sexta-feira, 11 de setembro de 2015

POR QUE HOMENS HETEROSSEXUAIS TRANSAM UNS COM OS OUTROS?

Outro dia li num livro da Elisabeth Badinter uma pesquisa que me surpreendeu: que, na França, o número de mulheres que haviam feito sexo anal era igual ao de homens que já fizeram sexo anal com homens, cerca de 30%. Só que não há 30% de homossexuais. 
Ou seja, tem muito homem hétero que já transou com homem e nem por isso se diz homossexual, ou bi. 
E então vi essa entrevista de Jesse Singal com a professora americana Jane Ward, que acabou de publicar um livro sobre sexo entre homens hétero (e brancos). A entrevista é longa, mas fascinante. Pedi ao Luan para traduzi-la, e ele aceitou (super obrigada, Luan!). 

Anúncio inocente da década
de 1940
Há uma divisão bem clara entre os gêneros na forma como os norte-americanos lidam com heterossexuais que se envolvem em atividade homossexual. Quando mulheres heterossexuais dão uns amassos entre si em um bar ou festa, em geral entende-se que elas estão simplesmente querendo chamar atenção ou explorando o espaço fluido que é a sexualidade feminina. Quando homens heterossexuais se envolvem fisicamente, por outro lado, isso é visto como um ato de desespero — como no caso de detentos — ou como uma indicação de que, embora se digam heterossexuais, não o são realmente — como no caso de parlamentares descreditados do Partido Republicano.
Esta divisão deriva de um entendimento comum da sexualidade humana: a versão feminina dela é mais maleável, mais inerentemente aberta à experimentação e à variedade do que a versão masculina. Em Not Gay: Sex Between Straight White Men (em tradução livre: “Não gay: sexo entre homens brancos heterossexuais”), lançado no mês passado pela NYU Press, Jane Ward, uma professora associada de estudos feministas da Universidade da Califórnia, campus de Riverside, argumenta que esse é um entendimento falho
Poster homoerótico de 007
Operação Skyfall
Assim, ela mostra que o contato homossexual tem sido um elemento regular da vida heterossexual desde que os conceitos de homo- e heterossexualidade foram originalmente criados — não só em prisões, fraternidades e no meio militar, mas em clubes de motoqueiros e até em bairros suburbanos conservadores. Como se trata de um comportamento prevalente em tantos contextos diferentes, Ward sugere que é hora de parar de criar justificativas para ele — e defende que a concepção social da heterossexualidade masculina é irrealista e conveniente.
Science of Us conversou com Ward sobre seu livro.

Parece realmente que há esta ideia de que as mulheres podem fazê-lo sem serem vistas como homossexuais, enquanto no caso dos homens, ou há alguma explicação para justificá-lo, ou eles são gays e só não o percebem ou reconhecem.
Sim, e não é só uma espécie de sabedoria convencional ou ideologia conservadora que ensina isso. Eu acho que há muita pesquisa sexológica e psicológica sugerindo que a sexualidade masculina é mais rígida que a feminina e que as mulheres são mais sexualmente fluidas, de forma inerente. 
E o que eu argumento no livro é que mesmo essas pesquisas estão baseadas em crenças antigas sobre a diferença fundamental entre homens e mulheres que não são coerentes, de uma perspectiva feminista. É interessante porque, se você analisa esta crença de que a sexualidade feminina é mais receptiva, mais fluida, suscitada por estímulos externos, que as mulheres têm a capacidade de meio que se excitarem sexualmente com tudo e qualquer coisa, isso só reforça o que queremos acreditar sobre as mulheres, que é a noção de que as mulheres são pessoas sempre sexualmente disponíveis.
Com os homens, por outro lado, a ideia de que eles têm este impulso heterossexual programado para procriar e de que isso é relativamente inflexível também reafirma, de certa forma, a política da heteronormatividade e também, francamente, do patriarcado. Então, para mim, um atrativo interessante no livro foi pensar sobre por que estamos contando esta história tão diferente sobre a sexualidade feminina.

Você leva os leitores a uma espécie de passeio norte-americano, no século XX, pelo envolvimento heterossexual no comportamento homossexual e nunca houve evidências insuficientes de que tal envolvimento ocorreu de fato. Você escreve sobre a atividade homossexual em clubes de motoqueiros, por exemplo — um membro do Hell’s Angels, descrevendo, entusiasmado, uma relação homossexual por dinheiro, memoravelmente disse a Hunter S. Thompson: “Porra, cara, o dia em que sou chamado de viado é o dia em que eu deixo uma dessas bichonas me chupar por menos de dez dólares”. Este tipo de coisa meio que sempre acontecia em várias situações e contextos culturais diferentes, certo?
Sim, exatamente, mas o que é interessante sobre todos esses relatos é que, como estamos tão comprometidos com esta narrativa de que a sexualidade masculina é biologicamente limitada e só pode ser desviada de alguma forma pelas circunstâncias mais extremas, os autores desses vários relatos sempre parecem chegar à conclusão de que foram exatamente as circunstâncias únicas e particulares daquele contexto que explicam por que homens heterossexuais agiriam homossexualmente.
Então, no caso das prisões, diziam: Bem, isso só aconteceria na prisão, porque não há mulheres disponíveis, e assim nós explicaríamos esta situação. E as pessoas observando os militares diriam: Isso só aconteceria no meio militar, mas ninguém que estivesse comentando o caso das prisões e dos militares iria reparar no que estava acontecendo em banheiros, bares, salas de estar, clubes de motoqueiros ou todos os outros contextos em que, francamente, não há essas restrições. 
E, apesar de não haver nenhum motivo urgente para fazê-lo, os homens ainda estão fabricando justificativas para tocar os ânus uns dos outros. Essa foi então uma das questões-chave ao longo do livro: o que acontece quando juntamos todas estas evidências? O que podemos deduzir sobre a heterossexualidade masculina?

Eis a sua chance: São
HOMENS o que queremos
Um dos exemplos mais interessantes que achei de justificativas foi no estudo da cultura do “tearoom” na década de 1960 — como você escreve no livro, a “prática disseminada de sexo oral ativo e receptivo envolvendo homens casados, identificados como heterossexuais, em banheiros públicos semi-isolados, nas proximidades de parques, metrôs e pontos de parada nas estradas”. Nesse caso, o sociólogo que estudou esse fenômeno criou a teoria de que, como estes homens e suas esposas eram católicos e não podiam usar camisinha e como não queriam ter mais filhos, os homens eram forçados a buscar sexo secretamente em banheiros com outros homens.
Exatamente, exatamente. Refiro-me a isso no livro como a lógica da necessidade homossexual, e isso aparece muito, este argumento de que os homens precisam fazer isto por razão X ou Y. Simplesmente não há escolha. Acho que as pessoas estão realmente comprometidas com essa ideia, porque significa que os homens não estão escolhendo a homossexualidade por livre e espontânea vontade, o que então mantém intacta a sua identidade heterossexual, de acordo com essa lógica vigente.
Quando se considera o contexto das fraternidades [e dos trotes, no contexto brasileiro], a coisa é quase burlesca, porque a lógica lá é a seguinte: Bem, estes garotos precisam participar de um “elephant walk” [segundo o Urban Dictionary, forma de trote em que os participantes se organizam em fila e andam em círculos, enquanto cada um tem de segurar com uma mão o pênis do rapaz atrás e com a outra tocar o ânus do rapaz à frente], porque o veterano diz que eles têm de fazê-lo e porque, se não fizerem, eles não entram naquela fraternidade
Quero dizer, eu certamente acredito que a pressão do grupo é real e que deve ser levada a sério, mas não acho que os participantes estejam realmente temendo pela própria vida, com medo da violência ou o que seja, em todos os casos em que se submetem a um “elephant walk” — e estes são os mesmos garotos que, dois anos depois, fazem isso com outros.
A evidência fotográfica de um “elephant walk” no livro é realmente relevante, a meu ver. Porque eu acho que, quando as pessoas ouvem estas histórias, elas frequentemente imaginam meninos heterossexuais tristes, nauseados e trêmulos que estão sendo forçados a fazer este tipo de coisa, mas então você vê as fotos e percebe que há muitos sorrisos e risadas. 
E eu acho também que o motivo pelo qual um homem heterossexual pode apreciar rituais como o “elephant walk” ou a cerimônia de cruzamento da linha do Equador que eu descrevo [um ritual de trote da marinha “envolvendo sujeira, penetração anal e anilingus” para celebrar a primeira vez em que um marinheiro cruza a linha do Equador — veja um suave exemplo em vídeo, ao som de “Santeria”, de Sublime] é que eles não consideram de forma alguma esses rituais como atos sexuais. 
Assim, não há a sensação de Meu Deus, estou fazendo esta coisa gay. Em vez disso, eles estão pensando: Estou fazendo esta coisa nojenta. Estou fazendo esta coisa hilária. É como se estivessem beijando um peixe ou algo assim. Simplesmente não é percebido como sexo.

Certo. Sendo criado como um homem heterossexual, há esta categoria de piada: Se você é realmente heterossexual, você deixa um cara masturbar você, porque não é nada de mais, porque você é heterossexual, na verdade — esse tipo de piada e diálogo é a matéria-prima dos filmes de bromance [uma grande amizade entre homens, vista frequentemente em comédias]. Você enxerga isso como uma forma de expressar a heterossexualidade, ainda que o contexto pareça gay visto de fora?
Exatamente. E esse é precisamente o argumento que eu apresento sobre como e por que é possível que estas práticas homossexuais ratifiquem a heterossexualidade, porque elas promovem uma oportunidade para que homens heterossexuais demonstrem: Eu sou tão heterossexual, que eu posso fazer isto sem que haja nenhuma consequência para a minha orientação sexual cotidiana, que é heterossexual.

Meus exemplos favoritos disso foram aqueles classificados de encontros casuais do Craigslist que você incluiu no livro, como este aqui:
"Procuro um PARCEIRO MASCULINO DE MASTURBAÇÃO para ver PORNÔ HETEROSSEXUAL — 29. Homem branco masculino e atraente aqui... procurando outro homem branco atraente para vir à minha casa e gozarmos gostoso lado a lado. Apenas pornô heterossexual. Prefiro heterossexual, usuário casual etc. Não curto gays em geral."
Muitos destes anúncios, que são, afinal de contas, escritos por homens ostensivamente heterossexuais à procura de contato homossexual, são formulados nesta linguagem hiper-heterossexual.
Sim, e muitas pessoas que leem estes anúncios dizem: Ah, por favor. Eu acho que eles são gays, na verdade, e só estão fingindo ser heterossexuais. E é claro que não há como eu verificar isso, mas houve alguns sociólogos que contataram estes homens, pediram uma entrevista com eles e relataram que muitos deles realmente se identificam como heterossexuais em suas vidas. 
Mas o que eu descobri ao comparar esses anúncios com anúncios escritos por homens gays na seção “homens procurando homens” em vez da seção de encontros casuais e que especificavam que se destinavam a homens másculos — que é o código do homem gay para esse tipo de coisa — é que os anúncios publicados por estes homens heterossexuais continham muita homofobia. Há muito “odeio bichas” e muita ênfase em como eles vão falar sobre mulheres. Eles vão ver pornô heterossexual. Alguns deles dizem que vão encenar uma fantasia de estupro ou falar sobre gang bang.
Então isso, a meu ver, é, ao menos culturalmente, muito diferente da tradição de homens gays interessados em gays másculos. É algo assim: Eu quero fazer um tipo de sexo que está tão profundamente enraizado na cultura heterossexual, que me fará lembrar aqueles círculos de masturbação de que adolescentes heterossexuais podem ter participado.

