não Lola vai deleta o meu comentário na certa de tão pesado que vou pega aqui, mas da pra da uma amostra grátis.

Engraçado você critica o capitalismo, mas vocês com certeza não querem viver em cuba ou na coreia do norte, amigas na boa ta, sem consumo (que vocês comunas adoram chamar de consumismo) não tem emprego nem renda pras senhoras.

no que se refere parte da moda, só aceita imposições da moda quem quer aceitar, eu nunca liguei pra moda e nunca tive qualquer problema.

Na parte que se refere as pessoa negras, sabe nunca nem tinha ouvido falar que pessoa negras enfrentam estes tipos de problemas, eu sempre pensei vi que os estereótipos machistas, afetam as mulheres da mesma forma independente da sua cor de pele.

Anônimo disse...

Feminilidade é um atraso de vida que come seu tempo e seu dinheiro. Será que eu preciso me estender sobre o quanto o processo de manutenção da feminilidade atrasa nossas vidas e consome nosso dinheiro, nossa mão de obra? Quanto tempo uma mulher perde escolhendo a roupa adequada? Quanto tempo ela leva entre o banho e sua saída para o trabalho? Ou fazendo as unhas, indo ao salão de beleza? E pensando na análise combinatória necessariamente cheia de regras para escolher e combinar as peças de roupas? E sapato! Quanto dinheiro e tempo se perde com isso?! E o que se deixa de fazer por causa disso? Acordar alguns minutos mais tarde, ou mesmo ler um livro, ou jogar video-game. Não deve ser desprovida de causalidade a relação entre a manutenção e preocupação com a feminilidade e os “transtornos” psíquicos que as mulheres sofrem. Além de todas as preocupações com sustento e segurança, as mulheres acordam já numa rotina de se preocuparem com a manutenção da feminilidade vinte e quatro horas por dia! Inclusive quando elas já estão se relacionando com as outras pessoas. “Será que estou bonita?”. “Ai, ele deve ter me achado feia”. “Preciso sorrir para não ficar com a cara fechada, ou fazer aquela cara de ingênua”. Pensamentos assim norteiam as mentes das mulheres em concomitância com todas as outras questões, de práxis, para os seres humanos. Minto, pensamentos assim norteiam as mentes das mulheres em concomitância com muitas outras questões que só elas têm que ter, como maternidade e o medo de ser estuprada. Tudo isso nos atrasa e nos deixa em desvantagem. É uma escravidão nossa para a sociedade, pois além de já sermos exploradas de tantas outras formas, temos que fazer isso sendo os próprios adornos dos ambientes. É um tempo roubado, que nos impede de dedicarmos a nós mesmas, ao nosso lazer e à nossa formação intelectual e profissional.

Anônimo disse...

A gente, mulheres, quer acabar com o patriarcado e a opressão sobre a gente. Só que essa derrubada não virá do céu, só virá com luta. E no entanto é muito comum no feminismo evitar pressão sobre as mulheres para desconstruirem certos vícios e atitudes autodestrutivas para não ofendê-las com “culpabilização”. Eu particularmente estou de saco cheio de tudo ser TW entre feministas. Principalmente porque esse melindre é muito coisa de patricinha (moças classe média). Essas moças são muito fãs de uma inércia, comodismo, falta de problematização. Por isso o feminismo liberal é tão mainstream. Só que, para as que realmente se interessam pela queda do patriarcado, acho que certas coisas a gente pode fazer com muita eficácia para ajudar a enfraquecê-lo. Uma delas é o empoderamento financeiro e político das mulheres. A gente não precisa esperar o planeta ficar comunista, ou o capitalismo ruir, para diminuirmos o poder dos homens sobre a gente. Mulheres se subjugam a homens primeiramente por pobreza. Depois pelo dever social, pelo fetiche, status. Mas a dependência financeira é um fator muito forte e derrubá-la ajuda a desconstruir muito da pseudo-dependência por um ser que pouca serventia real te tem. A outra coisa é desconstruir a feminilidade.

Por que resistir à feminilidade deveria fazer parte de nossas lutas?

https://amargemdofeminismo.wordpress.com/2015/05/10/por-que-resistir-a-feminilidade-deveria-fazer-parte-de-nossas-lutas/

Anônimo disse...

Adorei o post! Acho esse um assunto muito importante para o feminismo, ou melhor, para a humanidade!
Roupas são necessárias o tempo todo (a não ser que você more em uma comunidade de nudismo em um local quente) e somos muito avaliadas pelos outros pela roupa que usamos!
E tem a questão de gênero. ... os trans frequentemente adotam o vestiário do gênero oposto. Mas como assim? Roupas tem gênero !?
Roupas trazem muitos conceitos e acabam esteriotipando quem as usa. .. Acho muito difícil uma pessoa que não baseia sua primeira impressão de alguém pela forma como a pessoa se veste. Já vamos logo categorizando a pessoa : desencanada (possivelmente de esquerda e mais libertária) ou perua (menos crítica e possivelmente passiva enquanto oprimida pelas regras) ou mais um monte de supostas tribos e posturas associadas a elas.
Seria lindo um mundo sem essas "fronteiras"!!
Beatriz

Anônimo disse...

Bom, aqui em Curitiba 70% do ano é um frio lascado, então é difícil ficar pelado, mesmo em casa,então o jeito é se agasalhar bem. Aliás, eu acho as roupas de inverno muito elegantes, tanto pra homens quanto pra mulheres.

Mila disse...

Nunca tinha parado para pensar sobre o ocorrido com a aluna de Guiné-Bissau, mesmo sendo considerada "morena". O que vejo mais em negros é que às vezes as roupas são usadas como forma de parecer ter um status social a fim de pelo menos não sofrer preconceito social. (Já passei por essa experiência. Costumo ser melhor atendida se estiver vestida em roupas formais, como as que eu uso no trabalho).

Com relação a lingerie, questão levantada pela Bizzys, enfrento isso quando vou comprar calcinha. Gosto de usar algodão e não as horríveis de microfibra. No entanto, noto uma dificuldade de achar calcinhas com esse tipo de material. A maioria são com estampinhas meio infantis, acabo comprando essas mesmo.

Anônimo disse...

O vestuário é usado contra as mulheres de diversas formas:

Somos influenciadas a usar salto para ficarmos mais altas e sensuais, e acabamos lascando a coluna

A moda cria roupas com manequins cada vez menores para tentarmso alcançar corpos q para muitas é impossível

Em algumas religiões as mulheres são obrigadas a vestirem roupas q cobrem todo o corpo

Ou seja,a roupa no fundo só serve para nos oprimir

Anônimo disse...

Acho q não devemos lutar contra a moda, mas torna-la menos opressora.

SErio q precisamos de saltos tão altos? Estilistas não sabem q isso afeta a saude?

Precisamos mesmo de roupas tão justas, q só as muitissimo magras podem usar? Estilistas são incapazes de fazer roupas bonitas para pessoas normais?

E calcinhas? Precisam só criar modelos de material sintético, q faz mal a saúde da mulher? Não se acha mais nada de algodão!!

A impressão q fica é q a moda, uma industria liderada por homens, mas q deveria atender as mulheres, só serve a um propósito: nos destruir

Anônimo disse...

Jonas Klein!

Sempre brilhante no comentário, não falou mais para não ofender, parece aquela piada do cara que apanhou de um grandão e no final disse: Viu como ficou a mão dele!
Não pode falar mal do capitalismo, vem logo um bobo vomitar emprego e renda, emprego e renda é uma face da moeda, a outra é exploração, de pessoas, de recursos, não que isso é inexistente nas fracassadas experiencias comunistas ao redor do mundo, mas no capitalismo também tem.
Outra coisa, ò Nobre e Sábio Jonas, não meça o mundo pela sua regua,você Kal Dos Direitistas, não se incomoda com moda,mas o mundo sim, e isso toca muitas pessoas, que não são iluminadas como tu.(Insira o que pensa sobre o Jonas).

Aline disse...

Continuando no assunto Lingerie, que a Mila e a Bizzys comentaram, paramim, o grande problema é sutiã. 99% têm enchimento e eu nao suporto enchimento. Gosto do arame embaixo em alguns modelos meia-taça mas DETESTO os enchimentos. Como tenho seios pequenos é quase impossível encontrar um sutiã normal. Dez. quinze anos atrás, eu nao tinha esse problema pq nao era tao forte essa "exigência" de peitos enormes/inflados, entao encontrava-se modelos de todos os tipos. Lembro que, na última vez que tentei comprar sutiã no Brasil (moro no exterior há 5 anos), a vendedora ficou insistindo em me mostrar "uns modelos lindos" "que realçam o busto" mesmo quando bati o pé dizendo que eram todos horrorosos. Daí ela fez um muxoxo e foi catar UM (UM ÚNICO) modelo esquecido no fundo de uma gaveta empoeirada. Sério, missão impossível rsrsrsrs

Anônimo disse...

