segunda-feira, 29 de agosto de 2016

DOIS TEXTOS SOBRE ESTA PÁGINA INFELIZ DA NOSSA HISTÓRIA

O GOLPE QUE SEGUE - Flávia Biroli

Está sendo consolidado no Senado um processo que rompe com os requisitos mínimos da democracia (uma presidenta eleita pelo voto é deposta, sem crime de responsabilidade) e que limpa o caminho para a derrocada dos direitos sociais construídos nos marcos da Constituição de 1988.
A Constituição não estabeleceu garantias que superassem o peso relativo do poder econômico, nem da influência direta de elites políticas locais que têm sua condição de reprodução nas desigualdades socioeconômicas, no controle sobre os meios de comunicação, na baixa porosidade das instituições à participação popular e no acesso restrito da maior parte da população à educação.
Estamos vivenciando as rachaduras de um sistema político no qual a fragilidade da democracia ficou claramente exposta. A acomodação entre um regime democrático e a concentração da influência e do controle sobre os recursos públicos nas mãos de poucos cobra seu preço no momento em que os que sempre tiveram maior acesso ao Estado consideram que as regras do jogo não são suficientes para a manutenção das suas vantagens.
A carta constitucional, que encarna o estado das disputas políticas no momento da transição do regime ditatorial de 1964 para o regime democrático nos anos 1980, foi uma espécie de ajuste no terreno em que as disputas dos anos seguintes se dariam. Foi esse o terreno em que conseguimos alguns avanços (no direito à saúde e à educação, nos direitos das mulheres e das trabalhadoras, para lembrar de alguns), foi esse também o terreno em que se revelou sistematicamente o teto de vidro de várias lutas pela afirmação de direitos de grupos e pela democratização efetiva do poder político.
O golpe pode ser lido como um processo de estreitamento no terreno das lutas dos últimos 28 anos. Tanto no plano da institucionalidade democrática em seu sentido eleitoral mais restrito, quando no das garantias para indivíduos e grupos, teremos que lutar, a partir de agora, em um ambiente ainda mais hostil.


Pela lógica destes dias, depois da cassação da Dilma, o passo seguinte óbvio seria condecorarem o Eduardo Cunha, o herói do impeachment.
Depois da provável cassação da Dilma pelo Senado, ainda falta um ato para que se possa dizer que la commedia è finita: a absolvição do Eduardo Cunha. Nossa situação é como a ópera “Pagliacci”, uma tragicomédia, burlesca e triste ao mesmo tempo. E acaba mal. Há dias li numa página interna de um grande jornal de São Paulo que o Temer está recorrendo às mesmas ginásticas fiscais que podem condenar a Dilma. O fato mereceria um destaque maior, nem que fosse só pela ironia, mas não mereceu nem uma chamada na primeira página do próprio jornal e não foi mais mencionado em lugar algum.
A gente admira o justiceiro Sérgio Moro, mas acha perigoso alguém ter tanto poder assim, ainda mais depois da sua espantosa declaração de que provas ilícitas são admissíveis se colhidas de boa-fé, inaugurando uma novidade na nossa jurisprudência, a boa-fé presumida. Mas é brabo ter que ouvir denúncias contra o risco de prepotência dos investigadores da Lava-Jato da boca do ministro do Supremo Gilmar Mendes, o mesmo que ameaçou chamar o então presidente Lula “às falas” por um grampo no seu escritório que nunca existiu, e ficou quase um ano com um importante processo na sua gaveta sem dar satisfação a ninguém. As óperas também costumam ter figuras sombrias que se esgueiram (grande palavra) em cena.
O Eduardo Cunha pode ganhar mais tempo antes de ser julgado, tempo para o corporativismo aflorar, e os parlamentares se darem conta do que estão fazendo, punindo o homem que, afinal, é o herói do impeachment. Foi dele que partiu o processo que está chegando ao seu fim previsível agora. Pela lógica destes dias, depois da cassação da Dilma, o passo seguinte óbvio seria condecorarem o Eduardo Cunha. Manifestantes: às ruas para pedir justiça para Eduardo Cunha!
Contam que um pai levou um filho para ver uma ópera. O garoto não estava entendendo nada, se chateou e perguntou ao pai quando a ópera acabaria. E ouviu do pai uma lição que lhe serviria por toda a vida:
— Só termina quando a gorda cantar.
Nas óperas sempre há uma cantora gorda que só canta uma ária. Enquanto ela não cantar, a ópera não termina.
Não há nenhuma cantora gorda no nosso futuro, leitor. Enquanto ela não chegar, evite olhar-se no espelho e descobrir que, nesta ópera, o palhaço somos nós.

70 comentários:

Anônimo disse...

Golpe, é apoiar a ditadura de fidel e falar que lutou pela democracia.

Cão do Mato disse...

Minha única esperança para isso tudo que está acontecendo é a Lei da Ação e Reação. Espero que, quando cair a ficha da classe média de que fizeram uma merda gigantesca, isso se reverta em uma resposta à altura nas urnas.

Rafael Cherem disse...

Dou os parabéns aos movimentos sociais, as universidades, aos intelectuais e artistas que se mobilizaram contra esses acontecimentos, agora é reagrupar, elencar as pautas pelas quais lutaremos e falarmos ao povo, esse das fábricas, dos movimentos populares, dos sindicatos, é preciso ir pra cima, literalmente pra cima.



Rafael Cherem disse...

Golpe, é apoiar a ditadura de fidel e falar que lutou pela democracia.

PQP, olha ai coitado, sofre com anticomunismo infantil, alguém tem alguma receita boa pra ele se curar?

Anônimo disse...

É o fim. RIP Democracia

Anônimo disse...

Mas como é que pode alguem que é a favor de regimes não democraticos como o cubano, norte-coreano e um que esta proximo disso como o venezuelano se dizer a favor da democracia?

Anônimo disse...

Sim golpe....com participação de congresso e senado eleito, ministério púbico e supremo tribunal federal....que golpe estranho.

lola aronovich disse...

