quarta-feira, 2 de setembro de 2009

CRÍTICA: MULHER INVISÍVEL / Beijos de língua no ar

Luana não existe; Selton não desiste.

Desde que voltei de Fortaleza, fui duas vezes ao cinema, o que é incrível, considerando que Joinville tem ocupado suas cinco míseras salas com uma média de três filmes. Uma dessas idas foi pra ver Trama Internacional, e infelizmente não posso falar sobre ele, porque me esqueci completamente. Evaporou-se da minha mente. Acho que tinha uma cena de tiroteio no Guggenheim, e isso é só. Com quem era mesmo? Ah, com o Clive Owen. Depois eu revi Os Infiltrados na TV pra constatar como se faz um ótimo thriller de ação. E na sexta fui ver A Mulher Invisível. É, sei que essa comédia romântica estreou no Brasil faz meses, mas por aqui foi só semana retrasada, tá? E aproveitando que ainda me recordo um tiquinho do troço, lá vai: nem achei dos piores. É bem superior a Se eu Fosse Você 1 e 2. E deve ser melhor que Os Normais 2, que eu não vejo nem morta e ressuscitada. E, em matéria desse gênero de comédia que precisa urgentemente ser reinventado, é mais legalzinho que A Proposta, só pra ficar num exemplo recente. Isso não quer dizer, de forma alguma, que gostei de MI. Apenas que esperava algo muito mais detestável.
A história é sobre o personagem do Selton Mello, que, após ser abandonado pela esposa, se apaixona pela Luana Piovani, que só existe pra ele. Há também uma trama paralela sobre a vizinha (Maria Manoella) do Selton, que é gamadona nele e o considera o marido ideal. Selton é meio chatinho pra ser ideal, mas ela também é. Deve ser falha de roteiro que todos os personagens sejam assim tão rasinhos.
Teve momentos em que MI me fez pensar num filme infinitamente melhor mas que não é comédia romântica, A Garota Ideal (Lars and the Real Girl, 2007), aquele em que o Ryan Gosling quer casar com uma boneca inflável. É interessante como em Garota todo mundo trata o Ryan com carinho, enquanto em MI o Selton é visto como louco desvairado. E aí vislumbrei uma outra hipótese: e se o Selton se lixasse pros amigos (na realidade, ele só tem um, o Vladimir Brichta) e pra sociedade e mantivesse sua relação com a Luana? Ele parece ter um sexo fantástico (que me fez pensar no Woody Allen dizendo “Não fale mal de masturbação. É sexo com alguém que amo”) com ela―que não vemos, porque a censura é pra 14 anos. Bem ou mal, ele encontra tudo arrumadinho no seu apê e recebe comida boa (aliás, se Luana não existe, quem limpa o lugar e prepara as refeições? Ele mesmo? Ou ele não come e o apê é uma zona, e só na fantasia dele é que tá tudo bem? O roteiro não entra nisso). E, de bônus, ele pode fazer o que quiser: sair com o amigo e até com outras mulheres, já que Luana não é ciumenta. Se ele tem uma fantasia tão legal, por que se curvar à realidade?
Ah, porque do outro jeito não haveria filme... Entendi. Selton não é um sujeito bem resolvido. Ele se importa demais com o que o seu amigo lhe diz. Tipo, ele fala pro Selton: “O que você sabe do passado dessa mulher? Nada! Pra quem ela deu?”. Uau, como se isso fosse importante! O que importa o passado sexual de alguém? O que a pessoa (mulher ou homem) fez antes de conhecer o/a parceiro(a) não influi em nada, ué. Uma amiga minha teve que terminar com o noivo porque ele era super ciumento. Não ciumento do presente, mas do passado! Ele estava obcecado com os parceiros que ela tinha tido antes de conhecê-lo. Como se ela devesse ser virgem, ainda mais aos trinta e poucos anos! E além do mais, eu detesto esse termo, “dar”. Odeio mesmo. Nunca usei na vida. E nem “comer”. Porque são termos de acordo com cada gênero, né? Mulher, que é passiva, “dá”. Homem, que é ativo, “come”. Em inglês não existe isso. Por mais que seja muito mais comum pra um homem falar “I f***ed her” e pra uma mulher falar “we f***ed”, não é tão dividido por gêneros. Eu sempre usei “a gente transou” e pronto, ou “transei com ele”. Ok, mas obviamente MI não é o primeiro ou último produto cultural a adotar esse vocabulário de dar/comer.
O que é verdadeiramente detestável e machista é que a Luana é a mulher ideal, que não existe, ou melhor, que é uma criação dele, uma fantasia de tudo que ele procura numa mulher, e aí essa mulher ideal é uma que foi estuprada pelo padrasto aos 13 anos... e adorou?! Que ela curta ver joguinho de futebol da terceira divisão, zuzo bem. Que ela goste de limpar a casa de lingerie, até vai. Mas realmente precisa ter sido estuprada pelo padrasto? Pros homens a mulher dos sonhos é uma que foi violentada na adolescência? Isso não parece um tanto doentio?
Enfim. Toda vez que se critica uma comédia nacional, fala-se de como ela é parecida com o que a Globo faz na TV. E é mesmo. Mas ultimamente não assisto mais televisão, e, pelo que ouço, o que passa lá (crueldade contra animais em No Limite? Hello?) é tão ruim que até uma sessão de Mulher Invisível no cinema parece melhor. Embora tenha me cansado já na terceira vez que vi o Selton dando beijo de língua no ar. Será cedo demais pra deixar de gostar do Selton? Porque pra comédia romântica meu prazo de paciência já se expirou faz tempo.

