segunda-feira, 25 de julho de 2011

CIRURGIA PARA PADRONIZAR VAGINAS

Que coincidência macabra. No mesmo dia que vi um gracioso vídeo pregando amor às vaginas (publico esta semana), assisti a um documentário chamado The Perfect Vagina, a vagina perfeita. Ele trata de uma tendência na Inglaterra e no mundo, a cirurgia cosmética vaginal, também conhecida como labioplastia. Houve um aumento de 300% na procura dessa operação nos últimos dois anos. Basicamente, ela consiste em reduzir os lábios da vagina, é feita com anestesia local, e custa umas 3 mil libras em média. A paciente fica acordada enquanto seus lábios genitais são cortados e removidos. Perceba que não estamos falando de algum problema de verdade (como, sei lá, uma vagina que impede a mulher de fazer sexo sem dor), mas de problemas inventados, estéticos. Por que diabos uma aberração dessas acontece?
Obviamente porque estamos saturadas de imagens de normalidade, do padrão. Quando a gente pensa em seios, pensa num só tipo, de tamanho médio, sem estrias, durinhos, jovens, sem distinção de formato entre um e outro, com mamilos também padrão. Mas existem seios de todos os tipos. E se os seus não batem com a imagem que você tem do que os seios deveriam ser, Houston, temos um problema. De repente você passa a ver seus seios naturais e saudáveis como uma anomalia. (E, se você quer combater esse pensamento único de que seios devem ser assim e assado, recomendo gastar tempo neste site. Mude sua imagem mental! Abra seus horizontes, saiba que a diversidade é gigantesca, e aceite-se).
Mas seios ficam lá em cima, bem expostos, na linha de frente. Agora, quanta gente verá a nossa vagina? E quantas vaginas além das nossas vemos na vida? Depende. Revistas e filmes pornôs fornecem uma enorme quantidade, mas como tudo que é comercializado, essas vaginas seguem um padrão. São photoshopadas à exaustão, maquiadas, reformadas através de cirurgia. São tão reais quanto eu me chamo Shirley. E, se não acreditamos que a modelo que posa para a capa da revista feminina acorda com aquele rosto e cabelo, por que vamos acreditar que aquela vagina seja real? (veja aqui fotos de vaginas de verdade). E não se pode achar que esta é só uma encucação nossa. Tá cheio de homem por aí traumatizado com o tamanho do pênis. Se aumentá-lo fosse possível com uma cirurgia, um monte de cara faria. Alguma dúvida?
Certo, mas desde quando nós mulheres caímos na ladainha da indústria pornô tanto quanto os homens, que crêem que qualquer bilau com menos de 20 cm só faz cosquinha? Certamente nunca houve tanta obsessão por pelos púbicos. Depilação integral virou norma pras mulheres, e isso é recente; simplesmente não existia na minha adolescência. Quem se depila apela para o lado higiênico (quando qualquer médico dirá que os pelos protegem a vagina de infecções, ou seja, higiênico é tê-los, não removê-los), mas há também a atração (que poucos/as admitem, por motivos óbvios) de que vagina totalmente depilada é a de uma menininha antes da puberdade. É essa também a ambição da cirurgia vaginal cosmética: reduzir os lábios para que a vagina se pareça com a de uma garotinha. Desculpe, gente, mas só tenho uma palavra pra isso: argh. Não quero controlar o pensamento ou censurar a fantasia de ninguém, mas sério? Fantasias sexuais com meninas pré-púberes? Mesmo? Eu posso passar o número de uma psicóloga.
Minha principal reclamação contra o documentário A Vagina Perfeita é que ele mostra algumas cenas gráficas demais de uma cirurgia (e eu fechei os olhos nessas partes, porque pretendo continuar tendo vida sexual, obrigada). Uma linda moça de 21 anos se submete a esse procedimento porque é zoada pela irmã e por alguns parceiros sexuais que teve. Embora a cirurgia não seja complicada, até que a vagina se recupere pode-se passar até três meses de dores e sangramentos.
A diretora do doc, uma jovem que acha que sua vagina não é mais a mesma depois de ter tido um filho, vai até um artista. Ele é um escultor que tira moldes de gesso de cada vagina de voluntárias, e depois coloca esses moldes todos (uns quarenta) num mural. O objetivo é que as pessoas vejam a diversidade existente, desmistificando a lenda da única vagina sagrada. Uma das entrevistadas no doc odeia sua vagina e sonha em fazer uma cirurgia ― até que ela vê um molde e percebe não ser nada anormal. E desiste da operação.
Ótimo. Mas é aquela coisa: se fazer uma operação vai tornar uma mulher mais segura e confiante e ela se sentirá melhor depois da dor excruciante por ter se submetido a um padrão idiota de normalidade, por que não fazê-la? Claro que a mesma desculpa pode ser usada para mutilação feminina de mulheres africanas. Não? Nem todas as meninas africanas são forçadas à mutilação. Muitas acreditam que o jeito delas se enquadrarem numa sociedade é extirpando o clitóris. Pelo jeito, nossa sociedade ocidental está caminhando pro mesmo caminho. Por exemplo, assim como a extirpação do clitóris não traz nada de bom para as mulheres muçulmanas, ainda há poucos estudos que analisem os efeitos da nossa ocidental labioplastia a longo prazo. Os lábios genitais são regiões com nervos, e se esses nervos são retirados, pode haver diminuição de sensibilidade e prazer numa zona que, bem, é propícia ao prazer. E imagine parir quando parte da sua anatomia foi removida. Uma cirurgia dessas praticamente força a mulher a realizar o parto através de cesárea (o que não é um problema pras brasileiras, campeãs de cesareanas no mundo). Se muitas africanas são mutiladas para serem aceitas, por aqui nossas meninas, já a partir dos 16 anos, reduzem as mamas para serem aceitas. Ou colocam silicone para serem aceitas. Ou mudam o formato do nariz para serem aceitas. Ou cortam suas vaginas para serem aceitas. Não vejo uma diferença assim tão gritante não. É o mesmo princípio: partimos da modificação de uma parte saudável de nós para nos enquadramos a um padrão imposto pela sociedade. E tudo com a doce ilusão de que dessa forma sim o mundo nos tratará com respeito e admiração.

Hoje é dia de blogagem coletiva do Action Aid. Acesse aqui, colabore com 15 reais por mês, e ajude a mudar a realidade de uma brasileira.

151 comentários:

dolcinha disse...

Baralho!
Soh dou um nome pra isso ae: mutilacao genital feminina do mundo dito "civilizado".

argh

Jux

Giovana disse...

Eu só acho uma coisa: se tá lá é porque tem que tá. Todo mundo tem.
Então, por que tirar?

Tá doido... Evolui a tecnologia, regride a cabeça!

Maíra disse...

Preciso dizer que a labioplastia é uma coisa que me atraía, pois acho meus lábios vaginais grandes e às vezes - note o às vezes - incomoda no sexo. Nada que uma "ajeitadinha" com a mão mesmo não resolvesse. Mesmo assim, me incomodava - e olha que nunca fiz plástica e, apesar de não ter nada contra, não acho que faria, ou ao menos não tão cedo (tipo primas minhas, de 20 e poucos anos, que já reformaram os peitos: uma tirou, outra colocou). Até que dois parceiros, em momentos completamente diferentes, falaram o tanto que acharam minha genitália 'legal', que era uma diferença positiva. Mudei completamente de ideia, óbvio. Agora, só faço essa cirurgia se um dia eu realmente precisar, chegar ao ponto de sentir dor etc (adoro programa de TV de cirurgia plástica e sempre tem casos de moças que não conseguem mais fazer sexo, principalmente depois de dar à luz - casos superválidos!) Depois dessas duas conversas, foi como a menina que "se viu" em um dos moldes. Completamente libertador.

Laetitia disse...

tem umas amigas minhas que são adeptas do "se não gosta, então mude". elas acreditam que o sofrimento físico de uma cirurgia, ou de exercícios, ou de dieta é menor e compensa o sofrimento psicológico de conviver com uma parte do corpo "feia"...

bom, eu não caio nessa. a questão de bonito ou feio é tão subjetiva, e depende de tantas coisas que acho impossível uma mulher cismar com certa parte do corpo sem ter sido influenciada por modelos impostos socialmente. e, se vc tem um problema tão grande assim de aceitação, não vale mais a pena gastar com psicólogos do que com cirurgia? pq as moças que conheço que fizeram plástica até ficaram felizes com aquela parte do corpo, mas logo passaram a implicar com outra - pra mim, prova que o problema é psicológico e não físico.

agora, labioplastia... sério mesmo, gente? sério que alguém já foi transar e o parceiro reclamou do formato da vagina? meu... sem condições. se o homem quer ter uma atriz pornô na cama, desculpem, mas ele não merece ter mulher nenhuma! é mais fácil mutilar a própria genitália do que procurar um parceiro melhor?

Lord Anderson disse...

Ok...estou pasmo, serio.

Eu ja acho o exagero de cirurgias esticas que temos por aqui um absurdo...

Quem foi que inventou essa demanda?

pq isso não surgiu do nada. alguem fez um trabalho de marketing pesado para as mulheres acreditarem que isso tem algum serventia.


pq, primeiro que se submeter a esse tipo de mutilação só para agradar um parceiro é uma anulação terrivel

e segundo pq a maioria dos homens sequer pensa nisso.

lembra aquela moda de tirar a costela para ficar "sexy".

nunca me conformo em ver como mulheres são cerceadas em todos os momentos.

André e seus caldos de cana disse...

eu já sabia dessa, digamos, "tendência" que tomou conta da classe mérdea do mundo ocidental, e que vem avassaladora assombrar o comportamento de nossas çocialáites brazyleyras, pode apostar. mas não deixo de ficar chocado e realmente contrariado quando percebo que estamos caminhando cada vez mais para o aprofundamento de nossa neurose, de nossa "miséria sexual", usando um termo de reich. rumamos para o caos. é lamentável e triste. gostei muito de seu blog. se vc quiser, dá uma olhadinha no meu. um abraço.

André disse...

Lola, tá precisando ver mais filme pornô (ou prestar atenção no que importa), nem de longe as vaginas são homogêneas como você disse.
Não sou especialista, mas creio que a labioplastia não condene uma mulher a realizar o parto através de cesárea (li um pouco sobre isso porque minha mulher e eu cogitamos essa cirurgia após ler que a hipertrofia dos pequenos lábios era uma possível causa da candidíase crônica).

Niemi Hyyrynen disse...

Acho que como toda mulher as vezes eu me pego tendo alguma neurose com o meu corpo.


Mas é isso mesmo ele é MEU.

Se algum dia algum parceiro implicar com o formato da minha vagina eu mando ele pra casa do chapéu.(pra não dizer outra coisa né?)

Ele poderá até estar implicando com algo que eu implique, mas só EU tenho esse direito!

1,2,3 pra troll dizer que não tem nada demais essa labioplastia, que é coisa de feminista mal resolvida sexualmente.

São os mesmos que ficam cobrando suas parceiras para que se pareceram com atrizes pornô.

Aliás quando não estão vendo filme pornô (que mulher transaria com um idiota desses?) estão enchendo a paciência em blogs alheios.

André disse...

Laetitia disse tudo, se o cara tá reclamando da aparência da piriquita tá na hora de começar a escolher melhor os parceiros.

A Dona do Blog disse...

Nossa... terrível isso! Passar por uma cirurgia para ter uma vagina com padrões estéticos, que eu nem faço idéia de quais sejam!

Só tenho uma coisa a discordar, que é quando você fala sobre a depilação. Eu adoro que meu namorado se depile e ele adora que eu me depile. Pêlos atrapalham no sexo oral e eu acho mais bonito vê-lo sem os pêlos. Ele acha a mesma coisa de mim. Isso não tem nada a ver com ter fantasias pré-púberes (ou pedófilas, que é o que imagino que você esteja querendo dizer). Não gosto do seu tom de julgamento em várias coisas que você escreve!

Liana disse...

Eu já vi documentários sobre isso. Como é que pode né, vê até onde vai a obsessão pela aparência.

A comparação com a extirpação do clitóris é muito pertinente. Olhando daqui parece um absurdo, uma violência grotesca. Mas aqui estamos indo pelo mesmo caminho. Só usamos uma desculpa diferente, pretensamente para vivermos nossa liberdade sexual ao máximo, nos mutilando ao máximo.
Para sermos aceitas, nos modificamos. Com roupas 'da moda', maquiagem 'corretiva', cirugias... o que estiver ao alcance.
Quanto a problemas reais de saúde, aí já são outros quinhentos, é válido.

Já tive minha fase de assistir a filmes pornos e nunca vi grandes diferenças nas vaginas das atrizes. Mas essa é só a minha opinião de mulher convive com a própria vagina e já cansou de ver a periquita da mãe, das irmãs, das amigas, de estranhas em vestiários de academia etc Mas devo estar sendo parcial em não reconhecer esta diversidade nos filminhos aos quais assisti.

Essa coisa de depilação total acho estranho. Aparar os pelos, tirar aquele excedente que iria aparecer da calcinha ainda vá lá, mais que isso me lembra sim vagina e pênis de criança. É que nem transar com brinquedo de criança em cima da cama..Esquisito. Mas cada um é cada um.

O namorado não gostou da vagina, do peito? Troca de namorado, não de periquita.

Rachel disse...

Lola, semana passada li um comentário sobre esse tema que foi tão... nojento, a menina dizia que no urban dictionary o nome para isso era "hanging ham". Tão ofensivo. E os comentários do link pro vídeo que você postou? Várias meninas dizendo o qt ficaram machucadas com os comentários dos parceiros. Triste.

Daní Montper disse...

Acho muito mais fácil, rápido e indolor trocar de namorado do que mexer na minha vagina ou peito, ou qualquer parte do corpo que me pertença, só para agradá-lo.

