quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

"A GENTE EVOLUI"

Entrando na faculdade ontem fui falar com o guarda, que é uma simpatia e, na semana passada, estava ansioso pra ver o Profissão Repórter. Fui lhe dar uma caixa de bombons, uma lembrancinha de boas festas. 
É um guarda jovem, bonito, que tentou nos ajudar em 2013, quando tentamos vender o carro (não foi fácil! Parece que nosso Fiat era o único automóvel sem ar-condicionado em toda Fortaleza. Ninguém queria!). 
Ontem o guarda só falou coisas boas. Disse que tinha adorado o Profissão Repórter, que ficou até tarde só pra poder vê-lo. Mas teve que confirmar comigo: 
- Você é atacada assim por causa desse negócio de feminismo?
Eu confirmei. Respondi que era bastante normal, que muitas ativistas recebem ameaças desse tipo. Que infelizmente tem muito cara que odeia mulher, principalmente feminista, e faz de tudo pra tentar nos calar. Que eu não fazia ideia do tamanho da misoginia antes de começar o meu blog. Ele ficou indignado:
- Eu venho de uma cidade pequena, uma cidade conservadora. Mas a gente evolui. 
E ele me explicou como aprendeu a respeitar as mulheres. Disse que tinha perdido um pouco da esperança nos homens, que o futuro tinha que ser das mulheres, que só com mais mulheres na política as coisas iriam melhorar. E, de lambuja, ainda elogiou a lei Maria da Penha. Disse que era muito necessária.
Eu gosto tanto de homens que falam todas as coisas certas!

64 comentários:

Anônimo disse...

"É um guarda jovem, bonito,"

Fala das 'ditaduras' disso, daquilo, em menos de 1 frase citou 2 'ditaduras' (da beleza e da juventude).

O que interessa a faixa etaria e aparencia fisica de tal guarda no contexto da postagem?

Gisele Moreira disse...

Muito amor nesse post!! <3

Julia disse...

Gostei desse guardinha!

Anônimo disse...

S2 S2 S2

Anônimo disse...

Era um guarda bonito


Vc está objetificando o rapaz, em nenhum momento ele se inscreveu em concurso de beleza, como se o mesmo tivesse obrigação de se encaixar nos modelos de uma sociedade opressora. A coerência mandou um abraço

Anônimo disse...

Muito pior que objetificar esse rapaz é esse mascu com INVEJA DA BELEZA DELE.
Deve ser o Marcelo, de tão feio. Não fique com inveja, pobre mascu...

Um dia você vai pegar alguém.

Ezco Musaos disse...

"Vc está objetificando o rapaz, em nenhum momento ele se inscreveu em concurso de beleza"

---> Olha que fofura o mascuzinho se incomodando com a "objetificação" do guarda. Onde que a Lola está julgando o caráter do rapaz por ele ser jovem ou bonito, como vcs fazem com as mulheres? Ao contrário de vcs, nunca vi e com certeza nunca verei, por exemplo, a Lola dizendo que alguém está com o "prazo de validade vencido" depois dos 30, como é hábito de vcs ao julgar mulheres. Experimenta criar um pouquinho de vergonha na fuça, vai.

lola disse...

Só pode ser troll. Dizer que o guarda é bonito e jovem é uma descrição. Não tem nada a ver com objetificação. Dá pra achar um cara bonito sem objetificá-lo, sem estar interessada nele. Quando um dos 2,345,756 trolls chama uma menina ou mulher de baranga, mocreia, gorda, whatever, ele está tentando rebaixá-la através da aparência física -- que não tem a mesma importância pra homem e pra mulher. Ele está dizendo que aquela mulher é imprestável por não ser atraente (pra ele), porque mulher, pra esse cara, só serve para decoração e sexo.
Sem dúvida que não teria mudado muita coisa se eu não tivesse escrito que o guarda é jovem e bonito. Ou melhor, mudaria: os trolls estariam usando outro motivo pra trollar.

Anônimo disse...

ué mas n tem um post aí onde todas se revoltaram pq o cara disse pela net q a mulher era bonita, pq era um site de trabalho, pq a aparência dela n importa, mimimi? nesse caso aí a aparência do cara tb n importa.
vcs podem falar da beleza alheia, mas se homem fala é abuso.

