quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

GUEST POST: MACHISMO E APOLOGIA À TRAIÇÃO NUM COMERCIAL DE CERVEJA

Enganar a mulher é a maior diversão

O Robson, do blog Consciência, pediu para que este guest post fosse publicado rapidamente, antes que um comercial de cerveja ridículo (mais um!) saísse do ar. Assim como em outros guest posts (que são, para quem não sabe, posts escritos por outras pessoas, não por mim), não concordo com tudo que está escrito neste (vou deixar vocês adivinharem com o que não concordo, pra não influenciar ninguém). Mas concordo que o comercial seja machista.

Machismo, ridicularização do amor e apologia à traição conjugal são comuns em propagandas de cerveja. E não foi nada diferente no comercial em que a Skol divulga sua promoção, intitulada “Operação Skol Folia” (veja aqui o comercial).
Além de reduzir a frangalhos a beleza e a essência romântica da música de Aerosmith, "I Don’t Want to Miss a Thing", e do próprio filme Armageddon, ali parodiado, o comercial chama a atenção pelo seu caráter bastante machista e pró-traição: enquanto a mulher se abala ao saber que vai passar um tempo, talvez a vida toda, longe de seu amor por causa de uma suposta guerra e fica em casa pensando nele, zelando pela vida do amado e temendo sua morte (porque militarismo e guerra são sempre violência e morte, e sou ativamente contra a existência de forças militares), o “soldado” vai para o carnaval e a trai covardemente, sambando e flertando com mulheres “gostosas” e “aproveitando a vida” na farra em contraste com a vida de privação de sua namorada/noiva/esposa.
Ao fim da “guerra”, o comandante e um soldado vão à casa da mulher, que, ao gesto do comandante, se abala ao acreditar inicialmente que seu amado morreu, mas o soldado faz o gestinho de curtir carnaval. Nisso a expressão da mulher é covardemente omitida.
E o machismo da propaganda é triplo. Primeiro porque rebaixa as mulheres duas vezes, através de dois arquétipos: primeiro coloca a mulher como a dona-de-casa que não tem o direito de curtir a vida (ao contrário do seu cônjuge macho), e em seguida mostra-a como brinquedo sexual, como a “gostosa” sem sentimentos que diverte os homens ao ser bolinada. Segundo porque propagandeia aos homens heterossexuais a crença (ou valor cultural) de que é “bom demais” trair sua companheira, jogar fora anos de amor que ela lhe deu em troca de alguns dias de carnaval e usar outras mulheres como se elas fossem meros brinquedos feitos para bolinar ou fazer sexo.
Comerciais desse tipo, além de legitimar uma cultura de objetificação/submissão da mulher e banalização da traição conjugal, deixa aquel@s, mulheres ou homens, que realmente sabem o que é amar e ser amad@, ferventes de raiva, até por empatia à mulher que foi trocada pelo carnaval pelo marido. Aquelas mulheres que sabem o que é se despedir dos seus amados por causa de uma missão militar e sequer saber se voltarão a ver os rostos deles, incluindo muitas brasileiras cujos companheiros foram enviados ao Haiti ou ao Líbano, certamente estão ferventes de raiva desse comercial. Porque ele faz pouco caso do sentimento delas; trata seu amor como algo desprezível, muito menos importante do que poucos dias de folia.
Imagine-se então, mesmo não sendo algo realmente verossímil, o triplo golpe para a mulher: a) ser separada de seu amor, com ela temendo que seja para sempre; b) no final descobrir que foi enganada, já que seu companheiro não foi para nenhuma missão, mas sim para a folia traí-la; c) tomar conhecimento, estarrecida, que seu amor é um cafajeste que usa mulheres como meros objetos sexuais, incluindo ela própria.
Profana-se ali algo sagrado para milhões de seres humanos: o amor legítimo, o compromisso do coração, o pacto mútuo de fidelidade e proteção. Exalta-se como valor cultural o abandono da companheira pelos seus homens, mesmo que não haja qualquer pacto de relacionamento aberto -– e isso, em inúmeras culturas, incluindo a ocidental, é traição, é violação do pacto conjugal. É não só um acinte ao valor do pacto de fidelidade como parte do amor de relacionamentos não abertos, como é antiético, já que causa sofrimento intenso à mulher, frustração com a vida, descrença no amor, depressão, solidão.
E ainda impõe-se à mulher papéis extremamente desfavoráveis, como já foi dito, através desses dois arquétipos: o primeiro da dona-de-casa que não tem os mesmos direitos de diversão que o seu homem e deve aceitar que foi traída -– dada a omissão do sentimento, reduzido à total irrelevância, da mulher do comercial; o segundo da mulher-objeto “gostosa” que vai ao carnaval seminua para divertir sexualmente homens solteiros ou traidores.
Esta propaganda, ao meu ver, merece intervenção do CONAR (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), portanto desde já convoco vocês leitor@s a denunciá-lo. Porque não basta todo o mal que o consumo irresponsável de bebidas alcoólicas faz para a sociedade, ainda temos que ver uma bebida alcoólica sendo promovida com triplo machismo, apologia à traição conjugal e desrespeito aos sentimentos, incluindo milhões de casais verdadeiramente apaixonados e tantas mulheres que temeram perder (ou mesmo perderam) seus amados homens em guerras ou “missões de paz”?
Modelo de mensagem a enviar para o CONAR: "A referida propaganda, para divulgar sua promoção de carnaval, investe no machismo, no incentivo à traição e no desrespeito ao sentimento das mulheres companheiras de militares em missão. O machismo aparece três vezes: [pode ser citado o que eu já disse no post]. Portanto, venho pedir providências em relação ao referido comercial".
Dados a serem colocados no formulário de reclamação: Veículo de comunicação: televisão. Emissora: Globo. Data: 17/01/2012. Hora: em torno das 13h (ou, se você assistiu à propaganda em outra emissora, data e/ou horário, coloque os seus próprios dados).

103 comentários:

Robson Fernando de Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Robson Fernando de Souza disse...

Lolinha, a princípio, valeu ae pela publicação =)

Quanto ao que vc não concorda, xo adivinhar, vou dar dois chutes:
a) você não concorda com o tom piegas do texto (realmente acho que foi piegas ao falar muito da questão da banalização do amor perante os olhos dos casais apaixonados)?
b) ou não concorda com a proposta que o CONAR mande tirar o comercial do ar, por, digamos, ofender a liberdade de expressão?

Beatriz disse...

Vou fazer minha tentativa tb: esse lance de "amor verdadeiro" como se o relacionamento monogâmico padrão fosse o único modelo aceitável para isso, certo?

Robson Fernando de Souza disse...

Boa pegada, Beatriz. Deve ser isso mesmo, eu me foquei tanto na questão da traição monogâmica que talvez tenha acabado parecendo que só a monogamia vale.

Beatriz disse...

Eu entendo Robson. Como me sinto satisfeita nesse modelo, tenho muita dificuldade em entender que existem pessoas realizadas em outros e constantemente esqueço deles (aprendi a considera-los bem recentemente)

Pa-chan disse...

Ainda acho que nada supera os comerciais da Axe. São simplesmente despresiveis. Alguém viu o último que "satiriza" a arca de Noé, mas ao invés de animais, são duplas de mulheres subindo na arca? Repulsivo.

Janaina disse...

Concordo que a propaganda seja ridícula (mas qual propaganda brasileira de cerveja que não é?) e apela pros clichês de sempre, mas acho que o CONAR nada faria, porque são essas imbecilidades que, infelizmente, vendem cerveja aqui.
Quanto ao que a Lola não cocncorda no guest post, aposto que é a opinião do autor sobre o filme "Armaggedon", rs! ;)

Samantha disse...