A circuncisão clitoriana é uma abominação que há anos tentamos mudar, e agora temos as ocidentais que resolveram mutilar as próprias vaginas para agradarem outrem...Quando a gente pensa que não pode ficar pior...

Natália disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tanize Monnerat disse...

Minha mãe está longe de ser feminista, mas se tem uma coisa que ela sempre foi é admiradora da beleza. E ela é capaz de ver beleza em quase todos os seres humanos (ela acha os homens, só os homens, indianos muito feios).

E no fim da infância -quando tudo deixar de ser divertido- eu mergulhei em mil complexos, mas a cada defeito meu que eu apontava ela mostrava como ela achava aquilo lindo! Foi assim com meus seios enormes, meu cabelo cacheado, por ser muito alta, muito magra...
E, pasmem(!!), não foi diferente com minha vagina também. Tenho dois irmãos mais velhos e uma casa com muitas playboysss, o que me fez achar que minha vagina estava ficando esquisita e não perfeitinha como da revista.

A resposta dela foi: "minha filha um dia você vai entender o quanto prazer essa área pode proporcionar e por isso não vale a pena arriscar esse privilégio só pra ter uma perereca parecida com essas barbies de revista"

É difícil passar pela adolescência sem se sentir o patinho feio (pelo menos nos anos 90 foi), mas ter outras vozes além de revistas "femininas", Hollywood e novelas foi fundamental pra mim!!

Gabriele disse...

Realmente, esse mundo anda muito doentio. Ótimo post.

Eu já havia visto alguma coisa sobre esse artista pelo twitter da Amanda Palmer (uma das minhas artistas preferidas, que já teve uma música tirada das rádios inglesas porque falava sobre aborto pós-estupro num tom "alegrinho" demais - http://www.youtube.com/watch?v=8C17yfGyJjM&feature=relmfu - e uma briga com gravadora que queria alterar digitalmente um outro clipe pq ela estaria "gorda" demais - http://www.youtube.com/watch?v=jlJ9z_LowBI&NR=1). Lembrei dela também porque a Amanda lançou uma música e um clipe justamente sobre essa questão da depilação, o "Map of Tasmania" (http://vimeo.com/18735435), porque ela não é adepta e muita gente enche o saco por causa disso. Na música tem um trecho: "Soft and sweet and shaped like a triangle/Some girls want no shape and they shave it all/That's so whack, it hurts with the stubble/Walking 'round and look like an eight-year-old".

Mordred Paganini disse...

Tal como a Dolcinha lembrou antes, essa cirurgia me lembra muito a descrição da mutilação genital que (infelizmente) ocorre em alguns lugares do mundo. Mesmo que o motivo por trás do ocidental seja estético, e não a castração do prazer sexual feminino, há nessa versão um outro tipo de castração, também nocivo. A castração ocidental é mais sutil, motivada pela estética. Mas quem inventou isso? Foram as mulheres que inventaram que existe uma forma ideal do órgão sexual feminino, ou elas buscam um padrão ideal que seja mais desejável para os homens? Por que o desejo feminino ainda é mutilado por desejos e fantasias alheios? O que mais inventarão para nos normatizar?

Fernando Borges disse...

Faz bastante tempo que existe cirurgia para aumento peniano.

Não só aumento, como reconstrução também.
Nem por isso ouço falar de filas e filas de homens querendo deixar seus pênis com 30cm rs

Sou contra essa padronização, mas não se pode condenar dessa forma o que está sendo feito. Deve haver casos em que realmente é recomendável a cirurgia.

Algumas mulheres realmente precisam colocar silicone (se estas julgam necessário e o médico concorda) e outras precisam diminuir.
Nem tudo é uma questão de estética. Tenho uma amiga que reduziu suas mamas pois sua coluna estava sendo prejudicada.

Concordo com a essência do post, que é a de se posicionar contra essa imposição de "perfeição" e padronização, mas faltou abordar outros aspectos.

Lu disse...

Eu já fiz essa cirurgia e acho que você deveria tomar um pouco mais de cuidado com o que fala.

Para quem tem um órgão sexual sem problemas é fácil não se preocupar, e eu não falo da parte estética em si. Meus pequenos lábios nunca tiveram nada de pequenos, tinham aproximadamente 7 cm de comprimento e sempre saíam pra fora da minha vagina. Eu vivia com meus lábios machucados quando usava uma calça jeans, vivia indo até o banheiro para ajeitar e enfiar tudo para dentro da minha vagina. Será que tem ideia do constrangimento e da dor que isso me causava? Tem ideia do que eu sinto ao ler isso que você escreveu aqui hoje? Aposto que não, porque não se informou o suficiente para procurar os dois lados desses procedimentos cirúrgicos.

Sempre haverá alguém pronto para julgar, claro. Como se não bastasse toda a dor e vergonha que passei a vida inteira, todo medo de fazer a cirurgia, dinheiro, toda a dor. E depois para me recuperar, o medo de ficar ainda pior do que era. Mas não, a cirurgia me salvou. Hoje eu tenho um órgão sexual saudável.

Se informe um pouco mais Lola, esse post seu foi vergonhoso. Essa cirurgia não atrapalha em nada o parto normal. Eu agora posso fazer sexo sem meus lábios entrarem dentro da minha vagina e grudarem no pênis dos meus namorados.

Não, isso não era normal, não era agradável. Era dolorido e ruim, me impedia de ser feliz, de ter prazer e de fazer as atividades cotidianas, que com certeza vocês que não tem esse problema nem podem percebem.

Que horrível foi ser julgada aqui.

Bruno S disse...

Eu realmente não consigo entender as pessoas que se mutilam para ficar "mais bonitas".

Gabriele disse...

Lu, sugiro que você leia novamente o texto, principalmente o trecho: "Perceba que não estamos falando de algum problema de verdade (como, sei lá, uma vagina que impede a mulher de fazer sexo sem dor), mas de problemas inventados, estéticos."

Mordred Paganini disse...

Pois então Lu, ninguém te julgou aqui, por favor entenda que este blog, assim como os demais blogs feministas que conheço jamais irão se propor a propagar o ódio contra a mulher. É justamente contra isso que estamos lutando todos os dias, não?
Você descreveu um problema que NÃO era estético, que atrapalhava sua vida em vários níveis. O que se critica aqui é quando este tipo de cirurgia pode ser usado para normatizar a mulher, oprimir, impor uma estética alheia à qualquer forma de cuidado com a saúde. A opressão é o problema, não a cirurgia em si.

A Dona do Blog disse...

Liana,
acho preconceito de sua parte ou "maldade" da sua cabeça achar que um pênis adulto, só por estar depilado, faz lembrar o pênis de uma criança. INFELIZ comentário. Nunca na vida havia pensado nisso, nem imaginei que uma associação desse tipo seria possível, até ver isso postado aqui.
A anatomia de um pênis adulto e de uma criança são bem diferentes. Não tem nada a ver com brinquedo de criança... que comparação horrível!

É péssimo ver como as pessoas conseguem "sujar" coisas tão simples e bobas como retirar os pêlos pubianos! Tá parecendo coisa de fanático fundamentalista.

Decepcionante ver feministas pensarem assim.

Daní Montper disse...

Então, Lu, ainda que você tivesse feito a cirurgia porque você não gostava da tua vulva e queria reformá-la, que é direito teu, nós não te julgamos, pois apenas criticamos a padronização, essa vagina perfeita que cega mulheres ao ponto de recorrerem a algo tão invasivo só para ficar perfeita - sendo que este perfeita é totalmente discutível, se o teu caso fosse esse, nós perguntaríamos porque pensava que tua vagina estava feia e tal, e só, já num caso de melhora na qualidade de vida e saúde, como o teu, te pergunto: depois que você fez a cirurgia, como foi a recuperação etc? O médico te falou de algum risco? Quais?

Abs

André disse...

Lola, estava indo muito bem, até o momento em que usou a palavra "muçulmanas". Isso é uma prática tribal, acontece até entre indígenas sul-americanas, e, "pasme" (mas só vai pasmar se tiver esse preconceito), também entre judias etíopes.

Entre as diversas vertentes do islamismo não há consenso sobre a circuncisão do clitoris, há desde o estímulo como a obrigação (mesmo critério da circuncisão masculina) ou o banimento. E em quase todos os casos, trata-se de circuncisão, não de extirpação radical. Um texto sunita inclusive cita Maomé recomendando a uma matrona não realizar retirada excessiva do capuz, porque isso seria mau para a esposa e para o marido (nessa ordem).

Repito: isso é uma prática tribal tradicional, que precede a fundação das religiões monoteístas. Algumas tribos evidentemente vão buscar justificativa religiosa para seus costumes, alguns líderes inclusive alegando coisas como "não manda mas também não proíbe", mas é disso que se trata: tradição tribal.

Liana disse...

Lu, a Lola falou das cirurgias cosméticas.
No teu caso foi uma cirurgia necessária já que te causava problemas. Você tá certíssima por ter buscado uma solução para o que te afligia.

Eu acho também que aquelas que estão no limite, não chega a machucar mas está muito maior do que o 'normal'(traçado pela própria Mãe Natureza) estão na sua razão quando escolhem operar, ou não.
O que é diferente da imposição social para se enquandrar no padrão Barbie ou atriz pornô.

O que se questiona é quando a mulher se mutila para ficar bem para os outros. Se não fosse o bombardeio de imagens sexualizadas e a exigência machista não teriam tantas mulheres encucadas com o próprio corpo. Nesses casos mudar o corpo, não muda o fato de que ela continua numa posição vulnerável e que vai continuar sendo julgada por outros motivos.

E de fato, não podemos fazer o movimento contrário em criticar toda e qualquer mudança 'além do natural' que uma mulher escolha fazer.
O problema é mesmo na padronização que desconsidera a individualidade e gera baixa auto estima.
Homens também não escapam de certos estereótipos. Péssimo tudo isso.

Lu disse...

No começo ela diz que está se referindo a problemas apenas estéticos sim, e não problemas "reais".

Mas veja bem, quando fui fazer a cirurgia fui tratada assim, como alguém que estava lá para fazer apenas uma correção estética.

Apesar de falar dos meus problemas para o médico e ele entender (foi muito humano comigo) ele me explicou que todos os procedimentos são registrados como estéticos.

E todo o resto desse post remete à mutilação. O que eu não é verdade, e por isso aconselho a Lola a rever muito bem esse assunto, pois é bastante delicado. Eu me senti muito mal ao ler, mesmo vendo a recomendação do começo sabe.. o resto também me pareceu bastante agressivo e intolerante com as mulheres que tem esse problema e passaram por esse procedimento.

Mordred Paganini disse...

Mas uma coisa me incomodou na análise deste texto: ninguém aqui deve discordar que padrões estéticos são construções sociais, que ninguém nasce gostando de vaginas depiladas ou retocadas, etc.
Padrões estéticos mudam o tempo todo e nós geralmente acabamos aprisionad@s por estes padrões. A maioria destes se referem às mulheres. Eu sei que o ambiente da alta costura, por exemplo, é altamente misógino, apesar de depender de mulheres que servem de cabides de carne e osso, mas...
Eu faço parte desta construção social! Eu me depilo, eu faço escova, amo salto alto, uso espartilho...
Lendo estas coisas veio à minha cabeça a inevitável conclusão que existe uma forma válida de ser feminista, entende? Eu quero continuar a usar sutiã com enchimento, malhar, usar saltos enormes, fazer escova ou baby liss, me depilar, fazer sombrancelha, enfim, todas as "torturas medievais" do mundo feminino. Não sinto como se alguém me tivesse imposto isso, sabe? Acreditem ou não, eu gosto de tudo e sou feminista. Será esse um impasse?

lola aronovich disse...

Lu, eu tive o cuidado de colocar este pedaço logo no começo do meu texto: “Perceba que não estamos falando de algum problema de verdade (como, sei lá, uma vagina que impede a mulher de fazer sexo sem dor), mas de problemas inventados, estéticos." O post é minha opinião e também em vários artigos que tenho lido sobre cirurgia vaginal estética. Muitas das informações no post estão no documentário, linkado aqui pra todo mundo ver. Não morri de amores pelo doc, mas ele mostra a autora com muita vontade de fazer uma cirurgia (pq não está satisfeita com sua vagina depois do parto) e pesquisando essa possibilidade. Ela vai mudando de ideia aos poucos. Em geral, não acho o doc anti-cirurgia.
É chato vc se sentir pessoalmente ofendida pelo post. O post não foi escrito pensando em vc. Eu não te conheço, não sei quem vc é, não sabia que vc tinha passado por essa cirurgia. Meu post é contra a banalização de padrões estéticos que fazem tantas mulheres se considerarem imperfeitas e saírem correndo atrás de “correções”. Note bem, eu disse padrões ESTÉTICOS. Quem tem problemas e pode/quer fazer cirurgia tem mais é que fazer. Ainda assim, se chegasse pra mim uma moça que me falasse “Eu fiz essa cirurgia vaginal por um motivo estético sim, e daí?”, de jeito nenhum que eu iria criticá-la. Eu sou feminista e defendo a liberdade da mulher sobre seu próprio corpo, lembra? Então a mulher que quiser se submeter a um padrão estético e colocar silicone, tirar parte da mama (como eu tantas vezes quis fazer), tirar parte dos lábios vaginais, tirar costela, fazer lipo etc etc pode fazer isso sem se incomodar com o meu julgamento. Eu não critico o indivíduo, critico o sistema. Critico a indústria da cirurgia estética vaginal, a mídia e seu padrão único de beleza, não uma leitora individual que tenha feito a cirurgia. Imagino que vc também tenha críticas a fazer a essa indústria.

Gabriele disse...