23 comentários:

Gabixi disse...

Nao assisti esse filme e na verdade nem pretendo, acho as comedias brasileiras mt pobres de conteudo ainda.. é triste.. ate vendo os normais descobrimos passagens inteiras copiadas do Seifenld... entao que regravem o programa aqui... sei lá, é dificul achar que ng tem comedia bom no brasil (ah sim! acho mto bom o programa cilada no multishow, acho q ta passando no fantastico as vezes, esse é bom mesmo)

Beijos!

Bárbara Reis disse...

Eu já vi o filme, ri bastante até.

Mas vendo por esse lado, acho que você tem razão. E quem vê pensa que homens ficam tão acabadinhos após uma relação, ele só foi pra uma Rave e transou com sei lá quantas. Ai depois ele resolveu sofrer.

Sinceramente, não acredito nisso, meu pai ficou MUITO mal quando se separou da mãe do meu irmão. Mas muito mal mesmo, mas ele não deixou de viver... pelo contrário, eles mal terminaram, e ele já tava com outra... lembro que eu fui OBRIGADA a ir pra praia com ele, meu irmão, e a familia da outra 3 meses depois que ele se separou da minha mãedrasta, com a qual ele foi casado por quase 8 anos. Achei uma puta falta de respeito para comigo e com o meu irmão.
Depois dessa veio mais uma e agora ele mantem um relacionamento, acho que vai fazer 2 anos... com uma menina de 24 anos... eu tenho 20... eu não consigo ver 'amor' nessa relação, acho que é somente pra ele não ficar sozinho. E a menina é tipo a Luana do filme, lava, passa, cozinha, limpa a casa, transa com ele... trata meu irmão bem, não quer ter filhos... tem um corpo bonito, é engraçada, tolera as pataquada dele... o que mais meu pai pode querer não é mesmo?

Eu realmente vi, e vejo que meu pai até hoje não superou 'totalmente'. Mas não é como no filme.

Eu queria saber, porque eles não mostram os homens, tipo Reinaldo Gianecchini, Fábio Assunção, Paulo Zulu, no geral esses homens considerados lindos e gostosos... como eles mostram as mulheres. Sabe? Detalhando minuciosamente as partes do corpo, como frangos expostos em fornos para serem 'comidos' literalmente. '¬¬


:***

Paula ZZT disse...

eu ri muito. Adoro o Selton.
E não sei como o pessoal que filmava junto conseguia ficar sério com as cenas dos beijos no ar.
Sobre homens irem a rave e sairem catando todo mundo, no filme eu entendi como uma tentativa dele de esquecer a dor, soterrar. Seguindo os conselhos do amigo + safado.
Que atire a 1a pedra quem nunca seguiu conselho errado de amiga/amigo...

mAdReCiTa disse...

Lola, o filme é engraçado demais...a Luana fraca pracaramba e o Selton ahh o Selton, aquele beijo de lingua foi a marca do filme, pega leve Lola....pra fazer as pazes com o Selton vá asistir jean Charles.

bjs

Bárbara Reis disse...

