sábado, 18 de janeiro de 2014

GUEST POST: ESTUPRO DENTRO DO ÔNIBUS. E NINGUÉM INTERVEIO

A T. me enviou o relato da sua mais terrível história de horror:

Primeiro (e como todo mundo) quero te agradecer imensamente pelo blog, ele é realmente muito esclarecedor, e um espaço de acolhimento. Hoje tenho muito orgulho em dizer que sou feminista, e isso começou no teu blog. Mil vezes obrigada!
Eu lia o seu blog há poucos meses quando vivi minha maior história de horror (porque, nessa época, eu não tinha ideia que sair do metrô com o vestido gozado era necessariamente uma violência). 
Eu morava no Rio de Janeiro (onde nasci e fui criada) e estava super contente indo fazer a prova de línguas do mestrado. Peguei o ônibus às 8 da manhã e tudo corria bem, eu ia chegar na universidade a tempo. O ônibus 474 é famoso no Rio por ser bem perigoso, mas eu não tinha muitas opções, e achava que sendo de dia nada de ruim poderia acontecer. O ônibus estava relativamente cheio, em determinado ponto muita gente desceu e assim vagaram alguns lugares, inclusive um ao meu lado. 
Um homem se aproximou e me empurrou para a janela sentando-se em seguida, quando virei para reclamar ele encostou uma faca na minha barriga e eu congelei. Ele beijou meu pescoço como se realmente me  conhecesse e disse no meu ouvido "shhhh, nós vamos levantar e ir lá pra trás, e você não vai fazer nada, vai ficar quietinha", e foi isso o que eu fiz, fui com ele para o último banco do ônibus e fiquei quieta. Me lembro que eu chorava copiosamente, e quanto mais eu me desesperava, mais ele gostava. Enquanto ele me tocava, se masturbava. 
Algumas pessoas perceberam meu desespero e não fizeram NADA, me olhavam com pena, sei lá, mas ninguém fez nada. O ônibus não estava vazio, mas eu me sentia completamente abandonada enquanto era abusada. Quando ele começou a tentar tirar a minha calcinha eu fui tomada por uma revolta que eu nem sei explicar, aquele homem me revoltava e todas aquelas pessoas no ônibus também, e movida por esse sentimento passei por cima dele quase que em um pulo e me joguei pela porta traseira do ônibus, que estava aberta para que algumas pessoas descessem. 
Tremendo atravessei várias pistas movimentadas na Av. Presidente Vargas (uma das mais movimentadas da cidade), até que um guarda municipal me acudiu. Ele me levou para uma delegacia, porque eu mal conseguia explicar o que tinha acontecido. Na delegacia me deram água para que eu me acalmasse e trataram como se não fosse nada de mais o que eu tinha passado. 
E aí eu me lembrei do seu blog e gritei ali que isso estava muito errado e que eu não ia aceitar ser tratada com tamanho descaso. Acabei indo sozinha para a Delegacia da Mulher, onde fiz o BO e fui atendida com dignidade. Perdi a prova do mestrado, mas com o BO consegui o direito de fazer a mesma prova no dia seguinte, e fui aprovada. 
Essa história horrível abriu meu mundo para o feminismo, e hoje doutoranda e casada tenho muito orgulho de dizer que aqui em casa somos feministas (eu e maridão). O marido, que na época era namorado, me deu muito apoio, e junto comigo procurou por atendimento psicológico. Minha família (evangélica) preferiu fingir que nada disso tinha acontecido, e cada vez que eu tentava conversar com meus pais sobre isso eles simplesmente mudavam de assunto.

Meu comentário: É revoltante, T. Não entendo como as pessoas veem o que está acontecendo e não fazem nada. Nem que seja avisar o cobrador ou motorista, ou gritar "Ei! O que está acontecendo aí?" Às vezes é o que basta para impedir aquela agressão.
Parabéns pela sua coragem de reagir (aquilo de seguir o instinto movido pelo medo), de não aceitar descaso na delegacia, de fazer o BO e, claro, de passar no mestrado. É preciso muita força para não deixar que uma história de horror tão hedionda atrase a nossa vida.

62 comentários:

Anônimo disse...

É aquele discurso de que "homem que é homem" defende a mulher em apuros é pura mentira.
Já me aconteceu algo semelhante num trem lotado e ninguém fez nada também.

Dodi disse...

Cara... Eu moro a 2 pontos do ponto final dessa linha de ônibus.

