quarta-feira, 23 de abril de 2008

SOBRE CANDIDATOS A PRESIDENTE E ZUMBIS

Ontem Hillary Clinton ganhou bem as primárias da Pensilvânia, com mais de dez pontos de vantagem sobre Barack Obama. É mais uma vitória importante de Hillary, que tenta desesperamente reverter a “onda Obama” que se instalou após as primárias dos primeiros meses. Obama já teve momentos melhores. Seu pastor de longa data ser visto como racista e anti-americano pode lhe tirar votos. Não que o pastor tenha falado algum absurdo. Ele só disse em sermões o que o resto do mundo diz faz tempo: que é um absurdo a América ficar chocada ao ser atingida por terroristas, depois do mal que já causou em muitos outros países. Mas é um tabu enorme um americano reconhecer isso em público. Se quem diz isso é negro, então, não tem erro - será considerado racista.

Toda vez que Obama perde num grande estado, vêm à tona as mesmas questões: será que os EUA estão preparados pra ter um primeiro presidente negro? Meu impulso inicial, a julgar pela segregação que existe aqui, e também pela insistência com que se faz a pergunta (afinal, se os EUA estivessem preparados, fariam essa pergunta tantas vezes?), seria responder não. Mas converso com bastante gente branca e de mais idade (o maior alcance de Obama está entre jovens e negros) que vai votar nele. O problema é que quase toda essa gente é mais intelectualizada. Entre a classe operária branca, a aceitação a Obama é muito menor. Essa classe, por mais que costume votar nos democratas, não é fiel. Quando não gosta do candidato democrata, vota no presidenciável republicano sem dor na consciência, como fez com Reagan.

Ainda assim, parece que os EUA estão mais preparados para eleger um negro do que uma mulher. Tive essa revelação ao ver um clássico de terror de 1968, A Noite dos Mortos Vivos. Ok, sei que é uma conexão exótica, mas fique comigo. O filme foi e continua sendo revolucionário por ter um herói negro. Em Hollywood, negros raramente são heróis. Pelo contrário, em filmes de terror geralmente são as primeiras vítimas. Bom, o diretor George Romero colocou um herói negro pra protagonizar seu clássico bem na época dos maiores protestos pró-direitos civis. Seu herói acaba alvejado e morto, exatamente como ocorreu com Martin Luther King no mesmo ano. Essa coincidência chamou muito a atenção, mas no filme existem também três mulheres, todas brancas, que são umas portas. Não só não ajudam e são completamente indefesas e histéricas, como também atrapalham os homens. Elas constituem o mal menor, que precisa ser defendido do mal maior, zumbis. Vamos ver... 1968, o ano que dizem não ter terminado, não foi apenas marcante por conta dos protestos dos negros. Foi o auge do movimento feminista também. E aí a gente tem um filme em que o herói é negro, ao mesmo tempo em que três mulheres aparentam ser uma maldição pior que zumbis (elas já são meio zumbis, antes até do contágio).

Não sei, é difícil acreditar, mas talvez os EUA continuem sendo ainda mais machistas que racistas. Os preconceitos contra uma candidata mulher não são exclusividade deles, lógico. A gente ouve exatamente a mesma coisa contra a Marta Suplicy toda vez que ela teima concorrer em São Paulo, e vai ouvir muito mais se a Dilma Rousseff for candidata a presidente. Tipo assim, não ouvi ninguém chamar o Obama de “nigger”, um hiper insulto que, se 1968 tivesse terminado de fato, não existiria mais hoje. Mas é corrente chamarem a Hillary de “bitch”. Se ela se mostra durona demais, é uma vadia e perde sua feminilidade, porque poder não é privilégio feminino. Se ela fica com a voz embaçada durante um discurso, é sensível demais, mulher demais, e não tem a força necessária pra ser presidente, um cargo que exige “cojones”. E claro que ela sempre será avaliada por sua aparência física porque, afinal, é mulher, e mulher precisa cumprir seu papel decorativo. Se ela aparentar ter sua real idade, é uma velha, não se cuida, e está um caco; se ela põe Botox ou faz plástica pra esconder sua real idade, é uma perua fútil e falsa. Sem falar que candidata-mulher seguramente tem um marido que manda nela, e será o real presidente no caso de vitória (note que você nunca ouviu falar isso de uma primeira-dama. E note que é tão raro uma mulher ser presidente que nem existe um termo pro marido – primeiro-damo?).

