segunda-feira, 7 de abril de 2014

"MEU MARIDO FEZ SEXO COMIGO ENQUANTO EU ESTAVA DORMINDO"

A L. me mandou este email. Já aviso que é polêmico:


Lola, eu acompanho seu blog faz muito tempo, ele me ajuda a refletir, apoiar e muitas vezes rir, porque não é possível que tenha tanto absurdo assim nesse mundo.
Tenho 24 anos, sou feminista desde que me conheço por gente, me casei faz pouco tempo e é daí que eu conto minha história. Minha história é confusa, cheia de detalhes e muito complicada. Meu marido sempre foi o meu porto seguro desde que ficamos juntos e sempre pude contar com ele pra tudo. Além disso, ele é mega consciente em múltiplos aspectos, e sedento por informações. Isto é, ele era/é o cara que eu sempre quis como companheiro.

Assim como o relacionamento evoluía, os fetiches sexuais também. Eu sempre gostei de BSDM e ele nunca tinha experimentado e foi meio estranho no começo. Passamos por várias fases, até que ele mesmo começou a gostar, tínhamos códigos de segurança e ele sempre respeitou tudo sem hesitar.
Um dia eu comentei que sempre tive curiosidade de acordar com alguém fazendo sexo comigo, curiosidade fruto de um ex-namorado meu que pedia para eu acordá-lo com sexo oral. Bom, meu marido hesitou mas um dia fez e foi sensacional. De vez em quando eu era acordada dessa maneira, sendo às vezes penetrada e outras vezes só sexo oral. Pirava mesmo. Até que: um dia, em um sono muito pesado, não acordei.
Ele me contou o que tinha acontecido, eu fiquei super mal, mas foi algo visto como acidente. 
Foi a partir desse momento que minha mente começou a ficar confusa e sempre a pergunta martelava: fui estuprada? Na minha mente não, porque o consentimento tinha vindo quando estava acordada. E ainda assim, estava contribuindo com o abuso de mulheres, se eu dava um consentimento pra um homem fazer sexo comigo enquanto dormia? Minha cabeça dava giros tentando achar uma resposta.
A partir daí toda vez que ele fazia sexo comigo, no momento que eu estava ainda dormindo, eu sonhava com o ocorrido, e era realmente agradável. E segundo ele, ele fazia um esforço "a mais" pra me acordar, então o que aconteceu no passado não ocorreria mais.
Até que: um dia, estávamos viajando, cansadíssimos.
Conseguimos um hotel numa cidadezinha e eu estava me sentindo um pouco estranha, minha vagina ardia às vezes e parecia que eu ficaria com uma infecção. Antes de dormir eu ainda falei "X, não me acorde fazendo sexo, porque hoje eu não estou me sentindo legal", e ele ainda brincou, falando "Não é meio estranho que a gente tenha a necessidade de falar isso? Às vezes parece meio doente". E bom, pra mim estava claro que ele não tinha o meu consentimento.
Porém, de manhã, tive um sonho nebuloso, de alguém me tocando, mas era algo meio real, meio sonho. Tive um sonho erótico, mas depois logo caí no sono de novo. Acordei com minha vagina doendo, molhada, e me senti um lixo. Entendi o que tinha acontecido. Fui pro banheiro e não conseguia olhar pro meu marido. Ele falou que ia tomar café da manhã e foi, como se nada tivesse acontecido. E eu fiquei lá, chorando, e achando que a culpa era minha, já que eu tinha começado aquilo tudo. 
Eu que tinha a curiosidade, eu que falei que queria tentar, e ele sempre achou que era meio estranho. Quando ele voltou do café eu não conseguia olhar pra ele e ele negou uma vez, e depois falou "Seu corpo estava se movendo de uma forma sexual, e isso eu achei que já era consentimento". 
Ele disse que eu queria pintar ele como um estuprador sendo que ele não era. Me deixou confusa por alguns momentos, mas o sentimento de ter sido abusada estava sempre lá. O sentimento de ter sido estuprada pelo próprio marido era muito maior do que a culpa que eu sentia, e foi com isso que eu constatei que a culpa não era minha. Não importa como meu corpo se moveu, não importa o que eu tinha como fetiche, o que importa é o sentimento que ficou em mim, e é com esse sentimento que eu tirei a culpa de mim.
Demorou algum tempo, e olhar pra pessoa que você ama e fazer ele entender que ele é sim um estuprador dói, e ninguém escreveu manual sobre como lidar com isso. Eu me sinto anulada como feminista se eu deixar algo assim em branco, mas ao mesmo tempo já choramos juntos pelo ocorrido e eu não tenho certeza de como seguir em frente.

Minha resposta: Querida L., são duas situações bem diferentes, a meu ver. O que entendo dessa história é que você, no início, pediu pra ele fazer sexo contigo. Isso é consentimento, certo? Não precisa ser consentido na hora. Pode ser consentido antecipadamente. Estou falando do começo da sua "brincadeira" com ele. 
Então, quando naquela manhã (não a manhã fatídica, da viagem, a outra) ele transou contigo e você não acordou, é meio estranho mesmo, é chato (fica a impressão que ou seu sono é muito pesado ou o sexo não é tão emocionante), mas estava longe de ser estupro. Desculpe, mas de jeito nenhum que vc estava "contribuindo com o abuso de mulheres". O que acontece consentido entre um casal pode ser o mais bizarro possível, que não vai estar contribuindo com tragédia ou crime ou opressão. Imagino que alguns casais façam teatrinho de estupro. É consensual, é um fetiche, uma fantasia, uma performance. Nem por isso esse estupro ensaiado contribui com os estupros na vida real.
Por outro lado, a brincadeira era ACORDAR vc fazendo sexo. Se ele fez sexo e vc não acordou, não deu muito certo. Talvez ele devesse ter parado quando viu que vc não estava acordando. Talvez ele devesse ter te acordado de alguma forma antes de continuar. Mas insisto: na minha opinião, não foi estupro MESMO. Nem perto.
Agora, isso que aconteceu nessa viagem foi péssimo, terrível, porque vc retirou o seu consentimento. Vc pediu especificamente pra ele não fazer sexo contigo, e ele foi e fez. Acho que a gente pode definir isso como estupro. Ele foi no mínimo insensível (pra ser educada), foi um escrotossauro, mas não sei se eu colocaria nele um carimbo de estuprador. E vc não deve se sentir culpada. Nada disso de "fui eu que comecei". Vc começou a brincadeira, foi bacana, por um tempo, e vc nunca imaginava que isso descambaria num estupro.
Agora que concordamos que foi estupro, o que vc planeja fazer sobre isso? Denunciá-lo formalmente? Acabar o casamento? Na minha opinião, e essa é uma opinião vinda de fora, lógico, as duas alternativas não seriam as melhores. Pela sua descrição, vcs pareciam ter um casamento legal, até certo ponto. Conversem sobre o assunto, estabeleça novas regras (nunca mais fazer sexo com vc dormindo), chorem mais juntos.
Espero que ele entenda que errou feio e que não pode nunca mais cometer um erro dessa magnitude. E que não é não, e que casamento não quer dizer ter que fazer sexo com o parceirx quando um dos dois não quer. Mas, a meu ver, vc não está se anulando como feminista se perdoá-lo. Não estou dizendo de jeito nenhum que estupros num relacionamento estável não acontecem. Acontecem sim, e aconteceu contigo. Mas, pelas suas dúvidas, não me parece que você quer acabar o casamento com ele. 
Só que realmente não sei, L. Talvez vc não o conheça direito. Será que ele seria capaz de te desrespeitar de novo? Será que vale a pena pagar pra ver?
L., talvez, nessas circunstâncias, eu o perdoaria. E não sentiria que cravei uma estaca no meu feminismo por causa disso.

Resposta da L: Então, quanto à primeira vez, eu fiquei com o sentimento ruim no dia, a gente esclareceu com uma conversa, mas mesmo assim, eu tenho a impressão que ele não queria me contar, e eu fico imaginando: se ele não tivesse me contado, eu nem ia saber o que rolou com meu próprio corpo.
O que me incomodava era a forma de que ele lidava com isso. Ele é uma pessoa orgulhosa, e tenta ser a melhor pessoa do mundo, e no momento que eu citei a palavra "abuso" ele pirou, e começou a fazer tudo que eu nunca pensei que ele fosse fazer: falar que eu estava pintando ele como estuprador, coisa que ele não era, falar que na realidade eu estava fazendo cena por causa de discussões anteriores, que eu estava procurando desculpa pra pedir divórcio. 
Lógico que a viagem acabou e voltamos pra casa. Na mesma noite eu acordo com ele chorando, e ele me diz: "Eu sou um estuprador mesmo, acho melhor você pedir divórcio". Na realidade essa frase foi a que o meu cérebro assimilou, eu tava dormindo. Enfim, resumo da ópera: ele leu alguns artigos e assim percebeu que ele era culpado sim. Foi assim que começou minha fase de cura.
Minha decisão por agora é de ficar junto. Acho válido ele ter entendido que errou, que eu não estava consentindo. O problema é como curar, a gente entra numa junto de que a gente tem que resolver tudo, conversar sobre tudo, mas é bem difícil. É bom falar com você porque é realmente complicado falar sobre isso com qualquer pessoa a minha volta.

117 comentários:

Luisandro disse...

Não entendo como alguém pode transar com o outro dormindo. Claro que a gente vê pessoas com taras esquisitas; vê notícias de garotos que dopam meninas para abusar delas enquanto dormem. Só que nesse caso creio que a graça toda do ato, o carinho, a troca, fica perdida. O sujeito que faz isso está sendo egoísta, preocupado apenas com si mesmo, sem tem o mínimo de empatia pelo outro, porque sexo é troca.

Anônimo disse...