Até dois anos atrás, eu tinha q pegar exclusivamente esse ônibus para ir ao trabalho, e morria de medo não apenas por medo de histórias de horror como essa mas tbm medo de assaltos, q ocorrem com mta frequência, até pq essa linha faz ponto final próximo à favela do Jacarezinho, uma das mais violentas da Zona Norte daqui do Rio (quer dizer, "pacificaram" a favela, mas nada mudou)
Pra terem noção de como as coisas estão, logo no início do mês um motorista da linha foi executado, com ônibus lotado e á luz do dia.

Erres Errantes disse...

Muitas vezes as vítima de estupro não encontram forças para reagir e denunciar e não encontram qualquer incentivo e apoio das pessoas próximas. Há uma cultura do estupro que leva aqueles que deveriam nos apoiar a nos demover da ideia de denunciarmos quando sofremos assédio. Assim, protege-se o agressor e pune-se a vítima. Por isso, eu gostaria de parabenizar a autora do post por ter denunciado a violência, e por não ter se deixado abater pela falta de apoio.

Erres Errantes disse...

E como existem pessoas frouxas no mundo! Nem com arma de fogo ele estava, mas com uma arma branca. (Se estivesse com um arma de fogo, certamente a teria utilizado para intimidar a vítima e quem mais interviesse. Assim, ele poderia facilmente ser desarmado, caso duas ou mais pessoas fossem pra cima dele. Revoltante!

Aline XD disse...

Nossa
Revoltante mesmo
Mas Parabéns pela coragem, de ir na delegacia da mulher, fazer o bo, fazer a prova e ser aprovada

Júlia Maria Terra disse...

Algo que de fato me revolta é esta indiferença em relação à violência contra a mulher, como se fosse algo que não merecesse atenção ou providências. Sinceramente me pergunto qual a desculpa que uma sociedade tão hipócrita e machista deve ter para justificar atos como estes, ou simplesmente ignorá-los, como se nunca tivessem existido, assim como a família da autora do post fez. Acredito que apenas este sentimento de não-conformismo generalizado pode mudar este panorama, aliado a tentativa de fazer com que as pessoas notem que este crime é infelizmente frequente e deve ser combatido.
Temos como armas agora nossa voz ou textos... Que possamos não nos calar!

Anônimo disse...

No Rio é moda , e ninguém faz nada.

Fala sério, se eu sou motorista do ônibus, eu bato o ônibus mas não deixo uma mulher ser estuprada (aconteceu ano passado, o estuprador mandou o motorista continuar dirigindo enquanto praticava o abuso)!!!!

Sara disse...

É um absurdo sem tamanho o quanto a violência esta naturalizada em nossa sociedade, como é possível que ninguém tenha almenos ligado p policia.
Estou desacreditada de leis, policia e justiça.
Dá medo pensar no que vem pela frente..

Anônimo disse...

Não aguento ler essas histórias, sou homem e certamente faria algo. Nunca vi tanta gente fdp! Morreria ou mataria isso é certo.

helena marenz disse...

O horror maior eh saber que isso acontece rotineiramente no transporte publico e ninguem faz nada.

Cyberia disse...

Quero parabenizar a autora do guest post pela força e pela coragem de fugir. Nem preciso dizer o quão horrível é que NINGUÉM tenha se manifestado... Eu também (como milhares de mulheres) já fui molestada dentro de transporte público, não de forma tão grave como a autora, mas ainda assim... Eu sei como é difícil reagir, como é difícil sequer acreditar que aquilo está MESMO acontecendo...

Até quando?

Anônimo disse...

fazer o que ne ? acontece

Anônimo disse...

Frouxo? Facada mata ou n sabem disso? Quem n reage a assalto é frouxo tb?
Quem quer bancar super herói morre.

Paula disse...

minha admiração à autora! eis uma mulher que honra as saias que veste! Uma vencedora! Parabéns por todas as suas vitórias e pela força e coragem de lutar pelos seus direitos... ah se mais pessoas ajissem assim...

Lucas disse...

O cara estava ARMADO, faca é ARMA,portanto,eu não faria nada.
Do mesmo jeito que se eu fosse a vítima,com um marginal encostando a faca no meu pescoço para me assaltar,nenhuma mulher moveria uma palha para me ajudar,não avançariam no bandido,nem os homens fariam alguma coisa.

E eu não vejo nada de errado,isso se chama BOM SENSO.
Agora se o cara estivesse desarmado,até entenderia a revolta de ninguém ter ajudado.

