sábado, 23 de maio de 2015

HINO MACHISTA NOS JOGOS UNIVERSITÁRIOS, AGORA TAMBÉM NO NORDESTE

Uma aluna da Univasf (Universidade Federal do Vale do São Francisco, que tem campi em três Estados: Pernambuco, Bahia e Piauí) me mandou este email ontem:

Sou aluna do curso de Psicologia da Univasf e o que relatarei agora é a história contada pela minha perspectiva. Peço para que investiguem e noticiem o ocorrido no intuito de pressionar a minha universidade a tomar as devidas medidas, bem como o Ministério Público, que já foi acionado por mim e outras colegas, mas que ainda não se manifestou.
Na penúltima sexta-feira, na abertura dos jogos estudantis da Univasf, membros da Atlética de Medicina, vestidos com as cores dessa organização, distribuíram hinos machistas e violentos e os cantaram com o acompanhamento de um grupo de percussão, direcionando o hino para o curso adversário. 
Letra inteira. Clique p/ampliar
As letras falavam que as meninas do curso adversário eram “fodidas” pelos futuros médicos e tinham bigodes e corrimento -- uma agressão violenta e ofensiva, além de desnecessária. 
O fato rapidamente causou imensa indignação no Facebook, em especial na página Grande Família Univasf, mas em reunião do Diretório Acadêmico de Medicina, aberta apenas aos alunos do curso, houve a decisão de não identificar os responsáveis da Atlética (cujos membros são parte do próprio Diretório Acadêmico) e a exigência de um pedido de desculpas aos que relacionaram a própria Atlética com o ocorrido nas redes sociais.
Embora o reitor tenha afirmado que iria averiguar o assunto, o coordenador do curso não se posicionou oficialmente sobre o ocorrido. Até agora nenhum responsável foi identificado. A impunidade hoje alcança uma semana, com deboches nas redes sociais pelos membros da Atlética. 
Enfim, como mulher, me sinto extremamente humilhada, sobretudo pela falta de ação dos que poderiam identificar (ou já sabem quem são, no caso do DA) os culpados e garantir o fim dessa agressão. Envio o hino e uma pequena matéria sobre o assunto, talvez a única que tenha sido escrita. Este caso precisa de repercussão.

Meu comentário: Hinos machistas, racistas e homofóbicos são comuns em jogos universitários do sul e sudeste, onde os trotes costumam ser muito mais violentos e humilhantes que em outras regiões no país. Sabemos que em alguns estados essa cultura da humilhação é mais frequente que em outros. E também sabemos que alguns cursos, quase sempre os mais elitistas, como Medicina, são aqueles que mais "capricham" na violência. 
Só pra lembrar: ano passado um hino "histórico" da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto só caiu em desuso porque o Coletivo Negro do campus o denunciou. O hino, que era cantado em jogos universitários e festas, falava de "preta imunda" (a letra é esta ao lado). O grupo responsável pelo hino se justificou: não era racismo, era tradição. Era um hino dos tempos em que "racismo e preconceito eram comportamentos corriqueiros". 
Porque deixaram de ser, né? Não tem mais isso.
Óbvio que ainda existe muito preconceito nas universidades do Norte, Centro-Oeste e Nordeste, mas os trotes violentos, que causam mortes e estupros (tantos que a Câmara de SP dedicou uma CPI aos casos), não são frequentes. E não os queremos nas nossas universidades. Por isso, é preocupante e lamentável que uma atlética, criada para organizar jogos e atividades esportivas, ache que seu dever é compor, cantar e espalhar hinos misóginos. 
O Núcleo da Marcha Mundial das Mulheres Sertão lançou uma excelente nota de repúdio ao hino. Pra piorar ainda mais a situação, o mesmo campus da Univasf em Petrolina, PE, foi palco de um feminicídio há três semanas. Rosilene Rio, uma estudante de enfermagem, foi morta a facadas pelo ex-companheiro no horário de almoço dentro do restaurante universitário. Diz a nota do núcleo:
Leia a nota inteira aqui.

Em fevereiro, o Mulheres do Sertão já tinha organizado um ato contra a violência. Uma professora de enfermagem da Univasf, também em Petrolina, foi brutalmente agredida pelo ex-namorado na própria casa, na frente de sua filha de 6 anos.
Enquanto mulheres lutam para combater a violência machista que mutila e mata, um grupo de estudantes acha graça em entoar cantorias que dizem "Fudendo com as putas e quebrando os cuzão! É Med!" E tudo em nome da "integração". 
Temos que ser intolerantes mesmo com essa misoginia: não passarão!

72 comentários:

Anônimo disse...