Reaças, eu sei que vcs são completamente ignorantes e alienados, mas sério: estamos vivendo um momento terrível. É um golpe que afetará a tds nós (vcs também) por muitos anos. E vcs vêm aqui falar de Cuba? Cresçam, gente. Quando fecham universidades, quando acabam com aposentadoria, quando matam o SUS, isso não atinge apenas quem vcs odeiam e chamam de SJW (social justice warriors). Atinge também vcs, a família de vcs. Tem que se esforçar muito na ignorância pra apoiar um golpe que não é só pra derrubar um governo -- é pra derrubar todos os direitos. Pra derrubar a Constituição.

Anônimo disse...

Mas Lola... Vcs lutam pela democracia mas vão lá e fazem um porto em Cuba. Pq gastaram nosso suado dinheiro lá, numa ditadura?

Isso não entra na minha cabeça, sabe? Tento apoiar a Dilma, mas quando penso nisso aí, acabo desistindo.

Anônimo disse...

Inclusive eu acho, Lola... Que é isso que "tá pegando" de modo a fazer a maioria da população não ir as ruas defender Dilma. Se eles acreditassem que Dilma quer a democracia, eles iriam as ruas defendê-la. Pois o povo quer democracia . Eu, pelo menos, quero...

Anônimo disse...

A própria Dilma que começou a tirar direito trabalhista, isso se deve por causa da crise que explodiu graças à erros do governo dela. É má-fé culpar o Temer pelos erros que ela cometeu.

Anônimo disse...

Enquanto vocês ficam nessa briguinha de Direita Vs Esquerda, vejam só como os Senadores estão pouco se importando e se divertindo juntos.

http://epocanegocios.globo.com/Brasil/noticia/2016/08/epoca-negocios-atras-das-cameras-senadores-mantem-relacionamento-mais-amigavel.html

Cristiane disse...

Estamos sendo golpeados faz tempo...

Anônimo disse...

Que saiam todos! Nenhum me representa!

Anônimo disse...

Lola, houve um tempo em que 95% dos comentários aqui seriam de apoio ao PT, Lula e a Dilma e os outros 5% contrários seriam chamados de trolls. Hoje está essa proporção está invertida; e no seu blog! Impressionante como as pessoas acordaram.

De qualquer forma, parabéns por permitir tantos comentários contrários a sua opinião.

Anônimo disse...

o delírio dos que apoiam o PT é alarmante!

O modelo assistencialista não funciona, não existe almoço grátis, essa crise era anunciada há anos. Não digo que políticas públicas voltadas para a melhor distribuição de renda sejam sempre condenáveis, mas do modo que o PT vinha fazendo era pedir para dar errado, e deu.

Mas o processo de impeachement nem é sobre crise econômica. É sobre desrespeito a Constituição, sobre passar por cima do congresso. O país podia tá lindo, crescendo. As pedaladas continuariam sendo erradas e criminosas.

E por fim, ngm fecha universidade feliz (sem entrar no mérito do modelo falido que são as univeridades públicas). Fecha pq é necessário. Fecha pq foram negligentes antes.

Alícia

Anônimo disse...

Deixa Lola... A classe média, como sempre, acha que se os ricos são a favor, então é o certo. Mal eles sabem que já já a conta chega para eles pagarem (tá chegando né? Desmantelamento da CLT, falta dos concursos, menos incentivos econômicos para pequeno e médios empreendimentos)
Ou vocês acham que estão no mesmo patamar do alto empresariado brasileiro? Acordem! É todo mundo oreia.

Anônimo disse...

Não concordo com esse processo de impeachment porque não houve crime de responsabilidade.Toda via, não acho que isso seja uma “ameaça a democracia”, já que se está usando mecanismos democráticos para processa-la. São golpistas, não destruidores do sistema.

Não sei se muita coisa vai mudar com a saída definitiva de Dilma Rousseff. Até porque ela deixou claro para quem estava governando: Banqueiros e multinacionais. Os seus ajustes fiscais , investimentos em áreas nada produtivas, e negligência aos assuntos que afetam diretamente aos pobres, como a legalização do aborto e as drogas (como todo presidente, ela também é populista), são um atraso e tanto.Fora que o descrédito dela afeta toda a estrutura do PT, o que faz com que setores conservadores e neoliberais tomem a frente.

De qualquer forma, não sou desses que troca o ruim pelo péssimo.Por isso NÃO AO IMPEACHMENT. Não a esse governo ilegítimo de Michel Temer.

Anônimo disse...

Eu apoio o Golpi, eu quero o golpe, é chamado de golpe porque é o pt, se fosse o contrario como no passado, não seria golpi!

Os médicos cubanos vem para cá sem o direito a trazer suas famílias, quase a totalidade de seus salários são enviados para Cuba, 2 bilhões a cada 4 anos, e essa presidenta apóia isso dizendo ser democratica. Ufff. Por isso que o dia de hoje é lindo, até que enfim um presidente que sabe falar português.

Anônimo disse...

Lola se o pt continuar no poder é isso mesmo que vai acontecer, o falimento de tudo, assim como a tão adorada venezuela, é isso que estamos tentando impedir. Acorda você. Tchau querida!

Maria disse...

Golpe é ir contra a vontade de milhões de brasileiros que foram às ruas, na maior manifestação da história do Brasil, para pedir o impeachment da Dilma.

Golpe é querer se sustentar no poder com reprovação de 70% da população.

Golpe é colocar como ministro da casa civil um ex-presidente investigado por corrupção para obstruir o trabalho da justiça.

Golpe é obrigar a população a pagar salários e benefícios de políticos e juízes totalmente fora da realidade brasileira.

Golpe é obrigar a população a pagar e MUITO por uma educação lixo (da pré-escola a universidade). Detalhe: O Brasil é um dos países que mais investem em educação no mundo.

Golpe é colocar uma carga tributária altíssima e uma lei trabalhista inviável para o pequeno empresário, que gera empregos, assume riscos e aumenta a produção do país.

