segunda-feira, 10 de agosto de 2015

A IGNORÂNCIA DOS HOMENS AO TUTELAR O CORPO DAS MULHERES

Senado, Brasília, última quinta

Já contei como foi parte da 3a audiência da SUG 15, proposta para regulamentar que a gravidez possa ser interrompida no SUS até a décima-segunda semana de gestação. O público reaça estava animado. Gostou de hostilizar Tatiana Lionço. Eram tantas interrupções que o senador João Capiberibe, moderador da mesa, teve de dizer: “Isso não é um fla-flu, é um debate profundo”. 
Porém, o clima de fla-flu se acirrou ainda mais quando chegou a vez da fala de um dos ídolos reaças, Padre Paulo Ricardo. O padre é famoso por fazer vídeos ultra-conservadores em que diz que o maior inimigo das mulheres é o feminismo, e não homens sensatos como ele, que são contra as mulheres trabalharem fora e usar calça comprida. 
O padre compartilha das ideias do guru Olavo Carvalho. Inclusive, o sujeito da batina preta foi aos EUA ano passado para se encontrar com ele. E posar para esta foto épica, que fez algumas pessoas perguntarem, “Mas um padre pode caçar?”
No Senado, o padre começou pedindo que as pessoas abstraíssem sua batina, pois estava lá como um cidadão brasileiro para argumentar racionalmente e explicar o que estava acontecendo com o mundo (prepare-se para a teoria conspiratória). 
Até a década de 70, segundo ele, o mundo era completamente contra o aborto. O que ocorreu é que estamos diante de uma obra de “engenharia social”. Disse o servo de deus às feministas presentes: “Temo que vocês estejam sendo manipuladas. Temo. E não somente temo, como acho que talvez tenho certeza. E seria bom até que vocês, considerando esses fatos, passassem pro nosso lado.”
Ele citou que fundações como Ford, Rockefeller e o Instituto MacArthur trabalharam e trabalham para mudar a sociedade (“mudar”, para um conservador, tem conotação extremamente negativa). “São fundações internacionais que estão decidindo o futuro do nosso país”, disse o padre, sentado a poucos metros do lado do diretor americano de Blood Money.
“Quem está realizando esta revolução social é um pequeno grupo da elite globalista. Estamos sendo feitos de bobos por essas fundações”. E completou: “São as fundações que vão dizer o que é certo para nós, então a democracia brasileira não vale nada”, disse o representante de uma das mais poderosas, ricas e manipuladoras fundações internacionais da história, o Vaticano. 
Na realidade, a tese conspiratória do padre é igual à de Olavão que, por sua vez, é muito parecida com a dos neonazistas que os idolatram. Não é à toa que reaças chamam ativistas de todos os naipes de “idiotas úteis” -– estaríamos fazendo o trabalho sujo de uma elite globalista que, assim que alcançar seus objetivos (nunca fica muito claro quais são), nos abandonará. Quero aproveitar a oportunidade para dizer que não recebi o cheque dos Rockefeller este mês.
Exemplo de propaganda neonazista
A diferença entre o padre olavette e os neonazis é que esses últimos culpam a conspiração para arruinar o mundo nos judeus. Para "provar", inventam que todas as feministas do ocidente são judias. O princípio é o mesmo: gente rica financia feminismo e ativismo LGBT para acabar com o planeta. Ninguém explica por que biliardários querem arruinar um mundo que parece estar bastante bom pra eles.
Mas o padre ainda disse que os "pró-vida" que atuam nos hospitais lhe contam que, por ano, há cerca de cem mil abortos no Brasil. 
Acontece que, segundo eles, três em cada quatro curetagens são decorrentes de abortos “naturais”, e apenas uma em cada quatro, de abortos “provocados”. Esta baixa procura pelo aborto, de acordo com o padre, acontece por que a aprovação ao aborto tem caído no país (e não por causa da proliferação do Cytotec e outros comprimidos, que substituem as cirurgias).
No final, o padre, crente que nos convenceu, perguntou: “Será que nós estamos sendo manipuladas?” E, com a vocação de quem costuma responder as próprias perguntas, respondeu: “Sim, vocês estão. E não me venham com este nhenhenhem de laicidade do estado, que é maracutaia”. O público vai à loucura.
Muito antes da vez da filósofa e professora do Mackenzie Marcia Tiburi, o deputado federal Leonardo Quintão (PMDB-MG) quis impedi-la de falar. Ele exigiu várias vezes que Tiburi não fosse associada ao Mackenzie (onde é professora há mais de oito anos). Até depois da fala de Tiburi, o deputado quis ter a última palavra, lendo um comunicado da universidade presbiteriana que diz ser contra o aborto em todos os casos, mas que defende a liberdade de expressão de seus docentes (vamos acompanhar para ver se Tiburi não é demitida). Ao terminar de ler a nota, Quintão completou: “Que Deus abençoe este debate”. 
Com tanta perseguição do deputado, Tiburi teve que abrir sua fala com uma deliciosa ironia: “O deputado tá muito preocupado, então gostaria de tranquilizá-lo: fique tranquilo”. “Muito obrigado”, respondeu o sujeito. “Imagina, eu que agradeço”, disse Tiburi. Ela falou de um “círculo cínico que transforma aborto em uma máquina do mal”. Disse que há um acordo de fingimento em que uns fingem não abortar enquanto outros falam contra o aborto. E ressaltou que alguns lucram moralmente com o discurso contra o aborto. 
Tiburi citou também várias falácias usadas contra a legalização, como a falácia do apelo do valor da vida, que corre em defesa dos inocentes e que trata o corpo da mulher como menor, como mero hospedeiro. Outra falácia que achei marcante foi a da autoridade, em que todos (padres, deputados, juízes) têm autoridade para se posicionar contra o aborto –- só não vale a autoridade da mulher que possui o desejo de abortar. 
No final, Tiburi disse que é através dessas falácias que são garantidas várias benesses aos “sacerdotes morais”: “falar contra o aborto é um meio de angariar adeptos a causas autoritárias”. E acrescentou: “Em um país de pessoas analfabetas, inclusive as mulheres, e de corrupção desmedida, em termos morais, estão garantidos os votos, o dízimo, e o consumo em geral”. O público vaiou, indignado, no que foi a maior vaia da audiência, mostrando que as palavras de Tiburi calaram fundo. “É maluca”, disse uma mulher atrás de mim.
A próxima a falar foi a vereadora por Maceió Heloísa Helena (PSOL-AL; que já foi senadora e candidata à presidenta), sempre uma decepção quando a questão é aborto. E ela ainda teve a ousadia de dizer que não é contra a legalização por motivos religiosos, ao mesmo tempo em que mostrava um embrião minúsculo, de plástico, dizendo que tratava-se de uma “coisinha belíssima, única, preciosa”. 
Para ela, não importa em que etapa da gestação se faz o aborto -– ele é errado sempre. “Quem ao longo da história tratou de prazos foram as religiões”, segundo ela. Quando ela disse que o Papa Gregório tinha sido a favor do aborto, padre Paulo Ricardo fez que não.
HH calculou que “apenas” 135 mulheres no Brasil morrem por ano por causa de aborto. Disse ainda que a ideia de que o aborto é uma questão de saúde pública é malabarismo, e que nove meses da vida de uma mulher não podem ser mais importantes que uma vida inteira. Recebeu aplausos tímidos.
O senador João Capiberibe deu espaço a algumas intervenções, e o Deputado Flavinho, do PSB de SP, se colocou como católico e missionário, mas acentuou que não deixa que sua religião o afete na hora de legislar. Em seguida ele disse isso, sem corar: “Não caiamos nem num extremismo nem no outro. Temos que defender a vida, a vida está em primeiro lugar”. Eu fico pensando o que seria o extremismo do lado deles.
Ele estranhou que os LGBT tenham embarcado na defesa do aborto, porque "isso tudo começou com as feministas". Mas agora, depois da fala do padre, ele sabia de onde vinham todos esses recursos (meu cheque, Mr. Ford!). Prometeu que, enquanto estivesse na Casa, o aborto não seria aprovado.
Um outro deputado (este eu não peguei o nome, desculpe) disse ter se ofendido por ser chamado de cínico por defender a vida, esquecendo-se que as mulheres que defendem a legalização e as que abortam são chamadas de coisas muito piores. Pôs-se a falar do reino animal, falou até da chave e da fechadura (juro!). E concluiu: “A história mostra o quanto a maternidade transforma a alma da mulher, como aprimora a mulher quando ela tem uma função a performar. Diante da natureza eu me curvarei. Antes de servir a qualquer ideologia”.
E chegou a vez do notório deputado Marco Feliciano (PSC-SP), que começou citando um estudo da Cambridge (que ele destacou que, por ser um estudo estrangeiro, tinha mais credibilidade que os brasileiros) que supostamente diz que o trauma causado por um aborto é maior que o trauma causado por estupro (tente encontrar qualquer menção a esse estudo na internet). 
Feliciano contou que sobreviveu a uma tentativa de aborto que sua mãe tentou fazer. E disse que ela carrega nos ombros o trauma de ter acabado com a vida de 150 bebês, por ter tido uma pequena clínica. Por fim, ecoou Heloísa Helena ao mostrar um bebêzinho de plástico menor que um dedo: “Tenho nas mãos o tamanho de um bebê até a 12a semana. É um assassinato. Aqui é um país que se dá mais valor a um mico-leão dourado que a um bebê”. HH poderia viver sem esta mórbida semelhança.
O senador Capiberibe, surpreso com tantos discursos anti-legalização, disse que gostaria de ouvir os dois lados, ao que um deputado a minha frente perguntou: “Mas tem alguém aqui a favor da morte?”
Finalmente falou o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), que citou os casos de Adelir e Jandira, exemplos de como a dominação masculina tutela o corpo feminino. Achou curioso que homens estavam decidindo sobre o corpo da mulher. 
Falou também da bancada da bala e da “cultura de morte” que eles defendem, querendo reduzir a maioridade penal e as leis de porte de armas: “Vocês usam muito pouca energia para tratar dessa cultura de morte, e energia demais para tutelar o corpo da mulher”. Foi importante que, numa audiência em que se falou tanto de financiamento, Wyllys lembrou do lobby milionário da bancada da bala.
Um outro deputado, este do Mato Grosso do Sul, disse que o corpo do feto era independente do corpo da mãe, que a vida está presente no ato da fecundação, e contou o caso de um médico que não via diferença entre matar uma criança depois de nascer ou ainda no ventre. “Jamais estarei aqui para defender morte, para defender alguém que defende a morte”, completou o nobre deputado. 
A advogada Nayara Teixeira, da Comissão da Mulher Advogada da OAB, mencionou o silenciamento do debate que vem ocorrendo há 75 anos. E foi silenciada. Teve sua fala cortada.  
O senador Magno Malta (PR-ES), relator do projeto, estava acamado, de licença médica, mas enviou dez perguntas para alguns dos debatedores. A única minimamente digna de nota foi a que ele fez a Tatiana Lionço sobre se o Conselho de Psicologia punia os profissionais por suas sugestões às pacientes sobre aborto. Lionço respondeu que constitui violação ética induzir tanto para a realização quanto para a não realização do aborto.
Da página do senador
(clique para ampliar)
O posicionamento de Malta ficou mais claro quando ele perguntou ao documentarista americano David Kyle sobre o escândalo do Planned Parenthood, lamentando que a mídia dê mais destaque à morte de um leão. A página do senador, com um resumo feito por sua assessoria de imprensa sobre a audiência, é de chorar. Deturpam totalmente a fala de Débora Diniz (ela disse exatamente o contrário do que está escrito: que aborto é feito por todas as mulheres, não apenas por prostitutas e adolescentes). Além do mais, ninguém registrou o testemunho da dona de casa Regiane Silva. Não sei sequer se ele aconteceu nesta audiência, mas tenho certeza que não foi o ponto culminante. 
O ponto alto no final do debate, a meu ver, foi Marcia Tiburi lamentar ter que debater com pessoas tão mal preparadas como os deputados, homens que não sabem absolutamente nada sobre as mulheres, mas querem continuar regulando o nosso corpo. Infelizmente, este é um bom resumo do conhecimento da maioria dos caras que se julgam aptos a discutir um tema tão importante quanto aborto. 
Depois do debate, algumas feministas tiraram foto com o deputado Jean Wyllys
Leia também o texto da Paula para a Rede Feminista de Saúde

142 comentários:

Anônimo disse...

