quinta-feira, 16 de agosto de 2018

DIREITA ATACA QUEM PESQUISA LESBOCÍDIO

Este post é sobre um absurdo que não deveria acontecer num país supostamente democrático. É, mais uma vez, sobre perseguições a professoras.
A pesquisa "Lesbocídio: as histórias que ninguém conta" é uma iniciativa da estudante de jornalismo Milena Carneiro, que procurou as professoras e doutoras Suane Soares e Maria Clara Dias para que juntas criassem o grupo de pesquisa sob a coordenação de Maria Clara, que é professora titular da UFRJ, pesquisadora do CNPq, com nada menos que três pós-doutorados (ou seja, uma professora com enorme, respeitada e internacional produção acadêmica). 
O principal agressor é um funcionário público da prefeitura do RJ que também é estudante da UFRJ e diz ter "orgulho de ser fascista". Com tempo de sobra para suas difamações, ele parte do princípio de que não existem crimes homofóbicos. Entre fevereiro e julho deste ano, o reaça publicou cerca de cem textos em suas redes sociais (quase um por dia) caluniando as pesquisadoras. Lógico que isso atraiu o interesse de organizações reacionárias como o MBL e o Escola Sem Partido.
O projeto sobre lesbocídio, sob a coordenação da Dra. Maria Clara, não recebe qualquer verba pública. Mas, se recebesse, seriam as instituições financeiras que julgariam o mérito da pesquisa, e não babacas conservadores que gostariam de fechar todas as universidades públicas e, se dependesse deles, fuzilar professorxs -- que são todos comunas doutrinadores, de acordo com eles.
Publico o guest post de Thamires Motta, que é jornalista, feminista, e lésbica.
No dia 7 de março, o Rio de Janeiro foi palco de um evento pioneiro e de extrema importância para os movimentos sociais que defendem a vida de mulheres no Brasil -- em especial as mulheres lésbicas. 
Nesta data, foi publicado o Dossiê sobre Lesbocídio no Brasil, um trabalho produzido pelo grupo de pesquisa “Lesbocídio – As histórias que ninguém conta”, com o apoio do Núcleo de Inclusão Social – NIS/UFRJ e do Nós: Dissidências Feministas/UFRJ. Essa edição do dossiê expõe as mortes de mulheres lésbicas ocorridas entre 2014 e 2017. A pesquisa chama atenção aos casos de violência contra lésbicas, em especial os lesbocídios, casos de crime de ódio contra mulheres que amam mulheres. 
Vinculado à UFRJ, o trabalho está sendo coordenado pela Profa. Dra. Maria Clara Dias.
Desde fevereiro, no entanto, a professora vem sendo alvo de ataques, acusações e mentiras por parte de alguns grupos da direita organizada, como o MBL e o Escola Sem Partido. De acordo com a professora, acusações em redes sociais e denúncias, endereçadas a diversos órgãos públicos, tais como a Ouvidoria e Reitoria da UFRJ, MPF, CGU, CAPES e CNPq, vem atacando seu caráter e o caráter do seu trabalho, com acusações de fraude e insinuações mentirosas sobre o mau uso do dinheiro público.
De acordo com a pesquisadora, sua foto e das demais autoras do Dossiê encontram-se "estampadas como pano de fundo em um blog que profere um discurso de ódio e busca, de forma nada acadêmica, coibir a defesa dos direitos básicos de grupos heterodiscordantes". Em uma carta aberta, ela revela que já contabilizou mais de 100 publicações em redes sociais e blogs contra a pesquisa e contra ela, manipulando e distorcendo informações.
No dia do evento, participantes relataram que os grupos de direita tentaram invadir o espaço e silenciar as participantes, insinuando que a pesquisa reforça a "ideologia de gênero", e que as universidades não devem oferecer espaço para este tipo de projeto.  
Apresentado pela primeira vez de forma acadêmica no Brasil, o termo lesbocídio é a definição do crime motivado pela misoginia, mas seguindo uma lógica diferente: o ódio e a aversão às mulheres que se relacionam com mulheres. De acordo com o site The Intercept, 83% dos crimes contra lésbicas são cometidos por homens que não necessariamente possuem algum tipo de parentesco com a vítima, mas que têm algum tipo de  aversão a lésbicas em geral – ou seja, lesbofobia.
O Dossiê revelou que 126 mulheres foram mortas no Brasil nos últimos quatro anos unicamente por serem lésbicas. As pesquisadoras também argumentam que esses números são subnotificados, já que não são gerados dados oficiais sobre esses assassinatos. Os crimes são coletados em redes sociais e na mídia, mas podem ser muito maiores. 
Foi criado um formulário pedindo apoio à professora Maria Clara, que pode ser assinado neste link.
Nesta thread, explico a necessidade de assinar a carta de apoio e divulgar para o máximo de pessoas.
Em tempos de frágil democracia, com o Brasil em época de eleições e à beira de ver como chefe do Executivo um homem fascista, misógino e racista, é ainda mais importante que as organizações de esquerda, que defendem a democracia, a liberdade de cátedra e de pesquisa, o funcionamento sem censura das universidades públicas, se envolvam verdadeiramente e espalhem esse apoio. 
Este ataque não é somente à universidade pública, é contra um grupo de mulheres que ousou expor as violências que lésbicas sofrem, as mesmas que desde o início dos tempos precisam viver silenciadas, sem espaço para suas pautas, sendo abusadas, violentadas e assassinadas unicamente por serem mulheres lésbicas. O ataque à professora Maria Clara é um ataque contra todas as mulheres, as feministas, as sapatonas, as universitárias, as pesquisadoras, todas aquelas e aqueles que defendem uma vida livre de violência. 
Por isso, é nosso dever assinar a carta e divulgá-la, já que tentar silenciar essa pesquisa, como o MBL vem fazendo, é corroborar e ser cúmplice dos assassinos de mulheres. 