Golpe é obrigar a população a pagar impostos para um estado assistencialista corrupto e ineficiente para depois depender do estado para ter educação, saúde e aposentadoria; pois não terá mais dinheiro para pagar particular.

Golpe é não dar liberdade de escolha para a população.

Cão do Mato disse...

Fechar universidades é necessário??? Misericórdia...

Anônimo disse...

Sempre admirei muito a Dilma, mas minha consciência não permite mais assim proceder. Os fatos são gritantes. É uma pena.

Anônimo disse...

(Viviane)
Dentre tudo o que eu poderia comentar aqui, vou falar de algo que me entristece muito: servidores públicos favoráveis ao golpe. Não percebem o tiro no pé que estão dando? Ok, temos estabilidade e alguns direitos (por enquanto), mas e as condições de trabalho? Para não se importar com trabalhar em um ambiente sem ventilação, sem computadores decentes, sem telefone, isso tudo sem falar nas condições para a atividade-fim, só ganhando um salário muito alto. E essa não é a realidade da maioria do funcionalismo. Sério, servidor público defendendo "livre mercado", "estado mínimo" e outros me dá vontade de sacudir a cabeça do cidadão para ver se o cérebro pega no tranco!
#prontofalei #desolada #alutacontinua

Anônimo disse...

Viviane, é por causa de pensamentos egoístas como o seu que este país não vai pra frente.

Sou servidor público federal e gosto muito da minha estabilidade, mas prefiro perder isso e, caso necessário, disputar vagas na iniciativa privada a ver um estado corrupto e inchado roubando tudo o que o Brasil produz , em benefício de uns poucos socialistas corruptos.

Luiza Bairros disse...

Nao seja estupida Maria. A populaçao REELEGEU Dilma. No sistema presidencialé o que vale. O que coloca alguem no cargo de presidente é o voto e nao pesquisas de opiniao nem passeatas da classe media que nao aceitou a derrota. Nao tente mudar o significado da palavra golpe pra esconder o que vcs estao fazendo. golpe é tirar uma presidente honesta do poder.

Cão do Mato disse...

Tá esperando o quê, então; amiguinho? Peça exoneração e vá mostrar toda sua competência na iniciativa privada...

Anônimo disse...

episodio triste da Historia. Infelizmente não vai ter manifestação que tire o cunha viu. Vem coisa bem pior por aí. Esse negocio de escola sem partido. As manifestações serão criminalizadas. Já tem projeto de lei sobre isso. A precarização das relaçoes de trabalho. O PT não era mais esquerda faz tempo mas não iria aceitar essas coisas. A população está entorpecida e quando acordar será tarde. Estou me preparando pra ver momentos dificeis. é só o que posso dizer

Anônimo disse...

Fazendo um gancho com as Olimpíadas recém terminadas, a única medalha de ouro que o Governo Dilma merecia é no ciclismo, de tanta pedalada...

No mais, é como alguém aí em cima disse: é por causa das Vivianes da vida que o País está do jeito que está: todo mundo olha só para o próprio umbigo.

A União, Estados e Municípios estão inchados de serviços públicos ineficientes, sugando a riqueza do País construída arduamente por empresários e trabalhadores da iniciativa privada.

Esses, vêem seus salários diminuídos, por impostos escorchantes, já que muito pouco dão em retorno, e "pseudo-garantias" trabalhistas, que só fazem impedir o crescimento salarial. Vide, por exemplo: o FGTS. Desconta-se parcela do salário que irá render MENOS do que a inflação!!

Aqueles, tem seu ânimo combalido, pois não só ganham o Estado como sócio, como ainda tem de lutar contra a corrupção e a burocracia ineficiente e burra.

Anônimo disse...

"Cão do Mato disse...
Tá esperando o quê, então; amiguinho? Peça exoneração e vá mostrar toda sua competência na iniciativa privada..."

cao do mato, se for preciso, irei sim.

Mas só em caso de necessidade mesmo, jamais abandonarei todas as minhas mordomias, direitos e privilégios só pra liberar a vaga para um esquerdista maconheiro que não consegue passar em concursos assumir a vaga! kkkkk

Victor Amaral disse...

Sobre os que insistem em argumentar o fato do estreitamento de relações entre Cuba e Dilma, é bom tentarem rever os conceitos gerais de geopolítica. Política não se trata de relação amiguinho-amiguinho. Isso significa que seja bom também pesquisar sobre o Canal do Nicarágua e quem está envolvido intimamente no processo.

Agora voltando a novela da política brasileira.

O que estamos passando atualmente no Brasil definitivamente é um golpe. Mas quem disse que nós podemos fazer algo? Anos e anos de descontentamento alinhados à falta de representatividade em qualquer órgão político brasileiro resulta no pensamento radical de que substituir um presidente - e perturbar a democracia e o governo atual - possa alterar o quadro de corrupção e vergonha política que o nosso país se encontra.
E quem colocaremos? Serra? Bolsonaro?
Por incrível que pareça essas podem ser as escolhas nas próximas eleições que decidirão o futuro do Brasil. As pessoas abandonam as intenções verdadeiras, caráter e se recusam a entender verdadeiramente o que é política e se aliam à imagem e palavras de ódio. O que vemos de cá e lá é candidatos prometendo o "governo para os pobres" ou o "governo para os ricos". Pois, ressalto aqui, que nenhum desses seria de interesse para o Brasil. Pois um presidente governa para todos.
Dentro da cesta, ao menos, devem sobrar algumas maçãs maduras, mesmo que poucas. Embora ainda me tema o ditado de que "quando se está em um ninho de víboras, você também deve se tornar uma".

Anônimo disse...

Gente não tem nada a ver meu comentário, mas uma dúvida, a criatura que escrevia o Manual do cafajeste voltou a escrever?Aquele blog voltou?

Anônimo disse...

Prezados,

Para tentar melhorar o nível das argumentações, gostaria de deixar registrado o uso da falácia da Expulsão do Grupo, como por exemplo o caso do anon. das 21:11:

"Anônimo disse...

(...) O PT não era mais esquerda faz tempo mas não iria aceitar essas coisas. (...)