E parece que, nas mesmas circunstâncias, homens brancos têm uma flexibilidade muito maior para tentar conseguir isso do que homens negros.
Exatamente. Acho que muita gente que leu a sinopse sem ter lido o livro ficou confusa com o motivo pelo qual o livro se concentra em homens brancos, e foi uma decisão consciente que tomei. Tem havido muito interesse e discussão sobre a fluidez sexual e a “heteroflexibilidade” nos últimos dez, quinze anos nos EUA, e tem-se concentrado em garotas beijando garotas para o prazer dos espectadores masculinos ou em homens negros e, em menor proporção, latinos que estão no armário. 
E todos esses relatos têm ficado restritos, no caso das mulheres, ao que está havendo com as mulheres e com a feminilidade que permite este tipo de comportamento. No caso de homens negros e latinos, a questão é: O que está havendo nestas comunidades étnicas que facilita este tipo de prática sexual?
Mas aos homens brancos ninguém nunca pergunta o que está havendo na cultura branca ou que elemento da masculinidade branca está tornando possível este tipo de prática sexual. Mas essa é exatamente a pergunta que deveríamos estar fazendo, porque homens brancos — homens brancos que se identificam como heterossexuais — têm-se envolvido em encontros íntimos desde a invenção da heterossexualidade e homossexualidade como termos médicos no final do século XIX e, mesmo assim, muito pouca atenção tem sido dada a isso. 
Então, sim, eu diria que, como os homens brancos são entendidos como os exemplares idealizados, mais normais, da sexualidade humana natural, emprega-se muito esforço e atenção para desculpar qualquer coisa que eles fazem ou racionalizar qualquer coisa que eles fazem que possa perturbar essa visão, o que não acontece com as mulheres ou os homens não-brancos.

Outra justificativa para a atividade homossexual entre homens foi esta ideia de os homens buscarem sexo com outros homens porque há menos obrigações — sem pressão, sem estresse, sem romance. Você pode falar um pouco sobre isso?
Bem, esse é um argumento que, novamente, psicólogos e psicobiólogos têm comumente usado, e esses tipos de argumento, a meu ver, infiltram-se na cultura mais geral e assim os próprios homens sabem quais justificativas têm legitimidade. 
Se você conseguir que um homem heterossexual converse com você sobre por que ele está transando com homens, é bem provável que ele recorra a um pequeno conjunto de narrativas aceitáveis sobre por que homens fazem coisas assim, e eu acho que essa é uma muito comum, sabe, a narrativa da restrição — Bem, eu preferiria transar com uma mulher, mas não há mulheres disponíveis ou Mulheres são muito complicadas — este tipo de coisa. Mas eu não caio nessa.
Não que eu ache que esses homens heterossexuais saibam o verdadeiro motivo — eu acho que eles frequentemente não sabem. Acho que nós não temos uma linguagem corrente na cultura dominante capaz de ajudar homens heterossexuais a decifrar ou explicar seus encontros sexuais com outros homens, enquanto as mulheres heterossexuais, quando têm encontros sexuais com outras mulheres, dispõem de uma série de narrativas socialmente aceitáveis a que podem recorrer: Bem, eu simplesmente acho mulheres atraentes — elas são lindas, mas é claro que eu sou heterossexual
Elas podem dizer quase qualquer coisa e escapar impunes, mas os homens heterossexuais dispõem de muito poucos recursos para compreender essa parte da sua sexualidade, então a primeira coisa que eles fazem é entender isso como não sexual e não pensar a respeito, e, se pensarem nisso como algo sexual, então, sim, todas estas narrativas sobre privação ou restrição entram em ação.

Lendo especialmente a última parte, em que você fala sobre sua própria história, parece que você tem a impressão de que os homens brancos estão ficando de fora de alguma coisa — deixando escapar todas as coisas que eles poderiam sentir-se seguros para explorar como as mulheres fazem. Isso é verdade?
Essa é uma boa pergunta. Primeiro, eu quero dizer que não estou de forma alguma interessada em chamar estes homens de bissexuais ou gays. Estes são homens heterossexuais comuns como todos os homens heterossexuais comuns que, na adolescência ou no colégio interno, ou nas forças armadas, ou em uma fraternidade, ou em qualquer um destes contextos, vivem estas experiências, e é simplesmente parte do seu passado heterossexual. 
E depois eles namoram mulheres, casam-se com mulheres, então de forma alguma eu acho que seja produtivo chamar isso de bissexualidade, que eu entendo como uma identificação própria, significativa e importante da diversidade sexual, e isso não é o que estou descrevendo.
No final do livro, eu realmente sugiro que, se as pessoas heterossexuais querem participar da vida queer, isso vai além do sexo homossexual. Trata-se da subcultura queer, que está ancorada em uma longa tradição de práticas políticas antinormativas, práticas sexuais antinormativas e valorização de uma variedade muito maior de corpos e tipos de relacionamentos e assim por diante, então eu acho que a maioria das pessoas heterossexuais na verdade não quer fazer parte disso. 
Eu acho que as pessoas heterossexuais que se envolvem em sexo homossexual, o que as faz heterossexuais é exatamente o fato de elas não terem nenhum interesse em fazer parte da subcultura queer, então, no último capítulo, eu alego que elas poderiam, se quisessem, mas não querem, e por isso sabemos que se trata de sexo homossexual funcionando a serviço da heteronormatividade.

Outro argumento muito interessante que você utilizou é quando você fala sobre os trotes de fraternidade e outros rituais em que os caras fazem coisas uns com os outros, mas parecem enojados. Você está dizendo que esta mesma espécie de dicotomia estranha envolvendo repulsa e desejo existe no sexo heterossexual também?
Exatamente. Sim, muita gente quis argumentar que o tipo de contato sexual que acontece nos trotes, por exemplo, não é sexo, senão violência, agressão sexual, e sabemos disso porque os homens envolvidos se mostram enojados e humilhados, então eu quero refutar um pouco esse argumento dizendo: Bem, existe muita repulsa na heterossexualidade.
Ninguém se surpreende quando uma mulher jovem e bela se casa com um homem quarenta anos mais velho que ela, mas que é muito rico, e com quem poderíamos esperar que fosse repulsivo para ela transar, porque entendemos o significado circunstancial daquele relacionamento. E, de forma similar, muitos homens heterossexuais, especialmente os mais jovens, têm um relacionamento ambivalente com o corpo feminino, e muitas feministas discorreram a fundo sobre isto. O estado natural dos corpos femininos, o cheiro da vagina, os pelos nas axilas, os pelos nas pernas — homens heterossexuais só se sentem atraídos pelos corpos femininos na medida em que são cuidadosamente modificados.
Em última análise, vemos então que a linguagem do erotismo heterossexual é — e não estou falando sobre fazer amor, mas apenas a linguagem do erotismo heterossexual puro, duro e impetuoso — uma linguagem que nos revela esta relação dinâmica entre desejo e repulsa, em que mulheres são vadias, que você vai “socar”, “estocar”, “destroçar”. 
Eu cito outro ótimo livro de uma socióloga chamada C. J. Pascoe que fez este estudo de meninos em uma escola de ensino médio na Califórnia, e ela fala de como os relatos de sexo dos garotos frisavam aquilo que eles achavam abjeto e repugnante em um corpo feminino — Eu a fodi até ela sangrar, eu a fodi até ela se borrar, eu a rasguei por dentro, esse tipo de coisa. Há, então, alguma coisa na própria formação do desejo masculino heterossexual que pode admitir atração e repulsa pela pessoa, a mulher, sendo penetrada.

Quando você fala sobre os homens dando justificativas para os seus encontros homossexuais que talvez sejam artificiais, porque carecem de um vocabulário para expressar o que realmente está acontecendo, você acha que a solução é simplesmente reconhecer que a sexualidade é complicada, fluida e esquisita para os homens também, que alguns homens simplesmente gostam de chupar outro cara em um banheiro e que isso não diz tanto sobre a sua identidade quanto pensamos? Como podemos encontrar esse vocabulário para falar a respeito?
Bem, o que eu gostaria de ver inicialmente é o reconhecimento mais disseminado de que todo mundo faz sexo homossexual. E, quando digo isso, não estou dizendo que literalmente todo mundo faz — existem pessoas que não fazem sexo e é claro que existem pessoas que nunca fazem sexo homossexual, mas, se vamos falar sobre quem faz sexo homossexual, frequentemente pensamos que, bem, somente pessoas que se identificam como gays, lésbicas e bissexuais fazem sexo homossexual, mas acontece que mulheres heterossexuais e também homens heterossexuais têm muito contato homossexual, o que significa então que meio que todo mundo tem, então acho que seria útil começar com uma consciência maior de que o desejo homossexual é parte da condição humana.
Agora, se tomarmos isso por certo, então a questão é: Bem, por que algumas pessoas querem isso mais do que outras ou por que algumas pessoas organizam suas vidas ao redor disso e outras pessoas não querem que ninguém sequer saiba que elas fazem? Para mim, essa é uma pergunta mais interessante do que A gente nasce gay ou heterossexual? 
Eu acho, então, que a solução, sinceramente, é abandonar a obsessão pelos argumentos sociobiológicos sobre orientação sexual, que eu acho que, francamente, são uma armadilha, e, em vez disso, perguntar: Já que tantos seres humanos têm encontros homossexuais, o que é que leva algumas pessoas a entenderem seus encontros homossexuais como culturalmente significativos e outras pessoas a entendê-los como insignificantes ou circunstanciais? Eu acho que ainda não temos a resposta para essa pergunta.

Julgando pelo que você acabou de dizer e pelo seu livro, parece que você acha que o argumento “born this way” ["nasci desse jeito"] foi em parte uma correção liberal exagerada de argumentos conservadores — um expediente político que tem certas consequências negativas próprias?
Precisamente. Acho que se trata de um argumento que visa a legitimidade e que tem sido efetivo, é um argumento legitimador, mas é evidentemente um argumento heteronormativo, eu diria até homofóbico, porque a lógica é: Bem, é claro que eu nasci assim — quem em sã consciência escolheria uma vida como esta? Ninguém nunca escolheria ser queer, então é claro que deve ser alguma coisa em que não tenho escolha, sobre a qual não tenho controle.
Essa não é a lógica predominante da “justiça racial”, quando o assunto é raça — Bem, é claro que eu seria branco, se eu pudesse escolher. Em vez disso, reconhecemos que as comunidades étnicas e culturas têm em si grande valor, então eu acho que, de forma similar, há muitas, muitas razões para querer ser queer, e, porque esta singularidade [queerness], ao contrário da raça ou gênero, é algo que podemos cultivar em nossas vidas, faz todo o sentido para mim que as pessoas o façam. 
Então acho que, no caso do “born this way”, há uma série de ótimos livros que questionam a ciência em si, o que não é meu projeto, mas, afora as falhas no aspecto científico, eu acho que é simplesmente homofóbico. Você arranha a superfície e logo abaixo você encontra muita homofobia internalizada.
Esta entrevista foi editada e condensada.

207 comentários:

1 – 200 de 207   Recentes›   Mais recentes»
Anônimo disse...

Que interessante esse post, sempre quis saber mais sobre a homossexualidade masculina.

Pros ignorantes que certamente vão vir comentar:

Homem fazer sexo com homem não faz dele homossexual. O que faz dele homossexual é sentir atração física e/ou psicológica/romântica por homens. Você pode fazer sexo com homens e não ser homossexual (exemplo clássico em prisões), e você pode ser homossexual sem fazer sexo com homens (basta praticar a abstinência).