Nossa, que história estranha, mas acho que, com esse contexto todo, desculparia também. Acho que existe uma diferença muito grande entre ter fantasias sexuais e realizá-las. Já vi muitas vezes esse tipo de situação sair do controle. É mais ou menos como o cara (ou a menina) que quer fazer sexo a três, mas depois, na hora H, fica com ciumes do parceiro. Acho que quando a gente entra nesse terreno de trazer a fantasia pro mundo real, é muito fácil perder o controle. Na primeira vez, a coisa obedece um roteiro e é legal. Na segunda, sai do roteiro mas ainda é legal (e nisso concordo com a Lola, tinha uma autorização prévia e não foi estupro mesmo). Se já saiu do roteiro uma vez e foi legal, a possibilidade disso se repetir a extrapolar é muito grande. Se ele viu que errou e pediu desculpa, cabe a você ver se pode restabelecer a confiança. Só tem uma coisa que eu acho nesse ponto da desculpa - e que eu sempre comento com amigos - em relacionamentos a dois, para que se possa prosperar, perdoar é perdoar mesmo. Não vale dizer que desculpou e viver se torturando com desconfiança do cara que dorme do seu lado todo o dia. Para isso, acho que vocês precisam esgotar bem o assunto, não deixar nenhuma dúvida pairando porque aí a vida de vocês dois vai virar um inferno.

Isadora Ferrão disse...

acho que não precisa rotular se foi estupro ou não. não interessa a classificação, se o que importa é que ela não se sentiu bem com a sensação. e é aí que mora o erro do cara. desrespeito ao limite que ela colocou. ela tem q focar nisso.
uma amiga perdeu a virgindade assim. ela tinha medo. ele foi lá e fez com ela dormindo. ela acordou assim. ela gostou mas EU fiquei assustada com a situação. eu não gostaria. ela gostou. é difícil julgar, né?
o que eu quero dizer é que qualquer desrespeito conta, sabe? para se afastar de alguém.

Alan disse...

Foi estupro sim e seu marido é um estuprador. Se você é feminista mesmo como diz, é seu dever denunciar esse cara, pedir o divórcio e fazer com que ele fique conhecido como o estuprador sujo que ele é.

Feminismo não é só algodão doce, blogzinho da Lola e compartilhamento de meme feminista. A gente não vive numa cultura de estupro? Mulheres não são abusadas, estupradas e assassinadas diariamente? Como você pode criticar o sistema patriarcal e a cultura de estupro se você está fomentando e contribuindo para ambas as coisas quando não denuncia um estuprador?

Estupro é estupro. Não é necessário um gênio para saber separar o que é estupro do que não é. Você não consentiu e seu marido te estuprou quando você estava vulnerável.

Aliás, seu marido é o pior tipo de estuprador. Daqueles que ficam esperando o momento certo, que inclusive vai permitir que ele dê uma desculpa esfarrapada para o que fez, para abusar de uma mulher. Seu marido é o patriarcado encarnado. O patriarcado mais sutil, que sabe esperar o momento certo pra explorar uma mulher, que tem uma desculpa na ponta da língua pra justificar seus atos, que fica impune porque ninguém tem a coragem ou a possibilidade de denunciá-lo pelo criminoso que é.

Fico impressionado que a Lola diga que não foi estupro e incentive você a conversar com o cara. Ridículo. A Lola, como uma das vozes mais populares do feminismo, deveria ter uma política de tolerância zero para estupro. Foi estupro? Não importa se foi um desconhecido, seu pai, seu irmão, seu amigo, seu marido: tem que denunciar, o estuprador deve ser punido para que ele nunca mais tenha a chance de fazer a mesma coisa contra outra mulher.

Honre sua ideologia feminista e faça a coisa certa. Ao contrário de você, tem muitas mulheres ao redor do mundo que não tem o esclarecimento e a possibilidade que você tem para denunciar seus estupradores. Faça a coisa certa.

Cão do Mato disse...

Se tivesse sido o contrário, seria estupro também? Ou iam rotular o cara de bicha e fresco?

lola aronovich disse...

Opa, Alan! ONDE eu disse que não foi estupro? Eu disse justamente o contrário.
A autora conta dois episódios: um em que ela não acordou enquanto o marido transava com ela. Esse não foi estupro: era uma fantasia dela, ela gostava de ser acordada fazendo sexo.
O outro episódio foi que ela pediu claramente pra ele não fazer sexo com ela dormindo naquela noite. E ele fez. FOI ESTUPRO.
Mas discordamos sobre como proceder. Pelo contexto do email dela, ela não quer se separar ou denunciar o marido. Aliás, foi o que ela decidiu fazer.
Eu não vou tirar o certificado de feminista de alguém por isso. Não tenho nem poder nem vontade pra isso. Seu discurso de tolerância zero é um pouco perigoso, porque vc está insinuando que mulheres que não denunciam um estupro estão contribuindo para a cultura de estupro. Eu quase sugiro que denunciem sempre, mas também não vou ficar julgando quem não denuncia. Cada uma tem o seu motivo para não denunciar, e não cabe a mim julgar essas pessoas, que, pra mim, não tem culpa de nada.

Cão do Mato disse...

Anon das 11:50, parabéns pelo comentário. Disse tudo! Tem gente que leva tudo a ferro e fogo. Como você disse, já era uma coisa que eles vinham fazendo. Nem sempre dá para "seguir o roteiro" ao pé da letra. Só porque teve um desvio o cara agora virou estuprador?

Anônimo disse...

Ai, como essa baunilhada e maledonada gosta de complicar.
A da primeira dormindo ele falhou em te acordar, dava um puxãozinho de orelha e esclarecia.
A última o escravo desobedeceu, é só bater nele, oras!


Ai ai ai, FEMDOM sempre relatado.

soneca disse...

eu tenho sono pesado, dificuldade para dormir e as vezes tomo remédio para me ajudar. o que deixa o sono mais pesado. e adoro sexo dormindo, independente se acordo ou não. Dificil julgar, eu gosto, meu noivo gosta, fazemos inúmeras vezes, as vezes ele me conta no dia seguinte, as vezes não, as vezes eu sinto e no dia seguinte sei, as vezes não. Porém não dá para extrapolar isto para todas as mulheres e relações.

como toda brincadeira e exploração, no sei caso extrapolou

Anônimo disse...

Estranho...... adoro quando o meu marido me acorda fazendo sexo... não consigo me sentir mal por isso...

Posso não me lembrar (ou até lembrar depois as vezes quando estou um pouco alta), mas é sempre tão gostoso, eu o amo tanto, tenho um desejo tão grande por ele...

Deve ser muito triste o q essa moça está passando.

E se ela se sentiu "violada" assim, estuprada, deve se separar!!

Não tem isso de "vc me estuprou, vamos superar isto juntos" !!

Ela mais cedo ou mais tarde, vai acabar se divorciando, a confiança acabou.

Mari disse...

Olha, tenho minhas duvidas sobre a primeira vez que ele fez sexo com você enquanto você dormia e vc não acordou, não tem como ter sido um acidente! Ele começou a transar com vc e vc nao acordou aí ele resolveu continuar transando???? Como é isso??? Tudo bem que tinha uma autorização previa, mas essa autorização era pra ACORDAR vc com sexo, se ele viu que vc nao ia acordar ele TINHA QUE TER PARADO NA HORA! O.o
Sobre a segunda ocasião em que vc retirou a autorização e ele transou com vc, serio nem preciso falar como foi bizarro!
Pelo que vc narrou aqui seu marido parece ser manipulador, faz cena e chora quando a coisa aperta pra te confundir!
Enfim, se eu fosse vc não ficava com ele, vc nunca vai ter certeza se ele ta se aproveitando de vc quando vc ta com o sono muito pesado pra se defender.

Anônimo disse...

frescura,ela começou a brincadeira e agora reclama.
n sabe brincar n desce pro play!

Maria Fernanda Lamim disse...

situacao complicada, mesmo. mas acho que no lugar dela eu faria o mesmo: conversaria e conscientizaria ele. ele ja entendeu que errou (tanto e que ela viu ele chorando na outra noite). talvez fazer terapia e deixar a fantasia de acordar com sexo de lado por algum tempo ajudasse tb os dois a refazerem o vinculo de confianca, que ficou visivelmente abalado. tb nao acho que o que aconteceu entre eles seja "fomentar cultura de estupro". e uma situacao de abuso dentro do relacionamento e precisa ser resolvida entre eles...ha outros casais que passam por situacoes de abuso emocional e conseguem resolver (por isso acharia interessante a terapia no caso deles:eles precisam recombinar limites para que nao ocorra novamente).

@dddrocha disse...

Concordo com a Lola em todos os aspectos, mas penso que se fosse eu, não conseguiria fazer sexo com ele mais.
Logo, acabar o relacionamento.

Carol disse...

Concordo com a Lola. No meu ponto de vista a primeira vez não foi, a outra, que você pediu pra ele não fazer naquele dia, foi.
Fica complicado porque ele é seu marido e sempre te respeitou...
Não sei o que faria. Mas acredito que a cultura do estupro tá tão enraizada que ele realmente não sabia o que estava fazendo.
Você disse que ele leu a respeito e entendeu que estava errado. Acho que começa por aí.
Só você pode decidir o que fazer.

Ki disse...

Já aconteceu comigo por um bom tempo e vira e mexe acontece de novo. Aconteceu com mais frequência de eu fazer isso com ele do que vice-e-versa... especialmente porquê ele é sonâmbulo. qualquer estimulozinho no momento certo do sono (ainda que nao intencional) e ele responde como se estivesse acordado, e não falo só de estimulos sexuais. Ele já desceu um lance de escadas e me trouxe um copo d'agua, voltou e escovou os dentes, depois de ter desligado a tv. no dia seguinte ele estava me perguntando como eu fiz pra carregar ele da sala pro quarto (e ele é enorme! hahaha). outras vezes, fizemos coisinhas e ele acordou no meio do ato, depois de já passados uns bons vários minutos do inicio da coisa toda. E por um tempo ele fez isso comigo... parou depois de eu dizer algumas vezes que não tava sendo legal porquê eu tava ficando machucada. acho que foi por causa do sonambulismo também. e se nao for, também nem ligo.
Tudo isso foi sem consentimento expresso (que eu me lembre) e nunca perdi noites de sono por causa disso, talvez porquê eu levo toda a questão sexual muito na esportiva, ainda nao apareceu nada nesse campo que me deixasse ofendida - falo de meu relacionamento com essa pessoa específica. O que me estressou por um tempo é que tive uma candidiase do capeta e fiquei sem conseguir fazer nada por quase um ano, sendo 6 meses sem NENHUMA atividade. E ele nem estressou.
Enfim... só relatando minha experiência com essa questão. Nada contra nem a favor de qualquer saída cogitada pela autora do post.
Talvez a autora tenha ficado mais estressada por ter se sentido pressionada (por si mesma) a tomar alguma medida drástica do que com a situação propriamente dita.

