quinta-feira, 4 de novembro de 2010

QUERIDOS JOVENS,

Não escrevo a todos vocês, apenas aos mais privilegiados. E aos mais conservadores. Bom, vocês sabem quem são: aqueles que, revoltados com o resultado das eleições, falaram todas as besteiras que não podiam falar contra pobres e nordestinos.
O que mais me chocou nos tweets que li de vocês nem foi o ódio contra gente que é tão brasileira quanto vocês, ou a total ignorância que vocês demonstraram em relação ao Nordeste. Porque, sinceramente, tudo isso eu já conhecia. Eu vivi 16 anos em SP, e não se passavam muitos dias sem que eu ouvisse paulistanos da gema bradarem contra os nordestinos – que vocês chamam de baianos – como se eles fossem um mal, e não pessoas que ajudaram a fazer de SP o estado mais rico da federação. Também vivi 15 anos no Sul, entre Joinville e Floripa, e lá confesso que não escutava tanta asneira contra os nordestinos. Claro, havia (há ainda) um movimento detestável chamado “O Sul é o meu país”, mas em Joinville ouvia muito mais insultos contra paranaenses, já que é a cidade do Brasil fora do Paraná com o maior número de paranaenses (eles vão pra SC pra se livrar da miséria, assim como os nordestinos faziam quando iam pra SP). Em Floripa, o preconceito parecia ser maior contra os gaúchos, que compraram (junto com os paulistas) montes de prédios e fizeram dispararar o custo de vida da cidade. De onde eu deduzia que, se o Sul realmente fosse bem sucedido em se separar do resto do Brasil, ele talvez sobrevivesse sem guerra civil interna durante uns cinco minutos. Com tantos xingamentos contra os vizinhos, não sobrava muito tempo pra sulista reclamar do Nordeste. Além do mais, descobri que, pra muito catarinense, qualquer Estado acima do Rio é Nordeste. Quando eu fui falar pro dono de um restaurante que eu estava me mudando pra Fortaleza, ele perguntou se isso era perto de Minas. Mas, dos meus alunos ricos, eu ouvia muito mais preconceito de classe que de região.
Não, o que mais me chocou dos tweets de vocês foi mesmo vocês não desconfiarem que são preconceituosos. Vocês não vêem nada de mais em querer que uma bomba acabe com todos os estados daqui, em dizer que nordestino é tudo vagabundo, em torcer pra que uma enchente, ou uma seca, nos mande pro inferno. Vocês se divertiram à beça culpando os nordestinos por elegerem o PT, um partido que vocês detestam. Mas já ficou provado que Dilma venceria mesmo sem o voto do Nordeste. Além disso, vocês não acham que o Nordeste foi inteligente em votar num governo que, pela primeira vez em sua história, lhe deu condições de abandonar a pobreza? Não foi só por causa do Bolsa Família, embora esse programa, que custa tão pouco aos cofres públicos, faça uma diferença incrível na vida de milhões de brasileiros (é, em SP tem gente que recebe o benefício. Em SC também. O meu vizinho em Joinville, de tataravós catarinenses, recebia). E todo o dinheiro investido volta, porque uma multidão de gente passou a consumir. Isso é bom pra economia – perguntem pros seus pais empresários se eles não fizeram mais dinheiro no governo Lula. Investir no Nordeste transformou a região, que vem crescendo tanto quanto a China (e sei que vocês não gostam da China, mas vocês gostam do crescimento da economia chinesa, não gostam?). Um colega meu, também professor universitário, que fala quatro línguas fluentemente, fez um prognóstico: ele tem certeza de que, daqui a vinte anos, no máximo, o estado que escolhi para morar atualmente, o Ceará, será mais rico que o Rio Grande do Sul. Não é uma competição – a gente não quer que os gaúchos percam dinheiro ou poder. A gente só quer uma fatia disso. Quer provar que gosta de trabalhar. Isso é ruim?
O que me espanta é que vocês ficam chateados quando os americanos perguntam pra vocês se aqui no Brasil tem macaco pulando de galho em galho, ou se os índios não atrapalham o trânsito (de cipós?), mas vocês têm uma imagem do Nordeste muito parecida com a que eles têm do Brasil. Vocês vêem televisão demais e, quando pensam no Nordeste, só pensam na seca. Vocês não sabem que aqui há excelentes universidades e profissionais que não devem nada aos do Sul e Sudeste. E eu sei que vocês adoram os EUA e a Europa, que vivem falando que “país de primeiro mundo é outra coisa”, mas por que vocês insistem em só copiar as coisas ruins deles? Vamos copiar as boas, ué! Um dos motivos que eles são desenvolvidos é que lá a renda não é tão concentrada como aqui. É que lá eles respeitam os direitos humanos! Vocês não achavam mesmo que eles eram desenvolvidos por serem mais clarinhos, mascarem chiclete e terem a Disneylândia, né?
Outra coisa que me espanta é que vocês são tão jovens e tão conservadores ao mesmo tempo! Cadê o idealismo de vocês? É comum o jovem querer lutar por um mundo melhor e mais justo – e um mundo melhor não é um em que os pobres sejam riscados do mapa por uma bomba, mas um em que eles tenham condições de verdade pra deixar de ser pobres. Muita gente jovem lutou e luta por liberdade. A própria Dilma, quando tinha 19 anos, não ficou no seu condomínio fechado digitando “Morte aos nordestinos!”. Não, ela decidiu lutar pra derrubar um governo militar. Eram outros tempos, claro, e eu sugiro que vocês aprendam sobre eles. Contra o quê os jovens de todo o mundo lutavam na década de 60? Por que um dos slogans da época era “Não confie em ninguém com mais de 30 anos”? Os jovens não estavam muito felizes com o seu mundo, um mundo que herdaram dos pais, e não queriam repetir esses erros. Eles tinham vergonha de ser igual aos pais. Mas vocês não, certo? Vocês têm as mesmas ideias dos seus pais! São essas que vocês vão passar a seus filhos? Cadê a rebeldia? Rebeldia tem que ser mais do que colocar mensagens de ódio na internet e pedir o fim de um governo democraticamente eleito – antes mesmo de tomar posse!
Eu não desejo mal a nenhum de vocês. Não quero que vocês sejam punidos pelo que disseram. E muito menos quero escolher um bode expiatório e criminalizar uma estagiária de Direito, porque o preconceito que comeu solto nesses primeiros dias depois das eleições não foi obra de uma só pessoa. Foi coletivo. Vocês sem dúvida foram influenciados por uma campanha muito virulenta, e por um candidato que semeou o ódio e que nem aceitou sua derrota elegantemente (que é o que se espera num regime democrático). E, antes disso, vocês foram influenciados pelos seus pais, pelos amigos, pelo que lêem de pessoas que pensam igual a vocês. Eu só queria que vocês refletissem sobre o que escreveram. Já seria um passo importante vocês perceberem que sim, são preconceituosos. Perguntem por que se tornaram assim. Nos tweets de vocês, vi muitas mensagens que diziam: “Não é preconceito, é a mais pura verdade!”. Vocês acreditam tanto nessas ideias que nem vêem que são falsas, que são intolerantes, que são burras. Parem pra pensar: o que muda na vida de vocês com a eleição da Dilma? Faria alguma diferença se o Serra tivesse vencido? Pra vocês não. Vocês continuariam muito bem. Então por que tanta raiva? Se é pra ter raiva de alguma coisa, então tenham raiva da miséria, do fato de uns terem tanto e outros terem nada, do sistema que não permite que a situação mude tão rápido como deveria. Ter ódio de pobres e nordestinos não faz com que eles morram fulminados por um raio. Mas, acreditem: são vocês que morrem um pouquinho por dentro. Vocês deixam de sonhar, tornam-se cínicos e amargos. Como os seus pais. Como os políticos em que seus pais votam. Não sejam assim. Ousem. Sejam diferentes.

