segunda-feira, 13 de agosto de 2012

A BELEZA DAS OLIMPÍADAS NÃO TEM QUE SER UMA SÓ

Loiras de minissaia: o sonho molhado de boa parte da mídia

Adoro Olimpíadas (estou me sentindo órfã agora que acabou), e praticamente não escrevi sobre elas. Mas vi muita coisa pela internet, e é estarrecedor como uma observação intensiva pode nos fazer ver o modo como nossos valores e gostos são moldados pelo meio em que vivemos. Primeiro quero falar sobre a cobertura machista da mídia, e depois -– porque preconceitos sempre caminham juntos –- como o padrão é racista e excludente.
Nas Olimpíadas de Londres, pela primeira vez na história, todas as delegações levaram atletas mulheres (inclusive as dos países árabes, alguns dos quais não permitem sequer que meninas façam Educação Física nas escolas, caso da Arábia Saudita). Sem entrar na seara do patrocínio (compare quanto é investido no futebol masculino e no feminino), o número geral de atletas homens e mulheres nunca esteve tão próximo dos 50%. A maior parte das modalidades esportivas é igual para os dois sexos (excetuando algumas, como ginástica artística, que não explica porque os exercícos de solo no masculino não são acompanhados de música). 
E, no entanto, apesar dessas muitas igualdades de condições nas Olimpíadas, a mídia faz questão de ditar que esporte é algo masculino. As atletas mulheres são avaliadas não pela sua competência, mas por sua beleza. Ok, costumam fazer isso não só com as atletas, mas com qualquer mulher (de presidenta à pedreira). Só que nas Olimpíadas isso é repetido diariamente, o tempo todo. Pense em quantas vezes você ouviu a palavra musa nessas últimas duas semanas. Não temos a modalidade esportiva masculina pra muso ou beldade ou deus. Isso nos diz muito sobre quem seleciona imagens e pra quem elas são selecionadas.
Exemplos não faltam. A NBC, que detém os direitos de transmissão das Olimpíadas nos EUA, fez um vídeo com atletas mulheres. Com música que não tem nada a ver com esportes, imagens em câmera lenta focando em algumas partes do corpo, o vídeo gerou vários protestos e já foi retirado. NBC produziu também o Atletas em Movimento, vídeo feito com os homens. Repare na diferença de tratamento: homens são atletas, seres completos; mulheres são corpos.
Em nenhum esporte a objetificação fica tão evidente quanto no vôlei de praia. Perdão, vôlei de praia feminino. No masculino é bem diferente, a começar pelo uniforme. Se as atletas mulheres têm que usar aqueles biquínis que não são muito confortáveis (e uniformes são uma imposição), por que os jogadores não usam sungas? Não que objetificar os homens resolvesse o problema, mas pelo menos tornaria a situação menos ridícula (e ridículo mesmo é um locutor esportivo dizer que a dupla brasileira perdeu uma semifinal porque não estava trajada adequadamente. Adequadamente pros olhos dele, não pro clima ou pro conforto delas).

Um jornal decidiu fazer uma provocação com uma série de fotos: e se todo esporte olímpico fosse fotografado como vôlei de praia feminino? Teríamos closes de bundas, pênis, coxas e peitos? Esses exercícios são ótimos para chamar a atenção pra diferença de tratamento. Mas nem que os flashes espocam nos genitais masculinos seria a mesma coisa, porque esbarra-se na questão dos uniformes, sempre mais comedidos e menos colantes pros homens.
Porém, não existe a cobrança para que os atletas homens sejam bonitos ou estejam dentro do padrão de beleza. Para as atletas mulheres, é só lembrar como a foto de uma levantadora de peso correu o mundo porque -– pecado mortal! –- ela não era adepta de depilar as axilas. É uma afronta! Aquela moça provavelmente achou que tinha ido pra Londres pra levantar peso, e não pra fazer parte de um concurso de beleza. O que ela estava pensando?! Ou, pior ainda, vai ver que ela pensa que axilas não depiladas são bonitas! Como pode?
Isso imediatamente lançou dúvidas sobre sua femininidade (e, óbvio, sobre sua higiene, porque, como sabemos, "não é uma questão estética, mas de higiene/saúde!"). E, sei que estou fugindo do assunto, mas mais uma vez ficou provado como todo atleta deve evitar falar sobre sua sexualidade pra imprensa. É uma cilada, Bino! Isso é tudo que a mídia vai tratar da pessoa em todas as matérias. A pobre atleta americana que revelou ser virgem aos 30 anos foi rapidamente apelidada de “atleta virgem”. Alguém soube que a goleira brasileira de handebol é bissexual... e isso é tudo que importou pelos próximos 300 textos sobre handebol nas Olimpíadas.
Mas, voltando à questão da aparência, nenhum exemplo é mais eloquente que o da ginasta americana Gabby Douglas. Gabby foi o grande destaque da ginástica olímpica. Ela não só ganhou o título individual como ajudou a equipe americana a conquistar a medalha de ouro. E ela é uma raridade -– é negra. Era a única atleta negra nas finais da ginástica (e isso é algo a ser louvado na equipe americana, que é a mais multirracial que há). Bem, falou-se menos da incrível façanha de Gabby que do seu cabelo. Sim, é difícil acreditar, mas o cabelo da atleta foi criticado. Sabe, porque ela é negra, e todo cabelo de negra é ruim e deve ser domado alisado.
Mas quem determina que cabelo crespo não é aceitável? Ora, a mesma sociedade que produz galerias de fotos como esta do Terra (não sei se ainda está disponível): “Mulheres encantam Londres com beleza e talento”. Das 117 fotos, havia duas com uma atleta negra (a mesma nas duas fotos, Serena Williams). Nenhuma asiática. Nenhuma africana. Por que não escrever um título mais verdadeiro, que seria “Mulheres brancas encantam Londres”? Por que ficaria um tantinho racista?
Alguns dias depois o Terra atualizou seu "colírio" e apresentou uma galeria com 185 fotos (as 117 de antes com mais novidades). E aí alguém deve ter falado pra eles que parece que eles têm fixação por loiras. Eles, democráticos que são, deixaram de lado seu “gosto pessoal” -– que coincidentemente é o mesmo padrão da sociedade -– e fizeram o esforço hérculeo de incluir outras etnias. Agora sim havia representantes de todos os lugares. Das 185 fotos, havia nove fotos de negras, e três de asiáticas. Isso dá o quê, 5%? Não tá tão bom quanto a porcentagem de mulheres no congresso brasileiro, mas ei, aquele número é altíssimo (13%).
Naquela mesma tarde, o Terra publicou um “Confira os atletas que levam torcedoras à loucura em Londres”. Justo, mas aí não eram 117 fotos, que parece que não existe muito homem bonito nas Olimpíadas. Eram 38. Quatro foram de negros, mas não de negros africanos. E sabe quantos atletas asiáticos encantam torcedoras? Zero. 
Dá pra analisar um tiquinho o discurso das chamadas. Quando é foto de mulher, o título diz “mulheres” ("Mulheres encantam Londres com beleza e talento"). Quando é foto de homem, muito menos objetificadoras, o título diz “atletas” ("Confira os atletas que levam torcedoras à loucura"). E fica claro que esses atletas encantam “torcedoras”, não algo muito mais genérico como “Londres”. Porque, quando é mulher que encanta, não precisa dizer quem elas estão encantando. Fica subentendido que encantam os homens, o padrão. Quando é homem que encanta, vamos por os pingos nos is: encantam vocês, torcedoras histéricas (“levam à loucura”), não nós que somos muito macho e não achamos homem bonito.
Pra fugir dessa visão, só galerias de fotos feitas por gente comum, não portais de notícias. Este tumblr escolheu os musos das Olimpíadas. Inúmeras fotos de moços lindos. O número de negros e asiáticos? É fácil contar nos dedos. E não sei por que me surpreendo. Em toda e qualquer escolha de pessoas bonitas, nosso olhar eurocêntrico só capta a beleza das pessoas brancas.
Durante as Olimpíadas, uma leitora, a Bruna, relatou uma conversa que teve com um amigo. O sujeito disse: “Fulana é negra, mas é muito bonita”. Bruna o repreendeu na hora: “Como assim? Então ser negra é sinônimo de ser feia? Está implícito?” E ele respondeu: “Não, é só uma questão de gosto”. Ela disse que sentia por ele, mas que isso era racismo mesmo, e se chateou por ver uma pessoa que ela gosta pensar dessa forma.
É muita teimosia, muita falta de visão crítica, justificar nossas preferências como “gosto pessoal”. Não tem nada de pessoal aí. Somos indivíduos dentro de uma sociedade que deixa claríssimo quem é ou não bonito, quem é ou não competente. Desde bebês aprendemos como meninas e meninos devem se vestir, se comportar, falar, se posicionar. Aprendemos inclusive o que se pode ou não comer. E, junto com todas essas lições, somos ensinados também que esse nosso “gosto” é universal –- é idêntico em todas as épocas e lugares -–, e natural –- nascemos assim, não há nada que possamos fazer, sempre foi e sempre será dessa forma.
Tudo mentira. Por que somos incapazes de reconhecer que nossos gostos pessoais são construções sociais? Nos sentiremos menos autônomos, menos independentes, se assumirmos que somos moldados pelo tempo e lugar em que vivemos? E por que não querer entender que tratar mulheres como nacos de carne num açougue é machismo? Que é uma questão ideológica lembrar as mulheres que o que elas fazem não é importante, o importante é sua aparência? Por que excluir violentamente qualquer um que não for branco do padrão de beleza? Como isso é racismo? (me diga você). A quem interessa essa invisibilidade forçada?
Se você quiser mesmo ser diferente, e não uma réplica exata do senso comum, você vai ter que pensar um pouco. Terá que recondicionar seu olhar e treinar ver beleza em outras raças, idades, tipos físicos, gêneros, orientações sexuais, que não o padrão único. Não é fácil. Exige pensar fora da caixa, mas tente. Seu mundo vai ficar muito mais belo. E não só a cada quatro anos, mas o tempo todo. Depois me convença de que isso é ruim.

179 comentários:

Marta SP disse...

Muito interessante Lola ! É isso que sinto ao ler as notícias de esportes em geral, em qqer época...
Não vou nem entrar na parte onde criticam o físico das atletas...O casdo Da Gabrielle Douglas foi estarrecedor, uma vergonha para a "América", eu fiquei horrorizada.
Isso me enoja tanto e nem acredito que ainda acontença.
Se a moça for "bonita", sinto que o esporte é deixado de lado,e pior que isso, se ela falhou aí eles arrebentam de falar que ela errou, etc , sinto até uma satisfação em mostrar, como se ela não pudesse ser competente e bonita. Em uma sociedade competitiva como a nossa, acho que é difícil para muitas pessoas aceitarem que alguém (especialmente se for uma mulher), detém as almejadas "qualidades" com as quais ninguém pode ser feliz sem: beleza e talento.

D-Dimensões disse...

Lola, aguardei muito tempo por um post sobre esse assunto aqui. E posso dizer que mais do que valeu a pena. Foi o post mais longo que eu li no seu blog, e cada palavra foi perfeitamente colocada.

Saindo da puxação de saco, eu também me questionei sobre essas galerias de fotos, e me perguntei se algum jornal faria uma versão masculina delas. Procurei no google primeiro as palavras chave "mulheres sexy olimpíadas londres". Infinitos resultados. Troquei então "mulheres" por "homens". NENHUM resultado. Encontrei depois um ou outro resultado quando mudei as palavras para o inglês, onde a web é bem maior.

Adiciono ainda que é extremamente ridículo dizer que os homens bonitões "enlouqueceram as mulheres" ou qualquer coisa do tipo. E outros homens, não podem gostar de ver homens sarados, não? Gays não estão incluídos porque? Ah é, esqueci. Porque são gays.

Anônimo disse...

Post fantástico Lola, desmascara o sexismo machista que domina nossa cultura ocidental.
quanto aos "musos olímpicos' devo admitir que não me atrai por nenhum não! eu prefiro homens de beleza mais delicada, não gosto de músculos, mas isso e uma opinião pessoal !!!

Anônimo disse...

as feministas acreditam que a masculinidade é uma “construção social”, não acreditam que os homens tenham uma natureza, acham que somos tábulas rasas que elas podem ensinar a pensar como elas. Não importa que toda a nossa educação seja feita por mulheres, muitas vezes fortemente influenciadas pelo feminismo ou valores modernos como um todo, elas ainda acham que quando um homem não age da forma que elas exigem é falta de que se pregue mais feminismo, que se pode mudar a natureza masculina através de doutrinações.
me corrijam se eu estiver errado ?!!

Janaina Ikeda disse...

Oie, seu blog é ótimo! Conheci através da indicação de uma amiga.

Puxa, bem, eu fico indignada com essa padronização racista, excludente e intencionalmente elitista.

Fico muito mais indignada pq não basta a imposição do branco, tem a nossa objetificação, é difícil ser atleta aqui se vc é garota.

Quando vc está na aula de educação física, os meninos torcem para vc usar roupas justas, é bem certo que seja difícil achar uma roupa legal para praticar esportes e que não seja ridiculamente justa. Essa necessidade de modelar o corpo só é cobrada da gente.

E então vc fica inibida pq há pessoas vendo sexo até no exercício de polichinelo, logo depois vão te dizer que vc queria mesmo é "tornear as curvas", esqueça a saúde.

Ai de vc, se vc for "seca".

Depois que vc vence tudo isso e decide seguir em algum esporte (jogo Hand) vc ainda tem que enfrentar seus pais em casa que dizem que "filha mulher não terá futuro no esporte, tem que estudar pra ser gente", como assim? Atleta é o que?

Dai vc supera a resistência dos seus pais, mas a luta não acabou, vc tem que encontrar um lugar pra treinar.

A estrutura dos poucos clubes femininos que existem são precárias, vc ainda tem que lutar contra a falta de incentivo do governo.

Se não bastasse isso, vc ainda tem que lutar para não acertar um murro na cara dos "amigos" que dizem que vc tá ficando muito "masculinizada" com este "corpo forte". Ou que vc está ficando alta demais, por exemplo.

Se não bastasse isso, se vc chegar lá, virar uma profissional e ir para um torneio que vá te dar o mínimo de destaque, vc ainda tem que aturar a mídia que vai tentar te botar no seu "devido lugar" e te colocar num pedestal que vc não pediu pra subir ou vão te demonizar pq vc tem uma vista feliz e que não foi exatamente do jeito que eles pensariam que fosse ser.

PS: Desculpe pelo comentário gigante!!

Anônimo disse...

O Fala Que Eu Te Escuto dos mascus: http://www.youtube.com/watch?v=ws688Wxi3Gw

Anônimo disse...

para mim a beleza masculina, aos olhos da mulher, passa pela admiração, em tanto pelo físico, para mim e pelo menos a maioria de minhas amigas, homens admiráveis, bem sucedidos, de bom caráter, e com empatia pelas causas femininas se tornam bonitos, a parte física e secundaria para mim pelo menos.

Hamanndah disse...

Querido Anônimo das 13:22

Se é para botar mulher de biquini mostrando a bunda, que coloque homens de sunga para reparmos no pinto deles

Ah, você não quer, hein? Tem medo de sua namorada gostar mais de olhar os pintos dos atletas que do seu, hein?

Ah, feminilidade não combina com sentir tesão por mais de um macho, hein? Quem lhe falou isso, seu pai, seu avô, seu bisavô? Use uma máquina do tempo e volte ao tempo deles

Marta SP disse...

Putz, já veio cidadão comentar da famigerada "natureza" dos homens ...a semana vai ser longa ! boa sorte a quem for responder rs

Radhra disse...

Que tumblr eh esse? Cadê os asiáticos, cadê os negros, cadê os ruivos???? Eu não acredito que só aparece o Alison de ruivo! Ah, claro, eles são os "negros da europa", né?

Lord Anderson disse...

Não sei se foi efeito de maior contato com feminista e com o feminismo, mas esse ano eu percebi uma overduso desse conceito de "musa".

Praticamente todo assunto, toda noticias gerou uma musa.

Na CPI, no julgamento do "mensalão", nas greves, nos esportes, até aquele rank de criminosas musas...

É triste. é desrespeitoso para as mulheres e ofensivo tb a homens, pq faz a gente parecer cachorro no cio, que só pensa com a "cabeça" de baixo.

Alem de mostrar a preguiça e conservadorismo da nossa "grande" imprenssa.

Felizmente, a internet permitiu a varias pessoas se manifestarem e agora quem faz essa reportagensnão pode dizer que não sabe que desagrada.

aiaiai disse...

No alvo, lolita. Ontem, durante a cerimônia de encerramente, uma das imagens mais lindas pra mim, ñ mereceu comentário algum, de ninguém.

Achei esse site aqui com uma foto dos três maratonistas no pódio. Acho os três lindos e com uma cara de felicidade apaixonante. Saca só:

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=578777&tm=3&layout=141&visual=53

André disse...

Em muitos esportes a única coisa que dá para apreciar são os corpos dos atletas. Para quem curte lista de atletas bonitos: http://kibeloco.com.br/2012/08/12/kibe-londres-parte-15-bonito-hein/

Bruno S disse...

Quanto ao excesso do uso do termo "musa" teve um dia que a palavra era usada três vezes nas chamadas de esportes da capa do Globo.com.

Realmente o contato maior com o feminismo (graças a este blog) me deixou bem mais incomodado com a cobertura.

Mas acho que o machismo vai além da análise das atletas como se estivesse num concurso de beleza.

Quando há uma derrota, nossass atletas tem um tratamento bem pior que nossos atletas. São tratadas como desequilibradas ou incapazes. A mensagem é de que estariam ocupando um lugar que não é seu.

Outro ponto a ser destacado é o baixo número de técnicas em nossa delegação.

Anônimo disse...

Lola, seus textos são fascinantes. Visito o blog há alguns meses e me arrependo de não o ter conhecido ^~

K disse...

Comentei com uma amiga minha sobre isso hoje. Se no vôlei de praia as atletas tem que usar aqueles biquinis, o certo seria que os homens ficassem pelo menos sem camisa, não? E o pior que alguns esses uniformes devem atrapalhar, os de vôlei(sem ser o de praia) que é um short e uma camiseta colante devem atrapalhar os movimentos, um uniforme mais largo parece ser mais confortável. Mas quem liga para isso, nós só estamos lá jogando para agradar os homens mesmo... ¬¬

Anônimo disse...

Ótimo texto, Lola. Visito o blog há alguns meses e me arrependendo de não de não o ter conhecido antes. ^~

André disse...

Teve um ginasta japonês (homem) que também causou um estranhamento devido ao suvaco cabeludo. Claro que um estranhamento muito menor que o do levantadora de peso.

André disse...

Creio que o bikini no volei de praia não é obrigatório, já que muitas atletas competiram com calça. Será que, se as atletas passassem a usar uma bermuda, elas perderiam patrocínio?

abobrino disse...