Gente o cara da usp estupra e pode ficar 6 meses suspenso geyse arruda usou um vestido curto e foi expulsa da faculdade.

Anônimo disse...

Olha estudo em faculdade particular mas em facul pub, o que sei é que as mulheres tem é medo inclusive de andar pelo campus.
medo de ser estuprada!
eu fico me perguntando até quando vamos ser humilhadas? porque quando resolvemos falar sempre tem um pra dizer que é tudo exagero até mulheres entram no balaio com sua síndrome de estolcomo, que vira um ciclo vicioso que parece interminável.
E aí até quando esses idiotas vão fazer atrocidades e ser tido como normal?

Anônimo disse...

Uma coisa que os homens nunca vão entender é que mulheres são criadas para terem medo de homens, medo de qualquer homem por que qualquer homem pode te fazer mal, as mães sabem disso e muita parte do machismo delas vem disso elas sabem do que eles são capazes.
Porque enquanto as mulheres estão sendo reprimidas criadas para terem medo de homens, os homens estão sendo ensinado a ser violentos, estão aprendo por aí que mulher é objeto e que elas gostam de ser subjulgadas.

um homem nunca vai saber o alívio que uma mulher sente quando está na rua a noite e sente alguém atrás dela, mas percebe que esse alguém é mulher.

Será que os homens acham bom que tenhamos medo deles eu acho que sim

Anônimo disse...

Que tal um grupo de mulheres fazerem letras ridicularizando homens?

Anônimo disse...

tipo ica ica ica eu cortar a sua...

Anônimo disse...

Eu tenho medo até quando entro num elevador com um homem ou mais de um. Sempre que isso acontece eu já fico logo procurando a câmera de filmagem do elevador, pq sei lá né, vai que acontece alguma coisa e alguém possa ver e vir me ajudar... Não confio mesmo. Até no meu prédio, tenho medo, moro no 11 andar, e sempre q pego o elevador e entra um homem sozinho ou mais de um, fico apreensiva, vai q acaba a luz, vai q pifa... pra alguns pode parecer exagero, mas é fato q pra acontecer um estupro não precisa de muita coisa, basta ser mulher e muitas vezes nem precisa estar num local errado, basta estar.

Anônimo disse...

Cada dia mais eu agradeço por ser mulher eu fico pensando se eu fosse um homem ia ser machista, eu ia ser um lixo humano, ser homem deve ser horrível, eles são tão covardes me dá nojo desse gênero não da aparência mas dá essência.Quanto mais eu conheço homens mais eu prefiro mulher as que reclamam eu prefiro aturar 2 tpms que aturar abusos diários.

Jonas Klein disse...

que horror o que falta de uma boa formação pessoal e o sentimento de impunidade faz com as pessoas.

Ate difícil comenta sobre isso, o mais importante que as vitimas deste bando de doentes, não se calem e continuem lutando por justiça...

Anon 14:31


"eu fico me perguntando até quando vamos ser humilhadas?"

Ate quando as senhoras todas se juntarem e começarem lutar contra todo esse lixo que da sustentação a violência, preconceito etc.

Mas uma boa dica seria você suas colegas procurarem direção da faculdade e as suas famílias para conversa sobre isso, e sim cobrar providencias.

Pois só fica em blog feminista reclamando não vai resolver nada.

Camila D disse...

Depois as feministas que são hipócritas.

Anônimo disse...

primeiro seu jonas isso não ocorre em minha faculdade então não tenho como levantar a bunda e lutar pelos direitos só sei de casos, depois que se eu pudesse ia mesmo, mas sei que esses casos são abafados pra não sujar o nome das universidades.

Anônimo disse...

Passagem do livro como se dar bem com as mulheres:
Compreenda o maior medo das mulheres

Medo de ser agredida, ferida ou violentada por homens é o maior
medo das mulheres
quando se aventuram em encontros românticos.
a maioria das mulheres tem o bom senso de selecionar cuidadosamente
os homens com quem saem, para que não sejam feridas fisicamente
por eles. Elas querem ter certeza de que confiam nos homens
por quem estão atraídas antes de se sentirem fisicamente vulneráveis
em relação a eles.
Se você quer ter sucesso com as mulheres, precisa estar ciente de
sua preocupação mais básica. Precisa lidar com o fato de que as mulheres
com quem se encontrar estarão testando-o para saber se você é "seguro"
ou potencialmente violento.
Consideramos que essa preocupação faz todo o sentido do mundo.
Se fôssemos mulheres, teríamos as mesmas preocupações, e você também.
Ponha-se no lugar de uma mulher: se ficasse sabendo de histórias
de estupro, agressão doméstica, tortura e assassinato de mulheres todos

os dias através dos jornais ou da tevê, você também seria paranóico.
As mulheres costumam ser um pouquinho paranóicas porque muitos
homens são psicóticos.

