sábado, 5 de dezembro de 2015

"SERÁ QUE FUI MESMO ABUSADA?"

Recebi este relato com dúvidas da B.:

Tudo bom? Eu queria primeiramente dizer que o seu blog foi extremamente importante para mim, desde minhas primeiras engatinhadas com o feminismo. Sempre fui revoltada com o machismo que era obrigada a engolir. Comecei a lutar jiu jitsu e jogar bolinhas de gude para provar que poderia frequentar um meio masculino, isso pequenininha. Hoje, danço ballet e adoro costurar, coisas que eu abominava mais nova, achando que eram obrigações minhas por ser mulher. A liberdade de gostar dessas coisas veio quando comecei a me conscientizar mais do que era, de fato, ser mulher, e o seu blog foi de uma ajuda e tanto!
Mas não estou de escrevendo para isso. O Escreva Lola Escreva também traz várias histórias de mulheres que sofreram abusos, isso quando elas mesmas nem sabiam que eram abusadas. Eu nunca contei minha história a ninguém, por medo e vergonha, por achar que não acreditariam em mim. E, principalmente, por achar que a culpa é minha. Eu consegui me desconstruir o suficiente para não achar que a culpa é das outras mulheres, mas nunca para aceitar que não foi culpa minha. Continuo com esse fantasma.
Na verdade, sempre que penso no que aconteceu eu acho que foi culpa minha. E que, portanto, não foi um abuso. Que eu deixei, que eu consenti. Mas eu tinha 10 anos. Estava com medo.
Primeiro, queria contar o que me levou, nesse dia e nessa hora, a te escrever. Alguém me indicou o livro Arquipélago Gulag, do Soljenítsin, e eu aceitei a sugestão. Isso há meses. Mas empaquei na leitura por volta da página 27, de um livro de seiscentas e poucas. O trecho diz o seguinte:
"E sua boca não foi tapada. E você pode e deveria absolutamente gritar! Gritar que vai preso! Que há malfeitores disfarçados que andam à caça das pessoas! [...]
Mas se dos seus lábios ressequidos não brota nem um som, a multidão que transita descuidadamente toma a você e aos seus carrascos por amigos que passeiam.
Eu próprio tive muitas vezes a possibilidade de gritar. [...]
Por que é que me calo então?"
Isso me fez lembrar daqueles dias. E da culpa que me persegue e me assalta. Muitas vezes não sei nem de onde veio, se foi de um cheiro ou de um olhar que me lembre dele.
Eu morei na capital até os 10 anos. Depois, me mudei para uma cidade no interior, por causa dos meus avós que foram para um sítio e meus pais foram para cuidar deles. Não conseguimos passar um mês debaixo do mesmo teto até que as brigas resultassem na gente ser expulso daquela casa. Meus pais, numa cidade estranha, foram para a primeira casa que conseguiram arrumar. Num bairro não muito nobre, com várias outras famílias morando perto. Eram três casas num mesmo terreno. Uma delas tinha esse garoto. Neto da senhoria, 16 anos. 
Ele queria passar a mão em mim, me ver nua. Eu disse que não, muitas e muitas vezes. (Talvez não com a veemência necessária. Eu deveria ter gritado, pedido ajuda). Mas depois eu pensei que, se eu cedesse, ele iria parar e me deixar em paz. Se meus pais soubessem que isso estava acontecendo, eles iriam querer se mudar na hora. A gente estava sem dinheiro, porque tinham sido duas mudanças, sendo uma para mais de 200 km, num período de dois meses. Não queria estragar mais a vida deles, estavam sofrendo muito.  E eu só conseguia pensar que iria piorar a situação. Mas mesmo assim deveria ter gritado.
Será que eles acreditariam?
Será que, mesmo depois de eu ter dito sim, eu não era culpada?
Será que eu sou culpada? 
Isso aconteceu por vários meses. Quando o rapaz chegava em casa, eu ia direto ter com ele, por medo de que, se não fizesse suas vontades, ele fosse contar para meus pais. Um absurdo! Um contrassenso! 
Não acredito que conseguia pensar assim. E o fantasma fica ainda mais assustador, porque não vejo outra atitude em mim, mesmo hoje. Quando me tocam sem eu querer, meu pavor é tanto que não consigo dizer "não". 
Nunca consegui chorar por isso. Nunca consegui dizer as palavras "fui abusada". Porque será que fui mesmo?
Será que não é algo da minha cabeça?
Me ajuda?

Meus comentários: B., querida, você foi abusada. Não é preciso que alguém coloque uma arma na sua cabeça para ser abuso. Imagine que um cara desarmado diga pra você: "Se você não transar comigo, eu mato os seus pais". Ou: "Se você não transar comigo, eu estupro a sua irmã menor". Ou mesmo: "Se você não transar comigo, eu espalho fotos íntimas suas por toda a internet". É estupro mediante ameaça, não é?
O seu caso foi parecido. Você sabia que, se o rapaz contasse pros seus pais, vocês iriam ter que se mudar novamente, sem dinheiro, sem ter pra onde ir. Contar a eles era a coisa certa a se fazer, lógico, mas você tinha dez anos e não queria atrapalhar a vida deles. Você não queria fazer nada com o rapaz, mas você cedeu por medo. 
Audre Lorde: Mulheres são poderosas
e perigosas
Foi abuso. Mas não se culpe de jeito nenhum, e muito menos permita que esse trauma te defina. Bola pra frente. Espante esse fantasma. Treine dizer "não". Você é muito mais forte do que pensa. 

82 comentários:

Jonas Klein disse...

