sexta-feira, 8 de julho de 2016

ESCOLA SEM PARTIDO: PERSEGUIÇÃO FUNDAMENTALISTA A PROFESSORXS

O famigerado projeto Escola Sem Partido ainda nem foi aprovado (e, se depender da maioria dos professores de todo o país, jamais será), mas conservadores já estão colocando suas manguinhas de fora.
Uma discussão proibida em escolas
que proíbem estudantes de pensar
Como todo mundo sabe, reaças elegeram como seu inimigo número 1 a "ideologia de gênero" (entre muitas aspas, pois é tanto uma ideologia quanto qualquer outro pensamento; por exemplo, achar que homens e mulheres têm papéis diferentes na sociedade também é uma ideologia). Não sabem nada sobre gênero, espalham mentiras, juram que aulas fariam meninos virarem meninas (ou que alguém quer que isso aconteça). Ou sejam, são trogloditas completos, mas as Câmaras de vereadores e nosso Congresso estão repletos dos mais ignorantes desses fundamentalistas cristãos.
Junte-se a isso a crença reaça de que professorxs são todos comunistas loucos pra doutrinar os filhos alheios. Ora a gente quer transformar menino em menina, hétero em homo, ou fazer com que todas as criancinhas sejam marxistas. Qualquer pessoa que já entrou numa sala de professores (tanto na educação fundamental quanto na superior) sabe que a realidade é bem diferente. Grande parte dos professores é conservadora. Se não fossem, nossas escolas provavelmente seriam melhores.
Porém, acredito que mesmo os professores conservadores sejam contra esta verdadeira Lei da Mordaça que é o Escola Sem Partido. O projeto quer proibir que as pessoas se expressem em sala de aula. O alvo é exatamente qualquer professor que pronuncie a palavra "gênero" na escola. 
O mais chocante é que os PCNs (Parâmetros Curriculares Nacionais) sugerem há duas décadas que discussões sobre gênero e tolerância sexual façam parte da rotina escolar. Reaças acham que é algo recente!
Vejam este caso que aconteceu agora numa escola em Brasília: uma deputada cristã se incomodou porque um professor pediu para sua turma do segundo ano do ensino médio um trabalho sobre homofobia. Pois é, discutir homofobia é doutrinar adolescentes! Como se a homofobia não existisse, ou como se não fosse dever de todo o país combatê-la! Tem quem combata homofobia (e machismo, e racismo), e tem quem combata quem combate homofobia. De que lado você está?
Pedi para Roselene Cândida, arquivista, mestranda em Ciências da Informação pela UnB, servidora pública e moradora em Ceilândia, DF, para que escrevesse sobre este caso escabroso.  

Clique para ampliar
Segunda-feira, dia 4 de julho. A cidade-satélite de Ceilândia, região da periferia que possui o maior número de eleitores do Distrito Federal, porém esquecida pelos políticos locais, foi bombardeada com uma notícia que atenta a democracia, a dignidade humana e a liberdade de expressão. 
A Deputada Distrital e Pastora Evangélica Sandra Faraj mandou o Ofício nº 008/2016-GAB18, encaminhado no dia 21 de junho de 2016, ao colégio Centro de Ensino Educacional nº 06 de Ceilândia, endereçado ao diretor da instituição. 
O ofício afirmava que a deputada ouviu de um responsável legal que era para fazer um trabalho de Biologia, em grupo, a respeito dos temas relacionados: homofobia, integração de gêneros, pansexualidade, relações poliamorosas e transexualidade. De acordo com o conteúdo do ofício, a deputada afirma que a Câmara Legislativa suprimiu as expressões “identidade de gênero” e “orientação sexual” da proposta encaminhada pelo Poder Executivo. Ou seja, o professor não poderia fazer o trabalho dentro de sala de aula.
Falar de política em igrejas tudo bem,
mas em escolas? De jeito nenhum!
A deputada é conhecida pelo seu posicionamento conservador e pelo projeto de lei 01/2015, conhecido como Escola sem Partido, em trâmite na Câmara Legislativa. Trata-se de um modismo conservador, criado pelo advogado paulista Miguel Nagib, inconformado com o professor da escola da filha ter comparado São Francisco de Assis com Che Guevara. 
Segundo Faraj, no mesmo ofício, a escola está intimada a entregar a resposta à Câmara Legislativa, no prazo de 30 dias, sob pena de Crime de Responsabilidade.
Tuíte do idealizador da Escola Sem Part
A situação causou perplexidade e revolta em todo o Distrito Federal, tendo em vista que se trata de uma forma perversa de censura a uma escola da periferia, que estava de acordo com os parâmetros curriculares vigentes. O Mídia Ninja vazou o conteúdo do ofício, que foi automaticamente disseminado por vários perfis do twitter. 
As pessoas ficaram bastante perplexas com o abuso de autoridade e a sanha de censura da deputada Faraj, cuja cruzada cristã assemelha-se em doutrinar suas ovelhas ao que ela apenas acredita que tenha que ser melhor para ela, mas não para o Estado Democrático de Direito e para a Constituição de 1988.
Slogan do site Escola Sem Partido
As autoridades locais não tardaram a agir diante desta insanidade. A Secretaria de Educação do Distrito Federal afirma que o Plano Distrital de Educação, sob a Lei 5.499/2015, contempla a discussão em sala de aula e o respeito às diversidades ética, cultural, sexual e de gênero. Ou seja, a afirmação da deputada de que houve a supressão de tais termos não condiz com a verdade. Ela não deveria questionar um item de algo que está em pleno vigor legal, segundo a Secretaria.
O Sindicato dos Professores do DF (Sinpro), uma das categorias profissionais mais fortes do DF, foi mais incisivo sobre as atitudes da deputada. A diretora Rosilene Correia afirma que o projeto de lei apresentado pela deputada é uma Lei da Mordaça e que o plano curricular está em pleno vigor.
Como reaças veem a educação
O Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente (CDCA/DF) afirma que foi aprovado em plenário uma moção de apoio à escola, que fez um trabalho afirmativo sobre a diversidade, para construir um trabalho de cultura à tolerância e paz. O CDCA/DF aprovou uma nota de apoio ao professor e vai pedir à Promotoria de Defesa aos Direitos da Infância e Juventude do DF para analisar a postura da parlamentar Sandra Faraj. 
A Deputada Federal Érika Kokay entrou com uma representação contra a deputada na Câmara Legislativa por quebra de decoro parlamentar. Segundo Kokay, a deputada não deveria ter mandado um documento de competência exclusiva da Mesa Diretora a uma escola. Além disso, a deputada teria ferido a dignidade humana e a liberdade de expressão.
O que podemos dizer do triste episódio de uma parlamentar, partidária da “Escola Sem Partido”, que tentou atingir, de forma leviana, uma escola da periferia? Que, apesar dos tempos sombrios do golpe, o sopro da democracia existe. E que todo trabalho pedagógico merece respeito, porque há supervisão da direção da escola, dos orientadores e dos professores da área. 
A cultura da tolerância e da paz merece ser cultivada em cada espaço escolar. Se cada parlamentar realmente estivesse preocupado com a realidade da periferia, não teríamos a desigualdade social como uma das maiores marcas que o Brasil sustenta. Porém, esta não é a preocupação da nobre parlamentar. A preocupação dos conservadores é mesmo brecar a diversidade, a tolerância, a democracia.
Laerte, sempre genial: contra camisas de força

71 comentários:

titia disse...