Comercial lamentável. Nem vou falar da deturpação da música do Aerosmith (Steven Tyler, processa, por favor) ou de como o comercial é ridículo. Acho que vou me focar mais nos esteriótipos femininos.

Esse tipo de comercial reflete bem a filosofia dos mascus que se denominam "homens honrados": temos a boa esposa, a Amélia, a mocinha que usa vestido recatado e fica esperando seu amor chegar em casa com a janta pronta e a casa limpa. Essa é a tal mulher que "se dá o respeito", "se preserva". O que é interessante é que mesmo ela sendo a mulher "ideal", ainda assim ela é traída. Porque esses homens, tadinhos, irracionais e ávidos por sexo, esses homens com instintos selvagens, não conseguem realmente se conter e precisam sair trepando por aí. /ironia

No carnaval temos as mulheres "vadias", as "putas", aquelas que servem apenas para dar prazer aos homens. Essas mulheres que caçam homens nas ruas, que são utilitaristas, interesseiras. (to falando certinho, seus lindos?) E é incrível como todas são heterossexuais, estão dentro do padrão de beleza vigente, são facinhas (não julgo essa questão) e querem... o protagonista do comercial. E ainda assim fica implícito que tão logo o carnaval acabe, essas mulheres servirão apenas para o uso e gozo do machão, enquanto a esposa Amélia, traída, acolherá seu macho quando ele voltar para casa, porque né, ela provavelmente não trabalha e é sustentada por ele.

Sinceramente? Ver o reflexo de masculinistas em comerciais da mídia me dá medo. Muito medo.

lola aronovich disse...

Ha ha, é verdade, Janaina! Odeio Armaggedon! E, pela associação, fiquei com birra da melosa música do Aerosmith. De fato essa é uma das coisas que discordo do guest post do Robson. Mas tem outras. Mais pra frente eu falo quais são aqui nos comentários.
Desculpe colocar esse alerta de discordância, Robson. É que pra mim, e pra muita gente sensata, é ÓBVIO que a opinião de uma pessoa que escreve um guest post não é necessariamente a minha, e que pode haver divergências entre meu ponto de vista e o do autor/autora do guest post. Geralmente há, e eu encaro isso numa boa – pra mim, é impossível concordar com 100% do que uma pessoa diz. Sempre há discordâncias. Se não há, é só porque aquela pessoa que vc pensava que vc concordava 100% ainda não se manifestou sobre determinado assunto. Não sei se já conheci alguém na vida real com quem concordo 100%. É muito difícil. Mas só porque a gente discorda em alguns pontos não quer dizer que não possa concordar em outros. A menos que esses pontos de discordância sejam extremamente importantes pros nossos valores... (por exemplo, eu não quero ter qualquer tipo de relacionamento com alguém que prega crueldade contra animais).
Já fui criticada (por gente que não costuma ler o blog) por causa de guest posts que publiquei. Tem gente que nem sabe o que é um guest post, e acha que todos os posts aqui no blog foram escritos por mim e expressam a minha opinião. Sendo que eu já publiquei posts que não tem nada a ver com o que eu penso. De maneira geral, o que eu mais gosto dos guest posts é justamente eles expressarem uma visão, ou uma vivência, que pode não ser a minha.

Hel disse...

Gente, vocês esqueceram que as gostosas gozam também. E se divertem. E não precisam necessariamente abdicar de seus neurônios para isso. (claro que os publicitários não se deram ao trabalho de pensar nisso... mas eu vejo que muito preconceito parte de nós mesmos a respeito desse tipo de comportamento)

Bom, é fato que o comercial é bobinho e machista, mas acho exagero denunciar no CONAR.

No fundo no fundo esse comercial é mais uma afronta à monogamia e uma demonstração de falta de caráter do que qualquer outra coisa.

Robson Fernando de Souza disse...

hehehehehe Relaxa, Lolinha. Pelo contrário, você pode discordar de mim sempre que for necessário. Aliás, é de algumas discordâncias que a gente aprende coisas muito valiosas.

Pode dizer aí, se quiser. Provavelmente vou aprender com o que vc disser que discorda de mim.

KALI, desesperadamente humana. disse...

Perceberam que no comercial fica bem claro que mulheres não estão convocadas a participar da promoção do Skol folia e viajar com mais cinco amigos? Quem elaborou o comercial nem pensou em focar em um grupo de amigos misto, incluindo homens e mulheres, e porque não, namoradas e namorados? A mentalidade destes publicitários é da idade da pedra.

Tatah disse...

Acredito que a Lola discorda das partes que falam sobre a mulher-objeto “gostosa” que vai ao carnaval seminua para divertir sexualmente homens solteiros ou traidores.
Ué, mulher não pode ir para o carnaval SE divertir sexualmente?

Tita disse...

Ainda que não se esteja num relacionamento monogâmico, penso que será traição.
Até onde me consta (nunca vivi um, mas já li um pouquinho a respeito), o relacionamento aberto não alcança mentiras (em tese, busca exatamente evitá-las.
A Traição ai não seria o fato de estar com outras pessoas, mas o fato de ter enganado a parceira, mentido e tripudiado.

Sara disse...

Concordo com a Janaina, e nunca vi um único comercial de cerveja que transpareça que quem os criou tenha algum neurônio, portanto pra mim é só mais um.
A defesa que o autor fez da monogamia não me comove nem um pouco pq odeio monogamia.
Então não vou me dar ao trabalho de denunciar esse lixo, já que a televisão esta cheia deles.

Robson Fernando de Souza disse...

Sara, não necessariamente defendi a monogamia - a não ser que o texto tenha dado a entender isso. Ele defende que o comercial exalta a quebra do pacto de fidelidade nos relacionamentos monogâmicos (acabei sem abordar a poligamia e o relacionamento aberto, que também seria traída no comercial, por vacilo mesmo).

Sara disse...

Robson tudo bem, o mundo esta repleto de quem aprecie e cultue a monogâmia como o relacionamento ideal, eu apenas não sou uma dessas pessoas.
Mas acho legal que o comercial tenha mostrado como esses "pactos de fidelidade" são quebrados, e como esses mesmos pactos são enganosos muitas vezes.

Serge Renine disse...

Mulher não trai?

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Quando é que os publicitários vão fazer a incrível descoberta de que mulheres também bebem cerveja?
Cansa ver como as propagandas são voltadas somente para os homens e sempre com essas mesmas piadinhas e historinhas machistas que já estão tão repetidas e manjadas, que talvez nem a criatura mais machista do mundo ainda ache graça... É sempre o mesmo esquema: homens de aparência comum fazendo tosquices ou dizendo coisas sem graça e sendo servidos por mulheres lindíssimas que não tem desejos, personalidade, não bebem cerveja, só estão no mundo, nos bares e no comercial pra agradá-los e nada mais.
Vai ver que tem cara que cresce vendo comercial de cerveja, acha que a vida dele vai ser assim e quando cresce se frustra e vira mascu...

Serge Renine disse...

Intervenção do Conar? Como assim?

Intervenção é coisa de comunista de Cuba ou de nazista e não condiz com a esquerda que se prega do no Brasil.

Tem uma blogueira em Cuba, a Yoani Sánchez, essa sim uma mulher maravilhosa, que não pode vir ao Brasil, apesar de ter um visto autorizado pela própria presidente Dilma e está esperando, pasmem, que os irmãos Castro permitam.

Sim os irmãos Castro, amigos do Chico Buarque e do Lula. Que regime bom é esse que precisa prender seus cidadãos?


