segunda-feira, 25 de setembro de 2017

ESCOLA SEM PARTIDO É NOTA DEZ EM MATÉRIA DE ATRASO

Você precisa se posicionar agora, antes que seja tarde demais. O ódio contra professoras e professores só cresce, e obviamente tem o dedo do hiper retrógrado projeto da Lei da Mordaça no meio (que por sua vez conta com o apoio de todos os políticos reaças e do MBL. Virou uma das principais bandeiras da direita).
"Confusão" não é bem
a palavra, né, jornal?
E a caça às bruxas dos conservadores não se limita a professorxs. Semana passada, em Tubarão, SC, alunxs do ensino médio (não crianças) estavam apresentando um projeto sobre diversidade, em que mostravam um vídeo de Pablo Vittar e falavam sobre uma personagem trans numa novela. Um homem, assessor da Câmara de Vereadores da cidade, invadiu a escola e tentou censurar os alunos baseando-se no Plano Municipal de Educação, que proíbe o termo gênero, orientação sexual, ou sinônimos (não se pode nem pronunciar essas palavras na escola!). E, óbvio, é o assessor quem se faz de vítima e promete que vai processar todo mundo. 
Clique para ampliar
e se horrorizar
Recomendo este texto do ano passado de um site chamado Professores contra o Escola sem Partido. Tem uns prints impressionantes que reproduzo aqui, como este ao lado, de um cara oferecendo 50 reais para estudantes que enviarem vídeos de "professores doutrinando alunos durante e dentro da sala de aula de qualquer curso". A intenção é "denunciar" e "desmascarar" esses professores. Ou seja, jogar o vídeo nas redes para que milhares de reaças acéfalos possam xingar e perseguir os professores (se for professora, então, melhor ainda, porque aí os comentários já vem carregados de misoginia. Se for professor/a negro, é senha para os fascistas exercitarem seu racismo).
Mas não fica só nisso de exigir que a opinião pública execre professores. Num artigo publicado na Gazeta do Povo em 2015, Miguel Nagib, criador do Escola sem Partido, "confessou" que nunca havia ouvido falar na importante teórica Judith Butler, que palestrou na UFBA naquele ano, e deixou transparentes suas ameaças:
A perseguição jurídica a ativistas de movimentos sociais e a tentativa de criminalização já vem acontecendo faz tempo (eu, por exemplo, respondo a quatro processos, três deles de masculinistas que me ameaçam e difamam há anos). 
Mas prometer "dezenas de processos" a professores por lecionar em sala de aula? Distribuir modelos de notificação extrajudicial? Se isso não for censura e intimidação, eu não sei o que é.
São tempos difíceis. Tempos em que Paulo Freire, referência em educação no mundo todo, é demonizado por reaças no Brasil. Em que qualquer politiquinho, qualquer ator pornô, se torna especialista em educação.
E se você acha que são apenas questões de gênero e educação sexual que ficarão fora das aulas se passar essa aberração, você se engana. 
Ameaça bastante explícita a profs
Como bem lembrou a Sociedade Brasileira de Física no final de agosto, o Escola sem Partido é um perigo também contra o ensino de ciências nas escolas (nos EUA há escolas que vetam o ensino da teoria da evolução das espécies, por exemplo). Segundo a SBF, "O que nos garante que uma teoria tal como a do Big Bang não possa ser vetada futuramente em escolas, por contradizer valores religiosos, que obviamente devem ser respeitados, mas que não podem se impor sobre outras formas de ver o mundo?"
Se você acha que estou exagerando, veja um trecinho deste filme americano em que um professor é preso por ensinar evolução das espécies numa escola pública. Inherit the Wind é de 1960, mas parece bastante atual no nosso cenário atual de total retrocesso no Brasil. 
É uma época bicuda em que todos nós precisamos nos posicionar. Por isso fiquei decepcionada ao ver o vlogueiro e biólogo Pirula, tido como um formador de opinião bastante coerente em meio aos Olavões e Nandos Mouras da vida, fazendo um vídeo com o MBL. A entrevista (não vou por o link aqui, mas Pirula é entrevistado por dois portas-vozes do movimento censor e golpista) é embaraçosa por si só, já que Pirula tenta não responder perguntas para "não se comprometer" (nessas horas eu vejo como nós feministas somos corajosas).
Não estou falando de se negar a debater ou de acabar com tentativas de diálogo (se bem que é impossível conversar com trolls). Estou falando de gravar vídeo amigo com reaças. Se não por tudo que o MBL significa em matéria de atraso, pelo menos que seja porque o movimento é um dos principais patrocinadores do Escola sem Partido. Como um biólogo consegue rir e tentar encontrar pontos em comum com um grupelho que empurra um projeto que pode acabar com o ensino de ciências nas escolas?
Talvez o pior é que reaças mentem adoidado. Tanto o Escola sem Partido quando a bancada evangélica (unidos até a medula) dizem representar os interesses da população brasileira, mas simplesmente não é verdade. Uma pesquisa do Ibope realizada em fevereiro apontou que 84% dos entrevistados concordam totalmente ou em parte que professores discutam sobre a igualdade entre os sexos com os alunos. 88% são a favor de aulas de educação sexual. A maior resistência detectada em toda a pesquisa foi na pergunta sobre se deve ser abordado em sala de aula o direito de cada pessoa viver livremente sua sexualidade. "Apenas" 59% dos evangélicos entrevistados concordam. Quer dizer, é a maioria! Nem entre os evangélicos a ideologia da Escola sem Partido é unanimidade.
Quando o Senado abriu consulta pública sobre o Programa Escola sem Partido, proposta pelo senador conservador Magno Malta, foi uma lavada de votos contra. É a enquete com o maior número de votos do Senado. Agora, com ampla campanha de páginas e sites reaças, eles conseguiram equilibrar a votação. Da última vez que chequei, havia 204 mil votos contra a proposição da Lei da Mordaça, perdão, Escola sem Partido, e 196 mil a favor. Você ainda pode votar
Ah, tem outra coisa: a censura e perseguição a professores defendidas abertamente pelo Escola sem Partido não são exclusividade daquele projeto. Há outros. Um exemplo é o projeto de um vereador evangélico de Curitiba que quer que todo texto, livro, vídeo ou áudio que seja mostrado em sala de aula obtenha "a anuência expressa de cada família". Em outras palavras, são os pais que devem decidir tudo que seus filhos verão na escola. E se um pai for contra a escola ensinar a sua filha de 14 anos que DSTs existem e que deve-se usar camisinha sempre, pronto, isso não poderá ser pauta na escola.
E logo logo, nesse retrocesso em que vivemos, a perseguição chegará também às universidades. A hora de barrar esses obscurantismos moralistas é agora. Já!