Anônimo disse...

como que continuar casada com quem te estuprou,n é fomentar a cultura de estupro e apoiar o patriarcado?

o povo aqui é bem incoerente,uma hora ficam revoltadas com estupradores,outra hora basta o cara pedir desculpa que já tudo bem.
e dai q é o marido dela? n é tão ruim assim pq ele são casados?
estupro é estupro,n interessa de onde vem.

Fabi disse...

Eu tive um namorado que se dizia muito alternativo, de esquerda, ligado aos movimentos sociais, às minorias. Mas a mim, ele desrespeitava de todas as maneiras, era verbalmente agressivo e seu feminismo era só no discurso, o que me deixava bastante confusa com relação a ele. Ele também tinha essa "mania" de me tocar enquanto eu dormia. Eu quase sempre acordava, às vezes aos sustos e estes toques nunca evoluíram para uma relação sexual, pois aquilo não era sexo pra mim, era violência e covardia. No meu caso, o relacionamento não teve nenhuma chance quando passei a enxergá-lo como um abusador nojento e realmente, nenhum diálogo ou confissão por parte dele faria recuperar a confiança.

Anônimo disse...

O que a autora do post deve fazer é um pouco difícil de responder, mas fiquei com a impressão que ela esconde por debaixo do tapete a verdadeira relação com o esposo.
Começa por esse ponto:

"...ele era/é o cara que eu sempre quis como companheiro." - Cogita nas primeiras linhas que talvez não quer mais o cara. O que denota um desequilíbrio na relação.

" Minha história é confusa, cheia de detalhes e muito complicada." - Dá a entender que tem mais detalhes no relacionamento deles do que o sexo não consentido enquanto dormia.

"...Antes de dormir eu ainda falei "X, não me acorde fazendo sexo, porque hoje eu não estou me sentindo legal", e ele ainda brincou, falando "Não é meio estranho que a gente tenha a necessidade de falar isso? Às vezes parece meio DOENTE. E bom, pra mim estava claro que ele não tinha o meu consentimento. Porém, de manhã, tive um sonho nebuloso, de alguém me tocando, mas era algo meio real, meio sonho. Tive um sonho erótico, mas depois logo caí no sono de novo. Acordei com minha vagina doendo, molhada, e me senti um lixo." - O relato dela já aponta o que ocorreu, estupro.

"...Um dia eu comentei que sempre tive curiosidade de acordar com alguém fazendo sexo comigo...Até que: um dia, em um sono muito pesado, não acordei. Ele me contou o que tinha acontecido, eu fiquei super mal, mas foi algo visto como acidente."
O trato foi SER ACORDADA e isso não ocorreu, mais de uma vez. O que me passa pela cabeça, não menosprezando o fetiche alheio, quem diabos tem a excitação de fazer sexo com outra pessoa dormindo a todo momento? E a excitação de sentir o prazer proporcionado ao outro?
A pessoa continuar o sexo mesmo não acordando a outra denota uma excitação muito maior do que aquela que não conseguiu nem acordar. O que fica caracterizada uma submissão do seu marido em relação ao relacionamento que você tem com ele. E pra ele equilibrar as forças entre as partes ele parte para uma atitude sexual forçada/agressiva e de poder, me parece que para mostrar força na relação de vocês.
Escrevi algo totalmente teórico, não conheço os dois, mas foi essa a impressão do relato.

Juliana disse...

Lembrei na hora do filme O Bebê de Rosemary (q medo!!!). O marido traste não acha nada demais em transar com a esposa dormindo, ele até ri e diz que era tipo necrofilia, eu acho, e a esposa não acordo feliz, e sim, pertubada, pois sonhara que estava sendo estuprada...bom o desenrolar do filme explica o resto.

É muito complicado conciliar certos fetiches com o limite do consentimento, mas quando o combinado é "Não", quão difícil é entender?

Raven~ disse...

Olha eu concordo com o Alan em partes e integralmente com a Mari. Teu marido é bem manipulador. Ele ouviu quando vc disse que tava com DOR! Que não era pra te acordar (não é minha praia. Odeio que me acordem pra um troço tão banal quanto trepar). E mesmo assim ele vai lá, te come e ainda tem uma desculpa? E chora? E faz cena? Isso é abuso. Manipulação. Mas enfim. Quer ficar com ele, te desejo sorte, felicidade e espero que eu esteja errada.

Anônimo disse...

Para o povo que anda dizendo que "o povo aqui é incoerente" ou que a L. está "fomentando a cultura de estupro" ao não denunciar: ninguém aqui disse que o que o marido dela fez não foi estupro. Muito pelo contrário. Ela reconheceu que foi estupro e ELE reconheceu que foi estupro. Essa é a parte mais importante. Ela deveria denunciar o cara se ele continuasse achando que não fez nada de errado. Parem com essa mentalidade vingativa e punitivista. O sistema penal não serve apenas pra punir: serve para retirar da sociedade aqueles que oferecem perigo a ela e para educar, para fazer o criminoso entender que errou. Se o marido da L. entendeu que errou, e se ela confia nele, não há sentido em denunciá-lo. É melhor que ele tenha entendido que errou do que se ele ficasse anos preso mas não reconhecesse o erro. L. não está fomentando a cultura de estupro. Quem está fomentando a cultura de estupro são aqueles que querem prender estupradores apenas para puni-los, não para tentar mudá-los.

Anônimo disse...

Lola, já viu isso:

https://pt-br.facebook.com/permalink.php?story_fbid=764812416871188&id=558772217475210&stream_ref=10

Teus detratores não tem o que falar de vc e ficam fazendo comparações dignas de crianças de 3ª série. É pra rir.

Camila disse...

Querida leitora Fabi, não se iluda e nem se deixe abater, o que mais tem é homem machista se passando por "feminista" e de "esquerda". Vai algumas dicas para vc:

- Sempre que um homem falar que é feminista, faça três testes:

*Discorde dele o tempo (ou maior parte dele) todo.
*Critique sua postura e sempre lembre-o que ele é apenas um COADJUVANTE no feminismo, deixando suas opiniões em segundo plano.
*Cutuque-o! Sempre "jogue na cara" as atrocidades que os homens fazem em relação as mulheres: estupro, violência doméstica, feminicídio, etc.

Com essas coisinhas básicas vc verá se ele é feminista ou não, se ele realmente conhece a teoria feminista e suas respectivas autoras (pois é necessário para entender a opressão.

Sobre 'esquerda' não tenho muito o que comentar, pois ele pode ser de esquerda, sim, combater o capitalismo, ser fã de Marx e Lenin, mas, ainda sim, ser um machista cretino. Sei que é difícil e absurdo de acreditar, mas é a mais pura verdade.

RAQUEL LINK - blog me falaram que ia ter bolo disse...

Eu acredito o seguinte, o que cada casal combina, cada casal combina. o problema é que o combinado de vocês era meio relativo demais.

Afinal se é sexo pra acordar e a pessoa não esta acordando eu pararia. e ia ver o que tá acontecendo, se ela tá bem, se ela tá muito cansada, enfim. isso é uma coisa.

Outra é vc falar, hoje não rola. e mesmo assim ele ir porque achou que você queria.

Se você acreditar na honestidade dele que ele realmente achou que você queria..ele não fez estupro, talvez tenha errado..não agido da melhor maneira.

mas colocar uma etiqueta nele de abusador parece um pouco de exagero. afinal tinha combinado enfim.

MAS isso só você pode dizer. se ele tá sendo honesto ou tem malicia na história dele.

tomara que você tome a melhor decisão e que fique de alerta pras meninas sobre acordos sexuais. pensar bem antes de combinar qualquer coisa.

Juliana disse...

Quanto ao fato da pessoa não querer denunciar o marido, mesmo tendo certeza de que foi estuprada, bom, algodão-doce é a
vida de quem acha que violência
contra as mulheres se resolve
magicamente, basta ir a delegacia
e denunciar.
A realidade é que o tema é muito
complexo, eprecisamos sempre
pisar em muitos ovos.
É fácil demais se solidarizar com
quem apanha e pede ajuda, sai de
casa, denuncia. Essa todo mundo
estende a mão(acho).
Agora complicado mesmo é sentir
empatia com quem apanha e volta,
vai com o rosto inchado defender
o marido da polícia, da família.
Devemos sentir empatia por essas
mulheres? Sim. É mais difícil?
sim,admito.
Como diria o professor Hobsbawn
"compreender não é perdoar",
portanto não devemos apedrejar a
feminista traidora que não quer
denunciar o marido. Aliás, já vi
em posts desse blog sobre
violência contra as mulheres, a
situação-Rihanna: as comentaristas firmes de que mulher nenhuma merece apanhar, que devemos mudar isso e tals, mas quando alguém citou a Rihanna, várias disseram "essa aí é um desserviço, voltou pro cara".
Desculpa, mas nem toda mulher que
sofre algum tipo de abuso tem o o
perfil que a gente quer defender,
de frágil, pedindo ajuda.
E se não tiver esse perfil, vamos
fazer o quê? desejar que morram,
que apanhem,sejam
estupradas,abusadas de novo?
Não me entendam mal, não estou
fazendo apologia a
impunidade,claro que não! mas é
porque casos onde mulheres não
querem e não vão denunciar
existem, o que mais vejo é
defensores das mulheres se
voltarem contra elas, ao invés de
procurarem outros caminhos de
conscientização e ajuda.
Eu não sou feminista pra estender
a mão pra quem quer, e sim pra
quem precisa.

Anônimo disse...

Como é fazer sexo com alguém que já me estuprou??

Snt disse...

Concordo com o anônimo das 15h24. Não creio que se resolva a cultura de estrupo fichando o cara e colocando-o na prisão, nesse caso. Pouco se resolveria e poderia até piorar a situação. Até porque é marido dela, ela o conhece, não é alguém qualquer que a violentou...não é um estranho na rua, não é um ficante da noite, é alguém com quem convive todos os dias. O casal precisa conversar sobre o ocorrido. E se ele realmente percebeu o que fez, cabe a ela avaliar e decidir se fica ou não. Já passei por algo bem menos agressivo, mas de concordar e gostar de levar tapa na cara e um dia um namorado meu me deu um tapa na cara em um momento que não concordei e ainda era um lugar público, o que piorou talvez a minha sensação de desrespeito. Mas conversei com ele, falei que não poderia voltar a acontecer e apesar de não estarmos juntos mais (não foi esse o problema), durante todo o tempo que estive com ele nunca mais fez isso. Mas, tudo isso porque senti que poderia confiar de novo, senti que ele sabia que eu não tinha gostado e assim errou. Tudo dependerá de como a L. vai se sentir agora, em como ELES conjuntamente vão lidar com isso. Não temos como falar exatamente o que deve ser feito, cada caso é único e diferente.

