quarta-feira, 27 de maio de 2015

"MINHA MELHOR AMIGA ABUSOU DE MIM"

A N. está passando por um problemão:

Nunca achei que fosse te mandar um relato como esse. Estou confusa e muito desconfortável.
Ontem minha melhor amiga, que conheço e confio há anos, dormiu em casa. Eu fui deitar enquanto o filme que assistíamos ainda estava na metade. De madrugada ela veio e deitou na minha cama me abraçando e tocou na minha vagina me masturbando. Eu acordei assustada, e virei pro outro lado. Ela imediatamente começou a acariciar as minhas costas, e em seguida senti que ia colocar a mão por dentro da minha calça do pijama. 
Eu não estava acreditando no que acontecia, e de forma brusca tirei a mão dela de cima de mim. Não olhei pro rosto dela, e nem me levantei da cama, apenas na mesma posição em que eu estava deitada, tentei para-la. Ela em seguida me chamou, eu não respondi. Continuei deitada.
Minutos depois ela saiu do quarto. Eu queria levantar e trancar a porta, mas sentia que seria muito hostil da minha parte. Quando eu estava voltando a dormir despertava com medo daquilo acontecer de novo.
De manhã quando acordamos, eu e ela fingimos que nada havia acontecido.
Tô tentando entender o que foi isso. Me ajude.
Estou sentindo o toque dela até agora, tenho repulsa. E tenho vontade de ter relação sexual com um homem que eu sinta desejo pra que esse sentimento desapareça.

Minha resposta: Isso que você contou me lembrou do começo do blog, mais de sete anos atrás. Eu tinha um leitor, gay, que também era blogueiro, e ele descreveu uma situação parecida. Ele tinha ido dormir na casa do melhor amigo, um rapaz hétero, e no meio da noite, enquanto o amigo estava dormindo, ele o acariciou. O amigo teve a mesma reação que você, pelo que me recordo. Eles acabaram não falando sobre isso. A amizade esfriou. Eu me lembro de ter dado um grande puxão de orelha nesse meu leitor. 
Sinto muito por essa experiência que você sofreu, N. Foi abuso. Você não tinha consentido, e ela foi lá e te tocou. Suponho que isso não seja tão incomum. Às vezes uma pessoa se apaixona pelo amigo ou amiga, e acha que basta um pouco de esforço, de tempero, pra amizade "evoluir" para outro nível. A gente conhece vários casais (héteros e homo) que se formam desse jeito. Mas é complicado se uma das pessoas não está a fim. E se ela não compartilha da mesma orientação sexual, o que parece ser seu caso. 
Sua amiga certamente não te "leu" corretamente, ou senão -- pior ainda -- ignorou a leitura, que dizia que você é hétero e não quer ter algo sexual com ela (foi o que eu compreendi pelo teor do seu email).
Eu acho que vocês duas precisam conversar, N. Como vocês são melhores amigas, vocês podem reparar isso, penso eu. Ela tem que pedir desculpas, explicar o que a levou a agir assim, e prometer que não agirá dessa forma de novo. E você vai ter que acreditar nela, ou não. Se você acha que não dá mais pra confiar nela, será o fim da amizade. 
Só você pode decidir o que quer fazer, querida.

66 comentários:

Anônimo disse...

Horrível essa situação =/ Isso não é amiga nem aqui nem em parte alguma do mundo.

Só gostaria de comentar uma coisa sobre o texto:

Eu queria levantar e trancar a porta, mas sentia que seria muito hostil da minha parte.

Acho que não tem uma mulher que não sofra desse mesmo problema. A pessoa te trata como LIXO e a vítima tenta agir com decência.

Esse condicionamento social PRECISA mudar.

Gle disse...

Passei pela mesma situação que esta moça, a diferença é que quem fez isso eu tinha conhecido na mesma noite. Eu tinha 17 anos quando fui à festa de uma amiga , na casa dela. Lá tinham várias outras meninas e apesar da "pouca idade", a gente bebeu cerveja, tequila, vinho, etc. Eu já tinha combinado com a "dona da festa" que dormiria lá, porque os horários de ônibus para minha casa eram cedo. Enfim. No fim da festa, essa outra garota disse que gostaria de dormir lá também. Ela tinha um namorado e devia ter a mesma idade que a minha. A dona da casa dormiu no chão e eu dividi o colchão de casal no chão com essa outra moça. Quando eu estava quase dormindo, ela me abraçou pelas costas e começou a beijar minha nuca. Eu estava solteira (recém terminado com meu namorado) e não tinha dado a mínima liberdade pra ela fazer aquilo. Eu fiquei muito confusa, e ao mesmo tempo que ~não queria~, acabei me virando e ela continuou me acariciando e tocando meu corpo. Até que segundos depois ela parou e disse que estava com medo da nossa amiga acordar. Quando amanheceu eu comecei a lembrar e ela estava com muita vergonha de mim. Tanto que nem tomou café, já saiu da casa da nossa amiga logo cedo. Quando entrei no orkut, depois de umas horas, tinha uma mensagem dela pedindo desculpas e dizendo que não era pra eu contar nada pra ninguém do ocorrido. Eu nunca respondi aquilo, exclui. Porém, isso passou alguns anos me deixando com uma pulga atrás da orelha, quanto a minha sexualidade. Diferente da autora deste post, que teve repulsa.

