domingo, 9 de novembro de 2014

A GUERRA CONTRA AS MULHERES MIRA O ABORTO

Recebi este email hoje da professora de história Valéria:

"A guerra contra as mulheres, já detectada e discutida com propriedade por Susan Faludi na virada das décadas de 1980/90, continua. Exemplos:
Mulher grávida leva tombo da escada, vai para o hospital em busca de ajuda e termina presa por tentativa de assassinato.
Mulher grávida de 26 semanas e gravemente enferma é obrigada a uma cesariana por ordem judicial mesmo com os médicos assegurando que o bebê não sobreviveria e a mãe... Enfim, ambos morreram.
Mulher grávida tem um sangramento, vai ao hospital em busca de ajuda e termina presa por um ano por tentativa de assassinato em segundo grau. Ela sofrera um abortamento espontâneo.
Mulher está em trabalho de parto domiciliar e termina sendo levada pela polícia para uma cesariana forçada em um hospital, porque seus direitos não se sobrepõem ao do feto.  Lembra o caso Adelir, não é?
E a lista segue."

Eu de volta. Você acha que esses casos assustadores de mulheres sem direitos aconteceram no Oriente Médio? Acha que aconteceram no Brasil, onde o aborto é criminalizado e os fundamentalistas cristãos querem implantar o Estatuto do Nascituro, que faria com que todas as gestantes que sofressem um aborto espontâneo fossem investigadas (e várias delas processadas e condenadas)? 
Nada, esses casos acima, e muitos outros, aconteceram e seguem acontecendo nos EUA, país que "legalizou" o aborto há 41 anos, mas que sofre retrocesso após retrocesso, com inúmeras clínicas sendo fechadas, perseguição a médicos, leis que dificultam cada vez mais o acesso ao aborto.
Neste artigo publicado no New York Times, as autoras expõem o que parece óbvio: "Medidas anti-aborto representam um risco a todas as mulheres grávidas, incluindo àquelas que querem estar grávidas". 
Aqui no Brasil, com o Congresso recém-eleito, o mais conservador desde 1964, caminhamos para o retrocesso total de proibir o aborto em todos os casos -- até para os que são hoje permitidos, como risco de vida para a gestante e gravidez como resultado de estupro. E, se os fundamentalistas cristãos saírem-se vitoriosos, será um golpe sujo contra todas as mulheres. 

81 comentários:

Anônimo disse...

Mesmo admitindo a FALSA PREMISSA de que o feto é vivo(sem nem sistema nervoso desenvolvido). Alguém realmente acha que a proibição do aborto impede uma mulher de ir pra outro país onde o Aborto é legal e abortar lá?

Já temos 60.000 homicídios por ano e só 5% de elucidação. A proibição do aborto é NO MÍNIMO gasto de dinheiro público. Pra que ficar gastando dinheiro pra enforçar uma lei que não impede quem quer de abortar?

Anônimo disse...

Ai Lola falar de aborto é sempre tão desgastante,a vezes tenho a impressão que esse assunto nunca vai deixar de ser tabu,e que esses fundamentalistas vão continuar mandando na vida e no corpo das pessoas,e que vamos acabar tendo um retrocesso grande.

Anônimo disse...

Os fetos é que sofrem com o golpe sujo e criminoso de seus pais irresponsáveis.

Anônimo disse...

Com este congresso hiper conservador não espere que o aborto seja descriminalizado. Esta mais fácil ser totalmente criminalizado, ate em casos de estupro. Se for legalizado é capaz da Dilma ser deposta em um golpe militar de verdade. Do jeito que estão esses reaças, misóginos e fundamentalistas raivosos ultimamente.

D. disse...

O mais legal (sqn), é que se você quiser fazer laqueadura, te impõem trocentos empecilhos. Daí se acontece algum acidente ou um abuso e você engravida, é obrigada a ter o filho.
Vá entender!

Jonas Klein disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Patty Kirsche disse...

Eu estou fazendo um curso sobre aborto oferecido pela UCSF (University of California San Francisco), então tenho tido bastante contato com a questão do acesso ao aborto nos EUA. De fato teve muito retrocesso, como "The Pain-­Capable Unborn Child Protection Act", que baniu o aborto após a 20ª semana de gestação em nove estados. E essa ação foi totalmente anticonstitucional, porque o limite utilizado lá é o da viabilidade fora do útero (24 semanas). Fora que foi uma decisão totalmente baseada em achismo religioso, pq a comunidade científica dos EUA não estabeleceu que fetos possam sentir dor antes da 24ª semana. Mas, mesmo assim, a situação é melhor que aqui no Brasil, porque lá nem se fala em conceito de ser humano após a 12ª semana. E lá, 35% das mulheres não tem clínica em seu condado de residência. Aqui só temos algumas em capitais. As maiores restrições lá são financeiras. O que acaba acontecendo é que o governo só fornece auxílio pra pagar o procedimentos naquelas exceções daqui (risco de morte pra mulher, estupro, anencefalia, com variações). Ou seja, pra conseguir fazer o procedimento a pedido, é preciso gastar muito dinheiro, inclusive viajar. Mas ainda é mais fácil fazer uma viagem dentro de seu próprio país.

Patty Kirsche disse...

Uma outra coisa que aprendi recentemente é que é muito importante que a IVG seja legalizada pelo menos até a 20ª semana. Embora 89% dos abortos nos EUA sejam feitos até a 12ª semana, existe ainda um número elevado de mulheres que acaba precisando do procedimento mais tarde, e elas costumam ser bastante fragilizadas. Muitas vezes são mulheres solteiras muito pobres e que já têm filhos, que precisam viajar para fazer o procedimento, o que implica perder dias de trabalho, arranjar alguém pra cuidar das crianças, etc. Não perceber que está grávida (devido a sangramentos, menstruação desregulada ou emprego de utilização de contraceptivo que falhou), ser abandonada pelo parceiro, descobrir-se portadora de HIV ou descobrir má formação no feto também estão entre as razões que levam mulheres a procurar o aborto mais tarde. Por isso vejo com muita preocupação que o procedimento seja legalizado apenas até a 12ª semana. Eu sei que já é difícil dessa forma, mas precisamos levar em consideração que o prazo aqui no Brasil já é 20 semanas em caso de estupro. Mesmo pq só se exige atestado de óbito pra fetos após esse prazo.