39 comentários:

Anônimo disse...

Isso é o reflexo do exagero dos progressistas em querer dizer que existem 79 gêneros na espécie humana, agora radicais piores que estão tendo sua munição.

Anônimo disse...

Infelizmente esse projeto é como dizer assim: não queremos SUA ideologia ensinada na escola, isso existe pq já há uma ideologia ensinada, me lembro do meu ensino médio o professor de história falando que Mao Tse Tung foi um grande líder, que a Lamarca lutou por democracia, ouvi o professor de geografia demonizar o Ocidente, etc.

Anônimo disse...

Estamos ferrados. Já votei contra e tenho falado com quem convivo contra o Escola Sem Partido. Só lamento que é bem possível que juízes decidam favoravelmente aos reaças... abraços querida e seguimos na luta!

Cão do Mato disse...

Esses imbecis do Escola Sem Partido têm tanta certeza daquilo em que acreditam que não querem debater, querem impor suas idéias. Sabem que no debate eles perdem. São verdadeiros "broxas de neurônio".

Anônimo disse...

Certa vez eu ouvi um cobrador de ônibus defendendo o passe livre :P

Anônimo disse...

Considerando que temos um dos índices educacionais mais baixos do mundo, é curioso ver professores unidos em torno da "mordaça" (spoiler: não é) e não para alavancar o sistema como um todo.

Anônimo disse...

O projeto apenas proíbe que professores usem a sala de aula para fazer proselitismo ideológico.

Anônimo disse...

Este é mais um motivo para nunca ter filhos. Educar crianças é caríssimo, e ainda há o risco de se produzir um reacinha. É piada.


Admiro a China que apoia o aborto. Ela vai dominar o mundo. Força ao controle de natalidade. Por um mundo childfree.


Anônimo disse...

Os professores não têm o direito de transformar a sala de aula em um instrumento para transformar os alunos em esquerdistas, direitistas, socialistas, conservadores ou qualquer outra ideologia. Há muitos lugares onde os professores esquerdistas podem propagar as suas ideias erradas.

Anônimo disse...