33 comentários:

Cecília Novaes disse...

Tá complicado.
Esses grupos têm um poder de agregação imensa, que acaba atraindo até quem em tese não corrobora com isso. Este fim de semana último até chorei ao constatar que meu primo e principalmente o pai dele, meu tio, pretendem votar no inominável pra presidente. Eles são fascistas? Nem de longe, meu tio é uma pessoa carinhosa que cuidou muito de mim criança, um avô amoroso e colaborador do centro espírita. Meu primo tem formação, estudou fora em países mais progressistas que o nosso, é um cara tranquilo e nada machista. Mas eles querem votar no inominável. Por que? Meu primo só disse que ele não quer a esquerda mais, pq se decepcionou e tal, e que ele votaria em outro mas é o bolso o único que tem chance. Esse é mais fácil de argumentar.
Mas meu tio fica muito obcecado com certos assuntos, e de tanto seguir essas páginas que parecem justiceiras (mas que na verdade são um poço de chorume e espalhadores de mentiras), ele tá lobotomizado. E não adiante eu argumentar, meu pai, minha mãe e até meu primo explicar que não existe isso de doutrinação nas escolas, que aborto não se reduz (só) com proibição e nada que essas páginas protofascistas propagam podem ser levadas a sério. Mas não adianta. Tá insuportável isso.
Tô dizendo tudo isso pq a gente tende a achar que esses grupos parecem uma minoria barulhenta e tal, mas não são, eles contaminam até quem é da paz.

Anônimo disse...

O blog do cara fascista tb pode ser denunciado por calúnia e difamação, espero que a prof já tenha feito essa denúncia, acho importante revidar usando as leis existentes.
Cada vez que ele fica sem resposta se fortalece. Já estou repassando a carta

Anônimo disse...

Bem tipico dessa direita escrota e retrógrada.

Classificam como se fosse tudo homicídio (ou seja assassinato do homo-sapiens). Esquecem, esses idiotas, que dentro do gênero dos homicídios existem: O feminicídio, o lesbocídio, nanismicídio, gordocídio (ou obesocídio), negrocídio, transcídio, gaycídio, pancídios e ....

Anônimo disse...

Grande parte dos assassinatos de homossexuais são cometidos por outros homossexuais em crimes passionais, a pesquisa não pode ignorar isso

Anônimo disse...

O número de assassinatos de gays mulheres é maior que o de gays homens?

Anônimo disse...

Eles estão fazendo o certo. Deixa eles. Por acaso alguém te convence a não votar na esquerda?

Anônimo disse...

gays mulheres? que apagamento machista é esse? gays são homens, mulheres homossexuais são lésbicas! parece falar homens do sexo feminino e homens do sexo masculino... você não consegue falar lésbicas? isso já é uma demonstração de lesbofobia.

