quarta-feira, 28 de outubro de 2015

GUEST POST: O TEMA DO ENEM ME FEZ RECORDAR TODA A VIOLÊNCIA

Eu ia publicar um outro texto hoje, mas acabei de receber este. E, por coincidência, no Twitter me enviaram agora mesmo uma reportagem incrível que o Jornal do Almoço de SC, da RBS, fez sobre o tema da redação do Enem. 
Então acho que ainda é hora de falarmos sobre este grande acerto que foi a prova do Enem, que trouxe um problema tão importante (e que não deveria ser visto como "pauta unicamente feminista") como a violência contra a mulher para ser pensado e discutido por todos. 
Fiquem com o texto da Fabiana:

Oi Lola, sou leitora do seu blog desde 2010, te descobri por acidente, comentava BBB num blog, uma das comentaristas tinha um blog que não tratava disso e lá tinha o link pro seu, achei o nome engraçado, fui ver do que se tratava, comecei a ler e viciei. Na época fazia pós-graduação num curso de exatas e era a única mulher da turma. Seus textos ajudaram a manter a minha serenidade em meio ao mar de machismo que era o meu departamento.
Hoje sou professora numa universidade federal no interior do meu estado, dou aula pra uma turma de calouros e muitos fizeram a prova do Enem este ano, e na segunda-feira ouvi muita reclamação sobre o tema da redação. 
Teve um aluno, com o qual já havia discutido por ele ofender, em nível pessoal, a presidenta, que disse que eu teria gostado do tema porque só as feministas gostaram, que até as mulheres normais, palavras dele, estavam reclamando. 
E segundo ele a violência era geral e nós não temos por que reclamar. Que ele não conhecia nenhuma mulher que já havia sido assediada.
Nesse momento desisti do assunto da aula e fui tentar lembrar dos assédios que já sofri nessa vida. Na hora foi fora de ordem e até me surpreendi, não imaginava que havia passado por tanta coisa. Resolvi listar:
1) Estava na primeira série do colégio, tinha por volta de 7 anos, e um colega me beijou à força, fiquei desesperada achando que engravidaria;
2) Tínhamos 10 anos, 4 amigas. O esposo da nossa professora, também professor, disse que queria trocar uma de 40 por 4 de 10. Só percebi o teor sujo da piada muitos anos depois. Eu o adorava, escolhi ser professora da mesma disciplina que ele porque ele era o professor mais legal do colégio. Não, não era!
3) Cresci um pouco, cerca de 11 anos, e voltava sozinha do colégio, passava por um ponto de táxi onde o meu vizinho, um senhor já grisalho, fazia ponto, e sempre ouvia alguma gracinha dele. Tipo, ele me viu crescer sentada no chão da casa dele bordando junto com minha mãe e a esposa dele... 
4) Cresci mais um pouco, entre 13 e 15 anos, mudei de escola, e para ir e voltar do colégio ia pelo caminho mais longo, porque no mais curto passava por dois assediadores, um dizia que eu era linda e que iria casar comigo, o outro dizia coisas que não tenho coragem de reproduzir nesse texto.
5) Cheguei no ensino médio, estudava em outra cidade, íamos num ônibus escolar e tinha amigos, um deles um belo dia, do nada, resolveu se despedir de mim apertando meu seio. Na época eu tinha namorado, o amigo ligou pro meu namorado pra pedir desculpas pelo que fez comigo. Fiquei com um amigo a menos, não  fez falta.
6) Ensino Médio, viajamos com a escola, numa atividade interdisciplinar de história, geografia e biologia. Tinha que tirar algumas fotos do solo e enquanto me curvava para tirar fotos do chão, o professor de história fotografava meus seios. Só soube anos depois conversando com o colega da época, que me contou como se fosse natural.
7) Passei no vestibular, fui pra capital. Atravessava a cidade em um ônibus lotado para assistir aula de desenho geométrico, andava com uma pasta enorme para levar o papel A3 que usava na aula, e tinha um compasso. Um belo dia um sujeito estava roçando em mim. Tirei o compasso da pasta e enfiei a ponta seca na perna dele, ele se afastou. Por um momento achei que tinha triunfado, depois percebi que ele poderia ter me agredido ainda mais por causa da minha reação.
8) Ainda na graduação, viajando para passar o final de semana em casa, duas horas de viagem, cochilei no ônibus e acordei com uma sensação estranha. Não era sensação -- tinha um sujeito sentado no meu lado alisando a minha perna. Não viajo mais sentada na poltrona da janela.
9) Mudei de estado, fui morar num pensionato feminino. No primeiro café da manhã uma garota me avisou que caso alguém jogasse uma castanhola na minha janela não fosse ver o que era, era um tarado que ficava se masturbando em frente ao prédio. Um dia decidimos ligar para a polícia e o policial riu da nossa queixa.
10) Voltando para casa, ônibus lotado mas um lugar vazio, próximo à janela, do lado de um rapaz. Sentei-me, ele prontamente pôs seu pênis pra fora e começou a se alisar. Levantei -me, fiquei o mais longe que podia e nunca mais me sentei numa poltrona vazia de um ônibus com pessoas de pé.
11) Fui morar sozinha, contratei uma empresa que se dizia séria para levar minhas coisas do pensionato para minha casa nova. O responsável pelo frete ao perceber que eu era solteira e ia morar sozinha se ofereceu para dormir na minha casa caso eu tivesse medo.
12) Tive que fazer queixa ao dono do mercado onde comprava água porque o entregador, todas as vezes que ia me levar água, me cantava. Ele justificou o funcionário, afinal ele era homem e eu era uma mulher solteira morando sozinha. Meus amigos passaram a ir buscar água pra mim.
13) Morava num extremo da cidade, e estava indo pro outro extremo para uma entrevista de emprego, de manhã cedo, ônibus lotado e fui encoxada, não conseguia me livrar do assediador e não tinha mais a ponta seca do compasso para me salvar. Fui para a entrevista me sentindo muito suja.
14) Mudei de novo, cidade do interior, fazendo aula de direção. Sem querer passei direto por um quebra-molas, o instrutor reclamou e disse que por isso não gostava de dar aulas a mulheres. Mudei de instrutor, o novo se ofereceu para ser meu motorista particular, levei como piada, disse que era professora, não tinha como pagar, ele me disse que tinha outras maneiras de pagar sem envolver dinheiro. Mudei de instrutor de novo.
Isso que me lembrei, no meio da aula, dentro dos meus vinte e poucos anos. Detalhe: desde que entrei na universidade engordei mais de vinte quilos e há muito tempo estou longe de estar dentro dos padrões de beleza. Outro detalhe: desde que mudei de estado sou evangélica e só uso saia abaixo do joelho e blusas de manga sem decote. 
Esses detalhes são para dizer que não, esses homens todos não me assediaram por que estava com roupas provocantes e não, eles não me assediaram porque tenho um corpo tão lindo que eles não resistiram. Eles me assediaram porque sou mulher e estava sozinha, logo não tinha dono e portanto era de todos. E sim, sei que daqui a algum tempo essa lista estará maior, será acrescida dos novos assédios, e dos antigos, que sairão dos limbos da memória.

138 comentários:

Senhorita F. disse...

Leio o post e me dá um puta nó na garganta pensando em tudo que já passei também...

Anônimo disse...

O que adianta as feministas quererem punir os agressores, se as agredidas nao o fazem? Precisa de representaçao pra haver processo.

Rafael Cherem disse...

Uma coisa me chamou atenção foi o fato da autora ser evangélica, isso mostra que assédio e violência contra mulheres é um tema além de fronteiras ideológicas e religiosas.

Anônimo disse...

Queria muito saber como se faz pra denunciar um sujeito que passou a mão na bunda de uma mulher e saiu correndo. "A culpa é da mulher que não denuncia", " a mulher que continua com o agressor é cúmplice ". Estamos falando de abusadores de rua! Que abordam meninas que tão passando e depois somem no vento. Se é difícil dar crédito a uma mulher que sofreu estupro e é capaz de identificar o agressor, vcs acham mesmo que a polícia vai investigar encoxada em ônibus? Ah, faz favor!

Neli Rodrigues disse...

Qdo vi o tema de redação do Enem já sabia que ia ter post sobre o assunto aqui no seu blog.
Tb concordo com vc, não acho que seja um tema feminista, é uma tema humano, como podem achar que violência doméstica contra a mulher, seja feminismo?
E que repercussão que tudo isto deu nesta semana nas redes sociais, juntamente com o caso da menina de 12 anos no MasterChef Junior.
Acho que a sociedade deve ter parado pra pensar.
Bjs

@vbfri disse...

Quando eu tinha 19 anos (era virgem), uma amiga minha, que morava em outra cidade, me mandou um presente por intermédio do pai dela (político respeitado, semi-famoso, professor-doutor em direito). Eu fiquei super feliz. Primeiro pq era um presente de uma das minhas melhores amigas, segundo porque eu ia ter a oportunidade de conversar com o pai dela, um professor universitário, político, coautor de leis penais, sobre direito! Nossa! Que legal!

Um ou dois dias antes dele vir, ele me ligou para marcarmos para eu ir buscar o presente com ele. Até aí, tudo normal. Ele me contou um pouco sobre questões jurídicas, algumas histórias da universidade, enfim.

Chegou o dia de encontrá-lo. Fui para o hotel onde ele estava hospedado, nos conhecemos, peguei o pacote. Na saída, ele me falou que estava a caminho de um evento, que ficava relativamente perto. Perguntou se eu poderia lhe dar carona.

Disse que sim. Afinal, pai de uma grande amiga minha, tal.

A caminho, ele, conversando, colocou a mão na minha perna. Assim, como quem não quer nada. Gelei. Aí o carro em movimento, ele começou a subir com a mão. Tirei a mão dele. Ele voltou a conversar e colocar a mão na minha perna. Continuei tirando.

Aí o que foi que ele fez?

Colocou a mão entre os meus seios, segurando o cinto de segurança.