Acho que ela deve sim chamar a amiga para conversar sobre isso. Até porque talvez a própria amiga esteja "se descobrindo" e pelo grau de amizade, confundiu as coisas. Se não tiver coragem de falar pessoalmente, escreva um e-mail à ela, dizendo que não gostou, que gostaria que não acontecesse mais, mas que não queria perder a amizade dela por isso. Vocês devem ter pouca idade e sexualidade é algo que dá muita confusão psicológica. Eu passei por isso e talvez tenha me reprimido tantos anos pela forma com que aquela moça me abordou e depois sumiu como se tivesse feito algo muito feio e errado.
Converse com sua amiga e diga que nada vai mudar entre vocês se ela entender e te respeitar.

Beijo!

Anônimo disse...

Com molestadores, de qualquer sexo, a gente não tem nada que conversar. Tem que excluir do convívio social e só, pois do contrário uma mensagem muito errada de tolerancia é passada para a pessoa que cometeu os atos abjetos.

Anônimo disse...

Só isso? Engraçado como o tratamento é mais ameno quando a abusadora é mulher.

Anônimo disse...

Alguém que não respeita a liberdade sexual de outra pessoa não pode ser "melhor amiga" de ninguém.

Gle disse...

Ela divulgou a idade delas, Lola?

D Stoffel disse...

Lembrou-me um caso famoso da pitty que foi abusada pela babá.

Essas mulheres são machistas, mulheres que acreditam que um corpo de uma mulher é público, uma vez quando era criança uma mulher tocou na minha vagina, eu nem sabia o que era aquilo que nojo, como pode haver mulheres assim.

E tem muitas lésbicas que são tão machistas, mas não é só porque ela se veste de forma a parecer "homem" que elas tem que ter comportamento ruim deles.

lola aronovich disse...

Não, Gle, não sei a idade delas. Imagino que sejam bem jovens, menos de 20 anos?


Pois é, anon das 11:45, meu tratamento é muito ameno. Aqui no blog eu defendo a castração, tortura e pena de morte quando o abusador é homem.
Acho que vc anda lendo o blog errado...

D Stoffel disse...

Só isso? Engraçado como o tratamento é mais ameno quando a abusadora é mulher.

27 de maio de 2015 11:45

Na verdade discordo, tem mulheres que são abusadas por homens e nunca contaram a ninguém, elas se culpam muito, tem vergonha do que aconteceu, como se ser vítima fosse uma vergonha.
Lembro de um caso de uma garota que li que foi abusada pelo namorado pois ele forçou sexo anal e ela não queria daí as amigas avisaram que ela tinha sido abusada, mas ela prefiriu viver na ilusão, deu até confusão com o namorado.
Infelizmente isso é mais comum do que se pensa eu passei por isso ele queria me estuprar por trás de qualquer jeito, mesmo havendo falado antes não pratico isso, olha meu caso com esse homem foi mais estranho do que possam imaginar mas isso é outra história, mas te digo que eu fui quase uma, mas tem centenas de milhares que são abusadas todos os dias e ficam caladas.
É tão horrível que esses abusos se perpetuem principalmente quando é de parceiros(as) as próporias pessoas envolvidas não conseguem enxergar os abusos que ocorrem.
E pra você ve o quanto é vergonhoso eu pensei várias vezes antes de postar como anonimo da vergonha que eu tenho disso, mas não vou dar minha cara a tapa.

Anônimo disse...

minha vizinha quase foi estuprada por um obreiro que veio na casa dela fingir que ia ungir, queria pegar nos peitos dela sorte que ela se siau, mandou ele ir
mas... ate hj ele continua livre livre zanzando por ai ela nem contou a igreja
gent eh mt mais comum do que se pensa ñ eh vitimismo n e realidade

Anônimo disse...

Eu terminaria essa amizade e esclareceria o motivo,essa pessoa lhe abusou sexualmente,isso é algo muito ruim nossas partes intimas não são como o nosso braço ou mão que as pessoas amigas podem passar a mão ou tocar na amizade,respeito é bom e todo mundo gosta!se fosse teu namorado eu daria mais uma chance ,ai sim eu conversaria e colocaria limites mais assim ,dessa forma não fala nada e já vai metendo a mão é algo sem perdão pq nosso corpo é sagrado.

Anônimo disse...

Como assim " não tranquei a porta para não ser hostil"? Moça que atitude é essa? Se fosse comigo a "AMIGA" estaria no mínimo com 02 dentes a menos.

Anônimo disse...

Que chato isso. Igual a Gle comentou acima acredito que a sua amiga pode sim estar descobrindo a sua sexualidade, e por vocês serem muito próximas acabou confundindo amizade com liberdade para fazer o que quiser.