A retomada do controle sobre a reprodução, que por direito e das mulheres, e também da educação feminista sob suas crias desconstruindo nestas crias o estereotipo falido chamado homem, e o maior temor destes conservadores do status quo machista, por isto eles temem tanto estas questões de empoderamento feminino chamado aborto.

Anônimo disse...

Falam em tirar uma vida em desenvolvimento como se tirassem um cravo ou uma espinha, todos aqui tiveram o direito de se desenvolver em paz, e acham normal negar isto a outro, o feto não faz parte do corpo da mulher, e um ser novo com DNA próprio

Anônimo disse...

Abortistas são eugenistas, filho de rico ninguém quer abortar só filho de pobre
Desde que o aborto foi legalizado nos EUA nos anos 70, sob forte lobby das fundações Ford e Rockefeller, mais de 20 milhões de mulheres negras recorreram ao procedimento,devido ao terrorismo midiático de grupos ligados a engenharia social eugenistas, um terço da população negra atual, nem i lixo racista da klu Klux Klan seria tão eficiente

Patty Kirsche disse...

Eu concordo que a ignorância é muito grande, mas o que considero mais grave é o desejo de manter a ignorância. Eu dou aula num projeto de extensão universitária da USP que trata de questões de gênero na mídia. A turma é basicamente formada por alunas e alunos (quase todos gays) de graduação. Eu dei duas aulas sobre aborto semestre passado; numa eu passei o filme "O Aborto dos Outros" e, na outra, eu dei um resumo sobre a questão do aborto aqui e nos EUA. Em ambas o índice de falta foi bastante elevado. E, em qualquer congresso, quando eu começo a falar sobre aborto, uma galera começa a se levantar e deixar o auditório. O assunto é tabu, e as pessoas têm medo de discutir, mesmo em ambiente acadêmico.

Anônimo disse...

Aborto é pratica eugenista? Que beleza! Então vamos forçar mulheres pobres a terem filhos. Claro que vai dar boa coisa no futuro...

E o embrião tem DNA proprio? E daí meu querido? Banana também tem! Se um feto é tão independente da mãe assim, vamos propor que as mães tirem o embrião indesejadao e coloquem em algum lugar que não seja o útero delas. Porque se algo quer crescer na minha barriga, eu tenho sim o direito de não deixar.

Yara

Anônimo disse...

O padre Paulo Ricardo mexeu no ovo da serpente, e a serpente se contorceu toda de raiva, mas o bote das serpentes e traiçoeiro, se disfarça na paisagem social, vende seu veneno na embalagem do remédio. O padre ( padre também e cidadão, e não tem seus direitos politicos e de opinião cassados, para amargura da esquerda) mostrou dados e fatos documentados, as fundações que ele citou existem e são de conhecimento notório principalmente no mundo financeiro e nas engrenagens estatais mundo afora.
quem quiser saber mais e só pesquisar

"O maior truque do diabo, e provar aos homens que ele não existe"
proverbio cristão ortodoxo, e também muito similar as ferramentas socialistas históricas.

Anônimo disse...

"E o embrião tem DNA proprio? E daí meu querido? Banana também tem!"

Depois de ver alguém comparar um embrião/feto humano a uma banana e melhor ir embora, a vida e muito curta para isto lidar com isto :/

Anônimo disse...

A Yara trata a maternidade como um parasita dentro das mulheres, grotesco.
mas também esperar o que de uma RadFem

Anônimo disse...

Eu só rebati um argumento. Alguém ai falou que o embrião merece viver porque tem DNA proprio. Uma batata também. "ter DNA proprio" não torna ninguém/nada merecedor de vida.
Foi para mostrar o ridiculo da argumentação de vocês.


E não trato maternidade como parasita, pessoa escrota! Alias, daqui dois anos quero ser mãe e meu bebê será muito bem recebido. Só não quero forçar uma pessoa que não quer ser mãe, a ser mãe.
Yara

Anônimo disse...

Uma batata também. "ter DNA proprio" não torna ninguém/nada merecedor de vida.

Nossa melhorou hem rad?! Agora ficou bom o seu "argumentu"

Tiago disse...

" as fundações que ele citou existem e são de conhecimento notório"

Ah bom! Se elas existem, então todas as teorias de conspiração que inventam a respeito delas são verdadeiras também!

Anônimo disse...

Anonimo, repito: foram vocês que falaram que o embrião merece viver porque tem DNA proprio. Viu como o "argumentu" de vocês é ridiculo? O ainda não ficou claro que ter DNA proprio não é la grandes coisas?

( e ja aviso , tenho dois irmãos mais novos, logo, posso passar a tarde inteira aqui repetindo a meeeesma coisa! beijas!)

Anônimo disse...

Pesquisem sobre influência de poder e engenharia social (socialismo fabiano)

Anônimo disse...

A criatura compara DNA de um ser humano com o de uma banana e ainda quer insistir nisto? Só pode ser um caso clinico, não e possivel.

Cristiane disse...

Ta insinuando que só mulheres brancas devem ter direito de abortar, anon 12:50? As negras devem fazer o que? Enfiar um cabide na vagina e torcer pra não ter uma hemorragia?
Você não ta achando que as mulheres pretas, brancas, indígenas, amarelas, vão parar de abortar, né???? Não pode ser tão ingênuo!!

Anônimo disse...

Algumas semanas atrás vi uma reportagem no fantástico,mostrando a história de 2 gays que foram até a asia para conseguirem um bebe biológico e a reportagem falava como se fosse uma linda hitória de amor.Só não contaram que existe uma máfia na asia que sequestram mulheres,mantém elas em cárcere privado e as violentam,para servirem como barriga de aluguel de casais gays.A mídia gaysista esconde ou mentem quando gays praticam violência contra mulheres,inclusive nas escolas tem aumentado muito casos em que gays espamcam meninas,por ciúmes de namorados(no próprio youtube se ve muitos casos assim)Os gays querem invadir os mov.feministas para manipularem e esconderem a violência contra as mulheres,praticada por gays.

Anônimo disse...

Esse padreco é que parece um enviado do capeta.

Anônimo disse...

homem fazendo homice

Anônimo disse...

Eu queria saber o que os donos dessas fundações pensam dessas teorias. O legal é que tiram de mulheres/feministas a conquista desses avanços e colocam na conta dessas fundações. Quer dizer, mulheres mais uma vez tendo suas contribuições para o avanço da sociedade roubadas e descreditadas..

Anônimo disse...

Apresento aqui uma lista de boas razões para odiar os homens:
Estupro
Estupro em gangue
Estupro estatutário
Torturas
Assassinatos
Guerras
Destruição ambiental pelo bem dos “empregos”
Espancamento da esposa/namorada (muitas vezes seguido de morte)
Degradação das mulheres na arte, literatura, publicidade, etc.
Pornografia
Prostituição
Incesto
BDSM
Mutilação genital feminina
Tráfico sexual de meninas e mulheres
Uso das mulheres como objetos de troca
Discriminações contra as mulheres nas profissões
Assédio sexual no ambiente de trabalho, universidades
Assédio sexual nas ruas
Intrusão na privacidade, no espaço pessoal e corporal das mulheres
Impedimento da liberdade de movimentos das mulheres
Proibições à livre expressão das mulheres
Forçar o véu às mulheres
Forçar códigos de vestuário "feminino"
Forçar embelezamento às mulheres
Forçar gravidez e parto
Dar ao feto mais direitos do que à mulher em cujo corpo ele está crescendo
Negar poder político, social e econômico às mulheres
Constranger a criatividade feminina e negar às mulheres acesso a extensas áreas do conhecimento social e avanços culturais
Construir, legitimar e perpetuar instituições baseadas na inferiorização, discriminação, humilhação, exclusão e exploração da maior parte da população.

Anônimo disse...

Copiando pra espalhar por aí :*

Evandne da Silva disse...

Uma falácia é um falso argumento construído sobre uma lógica espúria. Partir de axioma moral não hegemônico não constitui falácia. Por outro lado desqualificar o debatedor é a clássica falácia had hominem. Enfim eu esperava mais de Márcia Tiburi. O Mackenzie deve lançar nota dizendo que os professores deles são melhores que isso. Aliás se eliminarmos todas as falácias e dados furados apresentados esse debate não duraria 12 minutos. Sobra paixão e falta todo o resto. O melhor argumento pró aborto aparece no livro Freakonomics. O autor afirma que liberar o aborto tirou de circulação jovens que seriam criados largados e seriam abraçados pelo crime organizado. O resultado foi uma queda nas taxas de criminalidade vinte anos após a mudança da lei. A pesquisa dele trás conclusões tão eugenistas que ele se nega a dar um veredicto. O leitor que resolva sua questão moral.

Anônimo disse...

Homens se acham não é mesmo. Mas causam um mal a sociedade sem igual VIDE 14:29
Mas eles não estão nem aí, contanto que não seja nas costas deles o problema. Existem 20 milhões de mães solteiras só no Brasil, os homens não querem fazer o papel que eles supõem que é da mulher. Agora vocês vão ter que ficar com a guarda compartilhada seus bostas, não adianta mais fugir pra não pagar mixaria de pensão pois serão presos e terão guarda compartilhada.

Wellington Fernando disse...

Não me surpreende nem um pouco ver essas patifarias reacionárias da bancada "pró-vida" serem aplaudidas onde a maioria das pessoas sequer sabe o que é Estado Laico. Um bando de machos (fundamentalistas cristãos, em sua maioria) querendo manter sua histórica dominação estatal sobre os corpos das mulheres nunca foi novidade. O que me surpreende de verdade é ver algumas FEMINISTAS (teologia feminista) sendo contra a descriminalização do aborto. Isso, sim, me deixa realmente preocupado. É inaceitável permitir que uma blástula tenha mais direitos civis que uma humana adulta.

Eu vivo falando mal das rads, mas nesse aspecto eu aplaudo de pé qualquer coisa que elas disserem: porque o aborto é um assunto que diz respeito APENAS ÀS MULHERES. Macho nenhum no mundo tem o direito de sequer pensar em dizer o que uma mulher deve ou não fazer com o seu próprio corpo.
Enquanto isso, no Uruguai - onde o aborto foi descriminalizado - o número de mulheres mortas em abortos literalmente zerou.

Anônimo disse...

Homens, são os heróis das guerras que eles mesmos criaram.

Jonas Klein disse...

Olá Lola

Tem um detalhe que não pode passar desapercebido, as mulheres também tem muitas que vivem tutelando o corpo umas das outras, e o aborto e o tema que mostra isso de forma mais gritante, e enquanto as mulheres elas mesmas não aprenderem a não ficar tutelando o corpo umas das outras, nunca que os homens vão parar com isso.


