terça-feira, 15 de setembro de 2015

GUEST POST: BEIJINHO NO OMBRO PRO MACHISMO PASSAR LONGE DA SALA DE AULA

Eu sempre me comunico com o Prof. Bolivariano no Twitter. Ele tem nome de verdade, claro, mas não quer se identificar nesses tempos sombrios de reaças querendo proibir "doutrinar" alunos nas escolas (isso inclui ensinar a teoria da evolução). 

Esse texto tem como objetivo compartilhar um pouco da minha experiência como professor de História numa escola pública no subúrbio do Rio de Janeiro no ano de 2014 e foi feito a pedido da Lola, cujos textos serviram-me de inspiração para as aulas.
Tudo começou com um mau desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). A escola na qual trabalho, muito distante do centro do Rio de Janeiro e com sérios problemas de violência em virtude da guerra entre tráfico e milícia, ficou em péssima colocação na avaliação da prefeitura. Diante deste quadro fomos contemplados com vários projetos que visavam melhorar o desempenho da escola. 
Um deles foi o "Mais Educação", projeto do governo federal em parceria com as prefeituras. Nesse contexto a escola recebeu um professor de dança, profissional este assumidamente homossexual, que começou a ensinar "dança de rua" aos alunos. Os resultados foram animadores: em poucos meses percebemos uma substancial melhora no comportamento dos alunos com a diminuição dos casos de indisciplina. O ápice foi a premiação da escola num concurso de dança promovido pela prefeitura. 
Mas os problemas não acabaram. Como toda escola de periferia, tínhamos casos de adolescentes grávidas, alunos envolvidos com drogas, alunxs vítimas de violência doméstica, enfim, problemas típicos das escolas públicas brasileiras. Ainda assim a escola apresentou progressos. O progresso mais visível, do ponto de vista estatístico, foi a melhora no Ideb. No campo prático passamos a ter uma escola com alunos mais participativos em projetos extraclasse como grêmio estudantil, torneios esportivos e dança.
Em sala de aula as dificuldades de sempre, até aí nada que me surpreendesse. Mas comecei a perceber alguns fenômenos preocupantes. O primeiro deles foi a imensa dificuldade em lecionar História da África. Os alunos simplesmente se recusavam a ouvir falar nos orixás, num claro exemplo de intolerância religiosa. 
Daí veio o segundo fenômeno, o racismo, que se apresentava de várias formas, seja nas ofensas entre os alunos, nos apelidos, no bullying etc, seja na sua representação simbólica, percebida na negação das religiões de matriz africana. Percebi isso porque quando lecionava mitologias grega e egípcia ou islamismo, os alunxs não rejeitavam. Sua aversão era apenas à umbanda e ao candomblé, ou seja, racismo. 
O terceiro fenômeno foi o machismo. Infelizmente assisti inúmeros casos de agressões de meninos a meninas e o mais alarmante foi constatar a naturalização desse tipo de violência. 
O quarto fenômeno aconteceu na sala dos professores quando a diretora comunicou-nos que um grupo de responsáveis pedira transferência de seus filhos porque a escola estava "infestada de gays", numa referência aos alunos assumidamente homossexuais e ao professor de dança. 
Uma lamentável manifestação homofóbica que infelizmente foi compartilhada por alguns professores! Então pensei: alguma coisa deve ser feita. Devemos realizar um trabalho pedagógico com esses alunxs.  
Planejei uma série de aulas e atividades com alunos dos 8os e 9os anos com o tema "Preconceito e Preconceitos". 
Minha participação no excelente
documentário de Pedro Arantes
Meu objetivo era fazê-los identificar e refletir sobre as diferentes formas de manifestação dos preconceitos nas piadas, nas músicas, nas telenovelas, nas propagandas etc e o mal que isso causa. Para garantir o interesse priorizei vídeos e músicas durante as aulas. Foi um sucesso. O vídeo motivador foi o documentário O Riso dos Outros, quando discutimos o poder das piadas na disseminação dos preconceitos. 
Depois separei as aulas por temas específicos: racismo, machismo e homofobia, e nelas apresentei vários vídeos e músicas para ilustrar, tais como Nega do Cabelo Duro, Cabeleira do Zezé, e outros videos reflexivos sobre a Marcha das vadias  e até uma ótima paródia feminista da música Lepo Lepo. 
Após as apresentações passei uma série de atividades aos alunxs. Eles pesquisaram músicas e vídeos de stand up que reforçam o machismo, o racismo e a homofobia (o campeão de citações foi Danilo Gentili, por que será?). 
Os alunxs entrevistaram, utilizando a câmera do celular, professores e lideranças comunitárias, perguntando-lhes sobres os temas das aulas. Por fim, eles compuseram paródias críticas aos diversos preconceitos. Para incentivá-los eu mesmo compus uma paródia sobre feminismo à famosa música da Valesca, que compartilho com vocês:

Beijinho no Ombro do machismo
Desejo a todos os machistas vida longa
Para que eles vejam a cada dia mais nossa vitória
Contra o machismo é só tiro porrada e bomba
As feministas é que criam e que fazem história
Sou independente nenhum homem é meu escudo
O corpo é meu e não me culpe pelo estupro
Na Marcha das Vadias quase não dá pra te ver
Tu não passa de um misógino querendo aparecer
Sou feminista e não fujo do combate
Seu sexismo não passa de recalque
O meu sensor de Cinderela explodiu
Pegue o príncipe encantado e vá pro puto que o expeliu
Beijinho no ombro pro machismo passar longe
Beijinho no ombro para os sexistas de plantão
Beijinho no ombro pra santinha que se esconde
Beijinho no ombro pra quem pensa que é machão

Algumas pessoas ao lerem esse texto podem achar que eu por ser homem cis e hétero possa ter roubado o protagonismo das minorias citadas, mas esse não foi e não é meu objetivo. O que me fez abraçar essa causa foi a percepção da invisibilidade desses temas no currículo de História para o Ensino Fundamental e a necessidade de trabalhá-los no ambiente escolar. Antes de iniciar o projeto o apresentei nas reuniões de planejamento e, apesar de alguns apoios, nenhum colega quis co-participar do projeto.
Mas apesar da rejeição explícita de alguns professores o resultado foi fantástico, pois os alunos passaram a cobrar dos outros professores que trabalhassem esses temas nas aulas e começaram a criticar manifestações machistas de colegas e docentes. Não mudei o mundo, mas incomodei os conservadores.