A razão de uma ginástica ter música e a outra não está na origem delas: A masculina não tem música porque é derivada dos exercícios militares de solo, que obviamente não usam trilha sonora. Já o feminino possui música pq é derivada da dança. Então a tradição é mantida até hoje, simples assim.

alice disse...

a questão racial realmente incomoda, mas é muito difícil descondicionar. você mesma quando destaca a beleza de algum ator, aqui nas suas crônicas de cinema, geralmente o faz com homens brancos. não to te criticando, pq pra mim eles também são lindos de morrer. pra mim e para todo mundo, a beleza deles é incontestável. já a dos atores que não são brancos&atléticos, pouc@s irão reconhecer...

acho complicado demais a gente ampliar o que consideramos belo, não pq seja "natural", mas pq é uma doutrinação que começa muito cedo, é muito intensa. é o tipo de coisa que a gente sabe que está errado, mas sem querer acaba reproduzindo.

mas, enfim, o que mais me incomoda, muito mais que a questão da diversidade, é a questão da mulher ser associada à beleza o tempo todo. poxa, e daí se uma mulher é feia? ou mesmo q ela nao seja feia, e daí se ela é considerada feia pela maioria? o que importa é que ela faz, as ideias, o talento, a competência dela. que se foda quem a acha feia, ela não está ali para agradar ninguém pela beleza.

então basicamente é isso, por ordem de importância:

1) beleza valer mais do que qualquer outra qualidade

2) a beleza ser muito mais exigida das mulheres do que dos homens

3) a beleza ter um padrão excludente

se a beleza fosse só mais uma característica (por exemplo: pessoas que sabem cozinhar X pessoas que não sabem cozinhar) tudo bem. pessoas que não sabem cozinhar não podem ocupar certos espaços (tipo serem chefes de cozinha), pessoas que não são bonitas não podem ser modelos. mas parou por aí.

agora quando pessoas feias são prejudicadas/julgadas/excluídas de áreas em que a beleza não faz a menor diferença, é um absurdo, incoerente, injusto. e isso só ocorre pq se dá valor demais para a beleza.

acho mais fácil a gente convencer a sociedade que pessoas feias merecem respeito do que convencer que pessoas feias não são feias, que não ver beleza nelas é errado, blabla. eu concordo com vc, eu pessoalmente gosto de tentar enxergar beleza em todo mundo (nem sempre dá), mas não posso ficar aguardando que as pessoas tenham tal generosidade.

eu estou fora do padrão, não sou branca, nem magra, e estou cansada de mudar de planos por saber que em determinado emprego eu não serei aceita, ou serei tratada de forma diferente, por ser feia. eles dão uma desculpa qualquer, mas a verdade é essa. já trabalhei com mulheres infinitamente mais burras que eu, mas que por serem bonitas eram tratadas com mais respeito.

Mirella disse...

Adoro ter contato com vida inteligente!

"Exige pensar fora da caixa, mas tente. Seu mundo vai ficar muito mais belo. E não só a cada quatro anos, mas o tempo todo. Depois me convença de que isso é ruim."

É exatamente isto que tenho pensado ultimamente...

É inacreditável como existem amarras e condicionamentos que nos levam a crer numa "verdade única", num "padrão exclusivo". E é bem isto que é: exclusivo e excludente. E isto nos deixa infelizes, pois é impossível atingir este padrão estupidamente idealizado. Seja infeliz e morra tentando...

O feminismo (e as lutas contra todos os meus outros preconceitos) tem me ensinado tanto a ser mais feliz e mais livre... Para alguém tentar convencer de que isto é ruim, tem de ser muito iludido.

Por exemplo, tem idiota que acredita piamente que homem nasce assim e assado. Bem, paciência. Se prefere se ver como um animal irracional, incompetente e impotente, que seja, né. Eu é que não vou desmentir.

Haruka disse...

Vou escrever meu comentário em dois, visto que o Google não permite comentários com mais de 4096 caracteres. Segue ele:

Gostei do texto, porém, ele apenas exprime o óbvio. Não é nenhuma novidade o papel que os homens veem nas mulheres. E que eles gostam mesmo de admirar suas feições físicas. Destas reportagens citadas, o real motivo delas jamais tenta ser escondido. Estas galerias são, obviamente, feitas de modo que os homens possam ficar olhando para as "gostosas" que apareceram nas Olimpíadas. Não é nenhuma novidade que isso atrai o público, e que os homens gostam de olhar para estas garotas. E que gera visitas e audiência para os sites.

Por que não há tantas galerias masculinas? Por que não há tanta demanda deste tipo de material. Faça uma pesquisa rápida com seus amigos e amigas, e você vai observar isso. A maioria dos homens possui interesse genuíno em observar o corpo feminino. As mulheres, nem tanto. Claro que há muitas mulheres que adoram admirar o corpo masculino. Porém, estas, não são em tanta quantidade quanto os homens citados acima. Várias das vezes em que vejo mulheres reclamarem da ausência de homens nestas galerias, elas os querem apenas pela sensação de igualdade. Das que solicitam por homens, a minoria os quer, efetivamente, para poder admirar com fervor.

Por que isso? Porque isso vai do gosto de cada um.

Acontece da maioria dos homens ter um gosto, uma vontade, de admirar corpos do sexo oposto.

A maioria das mulheres, no entanto, apresenta certa indiferença a esta admiração específica. Creio que seja mais coincidente que nós mulheres admiremos em nosso sexo oposto qualidades, digamos, um pouco mais austeras. Não é à toa o uso de palavras como "atletas masculinos" ao invés de "homens". Eles estão apenas focando o público alvo. Tendo conhecido que boa parte das mulheres admira os atletas não só pelo seu corpo, mas como um misto de esforços que o fez alcançar tal condição: treino, habilidade, esforço, força de vontade.

Não estou dizendo que isto é certo ou errado, apenas que é óbvio. Não sei se este gosto da maioria é causado por diferenças no padrão de pensamento impostas por variações hormonais de um sexo para outro, ou se são fatores aleatórios (sorte) de maioria pensar de determinada forma, tampouco dizendo que mulheres são obrigatoriamente diferentes de homens. Estou falando, exclusivamente, do gosto observado ATUALMENTE na maioria dos grupos de ambos os sexos. Se tiver desejo de questionar isso, faça uma média: Pegue 10 mulheres e as indague sobre quantas pensam, ao ver um cara bonito na rua, a seguinte frase: "PUTA MERDA, QUE CARA GOSTOSO. QUERO MUITO DAR PRA ELE. IMAGINA O PAUZÃO QUE ELE DEVE TER". Agora, faça o mesmo com amigos homens, mantendo as equivalências devidas ao sexo oposto. Você vai ver, (e com razão), que a frequência masculina é um tanto, digamos, maior. Por quê? Não sei, não é do meu interesse julgar o porquê disso, apenas apresentar o fato.

E a mídia nos oferece aquilo que a maioria deseja. O mesmo se aplica a gays, negros, lésbicas ou o que for. Se a demanda por galerias de qualquer um destes aumentar, nós obviamente as veremos com maior frequência. Se, em dado momento, o gosto da maioria das mulheres mudar, e elas desejarem ver fotos de homens gostosos em capas de revistas, sites, televisão, etc., pode ter certeza de que estas fotos surgirão de um dia para outro.

Haruka disse...

Parte dois:

Se vocês, mulheres, desejam ter tais galerias, basta solicitar. Quando a demanda for grande, eles o farão. Afinal, a mídia é feita para isso: entreter o público. Se quiserem criar galerias de homens gostosos, de sunga, ou mesmo com o pênis exposto, corram atrás. Eu sinceramente não tenho interesse, mas se há mulheres (e gays também) o suficiente com interesse, não vejo porque não. Ao invés de atacar o comportamento masculino, parem e pensem: eles apenas estão fazendo aquilo que querem. Façam também, todos nós podemos. Basta ter demanda.

Não adianta exigir que haja uma galeria de peixes hemafroditas se reproduzindo com cabras enquanto são devorados por serpentes simplesmente porque "poxa, não tem nenhuma assim, que preconceito!" se houverem 10 pessoas interessadas em vê-la. Por que qualquer site faria isso? Só porque é um preconceito imenso ter galerias de mulheres e não destes peixes?

Sim, meu exemplo foi absurdo. Mas ele é necessário. Se não, pessoas continuarão a pensar desta forma (quote do(a) amigo(a) D-Dimensões, que comentou ali em cima):

"Adiciono ainda que é extremamente ridículo dizer que os homens bonitões "enlouqueceram as mulheres" ou qualquer coisa do tipo. E outros homens, não podem gostar de ver homens sarados, não? Gays não estão incluídos porque? Ah é, esqueci. Porque são gays."

Não amigo, eles não estão excluídos porque são gays. Eles estão excluídos porque, caso você não saiba, tais fotos tem um certo custo financeiro para a criação destas galerias e, infelizmente, se não houver demanda o suficiente, o site não vê nenhuma vantagem em criá-las. Se vocês, principais interessados, forem em massa e solicitarem tais galerias e se mostrarem de fato consumidores de tal material, elas serão criadas, confie em mim. Essas galerias existem, ainda que em pequena quantidade, porque foi possível comprovar que há interessadas nelas. Esta parcela de pessoas interessadas provavelmente foram fruto de um estudo que chegou à conclusão de que maior parte das mulheres que tem interesse neste tipo de material curte caras sarados e musculosos. As galerias não são destinadas a gays pelo simples fato de que a mídia ainda não sabe o que os gays gostam, em maioria. E se fizerem um estudo e chegarem a conclusão de que o gosto de maioria dos gays não é por homens sarados? Pode não parecer, mas este tipo de coisa requer estudos sobre. A mídia se esforça para entregar exatamente aquilo que a maioria quer. Por que ainda não fizeram estudos sobre o que os gays querem? Provavelmente porque ainda não foi possível comprovar que eles são uma grande parcela de consumidores interessados. Em outros países, esta parcela já foi medida e está sendo levada em consideração. É possível que no Brasil ainda não haja demográfico o suficiente para tal pesquisa. Ainda somos pouco desenvolvidos no quesito de aceitação das diversas sexualidades, então temos muitos gays "escondidos". Se não soubermos da existência deles, não podemos analisar suas preferências e, consequentemente, oferecer aquilo que eles querem.

Por que você acha que tem tanta galeria de mulher por aí? Porque isso é visto. Muitas pessoas procuram por. Muitas pessoas visitam o site por. Muitas pessoas tem interesse neste material. Eu particularmente não tenho e não gosto. Odeio fotos de mulheres ou homens sexies. Mas e daí? Isso é MEU gosto, e gosto pessoal não se discute. Assim como é gosto destes homens ficar olhando para as "gostosas" das Olimpíadas.

Por favor, parem de exprimir o óbvio e sejam claros em seus objetivos. Uma análise de como os homens preferem ver as mulheres não nos leva a lugar algum, principalmente enquanto esta falar mais do mesmo. Todos nós sabemos disso, so, move on.

Anônimo disse...

excelente. disse tudo. e eu fico pensando. mil vezes jogadoras de vôlei (de praia e indoors) têm que ficar desenfiando o shortinho ou arrumando pq tá "entrando". se isso é questão de conforto... pq, né, se fosse conforto, elas usariam algum shortinho mais folgado e que cobrisse tudo em qualquer movimento.

uma coisa me deixou feliz: houve muitos casos de machismo e racismo, sim, houve. mas muita gente gritou. e eu acho importante a gente gritar nem que seja no twitter, em qualquer órgão responsável pq esse barulho acaba dando efeito (vide prudence). e, mais importante, fazendo com que muita gente acorde.a gente podia fazer um twittaço sempre que rolar uma coisa dessas. até pra matérias como:"fulaninha tem celulite". ah, cejura?

eu acho vários corpos bonitos. na olimpíada, amo a performance.

sobre essas galerias de fotos... não me espanta. quantas playboys com negras temos aí? e galãs negros? muitas negras, pra serem consideradas bonitas, mudam o nariz. ou seja, o traço no negro é rejeitado e a gente sabe disso.

mas que a gente consiga olhar a beleza além disso. pq existem mil tipos de beleza, gente. não é possível que todo mundo ache que o mundo é feito de capas de revistas photoshopadas. na minha época, ainda bem, as pessoas tinham poros, celulite, estrias... agora esse pessoal que foi criado com photoshop acha que todo mundo é loiro, sem poros, magro e penteado feito capa de revista o tempo todo.

sério, atletas são atletas. querem outra coisa, tem concurso de miss.

Anônimo disse...

e quem se lembra da edinancy? cara, coitada. o tanto que falaram dessa mulher! ela tava em concurso de miss por acaso?

Anônimo disse...

Nos EUA homem nunca usa sunga como traje esportivo (praia/piscina) a menos que seja pra fazer piada; mulher sim usa biquini por todo lado. É por isso que o uniforme feminino pode ser biquini X homem usando calção. Mas eu concordo com você que o uniforme das moças poderia muito bem ser um par de shorts e uma camiseta assim como usam os rapazes atletas.

Mariane disse...

Infelizmente, aprendemos tantas coisas erradas e depois de "crescidos" custa um pouco ter que identificar o que é nosso e o que enfiaram na nossa cabeça. Sempre que me vem algum pensamento estranho me pergunto se aquilo é meu mesmo. Se for, deve ser mudado; se não for, deletado.

Nos conhecemos melhor e nos damos conta de que não somos assim tão ruins quanto falam por aí. É tudo uma questão de começar a pensar por si próprio e descobrir nossas próprias verdades.

Anônimo disse...

Lola, e por parte de quem o cabelo da Gabby foi criticado? Foi criticado pelas próprias mulheres, assim como uma vez uma feminista criticou o seu cabelo... assim como uma amiga passou meses e meses no meu pé dizendo que eu deveria fazer isso e aquilo no meu cabelo até eu dizer pra ela que se importar tanto assim com o cabelo alheio é falta do que fazer e a partir daí ela calou o bico e, por uns e outros motivos que já interferiam no meu sossego, afastei-me dela. Bem, Lola, mulheres se degladiam por nada e por tudo particularmente no quesito beleza e aparência.

Alessandro RC disse...

Lola Aronovich, a musa dos Blogs Olímpicos hehe

Aquele tweet do Milton Neves foi uma piada! kkk

Eu aprecio e muito a beleza das atletas, mas em primeiro lugar, o ESPORTE.

Anônimo disse...

O preconceito é uma bosta. Li, vi e ouvi diferentes versões de como a beleza da mulher vem acima da performance esportiva dela. Lugar comum. Infelizmente não me surpreendeu tanto. Duplamente triste, eu sei. A surpresa maior que tive está relacionada aos comentários sobre os africanos nas Olimpíadas:

"Você viu aquele neguinho feio pra burro correndo que ganhou o primeiro lugar?"

E desde quando a aparência física deveria ser referência para um atleta que ganha uma medalha de ouro olímpica? Ah, esqueci, nesse caso pode, ele é preto e vem de um país ferrado (pobre). Tem referencial melhor? #ironia

Outra pérola:

"Você viu aquele africano desnutrido no atletismo?"

Ao argumentar que uma pessoa desnutrida jamais teria condições reais de competir daquele jeito, tive que ouvir:

"Porra, mas o neguinho era raquítico, só pode ser desnutrido. E olha de onde ele é, da África."

Aí eu peço licença pra ir bem ali porque seria perda de tempo tentar explicar biotipos diferentes ou como o atletismo pode transformar o corpo em muita massa muscular e pouca gordura...

Hunfs!

Carlos disse...

Cara autora, no planeta terra é assim... homens chamam atenção por fazerem algo de muito relevante e mulheres pela aparência.

Quem gosta de homem bonito são mulheres heterossexuais muito feias e homens homossexuais. Mulheres "criativas" e sem ser interessante pouco importa tanto para os homens heterossexuais tanto para mulheres homossexuais.

Em relação ao "racismo", 99% das pessoas que sofrem preconceito racial, querem se relacionar (amizades, namoro, casamento) com pessoas brancas. Isto não seria também preconceito?

Lucas disse...

"Depois me convença de que isso é ruim."

Matadora, Lola.

Letícia Rodrigues disse...

Fazer listas de "musos" não torna as listas das musas menos machistas. Pq quando o "muso" entra em quadra ou em campo para jogar, os comentaristas esquecem do cabelo, da bunda, e do uniforme deles, e se concentram no jogo. Com as atletas a objetificação se dá em tempo integral.

Dizer que listas de "musos" resolvem o problema é a mesma coisa que dizer que chamar atletas negros de macacos vai deixar de ser racismo quando os brancos passarem a ser chamados de macacos também.
Associar negros a macacos é, sempre, fazer uma relação direta com teses eugenistas que diziam que negros são uma raça inferior, mais próxima dos macacos do que outros seres humanos. Associar brancos a macacos poderia ter qualquer outa interpretação menos essa.

As listas de musas, e todas as outras formas de objetificação das atletas, são uma forma de se dizer que os esportes não são para as mulheres. Que o papel das mulheres na sociedade é outro. Que esporte exige força, é coisa pra macho, e que mulher tem que ser bonita e delicada. As listas de "musos" não passam a mesma mensagem.

Objetificar e assediar uma mulher sexualmente é a forma mais comum de se demarcar certos territórios como exclusivamente masculinos. Isso se dá quando uma mulher entra em uma profissão onde a maioria dos profissionais são homens. Isso se dá quando uma mulher circula em certos espaços públicos dos quais os homens se sentem donos. E é isso o que acontece também em competições esportivas.

Anônimo disse...

Haruka, e que menininha desde cedo é incentivada pelos pais para ir lá e pegar geral na creche? Que pais de meninas afirmam para os pais de meninos que a filha vai pegar aqueles menininhos todos? Que pais dão apoio e suporte emocional para a sexualidade das suas filhas? Essas meninas aprendem desde cedo que não é de bom tom manifestar a sexualidade. Será que essas idéias machistas não refletem no comportamento delas quando adultas? Será que a não manifestação do desejo de admirar corpos masculinos não seria uma consequência do meio sócio-cultural que vivemos? Um mecanismonde sobrevivencia? Ou será que só é gosto pessoal de cada mulher mesmo? Food for thought!

Anônimo disse...

Concordo sobre a questão social da discriminação sexista nos esportes, sempre notei isso, é por um dos motivos q não assisto Olimpíadas e nem nada que passe na televisão aberta brasileira, é tudo lixo sexista e lésbico. Ao esporem apenas a smulheres a mídia acaba por criar tendências lesbianas nas mulheres.
Vivo só de internet.

Cris disse...

Lola, alguém já te perguntou em outra caixa de comentários e vou te perguntar tb. Se puder, dê pra gente sua opinião sobre o grupo feminista Femen.

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/08/duas-novas-brasileiras-se-unem-ao-grupo-feminista-internacional-femen.html

Ana disse...

"Não sei se foi efeito de maior contato com feminista e com o feminismo, mas esse ano eu percebi uma overduso desse conceito de "musa"."[2]

É, esse ano foi de lascar.

@13:22
"as feministas acreditam que a masculinidade é uma “construção social”, não acreditam que os homens tenham uma natureza, acham que somos tábulas rasas que elas podem ensinar a pensar como elas."

Eu fui a única que não entendeu o que a biologia masculina tem haver com edição sexista de olimpíada?

Pessoa, numa boa? Eu acho que reclamar do tratamento absurdamente diferente de XX e XY nos esportes tá bem longe de tentar doutrinar homens.

Faz um exercício mental, se fosse o contrário - com homens usando só sunga pra tudo que é esporte e as mulheres cobertas do joelho ao pescoço - isso não te pareceria estranho? Se voccê se matasse jogando e todos os comentários sobre você fossem falando de coxas torneadas e abdômen tanquinho, seria bom?

Mulheres também reparam em homens, sabe. Mas não é engraçado que na hora de fazer a cobertura dos jogos 90% dos comentários sobre beleza sejam sobre mulheres? Ainda se fosse 50%/50%; mas não - o que se vê é um ataque massivo pra cima das mulheres, o tempo todo julgando se são belas ou não, quando o ponto não é esse.

É tipo ir pra um torneio de xadrez e ficar comentando só sobre os músculos dos enxadristas. Não faz sentido nenhum.

Eu realmente não entendi porque falar disso é tratar homens como tábula rasa. Qual é o seu argumento? Que a testosterona força os repórteres a fazer coberturas sexistas? O_o

Todo mundo tem hormônio sexual, sabe. Todo mundo tem instintos, desejos, etc etc. Todo mundo tem 'uma natureza', homens e mulheres.

E isso só nos ajuda mostrar como olhar em cima d@s atletas é estranho - porque se a coisa fosse biológica, teria comentários sobre desempenho e beleza pros dois lados igualmente, não?

E por favor se você pensar em dizer que 'é diferente porque mulher naturalmente gosta menos de sexo do que homem', não diga. Não passe vergonha dessa maneira, vai pegar mal.

@Janaina
"E então vc fica inibida pq há pessoas vendo sexo até no exercício de polichinelo"[2]

Na época em que eu era obcecada pela idéia de perder peso e caminhava horrores, essa era uma das coisas que mais me fazia sofrer - ter que sair na rua pra fazer esporte e lidar com os olhares.