29 de agosto de 2016 21:11
"

Faço isso pois já vi essa falácia em várias oportunidades neste blog.

Assim é muito fácil ser de esquerda, não é mesmo? Se é honesto, se é santo, se é bonzinho, então é de esquerda.
Se é bandido, desonesto, mentiroso, demoníaco, ahhhh então é de direita.
E se alguém da esquerda pisar na bola, o que fazemos? ahhhh.. ele era um direitista disfarçado!

Pessoal, vamos melhorar o nível dos comentários aí... Espero ter ajudado.

Anônimo disse...

Pois é Viviane, "por causa de pensamentos egoístas como o seu o país não vai pra frente" e o egoísmo de algumas pessoas é mais cheiroso do que o seu. Hipocrisia mandou lembranças.

Anônimo disse...

" Anônimo Victor Amaral disse...
Sobre os que insistem em argumentar o fato do estreitamento de relações entre Cuba e Dilma, é bom tentarem rever os conceitos gerais de geopolítica. Política não se trata de relação amiguinho-amiguinho. Isso significa que seja bom também pesquisar sobre o Canal do Nicarágua e quem está envolvido intimamente no processo."

A gente defende a democracia, mas vivemos financiando ditaduras heehehhehe
Tá serto!

Anônimo disse...

Pra quem afirma que é golpe, eu sugiro ler a Lei Federal 1.079/1950, eu consigo encontrar pelo menos 3 casos que podem ser enquadrado as Pedaladas Fiscais e os Decretos sem autorização do Congresso (sim, não são apenas as Pedaladas Fiscais os motivos alegados)

"CAPÍTULO VI

DOS CRIMES CONTRA A LEI ORÇAMENTÁRIA

Art. 10. São crimes de responsabilidade contra a lei orçamentária:

(...)
2 - Exceder ou transportar, sem autorização legal, as verbas do orçamento;

5) deixar de ordenar a redução do montante da dívida consolidada, nos prazos estabelecidos em lei, quando o montante ultrapassar o valor resultante da aplicação do limite máximo fixado pelo Senado Federal; (Incluído pela Lei nº 10.028, de 2000)

6) ordenar ou autorizar a abertura de crédito em desacordo com os limites estabelecidos pelo Senado Federal, sem fundamento na lei orçamentária ou na de crédito adicional ou com inobservância de prescrição legal; (Incluído pela Lei nº 10.028, de 2000)"

Olha as Pedaladas Fiscais aí, se já foi feito antes não deixa de ser crime.

E ainda tem mais:
"CAPÍTULO VII

DOS CRIMES CONTRA A GUARDA E LEGAL EMPREGO DOS DINHEIROS PÚBLICOS:

Art. 11. São crimes contra a guarda e legal emprego dos dinheiros públicos:

1 - ordenar despesas não autorizadas por lei ou sem observânciadas prescrições legais relativas às mesmas;

2 - Abrir crédito sem fundamento em lei ou sem as formalidades legais;

3 - Contrair empréstimo, emitir moeda corrente ou apólices, ou efetuar operação de crédito sem autorização legal"

E como ela é grossa, e destrata todo mundo, ainda acho que cabe esse artigo:
"7 - proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decôro do cargo"

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L1079.htm

titia disse...

Classe média direitista querendo ser corte. Brasileiro é de um analfabetismo político que dá raiva, fica aí trocando seis por meia dúzia ao invés de querer melhorar. O governo de Dilma tá ruim? Acredite, o de Temer será pior. Muito pior. Inclusive Temer tem muito mais corrupção nas costas que Dilma, o que deveria fazer com que o Fora Temer fosse bem mais forte que o Fora Dilma. Se essas mulinhas querendo ser promovidas a cavalo de raça não prestarem atenção, entramos em outra era Collor e aí ferrou. E tudo por causa de uma birra infantilóide da classe média que não quer ver a empregada no aeroporto nem ter o cobrador de ônibus como vizinho.

Anônimo disse...

(Viviane)
Inclusive porque, excetuando as carreiras exclusivas de Estado (judiciário), a maioria das profissões paga mais na iniciativa privada. Sem falar que grandes empresas privadas oferecem PLR, plano de saúde e outros benefícios com que o funcionalismo público não conta.
Vamos lá, anon de ontem 19h47, espalhe seu currículo e boa sorte!

Anônimo disse...

(Viviane)
Vai vendo, anon de 00h59, essa turma defende livre mercado, mas não larga o osso da estabilidade...
Vamos lançar uma campanha: "pelo livre mercado, peça exoneração e distribua seu currículo!"

Anônimo disse...

Votei em Dilma no segundo turno. Não porque queria realmente ela, mas pra tentar salvar o Brasil de ter um presidente como o Aécio. Sou mineira e sei o quão ruim ele foi pra MG. Festejei demais quando saiu o resultado, mas também fiquei extremamente decepcionada quando Dilma (que havia dito que não iria mexer nos direitos sociais) recuou e começou o desmonte dos direitos sociais. Sim, me senti enganada. Mesmo assim, não apoio esse jogo sujo contra a presidente. Se é golpe, se é impeachment, acho que não é hora pra debatermos terminologia aqui mais. Só sei que é um jogo político bem sujo e que infelizmente já sabemos o final desse julgamento com cartas marcadas. Lívia

Anônimo disse...

A classe média nunca vai se dar conta do que fez. Até agora estão culpando a Dilma pela crise, e assim vai ser por um longo tempo, enquanto que o enjeitado Temer vai continuar "salvando a nação" tirando tudo o que nós temos. Temer pode amputar as pernas desse gente que eles vão aplaudir porque pode amputar, contanto que não seja o PT o amputador.

Anônimo disse...

titia: que o Temer é, e a muito tempo, pior que a Dilma todo mundo sabe. O que todos esperavam, e exigiam, é que o tanto a Dilma, quanto o Lula e o PT, fossem honestos e não quase iguais aos Temer e assemelhados.
Era esperar muito que o PT e seus representantes máximos fossem honestos e não iguais a corja que estava antes? Só pra variar?