Anônimo disse...

Não sei se procede 100%, mas já li em algum lugar que, em países em que o aborto é proibido em qualquer caso (Guatemala e Chile p. ex.), alguns médicos se recusam a tratar mulheres grávidas. Se o embrião/feto morrer devido ao tratamento, o médico além de perder sua licença seria processado ou até mesmo preso.
Não tenho como afirmar, mas não tenho dificuldades em acreditar que se uma mulher morrer por omissão de socorro em tais circunstâncias, ninguém vai dar muita importância...

Acredito também que o caminho para a criminalização total é muuuuuuuuuuuito mais curto, fácil e beeeeeeeeeeeeem mais provável do que o caminho para a liberação. E não é só por causa do congresso mega conservador. Tais ideias só afloram por que encontram respaldo da maior parte da população. No Brasil, fazer qualquer avanço em relação ao aborto, educação sexual e planejamento familiar eficiente é suicídio político. E todos querem garantir seu próximo mandato...

Jane Doe

Anônimo disse...

Pra que ficar gastando dinheiro pra enforçar uma lei que não impede quem quer de abortar?

É "tá serto",para que leis se elas não impedem que os outros cometam crimes,basta legalizarem tudo,roubo,estupro,pedofilia,sequestro...

Jonas Klein disse...

Esta e só uma correção do meu comentário.

Olá Lola, Bom pelo fato deste ser um blog feminista eu sei que provavelmente muitos(as) não vão concorda com que eu vou dizer aqui, mas tudo bem.

Quanto questão do aborto a minha posição e o seguinte, se a mulher não foi estuprada.

Não esta correndo risco de vida (além do normal na gravidez) por causa da gravidez.

O feto não esta com anencefalia ou doença que traga as mesmas consequências.

Não se cuido pra não engravida (estou me referindo a usa um anticoncepcional de comprovada eficiência), ai ela transo e engravido azar dela (e do pai) deixa criança nascer e pega e cria.

Todo mundo sabe que fazer sexo sem proteção traz risco de gravidez, e alto risco contaminação por DSTs, ai transo não se cuido deu merd4 azar seu arque com as consequências do erro que você cometeu.

Agora no que se refere ao estatuto do nascituro essa aberração, vale lembra que as mulheres são a maioria da população adulta do brasil e formam a maioria do eleitorado também, por isso o estatuto do nascituro (que chamo de estatuto do atraso) só será aprovado no parlamento se as mulheres deixarem isso acontecer.

Logo e importante que seja mantido alerta permanente, sobre este assunto e ai ao menor sinal de que esta coisa pessoa ser aprovada pelo parlamento e necessário que todos são contra o estatuto em questão, se manifestem contra e saiam ate as ruas para protesta se for necessário para evita que essa aberração jurídica seja aprovada.

Ate próxima.

Anônimo disse...

Há um tempo conheci um rapaz que queria sair comigo.
Enrolei pq não curti ele tanto assim. Mas ele sempre insistia.
Então passei a bater papo e observar-lo no Facebook pra ver se criava algum interesse em mim.
Pois bem. Com o passar do tempo fui notando que o cara é machista e racista. Isso foi me enjoando.
Até que um dia ele postou sobre aborto dizendo que quem aborta é assassina, que isso é pecado pra deus e todo aquele mimimi que conhemos.
Fiquei irada e rebati, mas pra que? Continuou vomitando merda.
Porém isso foi bom pq vi que com esse ser não posso de jeito nenhum transar como ele queria. Pq vai que transamos e eu engravide por acidente? Desisti de vez desse idiota.
Mas aí dias atrás ele começou a namorar. Sinto pena dessa nova namorada.

Laura disse...

Esse assunto de aborto é realmente desgastante, porque as pessoas que se dizem defender a vida e a família não conseguem entender que as convicções íntimas delas não pode ser aplicada no nível de política pública.
Fora tudo o que sabemos sobre quem são as abortistas de verdade (católicas, casadas e com mais de um filho), quem defende o direito ao aborto não tem esse perfil. Isso eu acho interessante.
Eu por exemplo, não abortaria (exceto nos casos de estupro e anencefalia) pq não tenho grandes problemas com um filho não planejado. Mas eu não posso querer ampliar isso para famílias que eu não sei o que passam.
Queria realmente saber de alguém q defende a penalização do aborto: Qual o benefício para a sociedade em mulheres terem filhos indesejados a torto e direito? Ou Por que é ruim que sua vizinha abortou e não pode ter um filho de uma transa qualquer por aí? Qual a diferença se a transa dela deu ou não em gravidez?
E o mais importante: Uma mulher presa por praticar um aborto é vantagem em que sentido? Considerando que por ser um crime íntimo, não é totalmente identificável qnd isso ocorre de propósito ou naturalmente (visto as notícias postadas).
Na prática é um crime que não gera em prisões aqui no Brasil, pq não ia ter cadeia feminina para isso.
Se fosse estender a lei do aborto gostaria que se ampliasse aos homens que abandonam suas famílias, aos q não dão suporte durante a gravidez etc. Aí sim, a questão do aborto ia começar a ser tratada de outra forma.

Michelle disse...

Com tantos métodos para não engravidar porque essas mulheres engravidam?

Abortar crianças não é uma brincadeira que as mulheres devem fazer na hora que sentem vontade.

Sabe o que é um retrocesso? Com tantos meios de comunicação que alertam e expõem as várias formas de se não ter filhos e mesmo assim elas engravidam.

Sou cristã e não acho o aborto o melhor método pois os fetos não são lixos que você pode simplesmente descartar e que o governo deveria criar outras opção para essas mulheres não precisarem abortar.

Porém concordo que essa lei que impede o aborto não soluciona nada e que as mulheres deveriam decidir por si só se abortar é a melhor opção e cada uma assuma as consequências dos seus atos.

O direito de escolha deve ser respeitado uma vez que as consequências são individuais.