Às vezes era um calor horrível e eu usando roupa preta - porque era a cor que mais escondia os contornos da roupa íntima por baixo. Sol fervendo na rua, e eu de calça comprida porque não tinha coragem de sair de short. Cheguei a usar um colant por baixo da roupa, porque queria que meus seios chamassem menos atenção.

E isso que eu era (sou?) feia, acima do peso e etc. Imagina as que já tem pinta de gostosa mesmo?

E AI de quem me disser que é exagero - TODOS os dias que eu saía era no mínimo uma cantada. A homarada que passava de bicicleta então, gzuiz - porque né, até eu virar pra dizer alguma coisa eles já estavam longe.

Era tênis surrado, calça comprida, camisetão velho até o joelho, cabelo desgrenhado, suor pingando - nada fazia efeito, eu sempre tinha que me esquivar das gracinhas.

Se você é mulher, você é atacada, não adianta. Objeto sexual 24/7.

PS: Janaina, esquenta com tamanho de comentário não :) Se isso importasse eu já tinha sido chutada do blog há muuuito tempo! KKKKKKK

Letícia Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lilian Soares do Nascimento disse...

Haruka.

Muito interessante a justificativa 'óbvia' e tão simples das coisas: "É isso o que eles querem". E ponto.

Oras, o povo da Roma Antiga também queria sangue, pão e circo.

E aí? O "óbvio" é capaz de legitimar algo como correto, moral e adequado? Pura e simplesmente?

Francamente.

Lilian Soares do Nascimento disse...

O feminismo (e as lutas contra todos os meus outros preconceitos) tem me ensinado tanto a ser mais feliz e mais livre... Para alguém tentar convencer de que isto é ruim, tem de ser muito iludido. [2]

Anônimo disse...

Quem é a atleta das axilas peludas? Mesmo que seja costume na sociedade em que ela vive, a equipe que a treina e a orienta sabe dos costumes dos países ocidentais qto a quesito aparência em público e esses pêlos dela podem ter sido a propósito para causar polêmica mesmo e dar notoriedade ao país de onde ela vem e a ela mesma tb... até mesmo contra a vontade da atleta; por trás de atletas existe toda uma armação pra que a/o atleta seja notada/o e muitas vezes até mesmo um escandalozinho ajuda na vida de celebridades.

Carol M disse...

Haruka, acho uma pena que vc não tenha conseguido ver tudo que o post se propôs a tratar. Ele não diz apenas o óbvio, ele aponta para uma mídia feita por e para homens heterossexuais. E a desculpinha de "ah, essa que é a demanda" não cola. A mídia pode existir por lucro, mas ela tem um papel social educativo também e portanto a obrigação de contribuir para mudanças sociais, ao invés de perpetuar preconceitos eternamente. Vc disse que não se interessa em avaliar a razão pela qual as coisas são diferentes entre homens e mulheres e vem reclamar do óbvio? Se as pessoas não avaliarem esses porquês ficaremos afogados no óbvio pra sempre!
Quais os estímulos para admiração física pelo sexo oposto são feitos para homens e mulheres? Quais são os padrões de gênero determinados q dizem quais são as reações adequadas para cada um? Se não analisarmos essas coisas nada vai mudar.
Quando vc diz que "as coisas são assim pq as pessoas preferem que seja assim", vc não ajuda a resolver o problema e quem não sai do óbvio é vc e não um post feito para que se pense nisso.

Anônimo disse...

De muito valor Lola trazer essa conscientizaçao sobre aspectos sociai nada louváveis... mas nao se iludam que a mudança nao vai chegar ao que Lola sonha a menos que ela fique contente em saber que essa conscientizaçao seja tomada em conta por nós que frequentamos o blog, daí sim... e no caso nao é preciso nos apoquentarmos com as Vera Fisher da vida... dado o devido respeito ao citá-la pra ilustrar meu ponto como poder ter citado Christiane Torloni, duas lindas.

Li disse...

Lola, obrigada pelo post. Vou encaminhar para uma amiga porque sábado mesmo estava conversando com ela sobre o padrão de beleza (discutindo se é cultural ou biológico).

Eu pessoalmente acho que essa história de padrão biologicamente determinado de beleza é uma furada. A prova mais clara disso é que os padrões mudam com o tempo (tudo varia de acordo com uma certa moda).

Além disso, o que é considerado belo em uma sociedade pode não ser em outra. Enquanto no Brasil há essa supervalorização de mulheres brancas e loiras, aqui na Alemanha mulheres negras africanas tem bastante espaço nas propagandas. Escrevi sobre isso no meu blogue.

Beijos,
Lívia

PS: Ainda não tinha te dado parabéns pelos 22 anos com o maridão. Mil abraços para vocês, seus lindos! :)

Anônimo disse...

Esse tal de Milton Neves é bem tosco mesmo. Como é que uma emissora abre horas e horas de sua programação prum sujeito com mentalidade como essa?

Letícia Rodrigues disse...

Haruka, homens que queiram ver mulheres bonitas em trajes e poses sexys podem visitar sites especializados em ensaios sensuais.
Se os grandes portais da internet quisessem atrair visitantes usando esse recurso poderiam criar galerias com fotos feitas com modelos que tivessem posado para elas com essa intenção.
Quem visita os sites atrás de notícias sobre as olimpíadas está atrás de uma boa cobertura das olimpíadas. Uma boa forma de aumentar o número de visitas desses sites é fazer bem esse trabalho, ao invés de ficar objetificando atletas que não estão lá para isso.
O problema aqui não é haverem menos listas de "musos" que de musas. O problema é o trabalho das atletas ser muito menos valorizado que o dos atletas. Dar mais importância a aparência delas do que a seu desempenho é uma forma de desvaloriza-las.

Stripolias disse...

A coitada da Gabby Douglas não escapou das críticas nem das negras. Li textos de ativistas dos EUA criticando a ginasta porque ela ALISAVA o cabelo, sem representar de verdade a mulher negra.
Tipo... não interessa o que ela faça em cima da trave de equilíbrio, sempre vai predominar sua cor da pele - até pra quem deveria, como ativista, defender o feito dela.

Pili disse...

atençao, Haruka
Comunicação é diferente de comércio.


Stripolias disse...

Ah, tem outra coisa. Quando se fala da beleza do corpo dos atletas, as pessoas esquecem que os atletas não exatamente BUSCAM o corpo perfeito. O corpo é apenas um reflexo dos exercícios e dieta regrada que eles devem ter para alcançar seu desempenho. Ou seja, mais uma vez se inverte o padrão - corpo é resultado, não o objetivo.

Dani disse...

E repararam na festa de encerramento das Olimpíadas? Foi chocante ver um número que tinha a participação de uma cantora inglesa chamada Jenny J - eram três homens, entre eles o Fatboy Slim, todos totalmente vestidos (um de camiseta, outro de agasalho esportivo, o outro ainda com uma espécie de terno). Cada um dos homens com um tipo físico diferente, um branco, um negro e o outro supostamente de ascendência latina. E aí entra a única mulher, com um maiô cor da pele (que nem preciso dizer que era branca, né?) com bordados. Justo, curto, decotado. Só se viam os bordados, por causa do fundo, e parecia até que ela estava nua. Foi chocante. Até pra quem diz "não reparar" nessas coisas, estava evidente a diferenciação...

Amanda disse...

Oi Lola!

Então. Minha mãe chamou atenção para a capa do "Diário Gaúcho" de sábado, ou domingo. A manchete era "O dia do ouro" - ou algo do tipo - acompanhada de três fotos: seleção masculina de futebol, seleção masculina de vôlei e boxe. A pergunta que ela se fez foi: e cadê a foto da seleção feminina de vôlei? E terminou com o comentário: quer ver que só elas vão trazer o ouro? E pois não é, que a minha mãe deu de vidente... hehe Só pra ilustrar, mais uma vez o machismo - que passa quase invisível - da mídia.

ps. comecei a ler teu blog há alguns meses, é excelente! Parabéns!

Lord Anderson disse...

Stripolias

Acho que o correto seria dizer que os atletas procuram o corpo perfeito para a sua modalidade.

Oq varia muito de um esporte para outro.

Andréa K. disse...

Lolinha, estava esperando que dissesse alguma coisa sobre as olimpíadas... E como sempre no alvo... Aqui em casa deu o maior bafafá em relação a isso, porque meu pai ainda pensa que mulher pra competir tem que ser bonita! "Olha que magricelinha" "olha que estranha" "olha que não sei o quê". Cortei-lhe na hora e falei que olimpíada não é o Miss Universo! (que aliás de miss já não tem mais nada!)

PS: Alguém me explica o que diabos Alessandra Ambrósio representa de "beleza brasileira"? Só se for "beleza brasileira de uma cidadezinha do sul do brasil". Não que ela não seja bonita, mas ser uma minoria de uma minoria no conjunto da obra (alta, esbelta, branca e européia) não representa as mulheres brasileiras, que são em sua maioria o oposto.

Alias, taí um bom post a ser feito Lola... Que merda de "beleza brasileira" é essa que não contempla os indígenas nem os afro-descendentes?

Será que beleza brasileira é beleza da mulher descendente de imigrantes europeus que nasceu no Brasil? Pelas conclusões que os gringos tiram, só pode ser! Infelizmente.

Ana disse...

(I)
@Haruka
""PUTA MERDA, QUE CARA GOSTOSO. QUERO MUITO DAR PRA ELE. IMAGINA O PAUZÃO QUE ELE DEVE TER".
(..)
Por quê? Não sei, não é do meu interesse julgar o porquê disso, apenas apresentar o fato."

Oi, se me permites desenvolver o assunto.... Me interessei pelo exemplo :)

Uma mulher com um discurso 'IMAGINA QUE PAUZÃO' é vista como pervetida.

Um homem com um discuro 'OLHA QUE BUNDA' é simplesmente um cara normal vivendo um dia normal de homem normal.

Ok, mulheres têm cada vez mais conquistado sua liberdade sexual. Já não é tão estranho, dependendo do ambiente, ouvir mulher falar de sexo e etc.

Mas se a gente vai olhar o quadro como um todo, ainda há pressão pra que mulheres mantenham suas taras escondidas. Um homem falando as coisas mais sórdidas, mais pornográficas, está seguindo a biologia. É mais que normal, é esperado, é natural. Mas o mesmo não se aplica a uma mulher - Tanto que existe o argumento de que "é assim mesmo", homem é louco pelo corpo feminino, mulher nem tanto pelo masculino. Quer dizer, o NORMAL, o natural pra uma mulher é NÃO ser tão sexual.

Claro, a gente pode acabar no ovo e na galinha - é a sociedade que reprime as mulheres; ou as mulheres são reprimidas mesmo e a sociedade só espelha isso (como dissestes, 'só é assim porque não tem demanda')?

Eu não vou dar uma de dona de verdade. Agora, se você me perguntar, eu acho que a diferença de comportamento em relação ao corpo do sexo oposto é, sim, cultural.

Se o tratamento da sociedade fosse igual com todo mundo e ainda assim a mulherada fosse mais 'tranquila', eu até podia dizer "realmente, é biológico, os homens pensam mais na coisa".

Agora, com a quantidade de preconceitos com a sexualidade feminina que se tem (se masturba? é lesbica. Transa um monte? É rodada, não tem caráter. ETC) eu acho bem mais sensato dizer que a diferença não é natural, ela é construída.

Pra mim, a diferença de comportamento em relação ao sexo oposto é mais fruto de uma sociedade que ainda reprime o desejo sexual feminino do que da natureza.

(...)

Ana disse...

(II)

Não acho que dá pra dizer que as mulheres só não tem oferta porque não querem, não quando não se dá liberdade pra mulheres terem qualquer comportamento sexual.

Mulher que gosta de sexo é puta, homem que gosta de sexo é, surpresa!, homem. Passando uma visão torta dessas adiante, como esperar mulheres competindo de igual pra igual?

Não vai ser o exemplo mais perfeito do mundo, mas vamos pensar:

Chamar um cara de 'galinha' implica que ele não consegue ter um relacionamento sério, mas não necessariamente que ele não tem caráter - afinal, homem é biologicamente programado pra querer ter todas as mulheres do planeta, né.
Já chamar uma mulher de'vadia' é algo pesado, com um série de implicações - ela não tem moral, ela não se dá valor, não tem amor próprio, não tem respeito, etc etc.

**desculpa, só consegui pensar nessas palavras agora. Quem tiver como melhorar o exemplo sinta-se a vontade.**

Eu não consigo ver a sociedade como uma ambiente confiável pra medir o quanto homens e mulheres são naturalmente sexuais, porque a própria sociedade já começa educando que mulher 'é assim mesmo, curte menos'. E se ela curte muito, bom, isso não é normal; logo, tem alguma coisa de errado com ela - e dá-lhe desfilar rótulos, de puta, vadia, rodada...
Coisas que não tem um porque de existir pra homens, porque né, eles são naturalmente sexuais.

O meu ponto é: realmente, não é tão comum ouvir 'IMAGINA QUE PAUZÃO'. Mas isso não pode servir de base pra argumentar que mulher não demanda material sexual, porque a verdade é que a mulher ainda não tem liberdade pra fazer essa demanda - Não sem correr riscos. Esse é um perigo que não existe, nem nunca existiu, pros homens.

Eu não espero mesmo ouvir 'PAUZÃO' tanto quanto eu ouço 'PEITÃO'. Porque uma mulher falando dessas coisas coloca em jogo muito mais do que um homem. Aliás, um homem não coloca nada em jogo - a natureza o fez assim, obcecado por peitos, e é até bonito ver que ele está indo conforme a ordem natural das coisas.

--

... Minha visão, sintam-se livrar pra discordar e agregar argumentos :)

MCarolina disse...

Tirado do Globo.com: "Com vento frio, tempo encoberto e temperatura máxima de 20ºC (caindo para 14ºC à noite), as atletas foram liberadas para usar calças e mangas compridas se os termômetros atingirem 16ºC ou menos. Foi o que fizeram as brasileiras Maria Elisa e Talita no domingo."

Entenderam? Elas jogam de biquíni obrigatoriamente, por contrato, para que suas bundas atraiam platéia. Os homens não, usam o que quiserem.

Mirella disse...

"Quem gosta de homem bonito são mulheres heterossexuais muito feias"

Ué, mas a Gisele Bundchen não casou com o Tom Brady porque ele era bonito acima da média para os padrões americanos etc etc green card bla bla bla bla wiskas sache??
A Gisele é uma heterossexual muito feia?

Letícia Rodrigues disse...

"mas, enfim, o que mais me incomoda, muito mais que a questão da diversidade, é a questão da mulher ser associada à beleza o tempo todo. poxa, e daí se uma mulher é feia?"

"então basicamente é isso, por ordem de importância:

1) beleza valer mais do que qualquer outra qualidade

2) a beleza ser muito mais exigida das mulheres do que dos homens

3) a beleza ter um padrão excludente"

"acho mais fácil a gente convencer a sociedade que pessoas feias merecem respeito do que convencer que pessoas feias não são feias, que não ver beleza nelas é errado, blabla."

Para Alice, machismo é mais grave que racismo - reparem na "ordem de importância".

Isso pq, na opinião de Alice, negros e outras pessoas que estão fora do padrão de beleza são feias mesmo. E não adianta ficar tentando convencer as pessoas de que "pessoas feias não são feias".

Eu fiquei com a seguinte dúvida: Será que a Alice é troll, ou será que é só racista mesmo?

OBS: Ainda que Alice não seja branca como diz, isso não a impede de ter interiorizado o racismo.

(Lola, tô mandando de novo, já que o primeiro eu apaguei - tinha um espação em branco que ocupou muito espaço na caixa de comentários)

yulia2 disse...

Milton neves, mais conhecido como milton FEZES... é um lixo de comentarista. Mal caráter ao extremo sem ética ,dele só poderia vir tal comentário, não estou surpresa. bem fez o Leão que colocou ele no seu devido lugar...

aqui está o vídeo mítico da resposta do Leão...

http://www.youtube.com/watch?v=QCAgBFT02Vg

Dayane disse...

Lola, concordo com tudo, só não com a parte em que vc diz que absolutamente tudo é construção social.
Eu acredito que nós recebemos diversos estímulos desde que nascemos, mas que já nascemos com um certo temperamento ou tendência a ceder a uns estímulos e aoutros não. Se fosse assim, duas irmãs, gêmeas idênticas, teriam características pessoais muito próximos, tirando fatores genéticos que podem influenciar um comportamenteo, cm a tendência a depressão.
Obviamente que nós somos esmagadoramente influenciados pela sociedade e cultura, mas se fosse só isso, a meu ver, não existiriam rebeldes e revolucionários.

Juliana Brito disse...

Primeiro: Meninos: nós, mulheres, adoramos ver homens bonitos! Sério! A gente adora andar na rua e ver um bonitão cruzar nosso caminho, sentar no banco ao lado, no ônibus ou estar na nossa frente na fila do supermercado. Nós adoraríamos que fosse feita uma galeria de fotos dos homens mais bonitos, dos atletas mais bonitos, dos artistas mais bonitos. Quando a gente diz que existem outras qualidades importantes (caráter, humor, talento, ambição, etc) significa que nós não nos casaremos com o primeiro bonitão que cruzar a nossa frente. Não inciaremos um relacionamento com ele, não o apresentaremos aos amigos, sequer sairemos com ele para um drink (a menos que estejamos muito desesperadas) apenas porque ele é bonito. Alguns homens acham que é suficiente ter uma mulher bonita ao seu lado, mesmo que ela seja uma porta. Nós, mulheres, no entanto, não queremos carregar um homem vazio a tiracolo. Além disso, culturalmente, somos educadas a nem fazer tanta questão da beleza se o sujeito atender a outros pré requisitos (afinal, culturalmente, o homem não é "obrigado" a cuidar de sua aparência). Isso não quer dizer que não gostamos de admirar a beleza masculina, assim, por simples "lazer contemplativo", ok?
Segunda coisa: quanto às musas, não tenho nada contra galerias de fotos de mulheres bonitas ou homens bonitos pra quem quiser admirar: modelos, artistas e mesmo atletas, por que não? Afinal, se seu foco não é participar de concursos de beleza, de qualquer forma eles trabalham seus corpos e ficam bonitos de se olhar. Mas acho que isso tem que ter o seu devido lugar. Existem reportagens sobre isso, espaços para se falar sobre isso. Agora, uma reportagem esportiva que se pretende séria ficar criticando a não depilação de uma axila ou o não alisamento de um cabelo em vez de falar do desempenho das atletas é muito triste! As fotos de atletas focando o lado sexual delas, é deprimente! Elas não estão ali pra isso. Existem ensaios sensuais por aí pra quem quer ver isso feito por gente que quer mostrar isso! As próprias atletas, muitas vezes, participam deste tipo de ensaio. Mas é feito de outra forma, com outro foco, e publicado em outro espaço. E as mulheres fotografadas sabem que tipo de foto serão e estão de acordo com essa exposição.
Terceiro: essa onda de ver musas em tudo, me parece mais uma forma da mídia de desviar o foco do que realmente interessa. Como se, uma vez que hoje temos mais acesso à informação, eles tivessem que, de alguma forma, não nos deixar ver o que está acontecendo de importante. Vão julgar o mensalão e seus escândalos? Então vamos falar da musa do mensalão pra mudar o foco. Vão falar dos problemas de sustentabilidade mundial? Vamos eleger as musas da Rio+20 e ninguém vai parar pra ler o que realmente interessa à sociedade. E o povo, besta, vai lá e fica babando a mulher do Cachoeira em vez de ver se ele vai ser condenado ou não.
Quarto: gosto, realmente é gosto. Não se discute (muito). Mas é claro que ele reflete nossos preconceitos e a quantidade de informação que recebemos para escolher (quer dizer, se só me mostrarem fotos de brancos, eu não tenho como dizer que o negro é bonito, porque eu não vi nenhum).

Janaina Ikeda disse...

