sexta-feira, 10 de julho de 2009

CLÁSSICOS DUVIDOSOS: IRRESISTÍVEL PAIXÃO / Não resisto a este quase clássico

Filme mais sexy de todos os tempos? Olha, pode até ser.

Sabem um filme que eu amo de paixão? Um de 1998 chamado Irresistível Paixão (em inglês, Out of Sight). Na época em que foi lançado, vários críticos o colocaram no topo da lista dos melhores do ano. Mas nunca foi um estouro de bilheteria e geralmente é subestimado. Hoje virou meio cult. A Entertainment Weekly organizou uma péssima relação dos cinquenta filmes mais sexy de todos os tempos (péssima porque eles incluíram 300 em 50o. O que tem de sexy nesses homens de toga? Concordo com a presença de Insustentável Leveza do Ser, Sexo, Mentira e Videotape, Instinto Selvagem, e Corpos Ardentes, mas O Pecado Mora ao Lado em 16o? Apenas uma Vez em 11o? Sorte no Amor em 5o? Sr. e Sra. Smith em 3o? Jejum de Amor em 2o? Cadê Gilda? Cadê Férias de Amor?), e adivinha quem ficou em primeirão? Este mesmo, Irresistível Paixão. Eu sempre o achei hiper erótico.
Ah, você pode dizer, qualquer fime com o George Clooney é erótico. Mas não é. Primeiro que o George de dez anos atrás não era o mesmo bonitão maravilhoso de hoje. Quer dizer, ele era lindo, mas não tanto (tem gente, como o Paul Newman, que fica mais belo com a idade). Ele tinha apenas 37 anos, o rosto mais magro, cabelos não-grisalhos. Já era um astro, lógico, mas sem comparação com agora. Ele havia sido crucificado por seu Batman (o dos mamilos), testado - e falhado - o seu poder de bilheteria como protagonista em O Pacificador, e dividido a tela com outros em Um Drink no Inferno. Mais nada. O resto era TV, que não era pouco, certo. Já a Jennifer Lopez vinha de “sucessos” como Anaconda. Irresistível Paixão é seu melhor filme. Disparado. Fácil, fácil.
Ela faz Karen, uma policial com um certo histórico de se envolver com os caras errados. E George é Jack, um ladrão de bancos que passou metade da sua vida na cadeia. Inclusive, ele acaba de fugir de uma, e é desse jeito que conhece Karen - ambos são colocados dentro do porta-malas do carro em fuga. Numa loooonga cena, os dois conversam sobre cinema e a vida em geral. Pra Jack, é amor à primeira vista. E não é só porque Jack é interpretado pelo George que ele é charmoso. Ele rouba bancos pacificamente, sem armas (“Esta é a sua primeira vez sendo roubada?”, pergunta ele pra caixa do banco. “Você está indo muito bem”). Sabe que se voltar pra cadeia só vai sair de lá velhinho, e prefere morrer a ter esse destino. Ao mesmo tempo, ele sonha em ser capturado por Karen.
A história tem algumas semelhanças com Jackie Brown porque ambos os livros foram escritos por Elmore Leonard (também autor de O Nome do Jogo e Os Indomáveis). Eu li o livro uns anos atrás e lamento informar que não me lembro de nada, apenas de que este é um exemplo clássico de uma adaptação que é muito superior a sua fonte original. Mas sei que o final cheio de esperança e irônico do filme não está no livro. (SPOILERS, pra quemo viu/leu e pretende ver/ler I.P.:) O romance acaba com o pai de Karen (Dennis Farina) recomendando que ela leve Jack pra cadeia na Flórida, mas pare no caminho pra se divertir um pouco com seu prisioneiro. Ela responde que ninguém forçou Jack a assaltar bancos, e o pai diz: “Minha filha, a garota durona”. Fim. Esse diálogo está no filme, só que ele continua. A gente vê Karen se preparando pra levar Jack pra penitenciária, uma longa viagem de Detroit pra Miami, mas ela decide levar junto um outro detento, Henry Hijirah (uma pontinha não-creditada feita pelo Samuel L. Jackson), perito em fugir de xilindrós. Eu adoro a troca entre eles (minha tradução):

Jack: Que tipo de nome é Hijirah?
Hijirah: É islâmico.
Jack: O que significa?
Hijirah: A “Hijirah” foi a fuga de Maomé de Meca em 622.
Jack: Fuga?
Hijirah: Os irmãos da penitenciária de Leavenworth me deram esse nome.
Jack: Então você esteve em Leavenworth?
Hijirah: Quatro vezes.
Jack: Como assim?
Hijirah: A hora chegava, e eu partia.
Jack: Você fugia.
Hijirah: Eu prefiro chamar de êxodo de um lugar indesejável.
Jack: Quanto tempo levou pra eles te pegarem?
Hijirah: Aquela vez?
Jack: Houve outras?
Hijirah: É, essa foi a nona.
Jack: A nona?!
Hijirah: Bom, a décima, se contar a prisão do hospital em Ohio, de onde saí andando.
Jack: Você tem andado bastante, Henry.
Hijirah: Hijirah.
Jack: Hijirah. E agora estamos indo pra [prisão de] Glades.
Hijirah: É, parece que sim. Eu devia ter sido levado ontem pela agente penitenciária, mas por algum motivo, ela quis esperar.
Jack: Ela quis, é?
Hijirah: Acho que é mais barato levar dois numa van.
Jack: Pode ser. Ou talvez ela pensou que temos muito que conversar.
Hijirah: É mesmo? Como o quê?
Jack: Não sei. É um longo caminho até a Flórida.

