sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

O MACHISMO NÃO FICA MAIS IMPUNE

Uma pessoa me enviou um link prum vídeo recente do Luiz Carlos Prates, em que ele direciona sua raiva a "homens covardes e impotentes que batem e matam suas mulheres".
Não gosto do Prates. Sempre o considerei um fascistóide. Mas é interessante ver que, pouco depois que ele foi demitido da RBS, em janeiro de 2011 (foi expulso por causa da repercussão da sua queixa de que "hoje qualquer miserável pode ter um carro", depois de décadas falando bobagem, inclusive muita bobagem machista), ele começou a mudar.
A demissão, após 23 anos de RBS (maior monopólio midiático do sul do país) certamente deve ter sido um baque pra ele. E sua vida não estava fácil. Em março de 2011, Prates foi fazer uma palestra na Furb, em Blumenau, e teve que enfrentar estudantes e professores que protestavam com faixas como “Blumenau não dá as mãos a preconceituosos. Fora Prates” e “Prates Almofadinha, o povo vai te colocar na linha”. Parece que colocou.
Um mês depois do protesto da Furb, Prates, então já contratado pelo SBT, fez a coisa certa: em declaração sobre o massacre de Realengo, disse que Wellington era um misógino, e questionou por que jornalistas e psicólogos não falavam isso claramente.
Prates continua, a meu ver, um super reaça -- creio que ter saudades da ditadura militar e defender pena de morte, linchamentos, justiça com as próprias mãos etc é coisa de reaça --, mas não é a primeira vez que ele se põe ao lado das mulheres e contra feminicídios e violência doméstica. Tanto que os mascus, que antes o idolatravam, agora o chamam de mangina, lambe salto, capacho e outras palavras que eles distribuem sem pestanejar a qualquer um que não é misógino feito eles.
Acho que casos de "transformação" como o de Prates mostram que, pouco a pouco, as coisas estão mudando. Ele percebeu que não era aceitável continuar sendo machista, que talvez fosse até economicamente inviável, que insistir no preconceito poderia representar o fim de sua carreira. Não estou dizendo que ele fingiu mudar de discurso movido por interesses comerciais. É bem possível que ele tenha mudado de ideologia, por que não? Eu acredito que as pessoas podem mudar. Talvez alguém tenha afetado aquela cabeça dura, vai saber.
Mas é um pouco de tendência. Veja o Papo de Homem, um site tocado por ex-publicitários que largaram seus empregos e decidiram investir em ganhar dinheiro com a internet. Não faz tanto tempo, o site era quase tão machista e homofóbico quanto tantos outros por aí (por exemplo, como o Testosterona -- que esta semana finalmente perdeu o patrocínio da MTV, ueba! -- só que não se escondia por trás do "é só uma piada"). Não gosto do PdH ainda hoje, não o recomendo, desculpe, não vou nem linká-lo, mas a mudança na sua linha editorial é bem visível, e ele eventualmente publica textos contra o machismo. Obviamente que o site não é ativista, é uma microempresa que visa o lucro, mas talvez um ou dois de seus fundadores tenha aberto um pouco a mente e percebido que vai ficar cada vez mais difícil sobreviver com discurso retrógrado.
Claro que ainda há espaço de sobra pra idiotas machistas. Como explicar um Pondé, que segue com coluna na Folha? Bom, primeiro que ainda existe um vasto público pra reaças, pra gente que vai escrever algum "guia politicamente incorreto sobre [insira aqui o assunto que você quiser, por exemplo: Guia Politicamente Incorreto das Jujubas Amarelas]. É um público que sente-se tremendamente incomodado porque não pode mais manifestar suas ideias preconceituosas sem ser criticado, contestado, e considerado um babaca. É o povo que brada que a ditadura do politicamente correto é a pior praga do mundo, pior que a fome e a miséria, e -- óbvio! -- muuuuito pior que racismo, homofobia e machismo, essas coisas que nem existem de verdade. Essas pessoas precisam, e ainda vão precisar por um bom tempo, de gurus reaças que lhes digam que, imagina, elas não são machistas, machismo é uma invenção, e o problema mesmo são essas feministas mal-comidas sem senso de humor, que não riem de suas piadas tão originais e divertidas.
A Folha tem esses ultraconservadores entre seus colunistas porque, se eles não seguem fielmente a linha editorial do jornal, ao menos se aproximam bastante dela. Com quem a Folha tem mais afinidade, com feministas ou com machistas? Com ativistas negros ou com gente que é contra as cotas raciais e tem certeza que o racismo não existe no Brasil? Mas a Folha também gosta de polêmica, gosta de chamar a atenção, e nesses tempos em que os jornais vão perdendo sua influência, é bom ter um colunista "controverso" (sinônimo de preconceituoso). 
A Folha se acha moderninha, hipster e cool, e muitos de seus leitores, também. Daí ela tenta vender um Pondé num estilo "Olha que gracinha nós somos! Tão conservadores, mas de maneira cínica, que somos hipsters!". Veja só aonde chegamos: o preconceito tá ficando tão fora de moda que ser preconceituoso agora é hipster!
Só que, no caso da Folha, louca pra emplacar um novo Paulo Francis, um novo Nelson Rodrigues, não tá funcionando muito bem. Porque niguém dá bola prum Pondé. Ele é amplamente ignorado. Quem gosta dele é gente como mascus, que recomendam seu livro por ter poucas páginas e muitas ilustrações (não tô inventando!).
Os tempos mudam. Já se foi o tempo em que um jornal de esquerda, O Pasquim, podia publicar toneladas de linhas machistas e ainda ser visto como bacana. Era isso que acontecia nos anos 70, época de revolução sexual, mas também de matar para lavar a honra. No ótimo artigo "Zombaria como arma antifeminista: instrumento conservador entre libertários", Rachel Soihet fala de uma característica pouco lembrada do Pasquim -- sua misoginia. 
De acordo com Soihet, o Pasquim costumava adotar estereótipos antigos contra as feministas: "entre outros, a feiúra, a menor inteligência ou, inversamente, o perigo da presença desse atributo, a inconseqüência, a tendência à transgressão, a masculinidade com vista a identificar negativamente aquelas que postulavam papéis considerados privativos dos homens. Não poucas matérias registram tais 'qualidades' das feministas, o que aproxima os libertários desse jornal do momento da contracultura dos misóginos de outras épocas. Na verdade, lançar o descrédito sobre aquelas que ousavam ameaçar a ordem tradicional dos gêneros era o objetivo de sempre".
Todo mundo que já ouviu falar no Pasquim conhece a lendária entrevista com Leila Diniz -- lendária mais pelo número de palavrões, coisa que hoje em dia não faria ninguém erguer as sobrancelhas. Mas poucos lembram da vez (em 1971) em que Millôr, Paulo Francis, Jaguar, Ziraldo, Tarso de Castro e Ivan Lessa, entre outros, entrevistaram um dos ícones feministas, Betty Friedan, chamando-lhe de feia na cara dura (ao que ela respondeu à altura -- com um "F*ck you!").
Os membros do Pasquim ridicularizavam o sistema (no caso, o governo militar) com a mesma frequência com que ridicularizam o movimento feminista. Quer dizer, o Pasquim fez uma entrevista de destaque com Esther Vilar! Ok, talvez você não saiba quem foi a figura, mas ela é uma psicóloga argentina adorada pelos mascus (digamos que a única mulher que os mascus aprovam). Ela falava coisas assombrosas, como que o trabalho doméstico pode ser feito em duas horas, e chamava a mulher de parasita, que para de pensar ao casar. Gente finíssima!
Naquela época, o Pasquim podia escrever barbaridades machistas como esta -- "Depois as mulheres se queixam quando a gente manda elas pro tanque, pra cozinha, pra cama, esses lugares enfim onde são mais úteis, chateiam menos e podem usar melhor a cabeça " -- e ainda ser visto como libertário. Hoje, ficou mais difícil. E vai ficar cada vez mais. Ainda bem.

242 comentários:

1 – 200 de 242   Recentes›   Mais recentes»
abobrino disse...

PdH machista? Onde??????? Sério mesmo, digam!

Como já escrevi por lá, o que incomoda é o nome "homem" no título, se fosse "papo de gente" não teria problema nenhum.

Anna disse...

acabei de ler o artigo indicado e estou chocada. claro que ja sabia que eles eram machistas, mas nao sabia que chegava a tanto. fiquei com nojo.

Anônimo disse...

Lola, ótimo texto! Isso me lembrou os vídeos "humorísticos" do Parafernalha, você já conhece? Vários vídeos machistas, homofóbicos que apelam para aquele "senso comum" da ignorância coletiva... o problema é que todo mundo assiste e acha o máximo... acho q esse tipo de material faz um estrago muito maior do que qualquer livrinho do Pondé, que ninguém lê...

Carlos disse...

Como vocês mulheres se iludem... o sistema faz coisas por vocês, pois vocês são manipuláveis (maioria; rumo ao consumo), grandes consumidoras e conseguem extrair dinheiro dos bobos (homens fracos)... se os homens fossem consumistas e as mulheres econômicas, os homens seriam bajulados.

Lave a sua boca para falar da esther vilar, ela falou somente a verdade, ela afirma que mulheres que casam e querem filhos, fazem 2 num curto período de tempo, para não ter que brincar com possível filho único, deixando-os num lugar para brincar entre eles e só aparecer quando um ou os dois deram um grito bem alto (exatamente o que a minha mãe fazia comigo e meu irmão 2 anos mais novo... coincidência!?).

Ela também afirma que o homem em si não é suficientemente importante para a mulher, é apenas um "atalho" para ela ter filhos e/ou suporte financeiro / material, isso se confirma... é só ver as redes sociais... as mulheres quando são auto-suficientes financeiramente (bem-sucedidas ou herdeiras) e pretendem ter filhos só daqui a muito tempo... o homem é um ser quase invisível para elas... elas se juntam às outras mulheres. Vejamos um exemplo... o homem quando tem carro, não se importa de "passear" para lá e para cá com sua namorada (os destinos são escolhidos por ela), já as mulheres quando tem carro, juntam um grupo de amigas e se aventuram por aí.

Tanto que a esther vilar fala a verdade, uma vez que ela foi debater com feministas... as feministas disseram exatamente isso a ela: "Você é traidora, traiu o seu gênero". A esther vilar foi duramente censurada... tanto que os outros livros dela, além do "o homem domado", não foram traduzidos para as outras línguas.

Anônimo disse...

Eu fico mais tranquila de saber que a justiça está sendo feita, no entanto algo ainda me incomoda, a falta da mídia nessa história toda sabe? Isso é grave gente, deveria estar sendo noticiado e como verdadeiramente, é misoginia, ódio!!!! As mulheres precisam saber que tem gente perigosa por ai.

Sei de dois dos maiores nomes (das antigas já) do masculinismo que simplesmente desapareceram, apagaram suas contas e nem dão mais as caras, porque obviamente estão com medo, eles se achavam tão intocáveis, é bom que tenham medo mesmo.

Anônimo disse...

O Papo de Homem segue sendo machista. Mas é um machismo velado, na sua nova linha editorial.

Conheço diversas pessoas que foram diretamente ou indiretamente prejudicadas. Seja pelo discurso, seja pela exposição, seja diretamente pelos próprios ´ex publicitários que resolveram ganhar dinheiro com a internet´.

Claro, que tudo isso fica muito escondido. Escondido por um discurso que aparenta ser democrático, inteligente, e às vezes espiritual. Haja hipocrisia.

Não recomendo.

lola aronovich disse...

Ahahauahaauhau, Carlos! "Lave sua boca pra falar de esther vilar"! Ha ha, só permiti seu comentário arrogante porque tenho certeza que ele fará muita gente gargalhar. Impressionante as besteiras que vcs mascus acreditam, hein? E sua experiência pessoal prova tudo que a esther falou, né? Vc tem problemas com a sua mãe? Ela não fazia mingau pra vc? Puxa, vc e o Fabio do Mingau (e, tenho certeza, vários outros mascus) podem começar a organizar uma passeata contra mulheres que arruinaram sua vida por não preparar mingau pra vcs. Estou começando a ver um padrão aí... Agora que vcs mascus não usam mais o termo masculinismo (porque ele está mais desmoralizado que mingau de aveia de três semanas), por que vcs não adotam um nome novo? Tipo MACHOS SEM MINGAU?

Magrelinha disse...

"Ela também afirma que o homem em si não é suficientemente importante para a mulher, é apenas um "atalho" para ela ter filhos e/ou suporte financeiro / material, isso se confirma... é só ver as redes sociais... as mulheres quando são auto-suficientes financeiramente (bem-sucedidas ou herdeiras) e pretendem ter filhos só daqui a muito tempo... o homem é um ser quase invisível para elas... elas se juntam às outras mulheres. Vejamos um exemplo... o homem quando tem carro, não se importa de "passear" para lá e para cá com sua namorada (os destinos são escolhidos por ela), já as mulheres quando tem carro, juntam um grupo de amigas e se aventuram por aí".


Cara, desculpa, mas vc tem problemas mentais? Quantas mulheres vc conheceu na vida? Meia dúzia? Tem mais mulheres dirigindo do que vc pensa. Tem mais mulheres casadas que não querem ter filhos do que vc imagina. Talvez não valha a pena para uma mulher perder tempo com VC, mas existem homens maravilhosos por aí às pencas dignos de nossa atenção, sem nosso "grande" interesse pelo esperma.

Mirella disse...

abobrino,


Eu poderia lhe contar, mas a Nádia do Cem Homens fez muito melhor: http://cemhomens.com/tag/papo-de-homem/


O problema não é a palavra "homem", não, e sim o papo: machista as usual.

Priscila disse...

Abobrino, a Lola não disse que o PdH é machista. Ela disse que o PdH ERA machista, e era mesmo.

Mesmo hoje, com o nível de machismo reduzido a quase zero, ainda aparece um ou outro autor reacinha para destilar misoginia - tipo aquele que recentemente escreveu sobre a maternidade. Não sei como os caras ainda têm coragem de convidar esse autor.

Machismo é um mal social, está em tudo. A gente pode ter as melhores intenções e ainda ser machista de vez em quando. Inclusive eu e você. Acontece. Ninguém é perfeito. Importante é ter autocrítica e procurar se manter aberto às críticas dos outros.

FÁBIO disse...

Ester Vilar e genia,e ao contrario de outras argentinas que tem por ai, não e demagoga.

E LOLA PRE DE FALAR DA MINHA MÃE, TO TE AVISANDO.
Eu comecei a trampar com 13 anos para ajudar minha MÃE a sobreviver, ha pouco tempo ela fez uma cirurgia, eu e meu irmão faziamos a comida dela, cuidavamos da roupa tudo, portanto feministas, vão ter que comer muito arroz e feijão para me abalar em minhas bases, elas são solidas.

Anônimo disse...

A revista Veja publica uma entrevista do magnífico Pondé sobre "jantares inteligentes" de intelectuais de classe média. E eu vou me enforcar num pé de couve. Ragusa

Anônimo disse...

Também não curti papo de homem as vezes que li.
O que a Leticia dos Cem Homens explica , por exemlo de pequenos detalhes (chamar a redação deles de QG) que transparece algo que não me cheira bem.
Não consigo formular muito bem ainda, talvez seja o mundo muito restrito (leia-se privilegiado) em que eles dicutem o mundo (publicitários heteros classe média urbanizda)
Sei lá, espero estar enganada, mas há alguns homens (e mulheres) inteligentes que conseguem disfarçar bem seu machismo para não sair mal na fita.
Sabe, tipo novas caras do machismo? Travestido de moderno etc?
Nem tudo neste papo de homem talvez seja assim, mas vejo muito deste tipo hoje em dia nos meios descolados (inclusve na esquerda).
é um machismo sutil, dificil de detectar a primeira vista.

Anônimo disse...

http://musica.uol.com.br/noticias/redacao/2013/02/01/estrela-pop-japonesa-raspa-a-cabeca-como-autocastigo-por-passar-noite-com-jovem.htm

Lola, vc viu isso?

Pedro disse...

http://musica.uol.com.br/noticias/redacao/2013/02/01/estrela-pop-japonesa-raspa-a-cabeca-como-autocastigo-por-passar-noite-com-jovem.htm Lola, por favor veja isso. Eu já sabia da proibição que muitos artistas asiáticos têm de namorar, mas não imaginava que a quebra dessa regra pudesse ter consequências tão devastadoras. Tô horrorizado com isso. Detalhe que se fosse um menino, provavelmente ão teriam caído em cima como caíram em cima dela. Os membros desse grupo precisam conservar uma imagem de inocência e "pureza", como se espera de uma mocinha, daí você tira.

Anônimo disse...

Comentários de tipos inúteis é fogo, acreditam conhecer as mulheres, mas atrelam tudo a experiências negativas que tiveram com mães, irmãs, primas, cada um constrói a personalidade de acordo com exemplos bons ou ruins, agora não vem falar besteira ou do que desconhece embasado em ponto de vista de gente preconceituosa e doente mental que deveria ser privada do convívio social.

Vitor disse...

Não acho Pdh, machista acho até longe disso, de todos os sites "grandes" direcionados a homens na internet, o acho o menos machista de todos, sem todo aquele clichê machista que a gente ouve.

Ele no começo era mais machista, mas também nunca achei que chegasse a niveis absurdos. Fora uma materia ou outra que aparecia de vez em quando.

Gosto e apoio o movimento feminista,e qualquer um que propague a liberdade e o direito de todas as pessoas serem tratadas com respeito.

Mas o que eu noto nas feministas, é que não se pode falar ou escrever um texto com aspectos negativos de uma mulher, que vocês já caracterizam como misógno, a mulher é tão humana e imperfeita quanto o homem.

Pedro disse...

Lola,
você já viu a "pérola" escrita pelo grande neo-reaça nelson motta no "o globo" de hoje?

segue:


NELSON MOTTA
O novo mercado sexual
O jogo virou, de antigas oprimidas dos anos 60, chamadas por John Lennon de "o crioulo do mundo" em "Woman is the Nigger of the World", as mulheres avançaram pelas trilhas abertas pelo feminismo e hoje são presidentes, secretárias de Estado, ministras, comandantes de jatos, de batalhões militares e de grandes grupos econômicos, jogando futebol, dirigindo filmes e dando aulas de todos os assuntos, elas estão em toda parte, até na frente de combate. Mas continuam reclamando.

Pesquisas recentes mostram que nos Estados Unidos, onde elas têm mais poder, dinheiro, independência e liberdade do que nunca, as mulheres estão mais insatisfeitas agora do que nos anos 60, porque, com tantas opções, escolher ficou muito mais difícil. E, como Freud já sabia, nunca se sabe o que quer uma mulher.

Até o sonho da maternidade balança, algumas já admitem que seria melhor não ter tido filhos, ou que foram eles que destruíram a sua felicidade.

São muitas as Marias hoje em dia, da clássica "Maria-Gasolina", com sua atração irresistível por carros, à moderna "Maria-Chuteira", que acompanhou a evolução sociopatrimonial dos jogadores de futebol.

Agora a antropóloga Miriam Goldenberg fala do florescimento nos meios universitários da "Maria-Apostila", que manda recados safados aos professores nas apostilas e no Facebook, tipo "Vai ao barzinho hoje? Se for, vou sem calcinha". Competindo para ver quem pega mais professores, as "Maria-Lattes", como a famosa plataforma de currículos acadêmicos, valorizam tanto a quantidade quanto a qualidade.

As mulheres passivas, à espera do chamado dos homens, estão saindo de cena. Estamos na era das periguetes, das roupas curtas e justas em corpos sarados, partindo para o ataque e invertendo os papéis de gênero, intimidando e provocando desconforto nos homens. Embora ainda continuem esperando um telefonema no dia seguinte.

Nas pesquisas de Miriam ficou claro que, com essa troca de papéis, os homens estão apavorados. E as mulheres, desesperadas.

Assim como na economia, a lei da oferta e da procura vale para o mercado sexual: quando a oferta cresce, a procura amolece.

lola aronovich disse...

Fábio do Mingau, é, a gente sabe que suas bases são tão sólidas... quanto um mingau. E que negócio é esse de "Tô te avisando"?! Vc pensa que está falando com quem? Com a sua mamãe?


Gente, um montão de pessoas tá me mandando essa notícia sobre a estrela pop japonesa que raspou a cabeça após passar a noite com um rapaz. O que dizer sobre isso? Que é uma imbecilidade? Que é um péssimo exemplo pra moçada? Eu não entendo a cultura japonesa o suficiente pra escrever um post sobre isso. Mas pqp, uma moça ter que se punir porque fez sexo?!

Anônimo disse...

Lola, quando é que vc vai se cansar desse pessoal e comentar sobre os ultra direitistas do instituto mises brasil?

Ricardo disse...

Talvez não dê pra fazer o trabalho doméstico em duas horas, dependendo da casa, mas definitivamente o trabalho doméstico se tornou um trampo de no máximo meio período, graças as maravilhas tecnológicas criadas pelos homens.

Assim, eu costumo limpar toda a casa nos fins de semana, pra dar um descanso pra coroa e...... eu termino tudo numa manhã. Facinho.

Anônimo disse...

A moça japonesa em questão faz parte de um grupo enorme que tem umas 90 garotas como integrantes e vários subgrupos paralelos.