Ana

Pois é, não adianta se vc está "relaxada" ou "vaidosa" sempre vai ter um infeliz pra te aborrecer, é um jeito para tirar nosso estímulo de praticar esportes.

Josiane Caetano disse...

Lola, adorei este post, como sempre vc falou tudo! Especialmente como foi dito no comentário do Stripolias, o corpo é uma consequência, não o objetivo das atividades esportivas- o que se dirá das olímpicas então!

Dayane disse...

Haruka, sua visão está certa, contudo, dentro de um contexto publicitári. Vc apresentou apenas explicações disso tudo acontecer já dentro desse contexto, como se todos fossemos máquinas e apenas respondessemos a demandas. E não é só questão de gosto pessoal, como você diz. mÉ uma questão muito maior. Os homens que falam "Nossa, que gostosa" foram incentivados a isso desde crianças, antes mesmo de sentirem desejos por mulheres. lembro-me d euma vez, quando eu era menina, em que um garoto menor que eu, de uns 5 anos, passou a mão em mim e me chamou de gostosa. Eu tinha uns 9 anos e ele uns 10. vc acha que ele já sabia o que estava fazendo?Acha que ele de fato,se sentiu atraido por mim?
Da mesma forma, quando eu falei uma vez a minhas amigas que certo cantor era gostoso, minha mãe me deu um baita sermão, dizendo como era feio uma mulher falar assim.
Os homens são estimulados desde crianças a terem esse comportamento, os p´´roprios pais os presenteiam com revistas pornográficas. Eu acredito sim, que os homens sejam mais visuais que as mulheres e até fiquem excitados só de ver, esse não é um problema, o problema é levar isso cm uma desculpa, usar mulheres cm se fossem apenas nacos de carne num açolgue, cm diz a Lula.

Anônimo disse...

PARA CARLOS

NÃO é no planeta Terra que os esteriótipos são generalizados. São questões sociais e culturais apegadas ao machismo que estão entranhadas na maior parte da sociedade.
O que importa de verdade NÃO é o que "chama atenção", mas, quem faz diferença no Mundo.
Um jogador como o Neymar que recebe muito mais créditos do que merece faz menos diferença que uma juíza, ou desembargadora que lutam contra as injustiças
Se "homem bonito" atraísse só mulheres tidas "feias"(porque ser "feia" não é defeito, nem qualidade, apenas característica, e tanto homens quanto mulheres bonitas podem ser feios e ter inúmeras qualidades), Angelina Jolie(casada com Brad Pitt), Gisele Bundchen(casada com Tom Brady), entre outras muitas belas mulheres casadas com homens bonitos. Quanto a homens homossexuais serem atraídos por belos homens, isto é óbvio e vc não contou nenhuma novidade,mas, não quer dizer que caras gays tb não possam se interessar por homens não tão belos.
Você colocou "Mulheres "criativas e sem ser interessante (o certo é serem interessantes, VAI ESTUDAR VIU?)" você quis dizer que uma mulher bonita e/ou charmosa NÃO pode ser: criativa, inteligente, talentosa, etc?
Homens heterossexuais inteligentes ficam atraídos por belas e atraentes mulheres, mas, são muitas outras qualidades que garantem um relacionamento.
Já vi muito cara hétero e lindo com mulheres ditas "fora do padrão de beleza".
O padrão é imposto pela mídia, ser ou não ser bonito(a), atraente varia da visão de cada um.
De onde vc tirou que " 99% das pessoas que sofrem preconceito racial" foi do Instituto "Vozes me disseram" ou do "Sou um retardado e me orgulho disso".
NÃO é um racismo da TUA parte achar que pessoas que sofrem preconceito racial(negras, asiáticas, indígenas, árabes, etc) NÃO podem se relacionar com pessoas brancas?
nÃO acredito no tal 99%, mas, se um dia chegasse este valor, e daí, isto é problema teu?
Pessoas não se envolvem com outras(pelo menos a maioria) somente por questões raciais e de beleza. O que conta em primeiro lugar para pessoas se envolverem é: afinidade, sintonia, atração, interesses em comum, etc. Afirmar que pessoas de variadas raças querem se envolver com pessoas brancas(que aliás é apenas mais uma raça) apenas por questão de pele, é muita leviandade, cara de pau, ignorância e racimos, sim da tua parte.
Antes de vomitar pré-conceitos, vá estudar, tente se tornar um homem de verdade que vê a mulher como um todo, não como um mero pedaço de carne, tente se tornar um ser humano melhor, ou saia do armário, e pare de encher o saco!

Sawl

Anônimo disse...

Haruka, vc disse que o post trata do óbvio... mas é óbvio, né? se o post tratasse de algo obscuro a gente teria de sair investigando antes de fazer comentário e seria um comentário lidando com NOVIDADE e qdo se trata de novidade a gente nem sempre teve o tempo neessário pra fazer uma opiniao sobre o assunto e daí vai comentar abobrinha.

Depois vc diz que o que os homens apreciam nao é NOVIDADE... oras acontece que isso nao ser novidade já está indo longe demais até mesmo podendo destruir grande pontencial em mulheres que poderiam chegar ao ápice naquilo em que intelectualmente elas têm potencial, e aqui é apenas um exemplo... afinal entre duas atletas igualmente boas, a feiosa pode ser a melhor entre as duas e tá na hora da gente botar abaixo isso que vc diz nao ser NOVIDADE.

Além do mais, seu post foi longo demais para um comentário e no caso vc poderia ter submetido o texto para um possível Guest Post a ser publicado amanha. Ou publicar lá no seu blog mesmo pra gente ler hoje.

Flávia disse...

Comentários como o da Haruka ("vocês não enxergam o óbvio, tolinhxs") me dão vergonha. Sinceramente. É muita preguiça de pensar, gente. O mundo se resume a públicos-alvo. PFVR.

Anônimo disse...

Mulheres negras americanas querendo se aparecer saem buscando lero-lero com o cabelo entre elas mesmas. Nao alisa? Ai que feio, que desleixo, que falta de feminilidade. Alisa? Tá traindo as raízes africanas, que falta de solidariedade para com as mulheres nossas hermanas do continente africano. Gabby é capa se nao me engano da revista People, sorridente, vencedora, com tudo de bacana escrito sobre ela e o respectivo desempenho nas Olimpíadas 2012 e mais ainda.

bruna disse...

Pois é Lola, como vc disse, não é fácil enxergar a beleza fora da que nos é imposta...
mas também é uma questão de querer, e aceitar que nosso pensamento muitas vezes é racista e preconceituoso!

Mesmo não tendo acompanhado muito, amei os jogos!!

P.S. só gostaria que as meninas da natação brasileira dessem uma resposta à altura para Thiago Pereira =P

carolinapaiva disse...

Haruka

A parte óbvia que vocês esqueceu é que a propaganda é feita para influenciar, em maior ou menor grau.
Você certamente já ouviu falar na expressão "sexo vende", né?
Então, hoje em dia, não se usa propaganda apenas para vender produtos, mas para ter maior visibilidade.
Um portal de notícias quer ter visibilidade, e o jeito mais fácil de obter isso é repetindo fórmulas que funcionam e que tenham a ver com sexo.
A parte da demanda não é exatamente assim como você fala. É muito mais uma questão de repetir padrões do que atender aos anseios da demanda.
É incentivado que homens não só admirem o corpo das mulheres (como nós fazemos), mas que mostrem pra todo mundo o quanto admira mulheres (exaltar a masculinidade e não passar por homossexual).
Há um elemento biológico sim, afinal somos animais e sexo sempre chamará nossa atenção. Mas o que apontamos aqui é o constante apelo sexual. Que eu saiba, algo natural não precisar ser incentivado ao extremo para aparecer, pois já é natural.
O problema é que somos influenciados socialmente sim, e tendemos a nos comportar conforme a sociedade a nossa volta. Digo que é uma tendência, pq muitos questionam os valores da nossa sociedade.
Ignorar o elemento cultural e o incentivo a ver sexo em tudo como algo nocivo é perigoso.
E por falar em obviedades, o exemplo mais óbvio de que uma mídia hiper sexualizada é nociva é a erotização infantil. Os jovens estão sendo estimulados sexualmente cada vez mais cedo, através dos meios de comunicação, o que aumenta o risco de gravidez na adolescência e a transmissão de DSTs.
E sabe porque os jovens não tem se cuidado? Porque a mídia só mostra o sexo como algo atrativo, sem consequências. E a educação sexual como fica? Ainda é tabu por aqui.

Carol disse...

"Quem gosta de homem bonito são mulheres heterossexuais muito feias"

Nem sei quem foi o palhaço que disse isso, mas tenho amigas que estão dentro desse padrão de beleza e TODAS gostam de homem bonito, aliás já conheci várias meninas lindas que tem bom gosto, isso parece ser o mesmo tipo de gente que acredita que mulher não tem interesse por sexo

Leandro disse...

Lola, não sei se vc sabe, mas no Polo Aquático masculino, depois que começaram a colocar câmeras sub-aquáticas, os atletas homens foram obrigados a usar duas ou três sungas, pois na briga pela bola e na marcação muitas vezes se arranca a sunga do adversário.. o recurso da câmera começou a ser usado nos jogos de Sidney e foi um "escandalo" na época...

alice disse...

leticia, não viaja.

o que eu disse exatamente foi que é mais fácil convencer as pessoas a darem um tratamento igualitário a quem elas consideram feias, do que faze-las ver beleza onde nao veem.

pq beleza/feiura não é só uma questão pública, mas privada tb. as pessoas tem todo o direito não se sentirem atraídas por negros, gordos, muito baixos, muito altos, narigudos, orelhudos, ou seja lá o que for.
eu acho certo? eu não, eu consigo achar um monte de gente fora do padrão bonita, mas pq me eduquei para isso. antigamente eu tb era bem limitada a só ver beleza em alguns tipos.
e a verdade é que os outros podem não querer mudar como eu e ninguém pode força-los. quem sai perdendo são eles mesmos que não se permitem conhecer mais pessoas, mas eles tem esse direito.
oq não pode ocorrer de jeito nenhum é estenderem essa falta de atração sexual a outros campos da vida delas, i.e. à esfera pública. nisso sim elas podem ser obrigadas a não discriminar.

sim, eu acho menos grave considerarem uma pá de gente feia (se vc for parar pra analisar, a MAIORIA das pessoas é considerada feia), do que considerar que METADE da população não precisa ser necessariamente bonita, e a outra metade precisa. pode parecer estranho, mas é mais "equânime" vc discriminar 99% das pessoas (todos os ditos "feios") do que discriminar especialmente as mulheres. eu sou contra a objetificação dos homens e a exigência de um padrão de beleza para eles, mas acredito que só quando eles foram cobrados na mesma medida que as mulheres, sejam ambos para mais ou para menos (assim espero), é que o sexismo vai começar a sumir.

eu sinto na pele essa discriminação, já que nao ha nada em mim, fisicamente, q esteja dentro do padrao. se eu n for discriminada por racismo (cor da pele, cabelo, nariz, labios), serei pela gordura (tamanho, forma, textura). acho totalmente absurdo que homens gordos e negros sejam mais respeitados do que eu, só pq são homens. poxa, se eu fosse homem, ou eles fossem mulheres, seriamos exatamente iguais. pq diabos é mais grave q eu seja considerada feia? vc nao tem a menor noçao do q é ser xingada de "gorda" e "feia" por homens mais gordos e feios que você. ESSA é a minha vida. eu nao me iludo q as pessoas da noite pro dia comecem a me achar bonita, caguei pra isso, mas quero ser tratada com respeito, pelo menos o mesmo respeito com que homens feios sao tratados.

sobre ser troll, eu não entendo pq vc acha isso, já q fiz um comentário racional e argumentei com educação.

sobre racista, sim. eu sou um pouco, da mesma forma q apontei os comentarios da lola sobre atores bonitos. eu tento deixar de ser, sei que quase todo mundo é, inclusive negros, como vc mesma reconhece. o racismo é estrutural, está impregnado e é difícil de se combater, é muito difícil descondicionar disso. se vc não é assim, parabéns, só conheço umas 3 pessoas que não são.

eu obviamente não discrimino negros ou gordos, mas ainda me vejo, intimamente, considerando pessoas brancas/magras como bonitas automaticamente (do tipo q pensa gratuitamente "uaaaaau, q pessoa linda"), enquanto que para negros/gordos isso não funciona assim tao rapido, eu preciso me concentrar pra acha-los bonitos, nao acontece na mesma proporçao, etc. (isso me inclui, se eu ficar pirando de me avaliar, eu me acho feia tb).

em vez de reduzir meu comentario a "alice racista/troll", pq nao tenta me apontar pq seria mais rapido/pratico/util/eficaz fazer de outra maneira? dizer pra mudar a educaçao das crianças é aquela coisa obvia, mas eu ja sou adulta, vou viver nesse mundo adulto por muitos anos, e tenho urgencia q as pessoas com quem eu vou conviver, me respeitem. se quiser argumentar, estarei ouvindo.

Monique disse...

Se fosse a demanda, a midia nao gastaria tempo falando sobre MMA,por ex.

alice disse...

sério, olhem essa imagem q o andre colou http://kibeloco.com.br/wp-content/uploads/2012/08/Feias-Londres-2012.jpg

e comparem com os caras escolhidos http://kibeloco.com.br/wp-content/uploads/2012/08/Feios-Londres-2012.jpg

eles fogem MUITO mais ao padrão q elas. algumas delas (numeros 2, 3 e 5) estão totalmente dentro do padrão, só não estão arrumadas na foto. outras, como as numero 6 e 17, tem um rosto lindo, mas são levemente gordas. a 19 e a 20 n são feias, são apenas negras! a 12 de cabelo solto escondendo a orelha deve ser considerada super bonita.
ja os homens, sao quase todos cabeçudos, tortos, vesgos, orelhudos, com a pele bixiguenta, nariz feio, olho de maluco e cabelo horrivel. o kibeloco basicamente diz q os escolhidos e escolhidas são equivalentes em feiura. nao sao.

Ansiao disse...

Não vi as olimpíadas. Não vejo televisão. Acho muito triste a mídia dar exposição a atletas do sexo feminino mais por sua beleza do que por sua habilidade no esporte.
Na questão do racismo, acredito que as olimpíadas foram muito importantes. Eu me lembro ainda do Jesse Owens, e dos argumentos dele sobre o esporte estar acima da política ou da guerra. Ou daquele Eric (agora esqueci o nome) sozinho na piscina.

No entanto, eu discordo que a maior parte das modalidades olímpicas sejam iguais para os dois sexos. Elas não são e não podem ser.

Also, faltou mencionar que os jogos olímpicos originais não eram tão "inclusivos" como os de hoje e eram muito mais apelativos. Só competiam homens, e totalmente nus.

Artemis disse...

Lola, sei que está um pouco fora de assunto deste seu último post, mas ultimamente você andou postando sobre propaganda. Acabei de ler uma matéria "jornalística" sobre carros no suplemento Carros etc do jornal O Globo de 08 de agosto de 2012, sobre o novo Citroen C3 e fiquei horrorizada sobre como o jornalista Jason Vogel elogia o novo modelo a partir do afastamento da imagem de "carro feminino" do antigo C3, querendo valorizá-lo por sua nova "masculinidade". É simplesmente escroto. Acho que vale a pena dar uma olhada e vou reclamar para o jornal.

Rachara Caxola disse...

Vale lembrar que na Grécia antiga os jogos olímpicos era principalmente um culto ao corpo e os atletas competiam nus. E existia um conceito de beleza física, ou seja, um padrão de beleza daquela época. Por isso não me admiro que surjam inúmeros comentários a respeito da beleza das atletas.. isto está ligado a origem da olimpiada. A culpa, na verdade, é dos gregos.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Esse tratamento desigual é no mínimo irritante. Me passa a impressão que o mundo é uma grande passarela onde homens estão para avaliar e serem agradados e mulheres estão para desfilar, querendo ou não. Se a mulher optou por ser modelo, funkeira, qualquer profissão que o principal é ser julgada pela beleza vá lá, mas se não optou por isso, é desrespeito, principalmente do modo como é feito, geralmente à revelia delas.
Se fizessem essas coisas de um modo mais light, sem essa overdose e fosse feito o mesmo com homens, seria uma coisa mais saudável, porque não ficaria essa impressão desigual de um agradar e o outro ser agradado. Fica parecendo que só homens são telespectadores e mesmo assim, duvido que alguém consiga assistir horas de um esporte que não gosta só porque tem mulheres seminuas.

kika disse...

Ana
Concordo com você, nós somos "castradas sexualmente" desde cedo. Quando crianças, se nós tocarmos, vamos ser repreendidas , se for guri ta tudo bem. Frequento um salão e o cabeleireiro sempre tem a G magazine, todas as clientes dele( independente de idade) pedem para olhar, ficam extasiadas com os corpos nus. Por que será que essas mesmas mulheres, não compram a revista? Por que seriam julgadas por isso. Não é visto como natural esse comportamento na mulher.

B. de Campos disse...

Foi um dos melhores posts de todos os tempos =)


Gostei muito, Lola!

Abraços!

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Outra coisa: o comentário do Milton Neves foi totalmente inconveniente e desrespeitoso, mas todo mundo acha normal, é só uma piadinha...
Agora imagina se uma das atletas se sente ofendida e resolve responder fazendo qualquer ironia a respeito da aparência dele, aí o mundo vai abaixo, ela vai ser a grosseira, a histérica, mal-humorada, mal amada, afinal ele não está ali pra ser julgado pela aparência dele...

Anônimo disse...

"Por quê? Não sei, não é do meu interesse julgar o porquê disso, apenas apresentar o fato."

A diferença entre nós e vocês é essa. Vocês olham o mundo à sua volta e dizem: é assim porque é assim, porque tem que ser assim e pronto.
Nós questionamos, queremos saber o porquê, analisamos, comparamos, vemos se há algum incômodo, trocamos ideias, saímos do lugar comum.
É do segundo tipo de pessoas que costuma vir as mudanças. O primeiro tipo parece que só segue o que está acontecendo no momento.

Bruno disse...

"as feministas acreditam que a masculinidade é uma “construção social”, não acreditam que os homens tenham uma natureza, acham que somos tábulas rasas que elas podem ensinar a pensar como elas. Não importa que toda a nossa educação seja feita por mulheres, muitas vezes fortemente influenciadas pelo feminismo ou valores modernos como um todo, elas ainda acham que quando um homem não age da forma que elas exigem é falta de que se pregue mais feminismo, que se pode mudar a natureza masculina através de doutrinações."

Fui criado por uma mãe feminista e posso dizer em resposta ao excerto que reproduzo acima que em casa não houve nenhuma doutrinação ou qualquer coisa do gênero, do mesmo modo, não considero que minha natureza masculina tenha sido mudada em qualquer aspecto. O que aconteceu é aprendi desde cedo a respeitar as mulheres, a enteder que elas não gostam de receber cantadas no meio da rua, que uma mulher inconsciente precisa de ajuda não de sexo, que minha irmã tem direito de fazer tudo que eu também possa. Isso eu chamo de boa educação, educação civilizada, não de doutrinação.

Danizy Costa disse...

É muito chato, falta de reconhecimento, banalização das atletas, no caso de Gabby foi muita futilidade dar mais atenção ao seu cabelo que a sua conquista. As próximas Olimpíadas serão por aqui, com certeza irá acontecer o mesmo, e talvez de maneira ainda mais ridícula.

Anônimo disse...

realmente, Caxola, os gregos sempre se atinaram na beleza em tudo e nisso se formou a cultura helênica até hoje imitada. o ser humano ama o belo ou o que considera belo. e isso varia de cultura para cultura, por isso temos de ser tolerantes e muita pressao, querer forçar a barra acabando saindo o tiro pela culatra pois o lado que tem mais força mais e mais vai se empenhar na medida de forças e ganha já sabemos quem... nao as gregas... abraço!

Anônimo disse...

"Primeiro: Meninos: nós, mulheres, adoramos ver homens bonitos! Sério! A gente adora andar na rua e ver um bonitão cruzar nosso caminho, sentar no banco ao lado, no ônibus ou estar na nossa frente na fila do supermercado."