Beatriz Correa disse...

"Com tantos métodos para não engravidar porque essas mulheres engravidam?"

Porque nenhum método contraceptivo é 100% eficaz.

Concordo com vc q as escolhas são individuais e q cada um sabe o q faz da própria vida e do próprio corpo, mas pode apostar q ngm q abortou alguma vez na vida fez isso feliz da vida. Aborto é um procedimento invasivo demais e é último recurso mesmo.

E, bem, a melhor opção pra evitarem abortos aos montes é justamente a legalização (isso, é claro, junto com uma educação sexual inclusiva e eficaz para tds os brasileiros)

Cão do Mato disse...

Eu sou a favor do aborto masculino também. Se um homem engravidar uma mulher e achar que não está preparado para ser pai, deve ter o direito de não ser obrigado a assumir a criança.

Anônimo disse...

O que eu fico irritada é que estes pró- vida, querem se meter em questões privadas das mulheres, proíbe o aborto, proíbe métodos anticonceptivos, nós mulheres vamos virar parideiras, apenas isso.
Mas na hora de criar uma rede de apoio como creches não eles lutam não.

Raquel Link - BLOG ESCREVO POR COMIDA disse...

mas sabe essa questão do direito do feto ficando em cima sobre o direito da mulher.é algo que vai alem da medicina. porque por exemplo eu fiz direito.mesmo gravida.e o pai não é relacionamento. ela já tem direito a pedir ajuda financeira pensão da criança que ainda não nasceu. complicado né.

na faculdade eu criticava isso. dizia que o pai tinha que pagar conta medica da gravidez, que ele também fez. agora configura judicialmente como pensão do futuro filho já. pra mim é errado. é algo que ainda não existe. a mulher pode ter um aborto espontâneo mesmo e nunca ter a criança. e daí?

isso nada mais é do que direito do feto.e vai se expandido. pra mulher que não pode decidir o parto. não pode decidir se continuar a gestação e por aí vai.

'''O Código Civil brasileiro estabelece que o nasciturno tem seus direitos assegurados pela lei desde sua concepção, porém o feto vai adquirir personalidade civil apenas no momento em que nascer; sair fora do ventre materno.

Foi criado um dia no Brasil chamado de o Dia do Nasciturno, que é celebrado no dia 25 de março. Foi escolhido esse dia porque nele é celebrado a Anunciação, ou seja, a notícia levada pelo Arcanjo Gabriel a Maria, de que Deus a havia escolhido para ser mãe do Redentor. Foi criado um dia para ser comemorado e para rezar por todos os nasciturnos, pois são muitos os riscos que as crianças correm desde a sua concepção até o nascimento.""" tirado de site jurídico.

SÓ O FATO DO BRASIL TER O DIREITO DO NASCITURO mostra que muita mulher ainda vai morrer antes de aprovar o aborto. SE UM DIA APROVAR. infelizmente.

Anônimo disse...

Michele e Jonas: primeiro, como já foi dito aí em cima, nenhum método contraceptivo é 100%. Por exemplo, a pílula perde o efeito se a mulher tomar antibiótico; se ela tiver uma diarréia ou vomitar, a pílula não é metabolizada e não funciona. Camisinha precisa ser colocada sem ar na ponta ou pode estourar. Muitos jovens não sabem disso pq a droga da sociedade conservadora (principalmente religiosos) não admite educação sexual ampla e distribuição de contraceptivos. Ah, e não esqueçamos os homens que não querem usar camisinha. Que obrigam as mulheres a não usar, com toda uma sociedade por trás apoiando (aquela história de, ah você tem que largar a camisinha pq é prova de amor e fidelidade, e se não largar a camisinha é pq você é uma vadia q quer transar com todos). Por favor, não me digam que ceder à pressão social é coisa de fraco senão eu os mando tomarem sabem onde, até pq provavelmente os dois já fizeram coisas que não queriam pra agradar os outros ou cumprir as expectativas deles a respeito de vocês. O ser humano é social e precisa estar inserido na sua comunidade. E além disso, que tipo de idiota acha melhor uma criança nascer pra ser criada por alguém q não a quer, q não tem estrutura pra cuidar dela, e que talvez nem mesmo a ame e a eduque com carinho? Criança não é punição pra "vadia". Criança não é lição de responsabilidade. Maternidade não pode ser castigo pra "biscate". Maternidade tem que ser uma decisão consciente e responsável.

Se o argumento for deixar nascer e dar pra adoção, não vale. Aqui no Brasil se uma mulher grávida for pro juizado e disser que quer doar, vai ser pressionada pela assistente social pra manter. A assistente vai inclusive a meaçar a mulher com processo e cadeia. Se a mulher não ceder, vão bater na porta do resto da família pra OBRIGAR alguém a ficar com a criança. O jeito mais fácil, que é achar quem queira e dar por debaixo dos panos, é ilegal e dá cadeia.

Por fim, gostaria de dizer que "pró-vidas" são um desperdício de oxigênio, água, solo, só servem pra virar adubo quando morrerem e se eles desaparecessem da face da Terra, fariam um grande favor a toda a humanidade. Sem mais.

Anônimo disse...

Do alto da minha sabedoria, adquirida ao longo dos anos com muitas séries de TV, anime, mangas e filmes de ficção científica, acredito que o aborto deva ser permitido nas seguintes situações:
1) estupro;
2) risco de vida da mãe;
3) risco de anomalias e deformidades do feto (como anencefalia);

e...

4) QUANDO A MULHER QUISER, PORRA!

Que saco esse monte de homem, que não tem absolutamente nenhuma participação no processo, e ficam aí decidindo o que uma mulher pode ou não fazer da sua vida.

Obs.: eu sou homem.

Anônimo disse...

Anônimo das 19:59,

Sou assistente social de um CREAS (órgão que atende pessoas em situação de risco/vulnerabildiade), e você se equivocou quanto a algumas coisas: não ameaçamos copm cadeia a mulher que queira dar o filho para adoção, em hipótese alguma. De fato procuramos a familia extensa quando há o interesse da mãe em doar o filho, porque a própria lei entende que é melhor que a criança fique com algum familiar, mas ninguém é obrigado a nada . Caso a familia extensa não tenha interesse ou não possa ter a guarda da criança ela será encaminhada para algum abrigo.

