quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

"MINHAS IRMÃS MAIS VELHAS RIEM DE MIM"

Da I.:
Eu tenho 15 anos e sou irmã mais nova de três irmãs mais velhas adultas. Eu nunca fui do tipo "mala sem alça", sempre me importei muito com elas, mas sempre tive a sensação de não ser recíproco. Eu sou muito insegura com certas coisas, sempre pensei muito antes de fazer ou falar alguma coisa para ter certeza que isso não afetará a outra pessoa.
Desde os 6 vejo que minhas irmãs têm um comportamento estranho quando o assunto é diversão. Quando eu era criança entendia que o fato delas não brincarem comigo era a diferença de idade, mas hoje é diferente, vejo que certas coisas que eu publico em minhas redes sociais vira motivo de piadas entre os amigos delas, que eu sou sempre a culpada pela bagunça da casa ou da nossa mãe não ter dinheiro.
Eu faço de tudo para não ser motivo de risada de ninguém, sou completamente normal e não sou aquelas adolescentes chatas com comportamento maldoso por conta da idade. Ou pelo menos faço de tudo para não ser, mas parece que não adianta.
Elas sempre estão comentando, intervindo, reclamando, e isso dói porque não tenho 24 anos, ainda não penso como elas e parece que nem o padrão imposto por elas consigo alcançar. É doloroso ser motivo de piada e bullying pelas minhas próprias irmãs. Lola, o que eu faço? 

Meus comentários: Às vezes, infelizmente, este tipo de dinâmica é comum entre irmãs (e irmãos também). As suas três irmãs sentem-se mais unidas escolhendo vc como alvo. Assim, elas podem deixar de lado as discordâncias que elas têm entre si e centrar munição apenas em alguém que elas consideram fora do grupo.
Seu valor é determinado por
vc. Não dependa de alguém
para te dizer quem vc é
Não sei se dá pra fazer alguma coisa, fora ignorá-las. Eu sempre prezo o diálogo, então pode ser interessante vc se sentar com as três para uma conversa séria, em que vc deve explicar CALMAMENTE (sem levantar a voz, sem chorar, sem se exaltar) por que a atitude delas te incomoda e que vc gostaria de ser tratada com mais respeito e consideração por elas.
Mas, pelo seu curto relato, vejo também que vc se preocupa demais com a opinião delas. 
É compreensível, eu sei, ainda mais quando se tem 15 anos, fase em que a gente quer muito se encaixar. Só que tente ser mais independente e descarte o padrão imposto por elas. 

27 comentários:

Anônimo disse...

Oi Lola, sei que o assunto não tem nada em comum com o post, mas eu queria te indicar um seriado, American Crime, segunda temporada pra ser específico (cada temporada é algo diferente), nessa temporada é a história de um garoto de 17 anos que sofre violência sexual pelos colegas de escola em um festa, a mãe procura justiça, mas a escola acoberta os agressores e a polícia não faz nada. É uma história bem interessante, a vítima é um garoto, mas o assunto machismo é muito abordado e tbm o descaso com o trauma das vítimas.

Anônimo disse...

Olha, minha experiência: sentar pra conversar só vai resultar em mais deboche e condescendência (tipo "ela é só uma criança, tadinha, deixa ela falar, vamos fingir que ouvimos e depois continuamos a agir exatamente como antes"). É isso. Eu passei por isso minha adolescência toda, me sentia uma ninguém, sem voz, minha opinião nunca importava.

O melhor é ignorar mesmo, fazer suas coisas, seguir sua vida. Procure sua turma na internet mesmo, caso não tenha afinidade com ninguém de seu círculo social. Assim eu fiz, trilhei os caminhos que eu escolhi, amadureci com minhas próprias vivências, direcionei meu afeto a pessoas que me faziam bem. Não sei se foi por que notaram que eu me tornei uma adulta autônoma, independente e feliz (embora não tenha nunca me enquadrado nos padrões de minha família) que resolveram me notar e ganhei respeito e consideração. Até já falam comigo como se eu fosse gente rsrsrs.

Ter irmãos é bom, mas é uma merda também quando não são nossos iguais, não são amigos, sabe? Tenho muitos irmãos e irmãs, mas nenhum amigo entre eles. Meu afeto é todo de meus sobrinhos, com quem sempre tive mais afinidades, foram eles que me salvaram, me fizeram perceber meu valor, que eu era querida mesmo sendo do meu jeito, me ajudaram a sair da casca. E meus amigos que vieram depois, eu nivelava por cima, só me cerco de quem me faz bem.