Professor não é educador? Então porque eu, que estou fazendo licenciatura em artes visuais, precisei passar por mil cadeiras insuportáveis de educação? Hum? Por que tive que ficar horas morrendo de tédio nas cadeiras de introdução à arte educação, fundamentos da educação, arte educação assim, arte educação assado, arte educação frita, cozida e ensopada com pimenta e couve flor? Eles realmente não tem a menor vergonha de serem tão idiotas assim?

Peraí, vou buscar as minhas fichas, trabalhos e textos das cadeiras de educação, juntar tudo num monte só e dar uma surra neles pra ver se assim entra qualquer coisa além de merda nessas cabecinhas de privada.

Pessoal, não devíamos ter trapaceado tanto a evolução. Esses acéfalos não tinham que existir, eles deviam ter sido extintos há 1500 anos. Se esses caras continuarem infectando a humanidade com burrice, nós vamos ser extintos antes mesmos da água secar e da comida acabar. A humanidade será reduzida a zumbis raquíticos e burros tentando contaminar pobres inocentes com a própria falta de qualquer matéria cerebral funcionante. Precisamos impedir isso urgentemente.

Quanto à quadrilha religiosa, é claro que eles não querem política sendo ensinada, imagine, se as pessoas aprenderem sobre política nas tetas de quem eles vão mamar? Com educação de qualidade não tem curral com ovelhinhas prontas pra serem ordenhadas até a falência pro pastor poder comprar carrões e iPods e a pastora poder comprar brilhantes de 24quilates e roupas nas butiques exclusivas. Eles talvez até tivessem que, oh horror!, trabalhar! Imagina que tragédia o pastor e a pastora tendo que bater ponto e ralar pra pagar as contas do mês? Hereges! Pra fogueira com esses esquerdistas e feminazis que exigem que os religiosos... oh horror, oh, horror... trabalhem (arrepios) e ganhem a vida honestamente.

Anônimo disse...

A Internet é um negocio espetacular. Como ela deu voz as mentes mais primárias, mentes como as que vejo postando e comentando neste blog. Inacreditável.

Anônimo disse...

Quem não gosta de educação é a esquerda, tanto que não tem ninguém, sequer razoavelmente inteligente no mundo todo, só aproveitadores.

Anônimo disse...

Pessoal, raciocinemos: você entra numa universidade e a professora é a Lola! Você vai aprender o que? Isso anima alguém?

Anônimo disse...

titia: quem gosta de mamar de forma comprovadíssima é o PT, os "politizados" e seus amigos.

Anônimo disse...

Olha só, uma mulher, deputada. Oh meu Deus! Certamente a parlamentar está dominada pelo sistema patriarcal de tal forma que bloqueia sua capacidade de discernimento. Mesmo ocupando tal cadeira, seu cérebro não consegue se libertar desta cultura machista, ó pobre mulher! O ser mulher é incapaz de promover estas desgraças no seio da sociedade, não é mesmo? Somente os homens é quem são responsáveis pelas mazelas do mundo. Dê poder a qualquer um, independentemente do gênero ou orientação sexual e veremos estas aberrações.

Anônimo disse...

Professor não é educador? Então exijo o direito de recusar a entrada de criança mimada e mal educada em sala de aula. Exijo o direito de recusar a matrícula de criança que não saiba falar por favor, obrigado e com licença, de criança que interrompe minha fala, que fala alto demais, que não faz dever de casa, que levanta da carteira fora de hora, que não chega na sala no horário. Exijo que não seja mais meu dever intervir em situações de bullying nem "entender" quando o filho de alguém "está passando por um momento difícil". Afinal, meu papel é só repassar conteúdo e foda-se o contexto social. "Professor não é educador", faça-me o favor. Existe um jeito muito mais eficiente de garantir que a escola não está indo de encontro aos seus "valores morais de família" nem professor está "doutrinando seus filhos": vai na porra das reuniões da escola. Responda à porcaria dos bilhetes que o professor passa. Conversa com o dito cujo, esse ser misterioso e inacessível, quando for pegar seu filho. Escuta o que o corpo docente quer comunicar e acompanhe a ementa das disciplinas pra ver se o conteúdo está sendo todo passado. Pronto, acabou o problema horrível de professores da ditadura gayzista mulherista comunista gramsciana que ameaça o Brasil.

Anônimo disse...

OFF, mas queria reiterar esse comentário:

Não é a direita q defende o direito à propriedade sobre tudo o q eu quiser e ng mais pode botar o bedelho? Ora, se segundo a lógica anarcocapitalista, eu teria o direito de matar uma PESSOA NASCIDA por ela estar no meu terreno (pois é minha ~propriedade privada~), o q dirá um embrião se alojando no meu corpo, não há propriedade mais privada do q o corpo, logo direitistas de merda, respeitem o espaço mais privado q existe, q é o meu corpo, e lá só entra ou fica quem eu quiser, assim como no quintal de bosta de vcs

Anônimo disse...

A direita é muito alienada, puto q fugiu

Anônimo disse...

Por isso q o país e a educação estão a merda q tá, direita tomando conta do país é assim

Cesc Biavati disse...

Um dia ainda teremos "HOMESCHOLLING" igual Estados Unidos, Áustria, Bélgica, Canadá, Austrália, França, Noruega, Portugal, Rússia, Itália e Nova Zelândia.

Nada mais justo que uma pessoa ter o direito de ensinar seu filho da maneira que quiser, dentro de sua case, caso queira. Retirar seu filho de instituições públicas dominada por marginais, professores doutrinados, desrespeito para com valores morais e religiosos. No Homescholling, os pais pode contratar professores particulares, estar próximo a educação e aprendizado dos filhos sem interferência que os prejudique em sua formação intelectual, caráter e personalidade.



Anônimo disse...

13:10 Engraçado é que vemos isso vindo apenas de homens ou melhor vários, ai quando uma mulher aparece você diz que não tem nada a ver com o gênero? Mesmo a diferença sendo absurda?

Anônimo disse...

O fato de haver um projeto desses no parlamento (chegou na câmara de minha cidade também) é prova do fracasso educacional do país, ora, acaso nossa educação fosse de qualidade o debate público nacional sobre o tema estaria em um nível bem melhor, esse tipo de proposta jamais vingaria, visto que é totalmente anacrônica, visando um inimigo - comunismo- que não existe, fora na cabeça de alguns lunáticos. Só mesmo sendo um completo imbecil e analfabeto funcional para temer qualquer tipo de doutrinação partidária dentro de sala de aula, coisa que a ditadura militar extirpou com seu modelo educacional alienante e imbecilizante, portanto, nosso problema educacional não é doutrinação coisa nenhuma e se tivéssemos gente alfabetizada no parlamento esse tipo de asneira já teria sido arquivada.

Em tempo, o avanço desse conservadorismo imbecil brasileiro, segue a esteira dos neopentencostais, com todo o respeito, vamos estudar ai povo evangélico, chega de votar em pilantra, em gente estúpida, não é possível isso.

Rafael

Mila disse...