Sim, o problema é a padronização doentia, como se existisse apenas uma estética correta. Muita gente sofre diariamente com isso, já existem pessoas que realmente acabaram se viciando em cirurgias plásticas e desenvolveram um transtorno dismórfico corporal muito sério. Isso é grave. Não é nem questão de julgar quem se submete a procedimentos arriscados por motivos estéticos, e sim toda essa cultura da padronização que apenas alimenta a infelicidade humana.

Liana disse...

Dona, eu disse que EU acho esquisito. E que cada um é cada um.
Não disse que é o seu caso, ou dos homens com quem você sai.
Há toda uma psicologia envolvendo essas 'escolhas' e elas afetam pessoas de maneiras diferentes. Me afeta de um jeito, te afeta de outro. Só isso.
Quando eu falei nos brinquedos, não era literalmente 'com' rsrs era num quarto com decoração infantil, como algumas mulheres adultas ainda têm. Acho estranho.

Não suporto nada que me lembre o universo infantil na hora do sexo, como um uniforme de colegial e maria-chiquinha, e uma vagina totalmente depilada me lembra também pois me sinto infantilizada. Mas isso é comigo. São lembranças minhas. E sei que é de outras também.
Não foi uma crítica a sua pessoa, só entendi o lado que a Lola abordou.

lola aronovich disse...

Dona do blog, não leve pelo lado tão pessoal. Tente entender que a moda tá todinha do seu lado. Hoje é IN tirar todos os pelos púbicos pras mulheres, e são as vaginas peludas como a minha que são criticadas (bem, meu marido não critica, eu não critico, e como somos as duas únicas pessoas diretamente afetadas pela minha vagina, posso dizer que não sou criticada). Faz tempo que quero escrever um post sobre essa moda — que pra mim é estranhérrima — de depilar tudo. Tá cheio de gente que acha feio e sujo um órgão genital não depilado. Suponho que tenha mais gente hoje que ache nojento uma vagina com pelos do que gente que ache que vagina sem pelos lembra a de uma menina. Porque, ahn, crianças não têm pelos púbicos. Adultos têm. E tem gente que quer tirá-los pra que a vagina pareça com a de uma criança. A cirurgia estética vaginal também é feita em muitos casos com esse propósito. E cada um tem a sua fantasia. Minha opinião é que eu não gostaria de transar com um cara que quer imaginar que tá transando com uma criança, mas essa é a minha opinião. Espere pra ter um ataque quando eu escrever um post específico sobre depilação vaginal.


André, entendo que a mutilação feminina seja uma prática tribal. Mas ela hoje está muito mais associada às tribos que seguem o islamismo, não?

Historiador disse...

Patrulhamento, a pessoa não pode em querer se operar que têm quem de chilique por isso... Aff... Pó se a pessoa é maior, vacinada, paga suas contas e não deve satisfação a ninguém, que mal há? Existem problemas de saúde? mostre! se ainda assim a pessoa quer e ai? é por que têm gente que não aguenta vê uma pessoa querer agradar o parceiro, tem que diminui-la ao ponto de dizer que é indução, que é alienação etc. Ora! pelo amor de Deus viu, esse feminismo ai, não é o o da busca do respeito, da tolerância e dos valores mais impares que outrora se externaram, esse ai é sim o da busca da padronização do pensamento, o do "o meu é o certo e não o seu e vc tem que pensar como eu quero"



"Tenho medo"

Liana disse...

'valores mais ímpares que outrora se externaram'

Eu prefiro os valores mais 'pares'.

Entrar na faca para 'agradar ao parceiro'? Sei.. tá na conta dos 'valores ímpares'

Vai falando que eu tô anotando.

""Tenho medo"" dos numeros 1, 3, 5, 7 ...

Mordred Paganini disse...

Ai Nossa Senhora do Pentelhos de Aço! Não vi aqui ninguém condenando quem faz a cirurgia, mas a construção social por trás disto, o patrulhamento estético do corpo da mulher. A padronização atual faz com que exista apenas uma forma (e uma fôrma, por que não?) de ser mulher. Isso é patrulhamento.

A Dona do Blog disse...

"Minha opinião é que eu não gostaria de transar com um cara que quer imaginar que tá transando com uma criança, mas essa é a minha opinião"

Sim, também é a minha opinião, mas você está querendo dizer que a maioria dos homens quer mulheres depiladas por ESTE motivo. Que propriedade você tem para dizer isso? Tem algum estudo estatístico a respeito disso?

Acho SIM um exagero afirmar esse tipo de coisa. Pode até acabar influenciando mentes mais fracas, que se o namorado sugerir que se depile, vai achar que o coitado é pedófilo!!

E, sinceramente... considerando que o odor (ruim) de axila é mais forte quando há pêlos, acho ótimo quando me livro deles. E tirar da região pubiana, além de permitir sexo oral sem pelos na boca, facilita bastante a higiene. Minha sensação quando me depilo é ótima, e quando vou tomar banho depilada é melhor ainda.

Você não tira pelos de nenhuma parte do corpo?

denise disse...

Lola não sou contra cirurgias esteticas. ao contrario acho q elas podem fazer um bem muito grande a quem tem problemas serios de estetica, é um recurso que temos hoje e que nossas avós não tinham, não vejo motivos para despreza-los, ainda mais se o objetivo é estar bem consigo mesma, não agradar alguem especificamente, porem todo exagero sera ruim, padrozinar o que é belo, e criar uma demanda sem sentido, é irracional, alem do que só torna o mundo um lugar mais monotono.

André disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André disse...

Não, Lola. Isso é o mesmo que assumir que a depilação daa pernas é um costume cristão brasileiro, já que aqui é um país de maioria cristã e grande parte das mulheres se depilam.

No Leste Africano calha do Islamismo ser a religião mais difundida, e o costume da mutilação também é concentrado nessa macrorregião, bem como em porções do Oriente Médio. Então ocorre essa falsa correlação. Não há nada a respeito na liturgia islâmica canônica, e algumas vertentes regionais tentam buscar ou incorporar textos que a justifiquem. Nada diferente do sincretismo religioso que temos aqui: a reinterpretação de um conjunto de símbolos tradicionais sob outro arcabouço religioso.

(corrigi um erro de ortografia.)

Vivien Morgato : disse...

mutilação...com certeza.


quanto ao fato de aparentemente todo mundo achar natual submeter-se a arraaaancar pelos com cera (!!!!!), cmo algo normal...me pergunto por que não usar cremes sem dor.

e quanto a vagina de Lolita, concordo com vc totalmente.

Mordred Paganini disse...

Vivien, vc disse:

"quanto ao fato de aparentemente todo mundo achar natual submeter-se a arraaaancar pelos com cera (!!!!!), cmo algo normal...me pergunto por que não usar cremes sem dor."

Nem todo mundo acha natural, mas muitas pessoas gostariam de se ver livres de pêlos. Eu gosto de me ver livre dos meus, mas não acho natural.
E eu também não teria porque gostar de algo porque é natural, afinal a natureza não é boa ou má, mas simplesmente é. Doenças, venenos e desastres naturais fazem parte do natural e no que diz respeito ao ser humano pelo menos, não são coisas boas.

Infelizmente ainda não existem maneiras indolores de retirar os pÊlos satisfatoriamente (sem que cresçam mais rápido e mais fortes ainda). Algumas pessoas usam cera para que o pêlo nasça mais fraco e demore mais tempo para crescer.

Recaptulando: certamente, depilação não é natural, mas a mioria das coisas que eu gosto, também não.

Mordred Paganini disse...

corrigindo: Maioria*

A Dona do Blog disse...

Vivien,

depilação existe utilizando-se diversos métodos: lâmina, cera, tesoura, laser, fio, satine, etc.

Não sinto nenhum dor usando lâmina, nem o laser. Muitas pessoas são sensíveis ao laser, mas eu não.

Depilar não implica em sentir dor. Mesmo com cera, não é todo mundo que sente dor.

Carol disse...

Porra, como tem gente que falha em interpretação de texto aqui, hein. Minha Nossa Senhora da Buceta Cabeluda e dos Lábios Grandes.

A Dona do Blog disse...

Vamos protestar contra os chocolates, porque têm muito açúcar e gordura e não são naturais. São também influência da mídia essa necessidade de comer chocolate. NÃO ao chocolate. A mídia nos manipula e a gente só fica diabético e com veias entupidas.

Soa estúpido, né? Porque É.

Barbara disse...

A princípio, eu faria uma cirurgia dessas por motivos estéticos. Sexo é tão bom, se você ficar preocupada com a aparência da sua vagina, como vai conseguir aproveitar? Não vou entrar na questão dos motivos pelos quais as mulheres fazem a cirurgia; concordo que há padrões impostos de beleza e concordo que muitas devem fazer para agradar o homem. Mas pode ser que a mulher faça para se sentir melhor com ela mesma. Vi alguém comentando: ah, mas por motivos de saúde é diferente. Mas quem somos nós para julgar? Temos que lembrar também que saúde não é só física. Esse tipo de problema causa um constrangimento muito grande, que pode mesmo impedir a vida sexual da pessoa. Também não concordo em chamar de mutilação, pois os lábios continuam lá, mexe-se apenas no tamanho e no formato. É a mesma coisa que os seios, e ninguém fala em mutilação quando se fala em cirurgia de redução de mamas. Mas de fato não tenho mais informações a respeito de possíveis sequelas, como alguém comentou de uma paciente que ficou com infecção permanente na região.

Sobre depilação: faço virilha completa e adoro. Não acho que interfere na higiene. Moro num lugar super quente e nunca me senti suja por causa dos pelos. Quando a gente sua só banho resolve, com ou sem pelo na região. Todo mundo no Brasil toma banho todo dia, ninguém fica fedorento em menos de 24 sem banho, né? Depilo porque o sexo fica melhor, mesmo. Também acho bonito, mas como quem vê é só eu e meu namorado, esse não é o motivo principal. Meu namorado também se depila com frequência e eu acho ótimo. Não posso falar por ele, mas eu não acho nada infantil um pênis com pelos aparados (apesar de que na verdade os pelos não estão exatamente no pênis). Depilo uma vez por mês, dói, mas o puxão dura uns três segundos de cada lado e aí depois é só delícia.

Ximena disse...

Esse post me lembrou um outro muito interessante que li, intitulado "Depilação é a burca brasileira".

Carol disse...

Quando eu me dei conta da minha própria vulva pós-púbere pela primeira vez, eu me achei anormal.

Eu nunca tinha dado muita atenção a ela, à sua aparência. Ela só ficava lá embaixo e pronto.

Aí um belo dia, de algum jeito, eu acabei percebendo que ela já não era mais a mesma. Que os pequenos lábios não ficavam ali dentro escondidos, eles saíam pra fora. E que ela tava mais escura. E tinha pêlos crescendo em volta dela (eu achava q os pêlos só cresciam em cima, na púbis, sabe?).

Pronto: me achei anormal, horrível. Achava que tinha uma vagina grotesca e gigante. Eu via em vídeos e fotos pornôs as atrizes com suas vaginas rosadas e pequenas, e achava que aquilo é que era o normal, o certo e o bonito. E o pior: que com certeza todo mundo pensava assim, ou seja, eu morria de vergonha que alguém a visse, pq tinha certeza de que iam achar ela bizarra e feia.

Tinha vontade de dar um jeito de cortar fora aqueles lábios, ou de enfiar eles pra dentro, esconder, fazer eles sumirem. Eu nunca chegaria a me automutilar (como ouvi dizer que há mulheres que fazem, tentam cortar fora os lábios com uma tesoura...), mas ficava fantasiando em "consertar" minha vagina.

Mas aí eu procurei fotos de outras vaginas em outros contextos, que não pornografia. E fiquei sabendo que era muito comum as mulheres se sentirem assim em relação às suas vulvas... tinha sites sobre isso, feitos por mulheres, como o "All about my vagina", que trata justamente disso: esclarecer as muitas moças e mulheres apreensivas sobre suas vaginas, mostrar que é tudo absolutamente normal, que vaginas vêm em todas as formas, tamanhos e cores.

E eu me tranquilizei, totalmente. Sei que sou absolutamente normal, e bonita, e os elogios do namorado também ajudam bastante. ;)

E é simplesmente assim que todas as mulheres deveriam se sentir, em relação às suas vulvas, e seu corpo inteiro.

(ÓBVIO - enquanto saudáveis. Sempre tem alguém que entende tudo errado e se sente pessoalmente ofendido, né. Lógico que o texto não critica quem faz a cirurgia por motivos de saúde e bem-estar. E aliás, o texto NÃO critica quem faz a cirurgia em si. O texto é uma crítica ao sistema que leva as mulheres a fazerem isso. Não às mulheres que, movidas pelo medo de serem anormais e/ou pelo desejo de serem aceitas, se submetem a uma mutilação sem propósito para se adequar ao molde padrão. Mulheres - nós somos suas amigas. Somos mulheres também. Estamos contra o sistema que as faz, e nos faz, sofrer, não contra vocês.)

Carol disse...

"Dona do Blog", sério mesmo essa tentativa de comparação de cirurgias estéticas íntimas desnecessárias que tem a ver com a auto estima e felicidade das pessoas e a maneira como elas enxergam e aceitam seus corpos com... chocolate? Ahn? Oi? Ou fui eu que não entendi direito?

A Dona do Blog disse...

Carol,

não, estou discutindo sobre DEPILAÇÃO e o fato das pessoas dizerem que não é natural e que é algo imposto pela mídia.

Carol disse...

As coisas tem que ser questionadas quando deixam de ser uma escolha pessoal e passam a virar regra.

"Ai eu só gosto de loiras de cabelo liso, brancas, altas e magras. Não tem nada a ver com padrão, é meu gosto pessoal."

Mesmo? Que coincidência que esse seja exatamente o padrão de beleza feminino vendido exaustivamente pela mídia. Será q esse seria seu tipo de mulher preferido, se não fosse o padrão vendido pela mídia?