Como o grupo é um produto visando um público alvo definido, há algumas regras que as garotas do grupo devem seguir. Uma das regras é não ter namorado.

Eu entendo que esse caso todo soe bem ridículo pra gente, mas nenhuma das garotas foi obrigada a participar do grupo. E se elas estão participando e ganhando a maior grana e a maior fama pra isso, o mínimo é seguirem as regras propostas pela empresa que tá investindo milhões nelas.

André disse...

Pedro,
Em 9 anos nunca recebi cantada de nenhuma aluna. Talvez eu seja uma cara sem sorte, ou a pesquisa da Miriam Goldenberg tenha sido feita num universo muito restrito.

Mirella disse...

Não dá para chamar de não-machista um site que tem a sessão Bom dia Fulana, em que postam fotos de mulher seminua.

Ou, como postei no link do Cem Homens, um texto sobre feminismo que diz que feminismo radical não existe, ou que mulher machista é pior que homem machista, bla bla bla.

Papo de Homem é só um Testosterona mais esperto.

Mirella disse...

Sobre a japonesa que raspou a cabeça, a Feminista Cansada fez um ótimo post a respeito: http://feministacansada.tumblr.com/post/42014514841

Thiago Ventura disse...

Geeeeentiiii, meu primeiro post, que vergonha.Adoro seus assuntos, mas minha vida agitada nunca me deu tempo para escrever aqui. Mas agora vai. Será que ninguém notou? O Fábio do Mingau adooora ser o icone pop do blog da Lolinha, ti amo viu lolinha. Mas meu radargay pressentiu nas palavras dele que há algo enrustido nessa alma atormentada desse pobre rapaz. Existe algo de afetado nele. Algo querendo aflorar. Essa ideia no garotão o deixa pior que uma mulher na TPM. Falando assim ele tenta achar uma "saída" para essa afetação. Sabe porque digo isso? Pois já passei por isso. Da mesma maneira. Me libertei mostrei a sociedade que tudo é possível. Por Isso Felipe liberte-se também. Venha para o nosso lado, você vai amar. Amei o jeito do Nivaldinho, mas não sei não sobre ele. Me da um toque Nivaldinho quem sabe podemos conversar um dia a sós. Mas meu "alvo" hoje é o Felipe e meu radargay não falha. beijos a todas e principalmente a Lolinha ti amo de montão.

Mirella disse...

Vitor,


Se você está criticando uma mulher pelos mesmos motivos pelos quais um homem seria criticado, não há problema nenhum. Acontece que poucos tem a capacidade de fazer isto sem cair nos clichês de: mulher histérica, mulher indecisa, mulher interesseira, mulher frágil, mulher puta, mulher frígida, mulher feia, mulher etc. Se você fizer isto, estará sendo machista, sim. E, advinha só, se fizer um texto criticando um homem pelos clichês: homem viado, homem corno, homem broxa, homem frouxo, homem etc, sabe o que você estará sendo? Isso mesmo, machista.

Anônimo disse...

"Nas pesquisas de Miriam ficou claro que, com essa troca de papéis, os homens estão apavorados. E as mulheres, desesperadas."


Hahaha!

Lola, os mascus/guerreiros de um real/realistas do mundo fantástico de bob aqui estão inspiradíssimos!

Ansiosa pra ver como continuarão a divertir a nossa tarde.

Luci

Anônimo disse...

Sou feminista. Sou a favor da legalização do aborto, da igualdade entre os sexos, de campanhas como a "Don't be that guy". Acho que racismo e homofonia existem sim, inclusive presenciei alguns casos (nao contra mim, pois sou branca, e essa história de racismo contra branca NAO existe, mas contra amigos).
E sou contra as cotas raciais.
Por favor, em todo o lugar que eu vou eu ouço/leio que quem é contra as cotas acha que racismo nao existe.. NAO É ASSIM. Nao acho que racismo nao existe, pelo contrario.
Sou contra as cotas RACIAIS por diversos fatores. Nao venha me dizer que sou uma alienadinha que acha que racismo, homofobia e transfobia nao existem. To cansada disso.

Moema L disse...

"E LOLA PRE DE FALAR DA MINHA MÃE, TO TE AVISANDO."

hahahaha Ri litros...


querem filhos, fazem 2 num curto período de tempo, para não ter que brincar com possível filho único, deixando-os num lugar para brincar entre eles e só aparecer quando um ou os dois deram um grito bem alto (exatamente o que a minha mãe fazia comigo e meu irmão 2 anos mais novo... coincidência!?).

Não me diga? Sério isso?

Eu tenho um irmão que é 1,5 mais novo que eu e minha mãe sempre foi atenciosa, carinhosa e presente.Nunca foram necessários gritos para que ela viesse ao nosso encontro.Ela trabalhava muito e mesmo cansada brincava conosco e nos lia estórias antes de dormir, TODOS OS DIAS.

Você tem suas teses e acha que sua experiencia ruim as comprova, mas quando eu digo que minha mãe fez da minha infância uma lembrança encantadora isso não serve para colocar sua tesezinha xexelenta a baixo. engraçado isso não é?

Alem de tudo ela sempre foi feminista.Homens nunca foram inimigos dela nem tão pouco meus, ela tem um filhO e eu um irmãO.

Homens não são invisíveis só não são mais o centro das atenções, mulheres tem outras prioridades na vida.

Anônimo disse...

Não entendo muita gente que reclama do feminismo (em sua maioria homens, mas ja vi mulher reclamando tb), eles dizem que feministas se colocam como vitimas, mas a maioria das vezes eu vejo eles fazendo mimimi que eu sou a verdadeira vitima aqui.
Vai la entender...

Anônimo disse...

"Assim, eu costumo limpar toda a casa nos fins de semana, pra dar um descanso pra coroa e...... eu termino tudo numa manhã. Facinho."


Meu pai tb. Aí depois eu tenho que refazer o trabalho dele pq o bonito não faz direito.

Anônimo disse...

Fábio do Mingau,

Hm...desnecessário falar "para de falar da minha mãe" em maiúscula...tipo, ninguém nem tá nem xingando sua mãe nem nada (se eu perdi me avisa).

Mas sinceramente eu fico feliz de saber que vc gosta da sua mãe.

Apesar que vc vai ter que concordar que um filho ou filha fazer comida pra mãe doente é o padrão, é o esperado ...e que se um filho ou filha nega isso tem mta desumanidade aí.

Bruno Gaspar disse...

Ri um monte com esse Fábio-tô-te-avisando...hahahahaha... Para de falar essas coisas, Lola, senão conto pra minha mãe, tô te avisando!

E esse outro:
Ela também afirma que o homem em si não é suficientemente importante para a mulher, é apenas um "atalho"... o homem é um ser quase invisível para elas...
TRAGAM A CAMISA DE FORÇA! kkkkkk

Meu amigo, duas coisas: se a Esther Vilar falou isso, falou por ela, isso não passa de uma generalização estúpida. Há mulheres interesseiras, há homens interesseiros, há mulheres e homens que querem viver a vida juntos, há os que querem viver solteiros. Simples assim!

E a outra coisa, the best! "O homem é um ser quase invisível pra elas"... Que papo mais loser! Tá explicada essa carência toda dos mascus, esse odiozinho ridículo! São uns tapados que não conseguem mulher nenhuma!

Obs: sou homem, casado e feliz! Sair por aí reclamando que mulher não presta é coisa de homem infeliz, só isso!

Leio Lola Leio disse...

Fiquei muito feliz porque o Testosterona se desvinculou da MTV e que o Manual do Cafajeste acabou. Esses foram uns dos meus alvos e espero mesmo que a cada dia se torna mais inviável a sustentação/ propagação desse tipo de discurso nas diversas mídias.

Anônimo disse...

Bom, não sei como era o pdh há tempos atrás, mas lá tem boas matérias, apoiando abertamente homossexuais e o movimento feminista. Rashei de rir num post que o cara fala das lesbicas e se diz triste, de forma ironica, que por ser branco e heterossexual não estava acostumado a ser excluido.

Só que de vez em quando aparece um idiota como o desse txt.

http://papodehomem.com.br/a-maternidade-e-uma-furada/

e que ainda vem falando aquele discurso tipico de liberdade, e não tolerando criticas... Ué mas se ele fala ele não pode ouvir?

E graças a Deus o testosterona perdeu o apoio da mtv! Mas aposto mais que foi pq ela está falindo... e acho q logo o testosterona acha outro apoio, afinal, a maioria da população no brasil tem ideias machistas...

LC disse...

Lola, parece que nessa história da japonesa, ela foi punida porque a política do grupo é que as mocinhas passassem uma imagem de pureza e inocência, pra corresponder a algum tipo de fetiche BIZARRO do público consumidor

É claro que tem machismo aí, mas o que me chocou mais foi essa imposição artística, essas pessoas obrigadas a operar como um produto fabricado, um robôzinho programado pra agir de acordo com as normas de uma empresa, se censurando até de um ato normal como se envolver com outra pessoa

Parece uma maluquice saída de um livro / filme distópico estilo Jogos Vorazes

Eu critico mesmo, se as pessoas tem liberdade pra criticar "produtos" como One Direction, porque eu não posso criticar algo tão ridículo assim?? Tenho que "relevar"? Admitir pra mim mesmo que "é cultura"?

Ora, e qando se fala de funk carioca, sertanejo universitário ou qualquer merda assim, aí o povo vomita preconceitos e generalizações sem culpa, aí não "é cultura" mais né?

Anônimo disse...

as bases do rapaz são tão sólidas que ele veio comentar TO TE AVISANDO

AHUHAUHAUHA AI SOCORRO ME DIVIRTO POR AQUI HUAHAUHAUHA

Bruno S disse...

Sobre o exemplo do Pasquim é uma lembrnaça de que posições legais em um tema não são garantia de que a pessoa,o jornal, o blog não terão posições trágicas em outros.

Sobre o pdh, me incomoda bastante a necessidade de segmentar o seu público até no nome. Será que precisamos de portais que digam até no título que são para homens ou para mulheres?

Frequento bem pouco, já li coisas boas e constrangedores lá, mas acho que o defeito vem de origem.

Bruno S disse...

Pedro, quando vejo o Nelson Motta falando de política e sociedade, imagino que levá-lo a sério seria tão coerente quanto:

Veríssimo falando de informática;
Cora Ronai falando de carros;
Henrique Koifman para falar de música;
Fernando Calazans para falar de polícia;
Arnaldo Jabor para falar de política.

Melhor passar direto.

Como articulista,ele é um ótimo produtor musical.

Jéssica disse...

"Talvez não dê pra fazer o trabalho doméstico em duas horas, dependendo da casa, mas definitivamente o trabalho doméstico se tornou um trampo de no máximo meio período, graças as maravilhas tecnológicas criadas pelos homens."

Correcao: Criadas pelas MULHERES.

Tentei procurar no Google quais eletrodomesticos exatamente mas achei um site mais machista que o outro, entao vai de memoria: A maioria foi inventado por mulheres, como a maquina de lavar, com algumas poucas excessoes a isso, como a torradeira.

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

Lola,uma coisa nao consigo compreender é pq professores dizem que nao podemos considerar a sociedade de antes de machista antes do seculo 20/21 pq feminismo é recente.Isso é realmente um equivoco de se tachar machista a sociedade anterior?Lvenado em conta que sempre existiram algumas que foram contra o sistema nessas epocas antes feminismo.E as sociedades que ate hj em sua cultura tem-se a misoginia/machismo como lei nao deve ser considerada machista/misogina.

Quanto ao pondé,so li um artigo dele que homem quer é mulher bonita,mulher feia nao.olhei bem pra cara dele na foto e rir.É tao retrogrado que esquece que hj mulher escolhe nao mais por dinheiro.Ela tem opçao de escolha pq tem seu sustento.

Realmente,quem é machista/misogino nao tem nada de ateu,nao tem nada de esquerdista.

Rob disse...

Serio Lola,eu leio PDH a um bom tempo e tbm seu bloguinho e ainda não entendi qual é a febre das mulheres,cis e MTFs com eles.Há lá um excelente escritor o Alex Castro que volta e meia escreve posts gigantescos sobre machismo,sem falar das mulheres que estão sempre escrevendo livremente sobre sexualidade.Alguns comentaristas são machistas sim,mas é igual aqui,post libertario atrai reaça não é culpa do blog.Não leio mais o PDH como antigamente pq ja me enchi de alguns posts estilo "auto-ajuda".Mas volta e meia eu passo la pra ver se tem alguma dica de filme,livro ou um post que me interessa mais.Comecei a ler um recentemente,não peguei o inicio da pagina,mas agora ao meu ver está bem tranquilo.Onde há machismo?Será que as mulheres não pegaram birra deles e agora não querem dar uma chance?Pq é isso que me parece.

Nivaldo Brás a seu Dispor disse...

Pelamordedeus, Thiago, não abusa, não. Não estou esculachando ninguém. Quanto ao Prates é um pessoa séria em seu ponto de vista. Quando falava em termos machistas sempre tinha outras lições que acompanhavam suas opiniões. As próprias mulheres se desvalorizam. Tem uma que se valoriza e dez que acabam. Um exemplo é quando tem promoções em shows de baixo nível de QI. Onde diz. "mulher até as dez não paga e cerveja a R$ 1 real" ou "mulher não paga". Sabe o que significa. Mulher serve para isca. Carne para os leões. Por que não fazem isso num show de Roberto Carlos, U2, Madonna entre outros grandes shows.Nesses shows baratos se acham valorizadas. Sabe o que os homens dizem: "Vai estar cheia de mulherada fácil e desesperada que não tem dinheiro nem para halls", "Vai estar cheia de "peruas" pra comer". Parabéns pela luta das feministas, mas como eu sempre digo é uma luta, por enquanto, perdida. Quanto ao Pasquim pena que acabou.

Rob disse...

Alguém comentou lá em cima que é contra a separação de publico do PDH.Oras,mas seu blog Lola não é voltado mais para mulheres?Seus posts são sempre sobre opressão da ditadura da beleza,na rua e sobre estupro de mulheres.Coisas pelas quais homens cis não passam ou não passam tanto.E isso é errado?Quantas paginas na internet há somente para mulheres?Realmente,não queria concordar com o primeiro coment mas é o que parece.Se o nome fosse "Papo de pessoinhas felizes"não haveria tanta critica ao PDH.

Luiza disse...

Tá explicado porque o Carlinho Farofa tem problema com mulher. A mamãe não deu atenção, tadinho.

Eu nunca tinha ouvido falar do Pasquim, até Harry Potter e a Ordem da Fênix sair. Tem um jornal que publica matérias sensacionalistas e a Lia Wyler traduziu como O Pasquim.

Fabrício disse...

Ao Rob, discordo quanto a este blog ser mais direcionado para as mulheres. O assunto interessa a todos.

Anônimo disse...

Lolinda! Adorei a "passeata do mingau"! Se os mascus realmente fizessem passeata, a essa eu teria que comparecer...
Minha mãe sempre foi péssima na cozinha então, sempre foi um homem que fez meu mingau!

ViniciusMendes disse...

Sobre a cantora pop japonesa...

Eu acompanho o mercado pop japonês faz bem uns 11, 12 anos, e nesse meio tempo deu pra aprender um bocado sobre a cultura de lá, inclusive no que diz respeito ao tratamento das mulheres.

Dentro do mercado pop japonês existe uma figura chamada "idol", o "ídolo", que é uma pessoa bonita (muitas vezes a base de muita plástica), medianamente talentosa e sempre com uma imagem muito inofensiva (quanto mais burro parecer, melhor) que vai basicamente ser famosa por ser famosa. Esse ou essa idol, que geralmente é uma mulher (ou melhor, uma garota, poucas passam dos 20) vai lançar cds, atuar em novelas e fazer trabalhos de modelo enquanto tem uma vida pessoal totalmente controlada e (muitas vezes) fabricada pela agência que a contrata em troca de um salário mínimo. Uma boa idol (ou um bom idol) tem que ter uma vida sem escândalos, uma imagem de pureza e ser sempre disponível pra não arruinar a ilusão de relacionamento que os fãs venham a ter (essas regras servem pros idols homens também, eles não podem ter relacionamentos públicos e também são punidos casos sejam pegos). Uma vez li que um estudioso compara essa função a uma releitura moderna da geisha, ou seja, um ideal de dama de companhia virginal e perfeita (pra quem não sabe, geishas não mantinham relações sexuais com seus clientes, sob pena de ter sua reputação e carreira arruinados). Uma comparação acessível aos ocidentais seriam as princesinhas pop da disney como Demi Lovato, Selena Gomez, Miley Cyrus, Hilary Duff...

O AKB48 é um girlgroup formado por idols com várias garotas e formações que se apresentam quase sempre em releituras de uniformes de colegial, o supra-sumo . A cada lançamento as mais populares são eleitas pelo fã-clube e elas ganham destaque nos próximos lançamentos do grupo. Assim que elas atingem uma certa idade, se graduam e são enxotadas do grupo pra dar lugar a meninas mais novas (isso é bem comum no mercado musical de lá). As performances e clipes delas são um festival de hiper-sexualização dessa ingenuidade, chegando algumas vezes ao ponto da auto-paródia (tem uma música do grupo sobre meninas colegiais que saem com caras mais velhos em troca de dinheiro pra comprar artigos de luxo, algo também não totalmente incomum a cultura japonesa). Como o interesse por cada uma das meninas é inevitavelmente ligado a quão "perfeita" ela é dentro dos moldes do que torna uma garota japonesa desejável e a quão disponível ela está pra um relacionamento imaginário com o fã que vai comprar ensaios fotográficos, os videos, cds, etc. onde ela se destaca, ser pega com um cara é uma infração gravíssima e muito vai me surpreender se ela não for expulsa depois disso. Há alguns anos a idol Mari Yaguchi, uma das garotas mais populares do Morning Musume (que é basicamente a mesma coisa que o AKB48, mas BEM menos descaradamente sexualizado) foi pega fumando antes de ser maior de idade (o que é crime no Japão) e banida. Aliás, por lá, infringir a lei de qualquer forma quase sempre se transforma em escândalo e destrói sua carreira, mesmo que você não seja visto como idol.

Claro, apesar do machismo tão devastador que assola o país e consequentemente seu mercado musical (uma das maiores estrelas da história da música japonesa, Momoe Yamaguchi, se aposentou pra virar dona de casa assim que casou nos anos 70, e até hj as cantoras se casam as escondidas pq a pressão pública sempre vem. Também não se espera que uma artista, por mais popular que seja, seja famosa depois dos 25), tem também uma série artistas populares que fazem o contra-ponto a isso (que curiosamente são as que eu acompanho)... mas obviamente, aguentando um bocado de backlash.

Bruno S disse...

Rob,

vou complementar ao Fabrício.

Uma coisa é você escolher falar de alguns temas que atraem mais público masculino ou feminino.

De acordo com a educação diferente que recebemos de acordo com o gênero, há assuntos que atrirão mais um ou outro gênero.

Não é colocada restrição à participação do gênero minoritário no assunto.

Outra é definir até no nome que você faz um portal para os homens.

Quando leio isso, me parece subentendido que embora as mulheres possam participar, são temas que não deveriam interesssá-las ou dos quais elas não entendem.

Anna disse...

ricardo, trabalho domestico nao envolve so "arrumar a casa" e nao acaba em uma manha porque e continuo. quando voce arruma a casa, rapidinho, nas manhas do fim de semana por exemplo, quem é que faz o almoço, é voce tambem? quem lava a louça? quem guarda o que sobrou? quem verificou o que faltava, saiu para comprar a comida e quem arrumou tudo nos armarios? quem vai fazer o jantar? quem lava e passa a roupa das pessoas da casa e a roupa de cama e mesa? e outras coisinhas mais?

Carlos disse...

"Tá explicado porque o Carlinho Farofa tem problema com mulher. A mamãe não deu atenção, tadinho."

Eu não estou reclamando da possível falta de atenção da minha mãe e sim que ela se comportava como a esther vilar falou sobre as mulheres no casamento.

Querem saber da situação da minha mãe? Quando ela era nova fazia o que dava na telha, se casou com meu pai por interesse, abandonando a filha para ficar com meu pai. Situação dela hoje? Hoje ela é amante de um velho casado falido e não recebe visitas de seus filhos e bebe todo final de semana para esquecer da vida. Já o meu pai continua cometendo o mesmo erro, casado com uma mulher que só está cozinhando ele... esperando ele morrer para incorporar na sua conta 6 mil mensais de pensão vitalícia do estado (meu pai funcionário público).

André disse...

Bruno S.

Para mim o nome do site conter a palavra Homem indica que o foco do site são os interesses dos homens ou o ponto de vista dos homens, não que as mulheres não sejam bem-vindas (pelo contrário) ou que não devam ou tenham nada a acrescentar.

Anônimo disse...

Já fui contra e hoje sou a favor. Me influenciou muito a posição e argumentos dos ministros na ocasião da aprovação das cotas.Mas ainda penso se realmente foi para apoiar um desejo do governo como dizem por aí...

Anônimo disse...