Cacau disse...

'Pedalada' de Dilma no Plano Safra não foi operação de crédito nem crime, diz MPF
Procurador da República Ivan Cláudio Marx pediu arquivamento do inquérito

O Ministério Público Federal (MPF) concluiu que a "pedalada" fiscal envolvendo o Plano Safra - uma das duas bases do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado - não se configurou operação de crédito nem crime. O mesmo entendimento foi aplicado a outras "pedaladas", que não fazem parte do impeachment, como os atrasos de repasses da União para a Caixa Econômica Federal (CEF) referentes a programas sociais como o Bolsa Família, seguro-desemprego e abono salarial.

O procurador da República Ivan Cláudio Marx, responsável pelo procedimento criminal aberto no MPF no Distrito Federal, pediu nesta quinta-feira à Justiça Federal o arquivamento do inquérito. Na última sexta-feira, Marx já havia decidido arquivar parte das investigações, referente à "pedalada" com o BNDES. Os atrasos do governo nos repasses de auxílio de taxas de juros de financiamentos do banco foram entendidos como um "simples inadimplemento contratual".

Fonte com matéria completa (para não dizerem que a fonte é de esquerda:-)) http://oglobo.globo.com/brasil/pedalada-de-dilma-no-plano-safra-nao-foi-operacao-de-credito-nem-crime-diz-mpf-19712360#ixzz4Ioj9pOsw
© 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Anônimo disse...

Pessoal, há muito tempo alguém já disse "maniqueísmo, ou é ingenuidade, ou má intenção". Esse negocio da bondade infinita das esquerdas e a ruindade absoluta das direitas é insuportável e não parece coisa para pessoas racionais.

Rafael Cherem disse...

A esquerda brasileira foi muito infeliz ao demonizar a classe média,e esquecer de dialogar com a classe baixa,ambas não encontraram interlocutores á esquerda a qual por sua vez não apresenta nenhuma proposta contra a crise fora culpar conspirações internacionais.Também acho que a narrativa de golpe não surtiu nenhum efeito prático fora ser um bálsamo na biografia de Dilma/PT, os quais até o momento não fizeram qualquer autocritica.

Lembrando ainda que a questão de crime ou não a tempo algum foi explicada ao conjunto da população, outra falha, dessa vez de comunicação.

Tomara que a esquerda brasileira amadureça.

Mila disse...

Concordo com você Lívia. Também votei em Dilma somente no segundo turno e pq não confiava no plano de governo que os tucanos tinham para o país. Me senti enganada também quando ela exerceu tudo o que estava na agenda liberal - não sei pq os coxinhas reclamaram tanto. Mas também o tempo me mostrou que Aécio também não era a melhor escolha. Envolvido em várias listas de delação, Aécio perdeu força para Serra e Alckmin dentro do PSDB. Sua imagem também foi borrada durante a Lava-Jato e nem os coxinhas mais o defendem.
O governo do PT cometeu inúmeros erros, entre eles, cumprir a agenda de governo que a oposição queria. Desconfio também se, além de tentar remediar a economia, este também não foi uma última tentativa política de garantir alguma governabilidade.
Apesar de previsto nos nossos dispositivos legais, os brasileiros que enxergam a peculiar maneira como o processo está sendo conduzido são tachados imediatamente de petistas comunistas defensores de Lula. Pois é, num processo tão sério para nosso país é no mínimo irônico que o ponta pé tenha sido dado por um dos maiores corruptos que já presidiu a Câmara dos Deputados simplesmente por conveniência a ele e a seu partido. Vocês acreditam mesmo que Cunha estava interessado na felicidade da nação ao dar prosseguimento ao processo? Tolice. Aquela foi uma carta na manga que ele utilizou a seu bel prazer.
Tivemos Moro, essa figura tão ilibada da memória brasileira. Seu comportamento questionado por vários juristas - desconsiderando fatores jurídicos que movem a Lava Jato - como por exemplo, um relacionamento para lá de amigável com políticos da oposição e a conveniente liberação dos audios logo depois de Lula ser nomeado ministro. Quem não é bobo sabe que esses audios causariam enorme pressão e comoção popular.
Tivemos aquele circo de horrores em maio, deputados sem a menor noção do que estava sendo julgado dedicando votos à família, esposa, cachorro e mandando um beijo para Xuxa.
Depois do afastamento, tivemos uma mudança radical promovida pelo interino. O Governo de um dia para o outro virou oposição e ministérios foram dados de presente aos principais articuladores.
Pouco tempo depois, áudios com políticos da cúpula do governo articulando como barrar a Lava Jato e que Temer seria a melhor alternativa. Vimos os bastidores de um jogo sujo. Com tudo isso, fica difícil crer que a condução deste processo está sendo feita na maior transparência e visando ao bem-estar da Nação. Não está. Não tem como apoiar o processo sendo conduzido da forma que foi, sem garantir uma investigação e punição justa para os culpados. A hipocrisia de todos os envolvidos é enorme, gigantesca. Todo mundo correndo para salvar a própria pele e fazendo os brasileiros de palhaço. E tem gente que ainda fica brigando e se odiando por causa de político.

Anônimo disse...

O STF, A OAB e a Associação Nacional dos Magistrados afirmaram que não é golpe. São os advogados, juízes e o Supremo que defendem as leis no Brasil e, portanto, cabem a eles dizer o que é golpe e o que não é.

Anônimo disse...

Cacau: quem disse que a Globo não é de esquerda? Como você acha que o PT se manteve até hoje no poder? A Globo está do lado em que o poder está.

donadio disse...

"Mas Lola... Vcs lutam pela democracia mas vão lá e fazem um porto em Cuba. Pq gastaram nosso suado dinheiro lá, numa ditadura?"

O que uma coisa tem a ver com a outra? O Obama deixa de ser um democrata por que os Estados Unidos fazem negócios com a Arábia Saudita ou com a China?

E o dinheiro não foi gasto, foi investido. Qual o problema?

Anônimo disse...