Agora esta frase aqui e que e de enjoar "que a vida está presente no ato da fecundação,"

Quando e que este povo burro vai entender que a vida NAO inicia no momento da fecundação? nem a gravidez inicia neste momento.

Cansei já com estes clichês.

Eu já vou ficando por aqui.

Tiago disse...

"Pesquisem sobre influência de poder e engenharia social (socialismo fabiano) "

Já adiantando: você vai cair em sites ou "estudos" com as mais absurdas teorias de conspiração, onde você encontrar o bode expiatório perfeito para os seus próprios complexos. Todas elas muito bem elaboradas para angariar votos e devotos.

Enquanto isso, o capitalismo cultural vai de vento em popa e ninguém parece se importar muito.

Anônimo disse...

Ter o direito ao aborto e o acesso ao aborto seguro não quer dizer que alguém vá obrigá-los a abortar. Ou seja, pra você que é contra o aborto, e não vai realizá-lo, NADA MUDA !

Anônimo disse...

Se esses prezados senhores e mascus em geral estivessem realmente preocupados com a vida das crianças e a integridade física e emocional das mulheres:

O Brasil estaria andando a passas largos no combate da mortalidade materna e não estaria tão longe de atingir a meta estipulada pela ONU;
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/03/150306_mortalidade_materna_jc_ru

Violência obstétrica seria um mito;

Educação sexual seria obrigatório no curriculum escolar e a conscientizar sobre as responsabilidades de se criar uma pessoa não seria vista como um ataque aos direitos reprodutivos,

Métodos contraceptivos de qualidade e da escolha de cada mulher, além de acompanhamento ginecológico de suas usuárias seriam amplos e de acesso universal;

Não existiria empecilhos para esterilização voluntária;

Licença parental seria de 1 ano;

Creches e educação na primeira infância seriam acessíveis a todos;

Haveria medidas efetivas contra a discriminação de mulheres no mercado de trabalho;

Muito mais homens usariam camisinha...

Muito "bonitinho" ser contra o aborto e ser "pró-feto" quando não é você que arca com 100% da carga emocional, financeira e social da maternidade ou mesmo do "azar" biológico de ser apta a engravidar.

Jane Doe

Carol Pirlo disse...

Acho engraçado é que a bancada religiosa e sua corja lobista se omitem, como cidadãos, de outros assuntos pertinentes. Meio ambiente, economia, trabalho. Mas falou em mulher e lgbt, aí eles correm "para cumprir o papel de cidadão". Hipocrisia é gigantesca.

Eu nunca votei na vida mas me incomoda bastante em ver o naipe dos políticos no Congresso. São esses sujeitos que fazem decisões que impactam na nossa vida a curto, médio e longo prazos. E é impressionante como são despreparados e querem que suas opiniões (e as opiniões de suas igrejas) sejam válidas para todos. Autoritários e ditatoriais, defendem o status quo pois querem manter as mulheres ainda no cabresto.

Giulia T. disse...

PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE - ALAGOAS
NOTA
O Diretório Estadual do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), em Alagoas, vem a público comunicar o afastamento político da Vereadora Heloísa Helena das fileiras do Partido Socialismo e Liberdade.
Lamentamos a atitude de Heloísa, pois a sua posição de nos deixar, já é sentida há algum tempo, porém sua concretização de fato se deu agora, quando a vereadora passa a compor oficialmente a Coordenação Nacional da Rede Sustentabilidade.
O PSOL Alagoas continua firme na defesa e consolidação da Frente de Esquerda, em nosso Estado e na capital, com os partidos PSTU, PCB e PCR.
Por outro lado, continuaremos firmes no combate sistemático aos partidos que representam os grupos empresariais, responsáveis pela exploração e expropriação da produção de nossas riquezas construídas com a força do povo trabalhador.
Por fim, comunicamos que o mandato da Vereadora Heloísa Helena seguirá com a mesma, e o seu afastamento legal só acontecerá quando houver segurança de que nenhum problema ocorrerá com seu cargo. Desta forma, oficializamos a sua desvinculação política com o PSOL.
Maceió, 16 de Dezembro de 2014.

Anônimo disse...


Na verdade, os machos se identificam profundamente com tecido fetal indesejável, por eles perceberem como sua própria condição aquela de um sanguessuga que se alimenta de energia feminina, um parasita que não sobrevive sem o suporte vital das mulheres. Drenando energia feminina, eles se sentem fetais. Visto que esse estado fetal perpétuo é fatal para o Eu da eterna mãe (Hospedeira), os machos temem que as mulheres reconheçam essa condição real, o que os tornaria infinitamente indesejados. Em um mundo onde os homens desempenham o papel de controladores, possuidores das mulheres, essa necessidade dos machos de energia feminina, vista pelo que ela é, é necrofilia - não no sentido de amor por cadáveres reais, mas de amor por aquelas vitimizadas em um estado de morte-viva.


O fato é que as mulheres sempre travaram lutas ferozes contra a gravidez indesejada. Porque os homens têm oprimido constantemente as mulheres engravidando-as contra a vontade delas através de estupros legais e ilegais e negando o acesso ao aborto seguro e ao controle de natalidade. Isso sem mencionar que o patriarcado também tenta impor a maternidade bombardeando as mulheres com a propaganda de que esse é seu destino inevitável.

Anônimo disse...

Só pra lembrar que, quando uma mulher opta pela continuidade da gestação e pela maternidade, a forma com que são tratadas não é diferente do tratamento dirigido às mulheres que abortam:

http://epoca.globo.com/vida/fotos/2015/08/parto-com-respeito.html

http://epoca.globo.com/vida/noticia/2015/08/vitimas-da-violencia-obstetrica-o-lado-invisivel-do-parto.html

http://epoca.globo.com/vida/noticia/2015/08/violencia-obstetrica-o-desrespeito-gravidas-na-maternidade.html


Esse trecho foi um dos depoimentos mais chocantes pra mim:
(...)Depois de duas tentativas frustradas de anestesiá-la, a equipe prosseguiu com a cirurgia assim mesmo. “O anestesista puxava meu cabelo para eu não desmaiar de dor”(...)

Como já disse mais de uma vez aqui: criminalizar o aborto não tem nada a ver com "salvar vidas". Tem a ver com punição e ódio.

Jane Doe

Anônimo disse...

Infelizmente, esse debate todo pareceu uma armação com o objetivo de "provar" que o aborto é errado: Mesmo aqueles que se esperava defender o direito da mulher, foram contra. Foi basicamente um julgamento medieval. E agora, infelizmente, esse assunto tão importante ficará talvez anos longe das pautas legislativas.

Poderiam me responder a uma pergunta? Pergunto porque entendo que vocês estudam a sociologia feminina e intergêneros.

Sempre cresci extremamente solitário, jogando videogames e vendo TV. Minha mãe era muito pobre, e incentivava isso em mim para não precisar comprar roupas. Na escola sofria bullying, então me isolei mais. Tenho 25 anos, e sou BV. Há quase cinco anos estou longe de casa, saí para fazer faculdade e sobrevivo graças a bolsas do governo. Sendo uma pessoa ingênua, pensei que quando entrasse na faculdade eu poderia conhecer garotas. Não me levem a mal, sei hoje que isso é errado, mas conforme explicado acima, eu era uma pessoa ignorante a respeito das dinâmicas sociais. Aconteceu que as minhas colegas de classe logo me bloquearam em massa no facebook, fiquei chateado, mas deixei para lá. Então, consegui um estágio em um dos muitos laboratórios da faculdade, trabalhando com os computadores, e lá pude conhecer umas duas meninas solteiras de minha idade. Como não sou de falar pessoalmente por ser gago, peguei o e-mail de uma das meninas no sistema e adicionei no facebook, e para saber o que ela gostava, pesquisei um perfil abandonado no finado orkut. Tentei puxar assunto das coisas que ela gostava, e algumas ela disse que não gostava, e eu disse que vi no orkut, e ela levantou a voz, dizendo que eu estava perseguindo ela. Começamos a discutir, e eu disse que perfis em redes sociais são públicos e o que eu fiz não era errado.
Dia seguinte, as pessoas no laboratório estavam assustadas, pois ela tinha ido na delegacia. Após uma conversa com a professora responsável pelo laboratório, ela compreendeu o mal entendido e me instruiu a não falar mais com as mulheres. Algo mais ou menos similar ocorreu com outra menina, nem a conversar com ela, mas ela disse que eu era invasivo e mandou eu nunca mais falar com ela, e a professora me explicou que "assim não dava", que qualquer desabafo, eu podia falar com ela, mas que eu não podia me aproximar de mulheres, pois as assustava.
Tempos mais tarde eu compreendi que a causa era que eu sou pobre, e mulheres tem nojo e repulsa de homens pobres como eu(não estão erradas). Pode parecer infantil, mas eu apenas não sabia como as coisas funcionavam devido o isolamento. Por segurança - não tenho como pagar advogados - desde então, não tenho dado mais nem bom dia para mulher nenhuma.
Agora fim desse ano eu me formo, e vou poder trabalhar, ganhar muito dinheiro e não ser mais pobre e finalmente ter uma namorada. Porém, tenho medo de perder meu futuro emprego caso isso aconteça, como proceder? Me disseram que seria bom assim que eu me formar entrar em um consórcio para comprar um carro zero, mas não sei se isso é verdade e nem qual carro seria melhor.

Anônimo disse...

SOU MULHER
E ODEIO HOMI VOCES
HOMEM É FEDIDO E FEIO
VOCES GOSTA DE BOLSONARO
VOCES GOSTA DE BATER HUMILHAR ESTUPRAR
KADU DADO AÉCIO NETINHO CAMELO CAETANO FROTA ESTUPRADOR
CHRIS BROWN EMINEM MEL GIBSON BILL COSBY WOODY ALLEN LENNON CHAPLIN...
HOMIS SÃO VIOLENTO TARADO MISÓGINO ESTUPRADOR PEDÓFILO NOJENTO
AGRESSÃO MISOGINIA COLONIZAÇÃO NADA ACONTECE BOLSONARO

B. disse...

Esses é um dos motivos pelos quais Brasil é terceiro mundo.

Anônimo disse...

Lola manifesta simpatia pelo veganismo, que é contra comer ovo de galinha e tirar leite de vaca para poupá-los da exploração e não tem nenhum um tiquinho de empatia pelo feto humano, que pode não ser um humano em suas plenas faculdades, mas é vida humana... Até um vírus unicelular é vida, mas o feto humano, não é vida... deve ser uma pedra, já que até os ovos ganham mais a empatia da Lola.






Anônimo disse...

Não é por nada não, mas mulheres (e negrxs) que defendem legalização do abordo deveriam ao menos assistir blood money pra contrabalancear a opinião.

Kittsu disse...

Lola eu não falaria mais disso aqui no blog, mas a moça do relato me lembrou você. E como você havia dito que tinha algo relacionado a síndrome metabólica achei que seria inspirador pra você ver a melhora na saúde dessas pessoas. Não me ignore só porque você já sabe do que eu estou falando e acha que não tem que "acreditar nessa pajelança" (Rs) sério, da uma olhadinha com o coração aberto vai... amanhã você me xinga,mas só amanhã, que hoje é dia de coração aberto S2 :p

http://www.lowcarb-paleo.com.br/2015/08/tres-relatos-de-caso-com-2-anos-de.html?m=1

Anônimo disse...

Não é questão de laicidade... Quero um estado onde a constituição seja respeitada e a vida humana tenha um valor soberano, caso contrário, abrimos brechas éticas e morais pra justificar qualquer tipo de eugenia.