89 comentários:

Anônimo disse...

Não vejo sentido em falar em Orixás da mesma forma que não vejo de falar em Jesus, Buda ou Maomé em sala de aula. Religião e Conhecimento são inimigos históricos, deixemos as crianças fora disso.

Anônimo disse...

A propósito, alguém já se deu conta do quanto é não-inclusivo o uso de X e @ para tentar uma neutralidade no idioma? É só mais uma forma de invisibilizar mulheres. Quem quer usar a língua de forma neutra não precisa recorrer a tais artifícios. Fica aqui minha contribuição:

http://www.spm.rs.gov.br/upload/1407514791_Manual%20para%20uso%20n%C3%A3o%20sexista%20da%20linguagem.pdf

Caso esse link não funcione, google: "Manual para uso não sexista da linguagem"

Odara disse...

Nossa, que post maravilhoso!
Que professor bacana e comprometido! A maioria, mesmo quando tem uma visão razoável, prefere se omitir à ter o trabalho de construir uma nova abordagem.
Agora esse anon 11:11....que pensamento curto!
Já ouviu falar de história da humanidade? Como não falar de religião ao ensinar história? Ou você acha que história é só um amontoado de nomes e datas?

luisemior15@gmail.com disse...

Também adorei o post,mas como cristã,acho que é bom colocar que lhe para enainar-se as histórias de todas as religiões,seria necessária uma reforma educacional... Como isso é improvável,creio que o melhor é tentar não abordar muito,destacando alguma.

Anônimo disse...

São contra valores familiares e defendem que o Estado assuma a formação moral do indivíduo, através da liberação sexual e doutrinamento marxista. Esse tipo de formação já existe a décadas e encontra terreno fértil em indivíduos com histórico de problemas familiares, geralmente fracos psicológica e emocionalmente. A maioria nem sabe que isso o que sentem é a síntese do que pregava Engels: “a família é a origem de todo o capital, e como tal deve ser combatida.”
Falam de ódio da extrema direita mas são anti-semitas. Falam do imperialismo americano mas ignoram o que os chineses fazem no Tibete ou o que os norte-coreanos fazem com o próprio povo. Tudo é justificado pela suposta “causa” e o que lhe é oposto deve ser execrado.
Adoram os seguintes termos: assecla,, capacho, pau mandado, imperialista, subserviente, sionista, cupincha, lacaio, burguesia, reacionário, dentre outros. Quando ouço qualquer um desses adjetivos, já percebo que se trata de um indivíduo com comportamento patológico

Alessandro Bruno disse...

Parabéns ao professor, é esse tipo de política público que eu sempre aplaudo: que leva as pessoas a pensarem, a buscarem crescimento pessoal!

Aninha disse...

Acho que a rejeição à religião de matriz africana se deve mais ao fato da proximidade do que de racismo em si.
Islamismo é aquela religião super longe, distante, não faz parte do nosso dia a dia a não ser em ataques terroristas que são mostrados na TV.
Mitologia é historinha, não é mais encarado como religião.
Agora umbanda e outras são presentes no dia a dia, eles são motivados a odiarem seus seguidores, a chutar trabalho, etc, daí rejeitarem ouvir falar em orixás e tal.

Anônimo disse...

Eu não consigo enxergar como incluiria tal assunto pois dou aula num curso técnico. Mas não permito homofobia e machismo, bem como outros preconceitos de gênero em minha aula.

Anônimo disse...

Eu sou A Única responsável por falar sobre sexualidade com meus filhos, não o estado, não os professores, ainda bem que os professores dos meus filhos concordam comigo!

Anônimo disse...

"Agora esse anon 11:11....que pensamento curto!
Já ouviu falar de história da humanidade? Como não falar de religião ao ensinar história? Ou você acha que história é só um amontoado de nomes e datas? "

Curto é ignorar o estado laico, recomendo usar o google e pesquisar o tema.

Jonas Klein disse...

E já que a escola esta, não tem quem imponha disciplina no ambiente escolar, e mesmo que tivesse, as leis tortas do Brasil não iriam deixar, o jeito apelar para o quebra galho mesmo, e ainda bem no caso desta escola, deu para amenizar os problemas por lá.

J.M. disse...

Ao anônimo que parece estar fazendo ctrl+c ctrl+v de apresentações de slides de palestras reaças: volta pro teu olavão e outros endereços coxinhas da web, te garanto que tá cheio deles por aí, onde você pode despejar esse teu lixo virtual à vontade. Aqui esse teu papinho não cola.

Anônimo disse...

"Curto é ignorar o estado laico, recomendo usar o google e pesquisar o tema."

Esse ai acabou de descobrir o ateismo e já se considera uma espécie de "missionário". Como ainda não sabe muito e têm preguiça de estudar para expor suas próprias ideias, manda os outros pesquisarem no google.

Anônimo disse...

Aff mais post de omi roubando o protagonismo, o que esse machinho quer agora? um biscrock? Não fez mais do que a obrigação dele... aceitar homens tendo a voz principal dentro do feminismo é um absurdo, eles sempre vão querer tomar pra si a posição de liderança e de protagonismo, vão querer ser a voz que fala pelas mulheres ao mesmo tempo que as silencia, mas vão lá, façam isso mesmo, deem mais voz aos opressores e eles vão moldar nossas ideias ao bel prazer deles.

Anônimo disse...

Parabéns a esse professor.
A iniciativa dele é quase heroica. Seria muito mais fácil fazer aquilo que muitos professores fazem, se limitar a passar o conteúdo programático e quem se interessar, ótimo. Quem não se interessar, azar. No fim do mês, vai ter o seu salário na conta. Ainda mais numa realidade de falência da educação pública fundamental.