Anônimo disse...

ao lixo virtual das 18:58:

Isso não importa. são coisas diferentes.

lola disse...

Ah vai, mascutroll... Aquilo aconteceu nos EUA e era o LinkedIn, um site / app (sei lá o que é) usado pra trabalho. Se o guarda em questão tivesse colocado seu currículo com foto no LinkedIn e eu ou qualquer outra pessoa fosse lá pra dizer: "Puxa, não me leve a mal, mas você é bonito", o cara até poderia se incomodar -- se bem que o que vc está falando é pura falsa simetria (pesquise). Eu não disse pro cara que ele é bonito. Usei esse adjetivo na descrição aqui. A aparência do guarda de fato é irrelevante. Só incluí porque eu o acho bonito e porque sei que mascu morre um pouco por dentro cada vez que uma mulher elogia a aparência de um homem. A inveja é uma m****, já dizia um adesivo em carro.

Anônimo disse...

O que seria falsa simetria?

Anônimo disse...

Jovem, bonito, cabeça boa e gente fina. Passa o perfil do tomodachi pra gente conhecer, Lola ;-)

Anônimo disse...

Viva a Lola!
Viva o guarda!
Viva o Supremo Tribunal Federal!
:-)

Anônimo disse...

Falsa simetria é quando alguem diz que branco sofre pq é chamado de parmalate, enquanto o negro ja nasce ouvindo que ele parece com macaco, que preto fede e tem cabelo "ruim." Um branco nunca vai ouvir essas coisas...

Luise Mior disse...

Concordo plenamente!

Anônimo disse...

vivaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!

Anônimo disse...

Vivaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Anônimo disse...

Pois é nunca vi mulher usando de termos pejorativos Para com homens nem feministas is max que falam é omis. Agora homem fala balzaca, merdelher, deposit de porra. Entre outros adjetivos que nem na quarta serie EU tinha ouvido. Parece que machismo é pura infantilidade. E tipo aquelas piadinhas sem graça, que a geente nem consegue se forçar a rir.

Anônimo disse...

Quem está reclamando que a Lola citou que o cara é lindo, só pode ser mascu nojento que quer bancar de inteligente, achando que vai provar algo, quando na verdade só está demonstrando a inveja que tem de homens bonitos, gostosos e coerentes. E também existem os não tão bonitos, mas super coerentes e simpáticos, o que já faz eles darem de 10 a 0 em bostas como vocês.

Já vocês são o pior, a escória, são feios por dentro e por fora, de nada se aproveita, são vermes imundos que usam chans para destilarem ódio, e ainda tem a cara de pau de quererem falar de "cuckold", "alpha", "beta" ou qualquer outro termo que só os alienados entre vocês usam. To rindo só em saber que vocês em sua esmagadora maioria são ainda mais mongóis que o tal de marcelo, kkkkkkkkkkk.

Anônimo disse...

Que coisa patética! Tentam se agarrar a qualquer coisa pra tentar desqualificar a Lola e não conseguem. É muito se sentir ameaçado pelo feminismo ou muita falta do que fazer, ou os dois.
Aceitem. As coisas estão mudando. Mulheres, negros e gays cada vez tem mais voz. O mundo não vai voltar a ser o que era antes e preconceituosos vão ficando cada vez mais pra trás.
Cambada de gente estúpida.

Anônimo disse...

Errado...abandonei a escola com 13 anos por ser branco demais.Era rotulado de lesma...barata albina...coisas assim

Anônimo disse...

E desde quando homem amadurece?

pp disse...

Lolinha musa, fiquei muito feliz com o programa! Bom demais a Globo mostrar isso. Os profissionais estão de parabéns (no mínimo interessante eu estar elogiando a Globo).

Mudando de assunto, vc gosta de star wars? Para não dar spoiler digo apenas: fui em uma das primeiras sessões do filme, e escutei a plateia aplaudir um ato da protagonista fodona. Lembrei de vc na hora. A luta das feministas no mundo tem resultados!

Anônimo disse...