Diva

Fiquei revoltada com o que o imbecil FDP falou pra menina de Guiné Bissau!
Nem que ela tivesse de minissaia o babaca tinha o direito de ter falado o que falou pra ela.
Sinceramente, já engoli muito sapo mas ando cuspindo na cara de quem quer enfiar pela goela, e se eu tivesse na pele dela ia falar pro viado que eu cobro tanto quanto a mãe dele(sei que a mãe não tem culpa, mas, pra babaca machista não se deve ter educação)!


Ps: quanto questão de roupa, eu não curto curta pq sou meio moleca, e confesso que uso peças mais femininas quando se trata de festa ou evento especial, mas, não ligo pra Moda e sinceramente, TO cagando pra quem achar que pareço meio "macha" kk, ou se tiver feminina sou "mulherzinha", pessoa(seja homem ou mulher) que define a outra pela roupa não passa de um(a) babaca. Sou casada, mas trabalho, pago minhas contas e pra quem fica regulando mulheres pelas roupas, eu quero que sempre vejam esta dancinha fofa em homenagem à todos preconceituosos caga-regras:

https://www.youtube.com/watch?v=gN4XW0hcDC0

Thomas disse...

Bom, na minha opinião vocês deveriam se informar sobre moda e se vestir bem sim. Não precisa gastar muito pra se vestir bem, em brechós em sampa você encontra até peças de grife caríssimas a preço de banana.

Acho importante e saudável ter estilo. Não importa se você gosta de grife ou de peças baratas: o importante é ter estilo, pois estilo é tudo nessa vida.

Uma mina que não tem estilo não tem a menor chance com caras como eu. Sério, esse é meu primeiro filtro pra mulheres: se eu vejo que a mina não tem um senso estético minimamente apurado pra se vestir, eu coloco ela na friendzone.

Anônimo disse...

reclamem com os gays que vcs tanto defendem, a maior parte, senão todas,de estilistas são gays.
essa n podem jogar nas costas dos héteros.
ah, n esqueçam das estilistas tb

Anônimo disse...

Ser mulher não é calçar nossos sapatos! Não deixem que os machos ocupem nossos espaços!

Anônimo disse...

Tb acho raro encontrar qualquer coisa de algodão, ficar confortável para quê? Só encontro lycra e outros tecidos que grudam no corpo.
Calcinha e sutiã só pela net, tb é raro achar de algodão, mas eu tenho alergia a outros tecidos.
A tática para obrigar mulheres a usarem salto alto é que fazem sapatos de salto incrivelmente lindos e os mais baixos bem feinhos, como eu n suporto salto, tenho que usar esses mesmo.

Anônimo disse...

Uma mina que não tem estilo não tem a menor chance com caras como eu.

Claro, não existem diversos estilosos, só o seu e mulher tem que seguir, afinal, só nascemos para te agradar.
Babaca.

camila santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zero disse...

bem, choverá nego me xingando, mas eu não ligo:

"moda", como o próprio nome diz é apenas uma moda, fútil e vazia, que preenche temporariamente a cabeça dos ignorantes.

as pessoas estão cada vez mais "cegas" e impensantes, fazem apenas o que o vizinho faz.

quando "surge" alguma moda, todos imitam com a certeza (ou até obviedade) que outros farão igual.

se vejo os seres humanos como meros "macacos de imitação" não me culpem, culpem a merda da minha cidade, porque só tem gente assim....

TUDO que é "moda" (roupas, musica, etc.) essa bosta de cidade copia, e depois tudo simplesmente "some" quando surge novas modinhas... pífios...

Anônimo disse...

"... pois estilo é tudo nessa vida" - Obrigada, vou meditar agora. Sempre as opiniões mais valiosas, principalmente para nós que sempre sonhamos em ter uma oportunidade de ficar com você, que é o máximo.

Anônimo disse...

Thomas, FODA-SE! Ninguém se importa com a sua opinião de merda...

Anônimo disse...

Thomas,

Sabe o que seria ótimo pra melhorar o seu estilo a níveis astronômicos? Você pegar um facão bem afiado, prender esse facão em alguma superfície dura com a ponta virada pra cima, ficar pelado, sentar em cima do facão até a lâmina penetrar completamente em seu orifício anal. Daí você gira.

Vai ficar tão lindo e estiloso que todo mundo vai se admirar! A dica vale também para todos que pensam como o nosso querido Thomas.

Zero disse...

bom, não quero ser advogado do diabo, mas...

é claro que há uma pressão sobre como mulheres devem agradar, mas não há o contrario?

bom, não tenho total certeza, porque nunca perdi tempo com relacionamentos.

mas uma vez li num site de noticias, tinha lá uns comentários e um deles era sobre um cara desabafando que praticamente perdeu o pau, e não conseguia nem urinar direito por uso daquelas bombas aumenta-pau.

aí ele disse:

"prefiro ter pau pequeno e ser traído do que estar passando por isso agora".

se ele mentiu ou não, não sei.

mas que há homens que se sentem pressionados pra "agradar" e "conquistar" mulher há.

OBS: não quero desvirtuar, apenas comentei meio OFF sobre um dos comentários.

1 - sei que isso é "machismo" (o pensamento do cara.

2- só quis relatar isso, achei "curioso".

Anônimo disse...

Uma ejaculação tem o potencial de fecundar quantos óvulos? Dissertem.

Anônimo disse...

Lembro que já tentaram de tudo pra me fazer ficar mais "apresentável", mas é uma batalha perdida. Só uso calça jeans, camiseta e tênis ou então chinelinho. A verdade é que cada um devia poder se vestir como bem quisesse. Mas confesso que nem entendo de moda nem o assunto me interessa; não vou enriquecer muito esse debate, então vou apenas acompanhar.

Thomas, eu não tenho estilo nenhum, viu? Levanto e visto a primeira roupa que encontrar no armário, calço um tênis e vou embora. Estilo zero. Nada a ver comigo. Não tenho estilo nenhum. Nenhum. Absolutamente nenhum. Estilo zero.

camila santos disse...

17:39 Não sabia dessa das pessoas serem/
fazerem coisas por causa da sexualidade. Já
perceberam que pouquíssimas mulheres ficam
cobrando homens em relação a estilo? Se o cara
não gosta de mulher que não tem "estilo" não namore simples o que não pode haver é um
bando de pirralhos querendo que mulheres se
vistam do jeito que eles acham que elas devem se
vestir parecem criança jesus! Só não sei como
esses tipos conseguem namoradas.

Thomas disse...

Essas pessoas que me criticaram aí não devem nem saber quem é Alexander Wang.

Estilo é tudo nessa vida sim. Se uma pessoa não se preocupa com o que ela veste, isso diz muito sobre a personalidade e caráter dela. Ela provavelmente não deve se preocupar em arrumar a casa, em cuidar do corpo, em tomar banho, em ter opiniões bem fundamentadas.

Eu acho que todo homem deve ter padrões mínimos pra aceitar ficar com uma mulher, e o primeiro padrão é a moda.

Se vestiu mal, não tô nem aí se você é bonita, vai direto pra friendzone. Até porque, há um oceano de diferença entre andar de mãos dadas com uma mina que sabe se vestir de um jeito estiloso e andar com uma mina desleixada.

Andar com uma mina estilosa complementa meu próprio estilo e eu complemento o estilo dela.

Parem com esse papo aí de capitalismo ou sei lá mais o que, pra mim isso aí é desculpa pra não se vestir bem. É a mesma coisa de gente que fala que não tá nem aí pra música, é só uma desculpa pra não ter que se informar e continuar escutando bandas medíocres como Beatles.

Zero disse...

"Só não sei como
esses tipos conseguem namoradas."

porque mulher fica com qualquer merda. fato. não tem essa groselha de mascu de "escolhe esse ou aquele" e blábláblá.

QUALQUER merda.

o único merda que nunca comeu ninguém que eu conheci na vida sou eu mesmo... kkkkk

Anônimo disse...

Jonas Klein, você é parente da Natália Klein?

Zero disse...

