segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

PALMITEIROS? ASSIM NÃO

Diversos comentários interessantes no post em que perguntei sobre a eficácia de ativistas que "cagam regras", como algumas negras que criaram o termo "palmiteiros" para condenar negros que se relacionam com brancas. 
Por outro lado, a discussão está ligada a um tema muito mais sério, a solidão da mulher negra, também um assunto polêmico.

"A Lola tá certa sim de citar esse exagero do movimento negro radical de chamar de 'palmiteiro'. Tá ficando ridículo! E a justificativa que dão pra isso é a solidão da mulher negra!
Ou seja, estão justificando os relacionamentos afrocentrados (!) por causa da solidão da mulher negra. Um cara negro que namora uma mulher branca/ asiática etc é esculachado nesses movimentos, dizem que ele tá contribuindo com a 'solidão da mulher negra' e que ele deveria namorar uma negra em vez da branca. 
Tive a infelicidade de ler numa página ridícula uma guria dizendo que a namorada branca de um cara negro, que tava grávida dele, era 'ventre sujo' e que o cara tava traindo sua raça! CHEGA DE RADICALISMO! Esse movimento, desse jeito, tá perdendo a credibilidade. Essas páginas radicais estão com o mesmo discurso de segregacionistas!
Uma pergunta sincera para negras daqui: se a solidão da mulher negra existe, como acabar com ela sem cair no segregacionismo? Pergunta sincera mesmo (porque as páginas do movimento negro e feministas do Face tão de dar nojo)" (B.)

"B.: Para mim, a solidão da mulher negra perpassa pelo empoderamento e desconstrução de estereótipos. 
A meu ver, a solidão da mulher negra se dá por critérios históricos, nos quais as negras eram relegadas ao trabalho escravo ou à condição de escrava sexual/ amante/ concubina de homens brancos. Com isso, surge a cultura da mulata tentação e que ela só serve para ser sexual. Então, destruir esse estereótipo de mulher negra sexualizada e/ou que só serve para ser doméstica seria um deles. 
Pensa só como foi o papel da mulher no começo do nosso país, como os homens colonos que detinham o poder faziam filhos nas negras e índias e como esses filhos eram párias na sociedade (e daí a gente pensa também no estigma da mãe solteira).
A questão 2 passa pela desconstrução de mulher como objeto. Aí que o machismo e racismo andam de mãos dadas. O homem entende a mulher como objeto, sendo a mulher branca o objeto cobiçado, um passaporte para ser tolerado entre os brancos. É por isso que vemos muito homens negros com dinheiro (pense em jogadores de futebol) ao lado de mulheres brancas. Elas representam status social para eles, algo que as negras não proporcionam.
Quando acabarmos com essa mania de atrelar aparência à status, estaremos tratando mulheres como seres dignos e não como ferramentas de promoção social. Do outro lado, tentar limar a cultura de subvalorização do negro também implica em redefinição em ser negro como algo bom, em vez de ser uma coisa ruim e como uma herança maldita. Acabando com a desigualdade de gênero e raça, ninguém vai apontar o dedo para o outro e se meter em quem ele deve ou não se relacionar." (Mila)


"Lola, copio aqui uma postagem que fiz no meu facebook em setembro, sobre esse lance do ‘palmiteiro’ e logo abaixo, um comentário que dei em resposta a um amigo.
Acho que resume bem minha opinião sobre o assunto.
'Essa semana descobri que existem as tais páginas e grupos que criticam homens negros que se envolvem com mulheres brancas. Palmiteiros. 
Ok. Aceito e entendo que gosto é construção social, que a solidão da mulher negra existe SIM (SOU NEGRA E VIVO ISSO) e que tem um monte de preconceito, em diversas nuances. Mas não concordo, e nunca vou concordar, com essa ‘caça às bruxas’ que fazem com o assunto. Criar memes, fazer piadas, zoar... não concordo.
Meu pai, negão, segundo essa regra, foi palmiteiro. Casou com minha mãe, branca. Por mais que gosto seja construção social, viver quase 30 anos do lado de alguém não é ‘querer ascender racialmente’. Limpar a bunda de uma pessoa doente, dar banho, cuidar, alimentar... estar lá, para uma pessoa que está morrendo, não é construção social. É amor.
Então desculpa, sou negra e vc não vai me ver metendo o bedelho na relação alheia, querendo tachar o que é amor e o que não é. Acredito que existe uma distância muito grande entre tomar consciência de certas coisas e meter o bedelho nos relacionamentos alheios. (...)
Eu sei que amor tem cor, tem raça, tem mulher pra casar, tem mulher pra trepar, tem travesti que vai passar a vida sozinha porque ninguém quer assumir. Existem mil problemas. MAS acredito que essa militância, essas críticas exacerbadas, esse discurso ditatorial (porque não deixa de ser) enfraquece QUALQUER modo de lidar com isso. Que esse não é o caminho pelo qual isso vai ser debatido, trabalhado e, exponencialmente (um dia, espero) superado.
Para mim, a mesma linha de pensamento que proibia os casamentos de negros e brancos antigamente, sustenta essa vibe palmiteiro. Acho uma forma tão deturpada de tratar um problema. Me dá nos nervos.” (Mona)

"Só lendo os ótimos comentários sobre a solidão da mulher negra, obrigada gente, aprendo muito com vocês. 
E penso que concordo com a B. e a Mila e a Mona, há muito de político no gosto estético, portanto temos sim que debater os porquê do amor, dos gostos, das subjetividades. 
Sobre abordagens e táticas de sensibilização, eu penso que infelizmente nós somos uma sociedade autoritária para caramba, e isso reflete inclusive nas práticas de diálogo sobre direitos e práticas de vida. 
Pessoalmente sou muito reativa a qualquer tipo de discurso agressivo (hoje, há anos na terapia, entendi que isso é fruto da minha história com violência psicológica), fico possessa de raiva com quem escolhe ofender os demais para chocar. 
Todavia, sendo um dedinho mais madura, percebo hoje que nem toda 'provocação' é inútil. Às vezes uns bons petelecos morais são necessários para criar a necessidade de reflexão. Nunca será o meu meio de debate (a menos que eu seja muito provocada, por que né? Santa não sou, nem quero ser), mas tô tentando ser tolerante. 
Até porque, se eu aprendo com meus erros quando faço política, por que não os outros? 
Quanto mais diálogo entre aquelas que discordam, quero acreditar, melhor fica a interação entre quem fala e debate." (Márcia)

"Curioso que quem caga regra geralmente reproduz o discurso do opressor, se passa por ridículo e nem se dá conta do que tá fazendo? Tipo lésbica dizendo: 'mulher minha não sai de saia curta!' Dá vontade de gritar 'Mas você é mulher, MULHER! Pare de reproduzir esse discurso machista!'
Quando eu era mais nova minha mãe dizia que eu era um pouco racista também, por nunca ter paquerado ou namorado com meninos negros. Me peguei pensando nisso que ela disse essa semana e percebi que isso se deu por eu ser uma negra privilegiada! Estudei em bons colégios, entrei na faculdade cedo, e até o segundo ano, quando chegou uma intercambista africana na minha turma de jornalismo, eu era A ÚNICA NEGRA DA TURMA. Bem... assim realmente ficava difícil escolher um namorado ou um paquera negro." (Jan)

"Este assunto da solidão da mulher negra é espinhoso para alguns setores do movimento negro (os que defendem relacionamentos afro centrados e os moderados, que se revoltam com o racismo no caso de relacionamentos). Até com algumas feministas negras já tive experiência desse assunto ser classificado como mimimi de mulher negra de classe média que tá chorando por não ter namorado branco como as amigas.
Como eu disse, a minha maior crítica a isso é que não se pensa da perspectiva feminista, que é o de desconstruir a objetificação feminina da mulher referendando o status do homem. 
Eu, que sou mestiça, me sinto pessoalmente ofendida com afrocentrismo. Mestiços costumam estar no limbo em divergências entre raças, é como se fôssemos culpados por isso." (Mila)

124 comentários:

Anônimo disse...

Esse pensamento é igual dos neonazistas. Certamente os neonazistas iam gostar da ideia de negros e mesticos se relacionarem entre si e deixarem os brancos em pas.

Anônimo disse...

Homens possuem alma muito utilitarista. Homens negros e brancos querem as brancas (preferencia loiras) para casar, para ostentar e serem mães de seus filhos e as negras para se divertir na surdina. O homem é tão utilitário que só quere uma coisa das mulheres (b*ceta) e visibilidade social

Anônimo disse...

Inverti o discurso só pra mostrar que quem mais acusa as mulheres de serem utilitaristas também o são em mesmo ou maior grau. Deve ser projeção.

Anônimo disse...

Com a questão especifica da ascenção social, sim existe tudo isso que o pessoal falou,mas vejam bem, quando um negro(a) consegue subir na vida, passa a frequentar outros luares, conhecer outras pessoas, e como nesses meios a maioria é branca é claro que ele(a) pode se apaixonar por um(a) branca(o), porque não?Não precisamos politizar todos os aspectos da vida, as pessoas simplesmente se apaixonam, se amam, desamam e vida que segue.

Anônimo disse...

Os negros vencem a maioria das maratonas, nunca vi homem branco pedindo cotas, ou seja, o melhor branco colocado teria um 3º lugar.

*De brinde: a lola é palmiteira!

Marcia disse...