Acredito que toda relação (pais e filhos, amigos, namorado, etc.) tem que ter certos limites, e quem tem que impor esses limites são as pessoas que se relacionam. Eu tinha uma grande amiga, éramos como irmãs, eu tinha catorze anos e ela tinha dezesseis. Ocorre que nós duas nunca havíamos beijado na boca, e tínhamos muita vergonha de contar isso pra alguém, por isso sempre conversávamos só entre nos duas e ficávamos comentando como seria o beijo na boca, o sexo e etc. Um dia conversando sobre o assunto mencionado ela começou a olhar fixamente para a minha boca, e muito próxima de mim perguntou se podia fazer um pedido, e eu respondi que não, que eu não aceitava aquilo, e antes mesmo que ela falasse algo mais mudei de assunto. E o mais estranho é que era recorrente, sempre quando a gente tava sozinha era a mesma coisa, se a conversa era sobre beijo, ou sexo, ela ia chegando se aproximando, e olhando fixamente para os lábios dizia que ia fazer um pedido.

O engraçado, é que eu nunca deixava ela terminar de falar, eu sentia que estava acontecendo algo que fugia ao meu controle, e eu não me sentia a vontade com aquela situação, pode ser que ela nem ia fazer nada, talvez apenas ia me contar um segredo ou sei lá, mas como eu me sentia desconfortável com aquela situação eu sempre demonstrava que não achava legal.

Acredito sinceramente, que tudo se resolve com uma boa conversa, demonstrando como você se sente, a respeito da atitude dela, e que o fato de vocês serem amigas não dá a ela o direito, a liberdade, de agir dessa forma.

Anônimo disse...

Pois é, anon das 11:45, meu tratamento é muito ameno. Aqui no blog eu defendo a castração, tortura e pena de morte quando o abusador é homem.

Você n diz nada disso realmente, mas nunca que ia mandar a vítima conversar com o homem que abusou dela e ver se dava para continuarem amiguinhos. Nem vem, que quando a mulher é a criminosa, pegam leve mesmo.

Gle disse...

Acho que essa atitude dela tem mais a ver com respeito do que com opção sexual. Não dá pra generalizar dizendo que todas as lésbicas são assim. Bem como não dá pra dizer que todo homem vê uma mulher como um pedaço de carne pronto para "ser comido".
A única vez que aconteceu de eu ter a chance de ficar com alguém sabendo que essa pessoa talvez não gostasse/quisesse (estou falando de um beijo), eu hesitei e a pessoa disse que não seria a primeira vez que estaria acontecendo, que eu não deveria temer nada. Ou seja, a pessoa me deu a liberdade e meio que uma "autorização" para que a situação acontecesse.
Tem gente que confunde amizade com intimidade, mas nem sempre (quase nunca) é a mesma coisa. Muitas vezes coisas óbvias devem ser ditas sim.

lola aronovich disse...

Eu SEMPRE sugiro conversa. Esse é um dos motivos que algumas feministas me odeiam -- elas me acham mole. Tipo, sei lá, leia um pouco o meu blog antes de falar besteira. De um lado tem feminista que me odeia por eu não pregar pena de morte e castração pra homem estuprador, por outro tem os reaças de sempre jurando que eu digo que todo homem é um estuprador em potencial...

Anônimo disse...

Não se faça de boba, Lola. Sabe muito bem do que eu to falando, sugerir que ela denuncie a amiga? Nem passou na sua cabeça? Afinal, ela é quase uma estupradora.
Bater um papo, uma conversinha amigável, ganhar a promessa dela de q n fará mais, como se estivesse falando com uma criança e fica por isso mesmo?
Quer dizer q vc nunca, jamais, disse a uma mulher para denunciar seu agressor, só mandou ela tomar chá com biscoitos com ele?
Conta outra e digo isso, porque leio seu blog sim. E em vários, vc diz que para os criminosos serem denunciados, mas quando é mulher, vamos relevar.

Anônimo disse...

Isso já ocorreu comigo, mas na "outra posição". Eu tenho uma amiga. Eu assumidamente lésbica mas ela sempre se disse hetero. Eu de início nem pensava nela como algo além de uma grande amiga, mas quando saíamos ela vivia grudada em mim. De início ela pegava na minha mão e andávamos de mãos dadas. Depois foi ficando mais forte, abraços. Eu ficava receosa no começo, tipo, pensava comigo "ela sempre se disse hetero, porque provoca assim?". Ela costumava dormir em casa. De início eu não pensava nada, mas terminávamos abraçadas. Me senti na liberdade de me aproximar mais dela. Abraçava, passava a mão pelo corpo. De início não de uma forma sexual. E uma noite fui mais longe, fui passando a mão por dentro da calcinha. Ela não reagiu nem por "sim", nem por "não". Deixou rolar.

Numa outra noite que ela veio dormir aqui foi mesma coisa. Fui tocando ela. Mas desta vez ela reagiu. "Ai xxx, não curto. Vamos parar por aqui?"