Fiquei sem reação. Até chegar ao local do evento e deixá-lo lá.

Aí eu pergunto.

Imaginem vocês que eu saísse e fosse à delegacia. Nenhuma marca. Só a minha palavra contra a dele. Iam acreditar em QUEM???? Na menina de 19 anos ou no político renomado, professor doutor de direito penal?

Vai. Fala.

"Ahhhh, você deveria ter parado o carro". Ah é? E feito o quê? Vou tirar um cara de uns 130 kg do meu carro, quando eu mesma pesava 50? Vou tirar ele à força? Vou parar o carro e começar a gritar feito uma louca? Vamo todo mundo pra delegacia comigo fazendo escândalo e dando uma de "a louca"? (pensando bem, era isso o que eu faria hoje).

Poxa, mas ele era o pai de uma amiga minha. Uma das minhas melhores amigas... E ele um homem "de família", "renomado"...

Em quem a galaera ia acreditar? Quem? Quem????

Anônimo disse...

E os trolls imbecis (perdão pelo pleonasmo) estão aqui novamente. Quanto medo de mulheres que não se calam, não é mesmo? Vai ficar pior para vocês, podem apostar.

Queridona do post, também fiz o mesmo exercício em sala de aula e me lembrei de mais de 8 episódios, coisas que eu não falava há anos, todas lá na memória, para me dizer qual é o meu lugar de subalterna na sociedade.

Ao final da aula, mais um testemunho triste. Um homem, bi-sexual, veio contar que foi agredido e estuprado. Nunca havia falado sobre a agressão, resolveu me falar por que eu debati na aula que um dos problemas da violência sexual, é que ela invisibiliza a vítima negando-lhe voz para dizer o que aconteceu com ela.

A opressão sexista torna o sofrimento de todas vítimas de violência sexual, sejam mulheres (e sim, nós somos a maioria das vítimas), seja dos homens, indizível.

É triste, mas verdadeiro. Vocês que nos chamam de puta, também podem ser agredidos. Nessa sociedade violenta, que com tanto capricho vocês defendem, não uma questão de 'se', é apenas uma questão de 'quando', seja por violência sexual, seja por violência física.

E ao contrário das mulheres que vocês chamam de putas, vagabundas, mimizentas, por quebraram o círculo do silêncio, é bem provável que vocês também se calem sobre a própria dor. Afinal, ser vítima é ser fraco, nessa concepção desprezível que vocês tem a respeito de si mesmos.

Sei que é tempo perdido gastar palavras com trolls, mas sei que reflexão vale como alerta para que outras pessoas não se tornem miseráveis morais como vocês.

Anônimo disse...

Imbecil das 15:27, você por acaso leu a parte do post que copiou e colou?

O cara não deu "bom dia" para as meninas, ele disse que gostaria de trocar uma mulher de 40 anos por quatro ~mulheres~ de 10. Isso, além de assédio, é pedofilia. Mas você, homem e muito provavelmente assediador (já que defende esse tipo de comportamento), não viu nada demais nisso, não é? Felizmente as mulheres estão ficando mais consciente e denunciando esses abusos.

Anônimo disse...

Anon das 15 e 27

eu entendi que ele quis dizer que trocaria a esposa dele (de 40 anos) por 4 criancas de 10 anos !!! QUE NOJO DESSE CARA!!!

CLARO que isso eh no campo na fantasia...pois ele nao poderia fazer esse troca! MAS NAO DEIXA DE SER NOJENTO, E SER UM ASSEDIO...ESPERO QUE A ESPOSA TENHA SE SEPARADO DELE DEPOIS DE OUVIR ISSO.

Ja ouvi gente falando trocaria a esposa de 50 por duas de 25... e ja achei nojento, humilhante pra esposa, objetificando as mulheres, etc

mas trocar por criancas eh o fim dos tempos mesmo !!! nunca ouvi isso ! mas ja fiquei com nojo so de ler !!!

Anônimo disse...

Olha outro "assédio" imaginário da obcecada:

"Fui morar sozinha, contratei uma empresa que se dizia séria para levar minhas coisas do pensionato para minha casa nova. O responsável pelo frete ao perceber que eu era solteira e ia morar sozinha se ofereceu para dormir na minha casa caso eu tivesse medo."

PQP! O cara só está mostrando preocupação e oferecendo A-J-U-D-A a uma mulher sozinha. Que mla tem nisso? É só ela dizer: "não, obrigada pela atenção". e pronto.

E outra: Cantada não é assédio. Há uma enorme diferença entre uma e outra. Uma mulher bonita e solteira, então, não pode receber elogios, cantadas, tentativas de aproximação para futuro relacionamento, quem sabe, que tudo é assédio? Ah, me poupem dos exageros de vcs!

Eu mesmo conheci certa vez, em uma roda de mesa de barzinho, com amigos e amigas, uma garota. Eu era recém chegado na cidade e percebi que ela estava sozinha (ela disse isso) e que trabalhava em um supermercado, no caixa. Passados dois dias, fui ao tal mercado e comprei duas caixas de bombons. Fiz questão de passar no caixa dela. Fiquei com uma caixa e disse pra ela que a outra comprei pra ela, porque lembrei que ela havia dito que adorava bombons. Depois disso nós namoramos por mais de 1 ano. Pela ótica de vcs, isso que eu fiz seria assédio, né? NUNCA!!!!!! É ser educado e tentar conquistar uma garota que vc está afim. Pronto.

Bizzys disse...

É inacreditável que eu tenha que explicar isso, mas:

16:02, a situação que você relatou com a sua ex não é assédio. Você mesmo disse que a conheceu antes, com amigos, foi apresentado. Ela disse que estava sozinha. Seria bem diferente chegar para uma desconhecida qualquer no supermercado, falar que era novo na cidade e pedir para a moça dormir na sua casa para você não se sentir sozinho. Isso seria assédio e falta de respeito. Qual é a dificuldade em entender isso?

O cara da mudança não ofereceu ajuda para a autora do post. Ele foi desrespeitoso e a assediou. Você se oferece para dormir na casa de uma mulher que não conhece? Pior, uma mulher para quem você está prestando um serviço? Você acharia "inofensivo" que um homem desconhecido se oferecesse para dormir na casa da sua mãe ou sua esposa para "fazer companhia" enquanto você estivesse viajando, por exemplo? Acredito que não, né?

Bizzys disse...

Mais uma coisa:

"Cantada não é assédio". Não é você quem decide isso, somos nós. Nós mulheres estamos dizendo que não gostamos de homens desconhecidos (ou com quem não temos intimidade) nos apalpando, se esfregando em nós, se masturbando perto de nós em lugares públicos, dizendo que querem nos "namorar" quando somos crianças, gritando palavras chulas para nós na rua, e outras MIL nojeiras que os homens consideram cantadas "inofensivas". Ao invés de criticar, aprenda e não repita esses comportamentos. Ou vamos denunciar SIM, vamos reclamar SIM. Não vamos ter nossos espaços invadidos e agradecer isso só porque alguns homens acham que não estão sendo invasivos.

Anônimo disse...

"1) Estava na primeira série do colégio, tinha por volta de 7 anos, e um colega me beijou à força, fiquei desesperada achando que engravidaria;"

A naturalização do machismo e da opressão via sublimação romântica, explico muita gente iria achar bonitinho o "coleguinha que rouba beijo da amiguinha" quando na verdade isto deveria ser combatido com rigor, qualquer aproximação mais voluntariosa de meninos sobre meninas deveria ser repreendido, somente com educação de desconstrução total do machismo/masculinidade podemos vencer o patriarcado no futuro.
Meninos devem entender que não e legal tocar meninas, que o toque masculino sob todos os aspectos e incomodo para mulheres, isto cabe a nós mães ensinar-lhes.

Anônimo disse...

"Tínhamos 10 anos, 4 amigas. O esposo da nossa professora, também professor, disse que queria trocar uma de 40 por 4 de 10. Só percebi o teor sujo da piada muitos anos depois. Eu o adorava"

Definitivamente não dá para confiar em homens no magistério, tai um ramo que eles devem manter distancia. Que mãe deixaria uma filha sob cuidados de um predador sexual potencial me respondam?!

Anônimo disse...

"3) Cresci um pouco, cerca de 11 anos, e voltava sozinha do colégio, passava por um ponto de táxi onde o meu vizinho, um senhor já grisalho, fazia ponto, e sempre ouvia alguma gracinha dele."

Não tem coisa mais nojenta que velho tarado, são menos que baratas para mim, deveriam viver no máximo ate 30 anos.

Anônimo disse...

Quando eu era pré-adolescente um pirralhinho de uns 4 anos tentou apertar minha bunda e como resposta ele levou um belo tapa na cara. Acho que assim ele aprende a nunca mais tocar em ninguém sem consentimento. Já fiz isso em outras crianças quando morava no interior de AL, infelizmente as crianças por lá são bem abusadas e não recebem educação em casa, acham que apalpar as pessoas e intimidar, principalmente meninas, é normal.

Anônimo disse...

5) "Cheguei no ensino médio, estudava em outra cidade, íamos num ônibus escolar e tinha amigos, um deles um belo dia, do nada, resolveu se despedir de mim apertando meu seio. Na época eu tinha namorado, o amigo ligou pro meu namorado pra pedir desculpas pelo que fez comigo. Fiquei com um amigo a menos, não fez falta."

e deveria ter mandado o namorado passear também, maldita cultura machista que acredita que mulher só tem valor se pertencer a outro homem.
Você nunca vai ver uma mulher tocar um homem sem sua permissão, não temos o menor interesse curiosidade no corpo masculino a ponto de invadir seu espaço físico, porque eles não podem ter o mesmo principio? As vezes acredito que deveriam serem medicados para se conterem, tipo declarar machismo caso de saúde publica( e não deixa de ser) e conte-los via medicação.

Rafael Cherem disse...