Oi, Lola!
Sei que não tem nada a ver com o post, mas você viu isso?

http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2013-02-01/a-noite-agenda-de-prefeitos-em-brasilia-da-lugar-a-casas-de-prostituicao.html

O assunto já estava circulando na minha cidade natal (bastante pequena, do interior de SP), pois o vice-prefeito, ao que parece, além de circular pelos "nightclubs", ainda utilizou o carro oficial do município para isso. A desculpa? "Tinha pouca verba para o taxi".
Não sei o que é mais revoltante e deprimente, o "mau uso" do dinheiro público, o machismo, a cara de pau ou o conjunto da obra.
E pensar que muitos dos governantes "usuários" de serviços dessa natureza, (sem querer entrar no mérito da questão da prostituição, que eu sei que é complexa e gera muita discussão) são os mesmos que depois vem bancar os pais de família e baluartes da moral e bons costumes nas campanhas políticas. E também são os mesmos que "barram" as votações de projetos e leis que beneficiam mulheres, homossexuais e minorias em geral em nome da mesma "moral e bons costumes".
Só queria deixar claro que não tenho nada contra as mulheres que exercem essa atividade (que, para mim, não tem nada de empoderadora, denotando claramente a objetificação sofrida pela mulher na nossa sociedade)mas sim contra essa sociedade machista repugnante que permite e fomenta o "consumo" de seus serviços.

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Tenho uma opinião paradoxal sobre cotas: Acho que em certas instituições elas deveriam ser maior de 50%, porém na Universidade deveria ser opcional para cada instituto.


Em Cursos Técnicos e Tecnológicos de Federais e Estaduais, bem como distribuição de bolsas estilo PROUNI para tais cursos em instituições privadas, deveria ser de uns 60% ou até 70% caso haja expansão de vagas. Afinal, isso distribui renda e oportunidades.

Por outro lado, não concordo em ver as Universidades como "Escolas Profissionalizantes", o objetivo da Universidade é o desenvolvimento e manutenção intelectual de uma região ou nação e não servir de academia profissionalizante.
Por outro lado, certos institutos nas universidades(principalmente de artísticas e humanas) se beneficiariam em aplicar cotas sociais devido ao aumento da diversidade sociocultural de seu corpo discente.
Por isso eu acho que nas universidades as cotas deveriam ser opcionais e aplicadas de forma individual a cada instituto/faculdade/escola.

Anônimo disse...

Off-topic: hoje vi uma propaganda brutal do creme contra espinhas asepxia na televisão. Pensei logo em vc, Lola. Aparece uma série de adolescentes sofrendo bullying, como bilhetes pregados nas costas, chacota; aparece uma adolescente tendo que se esconder no banheiro da escola... por causa das espinhas. Achei a coisa de uma maldade sem igual, de uma brutalidade apelativa. Assista. Colocam um padrão estético a ser seguido fanaticamente, pegando pela extrema insegurança dessa fase da vida e o sentimento de rejeição.

Luís Eduardo disse...

Poxa, eu comecei a acompanhar o blog há pouco, vejo como até necessário que pessoas olhem por causas, ainda mais o machismo que, apesar de estar bem menos entranhado, ainda estamos longe duma sonhada "igualdade entre os sexos". Mas, ainda assim, me sinto um tanto triste quando vejo algumas postagens, o que se faz é um horrível discurso de "nós contra eles"; por favor, isso não existe.

Não há como querer dar mais atenção a um feminicídio quando, em números brutos, há mais atentados a homens (principalmente em massacres)- mas o fato de ter mais atentados a homens também não diminui casos de feminicídio, logo ambos devem ser tratados como iguais, são pessoas (ou, melhor, civis) morrendo.

Quando entro em alguns blogs e sites, como esse, o que encontro são discursos unilaterais, "homens maus praticando atos violentos contra mulheres". Por favor, que visão mais simplista, as vezes parece que vejo nos comentários algumas adolescentes que acabaram de terminar com o namorado e que começam a condenar todos os homens por isso- se fosse assim estaria odiando todas as mulheres.

Sei que esse meu comentário de indignação não vai mudar muita coisa, mas é bom lembrar que um homem não precisa começar a gritar discursos feministas para se desculpar pelo "pecado" que é nascer homem- embora eu não concorde com nenhuma forma de sexismo (e, creio que é por isso que deixei esse pequeno texto aqui).

Anônimo disse...

Raziel se voce discordar do sagrado direito a cotas vão te taxar de mascu a reaça.

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

"estão sempre escrevendo livremente sobre sexualidade"

Nunca vi uma yaoista por lá,ou algo parecido.Logo livre uma virgula.

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

A diferença Luis é pq feminicio é homem contra mulher.Homem morrer é por outro homem.Ver se enxerga.

Sara disse...

Adorei o discurso desse cara Lola, ele disse com todas as letras o q eu penso sobre o assunto q ele abordou.
Chega as raias de toda injustiça possível a situação de violência q nós mulheres vivemos aqui, a violência contra nós não é institucionalizada como o é em muitos paises , principalmente esses de ditadura islâmica, mas de que nos adianta ter até leis que supostamente deveriam nos defender, se as autoridades, eu diria, até em sua maioria não consegue, ou muito mais provavelmente NÃO QUER, nos proteger.
Infelizmente aquele delegado q perdeu seu cargo expressou o q ele pensava sobre nós mulheres, eu não consigo acreditar que esse senhor desse um atendimento digno a alguma mulher que procurasse ajuda na delegacia desse víbora, se ele fosse um caso isolado vá lá, mas não é, infelizmente as nossas autoridades como um todo, ainda são muito machistas, se não o fossem a violência contra mulher não estaria no triste patamar em q esta.
Vejo casos e casos de mulheres que tentam dar queixa e são ignoradas, vejo tb muita inércia para se tomar as medidas protetivas em nosso favor, ao ponto de q quando esse medidas chegam a mulher ja foi morta ha tempos, a mulher é colocada em uma situação de total desespero e falta de perspectiva pra sair de uma situação de violência, isso é intoleravel. Qualquer um q se posicione contra esse estado de coisas tem minha admiração.

Juba disse...

Lola, sobre o Pondé concordo 100%, mas outro dia me surpreendi com um podcast dele sobre gordofobia. Não é ótimo, mas qualquer coisa que preste vindo dele é surpreendente.

Pedro disse...

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=lkHlnWFnA0c Lola, elas se beijam nos clipes, fazem até ensaios nuas, mas não podem transar na vida real. tudo marketing pra conqusitar os velhos tarados e manter uma imagem de "pureza". se não me engano o AKB48 hoje tem 64 integrantes, apesar do nome.

Anônimo disse...

Hoje vi na Record SP, o "famoso" e "cômico" apresentador Geraldo Luis, do Balanço Geral, entrevistando o musico Frank Aguiar. Ele perguntou se ainda tinha mágoas da ex esposa, que foi agredida fisicamente por ele. Não fosse o suficiente ainda continuou falando de como é NATURAL agressões físicas durante o casamento...

Gente, isso doeu em mim!


Alguém, por favor, encontre esse vídeo. Foi HOJE.

Sara disse...

Luis Eduardo é chocante vc fazer as declarações q fez, tanto pela alienação do q vc disse, como pela injustiça.
Sabemos q mulheres podem ser violentas, mas até agora é obvio demais que não da nem pra se comparar a violência q o homem pratica com a violência praticada por mulheres, basta analisar os números de qualquer população carcerária no nosso planeta ok?
E mais, por mais distraído q vc seja, será q não percebe q nós mulheres somos tb vitimas da violência comum a toda sociedade, somos assaltadas, furtadas, cometem latrocinios contra nós, igualmente se comete contra os homens, embora por estatisticas somos vitimas preferenciais, pela fragilidade de nosso fisico.
Esse post falava sobre a violência contra a mulher especificamente, e nesse setor da uma GRANDE raiva quando vem alguem aqui querer fazer comparações com esse tipo de violência sofrida por homens.
É totalmente absurdo vir comparar o numero de crimes chamados "passionais" cometidos por homens, q são em média 12 POR DIA, ao numero ínfimo de casos cometidos por mulheres, tanto é que só se escuta falar do caso "Matsunaga" ou da loira do motel, pq fica dificil lembrar de outros, enquanto pra nós mulheres são tantos que parece q a sociedade ja perdeu a sensibilidade
e é dificil algum caso ter maiores repercussões.
Morrem sim muito mais homens, mas morrem muitos por sua própria violência recíproca , o comportamento violento do homem é q precisa ser estudado e veementemente combatido para o bem de todos.

Luís Eduardo disse...

Dona do Sexo, não. Não importa quem é que pratica a violência, quando se diz "civis", não importa se é homem ou se é mulher, todos deveriam estar protegidos pelo estado. Entendeu o que eu quis dizer? Não importa se é feminicídio ou não, é assassinato. O sexo, nesse caso, é o que menos importa (é questão de segurança pública), e, se importasse, teríamos medidas para proteção do sexo masculino.

Luís Eduardo disse...

Mais uma que não entendeu o post. Sara, em momento algum eu quis desmerecer vítimas de violência, como falei TODO tipo de violência deve ser evitado. As vezes conversar aqui me lembra quando uma garota (chamo de garota, sim, tinha apenas 14 anos) pensou que eu era religioso por tentar evitar os excessos dela, depois tive que explicar a ela que também era ateu.

Mas, bem, ao menos com você, a conversa é mais simples, não vejo aquele ódio extremo cego, mas ainda não vez força o bastante para ver o meu post por inteiro. Oras, por favor, "O comportamento violento do homem é q precisa ser estudado e veementemente combatido para o bem de todos", o que seria isso se não um belo dum discurso misândrico, não irei dizer o pior que já vi, nem que é extremamente ofensivo, mas há, sim, um pedaço de ódio lá no fundo.

Para exemplificar o que eu disse sobre violência praticada contra homens, era comum, durante a Guerra da Iugoslávia, os jovens se vestirem de mulher para fugir sem ser fuzilados. Mas, claro, por favor, continue me lendo, isso NÃO diminui qualquer violência praticada contra alguma mulher, mas fazer o discurso do "nós (mulheres indefesas) contra eles (homens assassinos)" não leva ninguém a lugar nenhum.

Só para dar um último exemplo, e esse que espero que também as feministas mais exaltadas entendam, mulheres são as maiores praticantes de violência doméstica. Não sei o motivo, mas essa parte da pesquisa não foi publicada (lembrando que violência doméstica é qual quer tipo de violência praticada dentro do domicílio), agora, deveríamos proteger toda a nação do "instinto natural domicilio-violentador feminino?", oras, por favor. Não importa o gênero violentador/ vítima(exceto quando falamos em algo restrito ao mesmo), a violência deve ser combatida.

Hamanndah disse...

Querido Duda

Os homens são mais assassinados( por outros homens, na maioria) do que as mulheres porque:

1) "Macho não leva desaforo para casa"

2) "Macho que é macho precisa "gastar energia", lutando, embriagando-se, apostando "rachas", disputando com os outros homens quem tem o pinto maior, etc

3) Etc

4) "Eu sou macho, aqui quem grita mais alto que os outros machos sou eu"

5) "Eu sou macho, não faço exame de toque, por isso vivo menos, mimimim, coitado de mim, as meninas vivem mais, vao a um bocado de medico, nojentas,privilegiadas, mimim, só porque não vou a medico, encho a cara, vivo menos, mimimi...injustiça de natureza"

Entendeu, Luisinho?
Bjs

Cora disse...



todo homem contemporâneo muito machista só o é por ter tido problemas com mulheres (mãe e coleguinhas da escola primária ou mãe e namoradas).

reparem. é um padrão.

todo machista tem problema com a mãe, não consegue lidar com isso e desconta suas frustrações em todas as outras mulheres do mundo.

negócio é torcer para não se reproduzirem!

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Só discordo da parte em que vc diz que pouca gente dá bola para o Pondé. Se não me engano, um livro dele é atualmente um dos mais vendidos do país.
Acho que antigamente era mais fácil "emplacarem" alguém por causa mesmo da falta de espaço pra outras vozes, iguais ou diversas, aí os poucos que conseguiam espaço se destacavam.
Quanto ao Pasquim, não sabia disso, imaginava que eles eram super libertários por conhecer somente a entrevista famosa com a Leila Diniz.
Mas enfim, infelizmente na questão do machismo, a direita e a esquerda ainda são muito parecidas.

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

por isso que existe lei de assassinato pra homens e mulheres monstros.Morte de mulheres maioria acontece por crimes passionais,por ela ter nascido mulher.Quase nunca o contrario.Lei maria da penha serve pra tentar impedir isso.Um homem mata outro homem por outros motivos que aflige tbm as mulheres como assaltos,sequestros e briguinhas futeis como de torcedores ou fim de festa,ou mexeu com propriedade minha, pra mostrar quem é mais valente.Esses quse sempre exclusivos dos homens.A mulher nao é geradora de violencia,na maioria dos casos,é o homem.A mulher na maioria dos casos é puxada pra violencia como vitima.O homem é puxado como vitima e algoz.E é odioso ter que explicar isso,se lembrar dessa injustiça que é acometida a nos,seres nao algozes.

Anya disse...

"Só para dar um último exemplo, e esse que espero que também as feministas mais exaltadas entendam, mulheres são as maiores praticantes de violência doméstica. Não sei o motivo, mas essa parte da pesquisa não foi publicada (lembrando que violência doméstica é qual quer tipo de violência praticada dentro do domicílio"

Seu canalha mentiroso dos INFERNOS mulheres são as maiores vítimas de violência doméstica,todos os dias existem centenas de casos no mundo inteiro de mulheres que apanharam de maridos violentos,você está tentando dizer o que que é culpa DELAS que provocaram o macho vagabundo e violento?
Você é só mais um idiota machista e revoltadinho porque finalmente está se dando nome aos BOIS,feminícidio,misoginia e homofobia rolando solta e você vem aqui querem defender os "pobres homens oprimidos por essa misândricas loucas SNIFF /white male tears"
Cala a sua boca suja e vá ver a realidade como ela realmente É! Homens são sim os maiores violentadores e assassinos e você quer pôr panos quentes porque é um imbecil previlegiado que se sente no direito de dizer como O QUE nós mulheres devemos nos indignar.
Mulheres são estupradas aos milhares todos os dias,mortas a pancadas e um babaca sem noção vem falar de misandria? PIADA
Você é o tipo de cara que quer ditar o que e como feministas devem agir porque nunca vai passar na PELE o machismo e a misoginia que uma mulher passa todo santo dia.
Não vai ter que ficar se provando pelo simples fato de ser mulher,não vai ter que andar na rua com MEDO DE SER ESTUPRADO.
Caras igual a você são aquele tipinhos "Nice guys" que querem pagar de certinhos,mas no fundo são os maiores imbecis arrogantes que existem.
E antes de mais nada,VÁ SE FODER.

Luís Eduardo disse...

"Hamanndahinha", é desse tipo de comentário que eu falo. Se você não percebeu a sua generalização e misandria, faça-me o favor de rever as suas concepções. Por sua concepção eu poderia falar que mulher morre porquê não sabe o seu lugar. Eu estaria certo? Não, claro que não. O que eu quero é apenas por alguma coisa além dessa sua visão unilateral que, repito, agora em caixa alta, NÃO LEVA A LUGAR ALGUM.

Homens tendem a sofrer mais atentados por serem considerados "menos indefesos" (falo isso com bases, caso queira poderia enviar alguns artigos), mesmo aqueles que "não beberem para provar a masculinidade". Faça-me o favor. Agora, por favor, não desconsidere essa parte como você fez o favor de desconsiderar da última vez (vou até escrever em caixa alta para chamar mais atenção) NÃO IMPORTA O SEXO QUE É A VÍTIMA, A VIOLÊNCIA DEVE SER COMBATIDA IGUALMENTE.

Fico triste (na verdade, desapontado com o resto da sociedade) quando é preciso construir delegacias próprias para defender mulheres de pessoas abusivas, não vou negar a necessidade, visto a precariedade do modelo tradicional para tais ocorrências. Mas, daí a levantar a bandeira para algo tão burro e extremista quanto ao "machismo tradicional", não, ainda não me rebelei tanto (e, por favor, entenda quem lê isso, não sou contra a igualdade entre os sexos, é louco quem não quer, sou contra uma visão ridícula de "nós contra eles")

Luís Eduardo disse...

"Seu canalha mentiroso dos INFERNOS mulheres são as maiores vítimas de violência doméstica,todos os dias existem centenas de casos no mundo inteiro de mulheres que apanharam de maridos violentos,você está tentando dizer o que que é culpa DELAS que provocaram o macho vagabundo e violento?"

Tirando as ofensas, parece engraçado, mas as maiores vítimas e violentadores são as mulheres nesses casos. Tentando explicar o que eu não deixei claro, mas a maioria dos casos relatados são de mulheres que praticaram algum tipo de violência contra idosas. Assim como mulheres que espancaram filhos (a).

Isso não deixa homens imunes, quero dizer, homens também praticam violência, o que apenas quero dizer é que lutar pelo "fim da violência contra mulheres" é ridículo, se deve lutar pelo fim da violência, independentemente de quem sofre-a. É como os malês (etnia africana que fora trazida para cá pelos escravistas), eles lutaram pelo fim da escravidão dos malês, não pelo fim da escravidão.

Anônimo disse...

Lola, hoje me aconteceu uma coisa muito triste, fui demitida no meu primeiro dia de trabalho por "não demonstrar interesse."
Isso depois de grudar uma semana na cola da empresa, ligar, comparecer, fazer mil perguntas que eles não souberam responder. E porque eu fui demitida Lola?
Um amigo acaba de me contar que quando uma colega começou a estagiar lá só tinha 4 mulheres em todo o prédio, que só aceitaram minha colega porque o curso tinham muuuitas mulheres, que eles tinham pedido um estagiário homem.
Ai Lola estou arrasada, antes achava que era porque descobri um erro no contrato e pedi pra consertar, ou porque eu não tinha o perfil da empresa, quando eu questionei sobre a falta de interesse eles ficaram sem desculpas me pediram perdão disseram que 'o setor desiste'
Sou feminista e estou puta com isso!!! Muito irritada, só não processarei porque não quero problemas futuros com a profissão que não é tão conhecida, num país onde a sociabilidade conta tanto.

Priscila disse...

Rob, de onde você tirou que o blog da Lola é para mulheres? A Lola fala de coisas que DEVERIAM ser de interesse geral.

Anônimo disse...

Nesse textículo sobre a maternidade do pdh:

"encontrar uma mulher sem o senso de maternidade saindo pelos poros da pele aos vinte-e-poucos-anos é uma tarefa homérica. Aquela conversa de colocar estudos e carreira em primeiro lugar tem prazo de validade."


Oh, mais uma pessoa que acha que conhece metade da população.

A continuação do texto chega a ser ofensiva e mesmo que que não tenho simpatia pela maternidade chego a me ofender aom aquilo. Pq se dirige as mulheres e fala delas como se fossem umas loucas correndo atrás de esperma. Mesmo as que desejam ser mãe não são assim.


Eu não sou uma exceção - conheço mais mulheres que não querem filhos e sentem precionadas que mulheres que minimamente desejam a gravidez.
Mas o senso-comum e a memoória histórica são difíceis de mudar na cabeçinha dos alienados.

Luís Eduardo disse...

A imagem é forte, por favor, só abra se quiser.
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/b/b4/Abu_Ghraib_47.jpg

É a imagem duma mulher praticando tortura em Abu Ghraib. Então, isso não irá condenar todas as mulheres, mas a questão é, os gêneros, tirando algumas coisas óbvias (genitálias, por exemplo), tem comportamentos iguais, e isso é igualdade entre os sexos. Se não há mais mulheres no exército tendo atitudes assim, é questão de sexismo (olha ele de novo), que evita que tenham muitas mulheres dentro das forças armadas.

Tentarei diminuir um pouco o teor irônico, não quero tornar isso daqui uma guerra de emoções. Mas a questão que quero chegar é, mulheres devem ter direitos iguais a homens (e tem, juridicamente falando, mas ainda falta fazer alguns entenderem isso), isso todos nós concordamos, não? Mas, o que não concordo, e tentando explicar o motivo, é a visão "nós contra eles" (já repeti isso quantas vezes?).

Infelizmente essa visão exagerada (que não propõe a mera igualdade) entranhou tanto que algumas constatações óbvias viraram motivo de "prova da misoginia", como quando a Catherine Hardwicke saiu gritando que os produtores de "O Vencedor" eram machistas porque escolheram David O. Russell, e não ela, para dirigir o filme (qualquer pessoa não teria escolhido ela, é milagre que alguém tão ruim consiga continuar dirigindo).

Anônimo disse...

Gente desistam desse Luís Eduardo é só mais um machista travestido de bom moço pela igualdade.

Luís Eduardo disse...

Voltando a ler aqui de novo

"você está tentando dizer o que que é culpa DELAS que provocaram o macho vagabundo e violento?"

Desculpa, mas eu ri com isso. Nunca disse nada parecido e não creio que nada justifique espancar qualquer pessoa. Estou procurando a pesquisa completa, mas a violência marital é uma pequena parte nos casos de violência doméstica (que, lembrando é qualquer violência praticada dentro da casa), a maioria dos casos é de mulheres que deveriam cuidar de idosas e crianças (e, vejamos, mais um ponto no sexismo, fica induzido que é um maior número de mulheres porque são a elas incumbido tal trabalho). E, mesmo na violência marital, por se considerar, também, violência psicológica, o número entre mulheres e homens violentadores não fica muito distante, enfim, é um problema enraizado em toda a sociedade ou relações interpessoais são difíceis, mesmo.