Curioso que hoje mesmo eu pensava um pouco sobre isso andando pelas ruas.
Me desculpem o comentário bem superficial, mas comecei a me perguntar como seria se os homens investissem mais na beleza, cuidassem mais do corpo, fossem mais cobrados em relação ao físico e às roupas, se arrumassem mais para sair às ruas, como as mulheres fazem. Porque a gente sabe que a maioria das mulheres se emboneca toda e a maioria dos homens, do jeito que estiver em casa sai.
Duvido que a maioria das mulheres acharia isso ruim.

Lilian Soares do Nascimento disse...

Eu não acredito que estão comparando a olimpíadas de 2012 com as da Grécia Antiga... Época em que escravidão e lupanares em que mulheres prisioneiras de guerra eram obrigadas a se prostituir...

A Olimpíada Grega foi uma forma muito inteligente de política, uma competição saudável de supremacia entre as polis através do esporte.

Anônimo disse...

O que eu penso sobre o racismo é perfeitamente exprimido por este trecho da escritora Ayn Rand, que traduzo a seguir:

O racismo é a forma mais baixa e cruamente primitiva de coletivismo. É a noção de inferir significância moral, social ou política à linhagem genética de um homem -- a noção de que traços intelectuais e de caráter são produzidos e transmitidos por sua química corporal interna. O que significa, na prática, que um homem deve ser julgado não por seu próprio caráter ou ações, mas pelos caracteres e ações de uma coletividade de ancestrais.

O racismo afirma que o conteúdo da mente de um homem (não seu aparato cognitivo, mas seu conteúdo) é herdado; que as convicções de um homem, valores e caráter são determinados antes de ser nascido, por forças físicas além de seu controle. Essa é a versão do homem da caverna da doutrina das idéias inatas -- ou do conhecimento herdado -- que foi meticulosamente refutado pela filosofia e pela ciência. O racismo é a doutrina dos, e para os brutos. É uma versão "de celeiro" ou "pecuarista" de coletivismo, apropriada para a mentalidade que diferencia as várias criações de animais, mas não entre animais e humanos.


http://www.freedomkeys.com/ar-racism.htm

Entretanto, vou ter de discordar com o que a parte em que a Lola fala "Se você quiser mesmo ser diferente (...) [t]erá que recondicionar seu olhar e treinar ver beleza em outras raças, idades, tipos físicos, gêneros, orientações sexuais, que não o padrão único."

Acho idiotice a pessoa tentar forçar na própria mente, ou na de outras pessoas, que todos são igualmente bonitos e blá blá blá. Beleza, ou ausência dela, não tornam ninguém intrinsecamente melhor ou pior do que ninguém. Não é com esse "comunismo estético" que faremos a humanidade melhor. Isso me parece, aliás, uma condescendência deplorável, peninha mesmo, para com os atletas de outras raças.

Não acho que o/a autor/a daquele tumblr deveria "abrir cotas" entre as postagens pela "diversidade", se ele/a não encontra pessoas de outras raças que o/a agradem. Uma conta no tumblr é gratuita e livre para quem quiser criar um e postar os atletas que o/a agrada para seu próprio público. Vão lá.

Bruno disse...

Lembrou-se num comentário aqui que os gregos competiam nus nas Olimpíadas, tempero esta ponderação lembrando que só homens podiam tomar parte nelas. Era vedado às mulheres competir. Alguns inclusive apontam esta como uma das razões para a nudez: os atletas competindo nus provariam que não eram mulheres.

Anônimo disse...

noto aqui uma troca de grosserias ou algum ataque de graça... lembremo-nos do post de ontem e consideremos que qualquer de nós a partir de amanha poderá nao estar mais presente forever, entao sejamos tolerantes nas respostas aos comentários que nos deeem nos nervos.

Anônimo disse...

O cachorro late por princípio. - E isso cai bem pro tal Mílton Neves, um grosseiro de marca maior por princípio.

Rebecca souza disse...

Como dizem aqui no Pará``ègua,lola vc acertou muito no post hj`´>sou da Seleção paraense de boxe e hj quando fui treinar o grande debate,entre as meninas era o fato que nas olimpiadas do rio será implantado o short saia em nossa modalidade,a desculpa da confederação é que assim , o esporte fica esteticamente bonito,ou seja mulher de short nem pensa,o negocio é amostrar as pernas de maneira mais sensual.Isso sem contar que td a atleta de luta desportiva logo é taxada de``sapatão´´com tds as letras.Mas seguimos em frente pq como já diria adriana araujo ,nossa medalhista:Essa medalha serve para calar a boca do presidente da Confederação, que nunca acreditou em mim e no boxe feminino`` ah e só pra constar hakura ,quando eu (e muitas amigas )vemos o alison do volei eu falo em alto e bom som:"PUTA MERDA, QUE CARA GOSTOSO. QUERO MUITO DAR PRA ELE. IMAGINA O PAUZÃO QUE ELE DEVE TER`´,ora eu tb tenho desejos e hormonios e se um cara me atrae fisicamente pq não posso verbalizar?acredite muitas mulheres pensam assim ,e se não verbalizam é por vivermos em uma sociedade que a mulher só deve pensar em sexo com um marido na cama.

Anônimo disse...

Olá Lola, comecei a acompanhar seu blog por indicação de uma ex-namorada e acabei por ficar dando uma eventual lida, no começo achava suas opiniões um tanto exageradas, mas essa semana ocorreram algumas coisas que para mim foram impossíveis de não relacionar à cultura de estupro e objetificação que por vezes achei exagerada. Moro em uma cidade interiorana, minha namorada participou de uma reunião com um professor da Universidade da capital, por estar interessada em ingressar em um mestrado e assim poderia começar a formular o projeto. Passadas algumas semanas o professor ligou para ela em uma sexta à noite dizendo que estava na cidade e que queria vê-la, depois comentou que a prova é apenas uma formalidade, que ingressa no mestrado quem é interessante ao professor. Isso foi extremamente ultrajante, ela teria que se submeter aos interesses de alguém que possui um tipo de poder para ingressar em uma universidade pública, o interesse, esforço e desempenho acadêmico feminino ficam excluídos como se não fosse possível associar mulheres e arividade acadêmica, a frustração foi tamanha que esse progrma de mestrado saiu dos planos dela. Passados dois dias estava pegando caronna com uma amiga e colega de trabalho e ela começou a falar que tinha cursado uma disciplina na especialização e estava sem saber se seria aprovada, pois o professor ficou dando em cima dela no decorrer da disciplina sem ser correspondido e a avaliação final foi super subjetiva. Para mim ficou impossível não reconhecer o favoritismo que me cerca por ser um homem, jovem, branco e com educação superior, não que a vida seja fácil, pois a pobreza foi uma constante em minha vida, mas é extremamente vergonhosa a situação a que meus congêneres submetem nossas companheiras, amigas, mães e irmãs, tudo isso sendo constantemente realimentado pela mídia faz com que mesmo pessoas "esclarecidas" não reconheçam o sofrimento imposto a outros

Allice disse...

Sobre a Gabby Douglas, só tenho uma coisa a dizer sobre as críticas ao cabelo: lamentável!

A primeira coisa que meu namorado e eu reparamos a primeira vez que a assistimos nas olimpíadas foi nas pernas dela, mas não por estática mas POR COMO A MUSCULATURA ERA FORTE E BEM DEFINIDA! Depois vimos como ela era FORTE e que aquela musculatura toda deve ter sido fruto de muuuuuuitas horas de treino (fiz ballet um bom tempo e reparo muito na estrutura dos atletas). Ela fazia tudo parecer fácil! Gabby Douglas é extremamente forte e dá pra notar só vendo essa mulher andar até os aparelhos, musculatura nervosa, de fazer inveja à qualquer ginasta. Viramos fãs dessa garota, sem querer rasgar seda, mas a muito tempo eu não via um físico tão impressionante em uma ginasta! Desculpem o palavreado, mas quando vi aquela musculatura já sabia que ela é FODÁSTICA!

Sinceramente? Ela não precisa mesmo se preocupar com nada, é fantastica e o físico dela, a nível atlético se mostra totalmente preparado. Acho que esse tipo de estética é válido se avaliar porque é um critério TÉCNICO, ela tem uma linha muito bonita e francamente? Cabelo??? Pelo que eu saiba o importante para ser uma ginasta competente ela tem: físico e treino!
Sou uma fã e vou acompanhar essa mulher de perto agora que as olimpíadas acabaram!

Janaína disse...

"Por quê? Não sei, não é do meu interesse julgar o porquê disso, apenas apresentar o fato."

Pois é, né. Se você quer continuar assim, à vontade.

Mas milhares de anos de evolução me deram um cérebro por um motivo, e eu faço bom uso dele.


Rebecca, eu também. Me ESBALDEI nos jogos de polo aquático, principalmente no final, que mostrava os jogadores fora da água e sem as toucas. Só se ouvia "MULTIPLICA, SENHOR!", "ME PEGA, SEU GOSTOSO!" e nas comemorações deles "COMEMOREM COMIGO, BANDO DE TESUDOS!".

E na rua, se passa um cara gato, eu olho MESMO. E se as pessoas em volta não gostarem, problema delas. Eu continuo andando na boa, nariz empinado, camiseta de banda de black metal mais underground possível, All Star e cabelão preto bem cuidado, thanks. Quem não gostar, enfia o dedo no ** e gira. Minha cara de preocupada.

L. disse...

Alice, fica gel que acho que a maioria das pessoas funcionalmente alfabetizadas entenderam sua postagem. Acho que estão querendo aproveitar o clima olímpico para organizar umas Olimpíadas da Opressão, na qual você é obrigada a se incomodar mais com a existência de convenções de beleza do que com a supervalorização da beleza para mulheres, como se o maior incômodo com uma forma de discriminação implicasse no efusivo entusiasmo com a outra.

Allice disse...

PS: o que está me preocupando desde já sobre as Olimpíadas de 2016 é a síndrome de tapete do cachorro com diarreia que vejo na minha timeline o tempo todo.

Puxa, será que o Brasil não tem nada de bom? Eu vejo inúmeros problemas mas eu amo meu país, não concordo com sediarmos porque temos inúmeras outras prioridades e os preços vão subir, é um evento que beneficia classe média e alta e exclui muita gente e esse blá bla bla todo, mas apesar disso, já que tenho que engolir eu ACREDITO SIM que nossa cultura é muito rica, só que as pessoas estão reduzindo-a aos hits do verão, puxa, elas tem seu tempo e passam galera.

Parem de se depreciar o tempo todo, já que estaremos no centro do mundo, vamos mostrar que temos boas coisa também! Ontem muita gente meteu o pau dizendo que Brasil não era só Rio, mas esqueceram que o Rio será a cidade sede!

Bem...espero mesmo que nossa auto-estima melhore, porque por enquanto só vejo gente que reclama e não faz nada pra melhorar a situação.

Allice disse...

L.
Me entusiasmei sim, porque há anos não via desempenho como aquele.

Com ou sem preconceito dos outros eu sentia isso antes.

Anônimo disse...

21:19iilian Soares Nacimento
nao estao comparando, Lilian... estao apenas fazendo uma tênue retrospectiva histórica... ai se nao fosse aquela figura assustadora no alto da página do seu blog, eu te visitaria outras vezes... fui lá e nao dá pra encarar aquele par de zoio assustador... sorry.

Anônimo disse...

Alice, desde o princípio tudo me pareceu OK com seu comentário... vi nada a ser recriminado. Até gostei do que vc escreveu. Compactuo.

Fábio RT disse...

Cara... eu casaria com várias mulheres deste blog :)

Letícia Rodrigues disse...

Alice, o que vc disse, exatamente, foi:

"acho mais fácil a gente convencer a sociedade que pessoas feias merecem respeito do que convencer que pessoas feias não são feias, que não ver beleza nelas é errado, blabla."

Aqui o que vc disse foi que devemos assumir de uma vez que negros - e outras pessoas fora do padrão de beleza - são feios sim, e defender que os feios também merecem respeito.
E ao dizer isso vc foi racista. E ser racista, como vc foi aqui, não é melhor do que ser machista.

Se mulheres negras sofrem mais com a cobrança em relação a sua aparência é pq existe aí uma soma de machismo e racismo. E os homens negros e as mulheres brancas também sofrem com isso em menor grau. Não há pq achar que o racismo tem menos peso nessa equação.

Se diz por exemplo que cabelo crespo é feio e por isso tem que ser raspado ou alisado. Aí se o homem não raspa ou a mulher não alisa os dois sofrem uma discriminação racista. E a mulher sofre também uma discriminação machista pq, como é mulher, tem obrigação de ser bonita.

Aí vc vem aqui e diz que a solução é assumir que o cabelo liso é bonito e o cabelo crespo é feio, mas os feios que tem cabelo crespo tem que ser respeitados! Sim, vamos continuar dizendo para crianças negras o quanto as achamos feias, vai ser ótimo para a auto-estima delas! (E pode ter certeza, dizer para os meninos negros que eles TEM que raspar o seu "cabelo feio" também afeta a auto-estima deles.)

Assumir com orgulho as próprias características físicas é tão importante para minorias étnicas que, nos anos 70, militantes pelos direitos dos negros usavam black power como forma de afirmação política.

Vc me pergunta o que se pode fazer? Se pode escrever posts denunciando o racismo do nosso padrão de beleza, como a Lola fez hoje. Se pode criticar listinhas que dizem que brancos e brancas são mais bonitas que negros e negras. Se pode criticar a sub-representação dos negros na mídia brasileira.

E não ficar fazendo um discurso conformista, que busca minimizar o problema, como o que vc fez nos seus comentários.

Ah, eu também sou negra, sofro com racismo direto, essa também é a minha vida, e nem por isso acho que tenho que me conformar.


Rachara Caxola disse...

Lilian Soares,

apenas quis lembrar que os jogos olimpicos em sua origem está associado ao culto da beleza física. Atletas que não estavam nos padrões de beleza não competiam e a estética de seus corpos eram tão importantes quanto suas habilidades esportivas, não era apenas uma forma de política como também um culto religioso. Agora, porque você não acredita que eu fiz a comparação é algo que não compreendo.

Anônimo disse...

Tire um tempo para comentar este texto, Lola!

Mulheres se Odeiam

http://revistaalfa.abril.com.br/estilo-de-vida/comportamento/mulheres-se-odeiam/

Allice disse...

Bom queridos, sou uma atleta falando de outra atleta, quem quiser ver minhocas que veja. A cabeça é toda de vocês.
Reafirmo o físico dela a nível ginástica é invejável.

Allice disse...

Letícia Rodrigues

Se a Allice sou eu, então leia direito meus comentários, o racismo direto que você alega sofrer também deve atingir meu pai e meu namorado.

Sou uma atleta falando sobre o tipo físico e desempenho de outra atleta estou pouco me lixando pros padrões estéticos e nem toquei neles eu falei de POSTURA, PREPARO E MUSCULATURA.
Menos defensiva e mais ATENÇÃO.

Abraço e melhoras!

Anônimo disse...

ufa como o assunto beleza é uma constante!!! enfim, eu sou bonita e sofro muito pq ninguém me leva a sério... tenho pernas lindas e isso é um terror qdo saio para caminhar no calor... tenho olhos claros lindos e me chamam de olhos de bruna lombardi... ai como sofro por ser linda !!! meus cabelos sao lisos, escorridos, e me chamam de cabelo da perla, aquela cantora... tenho uma risada gostosa e me comparam com a risada calorosa do Sílvio Santos...rs... rs... sou uma cara comum com personalidade marcante e muita gente num guenta isso que essa cara comum tenha tanto destaque por onde passa... eitcha vida... se é bonita, sofre; se é feia, sofre; se tem personalidade marcante com cara comum, sofre; ai que sofrimento!!!!

Allice disse...

Foda-se se a menina fosse um avatar, uma ariana, uma negra, uma kayapó, uma ianomami ou um asiática ela tem um físico que eu como bailarina clássica invejo, a começar pela força absurda que faz tudo parecer fácil. absolutamente fácil. Ela é uma ginasta e ponto ela tem que fazer o papel dela de atleta e ponto é a preocupação com um monte de outras coisas, tipo etnia que causa essas coisas absurdas como comentar cabelo de ginasta, se careca, loira, ruiva, afro ou de peruca ela tem bom desempenho essa é a única coisa que importa. Duas coisas estragam um debate: se achar superior OU ficar na defensiva, isso embola tudo na cabeça e faz a gente ver coisas que não existem.

Desculpem se estou pela terceira vez me explicando é que acho que quando a gente comenta tem a obrigação moral de se fazer claro, e se não fui clara explico quantas vezes forem necessárias.


Se é feia, bonita, alta, baixa, problema dela desde que tenha a estrutura adequada para praticar o esporte. O resto é minhoca na cabeça de quem não entende o foco da modalidade:força muscular e equilíbrio.

Letícia Rodrigues disse...

"sim, eu acho menos grave considerarem uma pá de gente feia (se vc for parar pra analisar, a MAIORIA das pessoas é considerada feia), do que considerar que METADE da população não precisa ser necessariamente bonita, e a outra metade precisa. pode parecer estranho, mas é mais "equânime" vc discriminar 99% das pessoas (todos os ditos "feios")"

É, Alice, só uma minoria é considerada bonita. E isso se dá, também, pq é preciso ser branco pra ser bonito segundo esse padrão. E tem menos branco do que negros, índios e asiáticos somados nesse mundo. Ser parte de uma maioria excluída não é melhor do que ser parte de uma minoria discriminada. Negros eram maioria na época do Aparthaide, na África do Sul.

Se vc tivesse dito que padrões de beleza, e os conceitos de "bonito" e "feio", não deviam existir eu concordaria. Mas o que vc disse foi que o fato dos padrões de beleza serem excludentes e racistas não é um problema tão grave.

L., a Alice não disse que se incomoda mais com o machismo do que com " a existência de convenções de beleza". Ela disse que se incomoda mais com o machismo do que com o racismo dessas convenções. E propôs que se combata o primeiro e não o segundo. Isso ficou claro aqui:

"a questão racial realmente incomoda, mas é muito difícil descondicionar."

"mas, enfim, o que mais me incomoda, muito mais que a questão da diversidade, é a questão da mulher ser associada à beleza o tempo todo. poxa, e daí se uma mulher é feia?"

Acho que vc não entendeu a minha crítica.

Letícia Rodrigues disse...

Tem uma Alice com foto e uma Alice sem foto. Estava falando com a Alice sem foto, que já havia me respondido antes, inclusive. Mas acho que a segunda Alice (a com foto) se confundiu (o que é compreensível).

Mas tudo bem, pq parece que a primeira Alice já desistiu de comentar como Alice. Parece que já entrou como L. e como anônima para concordar consigo mesma.

Anônimo disse...

Vinícius de Moraes, as feias que te perdoem, mas beleza e fundamental, né?

Anônimo disse...

Hair for black women is a big deal.
http://www.eastvalleytribune.com/opinion/columnists/article_42759e30-e407-11e1-b1b7-001a4bcf887a.html

Anônimo disse...

Gabby Douglas is Beautiful
From a Christian and biblical perspective we should be looking at the heart and whether or not a person manifests the fruit of the spirit in their lives. Gabby definitely manifested the fruit of the spirit. As soon as she won the gold medal she gave all the glory to God. No matter what her hair looks like her heart is in the right place.
http://www.examiner.com/article/gabby-douglas-is-beautiful

Robson Fernando de Souza disse...

Lola, obrigadissimo. Eu estava pensando em fazer um texto exatamente sobre isso - o machismo racista da mídia durante a cobertura das Olimpíadas. Mas vc fez o grande favor de escrever tudo de uma forma mais completa do que eu jamais poderia fazer.

E ainda antecipou uma boa parte da temática do artigo que te mandei como guest-post, sobre os concursos de miss e o padrão de beleza racista.

Dá gosto de ler teu blog, Lolinha.

Abração!

Anônimo disse...