Donadio, me parece que o anônimo tem razão: a China é a segunda maior economia do mundo, a arabia um gigante exportador de petróleo.

Vamos comercializar o que com cuba? Carros da década de 50? Vamos ser colecionadores chiques de carros antigos? China e arabia tem relevância econômica. Se quiser brincar de fazer um porto lá, ao invés de melhorar nossos portos precários, Pq não fazer isso num país democrático da região? Tipo México? Por que vcs gostam tanto de ditadores?

Anônimo disse...

Acho engraçado que tem gente comentando "a classe média vai ver a besteira que fez..." e não admitem que o país já estava uma bosta, que Dilma e o PT afundaram a nação financeiramente prometendo assistencialismo e entregando meras esmolas ao povo.

Sim acho Temer um baita falcatrua também, mas porque então a querida lá escolheu ele pra vice? Todo mundo sabe porque, sem o apoio do PMDB ela não teria sido eleita. Na época era todo mundo amiguinho, mas por trás dessa cortina de "felicidade" já estava armado aquele estelionato eleitoral. O País já estava quebrado, mas como a própria Dilma afirmou, em época de eleição ela faria o diabo pra ganhar. Inclusive mentir pra todo mundo e pintar um Brasil ilusório para a população, prometer que a "vaca só tussiria" se os adversários vencessem, e na verdade já vinha tussindo há anos no governo dela. Pois é, a conta veio. Ela tem que sair, pelo bem da nação.

E que caia Cunha, Temer, Renan, Gleisi, Aécio, e quem mais tiver rabo preso. E se forem todos, que se faça uma renovação total. Chega de clubismo na política, de "torcer pra esse ou aquele". Estamos falando do nosso país, se esse rouba, não quer dizer que o outro pode roubar também!!! Chega do "aquele lá rouba mas faz". Temos que exigir respeito dos governantes, eles servem o povo, e não o contrário!!!

Roxy Carmichael disse...

sei 11:19
partindo dessa lógica o de 64 foi revolução?
porque foi assim defendido e chancelado por esses mesmos atores sociais...

do-na-dio, do-na-dio!!!
essa galera vai continuar nesse papo mofado de guerra fria, mesmo depois de os estados unidos restabelecerem as relações com cuba e o tal porto estar no epicentro dessa abertura toda pro mundo? patologia, tacanhice, mau caratismo ou zombieland?

Anônimo disse...

11:52 Globo... de esquerda? de esquerda? peraí... sério mesmo?? mesmo???

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Bicho, compara o tom das matérias sobre PT e PSDB. Compara o grau de cobertura do jornalismo nas manifestações pró e contra Dilma. Isso para ficar apenas nos últimos acontecimentos.

De fato, a Rede Globo é como um Sarney da vida, sempre no time de quem está no poder. Mas o fato do PT ter estado no poder não significa que a Globo foi sua aliada.

Anônimo disse...

14:09 não me parece.
O pessoal de camisa da CBF que queria Fora Lula, PT e Dilma, mas dizia que era apartidário e contra a corrupção subitamente se calou depois que Temer assumiu.
Voltaram agora para apoiar Temer (e se achavam que ele era tão bom assim, pq não votaram nele né non?)
Eduardo Cunha foi o "malvado favorito" de todo mundo. Assim que Temer assumiu, nomeou vários ministros com o rabo preso, mas o problema era a Dilma nomear o Lula.
Não caio mais nessa de "primeiro a gente tira a Dilma". O que a coxinhada queria sempre foi o fora PT. Nunca quiseram o fim da corrupção neste país, caso contrário os protestos continuariam acontecendo contra Temer e seus ministros do rabo preso. Foi como se, com Temer, a corrupção tivesse acabado no Brasil.
Pois é. A situação econômica não tava legal, mas não se falou em tantos cortes e tanto afago para empresário como se está vendo agora. A saída para crise está centrada unicamente em atender o que os empresários acham que é bom (eles têm de agradados né, afinal fazem o favor de gerar empregos). Ah, não vamos desconsiderar também a parte significativa da crise econômica se deu em fatores políticos também. Como aprovar as medidas necessárias sem governabilidade e com a oposição querendo o pior?

Anônimo disse...

"Vamos comercializar o que com cuba? Carros da década de 50? Vamos ser colecionadores chiques de carros antigos? China e arabia tem relevância econômica. Se quiser brincar de fazer um porto lá, ao invés de melhorar nossos portos precários, Pq não fazer isso num país democrático da região? Tipo México?"


Só eu que não acho que meio século de embargo econômico não atrapalhou nadica alguma parte do desenvolvimento econômico e industrial cubanos?

Ah, e quando o Lula quis diversificar nossos parceiros econômicos, expandindo nossa relação comercial com a China e países africanos também teve uma chiadeira geral. Todo mundo com medo da gente se afastar da sombra do Tio Sam. Ouvia-se até distintos senhores de classe média com medo de serem barrados ao visitar a Disney. Alguém duvida que seria a mesma coisa com o México? "Mimimi, a gente deveria comercializar só com quem tem dinheiro (Eua e Europa), de país pobre já basta o Brasil!". Sabe pq? Pq já tem gente dando chiliquinho pq a gente comercia até com a Argentina.

Anônimo disse...

O golpe não é golpe revolucionário. É golpe do colarinho branco, pra tirar do poder a presidente que com todos seus defeitos, dava abertura pro MP investigar quem tivesse rabo preso. Obrigada, Jucá! Se a população e os políticos "pró-impeachment democrático" estivessem realmente indignados com a corrupção, Temer tava fora também (que assinou as pedaladas junto con Dilma, se você realmente acha que foram um crime de responsabilidade singular e vergonhoso), assim como Cunha estaria respondendo inúmeros processos. Mas taí, o vice golpista com a faixa presidencial e a mulher do Cunha com o suado dinheirinho corrupto liberado pra gastar em Paris. Não é que achamos Dilma santa; o problema é que querem colocá-la como o demônio. O problema é o circo midiático apoiando essa ideia. Mas minha consciência tá tranquila. Faço o que posso e sei que consigo levar uma vida razoável mesmo em meio a crise. Só aguardo o momento daqui a 15-20 anos em que o golpe será tratado como golpe, em que estejamos de volta à economia maravilhosa dos anos 90, ver todo esse pessoal de verde-amarelo com vergonha de falar pros filhos que eles próprios tavam no meio das manifestações.