Se o estado pode decidir que até três meses de gestação essa vida não vale nada, que pode ser descartada a qualquer momento, o estado pode decidir que se for mulher não vale nada, se tiver síndrome de down não vale nada, se for negro não vale nada. Ou seja, contanto que se tenha um 'sofrimento maior' para justificar a causa, o aborto até os 9 meses (porque não infanticídio) pode ser muito bem legalizado. O que defini 12 semanas de gestação? O fato de não sentir dor? E se eu anestesiar a pessoa antes de assassinar ela, daí não será crime?

Enfim.... se não partirmos de uma premissa inabalável de que qualquer vida é digna de ser vivida e deve ser defendida, estaremos abrindo nossa ética para tolerar qualquer justificativa.

Anônimo disse...

E se... O ABORTO fosse IMPOSTO como na China?
Ia ter campanhas pelo direito de parir??
Já falei em outros post as clínicas abortistas querem lucrar com a VENDA de FETOS,maior escândalo nos Eua clínica Planeed Parenthood onde a diretora é acusada de induzir as mulheres a abortar mais tarde para ter órgaos prontos para venda.
A vida se inicia na concepção...
Ass:Taty

Anônimo disse...

Acho bizarro a legalização do aborto ser uma questão defendida por 'direitos humanos'.

De uma lado a gente tem a vida/morte do feto. Do outro lado a gente tem o bem estar da mulher que não quer o filho. Tipo, a gente fala de mulheres que morrem em abortos clandestinos como se elas fossem obrigadas a abortar...

É uma escolha que elas fazem pesando as opções: me submeter ao risco de morte num aborto clandestino VERSUS sofrer 9 meses de gravidez e depois tomar uma decisão do que fazer com a criança (criar a contra gosto, ou colocar para adoção).

Se o problema é que dar para adoção é muito difícil, poderíamos lutar para que as regras se tornassem mais fáceis. Se o problema é a vergonha da família julgando a gravidez e o abandono da criança, PACIÊNCIA!! A gente está escolhendo entre privar uma vida humana ou a pessoa ter que passar pela vergonha de uma gravidez indesejada (ou seja lá qual for motivo). Não é óbvio que a vida em potencial, numa escala de hierarquia, vale mais?

Podemos fazer várias ações estruturadas, como?
- lutar para difundir métodos contraceptivos.
- lutar contra a hiper sexualização da sociedade.
- lutar para que homens arquem de forma mais responsável com a gravidez e o filho quando nascer.
- estruturar locais de apoio para que as grávidas pobres possam ter acompanhamento médico descente, preparo psicológico, doação de mantimentos e enxoval e manter o apoio após nascimento.
- estruturar locais de refúgio para grávidas em condição de risco e ameaça.
- lutar para que a sociedade reduza o preconceito contra quem dá o filho pra adoção.
- lutar para que seja mais fácil dar o filho para adoção.
- fazer campanhas para aumentar o número de adoções
- ...

Enfim, porque escolher o caminho de legalizar o aborto? Se tem tantas outras formas de dar suporte pra mulher que está grávida numa situação difícil???

Não é só pelo feto, não. A gravidade da ferida, física e psicológica para mulher não pode ser ignorada.

Anônimo disse...

Kittsu, desculpa mil vezes a intromissão, mas (devido a um interesse pessoal por esse tema) me lembro da última discussão sobre este assunto, que rolou num post em que a Lola contou sobre alguns problemas de saúde que estava passando. Se bem me lembro, alguma comentarista (talvez você) cogitou que a Lola poderia ter síndrome metabólica e ela esclareceu que não tinha essa síndrome e que os problemas que ela tinha já estavam sendo investigados.

Anônimo disse...

16:56
que pessoa retardada

Anônimo disse...

Na maioria dos comentários vejo discurso de ódio nitido contra o gênero masculino. Mas, como somos cidadãos de segunda classe nesse país, ninguém condena. Não há nenhuma diferença aqui dos que expressam seu ódio contra os homens daqueles que expressam o ódio às mulheres no blog do pobretão. E como homem, com 38 anos opino sobre o aborto dizendo que existe prevenção, eu mesmo nunca engravidei ninguém mesmo tendo vida sexual ativa desde os 18, pois sempre usei preservativo, é simples. E algumas namoradas tentaram me fazer desistir do preservativo, mas eu não cedi, porque vocês mulheres não fazem o mesmo com seus parceiros, se eles não aceitarem terminem. Eu jamais coloquei minha saúde acima de nenhuma parceira. Talvez vocês devessem fazer o mesmo.

Anônimo disse...

A desonestidade impera. Usam qualquer desculpa furada ou qualquer chantagem emocional barata pra defenderem o controle de homens sobre as mulheres e seus corpos. Vão ser escrotos e fazer manipulação mental no inferno!

Rafael Cherem disse...

Um debate que coloca um padre para falar de uma teoria conspiratória louca, não é um debate sério, surpreende os presentes não terem se levantado e ido embora, francamente, esse é um assunto pesado, de politica publica, não dá para ser tratado por gente tão ignorante.
No legislativo atual essa causa não avança. Vai ser trabalho de formiga, pontual, de convencimento e amadurecimento da sociedade brasileira, lamentavelmente conservadora, medrosa e religiosa.

Anônimo disse...

Aborto Como Um Direito Sagrado
por Nevada Kerr

O aborto é um rito sagrado que tem sido realizado pelas mulheres ao longo dos séculos. A parteira, curandeira, xamã ou bruxa é a abortista sagrada. Ela tem sido perseguida pelos cristãos por milênios. É tempo para esta caça às bruxas acabar!

Com a ajuda da abortista sagrada, na forma da deusa morte, a anciã, ou a medusa, vamos superar esta nova investida dos fanáticos cristãos. Século após século, esses fanáticos tentam impor sua moralidade fraca nas mulheres. Eles afirmam que deus tem o poder soberano sobre as questões de vida e morte.

Isso está muito longe da verdade. Mulheres como a encarnação da deusa em todas as suas formas e em particular na forma da bruxa, da megera, ou da fúria que devora a vida em sua boca aberta com suas presas afiadas, tem o poder soberano sobre as questões de vida e morte. Não nos esqueçamos de que, quando ela decide que seus filhos estão fadados a morrer, assim será! Ela é a mãe da necessidade. Ela é a noiva sem noivo que atravessa a ponte entre os mundos e carrega as almas das crianças abortadas para o outro lado. Como Lilith, ela misericordiosamente lhes rouba a respiração. Estamos todos aqui por empréstimo e a deusa morte deve proteger seus próprios interesses! Ninguém pode argumentar com o furacão que varre o condenado para longe! Sua palavra é lei!

Hoje esperamos invocar a sabedoria e a justiça da abortista sagrada, e em defesa das mulheres nós zombamos desses cristãos histéricos! Toda a esperança para um planeta superpovoado nasce na escuridão de seu abraço letal! Louve alto a vitoriosa destruidora de filhos indesejados e desnecessários! Ela, que tem o direito de jurisdição possui as almas desta tribo terrena! Você pode se arrepiar, temer e tremer! Estas são respostas adequadas. Medo, pavor, temor e reverência são o que a mãe morte espera! Com a foice na mão, ela se apodera das almas saciadas e cansadas dos condenados!

Estes cristãos aqui hoje só tornam o trabalho dela mais difícil do que precisa ser. Como a mãe-duende, que amamenta o bebê natimorto ela também conforta os loucos e possuídos. Amados e equivocados cristãos - saibam que vocês são vigilantemente vigiados pela sempre presente destruidora que um dia pousarará sobre vocês arrebatando-os para baixo e graciosamente levará-los embora! A natureza do desejo, a verdade da própria vida tem sido sempre a morte - aquela que tudo vê, que exige responsabilidade de quem procria e superpovoa este planeta sobrecarregado.

Não entenda mal! Ela quer fazer dano! Você pode chamar seu deus insano e vertiginoso durante o dia inteiro. Isso não vai adiantar. Ele não tem poder aqui! A abortista sagrada só convoca quem merece o chamado! Ela é livre de imperfeições! Como cascas removidas a partir de grãos, os fetos são dela! Ela marca o seu território, uma fronteira que esses cristãos aqui hoje têm atravessado.

Estes cristãos equivocados pensam que podem fazer uma barganha com a sepultura, piar no meio do redemoinho, gritar no olho do furacão que tudo devora. A temível, a abortista sagrada é surda ao seu pleito e vai vencer no final!

Anônimo disse...

Parabéns, é só trocar a palavra homi por judeus ou negros. E temos um discurso de ódio claro. Hitler teria orgulho de você.

Anônimo disse...

Acho um absurdo homens discutindo um assunto que diz respeito única e exclusivamente às mulheres. Infelizmente pra grande maioria dos homens é fácil ter filhos. Os fazem, abandonam e é a mulher que tem que se virar. Sempre quando um pai vai buscar o filho na escola é tido como herói enquanto que para a mãe é mera obrigação. Ser pai assim é muito fácil.

Anônimo disse...

Pensando bem o aborto é maravilhoso. Assim deixa de nascer esses bando de guri filhos de irresponsáveis e assim menos assaltos estrupos e pobreza kkkkkkk mudei de lado. Sou abortista agora. Menos miséria menos bandidos menos mães solteiras irresponsáveis

Anônimo disse...

Pode chorar, mas eu não volto pra você
Pode chorar, você não vai me convencer...

Anônimo disse...

Querida se 99% dos homens fossem assim. Você seria estuprada toda semana. Seu pai também é assim? Ou será que seu ódio é apenas motivado por sua orientação sexual? E mesmo que um homem ruim tenha te feito mal, você vai condenar a todos? Eu fui assaltado por 5 moradores negros de favela uma vez, e tive uma arma apontada pra minha cabeça, nem por isso eu saio dizendo que todo morador de favela é bandido. Também levei dois golpes financeiros de amigas mulheres, nem por isso vou sair dizendo que toda mulher é golpista. Acho que você entendeu, mesmo com essa crença quase religiosa de que voce acredita.

Jonas Klein disse...

Taty

Responde ai você burra assim ou se faz de burra?

"Já falei em outros post as clínicas abortistas querem lucrar com a VENDA de FETOS"

E dai? se eu tenho uma clinica de aborto, e uma mulher faz uma aborto na minha clinica e deixa um feto ali, qual problema de eu vender ele? você acha melhor joga no lixo? independente haver comercialização ou não, pelo menos esta sendo feito algo útil com o feto.

Quanto induzir mulheres fazer aborto, ninguém obrigo ninguém nada né? se não então tudo ok.

Quanto ao inicio da vida, um feto com 5 semanas de gestação sem cérebro ainda e uma vida KKKKKKKKKKKKKKKKKKK ta bom me eu faz rir que gosto.

Odeio abusadores e demais misóginos parasitas oportunistas disse...

Misóginos escrotos. Padreco surtado delirado, senadores, deputados parasitos, Feliciano resto de aborto mal sucedido. O mundo estaria muito melhor sem vermes sanguessugas dessa laia. Morram, cretinos!

Raven Deschain disse...

Meldels.

Repitam comigo:

Gravidez não é bolinho.
Por pra adoção tb não bolinho.
Gravidez não é bolinho.
Por pra adoção tb não bolinho.
Gravidez não é bolinho.
Por pra adoção tb não bolinho.
Gravidez não é bolinho.
Por pra adoção tb não bolinho.

Até o Apocalipse.

donadio disse...

"se não partirmos de uma premissa inabalável de que qualquer vida é digna de ser vivida e deve ser defendida, estaremos abrindo nossa ética para tolerar qualquer justificativa."

Se partirmos da "premissa inabalável de que qualquer vida é digna de ser vivida e deve ser defendida", ninguém mais pode tomar vermífugo.