Felizmente Dilma é Dilma. Essa não tem paciência com farsantes, sejam estes de Cuba, ou do Irã, é só conferir na imprensa mundial.

Alias Aronovich, porque você não fala da sua colega e mulher, a blogueira Yoani Sanchez? Estranho.

RicAlex disse...

Se o problema é esse, peçam logo pra fazer um comercial de cerveja com mulheres traindo, ai fica todo mundo feliz.

Beatriz disse...

O Conar é um órgão de autorregulamentação publicitária Serge. São os próprios publicitários que julgam se um comercial está dentro dos parâmetros éticos da profissão ou não, não tem nada de intervenção do governo aí. Aliás, ele surgiu na década de 70 como forma dos profissionais tentarem proteger a produção da censura militar.
Segura a vontade de falar de Cuba q ainda vai rolar oportunidade.

Augusto disse...

Fugindo do assunto, Lola, você tem algum post falando se é contra ou a favor da prostituição?

Beatriz disse...

Claro. Se fosse um comercial fazendo apologia ao assassinato de mulheres, era só fazer um sobre assassinato de homens e ficava td certo. Como não pensei nisso antes? Uga uga, vou pegar meu tacape.

Serge Renine disse...

Beatriz:

Intervensão é intervensão e pronto. Conar é policia, mesmo sendo particular.

Deve se falar de Cuba a toda hora, ainda mais nas atuais circunstâncias.

Beatriz disse...

Não, não é a mesma coisa que uma intervenÇão policial (polícia particular, OI?). Muitas profissões têm conselhos para regulamentar suas práticas. É uma coisa discutida entre iguais em pró do bem estar comum de todos os profissionais. Seria o equivalente do Conselho de Medicina intervir ao saber que um hospital, por exemplo, apresenta falhas no protocolo de atendimento aos pacientes, em nome da preservação tanto dos atendidos quanto do "nome" de todos os médicos. Só que o Conar age na publicidade, visando o interesse dos produtores (q logicamente não querem ser demonizados, pega mal) e dos clientes (nenhuma empresa quer ter o filme queimado ao usar uma propaganda equivocada). É muita ingenuidade e desconhecimento da sua parte comparar as duas coisas.

Beatriz disse...

E complementando: O Conar não é uma força EXTERNA a publicidade regulamentando a publicidade. É a própria publicidade se regulamentando, e também o mecanismo que protege os profissionais de coisas como propagandas desleais e difamação entre marcas/agências.

Serge Renine disse...

O Conar é uma falácia, só isso.

LisAnaHD disse...

Nem precisei ler toda a descrição do comercial, pois ao começar a ler sobre o que o comercial apresenta, de cara a gente se dá conta do deboche. Ah! se as mulheres no Brasil deixassem de tomar cerveja por digamos um mês ou até que as agências de propaganda mudassem seus comerciais...

"guest post" é um post escrito por outra pessoa, que não @ don@ do blogue...

guest = hóspede, convidado.
The hotel's guest is my mother's guest.

O hóspede do hotel é convidado da minha mãe.

Robson Fernando de Souza disse...

Pois é, Sara. Se bem que não me acho no direito de "divulgar" a monogamia como "ideal". Se sou monogâmico, isso não quer dizer que eu quero que todo mundo seja também.

Robson Fernando de Souza disse...

Felizmente Dilma é Dilma. Essa não tem paciência com farsantes, sejam estes de Cuba, ou do Irã, é só conferir na imprensa mundial.

Realmente. Ela tem paciência com outros farsantes, como Obama, Angela Merkel, Sarkozy, Hu Jintao, Ibn Saud...

lola aronovich disse...

Serge, vc é, e sempre foi, um ótimo exemplo de mansplaining. Sempre tentando doutrinar as pobres burrinhas aqui. Aí, na primeira vez que é contrariado, começa a virar troll. Vai descansar, Serge, que vc já passou da idade pra se comportar como o Dig Din. E para de falar besteira. O que Cuba tem a ver com a história? O Conar, como a Beatriz já explicou, é um órgão de AUTOregulamentação. Quase todas as instuições têm órgãos de controle, pois elas não estão acima da lei. As mais espertas conseguem ter seus órgãos próprios, que quase sempre são muito mais lenientes do que uma possível intervenção externa. Ou vc acha que qualquer emissora, qualquer agência de propaganda, pode colocar o que quiser numa TV, que é uma concessão pública, e ninguém deve poder criticá-la?


Augusto, acho que não, que ainda não escrevi muito sobre prostituição aqui no blog. Em linhas muito gerais, sou contra a prostituição, mas a favor que as prostitutas tenham todos seus direitos assegurados.
Contra a prostituição, não contra as prostitutas.

Beatriz disse...

Pois é Lola, eu aqui formada na área e escrevendo uma dissertação de mestrado até altas horas da madruga, como fui me esquecer de consultar o Grande Serge pra me explicar a minha própria profissão com o seu conhecimento ilimitado de td? RI-SOS

Carol disse...

Eu me pergunto se tem um setor especial de imbecis para formular comercial de cerveja ou se eles realmente acham que o público que bebe é formado apenas de homens débeis mentais.

Não entendo pq a propaganda não aborda o q realmente importa numa cerveja, sabor textura, aroma e por aí vai.

Liv Milla disse...

Achei ótimo este Guest Post, confesso que não sabia o que era e a explicação da Lola me foi muito útil... rs...
Quanto ao comercial, prefiro não me estender: não vale a pena. Como em tudo no Brasil, o machismo está aí, disfarçado de gracinhas, piadinhas e comerciais de cerveja.

Discordo da Lola quanto a sua discordancia, porque eu amo Armageddon e amo Aerosmith... rs... mas como o Robson bem disse em um comentário: "é de algumas discordâncias que a gente aprende coisas muito valiosas."

Parabéns pelo post! Parabéns pelo blog!

yulia2 disse...

propaganda de cerveja...
normal, infelizmente.

yulia2 disse...

Se na propaganda da gisele, que no meu ponto de vista, foi bem mais grave o Conar não fez nada.... deixou rolar, imagina nesse da skol?

Em se tratando de cerveja... skol e outra marcas já fizeram propagandas mais baixas que essa. O abuso do nu e da semi pornografia era demais!

LisAnaHD disse...

12 Funniest Beer Commercials
Published on 12/16/2011
Cool Ads
by Nora Vega - 58,672 views
http://www.oddee.com/item_98013.aspx

comerciais inteligentes... criativos... muitos deles nem palavras apresentam

yulia2 disse...

'Felizmente Dilma é Dilma. Essa não tem paciência com farsantes, sejam estes de Cuba, ou do Irã,''
''Deve se falar de Cuba a toda hora, ainda mais nas atuais circunstâncias.''

EUA, EUROPA, Israel.... vc esqueceu também de citar estes Serge!

''Mulher não trai?''

sim, trai.... agora cite
quantas propagandas e campanhas
existem na mídia glamourizando
a traição feminina...
''Se o problema é esse, peçam logo pra fazer um comercial de
cerveja com mulheres traindo, ai fica todo mundo feliz.''

o foco não é este. não precisamos de apologias idiotas para a gente ficar feliz. se bem que se tivesse similar igual para o feminino
teriamos um bando de mascu chorando no feicebuqui passeata na paulista dos ''heteros''skin heads , mascus ,sob a batuta de Bolsonaro.

Elizabeth disse...