Rafael Cherem disse...

Um adendo, citou exército,marinha, clube de motoqueiro, e esqueceu de citar seminários e mosteiros.

Luana disse...

Minha nossa senhora da bicicletinha, q poster é esse com Daniel Craig e Javier Bardem??? Entendo agora o voyuerismo "masculino" ao ver duas gostosas se pegando. Afinal, dois exemplares de machos ogros numa cena provocante como essa é algo mto estimulante... ai Javier, q hombre q tu és.

Anônimo disse...

Quanto tempo pra aparecer alguém falando "feministas querem obrigar os homens brancos héteros a fazerem sexo gay"? Vou acompanhar.

André disse...

"Quero dizer, eu certamente acredito que a pressão do grupo é real e que deve ser levada a sério, mas não acho que os participantes estejam realmente temendo pela própria vida, com medo da violência ou o que seja, em todos os casos em que se submetem a um “elephant walk” — e estes são os mesmos garotos que, dois anos depois, fazem isso com outros."

Esse trecho não minimiza os abusos que os bixos e bixetes sofrem nos trotes?

André disse...

11:47,

Mas se o cara faz sexo homossexual e gosta então ele não seria pelo menos bi?

Anônimo disse...

Este post e piada? Hétero não faz sexo com hétero, e justamente isto o que o define como hétero, a esquizofrenia coletiva avança cada vez mais inacreditável.

Anônimo disse...

que viadagem é essa?

Anônimo disse...

Eu como feminista ativista lésbica tenho muita empatia pelas mulheres hétero, deve ser muito penoso sentir atração por todo um gênero que lhe vê como inimiga, que lhe odeia e lhe fere na primeira oportunidade. Eu imagino o custo que e isto no dia a dia destas mulheres cativas na heterossexualidade

Anônimo disse...

Lola, a foto do Thor e do Loki se beijando é incesto.

Anônimo disse...

Perfeito post, heterossexualidade e construção social pura, foi como o patriarcado naturalizou o estupro. Homens fazem sexo pleno com outros homens por se verem como iguais, com mulheres eles praticam nada mais que sadismo não sexo, sexo com mulher para eles e um jogo de dominação, só não enxerga que não quer.
e como naturalizaram isto na mente feminina? O mito do amor romântico claro, e muito determinismo biológico também.

Anônimo disse...

Homem tem mais e que se virarem entre eles mesmos.Eu não entendo como se pode sentir atração pelo que nos oprime,homem nem tem atrativo fisico são quadrados funcionais,o pênis e um troço feio danado assustador invasivo. mulheres tem curvas são graciosas.

Anônimo disse...

Agora hétero transa com hétero do mesmo sexo?Ã-hã, qual vai ser a próxima moda?Homens praticando passivos héteros?

Anônimo disse...

Realmente eu mesmo sendo hétero acho bonito ver duas mulheres se acariciando, agora homem pegando homem e grotesco, não tenho preconceito com orientaçao sexual mas e que homem e muito feio visualmente, sem uma mulher no meio fica parecendo um terremoto, sem suavidade nenhuma.

Anônimo disse...

Eu ja vi muito gay dizendo que faz sexo e com homem hétero, que "odeia as passivas" que gosta de homem ativo.

Anônimo disse...

Engraçado que segundo estes dados a chamada "heterossexualidade convicta" masculina e um mito e pode ser desconstruída, mas a feminina não. Ate próprias feministas que conhecem as engrenagens do patriarcado afirmam que heterossexualidade feminina não pode ser desconstruída, quando na verdade sabemos que ela e compulsória, uma lavagem cerebral patriarcal.
Por mais que neguem, fomos doutrinadas por milenios a dormir com os inimigos, cativas.

Rafael Cherem disse...

Perfeito post, heterossexualidade e construção social pura, foi como o patriarcado naturalizou o estupro. Homens fazem sexo pleno com outros homens por se verem como iguais, com mulheres eles praticam nada mais que sadismo não sexo, sexo com mulher para eles e um jogo de dominação, só não enxerga que não quer.
e como naturalizaram isto na mente feminina? O mito do amor romântico claro, e muito determinismo biológico também.

Que cometário imbecil, vc toma as heteros como seres sem vontade, passivos, e que todas se envolvem romanticamente, vê se cresce, sai dessa torre em que vive e vai ver a vida real.

Anônimo disse...

E o que o feminismo tem a ver com isso?

O nível de uosnismos está forte nesse blog, pra mim o feminismo tem que se importar com as mulheres e só.

Feminina Revoltada

Anônimo disse...

Lindo como um omo vem em um blog feminista dizer como uma mulher deve ver isso ou aquilo (SQN)

Anônimo disse...

Isto acontece mais e com mulher que eu vejo, capas de revistas masculinas tem o que? Mulher!
Capas de revistas femininas? Mulher!
Mulher não olha para homem em ambientes comuns(A não ser que algum ostente algum atrativo de destaque social, um cargo,fama, carrão) mulher olha e para outras mulheres, são totalmente indiferentes a presença masculina.
Homem e visual, se exita com a visão de uma mulher nua, mulher olhando homem nu acha e engraçado,a sexualidade feminina esta mais ligada ao toque e não ao visual.

A verdade e que ao contrario do que diz as besteiras desta entrevista achista deste post, a sexualidade masculina e convicta, quando e hétero e hetero, quando e gay e gay, dificilmente vc vê homem bi sexual, e quando vê e ativo. já a sexualidade feminina digamos "derrapa na curva" Ate estas bissexuais que comentam aqui, geralmente tem um marido, mas só se relacionam fora do casamento com outras mulheres, pois o marido não suporta a ideia de outro homem na relação.
Na verdade estas bi são e utilitaristas mesmo, sentem atração e por mulher, mas querem um bocó ultilitário do lado.

Danilo Muller disse...

estavam falando disso no facebook e é claro todo
mundo dizendo que isso é bissexualidade
principalmente os homens- nao sei qual é medo de
alguns homens em falar disso como se fosse
afetar a sexualidade deles- eu vi que muitas mulheres casadas estao infectadas com o virus da aids nao da pra esses homens todos pegarem aids de mulheres ou seja estao transando com homens.

Danilo Muller disse...

eu nao sei da onde vcs tiraram tanta bissexual-
as bissexuais só namoram homens fato- é quase
impossivel ver uma bissexual namorando uma
mulher 13:13 exemplo de todas as famosas
bissexuais que eu nunca vi com mulher- voce diz que as mulheres sao indiferentes a figura masculina e depois diz que as mulheres nao sao visuais entao as mulheres sao indiferentes porque nao sao visuais bota essa porra direito porque ninguem entende energumeno.

Anônimo disse...

Eu conversei sobre algo semelhante com um amigo há algumas semanas atrás.

A conclusão que nós chegamos é que a sexualidade humana é extremamente complexa e que criar caixinhas rotuladas "hétero" ou "homo" ou "30%hetero/70%homo" é limitante.
Sério, assim como provavelmente nossa espécie será extinta antes de compreendermos a imensidão do universo, eu não acredito que aparecerá alguém que nos trará uma explicação satisfatória sobre a sexualidade.

Se vivêssemos numa sociedade que encarasse o sexo e tudo o que o envolve como algo natural e inerente do ser humano, provavelmente essas "categorias" nem existiriam...

Jane Doe

Danilo Muller disse...

existiriam sim 13:39 dar nomes ao comportamento
é humano ate os animais fazem isso só que de
uma forma diferente- existe uma minoria de
homens que só transam com mulheres e eles tem o
direito de se verem como heteros assim como a
maioria das mulheres se veem como heteros- essa
heteronormatividade afeta mais as mulheres mas
os homens sao os que mais sofrem com elas porque
as pessoas nao levam a homossexualidade
feminina a serio eu mesmo nao levo porque nunca
vi uma mulher homossexual que só namore mulher
elas vivem beijando homens nao sei porque
parecem querer mostrar algo ou se a mostrar
enfim independente dessas coisas é inegavel que
as mulheres sempre foram mais heterossexuais
que os homens em todos os sentidos isso tambem
tem varios fatores um deles é que as mulheres
sao menos narcisista nenhuma mulher fica dizendo
sou femea toda hora ou que as mulheres devem
agir como femeas que isso é coisa de femea os gays vivem dizendo a mesma coisa nao sao diferentes dos homens heteros quem nunca vi um gay dizer gosto de macho gosto de homem que anda como macho alguns ate diminuem o feminino.

Anônimo disse...

Isso é muito comum na história ,ja acontece faz muito tempo, quem nunca ouviu falar dos gregos, espartanos que se pegavam, dos romanos, dos samurais? E muitos eram casados mas era totalmente bem visto um homem se relacionar com outro. E quem nunca viu nas carteiras escolares desenhos de penis? E são meninos que desenham...

André disse...

Danilo,

Eu não vi => não existe?

Jonas Klein disse...

Eu incialmente pensei em ler este texto, mas eu pensei eu já li tanta coisa inútil na vida que ler mais uma não vai mudar nada.


O que penso disto tudo e que quem tem qualquer contato sexual, com uma pessoa do mesmo gênero de forma intencional, e Gay Lesbica ou BI, mas heterossexual nunca, heterossexualidade e uma coisa biológica, por isso não comtempla este relativismos ai, nos ate podemos discutir de boa o porque tem tanta gente que não quer sair do armário, e se assumindo Gay, lesbica, BI, mas orientação sexual não cabe discutir, pois ela e biológica e imutável.


Por fim, o que eu queria entender, e o que um post destes faz num blog feminista? sendo que, tem muitos assuntos que envolvem a vida das mulheres, que deveriam ter prioridade aqui, e não um assunto destes.

Anônimo disse...

O Brasil tem uma das maiores populações de trans por isso, várias afirmam em entrevista que pegam mais homens depois de colocarem silicone.

Muitos homens são alucinados pelo sexo. Ficam doidos só de pensar. Dessa forma, qualquer oportunidade de comer um c... na madrugada é aproveitada por esses caras.Somente pensam em c. como uma espécie de trofeu, uma forma de dizer para os amigos.

Por essa razão muitos gays odeiam as trans em razão da concorrência. As trans parecem mulheres, e com isso os mais humildes podem sonhar. Enquanto elas ganham beijos, os gays ganham socos.

O feminismo tem a ganhar se todas as questões da sexualidade humana forem discutidas.

Acredito que com novos tratamentos para DST s aumente a atividade sexual.

Anônimo disse...

Realmente,os gregos viam a nudez feminina como algo feio,sem valor e que somente o sexo entre os proprios homens era um ato digno. O tempo passou, mas muitos homens pensam assim . Bem que eles poderiam ficar somete entre else e deixarem as mulhees em paz, mas isso ja é outra historia...

Anônimo disse...

Algumas pessoas acusam os homens de serem maus, canalhas, opressores.


Será que toda mulher quer somente ter fihos por isso admite ser "estuprada"

Nenhuma mulher ficou com nojo de ter feito sexo com outra ?
Mas nenhuma lésbica bate na companheira? Nas boates lésbicas não ocorrem espancamentos por causa de ciúme? Sério mesmo ???

Muitas mulheres bissexuais se fingem de lésbicas para conseguir sexo oral e presentes. Tanto é que em muita boate homens heteros vão para pegar mulheres bi que chifram suas namoradas.

Anônimo disse...

A verdade e que gays e bonecas pegam mais Bofes que a maioria das mulheres.
Mulher não e carinhosa com homem como nós

Anônimo disse...

