sábado, 27 de junho de 2009

SEMANA DA DIVERSIDADE. E UM CARTAZ

Eu não estou entendendo muita coisa. Esses dias a Semana da Diversidade andou rolando em Joinville, com vários eventos, debates, palestras e, inclusive, uma Mostra de Cinema e Vídeo. Fiquei com muita vontade de ir ver o festejado De Repente, Califórnia, sobre a descoberta da homossexualidade entre dois amigos. O filme, independente, americano, que passa agora em SP, foi eleito o melhor do Festival Mix Brasil de 2007. Mas, infelizmente, eu dou aula particular todo dia à noite, bem no horário do cinema. Domingo tem a Parada Gay a partir das 15 horas e eu, o maridão e La Mamacita estaremos lá. Espero que não chova e que não haja nada parecido com a violência presenciada em outros desfiles. Eu tenho um pouco de medo, sim, porque já recebi alguns emails de homofóbicos avisando que “estarão lá” pra impedir a marcha. Fico imaginando o que o pessoal realmente envolvido com a programação anda recebendo de ameaças...
Mas então. Anteontem chegou um email de esclarecimento da Fundação Cultural de Joinville. Dizia que a intenção da mensagem era rebater comentários feitos a respeito do poster e “informar que esta é uma criação nacional e que em momento algum tem como objetivo ofender aos cidadãos. Como o próprio mote – impresso nos panfletos e cartazes – a campanha parte do conceito 'O QUE É ESTRANHO PARA VOCÊ?'. O trabalho feito pela agência da Associação Cultural Festival Mix Brasil de Cinema e Vídeo, em São Paulo, é reconhecido como uma obra de arte e seu papel é justamente o de provocar a reflexão sobre as diferenças e a diversidade, jamais excluir ou prejudicar. Assim, dentro de um conceito artístico, a figura feminina que aparece na campanha não necessariamente é a de uma mulher'.
Achei estranho porque, pra início de conversa, eu nem sabia de que cartaz estavam falando. E quem estava reclamando? Os conservadores, que acham tudo uma pouca vergonha, que querem que os gays se recolham a sua insignificância, mas que se ofendem ao serem chamados de homofóbicos? Ou era a própria comunidade LGBT que estava reclamando? Pedi pra assessoria de imprensa me mandar um email com o poster. Tá aqui. Pra vocês julgarem (clique para ampliar). Não sei se vocês tiveram a mesma reação de “What the f***?” (ou, copiando o Mos Def, “What the duck?”) que eu. Mas isso é cartaz pra divulgar a Semana da Diversidade e combater preconceitos ou pra criar preconceitos? Putz, esse poster, apesar de esteticamente bonito, não parece ajudar em nada a divulgar a diversidade. Ok, não foi criação da Fundação Cultural daqui, mas a Fundação o aprovou. A gente não tem que baixar a cabeça e considerar um anúncio uma “obra de arte” só porque veio de SP, tem? Pra começar, a chamada, "O que é estranho para você?", não deixa claro se está dirigida ao público leigo (e, como vemos em Joinville, preconceituoso), ou aos gays e simpatizantes. Se for ao público leigo, o cartaz só atrapalha, reforçando clichês de gays como seres hedonistas, na piscina, com pouca roupa, interessados apenas em sexo. Pô, é exatamente assim que os homofóbicos vêm as paradas gays! Não é desse jeito, com essas imagens, que vamos conquistar corações e mentes. E não entendi mesmo o que a mulher-galinha quer dizer! Não sei se vocês repararam à primeira vista que a mulher tem pés de galinha (literalmente) e crista. Ela não olha pro casal gay, mas o casal gay olha pra ela... com estranheza! Que é justamente como não queremos que os gays sejam tratados. Mas qual é a mensagem? Que, perto de uma criatura que não existe, os gays até que não são tão estranhos? Que mulheres não se misturam com gays? E se a mulher-galinha da foto não representa necessariamente uma mulher, o que representa? Um travesti com pés de galinha? Piorou! Ou tem alguma interpretação que eu não pesquei?
Não há dúvida que o cartaz provoca a reflexão. Só não estou certa que é a reflexão que desejamos. E claro que a Semana da Diversidade é muito maior que um simples cartaz, e espero que ela esteja sendo um enorme sucesso. Mas esse poster... Pelamordedeus, né?

33 comentários:

Taia disse...