P.S.: ando postando muito, mas é uma tentativa de explanar o que penso sem ser deturpado, afinal, nunca disse que concordo com "os machos que todos dias espancam suas mulheres".

Anônimo disse...

Infelizmente o machismo ainda fica impune. É só ver sites como o Papo de Homem, que segue apesar das atrocidades estrategicamente veladas. Já estive lá dentro e sei como é.

Anônimo disse...

Luís eduardo seguiu o script previsto:

1-Chegou falando que se simpatiza com as feministas e tentou enumerar seus méritos como humano sensível.

2-Introduziu uma pergunta inocênte que podia dar numa discussão até interessante.

3-Obteve algumas respostas.

4-Refez a pergunta introduzindo algumas ofensas/ridicularizações veladas no discurso.

5-Obteve mais respostas que obviamente apontam os preconceitos acoplados no questionamento do rapaz.

6-Não satisfeito reformulou as perguntas de modo a obter respostas falhas.Acrescentou mais algumas ofensas bem escondidas e se fez de desentendido em pontos convenientes.

7-Muita gente perdeu a paciência e largou de tentar expor alguma coisa. Respondeu zoando ou revidando.

8-"Fulana me ofendeu, o beltrano foi ignorante comigo, a ciclana é uma ogra por me responder assim e eu já sabia que vcs feministas e manginas são uns facistas da pior estirpe que querem colocar cotas para mulheres em 80% das vagas pra emprego e trancar todos os homens num campo de concentração e as mulheres são todas espancadoras de idosoa e sorte que as mulheres são burras pq senão elas destruiriam o mundo com a maldade delas..."

Vitor disse...

Priscila concordo com o Rob nesse ponto.

O Blog da Lola é um blog que propaga o ideal feminista, que embora busque uma igualdade de gênero entre homens e mulheres, foca mais nas mulheres.(As próprias feministas falam isso). Então o foco é a mulher embora é um assunto que o homem pode e deve se inteirar.

O Pdh é o mesmo sistema embora seja um site voltado ao publico masculino ele tem temas bem variados e "unissex", inclusive eles sempre publicam textos escritos por mulheres.

Verô! disse...

Cancelei minha assinatura da Folha e pedi para a moça registrar que decidi pelo cancelamento por causa do espaço que o jornal dava ao Sr. Pondé. Não me arrependo.

Eu adoro ler jornais, ler o jornal no papel mesmo! Mas não dá para pagar pelos absurdos que encontro neles.

lola aronovich disse...

Rob, Vitor, calmaí. Primeiro, vcs estão comparando um blog ou site feito pra lucrar (o Papo de Homem, feito por uma equipe que vive disso) com um bloguinho ativista feito por uma só pessoa (com grandes colaborações nos guest posts) que não vive disso? Aliás, meu blog é feminista, mas é também pessoal. É só ver que leva o meu nome. O outro chama-se Papo de Homem. Acho que o direcionamento já fica claro no título e na abordagem, com várias imagens de mulheres nuas e seminuas (o que sempre rende muitos clicks). Ainda que meu blog se chamasse "Papo de Feminista", estaria voltado a mulheres e homens, já que homens também podem ser feministas. Mas, enfim. O PdH (e vários blogs voltados pro público masculino) atrai muitas leitoras. Eu nunca entendo exatamente porquê, mas atrai.
De todo modo, esse é justamente o ponto do meu post: que o PdH tem mudado, acredito que por questões comerciais. Imagino que, originalmente, o PdH não era tão diferente de um Testosterona da vida.

Luís Eduardo disse...

Anônimo que citou o meu "scripit", por favor, leia as minhas postagens a cima. Eu em nenhum ponto sou a favor de violência contra mulheres, eu me ponho em debate a favor dos direitos femininos (ou, melhor, igualdade dos direitos). Se eu "ofendi" é porque fui ofendido; sim, errei, errei ao por ironia exagerada na discussão, não ajudou a pararem de deturpar o que eu digo, apenas piorou a situação.

Mas, agora, não aceito ser chamado de mais um desses idiotas machistas que entram aqui para fazer baderna. Eu apenas quero por um ponto de vista neutro (sim, isso mesmo, neutro), que não é a favor nem de mulheres e nem de homens. O centro é sempre a melhor opção (ao menos acredito), não é egoísmo, é apenas uma visão mais centralizada de algo que, aqui, pende mais para o gênero que não me enquadro. Tentando argumentar com algo que não faz parte da discussão, eu sou a favor do casamento gay igualitário, mesmo nunca tendo nenhuma envolvimento romântico com outro homem, mas sou contra a distribuição dos "kits gays" pelo estado.

Anônimo disse...

fulano que comentou que o blog da lola só tem coisas que interessão as mulheres:

Estupro, feminícidio, o modo como uma população inteira subjulga metade dessa mesma população, violência no ambito familiar e etc são assuntos que devem ser debatidos pela sociedade como um todo.

Chamar esses assuntos de "assuntos de mulheres" só demonstra o seu machismo.

E pense também em tantas páginas de internet que só falam sobre assuntos "de homens".

Ou sobre os fóruns em que quando uma mulher posta ninguém quer saber do que ela falou, só quer trollar pq se trata de uma mulher num "ambiente masculino"

Pense em coisas legais e divertidas para todo SER HUMANO, como humor, videogames, contraculturas do mundo da música, matemática e etc. Todas excluem as mulheres o tempo todo, ou as incluem de forma discriminatória e ofensiva.

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

"maioria dos casos relatados são de mulheres que praticaram algum tipo de violência contra idosas. Assim como mulheres que espancaram filhos (a)."

mulheres sao quem lida com essas pessoas na maioria das vezes,Vai surgir casos assim,isolados,mas vai,por isso existe estatuto da criança,estatuto do idoso.O estatuto da mulher nao existe,apenas uma lei contra o mais recorrente crime contra elas.

feminista luta contra violencia sobre mulheres.Humanista luta contra violencia no geral.Pode-se ser os dois,sim.Mas feminismo está focalizando nas mulheres pq é isso que logo no termo "feminismo" demonstra,pra mulheres alcançarem igualdade necessita parar os crimes de odio contra elas.Mulheres nao sao algozes em violencia de ADULTOS,elas sao vitimas e feminismo luta contra essa intimidaçao.

Nuba ofKau disse...

Luís Eduardo, favor pegar o DeLorean e voltar com ele até o passado.



...
(Tem que ser muito fraco em análise de discurso pra não perceber que vc deturpa o humanismo pra atacar minorias. Muito ruim mesmo, pq eu sou fraquíssimo nisso e percebi.)

Felipe Barreto disse...

Luís Eduardo,

“Isso não deixa homens imunes, quero dizer, homens também praticam violência, o que apenas quero dizer é que lutar pelo "fim da violência contra mulheres" é ridículo, se deve lutar pelo fim da violência, independentemente de quem sofre-a. É como os malês (etnia africana que fora trazida para cá pelos escravistas), eles lutaram pelo fim da escravidão dos malês, não pelo fim da escravidão.”

O que você não está compreendendo é que boa parte da violência que os homens sofrem, são ocasionadas pela violência que eles mesmos praticam, ou então por leviandade, truculência, irresponsabilidade, etc. É a ação gerando uma reação. As mulheres não têm participação nelas, geralmente. E isso significa que para que boa parte (eu disse boa parte, não estou generalizando ou totalizando) da violência contra o homem seja prevenida, basta que o próprio homem mude o seu comportamento.

Já no caso da violência contra as mulheres, é diferente. Boa parte da violência que elas sofrem, são ocasionadas pelos homens, sem que elas sejam responsáveis pelo seu desencadeamento. Geralmente, acontecem porque as mulheres são mais fracas fisicamente, aliada a uma perspectiva de impunidade (hoje menos efetiva, com a Maria da Penha), ou de vulnerabilidade da mulher (dependência financeira, não ter para onde ir em caso de separação, etc).

A violência que o homem sofre, as suas mortes, etc, geralmente, ocorrem por causa de ações irresponsáveis do próprio homem, ou então por causa do envolvimento deles com a criminalidade, envolvimento ainda maior que o das mulheres (eu disse “ainda” porque a participação feminina, na criminalidade, aumenta a cada ano, no Brasil).

Os homens, geralmente, são mais irresponsáveis no trânsito do que as mulheres, por isso eles são a maioria das vitimas fatais . Constituem a maioria dos viciados e dependentes de drogas, e isso os aproxima da marginalidade e da delinqüência, pois muitos precisam assaltar e furtar para sustentarem seus vícios, e os tornam expostos a todo tipo de risco e violência, tanto a que parte dos traficantes, quanto a que parte da própria sociedade e do Estado.

Já a mulher que é viciada e pobre, sempre pode se prostituir para sustentar o vício, ou então arruma um macho viciado também, que rouba e assalta para sustentar o vício dos dois. O homem não, tem que se virar roubando, assaltando, e, muitas vezes, compra droga fiado na mão do traficante, mas não consegue arrumar a grana para pagar, então o traficante manda matar.

Constituem a maioria dos brigões, dos valentões, etc. E isso gera violência contra eles mesmos, brigas de bar, rixas de bairro, brigas de rua, brigas por causa de mulher, brigas em festas e boates, brigas entre torcidas de futebol etc, vitimam milhares de homens por ano.

Também reagem aos assaltos em número muito maior que as mulheres. Na verdade, as chances de uma mulher reagir a um assalto são nulas, elas se borram logo, e entregam tudo. Já os homens, não, às vezes, eles reagem, e morrem.

Felipe Barreto disse...

Luís Eduardo,

Então, boa parte da violência que os homens sofrem, as mulheres não tem culpa nenhuma. Não tem culpa diretamente, indiretamente é discutível, mas diretamente, na maioria das vezes, elas não têm. Para que boa parte da violência que os homens são vítimas cesse, basta que eles mudem de comportamento e de atitudes.

Já a violência que as mulheres sofrem, boa parte delas é ocasionada pelos homens, diretamente, sem que elas tenham participação para o seu desencadeamento. Violência doméstica, estupro, assassinato motivado por ciúmes (não que não aconteça contra os homens também, mas contra as mulheres a incidência é maior), etc.

No caso da violência doméstica, e da violência contra a mulher que é desencadeada por namorados, maridos, amantes, etc, existe um argumento que coloca uma parcela de culpa nas mulheres, pois elas, muitas vezes, se sentem atraídas e se relacionam com indivíduos de caráter duvidoso e de índole violenta, portanto, estariam assumindo os riscos de se relacionarem, voluntariamente, com homens dessa laia, sendo, por isso, co-responsáveis pela violência posterior que venham a sofrer.

Evidentemente que muitos casos de violência que os homens sofrem, eles também não têm culpa nenhuma. Mas, em outros tantos casos, eles sofrem violência porque se comportam de forma irresponsável, desafiadora e violenta. Isso é um comportamento típico do macho, que sempre foi mais inclinado e se submeter a situações de risco do que a fêmea.

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

Lola,acho que geralmente é pra entender a cabeça do homem machista.Pra maioria delas,homem,pq homem feminista nao existe pra elas.

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

Se pdh com esse titulo mesmo fosse so o Alex Castro postando,tu acharia que o titulo é enganador so pq nao é machista?

"ou as incluem de forma discriminatória e ofensiva."Caso do Campus Party

Luís Eduardo disse...

Felipe Barreto e Dona do Sexo, fico feliz em ler os posts de vocês. Posso não concordar com tudo, talvez por experiências pessoais (sou totalmente passivo, sempre que fui vítima, mesmo sendo homem, foi sem "incitar a violência").

De fato, Dona do Sexo, o nome "feminismo" já indica a luta pelo direito das mulheres (mesmo que eu não concorde com nenhum "ismo"), então, ao que parece, eu me ponho contra o feminismo, também. Mas não irei afirmar isso, qualquer ideologia que defenda o fim do pensamento patriarcal e cale uma parcela da sociedade deve ser defendido. Então me ponho contra os excessos que vejo aqui, gostaria que muitas que estão me colocando como "machista disfarçado", olhe para muitos dos comentários (não só aqui) e vejam que muitos são igualmente sexistas.


P.S.: e vou dizer apenas mais uma vez, não sou machista e nem defendo o "direito de todo homem de bater em sua mulher". Apenas não concordo com grande parte dos exageros e, admito que, como homem (agora assumindo um tom pessoal), me sinto ofendido com muita das declarações postadas aqui e não quero ver ou post preconceituoso dizendo algo como "falar a verdade sobre os homens agora virou preconceito".

Rose disse...

O PdH não é machista? Bem, digamos que é tão feminista quanto o femen (não pq escreve alguns textos pró-feminismo que apagará todo o machismo que tem por lá...na cabana em especial). Eu vejo que alguns desses novos "ex-machistas" estão adaptando o feminismo ao machismo deles. De repente a prioridade não é mais a autonomia das mulheres, agora o mais importante é ressaltar os grandes benefícios que o feminismo traz para os homens.Tem uma ou outra postura feminista e acha que está imune a qualquer crítica pelas outras tantas atitudes machistas.

Luís Eduardo disse...

só consertando o que ficou mal escrito:

"qualquer ideologia que defenda o fim do pensamento patriarcal e que dê voz a uma uma parcela da sociedade reprimida deve ser defendida"

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Machismo também prejudica homens. E em certos grupos sociais, até mesmo mais que mulheres.

O que ocorre é que o Patriarcado só serve a um tipo específico de homem, chamado pelos próprios machistas de "Alfa". Se um homem não for "Alfa", é menos que mulher. Se for efeminado, é inimigo declarado do Estado(Alguém já percebeu que homens efeminados e mulheres trans são MUITO MAIS odiados que homens trans e mulheres masculinas?).
Algo que ocorre é que na infância e até meados da adolescência o homem tem a """oportunidade"""(sim, três pares de aspas porque é tenso) de vir a se tornar "Alfa", se ele não consegue, é considerado um lixo que "não deu certo".

Uma análise fria demostra que a tal tese da "Ala Nerd Falha" dos mascus contra as mulheres, se torna muito mais coerente quando o foco é retirado da mulher(que não passa de psicologia evolucionista de bar) e é dirigido ao machismo das próprias mulheres, que é um problema sério.

Acho que no combate ao chamado "neomachismo", que gera elementos perigosos como alguns Sanctos(maioria é moleque), seria mais interessante combater o Machismo Feminino, sobretudo no campo dos relacionamentos. Felizmente, há alguns canais virais no facebook(como aquele "Moça, você é machista") cuidando disso. =]

Apaixonada por elas disse...

Sem querer fugir muito do assunto...Mas lembra o caso Rafinha Bastos x Wanessa Camargo?("Comeria ela e o bebê.")Então, a justiça voltou atrás! Tô mal! :(

"Justiça decide que bebê de Wanessa não sofreu injúria"
http://br.omg.yahoo.com/blogs/notas-omg/justi%C3%A7a-decide-que-beb%C3%AA-wanessa-n%C3%A3o-sofreu-inj%C3%BAria-183835887.html

Bru disse...

"ou as incluem de forma discriminatória e ofensiva."Caso do Campus Party"
Total!
Tem (tinha..não sei)um site que reunia tirinhas sobre o dia-a-dia dos profissionais de TI, ou que gostassem da área simplesmente. Nas tirinhas nã tinha nada de mais, e acredito que qualquer um que tenha tido contato com TI ( não é meu caso) se identifique c os quadrinhos...mas entre as tirinhas, tinha "Musa do suporte técnico" ou sei lá o que...uma mulher seminua , sutiã, calcinha...imagem estilo Playboy ou algo de gênero...bem ridículo, dava pra ver que era total voltado pra homens( héteros, claro!)

Aliás, essa a´rea da tecnologia é bem machista...essa Campus Party parece ser bem interessante, mas temo que as gurias sejam minoria lá...e as que tem, são ou objetoficadas ou diminuídas...
Aliás, tem um evento "nerd" que se não me engano teve um stand da Playboy..pra que???? ah esqueci...pros caras claro...e pior, a guria que tava no stand foi bolinada ou algo do tipo...

Luís Eduardo disse...

Bru, por favor.

"Nas tirinhas nã tinha nada de mais, e acredito que qualquer um que tenha tido contato com TI ( não é meu caso) se identifique c os quadrinhos...mas entre as tirinhas, tinha "Musa do suporte técnico" ou sei lá o que...uma mulher seminua , sutiã, calcinha..."

Eu acompanho o Vida de TI, não gosto muito da ideia das musas, mas isso tenho que defender, não tem imagem de mulheres seminuas. Na verdade houve uma, e ninguém gostou, disseram que fugia da ideia do blog, que era a vida de gente que vive em TI, não fazendo sentido por imagem de uma mulher usando apenas biquini (e concordo, isso acaba com a ideia do blog), depois disso nunca mais.

Luís Eduardo disse...

Apenas completando o que disse acima, aqui o link do blog para quem quiser visitar:

http://vidadesuporte.com.br/

É bem divertido, prefiro as do Will Leite e do Ricardo Coimbra, mas ele também é bom.

Cora disse...

luís eduardo,


"...me sinto ofendido com muita das declarações postadas aqui e não quero ver ou post preconceituoso dizendo algo como "falar a verdade sobre os homens agora virou preconceito""


então vc tem uma pálida ideia de como mulheres se sentem ao folhear textos religiosos, históricos, literários, filosóficos, jornalísticos... além do q ouvimos e vemos na tv, nos outdoor, nas páginas de revistas, em blogs e portais...

vc tem uma ideia muito, muito, mas muito pálida mesmo, do q significa ser mulher numa sociedade de profundas influências patriarcais.

.
.

e pra quem comparou esquerda e direita em termos de machismo, arrisco dizer q a esquerda é ainda mais nojenta do q a direita.

na direita, o discurso machista é explícito sendo, portanto, muito mais fácil reagir. o adversário se mostra por inteiro, sem disfarces.

na esquerda, o machismo é velado e vem embalado num discurso inclusivo. reações são mais difíceis, pq "como assim minha atitude foi machista?!?!? eu sou de esquerda, estou do seu lado!!!!" e aí vem o golpe. sem q vc pudesse se preparar para ele.

Anônimo disse...

arthur+1 verme
Oi a todos,primeiramente gostaria de ressaltar que apoio a plena igualdade dos generos ,e se não me engano isso é o feminismo... Acho que não dá pra falar que existem características xx e xy,afinal existem bem menos mulheres estimuladas a entrar no exercito,a malhar e a treinar que homens! Eu tenho muitas amigas que me matariam se quisessem! eu tenho 100% de certeza,a mulher não é menos violenta,ela e ensinanda a ser! alguem me indica um blog feminista de direita pra eu passar pruma amiga?

André disse...

Hamanndah,

O que mais mata os homens é doença cardiovascular, como é que o exame de toque influencia nisso? Mesmo as mortes por câncer não são majoritariamente por câncer de próstata.

Luís Eduardo disse...

Então, Cora, vou aproveitar que está tudo mais calmo para voltar ao que eu queria dizer, e esperar que ninguém mude minhas palavras dessa vez. Eu tenho, sim, uma ideia do que a sociedade patriarcal faz, não é uma ideia superficial. Eu teria que tentar te explicar o meu relacionamento com as mulheres que conheço, mas espero que basta essa minha palavra.

Mas, o que quero dizer é bem simples: a "vilanização" tampouco ajuda para resolver tais problemas. Criar vilões ajuda em livros e filmes, dá emoção, mas, na vida real, é um processo falho. E, aqui, fica claro que houve essa certa "vilanização"- notem, em momento algum eu digo que sou um "pobre coitado" por ser homem, tenho consciência das vantagens para a minha carreira profissional que isso traz.

Esse processo de "vilanização" não traz soluções para o problema, ele apenas o diminui e o torna simplório. É algo que vai muito além de "caçar homens machistas", é algo que está presente na maioria das mulheres, também, e que, por pior que nos pareça, eles apenas estão reproduzindo o que aprenderam (logo não são causa do próprio sexismo).


P.S.: por favor, se alguém disser que essa "vilanização" não é praticada por aqui, basta olhar os comentários anteriores, onde vieram com discursos prontos, argumentando contra coisas que eu não disse (como que a mulher é culpada da violência que recebe e que feministas são todas fascistas [?]).

Raphael disse...

Sinceramente, quando leio os comentários desse blog não consigo não sentir vergonha alheia. Como pessoas que dizem lutar contra a igualdade de direitos entre os sexos soltam pérolas como essa: "O comportamento violento do homem que tem que ser estudado e combatido.". Não, isso não é misandria? O que é misandria, então? Ah, claro, atribuir comportamentos selvagens e violentos a um determinado gênero de forma totalmente ANACRÔNICA não é preconceito sexual (sarcasmo).

Eu acho engraçado quando feministas extremistas defendem essa ideia (implicitamente) de que só as mulheres são vitimas do machismo. "Ah, as mulheres são mais vitimas que os homens então só elas merecem a nossa luta."

Antes que alguma de vcs venha me apontar o dedo e taxar de machista por n compactuar com esse monte de baboseira, saibam que eu sou HOMOSSEXUAL e sofro com o machismo DIARIAMENTE, dentro e fora de casa. Simplismente pq não sou oq a sociedade fala q os homens devem ser. E, não, homossexuais masculinos não são mulheres de pênis, são homens como todo e qq homem. Quem fala que não são q é machista e acha que homem que é homem é assim, assim e assado.