E as estátuas gregas da Vênus Calípgia, tradução( Vênus da Boa Bunda??) Eles achavam feia a bunda da Deusa?

Anônimo disse...

Todo cara que sai na noite e consegue transar com uma mulher depois de 2 horas de conversa deve agradecer aos gays, pois assim serão menos dois concorrentes na hora de conhecer alguma mulher.

Acho nossa sociedade muito reprimida sexualmente. Temos de lutar contra dois mil anos de repressão religiosa.

se houvesse mais casais adeptos do amor live o mundo seria mais tranquilo. A monogamia prejudica a.

Anônimo disse...

Por fim, o que eu queria entender, e o que um post destes faz num blog feminista? sendo que, tem muitos assuntos que envolvem a vida das mulheres, que deveriam ter prioridade aqui, e não um assunto destes.

Pela primeira vez ey concordo com algo dito pelo babaca do Jonas, se tem uma coisa que não interessa nem um pouco pra mulher ainda mais feminista e a sexualidade duzomi

Anônimo disse...

Eu também acho pênis a coisa mais feia do mundo visualmente, sempre que vejo foto de um homem nu com aquilo ereto eu lembro do filme do alien quando boca a língua de fora rsrsrs credo.
Eu sou assexual mas se não fosse acho que seria lésbica, homem realmente não tem atrativo físico nenhum, são visualmente muito feios

Anônimo disse...

Lola, quando vc vai colocar com entrevista de casal praticante de swing? Só vi um post criticando um mascu idiota.

Poderia fazer uma entrevista com as líderes do swing no Rio de Janeiro, Paty Lili e Baixinha Sapeca, que criticou o o tário. Ambas são líderes de destaque na cena swinger e por isso podem ser exemplos do poder da mulher.


Muitas mulheres frequentam as boates de swing poer serem esses espqaços feministas que dão poder às frequentadoras, pois são elas que escolhem os parceiros e as parceiras.


Hoje até a Globo está mostrando relacionamentos alternativos à prisão da monogamia. Na atual novela das 21h, há um funkeiro com duas namoradas.


o funkeiro

lola aronovich disse...

A quem pergunta: O que um post desses está fazendo num blog feminista?

Bom, em primeiro lugar, este não é apenas um blog feminista. É um blog pessoal, tem o meu nome no título. Eu escrevo e publico muita coisa que não está relacionada com feminismo, até porque publico um post por dia. Qualquer coisa que eu ache interessante entra. E muita coisa que leitorxs acham interessante, também.

Em segundo lugar, a sexualidade masculina e os tabus em torno da sexualidade em geral tem tudo a ver com gênero e sexualidade, temas muito importantes no feminismo. A mim, como mulher hétero e feminista, tenho muito interesse em conhecer uma pesquisa que discute exatamente o que está no título do post -- porque homens héteros transam com outros homens. Até alguns anos, eu era como o ignorante do comentário do "Que viadagem é essa?". Eu achava que homem que transava com homem, ou mulher com mulher, era necessariamente gay e lésbica, ou bi. E aprendi que as questões da sexualidade e da identidade não ficam nisso. Eu sempre acho muito bom aprender.

Jonas Klein disse...

Anon 14:33

Concordo com você, mas tenha em mente que, não e todo mundo que tem a personalidade para viver o amor livre.


Anon 14:34

Apesar de você ter me dado uma tijolada na cara, obrigado por admitir que quando eu digo algo eu sei do que estou falando.

Anônimo disse...

Sempre soube que há uns 30% de gays enrustidos. Todo cara que volta para casa de noite, sofre assédio de vários gays velhos nojentos, todos com cara de pai de família.


Se o Brasil fosse mais liberado, esses gays não precisariam assediar os homens.

Com marketing a favor do Amor Livre iriamos reduzir em muito o assédio sexual, as traições e os estupros.

A nossa sociedade está mal por conta da repressão religiosa. As relações livres podem nos salvar.

lola aronovich disse...

Funkeiro, não entendo nada de swing, então seria difícil eu escrever um post sobre isso. Seria mais interessante se essa pessoa pudesse escrever um guest post. De toda forma, não tenho o contato delas. Vc tem um email delas?

Anônimo disse...

Pênis e vagina são nojentos.

Anônimo disse...

Até entendi o porquê do texto estar no blog, discutir sexualidade, gênero e tals, mas, na boa, tenho paciência nenhuma pra ler um texto IMENSO (para um blog) falando dos homi.

Esse eu passo.

Anônimo disse...

Muitos homens casados que gostam de sexo anal procuram trans, isso aumentaria as estatísticas.

Como muitas mulheres não fazem o anal, alguns caras procuram travestis. Mas só para sexo.

Assim como muita mulher hetero procura lésbicas ou bis para receber sexo oral, mas sem beijo na boca e sem romance.

Nosso país reprime muito o sexo.

Anônimo disse...

14:39 concprdo com você, a ho o penis nojento, esteticamente para mim o nu feminino tem mais "harmonia" que o mascuino, que fica com aquela coisa a mostra.

Anônimo disse...

https://twitter.com/baixinhasapeca

https://www.facebook.com/baixinhasapecaoriginal?fref=ts

https://www.facebook.com/paty.levada.3?fref=nf&pnref=story

A professora da UFRJ, Miriam Goldberg orientou uma dissertação sobre swing.

A revista eletrônica de Estudos Feministas tem o pdf da tese, muito esclarecedor.


https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/S0104-026X2010000300009



Lola, o swing, menage ou gangbang só acontecem se a mulher permitir, nesse ambiente tudo gira em torno do desejo DA MULHER.

Anônimo disse...

Esqueci de colocar o nome da autora,

Olívia Von der Weid.

Ass.
Funkeiro

Danilo Muller disse...

me mostre a estatistica dessas mulheres procurando "lesbicas" 14:54 primeiro que as mulheres nem ligam para o sexo oral porque sao alienadas desde pequenas acham que sexo oral é só em homem entao para de falar merda. Ninguem disse que namoros homossexuais nao tem problema mas nao tem comparacao com o namoro hetero que tem muito mais casos de agressoes principalmente do homem contra mulher 14:27 tomara que apaguem seus comentarios doentes.

Anônimo disse...

Lola, um fato pouco falado é a prostituição masculina, que infelizmente é muito comum nos subúrbios.

Por causa da fome e da influência da sociedade consumista, muitos garotos de 14 anos se prostituem com gays para comprar smartphones, tênis de marca, relógios, camisas.Tudo em nome da ostentação.

Pois não dá para uma mãe que ganha salário mínimo comprar um Galaxy de 2 mil reais. Em geral a origem é suspeita...

Anônimo disse...

Danilo, vá a uma boate de lésbicas, o número de homens hetero que vai lá se dar bem é enorme. Eles sabem que várias só querem fingir que são lésbicas. Veja o mundo com seus olhos, além de ver as estatísticas.


Assim como muitos caras casados procuram travestis por causa da habilidade do sexo oral e o preço mais em conta.

Muitos seres humanos vivem de modinha e de status, infelizmente. Alguns têm tesão em mulheres fora do padrão mas não ficam por medo da opinião dos amigos. Outros querem aventuras sexuais escondidas por medo da sociedade. Isso é sintoma da sociedade da imagem. Culpa das tvs, da educação falha.

J.M. disse...

"Hoje até a Globo está mostrando relacionamentos alternativos à prisão da monogamia. Na atual novela das 21h, há um funkeiro com duas namoradas."

---> Não é de hoje que essa emissora exibe relacionamentos não-monogâmicos. Deixei de assistir novelas há muito tempo, mas é praticamente impossível deixar de saber do que se passa nessas tramas (extremamente monótonas), e já fiquei sabendo da abordagem da poligamia em outras novelas. Mas é engraçado que é sempre o homem com duas mulheres, por que será, né?

Desculpem, Lola e leitorxs, não tenho intenção de desvirtuar o assunto do post, foi só um comentário de "passatempo", despretensioso...

Jéssica disse...

Para mim isso aí é um jeito bem idiota de n querer ser chamado de gay ou bi.
Meio estranho um homem hétero, transar com outro cara sem sentir o mínimo de atração, até para transar com alguém do gênero que vc gosta tem que haver atração, como é que transam assim do nada com quem vc n sente nada??????

Anônimo disse...

Post muito longo para ser lido, apenas olhei a seleção de homens MARAVILHOSOS. KKKKKKKKK

Anônimo disse...

Já teve um seriado humorístico de uma mulher e dois homens. Em outra novela a personagem da Dira Paes tinha dezenas de amantes e o marido ficou do lado dela.


A sociedade foi reprimida por 2000 anos de religião. Aos poucos vamos avançando.

Se tentar chocar e tentar mostrar tudo vai ter perda de Ibope como Babilônia.

Melhor ir conquistando o povão aos poucos, sem escândalos.

Anônimo disse...

Parabéns pela escolha de fotos. Já começa pela primeira que é maravilhosa..

Anônimo disse...

Foi a Baixinha Sapaeca líder do swing no Riod e Janeiro que esculachou o mascu desse post:
http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2012/12/mascu-faz-sucesso-no-mundo-do-swing.html

Ela deixou o babaca sem ação ao defender a liberdade da mulher.

Anônimo disse...

Muitos maridos gostam de ver sexo ao vivo e são discriminados pela sociedade também, não querem fazer muito sexo, nem com homem, nem com mulheres. Só gosta de ficar num canto assistindo.

Essas pessoas são discriminadas por toda a sociedade, heteros,gays, lésbicas, criticam quem gosta de ter prazer vendo o sexo.

Anônimo disse...

As igrejas espalham preconceito, isso atrapalha a felicidade de muita gente.

Danilo Muller disse...

15:17 onde eu disse que homens heteros nao ficam com lesbicas? se voce souber ler vai ver que em todos meus comentarios eu sempre digo que lesbicas nao existem porque simplesmente todas ficam com homens eu só quero saber em que planeta mulheres heteros procuram lesbicas para sexo oral e homens heteros procuram homens porque nao respeitam suas companheiras as mulheres se importam muito mais em dar prazer entao é falta de respeito as mulheres tao ali preocupadas em dar prazer pra um bando de babacas e eles nao fazem o mesmo e ainda as traem e dizem que elas nao sabem transar.

Danilo Muller disse...

15:38 como assim sexo ao vivo? que eu saiba o sexo é muito mais falado entre os homens nao sei qual é discriminacao que esses homens sofrem por gostar de sexo.

Anônimo disse...

Boates muitas vezes são melhores que sites para vermos como funciona a humanidade.

Muito cara se dá bem com as bis ou lésbicas, pois muitas vezes estas querem fazer ciumes nas ex namoradas. Então a melhor forma de irritar uma les antihomem é ficar com um cara hetero na frente de toda a boate.

Alguns caras só querem amizade com les por isso, sempre tem alguém carente ou com raiva da namorada.

Se um dia vier ao Rio, procure ir à Papag e à 1140, assim vc vai que os caras se dão bem direto.

Anônimo disse...

Danilo, alguns maridos de mais idade, são Voyeurs, só gostam de ver o sexo. Muitos homens com mais de 35 podem ter problemas de ereção durante o sexo, por isso gostam de ver as transas da esposa ao vivo para se excitar. Tudo com amor e respeito.

Sexo pode dar prazer para quem vê, para quem ouve.


Da mesma maneira que muita mulher que não faz anal quer ver o marido com uma trans. É como um filme 3D.

Anônimo disse...