Da até preguiça de falar vom mulheres que defendem igualdade pra macho! Cê tem certeza do que está falando? O mundo ja é deles ha milênios... Tudo funciona no modo "default" masculino. Criado por eles e para eles, entendeu? Acho que você não sofreu o suficiente nas maos deles pra nao sóentender, como tb sentir a dor do lugar que nos é dado na sociedade. Um lugar subalterno, da exploraçao sexual, econômica , psicologica e emocional, do desprezo e silenciamento. Nao tenho pena de homem não. Achar um homem bom e que nao use seus privilegios contra uma mulher, na hora em que ele precisar, é raro. Raríssimo. Muito raro.

Anônimo disse...

barata albina kkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

To contigo, 00:28.

Anônimo disse...

Lola,

eu adorei a postagem de hoje.
Eu estava naquele dia ruim, daí entro aqui e vejo esse relato... me dá uma esperança nas pessoas.
Parabéns !!!

Anônimo disse...

Anon das 18:01, objetificação seria se ela tivesse descrito mais ou menos assim: O bofe era alto, másculo, exalando testosterona pelos poros, e o tamanho da mala era demais. O uniforme de guarda o deixou mais gostoso e viril ainda. Tendeu a diferença?

Marcia disse...

Ah os trolls invejosos... Amigo, melhora essa auto estima, tá precisando. Se você está com inveja de quem a Lola elogia, é por que a opinião dela muito lhe importa, olha só que coisa...
Vem cá, tem como ser feio uma pessoa com tamanha empatia? Generosidade é uma das qualidades que embelezam imensamente qualquer pessoa para mim.

Anônimo das 00:28, mulheres tem experiências diferentes. Nem todas nós sofremos o mesmo, nem todas nós vamos generalizar a experiência negativa com alguns homens para todos. Depois do que a Lola passou esse ano não creio que ela fale sobre homens sem conhecimento de causa do lugar subalterno que o machismo destina às mulheres. A questão é que a resistência sempre existiu, e no que depender de todos nós vai continuar existindo e cada vez mais forte.

Por fim, Lola queridona, deixa eu contar a minha história bacana de respeito masculino?
Tive um problema sério em sala de aula outro dia, resumindo: um mascu troll me ameaçou de morte, e disse que me faria abortar se eu estivesse grávida. Motivo? Discordei da posição dele sobre legalização do aborto.

Agora no final de semestre foi abordada por outro aluno que disse que queria me pedir perdão. Eu perguntei: mas por quê criatura, não foi você que me agrediu. Ele disse que se sentia responsável. Que se todos os homens se calassem sobre o absurdo que é ameaçar uma mulher por seus pensamentos, então todos eles endossariam o agressor. E ele não podia conviver com isso, seria antiético da parte dele. Ah, agradeci e fiquei orgulhosa. Achei fofo e maduro da parte dele se importar em não ser visto como mais um mascu babaca. A sociedade ensina as pessoas a odiarem, mas oh: a gente sempre pode aprender sobre empatia e responsabilidade.

Raven Deschain disse...

Pois pra mim, só desse cara estar tentando melhorar, já é o homem mais lindo do universo.

"A gente evolui".

Vou tatuar isso na testa.

Ezco Musaos disse...

"Errado...abandonei a escola com 13 anos por ser branco demais.Era rotulado de lesma...barata albina...coisas assim"

---> Fazendo de conta que essa tua história é real: se vc é albino, vc não está no padrão dominante, vc faz parte de uma minoria também, assim como negros, lgbt, indígenas... enfim, o fato de vc ser discriminado por ser minoria deveria ser motivo para ter empatia por grupos oprimidos e lutar contra o preconceito, não pra se tornar um escroto misógino, um mascu. É só raciocinar um pouco.

Anônimo disse...

Viva a Lola! ²
Viva o guarda! ²
Viva o Supremo Tribunal Federal!²
:-) ²

Anon das 23:28 eu sou branca também e na escola era rotulada de piolhenta, fedida, sapatão, roubavam e quebravam as minhas coisas, os bullies que me perseguiam (todos homens e machistas) me assediavam sexualmente e adoravam me humilhar diante dos outros alunos. Mas meus pais não me deixaram sair da escola então tive que me virar. Xingava um, ofendia outro, já sentei porrada num bullie que nunca mais nem me dirigiu a palavra. Seu bullying não foi racismo, o que você sofreu não chega NEM PERTO do que uma pessoa negra sofre - não só na escola mas em todo e qualquer lugar, até mesmo num shopping. Você não pode comparar bullying de adolescentes bostas, por mais que seja doloroso (falo por experiência própria), com todo um sistema de opressão e exclusão social institucionalizado e apoiado por uma sociedade extremamente racista.