Vamos parar com a mania de grandeza que vocês tem aqui,pensam que todos são ninjas,de aço?
Roubaram meu carro ano passado e mesmo não tendo reagido,o marginal não exitou em meter a porrada em mim,se tivesse tentado algo,hoje estaria morto.

lola aronovich disse...

Ai meu deus. Ninguém está falando de ir lá e atacar ou desarmar o cara. Estou falando de avisar o cobrador ou motorista. Estou falando de, lá longe, perto do cobrador (lembre-se que a T. disse estava no fundo do ônibus, gritar, "O que está acontecendo aí?", pra assustar o cara. Eu acho isso bem diferente de arriscar a sua vida. Assim como estupro é completamente diferente de assalto ou roubo de carro (tô me lixando pro seu carro, Lucas). E eu conheço bastante sobre mascus pra saber de onde vem esse discursinho de "não vou arriscar minha vida por vadia". Primeiro que vcs não acreditam em estupro. Segundo que vcs chamam de cavalheiro branco qualquer cara que tenta ajudar uma mulher, como se ter empatia por seres humanos fosse um defeito. Então este post (como todos deste blog) não são pra vcs. A gente sabe como vcs são imprestáveis pra qualquer coisa mesmo. O post é pra humanos com o mínimo de empatia. Humanos que querem um mundo melhor pra viver, não humanos que odeiam toda a humanidade, principalmente metade dela.
E, principalmente, o post é pra nós mulheres. Precisamos criar alianças e estratégias umas com as outras. Precisamos ajudar umas as outras. Eu gritaria "O que está acontecendo aí?" se eu visse algo suspeito acontecendo.

Anônimo disse...

Se eu tivesse certeza de que esse post não foi escrito por vc, Lola, eu me indignaria. É que, sério, muita gente fala que deixa de ler seu blog porque não tem certeza de que tais relatos são mesmo de outras pessoas.

Abraços.

Lucas disse...

Quanta ingenuidade,até parece que o bandido vai parar se alguém perguntar o que está havendo,no relato de alguém ai que sofreu o mesmo,o cara se lixou para as pessoas e ainda mandou o motorista continuar.
Muito humana você lola,aposto que se lixou para surra que ele me deu também ,menos hipocrisia,por favor.

Anônimo disse...

Muito bem Lola,eu faria um escândalo lo dentro do buzu. Correria pra cima dele e esfaqueava ele.

Sério. Cortava logo o pescoço dele.

Passava a faca no pescoço.

Muitos homens não são gente,não são humanos a ponto de pensar de que ali poderia ser um parente dele e recuam apoiando o estuprador.

Vai se lascar Lucas. Você não tem mãe não peste! Deve ter nascido de uma chocadeira,seu lixo podre!

"Mulheres do mundo uni-vos",lembrando Karl Marx

Léty Hyuuga disse...

Cara,que ódio que eu sinto quando leio posts desse tipo. Como alguém consegue ver um semelhante ser atacado, e não fazer absolutamente nada? Como conseguem deitar a cabeça no travesseiro e dormir, depois de verem uma mulher ser molestada, e sequer levantarem a voz para tentar chamar a atenção do cobrador e do motorista, como a Lola comentou?

Chorei de raiva ao ler isso, sinceramente. E parabéns à vítima, por ter denunciado e ido contra todos que a desencorajaram.

Anônimo disse...

Esta linha 474 é extremamente perigosa mesmo há anos e nada dos governos fazerem alguma coisa!
Essa linha tem mt assalto, cracudo, passa por uma favela super perigosa e isso assustada demais as pessoas.

Às vezes ninguém fez nada por puro medo. Medo de levar uma facada, medo de levar um tiro ali na hora ou depois, e a chance de isso ocorrer é alta.

lola aronovich disse...

Lucas, grande parte desses abusadores no transporte público têm medo de ser descoberto. Há inúmeros relatos de que, quando uma mulher grita "Tem um cara se masturbando aqui no ônibus" ou "Para de se esfregar em mim, seu escroto!", os caras saem correndo. Às vezes eles são colocados pra fora do ônibus. Há casos de motoristas que pararam o ônibus próximo a uma viatura e o abusador foi levado pra delegacia. Em geral, estupradores-clichê (os que estupram desconhecidas numa rua deserta, o que corresponde a menos de 30% dos casos de estupro) escolhem a vítima "que dará menos trabalho". Por isso que, em geral, é sempre melhor reagir.
Então sim, pode apostar que um estuprador com faca no ônibus vai temer pela sua segurança quando todos os olhares estiverem voltados pra ele depois que alguém gritou "Ei, o que está acontecendo aí?".
E continuo me lixando pro seu carro. Aliás, só não falo o que vc pode fazer com seu carro porque sou uma pessoa educada.