Todo mundo é utilitário quando se trata de casamento? Duvido. Há tantos racistas aqui que nem percebem que estão desumanizando homens negros e mulheres negras. Amigo ou amiga (aposto 20 centavos na primeira opção) se você é um ser mesquinho e calculista, vá fazer seu casamento de merda (se encontrar alguém que te ature, ou tenha os meios necessários para pagar que alguém lhe ature) e deixe a vida alheia em paz.

Reconhecer que preconceito molda subjetividades, não significa sair por aí classificando a vida alheia, que não por acaso, é a vida de negras e negros que tantos aqui acharam tão simples explicar como funciona.

Madaha Maluum disse...

Eu sou mestiça de branco e negro, poxa, tenho duas etnias presentes fortemente na minha vida, como posso escolher o amor da minha vida pela etnia? É a mesma coisa que se eu fosse em uma loja, ao escolher dois objetos, eu não vou considerá-los os seus pontos fortes, mas a cor do objeto, tipo o que?

Eu namoro branco, negro, mestiço, desde que eu goste do rapaz! Amo homens, é isso que importa! hahahaha! ♥ Esses movimentos negros do facebook já pararam de me representar há um tempo... Tá mais para mimimi segregacionista do que para defesa da mulher negra.

Anônimo disse...

Marcia, enquanto a pessoa que sofre preconceito for preconceituosa, o preconceito nunca acabará!

Anônimo disse...

Concordo Marcia. Tantos comentários aqui (a maioria pela escrita, parece ser o troll das "Mulheres Utilitaristas") desumanizando negros e negras como se eles fossem gado e não humanos com sentimentos, objetivos, aspirações, traumas e incertezas quanto qualquer um de nós. Aposto que são brancos impondo o que negro/negra tem ou não que fazer, como devem ou não se comportar como se fossem os senhores de suas vidas. Escravidão já acabou, graças, para um ou outro grupo achar que ainda pode mandar em outros seres humanos por terem mais dinheiro, cor de pele ou gênero privilegiado perante a sociedade. Negros vencem maratonas! Uou! Cabou o problema do racismo, gente, um negro venceu uma maratona! Interessante é que os algozes dos meus antepassados faziam a mesma analogia ("mas os judeus são ricos, o que eles querem mais?) para massacrá-los. Só isso já torna uma opinião assim um tanto quanto inadequada num post sobre racismo, mas aí vai da consciência de cada um. A minha, pelo menos, eu tô tentando limpar.


A.

Anônimo disse...

14:38, deixa de bestagem, ô modelo internacional. Tu não tá conseguindo nem loira, nem negra, nem índia, nem ruiva, nem Peppa Pig.

Anônimo disse...

Mais uma vez mulheres feministas querendo falar sobre os sentimentos de homens, e se o negro esta com a mulher branca por amor? Vocês não são homens parem de querem definir o que somos ou sentimos que isto não cabe a vocês

Anônimo disse...

Acho uma hipocrisia esse papo de solidão da mulher negra/trans/deficiente. Nunca vi feminista falando sobre a solidão do homem nerd.

Anônimo disse...

15:37: Aqueles mesmos que desprezam MENINAS NERDS pq elas não são as loiras bombadas de academia? Ah tá. Agora feminismo virou babá de mascu, devem ser tão burros que não conseguem advogar em causa própria.

Anônimo disse...

Sei que é off, mas sinto falta de posicionamento das feministas anti-Islã sobre este ponto:
http://www.brasilpost.com.br/2016/01/18/refugiadas-abusos-sexuais_n_9008766.html?utm_hp_ref=brazil

Com a guerra, as maiores vítimas serão sempre as mulheres e as meninas, sujeitas a abusos físicos, psicológicos e sexuais.

Anônimo disse...

15:47, e as nerds querem os nerds?

Anônimo disse...

16:32, contagem regressiva pro seu comentário ser apagado!

Anônimo disse...

16:19
Tava pensando nisso hoje, acho que o problema dos refugiados tem que ficar no mundo árabe ...
E sabe pq? pq eles não gostam de estrangeiros, não gostam mesmo, nem os mais moderados, eu acho que eles tem que ficar com os deles. Eu sei disso pq tenho uma amiga que mora pelas bandas de lá e me garante que eles não gostam de quem vem de fora, eles tem preconceito com a gente. As pessoas tem que abrir os olhos que esse não pode ser um problema do mundo ocidental, nós estamos feito idiotas.

PS: Ontem mesmo passou uma reportagem de um físico que está no Brasil e é apoiador do terrorismo, sim ele está no Brasil, e ngm fez nada!!!

Anônimo disse...

Aliás eu teria uma sugestão de os países ricos mandarem dinheiro para eles se refugiarem em países árabes ao invés de acolherem eles. O fato deles receberem dinheiro e refugio não vai fazer eles serem civilizados com a gente.

Anônimo disse...

Não acho a lola já pediu que fizessem um blog sobre a solidão da mulheres negra inclusive pediu para que elas mandassem o post.

Anônimo disse...

14:43, os negros dominam as maratonas, tu já viu UM branco pedindo cota ou se sentindo discriminado fisicamente?

Anônimo disse...

Mas as mulheres solteiras sempre vão estar em maior quantidade já que tem pouco homem, eu vi um dado de que havia muito mais homem negro com mulher branca acho que tipo 70% que o contrário, esse dado que deveria ter sido exposto. No Brasil dos poucos homens que tem raros são héteros e solteiros.

Anônimo disse...

Sem contar que a quantidade de homem negro que morre é muito grande, e há uma falta de homem no geral por isso os poucos que tem são muito exigentes.

Anônimo disse...

Tá parecendo uma nova ocupação dos mouros na penísula iberíca, o que está acontecendo agora, e desde aquela época eles não queriam interagir com o povo. Depois foi que veio a reconquista e expulsaram os mouros, mas agora eu acho que vai ser difícil expulsarem eles dessa vez.

Anônimo disse...

Conheci duas brancas casadas com negros que eram traídas e humilhadas. E uma só separou pq o cara largou e engravidou outra e outra mesmo ele traíndo continua com ele. A mulher branca só é um status pro negro machista se exibir.

Hoje mesmo vi uma reportagem sobre o tamanho do penis que falava que o homem queria o tamanho grande não para dar prazer a mulher e sim para exibição, homem não quer saber de mulher, só quer status

Anônimo disse...

"Acho uma hipocrisia esse papo de solidão da mulher negra/trans/deficiente. Nunca vi feminista falando sobre a solidão do homem nerd."

Só os nerds manetas são solitários.

Anônimo disse...

Sou nerd, tenho 25 anos e sou BV. Nunca fui mascu nem nada, mas sempre fui muito de estudar e jogar videogame.
Não acredito que existam mulheres nerds, apenas bazingueiras. Meninas que se acham nerds por ver um sitcom, jogar lol e fazer gem install no rails. Estas só vejo ficarem com sarado de academia.

Existe a solidão do homem nerd. No tempo de colegial, uma colega feminista lésbica, muito amiga na época, sugeriu castraçao química em massa de nerds. É uma solução drástica, mas quem não pode "fazer canal", arranca tudo e usa dentadura, né.

Anônimo disse...

Pois eu chamo de liberdade da mulher negra

Anônimo disse...

Perái, pelo que eu vi do tópico, mulheres negras e mascus estão num nivel semelhante, pois nem as negras nem mascus pegam ninguém, é isso produção?

Anônimo disse...

Esse post (que é apenas um copia cola de comentários anteriores) é um ótimo exemplo do que significa a expressão "falsa simetria".

Erres Errantes disse...

Fiz uma pesquisa na internet procurando pelos termos "palmiteiros" e "palmitagem" e a maioria dos resultados levou a páginas racistas. Esses termos têm sido apropriados por reaças para justificar o racismo reverso e associar o discurso de feministas negras à eugenia.
Cuidado, galera... Quando usamos uma expressão que é rapidamente aceita e até adotada por direitosos, é porque precisamos ligar nosso sinal de alerta.

Anônimo disse...

E as negras que namoram ou casam com brancos? São palmiteiras ou o termo é só no masculino?

Anônimo disse...

Com o aumento do número de mulheres negras assassinadas pelos parceiros ou ex ser solteira/solitária é uma grande sorte.

Anônimo disse...

Hummmm,mas vejo muitas brasileiras que estão caçando gringo,que se o gringo for argentino, boliviano,chileno pra elas não é gringo.
Só querem se forem loiros do zoio azul...

Anônimo disse...

O termo é só masculino porque existe um desequilíbrio.

Anônimo disse...

Cara, vc frequentou algum curso de exatas na faculdade? Tem poucas mulheres nas exatas, mas entre essas há algumas nerds. Acho que te falta sair um pouco, conhecer o mundo e conversar com pessoas.

Anônimo disse...

17:38 ou seja, na verdade você não quer um relacionamento, quer continuar sozinho e solitário. Mas como vão te chamar de viado se você assumir isso e seu coraçãozinho é muito sensível e não aguenta dois minutos de zoeira (zoeira que você adora fazer com os outros, aliás), fica aí fingindo que se lamenta por não ter uma loira bombada de academia que também seja nerd psicótica como você e dizendo se só vai se relacionar se essa criatura mística aparecer. Você poderia dizer que quer namorar um unicórnio que dava na mesma. Simplesmente assuma que você não quer se relacionar com uma mulher, só com seus videogames e pronto.

Anônimo disse...