"Lola, o swing, menage ou gangbang só acontecem se a mulher permitir, nesse ambiente tudo gira em torno do desejo DA MULHER."

Me engana que eu gosto.

Mentira. Não gosto não. Você é o inconveniente que estava flodando a caixa de comentários falando sobre menage e swing do post da Natacha Orestes?

Danilo Muller disse...

jessica isso nao tem nada de gay ou bi esses homens sempre namoram mulheres sao casados com mulheres ou seja sao heteros agora vamos a educacao do homem muitos homens acham que ser gay é "dar" e ser hetero é "comer" dar é coisa de "viado" e "mulherzinha" entao pra eles isso nao é ser gay os gregos tinham o mesmo pensamento.

Anônimo disse...

Gostei do post, Lola, pena que sempre tem a patrulha querendo cagar regras no seu próprio blog sobre o que você deveria postar ou não.
E ótima escolha de fotos. Vou lá erotizar minha própria opressão com meu namorado, adoro uma piroca.

Anônimo disse...

Estamos acostumados a pensar em sexo apenas na penetração e/ou sexo oral.

Mas existe gente tendo prazer somente vendo ou somente ouvindo o sexo.

Como existe gente que gosta de apanhar, BDSM etc.

Existe até feminista que curte BDSM. Como tem machão que acha excitante ser "traído".

Danilo Muller disse...

Andre nao é que eu nunca vi entao nao existe as estatisticas tao ai pra provar mas nao precisa de estatisticas quando se tem convivencia.

Anônimo disse...

Anon de 15:55, vc leu a dissertação da Olivia Von der Weid???

Quem escreveu que swing é o ambiente de poder da mulher FOI UMA MULHER, não foi nenhum opressor machista.

Anônimo disse...

A Lola surpreende sempre. Os posts provocam reflexão necessária num mundo de preconceitos.

Força, continue assim.

Danilo Muller disse...

voce nao entendeu ainda as bis quase nao ficam
com mulheres estas preferem homens entao nao
tem como ter tanta bissexual querendo fazer
ciume em mulher como vcs dizem- o que seria ser
lesbica antihomem? 15:51

Anônimo disse...

As bis gostam de ficar com mulher sim.

E lésbica antihomem é aquela que tem raiva de homens e das mulheres que transam com esses homens, sejam heteros e bis.

Aqui mesmo, infelizmente, sempre aparecem algumas para dizer que as heteros são malucas cúmplices da opressão e do estupro.

Querer guerra entre pessoas conscientes e feministas é bobagem. O inimigo é a Rede Globo, é o Eduardo Cunha.

Anônimo disse...

Anônimo das 12:32,

Fale por você, queridx. Sou mulher cis, feminista, mas sinto atração e adoro o corpo masculino. Minha atração sexual por homens em nada interfere na minha capacidade de perceber o machismo e lutar contra ele.

Anônimo disse...

Comentário machista acima.

Qualquer mulher deveria ser julgada pela sua capacidade profissional e não apenas pela beleza de rosto e de corpo.

Anônimo disse...

De novo esse maluco do swing

Anônimo disse...

Daqui a pouco vão dizer que Andressa Urach, Fani ex BBB e Monique Evans não são bi nem lésbicas ....


J.M. disse...

Danilo Muller,

Na minha opinião, no contexto da nossa sociedade machista, acho até compreensível sua "indignação" com as mulheres que se dizem ou são bissexuais que preferem homens para relacionamento sério e mulher para sexo casual (ou algo nesse sentido) ou lésbicas que "beijam homem" - embora não concorde com você, pois acredito na fluidez da sexualidade humana, não necessariamente da maneira como foi abordado no post de hoje. No entanto, dizer que lésbicas não existem só porque você nunca viu uma lésbica "de verdade" ou que toda mulher é alienada quanto a receber sexo oral, é uma atitude tão opressora quanto o próprio machismo machismo, ou melhor, é uma atitude machista e misógina, embora eu ainda acredite que você não tenha a intenção de ser machista ou misógino.

Anônimo disse...

A Lola apagou o comentário do babaca que julgava as mulheres pela aparência.Beleza.

Anônimo disse...

A entrevista abre muitas discussões interessantíssimas, mas também tem problemas.

A começar pela relativização da coerção para práticas homossexuais não desejadas. Se alguém obrigou, é estupro ou abuso.
Seguindo pela naturalização da repulsa do sexo heterossexual: se existe repulsa não é porque o desejo reside nela, já qualquer um que pudesse "evitar o objeto de repulsa" o faria. A menina de 20 provavelmente preferiria transar com outro cara de 20 se ela tem repulsa pelo amante mais velho, mas se a prioridade dela é o dinheiro, o sexo torna-se o sacrifício necessário, não o desejo final.
A autora também ignora a pressão social pela heterossexualidade, ou ht. compulsória, como se fosse muito fácil abrir mão de uma vida heterossexual para se apresentar socialmente como gay. E também ignora que a bissexualidade masculina causa um impacto muito maior nas relações heterossexuais do indivíduo que a feminina. Já ouvi de muitas amigas "moderninhas" que não namorariam um cara que já pegou outros caras.

Tirando essas ressalvas, para mim o ponto forte do pensamento da autora é essa "culturalização" da sexualidade, onde "ser homossexual" representa um estilo de vida que nem todo homem que tem interesse em fazer sexo com outros homens vai querer para si. Como se eles estivessem perfeitamente adaptados e confortáveis dentro do esteriótipo hétero mas isso não necessariamente reflete no desejo em si.

J.M. disse...

Desculpa pelos erros no comentário anterior, digitando rápido do celular.

Anônimo disse...

Muitas mulheres que nunca pensaram em transar com uma mulher acabam tendo vontade de tanto verem filmes pornôs. Várias dizem isso, umas gostam outras não gostam.

Se o sexo é busca de prazer, algumas pessoas podem mudar seus hábitos.

Danilo Muller disse...

isso nao é ser antihomem isso é ser lesbica do mesmo modo que homens nao gostam de ver suas ex ou mulheres que eles tao dando cima com outros homens puro ciume e onde eu disse que bissexual nao gosta de mulher? eu disse que elas preferem homens isso nao significa nao gostar de mulher- as pessoas que dizem que heteros sao cumplices da opressão nao dizem isso porque elas sao heteros dizem isso porque de fato muitas mulheres sao machistas e defendem certas criaturas.

Anônimo disse...

Muita mulher se diz "moderninha" para ter um monte de aventuras, com homens e mulheres. Mas não ficam com um cara que queria pegar uma trans estilo Ariadna BBB.

Esse tipo de mulher age parecido com homem machista, o tipo que quer o prazer todo, sem dar liberdade a outra parte.

A palavra seria egoísmo e manipulação tanto de homens como de mulheres.

Danilo Muller disse...

j.m. eu nao disse que lesbicas nao existem porque eu nunca vi eu disse porque nas pesquisas mostram isso tem uma do ibge que diz que a maioria das lesbicas transam com homens isso é ser lesbica? se nao tem uma mulher que só namore mulheres entao nao existe lesbicas qual é dificuldade em entender isso? é bonitinho dizer fluidez da sexualidade humana sendo que o mesmo nao acontece com os gays os homens gays sempre namoram homens não transam com mulher isso que é ser homossexual ser homossexual nao é se dizer lesbica e ficar com mais homem que qualquer heterossexual.

Anônimo disse...

Existem mulheres bissexuais que transam com um número enorme de mulheres e só tem um namorado e/ou marido. Socialmente elas são vistas como heteros. Mas Sexualmente tem mais quantidade de sexo com mulheres.

Talvez por pressão da sociedade da família ou da igreja ela não queira namorar.

MAs o mundo muda.

Vejam a reportagem sobre o casal de 3 na Suécia.

http://odia.ig.com.br/noticia/mundoeciencia/2014-11-21/mulher-e-dois-maridos-relacao-a-tres-provoca-debate-sobre-familia.html

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/11/141119_suecia_poligamia_rb

http://mdemulher.abril.com.br/amor-e-sexo/soueu/oba-tenho-dois-namorados-e-eles-sao-amigos

Mulher com dois maridos na Inglaterra

http://virgula.uol.com.br/inacreditavel/curiosidades/mulher-do-reino-unido-vive-com-o-marido-e-o-amante-na-mesma-casa/#img=1&galleryId=483462

Danilo Muller disse...

16:20 estao cobertas de razao esses homens geralmente nem gostam de mulher querem mulher pra servir de capacho apenas.

Sandra disse...

Homens heterossexuais só gostam da vagina da mulher, no máximo. Amor, erotismo verdadeiro, entrega, companheirismo, lealdade, carinho, amizade, afeto, tudo isso só cabe a outros homens porque é a forma como eles são socializados. Se o estigma do gay não fosse algo tão sério para eles (lembrando que "ser gay" é um rebaixamento à condição de mulher, dentro dessa visão), certamente a separação entre os sexos seria ainda maior na nossa sociedade. Homem adoooooooooora ficar entre outros homens, vejam como eles comemoram as coisas por exemplo, tocando uns aos outros até nas partes íntimas. Chega uma mulher, pronto, morreu o assunto e todo mundo projeta uma mãe ali.

Embora os homens possam gostar, individualmente, de uma ou outra pessoa do sexo feminino, é fato que como grupo eles gostam MESMO é de seus semelhantes.

Danilo Muller disse...

voce nao mostrou mulheres bissexuais mostrou um monte de mulher hetero 16:26 queria ver esse monte de mulher bissexual que gosta de mulher

Anônimo disse...

"Daqui a pouco vão dizer que Andressa Urach, Fani ex BBB e Monique Evans não são bi nem lésbicas .... "
Mas a Andressa Urach não é bi, ela mesma já confessou em seu livro. Seu relacionamento lésbico não passou de uma mentira inventada para ganhar mídia.

Melchior

Anônimo disse...

Estão confundindo socialização com amor, afeto. Homens gostam de falar de filmes de guerra, lutas, videogames etc.

A maioria da mulheres acham esses assuntos chatos, preferem coisas diferentes.

Por isso os homens têm amigos, para falar de assuntos masculinos como filmes de ação, porrada, último game lançado.

Não significa "namoro".

Assim como mulheres gostam de falar sobre outros assuntos. Sem terem sexo umas com as outras.

Danilo Muller disse...

sandra ate que enfim vc apareceu pra dizer o que eu tento explicar em varios comentarios- esses homens sao sim heteros mas ao dizer isso tem que falar da educacao que é ser viado é dar e comer é ser macho.

Anônimo disse...

Pode até ser mentira da URACH, mas no meio dessas "modelos' rola muita festinha com políticos, empresários, homens que apreciam ver duas mulheres transando. Muitas dizem que chegam ao orgasmo com uma parceira numa festinha de deputados, mas se sentem heteros no dia a dia.

Anônimo disse...

Pergunta pra qualquer travesti na prostituição ou mesmo michês masculinos quantos homens vão até eles(a) pra dar e quantos vão pra comer. A maioria vai pra dar, porque obviamente é gostoso ser penetrado analmente quando se tem uma próstata e o sigilo inerente ao encontro preserva o papel social que esse homem, geralmente casado e com filhos, precisa ter.

Anônimo disse...

Se o cara não gosta de sexo as namoradas dizem que ele é broxa e devagar, existe mulher machista tb.

Danilo Muller disse...

16:32 vc que ta confundindo a gente ta falando de homens que transam com homens e nao de homens que sao amigos- eu pelo menos nao fico fazendo sexo oral nos meu amigos.