Anônimo disse...

Continuando meu comentário anterior,
No Rio dependendo da linha e onde essa linha passa, os motoristas e trocadores não fazem nada por puro medo!!!
Se alguém falasse pro trocador o que estava acontecendo, tanto esse alguém qt o trocador correriam o risco de sofrer represálias! O medo impera aqui na cidade que se diz ser maravilhosa...

Eu mesma já vi vários abusos(entrar sem camisa, assaltar, fazer algazarra)e o motorista e trocador nada fazerem por medo. Mts fingem que não veem ou fazem cara de paisagem porque sabem o qt é perigoso fazer algo.

Uma vez estava no 415 na Presidente Vargas em frente à Central que é uma área recheada de assaltantes.
O motorista parou no ponto pro povo descer, porém estranhamente não fechou a porta.
Não fechou porque viu um monte de ladrões se aproximarem do ônibus querendo entrar.
O trocador fingiu que não viu nada inclusive metros depois qd um deles arrancou o cordão de uma moça que estava num ponto.
Qd o povo viu aquilo, todos desceram às pressas. Ninguém teve coragem de reclamar pro motorista e pro trocador o que houve, e os 2 estavam com uma feição bem assustada. Mas nada podiam fazer.

Há caso de motoristas que ao resolverem enfrentar quem estava fazendo merda, foram mortos. Mts qd tentam por a ordem e são ameaçados, pedem pra empresa trocar de linha pq sabe q se andarem por onde andavam, vão morrer.

Infelizmente é assim que são as coisas por aqui. Todos sentem pena, revolta, mas o medo fala mais alto.

Julia disse...

Sério que esses mascus vem num post sobre estupro chorar as pitangas?

Isso acontece porque esses mascus sentem mais empatia pelo estuprador do ônibus do que pela mulher atacada. Sabe como é, identificação e tal.


Nessas horas deve-se procurar a ajuda de outra mulher. Sempre.


lola aronovich disse...

Anon das 21:05, vai catar coquinho. Aham, tenho certeza que MUITA GENTE deixa de ler meu blog porque não têm certeza se os relatos não foram escritos por mim. Já publiquei mais de 400 guest posts nesses quase seis anos de blog. Como o nome diz (GUEST POST, post convidado), os guest posts não são escritos por mim. Até porque eu assino tudo o que escrevo na internet, não só no meu blog, mas em toda a internet. Eu tenho nome, tenho foto, tenho endereço. Não é avatar, não é anônimo. SOU EU. E eu não minto. Não tenho nem motivo pra mentir. Os guest posts refletem experiências, conhecimentos, opiniões, que não são as minhas. Há idiotas como vc que acham que meu blog não têm 200, 250 mil visitas por mês, que acham que eu crio os comentários aqui (isso inclui o seu?), que eu escrevo os guest posts, enfim, que só tem eu aqui no meu blog (e fora dele: tem gente que acha que as pessoas com quem me comunico no Twitter são fakes que criei. Tem gente que acha que meu marido não existe. ETC). Eu acho isso o maior desrespeito com as pessoas que comentam e me mandam emails, porque vc está negando a existência delas. E, assim, dizendo que coisas assim (como estupros) não existem. E, claro, acho o maior desrespeito comigo, porque vc está me chamando de mentirosa. E eu não minto, nem fora da internet, nem dentro. Simples assim. Então, sinceramente, vai sifu.

Anônimo disse...

Isso mermo lucas pra bom entendedor meia palavra basta: pegue o seu carro e engula por trás.

Lógico que em casos como esse a pessoa deve reagir de alguma forma e não apenas ficar tranquilo vendo um ser humano ser violentado.

Muitas frases ditas como citou a LOla é uma forma de enfrentar o estuprador e até acabar com a vida dele se as pessoas forem humanas.

MonaLisa disse...

Se ele tava com faca, duvido que tava preparado pra ir preso por matar alguém.

Não sei, eu me arriscaria a tomar facada.

Mas fico muito feliz pela sua coragem em ir denunciar, imagino que na hora deve dar um nervoso.

Se eu to andando na rua e vejo um homem vindo na minha direção, eu já saio correndo.

Lucas disse...