Eu não fico surpresa quando leio a respeito, pois MBL, entre outros "movimentos" são mantidos por partidos, grupos poderosos internacionais e brasileiros e principalmente os Estados Unidos querem o caos instaurado na América Latina. Dizem não ter "fins lucrativos", mas tem dinheiro para bancar cagueta, contradizem tudo aquilo no tocante aos "valores" que dizem ter, mas também a quem dá respaldo e menciona o mesmo. Os Koch devem estar orgulhosos de seus pupilos por instaurarem em um país já desunido mais desunião agora vinculada a perseguições, ameaças de morte e "sumiços" de desafetos, mas é só o começo e quando a coisa começa a feder os tais "líderes" transferem responsabilidade ou desviam o assunto.

Rafael Cherem disse...

Acompanhei as audiências públicas no Congresso, foi um festival de imbecilidade ( o que se esperar de gente como Feliciano e Bolso jr?) não adiantou a nenhum apelo à razão, ao raciocínio, nada vezes nada, o que percebi é que o ESP é baseado primeiro na doutrina evangélica neopentecostal e segundo na paranoia anti-comunista que cresceu nos últimos anos, ou seja, é uma loucura que nem a ditadura militar ousou fazer.

Tenho filho, acho uma pena que ele vá crescer em um país que fez a opção pela ignorância.

Anônimo disse...

Nunca vi ninguém revoltado quando há proselitismo de esquerda

Anônimo disse...

As crianças são o maior escoadouro de dinheiro no mundo. Perde-se muito com elas, que comem e gastam sem parar.

Uma pessoa feminista de verdade não coloca mais mão de obra barata no mundo. É burrice ser cúmplice dessa exploração.

Anônimo disse...

Eu fiquei incomodada com esse vídeo do Pirula. Apesar de entender que, apesar de tudo, se a gente não for civilizado ao menos pra sentar e debater com essa gente, o mundo tá perdido mesmo.... não acho legal ficar batendo palma pra palhaço. E entendo que JAMAIS a mesma cortesia seria estendida deles para qualquer coisa que discordem (a não ser, claro, se for gerar views). É o paradoxo da tolerância (recomendo o podcast mamilos sobre o assunto).

Honestamente, queria ter estomago pra assistir e debater. Infelizmente acho que a minha postura de 'não leio, não existe' só trás benefícios a essa corja do mbl e escola sem partido.

Anônimo disse...

Coloca uma matéria eletiva a esse respeito de opinião política, moral e etc e pronto.

Anônimo disse...

Se você acha que o Pirula é feminista se engana. Olha só os amiguinhos dele, como o Clarion de Laffalot.

titia disse...

Eu estou tão cansada dessa porra toda que só vou dizer que, da próxima vez que um professor direitista vier com essa caralhada de ode ao capitalismo, família, moral e bons costumes, coisa de menino e coisa de menina, natureza, macho e fêmea etc. que tal denunciar o desgraçado? Pode-se fazer o mesmo com professor que vier com "a Bíblia diz isso" e "Deus criou assim e assado, portanto blábláblá". Se eles insistirem em impor esse projeto, usem-no contra eles mesmos. Denunciem o proselitismo religioso e a doutrinação ideológica direitista.

É proibido falar em orientação sexual? Adivinha, bando de vermes, se é proibido falar em LGBT é proibido falar em Bíblia também! É proibido falar em gênero? É proibido falar em "natureza masculina" e "natureza feminina" também! Se não pode doutrinação nenhuma, vocês também tem que calar a porra das suas bocas, enfiar suas ideologias direitistas no cu e se aterem a ensinar o que está no livro - ah, e o livro também não pode conter doutrinação ideológica, então nada de dizer que nazismo é filosofia de esquerda (o próprio Mussolini já disse que é de direita) e nem de falar em criacionismo em sala de aula.

Esses bostinhas falando em lei da mordaça só querem aparecer. Se forem denunciados dia sim dia não por doutrinação ideológica, se forem boicotados na internet, se toda semana eles tiverem que responder a uma denúncia por doutrinação - ou seja, na hora em que forem chamados a assumir responsabilidade pela cagada que fizeram, na hora que a lei da mordaça voltar pra morder o rabo deles - mesmo que nenhum vá a processo vai deixar de ser divertido e essas antas (perdoem-me, antas) vão desistir na hora de dar showzinho. Então, pessoas, atormentem esses putos sem parar com a lei da mordaça. Denunciem. Prestem queixa. Reclamem. Façam eles sofrerem pra pagar cada vírgula do Escola Sem Partido e eles vão voltar chorando pra saia da mamãe.