"Olha eu acho q tem q depilar a buceta, não tem nada a ver com meninas pré-puberes ou com esse padrão ser vendido pela mídia, é só pq eu acho bonito mesmo."

Será q vc pensaria assim alguns anos atrás, quando ninguém falava ou fazia depilação completa na perereca, e o padrão era ser cabeluda mesmo, e isso era visto como sexy e feminino?

"Bom eu acho q se uma parte do seu corpo tá te incomodando, vc tem todo o direito de cortar fora, afinal vc é um cidadão adulto com plenos direitos e paga suas contas blabla"

Tá, ninguém aqui tá questionando os direitos individuais de mutilar seu próprio corpo. O que está sendo questionado é o fato de que isso está virando uma febre, e o que há por tras deste simples desejo de alterar seus corpos para se adequar a um padrão. As pessoas não se aceitam, estão infelizes, estão mal informadas sobre o que é a normalidade, sentem vergonha, desconhecem seus corpos, são INCENTIVADAS a fazerem cirurgias estéticas de todo tipo (será que todo mundo é tão defeituoso assim?) e vivem escravas de uma manutenção constante e exaustiva do corpo para que fique aceitável de acordo com esses padrões. Sério q vcs acham q "nao tem nada de mais"? Que esses padrões, e as causas dessa demanda, não devem ser questionados ou criticados?

Gaia disse...

Muitas pessoas que comentaram aqui têm problemas GRAVES de interpretação de texto.

A Dona do Blog disse...

Barbara,

concordo com você. Acho mais prazeroso o sexo quando estou depilada.

Acho besteira é alguém querer criar n-motivos para dizer que quem se depila é escravo de padrões de beleza e não aceitar de jeito nenhum que algo que é padrão pode ser bom.

Eu adoro me depilar, minha irmã não gosta. Cada uma respeita a outra e acha completamente normal. O exemplo que dei do chocolate é para mostrar o quanto se exagera em certas análises e como isso pode ser idiota!

A Dona do Blog disse...

Então beleza... será que você iria gostar de cerveja ou vinho (ou qualquer outra coisa bem anunciada e vendida) se não tivessem incentivado isso, se você não tivesse sido influenciada? E você parou de beber ou comer por causa de sua análise sobre o quão escrava você é daqueles que querem vender e apenas lucrar com o fato de você gostar de algo que não é "natural" e quem não faz bem ao seu corpo? Todo mundo aqui come batata frita? Pois por que não param de comer, se faz mal ficar comendo várias frituras? Vocês são escravos de coisas impostas pela sociedade e que não são naturais?
Isso me soa muita besteira, tal e qual com a depilação.

Carol disse...

"Dona do Blog" (coloco entre aspas pra não pensarem que me refiro à Lola), entendi. Mas é o que eu falei antes: não tem absolutamente nada de errado com a depilação em si. O que está sendo criticado aqui é a OBRIGAÇÃO de se depilar pra se adequar à "normalidade". Não o gosto pessoal de cada um por qualquer motivo q seja (sempre lembrando q nenhum gosto pessoal está isento de influencias socioculturais).

Do tipo, se vc NÃO se depilar, vc é uma anti-higienica ogra das cavernas feia e suja.

Outro dia uma amiga ficou espantada comigo, "vc não depila tudo?? e vc dá desse jeito?" eu respondi "é ué... que que tem? meu namorado gosta" e ela "ok então... que bom pra vc!!" tipo, estupefata.

É óbvio que nossos corpos são naturalmente peludos e os pêlos estão lá por um bom motivo. E não deveria ser visto como anormal manter os pêlos ali como estão.

Isso não significa defender uma "naturalidade" em absolutamente todos os aspectos de nossas vidas. Afinal, há muito tempo que não vivemos vidas "naturais". Cortamos e pintamos nossos cabelos, vestimos roupas extravagantes (temos MODA!), os homens fazem a barba, temos tecnologia, nos alimentamos de comidas industrializadas.

O problema é apenas esse: quando algo unicamente estético se torna uma obrigação e as pessoas têm de ser escravas dessa regra e são julgadas caso não a sigam.

Vide mulheres que não depilam as pernas ou as axilas. É realmente "feio e sujo e antifeminino", ou é simplesmente o corpo delas como ele realmente é?

Barbara disse...

Só um parêntese: quando algumas pessoas vão falar contra a mania de depilação que nós, brasileiras, temos, fala-se que o pelo é uma proteção. Os médicos falam isso, mas ninguém nunca diz o quê afinal esses pelos estão protegendo. Penso e penso e juro que não sei. Primordialmente, pode ser que os pelos púbicos protegiam a região genital (que nem os cílios protegem os olhos), mas hoje eles protegem o quê? Todo mundo fica vestido o tempo todo, não é como se fosse cair um cisco na vagina da gente.
O.o

Carol disse...

Barbara, pelo que eu sei, os pêlos funcionam como um "filtro", impedindo que bactérias entrem na vagina e provoquem infecções, etc. Acho que mais ou menos como os pêlos de dentro do nariz, hahaha.

Acho que também têm uma função de regulação térmica na região.

Barbara disse...

Ah, tá, essa da função térmica é novidade. Se eu não perguntasse nunca iria ficar sabendo, rs.

A Dona do Blog disse...

Sim, os pelos EM VOLTA da dos lábios idealmente devem ser mantidos, mas podem ser cortados e mantidos baixos. Agora, os pelos da região pubiana podem sair dali à vontade, sem prejuízo da saúde.

Liana disse...

Olha, eu depilo a sobrançelha por pura imposição social. Na minha adolescencia eu não fazia e não me achava feia. Difícil esconder o que tá na cara. O julgamento era diário até porque minha sobrancelha não tirava férias.

Hoje já me acostumei e seria estranho não depilar mais, virou hábito. Só acho que é preciso termos consciência de que aquilo que é 'normal' na verdade pode só ter sido imposto.
Alguém deve parar de se depilar, de comer chocolate, de dar tres pulinhos e uma cambalhota? Claro que não, se não é o que vai te fazer feliz a curto prazo, nem vale a mudança do ponto de vista da pessoa.
Ter auto-crítica é uma coisa, fazer algo a respeito é outra.

E nunca é demais lembrar: A crítica foi a esta imposição, não a 'escolha' pessoal.
Da mesma forma como algumas se sentiram ofendidas pela crítica à depilação total, ou o que for, quem não tira tudo, ou tira nada, é muito mais criticada por isso. Experimenta ir a praia com o pelo aparecendo. Morte social! rs Periga ouvir piadinhas das mais ofensivas. O que vai ter de gente torcendo a cara não tá no mapa.

É ótimo quando aquilo que a gente 'gosta' vai junto com a maré. Muito mais fácil, minha sobrancelha que o diga.

A Dona do Blog disse...

Carol disse: "O problema é apenas esse: quando algo unicamente estético se torna uma obrigação e as pessoas têm de ser escravas dessa regra e são julgadas caso não a sigam."

Carol, ter mais de duas blusas e duas calças é algo unicamente estético, que pode ser visto como uma "obrigação social", mas por que não te incomoda tanto quanto o fato de se depilar?

Carol disse: "É realmente "feio e sujo e antifeminino", ou é simplesmente o corpo delas como ele realmente é?"

Não é nada disso necessariamente, mas alguns costumes têm razão de existirem. Não é necessariamente sujo, mas depilar as axilas facilita não ter bromidrose. Se eu deixar alguns poucos pelos nascerem e se estabelecerem, fica fedido. É mais fácil ficar cheirosinha depilando. Mas provavelmente tem gente peluda que não tem cheiro ruim. Se for nesse sentido, usar desodorante é uma imposição social que não permite a mulher ser o que ela é "naturalmente".

Aliás... se for nessa de "é simplesmente o corpo como ele realmente é", o nosso corpo realmente é nu, peludo, fedido (porque tomar banho todo dia não é "natural"). Ficar um mês sem tomar banho poderia ser natural, mas eu acho sujo. "Ah, mas antigamente não era considerado sujo, isso é um padrão imposto e você é escrava disso"... bem, dane-se... eu acho sujo. Uma pessoa que fica um mês sem tomar banho fede.

Uma pessoa pode ficar triste por ter que obrigatoriamente tomar banho para se sentir aceita? Pode. Mas ninguém fala sobre tomar banho porque é algo que todo mundo faz, que já é normal. Uma pessoa que passa um ano sem banho vai se sentir menosprezada pelos outros devido à sua escolha? Provavelmente vai. Você ficaria dando beijos e abraços num cara que não toma banho nunca?

Não quero comparar de não se depilar com o de não tomar banho... já disse inclusive que minha irmã não depila a virilha e é limpinha. Só quero comparar o estardalhaço diante da situação.

A Dona do Blog disse...

"É ótimo quando aquilo que a gente 'gosta' vai junto com a maré."

Concordo. É o caso do chocolate, do vinho, do fato de ter mais de duas peças de roupa, de usar shampoo ao invés de sabão de coco, etc.

Barbara disse...

Já disse que não concordo que depilar é higiênico. Não acho mesmo que pelos fedem. E olha que a gente que depila com cera passa inevitavelmente pela fase de deixar o pelo crescer pra poder tirar. Eu não percebo nenhuma diferença de cheiro quanto tem pelo e quando não tem nas axilas e na região genital. Mas nunca saí cheirando as outras mulheres. De qualquer forma, os homens geralmente não depilam e sequer aparam e eles também não fedem (de maneira geral, né).

Acho que ligar depilação à higiene é a maior furada porque praticamente só as mulheres se depilam. Não faz sentido, porque homem sua muito mais, e se alguém é naturalmente mais cheirosinha, é a mulher, que tem menos pelos. Ou seja, não faz sentido.

Outra coisa, algumas meninas falaram que a norma é depilar tudo (na virilha). Talvez no litoral, mas eu sou de Minas e aqui onde não tem praia a norma é fazer só a linha do biquíni. Talvez a depilação completa realmente reine no litoral, mas lembrem da porção continental gigante do Brasil, coitadinhas de nós que não temos mar e mal usamos biquíni!

alerta disse...

Bomm...eu vou fazer um comentário que talvez ficasse melhor no blog da Letícia, mas que é pertinente aqui. Eu e minha mulher preferimos depilar porque na hora do sexo oral, a chance de um pelo inconveniente ir parar no fundo da garganta e atrapalhar a transa é alta. Já me aconteceu, aconteceu com ela, e esses momentos de interrupção do "bem-bom" são desagradáveis. Só quem já teve um pelo pubiano grudado na garganta sabe como é.
Quanto à cirurgia, se não for por motivos de cirurgia reparadora, não tem nada a ver. Nem essa coisa de colocar litros de silicone nos peitos, o melhor é ao natural mesmo...

A Dona do Blog disse...

Barbara,

se meu namorado não usar desodorante, fica fedido na axila, sim!
No meu caso, prefiro tirar os pelos e usar desodorante menos vezes do que usar bastante desodorante conforme ele usa.

Isso da higiene é algo que é válido para mim e na região das axilas... não se aplica à região pubiana, que não tem nenhum odor característico (odor é na região da vagina).

Eu posso ficar um ou dois dias sem desodorante quando estou depilada, mas jamais quando estou com pelos!

Liana disse...

Eu ia escrever outra coisa mas decidi só sorrir.

:)

Carol disse...

"Dona do Blog", sim, eu havia dito antes que de modo algum vivemos num estado de "naturalidade", citei o uso de roupas e tudo mais.

Mas estamos falando de modificações no próprio corpo, não em adendos. E não há estardalhaço: há discussão, reflexão, crítica, ué!

Muita, mas MUITA gente mesmo se incomoda com a existência dessas "regras". Especialmente pq a maioria delas é voltada exclusivamente para mulheres.
Então estamos questionando, ora essa.

Eu me sinto menos feminina e menos mulher quando estou com as pernas peludas. Quando eu era criança, já tinha mais pêlos do que "o normal" (?) nas pernas, e um dia estava na escola de bermuda, sentada ao lado de uma coleguinha, e ela apontou pras minhas pernas e falou "nossa, como sua perna é peluda! a minha é lisinha, ó" e foi aí a primeira vez em que me comparei e me achei escrotamente peluda. Daí foi aquela batalha pra me livrar dos pêlos, se raspasse ficava com alergia, coçava, encravava, tirar com cera doía muito e tbm fazia coçar e encravar... agora tô tirando com laser e esperando me livrar pra sempre deles.

Mas preferia viver numa sociedade em que se considerasse lindíssimo uma mulher com pernas peludas. =} Me pouparia toda essa dor de cabeça.

Tbm raspo as axilas, mas na boa, andei vendo muitas fotos de mulheres com axilas peludas, e sinto inveja delas. De ter essa preocupação a menos. Simplesmente deixar os pêlos crescerem ali e pronto.

A depilação é exigida das mulheres e não dos homens. Sim, há homens que se depilam, mas porque decidem sozinhos. Não pq "é nojento", como se diz de mulheres com pêlos. Mas naturalmente os pêlos crescem tanto em mulheres quanto em homens, ou seja, em animais da espécie humana. Mas culturalmente parece inadmissível que mulheres mantenham seus pêlos ali onde cresceram sem que sejam julgadas de alguma forma.

Não é questão de "vamos ser naturais, não ser natural é errado". É questionar a negação de um aspecto de nossos corpos que sim, é natural, mas pq é tabu?

O banho é atualmente uma regra de convivência social, além de higiênica. Pq se vc não toma banho vc fica fedido, fato. Mas ter pêlos não deveria incomodar ninguém, não? Banho não é "estética". Não é "moda", como o é a depilação ou a ausência dela.

A Dona do Blog disse...

Alerta,

a sua motivação para retirar os pelos é também a minha principal! Por isso meu namorado também tira!

Quem gosta de sexo oral geralmente se incomoda com pelos na língua ou garganta.

Carol disse...