Evandne da Silva disse...

Esquece o carro, VC precisa de fonoaudiólogo e de um psicológo. Vá a um baile funk e veja mulambos Magrelos com zero de grana comer as novinhas no salão. O dinheiro é parte pequena da equação. Veja o filme Piratas de Silicon Valley. Bill Gates estava multimilionário e não pegava ninguém. É postura garoto e rebaixe seus padrões patricinha sente cheiro de berço nobre. Mas no batidão e no risca faça o traste vira playboy. Riqueza relativa pense nisso. A última alternativa é ganhar algun$$$ e ostentar numa igreja pentecostais. Existem velhas alcoviteira que laçam bons partidos para moças casadoiras.

Anônimo disse...

Só argumentos furados de vocês, insistem na babela de que é machismo, que são homens mandando no corpo de mulheres, quando tem milhares de mulheres contra aborto.
Comparar DNA humano com banana foi foda. Não sabia que banana podia assassinada, sentir dor...

Anônimo disse...

Lola este debate ate esta interessante, mas acho que já foi analisado sobre todos os ângulos de vista este assunto.


Tem uma coisa sobre a qual não tenho visto se tratar aqui que vem me incomodando bastante, a questão e o seguinte as mulheres tem sido acusadas, de forma mais ou menos direta, de serem as culpadas por toda a crise de segurança publica que se vive no Brasil, por saírem para trabalhar, ai tem gente afirmando que as famílias estão desestruturadas, porque as mulheres saem para trabalharem e aquele bla bla bla idiota que acho todas aqui já ouviram.

Acontece e que se o fato das mulheres saírem para trabalhar, fosse o causador de esta criminalidade que se vê atualmente, países como o canada, Alemanha, Holanda, Japão, suíça, Suécia entre outros, estes países estariam com tantos problemas de criminalidade consumo de drogas e etc. quanto o brasil, pois nos países que eu citei, as mulheres tem tanta ou ate mais presença no mercado de trabalho quanto no brasil.

A minha relação que eu não vejo quase ninguém rebater esta acusação absurda feita as mulheres, e eu penso se já difícil as vezes uma mulher ter anino para ter a sua atividade profissional, sendo acusada de estar sendo negligente com a família dela fica bem pior ainda.

Por fim penso que este assunto renderia um bom artigo e uma discussão aqui nos comentários.

Obrigado pelo espaço Lola e boa noite.

Anônimo disse...

Quem disse que temos ou sequer queremos argumentar alguma coisa com misóginos? Ainda mais sobre direitos fundamentais das mulheres que não dizem respeito a vocês. Qualquer pessoa capaz de enxergar pode ver porque vocês são contra e fazem obstruções. Recolham-se a sua própria insignificância e vão a merda!

Anônimo disse...

Independente de ser contra ou a favor da descriminalização do aborto, esses comentários idiotas de misóginos/mascus/pró"vidas" e derivados são insuportáveis. Ficam poluindo a caixa de comentários com tantas besteiras repetitivas que enjoa.

Anônimo disse...

"insistem na balela de que é machismo, que são homens mandando no corpo de mulheres, quando tem milhares de mulheres contra aborto"

Mulheres burras são contra a escolha. Ou mulheres com o cérebro lavado por balela religiosa. Eu também já fui contra a descriminalização, não por crença religiosa, mas por burrice mesmo.

A questão é: a mulher que é contra o aborto, se precisar fazer um e morar num país em que ele é descriminalizado, vai ter sua vida bastante facilitada. Porém, se ela tiver que fazer um ilegal, vai estar tão ferrada quanto uma que é a favor da descriminalização. Estamos todas no mesmo barco.


É machismo sim porque parte da premissa que é algo que só vai prejudicar mulheres e todo mundo está acostumado a ver mulheres se ferrando e achando tudo muito normal. No fim, tudo que pode prejudicar mulheres é encarado por todos com a mais absoluta naturalidade.

Anônimo disse...

19:53, no Japão as mulheres não saem pra trabalhar não. Elas fazem faculdade, estudam mas quando casam ficam em casa preparando lancheiras requintadas pros filhos levarem pra escola. Eu li em algum lugar que no Japão impostos são abatidos se apenas um morador da casa sair pra trabalhar. Tipo assim, se o marido e a esposa saem para trabalhar fora, eles vão ter que pagar impostos mais altos para o governo, se apenas um do casal trabalhar fora, paga-se menos impostos.
É tão bizarro que até sinto vontade de rir.

Vocês ficam rindo das rads criticando o casamento hétero mas olhem essas merdas. Esse mundo não faz sentido.

Obs: sou hétero, infelizmente.

Anônimo disse...

Anon das 12:50 eu queria MUITO que minha mãe tivesse se livrado de mim quando eu aidna estava no útero, sabe? A vida é uma e é pior ainda passá-la no mesmo mundo com como você,os reaças, esse padre hipócrita e todos os lixos humanos assassinos de mulheres nessa reunião. Ah, e não se preocupe, os "filhos" dos ricos são abortados em clínicas particulares, caras, em que as mulheres são atendidas com toda a segurança e saem alguns minutos depois do procedimento prontas pra voltarem as suas vidas. Mas como esses abortos não matam as mulheres, você não sabe disso.

Anon das 17:54 então só homens podem bancar os nazistas, fofo? Pq a quantidade de canalha estuprando, torturando e matando mulheres simplesmente por serem mulheres (assim como Hitler matou judeus simplesmente por serme judeus) é bem maior do que a de mulheres dizendo na internet que acham homem a coisa mais podre do mundo. Macaco, olha o teu rabo...


Anon das 19:21 um embrião sem sistema nervoso formado também não sente dor. Se o seu argumento é a dor já pode dar um beijo de despedida nele...

Anon das 20:33 no Japão a mulher casada tem que cuidar da casa, dos filhos, do marido e dos pais do marido sozinha. Os homens não querem assumir esses trabalhos, então as japonesas estão se recusando a se casar. Elas investem na carreira e não casam, o governo japonês está até preocupado com a natalidade pq ninguém mais casa.

Anônimo disse...

No Japão as mulheres não saem pra trabalhar kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk que piada! Vocês juram que acreditam nos achismos de merdas que vocês dizem? Com certeza algumas mulheres fiquem trabalhando dentro de casa mesmo, mas isso é no mundo todo. Só que pra começar nem todas as mulheres se casam, sabe? Inventa outra, porque essa de dizer que as mulheres não saem de casa no Japão não colou...

Anônimo disse...

Anon das 17:11:

Preservativos falham.

Conservadores não permitem educação sexual nas escolas.

A família e a sociedade ensinam às meninas que elas devem agradar o homem antes de pensa na própria saúde. Tipo, você tem que deixar de usar camisinha com seu parceiro fixo, usar camisinha com a esposa?, claro que não, você tem que deixar de usar camisinha porque éprova de amor e confiança no seu parceiro, e se quiser continuar usando é porque é vadia que sai por aí dando pra todo mundo.

Agumas famílias nem memso falam de sexo com suas filhas; se perguntarem o que é camisinha em casa, apanham.

Cada mulher é que deve decidir se quer passar por uma gravidez ou não, porque dependendo de alguns fatores gravidez mata.

Resumindo, se uma mulher aborta ou não desde que seja de livre e espontânea vontade da parte dela, não é da sua conta porque VOCÊ NÃO MANDA NO ÚTERO ALHEIO!

Entendeu ou quer que eu desenhe, fofura?

Anônimo disse...

Oi anon das 20:56 foi o que eu falei as japonesas não querem mais essa vida. Se casarem e não quiserem ser donas de casa somente, elas trabalham fora, cuidam dos filhos, dos serviços domésticos, cuidam do marido e dos sogros sozinha. O marido não faz nada em casa, então elas não casam. Muitas chegam aos 30-idade em que a mulher japonesa é considerada velha demais pra estar solteira-e nem pensam em casar. Além disso, muitas mulheres que já eram casadas se divorciaram pra estudar. Li uma reportagem sobre isso na única matéria que prestou de uma revista feminina.

Oh, desculpe anon das 12:50, esqueci de completar o comentário. Eu queria MUITO que minha mãe tivesse se livrado de mim quando eu ainda estava no útero, sabe? A vida é uma bosta e é pior ainda passá-la no mesmo mundo com bostas como você, as bostas dos reaças, esse padre hipócrita e todos os lixos humanos assassinos de mulheres nessa reunião. Ah, e não se preocupe, os "filhos" dos ricos são abortados em clínicas particulares, caras, em que as mulheres são atendidas com toda a segurança e saem alguns minutos depois do procedimento prontas pra voltarem as suas vidas. Mas como esses abortos não matam as mulheres, você não sabe disso.


Anon das 16:35 você deixa de tomar remédio quando está doente pra poupar o pobre vírus porque ele tem direito à vida? O fedor de hipocrisia tá bravo aqui...

Enfim só mais do velho machismo e misoginia. Nem preciso ler tudo porque já sei o que disseram, são sempre as mesmas desculpas inúteis. Vou comer brigadeiro e já volto.

Anônimo disse...

Anon das 14:17 engraçado, os homens héteor fazem isso com as mulheres há séculos e não vejo você reclamando da mídia "heterozista" esimulando mulheres a servir de objeto sexual e incubadora pra macho. Por que será né...?

Anônimo disse...

Elas tão certas em não se casarem. Super apoio!

=)

Anônimo disse...

Ótimos seus comentários, anon 21:10. Tava falando que era piada o comentário que disse que as mulheres não trabalham fora de casa no Japão, como se todas se casassem e ficassem em casa servido marido e família. Mas o seu comentário dizendo que muitas mulheres não querem se casar por lá já provou que essa informação de "mulheres não trabalham fora de casa no Japão" era apenas desinformação mesmo :)

Anônimo disse...

Obg, anon 21:13. Levarei esse termo "mídia heterozista" pra vida. Bastante preciso ;)

Anônimo disse...

Tem muita mulher rica que sai do país só para abortar em Paris, por exemplo, e depois ainda aproveita para fazer umas comprinhas. Isso é o que mais tem. Mas é claro que os mascus nunca ficam sabendo dos abortos dessas princesas quase sempre loiras de olhos claros, cabelos lisos e o famoso c.u rosa para completar. Os mascus não são ingênuos não, são ignorantes por opção mesmo.

Anônimo disse...

É sempre um prazer ser útil, anon das 21:21 :D Confesso que às vezes sou meio lerdinha pra entender piadas na internet.

É sempre bom ser útil, anon das 21:27. :)

Anônimo disse...

Anônimo das 16:19

Depende do tipo de mulher que vc esteja afim de ganhar!
Se vc cobra uma gostosona siliconadas, fútil e cobiçada, vc vai ser rejeitado sim!
Mas tem muita garota simples e legal por aí.
Meu atual marido era pobre quando conhecido, tava fazendo faculdade de gastronomia e eu já era uma arquiteta vem sucedida e com boa situação econômica.
Mas ele tinha (e ainda tem): bom papo, inteligência, sensibilidade, bom humor, generosidade, charme e carinho com os pais dele.
Vc deve progredir na vida, ser útil por você mesmo. Alguma mulher irá nota-lo.
Ps: se quiser resolver seu problema de gagueira vai te ajudar, mas acredite tem muita mulher que curte homem gago(minha cunhada é uma, namora com um cara super gago) e vc só deve resolver sua fala, se você quiser!

Anônimo disse...