Mas, voltando à analogia dos zumbis, não sei qual é o mal maior pros americanos: a economia em frangalhos, a guerra no Iraque, ou um terceiro mandato pros republicanos. É um péssimo indício que, com a situação delicada do país, um candidato republicano como John McCain, que representa continuidade da política atual, tenha índices tão altos nas pesquisas. Independente de quem vier a ser o presidenciável democrata, um negro ou uma mulher (ao que tudo indica, será Obama, apesar da força de Hillary nas primárias recentes), os republicanos parecem sair com vantagem. Enquanto McCain já é candidato oficial desde o início de março, pros democratas a indefinição pode se arrastar até agosto. E o candidato democrata, ou negro ou mulher, ainda terá que derrubar todos os obstáculos a mais por sua raça e sexo seguir sendo discriminados. Não estamos mais em 1968. Mas quarenta anos depois, o que mudou mesmo?

29 comentários:

Juliana disse...

Por isso que te falei que o McCain se elege. Eles não vão colocar nem uma mulher e nem um negro na presidência.

Agora, os problemas com a Dilma e a Marta Suplicy são outros. Acredito que tem quem não vota(ria) nela por serem mulheres, mas acredito que mtas pessoas também não vota(ria)m nelas se fossem homens, por várias outras questões, como partido, plataforma, atitude pública, gafes, o que seja.

lola aronovich disse...

Nao sei, Ju, espero que o McCain nao se eleja. Falta muito ainda. Seria tragico ter um terceiro mandato seguido pros republicanos. Sobre a Marta e a Dilma, claro, muita gente nao vota nelas por uma serie de motivos, assim como muita gente nao vota na Hillary por outros motivos, nao apenas por ela ser mulher (ou nao vota no Obama apenas por ele ser negro). Todas essas questoes que vc cita (partido, plataforma, atitude publica, gafes - qual pessoa publica nao comete gafes?!) existem pra todos os candidatos(as), independente de sexo e cor. Mas a maior parte dos insultos eh em cima delas serem mulheres. Todas as outras questoes desaparecem e fica so a principal - sao mulheres. Elas sao discriminadas em cima disso. Quem chama uma candidata de "vaca", "perua", "dragao" etc ta se lixando pro partido da candidata.

DANIEL PEARL disse...

lola, agradeço e-mail enviado. Estou torcendo para OBAMA sair vitorioso e também se tornar o futuro presidente dos EUA. A política externa dos EUA é um dos pontos mais negativos. O termo ANEXAR continuar nas mentes dos dirigentes norte-americanos. Um abraço, Daniel - editor do blog DESABAFO PAÍS.

Liris Tribuzzi disse...

Não li o post, só entrei pra falar do terremoto que teve em sampa ontem. :S

Juliana disse...

acho que esse tipo de ignorância se assemelha às tantas que votaram no Collor porque ele era bonito, ou no FHC porque ia ganhar "com ou sem o meu voto"

Andie disse...

Quando voce mencionou zumbis, achei que ia falar de Homecoming, um filme made-for-tv onde os soldados americanos voltam do tumulo pra votar contra a guerra no Iraque. Eh super cheesy, mas toca em problemas muito reais, como o fato de que os politicos nos manipulam descarada e abertamente e ninguem fala nada.
Eu concordo que os Americanos terao mais coragem de eleger um presidente negro do que uma mulher. E por isso tenho medo que, caso a Hilary venha a ser a candidata democrata, muita gente "mude de time".
Voce viu a Tina Fey defendendo a Hilary no SNL? Foi curtinho, mas basicamente ela tava reclamando disso que voce comentou, que o povo ciritica a Hilary por ser mulher. Ela (Tina Fey) saiu na capa da Marie Claire esse mes e, na entrevista, comenta de uma peca que ela escreveu sobre a Catarina, a grande, onde ela dizia "Sabe, o John Kennedy teve dezenas de casos fora do casamento, e ninguem fala nada. Ai eu transo com um cavalo e agora viro a rainha que transava com cavalos pro resto da eternidade? E eh soh isso que eu sou?" Ela comenta que a Hilary deve poder se relacionar com a piada. E o pior eh que eh verdade..