Não, os homens não nascem com genes dedicados ao comportamento machista. É a sociedade que ensina que eles devem ser o "machão alfa" sempre, sociedade inclusive composta de MULHERES. Mulheres que muitas vezes são mais machistas que os homens, mulher machista é tão ridícula e anacrônica quanto homem machismo. Conclusão: machismo NÃO É algo exclusivo do gênero masculino e não é algo que prejudica somente o gênero feminino.

Aí vem e fala: "nós somos mais frágeis que vocês". Idaí? Como se n existissem mulheres fazendo trabalho braçal Brasil a fora, como se n existissem mulheres lutando em forças armadas. Elas deixam de ser mulheres por isso? Não, mulher também pode ser valente, mulher também pode ser forte. Quanto aos casos de estupro, é uma questão de segurança pública não importando qual é a maior vítima, se é a mulher ou o homem, deve se lutar contra a violência EM QUALQUER CIRCUNSTÂNCIA.

E pra esclarecer: não é pq o Luís mencionou a violência cometida por mulheres que ele está tentando justificar a violência cometida por homens. ELE NÃO DISSE EM NENHUM MOMENTO ISSO! A violência cometida por homens e mulheres é igualmente ridícula. VIOLÊNCIA NÃO É ALGO EXCLUSIVO DE UM GÊNERO SEXUAL.

Luís Eduardo disse...

*Só com consertando o que eu disse antes "tenho consciência das vantagens que isso me traz, principalmente para a carreira profissional".

Anônimo disse...

Hamanndah disse...

Querido Duda

Os homens são mais assassinados( por outros homens, na maioria) do que as mulheres porque:

1) "Macho não leva desaforo para casa"

2) "Macho que é macho precisa "gastar energia", lutando, embriagando-se, apostando "rachas", disputando com os outros homens quem tem o pinto maior, etc

3) Etc

4) "Eu sou macho, aqui quem grita mais alto que os outros machos sou eu"

5) "Eu sou macho, não faço exame de toque, por isso vivo menos, mimimim, coitado de mim, as meninas vivem mais, vao a um bocado de medico, nojentas,privilegiadas, mimim, só porque não vou a medico, encho a cara, vivo menos, mimimi...injustiça de natureza"

Entendeu, Luisinho?
Bjs
-----------------------------------

Concordo que essas atitudes prejudicam muito os homens, mas não os tratemos como pobres imbecis porque encher a cara, brigar por motivos idiotas e não levar desaforo pra casa estão se tornando características de muitas mulheres, principalmente as menos favorecidas. O funk mesmo é um guia prático de como a mulher pode fazer para se tornar um homem burro.
E eu também acho desagradável usar de deboches com estereótipos pra criticar as atitudes dos homens ou dar explicações; você certamente não gostaria que eu fizesse o mesmo com mulheres falando: "Reclamam de ser tratadas como objetos mas não fazem porra nenhuma, não lêem livros, não se politizam, só sabem comprar roupas, maquiagem e arrumar o cabelo", "Reclamam de depilação, mas quando vêem uma mulher peluda são as primeiras a começar a rir", e o clássico "Querem igualdade mas não boicotam boates que cobram menos para mulheres". Não seria legal, né?

Anônimo disse...

Concordo com quem diz que discursos de esquerda são tão ou mais machistas que os discursos (e práticas) da direita.

Contudo, gostaria de acrescentar que não existe uma esquerda, assim como não existe uma direita. Muitas feministas lutam no campo da esquerda, se valem de partidos e organizações de esquerda para efetivar suas lutas.

Acho que valeria a pena matizar mais essas ideias planas demais a respeito do que é a esquerda. Que tal ser específico, como a Lola foi: qual esquerda? Quem? Onde?

Anônimo disse...

Luís Eduardo disse...

Esse processo de "vilanização" não traz soluções para o problema, ele apenas o diminui e o torna simplório. É algo que vai muito além de "caçar homens machistas", é algo que está presente na maioria das mulheres, também, e que, por pior que nos pareça, eles apenas estão reproduzindo o que aprenderam (logo não são causa do próprio sexismo).
-----------------------------------

É exatamente isso o que eu penso. Fala-se muito aqui de criticar o machismo e não o machista, mas o que se vê muitas vezes é justamente o contrário. Muitos homens e mulheres entram aqui(não estou falando dos trolls habituais)com pouca informação, ingenuamente dizem alguma besteira e logo são insultados como se aqui estivesse lotado de adolescentes idiotas. Acho que se a pessoa tem preguiça de esclarecer a outra é melhor não escrever nenhuma besteira porque isso só leva as pessoas que veem aqui a criar esteriótipos negativos sobre as feministas.

Anônimo disse...

luis eduardo, pode apontar por favor um post da lola que discrimine o sexo masculino? talvez fique mais claro sobre oq vc está falando, se vc exemplificar...

carlos, achei bonitinho vc abrir seu coraçao. acho que é um passo pra sair da lama mascu. outro dia foi o fabinho mingau, a propria raziel (ex mascu), e agora vc.

legal vc perceber q tem serious issues com a sua mae. o problema é vc generalizar e achar q todas as mulheres sao assim, entende? e nao tentar entender PQ a sua mae agiu assim. oq a motivou a ser assim nao foi um discurso feminista de independencia, foi? nao, foi o machismo.

eu tb tive uma relaçao ruim com o meu pai (mas ao contrario do q um de voces disse, isso nao é um pre requisito pra ser feminista, vide a propria lola q amava o paizinho dela) e nao tento julgar todos os homens a partir da minha experiencia.

ja fiz isso sim, antes de me reconhecer feminista. achava q nenhum homem prestava e q nao eram de confiança. agora eu tenho uma relaçao bem melhor com homens. oq nao quer dizer q eu vou ficar cega para o tanto de machismo q ainda existe no brasil, por parte de homens e de mulheres.

Anônimo disse...

"Reclamam de ser tratadas como objetos mas não fazem porra nenhuma, não lêem livros, não se politizam, só sabem comprar roupas, maquiagem e arrumar o cabelo", "Reclamam de depilação, mas quando vêem uma mulher peluda são as primeiras a começar a rir"

pior é que é assim mesmo que mulheres machistas agem. pq foram ensinadas a agir assim. e tudo isso q foi citado q homens machistas fazem tb se explica pela educação ruim q tiveram. temos q mudar essa educação para ambos e apontar o erro de ambos.

só nao acho justo apontar o dedo pra mulher q sofreu violencia e dizer q ela é culpada por ter se relacionado com um homem violento. pq ninguem traz estrela na testa, ninguem inicia um relacionamento esperando q o outro seja violento, mtas mulheres nao sao treinadas para detectar sinais de violencia (pq elas sao ensinadas q esses sinais, como o ciume o excesso de controle, sao preocupaçao, carinho...) até q seja tarde demais.

concordo q evitar o uso de ironias é de bom tom. mas entendo o tom ressabiado das meninas pq a gente tá calejada com mascus q aparecem aqui nos ofendendo. mas vamos evitar sim.

Anônimo disse...

nao, raphael, estupro não é apenas uma questao de segurança publica. a maior parte dos estupros é cometida dentro de casa por alguem de confiança. até quando vamos ter q repetir isso, deus do céu...

e olha q eu acabei de concordar q uma comunicaçao nao-agressiva (sem sarcasmo) é o ideal, mas fica dificil dialogar com alguem q cai de paraquedas aqui nos chamando de misandricas e dizendo q a questao do genero nao importa em casos de estupro.

Anônimo disse...

raphael, eu realmente acho q vc nunca leu esse blog. ninguem aqui jamais sugeriu q gays sao mulheres de penis. e claro que gays sofrem machismo/homofobia, faz tudo parte da mesma noçao rigida sobre papeis de genero. ninguem aqui te nomeou inimigo. nem sugeriu q homens sao GENETICAMENTE violentos. concordamos q boa parte dos homens sao educados para se comportarem de forma violenta, para mostrarem q sao "machos de verdade", para se imporem às mulheres/se defenderem de outros homens. homens tem suas emoçoes sufocadas e quando expressam sentimentos considerados "femininos" sao atacados. nós entendemos tudo isso. entao eu te pergunto: qual é o seu ponto? de onde vc tirou esse argumento de q feminismo é misandria pq ataca todos os homens?

Anônimo disse...

cora, outro dia vi um debate seu num blog de um militante de esquerda, sobre a marcha das vadias. te aplaudi de pé, viu? sujeito super sem noçao dizendo q a luta das mulheres deve se restringir a direitos trabalhistas afff

Anônimo disse...

a mulher tem a sua agressividade reprimida, gente, por isso é menos violenta. primeiro ela aprende a temer os homens (q sao "estupradores em potencial" dispostos a ataca-la se ELA nao se proteger, assumindo uma postura defensiva e neurotica).

depois ela é ensinada q falar alto, impor suas ideias e competir pela liderança sao coisas de homem, q sao coisas "feias" numa mulher, q deve ser feminina, delicada, cordial, conciliadora.

nao que eu ache isso ruim, eu quero um mundo com mais pessoas conciliadoras e cordiais, com menos violencia, mas to explicando pq mulheres nao se atacam fisicamente tanto quanto homens.

ja os casos de cuidadoras de idosos/crianças, é uma situaçao em q a mulher nao é vulneravel. fora q é um trabalho quase q exclusivamente feminino (enfermeiras, auxiliares, babás, empregadas), logo as vitimas estao muito mais expostas a mulheres do q a homens.

eu nao duvido nada q se houvesse mais mulheres bandidas/policiais e mais homens enfermeiros/babás, a violencia comum (nao-domestica) fosse ser distribuida de forma mais "homogenea", com o tempo.

mas esse nao é o mundo q eu quero, eu quero um mundo sem violencia rs

e isso tb nao exclui o fato da MAIORIA das mulheres ser morta pelo companheiro (ou ex) e nao por um estranho nas ruas, enquanto a MAIORIA dos homens é morto nas ruas, e nao por sua companheira (ou ex). nao existe simetria nesse caso, essa diferença se justifica pelo machismo mesmo.

Anônimo disse...

quanto ao papo de homem: é machista e será machista enquanto assumir a postura de que "dá espaço a diferentes visoes de vida, tanto para o feminismo, quanto para o machismo", como se MACHISMO fosse uma simples "visao de vida", equiparavel a outros gostos, preferencias e hobbies.

troque MACHISMO por RACISMO e veja eles se borrando com medo de processo criminal. pronto. entao pq diabos publicar algo MACHISTA seria ok?

mas eles publicam sim bons textos. e o nome, apesar de ter uma premissa nao condizente com o feminismo (para nós nao existe papo de homem e de mulher), eu acho q é uma ferramenta util até, uma forma de atrair desavisados q querem explorar sua masculinidade. se o pdh ajuda-los a serem menos machistas, ja serviu pra alguma coisa. só acho absurdo pessoas feministas repassarem os textos de la entre si, como se nao repetissem tudo oq a gente ja ta careca de saber. só uso links do papo de homem para homens q eu sei q sao machistas e q jamais leriam um blog feminista

Luís Eduardo disse...

E vamos lá outra vez com alguém que pareceu não ler tudo que eu escrevi:

"luis eduardo, pode apontar por favor um post da lola que discrimine o sexo masculino? talvez fique mais claro sobre oq vc está falando, se vc exemplificar..."

Em nenhum momento eu disse que a Lola escreveu algo assim (mesmo que ela ponha esse discurso de "nós contra eles" que não gosto, ela não faz depoimentos misândricos). Agora, pegue os comentários, esses sim, há vários "discursos de ódio" (aprendi a palavra por aqui), pessoas tão sexistas quanto aqueles de quem estão reclamando.

Luís Eduardo disse...

Só continuando, quanto a Lola, mesmo não concordando com muita coisa que ela diz, devo agradecer. Ela permite os meus comentários, está aberta a discussão e a permitir a entrada de opiniões divergentes, devo-lhe agradecer por isso.

Raphael disse...

Anônimo, eu não estou falando do blog em específico, estou falando dos comentários dos leitores. Caso tenha lido alguns comentários acima do meu verá coisas como: "O comportamento violento do homem que deve ser estudado e combatido.". Bem, se isso não falar que o comportamento é genético eu não sei oq é. Sem falar dos estereótipos...

Eu deixei tive que fazer essas considerações sobre a homossexualidade pq em uma discussão com feministas extremistas uma vez se referiram a mim como se eu n fosse um homem normal só por causa da minha sexualidade e queria evitar esse tipo de equívoco em futuros comentários que tentassem me refutar.

No mais não estou condenando a conduta "feminista", estou condenando o extremismo. O tanto que tem de extremista por aqui não é brincadeira não...

Luís Eduardo disse...

Só uma última errata, não foi "(aprendi a palavra por aqui)", mas "(aprendi a expressão por aqui)".

Anônimo disse...

"O comportamento violento do homem que deve ser estudado e combatido.". Bem, se isso não falar que o comportamento é genético eu não sei oq é. Sem falar dos estereótipos...

nao vi nenhum determinismo biologico aqui. comportamento nao quer dizer que seja genetico. e deve ser sim estudado, da mesma forma que o feminismo se empenha em estudar o comportamento feminino ha decadas. devemos ampliar nosso campo de estudos para abordar a masculinidade tambem, ja q homens tb sao vitimas do machismo (ainda que detenham privilegios em razao disso: o privilegio de nao ter medo de ser estuprado, por exemplo). e oq deve ser combatido é o machismo contido nesse conceito de masculinidade hetero tao difundido, nao os homens.

a lola combate o machismo feminino dando o exemplo, mostrando oq é preciso para ser uma mulher em paz consigo mesma, forte, decidida, independente. ensinando a nao julgar as pessoas, nao atacar outras mulheres (algo q nós somos incentivadas a fazer, numa educaçao machista), a nao esperar o pior dos homens (como eu disse ali em cima: eu pensava O PIOR sobre os homens ANTES de conhecer o feminismo, e essa minha visao MELHOROU), a nao sermos racistas, homofobicas, gordofobicas, etc. e ela combate o machismo masculino ao mostrar todos os casos de relaçoes abusivas, de desrepeito generalizado na midia e tudo mais. isso nao é misandria, sao fatos.

e sobre os comentarios: nem todo mundo q comenta aqui é feminista, estuda feminismo ou está nessa onda ha muito tempo. tem meninas que chegam aqui bem equivocadas e vao quebrando esteriotipos aos poucos. se alguem diz q um gay nao é um homem, essa pessoa é machista, nao uma "feminista extremista".

oq pode acontecer (e acontece mesmo, eu tb faço isso sem querer) é usar a palavra homem/mulher num contexto hetero, pq a sociedade é heteronormativa. ha gays machistas, ha mulheres homofobicas, ha homens q nao sao machistas, ha relacionamentos q nao sao abusivos, enfim, nao existe essa separaçao homensXmulheres tao simples assim...

Felipe Barreto disse...

“só nao acho justo apontar o dedo pra mulher q sofreu violencia e dizer q ela é culpada por ter se relacionado com um homem violento. pq ninguem traz estrela na testa, ninguem inicia um relacionamento esperando q o outro seja violento, mtas mulheres nao sao treinadas para detectar sinais de violencia (pq elas sao ensinadas q esses sinais, como o ciume o excesso de controle, sao preocupaçao, carinho...) até q seja tarde demais.”

Eu acho que não devemos descartar essa possibilidade, e acredito que ela, de fato, existe. Se você, por exemplo, observar como funciona a dinâmica das relações sexuais entre homens jovens e mulheres jovens, é muito comum o cara que é tido como o valentão da escola, do bairro, etc, ser desejado por muitas garotas. Já o cara tímido, nerd, sem “pegada”, pacífico, é preterido.

Nas escolas, isso chega a ser algo bastante freqüente. Nas baladas, também. Quando eu frequentava baladas, sempre tinha um grupo de homens que brigava em todas as festas e baladas que eles iam. Eu os via em baladas diferentes, e sempre lembrava que eles já tinham brigado em outras festas.

E, sempre estavam acompanhados de suas namoradas, que sempre souberam que eles eram valentões, brigões, mas ainda assim continuavam com eles.

Se uma mulher percebe que um homem é brigão, valentão, e ainda assim o deseja, ou inicia um namoro com ele, ela está sendo, no mínimo, conivente com a possibilidade de ser vítima de agressões futuramente, por parte dele.

Ainda temos os exemplos das visitas íntimas nas cadeias, que lotam de mulheres. Criminosos assassinos extremamente violentos, recebendo cartas de amor de mulheres, e assim por diante.

"Reclamam de ser tratadas como objetos mas não fazem porra nenhuma, não lêem livros, não se politizam, só sabem comprar roupas, maquiagem e arrumar o cabelo", "Reclamam de depilação, mas quando vêem uma mulher peluda são as primeiras a começar a rir", e o clássico "Querem igualdade mas não boicotam boates que cobram menos para mulheres". Não seria legal, né?"

Isso poderia se aplicar, perfeitamente, a muitos homens modernos. Não leem, não se politizam, só pensam em sexo, mulheres, musculação, carros, futebol, UFC, e outras insignificâncias.

Sobre a leitura, em particular, o que eu venho percebendo é que, no Brasil, as mulheres leem muito mais que os homens. Isso é muito fácil de se constatar. É só passear pelas redes sociais, ou pelos diversos blogs na internet, e ler os comentários feitos pelos homens, e os feitos pelas mulheres. Geralmente, elas escrevem muito melhor, não cometem erros gramaticais grotescos, e possuem mais vocabulário.

E esse argumento de se atacar as mulheres porque os donos das baladas resolveram, para aumentar os seus próprios lucros, permitir a entrada delas por um preço menor ou gratuitamente, é algo bastante estúpido.

Raphael disse...

Querido anônimo, eu não sei se percebeu, mas eu NÃO ESTOU criticando o blog da Lola nem o feminismo. Estou criticando os comentários misândricos dos leitores e o feminismo EXTREMISTA. Sabe oq é extremismo?

Eu não sei se falo outro idioma, se tenho algum problema sério de comunicação ou se é vc que não me entende mesmo. Devo ser um feminista-hater só pq não concordo com certas ideias extremistas e pq me incomodei com os comentários de alguns outros leitores. Preciso de tratamento né? Me desculpe por cair de paraquedas num blog no qual ando lendo já faz algum tempo e por achar que entendo alguma coisa de feminismo... ^^

Enfim, qual o próximo candidato a me distorcer?

Luís Eduardo disse...

Sobre a leitura, em particular, o que eu venho percebendo é que, no "Brasil, as mulheres leem muito mais que os homens. Isso é muito fácil de se constatar. É só passear pelas redes sociais, ou pelos diversos blogs na internet, e ler os comentários feitos pelos homens, e os feitos pelas mulheres. Geralmente, elas escrevem muito melhor, não cometem erros gramaticais grotescos, e possuem mais vocabulário."

Sabe, Felipe, é isso que eu falo. Felizmente você escreveu "geralmente", mas isso é um tanto equivocado. Ser mulher ou homem não muda tanto, antes somos indivíduos, e, assim, alguns tem melhor habilidade com palavras que outros. Se você falou disso dos comentários, com certeza não entrou em blogs de fãs de Restart e Crepúsculo, assim como não entrou em blogs de cinema e música underground.

Enfim, o gênero não importa, teremos uma divisão parecida de gente "escrevendo bem" e gente "escrevendo mal". Só para citar, nesse post, mesmo, nos comentários, nós tivemos comentários unilaterais e com falta de argumentos e tivemos o contrário- por falta de uma divisão igualitária entre os sexos, a maioria dos comentários "descartáveis" veio de mulheres, mas isso não indica uma inferioridade nas mulheres (longe), mas que mais mulheres postam aqui (quanto mais mulheres postam, mas chaces de haver alguma com argumentos frágeis há, o mesmo seria o inverso).

Anônimo disse...

"Reclamam de ser tratadas como objetos mas não fazem porra nenhuma, não lêem livros, não se politizam, só sabem comprar roupas, maquiagem e arrumar o cabelo", "Reclamam de depilação, mas quando vêem uma mulher peluda são as primeiras a começar a rir", e o clássico "Querem igualdade mas não boicotam boates que cobram menos para mulheres". Não seria legal, né?"

Isso poderia se aplicar, perfeitamente, a muitos homens modernos. Não leem, não se politizam, só pensam em sexo, mulheres, musculação, carros, futebol, UFC, e outras insignificâncias.

Sobre a leitura, em particular, o que eu venho percebendo é que, no Brasil, as mulheres leem muito mais que os homens. Isso é muito fácil de se constatar. É só passear pelas redes sociais, ou pelos diversos blogs na internet, e ler os comentários feitos pelos homens, e os feitos pelas mulheres. Geralmente, elas escrevem muito melhor, não cometem erros gramaticais grotescos, e possuem mais vocabulário.

E esse argumento de se atacar as mulheres porque os donos das baladas resolveram, para aumentar os seus próprios lucros, permitir a entrada delas por um preço menor ou gratuitamente, é algo bastante estúpido.
-----------------------------------
Você não entendeu. Eu estava fazendo uma crítica ao fato de terem usado estereótipos ridículos para criticar os homens e usei outros estereótipos ridículos para criticar essa mesma crítica.