Gabby Douglas confused over hair comments
http://www.miamiherald.com/2012/08/05/2933695/gabby-douglas-confused-over-hair.html

Simone disse...

Lola, gosto bastante do teu blog, embora não comente tanto. Mas desta vez vale a pena.

Sobre a Gabrielle Douglas: nem sabia que alguém tinha criticado o cabelo dela. Fiquei tão feliz de ver uma negra na ginástica artística que acho que nem olhei o cabelo da menina.

Mas agora vem a crítica: sobre justificar as nossas preferências como gosto pessoal. Lola, a gente tem o direito de ter um gosto pessoal. Se não tivermos este direito, vira ditadura. Eu sou um indivíduo dentro de uma sociedade e o meu gosto pessoal é uma construção social sim. E agora falando apenas de homens, que eu reparo mais: eu tenho o direito de achar muito bonito homem branco - modelo europeu - e muito bonito homem negro - modelo africano - e não achar bonito homem indiano. Homem asiático mais ou menos. E eu tenho o direito de poder dizer isso. Isso não é preconceito - e se agora isso vai ser considerado preconceito, lamento. É o meu gosto pessoal.

alice disse...

vamos lá, vou repetir pela última vez: eu não disse que acho feio, eu disse que é mais fácil convencer as pessoas a aceitarem quem elas consideram "feio" do que passarem a achar o "feio" bonito.

não estou minimizando coisa alguma, estou tentando ser prática. lutar contra o padrão de beleza é muito mais difícil* (eu já expliquei pq ali em cima, se quiser, releia) que propor soluções imediatas para diminuir a importância da beleza em admissão de emprego, no ambiente escolar, em atendimentos em geral, enfim, em situações onde não deveria haver.

(*bastante utópico, pq para q X seja valorizado pela beleza, é necessário que Y seja desvalorizado pelo mesmo quesito ja q é o contraste que torna X supostamente especial. mesmo q X passe a incluir negros, vide a miss universo desse ano, sempre irá excluir algumas características q automaticamente serão jogadas em Y)

nada impede que as duas coisas sejam feitas, mas a meu ver, muito se fala em considerar todas as pessoas bonitas e nada, ou muito pouco, se fala sobre pq é danoso q 1) beleza seja algo tão importante, 2) especialmente para as mulheres.

vc diz q eu sou conformada, e talvez eu seja mesmo, já q n estou mais na adolescencia e sei q por mais q eu esperneie, nao serei eleita a rainha do baile. entao prefiro lidar com a minha realidade. sobre beleza eu só posso dizer q só importa é oq eu acho de mim, e acabou.

eu não faço a menor questão de ser considerada bonita pela humanidade, não to nesse mundo de enfeite, não vim embelezar a vida dos outros, não sonho em ser modelo-atriz. felizmente fui educada pra valorizar outras coisas alem da beleza, acho q o potencial humano vai muito alem disso, aquela historia de telencefalo desenvolvido, sabe?

oq eu acho um absurdo completo é ser xingada na rua, barrada em entrevistas de emprego e mal atendida em diversos lugares por causa disso. quem dera se meu unico problema na vida fosse a ausencia de ereçõezinhas q eu provoco, so sorry (û.u)_|_

você continua imputando afirmações a mim que eu não fiz em vez de argumentar. em momento nenhum eu falei em raspar e alisar cabelo crespo (embora saiba a bosta que é pentear o MEU cabelo, que no momento está um ninho que não entra o pente), tampouco falei sobre reproduzir racismo para crianças negras (pelo contrário, eu disse que o OBVIO a se fazer é educar as proximas geraçoes, de negros e brancos, pra nao serem preconceituosos nem se sentirem feios, mas que isso nao resolve o problema de quem JA existe e ja está sofrendo)

se fosse assim, eu poderia dizer que de todo o meu discurso você só se apegou a questão do racismo e portanto está minimizando o machismo e a gordofobia (e a feiofobia, se é que tal termo existe). super bacana esse jogo de apontar o dedo levianamente, né?

se você quer continuar fingindo que não me entendeu, só me resta mandar beijinhos aqui da sede da kukluxklan.

L. e Anônimo (22:43), obrigada.

Anônimo disse...

Achar mais mulheres loiras bonitas do que de outros cabelos/“etnias” bonitas é racismo? Vai se criminalizar a preferência estética-sexual de alguém, agora (isso num mundo em que cada vez mais vai se )? E se um africano ou chinês preferissem mulheres de suas respectivas “etnias”, isso aí também seria racismo? Ou racismo é só monopólio de quem é branco?

E o que se fazer a partir das constatações do post? Criar uma “comissão estatal pública para a mídia” que obrigasse os jornalistas e os veículos de imprensa a sempre colocar fotos dentro de cotas proporcionais de representação étnica, independente do que o jornalista e veículo queiram produzir e independente do que o leitor queira ver? Sorry, mas isso NÃO é liberdade de imprensa — pelo menos a que é entendida como tal pelas leis estabelecidas internacionalmente e por órgãos como o Repórteres Sem Fronteiras ( http://en.rsf.org/ )...

Outra coisa: democracia (pelo menos a democracia que eu e mais um monte de gente entende como tal, não a “democracia” de um Zimbábue, duma Cuba ou duma Coreia do Norte) é respeitar os gostos e escolhas pessoais de cada um o máximo possível, sem um estado todo-poderoso com o direito de querer moldar a cabeça da população através de pôsteres de propaganda ( http://www.google.com/images?&rls=en-us&q=north+korean+propaganda ) e coisas do gênero.

André disse...

Letícia Rodrigues,
A alice (com a minúsculo e sem foto) disse que acha que é preciso respeitar as pessoas feias e você entendeu que a proposta era "... continuar dizendo para crianças negras o quanto as achamos feias ..."? Em que mundo isso caracteriza respeito?

Carol disse...

Acho que temos que repensar antes de acusarmos as mulheres negras de "racismo" e preconceito contra sua própria raça, não, não é cupa dessas mulheres acharem o cabelo de Gabby feio, mal cuidado, etc...Quem as critica tem que se por no lugar dessas mulheres que ouviram a VIDA TODA que seus cabelos eram feios, que sua cor de pele era inferior, que seus traços eram feios, é obvio que isso cria uma insegurança e quando elas vem uma garota que parece não se importar muito com o seu cabelo, elas obviamente vão reagir de forma negativa, afinal a maioria delas passa anos tratando o cabelo, usando químicas para alisa-los, eu mesmo quando criança sonhava em ser branquinha, loirinha e de olhos azuis, isso porque eu tenho pele clara, mas não sou caucasiana e sofri muito por ter o cabelo cacheadinho, que não chegava a ser crespo, ou seja imaginem o que essas mulheres negras passam ouvindo a vida inteira que os seus cabelos são ruins? Temos que para e repensar nisso, esse white beauty standards tem que acabar.

Anônimo disse...

Quer dizer que se eu sou obrigado a achar negra bonita? Eu não posso rejeitar uma mulher negra? Se eu rejeitar uma negra, seja negando sexo ou renacinamento, eu tenho que ser preso por racismo? É isso mesmo, Lola? Será que o mesmo raciocínio vale para ambos os gêneros? Ou seja, se uma mulher branca se negar a transar com um negro, ele pode processar ela por racismo?

Anônimo disse...

Errata. Onde se lê "renacinamento", se lê "relacionamento".

Chuva disse...

Oi!

Nunca tive o hábito de comentar em blogs, mas estou gostando tanto do seu, Lola, que resolvi mudar!

Adorei o texto. Esta cobrança excessiva pela aparência das atletas mulheres é deprimente. E mais deprimente é o fato que tem muita mulher que nem se dá conta disso.

É muito, muito difícil fazer as pessoas enxergarem que nada é inocente. Nenhuma notícia, nenhum anúncio. Tudo é parte de um discurso. Um discurso que não necessariamente é benéfico para a nossa vida.

Por isso admiro muito o seu blog, Lola. Você consegue esse feito, de criar questionamentos.

E outra coisa que me chamou a atenção no texto, foi a questão do racismo.

Estas listas são muito falhas. Assisti com minha irmã a abertura dos jogos. Poxa, tantos lindos asiáticos, africanos, do oriente médio - estes que são esquecidos até mesmo nas 'cotas'. Eu digo 'cotas' porque na mídia parece que tem isso... Todo mundo é branco, mas tem um ou outro negro pra ninguém poder dizer que a lista em questão é racista. Amarelos, marrons, vermelhos e todas as misturas são geralmente esquecidos. Bem como todos demais negros, especialmente os da África.

Esse tipo de listinha perversa afeta muito a mente das pessoas. É triste. Sei disso porque meu namorado é descendente de asiáticos, e acredita que as mulheres brasileiras acham os amarelos muito feios. E acredita nisso devido à experiência que teve com outras moças.
Pudera, né? Com este tipo de cobertura que a mídia faz...

É isso aí!

Fim do meu primeiro comentário na vida (ficou meio longo... =P)

Bjos!

Anônimo disse...

o UOL fez uma galeria de fotos cujo título era "As Olimpíadas em 100 fotos" e, pasmem, não colocaram a chinesa de 16 anos que foi mais rápida que o Ryan Lochte. Como alguém tem coragem de silenciar assim a história????!!!! Bem, eu digo como: sendo homem, branco e heterossexual, sem empatia alguma com as mulheres que são virtualmente mães, filhas, esposas. Como mudar essa situação??? Nada simples, mas efetivo: as mulheres devem TER sites, revistas, jornais - enquanto os donos da mídia forem homens, seremos desrespeitadas. Aliás, viram a NOVA PROPAGANDA DO FIAT PUNTO? Ouve-se em um rádio: "mulheres seminuas protestam na Europa". As ativistas seminuas entram todas no carro da propaganda. De novo a mídia cospe na nossa cara: 'não levem protesto de mulher a sério, no fundo, o que toda mulher quer é um homem com um bom carro...' (possível mais mascu que isso?).

Anônimo disse...

http://gostodacocacola.blogspot.com/2011/07/explicando-o-nome-como-deve-ser.html
lá no meio da página há um vídeo
pra mim, pra você, pra nós...
pega essa Lívia,
acho que será mais um pra vc apreciar tb.

Dayane disse...

Eu entendi o que a Alice quis dizer, nao teve nd a ver com racismo, creio q ela nem tenha pensado na cor da pessoa qdo escreveu.
Ela quis dizer uma coisa q eu já havia pensado antes: Nem tudo na vida, nem as pessoas, são belas, agradáveis a vista. Ou vcs acham o Marquito do ratinho bonito?Bem, eu nao acho. mas isso não o desmerece em nd!Ele continua sendo uma ótima pessoa e um ótimo profissional.
Ela falou sobre cm a beleza sempre é colocado em primeiro lugar, mas o feio, o grotesco tbm tem seu valor.
É meio cm forçar a barra, falando que algo de horrível q aconteceu cm uma pessoa "foi bom, foi experiência" ,sendo que foi ruim, e foi ruim e ponto!Sairá experiência disso?Com certeza, mas isso não torna o fato mais agradável.E mesmo assim,ele não deve ser desconsiderado.
Aliás Alice, vc me deu uma bela i´deia de post!Obrigada ^^!

P.S: Espero me ter feito entender o.O

Tina disse...

Olha, adoro as Olimpíadas, mas foi por tudo citado no post que não lia as matérias, apenas acompanhava os Jogos.
Parabéns pelo post!Está muuuito bom mesmo!

Sara disse...

Lola eu realmente não gosto de esportes , mas acredito que há muita gente que gosta, e a maneira como a mulher é tratada , até por esses detalhes do uniforme, é de ficar descrente de nosso mundo.
Agora muitíssimo pior é quando alem do machismo e sexismo a que as mulheres são expostas, ainda entra o perverso componente da religião , especialmente a islâmica que para variar continua oferecendo espetáculos deprimentes, como das infelizes atletas da Arabia Saudita.
Uma campanha ameaçadora no Twitter, com a hashtag "prostitutas das Olimpíadas", começou na Arábia Saudita e foi usada para criar um ódio sexista contra as atletas.
As duas históricas atletas que se tornaram as primeiras mulheres da história a representar a Arábia Saudita em Jogos Olímpicos têm sido ignoradas pela mídia do país e expostas a uma campanha de ódio. "Eles permitiram a elas competirem por uma única razão. Se você não envia mulheres, então, no futuro, a seu país não será permitido participar (nos Jogos).

Tina disse...

Parabéns pelo post, Lola! Irretocável e completo.
Por muito do que você disse, eu não li as matérias sobre os Jogos. Preferi assisti-los, porque, menina, como dava raiva. Musa? Não, heroínas, mesmo. Assim como há os heróis olímpicos, há as heroínas!
Abraços!

Haruka disse...

Olá,

Estou gostando muito do debate, e vou responder a todos que responderam meu primeiro comentário.

Antes de mais nada, por favor, não pensem que sou a favor da situação atual. Apenas apresentei como e porque penso que é dessa forma, e não minha opinião pessoal sobre. Esse comentário será muito mais pessoal do que o outro.

Ânonimo,

É verdade que nenhuma mulher é incentivada a ter o mesmo tipo de comportamento que os homens são, desde cedo, ensinados. No entanto, eu realmente creio que não seja exclusivamente culpa da sociedade essa diferença de comportamentos. Ela serve apenas como um incentivo, um motivador, um fator de aceitação. Ela basicamente diz: "Se você gosta de x, então está tudo bem. Se gosta de y, então não está bem". Perceba que não é ela quem diz DO que você gosta, apenas serve como uma aprovação. Cabe a cada pessoa decidir se isso vai afetar seus gostos e decisões ou não. Caso um homem passe a ter interesse desde cedo em olhar mulheres de forma sexual, em peitos, bundas ou o que for, apenas o que a sociedade dirá para ele é um "ok, isso é normal". Se uma mulher fizer isso, ela receberá um "isso não é normal, você é uma pervertida". Cabe a ela aceitar esta situação ou não. É claro que podemos argumentar que esta pessoa não vai tomar tal decisão pois sua sociedade estará contra ela e que isso é a "culpa" dos comportamentos comuns que vemos em homens e mulheres. Mas eu tenho a opinião de que, se seus gostos forem genuinamente alterados exclusivamente pela aceitação ou não deles no ambiente em que você vive, e não pela sua própria racionalidade e vontade, você não tem o ego desenvolvido o suficiente para tomar decisões e viver uma vida por si só. Sinto muito dizer isso de forma tão cruel, mas eu realmente vejo crianças brincando de adulto todos os dias. Crianças de 20, 30, 40 anos. Pessoas sem força de tomar suas próprias decisões baseadas exclusivamente na razão e lógica que as rege, mas dependentes de aceitação social, seja de amigos, familiares ou colegas de trabalho. Pessoas que precisam de "apoio" para todas as grandes decisões de sua vida. Infelizmente, essas pessoas são a maioria, mas eu não acho este tipo de comportamento correto. Acho triste.

Lilian,

Sim, a mídia atualmente tem o papel de oferecer às pessoas aquilo que elas querem. E é por isso que eu culpo as próprias pessoas.

"Oras, o povo da Roma Antiga também queria sangue, pão e circo."

Se eles assim o queriam, Roma estava errada em dar isso a eles, ou eles estavam errados em desejar por isso?

"E aí? O "óbvio" é capaz de legitimar algo como correto, moral e adequado? Pura e simplesmente?"

Meu comentário anterior em momento algum legitimou esta situação como correta, moral ou adequada. Apenas quis explicar o teor da situação, que muitos parecem não entender porque ocorre. Mas é uma situação óbvia. O post a descreve como a vemos todos os dias. E ele, também, cai no pecado da ausência de julgamento.

Escrevi meu comentário tendo em mente que, a partir do momento em que descobrimos todos os fatores que geram uma situação de incomodação, somos capazes de mudá-los. O post nos mostrou O QUE acontece. Eu quis mostrar PORQUE acontece. E cabe a nós, sabendo dos devidos motivos, trabalhar para mudar a situação. Apenas concientizar as pessoas de que algo está acontecendo não as torna aptas a mudar este algo. A partir do momento em que elas adquirem conhecimento do porque está acontecendo, elas se tornam aptas a tomar decisões que vão rumo àquilo que desejam.

Haruka disse...

Carol M,

Felizmente, eu creio ter sido capaz de ver tudo que o post de propôs a abordar. Trata-se de uma situação homogênea, de uma mídia feita para e pôr homens heterossexuais. Eu sei disso. Todos nós sabemos disso, nós vemos todos os dias os efeitos disso. E estes efeitos são óbvios.

Não cabia, de fato, em meu primeiro comentário, julgar estes porquês. Pois meu interesse com ele era esclarecer a situação, e como ela acontece, baseada em quê. Eu posso agora, claro, desenvolvê-los.

Comecemos pela mídia: Fazendo uma análise do cenário atual, você é capaz de afirmar que a mídia "tem um papel social educativo também e portanto a obrigação de contribuir para mudanças sociais"? Eu entendo que, no início de sua criação, este era o objetivo que a mídia tinha na sociedade. No entanto, posso afirmar com certeza que, caso uma pessoa veja a mídia hoje em dia como fonte cultural, social e educativa, esta pessoa está fadada a desenvolver conceitos inadequados de cidadania e sociedade e levá-los para toda uma vida. E este é o principal erro que vejo nas pessoas. Muitos reclamam do poder de influência que grandes emissoras tem sobre a população. Eu reclamo da população sofrer tal poder de influência, realmente considerando tais emissoras como fontes válidas de cultura e conceitos sociais.

A partir do momento em que você é capaz de analisar o funcionamento básico da mídia de forma objetiva e, digamos, fria, você se torna capaz de se livrar destes preconceitos em relação a ela. Enquanto ficamos presos nesta utopia em relação a mídia, caímos no mesmo erro daqueles que tanto criticamos: nos tornamos influenciados por ela. A partir do momento que você espera que ela te forneça informações válidas e morais, você acaba assumindo que o que recebe assim são.

A grande mídia não é, nem de longe, focada em fornecer cultura e conceitos corretos e morais. Se algum dia isto der audiência e dinheiro, talvez ela seja. Mas não parece ser o caso atualmente.

Lembrando que, não afirmo, em nenhum momento, que esta postura é correta e louvável. Todos nós temos o direito de querer e tentar mudar esta situação, de tornar a mídia uma fonte de informação, transmissão de valores e formação de caráter. Mas por favor, não nos iludamos pensando que é assim atualmente.

O fato de eu não querer entrar no mérito dos porquês em meu outro comentário é simples: A partir do momento em que você adiciona um comentário pessoal em algo que visa ser uma explicação sobre o funcionamento de determinada coisa (ainda que seja uma explicação sobre o que você percebe ser o funcionamento desta coisa), você faz com que, automaticamente, as pessoas que discordem de sua opinião acabem por discordar, por tabela, de todo o desenvolvimento de sua explicação. Eu estava apresentando um fato que serviria para embasar minha argumentação futura: Homens e mulheres pensam e consomem de maneiras diferentes. Isso é um fato. Os motivos que levam isso a ocorrer, não são necessários de ser discutidos para que se crie um argumento baseado neste fato.

Imagina se eu dissesse: Os homens e mulheres pensam diferente porque mulheres são mais inteligentes. Quantos aqui leriam o resto de meu comentário? Alguém aqui concordaria com qualquer explicação apresentada depois, mesmo que correta, caso tivesse lido tal atrocidade previamente? Mesmo que eu apresentasse uma justificativa mais aceita (claro, afinal, o exemplo que dei é extremo), sempre haveriam aqueles que discodariam dele, e entrariam no mérito da discussão, tentando ao máximo invalidar todo o resto do que falei.

"Se as pessoas não avaliarem esses porquês ficaremos afogados no óbvio pra sempre!"

Muito pelo contrário!

O óbvio que é aquilo que é lógico e que ocorre. Só se chega à quaisquer conclusões lógicas sobre algo após se pensar sobre.

Haruka disse...

Continuando em resposta à Carol M:

"Quais os estímulos para admiração física pelo sexo oposto são feitos para homens e mulheres? Quais são os padrões de gênero determinados q dizem quais são as reações adequadas para cada um? Se não analisarmos essas coisas nada vai mudar."