A intenção desse projeto, à primeira vista, parece boa. Os mais suaves dirão que é uma forma de que seu filho não sofra com o assédio ideológico e que as restrições vão valer para a esquerda e a direita.
Mas é só cavar um pouco mais para descobrir que é justamente nas brechas que esta lei vai agir.
Só de pensar que assuntos como bullying e violência escolar (que perpassam por racismo, homofobia, gordofobia etc) são sumariamente categorizados como coisa de "esquerdopata" e serão tachadas de doutrinação. Não duvidem que educação sexual entrará nessa seara.
Por fim, acredito que isso reflita uma mentalidade paranoica de conspiração comunista satânica para dominar o mundo. Voltamos à época em que se acreditava que a esquerda comia criancinha. O terreno para o totalitarismo está preparado.

titia disse...

12:58 porque Aécio, Serra, Cunha e Temer nunca mamaram, né? Imagine, os respeitáveis políticos de direita nunca chegaram perto de uma teta... quer um pé de cabra pra tirar sua cabeça de dentro da bunda?

12:53 aprende o que você não aprendeu, a ser gente.

12:48 desde quando o mundo é de esquerda? Que foi, cabulou a aula de História pra medir o pinto com os coleguinhas no banheiro?

13:10 claaaro que a deputada não está influenciada pelo machismo, afinal todos sabemos que não existem mulheres machistas, são todas feminazis gordas peludas lésbicas gayzistas odiadoras de homem tentando fazer um jogo de emasculação com vocês e negar-lhes o acesso a vaginas, coitados de você e dos outros mascus...

Mais gente pra entrar na lista "Mais inútil que um torrão de bosta mas se acha a coisa mais preciosa da Terra", e incluo aí os direitistas, os anti-mulher e os idiotas rematados citados no texto, sejam homens ou mulheres. E principalmente a abominação da natureza que veio com esse "Professor não é educador".

Anônimo disse...

"Olha só, uma mulher, deputada. Oh meu Deus! Certamente a parlamentar está dominada pelo sistema patriarcal de tal forma que bloqueia sua capacidade de discernimento. Mesmo ocupando tal cadeira, seu cérebro não consegue se libertar desta cultura machista, ó pobre mulher! O ser mulher é incapaz de promover estas desgraças no seio da sociedade, não é mesmo? Somente os homens é quem são responsáveis pelas mazelas do mundo. Dê poder a qualquer um, independentemente do gênero ou orientação sexual e veremos estas aberrações."

Meu, como homem é estúpido. Preciso parar de me aprofundar na psique masculina porque isso já está interferindo nas minhas relações interpessoais com homens concretos.

Os valores que ela defende são valores masculinos/patriarcais. A valorização do masculino e a desvalorização do feminino, por exemplo, é extremamente comum entre as mulheres. A autodepreciação, o ódio ao próprio corpo.... Mulher, homem, hetero, homo, bi, cis, trans, vermelho, azul, lilás... não importa, se o ponto de vista for masculino, é isso aí que se apresenta. Inclusive, a desconstrução da misoginia da própria mulher é sempre um processo de muita angústia e dor. Perceber a própria misoginia, sendo mulher, é extremamente doloroso. Dar-se conta de que até aquele momento você olhou para si com a lente masculina é assustador, embora esse momento catártico seja libertador, justamente porque é o momento em que a misoginia patriarcal deixa de ter qualquer valor ou de fazer qualquer sentido para você. É um momento de extrema lucidez.

Anônimo disse...

É claro que se fôssemos tacanhos e individualistas como os direitopatas, eu diria ao anônimo de 12:53 exercer o seu livre direito de ir procurar outra universidade se não estiver contente.

Concordo com você 13:31, se os pais estivessem tão preocupados com educação, seriam mais presentes na vida escolar dos filhos. Principalmente pai que nem dá as caras em reunião de pais. Alguns sequer sabem qual série os filhos cursam.

natalia disse...

Anônimos reaças,
vocês estão muito preocupados com o fato de seus filhos terem por professor um defensor do comunismo? Fique com eles em casa e ministre as aulas você mesmo. Vai ser uma beleza.

Anônimo disse...

Os piores tipos da direita são justamente os que ganham mais destaque.

Anônimo disse...

Por isso q o país e a educação estão a merda q tá, direita tomando conta do país é assim

Engraçado, na época do regime militar meus pais sempre disseram que escola pública era de qualidade igual ou superior que escola particular. Minha avó tinha aula de francês, latim e música, sabia ler e escrever e sem ter terminado o primário.

Hoje, com os "especialistas" tomando conta do MEC, as crianças terminam o ginásio sem saber ler e escrever nem somar. Terminar o colegial como analfabetos funcionais e a a maioria termina a FACULDADE como analfabetos funcionais.

Tem certeza que a educação tá uma merda por causa da direita?

Anônimo disse...

Ta explicado o porque de um país do tamanho de Sergipe como Israel ganhar um Nobel atrás do outro em ciências e ser ponta em desenvolvimento tecnológico é nós com 20vezes a população deles e 50vezes em tamanho mais 1000vezes em recursos naturais nunca termos levado nenhum. E porque nossos professores de biologia e outras matérias em vez de ensinarem a disciplina como por exemplo ciências biológicas ficam a aula toda falando de achismo de gênero, sim porque isto não passa de achismo.

Anônimo disse...

Ontem saiu o ranking de matemática básica entre 137 países, o Brasil está em 133° posição, que vergonha professores, eu teria vergonha de ser professor e apresentar resultados destes. E isto é geral em todas as matérias, e aluno falando "nois vai, nois vem, noi cumemo" e aluno não sabendo a básico do básico em química, física nada, agora aluno replicando o que o professor de humanas diz( "uso recreativo de drogas, meninos podem ter perereca, e meninas podem ter pipi")
E um sucesso

Anônimo disse...

Primeiro vocês tentaram fazer uma universidade como um reduto/bunker da esquerda, agora que a casa caiu, querem uma escola sem partido. Que coisa!

Anônimo disse...

(Viviane)
Anon de 13h31, embora eu concorde com seu discurso sobre o papel do professor, me preocupa muito a repetição desses chavões sobre "educação vem de casa". Creia, isso tudo que você citou é sim papel do professor, o qual, assim como o aluno e sua família, também não é "santo". Há docentes negligentes, preconceituosos, incompetentes para lecionar a própria disciplina...
E eu aproveito para perguntar por que alguém escolhe uma profissão para passar a vida reclamando e culpando o objetivo de seu trabalho - o aluno - pelo próprio fracasso. Juro, isso não entra na minha cabeça...

Anônimo disse...

O número de comentários diminuiu muito aqui...

Anônimo disse...

Anon das 12:48 : A “esquerda” favorece o controle estatal da economia e a interferência ativa do governo em todos os setores da vida social, colocando o ideal igualitário acima de outras considerações de ordem moral, cultural ou religiosa. Justamente para que haja mais educação, respeito e cidadãos respeitadores da lei. Que coincidência !!!

De outro, a “direita” favorece a criação de poderes sociais intermediários contra a intervenção do Estado e coloca valores religiosos e culturais tradicionais acima de quaisquer projetos de reforma da sociedade... Isso é querer a educação, a diversidade de pensamentos ? Impor seus valores antigos e conservadores sobre as pessoas ? Puxa, que educação é essa ?!!