E vemos a cara de Karen, esboçando um sorriso ao mesmo tempo tímido e sacana de quem está escutando a conversa. Continuo semana que vem.

16 comentários:

Chris, mãe da Cecília disse...

Lola, eu simplesmente AMO este filme. O livro já era ótimo, mas, a adaptação conseguiu ficar maravilhosa. George Clooney. Eu me acabei de rir com o Michael Keaton de agente fodão do FBI, namorado da J.Lo. George Clooney. A cena que mais adoro, definitivamente é a da saída de Miami, em que eles se olham de relance no elevador e ela fica com aquela cara de pastel, enquanto ele fica mumbling. George Clooney. Diálogos espertos, sacanas, edição perfeita, sequinha... é um filmaço. George Clooney.
Ah, sobre a lista da EW, acho que colocaram 300 pelos abs do Gerard Butler rsssss Eu não fiquei muito chocada com os critérios e/ou as posições de filmes que para mim são mais ou menos 'steamy', afinal, estamos falando dos EUA, de sua escala de valores meio, como dizer, diferente da nossa "latinidade" (odeio essa palavra, mas, George Clooney, estou tendo dificuldades para seguir uma linha coesa de raciocínio, se é que você me entende). Ah, deixa quieto. George Clooney.

Beijos e ótimo weekend!!!

Cris Prates disse...

Eu achei Gerard Butler extremamente sexy em 300, mas é só mesmo quando ele "faz amor" (não gosto dessa tradução do inglês "make love") com sua esposa quando os produtores quiseram dar um ar de batalha à noite de amor do casal, nada de mulher submissa, coisa e tal, afinal elas parem os guerreiros e são tão respeitadas como a um. Não assisti à irresistível paixão, mas vou tentar com certeza depois desse comentário.
George Clooney não me tira o fôlego...Gostava mais dele quando ele era pediatra em Plantão Médico, mesmo magrinho e não tão grisalho. Hoje em dia ele está muito blasé.

aiaiai disse...

vou confessar um preconceito: não vejo filme com a j.lo...mas,já que lola recomenda, vou lutar contra o preconceito, alugar este filme e depois digo o que achei, ok?

Kaká disse...

a-do-ro esse filme! é super sexy sim, da cena na mala do carro até aquela no bar do hotel, passando pela a da banheira, a do elevador, ah, o filme todo. :) Toda vez que passa na tv eu vejo.

Vitor Ferreira disse...

Adoro esse filme, mas, sei lá, não acho sexy. E acho que o título nacional não faz justiça ao filme. Dá a ele uma certo aspecto frívolo, de pornochanchada barata.
Adoro a cena do bandido na escada. Ri horrores. E o final é ótimo também. Totalmente politicamente incorreto...

asnalfa disse...

Não entendi nada da sua crônica. Sequer tive vontade de assitir ese filme. Acho prefiro algo mais pornô, como Shortbus.

FELIPE G2 disse...

Como assim semana que vem Lola? Faça amanhã, mas não deixe para semana que vem. Este filme parece ser bem interessante, você falando nele então nem se fala. Só não acredito que De Olhos Bem Fechados e nem Chicago não estejam nesta lista.

Carla Mazaro disse...

Adoro suas criticas!! Você não é daquelas pessoas chatas que escondem o fim do filme... mas para quem não quer saber você avisa quando vai começar o spoiler!
Eu prefiro assistir já sabendo o final...
E continue amanhã!! por favor!!!!!!

Tina Lopes disse...

Menina, nunca consegui ver esse filme inteiro, sempre pego pelo meio ou fim. Mais sexy, hein? Vou pegar na locadora. Bem, eu e mais toda população feminina mundial amamos George Clooney, né. Ele é o melhor vinho de Hollywood, sem dúvida, cada vez melhor. Vejo-o como um novo Marcello Mastroianni. Aliás, acho que sou uma das poucas que gosta de Tudo por um Segredo, que é refilmagem de I Soliti Ignoti, do Mario Monicelli (que tem o Marcello e é bem superior, diga-se). Quanto à J.Lo, sabe que eu tenho simpatia por ela? Adorei aquela porcariazinha de sessão da tarde em que ela dá aulas de dança pro Richard Gere. ;)

Anderson disse...

Lola, 300 é um filme sexy, mas para os gays. Falo com conhecimento de causa, viu?

Abraços!

Oliveira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Romanzeira disse...

Gostei do diálogo entre o Samuel L. Jackson e o Clooney. Ah, sim, qualquer filme com George Clooney é erótico, o cara transpira sensualialidade e sexo. Mesmo quando fazia o dr. Ross e era bem mais novo que agora. Aquele sorriso sacana é uma loucura. Mas Jennifer Lopes... Não vou com a cara dessa menina...

Deh disse...

Hey Lola, tudo bom?? Vi essa noticiazinha num blog que meu marido me mostrou e resolvi compartilhar com você.
Beijão!!
http://criacionista.blogspot.com/2009/07/mulher-de-minissaia-tem-mais-chance-de.html

Prity disse...

Adoro a Jennifer Lopez desde que fez o filme Selena,interpretando a cantora assassinada, gostei muito da sua atuação e acho ela uma ótima atriz. Eu não tinha visto ainda o filme aqui mencionado, mas deu vontade de ver!
bjo

Gi disse...

Amo esse filme, sempre vejo qdo passa na TV. Adoro a cena deles no bar do hotel. Gosto mto da trilha instrumenta tb. super sexy, definitivamente!

Juliana disse...

E eu caçando esse filme pra ver. Não acho em canto nenhum...