99 comentários:

Lord Anderson disse...

Lindo Lola

Só posso lamentar que justamente esses idiotas preconceituosos nunca lerão o seu blog.

Ainda bem a justiça ja foi acionada.

Bruno Stern disse...

Concordo em quase tudo.
Só acho que seria muito bom que um ou algus dos fossem devidamente processados. Por dois motivos.
1 - Porque é crime mesmo e a benevolência da sociedade será um péssimo precedente.

2 - Para desestimular a burrice. Cometer crime mostrando o rosto e dizendo o nome dá até pena.

Juliana disse...

De arrepiar,hein!!

Devaneios de Mulher disse...

PQP Lola, desculpe o palavrão.

Amei seu texto, gostaria de auotorização para coloca-lo em meu blog.

Masegui disse...

Putz! Lindo, maravilhoso, sensacional... clap, clap, clap, clap.

Nefelibata disse...

Lola, concordo com o Bruno.

É crime. Eu, pessoalmente, sou até tendencioso ao que chamam de abolicionismo penal, ou seja, sou contra a ideia de que nosso ideal de Justiça envolva colocar pessoas em jaulas, por exemplo.

Entretanto, a realidade não é essa e é absolutamente inaceitável que sejamos condescendentes com uma mocinha rica e não com os pobres que constituem praticamente toda a população carcerária/fichada.

Ademais, não é somente a Mayara Petruso que está sendo processada, então não é exatamente um bode expiatório. É que aconteceu de ser justamente ela a pessoa em quem todos na Internet concentraram sua indignação (bom, aí sim pode ser um problema).

Mas insisto no ponto que comentei num texto seu anterior: conheço Fortaleza, a parte materna da minha família é toda nordestina e costumo ir de carro todo ano para o Piauí, e já fiz isso por diversos caminhos, inclusive. Assim, conheço razoavelmente as agruras e as belezas do Nordeste, mas puxa vida... isso não importa em nadica de nada. O Nordeste poderia ser um deserto pleno de lixo, mas se ainda houvessem pessoas lá, elas mereceriam ser tratadas com o máximo respeito.

Eu entendo que muita gente está tentando informar esses ignorantes que pensam que lá só é chão rachado (o que é ótimo, claro), mas mesmo sabendo que não é a sua intenção, Lola, fica parecendo que existe alguma ligação entre "respeito" e "desenvolvimento" do Nordeste, sabe? Algo como "nós também temos edifícios, portanto, respeite-nos como cidadãos".

Eu penso que isso precisa ficar mais evidenciado, sabe?

Abraços!

Palavras Vagabundas disse...

Lola,
aplaudo de pé!
Mas eles deveriam ser processados pelo crime que cometeram.
abs de uma paraibana
Jussara

DH disse...

Post fantástico, dos melhores que você já escreveu, Lola.

Mas concordo com o comentário da Nefelibata. Sei que não teve a mínima intenção de relacionar 'desenvolvimento' com 'respeito' pelo Nordeste, mas algumas pessoas podem interpretar assim.

Mais uma vez, parabéns pelo post!

Leticiabon disse...

Muito bom o seu post Lola!!!!! Jovens e conservadores, tuitando de seus condomínios e ainda acham que 'e natural!!!

Marilia disse...

Bonito texto, mas concordo com os outros comentários: é preciso punir. Não por eles terem falado do Nordeste ou do Norte (de onde eu sou), mas pelo preconceito. Para que eles saibam que preconceito é crime, sim!
E para que eles saibam que internet não é terra sem lei. Não é o meio (o twitter, o facebook) que retira dos sujeitos a responsabilidade.
"A benevolência da sociedade será um péssimo precedente".


Mas meu segundo ponto na discussão é: será que só punir vai mudar algo na cabeça desses jovens? O preconceito continua lá.
Moro em Minas e sinto o preconceito por ser do Norte.

De qualquer forma, bonito texto. Queria que mais jovens lessem isso. Vou até levar para os meus alunos e suscitar a discussão em sala de aula!

aiaiai disse...

Eu só sou a favor da punição - não apenas de uma pessoa como de quantas forem possíveis - pela visibilidade q isso dará à questão da responsabilidade na internet e do preconceito.

Eu mesma, confesso, revi meus conceitos em como participar de blogs e twitter depois disso. Tem horas que a gente fica com tanta raiva que apela e a gente não pode fazer isso. Existem formas de ser ironico, bem humorado e irado sem apelar para o preconceito e a ofensa.

Acho que no tuiter eu cai na armadilha de ser ofensiva algumas vezes. Não chequei a cometer crime, ñ mandei ninguem matar ninguém...mas, não fui civilizada também.

Então, a punição nesses casos faria:

1. os preconceituosos pensarem 200 vezes antes de externar seus sentimentos

2. os esquentadinhos (como eu) esfriarem antes de postar ofensas a pessoas e instituições.

agora, esse negócio de tratar o norte/nordeste como inferior é fruto de muita ignorância. Então, qt mais a gente falar do assunto, melhor.

Oliveira disse...

Lola:

Você já não está satisfeita que o Lula, com toda a sua beligerância e desrespeito pelas leis, elegeu sua pupila inépta?

Agora chega! Vá falar de outra coisa.

Como gente da esquerda é pastosa!

mirtes disse...

Oi Lola.
mirtes

Oliveira disse...

Você, Lola, que está sendo conservadora e nem se dá conta disso de tão iludida, ou comprada.

Ser jovem não é ser burro de entrar nesta conversinha mole do PT.

Ser jovem é fazer exatamente o que esses jovens de agora estão fazendo. Lutar contra essa corja de incompetentes e marginais que se aboletaram no poder.

maiacat disse...

Ótimo post, bom seria se esse público a que você se dirige o lesse de fato! Eu só espero que essa onda toda sirva pra trazer o assunto à tona e levantar discussões. Que os professores nas escolas estejam, também, abordando a questão. Pena que professor de escola particular seja até impedido de "ir contra" seus alunos, porque são obrigados a seguir aquela lógica: "são eles que pagam seu salário" .

Shiryu de Dragão disse...

A Dillma vai ser que nem o Collor. No primeiro dia do governo dela, ela vai recriar a CPMF. Como se nao bastasse que pagamos a mesma porcentagem de imposto que pagamos na França mas recebemos um serviço digno de África do Sul.....

Andréia Freire disse...

Shiryu de Dragão, na boa cara, não se faça de burro não. Ela NÃO disse que vai recriar a CPMF. As palavras dela foram: "Tenho preocupação com criação de imposto. Preferia outro mecanismo. Mas vejo uma mobilização dos governadores", diz Dilma em relação CPMF. Mais um manipulado pelo Reinaldo Azevedo?No twitter ontem foi um festival de asneiras.

Borboletas nos Olhos disse...

Caindo no risco de ser repetitiva. Post brilhante, mas acho que a punição é necessária para o maior número de pessoas possível. Todas as que forem identificadas. No mais, ainda com o coração em festa. Não vou deixar a desinformação e o ódio estragarem minha alegria. Bjs

Cecilia disse...

Foi lindo o que você escreveu, Lola. Seria tão bom se muitos meninos pudessem ouvir essas mesmas palavras assim da boca de alguém que respeitam, porque eles às vezes são uns idiotinhas desse tipo, mas no momento seguinte podem ser as criaturas mais adoráveis do mundo, loucos para adotarem um herói, um modelo, só que para azar do mundo às vezes aparece um Mainardi ou um Tio Rei (que apelido cafona!) e toma a alma delicada desses meninos.

Cecilia disse...

Ô Oliveira, faça dois favores pra gente: marca uma consulta com o psicanalista pra tratar da sua obsessão com o PT, e muda de blog - Acho que você iria gostar de um tal Hariovaldo Prado.

Vivien Morgato : disse...

Vou usar em aula, posso?

Jaquee Ribeiro disse...