Anônimo disse...

Se você, por exemplo, observar como funciona a dinâmica das relações sexuais entre homens jovens e mulheres jovens, é muito comum o cara que é tido como o valentão da escola, do bairro, etc, ser desejado por muitas garotas. Já o cara tímido, nerd, sem “pegada”, pacífico, é preterido.

discordo. totalmente. isso é coisa de mascu, que divide homens entre alfas e betas. mulher gosta de quem trata ela bem. claro q isso varia de uma para outra, algumas tem complexo de princesa e gostam de paparicos e declarações, outras se contentam com um pouco de atenção, outras gostam de quem as trata com respeito. eu sempre odiei homem brigão.

Anônimo disse...

Se uma mulher percebe que um homem é brigão, valentão, e ainda assim o deseja, ou inicia um namoro com ele, ela está sendo, no mínimo, conivente com a possibilidade de ser vítima de agressões futuramente, por parte dele.

talvez (estou chutando) oq leve essas mulheres a sair com esses homens é a ilusão de que estarão protegidas. num momento de conquista, muitas vezes eles não se apresentam de forma ameaçadora, mas galanteadora. e se relacionar com alguém agressivo não é assumir o risco de que essa agressão irá se virar contra você.

há sim casos em que esses valentões (covardões, melhor dizendo) resolvem pegar as mulheres à força pelo braço, você tem uma certa razão... se há mulher educadas pra achar que isso é ter pegada, só lamento por elas, mas não acho que seja a maioria. todas as mulheres que eu conheço, que não são feministas, odeiam esse tipo de abordagem.

Anônimo disse...

raphael, eu entendi e respondi educadamente. você tá numa vibe meio revoltada, então encerro aqui a tentativa de conversa. abraços

Anônimo disse...

Anônimo disse...

Se você, por exemplo, observar como funciona a dinâmica das relações sexuais entre homens jovens e mulheres jovens, é muito comum o cara que é tido como o valentão da escola, do bairro, etc, ser desejado por muitas garotas. Já o cara tímido, nerd, sem “pegada”, pacífico, é preterido.

discordo. totalmente. isso é coisa de mascu, que divide homens entre alfas e betas. mulher gosta de quem trata ela bem. claro q isso varia de uma para outra, algumas tem complexo de princesa e gostam de paparicos e declarações, outras se contentam com um pouco de atenção, outras gostam de quem as trata com respeito. eu sempre odiei homem brigão.
-----------------------------------

Não discordo do que o Felipe falou. Isso pode até muito bem ser tido como um dos sintomas do machismo nas mulheres. Ou vai dizer que o que ele falou é mentira?

Anônimo disse...

Ou vai dizer que o que ele falou é mentira?

eu achei que tivesse dito claramente que eu discordo e não enxergo o mundo dessa forma. as pessoas não se dividem em duas classes, há milhares de nuances.

Anônimo disse...

po, lolinha, deixa os comentarios abertos no fim de semana, fica mais facil de conversar aqui em tempo real rs

Anônimo disse...

Luíz Eduardo só ta dando uma de butthurt porque pela primeira vez na vida os assuntos em algum lugar não giram em torno dos pintos sagrados dos homens.

Felipe Barreto disse...

Luís Eduardo,

"Sabe, Felipe, é isso que eu falo. Felizmente você escreveu "geralmente", mas isso é um tanto equivocado. Ser mulher ou homem não muda tanto, antes somos indivíduos, e, assim, alguns tem melhor habilidade com palavras que outros. Se você falou disso dos comentários, com certeza não entrou em blogs de fãs de Restart e Crepúsculo, assim como não entrou em blogs de cinema e música underground."

As pessoas que possuem maior capacidade de se expressar e de argumentar, a esmagadora maioria delas, são leitoras habituais. E as que não conseguem se expressar de forma minimamente satisfatória, geralmente não lêem com freqüência.

Você cita a saga Crepúsculo, mas, ao que parece, se esquece que ela é composta por três livros :)

Não estou querendo dizer que não existam mulheres fúteis, existem sim, e muitas. Mas, a futilidade das mulheres, não raramente, não as afasta da leitura; já a futilidade do homem, geralmente, sim.

As mulheres fúteis lêem livros, revistas, periódicos, horóscopo, revistas de fofoca, blogs de moda, dentre outros. Ou seja, apesar de se interessarem por futilidades, elas lêem. Elas lêem os textos sobre moda, lêem as revistas de fofocas, lêem os livros de romances sobre vampiros, lêem o horóscopo, e lêem outras formas de literatura.

Já os homens fúteis, dificilmente encontram satisfação para a sua futilidade em algum tipo de literatura que possa ser apreciada de forma regular.

Por isso, as mulheres fúteis ainda conseguem se expressar melhor que os homens fúteis.

"Enfim, o gênero não importa, teremos uma divisão parecida de gente "escrevendo bem" e gente "escrevendo mal". Só para citar, nesse post, mesmo, nos comentários, nós tivemos comentários unilaterais e com falta de argumentos e tivemos o contrário- por falta de uma divisão igualitária entre os sexos, a maioria dos comentários "descartáveis" veio de mulheres, mas isso não indica uma inferioridade nas mulheres (longe), mas que mais mulheres postam aqui (quanto mais mulheres postam, mas chaces de haver alguma com argumentos frágeis há, o mesmo seria o inverso)."

Eu não estou dizendo que um gênero escreve melhor que o outro. Estou dizendo que, em geral, as mulheres escrevem melhor que os homens, porque leem mais que eles.

E sobre os erros gramaticais que eu citei, me referi a blogs e espaços onde a participação masculina é tão freqüente quanto a feminina, como no Youtube, no site da Globo, no Facebook, dentre outros.

Anônimo disse...

O Pasquim não foi um jornal de esquerda. Pare de jogar tudo que é contra-cultura para "anti-direitismo".

Raphael disse...

Felipe,

Bem, são 4 livros...

E não sei oq isso tem a ver com a pauta da discussão oO.

E de novo com essas generalizações. "Homem é assim...", "mulher é assado...". E se for? Te garanto que não é pelo fato de ser homem ou de ser mulher...

"Eu não estou dizendo que um gênero escreve melhor que o outro. Estou dizendo que, em geral, as mulheres escrevem melhor que os homens, porque leem mais que eles. "

Generalizações, generalizações... generalizações... blábláblá, generalizações...

Cora disse...



luís eduardo,

“Mas, o que quero dizer é bem simples: a "vilanização" tampouco ajuda para resolver tais problemas.”

o q as pessoas estão te dizendo aqui tb é bem simples, luís.

tentarei clarificar mais ainda:

as mulheres são vilanizadas há milênios!! segundo as tradições misóginas, mulheres são responsáveis por td de ruim q existe no mundo. o patriarcado fez surgir um “tipo” de mulher q não merece ser respeitada como indivíduo e q poderia ser alvo de td tipo de violência sem q se considerasse isso errado. q mulher é essa? td aquela q não está acompanhada de um homem. td aquela q não tem o comportamento exigido pela sociedade da mulher q “se dá o respeito”.

até hj é assim. melhoramos? muito!! mas infelizmente, até hj é assim.

uma mulher não é respeitada como um individuo autônomo. dependendo da avaliação q se faça dela, baseada em estereótipos e preconceitos, a violência contra ela (verbal ou física) se justifica.

perceba q eu disse sociedade. homens e mulheres e instituições.

mulheres podem ser tb machistas. muitas, mas muitas mesmo, tb o são. tem comportamentos machistas e, muitas vezes, são tão implacáveis qto os homens machistas no julgamento de outra mulher. pq é o machismo q é implacável na condenação do feminino.

é tão fácil conhecer mulheres machistas, qto é fácil conhecer homens machistas.

mulheres machistas chocam. pq? pq o machismo inferioriza e estar diante de uma mulher q não percebe ou pior, compactua com a sua inferiorização, é sempre chocante.

não há vilanização nenhuma DOS homens, mas de suas atitudes q são expressões de machismo. o q há é a vilanização de uma tradição q inferioriza e desumaniza mulheres. vilanizamos comportamentos e estereótipos.

vc se ofende, pq os homens, apesar de tb sofrerem as imposições patriarcais/machistas dos estereótipos de gênero, não são desumanizados por elas. e, pra vc, é difícil ter a visão a partir de outra perspectiva.

por isso vc não compreende as falas femininas contra a violência de gênero. vc não reconhece a violência de gênero como um tipo muito particular de violência. por isso essas falas te ofendem e vc sente necessidade de lembrar q mulheres são tb violentas. somos tb. como td ser humano, somos capazes de violência. td briga de casal contém violência de gênero? não. mas, se o homem se acha no direito de exigir da companheira comportamentos q não são passíveis de serem exigidos dele, a violência é de gênero. a violência simbólica inclusive. não é necessário q se tenha chegado até o nível da agressão física. mas, acreditar q uma mulher mereça uma punição moral ou física por um comportamento q não é igualmente penalizado qdo exibido por um homem, é violência de gênero.

entende o q eu tô falando? estamos fazendo um recorte aqui, pq não falamos de td tipo de violência. falamos de uma violência bastante específica.

ninguém diz q vc, homem, deve se dar o respeito, a menos q vc tenha qq comportamento q esta tradição reconheça como tipicamente feminino. é o feminino q será penalizado, não vc enqto homem, mas a referência a um “papel feminino” q foi percebido em vc.

o feminismo faz essa crítica. uma crítica a uma tradição q vilaniza o feminino e q só o reconhece como legítimo qdo subordinado ao masculino.

a crítica não é à vc ou aos homens. mas a esta tradição. a esta cultura. a esta mentalidade.

mulheres são agressivas ao comentar? sim, muitas vezes sim. e precisam ser. é importante q vcs percebam e se incomodem com a agressividade. talvez assim percebam o qto são agressivos cotidianamente, mesmo q estejam apenas fazendo piadinhas inocentes na pausa para o cafezinho lá no escritório só para constranger a “vadia” do rh q não te deu bola. talvez assim percebam a agressividade simbólica e sutil de propagandas e reportagens.

talvez levando alguns coices, comecem a enxergar os coices q dão. afinal, não são apenas os coices q levamos q doem. os q damos são igualmente dolorosos. e os q damos respaldados pelas tradições misóginas e por escritos religiosos, talvez firam muito mais fundo.


Luís Eduardo disse...

"Anônimo disse...
Luíz Eduardo só ta dando uma de butthurt porque pela primeira vez na vida os assuntos em algum lugar não giram em torno dos pintos sagrados dos homens."

Ahm? Por favor, diga-me que é troll. Ao mais, o meu nome é com "s" e acento agudo no "i". Se for com "z", o acento no "i" se torna desnecessário.

Mas, então, eu não querendo dar uma de "butthurt" e não estou num lugar onde, pela primeira vez, tudo não gira em torno do "meu sagrado pinto". Poxa, desculpa, estou tentando me controlar aqui, mas estou realmente desejando que seja troll. Poderia explicar bastante sobre minha vida, incluindo a "interferência feminina" nela (sempre fui criado por mulheres e em rodas femininas). Mas acho isso inútil, só pedir para você olhar a sua visão mesquinha e diminutiva nesse comentário já é o bastante. É desse antagonismo que eu estou dizendo que não precisa, que atrapalha, que é, de fato, idiota.

Se alguém continua achando que não existe esse "antagonismo", olhem todos os comentários desde o meu primeiro. Nesse momento olhem com olhos imparciais (nem feministas e nem machistas) e me diga quantas vezes eu deixei comentários sexistas e ofensivos como esse que cito ("pela primeira vez na vida os assuntos em algum lugar não giram em torno dos pintos sagrados dos homens").

Só para reforçar um pouco, a questão não é se a sociedade é homofóbica ou não, misógina ou não. A questão é, com comentários e pensamentos tão preconceituosos como esse que citei, não temos uma "sociedade melhor".
_________________

"As pessoas que possuem maior capacidade de se expressar e de argumentar, a esmagadora maioria delas, são leitoras habituais. E as que não conseguem se expressar de forma minimamente satisfatória, geralmente não lêem com freqüência.

Você cita a saga Crepúsculo, mas, ao que parece, se esquece que ela é composta por três livros"

Então, Felipe, isso é até uma incógnita. Não que muita das fãs tenham lido o livro, mas não sou pregador dessa teoria que "toda leitura é boa", querer por a linguagem escrita acima das outras não é algo que vejo necessário. E, falando em "escrever bem", a ideia seria "ler bem". E ficar argumentando quem lê mais ou quem lê menos (ou "lê melhor", "lê pior") é sem sentido não tendo números confiáveis.

Luís Eduardo disse...

Só uma errata do que parece que ficou meio confuso. O que eu quis dizer, grande parte da minha família é de mulheres (por algum motivo desconhecido, quase ninguém que nasce nela tem o cromossomo y). As rodas de mulheres que falei são as rodas de amigos, nunca frequentei rodas de amigos unissex, não entendo toda essa acusação de "peniscentralização" contra mim (muita coisa não entendo, cresci num modelo bem igualitário de gêneros).

Anônimo disse...

"não há vilanização nenhuma DOS homens, mas de suas atitudes q são expressões de machismo. o q há é a vilanização de uma tradição q inferioriza e desumaniza mulheres. vilanizamos comportamentos e estereótipos.

vc se ofende, pq os homens, apesar de tb sofrerem as imposições patriarcais/machistas dos estereótipos de gênero, não são desumanizados por elas. e, pra vc, é difícil ter a visão a partir de outra perspectiva."


arrasou, cora <3

luis, entendo o seu ponto. imagino que voce realmente nao enxergue oq a cora está falando pq cresceu e vive num ambiente menos machista, e nao coaduna com pensamentos machistas. que bom, de verdade. mas recomendo q vc leia esse texto: http://ativismodesofa.blogspot.com.br/2012/07/birra-da-excecao.html sem se ofender, desarmado.

Luís Eduardo disse...

"por isso vc não compreende as falas femininas contra a violência de gênero. vc não reconhece a violência de gênero como um tipo muito particular de violência. por isso essas falas te ofendem e vc sente necessidade de lembrar q mulheres são tb violentas."

Errado, compreendo. Sou daqueles que muda o canal da TV quando vê comercial de cerveja e reprova comentários. Lembro-me de quando fui ler "Dona Flor e seus Dois Maridos", fiquei um tanto horrorizado com o jeito que se fala que Dona Flor apanhava durante as bebedeiras do marido (e continuava o amando) como se fosse algo normal. Você pode continuar aí falando que eu não sei "o que as mulheres sofrem por ser homem", sim, eu sei, ser homem, mesmo que não me faça vítima direta, não me faz cego. Agora, usar isso como desculpa para comentários igualmente ofensivos e sexista (não os seus, ainda que venham com um toque de revolta). Entendeu? Eu não sou preterido pela sociedade, não gosto desse subjugamento de mulheres, mas, ver alguém fazendo comentários igualmente sexistas, NÃO.

Talvez eu seja passivo de mais, não entenda qual é a real ideia de uma "luta civil" (e não me falta motivos, sou ateu, nordestino e negro- miscigenado? Não gosto de me definir apenas como uma etnia), mas ainda vejo que a mera percepção de igualdade entre sexos, sem "coices" mútuos (ou em algum momento eu dei um "coice" no gênero feminino? Ou, msm, dou durante o dia-a-dia).

Cora disse...



anon 11:59,

pois, é.

e ele sequer tentou entender meu ponto de vista, ou melhor, o ponto de vista das mulheres na marcha. pra mim o sentido do q elas fizeram estava tão claro, q não me conformei de um crítico ao sistema não conseguir entendê-lo.

a gente discorda nesta questão até hj (em outras tb, mas esta creio ser inconciliável).


.
.


Anon 11:11,

vc tem razão. fui simplória ao dizer simplesmente direita e esquerda. quis apenas sinalizar um antagonismo apelando pro senso comum mesmo, sem me aprofundar muito nos matizes ideológicos tanto da “direita” qto da “esquerda”, o q, obviamente, não desculpa minha preguiça, ao contrário, apenas a revela.

saiba inclusive, q este tipo de simplificação me incomodava muito qdo eu participava de um fórum de política geral.


Luís Eduardo disse...

Só mais um:

"é importante q vcs percebam e se incomodem com a agressividade. talvez assim percebam o qto são agressivos cotidianamente, mesmo q estejam apenas fazendo piadinhas inocentes na pausa para o cafezinho lá no escritório só para constranger a “vadia” do rh q não te deu bola."

Oi? Lei de Cosmos e Damião? É isso que você está querendo dizer, "olho por olho, dente por dente", isso não leva ninguém a lugar nenhum. Além duma horrível generalização, afinal, todos os homens, mesmo aqueles que não fazem nada, devem levar "coices" pelo seu gênero? Leia o que você está falando, não é luta por direitos iguais, é "guerrinha", isso apenas te torna tão porca e suja quanto eles.

Luís Eduardo disse...

"anon 11:59,

pois, é.

e ele sequer tentou entender meu ponto de vista, ou melhor, o ponto de vista das mulheres na marcha. pra mim o sentido do q elas fizeram estava tão claro, q não me conformei de um crítico ao sistema não conseguir entendê-lo."

E é isso que eu não acredito. Não acredito que você esteja mesmo lendo o que eu estou escrevendo. Esse anônimo apenas disse o que eu tenho falado aqui, com mais ênfase ao claro fato de mais mulheres morrerem pro causa de seus companheiros que mulheres (nunca neguei que mais mulheres morrem assim), mas o post dele trouxe essa "igualdade" que eu falei. Mas mulheres praticam violência doméstica porque a elas é designado os trabalhos em casa, não é nenhuma tendência feminina para tal, do mesmo jeito a violência praticada por homens. Será que chegamos a um consenso? Agora você entende tudo que eu estava dizendo ou prefere concordar com isso pelas palavras de um anônimo?

Cora disse...


ah! luís...

por favor!!!

vc ainda não tem ideia do q seja ser hostilizado de forma sexista num debate.

não estou desejando isso pra vc, ok?

só estou dizendo q, se as falas aqui estão te incomodando tanto assim, não sei o q vc faria num debate em q nem mesmo o tema está relacionado à gênero. vc se trancaria em casa e nunca mais acessaria nenhum fórum virtual!

vc não tem ideia de qto a "nossa casca" tem q ser dura pra participar de debates virtuais (não só, mas especialmente virtuais).


Anônimo disse...

Lei de Cosmos e Damião? É isso que você está querendo dizer, "olho por olho, dente por dente"

é lei de talião, luis rs

Anônimo disse...

só para dirimir mal entendidos: a anonima de 11:59 sou eu e a cora esta falando de um post criticando a marcha das vadias, em outro blog, em q por acaso eu reconheci o avatar dela (adoro encontrar leitores da lola em outros blogs rs).

Mariana disse...

Luís Eduardo,vou tentar falar bem calmamente porque sinceramente você parece que se faz de sonso.
A questão é que você veio até aqui com uma arrogância querendo se fazer de coitado e sutilmente colocar a culpa nas mulheres,mesmo que você não perceba isso *ainda que eu ache que você fez de propósito*
Você disse que as mulheres são as maiores incitadoras/culpadas pela violência doméstica e colocou o caso de maltratar idosos (as) e espancar crianças.
Existem mulheres violentas,mulheres mentirosas,fúteis e mesquinhas.
A questão é que você veio todo cheio de si querendo colocar os homens como coitados e novamente as mulheres como vilãs.(Agradecimentos especiais ao patriarcado que sozinho durante muitos séculos já fez isso muito bem)
Agora me responda,a maioria dos casos de estupro e pedofilia são praticados por quem mesmo?
Ah foi o que eu pensei!
Meu padrasto era um desses tais "homens de bem" até que um dia ele resolveu me amarrar na cama e abusar de mim e ainda me ameaçou dizendo que se eu conta-se pra alguém ele arrancaria todos os meus dedos.Com 15 anos consegui um emprego e saí de casa,porque eu não suportava mais olhar pra cara daquele porco imundo.
Nesse lugar onde eu trabalhei conheci mais duas moças que foram abusadas sexualmente,uma pelo tio e outra pelo namorado e assim como eu tiveram que permanecer em silêncio durante muito tempo porque adivinha só? Estupradores raramente vão presos e sempre o peso do crime recaí sobre a vítima.
Homens são sim criados pra serem mais violentos,nunca levarem desaforo pra casa e serem sempre congratulados quando "descem a porrada em alguém".
Você não tem idéia do que significa ser mulher em uma sociedade extremamente patriarcal,aliás deixe-me te iluminar um pouco sobre:
Significa ser validada apenas pela sua beleza,desacreditada quando usa o MESMO argumento que um homem,os feitos de uma mulher são "coisa de mulherzinha",os feitos de um homem são história,o estupro é SEMPRE culpa da vadia que provocou.
Então sinto muito mas enquanto você for um babaca auto centrado e arrogante sua opinião vale menos que merda.

Raphael disse...

Cora,

Machismo não é algo proveniente do sexo masculino. Discordo totalmente de seu pensamento. Eu, sou homem, homossexual e sei muito bem oq é ser desumanizado por não seguir um padrão social IMPOSTO pela dita sociedade patriarcal.