Olá B e Lola

B com base em tudo que você disse, se pode ver o que você foi abusada sim, por duas razoes.


1 - você não tinha idade para consentir com nada em termos sexuais.

2 - que mesmo você dizendo não para o lixo esse, o cara (um pobre menor de idade que não merece ser duramente punido, segundo os defensores do ECA) claramente se aproveito da sua fragilidade par abusar de você.

E que você tinha naquela época o mesmo problema, acho que de quase todas as crianças, você não esteva preparada para lidar uma situação de abuso sexual, pois quando você já tinha idade para entender alguma coisa já, os seus pais tinham que ter explicado para você, o que e abuso sexual e caso isso acontece contigo que você deveria contar a ele imediatamente.

Eu lamento muito que isso tenha acontecido com você.

Agora eu vou te dar duas dicas:

1 - procure um psicólogo, pois você esta visivelmente com a sua estrutura psicológica muito afetada por tudo o que já te aconteceu, e psicoterapia pode te ajudar superar os seus traumas.

2 - se possível, volte a lutar jiu jitsu, e eu não quero assustar você, mas em uma situação extrema a habilidade para a luta que o jiu jitsu (assim como outras artes marciais) proporciona, ainda pode fazer para você a diferença ate entre a vida e a morte.

Em fim, você foi abusada sim e culpa não foi sua, tenha isso sempre em mente.

Boa sorte

Odara disse...

B., você não foi culpada de nada!
Você foi vítima!
Vítima do abuso e do medo.
Mas o seu relato mostra que você tem a lucidez e a força necessárias para desconstruir essa culpa.
Um beijo!

Lola, que desconcertante essa foto da menina com o sorriso na fita que amordaça! Muito bem elaborada.

Anônimo disse...

Com nejo do mundo cada vez mais, é abuso mesmo se for o seu marido, não é não quem força a barra tá fazendo alguma coisa errada. Não existe cultura nem desculpa quando se trata de abusos.

Anônimo disse...

Podem me chamar de coxinha, ou o que for...
mas nao concordo que um menor de idade que abusa ou tenta abusar de alguem sexualmente nao seja punido como um maior de idade.

fernanda melo disse...

Sinta se abracada

Anônimo disse...

alguém entendeu a terceira imagem ? a da cadeira

Odara disse...

Acho que é um "fantasma" sentado na cadeira e o lençol revela a presença. ...

Anônimo disse...

Estava lendo sobre a história do leite de moça(isso não importa) e a marca americana do leite de moça é milkmaid eu botei isso google e achei essa merda pt.urbandictionary.com/define.php?term=Milk+Maid

Anônimo disse...

21:01, de qual das definições vc está falando?

Anônimo disse...

Vc foi abusada não teve culpa o que deve mudar é a legislação é colocar estes monstros mirins na cadeia

Anônimo disse...


Lola sou professora de História e sua fã, quero muito ler seu livro mas gostaria que vc desse sua opinião sobre o processo de impeachment.

Anônimo disse...

Troll querendo pressionar. ...

lola disse...

Minha opinião sobre o processo de impeachment? Bom, ficou evidente que Eduardo Cunha aceitou abrir o processo por vingança, porque os deputados do PT vão votar por sua saída (ainda bem!). Concordo com a enorme maioria de cientistas sociais e juristas, que estão dizendo que não há base legal para o impeachment de Dilma. Até a The Economist, uma revista conservadora, acha isso. E não sei se os políticos da oposição realmente querem o impeachment, porque é péssimo ter que assumir esta crise que está aí. Não sei o que vai acontecer. Tem muita gente achando que o impeachment sai, e também tem muita gente que acha que o governo terá os 172 votos necessários para barrar o processo. Pra várias pessoas, o objetivo parecer ser sangrar o governo até as eleições de 2018. O que não é bom pro país.
Não estou nada satisfeita com o governo (alguém está?), mas não quero o impeachment.
Se alguém quiser escrever um guest post sobre isso, publico com o maior prazer. Meu posicionamento ainda é muito lugar comum pra render um post.

Marcia Baratto disse...

B. Você foi abusada, e manipulada para ficar em silêncio. Coerção não é apenas ameaça física, prender uma menina numa teia de vergonha, culpa e responsabilidade pelo abuso é uma das táticas mais comuns (e cruéis) empregadas no abuso sexual. No seu caso, o que aconteceu também é considerado estupro, e como você era menor, o crime não prescreveu, saiba que você ainda pode denunciar o acusado - veja bem, pode. Não tô falando que deve, apenas quero dizer que você está legalmente amparada para gritar esse não com toda a força que tiver.

B., não se culpe. Nunca. O que aconteceu com você foi sim contra a sua vontade, foi sim violência psicológica e física que lhe foi imposta, e a responsabilidade não é sua, jamais.

Você é muito mais forte do que pensa, você irá lidar com esse trauma, acredite em você.

Anônimo disse...

Off Topic:

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/12/alckmin-sanciona-lei-que-multa-quem-impedir-amamentacao-em-publico.html

Anônimo disse...

E alguém pensa em impedir a amamentação em público?
Que absurdo! !!!

Anônimo disse...

O Feminismo é tema do Esquenta que está sendo exibido nesse momento :) :) :)

Odara disse...

Eu gosto muito da Regina Case! Até nesse programa escroto, na Globo, ela consegue passar uma mensagem de humanidade e tolerância :)

Anônimo disse...