Oi Lola! Deixei um recadinho agora mesmo no post anterior sobre a caminhada, hehe. Estarei lá tb.
O cartaz realmente foi muito infeliz. Conheço pessoas que lutam há muito tempo contra a homofobia que estão indignadas por causa do "estrago" que o cartaz fez na opinião pública. Deu "pano pra manga" dos preconceituosos.

Princesa disse...

Achei bem bizarro o cartaz...Tipo,parece passar essa mensagem que você falou "perto dessa criatura até que os gays não são tão ruins"
E por que puseram justo uma mulher (ou figura feminina,que seja) pra ser a "aberração"?
E porque só tem gays homens no cartaz?
Achei o cartaz infeliz.
www.garrafaaomar.zip.net

Princesa disse...

Ah,esqueci de dizer,se tivessem posto "Diferente" no lugar de "estranho" acho que teria pegado menos mal.

Mari Biddle disse...

Eu nao gostei do cartaz. Que raios eh a mensagem mesmo? Sao tantas...Ja vi tanto poster maravilhoso da Parada Gay de Goiania. Sera que nao dava para se inspirar em outros nao?

Nem, decepcionante!

Má disse...

Que que é aquele pé da moça?
Não achei bonito o cartaz não, parece um editorial de moda desses de hj em dia!

Abraços Lola!!
(Ahhh, q engraçado, todos suuper curiosos p escutartua voz do video :) )

Shoujofan disse...

Realmente, esse cartaz me deixa meio perpelexa... Mulher galinha...

astrocat disse...

eu acabei de acordar e não to em condições de ficar analisando... mas parece que uma mulher é "estranho" para um casal gay. eles é que estão vendo esses pés nela. eu não fui no mix de são paulo então não sei se reclamaram dessa foto. mas eu prefiro essa: http://mixbrasil.uol.com.br/festival/mixbrasil14/

Dai disse...

Eu fico pensando no grande desafio que é fazer material publicitário para uma proposta pela diversidade. As publicidade vive de estereótipos, o autor parece ter feito um esforço para se auto-retratar da forma como ele enxerga a sexualidade não heteronormativa.
Uma pena.

Lola, Shelter (De repente Califórnia) é tão lindinho. Vale a pena escapar e ir ao cinema. É conto de fadas, mas diverte e é bonito de se ver.

Ah, eu ouvi sua voz (e vi sua simpatia toda) no video. Adorei e é bem como eu imaginava. Tb tenho estranheza ao som da minha voz, acho que todo mundo tem, né.

Luiz disse...

caramba! pé de galinha monstruoso esse! Aviso aos navegantes de primeira viagem: boa parte da comunidade gay brasileira reafirma preconceitos. Afinal somos parte de um mesmo todo, né? Embora pensasse que vir ao mundo gay fosse uma oportunidade única para ver as coisas de forma diferente: só me decepciono quando insisto nisso.

Bani disse...

Eu já conhecia esse cartaz. Ele foi usado em Belo Horizonte também... aliás, gostei muito.
Aqui dá pra ver os outros anúncios da campanha.
E quando a gente vê a campanha toda dá pra perceber que não é nada disso que você está falando.

Mônica disse...

Oi, Lola! sempre leio o seu blog mas nunca comentei... bem, chegou a hora. Realmente esse cartaz foi muito infeliz e, assim como ele, acho que a forma como a Parada Gay (a de S. Paulo, pelo menos) está estruturada não ajuda em nada a combater a homofobia. Porque ela reforça os estereótipos e preconceitos. Como se todo homossexual fosse transexual; como se ser gay fosse aquela purpurina toda (bagunça, nas cabeças conservadoras). Aqui em SP, pelo menos, muita gente homofóbica vai à Parada só pelo "carnaval", mas não apoia a causa.
Claro que é importante que os gays assumam a sua condição com orgulho, mas acho que, antes, é importante fazer um trabalho político mais intenso.

Cris disse...

Só uma palavra sobre o cartaz, mau gosto absoluto.

Louis. disse...

nossa, essa campanha foi muito infeliz, dentro do contexto original fica menos ofensivo as mulheres/trans mas ainda assim não faz o menor sentido, e a mensagem que passa é no mínimo tola.

gostaria de saber de quem foi a idéia brilhante de colocar seres imaginarios/ irreais ao lado de gays para os fazerem menos estranhos por comparação.

http://www.youtube.com/watch?v=Wx6DBMLnusA

o video da campanha também é bem ruim. o olhar do menino loiro é de tanto desprezo. não sei se pelo querubin ser feio, gordo ou pobre. quer dizer, não ficou claro se ele estava fazendo uma apresentação na rua, como aquelas estatuas vivas, e pedindo dinheiro, ou se ele era um querubim adulto com cara de loser fadado a vagar com uma pia de agua benta na barriga.

e o olhar do querubin é um misto de receio, medo e vergonha. parece que a ideia era fazer uma inversão de papéis. gays são iguais a você, brasileiro médio discriminador, desprezam qualquer coisa um pouco mais diferente que eles próprios.