Essa de solidão da mulher negra é bem estranho, n sou negra mas tem várias negras na minha família, todas casadas com brancos. E vejo várias por aí do mesmo jeito.

Anônimo disse...

Sylvie

Desculpe a sinceridade, mas NÃO se combate preconceito com preconceito!!
Não quero cagar regras mas pessoas devem ficar com quem a faz feliz seja: do sexo oposto, do mesmo sexo, negro, branco, índio, oriental,etc.
Sim há casos de negros ricos namorando e casando com loiras apenas pelo status, mas NÃO podemos generalizar!!!
Se todo negro que aparece com namorada ou esposa branca ou oriental for visto como "ele devia ser casado com uma mulher da mesma raça", desculpa mas você que pensa isso é racista SIM!!!
Não vejo só negras solitárias, vejo mulheres em geral solitárias, nsot porque sejam " feias", ou não sejam inteligentes e interessantes, e sim porque hom hétero bacana e responsável é RARO!
Veno muita mulher, infelizmente, falando a maioria dos caras hoje em dia são gaya ou casados, como se todo homem solteiro, divorciado ou viúvo fosse "maravilhoso". Pena que muitas mulheres não desapegam, acham que basta o cara ser hetero pra ser "perfeito", como de a heterossexualidade do sujeito fosse o suficiente pra ele ser babaca, mulherengo, infuelz agressivo e misógino.
Hoje eu, uma mulher parda, moro com um homem de descendência oriental, mas quando tava solteira não sofria nem um pouco nem achava que homem é "tábua de salvação" de mulher(aliás adoro meu namorido, kk, mas, continuo com este pensamento).

Anônimo disse...

"Não acredito que existam mulheres nerds, apenas bazingueiras. "

Com esse pensamento aí, milhão, tu espanta qualquer mina nerd mesmo. Continue no seu mundinho que é bem melhor, meu caro.
Acho que nenhuma mulher nerd nem CDF merece um nerdão chato que nem tu.
Nunca beijou? Problema teu! Vá estudar e jogar vídeo games que tu ganhas mais e deixe as meninas nerds em paz.
Mimimi chato "ain, acho hipocrisia discutir a solidão de mulher negra/trans/gorda". Hellooooou, querido, a Lola e as feministas em geral têm mais é que problematizar a solidão de diversas MULHERES mesmo.
Quer começar a falar de solidão do " omi nerd"? Comece por vc! Vlw? Flw

Anônimo disse...

Filhão*

Ah, outra coisa: se tu frequentas curso de exatas, aí é que tu estás realmente fodido, fera.
Nesses cursos quase não tem mulher e pode acontecer de, caso haja algumas, elas nem sejam nerds assim como inúmeros caras que estão nesses cursos e cagam e andam pra cultura podre e misógina que é a nerd não são.
Sério que vc teve uma colega feminista lésbica que sugeriu castração química em massa de nerds chatos e Bobalhões que nem tu? Hahahaha, essa moça bem que merecia um beijo e um abraço

Anônimo disse...

Nunca me relaciono com moças da faculdade. Inclusive, para evitar mal compreendidos, evito contato visual. Universidade é lugar de estudo e trabalho, não de namoricos.
Na última vez que procurei, seis meses atrás, havia usado um site chamado badoo.

Anônimo disse...

Queria só uma garota legal que se importasse comigo. Mas não existe. Desisti disso já, só estou tentando apontar que existe uma solidão do homem nerd.

Anônimo disse...

Isso aí! Gosto assim. Evite contato visual. Se puder evitar todas as moças, evite - as, por favor!
Mas numa coisa eu e você concordamos: "Universidade é lugar de estudo e trabalho, não de namoricos" apesar de não ter absolutamente nada contra as mulheres que namoram/ficam/transam e até casam - se com pessoas que conheceram na época da universidade.

Anônimo disse...

Own, quer alguém que se importe com você? Que tal a sua mãe, vc tem uma? Oxalá não existisse mesmo pois isso significaria que elas estariam mais focadas no seu próprio sucesso e em se importar uma com as outras.
Nooossaaa, solidão não é esse bixo de sete cabeça todo não, meu caro. Sou negra, nerd e "feia" e sei disso. Dou é graças à Deusa. Mas está sou eu, não posso falar por todas as negras. Aí, parça, quer um conselho sincero? Curta essa solidão que a deusa te deu. Quem sabe assim vc aprende a ter um pouco mais de empatia pelas mulheres que sofrem dessa tal coisa chamada solidão

Anônimo disse...

Isso de "palmitagem" virou uma cagação de regra digna de deixar qualquer nazista morto de felicidade. Sou mestiça, filha de pai índio e mãe negra, e aí?

Meu namorado é oriental, e já cansei de ouvir em espaços feministas que eu deveria escolher "um relacionamento afrocentrado", e que meu namorado só estaria comigo "pelos estereótipos raciais colocados sobre a mulher negra". Sim, amighinhxs, pra algumas feministas ele jamais gostaria de mim pelo que sou, e só é um companheiro fantástico pra me explorar (?!?).

Anônimo disse...

Há eu quero mais e que se foda....

Anônimo disse...

Finalmente um post sobre o ódio perpetrado por alguns integrantes do movimento negro.
Falta agora um post sobre o ódio perpetrado por algumas radfems

Anônimo disse...

Mais uma vez tudo se Volta ao homem, Como se nos mulheres nao tivessemos solidao. Depois quando ficamos velhas ainda somos descartadas POR homens da nossa idade ou ate mais velhos. MAs tudo tem que se voltar as amarguras masculinas

Anônimo disse...

é bem dolorido admitir isso, mas eu fico feliz sim em ver os meus filhos brancos e saber que a minha filha, se for hétero quando crescer, provavelmente vai ser vista como uma moça para namorar e não para ser abusada.

há sim uma tendência de apagamento da raça na escolha dos parceiros, não vamos simplificar isso como "escolha individual" não, porque os homens ficam com mulheres negras, mas escolhem não namorar com elas, e problematizar isso é importante.

isso tem que ser dito não pra apontar os dedos pra pessoas específicas, mas porque não dá pra mudar uma realidade fazendo de conta que ela não existe.

mais empatia e respeito com as mulheres negras, por favor. e menos hipocrisia. não acho que seja demais pedir isso numa página feminista.

Lola, vc não acha que há desrespeito, abuso e desligitimação da fala das mulheres negras em quantidade suficiente no mundo? vc precisa mesmo se juntar a esse coro?

Anônimo disse...

Quem fica sozinha Sao as mulheres, que ficam velhas e ja Sao rejeitadas enquanto os homens, sempre Sao vistos Como charmoso grisalhos. Como se nossa Vida tivesse um prazo, os homens reclamam de barriga cheia.

Anônimo disse...

Aposto que os homens negros que só namoram brancas sofrem muito por ser chamados de "palmiteiros". Ainda bem que existem várias mulheres feministas com tempo sobrando pra correr em suas defesas.


MAIS RESPEITOS PARA OS PALMITEIROS!!!

Anônimo disse...

"Lola, vc não acha que há desrespeito, abuso e desligitimação da fala das mulheres negras em quantidade suficiente no mundo? vc precisa mesmo se juntar a esse coro?" [2]


Também sou branca e estou achando ridículo isso aqui.

Anônimo disse...

"enquanto os homens sempre Sao vistos Como charmoso grisalhos"

Isso é o que eles querem acreditar, né? Não dê falsas esperanças.

Anônimo disse...

Meu caro BV das 17:38, você tocou em um ponto nevrálgico cujos desdobramentos você talvez sequer possa vislumbrar. Você veja, o homem é imitação do pleroma divino, como diria o apóstolo Paulo, já a mulher é uma mera replicação crepuscular do homem! Portanto a mulher, meu caro, veja bem, a mulher é uma xerox da xerox! Ela falha miseravelmente ao tentar tomar para si uma cultura masculina, pois falta-lhe um senso crasso de originalidade! Você entende isso?

Anônimo disse...

Anônima das 20:38 e das 20:42

Alguns homens velhos são vistos como "charmosos", os bonitos e os ricos, que o restante sofre da mesma invisibilidade das velhas. Tu só tá sendo boicotada, pois inflacionou demais o preço do teu corpo. Aposto que no teu auge, tu não ficava com os homens em si, ficava com aqueles que mais se esforçassem pela tua aceitação. Queria o quê? Que conseguisse impor sua dinâmica amorosa pelo resto da vida?

Anônimo disse...

"Lola, vc não acha que há desrespeito, abuso e desligitimação da fala das mulheres negras em quantidade suficiente no mundo? vc precisa mesmo se juntar a esse coro?"

Engraçado, não sabia que determinados grupos, por sofrerem algum tipo de discriminação, não eram passíveis de apresentar posicionamentos equivocados.

Anônimo disse...

Este negocio de "homem velho charmoso, coroa pegador" e coisa que só existia nas novelas dos anos 90, não corresponde em nada a realidade.

Homem já e difícil de suportar, mas quando e novinho ainda dá pra relevar desde que não seja muito machista babaca, mas velho babão metido a gostosão ninguém merece.

Anônimo disse...

Gente pelamor, falar em solidão porque não tem um estorvo masculino do lado? Só for em relação as amigas que se afastaram, filhos que não dão mais atenção ou algo assim ate entendo, mas homem?

Pois eu digo pelas minhas tias, todas me relatam e as amigas delas também que o melhor momento da vida delas foi quando os maridos morreram e elas reencontraram as antigas amigas de juventude e formaram um turminha bem animada.