Gostaria de fazer um desabafo.
Tenho medo, muito medo de me relacionar com mulheres, e é graças ao feminismo:

O ano era 2005 e eu tinha 14 anos, muito se falava em mídia e em debate público sobre violência contra mulher, processo, justiça e tudo. Eu sempre fuu muito tímido com mulheres que eu gostava, de forma que eu normalmente, na escola, só as olhava de longe sem jamais falar com elas, apesar de que, por fofocas, era conhecimento público quando eu gostava de alguém. Ainda assim, jamais me aproximava.
Um dia a guria por quem eu era apaixonado, chamarei aqui de Sueny, se aproximou de mim, confesso que meu coração quase saiu pela boca no dia, ela conversou comigo, e, pasme, semana seguinte eu estava sendo sumariamente expulso da escola e respondendo à um processo: perseguição, ameaça, agressão e assédio. Eu era inocente, mas ninguém acreditou em mim. Fiquei sob acompanhamento do tribunal de menores por um ano, e lá, eu vi coisas: garotos andando enfileirados acorrentados, com guardas atrás armados. A diretoria da escola fez um terror dizendo que eu seria estuprado e tudo mais. Não sei como não fui preso.
Razão do processo? A casa da menina havia se incendiado, e ela pensou que receberia uma gorda indenização no processo.

Depois disso desenvolvi um medo patológico de mulheres, em especial as que eu acho atraentes. Geralmente ando de cabeça baixa para evitar contato visual, e na faculdade, a qual estou no fim, sobrevivi ignorando todas, fingindo que elas não existiam ainda que falassem comigo, e sempre andando com gravador de voz e evitando lugares sem câmera. Já procurei psicóloga, mas em cinco minutos eu já estava quase em pânico e fugi do consultório.
Estou quase me formando e não sei o que fazer.

lola disse...

Sim, anon, sua história parece muito verídica. É assim mesmo: uma menina acusa um menino de perseguição, ameaça, agressão e assédio, e UMA SEMANA DEPOIS ele é expulso da escola e PRESO. Isso acontece sempre, todo mundo sabe como a sociedade acredita nas mulheres. Legal saber que isso já acontecia há dez anos. É uma sociedade bucetista, como dizem os mascus.
Deixe eu te contar uma outra história, esta ocorrida cinco anos depois da sua, em 2010. Uma comunidade de cerca de 100 caras planejou no Orkut um "rodeio de gordas". O rodeio aconteceu de fato nos Jogos Universitários da Unesp de Araraquara: vários rapazes derrubaram alunas gordas e montaram nelas, como se fossem touros num rodeio. Isso saiu em toda a mídia e, por causa da repercussão, os três criadores do rodeio foram descobertos. A Unesp decidiu puni-los, depois de muito tempo: três dias de suspensão pra cada um.
Que expulsão, que nada! Nem o aluno de Medicina da USP acusado de estuprar uma aluna foi expulso! Ele recebeu uma suspensão. Vai demorar um pouco mais pra conseguir o diploma. Prisão, nem pensar.
No caso do rodeio de gordas, teria ficado por isso mesmo (3 dias de suspensão) se o Ministério Público não tivesse ido atrás. Ele processou os três líderes. Eles não pegaram prisão, mas foram condenados a pagar 20 mil reais de indenização a ONGs que lidam com direitos humanos. Um dos três se recusou a confessar a culpa, então o processo deve levou mais anos, mas, afinal, a indenização que ele teve que pagar chegou a 50 mil.
Eu poderia te contar algumas dezenas de casos em que meninas e mulheres denunciam agressores e não acontece absolutamente nada. Mas vou ficar só nesses dois que tiveram um final feliz (indenização e suspensão).
Então sugiro que vc conte a sua fábula em sites e fóruns mascus. Lá sim eles vão acreditar em vc.
No mundo real é mais difícil que isso ocorra.

Jonas Klein disse...

Anon 13:32

Cara este teu problema ai com as mulheres só tratando com psicólogo para resolver, não tem outra saída, se um psicólogo não conseguiu te ajudar procure outro.

ai explica ao psicólogo que não consegue conversa sobre os seus problemas de forma tranquila, ai psicólogo acho provavelmente te da algum calmante para você ficar calmo e se abrir com ele(a)...



E Lola ta fraco movimento no teu blog hennnn!!!!

achei que este post ia da muito comentário.

Jonas Klein disse...

Lola

Eu não sei, acho que talvez seja verdade o que o anon das 13:32 disse, afinal para toda a regra sempre tem uma exceção.

Mas que e suspeita a historia dele isso é.

Anônimo disse...

Se tu tivesse lido corretamente, teria visto que não fui preso: fiquei apenas sob acompanhamento, ou seja, eu ia mensalmente assinar uma papelada e só. Os moleques acorrentados provavelmente estavam no tribunal fazendo algum trabalho de reabilitação. Eu estudava em escola pública, a expulsão - ocorrida nas mãos de diretoras e pedagogas feministas - foi basicamente uma transferência para uma escola mais longe.
Se tu não respeita a dor e as lagrimas alheias, por favor, faça silêncio.

Anônimo disse...

Como se fosse legal ver uma mulher amamentando, as pessoas devem respeitar o espaço público e parar de agir como se estivessem em casa.
Vamos fazer um projeto de lei para ninguém impedir que se urine em público, assim vou poder colocar meu pênis para fora e não ser incomodado

Anônimo disse...

O estupro ao mesmo tempo que é o crime que possui mais culpados soltos é o crime que possui mais inocentes presos

Anônimo disse...