Sobre a necessidade da propaganda ser retirada do ar, eu proponho a leitura do Codigo de Defesa do Consumidor que assim prescreve:


        § 2º É abusiva, entre outras, a publicidade discriminatória de qualquer natureza, que incite à violência, explore o medo ou a superstição, se aproveite da deficiência de julgamento e da inexperiência da criança, desrespeite valores ambientais, seja capaz de induzir o consumidor a se comportar de forma  prejudicial ou perigosa à sua saúde ou segurança, ou que viole normas legais ou regulamentares de controle da publicidade.

Trata-se de discriminacao a mulher e por isso a propaganda eh ILEGAL-ultrapassa os limites que o legislador entendeu se tratar de liberdade de expressao!

Eu disse...

Noooofa, como esses publicitários são criativos, hein?

Cerize disse...

Esse comercial é de doer! Aliás, não entendo como ainda é permitido propaganda de bebida alcoólica, tomara que assim como a de cigarro um dia seja proibida. Tenho uma dúvida, esses comerciais passam em qquer horário? Porque se passa, é especialmente maléfico pra crianças que já vão vendo como um privilégio masculino sair fazer festa enquanto a mulher fica em casa.

Quanto ao Conar, muitas pessoas tem esse discurso de que é censura. Acho isso um grande equívoco, nenhuma empresa tem o direito de propagar preconceitos ou mentiras. Além disso todos os países devem ter algum tipo de regulamentação. No Canada por exemplo o conselho é auto-regulatório e existe a mais de 50 anos. Eles inclusive tem uma campanha com o tema "Dressing it up doesn't make it true": http://www.youtube.com/watch?v=r8hP9-qnAxk

Serge Renine disse...

Aronovich:

1- Troll porque? Eu só discordei. Me apnte aonde ofendi você ou outrem. Você foi mal educada comigo.

2- Pode-se e deve-se criticar qualquer porcaria que se mostra na TV. O que não se pode, nem se deve, é proibir.Democracia é isso aí. Eu sei que regimes tatalitários tem dificulde para entender isso, mas não é o caso do Brasil.

3- De Cuba eu falei como exemplo de falta de liberdade, não entendeu quem não quis.

Você não sabe mais conversar com um pouco de educação. Tem que usar sempre esse tom?

Raquel disse...

Acho importante o debate e, individualmente, o que faço e nao consumir cerveja ou qualquer outro produto com publicidade ruim. Resumindo, perdeu a consumidora!

Shishiu disse...

Eu já achava skoll uma cerveja de merda, aí eles colocaram Bel Marques e Durval Lelis, juntos (!), no comercial deles. É pra matar o peão!!! Tanta coisa musical interessante surgiu no ano de 2011 na Bahia e os publicitários ainda insistem com esses caras. Duas múmias com o cú cheio de dinheiro.

Gêneros Textuais disse...

Vamos lá: CONAR é agência autorregulamentadora (?) de publicidade. Eles julgam e o réu TIRA A PEÇA SE ELE QUISER. Como não tem poder de polícia, ele não é obrigado. Geralmente o réu retira a peça do ar para não ficar com o filme queimado, mas já teve caso de não tirar.

Se a propaganda incomoda, é válido entrar em contato.

Beatriz disse...

Eu fico pasma como um adulto pode ser tão ignorante do funcionamento da legislação para comunicação e imprensa no nosso país e ainda assim querer opinar (sempre com os mesmos lugares comuns). Ausência de censura não é transformar a mídia em terra sem lei. Senão, daqui a pouco, tá rolando propaganda com pedofilia na tv e snuff movie e ninguém pode falar nada. Pera aí né? Legislação justa, minha gente, é diferente de legislação que vc concorda.
E não Serge, vc não discordou: discordar é não concordar com uma pessoa baseado em uma linha de argumentação própria. Vc simplesmente falou uma besteira, fez uma comparação ingênua, e depois quis sair por cima e se fazer de vítima. Típico.

Serge Renine disse...

Beatriz:

Me desculpe mas eu estava contra argumentando com a Aronovich, não com você. Se você não sabe debater somente leia.

E ignorante você sabe quem é.

Beatriz disse...

Sei sim. Ignorante é que ignora o funcionamento das coisas e adora posar de sabichão. Como gente que, por exemplo, lança opiniões em uma lista PÚBLICA de discussão e, quando naturalmente ela sofre intervenções de outras pessoas presentes fica de "mimimi não falei com vc". Quer discutir em particular manda email, docinho. Qual é o problema, tô te atrapalhando de parecer inteligente pra mulherada? O assunto não é Cuba e vc gosta de salsa?
E sabe pq vou implicar contigo? Pq vc representa uma postura que eu detesto. Isso que a Lola falou de mansplaining. Já percebi que vc não se toca de qto isso é ridículo, e como sou uma pessoa que acredita em missões, vou ter prazer em te lembrar disso sempre que necessário. Aliás, não saber discutir é genial hein? Quem tá ignorando td o q foi escrito pra dizer que ui, não sabe discutir, ui tô sendo ofendido. Se aprume e lute então, escoteiro.

Isabela Candeloro Campoi, disse...

Comercial de cerveja? Nenhuma novidade!! Não me surpreendo e sou favorável à proibição de publicidade de bebida alcoolica na TV, assim como foi estipulado com os cigarros, conforme alguém falou aqui em cima nos comentários.

Mariana K disse...

Pra mim o mais deprimente é essa forma de ver o amor/casamento, como se fosse necessariamente uma prisão e você só pudesse se divertir longe d@ parceir@... E tem infeliz que coloca a culpa da taxa de divórcios no feminismo, né.

Eu particularmente não tomo cerveja que faz propaganda ruim. Perco o tesão. Acho que o povo que tá dizendo que propaganda de cerveja é tudo igual tem muito azar, porque até eu que quase nunca vejo tevê ou revista já vi propaganda de cerveja não-machista por aí. Polar, Bohemia, por exemplo.
Uma coisa que notei é que quanto pior a qualidade da cerveja (pode ser uma questão de gosto, não sei), mais machista e apelativo é o comercial...

Gabriele Albuquerque Silva disse...

O comercial novo da Axe satirizando a Arca de Noé realmente consegue ser pior. Pra quem ainda não viu essa desgraça: http://www.youtube.com/watch?v=snfDD1_nFig&feature=related

Carol disse...

Mariana K, não é gosto, é paladar apurado.
Essas cervejas de "verão" são aguadas e feitas com malte ruim. Precisam estar estupidamente geladas pra vc não notar a falta de gosto ou gosto ruim que elas têm, pois a língua fica anestesiada.

Bem, se vc quer vender um produto de baixa qualidade, vc tem que apelar para mensagens que associe esse produto ruim a coisas que as pessoas gostem, como forma de estimular o consumo.
Confesso que acho que o sujeito tem que ser um energúmeno pra cair nessas propagandas cretinas, não só de cerveja, que mais me afastam do produto do que convencem a comprar.

lola aronovich disse...

Gabriele, não existe comercial da Axe que não seja de uma babaquice total, né? É a linha deles. Eu teria vergonha de ser homem e usar Axe, porque o que o produto vive dizendo é que o cara só consegue mulheres por causa do desodorante que usa. Se ele não usar Axe, ficará na mão. O que me intriga é que publicitários fazem esse tipo de comercial (tanto de cerveja quanto de desodorante) para o público masculino e depois nós mulheres é que somos chamadas de fúteis, rasas, irracionais...
E pra quem achou o comercial da Skol desrespeitoso com as mulheres (eu achei tb), o que dizer desta promoção que a Axe fez ano passado para o Dia dos Namorados? Banheiro para homens, com direito a strippers. Afinal, o cara quer estar com qualquer mulher menos com aquela que está.

lola aronovich disse...