A pior companhia para uma mulher e um homem acreditem, se libertem deste mito besta patriarcal do amor romântico, se libertem do machismo heteronormativista.

Anônimo disse...

Deve ser por isso que tantos ativistas negros odeiam tanto movimentos como O Nação Mestiça. No final das contas, há muitos segregacionistas, racistas mesmo, no meio deles/delas.

Eu torço para que negros sejam extintos. Assim como brancos, índios, asiáticos e todas as outras raças. Espero que a humanidade se misture tanto que abandonem essa idéia ridícula de dividir as pessoas por raça.

Alessandra disse...

Não concordo com o termo "palmiteiro", mas sinto nesta atitude um jeito meio atrapalhado de extravasar.
Durante toda a minha vida frequentei lugares de maioria branca. Aprendi sozinha, e a duras penas, lidar com o preconceito que me acena TODOS OS DIAS, o que nem sempre consigo fazer de forma muito equilibrada. Tenho certeza que seria bem mais fácil dividir a vida com alguém que conhece o assunto de fato, e não só de ouvir falar.
Percebo nesta situação um desespero e angústia que só entende quem vivencia.

Anônimo disse...

"Anon 21:20, seu idiota. Seria o mesmo que falar que torce para que mulheres sejam extintas para que abandonem a ideia de dividir as pessoas por sexo."

Até pensei em responder seriamente, mas nem vale a pena. Qualquer um mais esperto que uma ameba vai entender que não foi isso o que eu quis dizer. Talvez eu até tenha deixado muito fácil, usando o termo "extinto", quando miscigenação não implica no desaparecimento de ninguém, e sim em assimilação. Mas, whatever.

Anônimo disse...

RaldicalLesbian, você poderia dar uma maneirada nessa sua chatice e complexo de superioridade, né?

Anônimo disse...

Anônimo das 20:42

Já que mulher é tão ruim, e homens tem tantas qualidades, vai arrumar um macho pra vc seu enrustido.
Misógino VIADO.

Anônimo disse...

Anônimo das 21:00

Já que tem tanta repulsa e ódio por mulher e tanta adoração por homens, vai caçar um macho, viado enrustido.
Vai ser feliz e para de encher saco, fracassado!!
Se mulher é tão "ruim" pq manda sua mãe fazer teu Todynho e lavar tuas cuecas sujas de merda?!

Anônimo disse...

Meu caso é diferente, sou branca e apaixonada por um negro, ficamos com frequencia. Ele é um negro apaixonante, luta pela causa de qualquer minoria e ajuda moradores de rua.
O moço tbm só assume namoro com negras, as ex namoradas dele tds negras, ele mesmo ja disse pra mim que só namora negras. E eu gostaria de namorar com ele. O que vcs pensam desse caso?Me ajudem, alem de apaixonada estou muito confusa.

Vanessa

Anônimo disse...

Não existem mulheres sozinhas por obrigação. Mulher só é sozinha por opção.

Anônimo disse...

O Cara cita Paulo Como desculpa de supremacia kkkk é Como citar um et, afinal existe a cientologia tbbm. Vamos inventar uma religiao que o povo acredita mais. Antigamente adoravam o sol . Tudo pode ser adorado de acordo com a tolice Humana. Inclusive o homem né!!

Anônimo disse...

Nao sou velha ainda foi so uma observaçao. Eu acho que as mulheres podem envelhecer bem. principalmente depois que vi a Mae da Gabriela Pugliese. Nunca tinha visto uma coroa Tao jovem parece ser a Amiga e nao a Mae.

Anônimo disse...

Mas isso serve de alerta pra mulheres que querem se inserir em culturas masculinas, seja a cultura nerd ou o cristianismo. Sério, libertem-se dessa merda.

Anônimo disse...

"A pior companhia para uma mulher e um homem acreditem, se libertem deste mito besta patriarcal do amor romântico, se libertem do machismo heteronormativista."

Anônimo disse...

tem comentário misógino às 21:00 pedindo pra ser apagado

Fabianaaaa disse...

Engraçado que pra mim a heroína é a tal da sua prima, vou tentar seguir o exemplo dela. Além de tudo passou em direito, double-win. Esse teu tio vai morrer com mente pequena e sua prima tem tudo pra ser grande. Covarde ela mostrou que não é. Já teu tio.. Não é a toa que vc ta admirando ele, é um também.

Anônimo disse...

não generaliza muçulmanos, sério. eu tenho quatro primos de segundo grau que são filhos de muçulmano e brasileira, nasceram nos EUA e seguem a religião de um jeito extremamente moderado. eles são completamente integrados no país que vivem, não sofrem nenhum choque cultural quando vem ao Brasil visitar; a única diferença é que eles não comem porco e derivados e rezam em direção a meca. Assim como já trabalhei com turcos (filhos de imigrantes) muçulmanos que são completamente tolerantes e ocidentalizados. Tomar uma religião inteira por terroristas E/OU intolerantes é uma burrice. Assim como nem todo seguidor de religião derivada do padrão judaico-cristao é ortodoxo, nem todos muçulmanos são. A questão é a socializacao deles, a personalidade de cada um. Dizer que o problema dos refugiados árabes tem q ficar nas arábias é a mesma coisa q dizer q as questões dos refugiados senegaleses e angolanos tem que permanecer no continente africano. a minha cidade recebe centenas de imigrantes africanos (muitos muçulmanos) e sinceramente, a maioria é mais respeitosa que os brasileiros que eu convivo diariamente. Pessoas não são preto no branco, assim como crises de refugiados. Parece até papo nazista sobre judeu, eu hein. Tem gente podre no meio? Tem gente podre em todo lugar. O negócio não é epidêmico, não passa pelo ar pros outros. O que o ISIS faz não é muito diferente do que as igrejas evangélicas fazem aqui, com a diferença q esses ainda não começaram a pegar em armas pra destruir os não cidadaos de bem.

Anônimo disse...

Solidão é diferente de sozinha.

Solidão é um sentimento causado pela necessidade de companhia, uma questão 100% psicológica.

Sozinha é um fato do mundo. Ou estamos acompanhada ou estamos sozinha.

Quem sente solidão é porque deseja uma companhia que não consegue encontrar.

A independência feminina passa obrigatoriamente pelo processo de ser capaz de ficar sozinha sem sentir solidão. As mulheres que sentem solidão por não ser desejada por um homem estão no caminho errado, esse não é o caminho revolucionário que a militância defende. A mulher moderna deve viver livre das amarras da sexualidade, livre da dependência de uma companhia masculina. É imperativo abdicar do desejo sexual e da dependência psicológica do contato físico.

Os números do IBGE não deixam dúvida. A cada ano que passa mais e mais pessoas moram sozinhas. Residências unipessoal. De 9% no ano de 2000 subiu para 12% em 2010. Isso é o resultado do trabalho forte da militância para erradicar esse modelo arcaico da família tradicional. A necessidade sexual é facilmente atendida pelo que é chamado de "baladas", pontos de encontro de pessoas com finalidade de relação sexual, assim como comunidades virtuais específicas para a busca de relação sexual casual sem vínculo emotivo. Isso é a verdadeira liberdade sexual.

Essas mulheres que sentem solidão, que julgam serem rejeitadas pela sociedade são aquelas exigentes no padrão físico de um parceiro sexual. Sem sombra de dúvida se qualquer uma dessas mulheres se oferecer sexualmente a um morador de rua, um usuários de droga ou a um idoso vai ter acesso ao coito gratuito sem nenhum tipo de obrigação afetiva ou comprometimento da liberdade individual. Só que não é essa a realidade do pensamento burguês. Essa mulher que sofre de solidão procurar um homem bem sucedido, um empresário, jovem, bonito e de boa aparência. Rejeita o velho, preconceito inter-etário. Rejeita o morador de rua, preconceito de classe. Rejeita o usuário de droga, preconceito contra dependente químico.

Brasil tem 92,4 milhões de homens e 97,5 milhões de mulheres. Na cidade de Manaus temos 1,048 mulher para cada homem. Na cidade de Florianópolis esse números já é de 1,074. Salvador, cidade de maioria negra e mestiça tem uma proporção de 1,142 mulher para cada homem e Recife fica com 1,166 mulher por homem. Talvez essa diferença causada pela migração masculina em busca de emprego ou a mortalidade masculina em função da criminalidade crie essa falsa sensação que os homens não estão interessados no coito. Mais uma razão para romper barreiras e aceitar a relação sexual a 3 ou a 4 como algo natural.

Para finalizar não existe nada mais agressivo e preconceituoso do que chamar um pênis branco de palmito e um pênis negro de morcela. Um pênis é sempre um pênis, não importa a cor. O racismo é um valor humano independente de cor e gẽnero, pode se manifestar em qualquer pessoa. Basta um grupo racial ou um grupo social criar a sensação de ameaça que a pessoa, independente de gẽnero ou cor, vai desenvolver uma sensação de segregação que por sua vez traz a insegurança e o sentimento de violência contra uma classe social ou contra um grupo racial.

Como hoje vemos na Europa a discriminação de brancos nativos contra os brancos imigrantes refugiados.

Barão de Canabrava disse...

Tanto a namorada do Rael quanto a do Emicida não são brancas.

Entrar pro movimento negro, tocá uns batuques é fácil. Ler Gilberto Freyre já dá trabalho né.

Letícia disse...

Mas só uma pergunta: quem disse que casamento é sinônimo de felicidade/sucesso?