Raven~ disse...

Isso é verdade Juliana. Fácil dizer: larga o cara, credo. Mas quem vive o relacionamento é ela, não a gente. E please, não é fácil largar qualquer relacionamento. Não conaigo nem sair da minha cama de manhã sem esforço, imagina terminar um casamento?

Lola, não tenho facebook. Como me inscrevo na palestra em Curitiba?

Anônimo disse...

E se amanhã vcs se separarem?
Ele ficará livre para fazer o mesmo com outra(s)...tá certo isso?

lola aronovich disse...

Raven, não precisa ter FB (eu tb não tenho). É só entrar num dos links do Horizontes 2014 e se inscrever. Acho que tem que mandar um email pra elas (veja o post de ontem). Abração!

Anônimo disse...

Quem está fomentando a cultura de estupro são aqueles que querem prender estupradores apenas para puni-los, não para tentar mudá-los.

então para que leis né,deixem ladrões,assassinos,pedofilos...todos soltos,livres e leves.
o sistema das prisões tem que melhorar e muito mas deixar criminosos livres é piada,impunidade pura.

e eu n falei nada dela denunciar o marido,deveria, mas sabendo como funciona as coisas aqui,seria mais uma humilhação.
mas o minimo que ela deveria fazer é se separar dele,ficando junto só está apoiando esse tipo de comportamento,ele estuprou mas n tem nada demais,pq o coitadinho pediu desculpas,que dó.

Anônimo disse...

Olha, tem outros pontos delicados nessa história. Isso de você se sentir culpada por ter "começado" a brincadeira tem que ser pensado e repensado, principalmente se vocês curtem BDSM. Tem muita coisa que parece legal a primeira vista, que a gente tem vontade de experimentar, mas na hora vê que não curte e muita de ideia. Independente de você ter começado, você tem todo o direito de não querer mais, certo? Mesmo que seja "durante" a situação. Tem que manter isso muito claro, tanto pra você quanto para ele, ainda mais enquanto estiverem praticando sadomasoquismo e dominação. Pra isso que servem os códigos de segurança. Em hipótese alguma é válido ele, ou você mesma, jogar a culpa em você, só por ter "começado". Ou achar que tem que ir até o fim de algo que você não está curtindo, só porque foi você que sugeriu.

Dito isso, eu concordo com a Lola na primeira situação. A ideia era ele acordar você fazendo sexo, um fetiche seu, e algumas pessoas tem o fetiche de fazer sexo em uma pessoa dormindo. Nenhum problema nisso, não entrar no mérito de dizer que as fantasias dos outros são bizarras/doentias. Afinal, enquanto for absolutamente consensual entre todos os envolvidos, está valendo. Ele poderia ter parado, mas talvez tenha achado que em algum ponto você ia acordar. É uma situação chata, mesmo, só que vocês fizeram o certo: ele concordou em garantir que você acordasse das próximas vezes, você manteve o seu consentimento. Nessa hora é que tem que existir mais do que nunca o diálogo, para que vocês consigam estabelecer certas regras. É legal pensar em "limites definitivos" e "limites negociáveis". Um limite definitivo é ele nunca fazer sexo com você, dormindo, quando você já tiver dito que não está afim. Nunca quer dizer N-U-N-C-A, não-negociável. E num caso desses caso nem precisava ser dito, mas é mais seguro estabelecer. Um limite negociável são coisas que você topa conversar a respeito, talvez experimentar. Vamos supor que você não curta sexo anal, mas mesmo assim aceita fazer uma tentativa com o cara. É válido, é uma experiência, se você definitivamente não curtir, estabelece isso como um limite definitivo, também.

Quanto a essa segunda vez, foi sim, um estupro. Por mais que você e ele curtam a brincadeira, nessa noite você disse que não queria. É o que eu disse no começo, certo? Tem que estar claro para os dois que o consentimento (seu ou dele) pode ser dado e retirado a qualquer momento. E deve ser respeitado. Mesmo se você curte e está afim de fazer uma coisa todos os dias, se naquele dia específico você não quer, o parceiro tem que entender. Quaisquer que sejam os seus motivos: seja porque você não está se sentindo bem, ou porque deu na cabeça que não quer e pronto. Pelo jeito, o seu marido percebeu a mancada que fez, não é? Então, parece que vocês tem a oportunidade de trabalhar isso juntos. Você está disposta a tentar e eu acho muito válido, também. Mantenham o diálogo sempre, acertem esses limites e, acima de tudo, o respeito entre os dois. Te desejo muita sorte, viu?

Anônimo disse...

Fácil dizer: larga o cara, credo

então fica com o estuprador q é melhor.

Raven~ disse...

Ah maravilha. Obrigada. ^^ Ontem eu tinha entendido que tinha q se inscrever pelo fb.

Leio Lola Leio disse...

Aos envolvidos: independente da decisão (separar, denunciar, permanecer) façam terapia.

André disse...

Se ela denunciasse ele será que ele iria preso? Ainda mais por anos e anos como já foi dito acima? Dado o falso-moralismo de nossa justiça e o histórico atípico das práticas sexuais do casal haveria chance desse processo prosperar? Ou só serviria como fonte de curiosidade e execração pública mais para ela que para ele?

Julia disse...

Acho que vale pra todos que curtem BSDM. Façam terapia.

Acho que esse conselho vale pra todo mundo no fim das contas.

Anônimo disse...

Então, me identifico um pouco com a autora. Há vários anos, eu tinha uma certa atração por BDSM e cheguei a praticá-lo em um relacionamento sério. Atualmente não entendo como isso me excitava, mas na época eu só conseguia ter prazer se pelo menos fantasiasse cenas de sexo com coerção na minha cabeça durante uma transa. Acontece que tive uma namorada que entrou nessa comigo e assumiu o papel de dominadora. Era algo relativamente leve e bastante amador e no início nós duas estávamos aprendendo. Aos poucos ela começou a gostar mais e mais... e acho que algo nela, uma certa "maldadezinha" escondida foi aflorando sem que eu percebesse e começou a aparecer de formas mais intensas, causando uma sensação de desconforto e de ser usada. Eu dizia a mim mesma que era besteira, que a gente tinha combinado tudo, etc, mas tinha a impressão de que aquelas fantasias se tornavam cada vez mais sérias pra ela.

Um dia, no auge do tesão, eu pedi a ela pra me dar um tapa. A gente fazia isso de vez em quando e esse tapa era algo teatral, que não doía, enfim, era um "fazer de conta". Pois nesse dia ela me deu um tapa de verdade, forte demais, a ponto de me machucar o lábio. Eu nunca tinha aceitado um tapa no rosto, nem de brincadeira, nem nas nossas fantasias e aquilo me chocou. Choramos, conversamos, esclarecemos tudo. Paramos com as transas mais selvagens e abolimos o bdsm. Aí, um belo dia, ela transou comigo enquanto eu dormia. Eu tinha tomado rivotril pois estava passando por crises de ansiedade. Eu me lembro de flashes dessa transa... e nessa transa ela me deu outro tapa "de verdade". Eu acordei e falei sobre os flashes de memória que eu tinha.. ela deu uma desculpa parecida com a do marido da autora do guest post. Não colou... Ela me bateu enquanto eu estava medicada, impossibilitada de acordar e após a gente ter abolido as transas mais fantasiosas. Ela disse que achou que a gente iria acabar voltando às transas daquele tipo e que eu gemia de forma que parecia que estava gostando e aí ela foi se empolgando...

Eu tentei continuar junto, ela entendeu que tinha passado dos limites mas eu simplesmente não conseguia me sentir igual. A gente foi se afastando, eu não tinha mais tesão nela e terminei. Ela começou a me seguir... tentou expor a nossa intimidade criando constrangimentos, ela me seguia até a faculdade, ela tatuou meu nome no corpo, ela ficou obcecada. Um dia, pediu pra conversar comigo e eu neguei. Ela me bateu, dentro da faculdade. Fiz um BO. Ela continuou me seguindo. Mudei de cidade, de telefone e só assim ela me deixou em paz. Eu nunca imaginei que isso podia terminar assim... Fiz muita terapia e descobri os motivos de gostar de bdsm. Sei que todos têm direito às suas fantasias e que elas não são indício de doenças ou transtornos, mas as minhas eram resultado da minha sensação de submissão. Fui criada de forma bem livre e não-machista, mas ainda assim absorvi muito da cultura machista da própria sociedade e só conseguia ser lésbica sendo bastante submissa e romântica... Engraçado é que nunca tinha pensado nesse episódio da transa comigo dormindo como estupro, mas sim como agressão física. Eu fui estuprada, eu acho... e agredida durante. É estranho pensar assim... acho que essa ficha vai demorar a cair...

Assinando como anônima dessa vez.

Joane Farias Nogueira disse...

Quem mata uma vez é assassino,por que quem estupra uma vez (uma leitor chamou de desvio) não é estuprador?

Ele sabia o que estava fazendo, e me pareceu gostar de tirar vantagem dela enquanto dormia.
Ele foi egoísta, egocêntrico, não se importou com seu prazer e traiu sua confiança.
E tudo o que não é consentido, por lógica é forçado.
Ou será que vamos aplicar a mesma lógica a mulheres que bebem e estão inconscientes?
Afinal, o que os olhos não veem o coração não sente, não é verdade?
E não adianta dizer que não dá para rotular. Não entender o que te aconteceu é pior do que encarar o que aconteceu.E se vc não gostou, se sentiu um lixo, então, não foi consensual, não foi desejado.

Andréia disse...

[...] e ele negou uma vez [...].

[...] mas mesmo assim, eu tenho a impressão que ele não queria me contar, e eu fico imaginando: se ele não tivesse me contado, eu nem ia saber o que rolou com meu próprio corpo.