Serge, se vc só quer dialogar comigo, está perdendo seu tempo. Este é o último comentário que dirigo a vc, porque tenho mais o que fazer. Se não tenho tempo pra responder leitor@s inteligentes e perspicazes, acho injusto dedicar atenção a gente nada capacitada. Troll, pra mim, não é só alguém que fala um monte de besteira agressiva (e acho incrível como vc não se ache nada agressivo nos seus comentários; agressiva sou eu e outras leitoras!), mas também quem o faz de forma insistente, através de montes de comentários. E que chega pra deturpar o tópico (caso de falar de Cuba e ainda dizer que é “estranho” eu não falar da Sanchez num comercial de cerveja da Skol). A Beatriz argumentou e explicou pacientemente o que é o Conar. E vc, pra fingir que não levou umas 50 rasteiras, vem dizer que só quer falar comigo... Vai procurar sua turma, Serge! Monte um clubinho com Oliveira, Arnold, Dig Din, Flasht, Flavio, e outros, e façam seu próprio blog. Será um sucesso, tenho certeza! Alto nível intelectual pra isso vcs têm!


Beatriz, amei sua última resposta pro Serge. Vc precisa comentar mais aqui, menina.

Beatriz disse...

Lola ahaza. E pode deixar q volto sempre <3

Bruno S disse...

Não vi o comercial, mas não dá para esperar algo diferente nos comerciais da SKOL.

Não dá para falar que todos os comerciais de cerveja sejam ruins ou apelativos. Os da heineken para a Champions League, em geral eu acho muito bons. E deve haver outros, que não lembro.

A parte que o Robson descreve sobre a incentivo a traição, para mim é extensão do machismo da mensagem. É moralmente aceito o homem querer mais mulheres.

Gabriele Albuquerque Silva disse...

Verdade Lola, a Axe se supera cada vez mais. Eu não tinha visto essa do banheiro, quase vomitei.

André Gonçalves disse...

é por campanhas como esta e tantas outras, e comentários como o desse rapaz aí, que vou diexar a profissão e voltar a estudar. já cumpri minha cota de pequenas maldades e omissões, e está na hora de uma tentativa d compensar. se é que dá. se deus existir, perdoará? beijo, lola. adorei você, beatriz!

Dri Caldeira disse...

Pessoal, antes de mais nada, um feliz 2012 à todos, em particular à querida Lola, nossa voz ativa diante desse massacre diário q sofremos (nós, mulheres). Olha, sou radical: comercial de cerveja no verão, e às vésperas do carnaval eu nunca assisto, pq sempre degrada a mulher. Ponto. Além de mal feitos, são sexistas e degradantes. Não vou gastar minha luz com essa porcaria. Ah, e Serge, vc não parece ser um cara que curta ritmos latinos. Tá mais pra valsa vienense. Duro feito um pau. Pra gostar de salsa tem q ter a alma desprendida de pudores, de preconceitos e pré-conceitos. Vc é aquele que no passado, minha avó dizia levar altas tábuas da mulherada...

Quem? disse...

Lola,

como vc está moralista. Reclamando de traição

Não foi vc que disse cantou bola para a Bela porque ela traido o Edward no Eclipse com o Jacob?
como vc se comporta ante a traição feminina, Lola?

Porque ela existe e bastate viu? Foi-se o tempo em que a mulher ficava em casa feito esta do comercial... As mulheres mudaram muoto desde os anos 60 por isso para levar este filme sem ser como piada é impossivel

As mulheres estão traindo bem mais agora. Como vc ver isso, já que não é nem um pouco moralista?

Dri Caldeira disse...

Tendo traído e tendo sido traída já, posso assegurar o seguinte: desejo é uma coisa muito particular de cada um. Cada um sabe o seu e como controlá-lo. Sempre deixei meus parceiros avisados que algumas tentações eu não consigo evitar e que entenderei aquelas que eles por ventura venham a cair tb. Não custa nada conversar sobre isso no começo do relacionamento. Quem entender e aceitar, fica. Quem não, passar bem e passe na roleta, por favor...

Cherry disse...

não acho legal reclamar no conar. sou contra a censura. deveríamos reclamar diretamente na imbev. todas as mulheres deveriam sabotar a skol e pronto.

Links disse...

Poisé, falar que comercial de cerveja machista é praticamente um pleonasmo. Li um post (talvez tenha sido aqui?) de uma dona de bar que decidiu de parar de vender Devassa por causa de suas publicidades machistas. Eu acho que nos deviamos fazer nossa parte, e sabotar produtos que fazem esse tipo de publicidade. Sei que no caso de cerveja, vamos ter parar de tomar cerveja, pois todas sao machistas... entao talvez devessemos enviar cartas de protesto à agencia publicitaira resposavel pela propaganda, fazer abaixo-assinado, sei la!!! Ja passou da hora desses publicitarios cretinos saberem que mulheres também bebem cerveja.

Bruno disse...

A Lola não concorda com a propaganda porque existem mulheres que servem ao exército também...

Relicário disse...

Gostei do texto, odiei a propaganda...achei ofensiva aos homens e as mulheres, pois trata os homens como uns babacas...

No mais, também não me surpreendo com comerciais de cerveja...

O ponto de vista que mais me irrita no comercial é justamente aquela velha máxima de que homem nasceu para pegar todas, e sendo assim trair pro homem é natural, mulher fica asistindo ou devolve na mesma moeda só quando é provocada, pois não tem desejo, além de que para os publicitários autores do comercial ninguém é feliz de verdade no casamento, pois é, sou casada há doze anos, monogâmica e sou feliz...devo ser uma aberração.

Adorei o comentário da Beatriz pro Serge...hehehe...me lembrei da Niemi...saudades dela por aqui...

Alice disse...

As meninas já bebem mais cerveja que os meninos. E elas se tornarão mulheres, né? Mas de que adiantará, se elas não se tornarem publicitárias ou, ainda melhor, donas de agências de publicidade que ganhem campanhas de importantes marcas de cerveja? Aliás, porque não seriam elas donas de grandes fábricas de cerveja? Seremos sempre um monte de chatas reclamonas enquanto não tivermos a mídia, a indústria, a política, o poder nas mãos. Sabem por que a propaganda sexista da Bombril (que dizia que os homens deviam ser tratados como cachorrinhos) saiu do ar? Porque o CONAR interveio, após receber reclamação de algumas dezenas de homens. E essas dezenas de homens, o que têm? Poder, oras! Essas meninas que se tornarão mulheres terão o que no futuro? Poder? Ou papel de coadjuvante gostosa/mulher traída em comercial de cerveja?

Dária disse...

"a mulher-objeto “gostosa” que vai ao carnaval seminua para divertir sexualmente homens solteiros ou traidores." - não sei a Lola, mas quando li isto fiquei imaginando o que alguem já disse por aí nos comentários... me pareceu que a mulher gostosa não poderia está lá se divertindo pura e simplesmente, estava necessariamente pelos homens.

Também não gostei de ficar falando em direto em como casais apaixonados não concordariam com o comercial, pois me deixou justamente com a impressão de que apaixonados seriam apenas os monogâmicos, excluindo o resto. Mas entendo que a gente segue o padrão na hora de esplanar uma ideia, esquece de pensar em variáveis, em outras pessoas... enfim. Falho, mas nem tanto. Compreensivo, ao menos.

Não vi o comercial, pelo que o autor do post narrou aqui concordo que seja machista, mas acho que já vi taaaanto comercial pior que isto que não to conseguindo me revoltar muito não.

Flávio Brito™ disse...

SERGE.