Então, repito: procure sua turma. Pode ser seus amigos, colegas da escola, pessoal da internet... Não pra ser aceita - porque vc já é uma pessoa completa em si, não precisa ninguém aprovar - mas pra exercer seu direito de ser quem vc quer ser, livremente, sem ninguém enchendo o saco. Bjs e boa sorte.

Anônimo disse...

I. eu conheço essa história, passei muito por ela com irmã, "amigas" e primas. Infelizmente, ou vocês tem um diálogo (como sugeriu a Lola) e ele funciona ou você terá que aprender a mandar suas irmãs se foderem e não depender mais da aprovação delas (é difícil, ainda mais aos 15 anos, mas dá pra fazer). Depois de anos passando por essa situação te garanto que gente que não te respeita não vale à pena, e a aceitação deles não vale porra nenhuma; membros da família não são exceção, acredite. Pena que eu só vi isso depois de crescer.

Anônimo disse...

Suas irmãs adultas deveriam ter mais o que fazer do que implicar com a irmã caçula. E os amiguinhos delas também. Só não entendi porque tiram sarro de você. Por você ser feminista? Por vocês gostar de uma certa banda? Simplesmente por você ser mais nova? Ou porque elas são idiotas sem nada melhor pra fazer mesmo?

Anônimo disse...

Ignorar suas irmãs mais velhas é um péssimo conselho. Que tipo de pessoa te aconselha a ignorar seus familiares que deveriam ser as pessas quem voce mais pode confiar neste mundo.

Converse com suas irmãs e tente entender porque elas riem de você, pode ser que simplesmente você não tenha idade para entender ou que você realmente esteja fazendo algo engraçado.

É melhor você mudar seu jeito agora para que elas não te zoem porque se você não mudar você acaba sendo zoada por pessoas muito piores que você não tem a opção de apenas ignorar.

Fabianaaaa disse...

Eu recomendo chocar elas. Pratique o fogo contra fogo. E tente passar o mínimo de tempo com suas irmãs. Evite-as mesmo. Gente nociva, pode ser pai, mãe, irmã, irmão, tio, quem sabe até amizades antigas, devem ser evitadas mesmo. Sua vida vai continuar um inferno se você ficar pensando "poxa, eu não faço nada e só me criticam". Isso reflete um defeito delas, não seu. Saia, vá para uma biblioteca, casa de uma amiga, coma sem elas por perto, e se você divide o quarto com as duas, tente arranjar um cantinho só seu para passar o tempo e fazer suas coisas. Minha família é mais ou menos assim, invasiva e crítica. Felizmente aprendi a me deixar de preocupar com eles e fazer o que me interessa, cuidar de mim, e ser a pessoa carinhosa que ninguém foi comigo quando era mais jovem. Você pode e deve ser assim também. Se isso se manter, você pode criar um problema de autoconfiança e autoestima e agir menos, por receio de ser criticada. E esse tipo de comportamento afetaria sua vida para pior. Você com certeza não quer isso, quer? Independente delas não te respeitarem, é essencial que você respeite a si mesma. E pare de se preocupar se você é boazinha ou não! É isso que elas querem e é um dos fatores da sua insegurança!
Beijos e tudo de bom.

Anônimo disse...

Como fazer marketing inteligente, by Itaú: faça uma campanha com erro ortográfico bobo, use "laranjas" pra denunciar no Conar e pronto, o negócio viraliza nas mãos dos coxinhas anti-politicamente-corretos.

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/01/1734122-apos-reclamacoes-conar-vai-julgar-campanha-digitau-do-itau.shtml

"O Conar decidiu abrir nesta terça-feira (26) processo contra a campanha publicitária 'Digitau' do Itaú Unibanco. A medida ocorre após 15 consumidores reclamarem que crianças podem ser induzidas a erro de ortografia em relação à palavra 'digital'. [...] No comercial, aparecem crianças cantando que o banco é 'digital com u'."

15 pessoas reclamando disso no Conar sem nenhum interesse por trás, really?

Jac disse...

Isso me lembra uma grande cena de A Partilha em que a irmã mais nova (lésbica no caso) tem um grande surto por ter sido sempre ignorada pelas três irmãs mais velhas.

Mas meu conselho é desapegar da aprovação delas, segue tua vida sozinha. Você não é obrigada a ter uma relação com elas só porque coincidiu de terem nascido dos mesmos pais.

Anônimo disse...

"É melhor você mudar seu jeito agora para que elas não te zoem porque se você não mudar você acaba sendo zoada por pessoas muito piores que você não tem a opção de apenas ignorar."