Esse aspecto da personalidade do seu marido me preocupa muito. Pq alguém, que julga estar fazendo algo correto e consentido (e inclusive se ofende qdo contrariado), teria a necessidade de omitir o ocorrido???? Se certifique sobre a personalidade do seu marido e pense no que é melhor para vc.

As pessoas têm medo de usar a palavra estuprador, que é SIM a correta no seu caso.

Anônimo disse...

Foi estupro. Você falou que NÃO e ele fez, te machucou e você ta sofrendo. Larga este canalha eu não olharia na cara dele nunca mais. Não te ama faltou com respeito. Eu sei o que é estupro, mas eu tava bem acordada e lembro de todos os detalhes e me dar nojo muito nojo quando ele gosou em mim. Me debati até o último minuto e falei que NÃO, NÃO E NÃO. QUE NÃO ME TOCASSE, TAVA ME MACHUCANDO. Penetração forçada dõi, arde e dar um nojo repugnante. Se afasta você não será a mesma. Embora ela não faça mais ficará a dúvida se ele não te tocou. Não se culpe. Você não é culpada.

Anônimo disse...

Eu tomava rivotril para tratar neuralgia do Trigemio que causa dores de cabeça terríveis. Numa tarde eu em crise tomei e deitei. Fiquei semiacordada e um visinho me estuprando em meu quarto. Lembro que eu cobria meu corpo e parece que eu dormia mas acordava com o rosto dele em cima de mim. Em fim ele fez. Quando acordei mesmo meu corpo ardia. E ele foi me visitar falei do que eu lembrava. E ele falou que eu havia caido da cama e me juntou. Mentira dele o cuspi e gritei bem alto que era um estuprador ninguém me deu crédito, mas ele foi embora e eu sei do que ele fez . Nojento se eu vejo eu o mato . .

Anônimo disse...

Espero ver outro post da mesma autora falando que se separou. Foi estupro. Você ta péssima nota-se. O fato dele ter chorado não diminui a culpa dele.

Anônimo disse...

achei isso muito estranho,parece q ela deu permissão a ele para ser estuprada.
transar com uma pessoa inconsciente?

e n ficou claro,ela dava permissão sempre que queria ou foi uma vez só e ele fazia quando desse vontade?

Anônimo disse...

Eu queria me abrir aqui e queria a resposta de vocês.
Às vezes acho que eu to ficando meio noiada com o tanto de relato de abuso que eu leio e to meio que vendo isso onde não tem...
Eu e meu namorado sempre adoramos sexo, sempre fui mais afim que ele até. Toda vez que eu to menstruada a gente faz igual, e algumas vezes foram boas, mas ultimamente não to ficando lubrificada direito e tem sido ruim, e sempre digo: nao quero mais fazer menstruada, mas mesmo assim acabo fazendo (porque fico com vontade, não porque ele me enche o saco).
Nesse final de semana acordamos sedentos. Eu falei o finde todo que não ia rolar, mas já tinha dito tantas vezes e tinha rolado, fazer o que. Só que todo lugar que ele me tocava era desconfortável e não estava sendo bom de jeito nenhum. Tentamos trocar de posição, até que ficou de fato de uma maneira boa pra mim. E eu falei: assim está bom (não secamente assim, claro, mas não quero transformar meu relato num conto erótico). Ele tava bem vidrado, e de repente voltou a ser uma bosta pra mim, e eu me virei pro lado pra me desvencilhar (estava em cima dele), mas ele levou isso de outra forma e aí foi mais agressivo (como costumamos ser, na verdade) e foi até o fim. Não digo que foi de todo horrível como estava sendo no início, mas que eu não curti nem um pouco e que deixei claro isso, deixei. Sempre deixo claro quando gosto ou não. Mas mesmo assim ele não parou. Eu to muito encucada com isso, repeti pra ele o final de semana inteiro depois disso que tinha sido ruim e que não ia mais rolar, e em outra vez que rolou algo parecido ele disse que eu que tinha ido pra cima dele, mas isso só depois dele me acariciar e atazanar muito, mesmo sabendo que a princípio eu não queria...
Eu sinceramente não sei o que pensar. Já discutimos várias vezes sobre respeitar o limite do outro e às vezes até eu passo do meu com ele. Depois tentei levar na brincadeira e fingir que tava tudo bem, mas me senti usada demais, e ignorada. Será que eu to imaginando coisas? :/

Ki disse...

Aff. Ó o maluco!

http://noticias.terra.com.br/brasil/shot-girl-sofre-com-onda-feminista-nas-redes-sociais,a182bfe141e25410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html

E ainda eu tentei fazer um comentário lá, mas estou com umas travas aqui na minha conexão que me impediram. eis o que eu ia colocar:
"Rapaz... que materiazinha mais mal escrita (sem coerência e às vezes até sem coesão) e mal embasada. dando a entender que o feminismo estaria oprimindo as moças -quando a maior prerrogativa do feminismo é que a mulher tem total dominio sobre seu próprio corpo para fazer o que bem entender- e aí fala de situações em que um homem e religião (entidade altamente patriarcal) causaram constrangimentos, provando justamente o contrário da premissa do título.
Sr jornalista: tu escreve mal pra caramba em matérias que exijem honestidade intelectual e análise da sociedade.fique na coluna de esportes, SOMENTE."

donadio disse...

"Agora que concordamos que foi estupro, o que vc planeja fazer sobre isso? Denunciá-lo formalmente? Acabar o casamento? Na minha opinião, e essa é uma opinião vinda de fora, lógico, as duas alternativas não seriam as melhores."

Lola, desculpa, mas absolutamente não dá para concordar com isso.

SE foi estupro, foi um crime - aliás, um dos crimes mais graves que se pode cometer contra uma pessoa. E tem de ser denunciado. Ou pelo menos, tratado, privadamente, como o crime brutal que foi, se a denúncia for impossível por motivos práticos ou legais (e mesmo aí, não por que a denúncia não seja a melhor opção, mas apenas por que a melhor opção nem sempre é viável).

SE denunciar não é a melhor opção... então fica difícil manter a idéia de que foi um estupro - que estupro é esse em cujo caso não denunciar é melhor do que denunciar?

lola aronovich disse...

Ki, que matéria impressionante! O sujeito acha que a moça em questão recebeu "tiroteio feminista"?! Que a "onda feminista" começou AGORA, depois da pesquisa do Ipea? E que essa "onda" faz as pessoas sofrerem? Por onde a gente começa a explicar?

Anônimo disse...

Isto e o que dá insistirem em ter elações com homens.

Verô! disse...

Existem algumas condições inegociáveis para um ato sexual ser legítimo, a mais importante é: as pessoas envolvidas devem ter plena capacidade de discernimento para tomarem decisões conscientes e consentir ou não com o ato. Se uma das pessoas não dispõe dessa faculdade, ou seja, se ela não tem condições de dizer com segurança "sim" ou "não" e mesmo assim o ato for consumado é estupro.

Alguém escreveu que não é importante rotular o ato como estupro ou não. Como assim? Claro que é! Estupro é crime, isso não é relativo.

Autora do post, sem eufemismos: seu marido a estuprou, ele cometeu um crime contra você. A decisão de perdoar ou não cabe somente à você, mas não se engane, independente da decisão que você tomar o fato é que você foi vítima de um crime covarde.

Anônimo disse...

Bem, tecnicamente ele já te estuprou durante o sono quando te abraçou por trás e te encoxou na primeira noite em que vocês dormiram juntos, igualzinho os tarados dos ônibus. A menos que você tenha dito diretamente que ele poderia fazer isso, o que provavelmente não aconteceu.

Anônimo disse...

Eu acho que há um limite entre ser estuprada e ser bem confusa. Você mudou de opinião umas 3 vezes durante a transa... A não ser que você tenha sido bem seria e assertiva quando resolveu que não queria mais, parece que seria difícil pro cara entender que não era para continuar tentando (você disse que era para parar ou que não estava gostando? Porque ele mudou de posição, você passou a gostar, depois ficou ruim de novo e talvez ele tenha achado que sendo mais agressivo, você ia talvez entrar no clima (já que você mencionou que ser mais agressivos é algo que fazem e curtem).

Marinalopes disse...

Gostaria de dizer para a L, que já foi dito com muita sensibilidade pela Lola, NÃO FOI SUA CULPA! De fato existem diversas formas de se obter prazer sexual, muitas delas são consideradas perversões ou patologia, eu não entendo assim desde o casal tenha consentido! Sabe aquele ditado "o combinado não sai caro" adoro ele! Pois se respeitaram aquilo que foi combinado estaremos respeitando o outro. Na minha percepção desde a primeira vez que ele continuou a transa sem você acordar, é uma violência! Mas como lidar com isso? Não existe jeito certo e jeito errado! Denunia-lo e separar-se dele por si só não resolve o problema! Pois vocês têm um relacionamento e isso que aconteceu precisa ser conversado. O desrespeito e a violência interpessoal não ocorre apenas na relação sexual! Ocorre na relação como um todo! Então fique atenta! Preste atenção na postura dele! Erro todos cometemos, uns mais graves que outros. Mas você pode saber o que é capaz de perdoar ou não!

Anônimo disse...

Olha, eu acredito que ocorreu estupro ambas as vezes, porque o trato era ser ACORDADA com sexo e isso não ocorreu. E a segunda vez, obviamente, não havia consentimento, logo não tem nem o que comentar, né?

Mas eu acho muito nocivo que as pessoas queiram obrigar a anônima a denunciar o marido. Até porque estupros são complicados de provar na justiça. Estupros como o do relato são ainda mais difíceis por causa da cultura do estupro e do machismo que vigora no judiciário e também a dificuldade com as provas. Denunciar é algo que todos nós aconselhamos e queremos que as pessoas façam, mas julgar quem não denuncia é complicado, porque a polícia normalmente destrata a mulher vítima de um crime como o estupro. Fala que é culpa da mulher, duvida da palavra dela, agride verbalmente... Enfim, nem todo mundo consegue lidar com tamanho desrespeito e culpar a moça por isso é tosco demais. Pra mim culpá-la por não denunciar é antifeminista. Sério mesmo.

E ainda tem outros detalhes como a questão de dependência emocional e financeira que muitas vezes influencia bastante. Então, pessoal, não vamos julgar, caçar a carteirinha da moça, né? Vamos apoiá-la, aconselhá-la, dialogar com ela. Afinal, temos que mostrar que apesar da dificuldade de denunciar, é direito dela fazer essa denúncia e que caso ela decida fazer isso, nós a apoiaremos, porque ela vai enfrentar o monstro do judiciário machista.