Anônimo disse...

Bom, galera. Vejo que há muita divergência aqui.
Bom, eu sou ex-classe média e já caminhando para elite mesmo, por isso acho que posso falar com propriedade sobre algumas coisas:
Não devemos continuar com essas brigas. São inúteis.

A presidenta deverá ser impeachmada, não há nada que eu ou você possamos fazer. Pois isso depende do Senado e das instituições brasileiras.

Atualmente, temos um presidente interino que não é o ideal, mas que é o que temos no momento para a manutenção da democracia. Portanto, devemos nos unir em prol do bem comum.

Acho que o Pt fez um bom governo no começo, o problema foi que eles começaram a ser muito assistencialistas e corruptos, não é o papel do governo ficar sustentando indefinidamente os pobres, entendem? É necessário ensinar a pescar.

Se o Brasil quer realmente ser forte, o governo precisa primeiro financiar a elite, de modo que esta se fortifique e comece a gerar empregos para a população. Só aí chegaremos a algum lugar: com uma elite forte, rica e culta, e uma classe trabalhadora digna, que produz e tem uma vida agradável e feliz.

Espero ter ajudado. Agora tenho que ir, minha diarista terminou de fazer o churrasco. É churrasco de apartamento, mas a varanda é bem grande, Rsrs... Com carvão e tudo. Boa tarde, Brasil.

Anônimo disse...

15:42 troll detected. Tamo sabendo que vc tá é no trampo de 1000 contos comentando escondido pro patrão não ver.

Anônimo disse...

Lola, moro em São Paulo e esta condição traz um enorme sofrimento. Certa vez Nelson Rodrigues disse que não há solidão maior que a companhia de um paulista. Isso naquela época. Imagine agora. Pense, como dizem vocês, pense em paulistanos, classe média ou média alta, moradores de bairros "nobres". O que dói é que, mesmo cercado de milhões de pessoas, não consigo fazer contato com vida inteligente. Pode parecer arrogância, talvez até seja, pode parecer que estou tentando mostrar como sou melhor que os outros. Não posso discutir isso. Gosto de pessoas simples. Hoje, a companhia de uma pessoa pobre é muito mais agradável que a de um rico. A simplicidade é melhor. Sabe aquela música do Lulu Santos? Tempos Modernos. Pois é. Esse começo de era não veio. Gente fina, elegante, sincera. Não vieram. Antes, eu via gente fina, elegante, mas não sincera. Hoje, só gente grossa e deselegante. E mentirosa. Nossa "elite".
Li recentemente comentários sobre um livro de Robert Feldman (The Liar in Your Life). Não li o livro. Mas no resumo diz o pesquisador, psicólogo, que seu estudo mostrou que todos nós mentimos. E muito. Uma mentira a cada oito minutos, em média, numa conversa normal entre adultos. E que isso não é problema. E mais, que nossos cérebros não tem ferramentas para reconhecer mentiras ou mentirosos. Tenho cá minhas dúvidas. A conclusão desse trabalho não é pessimista, lendo assim por cima pode-se achar que não há o que fazer além de se conformar em viver num mundo de mentirosos, mas não é bem assim. Quer dizer, há muitos tons de cinza.
Diz o comentário, lá no Jus Navegandi (jus.com.br/artigos/41292/sobre-a-mentira), que podemos abraçar as ideias de que existe uma inegável satisfação em dizer a verdade. Concordo. Mais gratificante ainda seria poder ouvir e ler a verdade. Interpretei que, de acordo com o trabalho de Robert Feldman, podemos e devemos entender como funciona esse processo de mentir, e nos tornar pessoas melhores.
E aqui vejo um problema. Toda essa filosofia e ciência só é acessível a uma minoria ínfima. Como fazer que chegue a uma maioria? Como subverter a ordem mundial?
Tudo isto parece "off topic". Mas quero explicar. Eu leio os comentários aqui postados. Muitos e muitos mostrando que a ignorância e a má fé andam sempre de mãos dadas. Geralmente anônimos. (Antes que alguém critique, vou postar como "anônimo" também, mas só porque no meu trabalho não tenho acesso a contas que tem identidade. A identidade vai no fim do texto) O que dizer dessas pessoas? Quanto de má fé e quanto de ignorância tem cada um? Por quê, o que parece tão simples e óbvio para mim e alguns que aqui leem, para outros não passa de besteira?
Gostaria muito, num futuro próximo, estar rodeado por pessoas que não precisam mentir, e que tenham muitas coisas interessantes para contar. Em São Paulo, está difícil. Vivemos na sociedade da mentira e do egoísmo.
Estive em Fortaleza uma vez. Conheço pessoas que me agradam. Amigos. Mas também é uma cidade gigante. Não consigo ver futuro em cidades grandes (muito). Difícil ter amigos, vizinhos.
Lola, parabéns, gosto muito dos teus textos e só posso dizer...
Escreva, escreva.
Kiril Araujo
São Paulo

Victor Amaral disse...

"A gente defende a democracia, mas vivemos financiando ditaduras heehehhehe
Tá serto!"


Repito novamente que vá pesquisar o que se trata de geopolítica. Se um país "democrático" significasse não financiar/ser financiado por ditaduras, para o inferno com os Estados Unidos, não é mesmo? País que vende armas e também protege ditadores. Isso não significa que permitirão ditadores dentro do território.

Anônimo disse...

Viviane,

Para que serve a estabilidade do servidor público?

Ao contrário do que muitos pensam, não é para proteger a pessoa do servidor, e sim A FUNÇÃO EXERCIDA por esse servidor. Tal atuação tem que ser independente, livre de represálias e ameaças.