E não sou o único homem, heterossexuais que tem são alvos de deboches e humilhações por não saírem "passando a vara em todo mundo". Tenho vários amigos que são assim, uma garota qq vem dar em cima deles e se eles n aceitam são taxados de "viados". "Que isso pô? Mete a rol# e já era" é oq dizem. Ou então duvidam da sexualidade dele por ser "bonzinho" demais.

Homens que são motivo de chacota por demonstrarem afeto para com seus amigos homens...

Oq me diz de um homem que deseje ser dono de casa? É capaz do coitado morrer solteiro, quem vai querer um marido "vagabundo" não é?

Os homens n tem liberdade para escolher oq querem ser nessa sociedade machista assim como as mulheres. Atribuem a cada um, um "papel".

A sociedade machista impõe que o homem sempre tem que ser o "macho alfa". E se ele não quiser ser isso? Não são os HOMENS, é a sociedade como um todo, incluindo as mulheres. Um homem que não seque esses padrões de conduta impostos é julgado de forma negativa também pelas mulheres.

Quantas vezes vi comentários desdenhosos de mulheres da minha família por eu não ser heterossexual? Comentários de MULHERES.

E é claro que sentimos necessidade de lembrar: "Muitas MULHERES também são VIOLENTAS" porque queremos mostrar que não é o gênero que define isso. Elas não são violentas por serem mulheres assim como os homens violentos não são violentos por serem homens. ENTENDEU?

Na minha concepção, o pensamento machista não inferioriza apenas as mulheres, mas cria um conceito de q os homens devem ser como bestas sexuais anencéfalas. Ser homem é agir assim? Não, ser homem é ter nascido com o cromossomo Y e com a identidade de gênero masculina PONTO. Não importa se é submisso ou dominante, heterossexual ou gay.

Só vc não percebe o teor sexista de seus comentários. "Ah, vcs homens não percebem oq nós sofremos quando agimos assim, assado, ou quando nos constrangem.". Está falando de que homem? Todo homem é assim? "Ah, mas a maioria dos homens é machista". Idaí? A maioria das mulheres TAMBÉM. Não são os homens que são machistas, a sociedade é, ou seja, a maioria dos homens e mulheres compactuam com isso.

Esse blábláblá: "Ah, vcs homens são assim, assim e assado por isso n nos entendem" é completamente MISÂNDRICO E SEXISTA. Não são só as mulheres que sofrem com o machismo.

Raphael disse...

"é importante q vcs percebam e se incomodem com a agressividade. talvez assim percebam o qto são agressivos cotidianamente, mesmo q estejam apenas fazendo piadinhas inocentes na pausa para o cafezinho lá no escritório só para constranger a “vadia” do rh q não te deu bola."

Olha a generalização aí gente... Vamos se referir a pessoa pelo nome não pelo gênero que, tal? ^^. Chega de "vocês aí homens fazem isso ou fazem aquilo...". Quem disse q todo homem é assim e que todo homem compactua com isso? Eu sou homossexual, mas se fosse hetero não adotaria esse tipo de conduta jamais, continuo sendo homem não? Ou eu sou um caso à parte? Se pra vc eu não sou homem vc que é sexista, não concorda?

Eu conheço o Luís Eduardo, somos amigos, e ele não é do tipo de homem que faz essas coisas logo tudo que vc falou não serve pra ele. E ele não é o único homem que eu conheço que pensa assim. Grande parte dos meus amigos homens heterossexuais também são assim. Chega até ser neurótico da sua parte acreditar que o machismo nada mais é doq a perseguição dos homens às mulheres. NÃO É.

Quando uma mulher é estuprada e está com roupas mais "à vontade" não são só os homens machistas que a chamam de "vádia" as mulheres também. A minha mãe já soltou comentários do tipo e eu nem considero ela tão machista assim, mas é.

Quando um homem não é o "machão alfa" não são só os homens que humilham ele, as mulheres também. MACHISMO NÃO É ALGO DE UM GÊNERO ESPECÍFICO.

Anônimo disse...

pois é. é uma delícia estar falando sobre política, economia, esporte, games, filmes, qualquer coisa, e DO NADA tomar na testa um: "cala boca, vadia", "volta pra cozinha", "gorda", "mal comida", "baranga", "lesbica", "fake gamer", "att whore", "histerica". ISSO é um ataque sexista, não é oq tá rolando aqui ~contra homens~

Luís Eduardo disse...

Cora, eu entendo, eu tenho amigas que já passaram por isso, mas a questão é, como alguém que quer uma igualdade sexual pode postar coisas como essas daqui:

"Luíz Eduardo só ta dando uma de butthurt porque pela primeira vez na vida os assuntos em algum lugar não giram em torno dos pintos sagrados dos homens."

"O comportamento violento do homem que deve ser estudado e combatido."

"Querido Duda

Os homens são mais assassinados( por outros homens, na maioria) do que as mulheres porque:

1) "Macho não leva desaforo para casa"

2) "Macho que é macho precisa "gastar energia", lutando, embriagando-se, apostando "rachas", disputando com os outros homens quem tem o pinto maior, etc

3) Etc [...]"

"Seu canalha mentiroso dos INFERNOS mulheres são as maiores vítimas de violência doméstica,todos os dias existem centenas de casos no mundo inteiro de mulheres que apanharam de maridos violentos,você está tentando dizer o que que é culpa DELAS que provocaram o macho vagabundo e violento?"


A questão nem é me sentir ofendido, aprendi a me distanciar durante uma argumentação com as redações. Na verdade, acho até engraçado. Mas a coisa é, não faz sentido alguém querer uma igualdade e ter comportamentos igualmente infantis ao da "parte a se lutar", e, mesmo essa "parte a se lutar" é relativa, como eu disse, vilanizações não são úteis (seja de mulheres ou de homens, antes que você diga algo, e, por favor, subjugar é diferente de vilanizar).

E, mais uma, argumento de "coitadismo" não vale; não que eu esteja negando dores que a misoginia causa, mas ficar "você não é mulher para saber" é ridículo. Você não tem dislexia auditiva, nem por isso eu digo o que é as pessoas não prestarem atenção no que você tem a dizer por causa disso; entendeu? A questão não é a misoginia que você sofre fora daqui (ou em algum momento eu postei alguma coisa misógina?), mas sim atitudes tão sexistas quanto aqueles contra o qual "lutam" (voltando: é isso que se ganha com a vilanização).

Luís Eduardo disse...

E as erratas de sempre. Desculpa Anom 11:59, coincidência de horários.


"Cosmos e Damião". Foi mal, não sei o que deu aqui, isso é nome de santo. Obrigado, Anônimo.

Cora disse...


luís,

não estou defendendo "olho por olho, dente por dente", não.

o q estou te dizendo é q, muitas vezes, a gente só percebe o qto a violência simbólica machuca quando a experimentamos tb. não estou dizendo q vc não é sensível a isso no seu cotidiano. é impossível, pra mim, saber disso.

estou falando apenas com base nos seus escritos aqui. não leve as falas pro lado pessoal. vc não conseguirá (ninguém conseguirá) participar de um debate (virtual ou não) se não conseguir abstrair o q é dito pelos debatedores.

as falas não são dirigidas a vc pessoalmente, mas ao seus comentários e as ideias q eles transmitem.

é assim pra mim tb. é assim pra td mundo.

imagina se a Lola fosse se sensibilizar com td comentário agressivo q ela recebe? ela nem sequer teria começado um blog se fosse tão susceptível!!

os posts da Lola e muitas falas aqui não agridem homem nenhum, apenas propõem um reflexão q pode ensejar uma mudança.

ficar fixado numa ou outra agressão não faz a gente sair do lugar.

mulheres são agredidas de forma sexista há milênios. dizer q uma fala mais contundente de uma comentarista aqui é a mesma coisa ou tem o mesmo peso é insensível demais.

olhe um pouco mais para o macro e não apenas para o seu mundo imediato.

e tem muito de revolta nas minhas falas!!

e a revolta é sempre dirigida aos discursos e às tradições, já q, por sorte talvez?, não tenho experiências pessoais essencialmente ruins com homens q foram ou são próximos a mim.

.
.

qto à minha resposta ao anon 11:59, não entendi o q vc quis dizer.

a gente tava falando de um debate sobre a marcha das vadias num outro blog. é o autor do outro blog q sequer tentou entender meu ponto de vista. e eu disse isso a ele.

Luís Eduardo disse...

Mariana, sinto muito que isso tenha acontecido com você, e, acredite, você não é a única que já me contou violências sexuais que já passou. A questão é, eu me apoiei em uma pesquisa séria (desculpem-me não achar os dados, passarei assim que eu passar) que mulheres são as maiores vítimas e culpadas da violência doméstica, mas isso é por mera questão de sexismo, já que são elas que ficam em casa cuidando. O que quero dizer com isso tudo: não importa o gênero, a violência é igualmente suja.

Sério, eu sinto por tudo que indivíduos do meu gênero fizeram a algumas leitoras daqui, mas não posso aceitar a generalização porca que vejo aqui.

"o estupro é SEMPRE culpa da vadia que provocou."

Acho até engraçado você publicar isso em uma argumentação contra mim. Me lembro que, quando houve aquela papagaiada toda com os "cantores" do New Hit, eu era um dos que mais levantava a bandeira da prisão dos integrantes, pois o estupro é um crime hediondo e não há desculpas.


E, por favor, "babaca auto centrado e arrogante". Arrogante, sim, creio que sim, posso ser arrogante as vezes, mas auto-centrado? Infelizmente entramos numa discussão de algo que eu não concordo (ao que parece, a "vilanização" em nome duma causa, creio eu), a questão não é se o gênero ao qual eu pertenço é o que "estou defendendo", na verdade não estou defendendo nenhum, apenas a ideia de que, para chegar onde nós queremos (igualdade social), procurar um "vilão" é minimizar tudo ao máximo, é tornar simplório algo grande. Poxa, eu não estou me fazendo de coitado por ser homem e nem tem como se fazer numa sociedade misógina, mas não concordo com a visão "nós contra eles" alimentada aqui nos comentários, isso não ajuda nema homens e nem a mulheres.

Sara disse...

ai meus sais "lei de cosme e damião" essa não deve ser olho por olho, a não ser que seja olho do C_ .kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, essa doeu.....
e os garotinhos não desistem nunca dessa FALSA SIMETRIA....

Cora disse...


raphael,

não coloque palavras em minha boca. vc encheu seus comentários de frases entre aspas dando a entender q eram falas minhas.

isso é desonesto.

eu adoro debater, mas espero um pouco mais de honestidade dos meus interlocutores.

a única coisa q posso te dizer é q releia os meus comentários com um pouco mais de atenção.

e, não concordando com alguma fala minha (fala q foi REALMENTE minha), sou td ouvidos, pode criticar à vontade.

agora, atribuir falas e sentidos completamente estranhos ao q eu disse não é debater.

presta atenção, rapaz!

Luís Eduardo disse...

Vamos lá mais uma vez, quando eu falei sobre a violência doméstica praticada por mulheres, eu não quis ignorar a violência praticada por homens, apenas dizer: OS GÊNEROS SÃO IGUAIS, MESMO NOS DESVIOS DE CONDUTA.

Eu não quero e nem quis dizer que, com o fato de haver mulheres violentadoras, não há homens violentadores. Muito pelo contrário, a população carcerária já indica que a maioria das denúncias são contra homens.

Anônimo disse...

mas, meu amigo, voce REALMENTE nao é mulher pra saber oq é ser mulher. vc sofre com imposiçoes de genero, mas nao passa pelo oq nós passamos. vc ta aqui se doendo por um debate suave na nave e nao faz ideia do q é ser desacreditado o tempo todo, por homens e mulheres, fora de espaços feministas. entra em qualquer blog de humor, games, youtube ou qualquer outra coisa popular e veja como retratam as mulheres como algo menor, como bucetas ambulantes que infelizmente vem com uma parte indesejada acoplada, o cerebro.

Raphael disse...

Conclusão da discussão: Cora fez generalizações ridículas, eu discordei e ela disse que eu sou desonesto ^^.

Chega de perder tempo, bye o/

Anônimo disse...

ai, sara, eu ia zoar. gargalhei aqui, mas to mantendo respeito pelo "debate". embora eu esteja começando a desconfiar q é trollagem mesmo, como a mariana disse. mas foi bom pq eu tava com saudade de comentar aqui no blog da lola, fazia tempo q parava por aqui

Roxy Carmichael disse...

1.ai carlos, que previsível essa sua historia normanbatesniana...
2.a outra falando que não quer ser chamada de alienada porque não é tapada a ponto de achar que não existe racismo, mas é contra as cotas por "mil motivos". comofas?
3.maravilhas tecnologicas que resolvem o trabalho domestico numa manhã: onde?nos jetsons?
4. papo de babaca abriga textos desse wanna be ponde perseguido, martir das liberdades de expressão xaropadas pela "sociedade burguesa comunista protocristóica" (hahaha genia essa imitação que o adnet fez do jabor, vejam no youtube, por favor) que escreveu esse texto sobre a maternidade, outro texto falando que hoje em dia mulher depilada é linchada na rua na ditadura do politicamente correto feminista (uai, cordei cadê pelo na capa da nova, boa forma, sexy, playboy etc?) e um petardo da falta do que fazer falando de calcinha bege.
5. argumento do luiz eduardo: pretos capitães do mato que perseguiam outros pretos são os responsáveis pela escravidão no brasil. raça não existe, portanto não existe racismo, só existe a raça humana e porra que saco ficar vilanizando psiquiatra que chama atendente de cinema de macaca!não são nós os brancos contra eles os pretos. outro dia a minha namorada me perguntou se eu estava bem pq estou um pouco pálido. qualquer comentario sobre a cor da pessoa deve ser combatido por igual porque a historia do brasil de mais de 300 anos de escravidão ja demonstrou que nunca houve esse negocio de racismo. so existe falta de entendimento entre pessoas, seres humanos, sem importar a cor, é só olhar a população carcerária e o congresso e olhar dentro e fora do cordão de isolamento do carnaval de salvador pra ver que nao existe isso, somos todos iguais e humanos. beijonaalma nao vou argumentar contigo, nem gaste seu latim tentando me responder que como já falei hoje, a paciencia tá assim, inexistente
6. beijo pra cora!

Luís Eduardo disse...

Cora, por favor, entenda, eu não me senti ofendido, o que falo é que isso chega a ser um tanto hipócrita. Não aprovo discursos "preconceituosos", mesmo que sejam dirigidos a uma maioria; o fato de eu ser homem chega a ser o de menos, desconsideremos isso (só não desconsiderem o "Comos e Damião", foi uma merda grande que digitei).

Eu não quero dizer que um comentário sexista de alguém exaltado aqui "compensa" todos os anos de misoginia (nada compensaria), mas não deixa de ser uma falha, ou você concorda com a generalização de algum grupo? (sei que não). Os posts de Lola não agridem, eu sei que não, nunca disse isso, apenas digo (e repito, mais uma vez), agora para os comentários: a vilanização não traz soluções.

É isso que tenho tentado falar desde ontem a noite. Eu não sou cego para negar o sexismo, não sou cego para saber que nascer homem traz vantagens para uma carreira profissional (por exemplo), não sou cego para ver que a nossa cultura é estritamente machista; nunca neguei isso e nunca vou negar. O que proponho é algo que vai além dessa "caça aos homens machistas", tanto, como fala o Raphael, a sociedade também é formada por mulheres (igualmente machistas) e, como, se tentarmos pensar um pouco mais, ninguém é totalmente culpado do próprio sexismo (homens e mulheres), pois que já nascemos em uma cultura sexista- e, claro, mudar isso É NECESSÁRIO; porém, também é necessário uma visão mais séria para poder acabar com isso.

Julia disse...

17:20,

Excelente esse post sobre birra da exceção. Vocês estão perdendo tempo discutindo com mascu que ignora todos os argumentos e fica gritando MISANDRIA o tempo todo hihihi

Desistam da falsa simetria, mascuzada! Não vai colar :)

Luís Eduardo disse...

E, Cora,a coisa do "anon 11:59" foi uma coincidência. Pensei que você estava falando do Anônimo que postou as 11:59 aqui.

Luís Eduardo disse...

"mas, meu amigo, voce REALMENTE nao é mulher pra saber oq é ser mulher."

Mas uma vez para ver se entende:

Eu não sou mulher, mas a maioria das meus amigos são mulheres. Eu não sinto na pele o peso de ser mulher em círculos misóginos, mas não sou alienado quanto a isso. Eu não minorizo isso e nem tem como minorizar. Eu compactuo da CAUSA feminista por causa disso, mas não compactuo com parte das atitudes e declarações comentadas aqui, elas não ajudam a levar nada a frente.

Cora disse...

Roxy!!

é por essas e por outras q vc é fantástica! tua fala pega sempre na veia.

um beijo grande pra vc.




Cora disse...


e o troféu "comediante do post" vai para...

.
.

música de suspense

.
.

raphael!!

.
.

escuta, fofo,

pra chegar ao nível "troll q provoca debate" vc tem q comer muito arroz com feijão!!

hj foi fraco.

mas...

... desiste não!!

a persistência é uma virtude!


bjão!


Cora disse...

e luís,

fiquei curiosa com essa confusão dos anon das 11:59.

tem dois comentários nesse horário. um de ontem e um de hj.

q coincidência!

eu respondi à anônima de hj, como ela já esclareceu!!

Felipe Barreto disse...

Luís Eduardo e Raphael,

Eu disse que as mulheres, no Brasil, leem mais que os homens. Querem dados estatísticos? Façam bom proveito:

http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/posts/2012/08/15/mulheres-leem-mais-livros-que-homens-no-brasil-460352.asp

Eu disse que as mulheres, além de lerem mais que os homens, se interessam por assuntos mais variados que eles, no âmbito da literatura em geral. Querem mais pesquisas? Tá na mão:

http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI2912584-EI306,00-Mulheres+leem+mais+que+homens+diz+pesquisa.html

Destaco a passagem que assevera:

"De acordo com os dados, 55% dos leitores são do sexo feminino, maior em todos os gêneros da literatura - os homens lêem mais apenas história, política e ciências sociais."

Ou seja, mulher lê quase tudo, e homens leem, geralmente, história, política e ciências sociais.

Isso corrobora o que eu disse noutro comentário:

"As mulheres fúteis lêem livros, revistas, periódicos, horóscopo, revistas de fofoca, blogs de moda, dentre outros. Ou seja, apesar de se interessarem por futilidades, elas lêem. Elas lêem os textos sobre moda, lêem as revistas de fofocas, lêem os livros de romances sobre vampiros, lêem o horóscopo, e lêem outras formas de literatura."

Luís Eduardo disse...

"2 DE FEVEREIRO DE 2013 11:59
Anônimo disse...
a mulher tem a sua agressividade reprimida, gente, por isso é menos violenta. primeiro ela aprende a temer os homens (q sao "estupradores em potencial" dispostos a ataca-la se ELA nao se proteger, assumindo uma postura defensiva e neurotica)[...]"

Cora, foi a essa que eu respondi, também. Ela explica os meus argumentos de maneira bem simples, eu não nego que, em números brutos, há muito mais criminosos homens que mulheres, o que não concordo é uma posição um tanto simplória de "combate a misoginia", a questão é muito séria para ser posta como uma velha noção de dualidade.

Anônimo disse...

"Estou procurando a pesquisa completa, mas a violência marital é uma pequena parte nos casos de violência doméstica (que, lembrando é qualquer violência praticada dentro da casa), a maioria dos casos é de mulheres que deveriam cuidar de idosas e crianças (e, vejamos, mais um ponto no sexismo, fica induzido que é um maior número de mulheres porque são a elas incumbido tal trabalho)."

Tô esperando pela tal pesquisa completa.

Luci

Luís Eduardo disse...

E, Felipe, obrigado pelas pesquisas, estou lendo.

Luís Eduardo disse...

Vamos lá, só colocando um pouco mais, eu minimizei de mais, não é "só combate a misoginia", escrevi errado, isso deve ser combatido, mas não com a visão simplória de "bom x mau", isso já repeti várias vezes. Não é que eu não concorde que o machismo é um MAL, a ideologia é, as pessoas, por piorem que sejam sob nosso ponto de vista, não são.

Cora disse...


luís,

não foi esse comment q eu respondi, não.

foi esse aqui, ó, q está endereçado a mim, inclusive:


Anônimo disse...

cora, outro dia vi um debate seu num blog de um militante de esquerda, sobre a marcha das vadias. te aplaudi de pé, viu? sujeito super sem noçao dizendo q a luta das mulheres deve se restringir a direitos trabalhistas afff

2 DE FEVEREIRO DE 2013 11:59

.
.

só pra encerrar essa confusão, ok?

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

Homens e mulheres sao os viloes do machismo.Ok?Mas atitudes dos homens misoginos tem consequencia mas drasticas pras mulheres.As mulheres machistas so fazem aplaudir o seu algoz.A mulher machista é vitima e algoz de si.O homem machista é apenas algoz.

Logo o termo algoz=vilao se foca mais nesse tipo de homem e pq nao homem que se diz feminista, mas na verdade nao o é na pratica,quem vai saber.Ambientes masculinos em sua maioria sao escrachadores de mulheres.