Acredito que é que é bem tenso o fato dela manter um casamento com essa pessoa após o que ele fez. Qualquer relação deve ser pautada na confiança e esse cara não é confiável e ele age de forma manipuladora, utilizando o amor que ela sente por ele como arma pra sair "impune" dessa. Não só no sentido jurídico da coisa, mas na punição de término de relacionamento mesmo, sabe? Eu acho que a moça do relato deve tentar se fortalecer ao máximo com terapia para que repense essa dependência. Nós não precisamos dos caras que namoramos, somos casadas. Se eles nos desrespeitam, nos violentam, não temos que continuar com eles porque o amamos um dia. É complicado julgar o fato dela continuar com ele, mas se formos analisar no macro, a única coisa que temos que pensar que é mais um caso de dependência, infelizmente.

Cris Jolie disse...

Espero que a moça caia na real!!!
Ele transou com ela dormindo , e por ele não contaria. Será que faria novamente????
Não suporto gente egoísta!!! Repare se ele tem este tipo de comportamento no dia a dia. Abra os olhos!!!
Estupro é crime!!

Anônimo disse...

anonimo de 8 de abril de 2014 20:04, mul vezes obrigada por ter me respondido, sinceramente. eu não acho que fui estuprada de forma alguma, mas só queria saber se devia dar mais atenção a isso ou não. eu disse durante a transa que não estava legal, mas depois falei que estava porque de fato ficou. mas ele percebeu certamente que tinha um movimento e posição certas, e na outra posição não foi boa, e eu sou bem "expressiva", deixo bem claro quando estou gostando, e fiquei tão quieta que fiquei até assustada que ele não parou...agora eu penso que deveria ter pedido pra ele parar, ou parado, mas na hora sei lá... :/
to bem confusa mesmo, se fosse a primeira vez que isso rola eu nem estaria com tanta pergunta na cabeça. mas já rolou antes e levou a gente a discussões bem sérias...
conversei com ele hoje e disse que não ia mais rolar mesmo, e ele riu e disse que achou que isso já estava definido... frisei que era importante pra mim, espero que ele entenda meu recado. melhor esquecer essa história mesmo... de fato ele pode ter achado que estava bom pra mim e ido em frente. é como eu disse, às vezes a gente lê tanta bosta por aí que é difícil acreditar num erro desproposital... sempre acha que até quem ama a gente quer se aproveitar.. não é fácil, na moral. semana passada li um relato de estupro por parte de namorado e quase passei mal.. enfim, muito obrigada. :)


Anônimo disse...

Ah: pessoas (HOMENS OBVIAMENTE) comparando dormir de conchinha com quem vc ama com encochada de abusadores em onibus: não tem preço

Aninha disse...

Oi, me chamo Ana.
Eu estava ficando com um carinha e eu tinha tomado vinho com ele. Ficamos conversando na casa dele, rindo até que ele falou que de vez em quando fumava maconha. Ele perguntou se eu queria experimentar, e eu, sonsa, disse sim. Dei uma tragada e não gostei, senti ressecando minha traquéia. Até aí ok.
Depois senti tudo zonzo e resolvi me deitar. Ele deitou do meu lado e começamos a nos "pegar". Depois disso eu tive um "apagão" e só me lembro dele em cima de mim tentando transar comigo. Eu comecei a chorar e ele parou, foi carinhoso, me abraçou etc.

Até hoje fico na dúvida se eu estava acordada e simplesmente tive amnésia ou eu realmente "desmaiei" e ele se aproveitou disso.

=/

kateav disse...

L., vc disse que no dia da viagem não queria sexo porque sua vagina estava ardida e estranha.
Vc DISSE pra ele que sua vagina estava dolorida, porque raios ele não respeitou sua dor?
E outra, vc já considerou que sua vagina estivesse assim pq ele poderia estar fazendo sexo sem te acordar há MUITO tempo e não te contando NADA?

Karú disse...

Ola, li a história e achei meio complicada, pois de inicio parecia tudo a mil maravilhas e depois foi se tornando um pesadelo, acho que deveria ter limites e ele foi ultrapassado,bom L. seu marido errou, porém ele se arrependeu, talvez no dia da viagem em que você pediu para não fazer, como ele disse você ficou se mexendo dando a entender que queria, ninguém aqui te conhece melhor que ele, talvez sem querer você deu a entender mesmo, mas isso não é motivo de se sentir culpada e achar seu marido um monstro, todos erramos e reconhecer o erro é melhor ainda, bom ninguém sabe do relacionamento de vocês dois e quem tem que decidir o que fazer é VOCÊ mesma!
Espero que tenham conversado e isso fica de experiência que certas coisas em nossas vidas são boas, mas tudo em excesso é ruim...boa sorte, beijos

Anônimo disse...

No casamento, ou relações que envolvem afetividade, temos que confiar plenamente no parceiro, para evitarmos essas situações. Tem que rolar muito papo entre vcs.para resgatar a confiança, pois que ama mesmo não só fala eu te amo mas prova com atos, que é o mais difícil. Agora o papo de estupro, não voa tão alto senão fica mais difícil resolver.

Unknown disse...

A coisa mais linda e admirável da Lola é que ela é feminista pelos motivos certos. Ela não é uma pessoa que usa o feminismo pra extravasar seu profundo ódio e revolta pessoal.
A Lola é uma feminista que não aliena os outros do movimento. Posso enviar um link de um texto dela pra qualquer pessoa inteligente que ela vai ler e pensar e não ficar assustado com a irracionalidade que algumas feministas destilam por aí.
Me parece que essa neura toda da moça da estória vem desse desvio do movimento. Quer dizer que se o feminismo vencer, vou viver num mundo com esse nível de paranóia? Quero não, obrigada!
Olha que coisa mais incrível: a rigor, o que houve foi estupro, já que por definição estupro é sexo sem consentimento, mas por mais incrível que pareça, encontramos um caso em que estupro pode ser praticamente inofensivo e que a pena razoável e suficiente para o "criminoso" em questão é uma bronca e um "não faça mais isso por favor."

Amanda disse...

Refleti bastante sobre esse assunto e cheguei a uma conclusão de que a palavra "estupro" foi exagero, pois era uma brincadeira do casal e ela não soube se expressar para o marido o momento certo de brincar.

Rodrigo disse...

*Discorde dele o tempo (ou maior parte dele) todo.
*Critique sua postura e sempre lembre-o que ele é apenas um COADJUVANTE no feminismo, deixando suas opiniões em segundo plano.
*Cutuque-o! Sempre "jogue na cara" as atrocidades que os homens fazem em relação as mulheres: estupro, violência doméstica, feminicídio, etc.

Que ridículo. Então pra ser feminista o sujeito tem que baixar a cabeça sempre? O que agrega jogar na cara de alguém um crime cometido por outro? Então numa sociedade feminista homens serão coadjuvantes?
Não é possível, algumas bocas devem realmente sentir inveja dos seus respectivos ânus.

Julia disse...

Rodrigo, pela sua reação você tem machismo no seu coração.

Homens no feminismo são coadjuvantes. Perceba, é no movimento.
O movimento é das e pelas mulheres.

Se um homem não consegue aceitar isso é machista.

Liute Cristian disse...

Nossa, ao ler tantos comentários de pessoas experts em psicologia e comportamento.. fica difícil saber quem é o "mais certo" em avaliar um relato, de um casal, que não se conhece nada além deste único relato, seus desejos, suas atitudes um com o outro, seus pilares e definir com tanta presteza o caráter de ambos.
Parece aquelas pessoas que quando veem um casal brigando descem o pau sem nem saber o motivo da briga?
Bom, são casados, e com certeza ninguém aqui conhece nem 1% da história dos dois para exalta suas atitudes extremistas.

Anônimo disse...

Leiam sobre a fantasia do estupro em Freud, se quiserem aprofundar no assunto.

Anônimo disse...

Olha eu gostari de fazer umas perguntas pra essa L e se fosse ao contrario se seu marido te chamase de estrupadora pense como vc se sentiria se a ocasiao fosse contraria se um exemplo se eke dissese q o desejo dele fosse transar a tres com vc e um amigo e se derrepente vcs fazem ai vc curte o lance e chama um amigo pra fazer novamente e ele te chama de traira como vc se sentiria isso e um exemplo nao agredito q marcalo como um estupador sejo justo vcs sao casados imagina se vc tem vontade de fazer amor com seu marido no dia q ele foi demitido ou p time dele perdeu o campeonato ele ta puto da vida e voce morrendo de vontade acontese ne ai se vc da aquela investida pra abrir o apetite dele e por isso ele diz q vc fez uma tentativa de estupro como vc se sentiria linda sabe oq e um estupro de vdd e um cara pegar uma menininha na porta da escola amarrar ela pela mao e pes e chumbar nela a força oq rolou com seu marido foi sim um desrespeito mas seria uma grande inhjustiça da sua parte pintalo como um estuprador sem faler denuncialo as autoridades se condendado ele poderia ir pra cadeia e ainda ser violentado e assasinado como rola com os verdadeiros estupradores e sim seria sua culpa pq foi vc que começou com.o lance do fetiche obrgado e pense bem antes de qualquer coisa e so pra constar a dona desse blog com todo p respeito nao sabe de nada inocente a resposta foi mais confusa q tudo primeiro diz q acha q nao foi estupri depois da a certesa que foi estupro isso e uma acusaçao gravisdima viu

Anônimo disse...

Eu espero que a proprietaia do blog nao deixe de publicar o meu comentario devido a essa critica construtiva grato adoraria ler uma respsta a minha critica grato. Pode de chamar de. Is

Anônimo disse...

Lola, meu esposo quer sexo todos os dias!! Depois fica reclamando que eu nao o procuro, se ele nem dá tempo pra eu sentir desejo.

W disse...

Caras... acho q sou de outro planeta, pq eu e minha esposa eu nao vejo como agente ter um ato sexual e ser caracterizado estupro. Ela ja me acordou com sexo varias vezes no decorrer da vida sem eu pedir mas de forma nenhuma achei que fui estuprado, pra mim foi ate bom, apesar q as vezes poderia estar cansado e indisposto.