Mas para tentar fazer algo diferente, promover cidadania, estimular o pensamento crítico, enfrentar resistências e críticas de quem não faz nada para melhorar o sistema, é necessário coragem e ideal.

E se todo omi roubando protagonismo fosse desse jeito, o Brasil seria um lugar muito melhor para se viver.

Kittsu disse...

Que gracinha!

Julia disse...

"Aff mais post de omi roubando o protagonismo, o que esse machinho quer agora? um biscrock?"

Que protagonismo ele está roubando? Ele não interferiu no meio feminista, e sim no ambiente machista em que convive.

Lugar de homem não é dentro do feminismo, ou seja, dentro do movimento e sim desconstruindo o machismo em outros ambientes em que ele tenha acesso. Todo professOr deveria fazer o mesmo. E professoras também, claro.


Anônimo disse...

O cristianismo assim q deixou de ser perseguido e se tornou a religião oficial do império romano (com o motivo principal de perpetuar o poderio romano, e conseguiram), se tornaram (quem diria) a religião mais perseguidora da história, perseguiram mulheres, bruxas, pagãos, protestantes (e os protestantes tb perseguiram católicos), cientistas, judeus, maçons, templários, árabes e qualquer um que se opusesse a ela. Mataram, enganaram e alienaram a população europeia inteira, extorquiam as pessoas e abusavam da boa fé (eu diria alienação) delas, sem contar o momento em q a Igreja apoiou o nazismo. Ah se não fosse a reforma protestante, a revolução francesa, o iluminismo, entre outros movimentos, estaríamos nós, toda a civilização ocidental afundada na ignorância e no fanatismo, bem parecido com o que é o Islã hj.

A Igreja católica teve lá suas contribuições, afinal, foram séculos de teocracia, alguma coisa boa tinha q surgir para ser lembrada, mas isso jamais anula as atrocidades q essa instituição demoníaca causou e ainda causa (e eu me refiro ao cristianismo como um todo) na sociedade hj em dia. Eu tenho absoluta certeza q se o Cristo estivesse entre nós ele jamais seria cristão e em nenhum momento da história, pq tudo o q o cristianismo é, nada procede com o que o nazareno ensinou. E poupem-me do humanistarismo cristão, pq caridade e filantropia até Satã pratica.

"A Igreja Católica berçou a Civilização Ocidental em todos os seus campos: arte, filosofia, física, matemática, música, arquitetura, direito, economia, moral, ciência, letras, língua, etc." - MENTIRA, a icar não berçou nada, primeiro pq havia uma sociedade anterior à ela, havia o Império Romano, havia a sociedade grega, principais e maiores responsáveis pelo molde de vida ocidental q conhecemos; é verdade q a Igreja católica influenciou sim os rumos da história, mas isso não significa q foi bom, na vdd foi bem ruim, a maioria das coisas q essa praga chamada cristianismo relegou foram bem ruins. E o seu relato tão eufemista sobre os abusos dessa instituição é patético, só um católico fervoroso querendo defender os seus, nada mais patético

Jonas Klein disse...

Anon 11:37


"Eu sou A Única responsável por falar sobre sexualidade com meus filhos, não o estado, não os professores, ainda bem que os professores dos meus filhos concordam comigo!"


Se você aborda educação sexual com os seus filhos e tem conhecimento para tal, isso e muito bom para eles, mas se você não sabe a maioria dos pais simplesmente não da educação sexual aos seus filhos(as), e dos que dão educação sexual, muitos não e da forma certa, ate porque tem muito marmanjo por ai que não sebe nem usar uma simples camisinha direito, ai vamos combinar que uma pessoa assim falando sobre educação sexual com um(a) adolescente, chega a ser uma piada né, concorda?

Por isso a educação sexual para os adolescentes na escola e fundamental, pois sem isso o resultado a agente já sabe qual é, muita gravidez não planejada e muita transmissão de DSTs.

Mila disse...

Muito boa a iniciativa. Enviei o post ao meu namorado, que tb é professor e tem encontrado dificuldade em abordar o tema "inclusão" entre os alunos deles, por, dentre outros motivos, preconceito.

Não se preocupe em "roubar protagonismo". O que o professor está fazendo é fornecendo informação para que os alunos pensem por si mesmos. Pelo o que ele conta, os protagonistas são as alunas e alunos. Muita gente que reclama de "roubar protagonismo" sequer é capaz de ajudar no empoderamento de outras minorias.

Bela Campoi disse...

Muito legal, Lola! Peço que divulgue sempre esse tipo de post, que nos dá esperança, ânimo de saber que não estamos só na luta! Parabéns ao professor misterioso...rs...

Anônimo disse...

O que dizer? Bom trabalho, continue assim, espero que não se desencante.

Natasha disse...

Na história da humanidade existe centenas de religiões, se vai falar de uma, vai ter q falar de todas. N deveria ter aula de religião nenhuma, eu n acho que isso ai seja racismo, ninguém é obrigado a gostar de candomblé, imagina um ateu tendo q aturar aula de cristianismo ou qualquer outra?
Escola é o antro do inferno, cheio de crianças e adolescentes fdp que só sabem pisar nos outros.

Viram isso? A versão feminina e escrota dos mascus? A atriz Betty Faria dizendo que tem nojo de gordas, hj ouvi no rádio comentando sobre isso e falaram de uma vez que esculacharam ela por ser uma velha indo na praia de biquíni mostrar as pelancas, palavras do pessoal do rádio. E ela ficou puta, q engraçado né? Disse q tinha o direito de usar o que quiser mimimi.
Igualzinho os escrotos, quer humilhar sem ser humilhada.

https://br.celebridades.yahoo.com/post/129093537055/39n%C3%A3o-gosto-de-mulheres-gordas-tenho

Anônimo disse...

Parabéns ao professor e força pra continuar!!!
Juliana

Anônimo disse...

E qndo os pais se recusam a flar, quem fla?

Anônimo disse...