Continuamos amigas, nossa relação de amizade não mudou mesmo, só que ela deixou de me agarrar e de ficar grudada comigo como fazia antes. Ela inclusive dormiu em casa muitas outras vezes, na minha cama, mas evidentemente não da mesma forma. A partir de então cada uma pra um lado.

Eu interpretei tudo isso como se ela quisesse brincar um pouco mas ficou com medo quando percebeu que a coisa foi ficando séria. Ás vezes me sinto um pouco culpada, por ter avançado sem um diálogo, mas por outro lado sei que certas coisas não cabem num diálogo com palavras. Quando ela deixou claro qual era seu limite eu respeitei.

Enfim, há muitas sutilezas em situações deste tipo. Não dá pra ser extremista e medir na régua onde é um jogo legítimo e onde começa o abuso.

Anônimo disse...

Homens e mulheres não são iguais. Eu odeio qualquer tipo de abuso, mas não sou cega de não ver o grau de perigo entre eles. Os homens são fisicamente mais fortes que as mulheres, podem estuprá-las por penetração e a vitima pode até engravidar desse estupro, e em vários paises do mundo nem teria o direito de abortar. Existe sim mulheres que abusam mas se em comparação dos que são feitos por homens a diferença é muito grande. E nem venha reclamar pra mim sobre isso porque, infelizmente, é a realidade, onde mulheres aprendem a temer os homens.

Boa tarde para todos.

Lucia

Anônimo disse...

Concordo com o Anon - 27 DE MAIO DE 2015 11:36 -
Tanto no post como nos comentários pegaram muito leve na situação, puta merda, isso é um estupro (amizade esfriou ?, a pessoa tentou te estuprar chama polícia). Cadê marcha das vadias ?, cadê os comentários revoltados ?, onde está aquele sermão da cultura do estupro?, por ser tratar de um estupro praticado por uma mulher e homossexual não merece a mesma reação ?. Já vi criticas nesse blog bem mais duras por situações bem mais "leves".

Anônimo disse...

O ser humano é um bicho complicado. Seres humanos abusam. Óbvio que estatisticamente as maiores vítimas são mulheres mas também não vamos ser cegas e cegos de sacar que mulheres também podem ser abusadoras e entre lésbicas isso ocorre muito. Algumas mulheres podem ser mais fortes que outros homens e que outras mulheres (meio óbvio, aliás). E podem causar estragos feios em parceiras e ás vezes parceiros.

Então, primeiramente. Óbviamente não significa negar que vivemos numa sociedade machista onde homens são em quantidade a maioria dos agressores. Mas esse fato não pode servir para ocultar o fato de que mulheres também podem ser agressoras sexuais, e esse tipo de agressão aliada a agressão psicológica faz o fator "força" se tornar menos significante podendo causar sequelas terríveis.

Anônimo disse...

Eu realmente não sei em que mundo é razoável manter amizade e tentar dialogar com estuprador, com alguém que violou o seu corpo, a sua intimidade, o seu sossego.

ATÉ QUANDO as vítimas de crimes sexuais serão aconselhadas a agirem com amor e compreensão contra pessoas que sequer deveriam estar na rua?

Depois falam que socialização não é importante... olha a feminina subserviente agindo aí com todo fulgor.

Anônimo disse...

Lucia

E daí que o grau do perigo é menor? Então, n precisa denunciar mulher estupradora?
Vai catar coquinho, dois pesos e duas medidas, hipocrisia demais.
Abusou tem que denunciar, n importa se é mulher. Parece o argumento furado que usam para n abaixar a maioridade penal, como poucos adolescentes cometem crime, então, n importa muito.

camila santos disse...

Sem dúvidas o tratamento que mulheres abusadoras recebem é diferente mas não porque são mulheres tem tanta mulher que comete crime e é espancada por ai. é diferente simplesmente porque ninguém ta acostumado com isso na maioria das vezes o abusador é homem, você abrir um jornal e ler que um homem abusou de alguém não é novidade nenhuma.

camila santos disse...

Você tem uma fonte sobre as lésbicas cometeram muitos abusos 14:37 ??

donadio disse...

A quem está indignado com o tratamento diferenciado às mulheres estupradoras...

Me parece que aí nessa estória houve um "não", e que o "não" foi respeitado. Nem a "pergunta" nem a "resposta" foram verbalizadas, é verdade, e isso não é bom. Mas onde exatamente está o "estupro"?

Zero disse...

==OFF TOPIC==

boa tarde.

achei isso muito bizarro e quis compartilhar com vocês.

"Ótimo vídeo, para ficar perfeito só faltou não ter dito que o feminismo é tão prejudicial quanto o machismo, pois machismo é uma bênção de Deus para o homem e para a mulher, enquanto o feminismo é uma maldição de satanás para ambos. Deus seja louvado."