Anônimo disse...

"Que saco esse monte de homem, que não tem absolutamente nenhuma participação no processo, e ficam aí decidindo o que uma mulher pode ou não fazer da sua vida."

Virou abiogênese agora? Afinal, pra que tentar um diálogo e conscientização, não é mesmo?

Danilo disse...

Eu sou a favor do aborto desde de que a mulher não seja feminista.

Anônimo disse...

Engraçado que pró-vida só se preocupa com o feto até o momento em que este nasce.

Daí pra frente, a mãe que se vire, né.

Quero ver ser pró-vida e acompanhar todas as etapas da gravidez e dar a certeza de que a criança que a mulher não queria será amparada por alguém que se preocupou genuinamente.

Por isso fica ainda mais óbvio que quem é "pró-vida" é, na verdade, "pró-punição-pra-essas-mulheres-que-transam".


Kittsu disse...

"não ameaçamos copm cadeia a mulher que queira dar o filho para adoção, em hipótese alguma." Já vi acontecer, e foi uma juiza que fez a ameaça.

"Eu sou a favor do aborto masculino também. Se um homem engravidar uma mulher e achar que não está preparado para ser pai, deve ter o direito de não ser obrigado a assumir a criança." Rs piadista... Já acontece a muito tempo, não sabia ou tu vem de outro planeta?

lola aronovich disse...

Sua opinião é muito importante pra gente, Danilo.

Anônimo disse...

"Virou abiogênese agora? Afinal, pra que tentar um diálogo e conscientização, não é mesmo?"

Anônimo das 21:10, talvez eu não tenha sido claro.
Não estou me referindo ao pai ou ao "doador de esperma" de um feto específico.
Estou me referindo à infeliz maioria de homens nos congressos do mundo todo e dos religiosos em geral que, não tendo participação nenhuma na vida das mulheres mundo afora, "decidem" o que elas podem ou não fazer com seus corpos.
Imagine uma sociedade de amazonas armadas que decidam que os homens não possam se masturbar ou pior, nem coçar o saco, e que quando quisessem esperma para gerar filhos, usassem técnicas como a eletroejaculação usada na inseminação artificial de gado.
Parece ruim? Pra mim, não está muito longe do que as mulheres enfrentam em nossa sociedade, principalmente em regimes totalitários e teocráticos. Se bem que o Brasil tá quase lá também.
Defendo diálogo e conscientização, mas enquanto a gravidez ocorrer exclusivamente no corpo das mulheres, manter ou não uma gravidez deve ser uma escolha absoluta da mulher.
Ela optar por consultar, dialogar e decidir junto com o "pai" é mera liberalidade dela.

Anônimo disse...

Eu sou a favor do aborto compulsório em moradoras de rua e também da esterilização cirúrgica de beneficiárias de programas sociais. Deveria haver uma campanha do tipo "Para de Parir" porque nosso país já está passando da capacidade de suporte ambiental da população.

Anônimo disse...

Pelo amor! Quanta merda li aqui!
A partir do momento que a criança nasce com vida, o pai tem a obrigaçao de sustenta- la. Eh direito do bebe ( e nao da mae, como vcs mascus insistem em dizer). Eh uma tremenda ma- fe ( se nao for burrice)comparar um ser humano ja nascido com um feto. Se vc, homem,nao quer assumir a responsabilidade de ter um filho, encape o pinto ( lembrando, mais uma vez, que estou me referindo aos fetos e embrioes. Quando a criança nasce, nao existe a possibilidade de aborto feminino e nem masculino. Pra machista eh necessario desenhar).Ah, lembrando que a obrigaçao com os filhos nao eh so pagar uma merreca de pensao e ver as crianças uma vez na vida e outra na morte, viu? Na verdade, nem sei porque estou falando isso. O aborto masculino ainda esta entranhado na sociedade. A quantidade de pais que somem quando descobrem que a mulher esta gravida eh assustadora. Nao fornecem apoio material e nem apoio afetivo. Nem sobrenome. E se vierem aqui dizer que a culpa eh da mulher que " nao escolhe direito", ja vou me adiantando: tomem todos nos respectivos cus, masCUs nojentos! ps. Teclado sem acentuaçao.

lola aronovich disse...

Vc e Bolsonaro e seus filhotes têm a mesma ideia nazista, anon das 21:42: esterilização forçada em mulheres pobres (principalmente negras e nordestinas). Vcs não sabem que muitas mulheres já foram esterilizadas à força, sem saber. O Brasil mudou muito, não é mais aquele de mulheres com pencas de filhos. Informe-se para não passar vexame em público.

Anônimo disse...

Ah, e nao façam a burrice de comparar o aborto com o uso de contraceptivos femininos. A pergunta "e pq nao usam a pilula para evitar o aborto?" em resposta a minha afirmaçao sobre a necessidade dos homens usarem camisinha eh invalida. Isso pq uma vez acontecida a concepçao, cabe SOMENTE a mulher decidir sobre o aborto. Entao se nao querem ter filhos, a unica saida para vcs, homens, eh usar preservativo (espero que liberem logo a pilula masculina). Se vcs engravidarem a mulher, nao poderao fazer nada alem de pagar os alimentos gravidicos ( sorry!). Uma vez nascida a criança, vcs tem a dever de cuidado para com o bebe.

Anônimo disse...

O anônimo das 21:42 se esquece de que, em regra, é justamente a parte mais rica da população que consome a maior parte dos recursos.
São os "reis" da soja e do gado que acabam devastando as matas para poder exportar.
Que tal esterilizarmos essa gente ?

Anônimo disse...

O comentário desse Danilo só mostra que grande parte dos "pró-vida" não se importam com o feto/criança/bebê, mas sim em punir as mulheres que lhes incomodam (vadias, feministas, etc..). Querem de qualquer jeito usar a maternidade como punição.

Anônimo disse...

Direitistas não conseguem nem entender de direito a aborto, sem se tornar fascistas e defender a eugenia vide o cara de 21:42...