A Igreja Católica fazia orgias no Vaticano, mas reprimia a sexualidade dos pobres, falava da bobeira da monogamia.
Todos deviam aprender na escola que o cristianismo reprimiu todos os pobres do mundo.

as crianças deviam ter medo do Malafalso.

Anônimo disse...

A aula é sobre História africana. É claro que vão falar sobre religiões, principalmente porque algumas delas influenciaram na história do Brasil.

Também não gosto de religiões, mas desmitificar preconceitos sobre uma religião descriminada por causa do racismo é muito diferente de fazer pregação cristã - religião da maioria - na sala de aula.

Anônimo disse...

Eu enxergo essa declaração da Betty Faria como de uma mulher que sempre se viu obrigada a se encaixar nos padrões. Teve um tempo em que ela foi símbolo sexual, fez a Tieta, enfim. Imagino que essas mulheres que se destacam pela beleza se cobram muito nesse sentido e acabam ficando doentes, anoréxicas, viciadas em remédio ou academia.

Eu, como mulher gorda, não me senti agredida pela declaração absurda simplesmente porque senti pena dela pensando em todos esses fatores. Estou sendo muito generosa?

M disse...

Adorei o post! Só muita educação para melhorar as coisas!

Natasha disse...

Está sendo generosa sim. Ela quer pensar essa merda? Ok. Mas falar na mídia q gordas são repulsivas? Vá se fuder!

B. disse...

Natasha, concordo com vc, escola, para mim, é antessala do inferno.

Ah, quanto à Betty Faria, até estranhei ela ter dito isso, ela foi realmente esculachada por ir de biquini à praia, falou merda MESMO. Mas claro que no Face estão santificando ela, só pq é mulher.

Prof. "Bolivariano", parabéns a sua iniciativa, vc foi corajoso apresentando temas tão importantes na escola e tendo sucesso! Tudo de bom!

Anônimo disse...

Lola,
Boa tarde!
Vc deve estar muuuito orgulhosa de sua candidata, hoje PresidAnta Dilma, não é mesmo?
O Brasil é o 7º pior país DO MUNDO nas avaliações de Matemática. Isso porque existem uns 30 Países em situação miserável, especialmente na África, que mesmo assim ficam na frente do Brasil quando o assunto é educação.
E agora, com a sua querida mamãe do cerrado propondo a volta da indecente CPMF...
Querendo aumentar ainda mais a alíquota do IRPF (que já é o absurdo de 27,5%)...
Querendo aumentar a alíquota do imposto sobre herança e doações de 4% para exorbitantes 20%...
Já aumentou a alíquota do IOF e da taxa básica de juros...
Parabéns pela sua inteligência e de todos vcs que ajudaram a colocar esses seres tão "dóceis" lá no Planalto novamente! Pena que o chicote vem no lombo de todos, e não só no de vcs.
Logo vcs que são contra a opressão, contra o autoritarismo e contra a escravidão. Não percebem que viramos todos uns oprimidos e escravos dessa quadrilha que vcs colocaram pra (des)governar noss País.
Ah, e a correção dos salários para o funcionalismo, né? E os concursos? Aumento que a quadrilha dizia que seria rigorosamente anual, obedecendo aos índices de inflação, que o outro partido nunca dava aumento e nunca fazia concurso? Vc viu o que a mamãe do cerrado disse sobre isso, né?
E agora, dona Lola? O que vc vai falar "lá em casa"?
Sinto vergonha alheia por vcs todas.
Abraço!

Anônimo disse...

Tudo é racismo, pqp. E quanto a todos os países que sequer são mencionados na escola, que a gente n sabe porra nenhuma de seus costumes? Ou seja, praticamente todos os países.
É preconceito? Não. Impossível falar de tudo e de todos, por todo tempo que a humanidade existe.
Mas se n quiser saber da historia da África, tu é um racista de merda.

Natasha disse...

B.

Se existisse estudo em casa no Brasil, eu preferiria isso mil vezes, do que aguentar o inferno da escola.
Q novidade, mulher nunca faz merda e ela é uma coitada. Só falta virem com a conversa de que ela deve ser respeitada só pq está velha, ela mesma diz q pode falar a merda que quiser por ser idosa.
Tem gente q acha q pessoas merecem veneração só por terem envelhecido, sem importar se a pessoa é educada tb, gente boa.

Mila disse...

Anônimo, é relevante estudar História da África sim pois de lá veio uma grande parte do povo que formou o povo brasileiro. Note a quantidade de afro-descendentes e verá que é mais relevante para o brasileiro estudar história da África que sei lá, a história das ilhas Fiji.

Olha, em relação aos comentários da Betty Faria (vão me tacar pedras) essas coisas só mostram o quanto as mulheres ganham ao apoiar o machismo. Enquanto estiver agradando os machistas tudo bem, mas pisa fora da linha (ou seja, se torne "vadia", gorda, velha) para ver que como eles te tratam.

Anônimo disse...

O que falar desse professor que eu mal conheço e já considero pacas?

:)

Anônimo disse...

As feministas gringas criaram uma campanha para banir a produção de sex-robots "inteligentes" que sem dúvidas vão perpetuar o papel submisso e objetificável de nós mulheres, para quem souber inglês vale dar uma espiada:

http://www.bbc.com/news/technology-34118482

O que vocês acham disso?

Pri Leone

Anônimo disse...

Decepção com a Julia defendendo macho...

Anônimo disse...

HAHAHA agora fazer críticas ao sionismo ou ao ESTADO de Israel é sinônimo de anti-semita. Tá serto fera. E não sei que esquerda é essa que defende Coreia do Norte e opressão no Tibete, acho que você está bem por fora. O PSOL mesmo não apoia o regime norte-coreano, e quando teve as olímpiadas na China quem mesmo que liderou o movimento nas redes sociais contra a opressão no Tibete? Pois é, a direita é que não foi, tava ocupada com Olavo de Carvalho e Instituto Mises

Anônimo disse...

Pros ignorantes de plantão, ele não deu aula sobre história e cultura africana porque quis dar, do nada. Ele deu aula sobre isso porque é Lei, vão se informar.

Anônimo disse...