21:21, fui eu quem falou que as mulheres não trabalham fora no Japão. Não sou especialista em Japão, mas o que ouvi falar dizer é que quando a mulher casa espera-se que ela vire dona de casa! Elas frequentam faculdade, trabalham, mas quando casam abandonam o emprego. Isso, inclusive é incentivado pelo governo como no exemplo do imposto que eu citei. Óbvio que algumas mulheres não estão querendo se casar mais por causa disso porque o que se espera da mulher casada com filhos é que não trabalhe fora mesmo.

Anônimo disse...

Eu sou a anônima das 19:53

o meu comentariozinho einnnn, mas me surpreendi que vocês se apegaram no detalhe que trata das mulheres no Japão, e esqueceram do tema central do que eu escrevi, e gente este assunto e serio. Eu tenho visto ate na imprensa pessoa dizendo (mesmo que de foram bem sutil) que o fato das mulheres saírem para trabalhar fora, e que esta gerando muitos problemas de criminalidade e problemas de comportamento dos jovens.


Anônimo disse...

Isso é backlash.. 2015 e tem gente com essa conversinha ainda.
A minha vontade é dizer um grande FODA-SE. Se virem pra resolver, porque as mulheres é que tem que resolver essa merda? Ninguém tá fazendo nada por nós - questão do aborto ta aí de prova - e """teoricamente""" temos que voltar pra casa pra resolver o problema da criminalidade que é causada pelos homens??

Homens cometem crimes e a culpa é das mulheres mais uma vez?
Manda um "aham, entendi" e muda de assunto.

Anônimo disse...

Esses projetos de mascus só procuram mulher estilo "patricinha" marombada, peituda e metida que obviamente só quer playboy rico e depois falam que "mulher só gosta de homem rico e odeia homem pobre". Não cansam dessa ladainha não é? Mulher não se resume a esse estereotipo não cara. Enquanto a gagueira se te incomoda tanto, vai procurar um médico para melhorar esse problema.

Julia disse...

Olhem que texto lindo de uma feminista.
Acompanho faz um tempo, desde quando nem sabia que era feminista (nem eu e nem ela).

http://teamoporra.blogspot.com.br/2015/07/sobre-eva-nina-simone-e-minha-mae.html

Anônimo disse...

Anon das 21:54 já ouvi esse papo de um mascu. Respondi a ele que durante a maior parte da História da humanidade as mulheres ficaram em casa cuidando dos filhos e era tudo igual ao que eles tanto reclamam hoje. As crianças ficavam na rua aprendendo o que não prestava, consumindo ópio (a droga da época), se prostituindo na rua (vendidas e usadas pelos homens brancos héteros que ele tanto glorificava, aliás), roubando (pela falta de comida e educação causada por homens brancos ricos)e aprendendo a desrespeitar e bater nas mulheres com o papai que espancava e estuprava a mamãe em casa. Enfim, tudo a mesma bosta. Dizer que a culpa das crianças modernas estarem "desencaminhadas" é das mulheres por terem saído de casa... bom, só mais uma desculpa pra homens não terem que admitir as bostas que fazem e arranjar uma mulher que limpe a sujeira pra ele. Por mim eles já podem ir pegando a pá, o desinfetante e o veja multiuso.

Ingrid Bezerra disse...

No outro post sobre esta audiência um Anônimo postou este comentário (que eu amei e vou reproduzi-lo aqui):

Em novembro do ano passado, a França comemorou os 40 anos da lei "Simone Veil" que descriminalizou a Interrupção Voluntária da Gravidez.

Um pedacinho do discurso dela na tribuna:
" O aborto deve permanecer uma exceção, o último recurso para situações sem saída. [...] Eu gostaria de dividir com vocês uma convicção de mulher. Nenhuma mulher recorre alegremente ao aborto. Basta ouvirem as mulheres É sempre um drama, e continuará um drama. [...] Entre esses que combatem hoje uma eventual modificação da lei repressiva, quantos se preocuparam alguma vez em ajudar essas mulheres em seu desespero? Quantos souberam manifestar às jovens mães solteiras a compreensão e o apoio moral do qual elas tinham tão grande necessidade?"

"Na manhã de 29 de novembro de 1974, depois de 25 horas de debates e tumultos, a lei sobre a "Interrupção voluntária da gravidez" é aprovada por 284 votos a 189 contra, colocando fim à décadas de hipocrisia. Mas ela só é aprovada por um período de 5 anos. Ela só se tornará definitiva em 1979. Esses 5 anos permitiram a evolução de certos detratores iniciais do projeto, à imagem da Ordem Nacional dos Médicos, conforme declaração de 9 de outubro de 1979: segundo seu presidente, Lortat-Jacob, "a lei Veil trouxe uma melhora sanitária considerável, já que permitiu o quase desaparecimento de acidentes de septicemia graves, devidos ao aborto clandestino de antigamente".

© Le Télégramme - Plus d’information sur http://www.letelegramme.fr/france/avortement-il-y-a-40-ans-simone-veil-se-battait-pour-l-ivg-25-11-2014-10430740.php

Apenas para complementar meu comentário das 22:45.

Em 1974, ano da aprovação da lei, apenas 48% dos franceses eram a favor. (ou seja, plebiscito não tem nada a ver)

Mas para mostrar como a lei também interfere na evolução das mentalidades, hoje, 75% dos franceses se declaram favoráveis a lei de Interrupção Voluntária da Gravidez e SEM RESTRIÇÕES.

Acordem, brasileiros. Reflitam um pouquinho. Chega desse extermínio de mulheres.

Ingrid Bezerra disse...

AI QUE NOJO desse padre podre! Ele é imundo e bizarro.

Uma vez assisti a um vídeo dele, pra quê?! Quanta merda! Ele é arrogante podre quando fala sobre mulher, ele é ninguém para falar de nós, não sabe bosta nenhuma sobre mulher.

Meu Vômito pra ele. (ainda acho que é muito)

E essa louca do PSOL, gente!!! como pode alguém desse tipo pode ousar se filiar ao PSOL! Que absurdo.

Tem muito comentário lamentável aqui na caixa de comentários, que horror essa obsessão pelo útero alheio... Não gosta de aborto, não aborte. Simples assim.

Anônimo disse...

Homem acha que tem direito de nascimento a uma ou mais escravas domésticas e sexuais só porque eles nasceram com pênis. Acham que merecem mulheres troféu por serem "legais", "ricos", "brancos", "fortes", "intelectuais", "letrados", "cultos", ou qualquer outra merda que eles acreditam serem. Nenhuma mulher deve nada a homem nenhum, seus vermes imundos sanguessugas, câncer do planeta Terra. Na verdade os homens que têm uma dívida histórica infinita para com as mulheres e com os demais seres vivos desse planeta, dívida essa que nunca serão capazes de pagar. Apenas morram e minimizem os danos de vossa existência espúria, destrutiva e usurpadora.

Camila D disse...

Caraca, é bem como disseram... parece até que foi armação pra provar que aborto é um crime hediondo. É teoria da conspiração
Não me surpreende que o padreco seja ferrenhamente contra o aborto, já que a instituição católica é abertamente contra o uso de contraceptivos de qualquer tipo.

Camila D disse...

É teoria da conspiração demais?*

Camila D disse...

Mas imagina se os padres mesmo puséssem em prática isso, a quantidade de filhos que teriam tido com as freiras e noviças que eles estupravam (estupram?)... ia pegar mal pra ICAR, né?!

Anônimo disse...

------------>É ridículo um bando de portador de genitália masculina querendo dar pitaco no ventre das mulheres !

São eles que sentirão as dores do parto ?

São eles que ficarão 9 meses (no mínimo) sem : sexo confortável , dores lascinantes, mal estar geral, sem estudar , sem trabalhar, com alterações de humor...

Todavia ... Pode ter havido no momento do ato sexual concordância etc e tal ... Mas ... se depois a mulher descobre que o homem é um crápula, um charlatão, um cara desprezível, enfim ... Com inúmeros defeitos que o tornam insuportáveis para a mãe ter que tolerar uma ligação à aquele cara como sendo pai biológico daquele feto ? É justo criar uma amarra a esta mãe ? Justo condená-la até sua velhice a suportar um fruto de um crápula?

Ass: católica homoafetiva que tem fé no amor de Deus ... E não concordante com o direito canônico .... inconformada com toda a absurda força machista, homofóbica ....preconceituosa ...



Anônimo disse...

Passei por um caso semelhante com uma colega de faculdade. Ela me perguntou uma noite sobre minha opinião sobre o aborto, ao que respondi que era contra, mas que não cabia a mim decidir isso, pois eu sou homem.

Uma ou duas semanas depois ela me contou que estava grávida, e que iria fazer um aborto. Perguntei como ela o faria, e ela disse que havia conseguido um comprimido de Citotec. Perguntei a ela se tinha certeza de que faria aquilo, ao que ela me confirmou que sim. Lembrei logo de um caso aqui no blog, onde uma moça engravidou por acidente, e que quis abortar mesmo com o namorado querendo a criança, e que só teve a companhia dos amigos nessa hora.

Disse que mesmo sendo contra, queria fazer companhia a ela nesse momento. Ela agradeceu mas recusou Ao contrário do caso que mencionei, o namorado iria assistí-la e dar o apoio necessário. Inclusive indo ao hospital com ela.

Acho que ninguém que já tenha feito, gosta da experiência. Mas pior deve ser criar um filho sem ter condição financeira, sem poder dar a ele tudo aquilo que ele necessita, pois o estado é falho, os políticos são interesseiros, e por mais que haja boa vontade, boa parte dos religiosos agem apenas no discurso e não na prática.

Mila disse...

A maioria dos argumentos "pró vida" que já ouvi eram calcados na ignorância e falta de informação, outros pelo status quo de controlar o útero das mulheres.
Há alguns anos eu era ferrenhamente contra o aborto. O meu pensamento era "fez, agora assuma", "se liberar, todo mundo vai engravidar e abortar" como muitas pessoas ainda pensam. À medida que me informei sobre o assunto revi a minha postura, especialmente ao praticar a empatia. Me coloquei no lugar. Métodos contraceptivos falham, sabe? Pílulas podem ter sua eficácia reduzida sob determinados fatores, camisinhas estouram e mesmo laqueaduras falham.
Então, há toda a pressão envolvida na gravidez. Abandono da família, do pai da criança. Insegurança no trabalho. Vai ser diferente agora, há uma vida dentro de você e que todos os seus esforços vão se concentrar para aquela pessoa. Então, no momento que a pessoa mais precisa ela está simplesmente sozinha.
Acredito que essa não é uma decisão fácil. Ser a favor da legalização não significa automaticamente que a pessoa abortaria. É um processo difícil. O químico costuma ser menos pior que o mecânico, no qual a mulher pode ter várias complicações. Sem contar que pode gerar consequências graves e que nem confiança de procurar atendimento médico a mulher pode ter sem temer ser denunciada por um médico.
Sério, tenham mais empatia. Saiam um pouco do lugar privilegiado e se coloquem na situação de alguém que não tenha estrutura física, emocional e financeira de botar mais uma criança no mundo.

Anônimo disse...

Fazer homice = fazer 99% das descobertas científicas da humanidade.

Anônimo disse...

"Fazer homice = fazer 99% das descobertas científicas da humanidade."

no lombo de muitas mulheres. valendo até roubar o crédito delas.

donadio disse...

"Fazer homice = fazer 99% das descobertas científicas da humanidade."

Você fez alguma?

Anônimo disse...

"Fazer homice = fazer 99% das descobertas científicas da humanidade."

Usar as descobertas científicas da mulher como se fossem suas (Lavoisier); usar a mulher pra calcular as cosias pra você e tomar todo o crédito (Einstein); não registrar nos livros de História quem foi a primeira pessoa a inventar uma linguagem de programação (Ada Lovelace); desestimular meninas de seguir carreira científica e depois reclamar que só uszomi se interessam pela área.