Julia disse...

Na Índia as mulheres de uma comunidade em que o estado não agia, se armaram e deram o troco.
Eu acho que é isso que está faltando. Sujar as mãos de sangue. As nossas, no caso.

Julia disse...

"Que tal um grupo de mulheres fazerem letras ridicularizando homens?"

Não acho uma boa, tem que ser uma coisa fora de proporção.
E eu não sei compor, é ruim pra mim.

Jonas Klein disse...

Anon 15:12

Isso não e regra geral, sai na noite por ai que você vai ver que cada caso e um caso...


Agora quanto ao texto do post vem aquilo que já disse aqui algumas vezes, o machismo deveria ser criminalizado da mesma forma que o racismo hoje em dia, ai embora isso não fosse resolver o problema por completo já iria atenuar bastante.

E tem uma coisa que importante que se diga, a sociedade especialmente brasileira esta precisando, passar por uma grande transformação, só não se muda uma sociedade do dia para noite nem de um ano para o outro, as transformações importante grandes acontecem com passar de gerações uma atrás da outra.

Só enquanto a nossa sociedade for este lixo que agente conhece, no lugar de vocês em sua maioria só ficar reclamando aqui, seria bom que todas as mulheres, na medida do possível, fizessem o seu treinamento de defesa pessoal usando artes marciais e lutar para que seja feita uma mudança no estatuto do desarmamento, de modo que permita ter a vocês um acesso mais facilitado ao porte de arma.

Ai se acontecer algum imprevisto e não der para resolver parada na porrada, se resolve na bala mesmo.

Julia disse...

Agora que vi que na letra eles já falam em morrer. Gostei desse trecho.

Anônimo disse...

Porra, a galera tá esquentando a cabeça de mais com a letra do hino,pô esqueceram da velha e boa boêmia, da velha e boa putaria que se fala entre homens em uma mesa de bar, altas horas da madrugada(eu disse entre homens e não se referindo diretamente a um grupo ou uma mulher, só sacanagem, só zoeira, a velha e boa cafagestagem)...Pô não estão se referindo a um grupo de mulheres ou as mulheres, só cerveja e descontração! parem de criminalizar tudo, isso está ficando cada vez mais ridículo e insuportável.PÔ é apenas brincadeira de mau gosto, mas é brincadeira, e aí a galera neurótica e com sérios problemas de ordem psiquiátrica desse blog já linka com abuso, estupro, porra galera, baixa a bolinha baixa, para de criminalizar os homens vai,parem de tentar ser misândricas.Porra "foder uma puta", então beleza, vão "fuder um puto" um gogoo boy vocês e parem de encher os pacovás, vão encher a cara numa cervejada, vão falar merda também sem compromissos, vocês são tudo sisudão, se levam muito a sério.Não gostaram do hino, façam outro e sacaneiem também, mandem tomar no cú, ficam elas por elas... beijos na bunda ( hoje é sabado, parem de discutir merda e vão tomar cerveja)

Anônimo disse...

ANon das 15:58 já foi dito mil vezes que gaslaite não funciona aqui. Desista. Você pode ir beber cerveja até pelo c*, se quiser, pra se reconfortar com o fato de que não, sua opiniãozinha insignificante não vai parar a luta de ninguém.

Anônimo disse...

Cara das 16:08, não adianta me insultar e colocar sua neurose para fora e mesmo usar palavrinhas em inglês de cunho feminista.VoCê é uma pessoa que discute merda e tem uma cabeça de merda que leva tudo ao extremo

D Stoffel disse...

15:58
então va tomar no olho do teu ku

Anônimo disse...

Bela argumentação em D stoffel otária

Anônimo disse...

15:58, porra, VAI SE FUDER!!!!

Anônimo disse...

isso q dá, dar papo pra homem... começam a se achar no direito de nos ensinar e a nos dizer como devemos encarar a violência diária q aguentamos há séculos! vamos IGNORAR.

in off irmãs: é muito fudido o homenzinho de merda q não tá enchendo o rabo de cachaça, pq tá se intrometendo nos papos das mina!! OTÁRIO!!!

Anônimo disse...

Um sujeito que fala "pô" a cada 5 palavras e quer ser levado a sério.

Anônimo disse...