Anônimo disse...

esses comentários cheios de ironiazinhas patéticas, cheios de mentiras e informações falsas para propagar preconceito dão nojo... nem merecem resposta alguma, não mereciam nem ver a luz do dia, na verdade...

Anônimo disse...

É mais fácil ver ''crimes passionais'', (hj conhecido corretamente como o principal tipo de feminicídio) cometidos pelo ''cidadão de bem'', mascu, hetero, bolsominion e cristão.

A ignorância e o mau caratismo são universais e tem muito bolsominion que se faz de retardado e falso ingênuo, apesar que todo bolsominion é um idiota mesmo...

Kasturba disse...

Minha mãe também vai votar e defende, e agora deu pra colocar vários posts no Facebook idolatrando esse candidato...
Ela não concorda com as idéias machistas dele (embora ela tenha seu grau de machismo não tão pequeno), não concorda com as ideias homofobicas dele (embora também tenha lá seu grau de homofobia), e nem com ideias racistas (embora, novamente, também tenha lá seu grau de racismo).

Mas ela acredita que tudo que falam de mal dele é mentira (que ele não é machista, nem homofóbico e nem racista), e acredita que ele é um herói, portador de toda honra e honestidade do mundo, e vai salvar o Brasil...
Não sei de onde ela tira essa imagem desse cara...

Também fico muito triste por ela

Anônimo disse...

É muito importante esse estudo para dar visibilidade e voz às mulheres não só na sociedade mas dentro do movimento feminista, eis que necessário. Mulheres lésbicas são sistematicamente apagadas das mais variadas formas, até mesmo dentro do(s) ativismo(s), seja pela força de homens que decidiram redefinir a mulheridade e a sexualidade lésbica para abranger indivíduos do sexo masculino (negando à lésbica o assenhoramento de seu comportamento sexual e sua atração primária por outras pessoas do sexo feminino, rotulando-a de transfóbica caso não ceda à chantagem ideológica), seja pelo recente fenômeno de "transição pós-mortem" de mulheres que não performavam feminilidade mas que sabiam e se consideravam mulheres porque de fato o eram e nesse caso é flagrante o desrespeito à identidade de gênero que em outras situações, envolvendo pessoas do sexo masculino, é praticamente um valor sagrado, seja pelas forças de polícia que tratam violência doméstica em âmbito familiar entre casais homoafetivos como "desinteligência" e "vias de fato", negando a aplicação da Lei Maria da Penha contra agressoras em relações lésbicas (o mesmo ocorre entre gays), seja na hora de buscar atendimento médico ginecológico e ter sua homossexualidade desconsiderada em vista do despreparo dos profissionais e suas visões e treinamento totalmente voltados à heteronormatividade, enfim, dá pra escrever anos aqui sobre todas as formas em que uma mulher lésbica pode ser apagada no tecido social, renegando sua existência e aceitabilidade à pornografia e literatura erótica de e para o male gaze, sendo que no cotidiano continuamos a existir e a sofrer todas as formas de opressão delegadas às mulheres com o bônus de ter uma sexualidade desafiadora ao patriarcado pela negação de nossos corpos ao poder masculino, algo tão inaceitável que se cria teorias para burlar esse consentimento, tais como o cotton ceiling, terapias de conversão sexual e o estupro corretivo.

Anônimo disse...

O mesmo imbecil que fez um comentário sobre tudo ser machismo pra feminista. Só perde tempo escrevendo merda porque não tem QI para argumentar essa mula do c******.

Anônimo disse...

"Minha mãe também vai votar e defende, e agora deu pra colocar vários posts no Facebook idolatrando esse candidato..."

Mesma coisa, pior que não é só ela é minha família inteira que vai votar nele e não adianta falar, questionar, lembro de criança indo com meus pais até o diretório do PT no centro de São Paulo buscar broche de estrelinha e bandeira adesiva pra colocar no carro e agora depois de velhos viraram todos bolsonaristas. Outro dia eu perguntei o que foi que eles viram nesse cara e minha mãe candidamente respondeu que "viu alguém pra botar ordem na bagunça", pois só digo uma coisa, esse povo precisa ter cuidado com o que deseja porque pode ser que consigam. Particularmente, não votarei em ninguém este ano no primeiro turno mas no segundo voto em literalmente qualquer um se o adversário for o Bolsonaro.

Anônimo disse...