Resumindo, tá mais pra: Fazer homice - Tomar os espaços das mulheres e impedir a todo custo que elas cheguem aonde eles já estão.

Agora vai fazer sua própria descoberta científica. Ficar se vangloriando pelos que os outros (as outras) fizeram é muito feio.

Anônimo disse...


a) Neste circo somente gostei da posição do Jean Willys é incrível como os conservadores querem reduzir a idade penal mas querem impedir o aborto.

b) Em 2016 a guerra não será entre esquerda e direita mas os regressistas que querem este país no século XiX e os progressistas

Taty disse...

Chocada!!A palavra ética passou longe do seu vocabulário.Não existe NINGUÉM burro, o meu saber é diferente do seu
"Não existe saber mais ou saber menos,há saberes diferentes.
Mas como seria mesmo se o a aborto fosse forçado?questão não respondida.

Anônimo disse...

"Fazer homice = fazer 99% das descobertas científicas da humanidade."

no lombo de muitas mulheres. valendo até roubar o crédito delas. 2

Agora vamos lembra que os homens que, os homens que contribuíram de forma significativa com o desenvolvimento cientifico foram no máximo 1% do numero total de homens que já viveram ou vivem atualmente, e os demais?

A maioria fez só homice mesmo.

Taty disse...

Pra quem já quase casou com um MUÇULMANO,altamente misógino e machista é ridículo ter nojo de padre.
Apoiar métodos muçulmanos de abates de animais que é o pior de todos: o animal sangra até morrer e é feito o formato de uma lua e falar que o método judaico é o pior só mostra o quanto essa pessoa apóia o islamismo,religião patriarcal e misógina e vem aqui pagar de feminista,faz-me rir.

Anônimo disse...

Olha que argumento bonito:

Não adianta proibir o estupro, os homens vão continuar estuprando. Todos os homens estupram: ricos, pobres, de classe média, negros, brancos, japoneses, índios etc e tal. Desde o começo da humanidade, em todas as culturas os homens estupraram e vão continuar estuprando as mulheres. O deus estupro não vai se calar diante do grito das feministas, então vamos desistir e apoiar o estupro que é melhor, proibir só serve pra prender homem preto e pobre, os da elite nunca são presos.

Ah mas aí é diferente! Concordo, as mulheres ao serem estupradas podem tentar lutar, tentar evitar ou denunciar depois, já o feto que vai ser assassinado não tem como se defender.

Mila disse...

Taty, a proposta não é essa. Quem defende a legalização do aborto defende ESCOLHA e defende que o Estado não interfira no útero alheio, tanto para OBRIGAR alguém a abortar, quanto para CRIMINALIZAR alguém que aborta.

Ingrid Bezerra disse...

Taty, tenho certeza de que tu é um homem, mas tá...

Eu ia casar com um muçulmano sim, mas não casei, principalmente por causa da visão conservadora dele. Vi que ia dar merda e desisti. Mas pela pessoa dele eu tenho muita consideração, eu e ele não discutimos mais sobre religião e ele não se mete com essas coisas daqui. Ele tem a cultura e religião dele e não se mete com as demais, inclusive uma parte da família dele mora fora, Inglaterra, Suécia, Finlândia e são casados com mulheres destes países com pensamento progressista. Você é muito desinformado(a), nem todo muçulmano é fanático doidão e nem toda esposa de muçulmano é assim também.

E a técnica de abate dos muçulmanos eu nunca vi deste tipo que você está falando. Eles costumam cobrir os olhos do animal com as orelhas (para ele não ver qualquer coisa que possa fazê-lo se desesperar), depois eles fazem um corte profundo no pescoço com o animal deitado de maneira que ele morra na hora. Ah! Antes disso eles fazem uma oração entregando a vida do animal e pedindo que ele não sinta dor. Depois de morto eles penduram o animal de cabeça para baixo para o sangue escorrer. Sem dúvida o melhor abate que existe, a carne feita com este método é bastante cara por causa dessa complexidade e cuidados.

Eu pessoalmente não tenho nada contra o Islã, da mesma forma como não tenho nada contra a Umbanda, a Wicca, Igreja em si, por mim podem continuar existindo. O que eu tenho contra é a imposição de qualquer doutrina na sociedade Laica. Só isso.

E o Islã é uma coisa e cultura de um país é outra, por isso em uns países (ou vilarejos) vemos umas coisas bizarras e em outros não, só que o que a mídia foca é só na desgraça quando se trata de países Islâmicos. Muitas das crueldades que vemos ocorrer nem é por causa da religião e sim porque a cultura daquele povo é assim.

Ah, desse padreco podre eu tenho nojo sim ele está tentando se meter no útero dos outros e fala imundices em seus vídeos, ao contrário dos muçulmanos que vivem no Brasil que estão na deles quietos lá.

André disse...

A mulher estuprada é uma pessoa. O feto abortado, assim como o corpo com morte cerebral, não é uma pessoa.
Mas fiquei com uma dúvida: se a mulher não lutar não é estupro?

Ingrid Bezerra disse...

Mila o meu passado sobre o aborto eu já tive opinião errada também, igualzinho a que você tinha. Tenho vergonha disso hoje em dia. Era só julgamento, falta de empatia, só porque eu nunca engravidei eu achava que as outras deviam ser iguais a mim e engravidaram então que se virem com o rebento. Aiaiaiai, ainda bem que eu mudei e aprendi a me colocar no lugar das outras.

Anônimo disse...

É óbvio que esse tal de Taty é homem.

Anônimo disse...

Pra quem tá falando mal do Islã, o Islã permite o aborto até o 4 mês de vida, que é quando o feto recebe o "sopro de Deus". Palavras do profeta (hadith).

Obrigada de nada bjos

Anônimo disse...

"É feito o formato de uma lua" kkkkkk fonte? Comic sans, só se for né. Leu sobre isso onde, site evangélico ou ateu? Vai estudar.

Ingrid Bezerra disse...

"Anônimo disse...

Pra quem tá falando mal do Islã, o Islã permite o aborto até o 4 mês de vida, que é quando o feto recebe o "sopro de Deus". Palavras do profeta (hadith).

Obrigada de nada bjos"


Yayyyy!!!

Verdade! É isso mesmo! Obrigada por citar, eu até havia esquecido! :D

Embora em algumas regiões e famílias eles sejam completamente contra o aborto, independente da religião. Mas é como eu disse, isso depende da cultura e não apenas da religião.

Anônimo disse...

Apesar de todo o meu conhecido background (que não preciso repetir, afinal algumas rads chatas ficam possessas) eu sou a favor do aborto, simplesmente qualquer dia da minha vida alguma possível parceira pode engravidar e querer abortar (eu pretendo nunca ter filhos) e ai eu vou fazer o que? Procedimento arriscado podendo até matar a pessoa? Se puder ser tudo pelo sus sem discriminação eu agradeceria muito! Antigamente eu tinha uma namorada e por algumas vezes ficamos com medo de ela estar grávida, como éramos novos pensávamos sempre na via do aborto e eu tinha que me virar pra conseguir um jeito de abortar, mas ainda bem que nunca deu mesmo em gravidez, seria horrível tanto pra mim quanto pra ela passar por essa experiência.

AnonLivroAberto

Anônimo disse...

E outra, ter nojo de um padre (sacerdote de uma religião) é beeeem diferente de ter nojo de um muçulmano (pessoa de uma religião). Ou por acaso você, Taty, tem NOJO de todos os católicos? Eu tenho amigos católicos e não é por causa da religião que deixaram de ser meus amigos, apenas não compartilho da mesma crença. Agora um padre ou sacerdote muçulmano, wathever, que fica espalhando sandices por aí, é de dar nojo sim. Extremismo nenhum faz bem pro mundo, muito menos generalização.

Anônimo disse...

Só pegando os exemplos citados no texto e nos comentários (e que me da vontade de chorar copiosamente):

"Micos tem mais valor que fetos". Micos são seres sencientes, fetos até a 12° semana não.

"Ainnn... mimimi...buábuábuá... as feminazi dão mais valor às galinhas do que aos fetos". Mais uma vez, galinhas são seres sencientes, fetos até a 12° semana não.

"Vamos apoiar o estupro"... preciso falar alguma coisa depois disso???
(e agora com licença, vou pegar o próximo ônibus espacial. Não quero mais viver nesse planeta).

Jane Doe

Anônimo disse...

E o que os pró-vida vão fazer com embriões não utilizados em fertilizações? Vão implantar à força em alguma mulher?

Taty disse...

SOU mulher querida! E tenho pena de VC feminista totalmente Desinformada quanto a verdadeira face do islamismo os muçulmanos só estão quietos porque são minorias,vai pesquisar mais depois a gente conversa.

Taty disse...

Já que você não quer filhos uma boa opção pode ser fazer vasectomia.

Ingrid Bezerra disse...

Taty, desinformada eu?!

Onde você aprendeu sobre o Islã? Em sites de Judeus? Na mídia?

O pouco que eu sei sobre o Islã eu aprendi e aprendo no convívio com os mesmos.

Continuo duvidando que você é mulher. Seu discurso é igualzinho a dos mascutrolls que vem aqui. Qual seu objetivo aqui se em nada você concorda?!

Taty disse...

Kkkkk onde tá escrito no alcorão que o aborto é permitido? Pelo contrário,foi proibido pelo profeta,só é permitido em casos de risco de vida para gestante,por que VC acha a taxa de natalidade entre os muçulmanos é tão alta!!!

Taty disse...

Querida,moro perto de uma mesquita e já pesquiso bastante desde a época do 11 de setembro, venho aqui comentar como qualquer outra mas diferente de VC que se diz feminista e apóia métodos MUÇULMANOS de abate, eu já exponho a verdadeira face deles que é a dominação .
Tá igual o Jean willys que apóia o ensino islâmico nas escolas,onde o estado islâmico joga vários gays de prédio.
Enfim coerência a gente vê por aqui.

Anônimo disse...

Esse Taty veio da página do Olavão, certeza.

Raven Deschain disse...

Taty, cala a boca seu cerumano desprezível.

Anônimo disse...

Jean Willys apoia o ensino islâmico? Nunca vi isso. Tem link da notícia?

Anônimo disse...

Ingrid, Taty é um mascutroll sim-mas um mascutroll não oficial e com vagina. Sabe aquela história de mulher machista? Então. A Taty se alinha com e apóia as ideias idiotas dos mascus. Ela não está formalmente vinculada à mascuzada, mas tá lá na arquibancada torcendo por eles e cantando os lemas mascuzais. Deixa ela quebrar a cara e apanhar dos moleques da real depois pra aprender.

Anônimo disse...

Taty, agora que eu vi sua pergunta! Bom deixa eu te explicar, minha flor.

Aborto legalizado: quem não quiser manter a gravidez vai até a clínica, faz o procedimento em um ambiente próprio, com profissionais qualificados de forma que não arrisca a via. tem acompanhamento causa haja um problema e continua viva depois de abortar. Quem quiser manter a gravidez faz exames pré-natal e no devido tempo, dá à luz seu desejado filhinho. Pronto.

Aborto obrigatório: quem não quiser ter fica de boa. Quem quiser, bom, a polícia vai invadir sua casa, surrar o seu marido ou namorado, e te forçar a engolir uma quantidade absurda de remédios abortivos que podem até te matar envenenada, ou te arrastam debaixo de cacete pra uma clínica onde você é dopada e forçada a antecipar o parto. Isso já aconteceu na China, um caso bem antigo em que um casal engravidou pela segunda vez sem autorização do governo e quando a mulher estava com sete meses a polícia entrou na casa dos dois e forçou a antecipação do parto. Sei que a criança morreu, a mulher não lembro se sobreviveu ou não.