"Já perceberam que pouquíssimas mulheres ficam cobrando homens em relação a estilo?"

acho que deviam começar. não só a estilo, mas sobre tudo. explore principalmente os pontos fracos.

esqueçam essa de "autoconfiança" masculina, isso não existe, no fundo são todos cagões.

só são porque sabem que vocês ficam com qualquer bosta e "arriscam" mais que os outros.

mas, não cobrem ou explorem ponto fraco de homens patéticos como eu por exemplo, isso é gastar munição em defunto, tem que ser com os metidos a "machão".

Thomas disse...

Anônimo das 18:33

Tem gente que não liga muito pro que veste, mas mesmo assim se veste bem. São pessoas que nasceram com estilo, é algo que vem da alma, da essência. É a única explicação que tenho pro fato de às vezes ver mendigos estilosos.

Talvez você tenha esse talento. Tem gente que veste camiseta, jeans e tênis e fica incrível. Eu sou uma dessas pessoas.

Mas esse talento é raro, então recomendo se informar sobre moda.

Compreenda que ser ignorante não é motivo de orgulho NUNCA. Às vezes vemos a Lola falando que não assiste tal programa, não conhece tal cantor, não acessa tal site com um certo orgulho, o orgulho de ser ignorante.

Isso é errado. Você deve se informar um pouco sobre tudo, pois é vergonhoso ser ignorante sobre alguma coisa. Saia da sua zona de conforto, aprenda sobre algo que antes não te interessava e enriqueça sua personalidade.

Veja eu, por exemplo. Posso falar sobre qualquer assunto, desde física quântica até BBB. Tenho orgulho disso. A Lola, se ela cair numa mesa de bar e galera estiver comentando sobre BBB, adivinha só. Ela vai ser a pessoa estranha no canto sem assunto que vai ter que ficar segurando o copinho de cerveja como escudo e fingindo rir de piadas e referências que não compreende.

Anônimo disse...

S2 ...Minha admiração só cresce!.. S2

Anônimo disse...

S2 Que homem de opiniões relantes e contundentes... S2

Anônimo disse...

Relevantes... Ai, fiquei tão emocionada que até me atrapalhei! Mexe comigo...

Aninha disse...

Thomas, disserte um pouco sofre física quântica, então.

Estou ansiosa para ouvir o que você tem a dizer.

Anônimo disse...

Inacreditável que em até um post cujo assunto é considerado "de mulher" me chegam UZOMI para falar bosta e vocês ainda batem palma para esses malucos dançarem.

Bia disse...

Cara, vc é hilário kkkkkkkkk ver bbbosta enriquece a vida de qualquer um, com certeza... Exatamente o quê, uma pessoa vai ganhar se informando sobre algo que n gosta? É só para aparecer para os amiguinhos, n parecer estranho? E vc diz que caga e anda para opinião alheia...
Teoria "interessante", se a pessoa n liga para moda, ela n liga para mais nada, n é inteligente, n arruma a casa.
Leram isso? Se não andarmos na moda, seremos fracassados, nosso cérebro n serve pra nada,toda nossa vida deve girar em torno da moda e agradar machos! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Eu gosto sim de me vestir bem, adoro sapatos, roupas e deveria e gastar menos dinheiro com isso... E claro meu namorado tem q andar bem vestido TB!!

nadiaschenker disse...

Quando eu era adolescente eu não ligava para roupas, até porque não tinha $$. Mas hoje em dia eu adoro me vestir legal. Tem algumas marcas que fazem roupas para o meu estilo e eu me sinto linda e feliz quando acerto um visu. E sabem como eu sei que acertei um visu???? Quando eu me vejo em alguma vidraça ou espelho e penso: Caralho! Vc tá gata hein!!!! Kkkkkk minha opinião é a melhor bússola!!! Até para o meu corte de cabelo, que muda a cada 3 ou 4 meses (inclusive a cor)!

Bia disse...

Eu realmente n entendo de moda e to me lixando para isso, mas vejo que isso deixa muita gente besta e fútil como o Thomas, que se acha um ser incrível por vestir determinada roupa.
Eu já tinha percebido que nossas roupas são para nos objetificar, tecidos nojentos que ficam grudados no corpo, tudo justo, curto, decote, salto alto.
Conforto zero, tem que parecer uma barbie inflável para agradar os machos.
N dá para esquecer das maquiagens, temos que usar tb, para "realçar nossa beleza", nossa cara natural n serve tanto assim.
Homens tb são zuados para seguir moda, mas n chega nem perto do que a gente tem que aguentar.

Raven Deschain disse...

Nada. Só a Ju Romano. De novo.

http://juromano.com/

Vivian S. disse...

Olha, so acho complicado dizer que roupa curta é uma coisa inventada pela indústria da moda machista para fazer com que as mulheres deixem seus corpos à mostra e assim possam ser consumidas com os olhos por todos os machos que assim desejarem. Não pode ser um senso estético? Digo, só porque é curta implica que a mulher, na melhor das hipóteses, tem um senso estético próprio que a faz sentir segura de si mesma, em paz com sua aparência, se sentindo bonita, mas que no fim das contas objetifica ela? Lembrando que ngm precisa estar com menos roupa ou mais pele à mostra pra sofrer abuso (vide a ajuda guineense).
Embora ache ótimo questionar a indústria da moda, que reforça estereótipos e cria necessidades irreais, não acho que a moda em si, enquanto expressão estética, é necessariamente machista. Senão voltamos ao velho mito da feminista que é mais feminista por não usar make, não curtir moda, não cuidar dos cabelos... oxi!!

Vivian S. disse...

*aluna guineense

Anônimo disse...

Vish! acabou o toddynho do thomas...

Anônimo disse...

Exemplo de mulher bem vestida: Amal Alamuddin. Exemplo de mulher mal vestida: Gisele Bundchen.

Anônimo disse...

Eu acho que a Lola devia excluir os comentários da Diva contendo homofobia, porque a homofobia também é nociva.

Sem falar que boa parte d@s homofóbic@s são machistas.

Fê Cardoso disse...

Hahahahhahahahahahaahhahahahaha.
Como viverei sabendo não ter a menor chance com caras como Thomas, o Perfeito?!
Sério, esses comentários só podem ser zoeira...

Anônimo disse...

Deixa a Diva, ninguém dá trela quando ela faz algum comentário homofóbico, diferente dos mascutrolls que um monte de gente fica dando a atenção que eles querem quando aparecem aqui pra comentar otariedades machistas. Não é justo apagar os comentários da Diva e deixar aí as escrotices do Thomas e de outros mascutrolls babacas.

Fê Cardoso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zero disse...

"tem que parecer uma barbie inflável para agradar os machos."

não, não tem não. eu já nem perco tempo mais, mas cansei de sugerir que se livrem dos homens pra sempre, vocês podem viver sem eles,

MAS, sempre me criticam e dizem que estou errado, mas SEMPRE vejo vocês reclamando dos homens...

fazer o que....

Anônimo disse...

(Atrás do sofá dentro de um círculo de sal grosso apontando uma vassoura com uma tampa de panela de escudo) NÃÃÃÃO, THOMAS!! NÃO! VOCÊ NÃO ENTENDEU NADA!! NÃÃÃÃO!!

*E depois ainda vem querer falar de ignorância... eu mereço...

Anônimo disse...

A mulher deve se vestir como se sente bem, e ponto final.

O problema é que as mulheres são as que mais julgam os outros pela forma de vestir.

Anônimo disse...

Diva

Anônimo que alega que eu seja "homofóbica"

Primeiro não sou e tenho consciência disso portanto não tenho que lhe dar satisfação.
Segundo, já fui machista sim porque recebi uma educação machista, mas não me mande ser gentil e coerente com babaca que gosta de ofender, agredir e humilhar porque não tenho delicadeza nem educação e nem coerência com fala merda misógina pra mulheres, e claro, que fale pra mim tb.
Se tá ofendido, meu bem, veja esta dancinha "fofa" abaixo, que dedico à você.

https://www.youtube.com/watch?v=gN4XW0hcDC0

bjinhos irônicos. :)

Denise Marinho disse...

Bee, tem uma loja chamada jogê q tem todo tipo de pijama!

Thomas disse...

Fê Cardoso, minhas exigências pra sexo casual são poucas. Ter estilo é o mínimo pra despertar meu interesse. Tenho minhas exigências sim e tenho orgulho disso. Tem gente que tem orgulho de pegar qualquer coisa por aí, mas essas são pessoas que provavelmente são inseguras, não se amam, não acham que merecem um relacionamento de qualidade.