Juliana disse...

e entrando no papo do blog, aqui também teve. Eu não senti, mas diz que cheegaram a evacuar um prédio na Palhoça.

lola aronovich disse...

Obrigada pela visita, Daniel. Eh, mais quatro anos de politica externa republicana seriam pessimos pro planeta.

Liris, Ju, eh, eu li sobre o terremoto! Como eh que pode, terremoto no Brasil?! Minha mae me mandou um email hoje dizendo que ela e os gatinhos sentiram a casa tremer em Joinville. Gente, isso eh preocupante. Teve aquele ciclone poucos anos atras, o primeiro na historia do Brasil, e agora terremoto? So pode ser o planeta desabando.

Liris Tribuzzi disse...

Ainda tem enchente no nordeste esse ano, naõ se esqueça disso.

lola aronovich disse...

Andie, nao vi esse video. Alias, nao aguento mais ver ou ouvir nada sobre "coitadinho de soldado americano sofrendo na Guerra do Iraque". Eles nao deveriam estar la. Ponto.
O que li sobre a primaria da Pensilvania eh preocupante pro Obama. Pesquisas indicam que os eleitores do Obama provavelmente votariam na Hillary se ela fosse a candidata democrata, mas o oposto nao eh verdadeiro. Ou seja, tem muito working class American que nao vota no Obama. Isso eh preocupante, porque sem o voto da classe operaria nenhum democrata ganha. Perde em estados nao-definidos... Nao vi a Tina Fey. Vi so na Entertainment Weekly, onde ela se recusa a apoiar a Hillary. Diz que o episodio do SNL com a Hillary (que eu nao vi, estou sem TV), que foi muito popular e pro-Hillary e que fez o Obama reclamar, iria acabar com alguem dizendo "Bitch is the new black, but black is the next president". Ai eles acharam que ficaria muito negativo pra Hillary e cortaram a ultima frase.
Uma coisa que me fez gostar mais ainda do Obama foi ler a reportagem da Time sobre a mae dele!

Juliana disse...

Então, Lola, teve uma tromba d'água aqui em Floripa esse ano também.
O terremoto na verdade nào foi aqui, né, foi no oceano atlântico, mas foi sentido aqui. Não deve ter sido a primeira vez que isso aconteceu, mas deve ser uma coisa beeeeeeem rara.

lola aronovich disse...

Eu lembro do ciclone em SC, aquele que matou pescadores. E lembro mais ainda do Al Gore falando em "Uma Verdade Inconveniente" que livros escolares tiveram de ser reescritos porque diziam que nao existiam ciclones na regiao. O mundo ta mudando. So nao ve quem nao quer.

Andie disse...

Nao, nao, voce entendeu o esquema errado. A Tina Fey apareceu apoiando a Hilary, e dizendo que todo mundo fala que ela eh uma bitch, mas que presidentes tem que ser bitches mesmo, e ela anunciou "bitch is the new black". Dai, na semana seguinte, convidaram o Tracy Morgan pra defender o Obama, e ele realmente anunciou "bitch is the new black, but black is the new president". A Tina Fey defende a Hilary abertamente, em tudo que eu ja li.

lola aronovich disse...

Entendi tudo errado mesmo, Andie. Mas na entrevista pra Entertainment Weekly a Tina Fey nao apoia a Hillary! Bom, agora tenho que reler pra saber, mas a mensagem que ficou pra mim foi "Nao quero me comprometer com ninguem!". Ah, e ai, vai no The Towers hoje comer cafe da manha a noite por dois dolares?

Juliana disse...

Aaaaaaaaaaaaaah!!
Eu quero ir na porcaria do Late Night breakfast!

Renata disse...

Eu adorei a Tina Fey nesse video! E pessoalmente estou torcendo pra Hillary, mas como meu voto só interessa mesmo pra justiça eleitoral brasileira [mudei hoje meu título pra poder votar contra o Dario] tento na medida do possível nao me envolver tanto emocionalmente na disputa... mas é difícl, já que sou apaixonada por política.
Em resumo, adorei o seu post lola! Como sempre!
Já tinha lido várias matérias em sites especializado comentando como a cobertura da eleição está sendo desrespeitosa com ela.

um abraço,

www.oraculodelesbos.blogspot.com

Paula disse...