Anônimo disse...

Anotroll 20:22 17/12

PESQUISE (2)

Ezco Musaos disse...

OFF-TOPIC

Fui pesquisar sobre o tal caso Fabíola e o absurdo é chocante. O que são aqueles comentários, muita gente pedindo pena de morte pra "vadia adúltera", que é isso? Estamos na idade média e não me avisaram? Como diz o ditado, a curiosidade matou o gato, da próxima vez que surgir um meme do tipo, é fazer como sempre faço e ignorar.

Anônimo disse...

Se algum burro ainda acredita que os homens oprimem as mulheres, vou transcrever o conteúdo do link http://br.blastingnews.com/brasil/2015/12/fabiola-da-unha-ficou-sem-esposo-e-amante-que-foi-com-mulher-para-miami-00699465.html

Vejam a diferença das consequencias para o homem e para a mulher. É JUSTO??? E a sociedade ainda cobra que a esposa perdoe o marido traidor:

"Fabíola da unha ficou sem esposo e amante, que foi com mulher para Miami

'Leo', o 'Ricardão' da Fabíola teria sido perdoado por esposa e preferiu viajar para exterior.

Fabíola da unha ficou sem esposo e amante
Fabíola da unha ficou sem esposo e amante
Publicidade
O romance extraconjugal de Fabíola Barros, a moça que mentiu dizendo que iria fazer as unhas, mas foi parar em um motel com um amante, não deve mesmo ter continuidade. Depois que um vídeo com as imagens do flagrante foram parar na internet, a bancária estaria trancada em casa. De acordo com a advogada dela, Fabíola ficou muito fragilizada com tudo. De acordo com uma reportagem do R7 publicada nesta quarta-feira, 16, 'Leo', o 'Ricardão' pego no flagra teve um final diferente. Ele teria sido perdoado pela esposa e os dois decidiram fazer uma nova lua de mel, em Miami, nos Estados Unidos. Como não perdoá-lo, né?

O casal irá passar um tempo na terra do Tio Sam esperando o povo de Belo Horizonte, em Minas Gerais, esquecer o episódio de traição. Envolvendo inicialmente quatro pessoas, a trama é digna de uma cena de nova. Léo é irmão do genro de Fabíola. Além disso, ele era o melhor amigo de seu marido, Carlos Eduardo. Ninguém com certeza ficou bem nessa história. O caso ganhou repercussão depois que um amigo do traído filmou as imagens e elas foram parar na internet. Por ter desviado o caminho da manicure para o motel, a situação virou piada.

Antes da descoberta, Fabíola e Léo sempre demonstraram uma amizade. Ele gosta de ostentar tudo o que tem na internet e segundo o R7, não vai cobrar pelo prejuízo que teve em seu carro. No vídeo, o marido da bancária aparece destruindo o veículo de forma furiosa. Chamado de "gordinho gostoso" nas redes sociais, Léo aparece em imagens ao lado de carrões e até perto de helicópteros, basta saber se tudo é dele mesmo. Mas ao que parece é, já que ele é um rico empresário da região.

Carlos Eduardo já estaria desconfiado do relacionamento de Fabíola com Léo. Ao lado do amigo, que não teve o nome identificado, ele decidiu sorrateiramente perseguir o casal. O desfecho da história terminou na recepção de um motel e divulgado na internet para todo o mundo. As publicações sobre o caso tem milhares de acessos na internet. É bom dizer que agressão e destruição de patrimônio alheio é crime. "




Anônimo disse...

Dá uma esperança quando a gente encontra homem assim né? Ainda mais sendo jovem. Corta meu coração quando vejo gente nova reproduzindo merdas e tendo uma vida inteira pra reforçar essas merdas em si, ter filhos, ensinar pra eles e passar a maldição do chorume social para as próximas gerações.

Ezco Musaos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ezco Musaos disse...