Danilo Muller disse...

se o cara nao gosta de sexo porque tem namorada? as mulheres e ate os homens chamam esses caras de brochas porque eles nao terminam o sexo e nao porque eles nao gostam de sexo 16:36 parem de falar merda jesus

Anônimo disse...

Tem de ver a pobreza, infelizmente muitos garotos não conseguem fazer sexo por estarem fora do padrão de corpo e de rosto, por isso procuram gays que pareçam mulheres, ou se vistam com saias, sutian e peruca. Por falta de namorada e desespero.

Mas depois de arrumar namorada eles só transam com mulher.

Anônimo disse...

Danilo,

Ele pode gostar dos beijos e da companhia da namorada, sem querer penetrar ou sem querer suar e ficar cansado. É um DIREITO de qualquer homem não gostar de sexo.

Danilo Muller disse...

16:38 bote na cabeça que esses homens nao gostam de mulher elas podem fazer sexo oral bem que mesmo assim eles nao gostam isso nao é desculpa os homens nao fazem oral nas mulheres e nem por isso elas viram lesbicas.

Anônimo disse...

As bissexuais existem sim, DAnilo, elas falam que as mulheres fazem sexo oral muito melhor que os homens. Assim como muitos homens elogiam travestis. Por saberem como dar prazer.

Anônimo disse...

Se uma mulher não é satisfeita pelo namorado que nem gosta de sexo, ela tem o direito de buscar sexo na rua, com qualquer pessoa, DAnilo.

Os homens que não gostam de sexo são discriminados por toda a sociedade, são chamados de cornos e broxas por les, bis, trans, gays, machistas e feministas. Esse tipo de coisa é preconceito puro.

Se é homem tem de ser obrigado a penetrar e chupar?

Danilo Muller disse...

16:42 meu filho eu to dizendo que se um homem nao gosta de sexo ele deve namorar uma pessoa que nao gosta e nao uma pessoa que gosta.

Danilo Muller disse...

16:46 desde quando homem é obrigado a chupar? pelo menos mulheres a maioria nao chupa e nao esses homens nao sao chamados de brochas ou cornos eles sao chamados de gays é assim que nasce um homofobico.

Anônimo disse...

Isso é dito no inicio do relacionamento. Se a garota fica com um cara que não gosta de penetrar ou de chupar, ela não pode reclamar que foi enganada.

Muitas garotas depois chamam os namorados de cornos e broxas, isso é machismo da mulher tb. Espalham para todo bairro.

Anônimo disse...

A sociedade discrimina que gosta muito de sexo e quem gosta pouco.

Anônimo disse...

Muita mulher moderninha diz que sexo sem oral não é sexo, isso é obrigar o cara a chupar, Danilo. É uma forma de pressão.

J.M. disse...

Danilo,

Como você, afirmou a MAIORIA das lésbicas que participou DESSA pesquisa afirmou ter transado com homens. Isso significa que lésbicas que só transam com mulheres não existem?

Você tem noção da pressão social da lesbo-homo-transfobia? Quantxs e quantxs gays e lésbicas não formaram e continuam formando famílias heterossexuais, tiveram filhos apenas para tentar reprimir sua verdadeira orientação sexual? É sério, Danilo, que você não consegue levar esse aspecto em consideração?

Tenho um tio que hoje é gay assumido, mas que por mais de dez anos viveu com uma mulher e teve dois filhos. Seria ele um extraterrestre quanto à orientação sexual?

Anônimo disse...

Assim como muita gente é assexual, mas sofre pressão.

Se um cara falar para namorada que só gosta de se masturbar, vai ser execrado.

Danilo Muller disse...

16:43 elas falam isso porque os homens dificilmente fazem sexo oral em mulher agora as mulheres heteros fazem oral em homem por isso que eu acho babaca um homem dizer isso porque normalmente essas mulheres se importam com o prazer deles e eles ainda as traem e dizem que elas nao sabem transar na real esses caras querem só receber querem que mulher faça sexo oral mas eles mesmo nao fazem.

Danilo Muller disse...

j.m. eu nao citei homossexuais que formaram familias heteros eu citei mulheres que se dizem lesbicas mas ficam com mais homem que qualquer gay ou mulher hetero a pesquisa nao diz que essas mulheres formaram familia ela diz que essas mulheres mesmo se dizendo lesbicas transam com homem entendeu? quando aparecer mulheres que namore mulheres transam com mulheres que sentem atracao por mulheres eu posso dizer que lesbicas existem.

Anônimo disse...

Ai que caixa de comentários horrorosa. Esse obsessivo das lésbicas swingueiras tá floodando os últimos posts e tá um saco.

Anônimo disse...

Vou fingir que acredito Danilo, mas como bem disse o post não se preocupe, vc continua sendo hétero.

Danilo Muller disse...

17:08 vc nao deve saber ler o texto nao diz que homens que transam com homens sao heteros diz que pra esses homens isso nao é ser gay porque pra eles ser gay é dar nao preciso desenhar né?

J.M. disse...

Danilo,
Ai ai, definitivamente você não entendeu. O que eu quis dizer é que há vários fatores que podem levar uma lésbica ou um gay a experimentar o sexo heterossexual, sendo a pressão homofóbica o principal deles

O fato de haver homossexuais que formam famílias hetero pela pressão social já é suficiente para mostrar que sim, gays podem fazer sexo com mulheres sem deixar de serem gays, e sim, lésbicas existem, embora muitas já tenham tido experiências heterossexuais.

Anônimo disse...

logo depois da campanha contra o apagamento lésbico me aparece um imbecil pra dizer que lésbicas não existem...

Danilo Muller disse...

j.m. gays dificilmente experimentam sexo hetero um homem quando é gay ele é gay isso ta mais que provado os gays nao ficam com mulher nem pagando porque eles nao gostam o mesmo nao acontece com as lesbicas- conhece a claudia jimenez? ela sempre namorou mulheres e de uma hora pra outra largou o lesbianismo isso acontece com muitas lesbicas e é dai mesmo que vem a fama de frustradas das lesbicas.

Anônimo disse...

Mas bem que todos os homens poderiam virar homossexuais. homem é estranho ,passa a historia inteira da humanidade falando mal da mulher mas não perde a chance de estupra-las, é melhor que fiquem logo somente entre eles. Mulher frustada é aquela que vive COM os homens.

anon A. (radfem) disse...

"A sexualidade é flúida" é um argumento homofóbico, e principalmente lesbofóbico. Lésbicas estão de saco cheio de homem dando em cima e ignorando 'não', porque acham que não existem mulheres lésbicas de verdade (igualzinho uns anons desse post). Esse argumento invalida a homosexualidade, além de alimentar a idéia de que é possível um homosexual ser 'curado'.

O argumento 'born this way' não é homofóbico, ele apenas é realista. Quem iria querer ser gay ou lésbica, principalmente há algumas décadas atrás, onde isso significava sofrer violência, ficar sem-teto, não ter direitos?

Outra, tá cheio de gay e lésbica que só quer viver a vida tranquila ao lado do parceiro que ama. Não querem se envolver com a cultura queer, ou querem ter sua cultura gay ou lésbica separada da queer, pois a acham problemática (por exemplo, ela aceita héteros). Muitos ainda consideram a palavra 'queer' um insulto, pois mesmo hoje ela ainda é gritada como insulto enquanto se espanca gays ou se estupra lésbicas.

Por fim, dizer que uma pessoa pode ter atividades homossexuais e continuar sendo hétero é bifobia pura. Curtir sexo ou 'romance' com ambos os sexos é a exata definição de bissexualidade. (Não estou falando de pessoa que já tiveram relações heteros no passado, por exemplo, viram que não gostavam e se assumiram homossexuais, isso ocorre devido a heterosexualidade compulsória. Ou de pessoas que experimentaram sexo com pessoas do mesmo sexo para testar e decidiram que não curtiam.)


Disclaimer: Eu sou hétero, apenas reproduzi os argumentos que as lésbicas e alguns gays que conheço defendem. Como a própria autora também é hétero e não está se baseando em opiniões de homossexuais, prefiro fornecer um o outro ponto de vista.

O início e metade do post estavam bastante interessantes, mas as conclusões que a autora chegou foram tanto homofóbicas como bifóbicas, além de aparentemente ela considerar que o sexo raivoso que muitos homens praticam em mulheres seja uma expresão saudável da heterosexualidade.

J.M. disse...

Danilo,

O problema é que você se apega muito a generalizações. É perda de tempo debater com quem se prende unicamente ao meio em que vive a exemplos divulgados pela mídia (ou talvez pela influência da pornografia mainstream) para determinar categoricamente a inexistência de um grupo inteiro de pessoas, aparentemente sem nenhum senso crítico.

Anônimo disse...

Danilo, para uma lésbica é muita mais fácil ter relações hétero do que para um gay, por questões anatômicas mesmo. O gay não vai ficar de pau duro com uma mulher, simples assim. Já a lésbica não, ainda que ela não sinta prazer o sexo pode acontecer.

Melchior

Anônimo disse...

Não só existem como são maioria entre as mulheres

Anônimo disse...

Melchior, lésbica fazendo sexo hétero sem sentir prazer tem nome, estupro.

J.M. disse...

anon A.,

Concordo contigo. Acabei de perceber que a minha noção de "fluidez da sexualidade" tem a ver, na realidade, com essa questão da heterossexualidade compulsória.

Anônimo disse...

Eita apagaram um comentário meu em que eu dizia que conheço uma lésbica que se diz convicta mas não larga do marido, inclusive fica sempre tendo filhos dele, está grávida do terceiro. Acho que não desrespeitei ninguém, só contei um fato. Poderia até dar nome, sobrenome e cpf dela. Vive enganando a coitada da amante, todo mundo no trabalho sabe da história. Se ela faz sexo sem prazer com o marido, se é estupro, pq que não larga? Não consigo entender pq isso é estupro.

Melchior

Anônimo disse...

Aqui no Brasil a maioria das mulheres fazem anal, acredito que se não fizerem os homens com certeza as largariam por outros homens. A verdade é que homem não gosta de mulher, não gostam de fazer sexo oral na mulher, pra mim essa é a maior prova de que homem não gosta de mulher. Observo que a maioria das mulheres gosta de chupar mas os homens não, se fossem héteros mesmo não teriam nojo de vaginas.

Danilo Muller disse...

Melchior nao falo só de sexo os gays nao gostam nem do cheiro de mulher quem nunca ouviu um gay dizer que preferia nascer de cesariana para nao sentir o cheiro de bacalhau? eu nunca vi uma lesbica dizer que nao queria vim de um penis e 17:48 os homens dao em cima de lesbicas porque eles sabem que elas ficam com homens e para de falar gays e lesbicas como se fossem iguais sao duas coisas diferentes um homem e uma mulher- esse argumento só invalida a homossexualidade feminina os gays sao gays mesmo do que eles vao ter medo? eu acredito que lesbicas existam mais é minoria bem pequena o lesbianismo foi invadido por um monte de mulher que se diz lesbica mas vivem com homens outra bifobia nao existe um bissexual só sofre preconceito quando ta em relacionamento gay.

Anônimo disse...

Eu boto uns 60% de homens gays e bis sem mentira a maioria gosta é de macho.
O problema é que eles não contam travesti como homem .
Alguns se enganam dizendo que elas são mulheres, mas travesti é homem sim e eles gostam disso.
Eles também alegam que por serem ativos não afetam a SEXUALIDADE deles, mesmo que seja absurdo! Assim eles podem fazer anal com mulher e homem sem serem chamados de gays e as mulheres ainda caem nesse conto da carochinha.