Entendeu a diferença agora ou eu preciso desenhar, com legenda e setinha apontando? Repita: legalização não é obrigação. Legalização não é obrigação. Legalização não é obrigação. Legalização não é obrigação. Repita 500 vezes por dia antes das refeições e de dormir, e no espelho quando for escovar os dentes.

Anônimo disse...

Taty tu é muito burra mesmo ou tá trollando. Mora do lado da mesquita, pesquisou sobre o Islã por mais de 10 anos e não sabe que poha é HADITH? Coisa básica do básico que qualquer muçulmano de 8 anos sabe! Eu falo de hadith no meu comentário e a pessoa "estudiosa" do Islã vem perguntar "onde tem no Alcorão?", mas é palhaçada mesmo. Dica: hadith é o conjunto de ensinamentos passados pelo próprio profeta, não é o Alcorão. Pesquisa aí Sahih Al-Bukhari 4:54:430, feto só ganha alma no quarto mês (ou seja, permitido abortar antes de acordo com a maioria esmagadora dos clérigos), "foi proibido pelo profeta" kkkkk, o mesmo que deu precedente em pessoa! Vai estudar mais

Anônimo disse...

Ops, mais uma escorregada da Tatytroll, Jean Wyllis propondo ensino islâmico nas escolas: mentira http://jeanwyllys.com.br/verdadeoumentira/ Essa Taty tá igual aqueles caras do Revoltados Online, aprende sobre Islã em página de ateu, lê sobre Jean Wyllis na página do Bolsonaro, depois sai espalhando as informações como se fossem verdade, sem nem verificar a fonte antes.

Anônimo disse...

Obs: nada contra ateus, sou uma rs, podia ser página de evangélico, judeu, católico etc ali em cima também.

Anônimo disse...

Taty também disse que as clínicas abortistas querem "lucrar com a venda de fetos". Você tá ligada que aquele vídeo postado no youtube contra a Planned Parenthood tem 9 minutos, mas a conversa inteira tem mais de 3h, né? Comercializar tecido de fetos para FINS DE PESQUISA CIENTÍFICA não é ilegal nos EUA, desde que os valores pagos estejam relacionados ao transporte, manutenção, entrega, etc. Ou seja, desde que não haja um "valuable cost" envolvido na operação, como define a Lei americana. Em outras palavras, não tem lucro nessa história! Inclusive os ativistas que gravaram a conversa ofereceram um acordo no final, como se o laboratório fictício deles estivesse interessado em tecido de fetos, mas a representante da Planned Parenthood recusou a oferta porque o valor era muito alto e desnecessário, um "valuable cost" segundo a Lei.

Lembrando ainda que isso só é possível porque a Lei AMERICANA permite. SE no Brasil fosse legalizado o aborto, vc acha mesmo que os conservadores não iam aprovar uma Lei proibindo isso? Acho que você está muito preocupada com isso então vou te tranquilizar: fique tranquila.

http://www.thedailybeast.com/articles/2015/07/14/the-real-story-behind-that-shady-planned-parenthood-video.html
http://www.politifact.com/truth-o-meter/article/2015/jul/17/planned-parenthood-video-context/
http://edition.cnn.com/2015/08/04/opinions/louis-planned-parenthood/

Anônimo disse...

Pelo visto a Taty deve ser fã daquele vídeo que o Olavo diz que a Pepsi usa "fetos abortados" como adoçante.

Anônimo disse...

Anônimo 15:03
Propor O ENSINO OBRIGATÓRIO DO ISLAMISMO no ensino básico é o quê????
Assim vamos ter que propor o ensino do hinduísmo,budismo etc como obrigatório.AH esqueci estamos em um estado LAICO pra aprender sobre outras religiões,mas o islamismo pode né.
anônimo 14:02

Em todos os países muçulmanos a legislação fala que o aborto é ilegal,nossa acho que vc deve ser muçulmana kkk
Enfim,as pessoas não sabem aceitar opiniões diferentes eu não quero o dinheiro dos meus impostos financiando aborto e que vença a maioria.
Ninguém é burra anônimo 14:52 já leu sobre Paulo Freire
Não existe um saber mais ou um saber menos,apenas saberes diferentes.
Ass: Taty

Anônimo disse...

Taty, minha florzinha:

Eu não quero meu dinheiro sustentando político corrupto a caviar, nem pagar pra que um vagabundo de terno no Congresso possa comprar um carro novo toda semana, não quero meu dinheiro sendo gasto pra construir igrejas pra picaretas enquanto verbas pra saúde e educação estão sendo cortadas. Ah, e não quero meu suado dinheirinho pagando estrada, água limpa, eletricidade, transporte público pra você e menos ainda escola pros seus filhos. Se você quer ser burra, criar sua família pra serem burros e se recusar a ser uma cidadã contribuinte simplesmente porque você não consegue abandonar essa fascinação necrófila pela vagina e pelo útero alheios, então vá viver entre os outros burros, puxando carroça e comendo capim. Não explore meu dinheiro, vá trabalhar pela sua alfafa diária.

Mas, infelizmente, eu não tenho escolha, sabe? Tenho que pagar benesses estatais pra pesos mortos e atrasos de vida como você e sua turminha "pró-feto, recém nascidos e mulheres que morram na rua", então se eu estou pagando pra que gente como você, esses lixos humanos da câmara e esse padreco vagabundo tenham benefícios, você não devia reclamar de pagar pra que MULHERES NÃO MORRAM, seu projeto de Charles Manson de saias.

Paulo Freire deve estar estribuchando no túmulo ao ver tantos imbecis metidos a psicopatas usando o trabalho dele pra justificar a morte de tantas mulheres.

Anônimo disse...

"Taty" é o Jonas?

Carol Pirlo disse...

Taty,

Quem defende a legalização também paga impostos, viu? E elas têm o mesmo direito que você de querer que o dinheiro dos impostos também seja investido no que elas acham importante.

Anônimo disse...

Mas gente, isso é troll e dos profissionais, ainda cita Paulo Freire no final, que irônico rs. Postei o site do Jean Wyllis desmentindo o que falou, nem sequer clicou no link e voltou a repetir as mentiras. E não sabe diferenciar religião de país, lamentável. Mas só pra tua informação, 10 países de maioria muçulmana permitem aborto em quaisquer circunstância, isso mesmo, entre eles a Turquia, a Tunísia e o Bahrein (xiita) http://heapol.oxfordjournals.org/content/early/2013/06/08/heapol.czt040/T4.expansion.html.
E não tem como um saber ser diferente quando a pessoa sequer tem um saber, porque 90% das coisas que tu fala nesse blog são mentira.

Anônimo disse...

Coitados dos burros que de acordo com a dona feminista tem obrigação de puxar carroça e ainda usa o termo pejorativo comer capim. Não sei quem é pior, "a taty" ou essas feministas insuportavelmente especistas e arrogantes. E ainda sobrou pra o burro que não tinha nada a ver com isso.

Anônimo disse...

Claro, anon das 17:58. Porque mulheres estão morrendo por aborto malfeito, ou criando filhos com sequelas de abortos mal sucedidos, ou criando um filho sem ter a menor condições de fazê-lo, nesse cenário de horror as crianças sofrem também apenas porque um punhado de moralistas hipócritas querem punir mulheres por fazer sexo... mas essa feminista feia, boba e cara de mamão disse que a pobrezinha da troll Taty tinha que comer capim e puxar carroça, então dane-se a legalização do aborto. Feministas especistas merecem morrer!

Ora, vá puxar carroça junto com a Taty e trabalhando em equipe salvem dois pobres burros de ter que fazer isso. Simples e rápido assim. Ou você pode juntar seus amigos e fazer vaquinhas pra comprar veículos motorizados pra todos os trabalhadores que usam carroças, assim você liberará muitos burros e cavalos da exploração.

Anônimo disse...

"Anônimo11 de agosto de 2015 11:59
E o que os pró-vida vão fazer com embriões não utilizados em fertilizações? Vão implantar à força em alguma mulher?"

Olá, sou pró-vida e me alinho muito com o direito das crianças. Neste caso, sou a favor de que o médico só forme 1 zigoto apenas, para que não haja óvulos fecundados excedentes.

Ou então, caso haja embriões excedentes, que o estado faça um sorteio, tipo pelo cpf, sei lá, de mulheres em idade fértil para receber o óvulo fecundado e engravidar, impedindo que uma vida se perca.

Anônimo disse...

Evidente. Na verdade já existe esse movimento pelo direito de parir. É o movimento que busca acolher mãe e bebê de forma plena e completa, sem que a mulher tenha que e escolher entre maternidade e profissão, por exemplo. Nada que se seja imposto está sendo defendido aqui. Deixe de se fazer de tola e de falar merda. Direito ao aborto seguro não é, de forma alguma, imposição do aborto.

Anônimo disse...

"Ou então, caso haja embriões excedentes, que o estado faça um sorteio, tipo pelo cpf, sei lá, de mulheres em idade fértil para receber o óvulo fecundado e engravidar, impedindo que uma vida se perca."


HAHAHAHAHAHAHAHAAAAAA
Fazer um sorteio entre os anti-escolha cagadores de regra para receber um tapa no meio da fuça, isso sim.

Anônimo disse...

Só um tapa? Eles merecem no mínimo um soco bem dado nessa cara de pau!

Anônimo disse...

Anon das 20:39 a sua ideia provavelmente não ia funcionar. Pensa: se alguém foi pra uma clínica de fertilização ao invés de adotar, é porque quer um bebê com o seu próprio DNA, não com o DNA de outra pessoa. Se o seu plano envolve pessoas sem fihos que querem ter, já há uma alta chance de dar errado por causa dessa ânsia em ter filhos biológicos. Essas pessoas simplesmente não vão querer o embrião de outro, seria o mesmo que adotar-e se fosse pra adotar eles já teriam feito isso. Ninguém salvo uma ou outra ia querer esses embriões que sobraram. Deu com os burros n'água. Agora, se seu plano envolve obrigar alguma infeliz sorteada a caregar o embrião na barriga e depois cuidar dele, então eu não tenho nada a dizer, exceto tudo que eu já disse sobre e para os pró-punição-pra-mulher-que-fez-sexo-e-dane-se-ela-e-a-criança. Multiplicado por mil. Passar bem.

Anônimo disse...

" estado faça um sorteio, tipo pelo cpf, sei lá, de mulheres em idade fértil para receber o óvulo fecundado e engravidar, impedindo que uma vida se perca". Mentira que eu li isso.

Anônimo disse...

estado faça um sorteio, tipo pelo cpf, sei lá, de mulheres em idade fértil para receber o óvulo fecundado e engravidar, impedindo que uma vida se perca".

Depois as impositivas somos as nós. Tá serto.

Pedro disse...

SEM CENSURA, POR FAVOR

Vejam a parte de 12 semanas nesse link e TIREM SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES. Quem sabe inglês, leia a descrição embaixo do quadro onde mostra o feto com 12 semanas, ou traduz com o tradutor online.

http://www.babycenter.com/fetal-development-week-by-week

Anônimo disse...

Que preguiça e desprezo que eu sinto dessa "oposição" fraca a conservadores misóginos. Pra vencer todas essas batalhas milenares que ainda hoje não foram vencidas se mostra necessário mais do que nunca um feminismo forte, coeso, combativo, profundo e verdadeiramente revolucionário.

Quando vamos fazer o feminismo voltar a ser uma ameaça ao patriarcado?