A história das 13:32 parece um pouco fantasiosa, mas vou falar de três casos, sendo dois famosos.
Primeiro o do ex diretor do FMI que foi acusado injustamente de estupro, segundo do campeão olímpico Ezekiel Kemboi, do Quênia, que foi assaltado, esfaqueado, e quando prenderam o grupo de bandidos que fez isso, a mulher integrante disse que foi abusada por ele, sem que o atleta teve que pagar fiança para não ser preso e ir para as olimpíadas de Londres, depois o estupro foi provado mentira.
O último caso foi de um professor de Química da minha cidade de nascença que foi acusado por uma aluna de 15 anos, já envolvida com a criminalidade, de assédio, como ela viu que a escola e as pedagogas, junto com o Conselho tutelar, ficaram do lado dela, o assédio virou estupro, depois que a mentira foi provada não aconteceu nada com ela, mas ate hoje o professor teve sua carreira e vida manchada

Anônimo disse...


Querida Lola sou a professora que pediu sua opinião em relação ao impeachment, tb acredito que foi vingança do Cunha,

Jonas Klein disse...

Anon 14:12

Acho dizer isso não adiantar muito, mas fato e que se você não gosta de ver mulher amamentando, quando ver uma a só olhar para outro lado tudo resolvido, e não vem com parar amamentar em publico com urinar, pois são coisas muito diferentes.

Anônimo disse...

Odara, porque acha o programa escroto?
Eu assisto e gosto muito. Muita gente odeia porque acha que é coisa de pobre e preto.
Mas eu acho o melhor programa da Globo.

Anônimo disse...

14:12, ninguém se importa se você acha legal ou não. Agora quem constranger e expulsar mulher amamentando vai levar uma bela multa. Quanto a sua comparação de amamentar com mijar está cheirando a inveja. O seu pinto sujo não é útil pra nada, ao contrário dos nossos seios. E se continuar reclamando vamos inventar uma multa pra homem que ficar encarando.
Bjas

Anônimo disse...

13:32, eu gostei muito da sua história. Muita criatividade você tem. Achei melhor que Crepúsculo mas mesmo com aqueles vampiros que brilham, Crepúsculo parece mais verossímil. Tenta melhorar só essa parte, tá?
Bjas

Anônimo disse...

"Primeiro o do ex diretor do FMI que foi acusado injustamente de estupro"

Foi provado que era mentira ou o estuprador escapou porque quem o acusava era uma camareira que não tinha onde cair morta?

Anônimo disse...

Essa lei da amamentação é tão absurda quanto dar assento preferencial para obesos no transporte coletivo, pq eu que venho cansado do trabalho tenho que me levantar para um gordo sentar? Pq tenho que aturar mães que podem cobrir seus seios com um tecido enquanto amamentam seus pirralho chatos? Quando não vão encher o saco no cinema com crianças chorando e gritando no meio do filme.
Gostei de ver os casos das 14:29, basta acusar um inocente de estupro para o mesmo ser apedrejado, enquanto os verdadeiros estupradores estão soltos ou sendo protegidos por ONGs na cadeia, pesquisei e fiquei abismado com a história do corredor queniano, o cara é esfaqueado, agredido e assaltado, mas a bandida grita estupro e todo mundo acredita

Anônimo disse...

Anonima 15:25


Aquele caso da camareira, parece que foi mentira dela mesmo, e se não me falha memoria ela mesmo acabou admitindo que mentiu para justiça, e me parece que foi inclusive processada.


eu acho que toda pessoa, que acusa outra diretamente de um crime deveria ser submetida ao detector de mentira e o acusado(a) ai só por o criminoso ou o mentiroso na cadeia joga a chave fora.

Ezco Musaos disse...

MasCUZÕES afrescalhados contra amamentação em público, só são pró-vida do feto, depois que a criança nasceu ficam cheios de dedinhos e sensìveis às terríveis mamas femininas que não estão à mostra como objeto sexual masculino e sim para atender a uma necessidade básica de um ser humano em fase inicial da vida. Porque urinar e amamentar é praticamente a mesma coisa, não é? Vão virar gente, montes de excremento ambulantes.

Marix disse...

Querida B., foi abuso sim!
Não importa se vc 'consentiu', se vc não gritou, se por algum momento sentiu prazer, nada disso importa, pois foi abuso!!! Há um motivo para a lei dizer que abaixo de 14 anos, mesmo que haja consentimento, há estupro, e no seu caso, abuso. Primeiro que uma criança ainda não tem conhecimento de mundo suficiente para tomar uma decisão racional. Talvez se vc tivesse contado a seus pais, eles evitariam deixar vc sozinha, trancafiam a casa, poderiam tomar outras medidas q não envolvesse se mudar do local imediatamente. Mas isso era uma decisão que cabia aos adultos resolver, vc era apenas uma menina que devia ser protegida e não tentar ser a protetora dos país. A outra razão do seu 'consentimento' não ter valor algum é pq crianças e adolescentes tb ainda não tem a estrutura psicologia bem formada, e portanto, não tem estrutura emocional alguma para bem entender e lidar com as consequências psicológicas da uma iniciação sexual prematura.
Vc nao gritou, vc no se sentiu vítima pq aquela criança de dez anos estava se sentindo adulta ao tomar para si uma tarefa que não lhe cabia, proteger os pais. Quando vc conseguir sentir a criança que vc era, pequena, desprotegida, tendo que precocemente bancar a adulta pra resolver uma situação que não é da competência de uma criança. Quem tem que decidir onde ir morar, como fazer a mudança, como ganhar ou economizar dinheiro não é uma criança de 10. Isso é tarefa dos adultos. Vc tb estava fragilizada com aquela situação, de sair de uma casa e cidade à qual já estava habituada pra morar num ambiente conflituoso e em seguida ser despejada com a família. Vc estava sozinha, sem amigos, numa cidade nova, toda a família fragilizada...como vc poderia, aos 10 anos, dar um consentimento livre e informado?
Querida, foi abusi sim, e não se culpe. S vc tiver condições, procura uma psicóloga para ajudar, pra te ajudar a dizer não quando vc quiser dizer, pra vc se sentir forte e sem culpa. Volta a fazer jiu-jitsu.