Agora eu te pergunto, você acha coerente que todos os servidores públicos do brasil tenham, após tres anos de atividade, a chamada estabilidade?

Eu me pergunto em que a função exercida pela técnica administrativa lotada no RH, o que a bibliotecária, o professor e a grande maioria das funções podem sofrer ameaça ou represália por incomodar "gente grande". Pra mim (e em muitos outros países é assim), a estabilidade tem que ser exceção: juízes, delegados, promotores, advogados públicos, auditores fiscais, e alguns cargos de assessoria ligados à estes tem a estabilidade mais do que justificada.

O resto não. É triste que nosso modelo seja tão distorcido assim, e as pessoas almejem para a vida um cargo público e só.
Sim, seria um tiro no pé pra mim. Claro que gosto de saber que meu emprego tá garantido mesmo numa crise braba, mas isso é na esfera pessoal. Pensando em como o país deveria ser, isso não tá certo.

Alícia

Anônimo disse...

Olha Victor, embora esse anônimo aí seja irônico e um cretino, eu acho que nesse ponto ele tem um pouco de razão.
Sou feminista e de esquerda, mas quero uma esquerda ética, bem diferente da direita e não uma direita invertida.
Você falou sobre os EUA serem um país democrático, me parece que passa muito longe disso. É muita hipocrisia se dizer democrático e vender armas para o irã e Iraque, dois lados inimigos no conflito.
Exatamente por isso que não deveríamos nos nivelar por baixo. Não é por isso que devemos apoiar ditaduras, só por que eles apoiam. Apoiar a ditadura cubana ou qualquer outra é um tiro no pé da esquerda, pois quando falamos que queremos democracia (e queremos mesmo), os reaças sempre vão jogar isso aí na nossa conta.
É uma pena, mas o anon cretino tem razão nisso.

Anônimo disse...

O PT, via Lula, só fez uma coisa tecnicamente boa para a economia em quatorze anos de governo. Por incrível que pareça, foi o bolsa família, que a despeito de ser um cabresto dissimulado fomenta o consumo de uma forma ampla e portanto indiretamente aquece todo a sistema produtivo. Na grande depressão americana foi usado um sistema semelhante para dar um tranco na economia. Pena que não existe moto perpetuo e uma hora tem que aparecer um força dinâmica para substituir o subsidio e como não apareceu, aqui estamos.

titia disse...

Construir um porto no México, anon? Pra ajudar no tráfico de drogas e de seres humanos, duas modalidades criminosas em que o México é campeão porque o governo "democrático" de lá faz negócios com o crime organizado e lucram em cima do próprio povo assassinado, estuprado e torturado? Puxa, que cidadão de bem e honesto você...

Anônimo disse...

Mas os índices péssimos que estão saindo ainda se referem ao período Dilma.

Anônimo disse...

O engraçado mesmo e que esses comentários vêem de gente que também eh classe mefia .

Anônimo disse...

Bobagem. Quem sabe mesmo e a Letícia Sabatella.

Anônimo disse...

Alícia, concordo com um dos seus pontos. Mas não entenda a estabilidade apenas para "proteger a função pública".

Antes de vir para o serviço público, eu acreditava em meritocracia. Que aqui não existiam os conchavos e as presepadas da iniciativa privada, cheia de QIs e de politicagem. Acredite, tem muita gente querendo um cargo público: bom salário, geralmente rotina menos puxada.
Aí eu olho pra realidade do meu órgão. Cheio de politicagem, de gente que tá aqui porque conhece alguém, gente que não é da casa mamando nas tetas e indo embora quando o estrago está feito. E a gente da carreira é que fica no órgão, nas vacas gordas e magras. Vejo gente sendo contratada sem critério, gente sem nível superior ganhando 6, 7, 8 mil reais líquidos. Custando para a máquina pública o preço de 3 ou 4 servidores. Gente colhendo todo o bônus de ser servidor público, mas sem arcar com o ônus. Ao contrário deles, a gente só pode fazer o que tá na lei. Nada de tirar 60 dias de férias fazendo acordinho com o chefe para nós. Nada de responsabilidades legais sobre o bem público, ou de seu salário só conseguir algo mediante muita luta política.
Pois é. Aí tem o momento político hj. Momento político onde expressar suas opiniões pode te dar um ban, pode ter dar consequências no trabalho. Momentos de ruptura, onde cargos como os nossos viram espólio de guerra. Talvez seja o momento de pensar se a estabilidade poderia ser relativa? Talvez. Mas extinta? Obedecer à mesma lógica da iniciativa privada? Só que na Iniciativa Privada o dono da empresa emprega quem ele quer e demite quem ele quer. No caso dos servidores públicos, nosso patrão é o Governo (já passamos da idade de acreditar que o povo é nosso patrão, nas instituições públicas o povo não é considerado de jeito algum).

Gle disse...

E depois de um ano (ou mais) sem postar aqui por conta das voltas que a vida dá, cá estou eu!

Dilma é uma das mulheres mais fortes que já conheci. A mais valente. Não desistiu de lugar pela democracia nenhum minuto.
Os direitos serão retirados novamente. O nordeste, que visitei a alguns meses, aquele que estava crescendo e se recuperando, provavelmente será a região mais afetada (de novo, e de novo). Enquanto eu me entristeço com essas questões, ouço bateria de fogos aqui em Blumenau de pessoas comemorando o GOLPE. Foi triste, apesar de muito bem previsto e armado.
Eu tenho receio do que acontecerá nos próximos meses. Porém, ainda quero estar viva pra ver cada um desses apoiadores do Golpe levando as rasteiras que eles mesmo desejaram.
Sejamos fortes pra sobreviver!

Beijo Lola! Acho que a partir de agora conseguirei aparecer mais vezes por aqui.
(E esses mascus? Eles não cansam? affff hahahaha)

Anônimo disse...

A única coisa boa disso tudo é ver as pessoas que apoiaram o golpe preocupadas com o tanto que irão se ferrar. Ou melhor, seria bom se a gente não fosse arrastado por esses trouxas junto.