Eu detestei Jean Charles.

:/

Gosto do Selton Mello dublando 'A Nova Onda do Imperador', que ele dubla o imperador/Lhama...

Morro de rir...

Ou no 'Auto da Compadecida'


:*

Roberta Sá de S. disse...

Não assisti e acabo por dispensar. O que tem a ver o estupro? São valores tão enraizados que o próprio roteirista e os produtores nem percebem. Nem o próprio espectador...
Estava a fim de assitir aos Normais... vamos ver. =)

Gustavo Ca disse...

To desanimado pra ver esse filme.. acho que vou ver só quando passar na TV.

Mas deixa eu dizer uma coisa, to doido pra ver Os Normais 2 (difícil é eu ir ao cinema). É por causa de Luis Fernando e Fernanda Torres - não tem jeito, dou longas risadas com essa dupla, com ou sem palavrão.

Serge Renine disse...

Achei muito legal essa frase, que eu não conhecia, do Woody Allen dizendo “Não fale mal de masturbação. É sexo com alguém que amo”. Me lembrei de quando vi a reportagem que falava que a masturbação quatro vezes por semana diminui o risco de cancer de próstata. Na hora pensei: estou salvo!

Gabriela disse...

Ó, eu vou confessar que ando com preguicinha do Selton Mello. Um tempo atrás li uma entrevista onde ele dizia que topava fazer uns projetos mais comerciais pra ganhar dinheiro e se dar ao luxo de poder trabalhar até de graça em projetos que ele gostasse. Mas faz um bom tempo que não vejo nenhum projeto "diferenciado" dele...

Acho bem pobrinhos essas comédias da Globo Filmes, é tudo muito rasinho, cenas de riso forçada... não vou ver nem quando passar na TV aberta.

Vitor Ferreira disse...

Eu vi esse filme e esqueci de comentar no meu blog... Sera que vale a pena? Aquelas cenas do Selton se agarrando com o vento, me matavam de vergonha alheia. E a Luana me chamou atenção por estar mais bonita que o normal no filme. Mas acho ela péssima atriz. Muito canastrona. E o Selton só faz papel de bocó. Eu já tô quase acreditando que ele é um...

Alba ALmeida disse...

Oi, pessoa querida!

Eu sou apaixonada por "se eu fosse vocÊ", talvez por gostar de mais do casal. E ai, tudo vale!

Beijos e fica bem.

L. Archilla disse...

Poxa, Vitor, tive essa mesma impressão da Luana... no trailer ela parece bem mais bonita do que quando aparece na tv ou em fotos de revista. E nunca, mas NUNCA vi um papel dela q me convencesse. Em todos ela é ELA MESMA! Junta isso com sua arrogância infinita, o resultado é uma preguiça absurda de qualquer coisa q ela faça...

Experiência Diluída disse...

Ahh Lola, eu não vi o filme não, mas se essa mulher invisivel dá ideia de um tipo idela de ulher pra sociedade, com certeza coisa boa não deve ser....
Lola, eu estou aqui também pa te fazer um pedido...Eu queria que você desse uma lidinha nessa matéria :

http://correio24horas.globo.com/noticias/noticia.asp?codigo=34807&mdl=29

Depois olhasse o video que se refere a matéria:

http://www.youtube.com/watch?v=9Wv3EYsdUO0

E por favor fizesse um texto sobre isso, gostaria muito de saber o seu ponto de vista...Vejo todo mundo criticando a mulher da matéria, e ninguém percebe o contexto...
Como eu gosto muito de suas idéias e acho relativamente parecido como que penso, gostaria que vc fizesse um texto sobre isso...

No mais, um grande abraço!! E estou feliz por ter passado no concurso!!!

Cynthia disse...

não é bem um comentário, mas queria pedir pra vc dar uma passada lá no blog Garotas Nerds, que elas tão ajudando a divulgar o blog Sexismo na Política, da cynthia Semiramis em parceria com outras blogueiras, o link é esse aqui http://garotasnerds.com/sexismo-na-politica/

Alana disse...

Achei bem chatinho esse filme, lola. Quase dormi em algumas cenas. Espero por mais críticas de cinema depois da mudança, fazem falta por aqui.