Felizmente eu vivo na realidade e não tenho complexo de superman como vocês.
Uma coisa é ver o cara se esfregando na mulher no trem ou onde for e ele estiver desarmado e o povo reagir e outra é o cara com uma puta faca,é pedir pra ser esfaqueado.
Só mulheres aqui posando de fodonas,dizendo que voariam no bandido e num assalto fazem isso também?
Voam no cara,dão golpes de kung fu,desviam das balas?É pra rir mesmo.

Continuem assim,mais cedo ou mais tarde,vão virar estatística de gente doida que acha que pode lutar com marginais viciados e acabam mortos.

Fernando disse...

Caramba, em que planeta a Lola vive? Gritar pro cara pode até surtir efeito e ele fugir, por até acontecer isso na maioria das vezes, pode até ser 99% das vezes, mas e nos 1% em que ele vai vir pra cima de você com uma faca? Eu não tenho essa habilidade de sair na mão contra bandido armado, você tem Lola? E antes que você diga que as chances de isso acontecer são mínimas, nenhuma situação é rara demais se quando acontece o dano é irreparável.

Anônimo disse...

Fernando e Lucas são as mesmas pessoas ele devem ter se alimentado com fezes. Sou Homem e apoio tudo que as mulheres comentam aqui. Os mascus são covardes. Mulheres se defendam ,reajam,gritem e acabem com esses mascus de merda!

Ocupem seus lugares de Homens,por isso que tem mulheres escolhendo viver com mulheres.

Julia disse...

Como eu disse.
Procurem ajuda de mulheres. Sempre.

Pablito Matraga disse...

Na America, uma mulher armada, republicada conservadora, teria disparado contra o sujeito. E tudo ficaria mais ou menos bem.

Maria Fernanda Lamim disse...

Gente, eu moro no Rio e entendo o medo, mas numa boa, ninguem pensou em ligar (discretamente) pra policia, nao? Assim a pessoa se exporia menos e haveria alguma chance de a menina ser salva. A Policia do Rio nao vale grande coisa, todo carioca sabe disso, mas as vezes um deles avisa o policial mais proximo pelo radio e esse para o onibus. Sei la...era o que eu faria.

Anônimo disse...

T., meus parabéns pela coragem e por ter conseguido passar na prova no dia seguinte.
Já tive minha história de horror em transporte público quando era menina. Foi muito menos grave do que a sua, mas sei o quanto é traumatizante. Você foi muito corajosa e determinada por ter conseguido denunciar, registrar BO, etc. Espero que você fique bem, que essas lembranças não atormentem vc muito tempo.
Quanto à sugestão da Lola, de gritar "o que está acontecendo", ou qualquer coisa do gênero, gente, tenho certeza de que isso impediria muito abuso por aí. É como ela disse, a maior parte desses abusadores não conta com isso. Eles contam com o silêncio cúmplice das pessoas. Um pequeno escândalo poderia sim ajudar em muitos casos, e não colocaria a vida de ninguém em risco. Nesse caso, a vida da moça já estava em risco! Ela tinha uma faca bem pertinho dela! E assim mesmo conseguiu fugir. Porque o escroto não contava usá-la estava ali só para intimidar.
Beijo, T., fique bem.
E beijo, Lola, adoro vc.

sabrina disse...

eu discordo de vocês,não é falta de humanidade ninguém falar nada,é medo mesmo.
os bandidos estão tão cruéis que mesmo a pessoa não reagindo eles agridem e matam.
não tem como saber o que esses marginais pensam e o que estão dispostos a fazer,ele podia se assustar se alguém o confrontasse como também podia esfaquear a autora do post ou qualquer um dentro do ônibus.

de qualquer forma foi horrível mesmo o que ela passou,estuprador para mim é escória,eu sinceramente não teria coragem nem ânimo para ir na delegacia enfrentar o descaso deles depois de passar por tudo isso.

Eikinkloster disse...

Na Internet todo mundo é herói. Todo mundo "faria". Quero ver quem foi que fez. Se a própria mulher não reagiu quando viu a faca, por que esperava que outros reagissem? Se a própria mulher sentiu medo pra atravessar uma avenida movimentada mesmo quando já estava longe, por que a Lola não sentiria medo chamando "lá do outro lado do ônibus"? Fácil: Sentiria sim, e provavelmente iria ficar quieta. E ainda reclamar que nenhum *homem* reagiu.

Henrique Freitas disse...