Vitor Ferreira disse...

Lola, eu como designer nao gostei de nada... Achei a estetica feia, o cenario feio, a mulher sem proposito (tipo arte conceitual, que so faz sentido quando explicam), o casal muito top model (a maioria dos gays sao pessoas normais, sem esses musculos todos), etc.

Acho q se o cartaz fosse uma familia reunida dentro de casa vendo tv, ou comendo, ou conversando na cozinha, seria muito mais bonito.

Daniel M. S. disse...

Quando eu vi o cartaz minha única reação foi o "What the duck? Que porra é essa???".
Realmente bizarro...

Vitor Ferreira disse...

E Lola, achei sua voz bem diferente do que eu imaginava. Tambem nao gosto de ouvir a minha... Acho muito aguda... Acho que nesses tempos de internet, youtube, etc., vc deveria de vez em quando gravar um video seu recitando suas cronicas sobre os filmes e postar. Ia ser mais interessante que apenas ler! Pense nisso!!!

Anônimo disse...

Hoje vou endossar o que disseram acima:
"Só uma palavra sobre o cartaz, mau gosto absoluto."(Cris)
E,lindo o que disse Vitor Ferreira:
"Acho q se o cartaz fosse uma familia reunida dentro de casa vendo tv, ou comendo, ou conversando na cozinha, seria muito mais bonito."
Abraço da Fatima.
P.S.: Lola onde as pessoas ouviram sua voz? Tambem quero ouvir!

Gustavo Ca disse...

O que é estranho pra mim? Esse cartaz!

Lola, vc fez vários comentários no post que mostram o quanto há de pontos negativos na peça, e pontos positivos.. parece que não há nenhum mesmo!

Acho que é um defeito do cartaz que ele demore para ser entendido (se é que vai ser). Os olhos ficam passando de um ponto ao outro enquanto o cérebro tenta fazer uma conexão, quando a mensagem devia ser clara (nenhum perigo de interpretações negativas, principalmente se tratando desse assunto), fácil de ser compreendida e principalmente: aceita.

Enfim, homossexuais esteriotipados, mensagem fortalecendo o conceito de "estranho", uma mulher-mutante.. vixi!

Greta disse...

Lola, se não der para ver no cinema, então baixa o filme pelo eh-mula!
Vale a pena assistir, eu agarantcho! [/seucreiçon]

Carla Mazaro disse...

Quando vi o carta no seu post achei bem de mau gosto, mas vendo a campanha toda faz muito mais sentido... As pessoas costumam olhar os gays como se fossem aberrações, então puseram pessoas como aberrações aos olhos dos gays... o cartaz que melhor expressa isso é o segundo (do link em um dos coments acima). No contxto original acho que não necessita explicações...
Sou de SP e acompanho a parada gay desde 2005, mas eles nos excluiram (os simpatizantes), pois agora ela é a parada GLBT (gays, lesbicas, bissexuais e trangeneres).
mas falando sério, a parada de SP já deixou de ter um significado politico parase tornar um carnaval fora de época. Não sei se na pratica a comunidade gay consegue alguma coisas com isso, mas amigos meus que tinham certo preonceito mudaram de opnião ao ir na parad gay e ver que eles são pessos divertidas e não atacam qualquer um. Pelo menos para mudar lgumas pessoas a parada serviu

dannah5 disse...

eu apoio totalmente, mas nao entendi tambem a mulher galinha! O_O

Acho que quem idealizou e liberou a ideia disso ai tinha fumado alguma coisa ilegal.... heheh

Serio agora, acho que as vezes eles perdem o fio da meada, homossexual eh um ser humano como outro qualquer, nao ha necessidade de usar artificios assim. Por que nao mostrar algo do dia a dia, esse lance de serem sempre bonitoes bronzeados regados a oleo, poxa, parece coisa daquele finado Queer as folks. E a mulher galinha independente do contexto nao cabe ali. A cena toda eh artificial, parece ate propaganda de pornografia ou moda bizarra, e nao acho q os gays precisam desse tipo de associaçao, principalmente quando eles querem ser vistos como cidadãos comuns com mesmos direitos.