Sinceramente acho que não há como punir tanta gente, como disseram nos comentários acima. E mesmo que punissem muitos pensam de forma semelhante e não seram punidos. De certa forma seria até irônico prenderem alguém por xenofobia, quando há muitos policiais que compartilham disso. Eu já ouvi e já vi, vindo de pessoas que nunca imaginei que seriam tão preconceituosas.
É realmente uma pena que muitos jovens não leiam teu blog, (sou jovem e leio, uma excessão, talvez) mas já me peguei desejando que até meus pais lêssem seu blog. E poderia dizer que jovens não lêem teu blog porque não gostam de ler, e talvez seja mesmo verdade, mas muitos gostam e mesmo assim tem um pensamento muito fechado, muito mínimo para entender as coisas.

Buriti disse...

Ótimo texto Lola, mas existe um porém:

Você diz que eles copiaram o comportamento de seus pais, mas na verdade eles foram abandonados pelos pais desde pequenos, basta ver que esses jovens desde a mais tenra idade se encasulam em seus mundos particulares, sentam à mesa com heaphones nos ouvidos, criam suas redes sociais onde os iguais se atraem pelo amor e ódios mútuos a algum movimento da vez, em suma criam sua realidade paralela onde as interfaces com o mundo real são tênues.
Essa surto de racismo se dá porque eles vêem seu frágil mundo virtual se estilhaçar diante da realidade crua quando os dois mundos se cruzam, seja num assalto, seja numa relação tensa patrão/empregado (ou qualquer outra em que ele se coloque como alguém que vai requerer/receber um serviço/produto), seja num choque cultural ou étnico ao se deparar com "uma pessoa que não deveria estar naquele ambiente". E tem os shoppings, a terra do consumo e da segurança, onde o mundo é bonito e limpo e o dinheiro pode comprar tudo o que se deseja.
Em suma, essas crianças, e outras não tão crianças assim, vivem numa realidade paralela, que não tem nada ver com as experiências passadas, mas sim com a maneira que elas encaram o mundo com seu juízo de valor detupado pela idéia de o mundo é pelo se tem e não pelo se é.

Niemi Hyyrynen disse...

Mas é com sorte que nestes tempos de internet, a mesma que é usada para promover essas mensagens de ódio é a mesma que é usada para se combater estes pré-conceitos.

Muitas pessoas responderam às críticas com uma hashtag "orgulhodesernordestino" e se defenderam muito bem.

Até a menina que dizem ter incitado as mensagens já está sendo investigada, enfim...

Niemi

ps disse...

Lola,

Lindo texto! Obrigada.

Só queria lançar uma "lenhazinha" na fogueira...

É que não acho justo compararmos os jovens que escreveram essas asneiras bárbaras aos jovens dos anos 60 que lutaram contra a democracia.

De um lado, porque os jovens libertários de ontem tem outros representantes hoje: os *MILHARES* de jovens inteligentes, progressistas, libertários e lutadores de hoje. Não é justo com eles (meus alunos, e seus também, com certeza) que generalizemos a juventude de hoje a partir dos asnáticos racistas do twitter.

E de outro lado, porque jovens asnáticos sempre existiram - mesmo nos gloriosos anos 60. Eram os que estavam do outro lado da rua, nas trincheiras do Mackenzie, nas reuniões do CCC, por exemplo.

Ou seja: jovens ou velhos, sempre há e sempre houve os libertários e os conservadores. Cabe a nós que nos consideramos libertários (jovens ou velhos) estar sempre alertas e combater as forças do retrogresso.

Desculpe "falar" tanto...
Mas obrigada pelo post e parabéns por levantar a discussão.

Maria Clara

Mboaba disse...

É preciso processar, sim. Mais do que (apenas) punição, o fundamental é que o debate e o foco do noticiário despertem as pessoas para o absurdo dessas atitudes. A punição pode até ser trabalho social, nos casos em que a "jaula" não se justifique.
Dizer que era só "brincadeirinha", tipo "foi mals", é recorrente. Foi o que disseram os pitboys que incendiaram o índio em Brasília. Jovens semelhantes, depois, foram espancar o garçon no sul da Bahia, quem lembra? Volta e meia incendeiam mendigos em outras capitais do Sudeste. Assassinam gays (em especial, gays pobres, mulatos, nordestinos).
E têm até organizações +/- "formais", têm sites, fazem encontros, estimulam violência contra pobres, mulatos, nordestinos. Para estas organizações e seus líderes, falta jogar holofote, e OAB, MP etc. Para estes, punição, sim. Não podem alegar "ingenuidade".
É verdade que a classe média (e não só do S/SE) tem deixado as crias cada vez mais, aos cuidados da babpa-TV. Não conversam, não educam, entopem de mimos. Suítes com micro e tudo que têm direito, e portas fechadas. A vida, fora de seu círculo de classe média, é uma irrealidade, como nos desenhos animados, em que bananas de dinamite são mera piada.
Em algum momento a sociedade terá de abrir os olhos, e enfrentar essa alienação.
Divulgar o Nordeste, o Norte, é necessário, sim. Em 8 anos, a midia não mostrou nada do que vem acontecendo - novas universidades, dezenas de campi avançados, escolas técnicas, parque eólico, luz para todos - a lista é interminável. No tempo da ditadura, tudo virava "cadernos especiais", fartamente irrigados por verbas públicas - só para os jornalões, "veja" bem. No governo Lula essa mamata acabou. A verba se dividiu melhor, com jornais pequenos, pontos de cultura etc. Só em SP, a PiG ainda mama nas tetas do governo - dezenas de milhares de "assinaturas" (de publicações vagabundas!) para as escolas, pagas com dinheiro do contribuinte que há muito tempo não tem mais tempo nem estômago para lê-las e vê-las. A PiG está se acabando, daí a raiva redobrada.
É preciso, sim, divulgar o que se passa hoje no Brasil - que a PiG não mostra, nem discute.

Paty disse...

Ler esse texto pra mim é como receber uma facada. Digo isso pq sou jovem tb e apesar de ter ideais de esquerda, sei que pouca gente da minha idade pensa assim. Já cansei de ver gente da minha idade dizer que "é um absurdo um homem sem escolaridade governar o nosso país" e comentários do tipo. Também já cansei de ver meus colegas com atitudes altamente preconceituosas - e e são os mesmos que colocam na redação coisas como "ações preconceituosas precisam ser punidas". Será que nao percebem que ELES tb são preconceituosos? Ou será que sabem que são, mas querem agradar a professora?
O que eu vejo é gente que consegue detectar as pegadinhas de uma prova de vestibular, mas que não consegue perceber que está se deixando levar pela Veja.
Quando a gente tem algum tipo de debate sobre política e questões como aborto, eutanásia etc, me bate uma tristeza e eu fico desesperançosa da minha própria geraçao. Me entristece perceber que, no geral, temos uma mente tao fechada quanto a dos nossos avós ou dos nossos pais, como vc mesma falou, Lola.
-
Eu sou nordestina (baiana, pra ser mais precisa) e, óbvio, me sinto extremamente ofendida quando leio isso. Sao opiniões vindas de gente que não conhece nossa realidade de fato. Acham que o Nordeste é só seca e que o Norte é só floresta.
Acho importante punir sim. Claro que não dá para punir todos os que agem assim, mas é necessário punir os casos mais gritantes, como o dessa Mayara Petruso, por exemplo, que incita a violência.

Liliane Gusmao disse...

Lola

Só posso lamentar que justamente esses idiotas preconceituosos nunca lerão o seu blog (2).
Não gosto de bode expiatórios, mas como vários outros, sou a favor de uma punição!

=Maíra= disse...

PARABÉNS, LOLA!!! Estou tentando difundir o texto entre ex-alunos de classe média-alta. Muitos eram a favor do Serra só porque "papagaiavam" o discurso que ouviam em casa. Mas me chocou muito ver alguns me enviando e-mails xenófobos. Eu estou muito, muito triste, de verdade.