Mila disse...

Lamentável a tentativa de silenciamento que está havendo aqui neste blog sobre o assunto. É claro que a visão radical vai glorificar o problema da afetividade da mulher negra como vantajosa, mas muitas nunca pararam para pensar sobre a posição privilegiada. Em alguns casos, não lhes é dada a opção de ter um companheiro que enxergue a mulher negra além dos estereótipos. Comparar esta questão com mascu? Segunda vez que vejo isso acontecendo e partindo de feministas, isso é preocupante. Empatia tá pouca.
No post da semana passada, parei para pesquisar um pouco sobre o assunto e li algumas partes da dissertação da Claudete Alves que trata sobre o tema em regiões de São Paulo. É interessante notar - e parece que ninguém quer enxergar sobre o viés feminista - que toda a questão diferenciada de afetividade das mulheres envolve OBJETIFICAÇÃO. Se não fôssemos vistas como objetos, como lastro de status, como símbolos de prosperidade ou pobreza, os problemas de afetividade (negras, gordas, nerds, idosas, toda mulher que não se encaixa nos padrões ideais de beleza e comportamento feminino) nem existiriam.
Progressivamente, a gente vai entrando em contato com diversas visões sobre a mestiçagem vs afrocentrismo. Por incrível que pareça, é possível encontrar membros do movimento negro que dão as mãos aos mascus atribuindo toda a responsabilidade dos casamentos interraciais sobre as mulheres negras e que na verdade, são eles q carecem de parceiras negras (o que é uma mentira. Dados do IBGE revelam que os casamentos interraciais não são maioria no nosso país e que destes prevalece a incidência de homens negros com parceiras brancas).

Mila disse...

Nerd de 17:38. Tem muita menina nerd. Eu sempre me relacionei com rapazes do mundo nerd, pois achava muito mais fácil me relacionar com alguém que não me enchesse o saco com meus mangás e meus games. Meu namorado atual é um nerd. As garotas nerds sofrem até mais estigma que vocês. Nós também somos tímidas, eventualmente fora dos padrões, grande parte sofre bullying dos que vocÊs chamam de "alfa" (meninos e meninas) e não encontram sororidade nem entre grupos nerds, que desrespeitam essas meninas. Grande parte de homens nerds encontram garotas legais que possuem os mesmos interesses que eles, mas preferem se iludir com as loiras de academia.

Meu primo jogava LoL e usava a conta dele e a minha conta. Era um jogador até habilidoso e as duas contas estavam mais ou menos no mesmo nível. Só que em uma havia xingamento misógino e na outra não. Detalhe: o mesmo jogador. Ajuda se vocês não ficarem xingando e/ou toda menina que eventualmente vai jogar ou conviver com vocês de alguma forma.

solanger disse...

Entendo bem isto. Sempre sofri por não ser branca. Sou a Moreninha q todos dizem. Meus pais, como chamam "morenos claros" e como a grande maioria das familias brasileiras, meus irmãos, tem de todas as cores. Nunca me afetou por ser mais morena. Qd criança, pedi, convenci, e ganhei uma boneca negra, q na época era raridade. Eu queria uma filha da minha cor.
Mas quando cheguei a fase adulta, percebi que não era aceita no meio negro. Várias vezes tentei entrar em grupos de mulheres negras e era colocada na geladeira. Também sofria quando um atendente negro, seja mulher ou homem, eu tinha o pior atendimento e procurava voltar e ser atendida por outro. Isto ficou claro pq normalmente sou bem atendida.
Agora, idosa, morando nos usa, casada com filho de alemão com russa, não sinto esta descriminação por parte de brancos, sou tratada normal, mas continuo sofrendo com o atendimento de pessoas negras. Aqui isto é mais forte. No meu condomínio somente para pessoas idosas, eu sinto uma leve separação nos grupos negros/brancos. Mas contínuo não ser aceita por negros. Não me importo, isto é luta, mais cedo ou mais tarde vão me amar.

Anônimo disse...

Off Tópic

"Sou nerd, tenho 25 anos e sou BV. Nunca fui mascu nem nada, mas sempre fui muito de estudar e jogar videogame.
Não acredito que existam mulheres nerds, apenas bazingueiras. Meninas que se acham nerds por ver um sitcom, jogar lol e fazer gem install no rails. Estas só vejo ficarem com sarado de academia.

Existe a solidão do homem nerd. No tempo de colegial, uma colega feminista lésbica, muito amiga na época, sugeriu castraçao química em massa de nerds. É uma solução drástica, mas quem não pode "fazer canal", arranca tudo e usa dentadura, né."


Vc precisa trabalhar essa auto-estima rapaz, já estive no mesmo lugar que vc, e sabe o que me ajudou a sair: Trabalho, com ele passei a comprar roupas melhores, melhorar o visual,ato continuo, diminui o tempo atrás de telas e fui ler livros de verdade, comecei a sair, mesmo sozinho, e com isso fui criando assunto com as pessoas interagindo mais, ainda jogo games, leio gibis, mas não deixei minha vida se resumir a isso.

O termo Nerd e essa glorificação da "cultura nerd" é uma bobagem, estimulada pela indústria do entretenimento, te prende nos games, nas hqs, nos filmes e séries, te pergunto quanta cultura de verdade consumiu? Quantas peças de teatro assitiu? Quantos Filmes? Livros leu? Se liberta desse rótulo.

Anônimo disse...

Claro agora temos que ficar com mendigos e usuarios de drogas , Ta pirada é? VC botaria sua filha pra ficar com um mendigo, VC foi infeliz em sua colocaçao, as pessoas tem o direito de querer o melhor pra si.

Anônimo disse...

Nao pode se relacionar com homem jovem e bem sucedido e temos que ficar com dependentes quimicos, pq esse é o pensamento burgues. EU ja Li mta merda aqui MAs essa se superou... Espero que ninguem leve a serio.

Anônimo disse...

09:29: contanto que o conceito de melhor pra si seja pele clarinha e cabelo lisinho tá OK... KKKKKKKKKKKKK!

Anônimo disse...

Esse negócio de ficar com mendigo e dependente químico é coisa de troll, galera. Mais um daqueles que falam que as mulheres só querem dinheiro, só querem status. Só para ter o absurdo dessa ideia: não custa lembrar que ainda impera a máxima de que homem tem que ganhar mais que a mulher, várias pessoas que moram na rua tem família. Olha a quantidade de homens dependentes químicos que praticam violência doméstica contra suas esposas e filhos.

Anônimo disse...

Oi, Anon!
Eu sou mulher e faço engenharia :)
Olha, acho que muitas vezes a postura de alguns homens pode acabar afastando as meninas, sim, e acho que e isso que vc chama de "solidão do homem nerd".
Achei bacana vc vir no blog da Lola. Por aqui vc vai encontrar muita informação boa que pode te ajudar a entender porque as meninas não falam muito com você / não querem te beijar.
Quem sabe você não está apresentando um pensamento machista? Mesmo sem querer, isso pode acontecer, já que vivemos numa sociedade machista e é quase automático para muitos repetir esse padrão. Sugiro que vc leia outros posts e tente identificar se é isso.
Outra coisa: não é legal taxar alguém, como você disse ali em cima "loiras que só querem fortoes de academia". Como você sabe? Se você nem fala com as meninas, como sabe o que elas querem?
Para conseguir uma garota legal que se importe com vc, vc deve ser legal e se importar com ela!
Se quiser conversar, estou as ordens!

Mila disse...

Solanger, não invalidando a sua experiência, mas provavelmente isto deve ocorrer com vc pq os EUA a diferença étnica é bem definida, pouco mestiça e bem hermética ao contrário do Brasil. Negros são negros, moram em bairros negros e andam com negros. Assim como brancos. Assim com os latinos (embora eu tenha lido recentemente um sociólogo norte-americano dizendo que os EUA tendem a ser mais mestiços como no Brasil).
Aqui, talvez pela questão do racismo ser lida de uma maneira diferente, percebo uma maior aceitação dentro do movimento negro com pessoas de outras matizes de pele que não seja absolutamente negra (até porque está meio tarde para se definir quem é negro com pedigree e quem é "vira-lata" no Brasil). Mas dentre os brancos, mesmos os que são considerado pardos em outras culturas, ainda há uma necessidade de se diferenciar de quem tem a pele mais escura. Não é a toa que prevalece o colorismo no país.

Letícia, lembro que uma vez o donadio levantou essa questão em outro post. De fato, não devemos considerar casamento como sinônimo de sucesso, até pq há muitas mulheres que se libertam da violência doméstica ao se separar dos maridos. Por isso que acho mais adequado a discussão de vivência de afetividade da mulher negra, isso contempla a problematização de mulheres negras serem parceiras eventuais (sexo ocasional) para brancos e não-brancos, como isto se relaciona com o índice de mães solteiras e negras e porque estas mulheres possuem mais dificuldade de ser potenciais parceiras permanentes. E no caso, observar se a afetividade (tanto hetero como homo) está sendo uma das opções ou a única opção para a mulher.

solanger disse...

Mila entendo bem q há diferença de racismo no Brasil e USA, isto é cultural. Sou uma senhora feminista de 67 anos, mas eu coloquei o que vivi quando jovem no Brasil e o que vivo agora aqui. Se dá para se notar mudança, que bom, a sociedade está evoluindo e fico feliz por isso.,

donadio disse...