Ao cara que está duvidando da veracidade dos guest posts: posso garantir que pelo menos o guest post que eu enviei pra Lola e ela publicou é totalmente real.

Em relação ao post: o que existe em grande parte da nossa sociedade é aquela coisa de isso não é problema meu. É absurdo o quanto as pessoas fingem não ver nada quando algo de errado está acontecendo.

E isso não acontece só com condutas violentas, se você procurar por esses experimentos sociais que simulam situações que deveriam ser reprovadas pela sociedade, vai ver que as pessoas que fazem alguma coisa são uma minoria. Várias pessoas ver que está acontecendo algo errado mas escolhem não se envolver

Sara disse...

Até concordo com muitos q alegam medo, quando nossa vida esta em jogo, a verdade é q a coragem nos falta, essa vai pra um monte de gente q acha q mulher q vive com monstros violentos é sem vergonha por não se separar dele.
Mas como citou a Maria Fernanda Lamin, ligar do celular p policia, seria possível sem se expor a risco.
Será possível q nem isso puderam fazer por essa mulher do post??
A verdade é q a violência tomou conta do nosso pais, e não tenho visto nada ser feito pra combate-la , muito pelo contrário.

Anônimo disse...

Pessoas comparando casos de assalto com casos de estupro, ATÉ QUANDO?? Lucas, FODA-SE O SEU CARRO!!!!!!

Anônimo disse...

Esse Lucas é algum doente mental ou o quê? Cara mais babaca. Lucas, seu estúpido, procure no google quantas mulheres já reagiram a um assalto, procure, filho. Não é nem exceção, nas academias de lutas só vem aumentando o número de mulheres, principalmente, no chamado krav magá, que usa técnicas de desarmamento do oponente, e todos nós sabemos que isso não é atoa. E não pagamos de "fodonas" quando dizemos que ajudaríamos uma vítima de estupro, de roubo, eu não sei se eu ajudaria, mas de estupro, com certeza,mas, sim pq temos empatia com seres humanos e eu jamais conseguiria dormir direito se eu vesse um estupro e não fizesse nada, isso vai contra os meus instintos.

Anônimo disse...

No caso de um assalto, pouco me importa se levarem bens materiais, mas no caso de abuso ou estupro, carregar o trauma pro resto da vida pode ser pior que a morte. Ao contrário do que um famoso político falou no passado, creio que seja preferível morrer do que ser estuprada(!).

O que você acha, Lucas, se um grandalhão estivesse do seu lado no ônibus e você na situação da T.? Ou você acha que a sua masculinidade te protegeria?

Lucas disse...

Para a outra anonima,meu carro já se fudeu mesmo,quem está dando importancia a ele são voces.
Só quis dizer que se o meliante ta armado eu não faço nada,questão de bom senso,que voces não tem.

LOVE GOTIC disse...

Vivi algo semelhante, mas não foi num ônibus foi numa festa. Um imbecil me agarrou por traz e colocou a mão por baixo da minha saia. Eu tentava sair e ele me segurava. Era uma balada barulhenta meus amigos estavam um pouco distantes e não me ouviam, mas tinha gente por perto que viu e não fez nada. Eu o empurrava e ele me cheirava, foi nogento. Me senti sozinha, humilhada, ferida. Chorei bastante e sai da festa. E eu nem vi quem foi ele não deichava eu velo. Me senti violada. Procurei polícia por perto não tinha e os seguranças só tinha na portaria. Fui violada na frente de dezenas de pessoas, alguns me olhavam viram meu terror e nada fizeram. Estupro é um sofrimento solitàrio. Se eu pudesse eu o teria castrado também ali mesmo. Mas não me neguei ao direito de me divertir só que estou mais atenta.

LOVE GOTIC disse...

Você regrediu na escala evolutiva. Se um bandido te encocha num ônibus? Vai ficar quieto? Ou no mínimo espera que alguém o ajude? Você é do tipo babacão covarde e egoísta que não ajuda ninguém . Se fosse a tua mãe? Ficaria olhando o cara tentando tirar a calcinha dela? Bastavam duas pessoas para tirar a garota das mãos do bandido. Mas você e muitos por aí só são valentes para agredir mulher. Ê lixo como você que as mulheres estão descartando . Seu inútil você não defende sua honra que dirá uma mulher. Me deu nojo você. Fodão fudido.

Anônimo disse...

Se o motorista freiasse basta dois homens para dar um chute na cara dele e tomar a faca para ele criar vergonha. Mas esse bando de homem mariquinha fica com medinho falando fininho : reagir morre! E a mulher reagiu, saiu do ônibus e ele não deu nenhuma facada. Tudo frouxo não honram as calças que ventem.