Estupro, na lei pode ser qq coisa nao consentida, nem sei, mas estupro pra mim é quando alguem que vc nao conhece te poe uma arma na cara ou algo
do genero e força a fazer sexo.

Marido e mulher fazem sexo, as pessoas se relacionam e o relacionamento romantico esta diretamente ligado ao ato sexual, isso é natural, nao sei como pode ter estupro neste meio, salvo se estao se separando, nao se amam mais e ha sexo forçado por violencia por alguma parte.

As vezes, chego na cama e minha esposa ja esta dormindo, mas se der vontade eu acaricio ela e normalmente pode acontecer 2 coisas: ou ela corresponde e acabamos fazendo sexo ou ela fala pra parar e domir que ao acordar damos continuidade. Normalmente eu acato, mas ja ouve vezes que continuei insistindo e acabo penetrando ela, porem isso jamais configurou alguem tipo de crime entre nós, ate pq depois de penetrada, por mais que nao quizesse, ela demonstra estar gostando, fazendo movimento com o corpo sim e ate gemendo e as vezes ate expressa algo, ela jamais fez algum drama com isso como deste post, como se o homem fosse um dos maiores criminosos que existe no planeta por fazer isso e q devsse ser preso e condenado a pena de morte imediatamente.

Unico detalhe é que nunca vi alguem dizer q consegue acariciar, penetrar a outra pessoa e q ela nao acorde, isso achei q era impossivel a nao ser q a pessoa tivesse dopada.

Clariça Novaes disse...

Concordo não sabe brincar não desça para o play, fantasia é jogo

Clariça Novaes disse...

Fofa se tá com o cara tem que servi-lo, senão ele procura outra, adoro quando sou acordada com a mão dele me tocando e não tenho como me defender

Paulo Jr disse...

Muita palhaçada isso ai, se fosse o contrario iriam dizer que foi so o desejo da mulher que falou mais alto e que esse homem e um fresco e que deve ser viado por estar reclamando -.-

Anônimo disse...

Eu não consigo entender o que as mulheres pensam de nós. Quando o assunto é sexo, nem sempre a racionalidade prevalece. Eu acho que as mulheres deviam ser mais cuidadosas. Quando pensamos... a coisa já aconteceu. Sexo é, no caso dos homens, guiado fortemente por instinto. É por isso que dizemos, não ande de short curto, não faça topless, etc. Ou você é daquelas que vai à savanas à pé e desarmada? Aí, o risco é todo seu então.

Anônimo disse...

MDS, quanto exagero, exagero tremendo ainda em dizer que ele é "o pior tipo de estuprador", pelo amor de deus né?!

Anônimo disse...

Também fico me perguntando como alguém que é estuprada não acorda durante o ato, não estando sob efeito de alguma medicação/droga ou algo do gênero.

Se uma mulher resolve acordar um homem com sexo oral, sem previamente ter recebido consentimento para isso, também é estupro? Ou só é estupro se o agente passivo for do sexo feminino?

Anônimo disse...

Se pegarmos o caso isolado "Ele fez sexo comigo enquanto eu dormia" é fácil dizer: "Ele é um estuprador sujo".
Ela tenta mostrar que o conhecia muito bem e que confiava nele. Porém, ela diz que já gostava de BDSM e ele se acostumou. Agora imaginem que nas sessões de BDSM ela pedia pra ser amarrada, ser feita de escravinha, ser ofendida, etc. Só o fato dele se acostumar com as fantasias dela demonstra que ele não entrou na "brincadeira" espontaneamente. De repente a mesma masoquista pede pra ser acordada com sexo, e novamente ele leva um tempo pra participar do jogo. Eu pergunto: Eles se conheciam tão bem assim? Pra ela o relacionamento está uma maravilha antes porque ele jogava o jogo dela. Ele conhecia as regras, mas não quem dava as cartas. Ele achava saber do que ela era capaz de aguentar com o BDSM.
Quis fazer do sexo um jogo com suas próprias regras e quis que ele entrasse na brincadeira. No começo é divertido, diferente, moderno, excitante como toda brincadeira. Acontece que nos jogos sempre alguém sai perdendo. E quem perdeu dessa vez foi ela. Não aguentou as consequências e esta aí sofrendo. Sofrendo não pelo sexo, mas pelo orgulho. E ainda não assume a parcela da culpa, deve se sentir melhor jogando toda culpa nele. Dica: Sexo não é um joguinho e se você não é capaz de perdoar faça o favor de se separar, denuncia ele, sei lá apenas acabe com esse sofrimento Outra dica: Busque a Deus. E um psicólogo. E outro otário que aceite suas loucuras.

FABIO BARBOSA disse...

Não foi estupro, o inconsciente seu que trabalhou para que seu marido tivesse esse tipo de relação! transtorno do sono com algo ligado ao prazer que estava para acontecer. Acho um pouco de exagero por parte que tenha achado que é estupro. Se não nem estariam juntos e teriam se relacionado. Por ultimo sigo a mesma linha de raciocínio do ultimo post.

Anônimo disse...

Acho que você foi boa nessa opinião. Afinal, dificilmente dá para dizer "divorcie" por um caso ouvido sobre uma história que não foi completamente contada.

Anônimo disse...

Nossa como vc é ridicula..se não me sinto bem com algo que eu não queira ou não goste..que se dane, servir homem??? Vai nessa sua idiota

Anônimo disse...

Que exagero dizer que o marido estuprou a esposa! Isso acontece. Se fosse eu conversaria expressando meus sentimentos. O marido dela estava com vontade e como estava acostumado negligenciou os fatos e teve com ela. Como ela disse que o marido dela é 10 e aconteceu esse vacilo, perdoaria depois de um diálogo sem essa conversa de feminismo deturpado. @mL

Rê Bordosa disse...

Dar o troco te deixaria mais aliviada, com a sensação de "dívida paga"?

Faça a proposta a ele: você enterra o assunto se ele topar uma sentença de "olho por olho":
você compra um consolo com cinta e o pega por trás enquanto ele dorme, de surpresa em uma noite que ele não saberá qual é.
Ele vai sentir na pele como é dormir com medo de ser abusado, sem saber quando, se vai ser nessa noite ou na próxima; quando rolar ele saberá como é acordar com alguém dominando e ficar dolorido no outro dia. Com certeza vai repensar a atitude.
E você sentirá que retomou o controle, passando de vítima a algoz.

Estarão em pé de igualdade e poderão jogar uma pá de cal no assunto e seguir com a vida.


lucielma alves disse...

Verdade, o cara fez por q ela pediu , depois ela rotula como estrupo , se n sabe brincar devolve os carrinhos

lucielma alves disse...

Gente estrupo e quando a pessoa n quer akela pessoa ela t força te machuca , ela comcentiu , e depois ficou martelando na cabeça e procurando o jeito de rotular o estrupo , e quando roolou de novo ela dormindo , ela. Pensou , finalmente foi estrupo , como VC e casada.com o cara , VC quis essa brincadeira , e diz q seu marido e estripador , VC já pensou oq passa com im estripador na cadeia ? Se ele n te fez mal ele te ama , converse com ele , ou termine seu casamento , mais n rotule o cara , ele TB deve ta se sentindo um lixo agora , meu marido um dia me acordou assim , xinguei ele , disse q se ele tentansse.maia uma vez eu chamaria a policia , dei a atender q eu n queria não quero n aceito , agora se ele tentar , ao sim e estrupo pq ele sabe do ódio q eu sinto alguem me tocando quando estou sonolenta , n sei ai ta em VC , mais na minha opinião deixe ele , e se livre desse mal

Anônimo disse...

Comigo acontece a mesma coisa não sei o que fazer tô muito assustada pois o homem que eu acreditava ser tranquilo e responsável eu nunca pensei que ele pudesse fazer isto mesmo sendo meu marido tenho medo de conta pra ele q sei o que ele faz enquanto durmo ..pq o amo demais mas mesmo assim me sentindo usada ....no meu caso eu tomo remédio pra dormir pq não consigo dormir sozinha por conta de extrema ansiedade ...e comecei ter infecção urinária e algumas coisas estranhas ao amhacer me fizeram pensar o que acontecia enquanto dormia lá meu susto e decepção ...coloquei um gravador debaixo do meu travesseiro e no dia seguinte houvir barulhos estranhos aí fiquei mais curiosa ...coloquei um celular antes de dormir virado pra cama sem q ele desconfiasse ...no outro dia fiquei assustada ....pois não reconheci a pessoa do vídeo ..nossa q decepção ....achei que a culpa era minha q talvez eu não o satisfizesse sei lá ..tentei me culpa pelo ato dele ...Talvez pelo fato de ama lo estaria tentando não culpa lo ..o vídeo mostrava ele tirando minha roupa íntima com cuidado e abrindo minhas pernas e praticando o que queria nossa fiquei imaginando quanto tempo aquilo estava acontecendo ...Por isso toda manhã amanhecia molhada e com dores na região pélvica foi horrível e tô aqui me sentindo usada e sem coragem de aborda lo com isso

Anônimo disse...

Eu tenho esse fetiche de fazer sexo dormindo. Tanto q façam em mim tanto eu fazendo oralmente.
Outra moça relatou a msm historia. Acredito q se tornou uma obsessão do homem fazer sexo com a pessoa inconsciente. É um estupro msm. Depois d ver esse caso. Vou deixar meu fetiche d lado.

Anônimo disse...

Sim, acho excitante acordar minha namorada com sexo... De certo que depois de ler o texto, acho que devo conversar mais com ela sobre o assunto para ver até que ponto isso realmente é interessante para nós duas.

samy dela cristy disse...

Gente pelo amor de Deus... o marido dela nao e um estuprador...
Em primeiro lugar ela consentiu em todas as outras vezes... alem disso foi ela quem pediu...
Agora porque ele se confundiu e axou que ela estava se insinuando para ele durante a noite tem de taxa-lo como estuprador.
Mas o fato e que ela deve procurar um psicologo para ajuda la a entender a diferenca entre o que aconteceu e estupro...
As duas coisas sao bem distintas...
So lamento por ela mas principalmente pelo marido dela...
Me colocando no lugar dele eu me sentiria um lixo por ter sido julgado como estuprador e nunca mais a tocaria

Cleriston Santos disse...

Hj tem jogo na globo??

Anônimo disse...