Sei que é a realidade, sei que é uma obviedade dizer isso num blog feminista, mas é impressionante como casos assim mostram o quanto ainda estamos afundados na misoginia.

Anônimo disse...

PELO AMOR DE DEUS, GENTE!

Lola não estava objetificando o rapaz! Eu entendi perfeitamente que só eram características.


No mais, Lola, já te mandei um e-mail agradecendo o ataque que fizeram em seu blog. Com ele, foi o maior reboliço nas redes sociais e eu te descobri (ainda bem!) Nunca cansarei de te agradecer. Em pouco tempo, me sinto humana e mais consciente.

Desejo um ano novo incrível para você e maridón. Sejam sempre felizes e cheios de saúde. 2016 tá chegando e espero que venha com tudo!

Beijos grandes

Anônimo disse...

Ela não objetificou ninguém, isso é óbvio,mas se fosse um homem contando uma história e começasse dizendo que determinada funcionária é bonita?

Anônimo disse...

Se fosse o contrário, seria objetificação. Nesse caso, não é. Engole o choro machista nojento.

Anônimo disse...

Olá.
Como posso comentar anonimamente, resolvi expor minha vida e meu pensamento aqui sobre mulheres, feminismo e machismo para seus julgamentos. Talvez alguém me ilumine e me passe uma perspectiva que possa me fazer mudar de ideia.

Ao longo da vida fui me tornando machista, apesar de não sentir ódio de feministas ou mulheres como gênero. Vou explicar como cheguei aqui.

Sou homem, pobre, feio, introvertido e deficiente físico. Cresci com uma irmã 1 ano mais nova do que eu. Durante toda minha adolescencia fui humilhado pela minha irmã, diariamente ela me chamava de feio e falava que ninguém ia me querer, enquanto ela era bonita e sempre saia em grupos de pessoas 'descoladas'. Isso doía demais, sentia uma dor no peito e uma humilhação tremenda ao ouvir aquelas palavras, minha auto-estima foi ao chão. Soma isso ao fato de minha irmã não respeitar meus pais, agredir física e emocionalmente minha mãe doente mental fui desenvolvendo um ódio mortal por ela.

Já na vida adulta, quando comecei a me tornar mais social e a sair, tive um choque de realidade muito forte, o mundo real sobre relacionamentos era totalmente diferente do idealizado e mostrados em novelas e filmes românticos. As meninas que eu me interessava nunca se interessavam em mim, elas sempre iam nos rapazes mais destacados daquele círculo social. Num determinado círculo social mais pobre, elas iam nos funkeiros que possuíam carros rebaixados com somzão. Num outro círculo mais rico, elas iam nos playboys que farreavam todos os fins de semana. Eu não conseguia me destacar em nenhum círculo social que frequentava com minha personalidade e meus interesses e sempre era rejeitado pelas meninas de meu interesse.

Até então eu não era machista, apenas acreditava que não tinha encontrado a mulher certa que gostaria de mim e nos conectariamos. Acreditava que deveria continuar procurando e que eu apenas dava azar. Até que um dia, num debate na internet sobre feminismo/machismo e idealizações, fui exposto a uma perspectiva que explicava toda a minha situação.
Passei a acreditar em algumas explicações de funcionamento das mulheres e homens que são consideradas machistas.

Quando comecei a simular destaque social, comecei a atrair algumas garotas que eu tinha interesse, o problema é que aquele destaque social simulado não era o meu eu verdadeiro.

Meu eu verdadeiro, que acredito que devo construir algo de valor através do trabalho e esforço, que é introspectivo e gosta de ficar em casa, que gosta de aprender coisas e gostaria de aprender com alguém do meu lado para dividirmos as conquistas, que é carinhoso e quer construir um relacionamento saudável de forma geral, não atrai ninguém por ser feio, pobre, deficiente, pardo, etc.

Já perdi as contas de quantas vezes mulheres já fizeram cara de nojo para mim e corriam para os rapazes destacados.

Talvez minha visão esteja errada? Talvez minha perspectiva falhe em alguma amostragem pequena da realidade? Eu quero acreditar que sim, mas infelizmente minha experiencia não deixa.

Anônimo disse...

Vc inventou isso, fala a verdade

Anônimo disse...