Lembro de que trabalhei a música "Brejo da cruz", do Chico, junto com o filme "Ilha das flores" e um artigo de opinião sobre miséria com esses alunos. Quando fui comentar sobre a parte "na rodoviária, assumem formas mil", da música, houve um silêncio mortal: NENHUM dos meus alunos conhecia a rodoviária de BH!! Na verdade, o que tinha ido mais longe, tinha ido à Savassi, um bairro de classe média-alta. O restante conhece apenas Nova Lima e seus condomínios fechados. Vão e voltam pra aula com motoristas e carros blindados...

Juro que tentei incutir um pouco de senso crítico e sensibilidade social na cabeça desses alunos em todas as oportunidades que pude. Mas é difícil demais falar disso pra pessoas que nunca devem ter visto um pobre na vida e que acham completamente normal comprar uma calça de 500 reais...

Desculpa pelo longo desabafo... Estou esperando passar uns dias pra responder aos e-mails e postar no meu blog de forma menos emotiva, para não correr o risco de ser agressiva.

Obrigada pelo texto, que conversa de forma doce com jovens que precisam ouvir o que você disse.
Beijos!

Fernanda disse...

Lola

Como sou agradecida por ter a oportunidade de ler seu blog todo dia.

Um dos melhores textos que voce ja escreveu, sem duvida.

Me emocionou!!!


Beijos

Fernanda

Loja Blue Moon disse...

vi seu blog pela primeira vez e é inspirador inteligente honesto e com como eu imagino que vc deva ser , me orgulho de saber que existem pessoas com tanta sensibilidade no Brasil !
Obrigada pelo texto

(Vc é foda)

beijos
Jessika da Silva Brito
Paulista decedente de nordestino com MTO ORGULHO !

Ursula Burgos disse...

Lola,

Seu texto é absolutamente pertinente. Só acho que punição é importante, não por desejo de vingança, mas para não deixar mais uma vez essa sensação de impunidade (pessoas cometem crime e mostram a car sem medo?). além disso, ter um bode expiatório pode servir de forma exemplar, mas como você disse, foi um movimento coletivo.

daniela disse...

Olá Lola, tudo bem?
Texto maravilhoso e talvez eu entenda porque você não acha que eles deveriam ser processados. Acho que estes processos irão impor certa 'censura'. Talvez os jovens sintam-se reprimidos em postar suas opiniões no twitter, medo de serem processados, do governo ou até dos pais tirarem o computador com medo também. Mas isso é crime e eles devem ser punidos, afinal tá na constituição, né?

Tiago Gregório disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laetitia disse...

é, Lola. o pior é que não dá (eu, pelo menos, não consigo) pra argumentar com gente assim. vc fala duas palavras e eles já estão esfregando uma capa de Veja no seu nariz.

aí eu perco a paciência e digo "ah, se vc tivesse dito que leu isso na porta de algum banheiro, eu até discutiria com vc... mas leu na Veja... aí não dá. perdi o respeito."

Tiago Gregório disse...

Vislumbrei um tom pedagógico na leitura, querendo mostrar, sem altivez, que a visão do país deste pessoal é equivocada.

Este caso é retrato de algo comum na sociedade brasileira. Sei disso por morar em uma região com grande concentração de nordestinos, a Baixada Santista, e ser natural de Cubatão, que atrai emigrantes por conta do pólo industrial.

Sou a favor de punição para todos que participaram deste disparate. Mas não com cadeia, que se tornará algo indelével na vida deles e os fará sentir ainda mais ódio. Entendo que a maior punição para eles seria desempenhar tarefas vitais à saúde e bem estar da urbe, mas imperceptíveis aos olhos deles, por se postarem acima do real. Justamente aquelas que exigem um menor grau de instrução e para as quais geralmente são recrutados muitos migrantes aqui em São Paulo. Conservação de vias públicas (varrição, pintura de guias, limpeza de áreas públicas) seriam ótimas pedidas.

Sonia disse...

Parece que voce esqueceu de algo: quem fomentou esse ÓDIO todo nos últimos 8 anos, foi o Sr. Lulla, colocando negros contra brancos, homens contra mulheres, nortistas contra sulistas. Esse ódio é invenção do PT. Pobre país. Pobres jovens como você. Quando acordarem, será tarde demais.

Lord Anderson disse...

Sonia.

De onde vc tirou tanto absurdo?

Me diz quando, onde e como o governo Lula fez isso.

Quando alguma propaganda ou decisão do governo incentivou esse tipo de odio.

Vc acredita mesmo que esse racismo e bairrismo não existiam nos govenros anteriores???

caramba, é cada idiotice que se ouve

Borboletas nos Olhos disse...

Sonia, se você se dispuser a ler um tantinho além da imprensa prevalente e a escutar um pouquinho além das edições da Globo, suas opiniões se transformem. Demonstrar que existem ricos e pobres e desejar que esta distância diminua - como foi o discurso e as ações do Lula e como são o meu discurso e, na minha medida, minhas ações - não é fomentar o ódio, é trabalhar pela inclusão.

Sammy disse...

CLAP CLAP CLAP
Que post lindo, Lola. Acompanho seu blog há muito tempo e na minha opinião, é o melhor post. Sem exagero! Ele tocou direto no problema. E espero que faça algumas pessoas mudarem de idéia. Acho que se pelo menos UMA pessoa retrógrada ler, refletir e mudar sua maneira de pensar, já está ótimo! Se um adolescente com esse perfil, com uns 14 anos ler isso e mudar, nossa... que maravilha seria! Eu acredito nisso.

Sammy disse...

Sonia, o governo Lula foi um governo de INCLUSÃO. Não sei de onde vc tirou tanta asneira, com o perdão da expressão.

Com o governo Lula, milhões sairam da miséria. Outros vários entraram na classe média e puderam fazer programas triviais, como comer no McDonalds (ok, sei q mtos de vcs nao gostam, mas as crianças amam) e passear no shopping de vez em quando.

A faxineira que trabalhava no mesmo prédio que eu outro dia comentou que podia comprar SUCRILHOS para o filhinho dela, e que os mais velhos não tiveram essa oportunidade.

Sonia, vc tem noção do abismo que era esse país nos governos anteriores? Eu não estou falando que a desigualdade social desapareceu, mas está diminuindo e eu sou bastante confiante. Acho que nos próximos anos poderemos atingir patamares de países desenvolvidos.

Flovi disse...

O Nordeste poderia ser um deserto pleno de lixo, mas se ainda houvessem pessoas lá, elas mereceriam ser tratadas com o máximo respeito. [2]

E sim, eu acho que essas pessoas merecem processo. Isso não devia ficar na impunidade. E concordo com quem disse aí que essas pessoas deveriam prestar serviços à sociedade. Ir para o Nordeste trabalhar em alguma creche já ajudaria, e muito.

Shiryu de Dragão disse...

O que tem de errado em comprar uma calça de 500 reais?? Quem fala que isso é errado ou que é errado ter 5 mil sapatos no closet é invejoso!!!
E inveja dá cançer. Cuidado gente.
Que culpa eu tenho se existe pobre no mundo? A culpa é de nossos governantes. Não sou eu que administro o dinheiro público. Portanto posso ter minha calça da Ellus à vontade!

marisweet disse...

Sempre leio seu blog apesar de minhas idéias e ideiais não terem nada a ver com o seu. Alias, sou jovem! Acho que esse post não é sobre votos ou política.. mas sobre respeito entre as pessoas independente de suas escolhas/opções.

Do mesmo jeito que tem tucano fazendo essas coisas, petistas e afins também já fizeram (não estou dizendo que é certo - pelo contrário).

Só acredito que as pessoas tem que ser mais tolerantes... inclusive a gente que não concorda com o desrespeito que vem ocorrendo por ae.

Rafa Guerra disse...