Anônimo disse...

Anon de 22:04, então uma mulher pode abdicar da obrigação como mãe e um homem não pode abdicar da obrigação como pai?

Anônimo disse...

Bolsonaro está errado quando defende controle de natalidade. A taxa de fecundidade brasileira já está abaixo da taxa de reposição. O que ele quer mesmo é: esterilização forçada de mulheres pobres e gravidez monitorada e controlada de mulheres classe média-cristãs. Esse Bolsonaro é um perigo para as mulheres.

Anônimo disse...

O feto, e o inicio da vida humana, não um cravo ou espinha.
Existe uma grande diferença entre o inicio de uma vida, e o final de uma vida.

Anônimo disse...

Eu só dou credibilidade para opinião sobre aborto, vindo de mulheres que já são mães.
Eu quero ver elas olharem para seus filhos, e dizerem que aquilo já foi um dia "um amontoado de células sem importância'

Anônimo disse...

Agora bateu uma curiosidade.
Supondo que a mulher grávida exigiu pensão durante a gravidez, o homem pagou até o nascimento do bebe, pediu um DNA e o exame aponta que ele não é o pai da criança.
O que acontece? Ele se livra da obrigação de pagar pensão? Ele tem direito de receber de volta o que já pagou?

Anônimo disse...

Esse neonazista sabe que na Alemanha tem bolsa-família? La o aborto tbm é legalizado, se for a opção da mulher e não uma esterilização em massa apenas por ser pobre. Mascu já é nojento por si só, já mascu-neonazi é lixão total.

Anônimo disse...

Varias mulheres que já são mães são a favor da legalização do aborto, inclusive tem mulheres que já abortaram depois que tiveram filhos biológicos.

Mascus sempre falam que mulher não soube escolher. Pois os mascus não sabem escolher, já que a vida deles se resume a xingar mulheres que passaram por eles e que eles se relacionaram por escolha deles usando critérios de seleção na maioria das vezes fúteis e superficiais enquanto tbm menosprezaram mulheres que eles consideravam "pouca coisa" para eles por motivos igualmente fúteis e superficiais. E que acabaram fazendo um grande favor a essas mulheres da tragedia de se relacionarem com um mascu.

O aborto é legalizado em vários países de primeiro mundo, e mais vários países de primeiro mundo também tem bolsa-família, inclusive países que reaças sonham em morar. Que ironia!

Anônimo disse...

"O aborto é legalizado em vários países de primeiro mundo, e mais vários países de primeiro mundo também tem bolsa-família, inclusive países que reaças sonham em morar. Que ironia!"
-
Ironia e esquerdista afirmando que países como os EUA e outros, são exemplos quando lhes convem.

Anônimo disse...

Moro na Alemanha e a bolsa-família (chamada de dinheiro da crianca) é de 185 euros para cada filho e do terceiro filho em diante o valor por filho aumenta. Só famílias muito ricas nao tem esse direito.
Sempre fui a favor do aborto e agora como mae vendo pelo lado da crianca eu tenho mais certeza ainda que nenhuma mulher deve ser obrigada a seguir com uma gestacao indesejada. Toda crianca tem o direito de ser gestada, parida, acalentada e cuidada com amor.
Quem se diz mesmo pró-vida deveria ir criar dispositivos que apoiem sem julgamentos morais grávidas em situacao de risco. Garanto que seria muito mais eficaz e toda sociedade civilizada acharia legal.

Raquel Link - BLOG ESCREVO POR COMIDA disse...

Anônimo disse...
Agora bateu uma curiosidade.
Supondo que a mulher grávida exigiu pensão durante a gravidez, o homem pagou até o nascimento do bebe, pediu um DNA e o exame aponta que ele não é o pai da criança.
O que acontece? Ele se livra da obrigação de pagar pensão? Ele tem direito de receber de volta o que já pagou?

9 de novembro de 2014 23:44


Pelo o que eu lembro da faculdade( me formei faz 5 anos e não trabalho na área) sim o não pai que achou que era. tem direito a reembolso. mas tem exames de DNA que já podem ser feitos durante a gravidez. muitos homens usam essa opção. pra não esperar o bebe nascer.
MAS se tiver uma advogada exercente que me corrija se eu tiver errada. porque é uma lembrança um pouco vaga hehe.

Anônimo disse...

Aconteceu mais um caso de recém nascido abandonado num parque aqui onde eu moro. O que se fala a respeito é aquela ladainha de sempre: "deu e não quer arcar com as consequências", "espero que morra", "não quer filho, feche as pernas".
Eu fiquei imaginando o desespero de uma pessoa que faz uma coisa dessas. Cês conseguem imaginar o que passa na cabeça de uma pessoa que acabou de parir e abandona o bebê no mato?
Todo mundo fala "dá pra adoção, ué", como se a adoção fosse uma grande solução pros problemas reprodutivos do mundo. Só que ninguém lembra que se você quiser dar o seu bebê pra adoção, vão infernizar a sua família (que você provavelmente nem quer que saibam) pra ficar com o bebê. Ninguém lembra que bebês de mães com histórico de drogas são aqueles que ficam nos abrigos até crescerem. Quando se pensa em "dar para adoção, porque tanta gente quer adotar", parece que acreditam que todo bebê é aquele perfeito do comercial de fralda, uma menininha loira, branquinha de olhos azuis. Esse é o bebê que "tanta gente quer adotar". E os bebês deficientes? E os bebês com problemas de saúde? E os bebês de mães drogadas? Quem quer esses bebês?

Então, gente, pensem nessas coisas quando disserem que o aborto é o erradinho e a adoção é o certinho. Porque sinceramente vocês só estão se preocupando com o bebê dentro da barriga. Depois que saiu, é cada um por si.

Anônimo disse...

Kittsu,

Falo por mim como assistente social, que foi o que foi dito no coementário, não posso responder pelos juizes, que infelizmente não respondem a ninguem

Elisa disse...

Anônimo das 23:44,

Caso se comprove que o homem de quem a grávida exigiu os alimentos gravídicos não era o pai ela não é obrigada a restituir nada a ele. Havia previsão na lei para uma ação de restituição, caso se comprovasse a má-fé da mulher, mas esse artigo foi vetado.

