domingo, 5 de maio de 2013

COMPRE UM LIVRINHO MEU PRA SUA MÃE

Luciana segura seus filhos Lily e Nicholas, que segura o livro


Pessoas queridas, desde que saiu a reimpressão do meu livrinho de crônicas de cinema (na semana passada), já vendi trinta exemplares. Foram cinco lá em Volta Redonda (onde estive no fim de semana passado), cinco em SP (onde estive na quinta), e vinte por email. Agora só tenho mais duzentos e poucos pra vender. Então, por favor, comprem
Sobre o evento na USP, lá conheci, entre várias outras pessoas incríveis, Nalu Faria, muito simpática, excelente oradora. A Julia, que também esteve lá, é comentarista frequente por aqui. Então, quando Nalu me disse que não lia sempre meu blog, eu tive que responder: "Você não gosta de mim, mas sua filha gosta". Da próxima vez eu canto.
Pra inspirar vocês, vou colocar fotos e depoimentos de leitoras maravilhosas que compraram o livro da última vez. Faz muitos meses. É quase um post especial de Dia das Mães adiantado. 

Kah lê a dedicatória do livro acompanhada por suas duas gatas

Kah, de João Pessoa, tem uma filha de 3 anos, não gosta de chocolate e não tem medo de barata: "Já li e reli o livro, separei alguns filmes para assistir e pretendo obrigar os moradores dessa casa a participar dessa missão. O livro é muito bom, pena que fiquei querendo mais! Sabe quem não gostou muito do seu livro? Fumaça e Fofoca, minhas gatas... Ela acharam muita audácia da minha parte ignorá-las para ler o livro! Nos 15 minutos iniciais, beleza. Depois, Lola, foi um deus nos acuda! Elas tentaram todas as gracinhas que sabem, e algumas novas -- eu j-u-r-o que a Fofoca aprendeu a falar, mas estão me chamando de louca. Depois resolveram me ignorar! 
A dedicatória foi muito fofa, obrigada. E tem até a baratinha do Wall-E. Se ainda quiser divulgar o livro, diz que é um investimento para o futuro! Já pensou quanto vai valer o livro de pouca tiragem, autografado por um autora famosa com dedicatória daqui uns anos?!"

Luciana, do Canadá (foto que ilustra o post): "O livro chegou ontem! Que surpresa ótima! Fiquei super feliz, especialmente porque agora vou ter um livro que não fala sobre maternidade pra ler. Oba! Só achei estranho, pois pela primeira vez na vida o correio veio entregar aqui na minha porta. Sabe que onde eu moro, a cidade é tão pequena, que eles não entregam cartas nas casas? A gente tem que ir ao correio pra buscar a correspondência. Mas desta vez não... Por que será? Enfim, adorei a dedicatória, muito obrigada. 
Eu e meu marido somos geólogos (bom, eu não estou exercendo mais) e depois de morarmos/trabalharmos em alguns lugares quentes demais pro nosso gosto (Venezuela e Austrália), resolvemos vir pro Canadá, que a gente ama. Deu tudo certo. Ele continua na vida de geólogo viajante, e eu, que não era totalmente feliz na profissão, fiquei em casa com as crianças. 
E olha que eu até trabalhava num ambiente razoavelmente igualitário, cheio de geólogas mulheres, tinha o mesmo salário que meu marido, mas apesar de gostar da área e ter tido uma carreira bem sucedida, eu realmente me senti muito desgastada pelo stress e cobranças na empresa. Eu trabalhava com mineração de ouro. Eventualmente, passei então a me dedicar a algo mais tranquilo e que eu gosto ainda mais -- ilustração infantil. Quanta diferença, né? Então é isso. Só falei isso tudo porque vc me perguntou porque viemos pra cá. E claro, porque eu falo pra caramba também."