Voto contra bolsolixo, no 1º e no 2º turno. Odeio votar no 2º turno pq sempre são os mesmos lixos de sempre e espero que o bolsolixo nem vá p/ o 2º turno.

Felipe Roberto Martins disse...

Direita precisa estudar Direito!!!

Anônimo disse...

Eu me cansei do PT e dessa manobra ridícula de colocar Lula sendo candidato sabe-se lá até quando. O Haddad como vice nem podendo participar dos debates televisivos e o Lula tbm não por estar preso. Que bagunça. O PT está brincando com fogo acreditando que ainda está nos tempos áureos e nem quero mais votar nesse partido. Mas nem por isso virei bolsominion.

Anônimo disse...

"Grande parte" o seu cu, babaca

Não vai adiantar nunca vc vir aqui repetir sempre essa mesma merda mentirosa, mascu

Anônimo disse...

Muita gente usa a expressão gay para mulher tbm, pessoas que não fazem part de grupos militantes autoritários e totalitários não se incomodam nem um pouco e não há nada de errado nessa denominação para mulheres. Orientação sexual não é sexo e não tem sexo, se fosse assim, ser hetero, bi, homossexual, trans, etc seriam características e condições exclusivas de determinado sexo. Triste que a orientação sexual das pessoas virou propriedade de militância ideológica autoritária e quem sabe até de partido político. Triste ver um assunto tão sensível e natural ser tratado dessa forma tão tendenciosa.

Anônimo disse...

Apesar de estar descontente com a esquerda brasileira, votar em bolsonaro tbm é um grande erro, é como acionar uma bomba. Esse cara só vai querer fazer o que tem vontade e nem sempre será para agradar o ''cidadadão de bem'', cristão, hetero, branco e rico, que mais cedo ou mais tarde irão se irritar com ele. Será um verdadeiro desastre e após todo o fracasso esse sujeito poderá ser chamado até mesmo de ''comunista'' no futuro por seus antigos fãs. Por mais bizarro que pareça isso pode sim acontecer, até pq muita gente já percebeu algumas coisas em comum entre bolsonaro e alguns setores mais extremistas da esquerda. Prefiro votar na centro-esquerda ou qualquer político de centro que tenha algumas ideias e propostas mais progressivas e pense nas questões sociais de forma razoavelmente racional. O bolsolixo jamais!

Anônimo disse...

Muita gente quer acreditar que a vida em um desgoverno bolsonarista, será viajar p/ Disney, Miami e tbm ''nerds'' trabalhando duro em um Vale do Silício tupiniquim para se tornarem futuros magnatas da tecnologia através da ''meritocracia''.

titia disse...


Homofobia No Brasil: Estatística De Guerra | Brasil de Fato - https://www.brasildefato.com.br/node/11332

"Por trás dos números alarmantes, as histórias das vidas ceifadas pela homofobia carregam uma característica trágica em comum: a crueldade. Na madrugada de 18 de novembro último, o jornalista goiano Lucas Fortuna, de 28 anos, foi assassinado em uma praia de Cabo do Santo Agostinho, litoral de Pernambuco. Militante LGBT reconhecido nacionalmente, Fortuna recebeu golpes de faca, foi espancado e morreu por afogamento. A violência foi tamanha que o jovem ficou com o rosto quase irreconhecível, segundo parentes e amigos que viram o corpo no Instituto Médico Legal do município. A Polícia Civil ainda investiga o caso, mas as evidências indicam crime de ódio. "

"...a vítima Lucas Fernandes Ferraciolly, de Londrina (PR), tinha apenas 18 anos e foi alvejada com tiros na cabeça quando saia de uma boate. Outro homossexual, Antônio Carlos de Oliveira, 34 anos, foi morto a pedradas em um bairro de Natal (RN), na madrugada de 24 de novembro. Uma travesti de Cuiabá (MT), conhecida por Fernanda, foi morta com inúmeros golpes na cabeça e teve o corpo carbonizado sobre a própria cama..."

Não vivemos na era do Goebbels, mascu. Não adianta você repetir uma mentira mil vezes, ela não vai virar verdade, ainda mais com a verdade a dois cliques no Google.

E a verdade sobre mortes relacionadas a relacionamentos é essa aqui, ó, só porque eu sou má e quero que sua vergonha seja maior:

http://g1.globo.com/politica/noticia/2015/11/503-dos-homicidios-de-mulheres-no-brasil-sao-cometidos-por-familiares.html

O estudo "Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres", divulgado nesta segunda-feira (9), mostra que 50,3% das mortes violentas de mulheres no Brasil são cometidas por familiares. Desse total, 33,2% são parceiros ou ex-parceiros."