Meninos devem entender que não e legal tocar meninas, que o toque masculino sob todos os aspectos e incomodo para mulheres, isto cabe a nós mães ensinar-lhes.
Que isso? Sobre todos os aspectos? Que alucinação é essa? ,o que não pode é o toque agressivo, invasivo, não só em garotas como em garotos também.

Anônimo disse...

"Quando eu era pré-adolescente um pirralhinho de uns 4 anos tentou apertar minha bunda e como resposta ele levou um belo tapa na cara. Acho que assim ele aprende a nunca mais tocar em ninguém sem consentimento. Já fiz isso em outras crianças quando morava no interior de AL, infelizmente as crianças por lá são bem abusadas e não recebem educação em casa, acham que apalpar as pessoas e intimidar, principalmente meninas, é normal."

E você já reparou que meninas não tocam meninos, não tem a minima curiosidade e vontade de abusar deles? As vezes eu acredito que alem da cultura machista eles tem no DNA uma necessidade de abusar de meninas, afinal a cultura machista ao longo da historia não veio do nada, e sim uma questão de saúde publica.

Anônimo disse...

"Aqui no morro onde moro, se o cara não fizer parte do tráfico simplesmente ele não consegue uma mulher pra se relacionar. Tô vendo isso acontecer ao vivo e a cores."

A raiva de vocês e que mulher tem escolha, durante muitas gerações vocês se aproveitaram de uma sociedade misógina que oprima mulheres via relacionamentos arranjados, acabou neném,agora a gente escolhe, e vamos escolher o playboy, o traficante, o esquerdista sim, só não escolhemos babaca machista fracassado,vc não nasceu com um vale mulher a tira colo não se não agradar já era. Aceita que doí menos fi.

Anônimo disse...

Como chamam o cara que está pulando a grade lá de machista "por tabela" sem nem conhecê-lo?

Me explica, Lola?

Natasha disse...

PQP! O cara só está mostrando preocupação e oferecendo A-J-U-D-A a uma mulher sozinha. Que mla tem nisso? É só ela dizer: "não, obrigada pela atenção". e pronto.

Ajuda? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk É muito normal se oferecer para ficar na casa de quem você mal conhece, muito normal... Se fosse homem ele ficaria preocupadinho? Porra nenhuma!
Ele ia é tentar pegar ela, talvez até estuprasse.

Anônimo disse...

"E outra: Cantada não é assédio. Há uma enorme diferença entre uma e outra. Uma mulher bonita e solteira, então, não pode receber elogios"

Só no eu mundinho misógino podre, vou te contar um segredo garotão, mulher não gosta de cantada, de assedio, de paquera, de atenção de homem machista, dispensamos toda esta porra,apenas nos ignorem como ignoramos vocês, você já reparou que mulher te ignora não já? apenas retribua e nos deixem em paz.

Anônimo disse...

"Ele ia é tentar pegar ela, talvez até estuprasse."
com certeza eles ó se aproximam para isto, para abusar e machucar, depois com esta "paquera e cantada não tem nada de mais" e pracabá viu

Anônimo disse...

"Que isso? Sobre todos os aspectos? Que alucinação é essa? ,o que não pode é o toque agressivo, invasivo, não só em garotas como em garotos também."

Alucinado e você, você nunca passou por isto em locais públicos para saber o quanto o assedio masculino e nojento e perturbador, e sim em todos os aspectos inclusive no que você deve considerar uma "simples paquera sem nada de mais"
e sim meninos também não devem serem tocados, mas quem toca meninos para abusar em 100% casos e homem não mulher, mulher não sofre desta parafilias sexuais escrotas que vocês fazem questão de perpetuar, e muito pedir para homem se humanizar e ver mulheres e crianças como serem humanos?.

Anônimo disse...

Ta brincando que o rapaz nao ve nada de mais no prestador de servicos que se oferece pra fazer compania ?

pela logica, deve ser do tipo que nao ve nada de mais no estranho que oferece carona pra mulher.
Dai, se a mulher aceita e eh estuprada, dai vai dizer que a culpa eh dela pq entrou no carro com estranho.

Anônimo disse...

Anônimo das 17:22

Sim, e se ela não aceitar e comentar com alguém que teve medo de ser violentada, provavelmente dirão que é neurótica.

Anônimo disse...

Lola, indicar uma reportagem do Jornal do Almoço, da rede RBS? Aquela rede em que o pai acobertou o estupro cometido pelo filho?

Boicoto mesmo.

Anônimo disse...

Escolher traficante,é sério isso anônima !????Os traficantes são os piores pois não respeitam ninguém, nem a polícia. Como você vai ter coragem de se relacionar com um fora da lei,que muitas vezes por qualquer coisa mata a mulher.
Eu digo o contrário escolham pessoas boas,honestas,não violentos,que te trate bem e te respeite como um ser humano.
Todo mundo colhe o que planta,não adianta tirar também das mulheres a responsabilidade pelos homens que escolhem.

Jonas Klein disse...

Olá Fabiana

Olha eu to ate sem o que dizer, o seu relato e assustador e mostra o nível da falta de civilidade do homem brasileiro(não todos e claro), e mostra a falta que faz uma boa educação e leis mais severas, para evitar que mais mulheres passem pelo que você passou.


Boa tarde

Anônimo disse...

Será que as mulheres vão viver melhor no futuro?PMD

Anônimo disse...

Bom senso,já ouviu falar?

Anônimo disse...

Eu já ofereci carona para mulher, sem segundas intenções. Uma delas era muito bonita e casada com um rapaz que era dono de uma papelaria na cidade que eu morava. Era o caminho que eu fazia normalmente, e ela estava indo para a papelaria à pé, debaixo do maior solzão da tarde. Isso nunca foi assédio. Ela aceitou, levei-a até a papelaria, ela desceu, agradeceu e pronto.
Poucos dias depois encontrei o marido dela no clube e conversa vai e vem, perguntei pra ele se ela havia dito que eu tinha dado carona à ela no dia x à tarde. Ele disse que ela não falou nada, mas que não tinha problema, não.

Viu como vcs às vezes exageram?

Anônimo disse...

Homens são uma racinha nojenta.

Anônimo disse...

Anônimo das 17:48, só porque você foi gentil, não significa que todos os homens serão assim, então temos razão em ter medo sim, não sabemos o que se passa na cabeça das pessoas.

Você não representa todos os homens do universo.

Anônimo disse...

"Escolher traficante,é sério isso anônima !????Os traficantes são os piores pois não respeitam ninguém, nem a polícia. Como você vai ter coragem de se relacionar com um fora da lei,que muitas vezes por qualquer coisa mata a mulher"

Primeiro quem oro em comunidade e conheço muito carinha do movimento que trata melhor as meninas que os ditos "homens de bem" machistas e misóginos que tem por ai. Segundo que você deve observar o contexto social que levou este menino a isto, logico que errado, mas e certo vender bebida me bar para menores, qual a diferença? E sim mulher tem total autonomia de escolha, e merece respeito, o discurso de vocês parece com aquele de machistas que condenam mães e companheiras que vão todo Domingo visitar reeducando em presídios e CDPs pelo país.
Engraçado que suam oral burguesa não condena Eduardos Cunhas e Alckmins da vida, que são mais bandidos que os meninos empurrados para o trafico por falta de oportunidades.

Anônimo disse...

Gurias não deem trela para os trolls, deixem eles na solidão, que mais tarde a Lola vem aqui e deleta tudo que eles escreverão.

J.M. disse...

"O foda é uma porra dessa depois que se relaciona com bandido é morta vem colocar a culpa em todos os homens dizendo que todo são violentos."

---> KKKKKKKK. Olha a lógica mascu: depois de morta a pessoa ainda vem reclamar. Vai te tratar, troço doente!

Anônimo disse...

"E outra: Cantada não é assédio. Há uma enorme diferença entre uma e outra. Uma mulher bonita e solteira, então, não pode receber elogios"

1º: quem decide isso somos nós, não você. Seria como dar um soco na cara de alguém e alegar por ele que você mesmo "aguentaria mais forte" caso ele se mostre ressentido. É a parte ofendida que dá queixa da ofensa, não o ofensor. Querer decidir quando o ofendido tem o direito de ofender-se é abuso de poder.

2º Como a Byzzis falou, o que você fez não é assédio; você deu um salto argumentativo de "desconhecido mexendo ctg na rua/conhecido quebrando limites que você não quer que ele passe" para "paquera com uma amiga que conheci no bar", como se a última situação se equiparasse às primeiras. Vocês foram apresentados. Provavelmente, pela conversa e pela sua interpretação, você pôde chegar à conclusão que a moça poderia se interessar em um ficante. Você passou no trabalho dela e fez um gracejo pra dar um presente pra ela, que mostrou gostar da atitude. Situação que é completamente diferente de mexer/esbarrar/passar a mão em uma menina/mulher desconhecida, quando ela se mostra claramente desconfortável com a situação. Insistir em uma situação que deixa a outra parte desconfortável é abuso de poder.

3º Homem não canta mulher pra elogiar ou porque acha que tem alguma chance. Fosse assim, mulheres seriam igualmente cantadas quando estivessem em companhia masculina, porque a) é um elogio inocente e b) os homens que a acompanham podem não ser seu namorado/noivo/marido. Mas pergunte a qualquer mulher quantas vezes elas receberam cantadas, encoxadas, apalpadas quando estavam sozinhas ou em pequenos grupos de mulheres e quantas vezes o mesmo aconteceu quando estavam em companhia masculina. Só UMA vez recebi cantada em companhia do meu pai, todas as outras vezes foi quando estava sozinha ou com poucas amigas. Porque cantada não é elogio inocente, cantada é abuso de poder. É assédio. É baseada na crença de que mulher sem companhia masculina é patrimônio público. Por mais malabarismo argumentativo que você tente fazer.