Pra eu ter um relacionamento sério, minhas exigências são bem maiores:

- Se a mina curte Beatles ou The Doors, perca a esperança de me namorar.

- Ela tem que ser vegana e não pode ser seguidora de qualquer religião (isso inclui astrologia)

- Se tinge o cabelo de vermelho, loiro, verde, roxo, azul ou qualquer outra cor não-natural: a porta é a serventia da casa.

- Não aceito mulher que fala alto no celular em ambientes públicos.

- Não aceito mulher que anda na rua olhando pro celular ao invés de olhar pra onde está andando.

- Não vai namorar comigo se for feminista ou fizer parte ativa de qualquer ideologia, pois isso demonstra limitação de pensamento e eu não me atraio por pessoas limitadas intelectualmente.

- Não aceito mulheres que matam qualquer tipo de inseto ou exigem que o namorado mate baratas ou aranhas.

- Tem que ter bom gosto pra cinema. Se você acha que bom gosto é curtir filmes da Marvel, é pé na bunda na hora.

- Tem que saber cozinhar. Não pra mim, pois eu sei cozinhar. É que eu não aceito mulher que não sabe fazer a própria comida.

- Aproveitando o item anterior, obviamente não aceito mulher que não sabe lavar e passar a própria roupa e não sabe limpar a própria casa.

- Tem que praticar algum esporte ou atividade física com frequência. Não aceito sedentarismo, não aceito quem não cuida do próprio corpo.

- Não aceito mulher corintiana.

- Não aceito mulher com tatuagem em lugares visíveis.

- Tem que saber se defender numa briga. Mulher que não sabe pelo menos algo de jiu jitsu e boxe: não aceito. Não acho nada atraente mulher que não saiba se defender.

- Não pode gostar de videogame. Acho papo sobre videogame insuportável, coisa de autista.

- Não pode ser nerd.

- Não pode ler best sellers.

- Não pode tirar aquelas selfies fingindo que a foto é espontânea. Isso diz muito sobre a personalidade de uma pessoa, geralmente é coisa de gente rasa.

- No mínimo tem que ser bilíngue. Tem que saber conversar e se expressar bem, não é nada atraente uma mulher que gagueja muito ou tropeça em palavras na hora de falar.

- Tem que ser pontual, sempre. Não tolero atraso. Atrasou, me perdeu.

- Se a sua ideia de férias é viajar pra NY por duas semanas todo ano, procure outro cara.

- Tem que entender o mínimo sobre Linguística. Uma mulher que não sabe pelo menos um pouco sobre os mecanismos gerais da própria expressão linguística não tem nível pra me namorar.

Essa foi apenas uma amostra da minha lista. Tem muito mais coisa, mais algumas páginas pra ser exato. Qualquer dia eu posto outra parte.

Lidem.

Anônimo disse...

Traduziu o que nunca consegui dizer. O empoderamento tem que ser, em primeiro lugar, financeiro, sem dúvida.

Raven Deschain disse...

Lola, apaga isso. Por acaso é agência de encontro e o Toody é o prêmio?

Troço ridículo.

Raven Deschain disse...

*toddy

Anônimo disse...

Gente, vamos parar de dar audiência pra esse cara? Ele só vem aqui para tumultuar. Vamos ignorá-lo.

Thomas disse...

Tumultuar? Eu sempre comento algo relevante ao post e vocês desvirtuam a discussão que proponho.

E óbvio que não é agência de encontro. O fato de vocês serem feministas já elimina todas vocês. Eu só tava ilustrando meu ponto pra Fê, que achou um absurdo o fato de eu achar fundamental que uma garota tenha senso estético pra moda pra me atrair.

E eu comentei o lance do senso estético porque o post da moça e alguns comentários simplesmente banalizam a moda como se não fosse algo importante, como se não fosse uma fonte rica de expressão.

A moda é impositiva em religiões como o islamismo. Aqui no ocidente você é livre pra se vestir da maneira que quiser, se expressar na moda da maneira que você quiser. Não é necessário usar salto se você não gosta disso, não é necessário usar roupa justa ou curta se você não gosta disso.

E a moda vai muito além de ser uma tática pra agradar um gênero. Moda depende muito de cultura e varia muito ao longo das décadas e séculos. Mas fato é que moda faz parte inerente do ser humano. Se nós existimos, nós precisamos nos expressar. Se expressar visualmente é a maneira mais pura de expressão que existe.

Aí vocês vem com esse papo de capitalismo e não sei mais o que e reduzem uma parada profunda, estudada academicamente no mundo inteiro pra algo banal.

Melhorem porque o negócio tá fraco aqui hoje.

Julia disse...

É... o Thomas tá pedindo BAN.
Está flodando a caixa de comentários.
Quem concorda levanta a mão.

Julia disse...

Diva, adorei a dança do foda-se. Completamente viciante. E serve pra tudo nessa vida. Só não entendi porque o vídeo só tem 5 minutos.

Anônimo disse...

Quando que a Lola vai falar da afro-descendência dela? Fia, acorda, tu é parda, mas não chega a ser negra! Vergonha alheia.

Anônimo disse...

Moda é realmente importante, basta ver a imposição de modelos anoréxicas que ferram a mente das próprias modelos e centenas de mulheres.
E de onde tirou q todos podem se vestir como quiser? Tem regras para escola, trabalho, casamento, festa... Sempre tem um babaca pra te criticar se n estiver vestido de acordo com o próprio gosto da pessoa q se o acha o fodão em moda.
Tinha um programa na TV assim mesmo, " amigos" metiam o malho em alguém para o próprio bem da pessoa, a indicava para o programa para aprender a se vestir direito e daí a gente olha para a cara dos "amigos" e vê q eles estão longe de estarem na moda.
Só sai gente fútil e idiota nesse meio.

Kittsu disse...

Rindo horrores da lista de exigências aqui. É, infelizmente não vou poder casar e ter filhinhos com o tominhas, que triste... hahahahahahaha

Me fez lembrar da minha própria "lista de exigências" de quando eu tinha 13 anos. Não podia ter cabelo no peito e barba... HAHAHAHAHAHA


Vou confessar uma coisa: De comentário, da maioria desses caras eu simplesmente pulo pro próximo. Incluindo aqueles que o cara se finge de mulher pra falar asneira. Mas de algumas pessoas dá até gosto dar uma lidinha, porquê sai cada coisa engraçada que dá até pra ficar de bom humor.
Mas ultimamente eu nem tenho lido comentário, mesmo... Gosto bastante de ficar conversando nos comentários, mas tem época que dá uma preguiciiiinha...

Anônimo disse...

Vou memorizar cada justo critério. Me orgulho disso!

Camila Dias disse...

Aconteceu uma coisa interessante comigo relativa ao texto:

Há alguns finais de semana atrás a mãe e o pai do meu namorado vieram aqui onde moramos, como é rotina, pra visitar e trazer algumas compras e roupas limpas do meu namorado que ela leva pra casa pra lavar (aqui nós não temos máquina de lavar roupa, e eu só lavo as minhas).
Eu tinha deixado algumas roupas em cima da cama, que havia retirado do varal, e fui guardando enquanto minha sogra arrumava as do meu namorado no roupeiro.
No outro dia fui pegar minha calça jeans pra ir trabalhar e não achei em lugar nenhum, pensei até que minha sogra tinha levado, o que achei estranho, pq nunca dou roupa minha pra ela lavar. Deixei quieto.
Alguns dias depois meu namorado estava mexendo no roupeiro e eu por ali, e com o que dou de cara, pendurada no porta cabide? Minha calça jeans perdida!
Conclusão: a mãe do meu namorado guardou nas coisas dele, achando que realmente era dele.
Pq sim, eu uso roupa o mais básica possível, e as que são mais chamativas ganhei de outras pessoas, como a maioria delas. Então imagino que minha sogra, que se espelha no visual e estética das panicats (não sei se tb na "filosofia", de que a roupa é para uma pessoa vaidosa o que uma mulher é para um homem - acessório), deve pensado que a calça era do meu namorado por ser enorme (e por enorme entendam tudo o que não é 38-40 kkkk) e super básica.
Enfim, tem gente que ainda associa roupa a gênero :p

Rodrigo disse...

Gente, por que vocês ainda respondem esse thomas? Não é óbvio que o sujeito é só um troll em busca de atenção? É só ignorar.
Embora um BAN por IP possa ser mais efetivo.