CONCORDE SEMPRE.

CASO CONTRÁRIO VOCÊ É UM TOLL!

Beatriz disse...

Não necessariamente Flávio, pode ser burro tb.

Alex disse...

Não concordo com a parte da desmilitarização do mundo. Infelizmente as forças armadas são necessárias. Estamos ainda muito distantes de ser o mundo ideal da música Imagine do John Lennon. E também não concordo que se utilizem meios institucionais, como o CONAR, para que a propaganda seja retirada do ar. Acho que a sociedade civil é quem deve se mobilizar pra forçar a exclusão do vídeo, por exemplo, deixando de comprar a cerveja até que o comercial seja tirado do ar. Aliás, por esse critério, acho que ninguém deveria tomar cerveja. Quase todas as propagandas desse tipo de bebida são machistas. Machismo não é crime, embora seja socialmente indesejável e criticável. Ou seja, apesar de idiota, o comercial está dentro dos limites do exercício correto da liberdade de pensamento e de expressão.

Ralf disse...

Sou um homem bem sincero, confesso que me considero machista as vezes sim, não sou feminista, enfim... achei essa propaganda RIDÍCULA, de extremo mal gosto, como homem, me senti envergonhado pois achei que desmereceram os homens, pra começar detesto carnaval, depois estereotiparam os homens como sem-vergonhas, canalhas e infiéis, eu ODEIO propagandas sexistas e que promovam esse tipo de coisa, além de terem desmerecido as mulheres também.

Mas gostaria de saber das feministas aqui, se fosse o contrário, se a infiel da propaganda fosse a MULHER, o que vcs achariam, gostariam pois mostraria a "liberdade feminina" OU achariam que estariam querendo desvalorizar as mulheres?

Gostaria da opinião de vcs!

E mais um detalhe, ODEIO SKOL, eita cervejinha aguada, xoxa... eu tomo Bohemia, Brahma, prefiro até Itaipava mesmo, mas nunca fui chegado na Skol, portanto se for pra fazer boicote, eu já faço a muito tempo.

lola aronovich disse...

Bom, agora que muit@s de vcs já comentaram, vou dizer o que me faz discordar do guest post (algumas leitoras já apontaram esses pontos). Realmente, em alguns pontos o Robson faz parecer que o “verdadeiro amor” só pode existir entre um casal monogâmico. Eu não acredito nisso, creio que há várias formas de amar, embora a minha escolha tenha sido pela monogamia. Mas meu principal ponto de discordância é esse de “usar as mulheres”. As gostosas do carnaval que bebem e se divertem são agentes de seus atos. Elas não são “usadas” por homens. Aliás, não sei em que momento mulheres são usadas por homens, ou vice versa. É uma troca, certo? Uma mulher e um homem transam, seja lá por quais motivos (existem vários motivos que levam as pessoas a transar, não é só o tesão puro e simples). Pra mim, ninguém está usando ninguém. Ainda existe muita gente conservadora, moralista, dizendo que mulheres que gostam de sexo são “usadas” pelos homens. Então não é recomendável que pessoas de esquerda e não moralistas, como é o caso do Robson, usem esses mesmos termos. Porque dizer que mulher é usada implica em dizer que mulher não gosta de sexo, ou que homem gosta mais de sexo que mulher. E é, por tabela, repetir indiretamente o que esses comerciais fazem (e que a gente condena por fazerem): que mulher também bebe cerveja, também pula carnaval, também se diverte, também transa. Porque quer e porque gosta.


Alice, acho que a campanha da Bombril não saiu do ar, não. Ela sem dúvida foi denunciada à Conar, mas o Conar julgou os protestos improcedentes.

lola aronovich disse...

Ai, ai, o trollzinho Flávio comentou aqui durante um tempão, sempre falando as mais altas besteiras, assumindo, inclusive, ser troll. E nunca foi deletado... até que adotou táticas de trollagem parecidas a de outros trolls (ou alguém vai negar que Dig Din, Flasht e outros sejam trolls?), como floodar. Floodar é escrever o mesmo comentário inúmeras vezes, com nenhuma outra intenção além de irritar e fazer com que as pessoas desistam de comentar. Dig Din é especialista nisso. E eu acho uma falha incrível do blogspot que ele autorize comentários repetidos (o Wordpress, por exemplo, não permite. Quando vc tenta repetir um comentário, vem um aviso “Parece que vc já disse isso”, e o comentário é automaticamente reprovado. Também acho absurdo que o blogspot não permita mandar comentários de trolls diretamente pra caixa de spam). Então. O Flavio, que nunca foi uma pessoa inteligente (qual troll é? Não existe), em comparação com outros trolls era quase um gênio. Aí ele foi picado pelo vírus da trollagem mais idiota (que é floodar), e eu decidi eliminar todos os comentários dele dali em diante. TODOS. Porque não tem isso de “Agora eu quero te irritar, então vou repetir o comentário toda vez que vc apagá-lo” e “Agora eu quero escrever um comentário sério, e exijo ser publicado”. Pra mim, quem faz uma coisa irritante perde qualquer direito de fazer outra. O blog é meu, e em 2011 decidi (aprendi?) que danem-se os trolls – aqui eles serão deletados. E aí temos que ouvir o Flávio, que várias vezes assumiu ser troll, chorando pelos cantos e dizendo, chuif chuif, que aqui neste blog quem discorda é troll. SEI. Não é quem flooda que é troll, quem xinga que é troll, quem repete besteiras sem nada a ver com o post que é troll. É quem discorda que é troll. E de quem vem essa brilhante definição? Ué, de um troll. Óbvio.

Samantha disse...

Tenho por mim que se as mulheres estivessem neste comercial para se divertir no Carnaval e não para servir aos protagonistas do comercial, não haveria motivo nenhum para a esposa não ter sido "convocada.

É uma leitura implícita, e claro que cada um interpreta como quiser.

Eu, como disse, vi um fundinho masculinista nesse troço. Boas esposas não frequentam o carnaval. Apenas homens (casados ou não) e mulheres solteiras (e lindas).

Serge Renine disse...

Aronovich, frequento seu blog a anos e todos aqui sabem que nunca a ofendi.

Blog é público e eu comento quando achar pertinente, não preciso de autorização.

Sobre inteligência, pelo jeito só quem entende disso são amiguinhas Beatriz e a Aronovich. É só qualquer um aqui ler com que, suavidade, boa educação e boa sintaxe as das duas se expressam na escrita pra julgar o teor dessa inteligência.

Eu prefiro fazer clubinho, Flávio Brito e outros aqui que pensam, me alinhar a uma Beatriz que pensa pensar.

Sara disse...

Poxa Lola seu comentário sobre esse guest post, é exatamente o que eu gostaria de ter dito, e nunca encontro as palavras com a facilidade que vc tem rrssss.

Beatriz disse...

Muito obrigada Serge. Comentários depreciativos sobre minha inteligência vindos de alguém com sua profundidade são o maior elogio que posso receber, ganhei o dia. \o/
Achei a frase "boa sintaxe as das duas" particularmente encantadora. Se você elogia minha sintaxe, infelizmente não posso fazer o mesmo com sua ortografia, já que escreveu intervensão com s algumas vezes. Mas não desista continue comentando, persistência é importante! E que bom que você finalmente entendeu que o blog é público! Parte da missão cumprida hein? Lembre-se disso antes de escrever o próximo "mimimi não falei com você" senão a tia vai ficar triste. E continue com as frases de efeito tipo "pensa pensar". A audiência gosta, e eu também.

Sara disse...