Anônimo disse...

Foi provado ser falsa a acusação sim. Dominique Strauss era um forte candidato à presidência da França, talvez era tenha sido uma peça de uma conspiração, no dia e hora da acusação ela arrumou outros quartos, o depoimento dela passou a ter contradições, junto com o depoimento de testemunhas do mesmo andar do ocorrido fizeram a verdade vir a tona, pressionada pelos fatos ela ficou com medo e admitiu a verdade.

Anônimo disse...

Uma certa vez, uma moça desconhecida me contou que estava amamentando em público,
e um rapaz veio falar se ela nao poderia colocar um paninho na cabeça da criança.
E a moça respondeu:
- vc já experimentou usar um pano na sua cabeça enquanto come ?
O cara nao falou nada e saiu.
Adorei a resposta.

Anônimo disse...

Cara, tu sabe que amamentação não suja patrimônio público, certo? Que não fica fedendo até alguém que não tem nada a ver com o assunto tenha que vir limpar sujeira, certo? E que ao contrário do teu pênis, seio não tem função reprodutora nenhuma... Certo?

Anônimo disse...

Gostaria muito que os homens realmente tivessem medo de serem acusados de estupro, porque dessa forma o assedio diminuiria não? Mas o que mais vejo são garotas e mulheres sendo assediadase abusadas e o numero de estupros em Alta. Ou seja, se homem tem tanto medo de ser acusado, porque continuam dando indicios de serem criminosos? Quem não é não precisa temer

Anônimo disse...

Gente sei que não tem a ver com o post mas eu queria que alguém me ajudasse com dados sobre as desigualdades entre os gêneros no trabalho. Tive uma reunião no sábado que eu preciso fazer algo. Ouvi coisas desde que mulheres sao naturalmente chatas e briguentss até comentários de que um dos gerentes da rede de varejo para a qual trabalho não contrata mulheres para a loja quem ele lidera. Isso foi falado de forma muito natural. Eu queria refutar isso com dados estudos por que to com esse sapo até agora

Monica

Anônimo disse...

13:32 "mimimi não sei o que fazer", porque psicólogo homem não existe pra ti né? Relato mais fake que mascu inteligente.

Anônimo disse...

15:57, não estou por dentro do assunto e nem das supostas provas mas é mais provável um homem estuprar do que uma mulher mentir sobre isso. Acho lamentável quem tenham perseguido a camareira, mas é claro que ela era a parte mais fraca ali, além de pobre, era negra e imigrante. Óbvio que o figurão estuprou e ainda saiu impune, como a maioria dos estupradores.

Anônimo disse...

O fato dela ser negra ou pobre não dá direito dela acusar ninguém falsamente. Eu vi o caso e como o Anon disse foi provado ser falsa a acusação.
Óbvio que o figurão estuprou

Que parte da frase " foi provado que a acusação do falsa" você não entendeu, infelizmente a violência sexual é muito presente e muitos casos jamais serão investigados por acontecerem em ambientes domésticos, agora isso não lhe dá o direito e nem a ninguém de acusar alguém por um crime que não cometeu, o senso de justiça e a coerência mandaram um abraço

Anônimo disse...

15:29, no seu caso espero que tenha um gordo bem gordo no ônibus em pé, ele se desequilibre numa curva, caia em cima de vc, você quebre o pescoço e morra.
Quanto a aturar as mães, nós, seres humanos normais, temos que aturar vc vivendo no mesmo mundo que nós. Imagina estar com um bebê no mesmo ambiente que um sujeito como vc? Além de anti higiênico é desagradável.

Anônimo disse...

19:18, achei que tinha ficado claro mas vou simplificar. Você acredita na versão do estuprador, eu na versão da vítima. Claro que se ele tivesse estuprado uma mulher branca e rica a chance de ser punido seria maior, mas como foi "só" uma camareira imigrante claro que a corda arrebentou pra o lado mais fraco. Aposto que ele nunca tentou estuprar uma mulher do círculo dele, quanto a outras camareiras e empregadas, não tenho tanta certeza.

Odara disse...

Anon 15:10,
Realmente, eu exagerei no adjetivo. ....
Mas foi no sentido de ser um programa de entretenimento bem superficial, tipo músicas e personalidades de sucesso global num estilo Chacrinha (auditório lotado e muita bagunça).
Pra falar a verdade eu nunca assisti direito....
E retiro em grande parte o que eu disse!
Depois do comentário eu vi uma parte muuuiito legal mostrando o "empuderamento" (porque as mulheres passam a se sentir capazes de "puder fazer" na expressão local) de um grupo de mulheres no Vale do Jequitinhonha. E uma interpretação de Maria, maria emocionante da Daniela Mercury!
Muito interessante, vou prestar mais atenção antes de adjetivar as coisas que eu não conheço direito ;)

(e quanto ao "de pobre e preto"... se eu soubesse que se fala isso me traria mais afinidade que rejeição: cultura popular sofrendo preconceito de elite branca tem a minha simpatia quase instantânea :)

Anônimo disse...