É, tenho essa dúvida tb. Nunca consenti mas certa vez estávamos brigados, eu não estava falando com ele e virei pra dormir. Ele começou me acariciar, viu q eu não expressei nd. Fingi q tava dormindo pra ver até onde ele ia, e ele foi até o final. E ainda ficava pondo o dedo no meu nariz pra ver se eu estava viva e continuava. Como vcs interpretam isso?

Karolina Vieira disse...

É mesmo né Clariça, só porque uma pessoa aceitou uma brincadeira uma vez agora ela tem que aceitar até quando não quer.

Karolina Vieira disse...

Porque você nunca VIU não quer dizer que não exista, se sua mulher fala que não quer e você ainda sim faz isso é abuso sim. Não sei se você se atentou pra parte do texto que ela disse que NÃO QUERIA PORQUE ESTAVA COM DOR.

Karolina Vieira disse...

Quem diz isso é machista consigo e com os outros, se você é homem e é acordado com uma cenoura no rabo. Ach justo reclamar.

Karolina Vieira disse...

Você acabou de se comparar á um leão que come um viado porque ele está dando sopa. Acho que os seres humanos no geral são mais do que instinto. E quem justifica estupro dizendo que a vitima merecia porque estava com um short curto, não explica porque mulher de burca coberta da cabeça aos pés é estuprada. A culpa nunca é da vitima e sim do agressor.Qualquer outra reposta é covardia.

Karolina Vieira disse...

Ela disse que não queria porque estava com dor. E mesmo assim ele fez.

Anônimo disse...

Logico que não(ia sim esse povo so sabe falar merda apesar de que eu não conheço um cara que não Ia gostar

Ana disse...

Fala serio!! Ele eh o marido, entao faz o que quiser com ela. Se ela nao esta mais satisfeita q divorcie do cara. Mas ficar acusando o cara eh um absurdo surreal. Essas feministas estragam os relacionamentos q temos com homens de verdade.

Anônimo disse...

"Ana", usar nick feminino na internet não te faz uma mulher. Tente a sorte na próxima encarnação, nessa eu torço que você tenha o pau decepado com uma facão cego.

Vanessa Soares disse...

Ora por favor!!!!aonde tem estrupo nisso?? O cara é teu MARIDOOOO HELLOWWW eu sou casada filha,não acho não quer transar não durma com ele!! Cada uma!!!!!!

Anônimo disse...

Maridos estupram também, Vanessa. Toma vergonha na cara e aprenda a não deixar ninguém achar que é seu dono porque assinou um papel e falou umas merdas na frente de um padre!!!!!!!!!!!!!!!!1

Unknown disse...

E nao sei aonde isso e estrupo pessoa ignorante nao sabe oque esta falando

Anônimo disse...

Minha esposa gosta que eu a toque e a penetre durante seu sono ela me disse, mas quando seu corpo não quer, logo me empurra, aí vejo que não é legal e paro.

Anônimo disse...

Depois de ler esses comentarios, posso afirmar sem dó que os homens são estupradores em potencial, capazes de estuprarem tanto suas esposas quanto suas filhas. Para a sociedade, um homem estuprar sua esposa não é crime. Não estamos tao longe dos paises arabes....

Lolita disse...

Não vejo problema nenhum se os dois não estavam brigados, tipo eles são marido e mulher cara! O que tem de mal no isso?????

Júlia disse...

Aconteceu comigo mais uma vez essa noite. Não consigo dormir mais tranquila ao lado do meu marido. Acho sempre que ele vai me acordar no meio da noite para fazer isso. E ele fez. Pensei que depois que ele acabou seria o fim, que podeira dormir. Mas ele me acordava a noite toda, abrindo minha bunda, falando palavrões. Eu já não tinha dormido nada na noite anterior. Eu não sei se vou dormir essa noite. Quando cheguei no trabalho, estava tão triste que chorei. Me sinto um pedaço de carne. E toda vez que falo com ele, ele fica muito bravo, se faz de vítima, me ofende muito.

Flôr disse...

Acho na verdade que ela não gosta mais dele. Se ainda houvesse amor ela resolveria isso entre eles mesmos. É como se estivesse através desse fato tentando aliviar o fato de não amá-lo mais. Tanto que ela não consegue culpá-lo verdadeiramente. Pode ser que eu esteja equivocada. Apenas acho.

Anônimo disse...

Caramba. É sempre tão engraçado ver mulheres falando de sexo no casamento. Me vejo no meio de tantas confusões tão fáceis de resolver.

Seu marido transou com você enquanto você dormia? Qual o problema disso? Você nem se lembra de nada e afinal de contas ele é seu marido! Você deveria estar orgulhosa dele se sentir excitado contigo mesmo sem você fazer nada. O fato de você não consentir não muda o desejo dele por você, e o fato dele ser seu, faz de você, dele; É recíproco. Não vejo problemas em nada do que aconteceu no seu casamento. Ele está apaixonado por quem ele casou, e é assim que Homens se expressam sobre isso. =]

Não entendo como uma mulher pode se sentir "um pedaço de carne", quando o marido dela a deseja sem condições. Ela é no mínimo "O" pedaço de carne, porque francamente, tudo pra um homem gira em torno do Sexo, simplesmente porque a evolução de milhões de anos nos fez assim, capazes de procriar em qualquer momento, em qualquer lugar. Então, se mesmo assim um cara consegue te querer a todo instante ao em vez de outra qualquer, acredite, sinta-se a melhor mulher do mundo porque ou Homens estamos pensando em sexo, ou estão preparados para pensar, se não for com a mulher X será com a Y.

Vocês são sortudas que têm um cara nas mãos de vocês. Usem isso com amor, porque só se perde um Homem uma vez, não há nada de errado em satisfazer o seu marido. Se está difícil pra você, tente ser mais aberta e se entregar mais a ele. É bem mais fácil uma mulher se acostumar com a voracidade de um Homem do que um Homem diminuir a libido dele, e acreditem, nenhuma mulher ficaria satisfeita se fosse o contrário.

Mas se não ta dando certo, procure um Homem menos "faminto", afinal de contas, existem vários tipos de incompatibilidades num casal, a sexual é só uma delas. E acho que é exatamente esse o seu problema, pelo que lí ele está sempre aberto a coisas novas com você, mas foi só ele transar com você enquanto você dormia que você se sentiu estuprada? Só porque você disse não antes? Francamente... pense bem nisso...

Anônimo disse...

Uma amiga tinha síndrome do pânico e transtorno bipolar, então ela tomava uns remédios pesadões para controlar esses problemas. Uma vez ela contou que estava desconfiada que o marido dela estava "mexendo" com ela de madrugada quando os remédios estavam no seu ápice e ela não acordava por nada. Ela conversou com ele e ele disse que não, que nunca faria, até que uma vez ela acordou suja de sangue e com o ânus dolorido, ele havia forçado sexo anal com ela. Dessa vez não teve como ele negar. Eu acho que foi estupro, principalmente porque ele aproveitava os remédios fazerem bem efeito para "mexer" com ela. Muito triste.

Anônimo disse...

Andei pesquisando esse blog porque estou passando por essa situação.
Tenho minhas vontades, acordo de madrugada, estou casado há 12 anos. Sempre que tenho vontade procuro sim.
Eu como homem, quero perguntar vocês mulheres que o correto seria irmos pra rua atrás de outras mulheres para nós satisfazer ou procurar nossa mulher, esposa nem que seje dormindo?
Estupro e algo muito além, e quando ocorre algo forçado, com acreção. Ou eu estou errado?
O pior é eu ter pedido a minha esposa pra gozar dentro, ela deixar e ela acordada e depois engravidar e dizer que estrupei ela.

Acho fácil as mulheres denunciaram acreditem seus maridos e muita das vezes denunciaram.

Casamento e algo que somente os dois devem estar ciente, se não é do agrado como foi relatado, se separa porque pra acusar de estupro e porque não existe casamento nem união

Anônimo disse...


O sexo é tão importante numa relação amorosa e se nosso companheiro nos procura (acordada,dormindo,em pé, lavando louça)...é por que ainda estão apaixonados,maravilha! Casais mais felizes, aqueles que constroem uma ligação segura, reconhecem a importância do sexo,entregam-se sem reservas.Faço sexo com o meu marido às vezes dormindo(olhos fechadinhos)adoro e me entrego. O melhor de tudo é o outro dia, ele fica me olhando com cara de satisfeito esperando que eu diga algo e eu continuo "sem saber de nada".

Esse caso relatado não tem consistência, falta diálogo entre os dois. Se está incomodada, não gosta... não permita. Procurem ajuda de um terapeuta,senão este relacionamento está fadado literalmente de ir para o brejo.

Mª.Cecília

Anônimo disse...

Que situação estranha. No entanto, se a minha mulher me acusa-se de estuprador por una situação dessas quem me separava dela era eu. No início tivemos algumas situações semelhantes e ela encarou sempre de sorriso na cara e sem dramas. Hoje nem sequer o faço porque com o tempo fomos ficando mais calmos e porque o apetite sexual foi reduzindo. Acho que estão a fazer um drama e a tecerem acusações gravíssimas a um marido como se de um desconhecido se trata-se. Cada situação no seu contexto. E por favor. Pensem bem antes de colocarem comentários dessa gravidade.

Anônimo disse...

Um vizinho meu fazia isto constantemente com a esposa e não considerava como estupro. Em uma noite em uma excursão um negão pegou ele bêbado dormindo e praticou amor no rabo dele. No outro dia, ao acordar dolorido e ter notado o que aconteceu, revoltou-se e quis dar queixa por estupro em uma delegacia. A esposa, claro, ficou contra e contou para todo mundo que ele fazia algo igual com ela quase toda noite. Afinal, sexo durante o sono é estupro ou não é?

Anônimo disse...

Ao meu ver, se ele a procura, mesmo dormindo, por necessidade ou não, ele te ama, pois caso contrario procuraria na rua, se vc casou lembra que ELE pertence para vc como VC pertence para ele, e vc disse sim.
Estupro é outra coisa totalmente diferente.

Grazi Silva disse...

Quem ama não se aproveita pra fazer sexo sem consentimento, isso e falta de respeito, é violar o corpo de uma pessoa, mulher não é posse de marido.Mulher tem que ser respeitada, principalmente pelo seu companheiro

Grazi Silva disse...

Sem consentimento é estupro sim,e o fato de ser marido não muda os fatos