Anônimo disse...

Assistente social, eu não duvido que você leve seu trabalho a sério e seja ética. Mas tampouco duvido que tenha muitas colegas de profissão sua fazendo pressão, inclusive ameaças, pra que a mulher não dê o bebê. O que, an verdade, é triste pra mulher e pra criança que poderia ter a chance de uma vida melhor.

Anon das 03:29 não seja tão infantil. Todo país tem coisas boas e ruins, nenhum lugar na Terra é perfeito. Não é porque uma coisa de um país é boa que tudo o mais vai ser.

Anônimo disse...

Elisa, embora o artigo tenha sido vetado, ainda é devida indenização caso comprovada má-fé.
http://www.direitonet.com.br/artigos/exibir/7412/Os-alimentos-gravidicos-e-a-possibilidade-de-indenizacao-ao-suposto-pai-quando-da-nao-confirmacao-da-paternidade

Anônimo disse...

Elisa, embora o artigo tenha sido vetado, ainda é devida indenização caso comprovada má-fé.
http://www.direitonet.com.br/artigos/exibir/7412/Os-alimentos-gravidicos-e-a-possibilidade-de-indenizacao-ao-suposto-pai-quando-da-nao-confirmacao-da-paternidade

Anônimo disse...

"Sempre fui a favor do aborto e agora como mae vendo pelo lado da crianca eu tenho mais certeza ainda que nenhuma mulher deve ser obrigada a seguir com uma gestacao indesejada. Toda crianca tem o direito de ser gestada, parida, acalentada"
_
Minha mãe me abandonou, então segundo sua opinião, eu não teria direito de ter nascido? minha vida vale menos por eu não ter sido desejado? :/

Jonas Klein disse...

Em resposta a anônima das 19:59, pra bom entendedor meia palavra só basta, mas tudo bem eu explico isso.

Eu sei de tudo que você disse sobre os anticoncepcionais, antes eu não pensava dessa forma mais depois de ler e refletir muito sobre o assunto, eu passei a considera como aceitável a mulher ter o direito de fazer o aborto legalmente se ela uso um método anticoncepcional, e este falho mesmo sendo usado da forma certa, só que aqui tem um probleminha como vai ser comprovado que o anticoncepcional foi usado e da forma certa???

Quanto as pessoa que não sabem usa os métodos anticoncepcionais direito, isso uma boa orientação já resolve.

Por ultimo estuda melhor isso, pois você esta mal informada os antibióticos via de regra não cortam efeito do anticoncepcional.

Leia esta matéria aqui

http://www.mdsaude.com/2008/12/interao-medicamentosa-anticoncepcionais.html

Anônimo disse...

anonimo de 9 de novembro de 2014 19:59

Se voce acha que as mulheres devem ter o direito durante a gestação de não ser mães se não o desejarem deve ser a favor do homem ter o direito de não ser pai se assim o desejar .
Direitos reprodutivos iguais.

Anônimo disse...

Lola e demais leitorxs.

Desculpe não opinar sobre o post, mas o link que vos trago tem muito a ver com o mesmo. Acoselho a todxs a votarem na enquete e assim demonstrar a insatisfação contra a excressência que é o estatuto da família - que tem forte relação com o estatuto do nascituro.

"Conceito de núcleo familiar no Estatuto da Família

Você concorda com a definição de família como núcleo formado a partir da união entre homem e mulher, prevista no projeto que cria o Estatuto da Família?"

http://www2.camara.leg.br/agencia-app/resultadoEnquete/enquete/101CE64E-8EC3-436C-BB4A-457EBC94DF4E

Anônimo disse...

Off topic

Lola, até onde eu sei o empregador (empresa privada) não pode perguntar nada referente aos hábitos sexuais do candidato, mas e concurso público, pode? Fui entregar documentação e pediam uma série de exames, inclusive papa nicolau e perguntavam se a mulher tinha ''atividade sexual'' e aí tinha um campo para sim ou não, achei um absurdo isso, uma falta de respeito. Engraçado que só pede papa nicolau pra mulher, mas pra homem não pede exame de prostata nem pergunta se tem atividade sexual? ¬¬ me poupe! Isso pode?

lola aronovich disse...

É um absurdo mesmo, anon das 12:57. Já falamos disso nesses posts: aqui e aqui.

Julia disse...

Não entendo porque esse Jonas acha a opinião dele tão importante.
Deixa eu te dar uma dica, que serve pra você e para os outros.
Sobre aborto homem não deve opinar. Se insistir em opinar mesmo sabendo dessa prerrogativa saiba que sua opinião vale nada.

H disse...

Jonas, aí é que está: NENHUMA mulher deveria ter que "comprovar que o anticoncepcional foi usado e de forma certa" para poder tomar decisões acerca do seu próprio corpo. Acidentes acontecem e ponto final. Não importa se a mulher usou 3 métodos contraceptivos, se usou apenas um ou se não usou nenhum: se ela não se sente preparada para ter um filho, não deve ser obrigada a levar adiante a gestação. Maternidade não deveria ser um fardo para ninguém, entenda isso. E tente ter mais empatia com as mulheres, porque esse seu raciocínio é bastante cruel.

Julia disse...

O assunto aqui são mulheres. Vaza daqui, vira lata.

Anônimo disse...

"Por ultimo estuda melhor isso, pois você esta mal informada os antibióticos via de regra não cortam efeito do anticoncepcional."

Antibióticos e mais uma penca de outros remédios cortam o efeito sim da pílula.
Quem tá mal informado aqui é você, Jonas Klein .

Anônimo disse...