Zero disse...

não porque não somem com esse cara daqui, motivo não falta.

mas, como ele tá aqui...

farei o que faço em meu twitter, zuarei ele de forma criativa mas "humilhante", tipo um "roast".

sei que algumas aqui não gostam de mim, mas talvez gostem do "roast"..

Camila, Julia Kittsu e Raven? pode ser?

Anônimo disse...

Ah, Camila Dias, achei muito mais estranho sua sogra arrumar as roupas do seu namorado que ela achar que uma calça jeans grande e básica pudesse ser dele.

Anônimo disse...

Enfim, tem gente que ainda associa roupa a gênero

n tem nada a ver, a gente vê direto homem com sutiã, calcinha fio dental, botas de cano longo, minissaia...

Anônimo disse...

Desde quando só querer falar com quem pensa igual é discussão?

pp disse...

Lola, com certeza moda não está atrelado ao consumismo. Do jeito que falei parece até que sou super especialista neh, hahaha. Sou apenas uma mulher feminista que gosta muito de moda e de observar como as pessoas se vestem (no aspecto cultural).

Acho interessantíssimo ir a ambientes diferentes e observar as cores que as pessoas usam, os tecidos, etc.

Acredito que as pessoas que têm mais estilo próprio, ou seja, utilizam a vestimenta de forma a expressar algo, não costumam ser consumistas, não costumam sair comprando tudo que é tendência. É claro que uma modinha ou outra acaba agradando, mas não é aquela loucura de estar super atualizada.

Depois de ver algumas pessoas falando comecei a observar como que na Europa as mulheres são menos apegadas a essa ideia de roupa sempre com cintura marcada, justa, etc. Será que elas são menos sexualizadas? Acho as europeias muito estilosas e livres (minha visão de turista).

Moro em BH e acho que as mulheres se vestem muito iguais, sem identidade. Não é possível que todo mundo goste das mesmas coisas (os homens são mais uniformizados ainda). Agora que tenho começado a perceber um avanço nisso com as meninas de 20 e poucos anos.

Acho que a moda pode empoderar as mulheres, é apenas uma questão de como ela é usada.

Agora, quem não liga para como se veste e isso não influencia na autoestima, tem mais é que gastar o tempo e dinheiro com outras coisas mesmo.

Lolinha, sabe oq ta chato aqui no blog? Os comentários estão muito bobos. O povo fica respondendo esses trolls, ficam até se fazendo de idiota dando atenção pra isso. Claro que sempre vai ter conflito, mas pelo amor da Deusa neh? Acho que essa imaturidade até prejudica o feminismo. Claro que essa não é sua responsabilidade, mas queria desabafar. Mil beijos!

Julia disse...

Também achei um absurdo. Além de lavar ainda guarda no roupeiro...

Camila Dias disse...

Me pergunto o que eu NÃO acho estranho nela kkkk e acho que é recíproco :)

Julia disse...

Acho que é muito ibope pra pouca merda, Zero. Além disso ele já se zoa sozinho, não precisa da nossa ajuda

Zero disse...

"Se a mina curte Beatles ou The Doors, perca a esperança de me namorar."

- tem cara de quem dança de sunga vermelha pela casa escutando Wesley Safadão.

"Ela tem que ser vegana e não pode ser seguidora de qualquer religião (isso inclui astrologia)"

- não que religião preencha, mas uma mente vazia é garantia pra ele.

"Se tinge o cabelo de vermelho, loiro, verde, roxo, azul ou qualquer outra cor não-natural: a porta é a serventia da casa."

- esse curte mulher careca, e talvez chupar um careca também.

"Não aceito mulher que fala alto no celular em ambientes públicos."

- se estando contigo, ela falar com outra pessoa no celular, putz.

"Não aceito mulher que anda na rua olhando pro celular ao invés de olhar pra onde está andando"

- na tua companhia, até celular desligado é mais interessante.

"Não vai namorar comigo se for feminista ou fizer parte ativa de qualquer ideologia, pois isso demonstra limitação de pensamento e eu não me atraio por pessoas limitadas intelectualmente"

- falou o espectador de BBB.

"Não aceito mulheres que matam qualquer tipo de inseto ou exigem que o namorado mate baratas ou aranhas."

- ele tem medo de aranha.

"Tem que ter bom gosto pra cinema. Se você acha que bom gosto é curtir filmes da Marvel, é pé na bunda na hora."

- só filme "cult" que ele vê varias vezes antes, pra fingir que entendeu e parecer intelectual.

"Tem que saber cozinhar. Não pra mim, pois eu sei cozinhar. É que eu não aceito mulher que não sabe fazer a própria comida"

- é a lei da cadeia. é noiz, mano.
cada um com seu prato. se tentar pegar leva uma garfada na mão.

"Aproveitando o item anterior, obviamente não aceito mulher que não sabe lavar e passar a própria roupa e não sabe limpar a própria casa."

- "própria casa". sim, ele ainda vai morar na SUA casa, no mínimo deve tá devendo o aluguel.

"Tem que praticar algum esporte ou atividade física com frequência. Não aceito sedentarismo, não aceito quem não cuida do próprio corpo."

- é desculpa pra ele ficar perto de personal trainer.

"Não aceito mulher corintiana."

- que medo ele tem de mulher. (corinthianas costumam ser mais, "fortes").

"Não aceito mulher com tatuagem em lugares visíveis."

- tatue o cu. tudo por esse donzelo adorável.

"Tem que saber se defender numa briga. Mulher que não sabe pelo menos algo de jiu jitsu e boxe: não aceito. Não acho nada atraente mulher que não saiba se defender."

- Lei Maria da Penha hein? mas deve ser tão frango que um chute põe em coma.

"Não pode gostar de videogame. Acho papo sobre videogame insuportável, coisa de autista."

- ele sabe que tudo é mais interessante que ele, tem medo até de videogame.

"Não pode ser nerd."

- nem burra nem nerd. seja um papel em branco, pra ser preenchido com esse suprassumo de homem.

"Não pode ler best sellers."

- claro, você não pode ser mais intelectual que o seu donzelo.

"Não pode tirar aquelas selfies fingindo que a foto é espontânea. Isso diz muito sobre a personalidade de uma pessoa, geralmente é coisa de gente rasa."

- de novo o celular. meninas, pra ter esse deus grego em casa, joguem o celular fora.

"No mínimo tem que ser bilíngue. Tem que saber conversar e se expressar bem, não é nada atraente uma mulher que gagueja muito ou tropeça em palavras na hora de falar."

- tem que ser bilíngue, pra poder discutir BBB em espanhol com ele.

"Tem que ser pontual, sempre. Não tolero atraso. Atrasou, me perdeu."

- além de morar na SUA casa, é VOCE que tem que buscar o donzelo em casa.

"Se a sua ideia de férias é viajar pra NY por duas semanas todo ano, procure outro cara."

- "procure outro" eu acho que elas já fazem isso.

"Tem que entender o mínimo sobre Linguística. Uma mulher que não sabe pelo menos um pouco sobre os mecanismos gerais da própria expressão linguística não tem nível pra me namorar."

- namore o Prof. Pasquale.

Anônimo disse...

Comprei duas calças 'montaria' no outro dia que me caíram muito bem. Quem fabricou o pano, quem fez a modelagem, quem executou as roupas, quem as levou para a loja? Eu, não. Tudo foi escolhido e feito antes de eu provar e comprar! E comprei porque preciso me vestir. No big deal.

Camila Dias disse...

Esse cara veio aqui, num blog feminista, pra mostrar os requisitos de preenchimento de vaga pra namorada dele? Qual a moral??
Como já me disseram aqui no blog, "nem vou zoar. Vai que é doença."

Anônimo disse...

Deixem o Thomas postar o resto, tá hilário, quero ver até onde vai o nível de loucura kkkk

Zero disse...

"tem uma historia dum Thomas, que morrendo de auto-felação nos braço da mão, perguntou assim:

- no céu tem Toddy? e morreu...

Ingrid Bezerra disse...

Eu uso todos os dias calças leggin, suplex, lycra... ADORO! Simplesmente porque é MUITO confortável, é fácil de lavar e de secar, de botar no corpo, não encravam meus pelos... Tudo de bom!
Não é para chamar a atenção de ómi. Estou sempre correndo, vou de um lugar para outro tão rápido com os pensamentos tão focados nos meus destinos e nas tarefas do dia que nem vejo homem.