Sei lá, nao entendi mesmo!

beijocas

dannah5 disse...

Li os comentarios e concordo com eles, seria legal ver uma familia reunida ou algo mais normal.

Confesso que acharia de muito bom gosto ver algo estilo anos 50 de familia normal usando um casal gay. O lance da parada gay eh meio complicado, eu como mae tenho contato com varias em foruns e algumas nao gostam, nao digo q sao homofobicas mas virou festa. Eu nao gosto de micareta, nada disso, acho q elas ja veem dessa forma. O que eh uma pena, seria mais interessante um evento mais diversificado com musicos e um trabalho mais de divulgaçao mesmo. O problema eh q nao atrairia tanta gente.

Eh meio aquele dilema, qual o objetivo no final das contas com a festa?

Beijocas a todos e bom domingo! :D

Anônimo disse...

"uma familia reunida ou algo mais normal"
Afinal não é contra essa normartização que estamos lutando. Será que então os gays precisam se encaixar nesse concentido "família reunida" para serem o que? aceitos...
Não sei. Eu gostei da campanha, e com certeza fora do contexto fica deslocada.
Lúcia

Anônimo disse...

Estou desde ontem refletindo no que eu disse (ou melhor:copiei de outrem) aqui. Estou lendo e pensando no que outros acrescentaram e aí a gente se pergunta: afinal de que forma eu posso colaborar para uma cidadania ampla, justa que inclua toda pessoa? Então, pensando no que disse dannah5, a Carla, a Lucia volto a participar assim:
a)O cartaz inserido numa sequência junto com outros talvez faça mais sentido.
b)Nas paradas vão desfilar os homossexuais que fazem a campanha, e cada qual se comporta, de acordo com sua bagagem cultural, o meio socio-econômico em que se insere e a vida pessoal que leva, incluindo aí profissão, religião,laços familiares. Então, assim como há entre os héteros, existem gays, lésbicas, bissexuais que são drogados, desonestos,sem estudo, sem noção, mal educados, machistas, grosseiros etc, etc. Ou seja: gay é igual a todo mundo. Nem mais, nem menos!Motivo pelo qual na Parada vai gente boa e vai gente que não está nem aí para o próximo.Ou alguem está convicto de que na parada só vai gente fina? Se nas procissões de igreja vai político ladrão, vai pedófilo e a pqp, porque eu acreditaria que na parada vai só gente boa? Isto não significa que se deixe de ir à Parada gay ou a uma procissão.
c) Voltando ao cartaz no que diz a
Lucia: sim vc tem razão talvez uma família comum não provocasse a interogação que a pergunta deseja. Talvez o pé de galinha é que foi infeliz...
Penso aqui comigo: e se a figura fosse a de um homem com pé de galinha?
d) Imagino que esta questão da homossexualidade seja bem mais abrangente do que se supõe. Na hora da campanha publicitária eclode toda (a) cultura que está arraigada - em quem produz o outdoor e em quem olha.
e)Sempre acabo pensando que toda pessoa que está serena não pretende agredir nem colocar lei na vida alheia.
f)Sempre existirão os que se acham donos da verdade e hão de querer se impor - isto é o que aborrece.
Li algo esta semana com o que concordo: Quando não mais perguntarmos com quem dormem as pessoas, aí teremos superado o preconceito.
Fatima.

lola aronovich disse...

Oi, gente boa! O post de hoje tá demorando pra sair porque estou preparando uma surpresa especial! Mas não sei se vai dar certo. Se demorar muito mais vou deixar pra semana que vem, e coloco um outro post mesmo.
Então, sobre esse cartaz, puxa, eu o achei muito ruim mesmo. Tentei ver os outros que fazem parte da campanha (que Bani indicou no seu comentário), mas não tem jeito: toda vez que tento abrir aquele blog, meu computador trava. Tanto no Explorer quanto no Mozilla. Eu consegui ver os dois outros posters rapidinho antes do meu computador travar, e sinto muito, não me pareceram melhores. Um deles é tem uma imagem do vídeo indicado pelo Louis. O que tem um “querubim” com uma fonte. Continuo sem entender nada. Ô gente, vcs que disseram que gostaram da campanha, tenham piedade e expliquem pra gente o que ela quer dizer! Porque vendo o comercial com o querubim, tenho que concordar com o Louis: aqueles olhares de estranhamento, de repulsa, ajudam a quem? Não entendi. A campanha tenta mostrar que os gays também são preconceituosos e olham com estranheza pra quem está fora do padrão (com pés de galinha, cauda, fontes de água?). E ISSO ajuda a causa gay? Continuo com a mesma mensagem: “tem gente mais estranha que os gays”. Não acho essa mensagem nada boa. O legal seria mostrar que os gays NÃO são estranhos. Mas mostrar gente que não existe pra ilustrar isso me parece pior ainda!
E quanto às sugestões de mostrar gays “em família”, isso é bem contraditório, a meu ver. Primeiro que sim, vários gays (e heteros) querem apresentar um novo modelo, que não se baseie nos padrões convencionais de família (patriarcal, ainda por cima). Segundo que mostrar gays “em família” envolve crianças. E a questão da adoção de crianças por casais gays (que, lógico, apoio totalmente) é uma questão nova no Brasil, que inclui muita desinformação por parte dos reaças, e que ainda precisa ser mais discutida. Não sei se é o momento certo. Afinal, é só um poster. As mensagens que eles podem passar são limitadas.