Estas coisas já são óbvias também, e já foram analizadas. Há varios estudos sobre. Devo discordar que a parte que falta é esta.

"Quando vc diz que "as coisas são assim pq as pessoas preferem que seja assim", vc não ajuda a resolver o problema e quem não sai do óbvio é vc e não um post feito para que se pense nisso."

Devo discordar de novo! A partir do momento em que sabemos que as coisas funcionam assim principalmente porque a maioria das pessoas gosta delas assim, temos todas ferramentas para mudar a situação: Assim que nós nos desvinciliarmos deste tipo de interesse e mostrarmos para a mídia que nós, pessoas com opiniões e gostos diferentes, também existimos, que somos consumidores e somos exigentes, podemos criar uma demanda por uma mídia diferente, com materiais mais heterogenicos e que agradem ao nosso gosto também.


Letícia Rodrigues,

Infelizmente devo discordar também de você. Estas galerias são uma das coisas que mais agariam visitas a estes portais. Se você visse o número de visitas que um site recebe só por cada uma destas galerias, e comparar às visitas de outras páginas "normais", se surpreenderá.

"Haruka, homens que queiram ver mulheres bonitas em trajes e poses sexys podem visitar sites especializados em ensaios sensuais."

Eles também visitam estes sites. O mercado de pornografia na Internet é o mais rentável atualmente, você não imagina a grana que fazem com isso. O problema é que há vários nichos: Há homens que preferem ver ensaios de modelos, há homens que não gostam de modelos e preferem mulheres mais "naturais", assim como há homens que preferem ver mulheres sendo sensuais espontaneamente, muitas vezes sem querer. Este último normalmente é o caso destas galerias: são sempre atletas preocupadas com o esporte que estão disputando e que, por conta das roupas utilizadas, acabam chamando atenção dos homens.

"Quem visita os sites atrás de notícias sobre as olimpíadas está atrás de uma boa cobertura das olimpíadas. Uma boa forma de aumentar o número de visitas desses sites é fazer bem esse trabalho, ao invés de ficar objetificando atletas que não estão lá para isso."

Infelizmente, eles não o fazem justamente pelo retorno que observam. Chegaram ao ponto em que uma galeria de gostosas chama mais atenção e audiência do que um artigo sério sobre análise de alguma partida ou esporte. Triste? É, mas eu continuo a culpar o povo.

Haruka disse...

Ana,

Gostei muito do seu comentário, e com certeza concordo com ele em inúmeros pontos. Discordo do ponto em que o problema é exclusivamente social, pelo mesmo motivo que respondi ao primeiro anônimo: Se você muda seus gostos unicamente por desaprovação social, sinto te dizer, mas, ao meu ver, pelo menos 50% da culpa é sua.

Quem cria estes preconceitos e tabus sociais é o próprio povo. Nós somos o povo. Logo, a culpa é pelo menos particlamente nossa.

Ao mesmo tempo em que, também, é culpa nossa quando decidimos aceitar como padrão aquilo que a maioria aceita. Dando um exemplo bobinho:

"Um homem falando as coisas mais sórdidas, mais pornográficas, está seguindo a biologia. É mais que normal, é esperado, é natural."

Minha opinião pessoal diz que isso é anormal e abominável. Passamos da fase evolucionária de necessitarmos depender de nós instintos e sermos obrigados a segui-los. Na minha opinião, é mais do que claro que esta necessidade é puramente instintiva e bem pouco racional. Não é uma decisão tomada por estes homens: "A partir de agora, vou me interessar sexualmente em todas mulheres que eu observar que possuem uma grande bunda e seios fartos. Sim, esta é a melhor opção de vida que tenho, afinal de contas, caso eu algum dia deseje me casar e formar família com uma única mulher, este meu hábito não irá prejudicar-me nem um pouco."

Dando minha opinião pessoal dessa forma, só quero exemplificar que aquilo que é moralmente aceito pela maioria não precisa, necessariamente, ser para todos os indivíduos. A partir do momento em que alguém me aplica um argumento como este, dá a entender (posso estar errada, esta é apenas uma suposição arriscada e generalizando bastante) que esta pessoa o aceita como normal, pois assim é feito pela sociedade. E não que ela o aceita como normal pois essa é sua opinião própria, formada com base em seus próprios valores e racionalidade.

"Claro, a gente pode acabar no ovo e na galinha - é a sociedade que reprime as mulheres; ou as mulheres são reprimidas mesmo e a sociedade só espelha isso (como dissestes, 'só é assim porque não tem demanda')?"

Isso é um questionamento muito válido! Infelizmente, eu tenho de concordar contigo que nós não temos embasamento o suficiente para afirmar qualquer uma das coisas. É aquilo mesmo: E se, dada a devida liberdade, constatarmos de que fato os homens gostam mais da coisa? Pode ser, é uma opção válida. Mas nós não podemos saber agora.

"Mulher que gosta de sexo é puta, homem que gosta de sexo é, surpresa!, homem. Passando uma visão torta dessas adiante, como esperar mulheres competindo de igual pra igual?"

Sinto dizer que eu penso que, só por você citar essa situação, você ajuda a torná-la como é. A partir do momento em que você aceita como natural um homem gostar de sexo, simplesmente porque a sociedade assim diz ser natural, você está concordando com isso.

Concordo contigo em vários pontos, mas em alguns é que eu encontro o erro atual: mesmo que seja justificado biologicamente que homens sentem um maior ímpeto em ser galinha e em ter desejos sexuais com várias mulheres, de que forma isso comprova que, ao cair neste ímpeto, o homem ainda assim possui bom caráter? Só porque a tentação e vontade são maiores, o erro ainda não é justificável. Vai ser mais difícil para ele lidar e evitar esta situação? Vai, se for mesmo um fator biológico. Mas somente desta forma eu julgaria que este é um homem de caráter. Caráter é algo racional, é a decisão de fazer aquilo que se julga correto e limpo. Padecer frente a um impulso natural é o mesmo que peidar e se cagar nas calças em meio a uma reunião, e julgar certo e adequado. Curiosamente, tal controle biológico sobre suas necessidades é o que diferencia crianças de adultos. Eu não mijo mais na cama, e vocês?

Haruka disse...

Dayane,

Eu quis manter minha explicação dentro de um contexto publicitário mesmo, pois é dele que eu queria discutir. Sobre este menino: acho triste uma pessoa tomar uma atitude que não é de seu ímpeto genuino, apenas porque lhe foi ensinado que fazer isso é bom e louvável. Sinto muito, mas como disse anteriormente, MINHA OPINIÃO é de que a culpa é, no mínimo, 50% dele.

Anônimo,

Não tive interesse em fazer uma postagem sobre porque meu interesse realmente é debater. Por este motivo posto comentários em resposta aos que me responderam, porque acho este debate interessante de se fazer.

O que eu quis dizer com o post falar o óbvio, é aquilo que respondi ao primeiro anônimo: ele fala daquilo que vemos há tempos, que é O QUE está acontecendo. Isto é óbvio no sentido de que é claro, é o que acontece. Creio que o que nos interessa saber para poder mudar esta situação de suposto desagrado, são os COMOs e os PORQUÊs. É apenas entendendo os fatores que geram esta situação, que podemos, de fato, ir além do óbvio e fazermos algumas reflexões sobre que tipo de coisas precisam mudar para que alcancemos nossos objetivos. E é neste tipo de debate que tenho interesse em entrar.

Flávia,

Sinto muito te causar desagrado e vergonha. Se você realmente julga que tenho preguiça de pensar por achar que o post chegou apenas no óbvio e poderíamos discutir mais além, sinto muito.

carolinapaiva,

Concordo com você em vários aspectos. Certamente estas galerias são feitas para atriar visibilidade. Meu ponto agora é: ainda que sejam no sentido de repetir padrões que funcionaram, a população não mantém pelo menos metade da culpa por fazê-los continuar funcionando? Ainda que no espírito de repetir algo que já deu certo anteriormente, e que costuma funcionar para atrair visibilidade, não é culpa nossa que isso ainda atrai tal visibilidade? Esse tipo de conteúdo continuaria a se repetir caso a demanda por ele subitamente cesasse e ele deixasse de gerar acessos?

Concordo com todo o resto que tu disse. A mídia de fato influencia os jovens e mostra sexo como algo atrativo, sem consequências. Meu problema é que eu acho que estes jovens dividem a culpa com ela por se deixarem levar pela opinião dos outros e não possuirem capacidade de julgamento efetivo.

Allice disse...

Letícia Rodrigues


Ufa, detesto ser mal interpretada.
Que bom que me explicou o mal entendido.
Abraço.

Letícia Rodrigues disse...

"oq eu acho um absurdo completo é ser xingada na rua, barrada em entrevistas de emprego e mal atendida em diversos lugares por causa disso. quem dera se meu unico problema na vida fosse a ausencia de ereçõezinhas q eu provoco, so sorry (û.u)_|_"

Talvez se a mídia não impusesse um padrão de beleza racista, isso não acontecesse com pessoas negras como eu e vc. Sabe quais são as empresas que não contratam negros, Alice? Aquelas que dizem que seus funcionários precisam ter "boa aparência". E homens negros não são contratados por elas também. Tenho amigos que já trabalharam em lojas que contratavam negros para trabalhar no estoque, mas não como vendedores. Pq para ser vendedor e atender os clientes era preciso ter "boa aparência".
Então, não dá pra dizer que um padrão de beleza racista é menos grave que um mercado de trabalho racista.Pq está tudo interligado.
Ninguém aqui está reivindicando que pessoas fora do padrão de beleza passem a provocar mais "ereçõeszinhas". A questão aqui, sempre foi, desde o início, os padrões em torno dos quais a sociedade se estrutura - mídia, mercado de trabalho,etc.
Citei a auto-estima das crianças como exemplo do quanto a questão da existência de um padrão de beleza racista e excludente pode ser prejudicial. E que o racismo não tem menos peso nessa equação do que o machismo, tanto que meninos também são muito afetados.
Em nenhum momento imputei informações que vc não fez a vc. Ao contrário, fiz questões de reproduzir nos meus comentários os trechos dos seus comentários aos quais eu estava respondendo.
E não faria sentido dizer que eu minimizei o racismo e a gordofobia, pq eu não fiz uma listinha com uma "ordem de importância" como vc fez.
Mas, sim, acho muito problemático estabelecer esse tipo de "ordem de importância" quando se fala em discriminação, e essa foi a minha maior discordâncias em relação ao seu comentário.

alice disse...

bem lembrado. a chinesa está sendo INVESTIGADA pq foi mais rápida que um nadador homem (que crime). que ela faça exames antidoping eu entendo totalmente, faz parte do ritual esportivo, mas daí a mídia silenciar sobre o feito dela, como se não tivesse valor, é um absurdo. quando sair o resultado dos exames, será que darão o devido destaque a ela? ou será que só falarão no assunto se for constatado que ela realmente usou alguma substancia? desconfio que se tiver sido apenas o mérito da chinesa, ninguém vai falar nada.

outra coisa parecida foi o caso da halterofilista de axilas peludas. ela não ganhou nenhuma medalha naquele dia, mas recebeu imensamente mais destaque que a vencedora e as outras medalhistas da modalidade. como é possível que se dê mais espaço para falar sobre a aparência da atleta do que sobre quem ganhou o evento?

alice disse...

leticia, mantenho oq eu disse. abraços.

Maria Valéria disse...

Lola,
Esse quadrinho que vc postou ai e mesmo do twiter do comentarista esportivo Milton Neves??
Porque se for,.. Vou te contar...
Gosto muito de futebol, e detesto a coluna/ blog desse cara,porque além de ficar toda hora puxando o saco do time dele( santos) fica falando mal do meu time( Corithians), fica tanto nisso que já perdeu a graça,
Mas, nao sabia que ele também se prestava a tecer comentários desse tipo, falando do biquíni das meninas do vôlei... Sera que esse twitter e dele mesmo e nao e clonado?? Porque se chegamos ao ponto de nem os nossos comentaristas esportivos terem respeito pelas mulheres, Ahhhfff ta louco.
Enfim, eu só leio alguma coisa sobre futebol,porque gosto, e na época de olimpíadas acabo lendo sobre outros esportes, por curiosidade, nao sabia dessa...:(
Bjs

maisfazer disse...

As olimpíadas são mais um espelho do machismo de cada dia.

Rachara Caxola disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
carolinapaiva disse...

Haruka

Concordo que todos temos nossa parcela de responsabilidade. Devemos questionar sobre como contribuímos para essa propagação negativa das atletas, mas antes precisamos entender que essa propagação É negativa. É isso que estamos fazendo aqui, identificando um problema.
Sobre os jovens, eles são mais influenciáveis do que os adultos. É por isso que a publicidade voltada para crianças é vedada em alguns países.
Além disso, a propaganda é uma grande formadora do ambiente cultural e social de uma época, pois ela pega dados existentes e os altera conforme for o objetivo (atrair a atenção das pessoas e vender algum produto/serviço).

Ana disse...

@Haruka
Oh, respondestes! :)

"Um homem falando as coisas mais sórdidas, mais pornográficas, está seguindo a biologia. É mais que normal, é esperado, é natural."
** “Minha opinião pessoal diz que isso é anormal e abominável.”

Hm. Tem certeza?

Ok, é tua opinião pessoal e deves ter boas razões para tê-la.

Mas eu preciso torcer muito meu cérebro pra imaginar um homem falando de sexo e sendo repreendido. Ele pode, claro, dependendo do local, da ocasião e coisas assim, ouvir reclamações (ora, não se fala de perversão na hora do jantar de família, né?). Mas me refiro à idéia de que pra um homem, gostar muito de sexo é natural.

O cara pode ser repreendido por dizer algo em momento inapropriado, mas já imaginaste um homem sendo xingado por elogiar uma bunda? Por ter Playboys? Por querer alugar um pornô?

A sexualidade masculina é celebrada. Homem que é homem é garanhão, é pegador (senso comum). Não se tem isso em relação a mulheres. O que quis exemplificar é que pra um homem não é vergonha nenhuma adorar sexo – isso é algo mais compreensível, é bom. Já pra uma mulher...

“Dando minha opinião pessoal dessa forma, só quero exemplificar que aquilo que é moralmente aceito pela maioria não precisa, necessariamente, ser para todos os indivíduos.”

Não, não necessariamente. Sempre temos exceções. Mas meu comentário foi sobre o quadro num todo.

---
"Mulher que gosta de sexo é puta, homem que gosta de sexo é, surpresa!, homem. Passando uma visão torta dessas adiante, como esperar mulheres competindo de igual pra igual?"
** “Sinto dizer que eu penso que, só por você citar essa situação, você ajuda a torná-la como é. A partir do momento em que você aceita como natural um homem gostar de sexo, simplesmente porque a sociedade assim diz ser natural, você está concordando com isso.”

Hã, Haruka? Eu acho que não entendestes. Não é minha opinião pessoal. Referia-me ao senso comum.

É difícil encontrar alguém que diga algo assim abertamente, claro. Mas pense em todo o incentivo para que homens gostem de sexo, e em todo o incentivo pra que mulheres ‘se deem ao respeito’. É à essa dualidade que me referia. Um homem que já teve muitas namoradas é um pegador. Uma mulher que já teve muitos parceiros, é promíscua (Não pra todo mundo, claro. Mas penso no geral).

--
“mesmo que seja justificado biologicamente que homens sentem um maior ímpeto em ser galinha e em ter desejos sexuais com várias mulheres(...)Vai ser mais difícil para ele lidar e evitar esta situação? Vai, se for mesmo um fator biológico. Mas somente desta forma eu julgaria que este é um homem de caráter. Caráter é algo racional, é a decisão de fazer aquilo que se julga correto e limpo.”

Pera aí.
O nosso argumento aqui é contra a objetificação de mulheres, certo?

Muita gente aparece dizendo que querer mulheres jogando com roupas minúsculas não é machismo, é só algo natural, porque homens são assim mesmo, mais ‘expressivos’ quanto a seus desejos – eles sempre aproveitam uma chance de ver mulher de bíquine, e isso é normal, é comportamento de homem, é biologia, não é sexismo.

Fizeste um comentário nessa linha – se não há homens na mesma situação é porque não há demanda feminina; tudo se resume ao fato de que a gente não sente tanta necessidade de olhar pra homens quanto eles pra nós; isso é natural e óbvio.

O ponto do meu comentário é que não tem como provar o que é natural, a começo de conversa – e portanto não se pode culpar pouca demanda feminina, porque como tentei explicar, essa demanda nem tem chance de existir.

Ou seja, NÃO sou da turma do ‘é impulso, é biológico, não tem como controlar’. Pelo contrário, eu tentei invalidar esse argumento, porque pra mim é impossível saber o que é natural numa sociedade desigual.

Eu me desculpo se não fui clara, mas em momento algum eu quis me opor à idéia de que caráter é racional.

Teve um probleminha de comunicação aqui, hein? Rs.

Monique disse...

Se é pra objetificar deveria ser 50%/50%.Isso que eu chamaria de ousado cada vez mais objetificando os homens,chamaria atençao sem ser espaço que diz destinado a gay,já que isso parece espantar as mulheres.
Cada vez mais lançando fotos de homens diariamente nos grandes portais,as mulheres nao sentiriam nenhum pudor mais em clicar e ver.A maioria nao se excita com isso mas admira como uma bela paisagem e sonha.Homens bonitos chamam atençao.(Infelizmente, por enquanto, é o padrao).
So depois dessa experiencia fatidica é que podemos tirar conclusao se há demanda ou nao.Ja que hj com a net as mulheres fazem escondido.Mas há um empecilho.A nao divisao das atividades domesticas,as mulheres tem que fazer um maior esforço pra sentar em frente ao pc.

Lilly disse...

"Atletas que levam as mulheres à loucura" normalmente não me levam à loucura, olha que curioso.

AquilesMarchel disse...

viva as musas!!!

Ana disse...

@Rachara
"é meio inútil argumentar aqui.. ou você tem a mesma opinião delas ou voce esta errada."

Com todo o respeito, que raios estás fazendo aqui então? O_o

E eu não sei, mas desconfio que se todo mundo concordasse não existiria debate em primeiro lugar, rs.

Srta. Corleone disse...

Bem isso mesmo Lola... A beleza vem em todas as formas, tamanhos, cores, estilos e afins; tudo o que precisamos é aprender a deixar de lado os "preconceitos" e os "pré-conceitos"!!!
Você, como sempre, detonou!!! Não preciso nem te dar os parabéns né?!
hehehehe

adorei!!

Cláudio Ramos disse...

Post interessante, mas só não vi referências ao tal 'cabelo domado'. Sinceramente, não vi comentários sobre isso na mídia.

carolinapaiva disse...

Rachara

Ah, quer dizer então que temos que concordar com todos para haver debate? Hm, estranho, que eu saiba um debate existe quando há divergência de opiniões.
Acho que a intolerante com opiniões contrárias aqui é você.

Rachara Caxola disse...

Ana,

estou aqui para aprender e também porque muito me interessa os movimentos sociais. não quis dizer que todos devem concordar.. e mesmo que todos concordassem, ainda assim seria possível um debate. na verdade, é que não me sinto a vontade para discordar de algumas coisas.