Se vc acredita na versão da vítima, ótimo, pois a camareira admitiu ser mentira.
Agora em qualquer processo existem provas, que são melhores que qualquer versão. Quando as provas começaram a apontar que a versão dela não conduzia com a verdade, ela negou os fatos.
Não estou aqui defendendo estupradores, por mim eles deveriam apodrecer na cadeia, inclusive os menores de 18 anos que cometem esse crime, agora em qualquer processo se as provam inocetam alguém, essa pessoa deve ser considerada inocente, independentemente de quem acusa.
Só por curiosidade eu pesquisei o caso do corredor queniano que foi apontado por um Anon, e vi o absurdo de alguém esfaqueado e assaltado por uma quadrilha já costumaz nesse crime, quando presos a mulher disse ESTUPRO e a vitima passou a ser acusada, mesmo diante de uma situação inverossímil e absurda, aposto que se fosse vc condenaria ele

Anônimo disse...

Odara, o programa tem apresentações de artistas populares, os que estão fazendo sucesso no momento, acho que nenhum programa de auditório foge disso, mas no meio disso tudo sempre levanta discussões interessantes. E a dessa semana foi sobre feminismo, mas já teve sobre racismo, arquitetura, sustentabilidade, enfim, acho que no meio dos clichês que sempre tem nesse tipo de programa pode se tirar coisas muito produtivas se souberem aproveitar o espaço e o alcance e acho que no Esquenta a Regina consegue fazer isso.
Muita gente detesta essa programa por causa disso, além de ter vários negros que fazem parte do elenco como músicos, sambistas, humoristas e dançarinos. Parece que as pessoas tem raiva porque o programa não é branco, começando pela apresentadora, e o programa falar muito da cultura popular, da favela e negra. Gente de direita critica ferozmente esse programa, e depois desse episódio sobre feminismo esse ódio vai crescer mais ainda.

Anônimo disse...

19:38, muito difícil acreditar num homem nesse caso. Homens mentem muito sobre isso. Dizem que não estupraram mas estupraram. E essas provas aí podem ter sido forjadas, né?
Só pra protegerem o figurão, se é que elas existem mesmo. Agora a mulher ter admitido que era mentira pode até ser verdade, sendo ameaçada e coagida. Imagina, uma camareira contra o diretor do FMI. Claro que surgiram várias "provas" pra inocentá-lo..

Anônimo disse...

20:18
Nossa é mesmo é
E o caso do corredor Ezekiel Kemboi?
Pare de forçar a Barra, assim como existem casos de estupro não punidos, existem casos de falsa acusação,vc se lembra dos casos de estupro da escola Base?

Anônimo disse...

Anon 19:19
Eis sua frase: espero que um gordo caia em cima de você no ônibus quebre seu pescoço e você morra.
Eu acho justo a obrigatoriedade de ceder lugar para gestantes, idosos , deficientes etc.
Agora me diga pq raios devo dar meu lugar a um gordo?

Odara disse...

Anon 15:10,
Realmente, eu exagerei no adjetivo. ....
Mas foi no sentido de ser um programa de entretenimento bem superficial, tipo músicas e personalidades de sucesso global num estilo Chacrinha (auditório lotado e muita bagunça).
Pra falar a verdade eu nunca assisti direito....
E retiro em grande parte o que eu disse!
Depois do comentário eu vi uma parte muuuiito legal mostrando o "empuderamento" (porque as mulheres passam a se sentir capazes de "puder fazer" na expressão local) de um grupo de mulheres no Vale do Jequitinhonha. E uma interpretação de Maria, maria emocionante da Daniela Mercury!
Muito interessante, vou prestar mais atenção antes de adjetivar as coisas que eu não conheço direito ;)

(e quanto ao "de pobre e preto"... se eu soubesse que se fala isso me traria mais afinidade que rejeição: cultura popular sofrendo preconceito de elite branca tem a minha simpatia quase instantânea :)

Anônimo disse...

Porque o obeso tem dificuldade de locomoção. É difícil eu ver uma pessoa obesa no ônibus e eu ando de ônibus o tempo todo. Essas pessoas tem dificuldade de se locomover pela cidade porque além da dificuldade de locomoção que adquirem pela obesidade ainda encontram obstáculos como cadeiras estreitas, roletas de ônibus em que eles não cabem, bancos pequenos. Um dia estava no ônibus e tinha um senhor obeso sentando naqueles bancos de dois lugares que ficam na frente. Só tinha um espacinho minúsculo sobrando e uma moça bem magrinha sentou lá. Ficou até engraçado um do lado do outro porque parecia que o espacinho que sobrou foi reservado pra ela. Se ele tivesse ficado em pé, além de atrapalhar a passagem até a saída poderia ocorrer um acidente como ele cair em cima de alguém mesmo. Então deixe de ser um cuzão e levante do banco reservado pra obesos se algum entrar no ônibus.

Anônimo disse...

O obeso é obeso pq ele come, nenhum ser humano faz fotossíntese, portanto não tenho obrigação nenhuma de dar meu lugar a uma pessoa que é responsável por seu mal.
Quantas aqui não foi dito que os gordos são saudáveis, se são saudáveis que fiquem de pé no ônibus

Anônimo disse...

Velho também envelhece porque o tempo passa. Deixa o velho em pé porque vc é um cuzão sem educação, babaca e imbecil. E não é pra levantar pra gordo, seu cuzão. Gordo a maioria das pessoas no Brasil são. É pra levantar pra O.B.E.S.O. Já falei que vc é um cuzão?

Anônimo disse...