Anon das 12:53 : EUZINHO !!!! Nossa, se a Lolinha fosse minha "fessora" na facul... Putz, não teria uma pessoa melhor ! Eu amaria ter aulas com ela ! Mil vezes melhor do que um cara que diz asneiras sem lógica e que não respeita ninguém, não é mesmo ?

Anon das 13:10 : Meus olhos sangraram ao ler seu comentário... A mulher faz parte da política sim, graças a várias lutas feministas para tal. Mas, infelizmente, após décadas desmotivadas, poucas têm cargos políticos - sendo os homens a ESMAGADORA MAIORIA nos cargos políticos. E não seja tão ignorante ao afirmar que não exista mulher machista (contaminada pelo sistema patriarcal ? Com certeza !) - pois existem homens feministas. Te garanto.

"Mulher é incapaz de promover estas desgraças no seio da sociedade, não é mesmo?" Não, não é. O poder dela (que é gigantesco, pena que muitas não percebam isso) a torna capaz de fazer o que ela bem desejar - assim como o homem vêm fazendo ao longo dos séculos, não é mesmo ?

Mulheres também podem ser corruptas na política. Algumas são, outras não. Assim como os homens. Tem uns que são e outros que não. Você não leu que esta mulher é uma deputada da bancada evangélica ? E você sabia que esta bancada é uma das mais corruptas possíveis ? Leia o comentário da "titia" que você vai entender se tiver algum cérebro que saiba interpretar (preguiça de ter que falar algo já dito)

"Somente os homens é quem são responsáveis pelas mazelas do mundo." Ah, isso não. Não são os únicos responsáveis, pode crer que não. Mas a maioria dos problemas foram iniciados e são (até hoje) provocados por eles. Leia mais um pouquinho e compare o índice de criminalidade dos homens em relação aos das mulheres... O resultado será revelador.

~A.A.




Anônimo disse...

A Educação tá uma merda porque os professores ficam com esse blablablá de cidadania e temas transversais e deixam de ensinar o que realmente importa: conhecimento técnico, científico e lógico-matemático.

Anônimo disse...

Hum...então a blogueira defende uma Escola COM Partido?

Qual partido? O PT? O PSOL? O PSTU?

Por curiosidade, eu visitei o sítio eletrônico do movimento e bem encontrei isso.

O ESP é de direita?

O ESP não defende e não promove nenhum tópico da agenda liberal, conservadora ou tradicionalista. Logo, não é de direita.

Acho que os caras querem algo mais "neutro" por assim dizer.

Anônimo disse...

Claro ! Tendo de enfrentar esses acéfalos machistas que não têm nada do que fazer desanima qualquer um !!!

Anônimo disse...

Que se foda a burguesia sua família tradicionalista fascista, seus conceitos de educação robotizados em exatas e vizando lucros e nobeis blah blah blah. O que me encanta são as humanidades.

Anônimo disse...

Obvio que vão espernear e tentar resistir em seu "feudo de doutrinação" foi com muito empenho que eles se infiltraram e aplicaram todas as técnicas de gramscismo no ensino publico brasileiro.Antonio Gramsci teve uma ideia muito astuta: pensou que se o socialismo não pudesse derrotar o capitalismo através da disputa econômica, científica, tecnológica e militar, seria então mais eficiente atacar o capitalismo a partir de dentro. Postulou então que todas as instituições que há sustentam no mundo Ocidental são a família, a moral religiosa, a igreja, e as instituições que fortalecem a democracia. Para criar uma sociedade que pense, raciocine, e sinta como um esquerdista, ele postulou que as pessoas deveriam ser educadas através da cosmovisão marxista desdo berço, de modo que não haja qualquer possibilidade de senso crítico fora desses termos, e essa sociedade toda contaminada de marxismo – ao qual ele chama de ”pensamento hegemônico”, levaria cerca de três gerações para acontecer, e de modo que se assemelhe com ”um peixe que não sabe o que é a água porque ele nunca esteve fora da água, então ele não terá meios de comparação para saber.”

Anônimo disse...

Ai, mais machistas retardatários para responder ! E um comentário mais absurdo que o outro ! Será que eles não têm vergonha de postar esse tipo de coisa ? Enfim, vamos lá :

Anon 8 de julho das 18:01 : Então você é a favor da ditadura ? Sério isso ? Esse intervalo tenebroso que o país passou, e que vários inquéritos e depoimentos apontaram a tortura física e psicológica como expediente utilizado por membros do governo e grupos militares com o objetivo de controlar a população ? Você é a favor disso ? Nossa... Então porque você não vai morar na Zimbábue, na Tailândia, na Coréia do Norte...? Faça esse favor para nós, fico imensamente grato !

Anon das 18:20 : Os professores ficam falando a aula inteira sobre achismos ?!? Poxa, então estudo no local errado ? E olha que eu queria muito discutir sobre isso na escola... Os benefícios para a sociedade seriam enormes ! Discutir sobre isso nos faria respeitar as diferenças existentes na sociedade atual (afinal passamos da década 50 - os valores mudaram, sabe como é ? Mas certas pessoas se recusam a mudar por causa de tais valores)... E até porque o feminismo não é um achismo, e sim um movimento político, filosófico e social que defende a igualdade de direitos entre mulheres e homens. A ideologia de gênero é um achismo e não uma luta concreta e igualitária ? Então a religião e os malditos valores conservadores (responsáveis por todos esses conflitos) também são meros achismos. Porque não discutir sobre eles e ver qual faz mais sentido ? Medo de perder feio ?


Anôn das 18:26 : Se você está tão insatisfeito com a educação brasileira, eduque seus filhos em casa. Ou se não tiver, não fique criticando profissionais que estudaram, fizeram mestrado e ralaram para estar onde estão, tentando passar seus conhecimentos para os alunos (ao contrário de você, que bom !) - e muito menos em um país que há falta de investimentos na educação, e esse descaso com a educação não só perpetua como agrava as desigualdades sociais do Brasil. E a direita ainda defende com unhas e dentes a não intervenção do Estado na economia e educação ! "Aluno não sabe o básico de nada e mimimi" - mas você sabe ? É formado em algo (já vi que passou em Machista de 3 grau de demência ! Parabéns pelo feito !) ? Então não critique algo que você nem é ou nem sabe. E porque a igualdade de gênero te ofende tanto ? Teme perder os privilégios que ter pipi, nessa sociedade machista, te dá ? Me poupe, os tempos mudaram, vovô.

Anônimo das 20:08 : Os professores devem ensinar a igualdade sim, meu caro - além dos conhecimentos que passam aos estudantes. Afinal o papel da escola é socializar o conhecimento. Seu dever é atuar na formação moral dos alunos, é essa soma de esforço que promove o pleno desenvolvimento o individuo como cidadão. A escola é o lugar onde a criança deverá encontrar os meios de se prepara para realizar seus projetos de vida, a qualidade de ensino é, portanto, condição necessária tanto na sua formação intelectual quanto moral, sem formação de qualidade a criança poderá ver seus projetos frustrados no futuro. Os professores e toda a comunidade escolar, a forma de avaliação são transmissores de normas e valores que norteiam e preparam o individuo para viver coletividade. Assim, é importante que as questões de vida em sociedade faça parte, com clareza, da organização curricular, levando a ética ao centro de reflexão e do exercício da cidadania.

Anônimo disse...