Sou uma baiana que vive em São Paulo e ama demais essa terra. Não gosto da ideologia do PT, não voto no PT. Tenho outro pensamento e outros valores. Posso ser considerada conservadora e sonho q esse termo, um dia, deixe de ser pejorativo. Mas não posso compactuar com a atitude infeliz desses jovens. Acho q a Mayara deveria pagar sim! Mais pelo crime de incitação ao assassinato do q pelo preconceito em si. Gostaria tmb q essa atitude não fosse atribuída a todos os conservadores.
Parabéns pela escrita.

Rafaela

Oliveira disse...

Andreia Feire:

Ela falou sim, de forma indireta por medo, mas falou.

A Dilma devia ter vergonha de falar em CPMF, se esse imposto absurdo (já que que dizer provisório) foi uma das coisas que o PT mais usou para se elevar a presidência. O PT falou que ia acabar com esse imposto, depois o Lula sentiu o gostinho do dinheiro e não queiria mais acabar. No fim foi forçado, que o duas-caras derrubou a CPMF.

Se ela, a Dilma, trouxer a CPMF de volta vamos ter uma foto da canalhice dessa gente do Lula.

Hugo disse...

Não, não é pecado ter uma calça de 500 reais, mesmo que isso esteja longe dos meus ideais. O problema é quando pessoas que nunca levantaram uma palha na vida, ou começam suas carreiras profissionais como executivos na empresa dos pais vem falar que todos tem oportunidades iguais, e que o imigrante nordestino que ele odeia tem a mesma chance que todo mundo de subir na vida.

Tinha gente que não tinha maizena pra fazer um mingau pros filhos, como você esperava que eles colocassem essas crianças na escola? E tem gente que agora pode fazer o mingau e colocar os filhos na escola, graças a programas 'demagógicos' como o Bolsa-Família.

Num paralelo com seu mundo, que mal há em se dar uma calça por mês pra uma família necessitada?

jovem broto disse...

não vai dar em nada, mas é bom que se saiba: http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI4772959-EI6578,00-Querem+vitimizar+Nordeste+diz+Movimento+SP+para+Paulistas.html

Pedro Monção disse...

A juventude de hoje é exímia em serem cruéis e tem doutorado em preconceito! Acho que as vezes eu sou positivo demais porque eu ainda me choco com essas coisas.
E aí que eu penso: "Não posso ficar parado sem fazer a minha parte".
Mês passado eu fui num protesto LGBT e curti muito a experiência. Espero que atitudes dessas virem uma constante na minha vida!

William disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
William disse...

Lola, achei 2 sites "reaças", bem ao estilo o Sul é o Meu País:
http://saopaulominhapatria2.blogspot.com/
e
http://tudoporsaopaulo2010.blogspot.com/
Será que é possível denunciá-los por abuso?

aiaiai disse...

bom já que o assunto foi levantado pelos trolls de sempre, deixo minha sincera opinião: eu acho a cpmf ou qq imposto sobre movimentação financeira muito bom. É justo, porque paga mais quem movimenta mais, e é uma forma de coibir diversos tipos de maracutaias.

Hugo disse...

Aliás, mais uma coisa que me ocorreu agora:

As maiores 'sangrias' nos cofres públicos não são o Bolsa-Família e o Luz para Todos. São as privatizações a preço de banana. Acredite em mim, quem compra essas estatais não são nordestinos fazendo vaquinha.

São as licitações superfaturadas por empresas cartelizadas. E pode apostar, o que eles aumentam no custo da obra pro Estado não é dividido entre os ajudantes de obras e pedreiros.

São essas e outras coisas que, de fato, tiram dinheiro dos cofres públicos. Não ponha a culpa no pouco que o governo faz pra incluir pessoas que precisam de uma oportunidade para, algum dia, pensarem em calças de R$500,00.

Mari Biddle disse...

Lola, texto lindo! Texto 'tudo'! Beijos!

L. Archilla disse...

Hugo, adorei seus comentários!

"quem compra essas estatais não são nordestinos fazendo vaquinha."

ÓTIMO! ahhahahahahaha

Só um adendo: o teto do bolsa família é R$200,00, logo, seria menos de meia calça por mês... :)

Leila de Joinville disse...

Demais, Lola , meus Parabéns!!

Silvia Masc disse...

Excelente post, hoje soube que o IBGE anunciou que somos quase 50 milhões no estado de São Paulo, não creio que isso reflita a opinião dos paulistas, apenas de uns pouco imbecís e desinformados, que nunca devem ter saído de São Paulo e conhecido o Brasil. Devem ser essas mesmas pessoas, que não respeitam leis de trânsito, não respeitam idosos, não respeitam nem mesmo os seus pais e professores. Deplorável, sou favorável de que esses, sejam punidos sim.


abraços

Sardenta disse...

Lola, excelente post! Vou indicar a todos!
Pena que esses jovens não lerão esse post.

cronicasurbanas disse...

Lola,
belo texto, parabéns - como sempre!
A escritora nigeriana Chimamanda Adichie fez no ano passado uma palestra muito bacana sobre os perigos de se aceitar uma única história como a verdade total e absoluta. Vale muito a pena e se encaixa em muita coisa hoje em dia...
abraço,
Mônica
@madamemon

Juliana disse...

Espalhem esse post em redes sociais, principalmente no twitter. Quem sabe assim os jovens preconceituosos tenham acesso a ele?

Sardenta disse...

Tbm sou a favor da punição de TODOS que fizeram comentários preconceituosos. Isso é crime e as pessoas devem ser punidas, deixo aqui uma entrevista que pessoas que apoiam a Mayara Petruso. É isso mesmo, tem gente pra tudo nesse mundo. Não seio que falta mais.

http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI4772959-EI6578,00-Querem+vitimizar+Nordeste+diz+Movimento+SP+para+Paulistas.html

Liah Carvalho disse...

Lindo texto, Lola! Mas tenho uma discordãncia, vc disse que pra eles tudo além do Sul e Sudeste é Nordeste...aqui no Sul eles chamam tudo de Norte e acham que o Norte faz parte do Nordeste kkk A ignorância é muuuuiiito grande! Maior do q o q vc citou no texto.

E acho q faltou vc citar os nordestinos ricos que moram tanto no Nordeste qto nas outras regiões.

Guilherme Rambo disse...

Ao menos para mim, me parece que esse tipo de jovem não é a regra. Talvez minha visão seja limitada, mas os jovens que eu conheço (meus amigos, parentes, conhecidos, vizinhos, etc) não são nem de longe tão burros e preconceituosos como essa galera que espalhou o ódio ao nordeste. O maior problema de alguns jovens (e de muito adulto também) é que não pensam, simplesmente se esquecem de pensar, só seguem a massa e não estão nem aí com isso, querem mesmo é ser iguais a todo mundo.

Rafaela Andrade disse...

Oi, Lola .Adorei o texto e o coloquei no meu blog para divulgá-lo e dividi-lo com mais gente. Estou indicando seu blog para a visitação.

Pena que essas pessoas nunca entenderam isso.

Um beijo!
http://apenasumponto.blogspot.com/
http://apenasumpontoesportivo.blogspot.com/

Ananda disse...

Olha o comentário que acabei de ler no facebook, sem mudar uma vírgula: "Estou no ônibus e um infeliz vira e fala em voz alta "Olha o trânsito dessa cidade, e dizem que o governo do Serra foi bom"... Porque não volta pro nordeste então? #vemnimimOAB..
Sério sem muito preconceito, mas se vem pra cá pra ficar reclamando da vida aqui, volte.. Venha aqui pra trabalhar e engrandecer o estado que move o Brasil..."

Poxa, o cara reclamando da situação (com razão) querendo melhoras, e o menino se achando superior simplesmente porque ele recebeu a glória divina de nascer paulistano. Ai, ai...