Mila

Para mim n é relevante, n me interessa a história da África, nem de lugar nenhum, mas alguém decidiu que a gente era obrigado a estudar sobre todas as merdas que já fizeram no país...
O que me importa é o presente e as merdas que fazem nele agora.
Muita matéria da escola n tem real utilidade na vida, ter estudado sobre Tiradentes n me serve para nada. Nem saber que os portugueses vieram para cá e fuderam tudo. E sendo sincera, mal lembro do que estudei. Só o que tem utilidade mesmo, é português e matemática.
Falam do inferno que é a escola, isso tb é um dos fatores da escola ser insuportável. Ser obrigado a estudar o que vc n tem o mínimo interesse e que vc mal vai se lembrar e nem usar depois.
Tem gente que fica puta quando eu falo isso mas é a verdade, é o conhecimento que n me serve de nada, seria se eu me lembrasse, né.

Anônimo disse...

Jura que é lei? Não tinha a mínima ideia...

Julia disse...

17:15, eu não boto a mão no fogo por macho nenhum mas consigo reconhecer quando algum está fazendo algo de positivo. Não estou defendendo ele e sim a iniciativa dele.

camila santos disse...

13:13 bruxas são mulheres!

Julia disse...

Anon odiadora de história, se você não conhece o passado como vai entender o presente?

História é uma das matérias mais importantes. Era minha matéria preferida na escola.
Só tirava 10 :D


O que eu odiava mesmo era química.

Raven Deschain disse...

Gente, a Batty Faria morreu.

Só uma observação.

Raven Deschain disse...

Betty*

Bosta de teclado =P

Anônimo disse...

Foi a Betty Lago que morreu.

Anônimo disse...

Já viram q toda religião dá suas derrapadas ? O que é considerado errado por uma religião atualmente pode não ser mais ?
Um exemplo bem bobo ... CANHOTO ERA PRESENÇA DO DEMO ... A perseguição q a religião católica fez (na época era legítimo perseguir os infiéis ) ...


O que hoje a religião considera errado pode mudar .... E assim vai fazendo a cabeça dos fiéis (e eles dando dízimos )

Já parou para ver que as religiões se utilizam do poder do oculto inexplicável sobrenatural .. Para os fiéis se submeterem à instituição ?
Já parou para pensar que as instituições religiosas detém IMUNIDADE TRIBUTÁRIA ...

Eu sou uma das poucas católicas praticantes que enxergam o catolicismo como eivado de derrapadas ... Sou católica por opção, pois acredito na força que Deus envia e por vezes está na manifestação sobrenatural energética na igreja e não nos padres , acredito ...e certamente Deus cultua a bondade sem dogmas sem preconceitos ou má fé ....

Vejo que por vezes o catolicismo e etc ... Abusam do “oculto do poder sobrenatural " na tentativa de angariar fiéis e sua $$$$

Não entendo qual a necessidade também da igreja ser tão rica e ter seu Vaticano ... Já que desvia de sua real intenção de não cobiça $$$$ são tantas contradições ....

O melhor mesmo é atualizar modernizar e economizar o catolicismo ....

O interessante também é entender que o inexplicável o intelecto humano pode interpretar como manifestação sobrenatural de forças ocultas ... Espíritos do bem ou do mal ....

Quando nos apegamos a alguma força oculta ou sobrenatural ... Deus ... Espírito .... Pode ser incrivelmente benéfico ... Pode lhe trazer calma e paz em momentos de angústia ou alegria ... Acreditar no oculto pode ser mt gratificante ...
Mas Algumas pessoas podem conseguir viver bem na sociedade sem religião ...

Vc pode estar na igreja e estar sendo mt mal na sociedade enquanto q um ateu estar praticando mt mais o bem ...

Não digo q a religião é a salvação da humanidade mas digo que a boa fé o amor . Paz pensar no próximo .. Esses sim são a salvação do mundo .... Mas digo q a religião por mts vezes errou ... Condenou humanos a fogueira da inquisição e hoje condena a homoafetividade ... A pílula anticoncepcional ... Aborto ... Feminismo ..., ( onde estão as freiras papas ? Ah ??? )
O que interessa é fazer o bem .... nao importando se vc tá dentro ou fora da religião ...

MARCELLA

Anônimo disse...

Ótima iniciativa!!!!
Por mais educadores com esse tipo de visão de mundo... Fazer o Aluno enxergar a opressão que ele comete e reproduz é um pequeno passo mas ainda é melhor que a inércia!!!!

Anônimo disse...

Gente, falando em religião...
Vocês viram as novas charges do Charlie Hebdo ironizando de forma bem imbecil a morte do menino Aylan? Um absurdo.
Acho que agora as pessoas se tocaram do que é intolerância religiosa que esse jornal vem fazendo e deu no que deu.
Eu nunca fui Charlie.
Liberdade de expressão não pode ser vetor de ofensa.

Laura

Anônimo disse...

Pronto! Nada nunca está bom é que merda isso viu?!
Antes o x e o @ eram para incluir.
Agora não são mais.
Sério! Tem coisas que precisam não existir!

Laura

Anônimo disse...

Oi?
Não é ensinar a história de TODAS as religiões. É das que fazem parte da sociedade brasileira e as que têm uma participação em conflitos de grande repercussão mundial para que os alunos saibam, compreendam e tenham menos preconceito em relação a fé (ou a falta dela) dos outros.

Laura

Anônimo disse...

Aninha, eu não acho que seja exatamente isso. Pode até contribuir.
O que eu acho causa um distanciamento dessas praticas é o fato de envolverem os tais trabalhos que podem prejudicar outra pessoa, tirar ela do caminho, azar em todas as áreas da vida...

Laura

Anônimo disse...

Você está sem criatividade hahahaha
Pode começar falando sobre desigualdade relacionada ao gênero no mercado de trabalho; assédio moral; assédio sexual e por aí um assunto puxa o outro...

Laura

Mila disse...