Oi Lola
Ajudo na parte de internacional de um jornal aqui de Porto e tento acompanhar a situação das eleições. No começo do ano, conversei com um professor especialista no assunto e ele disse que as eleições estavam caindo de maduro para os democratas por causa da tradicional alternância dos partido e do Bush e afins, só que agora as coisas não parecem mais assim. Como tu disse, estamos quase em maio e não há definição, o que só ajuda o lado do McCain. Me assustei ontem quando li uma análise sobre a Hillary que colocou que a família Clinton quer o poder pelo poder e pronto. Acho difícil que ela não saiba que não há como passar o Obama, então a tática agora é empatar as coisas o máximo possível para que o McCain leve a aeleição e ela possa tentar a presidência de novo em quatro anos - até porque, se ele vencer, vai estar com 75, idade em que uma reeleição já não é tão possível. Tb acho que qualquer um deles irá defender sempre os interesses norte-americanos, mas prefiro um cara que tenha visto algo além dos EUA - o Obama cresceu no Hawai e nas Filipinas se não me engano - e ache que nem tudo se resolve na base da porrada.

nita disse...

É, concordo que eles escolheriam o Obama, se fosse para escolher entre ele e a Hillary.
E espero sinceramente que não tenhamos mais quatro anos de governo republicano pela frente, apesar de não ter muitas esperanças com relação a isso.
E aliás, ótima ligação dos zumbis. Porque afinal, mulheres são seres desprovidos de cérebro e opinião, e se o tem, não são mais mulheres. não é mesmo? Sobre isso acho que é desnecessário expressar minha opinião...

PS:Eu conheci seu blog por indicação e realmente gostei. Vou passar a visitá-lo diariamente

lola aronovich disse...

Ju, o que vc quer fazer na porcaria do Late Night Breakfast? A comida é bem ruinzinha... Se tiver outro, eu não vou.
Ah é, Rê, vai ter eleições municipais no Brasil este ano. Até me esqueço às vezes. Mas elas são muito importantes. Pras nossas vidas, muito mais importantes, inclusive, que eleições americanas...

lola aronovich disse...

Paula, é, a maior esperança dos democratas é essa alternância de poder entre os dois partidos. É raríssimo um ficar mais de dois mandatos seguidos. Mas pode muito bem acontecer... Sobre a Hillary, acho que poder todos eles querem. Um dos afrodisíacos da política deve ser o poder que dá. Mas não acho que ela está sendo teimosa por não desistir. É esquisito ganhar nos maiores estados e ter de desistir. Ela e o Obama realmente estão muito próximos na corrida. Se fosse o contrário (ela na frente), o Obama não desistiria. Pra ela é mais complicado ainda, por causa da idade. Essa é sua única chance. Se não for candidata agora, dificilmente o será no futuro. Já o Obama é jovem. Ele poderia se candidatar de novo (o que tb é incerto e arriscado, num país que não dá muitas segundas chances). Mas tomara que ganhe um democrata!

lola aronovich disse...

Nita, obrigada pela visita e por ter gostado. Apareça (e comente) sempre. E pode trazer o maridão. Boa sorte no seu bilionésimo início de blog...

nita disse...

hahahahahaha
maridão não, só namorado...
tenho só 18 anos, nova demais para isso.

obrigada e pode deixar que continuarei comentando e visitando

lola aronovich disse...

Ah bom, Nita! Isso explica as declarações apaixonadas do Murilo... Porque depois de casar não tem mais! Não, brincadeira, que o maridão não me ouça!

Juliana disse...

O "eu quero ir no late night breakfast" é code para "quero estar em Detroit, quero hang out com vcs", etc, etc, etc

Igor Garcia disse...

Lola, essa foi a mais bizarra, exótica, insípida, inescrupulosa e incomensurável comparação que eu já li sobre a disputa entre Obama e Hillary, ou seja adorei!

Fico imaginando se haveria mais segregaçao, se é que isso é possivel, e debates e discussões políticas acirradas se Obama fosse mulher e negra! Será que haveria mais difamação ainda pelo fato de ser mulheres, ou incorporariam o espirito de Rosa Parks na campanha?