Serge eu sei que sapo de fora não deve chiar, e sempre te achei muito educado, mas há um assunto polemico que às vezes é levantado nos posts que vc da sua opinião ofendendo profundamente quem pensa contrário a vc, no caso eu a Lola e diversas outras comentaristas do blog, vc teve o despropósito de dizer que uma mulher q faz aborto é uma assassina, eu não penso assim, e se for extrapolar o seu raciocínio um homem que se masturba Tb é um assassino, afinal ele esta desperdiçando a semente da vida.
Chumbo trocado não dói meu amigo.

Carol disse...

Concordo que as mulheres possam estar no carnaval se divertindo, mas a forma como elas são retratadas nos comerciais é que tiram delas a característica de sujeitos e as colocam como acessórios à diversão masculina.

Bruna disse...

"As gostosas do carnaval que bebem e se divertem são agentes de seus atos. Elas não são “usadas” por homens."

Acho q neste comercial elas são sim. O vídeo não passa de jeito nenhum a ideia de que elas estejam se divertindo tbm, parecem mais um acessório como a cerveja ou um alvo (?) num mundo completamente masculino. Bem diferente de um comercial antigo da bohemia em que homens e mulheres apareciam se divertindo juntos, um com fotos antigas, lembra?

Deyvson disse...

Eu acredito que só a monogamia é um relacionamento digno de respeito, e abomino a traição de ambos os sexos. Se quando o homem trai é machismo quando a mulher trai é feminismo? Quem trai é sem caráter e ponto final, não tem nada a ver com política.

Mariposa de Guadalupe disse...

O que mais me incomoda nesse tipo de propaganda não é a "traição" implícita, mas essa visão de que a mulher corta as asas do homem. Como só a gente fosse um empecilho à diversão do homem. Percebam que eles tentam amenizar no final, como que se a mulher fosse dar o troco... mas, não cola, né? Que relação é essa em que as mulheres são as chatas que impendem os homens de se divertirem? E por que alguém se põe nessa situação, minha gente? E por que eles não poderiam ir juntos? Acho que o machismo tá aí, no modelo de relação que se está acostumado.
Vou confessar que achei a paródia engraçada. Ela usa elementos de um filme que todos conhecem para fazer um paradoxo entre o que a nossa cultura e a cultura dos EUA valoriza. Se a gente pensar um pouco mais chegaria quase a ser uma crítica nossa à sociedade, afinal nós damos um baita valor ao carnaval e não ao senso cívico de um exército... não que eu acredite em exército e tudo mais, mas pense por esse lado. Se não fosse necessariamente um produto, nem fosse machista, seria uma paródia da nossa própria sociedade. É triste perceber isso.
Eu não acho que seja caso de Conar e mesmo se for não acredito que eles a tirariam do ar. Vamos lembrar que a TV é consessão pública e órgãos como o Conar tem o dever de fazer avaliação desse tipo de propaganda, regular não é censurar, mesmo por que vivemos em uma sociedade em que, tecnicamente, existem certas morais a serem seguidas...

Sara disse...

Que coisa Deyvson, ja eu não respeito nem um pouco quem não sabe respeitar outras opções de relacionamento, estamos quites.

Bruxo Nefasto disse...

Senhorita Lola

Como ousa desrespeitar a leis do Brasil?

Censurando a torto e a direito?

vc se acha melhor do que a liberdade de expressão?

facismo! facismo! facismo!

Robson Fernando de Souza disse...

Aaaaahhh sim. Eu falei, Lolinha, que sua discordância iria me esclarecer em algo.

Realmente o texto deixou parecer, em certos pontos, que só haveria grande amor na monogamia - algo que eu não intencionei falar, mas que acabou escapando porque eu estava em momento de êxtase amoroso, início de namoro.

Quanto às mulheres que gostam de transar, concordo sim. Só que o comercial tratou as "gostosas" do comercial como gente que estava ali apenas a serviço dos "militares", não como pessoas dotadas de vontade própria, que estavam ali se divertindo. Ficou firmado ali o estereótipo das mulheres-objeto, que estariam ali mais pra divertir os homens da patota do traidor do que pra se divertirem por conta própria. Até porque o comercial não mostrou nenhum cenário alternativo com mulheres indo de jipe milico pra folia se divertir com os homens.

yulia2 disse...

''Mas gostaria de saber das feministas aqui, se fosse o contrário, se a infiel da propagandafosse a MULHER, o que vcs achariam, gostariam pois mostraria a "liberdade feminina"

a liberdade feminina não está fundada no pressuposto da infidelidade. se isso te preocupa .. eu não aplaudiria uma propaganda dessa.


''Se quando o homem trai é machismo quando a mulher trai é feminismo?''

entenda uma coisa, o INCENTIVO cultural a traição masculina
e a castração da mulher são um dos produtos do machismo.
trair não é machismo em si, mas seu INCENTIVO é. Mas o incentivo a traição masculina anda de mãos
dadas a repressão da mulher. se o homem trai é o máximo se a mulher trai é vagabunda.

O feminismo JAMAIS em tempo ALGUM incentivou a traição feminina! Aponte um manuscrito feminista
uma propaganda, alguma feminista fazendo campanhadesse tipo. vc não vai achar. E traição feminina não é feminismo. assim como o ato de trair dos homens não é machismo.

Lord Anderson disse...

Chegando meio tarde ao assunto, mesmo assim queria contribuir.

Pro pessoal que diante de qualquer critica a uma propaganda grita que é censura, ameaça a liberdade de exprsão, etc.

Desculpe, mas se todo mundo pensa-se como vcs é possivel que ainda teriamos propagandas como estas:

http://owni.eu/2010/11/08/top-48-ads-that-would-never-be-allowed-today/

que a Aiaiai, trouxe no post anterior.

Que tal refletir um pouquinho sobre essa necessidade de reforçar preconceitos presentes em tantas propagandas ?

Lita disse...

Eu queria saber cadê os publicitários do siri mostrando a bundinha.

Lady in Black disse...

Não acho que somente essa propaganda específica seja passível de denúncia, mas TODAS as propagandas com tamanha conotação machista. Há muito tempo as propagandas de cerveja têm esse apelo machista, como se só homens gostassem de cerveja. Eu gosto muito de cerveja, mas não consumo mais Skol nem qualquer outra que veicule propagandas de tamanho mau gosto.
No caso específico dessa propaganda, eu me pergunto por que o conceito de diversão deve estar dissociado do fato de se ter uma parceira. Por que um casal não pode se divertir junto? O conceito de diversão está muito atrelado à promiscuidade sexual. Nada contra quem se diverte assim, mas o fato é que não existe apenas uma única forma de entretenimento sobre a face da Terra.

Serge Renine disse...

Sara:

Agradeço sua deferência para comigo.

Você tem razão. a palavra assassina é muito forte, mas a covardia do aborto me irrita tanto que e eu exagero. Peço desculpas.

Comparar aborto com masturbação não está certo, pois masturbação seria equivalente a menstruação. Aborto é outra coisa.

yulia2 disse...

mas a covardia do aborto me irrita tanto que e eu exagero.
_________

pena que a corvardia de um estupro não te irrite no mesmo nível...
se é que te irrita.

yulia2 disse...

e a covardia do abandono? as milhares de crianças jogadas nas ruas... na cracolandia cheirando cola, sujeitas as mais sórdidas violencias , a fome e a mizéria?.... será que irrita também os que se entitulam pró vidas???

aquela garota de 9 anos grávida de um estuprador, foi excomungada ela e a mãe porque não deixaram nascer o filho do crime.
o estupro não irrita os pro vida.