Como essas calças marcam bem o corpo, sou obrigada a usar blusas longas até o quadril porque já aconteceu de uns caras ficarem olhando lá pra baixo nada discretamente me constrangendo... Muito chato isso. Nada a ver agir assim. Os pacotinhos dos homens sempre aparecem marcados nas calças de boa e ninguém acha indecente. Acho que já tá na hora dos ómis começarem a crescer e deixar de ser bobões com esses comportamentos. Coisa de otário, ficar olhando chatamente as partes marcadas da mulher como se estivessem vendo um ser de outro planeta.

Claro que de vez em quando eu gosto de fazer uma produção mais elaborada, gosto de algumas roupas de melhor qualidade, etc. Mas isso não toma a minha cabeça, não me interesso por consumismo de roupas exacerbado.

O que eu gosto eu gosto mesmo, desde sempre, independente de moda. Roupas tipo de academia para o dia a dia, couro, lingerries bonitas, roupas indianas, blusas de tule, crochê, botas (salto baixíssimo sempre) etc para quando estou inspirada e quero me produzir melhor.

No alto verão detesto usar roupas também.

Boa noite pessoal. :)

Ingrid Bezerra disse...

Esse thomas é tão doente... tão doente...

Raven Deschain disse...

Mas Camila e Zero... Nem mulher não feminista pega esse cara. Quer dizer... Não curte Doors, nem video game e não lê best sellers...

Vai conversar sobre oq com essa pessoa? Bbb, mesmo? Really? Só tem assunto pra três meses no ano?

Não é que eu não goste de vc, Zero... É só q as vezes cê fala muita merda, véio. Mas na boa... Kkk depois dessa do Toddy... Continue.

Anônimo disse...

euri da "no céu tem Toddy?", confesso.

Raven Deschain disse...

Ah como alguém disse aí encima, aqui em Curitiba estamos com o rabo congelando. Tá frio pra danar. E eu tou louca por uma bota 'over the knee' que tá na moda agora. Qualé? Joelho quentinho. Existe tendência idiota? Claro. Mas tecnicamente ninguém é obrigado a usar tutu de babado dourado com pérolas se não estiver a fim. Eu só uso preto. E não interessa que a cor do ano seja o tal marsala, não uso e pronto. Mas aceito que exista gente com menos senso crítico e mais "mentalidade de manada" (vi essa expressão num site reaça e me racho de rir). Eu só acho que a maioria da população brasileira não tem tempo nem dinheiro pra essa merda de "moda". E por moda, digo combinar um sapato com uma bolsa, não digo nem em "cor do ano". Quem disse aí encima que não precisa gastar pra andar bem vestido está apenas parcialmente certo. Essa tal bota que eu quero não custa menos de 200. Pra maioria das pessoas (eu inclusa), isso é um absurdo! Tenho conta pra pagar. Não vou torrar grana em vestimenta supérflua quando posso perfeitamente me virar com uma mais em conta ou com meu all star.

Camila, tua sogra é a mesma que a minha? A minha entra na minha casa escondido pra lavar a louça pq o neném não pode. Kkk ela espera eu sair pro trabalho e lava a louça, varre o chão, arruma o guarda-roupa. Bem louca. Haha

Julia disse...

Essa foi boa, Zero rs

Julia disse...

ai Raven, como pode uma coisa dessas? Que coisa bizarra.

Raven Deschain disse...

Ah. Único filho homem, mimadinho... Ela lambe o chão que ele passa. Fazer oq? Já deu briga demais. Eu nem falo mais nada.

Anônimo disse...

Raven, me empresta a tua sogra?

Meu sonho dourado, uma sogra que invada a minha casa, lave a louça e arrume o meu armário.....

Rodrigo disse...

"Acho que já tá na hora dos ómis começarem a crescer e deixar de ser bobões com esses comportamentos. Coisa de otário, ficar olhando chatamente as partes marcadas da mulher como se estivessem vendo um ser de outro planeta."

Ta aí uma coisa irritante. Agem feito uns neandertais esses caras. E é só mais uma demonstração de "masculinidade", porque neh, o cara é "macho" (tão macho que precisa demonstrar isso pros outros o tempo todo) aí fica babando nas bundas o tempo todo.
E ai daquele que não faz isso, "esse cara é viado", "tem alguma coisa errada com ele, ele não olha pra bunda da gostosa", é o que dizem os neandertais se você não fizer o mesmo que eles, torcer o pescoço e fazer algum comentário idiota...

Anônimo disse...

Vc pensa q isso e sonho. Sogra geralmente e pesadelo pra nos mulheres. Triste, mas e a verdade. Elas muitas vezes tem essas atitudes de "ajudar" , mas no fundo e uma forma de tentar manter o controle sobre a vida do filho. Muitas veem a nora como rival. Coisa de louco

Anônimo disse...

Cuidado com essa sogra. Isso nao e amor. E controle. Experiencia propria. Meu casamento so ficou 10 depois q nos afastamos dos pais do marido. O homem q e mimado por pai e mae nunca amadurece, fica spre um menino de 5 anos, e isso obvio e pessimo pro relacionamento

Kittsu disse...

sogra não. .. Mas um vizinho que fizesse isso seria um sonho.

Anônimo disse...

Ela transformou um discurso sobre Oq vestir em um "conceito filosofico",
olha, se não quer usar tão tipo de roupa, ou prefere usar a roupa A ou a roupa B, use, não precisa criar uma discussão pra algo tão fútil
e claro, aquele discurso do oprimimimido de que não vai fazer certas coisas pq os amigos homens da vizinha da amiga da tia vaoi gostar ou não pq a sociedade é machista homofóbica burguês branca hetero (sempre riu quando escrevem assim)
o feminismo peca nisso, mulheres fortes, mas covardes e mimisentas que apontam o dedo e dizem que não podem fazer isso por causa dele ou dela

Kittsu disse...

sogra não. .. Mas um vizinho que fizesse isso seria um sonho.

Raven Deschain disse...

Off-topic: http://www.buzzfeed.com/floperry/e-assim-que-as-lnsbicas-fazem-sexo

Recomendo especialmente pra Julia e pra Ingrid. Hahaha muito bom.

Anônimo disse...

HUAHUAHUAHUAHUAHUA! Pra quem pergunta por que a gente discute com trolls, tá aí, gente: pra conseguir essas pérolas do humor involuntário que nem "A Lista da Mulher Ideal" do Thomas Toddy. É de graça e melhor do que as piads do Danilo Chatilli.

"Não aceito mulheres que matam qualquer tipo de inseto ou exigem que o namorado mate baratas ou aranhas." É pra toda vez que for preciso se livrar de um inseto ela chamar o dedetizador bonitão, né? Lamento dizer, Toddy, mas se chamar o dedetizador a mulher vai é fugir com ele.

Raven Deschain disse...

Não, anon. Vc não entendeu. Kkk

Ele como religiosamente vegano não gosta de matar insetinhos. Ainda bem que não é de Curitiba neh? Queria ver ele passar o inverno aqui sem matar UMA aranha marrom inocente. Bicho venenoso e traiçoeiro. Tipo o Thomas.

Jonas Klein disse...

Anon 17:01

"E calcinhas? Precisam só criar modelos de material sintético, q faz mal a saúde da mulher? Não se acha mais nada de algodão!!"

Vocês já pararam cogitar possibilidade de fabricarem roupas e calçados fora do estilo mais convencional?

Pois pelo que já vi o mercado ia ser muito grande para isto, pois tem muita mulher não curte as roupas que tem no comercio. e gente ou não estrou brincando, estou falando de uma faixa de mercado com excelente potencial de lucro...


Anon 18:44

Olha a Natália em algum grau deve ser minha parente sim, mas ela e uma parente muito distante tanto que nem conheço ela, a minha família e muito grande em função disto frequente mente eu encontro pessoa com mesmo sobre nome que meu...


O pessoal parem de dar bola para estes trolls que vem caga aqui, deixem eles falando sozinho ate cansarem e irem embora.

Anônimo disse...

WOW!!! Post show!!! o/

Acho que moda em si, como é hoje é sim opressora, pelo fato de que a mulher deve servir a roupa, e não o contrário.

O número da etiqueta diz "36", "38", "40" mas a verdade que esses tamanhos cobrem mal e porcamente uma mulher manequim 34.
Aí você prova trocentas calças e blusas e nada se acerta. Caímos nesse momento na armadilha de que há algo errado com o nosso corpo, e não com a maldita roupa. E é essa padronização do corpo e a roupa que é opressora.

O mesmo acontece com calcados. Eu gosto de saltos largos e de no máximo 5 cm. Mas e pra achar um assim???