Agora, continuando minha resposta ao Anon das 20:08

Pressa, correria, preocupação, deveres, tarefas, horários. Alguém se identificou ? Pois é. É a nossa vida cotidiana. Estamos tão fascinados e dominados pelo que o mundo pode nos oferecer, e pelas mordomias capitalistas que ficamos cegos para ações como trapaças, baixaria, corrupção, crimes. A compaixão, a ética e o amor tornam-se valores distantes.

Desde crianças aprendemos o que seria certo ou errado. E esses princípios não nos “surgiram simplesmente”. Alguém nos ensinou a ter essa consciência, formou-nos e nos moldou para podermos viver em harmonia na sociedade.

E em um desses agentes molduladores do caráter social da pessoa, é a escola - que possui um papel importantantíssimo, pois ela oferece ao cidadão a oportunidade de desenvolver sua identidade e autonomia, interagindo com os outros e dividindo as opiniões e ideais com o grupo em que convive. Com a ideologia de gênero, professores e alunos poderiam debater sobre temas mais profundos e complexos.

No entanto, apesar de todas essas “formações morais”, a humanidade falha muito. Na vida prática, não existe mais respeito ao ser humano. Muitos valores estão sendo quebrados por conta do individualismo e do egocentrismo que se espalhou pelo mundo.

Um bom exemplo disso em nosso país é a corrupção. Homens, escolhidos por nós, para trabalhar em prol da sociedade, acabam por usar verbas públicas em benefício próprio.

A sociedade sofre com isso. E pede socorro.

A solução é simples. Respeito é o que se precisa. E cabe a essa instituição reforçar seu papel na discussão dos valores, pregando acima de tudo o respeito, tão necessário para que a sociedade encontre o caminho da convivência pacifica.

Entendeu agora como tal discussão acerca da ideologia de gênero ajudaria - e muito - nosso país ? Ou ainda é preciso desenhar mais ?

~A.A.

Anônimo disse...

Moro em Portugal sabe o que vcs tão fazendo com seu feminismo abrindo as portas pro islamismo vcs não tem noção do quanto de problemas vem trazendo a Europa áreas controladas por sharia,Inglaterra já há tribunais islâmicos que aplicam a sharia leve os subúrbios da sueca Bélgica de Paris se tornaram verdadeiros minis Paquistão vcs realmente não sabem nada do islamismo, vcs jamais vão conseguir peitar o que eles acham serto.

Anônimo disse...

(Viviane)
Anon de ontem 18h01, lamento informar que a escolarização da sua avó provavelmente ocorreu antes da ditadura militar. Naquela época, a escola pública era sim de qualidade, mas poucos tinham acesso, pois não havia livros didáticos gratuitos, merenda escolar e o uso de uniforme era obrigatório, o que inviabilizava o acesso de boa parte da população (por isso sua avó não terminou o primário). As reformas educacionais feitas durante a ditadura aumentaram o acesso, mas à custa da diminuição drástica do currículo, excluindo essas disciplinas que você cita e outras. Portanto, a ditadura fez sim um estrago na Educação do qual ainda não nos recuperamos.

Anônimo disse...

Quando vejo gente falando só do pt vejo que nunca ouve manifestações alguma por causa de corrupção, pior ainda porque corrupção deixou de ser assunto. Falar do pt sem citar outros partidos é coisa gente canalha.

Anônimo disse...

E Lola, antes que comecem os "mimimis" acerca dos meus comentários (os de 1:15 e 1:28), lembre-os (Quem ? Os mascutrolls que vivem atacando o blog) que retirei minhas respostas ao anon das 20:08 da Internet (nossa, e quantos sites falavam contra a ideologia ! Milhares ! E detalhe : todos eram de cristãos de direita... Seria mera coincidência ?) e de minhas apostilas de antropologia, filosofia e sociologia...

Ah, e é bom salientar que, no meu caso, em minhas apostilas, não estão falando de pessoas, mas de uma teoria proposta. Estamos (estudantes e professores) discutindo uma teoria sem que isso seja intolerância ou desrespeito.

Mas a ideologia abriria portas para muitos outros debates, que somos privados de ter por causa dessa direitalhada cristã e machista !

Nada de novo debaixo do sol.

~A.A.

Anônimo disse...

Ô anta das 4:05, onde é que você viu que feministas defendem misóginos islâmicos ou de qualquer religião?

Anônimo disse...

Anon das 04:05 : Diz que mora em Portugal, mas escreve "serto" no final do comentário !? Um minuto de silêncio pela morte do seu português.

Sabe, o feminismo busca construir condições de igualdade entre os gêneros, o machismo é o comportamento que coloca o homem em posição de superioridade com relação à mulher. Não temos e nem teremos relação ao islamismo, que é uma religião. Como contribuímos com eles ? Lutando pela igualdade ? Ah !

Então você claramente confundiu esta religião com o Estado Islâmico - um grupo extremista que faz as coisas bárbaras em nome do Islã. Você quis dizer então que o Estado Islâmico representa os muçulmanos do mundo ? Representa, por exemplo, os palestinos que rezam pacificamente em uma mesquita em Jerusalém ? Representam os trabalhadores turcos que lavam seus pés antes de entrar na mesquita azul em Istambul ?

Apesar da propaganda desse grupo extremista que se autodenomina Estado Islâmico, eles não representam os muçulmanos do mundo. Existem bilhões de muçulmanos no mundo - e nem todos eles pensam igual ao E.I. Assim como não são todos os homens que concordam com o machismo, não é ?

Para deixar claro, não estou defendendo o Islã ou algo do tipo, e sim, criticando o E.I.

"Vocês jamais vão conseguir peitar o que eles acham serto" ? Sério ? (Bem, além do erro de português) Eles acham algo certo ? Lutam pela igualdade também, suposta relação com as feministas ? Será ? Os combatentes do Estado Islâmico atacam carros em movimento e executam os motoristas.Fazem caçadas a homens desarmados. Matam pelas costas. Fazem fuzilamentos em série. Matam soldados iraquianos que, como eles, são muçulmanos. Que igualdade é esta ?

Esse grupo, na verdade, está presente, inclusive dentro de países da Europa. Estrategicamente, esse grupo não tem um único "QG". Ele está espalhado e organizado em territórios e países distintos... Por isto que é difícil acabar com tal grupo. Mas sempre me disseram que a esperança é a última que morre.

~A.A.

Anônimo disse...

a) Lola os conservadores estão levando este país para o século XIX. Daqui a pouco racismo machismo e homofobia não poderão ser abordados pois será coisa de comunista.

b) Lola gostaria que vc abordasse o caso de uma professora no Paraná que foi afastada da escola porque os alunos organizaram um funk sobre Marx estamos caminhando para a lei da mordaça

Anônimo disse...

8:43, mas isso é Pq o PT comandava toda essa corrupção. Quem estava no poder durante esses 13 anos? O que o PT fez para combater a corrupção? Nada... E roubou.

Espero ter esclarecido.

Anônimo disse...

18:01 fanfic de direita, primeiro exaltam o lixo da ditadura militar, pra depois dizerem q são "contra o estado"

KKKKKKkkk direita é uma PIADA PRONTA

"O ESP não defende e não promove nenhum tópico de agenda"

KKKKKKK, a direita é muito BURRA kkkkkk

Anônimo disse...