Zero disse...

o comentário das 17:11 é plantado, pra poder justificar os outros comentários. tá muito estereotipado (toda a "conversa") fica explicito...

não sei se vocês já repararam isso, mas notem uma coisa:

se todo masculista alega que mulher só fica com cara violento / agressivo, e ainda não fica com eles, mesmo eles sendo bem agressivos e provocativos com mulher, logo:

a única "valentia" desses caras é xingar mulher na net, pois na vida na real não põem "medo" em homem nenhum. tem pavor de apanhar...

---> "por premiar aqueles que nos fazem bullying na escola vadias!!"

não disse ?

se de fato eles fossem tão "machos" quanto alegam, nenhuma mulher (que adora violência) não ficaria com algum deles ?

as próprias falácias derrubam eles mesmos....

Anônimo disse...

Até parece que só traficante é violento, se fosse assim o problema da violência domestica tava resolvido.
A maior parte da violencia no Br é por conta do tráfico porém não é exclusividade de bad boys baterem em mulher

Anônimo disse...

idiota, a maioria dos homicídios está relacionada ao tráfico. em que mundo vc vive? devia fazer um estágio na polícia.

Natasha disse...

17:48
Você se faz de burro, olha a diferença : oferecer carona para uma conhecida e oferecer para uma q você mal sabe o nome.
E vocês n podem nos cantar, simples. Quantas mulheres em toda a sua vida deu em cima de você, falou coisas nojentas, insistiu mesmo você n querendo porra nenhuma com ela, ficou fazendo comentários sobre seu corpo como se você fosse um pedaço de carne, ficou te constrangendo , te perseguindo? Poucas com certeza, isso se teve alguma.
Agora a gente tem aguentar as nojeiras de vocês só pq vocês querem? Quase todos os dias? Vá a merda! Enfiem os elogios de vocês no cu!

Anônimo disse...

Queria ver se esses anonimos vao chamar a propria filha de neurotica se um dia ela chegar contando

- pai, estava voltando pra casa e um rapaz que eu nunca vi me ofereceu uma carona, eu fiquei com medo e falei que nao.

- ah , filha, deixa de ser neurotica, pegasse a carona que com certeza era so uma gentileza.


(em tempo... na faculdade peguei carona com desconhecidos, realmente, nunca me aconteceu nada. Sei que tem muita gente bem intencionada. Mas hj eu nao arrisco mais nao... Depois que eu li o livro das meninas de Cleveland - os dois livros-, e li que as 3 pegaram carona com uma pessoa que elas levemente conheciam e parecia um cidadao de bem.... NUNCA MAIS PEGUEI CARONA COM ESTRANHO)

Anônimo disse...

Anônima,eu já relatei aqui que fui tocada pela parceira da minha tia lésbica, vai estudar sobre mulheres pedófilas vai!Muitos casos não são denunciados justamente pela cultura machista que acha que o homem e menino não é vítima.

Anônimo disse...

No Brasil é por conta do tráfico, falam toda hora na tv.
to falando violencia geral e não contra mulher.
aff eles nem sabem interpretar um texto

Anônimo disse...

tem que ter medo mesmo, afinal vc vive no Bostil (BR) aqui tem muita gente que foi criada sem pai e não tem nenhuma referencia moral a não ser dos bandidos fodões.

Anônimo disse...

ótimo seria que vcs ignorassem as mulheres e ficassem entre si, sabemos que não é assim...

Anônimo disse...

18:11...
Pessoas públicas, ainda mais astros e estrelas de esportes, atores, cantores, sofrem assédio. De jogadores de futebol a guitarristas. Desde David Luiz até Beyoncé. É divertido um monte de gente berrando e agarrando enquanto você entra em estádio ou show? Não, tanto é que muitos reclamam e nesses eventos sempre há seguranças. É divertido ser parado 100 vezes pra tirar foto no caminho pro milk shake? Não, tanto é que muitos reclamam e se isolam em condomínios caros. Mas querer comparar o assédio sofrido por jogadores de futebol com o assédio sofrido pela imensa maioria das mulheres é desonesto, né? Quantos caras que não eram famosos você conhece que tiveram a bunda apertada, o caminho barrado, levaram esbarrão no meio da rua, encoxada, "vou te comer todinho" no ouvido no meio da porcaria do ônibus? Quantos tiveram o peito, a barriga e os braços apalpados quanto tiraram a camisa? Quantos desviaram de um trajeto ou esperaram outros amigos chegarem pra evitar de passar sozinho por um grupo de mulheres potencialmente assediadoras? Pois é, né.

2º 300 jogadores não reclamam de assédio. Milhares de mulheres (pra ser humilde na contagem) reclamam. Pela sua lógica, ninguém deveria reclamar de sei lá, dor de dente, enquanto houver uma pessoa dizendo que "dói, mas não é motivo pra reclamar, né".

Anônimo disse...


nem ligo pra homem

Anônimo disse...

Ei vocês sabem qual e a principal diferença entre o masculinismo e o movimento Gay?

E que no caso do primeiro, os caras não assumem que negocio deles e "macho"

Anônimo disse...

Assédio feminino não faz medo em homem segundo eles mesmos agora querem pagar de sofredores.
outro dia tavam falando que tinham força física ,e que uma lutadora nunca ganharia de um lutador e sobre a redação do enem tavam choramingando pela lei joão da lapa.

Chá de rola pra vcs

Anônimo disse...

O movimento gay é mais digno

Anônimo disse...

Esse papo de ficar com homem por dinheiro já deu, mulher fica é escrachada quando o homem fica ngm fala nada.
A mesma coisa ao gostar de homem bonito, quando a mulher gosta é logo taxada de vadia, quando homem gosta é pq ele é visual!

o que vocês querem é encher o saco!

Anônimo disse...

Deixem-me complementar a lista :)
- quando eu tinha uns 7, 8 anos, meu irmão adolescente esfregava o pau em mim enquanto assistíamos filmes ou desenhos.
- quando eu tinha 11 anos, um cara puxou meu cabelo (que na época era até a bunda) e disse que era assim que era bom pra levar pra cama.
- mais ou menos nessa época (11~12 anos), aprendi a não passar por aglomerações de homens pra evitar os "gostosa" "essa daí tá quase no ponto" "vem cá que eu te adoto"
- com 14 anos, as meninas da minha escola foram proibidas de ir de saia pra aula porque alguns meninos puxavam as saias pra cima
- com 15 anos, fui na festa de uma amiga e um cara na pista de dança me agarrou pelo braço e ficou falando que ia me dar uns amassos gostosos, mesmo eu tentando puxar o braço de volta e falando pra ele que não queria. Só parou quando um pessoal da minha turma veio me ajudar
- com 17 anos, passei a frequentar uma academia exclusivamente feminina depois de um instrutor que sempre "esbarrava" nos meus seios durante as correções dos exercícios e tentava me abraçar pela cintura quando me levava pra algum aparelho
- com 21 anos, estava indo encontrar meu namorado quando um grupo de três adolescentes passou por mim. Um me chamou de gostosa e outro passou esbarrando no meu ombro. Como levantei o braço por causa da esbarrada, eles começaram a gritar que eu tinha dado um soco em um deles.

E todas as minhas amigas têm histórias parecidas :)

fernanda melo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fernanda melo disse...

Entre as mulheres que eu convivo mais da metade já apanhou do companheiro. Isso as que contam. Tenho uma amiga que é muito oprimida.pelo marido. Já apanhou. Não da um pass sem ele controlar. E se acha na moral de me dar conselho. Af preguiça. Mas como digo nao da pra julgar. E um caso escabroso que saiu ate no jornal. Uma mulher que morava ate perto de mim. Mas eu não conheci. O ex marido é acusado de ter matado ela e abadonado as duas filhas num canavial. As meninas tinha 3 anos a mais velha e dois meses a mais nova. As duas foram encontradas por um.agricultor. A mãe nunca mais foi achada. O ex esta foragido. Não vao solucionar por que e gente pobre e aqui no Brasil é assim. Se matar pobre não vai pra cadeia. E as meninas ai sem mae. Tudo por que ele não queria pagar pensão. Esse assunto grita o tempo todo mas fingimos não ouvr

Anônimo disse...

Fabiana, sabe estes caras que abusaram de você, a maioria são os mesmos que costumam chamar mulher que troca de parceiro com frequência de "vadia" "puta", chama de vulgar, imoral, puta mulher que anda com roupa curta, dizem que tem mulher para casar e e mulher para transa, acha vulgar e critica quando mulher fala de sexo abertamente ou diz palavrão, e muitos ainda adoram falar de moral, religião, família, bons costumes.


São os mesmos escrotos, só não vê quem não quer incoerência destes sujeitos.

Anônimo disse...

Eu mesmo não quis ficar com muam garota que os amigos estavam "empurrando" pra mim, e a menina começou a me xingar de gay,pega Ninguém, falou pro pessoal que eu tinha p**** pequeno,foi necessário a intervenção do supervisor.

Anônimo disse...

Nossa Gente eu estou fazendo aulas de volante para tirar minha CNH, eis que o instrutor disse que seta não era cu e eu podia dar dar dar seta totalmente nojento. outro dia ao esquecer de passar marcha ele muito grosso sem educação estou mandando faz isso estou mandando fiquei com tanto ódio disse que estava pra nascer alguém mandar em mim. Ai ele insistia estou mandando faz isso logo. nossa estou tão triste quem esses homens pensam que são. Vocês acham que devo trocar ou é coisa da minha cabeça mimi meu?

Anônimo disse...

Anonima 17:05 eu as vezes também fico me perguntando se machismo não deveria ser tratado como problema de saúde publica de forma explicita. Vendo os relatos aqui e os que ouço dia a dia e o numero de mortes que a tal da masculinidade causa diariamente tento de feminicidio quanto entre eles mesmos, da para ver que não podemos mais encarar isto como "coisa de homem' como normal.
Meninas tomam vacina contra HPV durante o inicio da vida pré adolescente/adulta, será que uma vacina para combater o machismo nos meninos não seria uma boa medida em larga escala? Imaginem como seria libertador viver em uma sociedade onde homens não tem tesão em mulheres, que não sintam vontade de nos molestar/estuprar?
Tai uma pauta interessante para debate dentro do feminismo.
Lu.