Felipe Hautequestt disse...

Caraca, achei que só eu tivesse reparado quão repugnante foi esse lance de a personagem da Luana dizer que foi estuprada pelo padrasto e gostou! As pessoas nem deram bola, mas eu fiquei boquiaberto e estarrecido!
E, Lola, nota só uma coisa: quando ela conta isso a ele, o personagem do Selton Melo vem todo "oh, deve ter sido terrível pra você". E aí ela, sendo em parte a manifestação dos desejos inconscientes dele, diz que não, que ela até gostou.
Enfim... deprimente.
Bjs!

lola aronovich disse...

Pois é, Felipe, essa cena é repulsiva. Lembro bem dela. O Selton pergunta pra Luana sobre seu passado, e ela diz que foi estuprada pelo padrasto aos 13 anos. O Selton diz, “Ah, coitadinha...”, e ela responde, sussurrando, “Que nada... Eu adorei!”. E aí conta que depois disso foi colocada num colégio de freiras, mas que as freiras não eram santinhas. E depois que foi prum bordel. Legal, né? Tudo isso com uma menina menor de idade! Não sei o que é pior: uma mulher ser estuprada, ou uma mulher ser estuprada pra satisfazer fantasias sexuais masculinas.


Inali, tá na mão. Na segunda uma leitora já tinha pedido pra eu comentar o caso da professora demitida. Publico o post amanhã.


E muito obrigada a todas(os) que comentaram! Mesmo os que acharam Mulher Invisível engraçado...

astrocat disse...

o quê? ela foi estuprada pelo padrasto aos 13 anos e gostou?
eu acho incrivel que tanta gente leu o roteiro e não se importou com essa passagem. e a luana e o selton fizeram a cena. e o diretor dirigiu a cena. e os editores escolheram a cena. etc.

Tina Lopes disse...

Eu não entendo o que o Selton Mello fala. Mesmo.

Bárbara Reis disse...

Bom, eu me choquei na hora também da frase, pensei: hã? o que tem a ver? Ô_o

Mas como uma menina há anos atrás, já me disse uma vez que foi estuprada e gostou, meu choque foi menor. Eu tinha uns 16~17 anos... eu fiquei muito em choque... quando a Luana falou eu só senti repulsa.

lalai disse...

eu tb não entendi a parte de ela, sendo fruto da imaginação dele e sendo perfeita, ter tido todo esse histórico de abuso sexual.. pq teoricamente ele não achou legal.. como ele pode idealizar uma história com a qual ele não concorda? se é que ele não concorda.. fiquei confusa.

mas fora essa cena, achei o filme legal, engraçado, interessante inclusive(!) e muuuito melhor que muita comédia estadunidense!
DISCORDO EM ABSOLUTO de quam disse que as comédias brasileiras são pobres de conteúdo. namoral, eles são os reis do besteirol! O quê que é engraçado? aqueles sitcom's ridículos? rsrs

e selton melo é muito bom e faz trabalhos interessantíssimos sim! acho bacana essa história de ganhar uma grana aqui e investir ali.. tb vcs não querem que ele tenha idéias geniais/minuto né??
mas enfim.


ps: não entendi a parte do "No limite".. o que eles fazem com os animais?? o.O

Giovanni Gouveia disse...

Quando vi uma matéria mostrando o "beijo" completamente fake de Shelton (gosto muito do trabalo dele mas a cena está horripilante) arrumei mais um motivo pra não ir além de ser um filme da Globo Filmes...

Daní Montper disse...

Também vi o filme, que inclusive virou série da Globo - a série eu não vejo.
No começo também achei que poderia ser tipo o filme 'a garota ideal, que é bárbaro, mas não, é uma comédia romântica(?) bem meia-boca.
Também não gostei nada nada da parte de que ela foi estuprada pelo padrasto e gostou - não é doentio, é cruel.

Ah, Lola, se não me engano, quando ele descobre que ela é 'da cabeça dele', ele faz essas perguntas sobre comida e roupa e ela responde que foi ele quem fez tudo achando que era ela - ela até fala que ele sabe se cuidar muito bem sozinho.
Nessa cena também achei ridículo, pois ele fala como se precisasse de uma mulher para cuidar dele apenas (alô, mãe?) e não ser sua parceira...