Lembro de um artigo que li do Moriael Paiva (http://webinsider.uol.com.br/index.php/2008/02/11/barack-obama-e-exemplo-de-politico-20/) sobre o Obama ser um político 2.0 com ferramentas do tipo: e-mails, convites, pedidos de ajuda financeira, vídeos, material de campanha, mensagens do próprio candidato,um blog que o próprio criou no dashboard do site, que além de eventos e campanhas pró Barack, ainda se dissemina como uma rede social! Isso tudo com espaços particulares de Tv online, o BarackTv e um Mobile Site. Fora as redes sociais como My Space, Facebook, flickr, YouTube, Digg, Twitter e etc. Vc que está no meio de tudo isso Lolinha, ve na carne o CONTEUDO, já que, como todo bom americano, de "armamento" ele está até o talo! Não é a toa que grande parte dos jovens aderiu a sua campanha!
Mas cá entre nós, "Change we can believe in" é tão clichê que qualquer vereadorzinho daqui do Brasil usa isso!

Disseram tanto do tremor aqui em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro que não senti nada. Como era aniversário de uma amiga minha, achei que fosse efeito da caipirinha! ;-)

Já tirei o link do Lost.Art do meu blog. Pensei que vc estivesse de férias do outro site!

Bjs n'alma!

Igor Garcia disse...

Ah sim!! Esquecide comentar sobre as eleições municipais. Não fui vitima, não passei pelo sufoco, nem fiquei doente. Mas esse ano eu não voto. Aqui no Rio de Janeiro a prefeitura não teve capacidade de matar sequer um mosquito! Para mim é o fim da picada...

Bjs n'alma!

lola aronovich disse...

Ah bom, Ju, logo vi que o seu "queria estar pro cafe" nao podia se referir ao cafe em si... Ou ao lugar lotado. Mas wish you were here! Ontem nao vimos ninguem conhecido. So um carinha que passou e que eu nao tinha a menor ideia quem fosse, que perguntou: "Where's Silvio?" (tava pegando suco). Incrivel como agora todo mundo sabe e pronuncia o nome dele certinho. O maridao ta famoso!

lola aronovich disse...

Igor, que bom que vc gostou. Eh, eu fiquei pensando no Noite dos Mortos Vivos, que vi na semana passada, e na total inutilidade das mulheres nesse filme (que eh otimo, por sinal), e veio a conexao. Seria muito dificil ter uma candidata negra e mulher. Por um tempo falaram na Condoleeza Rice, mas imagina, de direita como ela eh, so se ela concorresse pelo partido republicano. E nao acho que ja teve alguma mulher ou negro que concorreu a presidente pelo partido republicano. Mulher negra, entao, nem se fala. Mas se houvesse uma candidata assim, acho que ela seria mais discriminada por ser mulher que negra. Apesar da segregacao, so gente muito estupida, neonazi, caipira, pra falar abertamente mal de negro. Em geral o racismo aqui tb eh cordial, como o nosso. Ja o machismo eh bem mais explicito.
Todas essas ferramentas que vc mencionou do Obama os outros tb devem ter... imagino. Os comites de cada candidato tem muito dinheiro. Tentam cobrir varios nichos de mercado.
Ah eh, vc eh de Jacarepagua. Tenho uma grande amiga que mora ai, a Sanduca. Conhece? Ca estou eu falando de Jac. como se fosse um bairrinho...
Ferias do Lost Art? Ferias de 3, 4 meses? Quem dera tirar ferias tao longas assim na vida!

Leila disse...

venho atrasada comentar por isso sei q obama ganhou!
Mas estava votando na hilary eu acho que ela seria muito capaz! mas de qualquer maneira ela está participando do governo e podemos ver o que ela vai fazer para quem sabe nas proximas eleições o pais mais influente do mundo tenha uma mulher em seu carro chefe!
Voltando para a Marta suplicy não gostei dela na prefeitura de sao paulo, assim como desgosto da maioria dos prefeitos de sao paulo, nunca a chamei de bitch, mas já xinguei bastante pela roubalheira que houve em sao paulo e principalmente pq em um mundo de machistas eu sempre achei q mulheres eram mais capazes e que elas deveriam mostrar a capacidade delas em qlqr momento para "calar a boca" do resto. Minha decepção é que ela foi tao capaz qnto qlqr outro homem.

Bjos

ps: mas nao vou mentir que fico reparando no modelito de ambas (hilary e Marta) mas isso é pq eu gosto de moda...