Roupa íntima é outro tormento. Moro na Alemanha e quanto as roupas de cima não é assim tão difícil. Eu diria que é bem diverso (até por que alemão é um povo grande, e se só vendessem 34, todo mundo andaria pelado)

Mas calcinhas é um capítulo a parte. Ou é enfiada no c* ou do tamanho da bandeira na frente do Bundestag. Miraculosamente eu encontrei uma meio termo que não possuem costuras e são super confortáveis e bonitas. Mas não é todo lugar que vende e nem é barato. Quando eu acho em promoção
compro várias, porque só deus sabe quando vou encontra-las novamente.

Jane Doe

Camila D disse...

Ele deve ser daqueles que não gosta de mulher que fala ;)
Esses dias joguei no google a palavra "masculinismo" (que, na boa, achei q era piada, mas existe mesmo) e li uma pérola onde o cara dissertou sobre as vantagens se "se relacionar" com as Real Dolls, que isso poderia ser a salvação dos homens kkkkkkkkkkkk
Quer saber? Achei ótima a ideia. O melhor q esses caras podem fazer é continuar evitando mulheres (y)

Anônimo disse...

"todo homem que vê uma mulher com calça assim pensa e faz comentários sexuais, eu sei que você não quer isso"

O namorado também não ajuda né...

Ele não é homem? Ele se comporta assim? O cara generalizando o proprio sexo para convencer a namorada a deixar de usar uma roupa é uma das coisas mais toscas que tem.

Anônimo disse...

Gente por favor, moda é uma forma de se expressar. É tão forte quanto pintar ou escrever. A industria produz uma demanda absurda, a moda nunca foi tão eclética e permissiva como é hj.
Acho que a autora do texto não consegue se expressar atravez da moda e põe um peso alem do necessário nas costas do setor.

Camila D disse...

O engraçado, Raven, é que meu namorado é filho único tb kkkkkkk acho que minha sogra tem TOC, mas nada grave. Meu namorado conta que eles brugavam por qlq coisinha, pq ela gosta que as coisas sejam feitas tudo na hora q ela quer, e ele é leeerdo... às vezes até eu perco a paciência.
E no geral nos damos bem. Não ligamos pra limpeza da casa, temos mais o que fazer do que tirar móvel do lugar todo dia. E só nos mobilizamos pra limpar geral quando avisam que vem visitar.
Mas sobre sua sogra, deve ser foda né, não respeitar a privacidade de vcs. Será que ela compra Johnson's Baby pro seu namorado como fez a minha? Kkkkkkkk

Anônimo disse...

vegano ortoréxico toma toddynho? sinistro...

isso explica o chorume todo.

Anônimo disse...

Hahahaja venenoso e traiçoeiro tipo o Thomas. VC eh demais Raven!

Camila D disse...

Pra indústria da moda, moda não é uma forma de se expressar, e sim lucrar com a padronização da moda, onde todo mundo se veste de naneira parecida, pq senão sofre discriminação. Tem até video no youtube sobre uma jornalista sendo arrogante com uma moça que era especialista em vitrines (seja la o que for isso), simplesmente pq a moça "ousou" nao fazer jus a sua profissão se vestindo da maneira como ela queria. Ainda bem q a moça não deixou quieto e respondeu a altura, e ao vivo kkk
Cada um tem que se vestir como quer sim, e se quiser se expressar através das suas roupas tb, mas isso não é motivo pra classificar quem não faz uso desse artifício de expressão como "desleixada" ou mal cuidada, oras.


Camila D disse...

Usei o "conceito filosófico" como ironia, anon (pq cá pra nós, quem usa roupa a fins de expressão tem um alvo - no caso da minha sogra, pra ela estar bem, precisa se enquadra exatamente no que a sociedade machista considera como ideal, ela tem pavor da ideia de envelhecer e fez inumeras cirurgias esteticas, mas nunca é o suficiente). E eu não disse que não é pra A ou B usar ou não usar tal coisa, até pq eu não interfiro na maneira de vestir de ninguém, e não gosto que façam isso comigo tb. Simples assim.
Cada um faz o que quiser, mas o fato é que nem tudo o que a gente quer é genuíno, mas sim, fruto de uma influência ou exigência externa. São desejos "aprendidos".

Anônimo disse...

É óbvio que envolve lucro. Em momento algum eu disse que o setor de produção de moda é filantrópico. O que eu disse, e reafirmo é que a moda nunca foi tão eclética e permissiva como é hj. Nos temos uma produção gigantesca e centenas de segmentos. A rigidez no código de vestimenta está praticamente esquecido. (Afinal, ninguém se veste, ou se obriga a ir de maneira formal ao teatro por ex.). Tudo é petmitido, e algumas pessoas, a maioria delas se veste de maneira pasteurizada pela simples facilidade. Por exemplo, a maioria das pessoas usa calça jeans, blusa de malha e tênis, e isso não é recorrente em desfiles de moda e muito menos incentivado por designersde moda ou estilistas. O que justifica isso é o conceito de praticidade popular. Então o setor produz. A questão da sensualidade, ela é muito mais evidente na população do que nas propostas de grandes nomes lançadores de tendencia. Acho que moda é constantemente subjugadapor pessoas que não preferem seguir a correnteza ao invez de se apropriar da mesma para se expressar. O que é uma pena.

Zero disse...

obrigado Julia e Raven.

sei que falo merda. admito que minhas abordagens sobre muita coisa soa como arrogante ou ditatória. mas apenas quero mostrar convicção. estou melhorando isso.

sou melhor como comediante que filosofo de boteco. kkkkk

vocês gostaram do "céu tem toddy".

eu gostei mais da "sunga vermelha ouvindo Wesley Safadão" kkkkkkkk

Fabiano disse...

Uma coisa é verdade:

A indústria da moda é composta basicamente de homens gays e mulheres. Poucos homens heterossexuais se interessam por esse ramo.

E não acho que a roupa seja uma forma de opressão. Mas é preciso que a mulher tenha maturidade para saber o que gosta de vestir, e não se vestir para os outros e se tornar uma vítima da moda.

As roupas que vc usa falam muito sobre vc. É uma forma muito eficiente de se expressar.

Algumas mulheres gostam de se sentir poderosas com roupas que mostrem suas curvas e a beleza do seu corpo. Outras preferem a praticidade, e outras mostrar características étnicas e de determinadas culturas que se identificam.

Não é porque algumas mulheres não ligam para moda, que todas as outras sejam obrigadas a ignorá-la em nome de uma ideologia.

Anônimo disse...

Perfeito. Se moda fosse uma forma de se expressar, cada um inventaria a sua. O q temos nao e moda, e padronizacao. Td mundo tem de vestir igual

LeilaF

Anônimo disse...

Eu tenho 18 anos e sou estudante de comunicação e me interesso por moda, não sou nenhum fanático mas eu acho interessante e necessário observar.
A moda não é só a roupa que o ser humano veste, ela fala um pouco sobre a personalidade de cada um e fala também sobre determinadas épocas, a moda não impõe nada ao ser humano muito pelo contrário ela se adapta de acordo com as necessidades e pensamentos do ser humano e de determinadas épocas.
Na Belle Epoque por exemplo a moda era ostensiva, era uma época de alegria e novidades, nas décadas de 30 e 40 as roupas eram mais simples e a tendências eram reaproveitar tudo, eu me lembro de uma parte interessante do filme "E O Vento Levou" em que a personagem da Vivien Leigh monta um vestido com as cortinas da casa. Como nós estamos vivendo numa época sem padrões sociais muito rígidos e mais eclética isso também reflete na moda, afinal moda não é só a roupa que o ser humano veste, é também o que pensamos e como agimos.
Antigamente eu não ligava muito para moda, estética e essas coisas, mas eu comecei a me interessar depois, porque eu percebi que isso faz parte da comunicação, eu posso passar uma informação através da roupa sim e a pessoa que trabalha com moda, estética ou criação tem um sentido de estética apurado, reconhece o que é bom, reconhece a beleza e o talento, hoje eu vejo coisas que antigamente eu não enxergava, meu senso estético está melhor, mais apurado.
A moda é uma forma que o ser humano tem de se expressar, de dar vida a sua criatividade e inteligência pois se não inventássemos nada seríamos o que? robôs eu acho.






Senna.

Camila D disse...

É mesmo, não se dê ao trabalho.

Fabiano disse...

Eu não vejo as pessoas todas vestidas do mesmo jeito.

Vejo mulheres que gostam de usar vestidos justos es sensuais, outras jeans e blusas, outras roupas estilo hippie, indiana, outras roupas de grife, outras de magazines etc.