Bom, está bem claro que você não estava atrás de uma namorada, mas de um tipo de mulher específico idealizado por você da qual você achava que tinha direito sobre.

No meu círculo de amigas ninguém vai atrás de "funkeiro" e "playboy". Namoramos vizinhos, colegas de escola/faculdade.

Se você quer um tipo específico de mulher corra atrás de dar o que elas querem, assim como as que gostam de playboy correm atrás de dar o que eles querem. Assim ambos se atraem entre si.

Você não merece nada apenas por ser homem.

Fim de caso.

Qual o próximo mascu chorão que vai aparecer aqui agora?

Anônimo disse...

Anon das 10:59 você diz que é feio, pobre e deficiente físico, além de ser machista. Mas mesmo sendo feio, pobre e deficiente físico você quer uma loira, bombada, do cu rosa capa da Playboy. Bom, você vai ter que oferecer o que esse tipo de mulher quer. Elas querem caras bombados e ricos? Querem caras que vão pra academia com elas malhar? Que as acompanhem nas baladas e micaretas? Que saiam com o grupo de amigos? Que pague o jantar sem reclamar? Que seja bonito? Então você vai ter que virar esse tipo de homem. É simples.

Anônimo disse...

10:59, comece a sair com garotas de programa, é o jeito para um fracasso como vc, incapaz de se relacionar com as pessoas.

fernanda melo disse...

To triste pela Fabiola de verdade. Eu ja fui traída e sei como doi e ainda todos queria que eu perdoasse. Nunca nenhum homem teve a vida destruída dessa forma por ter traído uma mulher. Agora essa Fabiola que nem conheço será que ela vai ter direito de recomeçar a vida? Por que tem muito criminoso de verdade solto por ai que não teve nem metade do linchamento moral que ela teve. Quando eu fui traída nem cogitei tanta vingança. Mas ai da mulher que ousar trair. Vai se ver com o mundo inteiro.

Anônimo disse...

Eu não sou incapaz de me relacionar com as pessoas. Frequento e faço parte de diferentes círculos sociais.

Não quero loira como você presumiu. Eu tentaria um relacionamento com qualquer mulher que quisesse tentar um comigo.

Agora entendi que o mundo dos relacionamentos é um mercado, as mulheres são divididas em tipos e cada uma exige algum nível de 'destaque social' ou atributo específico para aceitar a se relacionar com algum homem.

Infelizmente o meu combo de 'qualidades' não oferece 'qualidades sociais' a nenhum tipo de mulher que eu já cruzei na vida.

Algumas mulheres sentem atração por homens ricos, outras por bonitos, outras por artistas, outras por esportistas, outras por criminosos. Enquanto qualidades que eu cultivo e aceito como qualidades, como cuidar da mãe doente e da tia idosa, ser responsável, trabalhar honestamente, ser pacífico não-violênto, praticar filantropia, não são características de valor para a maioria das mulheres.

E é aqui que eu lamento. Boa parte delas valorizam coisas que não deveriam ser valorizadas.

No meu bairro mais mulheres se sentem atraidas e buscam relacionamentos com o traficante, que é poderoso e anda armado e possuir carrão, do que com um rapaz trabalhador, responsável, maduro, com ambição para o futuro e que queira um relacionamento pacífico e de benefício-mútuo com alguma mulher.

Quantas vezes vi mulheres escolherem o homem violento-machão em detrimento do bonzinho pacífico, sendo essas características as principais diferenças entre eles?

Não estou condenando o comportamento de critérios seletivos da maioria esmagadora de mulherers que conheci, apenas lamentar a natureza humana nessa questão. Se o mundo fosse como nos filmes, seria sem graça também né?


Sobre sair com garotas de programas, não vejo sentido nisso, não me sentiria bem fazendo sexo com alguém quer não quer fazer sexo comigo e o faz apenas para receber dinheiro.

Anônimo disse...

Awnnt que gracinha de homem, olha só ele, sendo todo um ser humano minimamente decente. <3
Vamos dar um cookie pra ele.

Sério, eu não sou rad maaans... the bar is too low, gente. E 90% dos caras ainda conseguem passar debaixo dela, impressionante. Bora exigir mais.