Agora veja só, a pessoa deve ceder seu lugar a uma pessoa só pelo fato dela ser obesa.
como se eu tivesse culpa dela consumir mais calorias do que gasta, é muito coitadismo mesmo

Anônimo disse...

Anon babaca das 07:40 já ouviu falar em disfunção glandular? Em síndromes metabólicas? Condições de saúde que tem tratamentos caros e/ou vitalícios num país onde a maioria é pobre? Ah, já ouviu falar também que obeso paga imposto e é cidadão? Ao invés de reclamar dos assentos reservados, mané, por que não vai reclamar com o verdadeiro culpado por você ter que viajar em pé no calor do meio dia - as empresas de transporte de ônibus, que diminuem a quantidade de veículos e estão sempre precarizando o serviço à medida que aumentam as tarifas? Ah, é claro, porque é mais fácil reclamar do obeso e do idoso e fingir que está dormindo quando eles entram no ônibus. Babaca.

Anônimo disse...

Anônimas das 08:01 e das 08:12

Ambos tem razão em parte, agora o fato e que a maioria das pessoas obesas não se preocupa com o peço mesmo, além disso eu não acredito que uma pessoa que tem alimentação rigorosamente controlada e faz bastante atividade física, não consiga emagrecer, algumas pessoas ate podem demorar mais para perde peso, mas não conseguir acho impossível.

Anônimo disse...

Lendo os comentários percebi uma coisa, não é o objetivo aqui punir os estupradores e sim quem for acusado de estupro,ou seja, mesmo em um caso de comprovada falsa acusação, algumas pessoas aqui iriam preferir punir um inocente do que expor a verdade.

Anônimo disse...

O que eu acho mais interessante em comentaŕios neste blog é que as narrativas só são fantasiosas quando proferidas, supostamente, por homens. Nos outros casos basta se denominar mulher que é autêntico. Ai, ai...

Cão do Mato disse...

No caso do ex-diretor do FMI, a condição de mulher negra e pobre (além de imigrante ilegal) acabou pesando em favor da camareira. Você acham que o obsessivo sistema punitivo americano iria deixar escapar uma oportunidade de ouro como essa, de mostrar ao mundo que eles fazem justiça em qualquer situação?

Jonas Klein disse...

Anon 10:16

Você quer uma dica? não perde tempo lendo os comentários deste blog, eu ainda leio os comentários aqui de teimoso que eu sou, mas na verdade não vale pena.

Leia só os pestes que já esta bom.

Cão do Mato disse...

Aqui em São Paulo, uma amiga minha que cursa engenharia civil numa universidade particular me contou que uma aluna acusou um professor de assédio, porque ele não quis aumentar a nota dela. Mesmo com outras alunAS depondo a favor do professor junto à diretoria da universidade, a instituição optou por manter a demissão.

Jonas Klein disse...

Cão do Mato

Cara na boa, fica na tua, que eu mudo meu visual "Munique 72" a hora que eu quiser.

Jonas Klein disse...

Anon 10:40

E você não penso nisso ainda? acho bom pensar, pois você não esta colaborando em nada aqui.

Passar bem


Aproposito o meu comentário eu sei que vai ficar o seu já não sei.

Anônimo disse...

Como sempre a sociedade duvidando das vitimas, se ela disse que foi abuso foi abuso para mim e pronto.
E quanto a vocês lidem com isto, a história podre da humanidade sob julgo dos homens validam a palavra das mulheres

Barbara Nunes disse...

Oi Lola.

Eu não sei bem como me comunicar diretamente com você, então decidi fazê-lo por aqui.
Meu nome é Bárbara Nunes, sou editora de video, feminista e sua fã.
Estou vindo aqui pedir sua ajuda para um projeto de uma amiga minha, produtora e roteirista, e também feminista, Marília Nogueira.
Minha amiga está tentando produzir um Prêmio para roteiros de Longa-metragem cuja principal personagem seja feminina.
Para isso ela está com o projeto no Catarse, tentando levantar a grana necessária.

Aqui a introdução do projeto:

"O projeto

CABÍRIA é um prêmio para roteiros de longa-metragem com protagonistas femininas!

Nessa primeira edição podem concorrer roteiros de longa-metragem de ficção com no mínimo uma protagonista do sexo feminino. A seleção dos roteiros será feita por uma comissão formada por 5 profissionais do mercado audiovisual e os 5 roteiros finalistas serão anunciados no dia 8 de março de 2016.
O primeiro lugar recebe um prêmio em dinheiro entre R$10.000 e R$20.000.


POR QUE É IMPORTANTE QUE O CABÍRIA EXISTA?

1 - PORQUE mulheres são quase 50% da população, mas protagonistas em apenas 23% dos filmes segundo pesquisa do Instituto Geena Davis realizada em 11 países – entre eles o Brasil.

2 - PORQUE vivemos uma realidade de desigualdade de gênero - uma hierarquia, onde a mulher tem menos voz, é menos representada, reconhecida e valorizada pelo que faz - e se nada for feito e continuarmos no ritmo de mudança que estamos agora, essa transformação pode demorar 200 anos ou mais para ocorrer.

3 - PORQUE representatividade importa. Considere que aprendemos a nos comportar de diversas maneiras e uma das mais eficientes é o aprendizado por imitação. Na adolescência, por exemplo, nós imitamos nossos ídolos, geralmente construídos pela cultura pop. Assim o que vemos nas telas tem um grande impacto em nossa visão de mundo. Aumentar e diversificar os modelos oferecidos hoje a meninas e mulheres é fundamental. #if she can see it, she can be it!"