vb disse...

Oi Lola... também vou na parada... espero encontra vc lá pra bater uma foto.
Abração.

Andréia Freire disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andréia Freire disse...

A campanha, ao meu ver, quer mostrar como os gays se sentem ao serem olhados com estranheza. Colocaram gays olhando pessoas estranhas, irreais, para exemplificar como os gays são olhados pelos preconceituosos. Aqueles olhares de estranhamento, de repulsa estão exemplificando como as pessoas olham para eles. São olhados como aberrações e os cartazes de alguma forma querem mostrar que isso não tem razão de ser com um tratamento irônico. E não que gays também olham com preconceito para pessoas fora do padrão. Foi isso que eu entendi.

Thiago Beleza disse...

acho que a mensagem é justamente essa...o casal na piscina olha com estranheza para a "mulher"[?] pq ela é diferente.. Talvez a idéia de mostrar que não há motivo para estranhamento... em nenhum dos dois casos....que as diferenças devem ser respeitadas...
Tmbém pode ser um comparativo...perguntando pra pessoas comuns, o que é estranho?


Ou até mostrando que um casal homosexual não é estranho, que estranho é aquele ser do outro lado da piscina. Acho conveniente refletir sobre a questão levantada no seu último post. Estamos procurando pelos em ovos?
Digo isso pq, na posição de homem, incampaz de se colocar no lugar das pessoas e, logom machista, não poderia sugerir. então, se permita fazer esta sugestão...

PS: Não sei se vc reparou, mas ela tbm tem nariz d eporco....e não é uma cristal.. é um moicano..

Riffael disse...

Primeiramente devo deixar claro que nunca fui em uma parada e que pretendo ir esse ano. Sinceramente não vejo proposito nelas. Acho tudo lá muito estereotipado e contraditório, pelo menos essa é a parte que mostrada em jornais e revistas.

Aparenta ter somente sexo, curtição e mais sexo, todo o caráter de conscientização passa bem longe da parada. Como se os gays precisassem desse "carnaval" para que essa imagem seja associada a eles.

Essa parte das palestras e mostras de cinema que você falou, achei muito interessante, não sei se terá aqui na minha cidade.

Realmente essa propaganda não foi muito legal, tive o mesmo pensamento que Lola, como se falasse "os gays não são tão estranhos". O certo seria falar que eles NÃO são estranhos e de fato não são mesmo.

Estou esperando seu post sobre a parada de sua cidade. O interessante é que um colega meu que está ai em Joinville, saiu esta tarde para andar pela cidade. Imagina o susto que ele levou com essa parada, e olha que ele é homofóbico. Tadinho xD

Carla mazar disse...

Concordo com a Andreia Freire, tambem foi o que eu entendi... eles quiseram mostrar,com ironia, como os gays se sentem ao ser olhados com estranheza

dannah5 disse...

Só pra constar, a minha ideia nao foi criticar os gays, só disse uma ideia que me agrada, eu gostaria de ver uma campanha assim, ate pq nao vejo diferença entre um casal gay e hetero, um lar eh um lar!

Familia eh quem amamos, entao sabe, um lar nao eh feito de parentes, pode ser de amigos tbm. Nao eh q seja normal somente assim, mas todos temos que ter um lugar, um porto seguro.

Eh isso!

hehe beijocas

Anônimo disse...

Gooey Ducks grow to about two pounds in four or five years.
[url=http://www.gooey-duck.com/]geoduck[/url]