Nunca houve tanta diversidade na forma de se vestir.

Anônimo disse...

Cada ser humano se veste como quer de acordo com a própria personalidade, eu por exemplo tenho um estilo sóbrio e clássico, as pessoas se vestem de acordo com elas mesmas só que não percebem.




Senna.

Camila D disse...

Olha, eu não entendo muito bem de moda, mas uma coisa que eu percebo é que ela é voltada ao público jovem e padrão estético. Li numa matéria que até a Gisele Bündchen acha "ultrapassado" usar modelos esqueléticas nas passarelas, justamente porque muitas meninas e mulheres arriscam a própria saúde para estar no padrão ideal da moda.
Tem várias manifestações ja de meninas e mulheres querendo acabar com termos tipo plus size, pq na vdd, todo mundo que tem um pouco de criatividade e gosta de inovar as vestimentas, deveria ser considerada modelo, já que o foco não é a pessoa em si, mas a roupa.
Tem estilista por aqui que só tem nome, pq a moda que cria não expressa nada além de excentricidade vazia.
Existem modelos alternativas que tem ideias muito legais, como por exemplo uma das vencedoras do Cake Boss. Ela fazia parte de um grupo de modelos fora do padrão estético (por serem tatuadas, estarem "acima do peso" e outras "irreverências"), e era bem legal. Até um dos eventos que ela participou e apareceu no programa foi um desfile a caráter zumbi.
Enfim, a indústria da moda poderia ser mais abrangente, tanto de pessoas quanto de ideias, pq essa deveria ser a finalidade, não? Pessoas se expressando criativamente pelas roupas.

Anônimo disse...

A moda por si só não é inerentemente capitalista, todas as culturas, independente do sistema econômico, desenvolvem padrões estéticos próprios.

Fê Cardoso disse...

Eu não achei absurdo, você me inteirou mal. A coisa mais comum do mundo são homens que pensam como você, infelizmente.
O que me espanta são os níveis estratosféricos da sua arrogância e egocentrismo.

Fê Cardoso disse...

*interpretou

Fê Cardoso disse...

*interpretou

Fê Cardoso disse...

Eu não achei absurdo, você me inteirou mal. A coisa mais comum do mundo são homens que pensam como você, infelizmente.
O que me espanta são os níveis estratosféricos da sua arrogância e egocentrismo.

Anônimo disse...

Olha, os comentários do Thomas estão coisa de outro planeta. Ainda bem que eu sou quase-vegetariano e só medito de vez em quando, o resto é encher os ouvidos de rock, rap e de porradas nos tambores da minha bateria depois de encher os cornos de jogo e leitura na Internet. Minha loucura válvula-de-escape parou por aí. Nem virar esotérico eu consegui, e olha que tentei.

Hue.

Quanto ao post, eu sou totalmente contra roupas, exceto no frio. São a primeira lembrança de que somos escravos da sociedade. Nascemos e nos pões essa m... e somos enterrados com ela. Até hoje, não entendo a real utilidade de roupas além de proteger corpos feios.

O fato de que chegam tão longe com uns pedaços de pano diz muito sobre o quão fúteis todos somos, embora uns consigam o ser mais que outros. Para que comprar e alimentar isso?

Não se incomodem depois do fato de isso existir, é produto porque tem consumidor. Até nisso é semelhante a drogas.

BLH.

Anônimo disse...

Concordo com a pessoa que disse que a caixa de comentários anda cada dia mais infantilizada e chata de se ler. Comentários infantis para provocar, responder trolls... uma pena, porque todos os posts perderm o foco por causa da mesmas pessoas vindo aqui responder com mais infantilidade para trolls.

Isa disse...

"A moda por si só não é inerentemente capitalista, todas as culturas, independente do sistema econômico, desenvolvem padrões estéticos próprios."

São duas coisas diferentes. Padrões estéticos nada tem a ver com moda. A moda é a necessidade criada artificialmente para tornar obsoleto tudo o que se consumiu ontem, para alimentar o consumo de hoje. É a mentalidade que escraviza pessoas em busca da última novidade, sem nenhum compromisso com o futuro. Joga-se no lixo o que vai custar anos e anos para a natureza absorver. As pessoas trabalham como burros de carga para consumir o inútil.
Ninguém vai encontrar na idade média nenhum fenômeno parecido. Não é possível justificar o consumismo predatório e irresponsável do capitalismo com necessidades que nada tem de legítimas.

Anônimo disse...

O machismo nos limita por milênios que em situações como esta, relacionada ao vetuário, e à estética em geral nos encontramos em cruzamento ideológicos. Por isso se faz tão importante o embasamento político e histórico, para que cada uma encontre o seu espaço. Eu considero a indústria da moda poderosa e cabe a nós escolhermos de que modo nos expressarmos. assumir posições diante da sociedade que vai nos julgar sempre: se ricas, se pobres, brancas negras, e tals são batalhas consantes de uma guerra muito maior. O que eu penso é que usando um micro vestido grifado, ou um saião artesanal hippie, pecisamos entender que somos influenciadas e que influenciamos. E o principal: que nós mulheres deixemos as demais mulheres viverem a escolha que cada uma faça de estilo. Já temos muitos homens, mídia machista e a indústria pra nos apontar, nos criticar. Viva a escolha de cada uma!

Ingrid Bezerra disse...

Raven, muito bom o link!

Só faltou a colação de velcro! huahahaha

Beijos sua linda <3

Barbara disse...

Moro no sul dos EUA e fui mochilar em NYC mes passado. Fui dar uma volta na Times Square e passei numa loja de roupas muito famosa, a Forever 21, que pelo nome da pra ver que tem foco em mulheres jovens e meninas adolescentes.

Tinha varias camisetas com frases empoderadoras, claramente feministas. Uma delas era de tecido branco com FEMINIST bem grande em negrito. Achei fenomenal, soh nao comprei uma pra mim porque tava super sem grana.

No outro dia fui passear no Central Park e tinha milhoes de posteres com frases e cenas feministas. Rosie the Riveter (a moca do We Can Do It!) era mais comum que posteres do Imagine do John Lennon. Se NYC que eh a capital financeira do mundo e um dos simbolos mais fortes do capitalismo esta tendo essa onda, eu sou a favor de usar esses recursos considerados "consumistas" ate certo ponto.

Denise Marinho disse...

Nossa! Quanta coisa para pensar!

Às vezes me sinto um saco de pancadas universal, uma amiga ativista negra disse q não posso alisar o cabelo e me vestir de cinza, pq preto tem q honrar as raízes e usar cor e cabelo black.
A outra feminista reclamou de que eu estava sempre montada.
Tá. Tantas ideologias, mas onde "mim" fica nisso?

AMO tudo oq o anon ali de 15/05 disse q a gente gasta $ e tempo, pq é um tempo q passo sozinha, ouvindo música, relax (não frequento salão), gosto de usar seda, maquiagem, sapato forrado de pelica. Lingerie então? Renda! Renda macia, boa, colorida.

Mas o que isso me faz menos feminista?

Ano passado me machuquei e óbvio não vou maquiada pra fisioterapia. Mas também não sofro por isso, afinal, foi uma liberdade que adquiri com o feminismo. Mesmo quando ia trabalhar sem maquiagem, ia com uma roupa bem passada, limpa, unhas limpas, sem a maldita culpa q nos é imposta o tempo todo.

Sou a favor do consumo consciente, não tenho muitos sapatos, nem muitas roupas, mas não são descartáveis e procuro saber a procedência, pq uma roupa da zara feita em Bangladesh NÃO DÁ. O feminismo me fez extender o olhar sobre ps coleguinhas.

Com o passar dos anos fui construindo meu estilo e isso excluiu o grande símbolo feminino: o salto alto. Não posso usar e não uso e pronto. Vejo mulheres que mesmo com o pé quebrado continuam usando pq o chefe diz q é elegante e a repreende se a vir de sapatilha.

Isso é oq eu posso controlar. Oq pesa pra mim é essa coisa de que a mulher negra é sempre sexualizada. Se vc não se veste shortinho-top-, é uma metida. Já ouvi isso até na escola de samba que frequento. As moças disseram que eu n tenho o "glamour do samba", e já me tacharam de "culta". PORRA! Pq tem q ser uma coisa ou outra? E pelas regras do patriarcado, quem é que ganha tendo um monte de raxa brigando pra ser a mais gostosa?

O feminismo me ensinou, me deu ferramentas para me libertar e sentir que eu não "tenho que" coisa nenhuma se eu não quiser!