Ou seja, mascu, fica quietinho aí que só de existir você já está errado. Cala a boca e se recolhe à sua insignificância. Você já deu muito desgosto aos seus pais nascendo, fica calado pra não piorar ainda mais a vida deles.

Anônimo disse...

Grande parte som! Não adianta espernear!

Anônimo disse...

Imbecis não percebem que matar mulher (feminicidio) é crime muito mais grave q apenas matar um homem comum. Matar mulher lésbica (lesbicocídio) é pior ainda.

Anônimo disse...

Tem um vídeo do Mbl que diz que tem mais homem que morre por violência doméstica no Brasil do que mulher.
Alguém aí sabe dizer se é verdade?

Anônimo disse...

Ué titia! Então uma mulher não corre tanto risco de morrer fora do ambiente familiar. Pelo raciocínio das feministas, se a mulher morresse por ser mulher, bastaria ela sair na rua pra ser atacada e morta. Todavia, a pesquisa que a douta titia nos brindou, revela que a maioria das mulheres é assassinada por familiares. Então devemos considerar que estes homicídios são por questões que envolvam nuances mais complexas do que matar pelo simples fato de ser mulher. Ademais, para a anônima das 09:29, matar mulher não é mais grave que matar homem. O art 121 do Código Penal, em seu § 2º, define as formas qualificadoras do homicídio. Por exemplo: matar um homem, por ele ser gordo, não é "gordicídio" e sim motivo fútil, definido pelo referido parágrafo como homicídio qualificado, com pena de 12 a 30 anos, a mesma pena para o feminicídio!!!! Não havia necessidade de criar outro termo, como feminicídio, bastaria aplicar as formas qualificadoras. Matar mulher não fará a pena ultrapassar os 30 anos de reclusão. Esperar o que de pessoas que votaram em alguém que cunhou o termo" mulheres sapiens"?

Anônimo disse...

“e acredita que ele é um heroi, portador de toda honra e honestidade do mundo, e vai salvar o Brasil...”

É também a exata descrição daqueles que apoiam o Lula, o cara tá preso, condenado em segunda instância e usam argumentos falaciosos de que ele foi condenado sem provas, de que é preso político e tal. Até o próprio Lula já se disse ser como Jesus. Aff...

Por isso que eu digo que tanto a direita de Bolsotario quanto a esquerda de Lulamolusco são burras.

Anônimo disse...

Concordo, ela deveria tirar print de tudo e denunciar.

Anônimo disse...

A Lei da Ficha Limpa foi uma iniciativa popular que o PT está tentando jogar no lixo.

Anônimo disse...

..............seja pela força de homens que decidiram redefinir a mulheridade e a sexualidade lésbica para abranger indivíduos do sexo masculino (negando à lésbica o assenhoramento de seu comportamento sexual e sua atração primária por outras pessoas do sexo feminino, rotulando-a de transfóbica caso não ceda à chantagem ideológica), seja pelo recente fenômeno de "transição pós-mortem" de mulheres que não performavam feminilidade mas que sabiam e se consideravam mulheres porque de fato o eram e nesse caso é flagrante o desrespeito à identidade de gênero que em outras situações, envolvendo pessoas do sexo masculino, é praticamente um valor sagrado.............







não sou uma mulher "feminina" e sei exatamente o que é isso aí

a vida toda não me vesti como se espera de uma mulher, provavelmente não me porto como se espera de uma mulher, nunca coloquei um sapato de salto na vida e nas poucas vezes que usei maquiagem foi exigência dos empregos que tive e pra ajudar é claro que sou lésbica

até uns 5 anos atrás isso afetou minha vida com pouco impacto, minha família não cria caso com o fato de eu me relacionar com mulheres e de vez em quando aparecia aquela tia no Natal que insistia em dizer que sou linda e ficaria mais linda ainda de vestido mas fora isso, fora um comentário aqui ou acolá simplesmente vivi, estudei, trabalhei e fiz minhas coisas