Que tipo de conselho estúpido é esse?
E quem disse que ela tem que aturar alguma coisa só porque são irmãs dela? Ela é siamesa por acaso? Só pode ser homem pra dar um conselho idiota desses.
Rala daqui, traste.

Anônimo disse...

Eu sou a mais nova de cinco irmãos e já passei por isso. No meu caso o que ajudou foi arranjar um aliado (no caso, minha irmã mais velha). ela passou a dar uns toques quando eles passavam dos limites. Se for dificil se aproximar de algumas delas, talvez você possa falar calmamente com sua mãe.

Em último caso, as bloqueie em suas redes sociais e passe a ignorá-las em casa.

Fabianaaaa disse...

Outra dica para ignorá-las: quando elas começarem a te encher o saco, vá para outro lugar, mas se elas te seguirem ou você não quiser sair, ponha fones de ouvido e ouça suas músicas favoritas. Eu passei a fazer isso com minha irmã e até cantarolava, um dia ela ficou tão louca que pegou meu fone de ouvido e partiu ao meio. Bons tempos kkkkkkk

Célia T. Kersting disse...


Célia disse:
Essas irmãs estão é com muitos ciúmes da irmã mais nova, que deve ter ganho muitas atenções, ao longo da vida, em razão das diferenças de idade. O ideal é que algum
adulto maduro ajudasse a menina de 15 anos e procurasse contemporizar a situação, mostrando para as irmãs mais velhas, que elas não estão agindo corretamente com a mais jovem e inclusive a estão prejudicando.

Leila disse...

Passei pelo mesmo que você. Pelo jeito, não é raro. Minhas duas irmãs mais velhas me hostilizaram a vida inteira, infância e adolescência. O melhor a fazer? CAGAR pra elas. Viva sua vida, como já disseram, procure suas próprias amizades, referências e esqueça o mais que puder as opiniões delas. Bloqueie mesmo o máximo que puder. Mostre claramente que você não liga a mínima para o que elas pensam ou deixam de pensar. Seja autêntica, acredite em você.
Na minha opinião, esses conflitos entre irmãos se devem muito a forma desigual com que pai e mãe tratam os filhos. Os "queridinhos" acabam sendo hostilizados. E eles fazem de conta que não estão vendo.
Força pra você. Suas irmãs são umas babacas ciumentas. Faça sua vida sem elas. Na vida adulta, às vezes as coisas mudam. Às vezes não, infelizmente.

Anônimo disse...

Ei I, n sei se vc vai ler isso mas deixa eu compartilhar minha história de forma sucinta.
Eu tb fui motivo de piada na escola e família mtas vezes quando criança, hj eu tenho 19 anos e posso te dizer que eu tirei muita lição de tudo isso e q hj sou outra pessoa. Eu sei que isso parece simples e clichê mas é verdade. Se nada der certo com a conversa que a lola sugeriu tente simplesmente tratar com indiferença. Sim, parece difícil e vago mas com o tempo faz um efeito incrível. Um exemplo:as pessoas riam de mim quando eu dava uma opinião, riam da minha roupa e aparência e de praticamente tudo q eu dizia. Quando eu passei a me esforçar pra ter confiança em mim mesma, quando eu cai na real e percebi que n tinha nada de errado com minhas opiniões e com minha aparência ninguém mais me abalou. Eu me tornei outra garota, virei uma mulher segura de si, cheia de projetos de vida e com muita disposição pra realizá-los e de quebra ainda me dedicava a ajudar os outros. Nunca pensei que eu pudesse adquirir um conhecimento humanístico tão bom, nunca pensei que depois de um tempo eu fosse virar uma referência pras pessoas que estão em minha volta quando o assunto é ajudar os outros. Só tenho a agradecer as batalhas que eu perdi, mas mesmo assim eu n sou inimiga de ninguém e não guardo rancor da galera que me fez mal. É q eu tô tão bem que n tem espaço pra isso. Mas é o seguinte, nada disso cai do céu vc tem que correr atrás. Minha dica: invista em vc, em autoconhecimento e em suas habilidade, em aprender coisas novas. Foca nisso e eu garanto que vai ser a melhor coisa que você fará em toda sua vida.

Anônimo disse...

Passei por isso, sou a caçula de 6 irmãos (4 homens e 2 mulheres).
Meus país morreram e eu fiquei morando com eles, que usufruíam da minha pensão, enquanto eu passava frio na escola, por falta de roupas. Dentro de casa, o nível de bullying (por parte da minha irmã, apoiada pelos irmãos) foi tão absurdo, que desenvolvi fobia social e crises de pânico, com as quais convivo até hoje, aos 35 anos.
Meu conselho é: manda esse povo se foder logo, antes que você adoeça.
Tem muita gente legal no mundo que vai te admirar e te querer por perto, ser gentil, ser amiga. Você não precisa que essas tranqueiras te considerem. Aliás, eu ficaria preocupada se fosse querida por gente assim.
Beijos, I. Boa sorte!