Então anonimo, a gente estuda história justamente pra compreender o presente e ver o que a gente aprende para o futuro. Tive a matéria de história da áfrica na faculdade e foi muito bom saber as coisas fantásticas feitas pelos meus antepassados e as civilizações que eles criaram. Inclusive serve para desmistificar preconceitos e falta de conhecimento sobre o regime escravocrata e as heranças do colonialismo sentidas no continente africano e aqui também. Eu também iria gostar muito q estudássemos a história pré portugueses. Parece q aqui não tinha nada antes de Portugal chegar.
Eu devo ser exceção aqui na caixa, pq na escola eu tinha um papel enquanto q em outros setores não. Sobre a gente aprender coisas e não ver a aplicabilidade, isso tem muito a ver com o modelo de educação qur temos, muito voltado pro decoreba e de pouca contextualização.

Anônimo disse...

Então ESTUDE bastante sobre anatomia feminina e masculina, menstruação, polução noturna, áreas cerebrais envolvidas na sexualidade, no desejo, na recompensa e estude mais um pouquinho sobre antropologia, sociologia e psicologia.
Depois de tudo isso você será a ÚNICA a falar sobre sexualidade...

Anônimo disse...

"Chacina é justificável se alguém tiver provocado antes"

Entendi agora, Laura.

Unknown disse...

Quem morreu foi a Lago.

camila santos disse...

22:21 charlie hebdo é a prova de que muitas coisas viram modinha , só foi o caso ser divulgado na mídia que todo mundo começou com a besteira de "eu sou charlie" sem nem mesmo saber do que estavam falando e quem estavam apoiando. isso me lembrou como a dilma do nada virou bin laden.

Anônimo disse...

Off-topic:
Lola, por favor, me esclareça o seguinte: a UFCE está em greve?

Anônimo disse...

/\ te apresento o Google: http://lmgtfy.com/?q=ufc+greve+2015

E é UFC, não UFCE. Nem ficou na cara que é pretexto pra trollagem, imagina.

Anônimo disse...

Diva

Raven querida, não foi relevante seu erro sobre a Betty que faleceu(a maravilhosa Lago) pq realmente essa semana tanto ela quanto a Faria tiveram destaque.
A primeira pela forma guerreira com que lidou o câncer. A outra(Faria) pelo show de gordofobia e claro, misoginia ao declarar de forma estúpida que tem NOJO de mulher gorda!! Ela especificou com todas as letras! Se ela dissesse "pessoa" já tava errada, mas ela falou mulher!
Eu sempre rebato alguém que vem com galáxia que não tem mulheres extremamente machistas, escrotas e imbecis como está sra.
É isso. Saudades da Lago e decepção com a mentalidade vazia da Faria.

Anônimo disse...

Diva

Correção: falácia kkk.
Corretor de celular é Flórida menina! Kk

Anônimo disse...

Sua anta, estado laico significa não ter oficialmente nenhuma paixão religiosa.
O Estado é laico, mas nunca será arreligioso porque pessoas não são arreligiosas.
Se você quer que o mundo seja ateu, desculpa, mas não é possível

André disse...

Diva,

Mas quando a Betty Faria foi atacada por usar biquíni quem é que defendeu ela? As feministas, as gordas e as magras. É por isso que somos atrasados. O brasileiro sempre quer puxar a escada que usou para não deixar ninguém mais subir. Tenho um monte de conhecido que estudou em universidade pública que defende o estado mínimo e a privatização das mesmas. Conheço beneficiários do FIES e do Prouni que defendem sua extinção. O brasileiro não é cordial, ele é cruel.
http://f5.folha.uol.com.br/colunistas/tonygoes/2013/07/1307920-polemica-sobre-biquini-de-betty-faria-revela-o-quanto-ainda-somos-machistas.shtml

Anônimo disse...

Gente, que legal! Adorei o post, que bom que deu algum resultado, apesar das dificuldades.
Adoraria ter tido um professor de história assim. Eu não lembro se isso de ensinarem história africana já era lei lá pros idos de 2003, 2004, mas de qualquer forma o ensino de história que eu tive no ensino médio foi extremamente deficiente, meu professor só queria ficar de papo furado (e ele era negro, uma pena que não usou todo aquele tempo pra algo mais útil).
Você pode não ter mudado o mundo, mas se houvessem mais iniciativas assim ia fazer toda a diferença.

Anônimo disse...

Credo. O retrato vivo da ignorância. Meldels

Anônimo disse...

"A propósito, alguém já se deu conta do quanto é não-inclusivo o uso de X e @ para tentar uma neutralidade no idioma? É só mais uma forma de invisibilizar mulheres. Quem quer usar a língua de forma neutra não precisa recorrer a tais artifícios. Fica aqui minha contribuição:

http://www.spm.rs.gov.br/upload/1407514791_Manual%20para%20uso%20n%C3%A3o%20sexista%20da%20linguagem.pdf

Caso esse link não funcione, google: "Manual para uso não sexista da linguagem"

15 de setembro de 2015 11:16"


Adorei o link! Muito obrigado por compartilhar!

Rafael Cherem disse...

Para mim n é relevante, n me interessa a história da África, nem de lugar nenhum, mas alguém decidiu que a gente era obrigado a estudar sobre todas as merdas que já fizeram no país...
O que me importa é o presente e as merdas que fazem nele agora.
Muita matéria da escola n tem real utilidade na vida, ter estudado sobre Tiradentes n me serve para nada. Nem saber que os portugueses vieram para cá e fuderam tudo. E sendo sincera, mal lembro do que estudei. Só o que tem utilidade mesmo, é português e matemática.
Falam do inferno que é a escola, isso tb é um dos fatores da escola ser insuportável. Ser obrigado a estudar o que vc n tem o mínimo interesse e que vc mal vai se lembrar e nem usar depois.
Tem gente que fica puta quando eu falo isso mas é a verdade, é o conhecimento que n me serve de nada, seria se eu me lembrasse, né.]

Caraca, porque fui ler justo esse comentário para estragar meu dia?

Anônimo disse...

O fato de não ensinar religião nunca vai tornar a história um amontoado de nomes e datas. Na época da minha escola as religiões católicas e protestantes por exemplo sempre foram relatadas dentro de um contexto político e nunca "ensinadas".