"Ninguém resiste a uma bussa rosada isso sim"

Se você está preocupado com a cor, é provavelmente por que você não é muito chegado.

Anônimo disse...

Quanta homofobia sem sentido nos comentários, e ainda vinda de feministas. Decepcionante.

Anônimo disse...

Então instala o tinder e escreve que procura uma mulher nerd pra jogar videogame com você. Existem.

Anônimo disse...

14:15 E brancos assassinando parceiras negras. Violência doméstica não escolhe cor. Mas o enfrentamento a elas, infelizmente, sim.

Anônimo disse...

O movimento por vezes critica ou mesmo agredide A MULHER ao invés de voltar seus olhos ao "palmiteiro" em questão, muitas vezes até mesmo ignorando completamente a postura ou os porquês do homem. Joga-se mulher contra mulher, sem ver o quadro todo.

Gustavo disse...

Como homem vou deixar minha opinião/experiência sobre o assunto, que realmente é muito complicado, é absolutamente compreensível ambos os lados da discussão, embora ache pessoalmente que não devemos estigmatizar e rotular pessoas baseado em quem elas se relacionam, creio que o problema não está nas pessoas, mas na causa, e a existência do problema deve ser considerada e não os "palmiteros" que são muito mais produto cultural do que responsáveis diretos, únicos e exclusivos.

Acho que tem um pouco de questão biológica/cultural e psicológica das pessoas, uma vez que em média homens negros possuem características que são usualmente mais requisitadas por mulheres, traços mais robustos, ombros largos, maior proporção física, definição corporal, etc.
No entanto mulheres negras (usualmente) possuem estas mesmas características mas que não são tão desejadas pelos homens (por diversos motivos que não vem ao caso).

Bom esse é só um ponto, existem milhares de outros :), só com o tempo, discussão, conversas e mudanças sociais e culturais vamos conseguir reverter

Anônimo disse...

Glória Maria só tem namorados brancos!

Então os homens negros seriam oprimidos?!

Isso não tem nada a ver com questão de gênero.

É uma preferência pessoal.

E nem eu nem você temos algo a ver com isso!

Anônimo disse...

adoro os comentários da Marcia, mas nem ela se salvou dessa vez -_-
pela menos deu uma problematizada na desunamização das pessoas negras correndo a solta por aqui...

feliz por ver o anon 18 de janeiro de 2016 20:39
pq, olha... foi triste ler tanto sileciamento.
eugenia? nazismo? "empatia está pouca" [2]

Anônimo disse...

Tinder não é só de pegação? E sou feio também, tem isso...

Anônimo disse...

Tinder é pra tudo, mas boa parte das pessoas de lá procuram namoro. Há outros apps mais específicos para sexo. Conheço dois casais que se conheceram pelo tinder.

O feio ou belo é critério de cada um. Pessoas que você considera bonitas são feias para outras. Há quem te achará bonito e gostará do seu jeito, então ao menos tente. Ficar só jogando videogame e batendo punheta não resolverá sua situação. Experiência própria ;)

Anônimo disse...

Sim 13:48 iam mesmo...com a diferença que neonazista n pregam só a separaçao mas a escravidão e morte das "raças inferiores".

Anônimo disse...

Com certeza...infelizmente o Homem é mais utilitarista que a mulher(acho q é cultural isso). É só oq eu vejo...e quando escuto um homem reclamar q mulheres é que são utilitaristas eu sempre vou atrás pra saber de que mulheres ele estava falando e sempre é das Loirad padrão europeu(as consideradas top). Mesmo q uma mulher fora dos padroes dê em cima dele ele vai continuar pensando assim pq a que ele quer(a considerada bonita) n dá bola pra ele pq quer um homem q ELE acredita ser melhor.

Anônimo disse...

Sou mulher branca e faço medicina e quero mudar pra engenharia. Sempre fui considerada nerd e introspectiva por isso n sei se vou ficar na medicina pq exige mto contato humano. Mas é o seguinte Eu reconheço meus privilégios e não sei se estou em posiçao de opinar aqui mas vamos lá: como mulher sempre sofri mtoo machismo por ser na minha e ser mais focada no estudo. Na minha sala(ainda na escola) tinham mtos garotos nerds que eram extremamente misóginos...eles n tinham notas altas tanto quanto eu só eram nerds por entender de computaçao, video game, animes e cultura pop. Eu n caio nessa história de solidão do homem nerd primeiro pq conheci vários babacas q n se relacionavam nem com um pepino e por puro ódio q nutriam de mulheres. Mas tipo assim eles viviam reclamando q "mulher isso,aquilo, n prestam,só querem bombados com carroes" mas de que mulher eles falavam? Eu observava claramente que eles se referiam à mulheres no padrao europeu(q n queriam eles) pq eram a q eles gostariam de ter..n importa se uma negra gostaria deles ou n. Entendem? Só mencionei esse fato pq li algo sobre homen nerd ai em cima e n gostei do fato como alguns veem isso. Mas enfim essa é a forma como eu vi as coisas acontecerem. Nunca tive nada com esses caras só observava pq eles conversavam comigo sempre por causa das notas e tal mas n éramos amigos. Nunca namorei um nerd..o cara q eu namorei recentemente tb fazia medicina e era um chato machista q só queria saber de fest..então foda-se,terminei. Sinceramente acho q a maioria dos homens é assim então prefiro ficar só. Quero ficar em ser mto boa no que faço e ser uma profissional reconhecida.

Anônimo disse...

Esse pessoal que chama os outros de palmiteiro deveria adotar como lema a frase: "Meu corpo, minhas regras; seu corpo, minhas regras também".

Anônimo disse...

03:24 concordo plenamente com vc. Mulheres "utilitaristas" que os homens se referem em geral são as bonitonas que sabem como o mundo gira e sabem jogar o jogo. Já que os homens são utilitaristas, do mais pobre ao mais rico, pq só enxergam a mulher como uma portadora de ppk, elas exploram isso ao máximo e por mim, estão certíssimas fazê-los pagar caro por só querer mulher pra prêmio e se mostrar pros amigos que tá comendo a gostosa.
Os que não podem pagar por mulheres para se mostrar morrem de inveja dos que podem e/ou aproveitam para explorar as companheiras como podem: com sexo, com trabalho doméstico, financeiramente.

Anônimo disse...

Anônima das 03:44 boa parte dos nerds não passam de fracassados, gente que vive nos mundos fantasiosos do computador, ão videogame e hqs, não estudam como vc, de verdade, pra valer, vivem de discutir onde deve ficar a cueca do superman, por isso ninguém se interessa.

Anônimo disse...

pois eu prefiro discutir a cueca do superman que ouvir papo sobre treino, ficar monstrão e whey protein

Terminator disse...

Mas anon das 12:21, ficar monstrão e whey protein tem muita ciencia. Tu conhece os hormônios do corpo? Sabe aumentar o GH, IGF-! e Insulina? Otimizar o dano muscular bem como conhecer os músculos certos? A não quer que possas pagar um Personal Trainer, tem que ter muito cérebro para ficar monstro. E disciplina de ter uma alimentação bem regrada. Nunca entendi essa dicotomia entre nerds e bombados, falo isso como um estudante mestrando em Física, viciado em videogame, que tem 90kg de massa magra, 10% de gordura corporal. Meu apelido entre amigos é Terminator.


Mente sã, Corpo são.

Mônica de Freitas disse...

Não existe amor a primeira vista, ele é construído conforme o desenvolver da relação. O que existe é a atração a primeira vista, você olhar para uma pessoa e a achar bonita/o e atraente. Aí que a coisa pega, quando devemos refletir se nossos gostos são construção social. Não custa nada pensar de onde veio aquela preferência por mulheres brancas, magras e de cabelo liso (o padrão das novelas, filmes, revistas...). Também não é raro os casos de negros que ficaram famosos e terminaram com suas namoradas negras para se casar com uma branca, isso também devemos questionar. Negras raramente são classificadas pelas sociedade em geral como "para casar", elas sempre são as amantes, são as fogosas na cama, as funkeiras que descem até o chão, enquanto as brancas são as ladys, as boas mães e donas de casa.
E eu vejo a solidão da mulher negra no meu próprio círculo social onde tenho duas melhores amigas negras. Uma angolana retinta e outra mais clara, mas com traços negróides. A primeira não para em um relacionamento sério, nunca dá certo, embora ela queira muito ter um namorado fixo, ela só tem casos passageiros. A segunda também quer muito ter um relacionamento, mas sequer beijou. Enquanto minha melhor amiga branca tem um namorado há dois anos e eu tenho uma namorada há 6 meses.

MATEUS HENRIQUE disse...