Anônimo disse...

Anon das 14:57 digo e repito: cada pessoa valoriza algo diferente. Ou você começa a frequentar outros lugares pra encontrar mulheres que valorizem as suas qualidades ou começa a mudar pra se encaixar nos desejos das mulheres que te cercam. E antes de fazer qualquer uma dessas coisas, você tem que deixar de ser machista. Você só fará as mulheres infelizes-e a maioria vai se afastar mais de você por ser machista-em uma relação se você for machista.

Anônimo disse...

"18 de dezembro de 2015 10:59"

Até parece que esse linguajar PUA engana alguém. Volta pro The Sims e celebre um casamento gay.

Anônimo disse...

Exame de DNA é contra as regras da natureza. Mulheres são poligâmicas e os filhos devem ser providos, não importa quem é o pai. O mundo está de pernas pro ar, as pessoas não dão importância ao que realmente é importante.

Exame de DNA deveria ser proibido por lei.

Anônimo disse...

Pra homem bacana, gente fina e de cabeça boa eu não dou, eu distribuo <3

Anônimo disse...

Cara Lola, como disse anteriormente, não posso revelar meu nome por temor. Mas esse logo deve aparecer, por mentiras, montagens e ou recortes fora do contexto. Peço que tome providências imediatas nesse caso, por favor. Aos meus onze anos, passei a me interessar por páginas monarquistas, chegando a me declarar uma logo depois. Assim permaneci até os meus quartoze anos, quando amiga minha de mesmos ideais declarou-se comunista. Brigamos feio. Foi totalmente imbecíl e inútil. Logo comecei a questionar dentro dos grupos nos quais me via no momento. Começou O erro meu, sendo chamada de cadeia, horrorosa, narigudo, vagabunda, desempregada, petista, usuária de Bolsa Família e o que mais um bando de macacostume pudesse inventar. Um ADM do grupo Humornarcando a Monarquia organizou tópico para decidir a minha permanência no grupo. Foi um verdadeiro clubinho contra minha pessoa, com xingamentos e acusações para todo lado, eu nem imaginando. Avisada por um amigo, entrei me defendendo imediatamente. O jogo virou e a votação ao meu favor venceu. O ADM ignorou o resultado e me baniu. Como se fosse pouco, espalhou meu nome como de uma "pessoa retardada" para inúmeros grupos, pessoas e páginas, comentou muito de mim pelas costas e fez várias acusações constrangedoras posteriores. Em grupos mistos de debates políticos, comecei a ser silenciada. Diziam que os ataques vinham de minha parte, mas mesmo quando questionava se os EUA era um lugar seguro para estudos ou qual "monstro lovecratiano" era o preferido do pessoal (o grupo não era inteiramente sobre política), me atacavam de graça. Colocaram o meu nome com foto no Avaaz, site de petições internacional, para me retirarem de grupos do tipo. A descrição era "metralhadora de bosta". Lola, se acharem esse vestígio de brincadeira babaca em uma futura entrevista de... emprego? O que faço? Eu tinha formado meu próprio grupo misto. Cuidava dele, junto com os meus amigos que selecionei para me auxiliarem na manutenção e administração. Cinco monarquistas começaram uma irritadiça fala de que me portava feito uma ditadora. Eu, que só levou socos verbais dos mesmos e que até então só tinha banido um irmão de minha nova ideologia. Desafiando um dos acusadores a me aceitar em um de seus grupos com a mesma liberdade que o mesmo tinha no meu, logo este, da Biblioteca Monarquista me pediu fotos "quentes". Eu tenho 16, ele tem 25 (corrigindo a idade). Cortei o contato com o mesmo, avisando ter um namorado e permaneci no grupo, onde fui ameaçada de um estupro, por um homem que tinha como capa sua família. Esposa e filhas compartilhando a existência com esse ser. Coletei alguns relatos de reais estupros e violências por conta de monarquistas, porém abafados pela falta de credibilidade na permanência dessa ideia que deveria ter ficado para trás em 1889. Estou fora do Facebook hoje. Lutei quase sozinha contra eles e sinto que perdi. Vi que ganharam audiência na Veja, Época, Folha de São Paulo, The Huffpost e sinto dores mentais. Conheci um grupo de cavaleiros respeitáveis de jovens e idosos e conheci os cães raivosos, sem argumentos, com inúmeras imagens e sites monarquistas ausentes de confiança, capazes de silenciar qualquer um que se diga feminista, esquerda ou simplesmente questionadora. Fizeram um ato em sete de setembro no Twitter. Peço que suba uma hashtag #FodaSeMonarquia. Só gostaria de ver que não foi tudo em vão, esse sacrifício de minha vida social na rede.