"A ideologia de gênero é um achismo e não uma luta concreta e igualitária ? Então a religião e os malditos valores conservadores (responsáveis por todos esses conflitos) também são meros achismos. Porque não discutir sobre eles e ver qual faz mais sentido ? Medo de perder feio ? "

Não não vamos, o que queremos e nada mais que o professor de biologia ensine biologia, o de física ensine física e não fiquem 905 das aulas falando destas coisas seja uma ou outra, DIFÍCIL ENTENDER? E por isto que a educação publica brasileira esta na rabeira mundial, vocês não se envergonham? Dai vem 'aaaaiiin, em vestibular só tem chance quem estuda em escola particular" E PORQUE NELAS SE ENSINA A MATÉRIA E NÃO FICAM COM ESTAS BESTEIRAS DESCONSTRUTIVISTAS EM AULAS INDEVIDAS.
Dai depois vem a ideia "jênial" de "construir casas começando pelo telhado' chamada cotas.
Já que não melhoraram a educação básica publica vamos empurrar a força os alunos mal formados na universidades publicas, dai a qualidade do ensino nelas vai la embaixo devido a enormidade de analfabetos funcionais então sobra o que? O aparelhamento ideológico! ISTO E UM CRIME!!!

Anônimo disse...

O problema não e abordar questões criticas e sensíveis a sociedade, o problema e aparelha-las com ideologia tentando vender o veneno na embalagem do remédio. e e isto o que o socialismo/comunismo faz.
Não se façam de bobas que vocês sabem muito bem disto.

Anônimo disse...

O problema não e abordar questões criticas e sensíveis a sociedade, o problema e aparelha-las com ideologia tentando vender o veneno na embalagem do remédio. e e isto o que o câncervadorismo/capitalismo faz.
Não se façam de bobos direitistas que vocês sabem muito bem disto.

Anônimo disse...

"KKKKKKK, a direita é muito BURRA kkkkkk"

ta aí uma coisa q é bem verdade

Anônimo disse...

Ihhhh já veio a que diz "se não gosta da profissão, muda" ... Shiu aí, fica quietinha que pta falar assim só pode ser uma alienada mesmo. Ou mãe de uma dessas crias mal educadas que se acham donos do mundo... vai ver vestiu a carapuça.

Anônimo disse...

Se fosse legalizado isso esses acéfalos fariam mesmo...

Anônimo disse...

"serto" esse fugiu da escola...

Anônimo disse...

Anon das 14:11 : Não vão ? Certeza absoluta ? Tá apostado ! Faz uma votação aí Lolinha, liberal versus conservadores ! (Ou eu devo dizer... Feministas versus machistas ? Pois esse anon têm as mesmas falácias de um machista, não ?)

Os professores ensinam o conteúdo sim meu caro, é só ir numa escola e assistir uma aula que você verá que eles honram seu trabalho (ou sua preguiça te impede ?).
O problema não são os professores, e sim, os alunos que não querem aprender ou não estão nem aí para os estudos. Eles são o problema. Não os professores.
E você não é brasileiro para se envergonhar da nossa educação ? Pois deveria - já que impede o exercício pleno da mesma, sendo contra o diálogo dessas ideologias... Porque não discutir a respeito ? Qual o problema ? As pessoas deveriam poder viver a identidade que lhes parece mais cabível ! Não está satisfeito ? Eduque seus filhos em casa ! Assim eles não serão contaminados pelos ideais contrários aos seus, se é este seu maior medo. Mas quem vive preso é o que mais quer se libertar, né ? E acredite, o mundo lá de fora é bem mais libertador que a casa dos pais.

Ou você está com receio de que seus filhinhos homens virem gays e suas mulheres virem lésbicas ? E pior ainda, depois de discutir ideologias e fazer comparações, vai que o mundo (arrepio) fique feminista - todo o mundo lutando pela igualdade !?

Não é bem assim. E você, por ter esse medo, imagina os reflexos disso na educação (discutir a ideologia de gênero), porque não há a menor dúvida de que essas coisas estão presentes nas escolas. Ora essa, eu mesmo tenho colegas gays que são marginalizados pelos outros ! Essa é que é a verdadeira ideologia de gênero, que existe, está implantada não só nas escolas, mas nos meios de comunicação, nas comunidades, nas igrejas. O que se reivindica é uma reflexão libertadora para que tenha fim um sofrimento enorme de crianças e adolescentes, que serão adultos sofridos também. Afinal conviver com o amor não faz mal as crianças, mas conviver com a homofobia - isso sim faz mal á elas.

Só eu que acho que para ter medo/receio de que "eles vão virar isso se souberem que isso existe" deve significar que esse ISSO é uma coisa boa e prazerosa ? Mas não queremos influenciar "as pobres criancinhas" (que são influenciadas desde cedo pelos valores morais, culturais e religiosos. Ou vai me dizer que a heteronormatividade não é uma ideologia ?) - queremos apenas mostrar a elas que existem vários tipos de sexualidade, pregando sempre o respeito. Só isso. Deve ser horrível, né ? Imagine só ! Respeitar os outros, os diferentes ?! Blergh, que nojinho !

"Vestibular só tem chance quem estuda em escola particular" - Discordo. Isso só prova que você sabe muito POUCO sobre o sistema de ensino público. Existem escolas muito boas, porém falta investimentos nelas. E já ouvi casos de alunos de escolas públicas se dedicaram muito e conseguiram passar em vestibulares e ingressarem em universidades renomadas. Pasme ! E as particulares não ficam com "essas besteiras desconstrutivistas" ? Eu estudo em uma (particular) - e você ficaria horrorizado ao ver que eu costumo conversar sobre isso com meus colegas e professores.

Ah, e as cotas ajudaram muito os oprimidos (negros, pardos e índios) a ingressarem em faculdades em busca de um futuro melhor. E conheço excelentes profissionais que devem seus cargos ao sistema de cotas (se não fosse pelo tal, eles nunca teriam ido tão longe ! Bendita meritocracia, né ?) Realmente, uma "shit" total de aparelhamento ideológico !

Você não deveria se envergonhar também de publicar este tipo de comentário ? "o problema é aparelha-las como ideologia tentando vender o veneno na embalagem do remédio. E é isto o que o socialismo/comunismo faz." - anh, e a religião, valores conservadores, não ? Não se faça de bobo que você também sabe disso.

~A.A.


Anônimo disse...

Viviane, anônima das 13 31 aqui. Acho que você entendeu errado a primeira parte do meu comentário. Eu não posso discordar MAIS das frases "educação vem de casa" e "escola ensina, família educa". Por isso os comentários jocosos sobre, se na lógica dessa campanha, "professor só tem que ensinar conteúdo científico", então eu não deveria ter que aceitar nem intervir em processos de construção moral da criança - como É cobrado (devidamente) que o professor faça. A primeira parte do comentário foi irônica. Minha posição vem do fato que "educação" (no sentido de acepção de valores morais e códigos aceitáveis de conduta de um grupo social) é INDISSOCIÁVEL da prática escolar, sobretudo na educação infantil - ao contrário do que os slogans leigos da campanha pela legislação apregoam. A (aspirante a) legislação mostra uma preocupação com a possibilidade de escolas estarem ensinando "valores morais diferentes dos passados pela família" (e aqui já cabe uma discussão imensa sobre racismo, misoginia e homofobia estruturais) e uma "doutrinação dos alunos pelos professores". A segunda parte do comentário foi justamente pra evidenciar que JÁ EXISTEM mecanismos pra evitar que isso aconteça - e se os pais não frequentam as reuniões de pais e professores, não cobram à coordenação que a ementa da disciplina seja seguida, não procuram conversar com os professores, não é lei que vai magicamente estabelecer esse controle.