Anônimo disse...

Que raio de conselho é esse das 18:59? Ter autocrítica é uma coisa. Ser passivo e condescendente é outra. Suponho que você não fique invadindo o espaço das suas irmãs, nem fazendo pirraça pra sua mãe te dar presentes caros, ou pedindo dinheiro demais, certo? Então na boa, é exatamente o que a Lola falou: suas irmãs tão com um misto de inveja da sua juventude com insegurança pra pertencerem a um grupo e por isso, acham melhor se unir contra uma presa fácil: você. Competitividade entre irmãos é normal, brigar com irmão é normal, ter saído no tapa ou falado uma coisa grosseira vez ou outra é normal. Eu mesma sou a caçula de 3, apesar da diferença de idade não ser tão grande. Mas eu e meus irmãos temos uma sinergia incrível; já ouvi críticas deles, nem sempre muito gentis, mas do fundo do meu coração eu sei que eles me amam e apoiam e estarão do meu lado qualquer que seja a situação. Uma adulta de 25 anos ficar de fofoquinha com a irmãzinha de 15 é o cúmulo. Suas irmãs ainda moram na casa da sua mãe? Então como podem te culpar por dar despesa com QUINZE anos enquanto elas mesmas não saem de casa? Suas irmãs fazem mais do que lavar a própria louça, elas dão faxina na casa, lavam roupa? Então como que a bagunça é toda culpa sua? Suas irmãs riem do que você posta nas suas redes sociais, mas quanta coisa elas mesmas não falam que não enxergam que pros outros é fútil/bobo? E seus pais, tentam falar com elas, apoiam elas ou são omissos? Sério, moça, você não é obrigada a amar gente que te faz mal. Seja neutra e seca com elas, aproveita pra estudar MUITO no ensino médio (faça q nem outros falaram, vá na biblioteca, participe de atividades da escola, vá na casa de amigos) e passar numa faculdade que te dê autonomia financeira tão cedo quanto possível. Quando você sair de casa, você vai reparar que elas vão começar a te tratar melhor e fingir que nunca tentaram te diminuir, dizendo que você tá histérica, tá exagerando, que você tava é com ciúme e o caramba a quatro. Mas daí você vai ter distanciamento o suficiente pra decidir se perdoa ou se continua na sua.

Marix disse...

I, Vou te dar uma dica de como se blindar (pelo menos online) desses comentários ridículos das suas irmãs e amigos delas: no facebook, coloca suas irmãs e os amigos delas e os demais chatos na lista de restritos. Eles não vão mais receber suas atualizações de status, suas curtidas e não vão poder ver, nem comentar o que você posta,a menos que vc, ao postar um conteúdo deixe a privacidade do post como Público. Eu fiz isso no meu face, coloquei todos meus tios, boa parte dos amigos do colégio, meu irmão e minha cunhada como restritos, pois eu não aguentava mais eles vindo me ofender no face ou tirando satisfação por causa de minhas opiniões.
"Ah, mas se elas ficarem chateadas por terem sido bloqueadas?" que se danem, q vão dormir em posição fetal com a mágoa delas, ninguém se perguntou se o q elas fazem pra ti te magoa. Coloca elas e os amigos delas nos restritos e deixe que soltem o veneno deles entre eles. É a boa forma de ignorar elas, pelo menos virtualmente.;)

Marix disse...

Mais uma dica. Agora que vc já se blindou virtualmente (bloqueando tuas irmãs no face e nas outras redes - com o tempo, conforme mudar o comportamento delas, vc pode desbloquear), vou dar uma dica de como se blindar na vida real, não-virtual. Leia com atenção o livro "Quando digo não, me sinto culpado" e pratique os exercícios que ele sugere. Para mim foi bem libertador, foi importante para aprender a por e impor limites,e meanter segura das minhas posições. 
Acho q tem para baixar pela internet,senão tu pode comprar na Estante Virtual, tem a partir de 20 reais. 
Querida, mantenha-se firme nas suas opiniões, nos seus objetivos, não deixa que essas xaroponas e destrambelhadas das tuas irmãs te coloquem pra baixo. Segue firme, estuda bastante, que logo logo essa fase passa. Ter 15 anos é maravilhoso! Quando fiz 15, um tio me falou uma coisa que é bem verdade: até chegarmos aos 15 anos, a vida passa de vagar, o tempo é mais lento, mas depois dos 15 a vida voa, passa correndo. E voa mesmo! Então, querida, fica focada nos teus objetivos, pq essa fase vai passar logo. Daqui poucos anos vc provavelmente já vai estar trabalhando, tendo seu dinheiro, vai estar estudando, cheia de outros amigos e interesses. Um beijo, e da um chega pra lá nas cafonas, viu. ;)