Rachara Caxola disse...

carolinapaiva,

não temos que concordar com todos para haver debate. e nem sempre um debate existe apenas quando há divergência de opiniões - já tive debates sem divergências. mas as vezes vejo aqui algumas opiniões dogmaticas, por exemplo "se você nao é feminista ou você é uma pessoa má ou ignora o que é feminismo". é esse tipo de opinião que me leva a crer no que eu disse anteriormente.

alice disse...

vi que tinham postado aqui de novo e dei control F no meu nome, só agora li o comentário da dayane (é a mesma dayane OK q comentava antes?).

dayane, exato! vc citou uma pessoa que é quase unanimidade no quesito feiura, o marquito. talvez exista quem o considere atraente (talvez ele tenha um(a) namorada(o) ou esposa), mas a verdade é que ele vive de explorar a propria feiura, ele só faz parte do programa pq é considerado feio (por mais q eu ache degradante um programa usar a aparencia de um ser humano pra fazer piada, esse É o motivo pelo qual contrataram ele).

enfim, a questao toda é que, a não ser nesses raros postos de "aberração de circo" como o dele, pessoas consideradas feias são preteridas pra muitas coisas na sociedade. isso é errado.

mas a meu ver não é tentando convencer os outros de que elas são bonitas que elas vão obter respeito. tentar convencer as pessoas que o marquito do sbt é bonito não será uma tarefa fácil, rapida, bem aceita. mas dar ao dito feio acesso às mesmas oportunidades que os demais faz toda a diferença.

beleza é um troço bem subjetivo (e nisso eu concordo com a leticia, q temos q tentar afrouxar o padrao, só n acho q seja uma prioridade pelos motivos q ja citei), eu conheço pessoas magras e loiras de olhos azuis q eu considero feias. quer dizer, nao basta estar no padrao, tem um "algo a mais" que é tao subjetivo q se torna absurdo q tal criterio seja utilizado para mediar nossas relaçoes nao-amorosas/sexuais.

oq eu defendo é q ninguem tem q se sentir atraído por professores, alunos, empregados, patrões, padeiros, amigos (sim, amigos! tem gente q se orgulha de "só ter amigos bonitos", WTF), e q a beleza (com todas as suas subjetividades) fique no seu devido lugar: relacionamentos amorosos/sexuais.

elogiar a beleza de um ou uma amig@, artista ou atleta é algo normal, oq não é normal é q a beleza seja um fator TÃO preponderante, ganhe muito mais destaque que qualquer outra coisa e seja criterio eliminatorio para TUDO.

Danusa disse...

GENIAL!!! *APLAUSOS* BRAVO! Adoro seus textos, Lola, vc é demais! Arrasou com esse último! Não há pesquisa acadêmica que possa ser mais clara que isso! Parabéns :)

Haruka disse...

Oi Ana,

Não teve mal entendido não, em nenhum momento assumi que você concordava com isso, só dei minha opinião mesmo (:

Sou realmente contra a opinião de algumas pessoas de que um homem se mantém tendo caráter mesmo fazendo comentários como "Que bunda gostosa" e do gênero. Como falei antes, mesmo que isso seja (ou não) um fator biológico, o caráter é um fator racional, e ele é o diferencial.

Um ponto importante: eu acredito que o primeiro passo para fazermos com que a "opinião da maioria" perca a tamanha importância que tem hoje é, justamente, não dá-la importância. A partir do momento em que as pessoas forem capazes de ignorar o fato de uma opinião ser mais aceita do que outra e seguirem suas próprias opiniões (sempre bem embasadas, claro), essa aparente dominância de uma opinião heterogênea vai sumir.

Pode parecer bobinho, mas mesmo citar essa opinião e embasar alguns argumentos nela (mesmo que essa não seja sua opinião e que você não concorde com ela) já é prejudicial.

Afinal de contas, desta forma, você está dando alguma relevância a ela. A única forma de não dar relevância a ela, é ignorá-la completamente. Não falo de ignorar que x opinião existe, mas sim de ignorar e não levar em consideração o número de pessoas que concordam com ela, ou o quão ela é socialmente difundida atualmente e jamais assumir, em momento algum, que ela é a opinião das pessoas presentes.

A partir do momento em que uma pessoa se desprende deste senso comum, ela se torna mais apta a olhar para opiniões e argumentos de uma forma mais analítica, e ter total capacidade de tomar suas próprias decisões, baseadas exclusivamente em um raciocínio próprio.

Essa é, na minha opinião, a melhor maneira de se resolver a situação atual como um todo.

PS: Eu sei que eu normalmente escrevo meus comentários em resposta a alguém, mas faço isso mais para pegar o gancho inicial. Qualquer um é livre para ler e comentar sobre qualquer coisa que eu digo, lol.

Haruka disse...

Ainda sobre a questão da aceitação da opinião da maioria por parte de um bom número de pessoas:

Creio que nisso haja um problema muito maior: muitas pessoas não costumam formar suas próprias opiniões e não tem o hábito de observar e pensar sobre as coisas ao seu redor. É bem triste constatar isso, mas essas pessoas são justamente a maioria. Uma prova disso é que precisamos de um post como esse, que nada mais é um agregado de evidências sobre uma situação atual, para que as pessoas parem e pensem sobre. Quando eu falei que o post só exprimia o óbvio, era disso que eu tava falando. Não há nada aqui que não poderíamos notar por nós mesmos, abrindo a página de ~qualquer~ grande portal de notícias. Nada contra o post ou contra a autora. Pelo contrário, eu julgo este um trabalho necessário. Mas eu não queria que fosse. Me entristece bastante saber que há algumas pessoas, sim, que necessitam desse "empurrãozinho" para notar e refletir sobre determinados assuntos que são diretamente ligados a vida de todos.

Sob modo nenhum quero afirmar que é o caso das pessoas aqui, pois não tenho base alguma para fazer tal afirmação. Apenas peço que, caso alguém se identifique com essa situação, tente parar e pensar um pouco mais sobre sua vida e o mundo que o cerca. Não é uma crítica, é uma dica.

Essa situação é facilitada por vários fatores sociais: há uma aparente pressão para pessoas que sustentam opiniões contrárias às consideradas "normais". Todas as pessoas acabam tendo duas escolhas: a de ter menos esforço e, portanto, concordar com uma opinião que é suficientemente aceita e parece fazer sentido ou, de alguma forma, defender sua própria opinião.

O triste é que muitos dos que seguem o primeiro caminho sequer sentem vontade de analisar se estas opiniões e constatações de fato são bem embasadas ou fazem qualquer sentido.

E o mais triste ainda, pasmem: mesmo as pessoas que escolhem o segundo caminho tendem a cair no erro de não fazer essa reflexão sobre o caminho escolhido. Muitas pessoas pegam opiniões prontas, contrárias às consideradas "normais", e as admiram e concordam, sem necessariamente fazer uma reflexão sobre "Por que eu concordo com isso? Por que essa opinião parece mais bem embasada do que a outra? É só por que é algo diferente e novo pra mim ou é efetivamente porque eu concordo com o sentido dela?"

Lembram da famosa rebeldia da adolescência? Todos passam por uma fase de simplesmente ter vontade de ter uma opinião diferente e vivê-la com maior intensidade e força. No entanto, anos depois, vários olham para o passado e pensam: "Eu fiz tanta loucura naquela época. Pintei o cabelo, botei piercing e fiz uma tatuagem". Esse pensamento não é necessariamente de desgosto e arrependimento, não entendam errado.
É apenas o ponto em que a pessoa não sabe dizer, exatamente, porque fez tais coisas. Às vezes, ter pintado o cabelo foi algo certo e cabível, de fato, na época. No entanto, a pessoa não sabe dizer porquê. Mesmo quando tomamos uma opinião que é totalmente racional e cabível, que concorda com todas as leis éticas e morais possíveis, de nada adianta se não sabermos o porquê. Se estivermos fazendo isso só porque alguém deu a ideia e pareceu de fato correto.

E é nisso que vão e voltam modinhas ou mesmo épocas da vida de cada um. Quem tem suas opiniões embasadas e formadas por si mesmo, raramente passa por períodos "malucos" na vida.

carolinapaiva disse...

Rachara

Bom, da próxima vez então aponte claramente a sua crítica, pois várias comentaristas estavam debatendo com a Haruka normalmente (inclusive eu), e você simplesmente jogou todo mundo no mesmo saco e disse que é perda de tempo debater com a gente.
Seria interessante se você pudesse apontar tal intolerância nos meus comentários, ou nos da Dayane e da Ana, que debatemos com a Haruka, ao invés de jogar indiretinhas no ar.
Soou bem intolerante sim, e divergir não faz mal, não tira pedaço.

Ana disse...

@Haruka

Oi, acho que achei o problema:

"Concordo contigo em vários pontos, mas em alguns é que eu encontro o erro atual" - esse trecho me fez entender que o seguinte era pra mim, e não tua opinião. Desculpe.

Que bom voltaste pra desenvolver o raciocínio :D

"Creio que nisso haja um problema muito maior: muitas pessoas não costumam formar suas próprias opiniões e não tem o hábito de observar e pensar sobre as coisas ao seu redor. É bem triste constatar isso, mas essas pessoas são justamente a maioria. Uma prova disso é que precisamos de um post como esse, que nada mais é um agregado de evidências sobre uma situação atual, para que as pessoas parem e pensem sobre."[2]

"Muitas pessoas pegam opiniões prontas, contrárias às consideradas "normais", e as admiram e concordam, sem necessariamente fazer uma reflexão sobre "Por que eu concordo com isso? Por que essa opinião parece mais bem embasada do que a outra? É só por que é algo diferente e novo pra mim ou é efetivamente porque eu concordo com o sentido dela?""[2]


Ah, sim. Tinha entendido teus primeiros comentários mais como conformismo. Agora ficou mais claro. Concordo e muito com o que apontastes.

"É apenas o ponto em que a pessoa não sabe dizer, exatamente, porque fez tais coisas. Às vezes, ter pintado o cabelo foi algo certo e cabível, de fato, na época. No entanto, a pessoa não sabe dizer porquê."

Ótimo exemplo. O pior é que, bem, pintar um cabelo é coisa que se conserta, né? Já passar idéias idiotas pra frente automaticamente faz um senhor estrago...

"A partir do momento em que as pessoas forem capazes de ignorar o fato de uma opinião ser mais aceita do que outra e seguirem suas próprias opiniões (sempre bem embasadas, claro), essa aparente dominância de uma opinião heterogênea vai sumir."

Concordo.

Só tenho uma visão diferente porque acho que isso se alcança 'chacoalhando' as pessoas. Questionar o senso comum é como a gente aqui tenta fazer as pessoas acordarem - tentamos lembrá-las de se perguntar "Por que eu concordo com isso?".

Damos visibilidade ao senso comum ao invés de ignorá-lo simplesmente porque esse é justamente nosso jeito de combater essa inércia que se vê. E claro, cada um faz isso como quer, tens direito à tua opinião pessoal :)

Se deixar, as pessoas esquecem que idéias existem - E que toda idéia tem efeito prático, logo, não se pode reproduzir coisas no piloto automático.

Quando a gente questiona 'porque só as mulheres são fotografadas de jeito x ou y', por exemplo, é pra lembrar as pessoas que isso não veio do nada. Não é assim 'porque o mundo é assim'. Não, isso existe porque pessoas passam a idéia de que isso é normal pra frente. Senso comum não é algo absoluto, é algo que pode ser mudado, basta começar a ter cuidado com o que repetimos. O que não dá é pra ser conformista e achar que vai ser assim pra frente e questionar é inútil.

Mas como você disse, a grande maioria só pega opinião pronta, nem se pergunta o porquê. E aí claro, qualquer bobagem que seja senso comum continua tendo um monte de adeptos.

... Enfim. A gente tem um jeito diferente de lidar com as coisas, mas ó, o nossa conversa rendeu hein?

Obrigada por responder, Haruka, foi bom conversar contigo. Espero que voltes pra debater sempre que quiseres :)

Ana disse...

@carolinapaiva e Rachara Caxola

"Bom, da próxima vez então aponte claramente a sua crítica, pois várias comentaristas estavam debatendo com a Haruka normalmente (inclusive eu), e você simplesmente jogou todo mundo no mesmo saco e disse que é perda de tempo debater com a gente."[2]

Sem tirar nem pôr.

Anônimo disse...

É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que alguém achar bonito aquele sovaco peludo.

Nem que as feministas assaltem o poder e proíbam a depilação. Nem uma ditadura de mil anos poderá mudar isso.

Diego Rabatone disse...

Muito bom o texto! =) Deixo aqui uma pequena reflexão que fiz durante os 2 minutos que assisti do encerramento das olimpíadas....


Difícil descrever a sensação de ver (mesmo pela televisão) o hino de Uganda sendo tocado na premiação da maratona, que contou com mais dois Quenianos no pódio, durante o encerramento das olimpíadas, um dos momentos mais nobres de todo esse evento.

Uma pena que isso não reflita na melhoria das condições desses países, mas serve, certamente, para mostrar, mais uma vez, que ninguém é melhor ou pior
por ser rico ou pobre, branco ou negro, loiro ou moreno.

Só acho que essa premiação final deveria ocorrer com as duas maratonas, a masculina e a feminina.

Bem, espero que um dia os jogos olímpicos representem de fato o que se diz que eles representam, que eles deixem de ser um "mega-evento comercial" para se tornar um evento inclusivo, transformador da realidade local e global, e que o tal "espírito olímpico" deixe de existir apenas nesse período e passe a ser algo permanente.

Claro que os jogos não são de todo o ruim, muitas coisas boas também florescem deles, mas ainda temos MUITO o que caminhar .......

Rachara Caxola disse...

carolinapaiva,

o que eu disse foi meio sem pensar e nem tive intenção em ter clareza. depois que enviei o comentário até tive a sensação que não deveria ter feito isso. não quis dizer que é perca de tempo. "meio inútil" não é "completamente inútil". não vi intolerância em seus comentários, nem foi minha intenção denunciar intolerância. você pode ser dogmática e não ser intolerante. de qualquer maneira, a minha impressão é que o feminismo tem se tornado um discurso formatado.

Luiz Prata disse...

Anônimo das 19:08, o problema não é achar o sovaco bonito ou feio, a questão é outra: o foco de qualquer matéria que se pretenda séria sobre as Olimpíadas deveria ser o desempenho esportivo das pessoas que competem, não sua aparência física. E mais: ninguém repara nos sovacos dos atletas homens, nem fica enchendo a paciência deles por causa disso.
Ou seja, o problema (no caso, o machismo) está no foco excessivo, por parte de matérias, sites, etc., na estética das mulheres atletas, quando em relação aos atletas homens, o foco está mais no desempenho (como deveria ser para as mulheres também).

carolinapaiva disse...

Rachara

Não fui dogmática, apenas tenho minha própria opinião e a expresso com convicção, o que é perfeitamente normal em uma discussão.
Ainda no aguardo sobre a sua análise dos meus comentários, juntamente com os da Ana e da Dayane, já que você nos disse claramente que nós não aceitamos opiniões contrárias.
"é meio inútil argumentar aqui.. ou você tem a mesma opinião delas ou voce esta errada."
Foi isso o que você disse, e foi direcionado a quem estava discutindo com a Haruka.

Anônimo disse...

Rachara Caxola disse.... a minha impressão é que o feminismo tem se tornado um discurso formatado.

eu, cá do meu lado, tenho a mesmoa impressão.

Ju disse...

Na transmissão do Sportv do encerramento das olimpíadas o que tinha de comentário machista não está no gibi. Até fizeram piadinha com o fato do Russel Brand ter terminado o casamento com a Kate Perry por mensagem de celular. E quando uma comentarista (mulher) citou o fato do George Michael não estar tão bonito quanto antes foi aquele silêncio.. curiosamente foi o última vez que eu ouvi a voz dela comentando. Eu não me surpreendo com mais nada.

José Neto disse...

Quantos comentários!! O meu vai ficar esquecido por aqui! ehehhe
Parabéns pelo texto! Devemos mesmo fazer essas reflexões e acabar com essas diferenças sem razão de ser, como o caso dos uniformes.
Quanto aos sites mostrarem mais mulheres que homens acho que se deve ao homem ser mais propenso a estímulos visuais que a mulheres (não sei se isso é verdade cientificamente ou não, mas as Playboys e sites pornôs da vida estão aí provando isso... Quantos são direcionados às mulheres e qual a sua recepção e venda?) Temos que lembrar também que isso é uma questão de mercado e que esses sites do Terra, etc. querem acessos!
Só discordo do texto na parte que fala de gosto pessoal... Tem pessoas que, mesmo inseridas na mesma sociedade machista e eurocêntrica, tem preferência por pessoas fora do "padrão imposto". E já que os sites querem "vender", deveriam atender a todos.

Rachara Caxola disse...

carolinapaiva,

volto a dizer que publiquei o comentário meio sem pensar. eu ia deleta-lo mas nao poderia adivinhar a que momento ele seria publicado. esperava que meu comentario seria ignorado já que absolutamente não acrescenta nada no debate. mas se vc quer uma explicação, só posso te dar uma: lendo o comentário da haruka e a discussão desencadeou em mim uma "tempestade de ideias". tenho um certo grau de esquizofrenia (já precisei de internação) e muitas vezes quando entro em uma "tempestade de ideias" acabo por ter alguns pensamentos confusos (uma alteração em minha percepção da realidade) que não consigo expressar. entrei em um delírio que resultou no comentário que eu fiz. como voce mesma observou, não há nenhuma intolerancia a opiniao contrária nas respostas a haruka e o meu comentário só pode ser compreendido como um delírio meu em que não fiz distinção entre o "interno" e o "externo", e só percebi isso depois que voce me questionou. não é a primeira q isso acontece, é mto comum que eu diga algo sem sentido ou que tem outro sentido para os outros. evito entrar em debates por causa disso, mas as vezes sinto vontade em interagir, mas nem sempre faço da melhor maneira. irei me retirar das discussões pois nao quero causar mais mal-entendidos. minhas gratidões por ter me questionado, só assim pude me perceber melhor.

carolinapaiva disse...

Rachara

melhoras pra você.

EneidaMelo disse...

Anônimo das 19:08, além do que o Luiz Prata já lhe respondeu (e eu concordo com ele), existem sociedades em que ninguém dá a mínima se a mulher tem sovaco peludo ou não, assim como aqui não se dá importância ao homem que tem sovaco peludo.

Você fala como se fosse uma verdade universal no tempo e no espaço, e não é.

Ju disse...

Eu não acho suvaco peludo bonito em nenhuma circunstância. Todo mundo deveria raspar o suvaco, homem e mulher. Vou começar uma campanha pelo twiter agora!

Raphaella Gonçalves disse...

Anônimo disse...
Concordo sobre a questão social da discriminação sexista nos esportes, sempre notei isso, é por um dos motivos q não assisto Olimpíadas e nem nada que passe na televisão aberta brasileira, é tudo lixo sexista e lésbico. Ao esporem apenas a smulheres a mídia acaba por criar tendências lesbianas nas mulheres.
Vivo só de internet.

13 DE AGOSTO DE 2012 16:05

Mas que merda de comentário foi esse... Filhx, vê se cresce! Eu sou lésbica e não sou lixo coisa nenhuma! Dá descrença em mim em ser feminista e ver outras feministas tripudiando em cima de nós (lésbicas).

EneidaMelo disse...

Ju, você tem todo direito de não gostar de suvaco peludo. Daí a querer que todos raspem, tem outro nome: autoritarismo.

Luiza disse...

Me lembra esse estudo feito com crianças negras:
http://www.youtube.com/watch?v=7I3IBeYX1JI

deLira disse...

Fiz o 'musos das olimpiadas', inicialmente, para zoar a palavra 'musa' que é usada sempre no jornalismo - sempre no feminino, nunca no masculino. Acharam uma musa até pro mensalão, for god sakes.

Me vali do meu gosto pessoal. E do gosto das pessoas que me mandavam ideias... Tentei colocar da maioria...!

Só queria comentar que uma coisa que voce, ou a garota que comentou no twitter, não acharam foi que tem muitos arabes e persas no tumblr. "etnia" que quase nunca aparece nas listas de belezas... [e nao sao nada eurocentricas]

Anônimo disse...

Sobre racismo, há um bom artigo em "A quem interessa dividir o Brasil"
http://www.outraspaginas.com.br/?p=481&cpage=1#comment-19

gi polina disse...

LOLA, mto bom seu texto.. permita-me compartilhar, mesmo q com meses de atraso.
E ps breve: me senti muito transgressora por achar preto e preta, em geral, mais bonito e atraente que os brancos e brancas, por "gosto pessoal" ou pura subversão daquilo que é mais socialmente aceito.
Enfim...