Eu sempre amei história e ao contrário do que comentaram acima, acho que um dos motivos do país ter uma política tão ruim e com tantas pessoas alienadas que tbm são responsáveis por isso, é justamente pelo motivo de não darem importância a história, geografia, português, redação e literatura. As aulas mais inteligentes e esclarecedoras que eu já tive na escola foram as dessas disciplinas. Só não foram melhores porque os professores ficavam presos aos conteúdos de vestibulares as vezes.
Só dão importância a números para fazer contas, porque querem ficar ricos e porque acham mais importantes para passar no vestibular. Nem todos os assuntos de matemática, física são utilizados ou úteis no dia a dia tbm. Mas essas disciplinas com números sempre foram as mais super valorizadas mesmo assim. E olha o resultado do país, onde estão tantos ricos e tantos gênios criados só para valorizar números? O que eles fazem de bom e construtivos para o país e para a própria vida? A quantidade de professores de matemática ignorantes, racistas, machistas, homofóbicos tbm é grande. Não é porque o conhecimento de historia não serve em nada para alguns que isso deve ser uma regra para todo mundo, então que fique com as suas verdades.

Anônimo disse...

Não sei se precisa de orixá pra ensinar história africana, lembrando que a África é um CONTINENTE, não um país, e cada unidade tem a sua própria história. Ensinar sobre o Antigo Egito é ensinar sobre a África também, por exemplo.

Relatar, contextualizando eu concordo, isso se faz com o catolicismo, com o protestantismo e mesmo com os egípcios etc. agora começar a embutir valores dentro de um estado laico eu acho desnecessário.

As inúmeras religiões africanas dos muitos países de lá não formam uma coesão histórica e política como as 3 grandes religiões monoteístas por exemplo.

Anônimo disse...

E não vamos nos esquecer que se for pra falar de "África" dessa forma generalista seria muito mais contextualizado falar sobre o islamismo que orixás.

Anônimo disse...

"A propósito, alguém já se deu conta do quanto é não-inclusivo o uso de X e @ para tentar uma neutralidade no idioma? É só mais uma forma de invisibilizar mulheres. Quem quer usar a língua de forma neutra não precisa recorrer a tais artifícios. Fica aqui minha contribuição:

http://www.spm.rs.gov.br/upload/1407514791_Manual%20para%20uso%20n%C3%A3o%20sexista%20da%20linguagem.pdf

Caso esse link não funcione, google: "Manual para uso não sexista da linguagem""



Nossa, excelente demais esse pdf!!!!!!!!!

Eu ODEIO isso de @ e x, fora que não resolve nada, a gente continua lendo "advogadX" como advogado mesmo, por conta da nossa estrutura linguística.

Usar o que JÁ EXISTE em favor de uma lingua mais neutra é bem mais inteligente. E sem apagar mulheres.

Anônimo disse...

Anônimo da 01:19:
"E é UFC, não UFCE. Nem ficou na cara que é pretexto pra trollagem, imagina."

Inicialmente, obrigado pela sua resposta que demonstra concretamente como a intolerância, para não dizer falta de respeito e de educação, vem grassando em terras pátrias.
Lamento decepcionar sua capacidade mediúnica de prever o que a mente das outras pessoas estão a pensar, mas não era trolagem.

Muito embora já tenha ouvido falar nesse tal de "Google", a indagação à Lola visava saber da situação real, concreta, de eventual greve na UFCE. Lembro-me que já vivenciei situação de greve na UERJ em que, muito embora nas páginas dos sindicatos e de vários jornais se dizia que a Instituição se encontrava em greve, na realidade esta era parcial e bem restrita a certas faculdades.

No mais, Lola costuma(va) comentar eventuais manifestações e reivindicações de professores e há muito nada diz sobre isto, logo, quis saber da real situação.

Quanto a ser UFC e não UFCE, grato pela informação. Mas parece-me mais jogada de marketing. Afinal, não é UFBA (e não UFB), UFES (e não UFE), UFGO (e não UFG)?
Para mim, marketing de Universidade é a melhora na qualidade de ensino-pesquisa-extensão e não trocar sigka contrariando a lógica.

Finalizando, se você Anônimo me permite, mantenho a pergunta à Lola.

Anônimo disse...

Falando em machismo meio off-topic: voltando da faculdade um sujeito creio eu 50 anos ou mais ficou metade da viagem se esfregando no meu braço. Eu nem disse nada, só fiquei empurrando de leve o cara pra ele se mancar. Quem dera. O sujeito se enfiou no meu braço e eu empurrei ele com mais força. Acredita que o salafrário ainda teve a coragem de reclamar que não estava se encostando em mim por querer e que se eu não queria ninguém encostando em mim devia andar de táxi? Engraçado é que todos os outros passageiros de pé, na maioria mulheres, não estavam se encostando em ninguém. Também tinha dois homens em pé que NÃO estavam encostando em ninguém. Por que só ele não tinha espaço pra andar no ônibus sem encostar em mim? Pena que eu nem disse isso, só ignorei o cara-que achou rapidinho espaço pra não se encostar depois que eu reclamei. Típico de machista, todo errado e ainda reclamando o direito de estar errado. Gente nojenta.

Anon das 06:35 estado laico é estado sem religião oficial. O povo e os governantes podem ter religião, mas: 1) A religião do povo não DEVE nem PODE interferir no governo, e 2) O deputado, senador, presidente, etc. pode ter sua religião, mas na hora em que ele pisa na câmara, congresso ou onde quer que seja a religião fica LÁ FORA. Não interfere, não determina políticas públicas nem influencia em leis. Tipo, num estado laico o aborto não pode ser proibido porque um bando de religiosos (na maioria machistas e hipócritas) acham que abortar é errado. Entendeu? E o Brasil NÃO É laico. A prova é a bancada evangélica e as bostas que eles tem feito com os direitos das minorias e as políticas públicas contra o preconceito. O depoimento desse professor é uma prova também.

André disse...