Isso é uma hipocrisia porque a maioria das negras e pardas preferem homens brancos.A mulher é muito mais seletiva na escolha do que o homem. Quantas modelos negras, atrizes,sambistas, que vocês conhecem que namoram homens negros... Eu conheço uma ou duas, mas a maioria estão também namorando homens brancos. Quando querem negros, querem aquele cara sempre bem sucedido, jogador de futebol ou com nível superior, mas nunca querem o mais simples e humilde, que é o que mais tem por ai... porque nem todo negro é jogador de futebol e bem sucedido. E tem tbm muitos negros na solidão assim quanto elas.Racismo no Brasil pesa muito mais nas costas do homem negro porque não vejo mulher negra morrendo nas mãos da PM... Quanto mais preto for a cor da sua pele, mais as mulheres rejeitam. Eu sou negro e as brancas querem deram mais chances para mim, Pardas e negras rejeitam homens negros, principalmente se for pobre, e preferem homens brancos (velhos, solteiros, casados) e homens bandido e traficantes. Quanto elas estão na casa dos 40, 50 anos,velhas, gordas, que os ninguém quer mais, dai começam correr atras de homem negro bem sucedido para sustentar os filhos pardos delas. No nordeste tem muitas assim. No Carnaval o que mais vejo são mulatas rebolando com suas bundas pretas e mulatas para atrair gringos, depois somos nos HOMENS NEGROS que preferimos loiras... sendo que nem toda loira gostam de negros... esteoripo mais idiota q já escutei... Não sou contra as pessoas se relacionarem, mas feministas pretas ssão hipocritas ao meu entender... alias, a maioria dessas feministas pretas namoram brancos esquerdistas, mas nunca alguem de sua classe inferior, ou um favelado ou MENOS FAVORECIDO. Alias, nem mesmo nunca pisaram numa favela e reclamam de racismo... tão reclamanndo porque não chegou ainda um pau rosado pra penetrar na b**** delas e clarear a familia...

Anônimo disse...

19:53, eles não falam em nome da ciência. É em nome da estética. Ou é pela ciência que eles tiram foto sem camisa todo dia?

Anônimo disse...

Mateus Henrique, tem um post com um relato de uma moça negra que namorou um rapaz negro, porém mais humilde e o cara terminou com ela pq não admitia namorar uma pessoa que ganhasse mais que ele. Seu comentário joga toda a responsabilidade em cima das mulheres negras como se elas é que "escolhessem", e isso é ser hipócrita, vide que os homens são mais socializados a definir o grau de seriedade de um relacionamento.
Me diga o porquê de terem tantas mães solteiras negras, com filhos de homens negros? Mesmo o Emicida, um cara que fala para a periferia, desrespeitou mulheres negras e pobres com aquela música Trepadeira. Não é o suficiente a mídia branca apontar mulher negra favelada como promíscua e adolescente funkeira mãe solteira, os próprios negros desvalorizam as mulheres de sua cor ao julgá-las imorais, promíscuas e indecentes, indignas mesmo uma mulher branca fazendo igual ou pior.
Mulheres negras não morrem nas mãos de PM? Conta outra! Vai na favela e vc vê o tanto de mina preta estuprada pela polícia, que mata seus filhos na frente delas. Acontece que o número de homens negros e pobres é superior ao número de mulheres mortas. Aliás, olha o número de mulheres negras vítimas da violência doméstica pela mão de homens negros e brancos? E do mesmo jeito que vc diz ser um estereótipo mulher loira gostar de negros (o que na verdade ocorre é que todo brasileiro não pode ver uma loira) é um estereótipo machista seu achar que mulatas e negras se oferecem para os turistas gringos. Grande parte dos gringos são extremamente racistas com as brasileiras. Cabe dizer q o Carnaval é uma indústria alimentada e fomentada por vcs homens que vendem as brasileiras como objeto sexual.

Anônimo disse...

Mateus Henrique vc não é um homem, vc é um LIXO misógino e racista!
Se pra vc mulher(seja de qual raça for) é só uma b*** e presta tanta atenção em pau rosado é pq vc odeia mulheres e gosta é de machos e tá na hora de vc sair do armário.

Anônimo disse...

Bom vou tentar expor a minha opinião de maneira a mostrar a realidade com a qual convivo no dia a dia, sem paninhos quentes:
- Todos os homens querem mulheres mais claras
- De preferência de pele e aparência branca
- Na impossibilidade de conseguirem se relacionar com este tipo de mulheres, vão cedendo para o tipo pardo, pardo escuro e por último, para as negras.
Os brasileiros pensam assim. Não tem a ver com imposição de padrão estético, tem a ver com a falta de orgulho e auto estima do próprio brasileiro. O negro brasileiro é exatamente como os demais homens do Brasil.
Não sei se é correto criticar os negros "palmiteiros", todos somos palmiteiros.
Se houver alguma mudança, tem que partir do seio da comunidade negra.

Anônimo disse...

Anon BV das 17:38
Não adianta, cara. Não é aqui que vão te acolher quando você se sente só (aliás, não espere acolhimento em lugar nenhum do mundo). Algumas feministas nessa caixa de comentários jamais admitirão que os homens sejam seres humanos ou que possuem problemas. Talvez seja uma tentativa de reprodução de como as mulheres são tratadas na sociedade?

Quanto à sua situação, eu sei bem como é. Eu já passei por isso, apesar de ter perdido o BV mais cedo do que você. E as nerds (nerds mesmo) que eu encontrei na vida eram unânimes em uma coisa: elas queriam aquele cara metido a nerd (um bazingueiro mesmo, que acha que só porque consegue reproduzir uma build no WOW, escrever um arquivo batch simples no Windows e assistir a um ou dois filmes de Star Wars já o tornava o rei dos nerds), mas que conseguia ser tão mulherengo quanto os bofinhos de academia. Aliás, creio ser daí que vem aquela história de "menina nerd que foi rejeitada por um nerd que prefere uma marombada", ainda que seja impossível que todos os nerds sejam amados por uma nerd em uma cultura onde imagino que existam 5 homens para cada mulher. Eu, pelo menos, já vi esse negócio da nerd se apaixonando pelo mulherengo acontecer muito.

A boa notícia é que - no seu caso em particular - a saída só depende de você. A não ser que você seja de alguma minoria (negro/pardo, por exemplo), o preconceito não vai te impedir. Você só precisa cuidar mais de sua aparência e, principalmente, de sua autoestima, autoconfiança e de sua timidez. E isso é questão de treino e dedicação. No começo é difícil, mas com isso você vai acabar encontrando uma mulher legal que se importe com você (embora não necessariamente nerd).

Anônimo disse...

Anom das 02:37
Talvez isso tenha alguma ligação com a indústria da moda. Aquela mesma indústria que convence mulheres que ela precisa ser magra, branca, loira e usuária das coleções da moda para ser bonita (e provoca -- entre outras coisas -- a epidemia de anorexia e bulimia) pode ser a mesma que convence homens que mulheres com o perfil descrito acima sejam para casar.

Eu não ficaria surpreso se fosse obra da mídia, que é ferrenha defensora das elites.

Srt. Morrigan disse...

Assim que li o post,lembrei na hora de um documentário que vi há um tempo (chamado "Meninas", é sobre gravidez na adolescência, envolve várias meninas adolescentes falando sobre suas perspectivas de vida, seus relacionamentos com os pais das crianças etc, se bem me lembro todos os envolvidos eram de classe pobre.

O que achei bem marcante (e repulsivo) foi a história de um cara que engravidou duas garotas em um curto espaço de tempo, uma delas era miscigenada de pele 'clara' e uma negra, tem várias cenas da relação dele com cada um dos filhos e as respectivas mães, ele assume relacionamento com a menina de pele clara e promete sustentar ambos os filhos, mas é bem perceptível que nos momentos em que ele vai visitar o filho de pele branca o tratamento que ele dá é muito mais carinhoso e atencioso enquanto que com o filho de pele negra ele mantém um contato bem frio, só por obrigação mesmo.

Anônimo disse...

Solidão da mulher negra é uma coisa séria, mas ANTES SÓ do que em um relacionamento abusivo.

Nunca vou esquecer que o meu primeiro e único namorado (branco por sinal), ao me apresentar para o amigo negro soltou um debochado: - Essa é a preta que eu pego! Doeu muito porque aquele tinha sido o primeiro homem em quem eu havia confiado suficientemente pra me iniciar sexualmente.

No fundo eu não passava da preta que satisfazia suas necessidades sexuais, MAS valeu a experiência... Aprendi algumas coisas com isso:

1) Melhor sozinha do que com um traste racista
2) Melhor sozinha do que objetificada
3) Cuidado com pessoas que colocam defeitos demais em tudo e em todos, complexo de inferioridade travestido de superioridade arrogante é sinal de imaturidade emocional

Se a solidão da mulher negra é dolorosa, eu digo por experiência própria que não existe solidão mais dolorosa que a solidão acompanhada.

Priscila disse...

Poxa, fiquei triste lendo tudo isso, ainda mais neste espaço...
Bom, mas já ouviram falar de uma quadro chamado "A Redenção de Cam"? Trata-se de um quadro que expressa o clareamento gradativo da população negra, através dos relacionamentos inter-raciais. Como que funciona isso?
O primeiro passo é destruir a auto-estima do povo negro, desde sua mais tenra infância, seja por meio de sua escassa representatividade em espaços de poder, seja por meio da depreciação de suas características físicas. O que teremos como resultado? Pessoas negras que odeiam serem negras, desejando terem nascido brancos, pq né, ninguém quer pertencer ao clube dos """ inferiores""". Malcolm X já disse: “Quem te ensinou a odiar a textura do seu cabelo?
Quem te ensinou a odiar a cor da sua pele a tal ponto que você se alveja para ficar como branco.? Quem te ensinou a odiar a forma do seu nariz e lábios? Quem te ensinou a odiar você mesmo da cabeça aos pés?..."
Quem? Quem? O MUNDO!! Todos os lugares que você vai, tudo, não tem como fugir. Eles vão fazer você se auto odiar.
Com o primeiro passo concluído, vamos ao segundo: Eleve ao máximo a sua cor, que no caso é branca, óbvio, afinal, seria incoerente um negro criar um projeto político, social, estético e higienista para dizimar o próprio povo, não é mesmo?
Com o seu padrão branco elevado, tua cor será o objeto de consumo dos negros depreciados, caso você tenha cumprido o passo número um...