Infelizmente estamos nos últimos 2 dias de arrecadação e ainda faltam em torno de 5000 reais a serem arrecadados.
Imagino que você se interesse pela premiação e eu gostaria de convidar você a doar para o projeto e a divulga-lo se possível no seu twitter e/ou por aqui.

https://www.catarse.me/pt/cabiriapremioderoteiro

Obrigada pela ajuda.

Anônimo disse...

Nesse blog nós acreditamos nas mulheres, já basta o resto do mundo pra duvidar.
Quanto ao caso do professor, quem disse que ele não quis trocar nota por outro "favor"? Quem disse que a faculdade não tinha outras queixas e só tomou providência depois dessa denúncia? Quem disse que um bando de trouxas defensoras de homem prova que ele é inocente?
Ainda bem que foi demitido.

Anônimo disse...

É o Jonas tá muito metido!
Se achando D+ da conta. ....
Que foto horrível a dele

Anônimo disse...

Anon das 08:44

pois eu conheço várias.
E tb conheço gordos e magros que comem muito.
Voce já reparou em familia que tem 2 ou 3 filhos mas só um deles é gordinho ?
Já adentrou nessas familias e viu que eles comem quase exatamente as mesmas coisas. E nem é por problema de saúde nao, é apenas diferença entre uma pessoa e outra.
Ou tá achando que nascemos em forminhas ?

Anônimo disse...

Se uma pessoa se alimenta da maneira correta ela não será gorda

Anônimo disse...

Se ela disse que foi abuso foi abuso pra mim e pronto.

Como se nunca na história do mundo não tivesse ocorrido uma falsa acusação de abuso

Anônimo disse...

anon 15:51

repare o mundo a sua volta !!! nao é assim nao !
assim como conheço muitos magros que nao se alimentam de forma correta, e sao magros. ou vc nunca viu tambem ?
acho que vc tem é muita implicancia com gordo.
porque tanto os que se alimentam corretamento, qt os que nao (segundo seu padrao), nao devem satisfação nenhuma pra vc.
é melhor cuidar da sua vida.

Anônimo disse...

Anon,


nao me lembro de obeso ao meu lado em aviao, mas já viajei com obeso ao meu lado em onibus interestadual...inclusive, o rapaz me pediu desculpas por estar invadindo meu espaço. Eu vi o quanto foi uma situação constrangedora pra ele...Me apertou um pouco sim, mas tenho certeza que foi muito pior pra ele do que pra mim. E em onibus circular, ja sentei varias vezes no banco dos obesos quando nao havia nenhum deles, e me levantei sempre que um aparecia. É um direito deles. Eu tenho todos os outros bancos para poder sentar. Porque eles nao podem ter 1 ou 2 para eles ?

E me incomoda muito mais, em onibus ou aviao, quando tem criança chorando (e nao estou falando de bebezinho, que é normal chorar, e sim criança de 1, 2, 3 , 4 anos ) e pais nao fazendo nada... e inclusive já aconteceu da mae pagar 1 lugar apenas pra ela e pra filha de 3 anos (onibus), mas querer suspender o braço da poltrona e tentar encaixar a criança entre nossas poltronas, adentrando no meu espaço.

E para concluir, minha mae tem 80 kg, e é muito saudavel... nunca precisou tomar um remedio de uso continuo, raramente fica doente, come muita salada e frutas, e come até menos que o restante da familia (magros).
Além disso, também faz atividade fisica 3 x por semana.
Agora, vc nao tá achando que eu vou falar pra ela passar fome só pra provar que, se diminuir a comida, qualquer um emagrece ?

Anônimo disse...

Anonima das 16 e 33


Desculpe eu me meter na conversa, mas 80 kg para uma mulher dependendo da altura dela não demais não, outra coisa a relação entre gordura e músculos e outros tecidos no corpo, também e importante para definir se ela e gorada ou não.

Eu mesma sou considerada uma mulher pesada mas sou gorda.

em fim eu achei meio sem noção o ultimo paragrafo que você escreveu.

Suellen

Anônimo disse...

Querida,
Vc foi abusada. Também fui e só descobri quando tinha 25 anos e estava fazendo terapia. AS marcas do abuso decidiram vários caminhos meus, como não achar que merecia amor, respeito, felicidade. Quando aconteceu procurei minha mãe e ela não fez nada. Sua inercia me trouxe a sensação de que eu não era amada, protegida, cuidada. Hj adulta e independente, cuido de mim, descobri que mereço amor e ser amada. Vc tb! Não carregue a culpa que não te pertence. Vc era uma criança, vc agora grande pode cuidar de si.
Fique bem...
<3

Cão do Mato disse...

Anônimo das 12:05, só tenho a lamentar a pobreza dos seus "argumentos"... Pessoas como você não são muito diferentes daquele pessoal que amarrou o menor assaltante no poste lá no Rio de Janeiro...

Anônimo disse...

Cão do mato, só posso lamentar a pobreza da sua comparação.

Anônimo disse...

Quem determina pra si se houve ou não abuso é o sentimento da pessoa abusada e não o suposto parâmetro objetivo do abusador.

donadio disse...

"Cara este teu problema ai com as mulheres"

Jonas, a única mulher com quem esse cara tem um problema é uma tal de Dona Verdade.

Monique disse...

B eu te entendo tive um caso parecido quando tinha 7 anos e me lembro muito bem por que tenho 15, sei que não tive culpa assim como você não teve. Mas saiba que tem pessoas que vão sempre te apoiar e ajudar a superar isso