Ai, Lola, obrigada por conseguir expressar certas coisas de maneira tão clara, e ainda com humor. Dá uma esperança de que talvez o apocalipse não esteja tão perto assim, que ainda há gente com bom senso no mundo haha!
Seu blog é um prazer diário pra mim, sou sua fã de carteirinha :) Beijão

Nefelibata disse...

Pra galera que acha que CPMF é coisa do PT:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/825750-anastasia-diz-concordar-com-volta-da-cpmf-aperfeicoada.shtml

Shiryuu, você está tendo aulas com o professor Hariovaldo? Está melhorando, tô começando a curtir!

Maíra disse...

Grande parte dessa juventude que votou Serra acredita que ser rebelde é ser contra o governo a todo custo, mesmo que seja um bom governo... Quando $erra assumisse, eles não deixariam de ser anti-governo. São pessoas que não se responsabilizam por nada, tudo é culpa de quem está no poder.

PriAliança disse...

Gente, é a segunda vez que leio comentários aqui com atenção e fiquei curioso: qual é a desse(a) Oliveira e cia. de reaças sem senso de solidariedade nem de realidade, incapazes de enxergar além do próprio umbigo? Lola, seu blog é ótimo e eu adoro seu estilo doce, educativo, e queria fazer uma pergunta: pq você publica essas canalhices de gente psicótica?

PriAliança disse...

Como assim o Lula colocou negros contra brancos e etc?! De onde se tira esse tipo de bizarrice, gente?!? Tô boquiaberta aqui! Medo, MUITO MEDO dessa gente!!!! O_O*

Masegui disse...

Pessoal,

Melhor ignorar o Oliveira, ele é um idiota!

A propósito, "5 mil sapatos no closet"! Isso é um projeto de dragão ou uma centopéia?

Cecilia disse...

"Que culpa eu tenho se existe pobre no mundo?"

Todos temos culpa. E quer ver um exemplo bem pertinho de muitos? A empregada doméstica. Aqui no meu prédio tem uma que dorme no banheiro. Juro, o morador deu uma alargada no banheiro, tirou a privada e precisou fazer uma cama de alvenaria porque uma normal não cabia no cubículo.

Não sei se vocês sabem, mas empregada não tem todos os benefícios trabalhistas das outras categorias profissionais. Muitas trabalham bem mais horas do que é decente. A grande maioria é tratada como um ser de segunda.

Mas o pior é o salário. Muitas empregadas deixam os próprios filhos sob o cuidado de uma vizinha ou da criança mais velha - porque o poder público não disponibiliza creches suficientes - atravessam a cidade em um sistema de transporte público indecente para quem mora na periferia, isso tudo para cuidar dos filhos dos patrões a troco de um salário que, sinceramente, não sei como conseguem sobreviver.

Ou seja, muitos desses meninos preconceituosos de classe média-alta não imaginam o que é passar o mês com o equivalente a um par de jeans de R$500,00. Morar, comer, vestir.

E quantas famílias de classe média-alta se dispõem a pagar um salário melhor, razoável, àquela que os alimenta e cuida dos seus filhos? Daria para gastar menos com a conta do celular do que com o salário da empregada? Daria, mas quem quer?

Do mesmo modo, os empresários de todo porte poderiam ter mais responsabilidade com emprego e salário. Quando a coisa aperta, quantos empresários pensam em vender o carro de mais de R$100 mil para não precisar colocar gente na rua?

Então, quanto explorarmos a mão-de-obra alheia, direta ou indiretamente impedindo que essas pessoas dêem um futuro melhor a seus filhos e mantendo as novas gerações na condição de profissionais não capacitados, prontos para serem explorados, é culpa nossa, sim, que há pobres no mundo.

Enquanto não levarmos em consideração, na hora de votar, projetos que beneficiem os serviços públicos, ainda que nós mesmos não precisemos desses serviços públicos, é culpa nossa, sim.

Oliveira disse...

PriAlinaça:

A Lola publica o Oliveira porque isso aqui é um blog e é público. Em democracias tem que se conviver com os cantrários e não só com os puxa-sacos.

Entendeu?

Mauricio disse...

Oi, Lola, tudo bem? Estou gostando de comentar em seu blog e ainda nem vi se meus posts foram aceitos. Depois vou verificar. São lastimáveis esses comentários do twitter. O pior: todos vêm de pessoas jovens, repetidores matraqueantes do que os pais dizem. Se bobear, são os mesmos jovens caras pintadas que foram às ruas para o impeachment do Collor. Pessoas sem noção política que só querem ver o circo pegar fogo. Minha mulher estava vendo agora a pouco um comentário de uma (pasme) estagiária de direito em SP que fez comentários de ódio contra nordestinos e acabou demitida do escritório de advocacia, apagou sua conta do twitter, face book e etc e ainda estão querendo processar a garota que nasceu em 89! Ela não foi a única a fazer os comentários preconceituosos. Existe aí uma juventude decerebrada, rebeldes sem causa, que estudam em colégios caros, ou fazem faculdades caras, que não lêem jornal, não se informam ou, se se informam, o fazem através da Revista Veja, achando que toda a fonte de conhecimento emana de lá.
Tá certo que não se diferenciam muito dos que só lêem Carta Capital e também acham que é a mais pura expressão da verdade. O fato é que a juventude, em qualquer época da humanidade, sempre foi a preocupação dos pais, governo, etc. Sempre foram a força transformadora. Algumas vezes para melhor, outras para pior. Vamos torcer para que esta não faça tanta bobagem a ponto de por a perder tudo o que estamos lutando para construir.

Dária disse...

Concordo com o que disse o Bruno lá no comecinho, acho sim que algumas pessoas devem ser punidas. Talvez depois que o judiciário disser "é preconceito" alguem acorde pra vida. Estas pessoas cometem crimes e precisam ser devidamente processadas.

PriAliança disse...

Mas rapaz, a questão não é não publicar por ser contrário - é por ser grosseiro! =( A gente pode adotar um tom mal educado discordando ou concordando! Mas enfim, deixa pra lá.

Carla disse...

Muito bom o post. :)
Concordo com vc quanto a não individualizar a questão num "bode expiatório". É fácil tirar a responsabilidade de todos os que espalham desprezo e ódio sutilmente.

luxaqueluxa disse...

Oi Lola, não conhecia seu blog, mas gostei muito do seu texto.
Discordo, entretanto, da punição que esses jovens devem receber. O que eles fizeram é crime e deve ser punido. O Ministério Público e a Justiça têm que agir. Só assim as pessoas entendem que racismo no Brasil é crime, preconceito é crime.
Tenho certeza de que essas pessoas vão pensar duas vezes antes de “verbalizar” o que pensam. O ideal, como vc escreveu, seria a mudança de pensamento, mas isso aí já é de mais, vindo da onde veio.
Grande abraço!

gustavsson disse...

Bom dia Lola! O problema não é se vai punir ou não a moça dos comentários preconceituosos. A grande questão é que esse tipo de pensamento (o preconceito) se não for contido, acaba por se disseminar por toda sociedade. É claro que não é com punição jurídica que se extermina uma forma de pensamento. Apenas a conscientização faz com que a pessoa olhe o outro como seu igual. Porém, medidas punitivas à título de exemplo podem frear tais manifestações, que sem controle pode virar um enorme problema.
A minha grande preocupação é que esse tipo de pensamento vem ganhando força e publicidade. Não só por causa da internet, que tem sim um impacto incrível, mas a própria mídia tem dado uma força para que isso ocorra. Seja nos estereótipos das novelas, seja na forma como as reportagens mostram o Norte e o Nordeste e até mesmo como a industria cultural vende os produtos de tais regiões – sobre tudo a música, que sempre vem na forma de folclore, primitiva ou o intragável roots. Nunca como uma produção capaz de produzi arte de alta qualidade.
O resultado disso tudo, é que corremos o risco de um aumento da animosidade entre as regiões do Brasil, e que vá eclodir num processo separatório violento.