Anônimo disse...

SIM, Mila! Concordo com cada palavra do que você disse. À primeira vista, o projeto é simplesmente um reforço contra o possível assédio ideológico de professor. Entretanto sabemos que o projeto entra como parte dessa histeria coletiva de ditadura comunista e doutrinação marxista e visa não combater dito assédio, mas barrar que conteúdos como racismo, feminismo, homofobia e educação sexual sejam trabalhados na escola. E daí quero ver aprovar um projeto que vai de encontro a TODA legislação escolar atualmente.

Anônimo disse...

Anjo, você trabalha com educação? Acho lindo gente que nunca leu um artigo sobre educação nem trabalhou uma semana como docente saber a solução pro déficit educacional com tanta propriedade.

Anônimo disse...

Faz um teste, meu bem. Ofereça-se como voluntário em algum programa como Amigos da Escola por um ano e me conte o rendimento da sua turma ensinando "o que realmente importa: conhecimento técnico, científico e lógico-matemático".

Anônimo disse...

Ah, deuses... conte-me sobre como ensinar que mulheres e homens podem exercer as mesmas funções, que homossexuais devem ser respeitados e terem os mesmos direitos que os hétero, que chamar o negro de "macaco" é racismo, vai inevitavelmente evoluir pra um regime comunista.

Anônimo disse...

Então acabou a corrupção no Brasil? *0* Gente, que notícia excelente! Já redigiu a matéria pra divulgarmos essa conquista brasileira ao mundo?

Anônimo disse...

Recomendo que encaminhe sua proposta ao MEC. Professores de biologia que ensinam biologia e professores de física que ensinam física, é a ideia revolucionária que faltava para alçar a qualidade do ensino brasileiro a níveis finlandeses, japoneses e estadunidenses.
Respira, cara, e não seja alienado por essa histeria coletiva de "professor ensinando que homem é mulher". Quer uma sugestão? Escolha uma escola pública perto de onde você mora (uma só) e observe as aulas de biologia e física lecionadas por um mês. Volte e me conte se o professor passava a aula discorrendo sobre feminismo, Marx ou homofobia. Leia os parâmetros curriculares nacionais e me diga em que o trabalho com os temas sociais citados interfere nos conteúdos de biologia e física. Depois reflita e proponha uma abordagem pra que nas aulas de sociologia, geografia e história, o professor não explique Marx nem partidos políticos. Em suma: leia e observe mais antes de comprar qualquer propaganda ideológica que tentam te vender - como a Escola Sem Partido.

Anônimo disse...

Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. Colégio de Aplicaçào João XXIII, em Juiz de Fora. Colégio de Aplicação da UFAC, em Rio Branco. Escola de Aplicação da USP, em São Paulo. Todas escolas públicas que são referência em qualidade - e por estar vinculadas à universidade, estão ainda mais ligadas a essas tenebrosas propostas construtivistas do meio acadêmico. O problema das escolas públicas não é que elas "não ensinam o conteúdo disciplinar", mas que o sistema de ensino público é sucateado (as escolas mencionadas se destacam porque partilham da verba federal/estadual destinada às universidades vinculadas) - e isso desde os anos 90, não é "mérito" do PT. Falta merenda (alô, SP!), falta dinheiro pra comprar material didático e pra reformar sala. Há superlotação nas salas, mal preparo dos professores de ensino fundamental (que ganham mal e são extremamente desprestigiados), ameaçam cortar os programas de incentivo à permanência da criança e adolescente em idade escolar na escola. Tão tentando te vender que o problema da educação no Brasil é ideólogico (professores que não ensinam suas disciplinas), enquanto o problema da educação no Brasil é de investimento. Aprovar "Escola Sem Partido" não vai ter diferença NENHUMA no ensino de física e biologia das escolas públicas. Prender ladrão de merenda e reservar os royalties do petróleo pra educação (dessa Petrobras que insistem que é melhor privatizar), sim.

Ezco Musaos disse...

"Não não vamos, o que queremos e nada mais que o professor de biologia ensine biologia, o de física ensine física e não fiquem 905 das aulas falando destas coisas seja uma ou outra, DIFÍCIL ENTENDER?"

---> Sério que eu li isso? Gostei do termo "câncervadorismo", começo a acreditar que é doença mesmo. Estudei minha vida toda em escola pública e nunca vi professores abordando sobre desigualdade de gênero ou homofobia nas aulas, pelo contrário, tive inúmeros professores abertamente homofóbicos e machistas, inclusive em sala de aula. Nem mesmo essa paradisíaca "universidade esquerdista" da mente doentia reaça (redundância) cheguei a conhecer, posso contar nos dedos os professores "doutrinadores devoradores de criancinhas transformadores de meninos em meninas" que conheci na universidade. Agora quanto aos que ficavam horas e horas reclamando contra o "absurdo" do Dia da Consciência Negra? Desses perdi a conta.

Anônimo disse...

(Viviane)
Obrigada por responder. É que eu já fico muito preocupada com os discursos que demonizam alunos. Bom saber que estamos do mesmo lado.

donadio disse...

"porque nossos professores de biologia e outras matérias em vez de ensinarem a disciplina como por exemplo ciências biológicas ficam a aula toda falando de achismo de gênero, sim porque isto não passa de achismo."

Jogando RPG demais, cara. Os professores de biologia ficam a aula toda explicando como funcionam os organismos vivos e como eles se relacionam uns com os outros. Evidentemente isso inclui explicar como funciona o sexo, porque uma grande parte dos organismos vivos, e uma parte ainda maior dos que são macroscópicos, se reproduz através de gametas, por mais que sua prima, a teórica da anomalia Y sustente que o contrário é possível.

Pega qualquer prova de vestibular, ENEM, PAS, e você vai ver que conteúdos de biologia são exigidos no ensino fundamental e médio.

Quando foi que você parou de estudar? Foi muito depois de parar de prestar atenção às aulas?

donadio disse...

"Engraçado, na época do regime militar meus pais sempre disseram que escola pública era de qualidade igual ou superior que escola particular."

Você está perdidinho no tempo, amigo.

A ditadura militar herdou o sistema educacional construído no país desde a colônia. Que era um sistema dedicado a instruir exclusivamente a elite e uma parcela da classe média. E que, sim, fazia isso de forma razoável - com ilhas de excelência, como o Colégio Dom Pedro II, que eram realmente boas escolas, dentro do que se propunham a fazer. Em consequência, escolas privadas existiam para atender uma demanda bem específica: educar crianças e adolescentes de classe média e alta que não se adaptavam ao regime escolar. Os famosos "rebeldes e irresponsáveis". E, é claro, como as escolas públicas tinham alunos "melhores" do que as escolas privadas, elas obtinham resultados melhores.

Os governos do Estado Novo e da Segunda República começaram a tentar expandir a educação brasileira. Mas esse processo ainda estava muito no início quando houve o golpe militar de 1964; o país ainda tinha 40% de adultos analfabetos, as escolas públicas ainda eram voltadas à instrução das elites, e as escolas privadas ainda eram a saída que as famílias ricas e remediadas encontravam para evitar que suas crianças e adolescentes inadaptáveis ficassem sem educação.