Jonas Klein, uma boa orientação resolve, mas QUEM dá essa orientação, hein? Os pais não dão porque é "imoral" e vai "incitar a prática sexual". A escola não pode senão os pais fazem escândalo. O governo não dá porque senão os reaças chiam e adeus votos, que é o que realmente importa pra eles. Quanto ao antibiótico cortar o efeito do anticoncepcional e o fato de que não ter usado proteção não tira o direito da mulher de abortar ou não, o pessoal aí já respondeu. Só quero lhe dizer que você agiu como um babaca e precisa trabalhar muito pra se livrar do machismo. Me mandar estudar? Querer se colocar como autoridade em anticoncepcional sendo que você nunca parou nem pra olhar uma caixinha de pílula na farmácia? Querendo dizer qual mulher tem 'moral' pra abortar ou não? E o principal, querendo usar criança como punição pra mulher irresponsável? Se a mulher foi irresponsável, não se preveniu, ela tem que ter o filho pra 'aprender', é isso? Cara, você ainda tem que percorrer muito chão mesmo.

Anônimo disse...

"Ironia e esquerdista afirmando que países como os EUA e outros, são exemplos quando lhes convem."

Nem sou "esquerdista", "comunista" ou qualquer coisa desse tipo, nunca fui fã de Cuba e pare de ser tao ignorante e estereotipado em julgar que todas as pessoas que são a favor da descriminalização do aborto são "comunistas" e coisas do tipo. Esse papinho de chamar do rotulo de "esquerdista" o que é lei justamente em países capitalistas desenvolvidos são usados por muitos mascus, não que vc o seja, diferente de vc não vou lhe julgar ou lhe rotular, quando lhe convém. Olha, não é porque uma pessoa fe a favor da descriminalização do aborto, que tenha que ser comunista e levar o rotulo de "esquerdista" toda hora por gente tosca sempre faz. Então se for assim, os EUA é "esquerdista" para o seu desgosto e frustração.

Luiza Original disse...

Eu pulo todos os posts desse tal de Jonas. Só de ser incapaz de manter os verbos no infinitivo já me irrita. Quando chega nas ideias, então...

Anônimo disse...

O tal de Danilo é a favor do aborto, desde que seja vontade e decisão do homem, independente do que a mulher queira. O que ele abomina é que a mulher decida, que a mulher opine, que a mulher fale, que a mulher discuta, que a mulher conteste.

Anônimo disse...

Eu só dou credibilidade para opinião sobre aborto, vindo de mulheres que já são mães.
Eu quero ver elas olharem para seus filhos, e dizerem que aquilo já foi um dia "um amontoado de células sem importância'


VÁRIAS mães são a favor do direito de escolha referente ao aborto, e sim, sabem que seus filhos já foram um amontoado de células assim como ele própria ué. Não tem nada demais.

Anônimo disse...

Se voce acha que as mulheres devem ter o direito durante a gestação de não ser mães se não o desejarem deve ser a favor do homem ter o direito de não ser pai se assim o desejar .


HEUAHAUAHAUAHAU
Mas isso acontece o tempo todo. Quando o cara sabe que a mulher está grávida, ele vaza. Já ela não tem muito o que fazer

Anônimo disse...

Esse Jonas nem deve saber quais hormônios estão envolvidos no ciclo menstrual e na gestação, muito menos como agem e interagem, mas quer dar carteirada aqui. Arrogante, como todo homem quando o assunto é feminino.

Julia disse...

Eu também pulo, Luiza, mas às vezes leio por cima e pqp!

Custa coloca um r no fim desses verbos? Isso me dá agonia.

Anônimo disse...

E muito difícil transar de camisinha, enquanto se esta usando antibióticos?

Anônimo disse...

Primeiro: Certos homens de fato não conseguem entender que há coisas que não são sobre eles...
Quando se fala sobre aborto eles SEMPRE dão um jeito de tornar o assunto em "e o direito duzomi".
É o que alguém já disse - se trata de ELES decidirem o que é melhor para ELES. Se ELES querem ser pais ou não, se ELES querem pagar pensão ou não... eles, eles, eles... e a mulher que abaixe a cabeça e acate a autoridade do "santo pau".

Segundo: eu queria compreender a diferença do "fetinho" resultado do estupro ou resultado do sexo consensual. Do fetinho resultado do sexo não protegido e daquele que foi concebido devido a falha do contraceptivo. Eles não tem todos "coraçõezinhos",mãozinhas, dedinhos, pezinhos (aghr... pieguice da porra usada pra manipular gente estúpida)????
Se isso não é sobre punição e sobre manter as mulheres no seu devido lugar de matriz reprodutora, eu não sei o que é...

Terceiro: homens adoram espernear e chorar pitangas sobre esse tema. Mas é só falar sobre eles usarem camisinha SEMPRE, mesmo em relacionamentos longos, eles desaparecem do mapa... exatamente o que eles fazem quando uma gravidez não planejada/desejada acontece...

Jane Doe

Cão do Mato disse...

Cê tá mal informada, minha cara. Pedem exame de PSA sim...

Anônimo disse...

Para o anonimo das 10:50:
A princípio a vida de ninguém nascido vale menos que a de outra pessoa (se bem que tem uns que nao merecem o ar que respiram...). Só que no caso nós nao estamos falando de alguém vivo e sim de uma possibilidade de vida. Embriao (e mesmo feto) nao é pessoa!
Você nao concorda que, assim como qualquer crianca, merecia ter nascido e ter sido cuidado em um ambiente com amor?
Acredito que esse assunto seja muito emocional para ti, mas só gostaria que voce refletisse se o estado tem o direito de obrigar outras criancas e maes a passar pela dor que voce e sua mae passaram.
O fato de qualquer pessoa na face da terra existir ou nao é só uma coincidência. Se meus pais nao tivessem transado no dia que me conceberam ou se outro espermatozóide tivesse sido mais rápido eu nao estaria aqui e sei lá, isso nao me afeta, assim como nao fico abalada em pensar que eu poderia nunca na vida ter conhecido meu marido e consequentemente meu filho tb nao existiria. A vida sao caminhos que, Boa parte por coincidência, vao levando a um destino.

Para o anonimo do monte de células:
Meu filho foi, além de desejado, planejado, mas no início da gravidez é óbvio que eu via aquele embriaozinho como um monte de células, até porque - para quem nao sabe - 1/3 das gravidezes sao abortadas naturalmente até a 12a semana (muitas vezes passa por menstruacao atrasada!).
Ja ouvi de várias maes (e comigo tb foi assim) que aquele amor enorme só vem depois que a crianca nasce (normalmente semanas depois), que elas falaram pros outros que já amavam loucamente o filho durante a gravidez para nao serem julgadas.