14:28 mas aí é só vocês direitistas de merda pararem de fazer proselitismo ideológico.

Anônimo disse...

As nossas universidades todas estão infiltradas de gramscismo. Para ensinar português, o que você faz? Não ensina mais gramática. Você vai e dá um texto para o aluno de um tema social. Os nossos alunos chegam à universidade analfabetos porque, ao invés de aprender português, aprendem marxismo.

Cara Valentina disse...

Um protestante não passa de um revolucionário antigo. Tá todo mundo em casa.

Anônimo disse...

Argumento de quem sabe nada sobre educar. Você não sabe o que ser professor. Menos, menos.

Anônimo disse...

Sim, titia, isso tem que valer para a esquerda e para a direita. O nome do projeto é "Escola sem Partido" e não "Escola sem PT" ou "Escola sem PSOL"

Ch..f disse...

"Escola sem partido" e qualquer outra coisa similar é intromissão na educação por gente que simplesmente não entende nada de educação, não faz ideia da importância da escola e não imagina nem de longe o que é ser professor. E querem saber por quê? Porque reaças são pessoas, em regra, ignorantes, mas tristemente não sabem disso.

Prof. Ane Santos disse...

Entre os próprios pesquisadores da educação, não há consenso em como trabalhar certas situações e assuntos em sala de aula. Imagine ter que ouvir pitaco de certas famílias ou políticos. Mas, claro, população que não seja crítica não se preocupar em acompanhar seus representantes políticos e cobrar seus direitos.

=)= disse...

Pirulla já falou que o Ricardo Felício (professor negacionista do aquecimento global) estava se queimando ao ir ao canal do Nando Moura, pois nem ele nem quem assistia se importava com a base científica, se as coisas tinham ou não fundamento. Pode-se dizer o mesmo do MBL, pelo que eles postam, os "argumentos" e métodos que utilizam. Entendo as motivações dele em participar, mas sinceramente, não acho que foi positivo. Eles não estão nem aí pra aquecimento global ou ciência, vide a quantidade de perguntas fizeram sobre política e economia mesmo sabendo que são assuntos que ele não domina, só para ficarem panfletando para os seguidores.

Rafael Cherem disse...

Mentira.Aliás quem dera se lessem Gramsci nas escolas.Isso ai de doutrinação é mero delírio conspiratorio.

Rafael Cherem disse...

Pirula é um isentao,ou seja,covarde.

Anônimo disse...

Estudei em um colégio extremamente conservador (que sequer é católico) e gostaria muito que o Escola Sem Partido existisse naquela época.

Anônimo disse...

Nunca li tanta besteira

Anônimo disse...

a) Imagina um reaça conservador se intrometendo nas aulas de Historia querendo que o professor ensine que nazismo e de esquerda que a ditadura nao ocorreu e outras bobagens.

Lola ja falei temos que limpar o congresso ano que vem vou votar no Psol e Ciro Gomes.

Anônimo disse...

Ciro Gomes é mais de direita que a maioria do DEM.

Só virou "esquerdista" pq é destemperado e brigou com Deus e todo mundo no seu partido original(PSDB).

Rafael Cherem disse...

Ciro Gomes é mais de direita que a maioria do DEM.

Só virou "esquerdista" pq é destemperado e brigou com Deus e todo mundo no seu partido original(PSDB).

Bom, provavelmente teremos Rui Costa Pimenta e Nildo Ouriques se o PSOL deixar, de toda forma, Ciro é o mais preparado e é sinal claro de nossa opção pela ignorância ele estar atrás de Bolsonaro.

Anônimo disse...

O pt da Alemanha foi um dos partidos mais toscos da história da humanidade.

Sem falar que aquela época foi cheia de corrupção e guerra.

Anônimo disse...