mas de uns 5 anos para cá quando a pauta do transsex entrou em voga, quando virou novela, filme, isso e aquilo passaram a me questionar se eu era trans e sempre afirmei que não, que sou uma mulher original de fábrica e não tenho disforia corporal ou qualquer problema com meus seios ou o fato de menstruar e pra quem é mais íntimo vou um pouco mais longe e digo que deus me dibre de nascer homem porque não gosto de pinto nem em foto, que dirá ao vivo e grudado no corpo

mas quando se é da galera LGBT (vamos prestar bastante atenção no L que vem na frente das demais letrinhas) é normal que se faça mais amizades e convivências nesse meio e tudo bem que sou desbocada e já mando uns se foder sem medo mas essa pressão para pessoas como eu se "assumirem homens" é absolutamente real e é uma conversa limítrofe com a tal da cura gay

então meus cabelos são curtos, compro roupas sem gênero definido (até porque roupa não tem gênero, é só um pedaço de tecido assexuado), sou da área de exatas há 25 anos, minha casa é bem clean e sem frufru porque moro sozinha e não tenho tempo de ficar limpando bibelô, meu relacionamento sexual é estritamente com mulheres então é lógico que na verdade tenho um cérebro masculino e portanto sou um homem que pensa ser mulher

eu LITERALMENTE escutei isso, que sou um homem que pensa ser mulher, vindo de gente altamente engajada na pauta e não da tia do Natal

mas tudo bem falar isso pra mim ou pra outras butches ao mesmo tempo em que é o fim do mundo falar essas mesmas palavras para alguém do sexo masculino que realmente pensa ser mulher, aí não, é covardia, é transfobia, é não sei o que, crime contra os direitos humanos

como já passei dos 40 é mais fácil dar um foda-se pra isso e continuar mandando na minha vida mas fico cá pensando no impacto que essa doutrina, porque é realmente uma doutrina, tem na cabeça dos mais jovens

sempre vai ter um homem dizendo a uma mulher que o corpo dela é errado e deveria ser de outro jeito (para agradá-lo), qual a personalidade que ela deveria ter como mulher (para conforto dele), de que forma uma mulher deve pensar (de acordo com ele), com quem ela deve dormir (ele), como ela deve se comportar (pra ele), o que ela deve aceitar (dele), que roupas são ou não aceitáveis para seu gênero (na visão dele), isso acho que vai ter sempre

a novidade pra mim é chamar isso aí de progresso

guerra é paz
liberdade é escravidão
ignorância é força

titia disse...

10:52 eu disse que era melhor você ficar calado pra não passar vergonha, mas você tinha que espernear, fazer birra e matar até seus ancestrais de desgosto, né? Como diz o meme, só porque a vergonha é de graça o povo esbanja...

Anônimo disse...

"Grande parte som" (sic), "som", kkkk putz, q mascu analfabeto

fonte: seu cu, e quem não adianta espernear é vc, babaca

10:43 - não, obviamente não é verdade, mas só pelo fato dessa notícia (fake) ter vindo de quem veio, já dava pra saber q era a mais pura mentira

10:52 - ô seu imbecil

"bastaria ela sair na rua pra ser atacada e morta" - e isso acontece, sua anta

e é claro q o feminicídio envolve outras "~nuances~", seu cretino, mas o componente -misoginia- está presente, e é este, misoginia, o principal fator causador da morte de mulheres por serem mulheres (feminicídio), sua mula

E sim, matar uma mulher é mais grave q matar um homem, e não pelo ~artigo 121 de blablabla~, mas por algo muito maior... a lei da natureza, onde obviamente a vida das mulheres tem mais valor, mascu demente

E é claro q era necessário ~cunhar o termo~ e qualificá-lo como agravante, seu burro, e se vc ainda não sabe... o sufixo "-cídio" é usado em inúmeras palavras: infanticídio, fatricídio, paricídio, uxorcídio, etc.

Seu cu q feminicídio era "desnecessário" - e sim, como fator agravante, matar uma mulher FARÁ a pena ultrapassar os 30 anos de reclusão. Mas esperar o que de uma anta analfabeta funcional, pseudo-jurista e eleitor do bolçoasno?

Manoela disse...

Eu tb concordo que algumas pautas estão se tornando imposições. Mulheres com trejeitos mais masculinos sendo consideradas trans. Assim como acho impositivo essa situação de obrigar alguém a sair do armário.

Anônimo disse...

Nossa, agradeço por você compartilhat tantos conhecimentos e vivências. A realidade das mulheres lésbicas é extremamante invizibilizada, até para quem não é hétero, como eu.