Fabio disse...

Camarada Lolita,
tu estás redondamente enganada quando dizes que "os jovens de hoje pensam como seus pais". Porque a gurizada de hoje É MAIS CONSERVADORA do que os pais. Pelo menos, é isso que eu vejo no meu dia a dia.

Lembra, inclusive, aquele seriado "Caras e Caretas" (acho que no original era "family ties"), no qual o Michael J Fox interpreta o filho adolescente, sempre de gravata e fã do então presidente Ronald Reagan, que se contrapõe ao pai, ex-hippie, filiado ao Partido Democrata.

Eu conheço coroas que parecem ter nascido em woodstock e estudado com a velha do video do Tapa na Pantera, e que têm filhos horrorizados com a liberação do casamento gay na Argentina.

Eu já percebi que existem movimentações de fluxo e refluxo da onda conservadora. A juventude que não tinha acesso à informação brigou para tê-lo e, de posse disso, tentou mudar a sociedade livrando-a dos preconceitos e amarras do morelismo ultrapassado. Daí, a geração que tem acesso a informação demais, simplesmente ignora os aspectos mais profundos dos assuntos e enxerga apenas o estereótipo, o resumo, o simulacro caricato dos fatos e das idéias. E aí, arma-se de preconceitos, realizando o refluxo, o retrocesso.

Aliás, isso não é novo. A Idade Média já foi um grande movimento de refluxo ao pensamento mágico depois de séculos de evolução do pensamento racional. Só que a partir do século XX, esses fluxos da sociedade passaram a ser mais curtos, em intervalos menores.

Não sei até que ponto essa onda de conservadorismo é apenas uma fase (e os jovens "velhos" de hoje podem tornar-se adultos mais liberais no amanhã), e até que ponto isso é um sinal de que a maioria das pessoas jovens faz a opção, inconsciente mas não menos pragmática, de "se enquadrar" num determinado perfil esperado pela sociedade de consumo, para poder alcançar "o sucesso". Sim, porque "não enquadrar-se" significa fracassar, numa sociedade que busca a padronização do humano.

Sei lá. Tudo é psicodélico demais. Mas essa renovação das euforias religiosas e essa juventude disposta a renunciar a todas as conquistas das revoluções sociais, sexuais, culturais das décadas passadas estão aí. E nós temos que lidar com isso.

/\.|).|\|. disse...

Quando eu começo a ficar preocupado com o futuro do Brasil, pelo ódio e preconceito que se vê, me chega pelo Tweeter uma coisa dessas. Sensacional.

Obrigado por renovar minhas esperanças num futuro melhor.

Obrigado pelo post. Muito bem escrito, sem rancor. :)

Lídia Valle disse...

PARABÉNS LOLA
Seu blog é maravilhoso!!
Obrigada por escrever algo tão maravilhoso!! E fomentar em nós a esperança de construir sempre o melhor para o mundo!!

Li vários comentários, e concordo com algumas pessoas, outras nem tanto. Mas fico feliz em ver pessoas se manifestando a favor do que você escreveu!! Sua iniciativa é inspiradora xDD

O que o Fábio falou, por exemplo, discordo um pouco...
...Que temos uma juventude hoje mais conservadora..
Acho a ideia dele de fluxo e refluxo fascinante, realmente ela é visível na história da humanidade, e pode estar ocorrendo na nossa sociedade sim, em alguma proporção, mas não acredito que seja como um todo!!

Essas ideias de desenvolvimento econômico a cima de tudo, ideias positivistas, de direita, política para ricos, etc são bem antigas...
E é visível que esses jovens preconceituosos estão influenciados por elas!!
Foram influenciados por seus pais, que por sua vez, pelos pais destes...
Ainda que tenham tido várias revoluções ao longo da história, sempre houve os que foram contra, até mesmo jovens daquela época...
São esses, acredito, que perpetuam as agrúrias desse passado que ainda nos assombra!!

Ainda mais com o capitalismo cada vez mais forte, predominando na cabeça desses filhos endinheirados de uma família ''burguesa'' direitista por gerações a fio!! Não é de se esperar que o modelo humano "do capital" seja a verdade absoluta na cabeça desses preconceituosos de hoje, sejam jovens ou adultos!!

Concordo também com os que disseram que a mídia, principalmente as novelas da globo, perpetuam essa visão errada da nossa região! E são pessoas adultas que o fazem: empresários, capitalistas, pseudo-artistas, etc influenciando gente nova! Isso me enoja >.<

Temos que nos apoiar nas partes diferenciadas da sociedade, só assim poderemos conscientizar as novas gerações, para que haja outro "fluxo de consciência", nas palavras de Fábio^^, que apague essa "Era do Capital Brasileiro baseada no modelo de família rica do sul e sudeste'' e seus adeptos!!

(Nada contra os ricos dessa região que não pensem dessa forma, essa frase foi só uma denominação que me veio a cabeça para sinalizar esse tipo de comportamento preconceituoso que estamos aqui debatendo.. e de todos os adeptos dela, sendo ricos ou não, do sul e sudeste ou não)

Abraços LOLA ;**

Lídia Valle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lídia Valle disse...

CORREÇÃO DE ERRO:

Não é de se ESPANTAR que o modelo humano "do capital" esteja na cabeça dessas pessoas!!

Juli disse...

Acho que foi a aiaiai que comentou e disse tudo. A CPMF era um tipo de tributo excelente. Se cobrava sobre movimentação financeira. Logicamente pesava mais sobre quem tinha mais dinheiro. Já vivemos sob muita tributação e seria ótimo termos menos impostos. Mas seria ótimo termos mais impostos que tributassem justamente e não temos mais impostos sobre os produtos finais

L. Archilla disse...

AHAHAHAHAHAHAH

"O blog é público"

ahahhahahaha!!!!!!! E vc, hein, Lola! nem contou pra gente que seu blog era financiado pelo estado!! passei anos acreditando que era um blog pessoal!!

staff disse...

eu sou do sul do interior do parana , não conheço muitos nordestinos os unicos que vi estavam vendendo rede na rodoviaria , quando passei ouvia eles chamando nossa cidade de povo caipira e que gostavam de enganar os caipira burros nas vendas .
acho que o sul tambem sofre preconceito nos chamam de caipiras que no sul so tem viado etc.
não tenho preconceito contra ninguem sou critão e abomino isso .
mas veja a hipocresia : zombar de gaucho é engraçado , zombar de nordestino é xenofobia

Dani disse...

Obrigada. Você falou tudo o que estava entalado na minha garganta.

Vou recomendar seu texto também pro pessoal de onde faço estágio.. jornalistas, pessoas mais velhas e supostamente experientes, mas que repetem todos os dias o mesmo discurso elitista que esses jovens aos quais seu texto se refere.

E só pra completar, não sei se essas pessoas pararam pra pensar, mas todo esse movimento contra os nordestinos não os fazem nada diferente dos muitos idealistas fascistas que já causaram tanta coisa vergonhosa nesse mundo.

Danuza disse...

Lola,

O pior de tudo é perceber que essas pessoas que julgam ser "melhores" do que os nordestinos parecem ter fugido da aula de Geografia.

E acredite, dentro do próprio nordeste ocorre discriminação e falta de conhecimento sobre os demais estados que compõe a região. Estados como Maranhão e Piauí parecem fazer parte de outro país quando mencionados em estados que são mais conhecidos por belezas naturais.

Infelizmente as pessoas preferem carregar preconceitos em vez de tentar conhecer algo para depois falarem.

lola aronovich disse...