é de um perfil do Google+. o cara é quase um BOT.

comentou vários vídeos sobre maconha sempre com o mesmo texto.

usa termos como "mangina" e indicou o "canal do búfalo" pra um homem que ele acredita "não saber nada de mulher".

bizarro.

porque esses caras são crentes? ele mesmo se define "crente" no perfil. e não são poucos.
============

Anônimo disse...

camila santos.
Você tem uma fonte sobre as lésbicas cometeram muitos abusos 14:37 ??

========

Eu particularmente falo da minha experiência convivendo e me relacionando com mulheres lésbicas na perfiferia paulistana. Se pesquisar deve encontrar algum material acadêmico sobre o assunto, embora infelizmente seja pouco explorado. Já participei de rodas de conversa sobre isso, mas como é assunto espinhoso é difícil quantificar. Segue algumas referências:

http://www.pucsp.br/revistaaurora/ed7_v_janeiro_2010/artigos/download/ed7/5_artigo.pdf

Esse segundo link é de Portugal. O título dele é bem significativo: http://rccs.revues.org/4988

Abraços.

Anônimo disse...

Eu tenho uma teoria, anônimo das 16:03: O cara é crente por conveniência. Explico, provavelmente não frequenta nenhuma igreja, muitas vezes nem acredita em nada mas tem em comum com os crentes a visão conservadora e hipócrita. Logo, sendo os crentes um grupo que normalmente aceita/acredita na submissão da mulher, se torna mais fácil ele vender sua ideologia masculinista a este grupo. Fazendo-se passar por evangélico, sua credibilidade com essas pessoas aumenta ainda mais. Sabe aquele ditado "Inimigo do meu Inimigo se torna automaticamente meu amigo"? É bem por aí.

Anônimo disse...

"Já vi criticas nesse blog bem mais duras por situações bem mais "leves".

27 de maio de 2015 14:29"


Dá pra linkar alguma aqui como exemplo????

Zero disse...

p/ anônimo 16:24

não sou anônimo, mas ok.

esse cara, do perfil do Google+ é muito confuso:

ele apoia maconha mas é contra as drogas. (não considera maconha droga pois é erva, e usa "argumentos bíblicos" pra justificar).

alguns trechos do "ilustre"

"você parece ser legal, pena que parece gay"

"adorei o beijo gay da novela (Felix). Diga não a homofobia".

"detesto puta e novela"

"machismo é uma benção"

depois diz que enfiar o dedo na bunda é o "prazer mais gostoso que existe" e quem não gosta é "machista idiota" (WTF?)

o cara não é certo da cabeça...

Anônimo disse...

Sinceramente, corte relações. Já fui abusada por uma amiga de um amigo, só soube porque ela me contou , eu estava apagada (na minha casa). Soube de outras situações parecidas em que ela se envolveu. E a linda ainda quis me adicionar em rede social. De verdade, distância de mulheres abusadoras, não tem o que fazer. E entendo TODAS as suas reações. Somos educadas para nunca falar não, é muito difícil reagir nessas horas. Eu não consegui encarar a mulher que me abusou, e olha que eu sou o dobro do tamanho dela.

camila santos disse...

16:18 eu li tudo e não achei dados nenhum dos abusos que lésbicas cometem muito! acho que você não entendeu o que eu quis dizer eu sei que violência acontece em qualquer relacionamento seja ele homossexual ou não eu queria saber dos entre lésbicas isso ocorre muito que você disse...

Anônimo disse...

A linha entre estupro e "brincadeira" é tênue. As vezes a pessoa conduz toda uma situação pra tentar intercurso sexual contigo mesmo sabendo que vc não quer.

Muitas vezes não é necessário o "não" com palavras. Por que a pessoa se sentiu no direito de passar aquele limite na intimidade da outra pessoa? Então quer dizer q o outro (homem ou mulher) deve ir passando a mão, abusando, e a outra parte é quem tem de dizer "não" pra não ser estupro?

Gente, a parte "ativa" é quem tem de tomar cuidado. Se o outro diz "não" e a outra parte já passou a mão? O abuso já aconteceu.

Demorou meses pra eu descobrir que um ex meu tentou me estuprar. O namoro terminou por outras razões - bem chatas, mas que não vem ao caso nesse tópico - mas eu já havia dito a ele que tão cedo não queria sexo e ele concordou. Pois lá estava ele tentando arrancar a minha roupa e me deixar disposta ao sexo, quando eu não queria.

Respeitou o meu "não"? Sim. Mas no dia seguinte disse: se fosse em outros tempos eu teria avançado bem o sinal. Eu entendo isso como: teria feito sexo mesmo com vc dizendo "não" e com a gente tendo combinado antes que você não queria.

O nome disso pra mim é estuprador em potencial, e se eu soubesse que ele já estuprou outras mulheres antes de mim, não duvidaria.

Essas são as manifestações da cultura do estupro. A vítima tem de dizer "não" pra que seja estupro, porque a outra parte está no direito dela de avançar, tirar a roupa, passar a mão, até mesmo penetrar (com dedos ou objetos) caso a outra parte diga "não".