Enquanto tô na praia, namorando, aproveitando a vida com amigos,viajando, indo para a balada, tomando chopp, vocês aqui falando merda, quem é o otário, hein?
also "Vai tomar no cu", "Vai se fuder" para mim é um insulto, para vocês é um desejo, HAHAHAHAHA,fui bando de frustrados, não volto mais nessa pocilga

Anônimo disse...

Então, suma, homenzinho de bosta, ninguém quer saber das tuas idiotices habituais de merda!!! vaza!!!
então de novo, os babacas fazem esse tipo de hino e é tão natural que poucos enxergam a violência absurda q é vomitada naturalmente... como se fosse poesia pra se ouvir!!!
chega de tolerância com o machismo!!

Anônimo disse...

Enquanto tô na praia, namorando, aproveitando a vida com amigos,viajando, indo para a balada, tomando chopp, vocês aqui falando merda, quem é o otário, hein?

Você, oras. Se tá tão de boas na vida assim, por quê tá perdendo seu tempo vindo aqui, num blog que você pelo visto não concorda com nada, ao invés de encher o cu de cerveja até o talo?
Chore a vontade. NINGUÉM vai parar de lutar porque VOCÊ não concorda.

Julia disse...

Você merecia uma na cara só por escrever esse comentário..

Anônimo disse...



E como se alguém tivesse interessado na sua vidinha, namorar ir pra balada grandes coisas qualquer jovem faz isso.

Anônimo disse...

mais male tears a misandria tá só no começo otárioo

Anônimo disse...

Na boa você mais parece um mal amado que uma pessoa feliz, feliz sou eu que sou despida de preconceito e vejo uma vida fora da bolha.

D Stoffel disse...

Huashuahus por isso que eu adoro ser feminista na hora que insulto com as mulheres é brincadeira mas quando mandam você se fuder é ruim né.

foi pra vc aprender empatia nunca é demais, afinal pimenta no c. dos outros é refresco.

Anônimo disse...

Não insultei ninguém, apenas escrevi minha opinião, os insultos foram por conta sua e dos outros.Em nenhum momento me dirigi a ninguém especificamente do blog, apenas exprimi uma argumentação, e o fato de você ser feminista D.Stoffel, não te isenta de falar merda e ter opiniões de merda, você como a galera aqui é muito extremista.Agora já chega, tô vazando, não vou ficar jogando pérolas aos porcos.Tô indo tomar chopp com a galera, fiquem chafurdando em suas respectivas mediocridades

Anônimo disse...

Parabéns a autora do texto por não ter se calado! !! Eu sempre fico atenta com o que está acontecendo na faculdade, principalmente porque daqui a alguns anos eu já vou ter terminado o ensino médio e planejo fazer curso superior. Sei que estou desviando um pouco do assunto mas já aconteceu algum tipode violência/estupro contra as estudantes das federais de UFMG, UFG, UFMT,UFMS, UFU, UFV? São essas universidades que muitas meninas da minha sala e eu pretendendemos entrar.

Zero disse...

que belíssima bosta de "letra".

normalmente esses caras não comem ninguém.

quem muito se mostra pouco se tem.
aí ele fica nervosinho porque é brocha, enche o cu de viagra e estupra alguém.

depois eu digo que universitário tem que ter o couro coçado por cassetete de PM eu sou violento.

Zero disse...

onde estão os "educação resolve" de ontem?

são universitários essas merda aí...

Anônimo disse...

/\ É sempre bom saber de antemão essas coisas, mas se aconteceu algo não é isso que deve te impedir de estudar em uma dessas universidades. Você tem que chegar lá e botar ordem junto com suas amigas. Organizar um coletivo feminista, se já não tiver, e promover campanhas. Não é afastando as mulheres desses ambientes, por causa do medo, que a situação vai se resolver.

Anônimo disse...

Pra evitar essas merdas que medicina deveria ser pós-graduação, igual lá nos EUA. Não ia ter essas bostas ambulantes recém saídas da adolescência se achando porque entraram em curso de "fodão".

camila santos disse...

Eu acredito que essa gentinha é mal educada mesmo além de não baterem muito bem da cabeça, homem frustrado é um saco! tenho três irmãos e nenhum deles age dessa forma escrota. engraçado é que a maioria desses caras que falam ninguém vai te estuprar porque você é feia não são nem bonitos isso mostra como eles se acham mas por dentro sabem que são ridículos por isso surge essa vontade de atacar, sem dúvidas precisam de tratamento psicológico.

Camila D disse...

Quem muito fala, pouco faz kkkkk

Camila D disse...