Quando o professor de história fala da Grécia ele fala da mitologia, quando ele fala do Egito fala da religião então querer que falem da África sem falar das religiões de lá é só mais uma forma de ódio mesmo.

Rafael Cherem disse...

O Brasil não é laico e ruma para uma teocracia. Aguardem.

Jonas Klein disse...

Rafael Cherem

"O Brasil não é laico e ruma para uma teocracia. Aguardem."

Calma Rafa, não seja catastrofista assim.

Rafael Cherem disse...

Jonas,

Não temos base educacional para romper esse fluxo, a bancada da bíblia tem voto e muito dinheiro, suas teses são bem aceitas na população em geral, e atualmente são um grupo organizado, capilarizado e suprapartidário, ou seja, com grande poder de influência. Talvez no Congresso Nacional sejam mais visíveis, mas há câmaras municipais, como na minha cidade, tomadas por evangélicos, recentemente um projeto de politicas para as mulheres não passou porque tocava na questão de gênero, só para ficar em um exemplo, soma-se a esse exemplo local o fato de ter candidato a presidente mudando o programa porque o pastor falou grosso,o bloqueio ao chamado kit- gay, a influencia dentro do MEC, ouvi falar que há uma "comissão de costumes" nesse mistério!Ora, parece que sim, estamos rumando para teocracia.

Raven Deschain disse...

Huahua pois é. Descobri.

Gente, que horror. Não sei mais quem morre e quem vive. Mas que mulher horrorosa, hein?

Professor Bolivariano disse...

Obrigado pelas palavras.

Anônimo disse...

(Viviane)
Lamento decepcioná-lo, mas a Universidade Federal de Goiás usa a sigla UFG. Só curiosidade: você não pensou que a sigla "UFC" tinha alguma coisa a ver com o campeonato de MMA, pensou?

DEATH ADDER EX ''MASCU'' so botando isso pra lola aceitar' disse...

agora entendo mais ou menos o the truth, embora seja muito diferente dele, quase oposto na verdade. sou aqueles que muitas aqui chamavam de ''maionese'' não vim me desculpar nem nada não, eu nem olharei os comentários seguintes. porem percebi uma coisa, o romantismo e a misoginia são duas faces da mesma moeda, um leva ao outro e vice-versa, é algo extremamente perigoso. e lembrando agora dos textos masculinistas eu via muito rancor e misoginia desfarçada, ate mesmo em nessahan alita, como se no fundo tivesse escrevendo com ódio na verdade, coisas tipo ''espertinhas'' da impressão de ser romantismo invertido, ou seja, misoginia. pela minha experiência tanto o romantismo como a misoginia fazem mal ao coração, são coisas do coração pois fazem o coração bater, causam problemas cardíacos, isos explica porque um leva ao outro, leva ao descontrole humano. a cultura é o maior fabricador de misóginos, o pensamento coletivista, o senso comum. tudo que mexe comn o coração faz mal pra mente, causa comportamentos inconsequentes. pode parecer que sou demente por ter percebido isso aos 29 anos de idade mas eu nunca tive real experiência social ou de relacionamento, sempre fui solitário a vida toda. so quero dizer que deixei de lado esse masculinismo, é coisa do passado mesmo. o que me enfraquece eu deixo pra tras, não me interessa mais. não defendo nada, sou apolítico, so quis mostrar as falhas do masculinismo que percebi apos muita reflexão.

Anônimo disse...

Cara, se não existisse história não existiria matemática nem português e as outras diciplinas, uma complementa a outra.

Anônimo disse...

"Importante mesmo é matemática e português, o resto nem lembro".
Justifique a diagonal do quadrado ser l√2 AGORA. Sem colar do google. Em seguida, me explique a aplicação prática desse conhecimento na sua vida. Também quero a análise sintática da primeira oração do post. Sem colar, também. Se você terminou o ensino fundamental, que é o currículo obrigatório, e pela justificativa de "só é importante se eu lembrar", se você não for capaz de responder às perguntas, então nem matemática nem português são importantes, também.
Na prática, a gente só usa no dia-a-dia, "sem esquecer", conteúdo do ensino fundamental I. Aritmética, construção de texto sem aprofundar em gramática, noções básicas de história, geografia, biologia, química e física. Matemática e português são tão importantes que não por acaso são a maior carga horária do currículo escolar. Mas daí a dizer que as demais disciplinas não deveriam ser ensinadas tem um abismo gigantesco. Você pode não saber quais os nomes corretos de cada órgão e célula especializada envolvida na reprodução humana, mas você sabe que é preciso um gameta masculino e um feminino. Você pode não lembrar cada tipo de vegetação existente. Mas você sabe que existe essa variedade e que pode ser essencial à atividade econômica desenvolvida em uma região. Você pode não entender uma linha de fascismo, socialismo ou capitalismo, mas você sabe que o século XX INTEIRO foi pautado em conflitos de alguma dessas ideologias. Você pode não lembrar as leis de Newton ou o peso atômico de cada elemento, mas você tem noção que uma máquina de moto-perpétuo ou alquimia são puro charlatanismo.
Cabe a crítica ao sistema educacional. Argumentar que certas disciplinas não deveriam ser ensinadas porque você não aplica conhecimento específico delas em seu cotidiano ou porque você nãos gostava de matéria x, é querer reduzir educação a um manual de instruções práticas.

J.M. disse...

Rafael Cherem,

Concordo muito com você sobre a teocracia que o Brasil está se tornando. Sou mais catastrofista ainda, acho que já estamos em uma teocracia, só não oficializaram o nome ainda.

Professor Bolivariano disse...

A principal característica do racista é criticar aqueles que denunciam as manifestações racistas. Fica a dica 😜

Anônimo disse...

Não, anônimo.
Eu não quis dizer que se justifica aquele atentado.
Quis dizer que foi realmente horroroso. Nada justifica.
O diretor do jornal chegou a dizer em maio ou junho que não fariam mais charges por isso.
FAVOR, não coloque palavras em minha boca e não faça conjecturas ou especulações de que não me importo com tudo isso.

Laura