Eu sou muito reativa e digo "não" quando não quero, mas conheço pessoas que quando se sentem abusadas ou acossadas, travam na hora e a voz nem sai. E uma pessoa dessas, caso a outra parte comece a passar mão, despir, etc? A parte abusada trava, não consegue dizer "não" mas no íntimo não deseja aquilo.

É estupro sim, vamos parar de colocar a responsabilidade de tudo na vítima.

Anônimo disse...

Realmente, quando o abusador é melhor o tratamento pregado é o diálogo, por vezes li nesse blog uma gritaria por denunciar até quem faz cantada de rua, estranho essa condescendência.

@vbfri disse...

Anônimo disse...

"Corrigindo: A vítima tem de dizer "não" pra que seja estupro, porque a outra parte está no direito dela de avançar, tirar a roupa, passar a mão, até mesmo penetrar (com dedos ou objetos) caso a outra parte NÃO diga "não"."

Oi???? OIIIII?????? COMO É ISSO??????? Então, tipo, se a pessoa está apagada na cama, bêbada, e o cara chegar lá e transar com ela não é estupro?????? COMEQUIÉEEE??????

Mostra isso no código penal.

Obrigada.

Donatien Alphonse François disse...

"Tô tentando entender o que foi isso. Me ajude.
Estou sentindo o toque dela até agora, tenho repulsa. E tenho vontade de ter relação sexual com um homem que eu sinta desejo pra que esse sentimento desapareça."

" anônimo 16:41" Qual é a dificuldade de você entender que foi SIM um abuso? Você gostaria de ser tocado/a nas suas partes intimas enquanto dorme? Isso não é coisa de amigo fazer, ela quebrou toda a confiança que deve haver numa amizade, isso para mim é imperdoável, não tem dialogo que resolva, eu acabaria com essa "amizade" na mesma hora. Eu que sou homem, sei desde que me lembro por gente, que não se deve passar a mão em ninguém sem a permissão do outro, muito menos se estiver dormindo, estou falando apenas de adultos, com criança nem com permissão se deve fazer isso. Eu que sou um fisiculturista gigante, nunca na vida utilizei a minha força para tirar proveito de mulher nenhuma, sempre entendi que NÃO significa NÃO e se estiver dormindo/desmaiada é NÃO MESMO.

Estupro = "O que houve foi apenas uma pessoa com muito desejo tentando expressar isso"

"Moça do guestpost: relaxa, girl. Não foi nada. "

Não cabe a você relativizar o que aconteceu, muito menos dizer como ela deve se sentir, pois isso ela já deixou bem claro: REPULSA

Anônimo disse...

Foi abuso sim, sem dúvida. E é muito complicado o caso da N. já que ela confiava na garota, ambas eram amigas, melhores amigas como ela disse, o que torna tudo ainda mais melindroso, afinal, quebrou-se um vínculo forte ai, ela ultrapassou um limite, tomou uma liberdade que não havia sido dada.

Depois de ler o post confesso que não havia levado por esse lado (do abuso), pois ela tinha falado que eram amigas e etc. Mas isso não justifica nada, e o pai que abusa dos filhos(as), o namorado da namorada...Uma relação de confiança não quer dizer liberdade para fazer o que quiser com o outro, toda relação deve ser baseada em respeito.

Ocorre que nesse caso foi sem o consentimento da outra parte, a N. estava dormindo e acordou com a garota masturbando-a e mesmo se estivesse acordada e não quisesse nada, a amiga em questão teria que respeitar, foi feito contra a vontade dela afinal.

Fê Cardoso disse...

Isso claramente se trata de abuso!

Vocês são/eram (eu não seguiria com essa amizade) melhores amigas, pode até ser mesmo que ela estivesse confusa, ela parou de te tocar quando você demonstrou não gostar MAAAAS ela fez isso enquanto você dormia! Uma coisa é você tentar beijar e tocar uma pessoa que você conhece muito bem pra ver se o que tá rolando é recíproco, outra muito diferente é sair acariciando quem está dormindo.

E se não tivesse acordado? Até onde ela iria com as carícias? Amigas costumam beber juntas, e se você estivesse bêbada e sem consciência?

Abuso é abuso, independente do sexo do abusador.

Anônimo disse...

@vbfri


"Oi???? OIIIII?????? COMO É ISSO??????? Então, tipo, se a pessoa está apagada na cama, bêbada, e o cara chegar lá e transar com ela não é estupro?????? COMEQUIÉEEE?????? "

A cultura do estupro infelizmente diz isso e é bem nojenta, pelo que os comentários nesse post estão dizendo, só pq a menina respeitou o "não" da outra, "não foi estupro".

Mas peraí, tem q ir passando a mão e só depois receber o "não"? Se a pessoa não queria, ela já foi abusada, a mão já foi passada e etc, isso é abuso sim! Mas parece que pelo teor dos comments aqui, tá OK passar a mão e parar caso a outra parte diga "não"...