A ditadura militar mudou isso, porque radicalizou o processo de expansão do ensino fundamental iniciado pela Segunda República. A educação pública foi enormemente expandida, e a quantidade foi priorizada sobre a qualidade. Não se expande enormemente a educação pública sem expandir enormemente o número de professores, e para expandir o número de professores num país carente de profissionais da área, é preciso rebaixar os critérios de ingresso. Então, a ditadura militar é quem fez o que você critica.

Um dos resultados disso é que elite e classe média começaram a tirar seus filhos - mesmo os bem adaptados - da escola pública, à medida que começaram a perceber que a qualidade do ensino público estava caindo. Ainda em 1970, as famílias tinham receio de estigmatizar seus filhos se os transferissem para a escola privada, mas essa visão foi sendo substituída pela percepção de que a escola privada era efetivamente melhor. Daí a inversão: hoje temos uma escola privada que "ensina latim e francês" para a elite, e uma escola pública que alfabetiza, mas cumpre o papel de manter as massas deseducadas - senão, como a elite faria sem garis, pedreiros e empregadas domésticas?

(Só para demarcar as coisas de forma correta: a ditadura militar provavelmente fez o que precisava ser feito, no tocante à educação; fez mal feito e com a característica brutalidade e falta de nuance, mas não dava para continuar a ter um país de analfabetismo em massa, e omeletes implicam ovos quebrados. Não estou aqui demonizando ninguém.)

donadio disse...

"Que se foda a burguesia sua família tradicionalista fascista, seus conceitos de educação robotizados em exatas e vizando lucros e nobeis blah blah blah. O que me encanta são as humanidades."

Troll detected.

donadio disse...

"Antonio Gramsci teve uma ideia muito astuta"

Nunca leu Gramsci, mas se acha capaz de nos ensinar o que Gramsci pensava e deixava de pensar.

Haja fabetismo anal!

donadio disse...

"8:43, mas isso é Pq o PT comandava toda essa corrupção. Quem estava no poder durante esses 13 anos? O que o PT fez para combater a corrupção? Nada... E roubou."

Há vinte anos atrás, a modinha coxinha era ridicularizar o PT por ser "puro demais", "não ter jogo de cintura", "não fazer alianças". Pois é, o PT, como na estória do menino, do velho e do burro, resolveu ser menos puro, fazer alianças, e aprender a ter o tal jogo de cintura.

O PT de antes que era bom, né, por que não ganhava eleições, então não mexia com privilégios.

Mas vamos restabelecer a verdade. A corrupção na Petrobrás (que é o que você chama de "toda essa corrupção, por que a corrupção em Furnas, ou na privatização da Vale não contam, não é mesmo?) era muito evidentemente comandada pelo nobre deputado Eduardo Cunha, que centralizava os repasses aos demais. E o deputado Eduardo Cunha é... do PMDB, não do PT. Ou seja, é do partido que agora detém o poder executivo federal.

E quanto ao combate à corrupção, basta comparar as ridículas 50 operações anti-corrupção da PF durante o governo FHC com os milhares de operações da PF durante os governos Lula e Dilma. Basta comparar os procuradores gerais da república com FHC (Geraldo Brindeiro, o tristemente famoso "Escondedor Geral da República") com os procurardores gerais da república sob Lula e Dilma. É por isso que Sérgio Machado, Romero Jucá, José Sarney e Renan Calheiros discutiam como "parar com a sangria", ou seja, como ter de volta a corrupção livre leve e solta como era antes, quando um presidente da república podia comprar uma emenda constitucional para permitir a sua reeleição, e quando se podia vender patrimônio público com o BNDES financiando o comprador a juros camaradas.

Por isso é preciso reafirmar: a corrupção no Brasil é estrutural, e envolve todas as instituições, e também todos os partidos políticos que se disponham a disputar o poder a sério, em vez de cultivar ilusões como o PSOL ou o PSTU. Por que sem corrupção não se ganha eleição neste país, nem se ganhará enquanto o financiamento empresarial de campanhas for permitido.

donadio disse...

" PORQUE NELAS SE ENSINA A MATÉRIA E NÃO FICAM COM ESTAS BESTEIRAS DESCONSTRUTIVISTAS EM AULAS INDEVIDAS."

[Aviso: a tecla caps lock do seu teclado travou.]

Menos, filhote. 90% dos professores da rede pública não faz a menor ideia do que seja desconstrutivismo, quando mais de como desconstruir alguma coisa. Vocês criaram uma fantasia absurda, que não existe nem tem como existir, e estão aí como Dom Quixote, combatendo moinhos de vento. Vão acabar caindo do cavalo.

Anônimo disse...

Nooossa! Tanta doutrinação marxista!

Se eu entrar numa sala de aula de adolescentes certeza que eles vão sabem tudo sobre marxismo, mais-valia, meios de produção que sobre sei lá... funk ostentação.

Anônimo disse...

14:11 e seu típico argumento racista de achar que cotas empurram alunos analfabetos funcionais.

Tem muito "analfa" que entrou via cotas e se formou com menções melhores que as dos badalados branquinhos de colégio particular. Cotas não "baixam" nível de universidade, pois para se manter na universidade pública é preciso, adivinha, passar nas matérias! Aí o cotista agarra com força a oportunidade que teve enquanto o privilegiado da classe média se entope de bebida nos churras da "facul", empurrando a graduação com a barriga. Mas né, são os cotistas que estão gastando o precioso dinheiro público e "roubando" a vaga de mais um playboyzinho turista de faculdade.

Anônimo disse...

Tem que ser muuuuuuuuuito obtuso para não querer estudar Marx nas escolas, eu particularmente nunca estudei, e só ouvi falar dela prestes a entrar na universidade, é um dos maiores e melhores autores de todos os tempos, sua influência foi extensa, da politica às artes, tem que ter Marx nas escolas sim.

Rafael

Hele Silveira disse...

Francamente? Seria maravilhoso se professorxs tivessem liberdade para desconstruir esse mito de que o ser humano, repleto de possibilidades, deve se limitar a dois gêneros. Muito mais justo seria se cada pessoa pudesse escolher qual é o seu gênero ou se tal classificação inútil deixasse de existir. Eu não acredito em gêneros. Acredito no ser humano. Somos TODXS tão preciosxs, que somos ÚNICXS! É simples. Todxs temos valor. Não precisamos complicar.

Anônimo disse...

Olá.

Então tá que os malditos porcos capitalistas machistas e tudofóbicos blá blá. Blá blá blá blá, eu te amo.

Mas se isso não é doutrinação esquerdofrênica, eu não sei o que é.

http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/fernando-schuler/noticia/2016/07/historia-e-sociologia-na-nova-base-curricular-ideologia-e-confusao.html

Só para citar um trecho:

No mais, é triste ver uma base curricular repleta de malandragem ideológica. Quando tratarem dos movimentos totalitários do século XX, nossos alunos estudarão o fascismo, o nazismo e o “stalinismo”. Nossos 116 especialistas decidiram tirar a palavra “comunismo” do rol dos movimentos totalitários. Por lógica, deveria constar no texto o “mussolinismo”, em vez do fascismo, e quem sabe o “hitlerismo”, em vez do nazismo.