O fanatismo raivoso do Serge é seletivo. Essa demagogia barata dos pró vida me cansa!

sei que ele não vai responder como sempre faz toda vez que é mais efetivamente confrontado. Mas não importa, continuarem confrontando mesmo assim para que fique evidente certas contradições.

Serge Renine disse...

Yulia2:

Se você quer saber, seu eu pegar um estuprador eu mesmo dou um jeito nele. Então, Yulia2, nunca mais me fale neste tom.

Criança cheirando cola é falta de responsabilidade, caráter, vergonha na cara de gente adulta que nem pode ser chamada de gente. É caso de polícia.

Uma criança de 9 anos ser excomungada pela mãe é um absurdo monstruoso e não é caso para aborto resolver mais sim do estatuto do menor e adolescente, ou seja, mais uma vez cadeia nesta gente desclassifica, pra dizer o mínimo.

Só pra te esclarecer: tudo isso ai em cima me irrita demais, mas ainda me irrita menos que um aborto em que espeta um ser indefeso, dentro de uma barriga em prol de comodismos. Nunca vou concordar com isso.

A mulher do Gobels matou, envenenados, todos os cinco filhos porque não queria que estes crescessem em um pais que não fosse nacional-socialista (partido do Hitler) e na ocasião isso, para eles pareceu certo. Você faria isso pelo PSDB, DEM, PT?

Já falei aqui e vou falar de novo. Engravidou? Seja responsável: eu digo o pai e a mãe. As suas vidas pessoais, seus prazeres, seus projetos de vida estão em segundo plano a partir disso.

Não quer engravidar? Se cuide, seja gente, tenha vergonha na cara e respeito por você e pelos outros, sejam estes, adultos, ou fetos.

Yulia2: pare de pensar levada por ondas de pessoas cegas, e pense com a sua cabeça e, principalmente, seu coração.

Grande abraço!

yulia2 disse...

''Se você quer saber, seu eu pegar um estuprador eu mesmo dou um jeito nele.''

bom saber disso agora. nem sabia é que vc geralmente não se manifesta aqui quando o assunto é estupro, sabe como é...mas agora que já falou, prossigamos.

''Criança cheirando cola é falta de responsabilidade, caráter,
vergonha na cara de gente adulta que nem pode ser chamada de gente. É caso de polícia.''

criança na rua cheirando cola, são filhos de adultos e adolescentes drogados moradores de rua que a muito tempo perdeu a noção de qualquer responsabilidade. È caso de falta de educação,de interesse das autoridades que a anos e anos trata pobre feito lixo a ser varrido como agora no caso da cracolandia.bela vida a dessas crianças tomar cacete de policia na rua.

yulia2 disse...

''Uma criança de 9 anos ser excomungada pela mãe é um absurdo monstruoso e não é caso para
aborto resolver mais sim do estatuto do menor e adolescente''

Serge, vc não entendeu o que eu escrevi, A MÃE e sua filha de 9 anos estuprada, foram EXCOMUNGADAS PELA IGREJA! só quem excomunga é a igreja.Um lixo de igreja que por sinal que excomunga a vítima e protege o estuprador, posto que com ele não aconteceu nada.
Mais, tanto a mãe como a filha dela quisera o aborto. se as duas quiseram, NINGUÉM absolutamente NINGUÉM tem que obriga-la a ter o bebe.Isso é um direito previsto em lei. È o fim dos tempos.
Não bastasse ela ter sido vitimada por um pedófilo ainda tem que ter um filho feito a força? È a segunda violenciaque ela sofreria, pois a primeira foi o estupro.


''mas ainda me irrita menos que um aborto em que espeta um ser indefeso,''

um feto fruto de crime não é mais indefeso que uma criança de 9 anos diante da força de um adulto.
ou um criminoso armado quando vai estuprar uma mulher. se a vitima do estupro não quiser ter esse filho NINGUÉM pode obriga-la a ter
e nem condena-la.

yulia2 disse...

''A mulher do Gobels matou, envenenados, todos os cinco filhos porque não queria que estes
crescessem em um pais que não fosse nacional-socialista.''

Isso não tem nada a ver com o assunto em questão. os seus 5 filhos não foram frutos de violencia,ao que me consta não era ignorante, viciada e nem passava fome. Ela fez o que fez
motivada por outros motivos, mas até aí ta cheio de pai
que mata a familia inteira e seus filhos motivados por passionalidade ou falencia. Isso é uma outra conversa.


''Já falei aqui e vou falar de novo. Engravidou? Seja responsável: eu digo o pai e a mãe''

Falar é fácil. Mas dar condições para o povo, esclarecimento,
camisinha, noções de planejamento familiar EDUCAÇÃO ADEQUADA, abordar o assunto sexo sem
tabus e falso moralismo... isso ninguém quer. Tentar entender o porque dela fazer isso sem julgamento a priori. Cuidar de criança abandonada então.... menos ainda!

''pare de pensar levada por ondas de pessoas cegas, e pense com a sua cabeça e, principalmente, seu coração''

o que eu disse é exatamente o que sempre pensei, não fui levada por ninguém não.vc não gostou, mas esse é o meu pensamento e o mesmo eu recomendo a vc, não se deixe levar pelo fanatismo e pela sanha inquisitória. Ninguém é superior a ninguém para condenar quem faz aborto. Vc não sabe o que ocorreu antes e o que ocorre no momento
para ter feito o que fez.

Sara disse...

Serge extrapolando novamente e me baseando em seu comentário, ja que a vida de um embrião lhe é tão cara, deveria sim ser crime a masturbação masculina pois resulta em perda de semem que propicia a vida, e ja que é assim nesse mundo de preservação de vida que vc defende, deveria tambem serem tomadas medidas para que nenhuma mulher menstruasse, afinal isso só ocorre porque os óvulos não são fecundados, portanto nesse seu mundo onde a vida deva ser preservada a qualquer custo, as mulheres deveriam se casar assim que menstruasem, por volta de 11 ou 12 anos, e deveriam parir sistematicamente até o fim de suas vidas reprodutivas não é????
Dessa maneira os defensores da vida não deixariam nenhuma brecha para que nenhuma vida se perca inutilmente.
Não percebe o absurdo do que vc defende Serge???
A vida só deve ser preservada se reune condições para isso, nenhuma mulher em seu juizo normal faz do aborto seu método anticoncepcional, mesmo porque o aborto é nocivo a saúde da mulher e não é sem custos que ela se submete a isso, é uma escolha extremamente dificil mas imperiosa em certas situações.
Alem do mais é muita prepotencia que homens que nunca vão gestar em suas vidas criem leis que interferem no direito da mulher sobre seu corpo.

Serge Renine disse...

Yulia 2 e Sara:

Abortem a vontade!

Sara disse...

Serge muito grata pelo seu consentimento, não vou perder essa oportunidade......

yulia2 disse...

Alem do mais é muita prepotencia que homens que nunca vão gestar em suas vidas criem leis que interferem no direito da mulher sobre seu corpo.[2]

______________

perfeito!

além do mais isso já virou questão de saúde publica e isso tem que ser debatido sem fanatismo religioso e falso moralismo.

Lollah disse...

Meu namorado me falou desse comercial e comentou que era machista... dai eu vi o comercial e achei bem machista mesmo (além de ser sem graça né, vamos combinar).

Felipe Junior melo disse...

Estou aqui denovo comentando,por que adoro esse blog,bom demais,muito bom msm!!!!!!me recomendaram e até hj acompanho,mais ai queria tirar uma duvida sera que esse site é bom http://detetive-particular.com to precisando de fazer uma investigação hehe ? se alguem souber me falar,e continue com mais post!!