Anônimo disse...

Bom senso? Você não sabe o que é bom senso. Mas no caso dela tava fácil. Provavelmente uma das mãos dele tava bulinando ela e a outra segurando a faca. A concentração dele tava na garota. Apontada para o pescoço o risco é maior e a interferência seria de outra maneira. Babacão.

Anônimo disse...

Cabra de peia. Eu queria um dia topar com você no Maranhão e te botar naquela penitenciària para te dar aos cabras . Guarda tua opinião seu jegue.

MonaLisa disse...

Muito bem lembrado Love Gotic, ficam falando pra não revidar, pq o bandido é perigoso e mimimi, mas é só a mulher contrariar que eles são machos pra bater nela.

Esse método aqui pra acabar com valentão é bem eficiente:

https://www.youtube.com/watch?v=id27ywKdxIA

Anônimo disse...


e as mulheres que estavam lá e nada fizeram eram frouxas ,covardes e lixo também?

falar é fácil,todo mundo aqui posando de bruce lee,dizendo que quem n reage é lixo,quanta empatia hein,queria ver na hora se alguém faria alguma coisa.
reclamam até de ninguém ter ligado para polícia.
te digo que até pra isso tem que ter sangue frio e coragem.
já fui assaltada no ônibus e chamar a polícia nem passou na minha cabeça,estava tão aterrorizada,que só torcia para os fdp irem embora logo,deve ter acontecido o mesmo com todos que estavam comigo.
e me desculpem mas até ligar para polícia é arriscado,se o bandido vê ,é tiro na cara.
qualquer movimento suspeito é motivo para eles te agredirem.

LOVE GOTIC disse...

Cara. Você me fez rir agora! Sempre cita a mixaria do seu bom senso. Você é mesmo um homem chamado Lucas ou uma subespécie humana? Foi criado num filme de terror em que uma faca vai te espedaçar tipo serra elétrica? Você ê medíocre. Se uma mulher debilitada em todos os sentidos e usuária de crack te ameassasse com uma faca querendo 2 reais tenho certeza que você a surrarria até ela perder a consciência, mas quando è homem você enfia as bolas no reto e diz que não faria nada. Você deveria ter nascido um frango. Não leve a mal ê sô BOM SENSO.

Amana disse...

Todo apoio e empatia a vc, T.
Acho inacreditável que as pessoas, até hj, vejam isso e não façam nada.
Não posso dizer o q faria em seu lugar. Mas sempre penso que esses covardes se prevalecem do medo/terror que sabem que produzem nas vítimas. Armados, então, é muito revoltante.
Espero de coração que você tenha superado tudo isso e que possa apoiar outras mulheres que se virem em situações análogas. Infelizmente, em nossa cultura machista, não faltarão oportunidades...
Abraço forte!

Anônimo disse...

Pior é ver muitos que acham que isso não é estupro... só seria estupro se ele a penetrasse...!

Tem muita gente que diz "ah, não foi nada"... pois é!!

Anônimo disse...

Por favor, anônimo 19/01 14:33, não xingue as pessoas que têm limitações orgânicas cerebrais, "doentes mentais", comparando-as com esse mascu de m**** que aqui assina como "Lucas" (e outros apelidos).
Thata

donadio disse...

"Eu queria um dia topar com você no Maranhão e te botar naquela penitenciària para te dar aos cabras."

Por que, alguém pode me explicar, cada vez que se discute estupro tem alguém pra achar que a solução do problema é mais estupro?

"o caso de abuso ou estupro, carregar o trauma pro resto da vida pode ser pior que a morte. Ao contrário do que um famoso político falou no passado, creio que seja preferível morrer do que ser estuprada(!)"

Esse tipo de pensamento é parte integral da cultura do estupro. É o que gera a vergonha de denunciar. Torna a mulher refém de si mesma, incita as vítimas ao suicídio.

A vida de uma pessoa é mais importante do que o que ela tem no meio das pernas, mais importante do que qualquer noção medieval de honra.

donadio disse...

"Tudo frouxo não honram as calças que ventem."

Homem também tem medo, ao contrário do que Hollywood quer que você pense.

Covardão disse...

Quase nunca entro nos comentários, confesso que hoje levei um susto vindo aqui. É normal neste blog desumanizar os mascus que se atrevem a postar?