Anônimo disse...

"seta não era cu e eu podia dar dar dar seta"
KKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!! Muito boa!
Ele ainda aliviou pro seu lado, se vc não percebeu.
Minha cara, ela é só mau humorado. Só isso.
Não encana.

Anônimo disse...

Estão vendo porque no outro post eu estava tão revoltada?!? Somos coisas e nada mais que isso. O que mais precisamos passar, sofrer, morrer para termos certeza disso?

É como disseram ali em cima: será que no futuro teremos mulheres sequer para contar histórias de abusos??

O que dá direito à esses seres nojentos e estúpidos virem aqui nos humilhar, nos xingar, nos desrespeitar? em um espaço que é feminista?? já não basta a vida, o whatsap, existir como mulher???

E ainda tem gente que acredita que a violência é "apenas" geral!!!! Me poupem com suas ignorâncias pueris...

As vezes é tão trágico, mas tão trágico que dá vontade de desistir, pq parece que não tem mais jeito.

Nunca, nunca nos respeitam, porque mudariam? porque vão mudar?

Quem tem que mudar somos nós, respondendo à altura sempre, sem deixar barato, denunciando, berrando, fazendo escândalos, sem condescendências, benevolências ou amabilidades femininas tão nojentas que só nos enfraquecem.

Pra quem não percebeu é guerra e declarada. Até quando vamos perder nossas mulheres sem lutar efetivamente?? Ate quando vamos aceitar tantos abusos amedrontadas e acuadas??

Precisamos de mais mulheres no poder, na polícia, no judiciário, no legislativo. Precisamos mais que nunca do FEMINISMO.

Mas tenho que confessar, quando leio esses tipos de relatos, sou invadida por uma tristeza tão grande é uma tristeza que não passa...

MAS NÃO VOU DESISTIR. NUNCA

e tenho dito.

FERNANDA B.


Anônimo disse...

Ô ANÔNIMO BOSSAL 2051

Ninguém tem estrela na testa não babaca para ser identificado como bandido misógino, machista.

O que destrói a mulher é essa necessidade abissal e ilógica de querer agradar sempre, de ser boazinha, de cuidar de quem só a despreza... parece defeito genético, afff.

Quando as mulheres começarem a entender que podem sobreviver sem merdas como você, meio caminho estará andando.

faz assim, mostra tua cara, que a gente começa com você inútil, como exemplo clássico de homenzinho de merda que devemos manter distância eterna.

se não entendeu eu sei desenhar e muito bem...

Fernanda B.

Anônimo disse...

Agora vou pro meu plantão, TRABALHAR SABE? me divertir e ver uns merdinhas que nem tú e 2104 terem o que merecem. KKK

FUI.

FERNANDA B.

Anônimo disse...

Mas ser bandido ou trabalhador não impede do cara ser machista. Parem de tentar justificar o injustificável, vocês tratam mulher com machismo sendo lixeiro ou empresário.

A questão da violência doméstica é muito além do que se imagina não é só o bandidão do morro, tem cara trabalhador batendo na mulher. O problema é que tem que empoderar mulheres que crescem ouvindo que só serão felizes com um homem, se casar, se tiver filhos, que devem ser submissa, que ela está exagerando, que briga de marido e mulher ninguém mete a colher, que ele vai mudar, que ele só tava alterado.

É uma coisa muito ampla que vcs homens não entendem pq só enxergam o que convém

Anônimo disse...

Vocês querem culpar as mulheres, quando elas são estupradas o cara é sempre um doente.
Quando ela apanha o cara é sempre bandido cafajeste!
Não é

O que vocês querem é ganhar estrelinha por não ter "agredido uma mulher", ou por serem cafageste frustrados já que ninguém dá bola pra vcs, pq aposto que se dessem vocês seriam mais rodado que puto de esquina. E AINDA ESTARIAM SE GABANDO DAS VADIAS QUE VCS COMERAM COMO SE REFEREM AS MULHERES...

!Vamo parar com essa melação ninguém acredita cuzões !

Fabiana disse...

Lola, você me publicou! Escrevi por impulso, porque sabia que se não conhecesse seu blog não teria coragem de abordar tais temas numa aula de cálculo. Muito obrigada!

Anônimo disse...

anon 21:40

Concordo que não é somente bandido que bate em mulher, mas o que eu quero dizer é que se elas evitassem relacionamento com bandidos a taxa de agressões iria diminuir sim e muito, entendeu? Eu sei que a questão é bem mais profunda e ampla.
Eu sou contra a violência contra a mulher, mas como é que se pode defender alguém que adora o perigo? É meio contraditório não acha?
Ao ver mulheres se entregando nos braços de marginais sinto como se todo o esforço feito para proteger as mulheres fosse em vão. A sensação que tenho é que essa luta é uma causa perdida e a culpa é das próprias mulheres que não conseguem controlar seus desejos.

Anônimo disse...

gente
ces viram o panico chamando a aisha de panicat??? aisha do masterchef junior

Anônimo disse...

Depois de ler o post eu fiquei lembrando das minhas experiências semelhantes. ... não foram poucas!
Mas fiquei pensando na falta de empatia dos homens quando falamos de assédio (foi "uma cantada inocente", eles dizem) e lembrei de uma vez em que o meu marido chegou em casa contando tranquilo uma cantada que ele tinha acabado de ouvir de um vendedor de caldo de cana.
Um senhor, de uns 60 anos, disse que ele era peludo (o meu marido) e que dava vontade de passar a mão e fazer carinho.
Quando ele me contou eu fiquei indignada, imaginando uma reação brava e perguntei o que ele tinha feito. Ele me contou que apenas disse que não gostava dessas coisas não, que não dava certo e ficou tranquilo! Eu achei tão estranha essa tranquilidade mas agora eu entendo: ele não precisa ter medo! Se eu tivesse escutado uma cantada parecida, a minha reação seria beeemmm mais agressiva para cortar qualquer possibilidade de piorar ou continuar. Isso porque eu tenho medo. Todas nós temos. O nosso "não" costuma ser ignorado.
Eu acho que muitos não entendem o que é sentir esse medo.

Anônimo disse...

Não pode jogar todas as mulheres na mesma lata, a maria da penha não namorou um traficante no entanto ficou paraplégica.

Se existem mulheres que gostam de bandidos ou maníacos o que podemos fazer?

A violência doméstica seria evitada se educassem homens e mulheres para ter consciência, isso é o foco principal que está faltando. As mulheres aqui , ainda não tem tanta consciência quanto na Europa.
Além de existirem lugares onde essa cultura é ainda mais aberta como em países orientais que tem até crimes de honra, que são crimes horríveis contra mulheres principalmente, e são aceitos pela sociedade, quando ela não se comporta quebra a honra e pode até morrer.

Anônimo disse...

Ué Lola, por que você apagou meu comentário de +ou- 23:05 contando da reação do meu marido quando ele sofreu uma cantada?
Não tinha nada de mais pra ser apagada.... era uma reflexão minha.....

Anônimo disse...

parece que a valentina foi cortada do programa.

lola aronovich disse...

Desculpe, anon das 22:11. É que tinha tanto comentário trollador que o seu foi junto. Mas já o restituí. Mascus em rage com este post, né? Eles realmente DEFENDEM a violência contra a mulher...


Algum link pra essa notícia da Valentina, anon das 22:12?

Anônimo disse...

Homem machista é bicho ruim mesmo. Eu não tenho a menor dó; se encostar em mim no ônibus, eu empurro. Se passar cantada mando ir tomar no cu e ir à merda-ou mando um dedo do meio básico. Se vier com mimimi "elas provocam" ou se consome revenge porn, eu chamo de estuprador. Se vier dizendo que mulher tem que apanhar pra aprender, mando ir se castrar e digo que é um pai/ marido/ namorado/ homenzinho babaca de merda. Se vier com chororô de "as feministas tão arruinando a família", eu mando ir à merda porque a família é uma merda, e repito, família é uma merda. Se tentar se esfregar em mim ou tentar se masturbar do meu lado, meto estilete no pau. E não há a menor possibilidade de eu transar com homem machista. Se me enganar posando de cara legal e depois eu descobrir que é machista, fofinho, vai voar pra fora com meu pé enfiado no seu rabo. E pdode apostar que vou espalhar pra toda mulher do seu círculo que você é machista e falso. Se me ameaçar de morte eu mato primeiro. Não tenho pena de ómi, não. Trato um cara exatamente como ele trata as mulheres.


E aos mascus que vierem reclamar de "misandria mimimi" vão tomar mingau pelo fiofó porque eu não sou obrigada a tratar lixo humano como cristal.

Anônimo disse...

http://virgula.uol.com.br/diversao/televisao/apos-polemica-por-declaracoes-machistas-participante-e-cortada-de-episodio-de-masterchef/

Anônimo disse...

Sim lola tá até na page moça vc é machista, eles cortaram a menina tipo editaram pra não aparecer muito.
E o panico postou que a aisha era panicat!

Culpabilização da vítima nojo

Clara disse...

Pra moça com o instrutor de direção babaca: Vai na auto-escola e troca, você não paga caro pra ficar escutando grosseria durante as aulas. Faz uma bela reclamação e troca de instrutor.

Roberta Sâmya disse...

Quando alguém fala que o tema era feminista, que temos outros assuntos importantes a tratar, que a violência mata homens mais que mulheres, eu fico tão besta e aí caio na real e entendo porque aquela tal Luana Bastos tem tantos seguidores, a violência e desrespeito ao ser humano é tão presente no Brasil, embora aqui não seja tão difícil quanto é no Oriente onde a mulher não tem autonomia nenhuma, acho absurdo termos uma cultura como a nossa e ainda ser necessário numa época dessas bater nessa tecla desesperadamente já que as pessoas parecem alienadas a um jogo maldito onde se deve exterminar tudo que pareça frágil, há um desvio no comportamento do brasileiro, ele quer ganhar em tudo, seja no futebol , seja o corpo de uma vítima, seja um celular, ele só quer ser esperto ou exercer poder, de forma totalmente errônea, essa história é de indignar e tão real, quantas mulheres terão que morrer ou ser humilhadas pra simplesmente existir e viver nesse mundo? Fico triste com essas realidades. Lamento profundamente que ainda que um tema escolhido para discussão e alerta tenha recebido tanta crítica.
Abraço, fazia tempo que não passava por aqui, escreva Lol, escreva. :D

Anônimo disse...