Priscila disse...

...E a partir daí entra um conceito da psicologia psicanalista bem cabível: o conceito de ego renascido. Trata-se um conceito que, a grosso modo, diz que o nascimento de um filho nosso representa um nascimento de um novo/segundo "Eu", onde a criança irá carregar ao longo da vida, as aspirações de seus progenitores, ou seja, a criança terá a missão de ser o que eu não fui, não sofrer o que eu sofri e ter o que eu não tive (como, por exemplo, pais que querem que o filho siga determinada carreira que ele, enquanto pai, não pode seguir; tenha certos confortos, que os pais não tiveram, e o principal, que não sofram o que eu sofri, devido a minha condição de pertencer à uma minoria estigmatizada). É como se meu filho tivesse o potencial de ser tudo o que eu não fui, isto é, meu ego renasceu em outro corpo. No caso do negro retratado, é de se esperar que eles queiram que seu filho seja aquilo que ele não foi: BRANCO. Logo, um negro que casa com um branco, terá um filho miscigenado e, por conseguinte, o miscigenado, por ainda preservar traços negros, ainda sofrerá a estigmatização de sua origem negra, mesmo que em menor escala. Como é de se esperar, o mesmo repetirá o feito, casando-se novamente com um branco, purificando, de vez, a sua geração do estigma negativo associado ao povo negro. Fala ai se não é um projeto higienista perfeito? Nem precisamos sujar as mãos com o sangue do povo negro para dizimá-los. Depreciamos o povo negro a tal ponto, que os mesmos se auto dizimam, na tentativa de se assemelhar ao padrão branco, ao longo das gerações. Tal como um vírus, que possuem a capacidade de "converter" as células a favor de sua auto destruição, e do organismo como um todo, o racismo funciona sob a mesma lógica. Ai me vem falar de amor? To lá na balada, bato o olho no boy ou mina e penso: "Nossa, essa pessoa tem todas as minhas características que eu sempre odiei, vou lá puxar um papo, quem sabe né?". Malcolm X de novo: "Quem te ensinou a odiar os seus iguais? Quem te ensinou a odiar a sua raça tanto que vocês não querem estar perto uns dos outros?".
Queremos sempre estar perto dos brancos, sermos como eles, pois sempre nos ensinaram a amá-los. Já que não podemos ser, pelo menos meu "ego renascido" irá de ser. E ai me vem falar de radicalismo? "cagação de regras"? Que negras estão jogando pedras nos negros que clareiam a geração?? Ué, só estamos nos auto odiando, dançando conforme a música, que o sistema branco racista toca. Negros odiando negras, por odiarem a si próprios, e verem na mulher negra um reflexo de si, afinal, neste caso, Narciso não gosta daquilo que lhe é espelho. Negras sofrem com a solidão por sofrerem esse estigma negativo de "ser negra". Se envolver com as mesmas é condenar sua geração ao estigma negativo que o povo negro carrega. Se uma negra se casa com um branco, possivelmente irá ouvir "não quero neto preto", da família do noivo (experiência própria). Branco se afasta da negra por racismo enquanto negro se afasta da negra por auto ódio. Mas é claro, vamos andar da mãos dadas e dizer que "amor não tem cor", "todos somos iguais", "não precisamos de recorte racial dentro do feminismo", "é só questão de gosto, e gosto, não se discute" e blá, blá, blá...
É pedir demais analisar a questão estruturalmente, ou é mais fácil atacar o elo mais frágil do sistema: a mulher negra? Decepção saber que a maioria ficou com a segunda opção, tornando nossa luta mais solitária ainda, afinal, já estamos acostumadas com a solidão mesmo, na vida e na luta.

Anônimo disse...

Meu marido é branco, lindo... tão lindo quanto negros que já em relacionei. Ele é da minha idade, nos conhecemos na universidade, nos casamos e sabem o melhor/pior?! É escutar de mulher branca que ele bonito e de família com dinheiro poderia ter casado com qualquer mulher bonita (elas querem dizer brancas), mas casou comigo. Graças a Deus nunca sofri com a solidão da mulher negra. Nunca mesmo. Acho que isso, está TAMBÉM muito ligado à classe social. As pessoas dão preferência a alguém da mesma classe social, sim. Além do preconceito, que a gente já conhece. Mas não acho que alguém seja obrigado por ser negro ficar com uma negra, só pra diminuir a solidão dela. Acho que as pessoas deveriam ser mais honestas com o que sentem. Já vi gente gostar de gente feia, negra, pobre, gorda, mas não assumir por vergonha do que os outros vão pensar. Acho que esse é um grande problema. Medo de assumir pra sociedade de quem realmente gosta. Meu marido sofre, até em sua família por assumir que gostava de mulher negra (todas suas ex eram negras) e quando casou com uma, no caso eu, vi a decepção no rosto dos seus familiares. Achavam que isso de gostar de "pretinha" era fase só. No final, assumam o sentimento galera, sem medo de julgamento.

Anônimo disse...

Eu acredito sim na solidão da mulher negra. Eu sou negra e tenho 5 amigas negras, todas solteiras. O que acontece é que os negros preterem as negras para ficar com as brancas, inclusive as brancas gordas.Isso é visível em bares e baladas. Se a negra estiver com uma amiga branca, pode ter certeza que os caras, inclusive negros, vão chegar na branca ao invés da negra.
No mais, existem pesquisas científicas que provam que a solidão da mulher negra existe SIM, não é uma hipótese é uma constatação, basta pesquisar.
Acho que as feministas brancas deveriam ao menos respeitar o movimento feminista negro, nós negras não criticamos as suas reivindicações e pautas, mas queremos que também não desmoralizem o nosso movimento.
E quanto ao palmiteiro, é mais que evidente que existem SIM, os homens negros, sobretudo os bem sucedidos ( ou não), acreditam que se casando ou namorando uma negra, estariam perpetuando a sua negritude, a sua cor tão marginalizada. Não se orgulham em estar ao lado de uma mulher negra, pois não demonstra poder. Veja, todo famoso que ganha status namora ou casa uma negra. ex. emicida, crioulo, etc... etc.
Não podemos generalizar, mas precisamos ampliar nossa visão para conseguir enxergar até onde é " AMOR" e até onde o gosto se deu por construção social, se baseando no racismo.

guilherme rodrigues disse...

eu não descordo completamente disso,conheci e conheço alguns amigos(negros) que sim,so se relacionam com mulheres brancas....mas ha um lado tambem que não é discutido,conheci muitas mulheres negras que esnobam,que odeiam homens negros,alem de não sentirem atração,repudiam e ofendem como homen,nos reduzem,nos massacram com palavras...
lembro-me de episodios que tentei chegar de uma forma tranquila em garotas negras,um flerte desproposital....e lembro-me de essas vezes serem humilhantes e frustantes,ja as brancas sempre me aceitaram bem,sempre me foram receptivas,....mas sim nao négo,eu sinto atração por negras,mas sempre me relacionei mais com brancas.;;

Anônimo disse...

Sou mestiço como você e, sim, seu foi palmiteiro.
O buraco é muito mais embaixo.
Falar de segregação de algo que já é segregado veladamente é piada.
Como você própria falou: gosto é construção e ver negro que tem algum êxito na vida procurar brancos para compartilhar essa vitória soa, sim, como traição.
Nós somos a parte estigmatizada. Nós deveríamos querer crescer juntos e nos empoderarmos.
Excluir o opressor de determinados grupos (como o homem nos movimentos feministas) é importante, assim como os quilombos não estavam abertos a todos.
Basta ver o que o racismo mais a palmitagem fizeram com os negros na Argentina.
Vou deixar o comentário anônimo só para evitar mais repercução, porque você também caga regras quando se incomoda com a dor das outras minas.
Esses pretos que cresceram um pouco na vida com a música ou futebol são palmiteiros sim na sua maioria.
Beijos.

Anônimo disse...

EU ODEIO OS HOMENS BRASILEIROS, SOU NEGRA, U DIA VOU ME CASAR COM UM ALEMÃO LOIRÃO! PARA ELES VEREM Q Ñ PRECISAMOS DESSES BRASILEIROS LIXO.

Solitário disse...

Anônima de 19 de janeiro de 2016 09:45

Não sou o anon com o qual você falou, mas sou parte da trupe "Nerd Solitário". Ele expôs a visão de mundo dele, e me identifiquei. Por anos, sempre fui o nerd da sala, no sentido amplo da palavra. Até hoje assim o sou. Sou igualitarista e não trato ninguém com base em sexo, inclusive trato a todos bem. Nenhuma vez sequer recebi um olhar de interesse, só de repulsa. Me enriqueci culturalmente e intelectualmente e isso foi inútil em ganhar a simpatia com o sexo oposto. Cogito o suicídio até hoje e tomo antidepressivos pelo meu insucesso. Portanto, quando falamos que vocês "preferem os bombadões de academia", não entenda como ofensa: é apenas nossa visão de mundo. E dói ver a facilidade com que as outras pessoas conseguem este prazer inexistente em nossa vida.

Anônimo disse...

Acho isso de palmitagem muito sem sentido, dando em conta que 90% dos brazucas são mixturados, é claro que há culpa na sociedade porém há culpa na míddia em geral por hiper valorizar as morenas claras e as brancas descendentes direto de europeus.