Staff, acho que você está confundindo as coisas. Primeiro que ninguém aqui disse que zombar de gaúcho (ou de quem quer que fosse) é engraçado. Segundo que existem grandes diferenças entre “zombar” de alguém e desejar que todo um povo inteiro de uma determinada região morra. Nunca ouvi alguém no Nordeste dizer que no Sul só tem viado. Ou qualquer coisa negativa sobre os sulistas. E eu moro aqui desde o final de janeiro. Onze meses, e até agora não ouvi nenhuma menção negativa dos nordestinos a paulistas, gaúchos, catarinenses, paranaenses... Quando eu vivia em SP não passava 11 DIAS sem ouvir algum tipo de preconceito contra nordestino. Venha visitar o nordeste pra ver como o pessoal daqui é gentil.


Lau, viu só? Meu blog é público! Assim como todos os outros blogs, imagino. E ainda assim eu gostaria que o meu troll me desse o nome de UM só blog de direita que não censure comentários de quem discorda. Vamulá, não precisa ser DOIS blogs. Só um basta. Isso porque esses blogs de direita são hiper democráticos...

Koppe disse...

Uma coisa que acho interessnate ressaltar, não vi ninguém que seja a favor do PT desejando que explodam uma bomba atômica em São Paulo ou no Acre. É possível que existam pessoas assim (gente que não presta tem em tudo que é lugar), mas nesse caso só um lado tem manifestado ódio...

Augusto Cesar disse...

Maravilha, Lola. Maravilha!

L. Archilla disse...

Cada povo tem seu estereótipo negativo: gaúchos gays, paulistas estressados, mineiros come-quieto, cariocas arrogantes, baianos preguiçosos, etc. Mas aí entra a questão da dominação econômica. Um paulista que está de férias no nordeste e se sente incomodado com o preconceito pode simplesmente não voltar mais lá - embora eu ahce difícil, pois os nordestinos tb são conhecidos pelo afeto com que recebem os turistas. Meu irmão, paulista, morou no Rio por 5 anos. Lá era taxado de "otário" pelo sotaque do interior. Na primeira oportunidade, saiu do Rio e mudou pro Canadá. Não tem comparação com um nordestino cuja família vendeu tudo o que tinha pra vir de pau-de-arara em busca de melhores condições. Ele não pode simplesmente voltar a hora que quiser porque 1- não tem dinheiro; 2- não tem emprego na sua região. São obrigados a ouvir esses absurdos calados, porque dependem desses preconceituosos pra garantir o emprego de porteiro, faxineira, motorista, etc. Não apoio piadas sobre esses estereótipos (até porque não acho graça, acho simplista e óbvio), tampouco comentários grosseiros sobre alguém por ser de determinado lugar, mas, quando envolve a questão econômica, o mais pobre sempre se ferra.

É claro que existe a parcela de nordestinos que veio pra cá e enriqueceu, ou que vem só a turismo, ou que já veio cheio da grana (é bom fazer essa ressalva antes que digam que estou chamando todos os nordestinos de pobres, hahah), mas o fato é que a grande maioria veio pra cá porque no nordeste não tinha condições de se viver.

Aliás, nada me tira da cabeça que a xenofobia vem aumentando de uns tempos pra cá porque agora essas empregadas desaforadas não aceitam mais trabalhar por 250 reais, podem ficar em casa recebendo o bolsa família, sem falar que tranqueirinhas tecnológicas já não são mais exclusividade da classe média - o que mais tem é neguinho tomando ônibus com mp4 no ouvido. O horror, o horror!

Fabricio disse...

parabens lola,

sempre votei no PT,votei na Dilma sou de esquerda e sou do sul (catarinense de Criciúma),portanto não posso concordar com tudo que escreveste.Esqueceste da própia classe dominante nordestina,que ha anos ganha com a miséria daquele povo.NÓS SULISTAS SOMOS MAIS PRECONCEITUOSOS DE SARNEYS,BARBALHOS MAGALHÃES?
menos lola, menos.
e o ceará será mais rico q o RS em 20 anos graças ao pacto federativo que humilha e descrimina sul(SC é o sétimo PIB e o 22 no retorno de recursos).Acho q o governo da Dilma deve continuar investindo no nordeste,mas o sul merece muito mais q migalhas vindas de brasília.
Torço para q o nordeste alcance nosso grau de desenvolvimento e nossa produtividade ,para um dias os recursos federais serem divididos igualitariamnete.

paaane disse...

excelente texto (:
Thais.

Nathan disse...

Parabens pelo post.

FATINHA disse...

Carissimos,

Pena que em pleno século XXI, ainda exista este tipo de preconceito.
Não relaciono estas manifestações com política atual, e sim, com a educação desses jovens. Temos aí pra ajudar a super programação da tv brasileira, extremamente educativa, onde a grande maioria está ligada.
Precisamos rever os valores morais dessa época.
Sou mineira, moro no Norte há 30 anos, já viajei bem e conheço o Nordeste, suas belezas naturais e tambem suas agruras. Um povo acolhedor, simpático, humilde.
Tentam também alimentar uma rixa entre paraenses e amazonenses. Não consigo entender. Pra mim, nós brasileiros nos enquadramos assim: "tudo índio, tudo parente", como dizia meu amigo compositor Eliakin Rufino, um nortista talentoso entre tantos outros valores da terra.
Vamos pensar no País, na melhoria da educação, base de todo o progresso, aí sim, teremos cada vez menos, "brasileiros??" disseminando raiva e ódio contra seu próprio povo.

Vamos usar nosso tempo de forma mais interessante:
Que tal uma campanha pelo voto livre? Somente seremos um país democrático quando o povo não for obrigado a votar, e sim, quando for esclarecido o suficiente para desejar votar.

fatinha
Belém, Pará

TJ ® disse...

Lola,

não há dúvidas do seu talento de escritora. E concordo em quase tudo que você escreveu neste post.

O texto não é direcionado a mim, mas me sinto atingido pela leva de jovens sem personalidade própria, que nos generaliza.

Sou neto de nordestino. E meu avô foi uma das melhores pessoas que eu poderia ter conhecido. Oriundo de uma família de 21 irmãos, veio pra cá (SP) tentar uma vida melhor, e conseguiu. Ele, ao contrário de muitos nordestinos, odiava o PT.

Eu também odeio, mas não sou partidarista, porque é justamente a bitola que eu odeio.

Os partidaristas - petistas, tucanos ou outros - são cegos. Ignoram seus erros e apontam os dos outros. A fiscalização é favorável a nós, mas a guerra civil não. Eu voto em candidato, e não em legenda.

Acho que o bolsa-esmola retira um peso enorme do governo, que deveria garantir as necessidades básicas de cada cidadão.

O bolsa-família sai do povo para o povo, aumenta a renda do individuo beneficiado. É sim um assistencialismo barato, que faz de antigos miseráveis, novos pobres. Isso tudo é contado como vantagem em dia de eleição: "tiramos N pessoas da miséria". Conta outra.

Minha tia é professora, logo não vota no PSDB, mas disse também que uma mulher queria tirar a filha da escola, mas temia perder o bolsa-família, e por isso mantinha a filha estudando. Acredite, não são casos isolados.

Eu não voto em candidato pelo seu passado. Mas a Dilma é uma criação - falo do presente. É gritante isso. Nem por isso torcerei contra seu sucesso. Na verdade, mais do que nunca, eu irei torcer muito para que tudo fique bem.

Deus lhe abençoe.

Beijos, fique com Ele.

Keep blogging.
Mais sucesso.
TJ do loucosporvirtude | @loucos_virtude

Metàphysiká disse...

Lindo texto... Mas eu tenho pensado que esses jovens não devem parecer com seus pais não... Muitos deles são bem mais conservadores que seus pais.. Muitos deles são filhos destes outrora jovens, que voce citou, que lutaram contra a ditadura para que tivessemos esta país democrático em que vivemos..
Lamentável.. E ainda diziam que esta geração seria mais bacana...

Jéssica Coelho disse...

Você é ótima, adoro seus textos...me fazem pensar que o mundo ainda não está perdido, pois em alguns momentos chego a pensar como Raul Seixas: "pare o mundo que eu quero descer" =/