Autonomia pra vcs fazerem o que fazem por aqui?

Anônimo disse...

"Anônimo Anônimo disse...
anon 21:40

Concordo que não é somente bandido que bate em mulher, mas o que eu quero dizer é que se elas evitassem relacionamento com bandidos a taxa de agressões iria diminuir sim e muito, entendeu? Eu sei que a questão é bem mais profunda e ampla.
Eu sou contra a violência contra a mulher, mas como é que se pode defender alguém que adora o perigo? É meio contraditório não acha?
Ao ver mulheres se entregando nos braços de marginais sinto como se todo o esforço feito para proteger as mulheres fosse em vão. A sensação que tenho é que essa luta é uma causa perdida e a culpa é das próprias mulheres que não conseguem controlar seus desejos."

senhor anonimo, q tal parar de culpabilizar a vitima?

Anônimo disse...

ok. as mulheres nao gostam de receber elogio, é isso mesmo?

Anônimo disse...

Quer proteger mulher, seu desgraçado 21:50?

ENFIA UMA BALA BEM NO MEIO DA SUA TESTA!

É a melhor contribuição que você pode dar!

Sandra disse...

Na minha opinião, tratar a permanência da violência contra a mulher como uma pauta "feminista" já mostra o problema da coisa. A começar que, de fato, as palavras do tema foram escolhidas com um cuidado bastante interessante: A PERMANÊNCIA, ou seja, não é um fenômeno recente nem fruto da era moderna. É preciso fazer uma força muito grande, bem como alimentar uma má-vontade intelectual muito grande também tanto para negar a existência do problema quanto para achar, por exemplo, que tal violência resume-se a agressões físicas e verbais. Outro dia comentaram aqui, e eu concordo, que existe um sem-números de agressões sociais a que as mulheres, como grupo, estão sujeitas e francamente, nem precisa ser mulher pra saber disso. É só abrir um jornal.

A questão é que nós somos criados a reforçar papéis. Então um indivíduo do sexo masculino olha para uma pessoa do sexo feminino e não vê ali alguém e sim um papel, no caso, o de mulher. E na cabeça dele tem todo um script do que é ser mulher e aí gente, tanto faz a "atriz" que interpreta o papel, a pessoa já detesta a personagem e sabemos as consequências.

Esse grande problema, o da prevalência de papéis, é o que justifica comportamentos racistas, gordofóbicos, homofóbicos, misóginos, capacitistas entre outros. Então não é uma pessoa que está na sua frente e sim um gordo. Um negro. Um gay, uma lésbica.

Para desconstruir esses preconceitos é necessário construir uma sólida fundação baseada no indivíduo como ele é e não no que ele deveria ser. Sem enxergar as pessoas, os papéis prevalecerão sempre.



Mila disse...

Lendo esse post também repassei por todos os assédios que sofri e que vi alguém sofrendo nos meus vinte e poucos anos. Também não sou exatamente dentro do padrão, em alguns vestida de uniforme escolar ou quimono, outros de legging por causa da educação física. A maioria em plena luz do meio dia...
Com a tag #primeiroassédio eu vi o quanto as meninas que não tem nem corpo formado já têm que passar por isso, invalidando totalmente a forçação de barra baseada na "biologia, corpo de mulher mimimi". E os assediadores são os caras "normais": seu vizinho, seu padrasto, o tiozinho da padaria, o pai de família que assiste o Jornal Nacional e acha que pedófilos são monstros e estupradores devem sofrer castração química.
Aí vão dizer: "nossa, querem acabar com a paquera". Eu duvido muito que encoxar alguém no ônibus ou falar "gostosa, vou te chupar" para uma completa desconhecida vai fazer com que ela desista de tudo e queira te dar no meio da rua.

Anônimo disse...

A gente meio que finge pra nós mesmas que não passamos por certas coisas. Uma vez me impressionei com um relato sobre assédio e não me identifiquei, só fiquei sentida pela dona do relato. Minutos depois, as experiências vieram á cabeça...Acho que isso acontece por dois motivos: é normal querer esquecer coisas desagradáveis; o assédio sexual é muito naturalizado, tanto que já tem otário aqui dizendo que "não se pode mais elogiar mulher".
E como tem homem sonso, viu. A mulher deu mil exemplos de abuso, inclusive aos 10 anos de idade, e o bonito vem dar exemplo da carona que deu pra uma mulher bonita, e dizer que exageramos. Essas pragas literalmente fecham os olhos e tapam os ouvidos para o que nós temos a dizer. Eu já fui assediada e já recebi carona de forma altruísta e respeitosa, e advinha, nós sabemos a diferença.

Dan

Anônimo disse...

Otário das 02:20 da manhã...

Nenhuma mulher desconhecida quer receber um "gostosa" de um homem desconhecido.
Se você não sabe a diferença entre paquera e assédio, e entre cantada grosseira e elogio, faça o favor de se matar.

Anônimo disse...

Porwue não se mata imbecil das 02:07?

Anônimo disse...

Poha anônimo das 21:50

Se "as mulheres" no seu conceito imbecil e generalista se envolve só com bandidos, sua mãe deu pro marginal do teu pai né?
Se to sendo grossa, vc foi bem mais chamando todas mulheres de "adoradoras de bandido"!!
Depois vc se acha um cara muito legal e merecedor de uma mulher bacana, nas não passa de um grande babaca machista que está culpando as vítimas!!
Meu primeiro marido era engenheiro, NÃO era nenhum marginal, no entanto me tratou como lixo durante nosso curto casamento. O larguei e foi a melhor coisa que fiz na vida!!
A maioria dos homens que agridem e matam namoradas e companheiras NÃO são bandidos e sim os chamados " homens de bem"!
Não to querendo dizer que se a mulher descobre que o cara é marginal tem que ficar com ele, apenas que muitos csnslhas não vem escrito na testa(como é teu caso)!
Já que quer generalizar, então lá vai, "a sensação que tenho é que essa luta é uma causa perdida e s culpa é dos próprios homens que não conseguem controlar seus desejos de estupradores, pedófilos e assassinos".
Faz um favor pras mulheres? Se mata VIADO!!!

Anônimo disse...

Ainda por cima vem imbecis acéfalos querer culpar a vítima!!

O assediador, agressor, estuprador, assassino muitas vezes não é o bandido declarado e condenado. Boa parte das vezes é o dito "pai de família" que se acha no direito de dizer baixarias pra estranhas, de agredir a mulher se o almoço atrasou, que vê oportunidade de abuso com a visita da coleguinha de 10 anos da filha, que se desconfiar de uma suposta traição da mulher pode matar ela.
A questão de mulheres que se envolve com marginais, bandidos declarados é de caráter pessoal. Aliás vi um programa no GNT que muitos homens(embora menor número se comparar com as mulheres) são namorados e maridos de criminosas e as visitam na prisão.
Sem falar em casos de que a pessoa foi presa injustamente e o(a) companheiro (a) acredita em sua inocência.
Outros casos, as mulheres casaram com homens comuns que trabalhavam honestamente nas que cometeram algum tipo de crime.
NÃO to defendendo que mulher TEM que se envolver com bandido e nem que homem tb tem que envolver com bandida, só to falando que cada caso é um caso. Eu mesma nunca me envolvi nem me envolveria com criminoso, mas é complicados julgar e pior ainda generalizar de forma babaca e machista.

A questão é, a violência contra a mulher vai persistir enquanto não houver uma educação melhor pra meninos e meninas; enquanto não se conscientizar o homem comum que assediar meninas e mulheres não é um direito dele e sim um tipo de violência e que suas parentes podem ser vítimas disso; enquanto o "pai de família" tomar consciência que compartilhar vídeos de revenge porn e até de pedofilia é MUITO ERRADO; que um "homem de bem" não deve ficar reparando que a amiguinhos da filha tá "tomando corpo" e nem que a própria filha está "ficando atraente"; que o marido enxergue a esposa como um SER HUMANO não uma " coisa" que tem que servir ele, que ele pode agredir se ela não fizer a janta na hora, que ele pode estuprar se ela não quiser sexo e que ele pode matar se não quiser se separar dela ou se achar que ela tá traindo.
Quem achar que estou sendo "dramática e exagerada" vejam só UM DIA de algum noticiário sério ou até sensacionalista e verão que muitos dos crimes que descrevi acima foram cometidos por... "homens de bem".
Então não digam que nosso país não tem uma cultura machista!!

Anônimo disse...

Ps: comentário acima assinado por Diva. :)

Completando "Homens de bem" que escreveram merda misógina e de conteúdo pedófilo pra uma criança de apenas 12 anos que participa de programa de TV.

Que esses "homens de bem" que cometem todos esse atos canalhas, covardes, criminosos e machistas timem vergonha na cara e admitam que são eles os responsáveis pelos medos de meninas e mulheres!

Anônimo disse...

Para mulher feminista qualquer bom dia e assedio, qualquer tipo de paquera moderada que parta de um homem( qualquer homem exceto destacados sociais no meios em que vivem) e estupro verbal.

A não ser que este bom dia e esta paquera parta de uma lésbica ativista, dai e valido e empoderador. Violência contra mulher deve ser combatida com firmeza e rigor de lei, mas já sacamos o de vcs faz tempo meninas, eu li nos comentário "homem tem que ser medicado para se controlar, tesão masculino e nojento" O que vcs querem claramente e usar a violência vil contra mulheres como cavalo de troia para criminalizar qualquer desejo masculino por mulheres.
Eu desafio qualquer uma me desmentir aqui.