Danilo Muller disse...

18:45 realmente mas nao acho que seja uma maioria porque o sexo hetero já é ensinado como algo de prazer do homem- nenhum homem aprende que tem dar prazer para a mulher eles aprendem que devem serem chupados que devem penetrar e pronto acabou o sexo por isso muitos devem procurar transexuais porque nessas relações eles só vao receber.

Anônimo disse...

Danilo você diz que homem não faz oral em mulher e mulher não gosta de sexo oral?

Danilo Muller disse...

18:51 muitos homens nao fazem sexo oral em mulheres muitos mesmo nao sou eu que to dizendo pergunte a qualquer mulher- nao entendi sua ultima pergunta ta perguntando se eu disse que mulher nao gosta de sexo oral? ou ta afirmando que mulher nao gosta de sexo oral? use a virgula por favor.

Anônimo disse...

Já vi muito homem hétero reclamando de vagina do cheiro, que não é tão bom etc...
não vejo nenhum gay reclamando anus nem do odor que tem, nem do que saí de lá.

Porque teria uma quantidade enorme de homens héteros que não gostam de vaginas? estranho né, alguns falam que gostam mas é só na teoria mas na hora de chupar vaginas e preferir sexo vaginal a anal são poucos. Tanto que quando belo afirmou que não gosta de anal e prefere vaginas todo mundo se espantou, mas porque teriam o espanto por um hétero gostar de vaginas?
é porque a maioria não gosta.

Anônimo disse...

Eu acho que você está certo meu ex não quis fazer sexo oral em mim, tive que terminar não aceitei isso, perguntei se você acha que mulher não gosta de oral, eu acho que sim.

Não estou certa se tem mais héteros que gays mas tenho em mente que há algo de errado com os homens, não sei se eles recusariam fazer oral em outro homem provavelmente não, com mulheres ocorre o contrário.

anon A. (radfem) disse...

"Esse trecho não minimiza os abusos que os bixos e bixetes sofrem nos trotes?" (André)

Eu concordo. A autora colocou no mesmo grupo homens que vão a parques e banheiros para fazer e receber oral, homens que abusam sexualmente de outros homens, e homens que sofrem esses abusos.

Ainda por cima, na parte do trote do elefante, o argumento foi "Olha a foto! Eles parecem estar gostando, não foi tão ruim assim!". É um argumento bem rapey.

Faria mais sentido se ela tivesse focado apenas nos dois primeiros grupos de homens.

anon A. (radfem) disse...

"Observo que a maioria das mulheres gosta de chupar mas os homens não, se fossem héteros mesmo não teriam nojo de vaginas."

Concordo plenamente.

Anônimo disse...

O bagulho mais feio é o escroto negócio estranho, duas bolas balançantes, escroto ganha de disparado em feiura, e pênis se for pequeno é feio parece um dedo.

Danilo Muller disse...

Como eu disse anonimas muitos homens realmente nao gostam de mulher mas nao pode generalizar se eu fosse mulher eu ficaria sozinha nao acho que sucesso é namorar ou casar pra mim sucesso é ser feliz e estar perto de seus familiares.

Danilo Muller disse...

19:02 isso depende de mulher pra
mulher mas muitas mulheres gostam
outras nem pedem porque acham que
o sexo hetero é só pra dar prazer
para o homem e outras nao pedem por medo de perder marido/namorado.

Anônimo disse...

Eu tenho problema? Porque meu noivo vive insistindo pra fazer oral em mim, mas sempre dou desculpa. Só eu faço nele, mas com camisinha. Sei lá, acho sexo oral sem camisinha nojento, imagina aquela boca cheia de bactérias contaminando sua flora vaginal, pode dar até infecção. Mas eu gosto de beijar ele na boca, de língua, só não gosto da boca dele na minha vagina, que eu cuido com o maior carinho.

Anônimo disse...

Eu pensei que mulheres ocupavam porque gostavam, porque tinham prazer nisto, mas afora vejo que não

Anônimo disse...

Sexo oral é uma forma de estimulação da mulher, ela pode atingir o orgasmo, não é tão fácil atingir com penetração. Eu acho que você tá perdendo uma boa oportunidade, você faz nele e ele não faz em você. A vagina não tem tantas bactérias só são 11 a boca é que tem mais, seria mais correto tu achar mais nojento beijar na boca, que sexo oral.

Anônimo disse...

Talvez voce não se sinta digna desse prazer é comum mulher achar que sexo é só pra agradar homem.

Anônimo disse...

Mas as bactérias das duas bocas são praticamente as mesmas, não vai ter contaminação da flora local nem risco de infecção. Agora pega a boca que tem muito mais bactérias e coloca em contato com a vagina que só tem 11... eu acho nojento, porque cuido da minha vagina com o maior carinho, lavo, vou sempre no ginecologista, etc. Mas devo ter problema, porque todo mundo acha super normal isso. Ele realmente quer fazer oral em mim, eu que não deixo.

André disse...

Estou atordoado com tantas certezas sobre o que as pessoas gostam, não gostam, fazem, não fazem, etc.

Anônimo disse...

existem camisinhas pra esse tipo de sexo, mas se você tem tanto nojo assim sei lá, eu acho injusto quando o homem não retribui esse carinho.

Jonas Klein disse...

Anon 19:36

Se por causa das bactérias, manda ele lavar a boca (antes de iniciar o oral) com Listerine ou qualquer outro antisséptico bucal, e deixa o cara ser feliz e seja você também.

Danilo Muller disse...

19:29 peraí voce beija uma boca cheia de bactéria mas tem nojo que a mesma lhe chupe?

Anônimo disse...

Não sou eu é o que os homens revelam, a maioria é assim, aqui estamos generalizando, não está sendo levado em conta casos isolados. O comportamento sexual masculino, é praticamente igual num país, mas acho que pode variar de cultura pra cultura, talvez haja alguma variação. Mas ainda acredito que essa é a máxima.

Ana Carolina Serrao disse...

Kkkkk homem adora acreditar que não existem lésbicas que se relacionem apenas com mulheres. No fundo vocês têm medo ou orgulho ferido ao saber que são dispensáveis na vida de várias mulheres.
Todas as lésbicas que conheço só se envolvem com mulheres lésbicas também.
Sai da caixinha e pare de achar que só existe aquilo que você conhece ou aquilo que você quer que exista.

Ana Carolina Serrao disse...

Ele só conhece o mundinho virtual dele.

Ana Carolina Serrao disse...

Outro cara achando que entende mais de mulheres do que as próprias.

Anônimo disse...

Por qual motivo algumas mulheres ainda fazem sexo com estupradores (vide homem)?

Fabiano disse...

Acho essa discussão interessante. Essa pesquisa confirma o que Kinsey falou sobre a sexualidade humana. De uma forma geral, colocamos a sexualidade humana dentro de "caixas" rotuladas de heterossexualidade, homossexualidade e bissexualidade. Não que essas situações não existam, mas a sexualidade é bem mais complexa que isso.

Ana Carolina Serrao disse...

Kkkk lésbicas não existem simplesmente porque você acha que não. Valeu, Deus todo poderoso.

Jéssica disse...

peraí voce beija uma boca cheia de bactéria mas tem nojo que a mesma lhe chupe?

Qual é o absurdo?? ninguém mixa pela boca, n sai fluidos nojentos pela boca. Eu tb n gosto, mas parece que somos obrigados a gostar de oral, deve ser culpa do pornô.
Sexo oral nunca fiz nem vou fazer.

E sobre os caras jurarem que n são gays só pq n deram o rabo para outro homem kkkkkkkkkk que desculpa mais esfarrapada kkkkkkkkkkk E n entendo isso, sexo anal para eles é coisa de viado mas mulhere tem que fazer sendo hétero.

Ana Carolina Serrao disse...

Só me relaciono com mulheres e as lesbicas que conheço também. Beijos para a ignorância.

Ana Carolina Serrao disse...

Também. Principalmente o tal de Danilo que acha que entende da sexualidade de todos os 8 bilhões de habitantes do planeta.

lola aronovich disse...

Anon das 20:20, pode por o link de novo, mas por favor, contextualiza um pouco. Escreve 3 linhas antes explicando o que tá no link, aí eu não apago.
Aliás, peço isso a todo mundo que queira deixar um link. Só deixar o link sem explicar é muito ruim.


O Danilo já tinha falado em outro post que lésbicas não existem porque ele não conhece nenhuma. Não sei se o guest post de segunda e este de hoje fizeram que ele mudasse de opinião. Pelo jeito não, né?

Anônimo disse...

Eu so acho estranho ela fazer e ele nao, mas se a pessoa nao gostar de sexo oral ela nao deve fazer de nenhum jeito nem passiva nem ativa.

Anônimo disse...

Eu tbm acho estranho a forma que os homens se referem as mulheres, eu comi ? Vou comer, acho muito esquisito a forma de um homem tratar a mulher. Como se nao gostassem delas, como se gostar delas fosse demais pra eles.

Anônimo disse...

Mas os homens nao gostam das mulheres, nunca ouviu falar em pederastia? Pois É, na grecia antiga, amor era apenas entre os homens, mulher nao era um ser considerado merecedor de amor. Isso resume tudo, porque naturalmente eu nao acho wue um home ser capaz de amar a mulher. Que virem gays de uma vez por todas.

André disse...

Tá certo que somos mais egoístas, mas é um exagero dizer que os homens não fazem oral nas mulheres: http://www.bolsademulher.com/sexo/um-em-cada-tres-homens-tem-nojo-de-fazer-sexo-oral-na-parceira-diz-pesquisa

Danilo Muller disse...

andre a pesquisa foi feita com mil homens- nem as mulheres e nem os homens se perguntam porque nao se faz sexo oral nas mulheres- nao acho que os homens nao fazem sexo oral nas mulheres porque nao querem acho que isso tem muito a ver com educação- todas minhas namoradas nunca pediram sexo oral nao porque nao gostavam mas porque pra elas(pra mim tambem) sexo hetero era só penetracao e sexo oral só no homem-as mulheres acham isso normal e os homens tambem nao tem um culpado(a)

André disse...

Danilo,

Se a amostra for boa uma pesquisa com mil pessoas fornece resultados muito bons. As pesquisas nas quais você se baseia tem amostras de que tamanho?

Anônimo disse...

Sem paciência para essas feministas que se dizem lésbicas e que vivem em função de odiar homens.

Sexo oral não deveria ser uma moeda de troca. Se uma pessoa quer fazer em alguém, mas que não fazem questão que façam nela, respeitem e parem julgar e formular suas teorias cheias de preconceitos, regras disfarçadas de libertárias e feministas.

Anônimo disse...

Discurso homofóbico,VC inválida toda a teoria de igualdade de gêneros,se a travesti se sente uma mulher,ela é uma mulher,muda até o registro de nascimento!!

Vicky_ disse...

"Sem paciência", mas continua comentando aqui.

Anônimo disse...

Não sei em que mundo vocês vivem,todos os homens que eu namorei adoravam chupar minha buceta.
Meu marido só não gosta quando ela tá com cheiro de xixi.
Afff.
Obrigado Deus pela chuva hoje em São Paulo!
Taty

Danilo Muller disse...

23:00 vc ta sendo preconceituoso sabia? eu vejo mais mulheres heteros falando mal de homem do que lesbicas entao pprque dessa perguiçao? na verdade vejo ate homens- O sexo oral nao é moeda de troca porque simplesmente é so feito em homens pra servir de moeda de troca deveria ser nos dois estou correto? andre eu falo por convivencia eu namoro mulheres eu transo com mulheres acho que vcs nao fazem o mesmo entao sinto que posso falar melhor que vcs.