Não devia nem começar a passar! Fala primeiro que tem um interesse, depois se houver interesse aí sim quem sabe ter carícias e etc, mas nem sabendo se a outra parte quer?

A cultura do estupro diz q tá tudo OK, mas não, não tá. Não custa nada verbalizar primeiro, é só falar. E se levar um "não", bem, é direito do outro dizer "não".

Fê Cardoso disse...

Quando penso que já ouvi de tudo nessa vida em matéria de escrotice, chega o Anônimo das 16:56 pra me mostrar que a escrotice NÃO TEM LIMITES!

anon A. (radfem) disse...

Vamos diferenciar estupro e abuso sexual, pessoas? Claramente houve abuso sexual, mas chamar isso de estupro é diminuir a gravidade dos crimes de estupro. Isso nao é comparavel a uma pessoa ser penetrada contra a sua vontade, ser forçada a penetrar, um abuso contínuo até o abusador se satisfazer, ou tem risco de gravidez e DSTs, além do mais ela parou assim que o 'nao' ficou claro. Voces nao estao ajudando ninguem assim, estupros só vao ser levados ainda menos a serio. O que aconteceu foi abuso sexual. O que com certeza é motivo suficiente para dar adeus a uma amizade e mrece uma puniçao adequada. Mas nao foi um estupro.

(E na boa, a parte de se 'purificar' transando com um homem está com um cheiro forte de homofobia.)

Donatien Alphonse François disse...

(E na boa, a parte de se 'purificar' transando com um homem está com um cheiro forte de homofobia.)

E se for, e daí? Ela devia achar gostoso ser tocada por uma pessoa do mesmo sexo que o dela enquanto dormia? Se você gosta de transar com mulher, direito seu transar com quem te quiser, sendo reciproco, ninguém tem nada a ver com isso, mas ela não gosta.
Homofobia, só faltava essa agora!PQP

Rafael disse...

Aconteceu uma coisa parecida comigo e um cara que era um dos meus melhores amigos. No caso da autora eu acho que foi muito pior, mas eu imagino como ela esta sentindo. Já tem um ano e depois disso eu mal falo com esse amigo, e olha que o meu nem foi tão ruim. O pior é que é uma pessoa que você confia, que tem aquela confiança de anos, você acha que nunca faria uma coisa dessas. Aí acontece uma merda dessas.

Anônimo disse...

Era a melhor amiga dela, não foi homofobia e sim que ela não curte sexo com mulheres, tem repulsa. Existem pessoas que tem nojo de sexo homossexual sim, e daí? Contanto que não interfiram na vida dos outros nem discrimine pessoas, pode ter nojo do que quiser.

Anônimo disse...

E já ouvi de uns três gays que eu conheço que eles tem nojo de vagina. E tem muita lésbica que tem nojo de pênis. Essas pessoas obviamente tem nojo de sexo hetero. Então um hetero também pode ter nojo de sexo gay.

Anônimo disse...

Engraçado, esse post me fez refletir sobre uma situação da minha vida... na adolescência, voltando de um acampamento, fui dormir numa casa com vários outros adolescentes. Deitei na sala com uma menina que eu mal conhecia e meu amigo, no colchão de casal. Acordei de madrugada com um de cada lado, ele tentando me beijar e ela atrás de mim, de "conchinha", alisando meus seios.
Fiquei super irritada e empurrei os dois pra longe, eles pararam e fingiram que estavam dormindo e eu continuei a dormir.
Até hoje, eu NUNCA pensei nisso como um abuso, e sim como uma tentativa frustrada de mènage.
Confesso que a menina me irritou mais, pois eu nem a conhecia direito. Com meu amigo já rolava uns olhares, mas depois desse dia esfriou total.

Concordo que as duas têm que conversar, até porque qualquer pessoa que já leu um conto erótico sabe que esse lance de "amigas" é super comum, e de repente a menina não sabia que estava abusando. Muita gente aprende que as coisas funcionam assim, e vai saber se a própria já não foi abusada dessa maneira antes...
Se houver amizade mesmo, vale a pena a conversa, senão, o negócio é se afastar (ou brigar), sei lá.

Anônimo disse...

Condescendência total, fosse um homem estariam a gritar e o conselho da Lola seria buscar uma delegacia, leio o blog diariamente, e ´[e isso que acontece, foi abuso sim, a lésbica não respeitou seu espaço, e ai vem as feministas dizerem para tomarem um todinho juntas e falar sobre o caso!? Que vergonha;

Natália.

Cão do Mato disse...

"Pois é, anon das 11:45, meu tratamento é muito ameno. Aqui no blog eu defendo a castração, tortura e pena de morte quando o abusador é homem.
Acho que vc anda lendo o blog errado..."
É Lola, realmente você não defende esse tipo de coisa, mas...não elimina comentários de gente que insinua que abusadores homens devam ter um tipo de punição parecido com isso.E apesar de não pregar tortura, castração e nem a pena de morte para esses casos, é inegável que o tom que você adota é muito mais duro. Nesse ponto o anônimo tem razão...

Anônimo disse...