E "Dona do Blog", gostar de chocolate, vinho ou roupa de oncinha não é nenhuma imposição social, do tipo que prejudica quem não gosta de chocolate e favorece quem gosta, e prejudica a auto estima dos que não gostam, etc, ainda não entendi qual o paralelo dessas coisas com depilação.

Alessandro disse...

Psicólogos também não são baratos, e o resultado não é garantido.

Essa é a diferença.

A Dona do Blog disse...

Carol,

eu entendi o que você disse. O que quero dizer é que, se for por esse lado, você deveria falar de modo geral que gostaria de um mundo onde pudesse fazer o que quisesse, sem ninguém te julgar por isso. As pessoas fazem no dia-a-dia diversas coisas por pressão social mas isso não as revolta. Citei o exemplo das roupas porque tive uma professora que não depilava nenhuma parte do corpo dizendo que não aderia a imposições sociais mas usava diversos vestidos. Bem.. o fato dela usar vestidos (e vários diferentes) também não é imposição social?Tem a ver com o que ela faz com o corpo dela também. Por que não a incomoda?

Também não gosto de pressões sociais. Não gosto, por exemplo, daquelas que dizem que eu tenho que ganhar dinheiro. Tenho uma prima que me disse que se sentia mal com a imposição social (de um grupo particular com quem ela convive) de que ela tem que estudar e que se ela não lê livros é uma fracassada. Isso também é terrível.

Pressões sociais para determinados comportamentos estão em toda a parte, e você tem o direito de se revoltar. Só não entendo por que se revoltar contra UMA ou duas delas em particular. Aí não faz sentido pra mim.

Mordred Paganini disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mordred Paganini disse...

Eu acho que a discussão está girando em círculos e caindo no mesmo lugar.

Vou resumir:

Cirurgias reparadoras - são para as pessoas que têm algum problema de saúde, ou mesmo algum tipo de deformidade que lhe cause transtornos.

Retoques ou modificações para fins estéticos - baseados em escolhas pessoais, mas com forte componente social.

Onde começa a escolha pessoal e onde começa a pressão social?

Eu realmente acredito que não há resposta fácil para esta questão, mas o fato é, que de diversas perspectivas, não somos naturais! Daí, minha escolha é assumir (não necessariamente para o mundo, mas com certeza para mim) minhas preferências e desejos e me colocar em análise crítica constantemente. Daí consigo ter alguma noção se as minhas "preferências" me causam prazer ou simplesmente servidão. Muitas vezes preferências pessoais se mostraram preconceituosas ou mesmo descabidas, aprisionantes, etc.
Acho que não é o caso de condenar "A" ou "B", mas de estar aberta à auto-crítica e fazer o que te fizer sentir bem, em conformidade consigo mesma.

Hel disse...

Eu tenho labios meio grandinhos e um clitoris um pouco maior que o normal, também. Antes de iniciar a minha vida sexual, eu achava tudo isso muito feio, tinha vergonha.

Mas todos os caras com quem transei até hoje adoraram.
Sim, eu sei que o nosso bem-estar não deveria depender de uma opinião masculina, mas me senti muito aliviada quando percebi que a minha neura na verdade era um "plus"...

Milena disse...

Então, "A Dona do Blog", eu ia comentar justo o que a Carol acabou de dizer, gostar ou não de chocolate não faz com que as pessoas torçam a cara pra você. Mas depilar é quase obrigatório pra mulher e isso é chato porque tem muita mulher que gostaria de não fazer isso porque dói. Eu mesma quando ia depilar a virilha com cera quenta me contorcia toda, gilete nem pensar, encravava tudo e doía demais... Agora consegui pagar o laser e tô feliz da vida com o resultado, embora o dinheiro gasto com o método não seja pouco viu, fico pensando quantas coisas mais podia ter feito com ele... Ao mesmo tempo, eu acho que ia gostar que um parceiro sexual meu se depilasse, deve dar pra fazer mais coisas rs.

Agora, gente, esse negócio da cirurgia eu fiquei boba, eu cheguei a rir. Se você for parar pra pensar, os órgãos sexuais não são nem de longe a parte mais bonita da anatonomia humana, e acho que ninguém liga pra isso na hora de trepar né?

Eu queria deixar aqui a recomendação do 3DD, projeto do fotógrafo Henry Hargreaves, ele fotografa seios de todos os tipos e... em 3D! Mas o que eu gosto da fotografia dele é que ele fotografa seios de mulheres reais, sabe (tem umas modeletes, pq ele é fotógrafo profissional, mas poxa, elas são mulheres reais também né, não é porque estão no padrão que vamos excluí-las). Eu até mandei um e-mail pra ele elogiando o projeto, primeiro pela diversidade, segundo porque a fotografia dele não objetifica a mulher, e sim celebra a beleza. Eu nem esperava que ele respondesse, mas pra minha surpresa no mesmo dia veio um email dele: "Thanks for your message, Its really nice hearing from people who get what it is really about. A celebration of breasts of all shapes, sizes, colors and ages by girls who are proud to share theirs". Fofíssimo né? O site do projeto (é um livro, já vai ter a segunda edição!), com fotos novas diariamente é esse:
www.three-dd.com

A Dona do Blog disse...

O vinho, por exemplo, tem toda uma mística social. Existe uma pressão social para que se goste e se aprecie vinhos. Se você não gosta de vinho, é porque não conhece, não provou da forma correta, não isso ou não aquilo. Se achar que não há pressão social, vá a um restaurante "chique" e peça suco de limão para acompanhar um prato fino. O garçom olha com estranheza, as pessoas em volta olham com estranheza. Blogs na internet criticam esse tipo de coisa. Bem... meus amigos acharam um absurdo mas o problema é meu... pedi suco de limão porque não gosto de vinho. Eu sou deselegante porque não sei apreciar um bom vinho. Dane-se. Mas quantas vezes vi pessoas próximas odiarem cerveja e insistirem em beber mais vezes porque, afinal, né, todo mundo bebe... e aí passam a gostar. Isso é imposição social. Mas ninguém fala da cerveja, nem do vinho.

Milena disse...

Alessandro, nem sempre entrar na faca é garantia de ter a auto-estima recuperada. Todos nós sabemos de casos de gente obcecada com a beleza e que faz várias cirurgias uma atrás da outra.

E tenso assumir que uma cirurgia plástica pode substituir um tratamento psicológico, ein?

Hel disse...

"os órgãos sexuais não são nem de longe a parte mais bonita da anatonomia humana"

Eu acho pênis eretos muito lindos...
Gosto de ficar admirando enquanto acaricio, por exemplo.


Todo esse papo me lembra... haáalgum tempo atrás, lembro de ter lido numa revista Nova algo como "Posições sexuais que disfarçam imperfeições", e fiquei pensando... sério que tem mulher que ensaia coreografia pra disfarçar gordurinha na hora do sexo?
Será que essas pessoas conseguem ter prazer direito?

Lu disse...

Acho que a Barbara foi a única sensata ao comentar: "Também não concordo em chamar de mutilação, pois os lábios continuam lá, mexe-se apenas no tamanho e no formato."

Lola, tudo bem, eu nem deveria ter ficado mal de ler sobre mutilação, sendo que a maioria dos profissionais consideram a labioplastia uma cirurgia fútil e estética, e a fazem basicamente para lucar mesmo.

Eu queria que você refletisse um pouco apenas, já que se propôs a fazer essa discussão. Se coloque no meu lugar, se tivesse os pequenos lábios compridos, tão compridos que se enrolassem e fizessem volume na sua calcinha (lembre que está sendo considerado apenas estético). Você vai andar no parque e não pode subir numa bicicleta porque vai doer, não pode vestir uma calça justa porque teus lábios vão assar, tem que ir toda hora no banheiro para ajeitar. Bom, eu não vou me alongar nisso e nos contrangimentos durante o sexo, desnecessário né? Vai me dizer que é problema de saúde? Não é considerado problema de saúde. NÃO É!!! Mas acabava comigo!!

E agora eu venho aqui e leio que isso é MUTILAÇÃO?

Algo que deixou a minha vagina normal é mutilação?

Daní Montper disse...

Não lembro mais quem escreveu se dá para ser feminista e gostar de coisas femininas que são vistas como construções sociais e podem ser opressoras.

Eu sou feminista das unhas dos pés aos meus fios de cabelos e adoro pintar as unhas, gosto de passar batão e usar brincos, gosto de salta alto também, mas quase não uso porque tenho os joelhos bichados, e gosto de saia e uso sutiã (mas este é por necessidade e não por gostar), também me depilo (acho que todos deveriam se depilar tudinho porque acho mais bonito mesmo, não gosto de pelos, acho lindo gente careca) e acho um saco menstruar por mais natural que isso seja e mesmo não tendo nojo da minha menstruação e ela não me incomodar em nada...
A diferença é que eu sei que tudo isso é uma construção social e que posso viver sem e que não devo ser julgada se for diferente disto e defendo aquelas que querem ficar cabeludas, aquelas que odeiam esmalte, maquiagem, salto alto etc. Tenho consciência que elas continuam sendo mulheres e lindas e tudo mais ainda que não tenham essas 'frescuras'.

Ale´m dissoa, faço tudo isso por mim e sem exageros, não gasto fortunas com essas coisas, não fico horas em salão...

Ou seja, somos feministas sim, lutamos por equidade, pelo fim do sexismo, do machismo, da violência contra a mulher, não somos robôs e temos preferências como qualquer pessoa, afinal, somos pessoas antes de tudo.

Essa coisa de feminismo único não existe também - ainda bem.

Mordred Paganini disse...

"Ou seja, somos feministas sim, lutamos por equidade, pelo fim do sexismo, do machismo, da violência contra a mulher, não somos robôs e temos preferências como qualquer pessoa, afinal, somos pessoas antes de tudo.

Essa coisa de feminismo único não existe também - ainda bem."

Mas ainda assim, sempre existe o perigo da captura pelo capital. Até que ponto nossas "escolhas" aumentam nossa potência de vida? Muito disto, ao contrário, diminui nossa potência de vida e nos torna ainda mais incompletos e infelizes. A captura está à espreita, sejamos atentas então.

Milena disse...

Hel, haha, ok, na verdade isso tudo é muito relativo. Já vi gente dizendo que acha o pé a parte mais feia do corpo. Eu só disse isso porque eu realmente fiquei espantada com o fato de as pessoas se preocuparem com estética do órgão sexual, juro que eu não imaginava que isso existisse. No fundo, tudo na gente devia ser bonito, porque é como nós somos né, se fosse tão esquisito assim então não era humano

lola aronovich disse...

Carol, vc é uma fofa. Rindo muito com o Minha Nossa Senhora da Buceta Cabeluda e dos Lábios Grandes.


Dona do Blog, eu me depilo com gilete. Nas axilas. Qdo vou usar bermuda ou saia do joelho p/baixo tb. Na vagina dou uma aparadinha com tesoura e gilete nos lados. Felizmente nunca fui muito peluda (buço, por ex, nunca tive). Mas já sofri mto com depilação com cera quente (nas axilas), até que decidi que nunca mais. Sabe que faz um tempinho que escrevi parte de um texto sobre depilação? Preciso terminá-lo e publicá-lo.

Liana disse...

Uma vagina cabeluda incomoda muita gente, duas vaginas cabeludas incomodam incomodam muito maais, tres vaginas cabeludas incomodam muita gente, quatro vaginas cabeludas incomodam incomodam incomodam incomodam muito maaais..

que que eu tô fazendo.. vou dormir

lola aronovich disse...

Gente, essa é uma discussão antiga, né? Seguinte: sou a favor da mulher ter liberdade sobre seu corpo. Se a mulher quiser fazer uma cirurgia estética, que faça. Se quiser reconstruir hímen pra agradar namorado/marido, belê. Se quiser tingir o ânus (pois é, existe isso tbm, sabiam?) pra ele não ficar muito marrom, vai fundo. Eu não vou criticar ninguém individualmente. Mas critico o sistema que faz as pessoas acharem que tem algo de errado com seus seios, sua vagina, sua experiência sexual, seu ânus. POSSO criticar o sistema? Acho graça de alguns comentários aqui, como o de um carinha acima reclamando de patrulhamento, dizendo que a feminista aqui tá querendo padronizar tudo. EU quero padronizar?! Tá, sou eu. Não é a sociedade, não é o sistema. Pô, vcs viram as 27 candidatas do Miss Brasil? Vcs conseguem distinguir uma da outra? Fui eu e outras feministas que transformaram essas mulheres em clones idênticos?
De vez em quando ouço críticas a professores universitários. Ouvi de um aluno no semestre passado, que EU estaria querendo condicioná-los. Aquele clichê de que professor é tudo comuna, saca? Porque os alunos chegam todos com a cabeça limpinha na faculdade, sem preconceito nenhum, sem influência nenhuma da mídia e da sociedade que habitam, e somos nós professores que vamos corrompê-los!
Outra coisa: a maior parte das feministas que conheço é vaidosa, usa maquiagem, salto alto etc. Então realmente não acho que feminista deve seguir um modelo de comportamento. Mas também acho plenamente possível se submeter às opressões do sistema e SABER que está sendo oprimida. Tipo, tenha consciência que vc sofre, SIM, influência da mídia. É mais honesto do que fingir que essa influência não existe.
Feminismo envolve reflexão, sempre. Tem que saber que os nossos gostos “pessoais” são uma construção social que muda através dos tempos e do lugar. Que, por exemplo, depilação da virilha é algo recente que agora é visto como padrão indiscutível e “natural” (ó, é tão higiênico, ó, é tão limpo, ó, o sexo fica muito mais gostoso). Poucos anos atrás era meio um freak show. E aposto como voltará a ser em breve.
Acreditem, gente: pessoas mais velhas fizeram e continuam fazendo sexo oral sem depilar a região genital. E a gente nunca morreu com pelo engasgado na garganta.