A esquerda perde território minuto a minuto para a direita, e não é somente por causa dos fascistas e dos esquerda-fake, não. Há vários motivos: os que se recusam a enxergar os infiltrados de toda sorte; muita falação e pouca ação; muita análise, mas só dentro da trincheira; narcisismo; arrogância; confusão mental, por não entenderem como as coisas funcionam, não por as coisas serem 'confusas', pois não são confusas, são complexas... muita energia gasta em falsas-lutas em ambientes virtuais com a suposta nêmesis conservadora, mas que na verdade são abraços em areia movediça e, quanto mais esperneio há, mas se afunda; muito apego à zona de conforto e muito medo da zona de batalha; agressão interna às poucas que conseguem lucidamente pôr a cabeça pra fora do ringue de areia movediça e ver acima das ilusões; muito olhar-para-o-outro-lado quando essas mesmas poucas lutadoras são agredidas fisicamente e caladas nas universidades e locais de pensamento e de ação; adesão total à falsa-oposição estadunidense liberal-conservador, que são o mesmo, são a política econômica dominante do 1%, e só tem uma falsa-diferença nos costumes, que usam para dominar culturalmente todo o espectro político e atingir seus objetivos; apego desesperado às migalhas que o mainstream midiático dá aos supostos valores de esquerda (valores liberais dos EEUU infiltrados), agarrando-se a essas migalhas como tábuas de salvação no naufrágio do Titanic, fingindo não ver que esse mesmo mainstream que foi o principal alavancador social e cultural do golpe de 2016, não ficou bonzinho de repente, e negando-se a ver que há uma agenda deles; ilusão, negação, omissão, narcisismo, misoginia, medo, inação, depressão (depois se surpreendem com pirulas, karnais, paloccis e rebelos); recusa em reconhecer que não são tão intrinsecamente diferentes dos que dizem combater, pois suas subjetividades estão formadas e formatadas pelos mesmos afetos enfraquecedores, pelas mesmas paixões tristes, pela mesma ignorância das relações entre tudo, e que essas vossas subjetividades moldam tudo que sai pelas vossas bocas, tudo que vocês pensam e não pensam, fazem e não fazem, e são também o narcisismo que disfarça essa ilusão essencial com racionalizações e arrogâncias e os impedem de romper vossas couraças - muitas vezes só rompíveis mesmo com a prática séria e intensiva de psicoterapias corporais.
Quem está fraco, povoado por receptores afetivos dos microfascismos, vivendo assim, encouraçado, nem sabe por onde começar a lutar... fica nesse eterno círculo de 'ai, tô com medo, olha o que está acontecendo...' e de 'temos de nos posicionar...' mas nem faz ideia do que FAZER. São apenas reativos, ou nem isso, porque nem sequer reagem à altura das ações que os medievalismos estão fazendo. E dá-lhe perder território de expressão e de existência. Para um corpo forte, saudável afetivamente, ético, ativo, o que fazer não é nem matéria de dúvida, não há confusão, há conhecimento, há sabedoria das relações entre as coisas, e a ação não é só mesmo conhecida, como é automática. O forte, o ético já está se organizando, já fez a estratégia de ação coordenada e coletiva, já distribuiu as tarefas entre os aliados (os verdadeiros, que para o ético são de automática detecção) e todos já estão agindo e comunicando-se em uma rede de auto-feedback plenamente potente e realizadora, já foram além das reações um-a-um a cada ação da direita (o que nem sequer vocês fazem), e já as superaram e agora ditam as regras, são os donos do jogo, agem na frente, são super velozes, não se deixam subjugar e moldam a cultura.
E aí, já começaram a agir? Ééé... esperneio agressivo de desconforto e ressentimento em relação a vossa imagem no espelho esfregada nas vossas caras não serve, tá. Não é ação, é doença. E aí? O que fazer? Já começaram a montar a estratégia de ação? Já a estão executando? Já se limparam dos afetos enfraquecedores, do narcisismo e das couraças? Não tem ordem entre essas coisas, não, viu. É pra trocar o pneu com o carro andando. Isso sim é revolução.

Viviane disse...

Por favor, ao menos cite a fonte dessa sua afirmação.
Que vergonha, gente que dá ctrl+c/ctrl+v em discurso de reaça querer dar palpite em Educação...

Anônimo disse...

Escola Sem Partido para evitar também que diretórios escolares sejam ocupados por partidos políticos, como aconteceu no RJ.

Anônimo disse...

Politica e religião deveriam ser eletivas.

Anônimo disse...

Ciro Gomes é um bosta. Se eleito, aquele coronelzinho seria como um novo Sarney, só que mais burro e falando mais palavrão.

Anônimo disse...

"isentões" são os verdadeiros revolucionários. O resto é só massa de manobra mesmo.

Anônimo disse...

Super revolucionário ficar em cima do muro, nossa! Vão ser os primeiros a caírem quando o muro for derrubado, coitados hahahaha