Anônimo disse...

Danilo eu jura a que tu era gay

Anônimo disse...

Eu sempre vou pedir pra fazer sexo oral em mim, homem que nao retribui oral nem merece crédito.

Anônimo disse...

A mulher nunca faz questao que faça nela, esse e o problema. O homem tem que fazer sim e bem feito.

Danilo Muller disse...

00:30 porque? eu ja ouvi isso muitas vezes só porque dizia coisas consideradas feministas na escola.

J.M. disse...

Interessante que para o Danilo uma pesquisa que questiona se lésbicas já transaram com homens, sem se considerar os fatores e circunstâncias que as levaram a ter experiência heterossexual, é prova irrefutável da inexistência de lésbicas; no entanto, quanto a pesquisa mencionada pelo André, ele (Danilo) pede para que se pense nas circunstâncias da pesquisa, pois a realidade pode não ser bem como a pesquisa aponta, não é mesmo? Interessante...

Danilo Muller disse...

j.m. nao é prova que lesbicas nao existem mas é prova de que as mulheres que se dizem lesbicas nao tem nada lesbicas o lesbianismo foi infectado por estas mulheres- quanto a pesquisa mencionada pelo andre eu nao vejo contradições em meus argumentos.

Anônimo disse...

E pensar q na Grécia Antiga os homens lutavam PELADOS, os machos esfregavam as picas uns nos outros e ninguém ficava de mimimi, hj em dia, a "moderna" sociedade brasileira faz alvoroço por que dois caras se abraçam em um comercial de perfume.

Vai pra p$taqpariu

Anônimo disse...

Eu tenho muitos motivos pra acreditar q embora as antigas sociedades fossem machistas, a sexualidade masculina era muito mais "fluida" e menos "mecânica/forçada" do q é hj em dia, é só vc dar um olhada na história pra perceber q é simplesmente impossível negar como os homens eram mais "livres" sexualmente entre si, o machismo ainda não havia interceptado esse aspecto da masculinidade; eu não sei o q aconteceu e em q momento da história o machismo maculou costumes tão naturais como o homoerotismo ou "bromance" como queiram chamar. Tenho quase certeza q a culpa dessa pseudo-repulsa q os homens sentem entre si só pra reafirmarem a heterossexualidade compulsória, foi da ascensão do cristianismo.

Vejam bem, os homens árabes andam de mãos dadas e até se beijam no rosto (ósculo), isso pq no Oriente Médio é proibido por lei ser gay; já aqui no Brasil, embora não haja proibição, um cara corre risco de morrer se estiver abraçado com o amigo, com o pai ou com o irmão. O homem heterossexual brasileiro é um TRASTE, sinceramente, eu tenho muita pena das mulheres heterossexuais brasileiras, fadadas a ficarem com caras q conseguem ser piores q os homens do Oriente Médio

Anônimo disse...

Sem contar q os esportes (as lutas e o futebol principalmente) é um modo dos homens extravasarem essa vontade (inconsciente na maioria das vezes) de terem contato corporal uns com os outros, não por desejo sexual necessariamente, mas pela vontade de sentir um corpo q se assemelha ao seu, todos nós seres humanos temos isso (até os animais), homens e mulheres, nós gostamos de nos tocarmos e de nos sentirmos, somos animais sociais, é natural, ou pelo menos devia ser visto com mais naturalidade como era no passado, mas já q não é mais, os esportes se encarregam disso, de aliviar essa tensão, rs.

O engraçado é q os homens tentam negar ou fazem vista grossa, Hahahaha, mas é só vc assistir uma partida de futebol calorosa pra perceber o quanto os caras se agarram, se apalpam, falam com as bocas bem pertinhas umas das outras e até dão uma "amassadinha" no piru do colega. Nem preciso falar das lutas né, (inclusive existe uma modalidade de luta q não sei a história e nem a origem, tb esqueci o nome, acho q é da Turquia, onde os caras se untam e enfiam a mão na virilha do adversário, é uma luta muito esquisita. Vai dizer q isso não é uma vontade reprimida sendo aliviada). Sabem onde essa "dispensação" tb acontece, nas igrejas evangélicas, lá tb é proibido ser gay, mas os caras quando estão em transe (recebendo o Espírito Santo) se abraçam/agarram e se derramam em lágrimas.

Tudo isso são aspectos, não de homossexualidade enrustida (mas às vezes pode ser), mas de como os homens tem essa vontade de terem contato uns com os outros, mas pela pressão machista e heteronormativa eles não encontram liberdade pra isso, aí vai o futebol, o MMA, as lutas greco-romanas, as igrejas neopentecostais, etc., servirem de válvula de escape. Lembrando q nem sempre foi assim, os antigos homens gozavam de bem maior "fluidez" q as mulheres. O discípulo Pedro no colo do mestre Jesus q o diga, Davi e Jônatas tb, e assim por diante...

Danilo Muller disse...

01:40 antigamente a sociedade era muito patriarcal muito mesmo tanto que as mulheres nao podiam nem ser heterossexuais nao existia gozar da fluidez para mulheres mas perceba que isso nao mudou muito muitos homens criticam mulheres que ficam com homens que elas querem-nao consigo entender como pode um homem hetero criticar uma mulher por ser hetero eles querem que as mulheres sejam heteros e ao mesmo tempo nao querem que elas sejam heteros o que me leva a crer que muitos desses nao sao heteros outros sao machistas mesmo.

André disse...

Danilo,

Como eu suspeitava, tudo que você afirma é achismo ou experiência pessoal, saiba que o mundo é muito maior do que aquilo que sua vista alcança.

Anônimo disse...

Pessoal, vamos falar sobre algo mais sério.
Vejam isso por favor: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/09/1680869-sob-dilma-petrobras-ja-encolheu-us-200-bilhoes.shtml

A gente está no fundo do abismo.

André disse...

09:33,

Desde que não se esteja pensando em vender empresa, seu valor de mercado pouco importa, o que conta é o lucro.

Anônimo disse...

Mas este link tem tem a utilidade de mostrar como perder 200 bilhões em 5 anos, é muito difícil alguém perder tanto em tão pouco tempo! Isso tem q servir de lição a todos nós! Abraços!

Anônimo disse...

Além disso, mesmo que não se queira vender a empresa, seu valor de mercado importa sim, e muito, pois uma desvalorização dessas afugenta investidores. Abração!

Anônimo disse...

Negativo, o valor de marcado de uma empresa representa sua saúde financeira, capacidade de atrair investimento, tocar prohetos e gerar empregos

Danilo Muller disse...

andre nao tem nada de achismo o problema nao é meu se vcs vivem em outro mundo a maioria dos caras que comenta aqui falam como se nunca tivesse visto mulher bizarro.

Anônimo disse...

Não entendi a foto dos irmãos siameses no contexto do post...

Anônimo disse...

OFF topic: http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2015/09/itatinga-e-unico-bairro-planejado-para-prostituicao-no-pais-diz-pesquisadora.html


Bairro planejada pra abrigar a prostituição em Campinas.

Anônimo disse...

Dilma + graça foster + Lola que ajudou na eleição = 200 bilhões de dólares.

Vocês valem 200 bi. E depois não querem que fiquemos emputecidos.

André disse...

O valor da empresa reflete a sua capacidade futura de lucrar, por isso o valor de mercado pode flutuar fortemente ao sabor das especulações sem que o histórico de lucro acompanhe a mesma flutuação. Todas as petrolíferas perderam valor de mercado devido a queda do preço do petróleo, mas a Petrobras sofreu a influência adicional das especulações do pré sal na subida e da lavajato na descida.

Marcia disse...

Essa é boa. Eu não sinto atração por mulher, mas nem um pouco. A figura feminina, nãome atrai em nada. Mas a heterossexualidade é construção social, só o que me falta. Homens ( todos) odeiam mulheres.

Esse radicalismo de algumas pseudo feministas, é que o que faz muitas pessoas não acreditarem na causa.

André disse...

Danilo,

Sua experiência pessoal não serve de parâmetro para determinar o padrão de comportamento do ser humano.

Marcia disse...

Tu é lésbica o que tu acha sobre o pênis é óbvio.

Marcia disse...

Perfeito o seu comentário!
Mas tenho notado que algumas lésbicas aqui , parecem fazer campanha para que mulheres heteros , odeiem todos os homens do mundo e fiquem com elas, pois elas sim amam mulheres. Sendo que conheço lésbicas que objetificam o corpo da mulher tanto quanto os homens.

Marcia disse...

Nada a ver com ser homem, mulheres lésbicas também agredem suas companheiras, Tenho amigas lésbicas, inclusive uma delas está sendo traída , e é com um homem, mas prefiro não me meter, por isso não falo. Esse não é seu caso é talvez não seja de suas conhecidas , mas acontece muito.

Marcia disse...

*agridem

Alguem disse...

"Já que tantos seres humanos têm encontros homossexuais, o que é que leva algumas pessoas a entenderem seus encontros homossexuais como culturalmente significativos e outras pessoas a entendê-los como insignificantes ou circunstanciais"

é por isso que ainda acho q heterossexualidade e homossexuais nasce-se.
E o famoso "limbo".

Ana Carolina Serrao disse...

Danilo , só quem sabe o que é e o que gosta é a própria pessoa e não você é seus achismos e pesquisas. Voce nao tem que afirmar nada. Eu só me relaciono com mulheres e todas as amigas lésbicas que conheço também. Suas teorias sem fundamentos não nos representam. E outra coisa, as pessoas ficam com quem quiserem! Vai viver e sair do seu quadrado limitado.

Ana Carolina Serrao disse...

Conheço diversos gays que adoram beijar e ficar com mulher em balada.

Raven Deschain disse...

Anon a, palmas. Excelente seu comentário. Não acrescento nem tiro uma vírgula.

Anônimo disse...

Mexendo nas minhas coisas eu encontrei esse pdf, ó:

http://www.csvr.org.za/docs/gender/engagement.pdf

"Rules of engagement: Structuring sex and damage in
men’s prisons and beyond."


Tem tudo a ver com o post.

Anônimo disse...

Homem só gosta de homem mesmo, vejam como eles ficam todo assanhadinhos quando estão só entre eles.

Mulheres são obrigadas a excluir homens de certos espaços por questão de SEGURANÇA, homens excluem mulheres porque as odeiam e se sentem ameaçados por elas.

Moro em 3 pessoas e um deles é garoto de programa, ele conta que nem lembra quando foi a última vez que foi penetrado durante do trabalho. Homarada chega lá de carrão, com foto da mulher e dos filhos na carteira e na cama já arregaça a bundinha. Muitos inclusive pagam a mais para não serem penetrados com camisinha e tomar uma jorrada lá dentro.

Toda vez que ouço falar desses machistas e seus fóruns falando sobre travestis eu dou risada.

E rio mesmo, porque a culpa é deles de não exercerem a sexualidade livremente. Não criaram esses padrões? Então durmam com eles, oras.

Homem quer ter uma mãe comestível bem pamonhona em casa que lhe gerencie o lar e lhe dê uns herdeiros. Se nao fosse por isso e se não tivesse um peso tão grande essas questões de sexualidade, eu duvidooooooooooooooooooooooooooooo que se relacionariam intimamente com qualquer mulher.

Ana Carolina Serrao disse...

Amém , André. Vejo que você parece ser um rapaz sensato.
E concordo que esse Danilo aí...francamente , ninguém merece!

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 207   Recentes› Mais recentes»