Creio que seria mais bonito contra argumentar sem descer ao nível deles, pois eles é que desumanizam as mulheres. Dois errados não fazem um certo.

Deus que me perdoe, mas eu não iria reagir se isto acontecesse com a minha mãe. Jamais arriscaria a vida dela. Se ele percebesse eu telefonando para a polícia e cortasse a garganta da minha mãe, acho que eu só conseguiria me perdoar se ela sobrevivesse e depois viesse me dizer que eu fiz o certo.

Mas quanto tempo levaria para chegar uma ambulância? E se ninguém ali soubesse fazer um torniquete (eu não sei)? Aliás nem sei se torniquete funciona em pescoço, talvez só nos membros.

Chamar a polícia seria a primeira coisa que eu faria depois do bandido sair do ônibus.

lola aronovich disse...

Covardão, sei que vc está trollando (desumanizar mascus? sua mãe? torniquete? -- NO PESCOÇO -- ambulância?). Mas seu comentário é engraçado demais pra não publicar.

Mascus desumanizados que comentaram aqui: nenhuma mulher (nem a mãe de vcs, imagino) espera QUALQUER coisa boa vinda de vcs. Então o post não é pra vcs. Qualquer pessoa que conhece as páginas e fóruns-lixo de vcs sabe que vcs são contra ajudar qualquer pessoa, principalmente uma mulher. Esse é o nível de humanidade de vcs.
Mas pessoas inteligentes que conhecem esse tipo de tarado/estuprador como o descrito no guest post sabe que ele dificilmente usaria a faca. A faca é pra intimidar, não pra usar. Muitos desses caras fazem sem arma nenhuma. Eu duvido muito que, nesse caso, se alguém perguntasse "O que está acontecendo aí?", o cara usaria a faca. O mais provável é que ele ficasse com medo e descesse no ponto seguinte.
E tem que ser MUITO covarde pra só ligar a polícia depois, hein?

Anônimo disse...

Vamos cair na realidade. Esse país já acabou. Os criminosos matam, estupram, sequestram, queimam ônibus com criança dentro e ninguém se importa. Brasileiro é o povo mais frouxo que já existiu. É triste, mas um país tão bonito foi destruído apenas porque grande parte da população é um bando de cretinos que ficam calados esperando ser os próximos. Aff!

Anônimo disse...

Gente! Que é isso! Todo mundo mandando o outro se fu...! Que absurdo! A gente entende o ponto de vista da Lola e também o do Lucas. Claro que intimidar um estuprador ou um molestador é algo mais fácil do que se imagina porque eles são covardes e fogem, mas o Lucas também passou por um trauma e fica receioso de reagir, é compreensível! Agora, daí a mandar o carro dele praquele lugar, mandar isso ou aquilo... não rola, né?! Ele não disse "bem feito" para as vítimas em momento nenhum! Vamos maneira, né galera!

Ana Cristina disse...

Meu Deus, que horror! Eu lembro que trabalhava num lugar horrível, e eu tinha que pegar a van numa parte deserta do Rio das Pedras. Um mês depois que me demiti, aconteceu aquele caso terrível da turista americana na van, e o pior era que eu pegava a van no Rio das Pedras até Copacabana e de lá pegava outra, quando li sobre o que aconteceu, eu gelei. Agora, aqui vai uma observação, eu sou feminista e evangélica. Eu não agiria como seus pais agiram, mas tem pessoas que não gostam de falar sobre certas coisas porque sofrem muito, talvez esse seja o caso dos seus pais. Não passe a idéia de que o povo evangélico é frio e insensível, o evangélico pode ser muita coisa, mas isso não...com algumas raras exceções lógico ;)

Anônimo disse...

Gente,to passando por um problema serio...
Sou casado,m envolvi com outra mulher também casada,ela acha q ta gravida,porém o marido dela fez vazectomia,ela disse pra mim q não quer m prejudicar,a gente conversou bastante e ela resolveu abortar.
Mas eu agora to com medo,ela foi em um lugar horroroso pra fazer a consuta e ta irredutível, mas eu to temendo por ela,e já q não tem jeito,ela mesmo fazer,q fosse num lugar melhor q desse pelo menos um pouco d dignidade,pois são seres humanos q estão ali.......
Por favos,m ajudem...

Anonimo disse...

Então quando vc. For assaltado vc reage. Lá valeu. Valentão. Sei como termina. Pessoas. Igual a vc. Morta. E o que Maais vemos no jornal infelizmente isso é uma realidade