Anônimo disse...

Hum, falar sobre os protestos escrotos que rolaram ontem na UFPel ninguém quer falar né? Feministas radicais (sempre elas) nuas e se masturbando em público, isso já era horrível, mas ai como não bastava de escrotidão elas resolveram fazer xixi em baldes e tacar nas paredes da universidade, fizeram os alunos perder 1 dia de aula. Tenho nojo dessas rads, nojo apenas.

Pri Leone

moça latino-americana disse...

Anônimo (9:37), acorda pra vida, meu filho.
A questão é o "desejo masculino" intervir sistematicamente na vida da mulher. A questão é o "desejo masculino" objetificar a mulher, sexualizá-la ao máximo. O bom dia pode ser considerado um assédio e machismo quando você não está acostumado a desejar bom dia à estranhos, muito menos quando são homens. No momento em que você percebe uma representante do gênero feminino, você se sente no direito de cumprimentá-la. Por que? Reflita um pouco, não é possível que seja tão burro assim.


No mais, adorei o post do blog, como sempre. Sem querer ser chata, venho também divulgar meu blog de literatura feminista. Ainda se trata de um projeto embrionário, mas que já está no segundo texto, que conta com um relato de uma experiência que tive logo no início da faculdade - relato de ASSÉDIO, de MACHISMO. Espero que gostem e, se assim for, repassem o link às companheiras de luta! Acessem: http://minacontamina.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

Anônimo das 09:37!!

Já começou o mimimi e choro da Cantareira?!!

Se você não sabe a diferença entre um "bom dia" a um "gostosa, bucetuda, vou te chupar, vou te comer, vou passar na na tua bunda, vou agarrar teu peito, etc", então vice é mais IMBECIL que eu imaginava!!

Aliás vc tem algo contra lésbicas? Saiba que a maioria das ativistas são heteros e a maioria das lésbicas não pertencem à nenhum movimento.
Aliás eu sou casada com um homem maravilhoso, coisa que vc nunca será.

Quanto ao " desejo masculino por mulheres", meninas de 10, 11, 12 anos são "mulheres" pra você?
Saiba que garotas entre 10 a 13 anos estão entre boa parte do número de pessoas do sexo feminino a receberem os piores tipos de cantada, especialmente de homens com idade de serem país e avôs delas!

Pronto já desmenti toda sua choradeira e merdas escritas. Agora pode para mamãe preparar seu Todynho e reclamar em chama como as mulheres são injustas e malvadas de não deixarem "homens bonzinhos" como vc encoxarem elas nas conduções.

Anônimo disse...

Sua misândrica má!

Vem logo aqui que eu te dou um beijo e um abraço hahaha <3

Anônimo disse...

Ps: pedir pra mamãe preparar Todynho

Reclamar em chans.

Pode voltar a chorar kk

B. disse...

"magistério não é profissão masculina"

Então magistério é profissão que deveria ser exclusivamente feminina?
Achei que eram os machistas que diziam isso.

Anônimo disse...

Uma senhora ou senhor dizendo que te nojo das feministas radicais, porque oras, vejam bem: "...Feministas radicais (sempre elas) nuas e se masturbando em público, isso já era horrível, mas ai como não bastava de escrotidão elas resolveram fazer xixi em baldes e tacar nas paredes da universidade, fizeram os alunos perder 1 dia de aula. Tenho nojo dessas rads, nojo apenas."
Será que essa coisa, alias esse senhora ou senhor, como queiram, odeia também com tanta veemência os estupros ocorridos nas dependências das universidades? Ou será que ele acha que as mulheres universitárias podem perder a vida, mas eles perder um dia de aula??
Quanta hipocrisia!
Imagina se não lutássemos?

Isso é só o começo...

Anônimo disse...

*na~o podem perder um dia de aula?

B. disse...

"Primeiro quem oro em comunidade e conheço muito carinha do movimento que trata melhor as meninas que os ditos "homens de bem" machistas e misóginos que tem por ai. Segundo que você deve observar o contexto social que levou este menino a isto, logico que errado"

É incrível! Agora traficante trata mulher bem? Onde??? E ele foi "empurrado" pro crime? Não estamos falando de "mula" ou "aviãozinho", e sim do traficante...é cada uma...

Anônimo disse...

Sou a favor de medidas preventivas contra o abuso:

Castração química geral para os homens, só suspende a medicação depois que uma mulher se interessar e quiser um relacionamento com o indivíduo.

E se for acusado de assédio, vasectomia no molestador!

Anônimo disse...

Anon 10:24,
De que adiantaria vasectomia? Só não haveria filhos no caso de estupro! A violência continuaria....

Amazona Misândrica disse...

Feministas neuróticas que querem acabar com o namoro! Tá mais que claro que o total desconhecido na rua que grita "gostosa", "vou te chupar" dentre outros está te paquerando, quer casar com você e ter filhos, uma casa na praia e um cachorro. Inclusive, é assim que os casais se formam, vocês não sabiam? O sujeito grita algo do tipo para uma total desconhecida (não importa se ele já for casado, não importa se a moça tiver a idade para ser filha dele) e ela vem correndo aos seus braços, eles se beijam e no outro dia eles se casam e vivem felizes para sempre. Toda hora acontece isso.

É claro que foi uma gentileza do rapaz da transportadora se oferecer para ficar com a menina, que ele nem conhecia, para passar a noite. Tipo, isso acontece bastante no filme pornô que a moça pede uma pizza e o entregador e ela descobrem que foram feitos um para o outro.

Anônimo disse...

Cadê as feministas pra protestar contra a morte de thaiure Silva de Araújo que foi morta por outra MULHER na Bahia com 50 facadas????

Anônimo disse...

Mulher de bandido que não agride ela é tipo os caras que não batem de mulher mas só tem amigo que faz revenge porn e bate na namorada, ou seja, pode ser inocente, mas compactua com a violência generalizada na sociedade, que atinge principalmente outros homens, mas também mulheres.

Anônimo disse...

Quem vê até pensa que vcs estão indignados com a morte dessa moça

Anônimo disse...

A cada 1 h e 30 min uma mulher é morta por um homem no Brasil.

Nada mais a declarar

Anônimo disse...

kkkkk ainda tem gente que defende masturbação em público e mijada na parede da universidade?? Eu repudiei totalmente o ato e isso não significa que eu não seja contra os abusos cometidos na universidade. Você ou não pensa e apenas age conforme te mandam agir ou está sendo propositalmente intelectualmente desonestx só pra botar lenha na fogueira. O que elas fizeram foi ERRADO e ponto final. Não sejamos sexistas, se um homem fizesse a mesma coisa seria cadeia, logo nós mulheres não temos direito de fazer isso também. Defender absurdos como esse so mostra que as rads não estão nem ai pras demandas do feminismo, não se importam com problemas e com nada, pra elas basta posar de misândricas e chocar a sociedade que tá bom demais. Lamentável essa regressão, lamentável.

Pri Leone

Rafael Cherem disse...

Alucinado e você, você nunca passou por isto em locais públicos para saber o quanto o assedio masculino e nojento e perturbador, e sim em todos os aspectos inclusive no que você deve considerar uma "simples paquera sem nada de mais"
e sim meninos também não devem serem tocados, mas quem toca meninos para abusar em 100% casos e homem não mulher, mulher não sofre desta parafilias sexuais escrotas que vocês fazem questão de perpetuar, e muito pedir para homem se humanizar e ver mulheres e crianças como serem humanos?.

Mulher não sofre de parafilias sexuais?Tá bom, vc falou tá falado.

Para o anônimo das 11:55, o caso do suposto casal lésbico pode ter sido motivado pelo machismo sim, porque não?

Anônimo disse...

Alguém tem link para esta notícia para a gente saber direito o que ocorreu e se foi rad quem fez isso?

Anônimo disse...

Será que elas limpara o xixi das paredes depois?

Anônimo disse...

Acho mijo em parede bem menos nojento que porra na cara.

Anônimo disse...

Anon das 11:55 qual foi a MOTIVAÇÃO do crime? As duas eram namoradas e uma matou a outra por não querer se separar? No caso delas serem namoradas, a assassinada traiu e a assassina quis se vingar? Nesse caso, é feminicídio. Se uma matou a outra por dinheiro, raiva ou qualquer outro motivo que não o fato da vítima ser mulher então não é feminicídio. Que tal você sei lá, LER a lei antes de ligar a metralhadora de bosta?


Pri Leone, você fica indignada com os caras que dia sim outro também fazem xixi nas paredes e cantinhos da universidade? E com os que cagam no meio da rua, e deixam lá pros outros terem uma surpresinha agradável, quem sabe até pisar? Ah, e a pergunta de um milhão de dólares: quando você vê um troglodita se masturbando na rua, principalmente se for na frente de uma escola, você fica indignada, grita, corre e vai chamar a polícia? Vai chorar em sites feministas? Acho que nem preciso que você me diga a resposta..

Rafael Cherem disse...

Sou a favor de medidas preventivas contra o abuso:

Castração química geral para os homens, só suspende a medicação depois que uma mulher se interessar e quiser um relacionamento com o indivíduo.

E se for acusado de assédio, vasectomia no molestador!

Tai uma pessoa que não entende nada de violência, releia o blog e vai entender que violência contra a mulher tem mais haver com poder do que com sexo.

Anônimo disse...

http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2015/10/ato-de-jovens-feministas-causa-polemica-na-ufpel-4889428.html

Segue o link da matéria, não sei nada sobre essa fonte pq foi a primeira que vi no google, mas tem no g1, e nos outros grandes portais também.

Pri Leone

Anônimo disse...

13:11

Claro que sim! Fico indignada com qualquer atitude dessas seja praticada por quem for.
Já denunciei um vizinho nojento que ficava se masturbando na janela da casa dele enquanto o pessoal passava, não sou sexista e não faço distinção de atitudes ridículas por sexo. Declarar-se feminista não te dá passe livre pra ser idiota e fazer a merda que quiser.