Anônimo disse...

Menina da monarquia, o que exatamente você quer que a Lola faça? Que "providências" ela tem que tomar? Você poderia postar essas "audiências" que eles ganharam na Veja, Época, Folha? Existem matérias publicadas? Por favor, disponibilize aqui.

Não precisa subir hashtag nenhuma porque todo mundo está se fodendo pra monarquia mesmo. Ninguém sabe nem que existe monarquista no Brasil.

lola disse...

Pois é, moça da monarquia. Me mande um texto mais detalhado, alguns links, a informação que vc conseguir, e eu tento publicar um guest post seu, ok? Meu email é lolaescreva@gmail.com

Anônimo disse...

Deixem a hashtag de lado, que seja, só repostei. Providência é apagar mascus e monarquistas querendo revelar meu nome. Vou te mandar uns links sim. E vou ver se consigo prints relacionando mascus e monarquistas too! :)

Fatima disse...

Que resposta perfeita. O cara acha que é só ficar parado ali que as mulheres vão cair matando. Chola não...

Anônimo disse...

10:59, não é que >>>>mulheres<<<< procuram o macho alfa max provedor e não ligam pra >>>>caras bonzinhos, introvertidos, filantropistas que cuidam da mãe<<<<. É que ninguém, nem homem nem mulher aguenta essa crista de "ser humano melhor que vocês, ó, pessoas vazias!" enquanto choraminga que está sozinho. Na boa, espero que seja um choque de realidade que te faça acordar: as mulheres não ficam com você porque você é chato. Não é porque TODAS elas procuram o cara bonito, sarado, com status, dinheiro e o caramba a quatro e dá-lhe guerreiros de um real e a teoria do macho alfa que come 80% das mulheres. E você é chato não porque você é introvertido, trabalhador e cuida da sua mãe (curiosamente, meu namorado encaixa nesse perfil), você é chato porque você julga que sendo introvertido, você é mais sábio e complexo do que o grupo extrovertido. Você é chato porque se julga como uma das poucas exceções de "pessoas trabalhadoras" - mesmo tendo certeza que a maioria das mulheres de quem você fala se interessa por um cara que trabalha e/ou estuda, você julga o seu trabalho e seu modo de fazê-lo como mais nobre, mais verdadeiro, mais digno. Você é chato porque se auto intitula um "cara bonzinho e simpático", mesmo que admita que tem "concepções machistas sobre relacionamentos": você não é bonzinho e provavelmente não é simpático. Você é chato porque quer que as pessoas te reconheçam como caridoso e magnânimo por cuidar dar sua mãe, em vez de fazê-lo apenas por achar certo. Resumindo, você é chato porque na verdade não faz as coisas por altruísmo, mas sim por reconhecimento. E tem inveja de que pessoas, no seu julgamento, menos nobres e dignas que você, recebam as recompensas que você acha que te caberiam.

Anônimo disse...

É.... Só que o sentimento que me despertou foi o de ódio e vontade de matar...preferi abandonar a escolar e sete anos apos fiz o supletivo do 1 e 2 graus e entrei na universidade ...por isso não acredito qdo se fala em preconceito contra negro num país que negro usa camisa 100% negro ou contra mulher onde mulheres tim ministério delegacia da mulher etc

Anônimo disse...

12:09 Sério? Reflita sobre porque negro usa camisa 100% negro e porque foi criada delegacia e ministério da mulher :)

Anônimo disse...

12:09, fez bem em fazer supletivo porque você é burro de doer.
Não presta atenção nas aulas de história tem mais é que fazer supletivo mesmo.

Anônimo disse...

00:12, contanto que ele coma bem e a moça faça propaganda pras amigas. Homem assim tem que ser compartilhado porque é raro kkkkk