Mia disse...

Isso é simplesmente ridículo e me deixa doente. As pessoas precisam se conscientizar que quem deve estar satisfeito com seu corpo é o próprio indivíduo que o possui, e não um parceiro, ou amigos etc.
Isso é uma vergonha para nossa geração. Jamais irei aceitar uma coisa dessas. Se já sou contra à depilação de buço e "modelagem" da sobrancelha (salvo raros casos de pêlos excessivos), que o fará uma cirurgia para satisfazer as estranhas e doentes fantasias de um cara qualquer. Faça-me o favor, sociedade e conscientizem-se de que o ser humano não é um objeto.

lola aronovich disse...

Ha ha, vai dormir, Liana! Já passou da sua hora. E vc deve estar cheia desse vinho imposto socialmente.


Lu, querida, se alguém tem alguma parte do corpo que lhe incomoda tanto, como os seus lábios vaginais te incomodavam, acho que tem que operar mesmo, operar sem dó. Só posso torcer pra que essa operação dê certo e transforme completamente a vida dessa pessoa. E não duvido nada, do jeito que vc descreveu, que os seus lábios genitais te incomodavam muito, e que vc é mais feliz após a cirurgia. A questão não é com vc individualmente, nem com qualquer outra mulher que faça a cirurgia, seja por motivos estéticos ou de saúde. A questão é que tem toda uma indústria cirúrgica que vive desse ódio que as mulheres têm do próprio corpo. Li que tem alguma temporada daquela série, Nip & Tuck, em que os dois famosos cirurgiões plásticos estão quase falidos. E como eles sobrevivem? Vivendo de cirurgia cosmética vaginal, dessa nova tendência. Pô, Lu, não se pode ignorar o contexto. Nossas vaginas, independente do tamanho e formato dos lábios e do clitóris, de estarem lisinhas ou peludas, SEMPRE foram consideradas cavernas misteriosas. Já ouviu falar de vagina dentada? Vivemos numa sociedade que desvaloriza a mulher, e nada mais representativo da femininidade que nossas vaginas. A Naomi Wolf escreveu que, quando serial killers atacam mulheres, as partes que eles mais gostam de mutilar são logo as que mais nos representam: peito, vagina, coxa, barriga. Isso não é à toa, entende? Isso é misoginia. Vivemos nessa mesma sociedade do serial killer. Não é só ele que odeia nossas vaginas, seios, barriga, coxas. Somos todas nós. Crescemos ouvindo que somos feias, mas que não tem problema, porque se consumirmos bastante, e DIRETO, sem parar, até o dia em que morrermos, podemos melhorar. Acho que o feminismo deve também questionar essas imposições todas, não acha? O feminismo tem que lidar com a aceitação do corpo da mulher.

Carol disse...

Sem falar no Dr. Hollywood, o nosso adorável mutilador-de-mulheres Dr. Ray. Outro dia li uma página scaneada de um artigo de revista sobre todas as maravilhosas modificações e melhorias que ele indicava para o corpo de uma mulher. Isso incluía retirada de costelas para afinar a cintura, de ossos dos pés para deixar o pé mais fino e caber em ricos e delicados sapatinhos, etc... e, o melhor de tudo: a cirurgia estética vaginal.

Nas palavras do Dr. Ray:

"A maioria das vaginas não é bonita. Não sei por que Deus as fez assim."

Pois é. Será que ele acha pintos o ápice da beleza?
Ele é famoso, viu? Procuradíssimo por celebridades e por qualquer mulher sonhadora (e rica) que quer ser "mais bonita". E publicaram isso na revista. Imagina só como se sentem as mulheres que já odeiam seus corpos lendo uma coisa dessas, juntamente com a promessa de "cura"?

"Calma, mulher. Sua vagina é horrível mesmo, mas eu tenho a solução!" e mostra a faca.

E hei, meninas, quem disse que "mutilação" implica em amputar partes do corpo? Só pq os lábios continuam lá não significa que não foram mutilados. "Mudar de formato e tamanho" significa que partes dele foram cortadas fora, isso é mutilação.

E espero que a leitora Lu não se sinta novamente ofendida por isso que eu disse. Lu, a Lola já explicou pra vc, mas acho bom reforçar que a sua cirurgia foi NECESSÁRIA e não se tratava de um capricho. Pode até ser que ela não se tratasse OFICIALMENTE, nos papéis médicos, de uma questão de saúde, mas SIM, era uma questão de saúde, que estava atrapalhando a sua vida, seu bem-estar e sua felicidade, causando DOR FÍSICA, sofrimento e desconforto. Isso é saúde. Não é capricho estético. Nós sabemos disso. Nós nunca te julgaríamos. Vc fez mais que bem em fazer a cirurgia, pombas! Eu também faria! Mas não é disso que se trata o post da Lola, é óbvio. Ninguém aqui discorda de vc.

denise disse...

A Lola talvez se lembre disso, apesar de ser mais nova q eu, mas os padrões estéticos são impostos é pela mídia e ficam mesmo no inconsciente das pessoas, e acabamos sendo manipulados por ela, desejando coisas q até pouco tempo nem sabíamos que existia, assim foi com a depilação, por volta de 1975 a febre, o must, era não se depilar em lugar nenhum, um ícone dessa época era uma modelo chamada ROSE DE PRIMO, toda mulher queria ser como ela, e ela saia nas revistas masculinas com todos os pelos a mostra inclusive os da perna. ela era uma verdadeira "CHUBACA" do guerra nas estrelas, rrsssssss, acho que isso nunca vai mudar, agora a moda manda que nos tornemos totalmente imberbes.
Eu não sentia necessidade de me depilar antes, nem mesmo nas pernas, agora pelo jeito a midia fez minha cabeça, e não quero ser confundida com a mulher do Donkey Kong. Fazer o que.

Noh Gomes disse...

Preguiça de gente que não consegue ler um texto sem pensar no todo e acaba dizendo asneiras pelo simples fato de não saber interpretar textos, faço como a Liana, sorrio e pronto.

NOh

Niemi Hyyrynen disse...

Nossa os comentários foram longe!

Contando uma experiencia pessoal:

Acho que essa coisa do tira pêlo, coloca pêlo, muito cultural, não tem nada de natural, o que é natural é nascer com pêlos, o que se faz com eles...bem já foi bem explicado aqui.

Enfim, no meu caso, eu sou SUPER peluda, minha mãe então...sem contar minha irmã. Quando eu era criança, pré adolescente eu via essa questão de ter pêlos como algo super positivo e natural, ajudava a suportar o frio lascado que fazia lá na Finlândia. Nunca vi minha mãe se depilando, se fazia isso, era tão raro... ela tb nunca defendeu esse tipo de prática, pelo contrário, defendia os pêlos.

(alô, não to dizendo que toda mulher lá é peluda hein!?)

Dai eu vim pra cá para o Brasil e dai eu vejo a situação se inverter, todo mundo querendo arrancar os pêlos! A principio eu achei que fosse pelo calor (eu quase morri de desidratação no primeiro mês que vim pra cá). Minha mãe tb ficou meio espantada, mas começou a se depilar. Daí descobrimos que era mais por estética do que por "higiene" ou pelo "calor".

Bom, acabei pegando o hábito né?
Daí eu resolvo voltar pra lá para rever as amigas, e o que acontece?

Todas se espantam, pq eu tava "lisinha", começaram a me perguntar da tal da "depilação à brasileira" quase arrancaram a minha calça querendo ver a minha vagina! kkkk(exagerando um pouco).

E eu retruquei dizendo que elas não precisavam fazer nada disso, mas eu fui muito criticada, minhas amigas acharam que eu estava sendo meio falsa moralista, eu disse apenas que não achava tão necessário assim e que se vc tem a opção de não fazer, pq fazer?

Enfim, eu percebi que isso é mesmo um caso cultural, social, a única coisa natural ai é que pêlos nascem, vc querendo ou não.

Barbara disse...

Quando eu falei que não achava que a cirurgia estética era mutilação, não queria discutir o sentido técnico do termo, mas apenas destacar que quando se fala em redução de seio ninguém diz mutilação, ao menos eu nunca vi. Mas na região genital a palavra é muito usada, e imagino que isso seja por causa das práticas islâmicas, tribais ou o quer que seja (li Mutilada e realmente é de fazer vômito).

Ainda sobre depilação e sexo, nunca deixei de fazer sexo por não estar depilada. NUNCA. Também acho exagerado esse negócio de depilar pra não ficar cabelo na garganta no sexo oral. Nunca aconteceu comigo. Pelo na boca sim, daí tirei rapidinho e pronto, mas nunca cheguei perto de engasgar com um pelo. Como a Lola disse, realmente há muitas pessoas que fazer sexo oral com muito prazer, sem estarem depiladas.

Mas eu acho melhor estar depilada para a prática do sexo normal, mesmo. O vaginal. É muito mais gostoso, muito mais fácil de gozar. Mas essa sou eu.

bike disse...

" mas há também a atração (que poucos/as admitem, por motivos óbvios) de que vagina totalmente depilada é a de uma menininha antes da puberdade "
Lola , vc tá chamando quem gosta de vagina depilada de pedófilo ? e quem gosta de peluda ? é zoófilo?
pois se parece com um orgão genital de macaco !

Não gostei nem um pouco de ler isso !
gosto de sue blog , mas vc deveria tomar mais cuidado como que escreve .

Liana disse...

"orgão genital de macaco"

eu nunca vi vagina de macaca mas então tá né..

Carol disse...

bike:

ah, vaginas peludas parecem órgão genital de macaco? entendi. =)

bike disse...

E tem mais , gosto de minha esposa ! se ela tá peluda ou não pra mim pouco importa ! gosto dela como ser humano !

O que não pode é esse patrulhamento !

Carol disse...

loooooooll

bike disse...

se gostar da vagina depilada é ser pedófilo , gostar dela peluda é o que ?

se eu pedir pra minha esposa , deixe bem peluda , vai vir alguém e escrever : tá vendo o cara sofre de zoofilia !

pera aí!!!!

Carol disse...

Procurei fotos de vaginas de macacas no google, incrivelmente, elas não têm pelos.

bike disse...

carol , será que não deu pra entender o raciocínio ?
quer defender quem escreve : que gostar de depilada é ser pedófilo , putssss...

tenha a santa paciencia

samya disse...

Tem uma frase final no monologo da Agrada no lindo filme "Todo sobre mi madre" do divino Almodovar que para mim encerra tudo o que penso das cirurgias plasticas, da unhas pintadas e das vaginas, axilas e pernas depiladas. Ela fala assim: Porque una es mas autentica cuanto mas se parece a lo que ha soñado de si misma.
Tudo é construção social sim, nossa aparência, nossa alimentação, nosso comportamento geral. Eu depilo pernas e axilas, acho horroroso ver pelo em mim, tenho amigas que não depilam pernas, eu acho feio, mas enfim, sempre é uma construção social.
Agora esse post peca um pouquinho por falta de informação sim, a infibulação feminina não é diretamente ligada ao islamismo, ela é regional e um costume tribal muito anterior a chegada das religiões monoteistas na Africa e no Oriente Médio. A cirurgia estética vaginal não impede ninguém de fazer parto normal e sobretudo e o que me pareceu tão preconceituoso, associar vaginas depiladas com pedofilia. Completamente sem relação.

bike disse...

E os homens deveriam ter a barba descendo até os joelhos ?
se eu ficar 2 dias sem fazer a barba , minha mulher reclama logo , ela diz , vai fazer a barba , se não nem beijinho rola ... ela deve ser pedófila , e eu não sabia ....

bike disse...

valeu Samya !! até que enfim alguém entendeu !!!

foi preconceituoso e muito...

Liana disse...

rs a minha macaca-aranha gosta de macaco-prego
Enfim..

Carol, também fiquei curiosa para ver.. a título de comparação sabe

Total correspondência pedofilia-zoofilia né rs

Existem tendências psicológicas em parte da população para isso, o alto número de casos de pedofilia são uma bom indicativo. Infantilizar mulheres adultas ocorre por n motivos, pedofilia enrustida é um deles. Ninguém disse que VOCÊ se enquadra nelas.

Tem quem goste de vagina (des)peladinha
por outros motivos que nada tem a ver com isso, então não se ofenda tanto. A crítica é a quem interessar possa.

Pedofilia é ou não tema polêmico? Se a mera menção já deixa um monte de gente em polvorosa, imagina só quando acontece de fato. Impressionante como os outros tomam para si dores que não são suas.

Liana disse...

E por favor, vide meu versinho mais acima.

Carol disse...

A infantilização de mulheres não é novidade nenhuma e acontece em muitos aspectos.

A ausência de pêlos é claramente uma referência a um estado pré-púbere. Quanto menos pêlos na mulher, melhor. Por quê? Por que apenas na mulher? E juntamente com outros atributos desejáveis na beleza feminina (e não aplicáveis no padrão desejável masculino): ausência total de rugas, narizinho pequeno, boca carnuda entreaberta, olhos grandes, voz fina (já foi feita uma pesquisa sobre qual a voz feminina mais atraente, as finas e delicadas é que foram as preferidas). Sem falar nos atributos psicológicos e comportamentais: ser dependente, submissa, obediente, frágil.

E aí temos a depilação, vaginas lisinhas, corpos lisinhos.

Claro que tudo isso é um padrão levado ao extremo e não é regra absoluta, mas é uma tendência.

Porra, não significa que o cara que curte mulher sem pêlos é pedófilo. Pedofilia é uma parafilia e o termo não deveria ser usado assim a esmo. O cara não tá se sentindo sexualmente atraído por uma CRIANÇA. Só que sim, por uma mulher que lembra uma criança, há uma clara referência a estados pré-púberes em todas essas "exigências" estéticas, pela idéia de que uma mulher, quanto mais nova, melhor. Levado ao extremo.