Lilith, gata da Rosane, faz charme pro meu Calvin na foto

Rosane, de Aracaju, trabalha com química: "Adivinha quem esperou uma semana pelo livro e quando finalmente ele chegou, a mãe (minha) pegou pra ler a dedicatória que vc fez pra mim e passou dias lendo o livro? Ela disse que é muito bom e que você parece me conhecer. Ela fala que eu 'acho que ela é capaz de adivinhar o que estou pensando' (mãe né, você sabe como elas são) rsrs. 
E olha só, venha mesmo pra Aracaju, a cidade pode ser pequena, mas é linda e acolhedora (tem a orla mais linda, a passarela do caranguejo, que é uma gostosura, e a qualidade de vida, uma das marcas daqui). Você até pode não nos conhecer, mas as pessoas aqui te conhecem, Lola. Quando meu cunhado foi fazer a transferência, ele falou que a moça do caixa disse que 'é a Lola mesmo' (ele tava em dúvida, pois o nome que dei pra ele foi Lola, não Dolores). Sobre o livro, estou adorando,  mas sou aquela que comprou o livro porque adora os textos da autora".

E tenho boas notícias! Dia 23 de maio estarei na USP de novo, desta vez para participar da IX Semana de Ciências Sociais (SeCS), numa sessão chamada "A Representação da Mulher na Literatura Brasileira". E de lá vou direto pra Recife. Será minha primeira palestra em Recife desde que comecei o bloguinho. Ainda não sei exatamente sobre o quê nem onde será, mas eu aviso. Só sei que será no dia 24, à noite. E no dia seguinte vou ficar por lá pra participar da Marcha das Vadias. Espero conhecer todxs xs feministas de Recife!
Auditório de História da USP lotado na última quinta

11 comentários:

Julia Faria Codas disse...

Que fofo o seu post, Lola! A propósito, adorei a dedicatória que você escreveu lá na USP! :)

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

Nao consigo enteder quando uma mulher que tem alto cargo egosta do trabalho,nao esta so pelo dinheiro larga tudo pra ficar com filhos.justamente ela.Ainda mais se marido ganhar renumeraçao menor.Mesmo sendo "pai" adotivo.ė um comportamneto fammiliar consituido no reacionarismo,será?é o q parece ate argumento eficaz contrario...

Nada a ver com um depoimento em questao so aproveitando o assunto mesmo.

Pollentinha disse...

Que linda, Lola! Estamos muito ansiosas com sua vinda a Recife! Inté

Martha disse...

Lola, você vem pra Recife no dia do meu aniversário. Somente, rs! :D

Sara disse...

Q legal q vem p São Paulo Lola, espero poder ve-la de novo, e carregar as baterias para a marcha das Vadias...

lola aronovich disse...

Ah, vem sim, Sara! Aliás, venham todxs!


Quanto a Recife, vcs têm que caprichar. Da última e única vez que fui aí (acho que em 99), não fiquei muito bem impressionada. Mas tenho a impressão que agora será diferente!

Daiana Hermann disse...

*-*
Que querida! Me convenceu, hehehe. Já queria ter comprado o livro na primeira impressão, mas tava sem grana. Agora, não perco! Beijo Lolinha!
Daiana

Manuelle Rosa disse...

Oi Lola, adoro o seu blog, parabéns pelo trabalho!
Aproveito o espaço para divulgar o curta "O Anjo do lar", que está em fase de financiamento coletivo:
http://vimeo.com/61607768
http://catarse.me/oanjodolar

Carolina MM disse...

Oi Lola,
Fiquei muito feliz de te ver. Gostaria de aproveitar para dizer que seu blog me fez muito bem e me mostrou que sou muito mais forte do que imaginava. Hoje, me sinto livre para fazer minhas escolhas. Adorei a dedicatória do livro, e a propósito, leio seu blog DIARIAMENTE.
Beijos

Fer disse...

Lola,estava no ato da USP, onde comprei seu livro. Agradeço pela atenção e pela linda dedicatória! Estou acompanhando o blog DIARIAMENTE (rs)e achei conveniente comentar hoje, pois estava ansiosa por um post sobre o ato contra o machismo no campus. Espero que novos eventos desse porte ocorram. Beijos.

Biia disse...

Aff queria tanto ter ido à sua palestra, mas eu tinha prova no dia às 19:30 :(
Mas lola, vc vai fazer outra, né? NÉ? :)