Pri Leone

Anônimo disse...

Pri,

A matéria que vc postou não falou de masturbação em público, mas a do G1 cita isso (quando uma das jovens tirou a roupa e fez isso em público).

Só não tenho tanta certeza de que se trata de uma manifestação rad. Pelo pouco que eu conheço delas, elas são contra manifestação de mostrar os seios pois acreditam que isso é erotizar a opressão. Em todo o caso, não acredito na efetividade de ações como essas se a finalidade é ser contra a violência da mulher, acho que isso só reforça estereótipo de feminista berradora.


A.

Anônimo disse...

Que legal Pri Leone, o mínimo de coerência você tem. Mas deixa eu te dizer que você tá distorcendo um pouco as coisas. Leia:

"Pelo menos dez jovens dançaram e cantaram, encenaram situações de violência contra mulheres, como estupros, espancamentos e feminicídio. Algumas urinaram em baldes e jogaram nas paredes do prédio do instituto para protestar contra homens que urinam nas ruas. Outras consumiram bebidas alcoólicas durante o protesto e há relatos de uma jovem que teria se masturbado na rua."

O protesto foi jovens cantando e dançando, encenando situações de violência contra a mulher. Uma só se masturbou na rua-e ninguém sequer sabe se essa moça estava no meio dos protestos ou se só chegou de gaiata. Se só uma mulher se masturbou isso não era parte do protesto; se fosse, todas teriam feito o mesmo. E andar sem a blusa é outra maneira de protestar, questionar, vide o pavor que as pessoas tem de uma mulher que tira a roupa. Por que mulher sem roupa na Marcha das Vadias e em protestos na faculdade não pode, mas outdoors da playboy com mulheres nuas, mostrar o pênis pras calouras e levar pornografia e boneca inflável pra faculdade pode?

Aliás, a única mulher que eu já vi se masturbar na rua foi uma senhora doente mental que ronda as ruas próximas ao meu trabalho. Nunca vi uma mulher além dessa senhora se masturbar na rua-e nem mesmo na Marcha das Vadias as mulheres fazem isso.

Quanto a jogar urina no prédio, provavelmente acharam que só assim seriam ouvidas. Porque, né, mulher só é ouvida quando grita. Quantas vezes fizeram ouvidos de mercador pra elas quando reclamaram? E por que se escandalizar quando elas fazem mas homens podem urinar à vontade na rua que tá tudo bem, ninguém diz absolutamente nada? Provavelmente esse ato foi feito pra ser um choque mesmo, pra fazer as pessoas pensarem por que se horrorizam e protestam quando uma mulher urina em público mas nunca fazem nada quando é um homem urinando na rua. Já que ninguém presta atenção na conversa civilizada...

Enfim, um monte de meias verdades, distorções e doses elefantinas de machismo. Porque urinar no prédio só é escândalo e absurdo se mulheres fizerem, mas se os alunOs botarem o pau pra fora e urinarem no prédio ninguém diz nada... porque as alunas tirarem a roupa num protesto é absurdo, mas levar uma playboy ou boneca inflável pra faculdade e mostrar o pau pras calouras é ok... na boa, Pri Leone, se vocês machistas só entendem essa linguagem vai ter gente por aí disposta a usá-la. Quer o fim desses protestos? Acabe com o machismo.

Anônimo disse...

Acho que toda mulher deveria fazer sua lista de horrores e postar numa rede social... seria bem chocante para os homens, principalmente... rola uma campanha, Lola?

Anônimo disse...

Então se um cara estiver se masturbando discretamente e vocês por acaso o virem fazendo isso, mesmo que ele nem encoste em vocês, vocês acham que ele deve ser punido???

Anônimo disse...

Anônimo das 15:08

Se uma mulher tiver com a mão enfiada entre as pernas e for flagrada, vai ser um festival de gente gritando "vagabunda", então não tem que ser considerado " natural" se for homem que estiver fazendo o mesmo.
Claro que não estou dizendo que mulher fazer é certo e homem errado, to querendo dizer que nossa sociedade é tão machista, hipócrita e permissiva que se uma mulher fizer vem uma enxurrada de xingamento e homem quando faz pior, povinho escroto acha que ele tá sendo "macho".
Local público NÃO é local de punheta!! Não interessa que não esteja escontando em ninguém.
Em casa, qualquer um faz o que quiser, desde que desse " que quiser" não envolva algum ato criminoso.
Então quer bater punheta, bate em casa e seja feliz, ninguém tem obrigação de aturar punheta alheia. Entendeu ou quer que eu desenhe?

Unknown disse...

Sou simpático ao feminismo em suas demandas justas como o combate a violência, a equiparação de salários etc, etc...

O resto é delerio das radicais amazonas, que querem subjugar o homem, sacralizar a mulher, querem probir o desejo, o eros, a paquera e criminalizar o sexo, o estereótipo da feminazi existe

Anônimo disse...

Unkown, o estereótipo de feminazi de fato existe, mas é minoria. Infelizmente usado como argumento contra todo o movimento, mas pelo que vejo, são bastante combatidas pelas próprias feministas quando saem de seus grupinhos isolados.
Em tempo: depois da análise da 14:02, não estou dizendo que essas meninas sejam estereótipo de feminazi. Eu teria sido contra o raio dos baldes de xixi, mas não era eu lá protestando, né. Só espero que elas tenham ajudado a limpar depois - afinal, muito provavelmente, outras mulheres teriam que fazê-lo.

Anônimo disse...

Fosse eu essa professora, teria terminado meu relato perguntando ao aluno e aos outros (os homens) quantos relatos de assédio eles tem até a presente data, na ausência de relato, porque dificilmente teria algum, pediria pras alunas levantarem a mão quem já tinha sido assediada alguma vez na vida.

Sara disse...

quanta preguiça de homem se justificando. "mas eu não faço isso, uma vez eu até ajudei uma moça mimimimi"
depois as mimizentas somos nós. meu namorado surgiu com uma comparação que achei hilária. é a síndrome do aluno de ensino fundamental: o professor chega e dá aquela bronca falando que a turma não está fazendo os deveres de casa. alguns alunos levantam a mão e gritam: "professor, EU sempre faço os deveres!", "eu tbm, professor, eu faço!"
é óbvio que a bronca não foi pra esses alunos. mas por motivos de praticidade, também pra não ficar apontando cada aluno, a bronca é geral. e cada um sabe se a merece ou não. ou deveria saber.
mesma coisa com esses homens, que PRECISAM o tempo todo afirmar que não agem assim, que são bons, que são homens diferentes. migos, que ótimo, mas não é mais do que a sua obrigação: ser uma pessoa boa, tratar a todos bem, etc. e se vcs sabem que são boas pessoas, sabem também que a bronca não é pra vcs. ou não sabem?

Anônimo disse...

Anôn das 15:17:

Então deveríamos trabalhar mais na emancipação da mulher neste caso, da não esteriotipização da mulher, e não na punição do homem neste caso. Não acha?

Anônimo disse...

emancipaçao da mulher pelo direito de siriricar no transporte publico?

Anônimo disse...

Pessoalmente, não me importo que siririquem onde tiverem vontade.

Anônimo disse...

Ninguém entendeu o que quiser dizer!!
Não falei que mulher pode de masturbar em público e homem não, falei que quem quiser bater punheta(seja a masculina ou a feminina) faça no conforto do seu lar!!
Só quis dizer que se uma mulher "bater uma" em público (não to dizendo que é certo!) vai vir uma enxurrada de moralistas e hipócritas gritarem "vagabunda" pra ela e se um cara bater punheta e ainda encostar em uma moça, não vai faltar imbecil pra eloguar ele.
Repetindo punheta(seja de homem ou de mulher) é pra bater em casa.
Vocês mascuzinhos são o cúmulo do analfabetismo funcional PQP!!!!!

Anônimo disse...

Ah minha tia fala sério, onde que não é escroto um homem bater ´punheta em público?

Anônimo disse...

Eu toco siririca no trabalho, escondida, e as vezes no carro, discretamente, mulheres tem de fazer isso sempre.

Anônimo disse...

Primeiro tia é aa puta que te pariu pq tenho 21 anos.
Segundo meu TIOZAO, sempre tem um babaca pra defender homem doente que bate punheta em público, que defende encoxador e até tem misógino que defende estuprador.
Se vc se ofendeu, vai procurar uma rola e não enche o saco!

Flavia disse...

Ser "tia" não é defeito. Menos preconceito. por favor.
Se a mulher se masturba em público todo mundo acha bonito, mas se o homem faz o mesmo, ele é demonizado.

Anônimo disse...

eu tava tentando entender o que o cara queria dizer com "em vez de punir ozomi, vamos emancipar as mina" :P tipo, entao vamos deixar quieto os caras q tocam punheta no metro? desde q as minas tbm possam? wtf, quero q se fodam os caras q fazem isso, eh nojento


todo mundo acha bonito mulher se masturbar em publico? AHUHUAHUAH nunca nem vi isso acontecer. mas caso aconteça, acha bonito se for gata, obvio, ne?
eu tenho certeza absoluta de q se uma mina se masturbasse em publico, ela teria muitas, muitas chances de ser estuprada, no minimo assediada. porque se usar saia curta eh "pedir", imagina tocar uma pra todo mundo ver (como alguns homens fazem em publico)

Anônimo disse...

"Pessoalmente, não me importo que siririquem onde tiverem vontade."

Que omi generoso. Tragam um Oscar pra ele!

Anônimo disse...

"eu tenho certeza absoluta de q se uma mina se masturbasse em publico, ela teria muitas, muitas chances de ser estuprada, no minimo assediada."

Que absurdo vc dizer isso. O omi não se importa que nós siririquemos em público porque ele é generoso. Não tem nada a ver com justificar estupro a siririqueira.
Imagina se eles iam fazer uma coisa tão baixa dessas, esses anjinhos..