Talvez se desconectada de todo esse contexto cultural, não se fizesse essa associação com infantilidade e fosse apenas uma preferência, uma moda, sem maiores implicações socioculturais. Mas num contexto em que há uma infantilização feminina generalizada, este é apenas MAIS UM aspecto da coisa toda.

Carol disse...

http://images.quickblogcast.com/2/1/1/8/3/147376-138112/pygmy_chimp_bonobo_flat_vagina_female_standing.jpg

http://images.quickblogcast.com/2/1/1/8/3/147376-138112/bonobo_estrus_pygmy_chimp_tumescence_inflation.jpg

Olhaí as macacas - sem pêlos cobrindo as pererecas! =)

Liana disse...

Pois é ne.. como eu vejo o assunto: Se infantiliza mulheres não porque o tal homem em questão seja pedófilo (pode até ser, mas aí já é outra questão) É porque se exige das mulheres uma postura frágil e submissa que a ponha em desvantagem para servir de parâmetro para a virilidade do homem.

Esse tipo de homem não másculo e viril por uma qualidade intrínseca, ele só o é em comparação `a fragilidade de uma mulher. É uma maneira muito gráfica de se achar o gostosão, estando diante de uma mulher que se comporta como menininha.

Mais uma vez.. se você não se enquandra em nenhuma dessas categorias.. então o papo não foi com você.

Liana disse...

"Esse tipo de homem não É masculo e viril por..."

Roberto disse...

Lola, você escreveu que pessoas com mais idade não têm problemas com pelos pubianos... certamente você não tem mais idade que eu ( quase sessentão), e infelizmente em uma de minhas primeiras experiências eu engasguei com um pelo, isso nos anos 70. A menina ficou chateada e não quis mais fazer sexo oral.
Minha mulher atual gosta de se depilar, e eu também, e para nós fica melhor assim...

Roberto disse...

Ressalto que não me refiro a deixar "tudo lisinho", mas sim com os pelos curtos o suficiente para não provocarem o "engasgo"... fica tipo uma barba de 1 semana, mais ou menos...
O que engasga são aqueles pelos que parecem a barba de um guru indiano...hehe

bike disse...

Me desculpem , mas vcs viajam demais...

que é que é é isso ? vagina depilada , é uma opressão da sociedade ... kkkkk

O que vocês acham de mulheres que gostam de homens sem barba ? e com barba ? tem alguma classificação pra estas duas modalidades ?

ou será que só tem classificação para homens ...??

Marussia de Andrade Guedes disse...

Acho leviano comparar a plástica de vulva com a mutilação vaginal e de vulva realizada em alguns países. Acho que você não pensou muito no que disse.Lá, as meninas são submetidas à mutilação sem comunicação prévia, sem anestesia e sem condições adequadas de higiene. O motivo é impedir que as meninas tenham prazer, tenham liberdade sexual. A mutilação é como um cinto de castidade. A motivação das plásticas é oposta! As pessoas buscam o prazer, buscam se sentir confortáveis com os parceiros, buscam sexo de qualidade. Comparar as duas coisas é um desrespeito com as crianças que são colocadas sobre uma mesa de cozinha, tem suas pernas abertas, involuntariamente, seus pequenos lábios e clitores "amputados" e seus grandes lábios suturados um no outro, restando apenas um pequeno orifício por onde deve sair a urina. Não sou contra a busca por um corpo belo. Os exageros é que são prejudiciais. Comparar a plástica voluntária com a mutilação é um exagero prejudicial. Vovê está sendo radical!

bike disse...

Carol
"P..., não significa que o cara que curte mulher sem pêlos é pedófilo. Pedofilia é uma parafilia e o termo não deveria ser usado assim a esmo. O cara não tá se sentindo sexualmente atraído por uma CRIANÇA. Só que sim, por uma mulher que lembra uma criança, há uma clara referência a estados pré-púberes em todas essas "exigências" estéticas, pela idéia de que uma mulher, quanto mais nova, melhor. Levado ao extremo."

SE ISSO NÃO É PRECONCEITO , O QUE É?

E o que dizer de uma pessoa do sexo femininO que goste de vagina depilada em sua companheirA ?

ahhh AÍ PODE !

ME DESCULPEM SE ESTOU SENDO REPETITIVO , mas seria uma boa vermos sempre os dois lados , para não ficar tendencioso o debate .

fui.

Liana disse...

eu viajo, tu viajas, eles viajam..
E juntos acumulamos milhas. Vou trocar por ida ao Peru, e vc?

Bem.. eu não ligo para barba, até onde eu sei a maioria das mulheres que eu conheço também não. Não tenho nojo nem faço nenhum julgamento de valor. Só não gosto quando espeta porque machuca, mas isso sou eu.

Marussia, o que foi dito é que todas essas práticas muitas vezes estão relacionadas com o extremo controle do corpo feminino, cada qual com um objetivo.
Algumas mulheres fazem a cirurgia por motivos de saúde ou por não estarem satisfeitas com o aspecto da genitália, sem grandes implicações.
Muitas outras só fazem para se encaixarem num padrão que nunca foi o delas, por baixa auto estima mesmo.
Em alguns lugares, mesmo quando em idade de 'escolher' algumas 'optam' pela cirurgia pois sofrem PRESSÃO SOCIAL. Essa é a palavra chave.
Olha o caso das chinesas que enfaixam o pé a ponto das unhas rasgarem a carne crescerem para dentro do pé deixando-as deformadas e com uma dor insuportável, algumas fazem depois de adultas e escondido. E isso foi proibido pelo governo mas a pressão social é maior. De umas décadas para cá é que tem diminuído.

Os mecanismos de controle mudam mas ainda persiste a idéia de que para sermos reconhecidas como mulheres temos que nos submeter aos padrões da sociedade na qual vivemos. Do contrário você é uma feminista mal amada com vagina de macaca :) Isso foi só uma exemplo, sei que têm homens que não ligam a mínima.

bike disse...

LIANA

2+2= 4

CONSEGUIU ?

Liana disse...

rs querido você não tá me ofendendo, você está passando atestado de ridículo.

Carol disse...

de fato...

Lucas Pinheiro Silva disse...

Dizer que homens que preferem mulheres depiladas na verdade possuem desejo por mulheres pré-púberes faz tanto sentido quanto dizer que mulheres que preferem homens com barba bem-feita possuem inclinações pedófilas. Just saying.

Fabiane Lima disse...

Então porque a mutilação genital é uma prática tribal então é aceitável? Que horrível! É o mesmo que dizer que mulheres que fazem sexo pré-marital devem ser estigmatizadas porque é tradicional.

Lucas Pinheiro Silva disse...

@Fabiane Lima

Ninguém falou sobre a prática ser mais ou menos condenável. O que falou-se é que ligá-la ao islamismo é injusto e, até certo ponto, preconceituoso.

bike disse...

"Acreditem, gente: pessoas mais velhas fizeram e continuam fazendo sexo oral sem depilar a região genital. E a gente nunca morreu com pelo engasgado na garganta."

Lola vc tá muito enganada !! minha mãe tem 70 anos e se depila .

outra coisa quer chupar com pelo ? pode

quer chupar sem pelo ? pode também ...

e viva a liberdade ...

A Dona do Blog disse...

Lola disse: "Mas também acho plenamente possível se submeter às opressões do sistema e SABER que está sendo oprimida. Tipo, tenha consciência que vc sofre, SIM, influência da mídia. É mais honesto do que fingir que essa influência não existe."

Eu tenho consciência que sofro influência, mas não só da mídia (esse clichê), mas de tudo ao meu redor. Em momento algum fingi que essa influência não existe. Apenas argumentei que ela está presente em várias outras coisas que as pessoas não atacam. Então não entendi por que a depilação, em especial, costuma ser alvo dessas críticas.
Além disso, seu posicionamento inicialmente pareceu ser do tipo "não faz sentido se depilar, quem se depila é idiota".

Gosto dos seus textos e leio sempre, assim que você posta porque acompanho por feed. Aprendo e reflito com eles, mas discordo de algumas coisas. Uma delas é a forma como você expõe certas coisas e como julga o leitor, ou parece julgar. Falei sobre isso no texto do futebol feminino, inclusive.

Enfim, acho que você poderia deixar certos posicionamentos mais claros, porque fico imaginando uma adolescente lendo essas coisas e ficando confusa, pensando coisas do tipo: "Nossa, se depilar é mesmo horrível, é uma opressão, nunca farei isso.", sem saber que você mesma se depila.

Agora, de tudo o que mais me chocou foi a forma como você falou sobre púbis totalmente depilados e associação a meninas pré-púberes. Já perguntei uma vez e gostaria de saber de qual pesquisa você tirou tal informação. Mais uma vez, uma adolescente confusa vai começar a achar que se o namorado dela gosta que ela se depile, é um pedófilo em potencial. Acho que deveria haver mais cuidado com a forma como expõe as coisas, principalmente sem qualquer embasamento científico para uma afirmação dessas.

A Dona do Blog disse...

Liana disse: "Impressionante como os outros tomam para si dores que não são suas."

Sim, tomo constantemente dores que não são minhas, como a dos negros, dos homossexuais e outras minorias. Tomo as dores SIM, qual é o problema com isso?

Liana disse...

Dona, eu me referia a fazermos uma crítica a uma parte específica da população e certas pessoas se arvorarem achando que a crítica foi para elas, quando estamos repetindo que não é.
O que é diferente de nutrir empatia por outros grupos.

Barbara disse...

Eu estou em uma posição mais ou menos contrária à da maioria aqui - me depilo e não vejo nada de errado - mas tenho que concordar que há sim relação entre um púbis feminino depilado e infantilização da mulher (aka pedofilia).

ÓBVIO que não quer dizer que o homem que acha bonito a mulher depilada é pedófilo. ÓBVIO QUE NÃO. Não vi ninguém dizendo isso.

Liana disse...

Vou dar o braço a torcer aqui.. Nem sei se usei a palavra 'mutilação' mas dependendo do contexto (operações corretivas) a expressão fica meio forte.

A própria natureza tem um padrão né.. Ficar fora dele, independente de pressão social, pode ser bem ruim.

Juliana Freitas disse...

Somos todos produtos do meio. Tudo o que fazemos ou deixamos de fazer, o fazemos sobre a influência do meio em que vivemos.

Li uma entrevista com a Claudia Ohanna dia desses, em que ela falava sobre a tão comentada perereca peluda. Ela disse: 'mas esses comentários são novos. Na época que posei não se fazia depilação como se faz hoje, para os padrões de hoje eu estava peluda mesmo."

Eu sou feminista e vaidosa. Vaidosa até onde eu acho que é saudável para mim (veja bem, eu disse EU e PARA MIM). Tô acima do meu peso ideal (meu peso, não o peso padrão, ok? - o peso padrão ainda tá bem abaixo do meu peso ideal! oh, céus) e aprendendo a me aceitar assim (e a pressão externa é fooooda, dificulta pacas o meu trabalho), não acho a minha perereca a coisa mais bonitinha do mundo (mas também nunca achei perereca nenhuma bonita; nem pinto eu acho bonito, salvo quando está inserido em um contexto puramente sexual, e que eu esteja inserida, pq aí eles ficam gracinha, né?!), mas também nunca achei uma coisa horrorosa. Sempre achei normal e pronto. Enfim, pra mim é surpresa que muitas mulheres se encuquem com isso.

Eu acho, como feminista que sou, que nós temos que estabelecer os nossos limites, não o tal 'padrão' (que de padrão não tem nada). Se tem alguém aí que não suporta a perereca escurecendo, acho ótimo que faça clareamento, por exemplo. Mas acho saudável que saiba que, provavelmente, se vivesse em outros tempos, não ligaria muito pra isso. Não tenho nada contra a 'se adequar' ao famigerado padrão, desde que isso seja feito de maneira racional (ou seja, sabendo o que está fazendo e porque está fazendo), e que isso não seja uma violência contra si (violência no sentido de fazer contra a vontade). Sejamos nós as nossas donas, as que decidem sobre o que tá legal e o que não está legal no nosso corpo.

Quanto à depilação, bem, eu odeio pelos pelo corpo; tanto os meus quanto os do meu marido, e tô aqui, na maior campanha pro amoreco depilar a axila também! ;)

Pequenas histórias cotidianas disse...

Eu já sabia desse tipo de cirurgia tem alguns anos... e pasmem.. tem gente fazendo até mais: clareamento anal.. pra ficar com o anus clarinho... sério.. eita mundo maluco, meldels!

Luiz disse...

Olá, Lola.

Olha, essa associar alguns homens que não gostarem de mulheres peludas como sendo desejo por pedofilia é um baita exagero e alem de ser totalmente descabida. Que os pelos protegem a região genital eu até concordo.

Mas vamos para outro raciocínio. Eu tenho barba e gosto da minha barba, mas das 5 namoradas que tive, só uma gostava da minha barba. As outras detestavam e apesar de barba ser algo natural e que é encontrado em todos os homens da terra eu a tirava para agradar as minhas parceiras. Seria o caso de acusa-las de pedófilas por que afinal, quem não tem barba é criança. Então elas teriam uma atração física por crianças e portanto precisariam de psicólogos também. Menos, gente!! Bem menos por favor.

Acho que cada vez faltam amis generosidade nas relações todo mundo está exigindo muito e querendo dar muito pouco (para não dizer nada) nas relações.

Oceana disse...

Uma pessoa que conheço disse que fará a cirurgia de reconstrução do hímen para "dar de presente" ao seu noivo.
A gente fica pensando "imagine a relação dessa moça com esse noivo...". Mas se ela acha que é feliz assim, quem sou eu pra dizer algo contra? Acho absurdo, mas fico na minha. Cada um com seus escolhos, se não está prejudicando ninguém, além de si mesma. Dane-se!

Raquel Dunn disse...