"E tem muitas lésbicas que são tão machistas, mas não é só porque ela se veste de forma a parecer "homem" que elas tem que ter comportamento ruim deles"
_
Misandria model on total, quer dizer que ser homem, ou se parecer com um, e um "comportamento ruim"?

Anônimo disse...

Bastante curioso como a reação deve ser mais cuidadosa quando a abusadora é uma sapatão, só porque é mulher.
Iriam querer conversar com um homem, pra ele pedir desculpas? Então, porque com uma mulher tem que conversar? Pra ela "entender" (tipo ensinar ABCD, 123) que aquilo foi errado? Ela não sabia? Foi vitima da sociedade machista?

Ignorantes, como sempre. Te recomendaria dar um tapa bem forte na cara dela e falar pra todos o que aconteceu, no mínimo. Nem aí pra polícia, eu faria de tudo pra sujar a sua reputação.

BLH

Ci disse...

Perai, ela botou a mão na vagina dela sem sua permissão! Ela estava dormindo. Se isso acontecesse comigo, eu não perdoaria. Qual a diferença se fosse um homem que fizesse a mesma coisa?

Ci disse...

Concordo plenamente.

Ci disse...

Concordo com você. Eu sentiria repulsa
Também, afinal mulher não me dá tesao. Por acaso tenho que achar legal , ser tocada por alguém do mesmo sexo se eu não curto? É bem diferente de ver duas mulheres se beijando e sentir nojo ou repulsa, daí sim. Pois aquelas pessoas não estão te prejudicando.

Anônimo disse...

"Vamos diferenciar estupro e abuso sexual, pessoas? Claramente houve abuso sexual, mas chamar isso de estupro é diminuir a gravidade dos crimes de estupro. I"

Kirida, A LEI fala que é estupro. Juridicamente foi estupro.

Cão do Mato disse...

"Kirida, A LEI fala que é estupro. Juridicamente foi estupro." Legal, então vamos condenar a mulher a 15 anos de cadeia (pena máxima para estupro pela nova lei)...Aí, quando ela sair de lá um monstro, não reclamem...

Cão do Mato disse...

Mulher só não estupra homem porque não têm um pênis e nem força física para tanto...

Anônimo disse...

""Kirida, A LEI fala que é estupro. Juridicamente foi estupro." Legal, então vamos condenar a mulher a 15 anos de cadeia (pena máxima para estupro pela nova lei)...Aí, quando ela sair de lá um monstro, não reclamem..."

Se foi estupro, e foi, tem mais é que ser apartada da sociedade mesmo. TODO ESTUPRADOR tem que ser apartado da sociedade, seja um menino de 10 anos ou uma velha de 90.

Anônimo disse...

E toda vez que alguém "dialoga" com o agressor, tá passando uma mensagem de tolerância pra ele. Depois não reclame.

camila santos disse...

11:06 Se fosse homem ela tava morta, ninguém ta defendendo ela mas ninguém tem como negar que homens estupradores são agressivos e acham que não fizerem nada demais ai quando falamos da cultura do estupro tem um monte pra falar que isso não existe. 08:19 e os um terço de homens heterossexuais que dizem ter nojo da vagina? Quando falar "tem muita lésbica" "lésbica faz isso" você tem provar aqui agente posta o que sai na mídia toda hora. bem realmente eu vejo muito gay dizendo toda hora que tem nojo de mulher isso porque gays são machistas/misóginos o que isso tem a ver com sexo hetero? Quem fica pensando em gay toda hora são vocês hetero.10:45 não é misandria é realidade as mulheres tem medo de ficarem perto de homens desconhecidos.

camila santos disse...

Cão do mato tem tanta besteira que homem faz e
mulher pode fazer também tipo cometer crimes
que algumas cometem mas nem chega perto do
número de homens que fazem o mesmo, então
porque muita mulher não faz merda?

Anônimo disse...

"Quem fica pensando em gay toda hora são vocês hetero.10:45 não é misandria é realidade as mulheres tem medo de ficarem perto de homens desconhecidos. "


E for esperta fica ligada com os conhecidos também, porque a massiva maioria dos casos de estupro é perpetrada por pessoas que convivem com a vítima (amigos, colegas de trabalho, de escola etc).

camila santos disse...

Pra quem acha que mulheres abusadoras recebem tratamento bom aqui um caso de estupro em que a mulher depois do estupro teve que conviver com o estuprador g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2015/02/vitima-de-estupro-na-usp-diz-sofrer-preconceito-apos-denunciar-caso.html

Anônimo disse...

Só verificar o guest post anterior, e outros que a pessoa diz estar em dúvida se foi ou não abuso, e comparar os comentários. Diferentes.

Regina disse...

Existe um documentário sobre mulheres que passaram por isso
se chama "She stole my voice"

Anônimo disse...

Ela foi estuprada pela amiga. A amiga pegou na vagina dela e a masturbou!
A amiga se aproveitou dela dormindo para fazer sexo com ela, que nem é lésbica.