Marix disse...

i, achei o .pdf do livro que te indiquei (Quando digo não me sinto culpado), mas apenas em espanhol. Mesmo assim, não será difícil entender. Leia com atenção e pratique o método dele.
Segue o link:
https://drive.google.com/file/d/0B7zoVTxJwIt5OUg4clBwbHYzQTA/view?pref=2&pli=1

Anônimo disse...

03:32 o que caiu foi o nível dos comentaristas. Só trolls vagabundos e desocupados carentes que não tem o bom senso de ficar calado e vivem a cagar pela boca. Tipo você.

Jackeline disse...

É, pelo jeito isso é bem comum com irmãos mais novos.
Eu tenho 2 irmãos mais velhos, a diferença de idade é de 5 e 6 anos, e eles e alguns dos meus primos da mesma idade deles viviam me zoando por coisas bestas, tipo os desenhos que eu assitia, coisas que eu dizia, coisas que eu gostava, minha aparência, e por aí vai. Já na adolescência, me tratavam com distância, e principalmente depois que meu pai e um dos irmãos saíram de casa, o outro irmão e minha mãe me faziam sentir como se eu fosse uma inconveniência.

Vai pela gente: o quanto antes você conseguir se distanciar delas, ou pelo menos parar de se importar com a opinião delas, melhor. Eu só fui entender que essa falta de respeito não era culpa minha depois de adulta, e isso pode ser bem danoso pra sua felicidade e auto estima.

Se você achar importante conversar com elas, converse. Faça igual a Lola disse, pergunte calmamente por que elas agem dessa forma e explique que esse tipo de coisa te chateia. Elas provavelmente ou vão reagir na defensiva, como se você estivesse exagerando e elas é que tivessem razão, ou vão debochar, como se vc fosse fresca por reclamar e que elas não estão fazendo nada demais. Ou as duas coisas.

Mas não se deixe intimidar, se você não conseguir fazer com que elas entendam que estão agindo mal, passe a ignorar, faça amizades, passe mais tempo com gente legal e não tenha medo ou vergonha de dizer o que vc pensa nem de ser você mesma.

Anônimo disse...

É isso que já disseram. No meu caso, filha caçula também, aprendi cedo a ser desagradável e fria com elas. Tenho distância até hoje. E estou muito bem, obrigada. Muito melhor do que com elas.

Anônimo disse...

Lola, você viu? Aquela menina que enganou três misoginos, está namorando um Sancto chamado "Technomage" que se identifica como travesti e que está trocando ameaças com o Marcelo e um tal de Kyo de mata-los a base do Kung Fu. Será que os sanctos irão no final se autodestruir?

Anônimo disse...

11:44. Difícil deve ser a sua vida de ter uma arma apontada na cabeça se não lesse esse post.

Anônimo disse...

Lidar com irmãos as vezes é difícil. Sou a caçula de 2 irmãos, um menino e uma menina. Eu e minha mãe somos muito apegadas e minha irmã mais velha morria de ciumes e me xingava todo santo dia, tudo que eu fazia era errado, feio, coisa de retardado. Cresci com este tipo de hostilidade e acho que não foi pior porque minha mãe sempre me ajudou. Hoje, após minha irmã passar com psicólogo ela melhorou um pouco e também não ligo mais quando vez ou outra surge um comentário maldoso. É só vc não ligar, pois uma hora elas param.

Vivi disse...

A primeira coisa que eu faria é excluí-las das redes sociais e depois bloqueá-las.
Em seguida, eu simplesmente as ignorava 100%, nem tentaria conversar, PORÉM se vc considera que conversar com elas é importante, CONVERSE e fiquei EM PAZ.

Mariana disse...

Você não irá se arrepender se conversar com as suas irmãs, ainda que não consiga o resultado que deseja inicialmente, que é fazer com que elas parem de te provocar. Só de você dizer o que sente já será um grande alívio. E pode ser sim que elas não percebam como você se sente e conversar pode fortalecer a relação de vocês, e se mesmo depois da conversa, não acontecer isso, pelo menos você falou e se abriu e se posicionou e isso é muito importante. Guardar mágoas dentro da gente nunca é bom. Sempre que você puder falar, fale, converse. Um grande beijo e boa sorte