Ok, acho q sou uma das poucas mulheres q gostam mais dos proprios seios depois de ter filho do q antes.
A lei da gravidade atuou e certamente nao sao tao rosados qto antes, muito menos firmes.
No comeco a mudanca foi um choque. Mas hj eu me sinto mais feminina com meus seios de mulher madura, seios q carregam uma historia.
Infelizmente nao tenho nenhuma amiga q pense assim, todas lamentam o fim da era "peitinho durinho".

Raquel Dunn disse...

Qd as mulheres comecam a sofrer alem da conta por conta do processo natural das mudancas no corpo tem alguma coisa muito errada ahi....

ana_alice disse...

sério q só eu acho TOTALMENTE descabido comparar um ato prazeroso que NÃO te adequa socialmente (muito pelo contrário, chocolate só engorda! e se tem uma coisa pior do que ser peluda, nessa sociedade maravilhosa, é ser GORDA. ninguém é discriminado por não comer chocolate, ou é?!!) com um ato de dor que te oprime? sim, O-P-R-I-M-E! pq qd toda a mídia, todas as mulheres e todos os homens saem dizendo por aí que pêlos são sinônimo de falta de higiene, eu me sinto coagida a me depilar, pq eu não quero receber a pecha de porca imunda peluda fedorenta.

isso pq qd eu comecei a ouvir essa baboseira eu não era uma mulher de cabeça feita, eu tinha 11 anos de idade e estava começando a ter pêlos. lembro até hj de uma colega da mesma idade (que já depilava as pernas) apontando pra minha canela e dizendo "QUE NOJO!"

naquele dia eu peguei a gilette da minha mãe escondida e raspei tudo (me cortei toda, saiu sangue, encravou... e os poucos pêlos q eu tinha na perna eram fininhos, inofensivos e certamente não faziam de mim fedorenta)

depois, qd era adolescente tb achava a minha vagina a coisa mais horrorosa. graças ao google images eu descobri que, ops, ela é normal.


todo mundo é livre pra depilar oq bem entender, mas daí a sair propagandeando q é mais limpa e gostosa que todo mundo, sem a menor base científica pra essas afirmações, já é outra história.

btw, pêlos nunca foram problemas pra mim no sexo oral. até pq readequar a sua chupada é mais fácil e indolor do que arrancar pêlos.

eu me depilo com gilete, sim, se me dá na telha. mas tô longe de raspar pernas, axilas e virilha todo dia. sofrer e sentir dor, então, NEM PENSAR.

dizer que a buceta peluda parece de macaco é, no mínimo, risível. buceta peluda parece de... HUMANO! olha q engraçado... pq é a mulher, humana, que tem pêlos. cadê zoofilia?? de acordo com as fotos das macacas que a carol postou, qm teria tendencias zoofilas seria qm curte as depiladas (não q eu ache q isso faz o menor sentido, mas já q o menino ali chamou as bucetas humanas de bucetas "macacais", é válido dizer)

acho engraçado q quando o mundo todo martela na nossa cabeça conceitos X e a gente diz que deveria haver liberdade para não seguir X, neguinho diz q é patrulhamento. patrulhamento é oq a glorinha kalil faz, meus queridos, quando ela diz nas revistas, na tv, no jornal, q gordo e preto não tem espaço no mundo da moda pq eles não são CHICS


ahhh, a carol falou do "doutô" hollywood... cara, como eu desprezo esse sujeito! como um indíviduo plastificado e artificial daquele jeito tem a AUDÁCIA de julgar quem é bela ou não é? o cara alisa e pinta o cabelo, coloca silicone nos peitos (dele mesmo), toma anabolizante, faz bronzeamento artificial, é todo deformado e se acha o gostosão. fora aquelas roupas cafonas transparentes de gigolô q ele usa. http://3.bp.blogspot.com/_t6uNjyyO-ns/TTcma0xvxEI/AAAAAAAAAZw/rZBB99qs-_E/s1600/dr-rey-3.jpg

a mulher dele é aquela troféu sem vontade própria, ele reforma a coitada como reforma um carro usado (sabem? lata velha, pimp my car, etc), fala dela como se fosse uma coisa. "vocês estão vendo como o peito dela está caído? com uma cirurgia simples assim ela vai assim assim assado blablabla pq a gente não é obrigado a olhar pra ISSO, a mulher PODE FICAR BONITA, se ela quiser" (fazendo plástica, claro)

sério q acham positivo o ser humano só se sentir bonito quando se modifica todo em laboratório? faz bem a quem esse pensamento? contribui pro bem estar geral? é algo fácil de se alcançar ou é só mais uma medida elitista de se diferenciar quem tem acesso ($) a esses métodos de qm não tem?

Milady Carol disse...

Eu também era das que não sabiam o que era uma vagina "normal", até ver que o normal é a diversidade!

Eu tenho horror, HORROR mesmo, a essa tendência a querer padronizar tudo, e a só achar bonito e bom o que entra no padrão. Isso é a Mcdonaldização do gosto aplicada à estética e à sexualidade.
Se você não se depilar como manda o padrão vigente, você é nojenta. Se você for mais gorda do que o padrão vigente, você é feia e só pode se vestir de preto/cores escuras, para não chamar a atenção. Se seus lábios vaginais são muito grandes, assimétricos, sei lá, você não está no padrão vigente. Se o seu nariz é muito grande, se os seios são muito pequenos/grandes/caídos, você não está no padrão. Para os homens, a coisa é menos violenta mas também existe: se o pau é menor do que o padrão vigente, se tem pelos nas costas, se é careca, se tiver pneuzinhos...
Encaixar uma imensidão de gente em padrões limitadíssimos e irreais para a imensa maioria d@s interessad@s é deprimente, traumatizante e assustador.

Pili disse...

não importa o tamanho dos lábios,
o importante é aproveitar o beijo!!
;)

bike disse...

Ana Alice

"dizer que a buceta peluda parece de macaco é, no mínimo, risível. buceta peluda parece de... HUMANO! olha q engraçado... pq é a mulher, humana, que tem pêlos. cadê zoofilia?? de acordo com as fotos das macacas que a carol postou, qm teria tendencias zoofilas seria qm curte as depiladas (não q eu ache q isso faz o menor sentido, mas já q o menino ali chamou as bucetas humanas de bucetas "macacais", é válido dizer) "

coloquei de uma forma pra ver como choca , da mesma forma que no texto da Lola , ela insinua ,ou remete a idéia de pubis sem pelo , é coisa de quem gosta de transar com menininhas , isso é preconceito !

Aí perguntei , se existem mulheres que preferem homens sem barba ? e se havia algo de errado em querer beijar um rosto sem barba ? será pedofilia também ?

outra coisinha , tem muita gente que acha mais higiênico sem pelos , será errado pensar assim ? embora eu não tenha este pensamento , até quando vai haver procedimentos cirúrgicos , a primeira coisa a se fazer é a tricotomia (retirada de todos os pelos da área a ser operada ) , com a única finalidade de se prevenir uma infecção , isto porque nos pelos pode sim existir bactérias , e estas serem difíceis de serem removidas apenas com uma assepsia . Mas isto deveria ser discutido mais a fundo , e traria mais confusão nas cabeças da maioria.

O que me espanta de verdade é que ou as pessoas estão cegas , e quando digo isso , é porque é muito difícil de entender pessoas lerem o que Lola escreveu , e achar normal , tipo :
Se Lola escreveu é uma grande verdade , isso é absurdo nos dias de hoje !
Não é porque a Lola pensa isso que tá certo não gente !!!
Até Lola pode escrever uma besteira ou não ? ou será que nem humana ela é mais ?
Muitas mulheres aqui parecem aquelas seguidoras fundamentalistas nesta hora ! acordem , discordar em momentos certos é bom e enriquece a todos nós .

Espero que tenham entendido o recado , e não se ofendam , esta não é minha intenção .

Brazilianbloke disse...

Muito interessante este post... já assisti ao documentário the perfect vagina que por sinal está disponível, em partes, no youtube. A própria repórter chora diversas vezes no documentário...

Muito interessante o post

Boa semana para ti

Milady Carol disse...

E apesar de concordar com muitas coisas, discordo da associação mulheres completamente depiladas = infantilização do sexo, eu acho que é mesmo o contrario... Acho que a depilação integral é uma influência dos filmes pornográficos, que mostram muitos sexos depilados (muitas vezes os dos homens também), porque são mais "telegênicos" (a "ação" aparece melhor sem os pelos que cobrem as partes que mais aparecem nesses filmes).

L. Archilla disse...

Sempre que a Lola faz alguma crítica aparece gente reclamando que "sim, isso é uma imposição social, mas X tb é e vc não falou nada sobre isso!" ou "sim, homofobia é um problema, mas racismo tb é e vc não falou nada sobre isso!" ou "sim, racismo é um problema, mas opressão de classe social tb é,e bla bla bla"

Dica: quer falar de outro tipo de opressão? Abre seu próprio blog! Escreva um guest post! Sugira uma pauta! O fato de fazermos UMA crítica não significa que estamos negando todas as outras críticas sociais possíveis. Em nenhum momento a Lola falou que padronização genital é a única opressão que o ser humano sofre!!! Agora, querer discordar do texto pq ela não citou as pessoas que são discriminadas por não beber vinho? Ah, me poupe!

mundomel disse...

Eu to chocada. Sério. Que horror. Sinceramente, nem to conseguindo escrever direito de tão revoltada.

Eu acho doentio esse lance de parecer uma menininha. Já acho depilação total uma coisa ridícula porque só trás prejuízos. Eu sou a favor de pelos. Tem estudos que até comprovam que pelo facilita na hora da relação sexual.

Mas daí a plástica vaginal? Pra diminuir os lábios e parecer com uma garotinha? Sinceramente isso é doentio MESMO!

Anônimo disse...

Que bobagem.
Acho isso puro modismo. ou seja mais geito de ganhar dinheiro,gente a vagina sempre foi boa com pelo sem pelo com labio sem labio, Bobagem e grande essa cirurgia. A mulher se mutilar porque,..? pra quem.? vai mostrar sua pereca pra quem. Deixe-a como esta e mostre a mim. Sou homem

Anônimo disse...

Ola Gente.Sou homem tenho 75 anos, experiente.
Ja fui grande usuario dessa beleza chamada vagina. Hoje nem tanto mas quero dizer que ela a vagina pra não dizer B......... e uma beleza com pelos ou sem. Mulheres,mutilar ja mais, não caiam nessa.

Gabi disse...

Gabi.
ola Lola.
Que bom seria se houvesse penisplastia deixaria os homens tabem felizes.
Quantos desejariam ter um penis de 20 cm de comprimento sem protuberancias, sem curvas para direita ou esquerda,olhar cego sempre para frente.
Pensando bem nos mulheres somos egoistas....eles tambem merecem que voces acham.???

Anônimo disse...

Escreva LOLA Escreva.

Mais uma nova. ( não vou assinar)
Qual e seu modelo vagina
Blogspot.com calcinha no box
COMO CLAREAR SEU ANUS POR R$105.00
Acredite se quiser faz parte da sua beleza mulher moderna ...a final o CU esta em moda nos dias atuais seculo 21

Anônimo disse...

Achei perfeito e até engraçado pq estava comentando exatamente isso, com todos os pontos colocados por vc, com meu namorado ontem. E penso de igual forma. A sociedade cria necessidades totalmente desnecessárias rsrs, apenas para fins lucrativos.

Rosângela disse...

Gostei demais desse tema.
Mais uma maneira de ditarem o modelo de beleza ideal.É a sociedade se curvando a modas passageiras.Triste.


Anônimo disse...

eu fiz,nao me sentia bem. Nao fiz pra agradar ninguem, sou vaidosa solteira e gosto de me arrumar pra mim! nao suportava ver aquelo coisa pendurada cruzes horrivel.

Anônimo disse...

Eu tbem tenho muita vergonha dos meus labios genitais eles sao grandes demais saiem pra fora eu te apoio em tudo o q disse so realmente quem sofre com isso sabe queria saber com q medico fez a cirurgia e qnto pago por favor.obrigado.

nanci santana disse...

Nada a ver com a pergunta q eu fiz !Tenho lábios genitais muito grandes e isso atrapalha muito num ato sexual !! muitas vezes eles ficam inchados e vermelhos e doem pra caramba!! eu quero é cortar um pedaço deles e não operar a vagina! Alias vagina é tudo igual, oq ela tem a ver com os lábios peloamordedeus?????

Anônimo disse...

Eu fiz essa cirurgia, e sinceramente, vcs exageram demais: "Perceba que não estamos falando de algum problema de verdade (como, sei lá, uma vagina que impede a mulher de fazer sexo sem dor), mas de problemas inventados, estéticos." Pode não impedir. Mas torna a vida cotidiana de uma mulher impossível. Eu não podia usar uma calça jeans mais grossa, pq a costura do cós machucava as linguinhas que ficavam pra fora, não podia usar uma calcinha mais larga e fininha, ou não usar, pq machucava e incomodava, a cada passo vc sente tudo roçando em vc como se fosse dentro de vc. É simplesmente a PIOR sensação do mundo eu me sentia horrivel, nem sei como explicar, pois ate tentava colocar tudo pra dentro pra não sentir tudo que encostava nela, mas nada adiantava, sentia vergonha pq tava na rua as vezes e aquilo parecia q tava fora do lugar, não sei como é ter um pinto, mas pra mim aquilo parecia a sensação, daqueles sem a pele que fica pra fora o tempo todo. Acho que se for pra falar de certos assuntos vc tem que conhecer muito sobre o assunto, ter vivido algo, ou conhecer quem tenha, pq sim, tem gente que faz pela estética. Mas isso não começou por causa disso. Foi uma necessidade que tornou uma futilidade. Então não julguem ou generalizem quem já fez. Tentem olhar de todos os lados, não apenas o ruim!