Ambiente feminino fomenta tudo isso do sistema misogino,aplaude seu algoz,ela se torna vitima-algoz de si.Mas quem bota a misoginia em pratica?Nao é ela,é ele,ele que tem a decisao final,um cerebro em cima da cabeça pra decidir se bota em pratica a misoginia aprendida ou nao.Essas sao as causas maiores de mortes de mulheres.

Quem é vilanizada,a culpada é a mulher.Com crianças e idosos este ultimo ate meio invisível assim como deficientes,sao tratados com índoles positivas,segundo sistema.
O sistema conspira todo pra misoginia e nao pra infanticidio,espacamento de idosos
pois estes idosos,crianças,deficientes nao passam imagem de índole negativos no sistema.So o genero delas mesmo.Sao apenas considerados chatos pq sao dependentes de adultos de alguma forma mas nao possui índole negativo.Logo nao há uma motivaçao,uma imagem na sociedade pra haver violencia contra elxs,ate pq aqui se inclui homens e mulheres,e quem ordena o sistema é a figura do patriarca.

Crime de odio de genero quem comete sao somente,em sua grande maioria, homens.Crimes no geral quem comete sao maioria homens impostos pelo mesmo sistema misogino da imagem do homem valente,do homem defensor de suas coisas,do homem que tem que prover sustento,que tem que prover carrao e mansao pra ter mulher na base do crime,aprender desde criança que violencia é coisa inerente de menino,ate um crime por coisa futil,por simples maldade é uma carga grande de sou homem que chega nele.O contrario é homem-femea.O compromisso de provar que é homem pra sistema misogino.

Se homens e mulheres fossem cuidadoras de gente,podia ser que os dois tivessem agindo com violencia no mesmo grau que se encontra mulheres cometendo esse tipo de barbarie. + estupro dos homens.

E homens misoginos como sempre tambem mantendo mulheres em seu lugar debaixo de violencia psicologica e fisica.+ perpetuação de coisas favoraveis a essa violencia de mulheres vitimas-algozes.


Os homens é quem tem o privilegio de pisar nas mulheres,feministas verdadeiros que sao maioria os verdadeiros,ainda bem,recusam-se a esse privilegio.

É tomando o exemplo que o de cima falou.
O senhor da casa grande é o homem
os escravxs é as mulheres
os capitaes do mato,ou aqueles que usufruem da benevolencia do seu senhor ferrando com os outros escravos e depois se ferrando pela mao do seu senhor - mulheres machistas
os abolicionistas- homens e mulheres feministas.

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

Entao é por isso que a luta feminista tem como principio a violencia de genero,seja na area domestica ou na rua(É a metade da populaçao sendo esculachada so pelo fato de ser mulher) ao invés de ficar botando em pauta os maltratos das mulheres contra indefesos.Ate pq raramente este tipo de mulher criminosa é uma feminista.Entao problema nao está mais no ambito feminista e sim do humanista e desses indefesos.O feminismo trata de genero.Trata de igualdade de genero.Feminismo nao pode pegar todas as lutas nas costas,primeiro feminismo precisa empoderar mulheres.Em todos os grupos minorias quem sofre mais é a mulher.Feminismo quer tirar a metade da populaçao desse poço de misoginia e da-lhe humanidade.Assim acabará o feminismo e outras lutas poderao ser prioritarias pelas mulheres.Eu entendo que tem muitas feministas por ai que so foca no feminismo,ao inves de carregar todas as minorias nas costas.Pq deve ser arduo pra ela ter que toda hora se defender e ainda ter que defender os outros.Tem mulher que nao nascer pra multiplas funçoes.As feministas que nao defendem outras lutas apenas devem ser respeitadoras e nao compactuar com preconceito.
Voces,homens feministas privilegiados por serem homens e nao precisam se defender diariamente, que devem tomar a luta contra mulheres que batem em idosos/crianças toda vez que reclamar que feminista nao bota em pauta a defesa de idosos/crianças.E que fique claro,ao botar pauta de mulheres que batem em crianças/idosos isso nao está incluído no feminismo,pois nao se trata de genero sendo esculachado.O problema de genero por acometer metade da populaçao mae da outra metade é o principal foco.

Se vc nao parar por aqui vou achar que realmente é um troll mascu

Anônimo disse...

Aonde que mulher e minoria ?

Ju disse...

Bru,
não sou dessa área e não tenho nada a ver com isso, mas abri o site Vida de TI e dei uma olhada nas tirinhas. O "usuário desinformado/burro" é sempre uma mulher. Ou melhor, "a usuária", porque não falta muito pra eles usarem o substantivo sempre no feminino, indo contra a regra machista do nosso idioma. Encontrei até alguns exemplos disso nos comentários de lá..

Ju disse...

"...mas sou contra a distribuição dos "kits gays" pelo estado." EDUARDO, Luís. 1 de fevereiro de 2013 21:53

Há algo mais a ser dito?


Há, sim. Que esse Felipe Barreto é ardiloso demais e eu vou comemorar no dia em que ele for banido daqui.

Luís Eduardo disse...

Bem, tenho que agradecer a Dona do Sexo, que mais uma vez postou algo com uma boa argumentação. Eu não tenho o que discordar de você, apenas não entendi porque me dizer a parte

"Se homens e mulheres fossem cuidadoras de gente,podia ser que os dois tivessem agindo com violencia no mesmo grau que se encontra mulheres cometendo esse tipo de barbarie. + estupro dos homens."

Eu tenho falado o mesmo sempre:

"a maioria dos casos é de mulheres que deveriam cuidar de idosas e crianças (e, vejamos, mais um ponto no sexismo, fica induzido que é um maior número de mulheres porque são a elas incumbido tal trabalho)."

Mas, bem, o ponto importante é que você argumentou, entendeu o que eu queria falar. Não sou troll e não estou com vontade de continuar a conversa, então é melhor acabar por aqui.
__________________

E, para a Ju, só explicando porque eu sou contra a distribuição do "kit gay" (que nome mais ridículo), infelizmente não fica incumbido ao estado o dever de orientar as crianças sobre sexualidade dessa maneira, as preferências sexuais devem estar afastadas do ensino formal. É um DEVER do estado garantir o casamento civil igualitário, mas a distribuição de "kits gays", não; por pior que seja uma educação que force o filho a acreditar que apenas a heterossexualidade é normal (quando, na verdade, a bissexualidade é mais comum no comportamento humano).

Em suma, o fato de eu acreditar que o meu deve filho se relacionar com quem quiser não me autoriza a fazer o próximo acreditar nisso também (mas, claro, se for constado algum trauma a criança/ adolescente causado por esse comportamento, a guarda deve ser retirada).

Luís Eduardo disse...

E, Ju, nas tirinhas tem o estagiário, ele só faz merda ("esse mês queimei seis fontes a menos") e entende as coisas erradas. E "A Usuária" é uma personagem, esse é o nome da personagem, por isso que comentam falando "da usuária" (e provavelmente foi baseado em uma usuária da empresa que o autor trabalhava). Na verdade tem piadas com o machismo de alguns na área,mas não é anda "sério" ou que sirva de bandeira.

http://vidadesuporte.com.br/wp-content/uploads/2010/02/Suporte_662.jpg

http://vidadesuporte.com.br/wp-content/uploads/2012/12/Suporte_619.jpg

http://vidadesuporte.com.br/wp-content/uploads/2012/12/Suporte_621.jpg

http://vidadesuporte.com.br/wp-content/uploads/2010/02/Suporte_647.jpg

http://vidadesuporte.com.br/wp-content/uploads/2012/12/Suporte_633.jpg

http://vidadesuporte.com.br/wp-content/uploads/2010/02/Suporte_653.jpg

http://vidadesuporte.com.br/wp-content/uploads/2009/08/Suporte_649.jpg

E essa aqui, que, como eu disse, tira sarro com o machismo da área.

http://vidadesuporte.com.br/wp-content/uploads/2010/02/Suporte_658.jpg


Mas, em fim, procurar algum sistema

Luís Eduardo disse...

*esqueçam o "procurar algum sistema" no último comentário. Eu apenas iria dizer que, mesmo não sendo algo militante ou que exista para defender igualdade sexual na área de TI, o blog passa longe de ser machista.

Raphael disse...

Resolvi retornar a discussão, pois achei pertinente o comentário da Dona.

Dona, não estou desclassificando a luta feminista. É engraçado que comentário que fuja do "politicamente correto" do feminismo em blog que trate do assunto gera essa polêmica toda. Não seria melhor refletir sobre oq comentamos antes de ir rotulando todos os que tem o pensamento diferente? Não estou especificadamente de vc. Eu não estou falando que os feministas (mulheres e homens) não tem pelo que lutar pq tem sim.

Eu que sofro DIARIAMENTE, dentro e fora de casa com o machismo e por aqui fui taxado de misógino. Ah, olha só, o único homossexual misógino do mundo \o/. Eu gosto de homem, pq homem é superior a mulher u_ú (não entenda essa ironia como se fosse pra vc).

Não venha me dizer que eu nasci privilegiado por ser homem e tbm n me venha dizer que eu n sou homem ou que eu sou uma "excessão" ao resto dos homens. Vc provavelmente nunca deve ter passado o constrangimento de ser advertida por um segurança em shopping center por estar demonstrando afeto para com seu namorado, já foi? Não vou expor todo o preconceito que já sofri, pois não gosto de expor minha intimidade, já passei por tanta coisa e olha que sou jovem, tenho apenas 18 anos. Ficar sabendo que colegas de vc foram assassinados próximo ao parque ibirapuera à noite simplesmente por serem gays. No entanto, não é pq vc não passou por essas coisas que eu vou desclassificar tudo oq vc diz, não que vc tenha feito isso, mas muitos aqui fizeram.

Logo essa coitadisse toda por parte da Cora n faz sentido algum. "Ah, cala boca q vc não é mulher pra saber..." (E, antes que digam q é desonesto fazer essas quotagens, isso foi basicamente oq ela disse só q de forma menos grosseira).

Raphael disse...

Agora com relação ao privilégio, bem, de fato homens tem mais facilidade em nossa sociedade em muitos aspectos, mas em outros não. Esses OUTROS SÃO, mas existem, como eu citei em post anterior e se o homem quiser ser o "dono de casa"? A grande massiva maioria das mulheres não vai querê-lo. Nossa sociedade impõe papeis para ambos os gêneros e aí de quem sair desse papel. Quem disse que todo homem gosta de ser forçado a agir como um bruta montes retardado? Eu já vi um amigo meu comentando que gostaria de usar lápis de olho pq acha q isso fica bonito em homens, mas não utiliza para não ser humilhado pela maioria dos seus amigos E AMIGAS e não, ele não é homossexual. Houve um tempo que homem nem podia usar shorts e chinelo de dedos. "Ah, mas vcs não são mortos por isso". Pede pra um homem andar com lápis de olho na Av. Paulista de madrugada pra ver se n vem um skinhead e bate nele com uma lâmpada na cabeça confundindo-o com um homossexual. Aliás, temos os homossexuais né?

E se um homem esbarrar sem querer em bruta montes retardado numa estação e for agredido fisicamente e terminar com traumatismo craniano? Ele mereceu pq "homem que é homem não leva desaforo pra casa" ou ele foi VÍTIMA simplesmente pq esbarrou no retardado?

Mesmo que ele seja privilegiado em mtos aspectos por ser homem não é culpa dele isso.

Feminista EXTREMISTA (em caps lock só pra deixar bem claro que estou falando de extremismo) que gosta de utilizar a generalizações "bobas" como "homem estupra" estão ofendendo todos esses homens que morrem e vivem sufocados em função dessa visão ridícula doq é ser homem. Eu sou um deles, e me sinto ofendido sim, na mesma forma que uma mulher se sente ofendida cm generalizações masculinas. Como é que isso se chama mesmo? ... Pera, é tal da MISOGINIA né? E quanto é a mulher que pratica com o homem? MISÂNDRIA.

Agora, como sei que muita gente vai ler isso e vai distorcer tudo deixa eu deixar bem claro: SER CONTRA GENERALIZAÇÕES "BOBAS", MISÂNDRIA E EXTREMISMO NÃO É SER CONTRA A CAUSA FEMINISTA MUITO MENOS SER MISÓGINO OU "MASCU TROLL".

Grato ^^

Raphael disse...

*Deixa eu corrigir um erro do meu comentário que não vi. Eu quis dizer: "Esses OUTROS SÃO POUCOS, mas existem"

Anônimo disse...

"Eu que sofro DIARIAMENTE, dentro e fora de casa com o machismo e por aqui fui taxado de misógino. Ah, olha só, o único homossexual misógino do mundo \o/. Eu gosto de homem, pq homem é superior a mulher u_ú (não entenda essa ironia como se fosse pra vc).

Não venha me dizer que eu nasci privilegiado por ser homem e tbm n me venha dizer que eu n sou homem ou que eu sou uma "excessão" ao resto dos homens."

A misoginia não é direcionada a você. Talvez por isso você não a perceba, ok. Mas é bastante estranho chegar aqui e dizer que ela não existe porque não te atinge, sendo que tem tantos relatos de mulheres dizendo que existe. Inclusive partindo de homossexuais!

Como assim, "não venha me dizer que sou privilegiado por ser homem"? Você é. O preconceito que você sofre por ser homossexual não te tira o privilégio de ser homem numa sociedade patriarcal. Assim como não te tira o privilégio de ser branco (se você for) numa sociedade racista.

Luci

Raphael disse...

Luci, querida.

Qual é o meu privilégio diga-me por favor? ^^

Não posso andar na rua com meu namorado, não posso ter um salário igual a de um heterossexual, posso ser espancado ou morto gratuitamente, as religiões me condenam, minha família me condena... PERA! Preciso mesmo dizer mais?

Respira... Respira... AAAAAAH

Então, continuando, Luci, minha flor :3 . Em que parte do meu comentário eu disse que a misoginia não existe e não deve ser combatida? ONDE? Releia tudo oq eu escrevi e encontre. Se vc não conseguir entender na próxima eu desenho ^^:

" Eu sou um deles, e me sinto ofendido sim, na mesma forma que uma mulher se sente ofendida cm generalizações masculinas. Como é que isso se chama mesmo? ... Pera, é tal da MISOGINIA né?"

Eu disse que ela não existe?

Luís Eduardo disse...

Luci, vamos lá, Raphael está irritado, mas aqui vai um ponto que os dois se irritaram desde o início dessa discussão (que deve acabar em nada, mesmo):

"A misoginia não é direcionada a você. Talvez por isso você não a perceba, ok. Mas é bastante estranho chegar aqui e dizer que ela não existe porque não te atinge"

Ninguém nunca negou que existe misoginia. A gente sempre fala, A SOCIEDADE É MACHISTA (até coloquei em caixa alta), o que ele não concorda (e eu também) são alguns comentários com forte sexismo encontrados aqui. Isso não diminui o fato da sociedade ser machista, mas também não é muito honroso fazer comentários genéricos a qualquer grupo, mesmo que ele seja a "maioria".

Anônimo disse...

Os homens que se irritam com os comentários de alto teor sexista vistos aqui sabem o que sentimos na pele ao navegar na internet, nas conversar do dia-a-dia, ao viver." A mulher tem que se dar valor, toda mulher é interesseira e burra. Mulher é fútil. Mulher tem que casar". É só isso que vemos. Se te irritou 1 frase, imagina ouvir isso toda a sua vida?
Elaine Telles

Raphael disse...

"Os homens que se irritam com os comentários de alto teor sexista vistos aqui sabem o que sentimos na pele ao navegar na internet, nas conversar do dia-a-dia, ao viver." A mulher tem que se dar valor, toda mulher é interesseira e burra. Mulher é fútil. Mulher tem que casar". É só isso que vemos. Se te irritou 1 frase, imagina ouvir isso toda a sua vida?
Elaine Telles"

Elaine, eu não sou sexista então não vejo como esse argumento se encaixa aqui. Quer dizer que eu, o Luís e outros homens que não são sexistas merecem essas generalizações todas como vingança pela misoginia que os outros cometem? -.-

Luís Eduardo disse...

Elaine Telles, volto a dizer, eu não me irritei com os comentários sexistas. Mas é que, "sofrer com isso todos os dias" não é desculpa para ser igualmente sexista, entendeu? E muito menos ser sexista com alguém que não referiu nenhum desses chavões contra você.

E, por favor, se for para dar como exemplo coisas como "A mulher tem que se dar valor, toda mulher é interesseira e burra. Mulher é fútil. Mulher tem que casar", isso é igualitário, diariamente ouço muitas generalizações sobre o meu gênero também. O que falo que sou privilegiado é em questões empresariais, poder ser mais "livre" (falar palavrões e fazer piadas sujas) e ser mais ouvido por desconhecidos em algumas discussões (tecnologia, por exemplo); nisso, sim, sou privilegiado, não nego.

Anônimo disse...

Luís Eduardo, eu não estou irritada.

Só discordo de você, Raphael e Felipe virem aqui ditar o que é misoginia ou não, o que é misandria ou não, como feministas devem discutir...nos chamando de sexistas por não concordarmos nem seguirmos o que vocês consideram certo.

"Quer dizer que eu, o Luís e outros homens que não são sexistas merecem essas generalizações todas como vingança pela misoginia que os outros cometem?"

Homens feministas nem merecem, nem desmerecem. "Essa conversa não é sobre você", já ouviu/leu essa expressão?

Luci

Luís Eduardo disse...

Oh, Luci, gostaria que fosse assim (e o Felipe, ao menos aqui, não estava falando nada de misandria).

"nos chamando de sexistas por não concordarmos nem seguirmos o que vocês consideram certo."

Daí que vem, nem eu e nem o Raphael está fazendo isso, são algumas outras que comentaram que o fizeram.

Eu chamei de sexista aquelas que realmente fizeram comentários sexistas, discordar da minha opinião não a fazem isso, mas postar coisas como "Luíz Eduardo só ta dando uma de butthurt porque pela primeira vez na vida os assuntos em algum lugar não giram em torno dos pintos sagrados dos homens" faz.

E, quanto ao "Essa conversa não é sobre você", já li e sou contrário. Qualquer assunto que envolva a sociedade e irá interferir a minha vida é sobre mim, também. Não deveria por a minha opinião sobre homofobia por quê não tenho nenhum relacionamento com homens? Não devo por a minha opinião sobre cotas porque eu estudei em escola particular, por isso não tenho direito a elas?

Luís Eduardo disse...

Luci, só para completar, não chamei você, por exemplo, de sexista porquê, apesar de ser contrária ao meu argumento, não usou chavões sexistas como encontrados em alguns comentários aqui.



P.S.: e não disse que você estava irritada.

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

Voce é homem,é privilegiado,quando se assumi homossexual a casa cai e o seu grilhao agora é a homossexualidade.

Voce é mulher,voce já automaticamente nao é privilegiada,quando se assumi homossexual a casa cai pela segunda vez e o seu grilhao agora é dois.

Cade a igualdade aqui?Nem lesbica ta no mesmo patamar dos gays.

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

Acho que to compreendendo o que quer dizer Raphael.Se nao for explique em que ponto voce quer chegar.

Sobre homossexuais agredidos entra no ambito da homofobia e pq nao feminismo.Homens agredidos por outros homens entra no ambito do humanismo.Homens agredidos por que tem certas caracteristicas do feminino segundo padrao entra no ambito do feminismo.

Odio ao feminino.

Mas pq nao feminismo nao toma essa pauta ja que está no ambito feminista.
Vou explicar.Liberando as mulheres,dando importancia a elas,feminismo é uma alcunha com significado de libertar mulheres.A libertaçao dos homens é apenas uma consequencia.A consequencia derivada dessa libertaçao das mulheres vai trazer homens podendo sair de maquiagem,homens sendo donos de casa,homens fazendo tudo que é considerado feminino segundo padrao tranquilamente. Pq pra feminismo nao existe feminino e masculino.
A gente foca é na libertaçao dessas mulheres,na violencia contra essas mulheres pra poder libertar os homens.É assim que funciona.

Quanto a palavra homens,se eu esqueci de colocar sempre misóginos junto com palavra homens realmente é pq confiei no "homens misoginos"nas primeiras linhas do meu discurso.Assim valendo pra todo resto do meu discurso que falta "misogino" junto com palavra "homem'.


Anônimo disse...

O Luís Eduardo e o Raphael são aqueles tipos de caras que querem que as feministas sejam feministas desde QUE expliquem bonitinho as coisas e nunca /MÚSICA DE SUSPENSE AO FUNDO
Ofendam os homens di benzZZZZz
Meninas desistam de dialogar com esse tipo de cara,eles acreditam piamente que o sofrimento dos homens (white male tears,sniff) se iguala ao das mulheres.
E pro Raphael,SURPRISE você pode ser gay e ainda assim ser um idiota misógino com mulheres!

Anônimo disse...

Dale Spender fez uma pesquisa analisando o que acontece quando homens entram em espaços feministas. A gravação de um workshop sobre sexismo e educação em Londres mostrou que, num público com 32 mulheres e 5 homens, os homens monopolizaram 50% do tempo de discussão. Em um espaço reservado para falar de problemas de gêneros, foram os 5 homens que definiram os parâmetros da conversa.

http://weirdward.wordpress.com/2012/12/05/time-for-a-timely-quote-or-no-more-what-about-teh-menz/

Só pra ilustrar. Entendedores entenderão.

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 242   Recentes› Mais recentes»