Cão do Mato disse...

Engraçado, quando uma mulher engravida, o primeiro a ser lembrado é o pai da criança (haja vista os famigerados "alimentos gravíssimos"). Mas na hora de decidir sobre um aborto a decisão é só dela? E no caso de homens que "fogem" quando descobrem que a companheira está grávida, bem, isso não impede que a lei os alcance, não é mesmo?

Anônimo disse...

Anon das 23:41 não é difícil usar camisinha, mas tem que usar o mais corretamente possível. Bom, primeiro, a camisinha tem que ser a medida do pênis. Se o homem não sabe se a camisinha dele é P, M, G ou GG, é bom comprar vários tamanhos de camisinha e experimentar. A camisinha certa tem que ficar firme, confortável e sem escorregar (senão o sêmen vaza), mas também não pode apertar e machucar. Se o rapaz for alérgico a látex, existem camisinhas de outros materiais, é só procurar numa farmácia. E quando for colocar a camisinha, tem que garantir que não entre ar na ponta ou ela estoura. Na internet deve ter um monte de sites que ensinam a colocar a camisinha do modo correto. É só digitar no google e pronto.

Cão do Mato, se o homem não quer ser pai ele pode simplesmente USAR A DROGA DA CAMISINHA! Por que vocês choramingam tanto sobre seus direitos depois que a mulher engravida mas não querem fazer o mínimo (encapar esses seus pintos) pra evitar que a mulher engravide? Não quer pagar pensão, PREVINA-SE. Essa é a única resposta que você merece depois de tanto mimimi.

Jones disse...

Só tem uma coisa que eu não entendo no argumento...
Se a mulher é dona do próprio corpo... e tem consciência disso ...

Por que acredita-se que o direito é pós-concepção e não pré-concepção?

Por que é mais difícil prevenir (fazer valer-se do direito de não engravidar) para depois procurar o aborto? Porque é tão difícil tomar a medidas preventivas do que apagar o incêndio?

No final das contas, toda essa discussão pode parecer mais comodismo do que um problema a ser resolvido...

Se a mulher contrai uma DST, por que não aborta a DST? Compreende? Isso é irremediável.. a AIDS fica pra vida toda, não tem cura... e condena mais a própria vida do que a gravidez que gera vida...

Por que, afinal?

Anônimo disse...

Danoninho de 09/11 21:21
Você trabalha na área do Direito e defende que todxs NÃO sejam iguais perante a lei?
Presume-se uma bosta de profissional.

Anônimo disse...

Anonimo 09/11 23:14
Foda-se se você dá ou não "credibilidade" (tá se achando) a uma mulher que quer e tem o direito legítimo de decidir sobre o próprio corpo. Você nem ninguém tem moral pra decidir sobre os corpos alheios femininos e sobre a vida e morte das mulheres.

Anônimo disse...

Mimimi mimimi mimimi
"E uzomi?"

Rosanna Andrade disse...

Jones

Um lema feminista muito conhecido eh "educacao sexual para decidir. Anticoncepcionais para nao engravidar. Aborto legal e seguro para nao morrer".

Ninguem aqui defende a nao educacao sexual e o nao uso dos metodos contraceptivos (tbm pela questao das DST's).

Mas tbm sabemos que esses metodos nao sao 100% seguros. E que uma mulher q caia nessas estatisticas/use incorretamente/ nao use, whatever nao deve ser condenada a prosseguir com uma gestacao que nao deseja. Nenhuma deve, alias.

O aborto apenas eh um tema mais barulhento e mais polemico, mas reconhecemos que as 3 etapas sao importantes.

Sérgio Carneiro disse...

Mulheres defendem o direito o corpo pertence a elas e assim podem fazer dele o que melhor lhe dispor. Disso eu concordo, mas não quando estão gravidas, é a relativização do direito. Depois do parto podem se mutilar, ou doar um rim é o direito delas. Muitas feminista criticam quando algumas mulheres usam seu corpo em comerciais de cerveja, para satisfazer o ego machista, e onde fica o direito do uso livre do corpo.

Mas muitas mulheres morrem ao fazer aborto ilegalmente e a solução seria legalizar. No mesmo rastro vamos legalizar todas as drogas, pois o tráfico ilegal promove morte, ou legalizar contrabando de armas que a disputa pelo comércio leva a algumas mortes. É uma lógica rasa.

Não querem a gestação? Espermaticida, DIU, vasectomia, pilula masculina ou feminina, injeção,preservativos,implante, SIU, diafragma, coito interrompido, tabelinha, muco cervical e etc. Mas é seguro? Usem dois ou três métodos ao mesmo tempo. Mas por que a mulher tem que passar por isso? A opção é sua ou exija do seu parceiro uma atitude. Minha religião não permite? Saia dela, escolha outra, faça escondida dos padres e pastores. E minha consciência como fica? Ficará melhor se ficar gravida e depois abortar. Todos aqueles contraceptivos são de livre uso, escolham.

Parece que a discussão não gira em torno da não-gestação, mas do direito de abordar, quando e como convier.

Me poupem.

Anônimo disse...

Sou a favor da mulher ter o direito de abortar.
E para esses homens que falam que eles também deveriam ter o direito de fazer essa decisão (juntamente, ou não, com sua parceira), eu digo:
Você não vai passar pela dor do parto, ninguém vai ficar te olhando se for mãe solteira, se você for embora... a sua mulher que vai ter que pagar o pato, entre outras coisas que só o que acontece de ruim é com a mulher.
Se os homens engravidassem, eu lhes diria: Faça o que quiser, o corpo é seu! Mas como isso não acontece, parem com essa hipocrisia. É a mulher que tem que cuidar "mais" do filho dela (homens trabalham praticamente todo dia e não se importam - as vezes só pagam pensão e dão umas visitadinhas na casa da mulher). Hipocrisia!
E outra coisa, se homens engravidassem eles iriam querer legalizar o aborto rapidinho! Sabe porquê? Ninguém quer o fardo de uma gravidez indesejada!