Não é de hoje que os cursos de Medicina são antros de babacas machistas. Se acham os donos do pedaço só pq passaram num curso super concorrido.
Conhecimento deveria tornar as pessoas melhores, suponho, e não arrogantes imbecis. Menos ainda machistas.
É nisso que falo quando me refiro à educação. Inteligência não é decorar, é saber usar o que se sabe na prática. E esses porras mimadinhos aí não sabem nada, a julgar pelas merdas que fazem.

Julia disse...

Sobre as indianas que falei mais cedo que deram o troco.. fizeram um filme sobre elas, a Gulaab Gang. O filme é de Bollywood então é tipo musical mas tem documentário no YouTube tbm.
Aqui o trailer pra servir de inspiração https://m.youtube.com/watch?v=xAcN8RR3Ry4

Anônimo disse...

22:04 eu gostei. Me julguem.

Anônimo disse...

Pergunta:

Machadão era mascu ?

Anônimo disse...

Estupidez, babaquice, escrotice, futilidade e presunção infinitas teu nome é HOMEM.

Anônimo disse...

Oops... que furacão foi esse que passou aqui e eu nem vi levando com ele alguns comentários?

Anônimo disse...

A metade da humanidade ri às custas da outra.
- Autoria anônima

Rodrigo disse...

O feminismo e o machismo é uma enchugação de gelo ridicula, parem com isso urgentemente ,vão fazer algo construtivo!
#acordaporra

Anônimo disse...

Gente, homem é isso daí mesmo. Pouquíssimos, raros, raríssimos conseguem ser gente. A imensa maioria, estudada ou não, artista ou não, politizada ou não, é só muito, muito, muito babaca. E não mudam com a idade. Jovens babacas, adultos babacas, velhos babacas. Enfim... homens! A forma de neutralizá-los é isolá-los. Com-ple-ta-men-te. Totalmente. Só assim talvez diminuam um pouco o nível da babaquice, já que babacas, em alguma medida, sempre serão. Sempre.

Anônimo disse...

(Estupidez, babaquice, escrotice, futilidade e presunção infinitas teu nome é HOMEM.)

Jesus era homem e ele era feminista.

Anônimo disse...

"Que tal um grupo de mulheres fazerem letras ridicularizando homens?"

A questão é que mulher não tem qualquer necessidade ou interesse de ridicularizar homens. Mulher não precisa disso. Essa é uma necessidade masculina. O homem só se sente homem quando ridiculariza e diminui a mulher, o feminino. Não entendo as razões disso, mas é assim desde sempre, como mostram todos os mitos religiosos da humanidade, nas mais diferentes culturas. Pra se sentir bem, o homem humilha mulheres em geral, ou alguma em particular. Podem reparar. Tem uma mulher num post qualquer, sobre qualquer assunto? Aparecerão homens para humilhá-la. É batata. Nas rodas de conversa no trabalho: se tem homem, pode esperar um comentário com teor depreciativo contra o feminino. É batata. Observem.

Anônimo disse...

Já tá passando da hora dos homens receberem o pagamento por isso... com os juros e todas as correções necessárias.

Vamos começar a dar o troco, que tal?

Anônimo disse...

"Jesus era homem e ele era feminista."

HAHAHAHAHA tá bom bebê, tudo o que você quiser. Agora pode dormir, já passou da hora de neném estar na caminha mimindo. Beijo, boa noite :)

Paula disse...

onde estão os "educação resolve" de ontem? [2]

Ana Carolina Serrao disse...

É...percebo que enquanto um grupo de mulheres fala sobre variados assuntos, homens estão quase sempre falando mal de mulher , debochando , sacaneando. É uma necessidade enorme de auto afirmação, depreciando os outros. Diminuem outros homens também, mas na maioria das vezes, os alvos são mulheres mesmo.

Anônimo disse...

Mulheres denunciam apologia a violência sexual na universidade. Homens mandam mulheres tomar cerveja, assim o problema se resolve.

Mulheres denunciam assédio no transporte público. Homens mandam mulheres andar a pé, assim o problema se resolve.

Mulheres denunciam assédio na rua. Homens mandam a mulher ficar em casa, assim o problema se resolve.

Mulheres denunciam violência doméstica. Homens mandam mulheres serem "boazinhas", assim o problema se resolve.

Mulheres denunciam estupro. Homens mandam mulheres tomarem banho e se comportarem, assim o problema se resolve.

Mulheres abrem a boca pra falar qualquer coisa. Homens mandam elas se calarem, assim todos os problemas se resolvem.

Mulheres bebem cerveja, andam a pé, ficam em casa, tomam banho, "se comportam", se calam. Homens matam mulheres. Ainda sim os problemas não se resolvem.

Homens ainda não perceberem que o problema não é as mulheres???

Jane Doe

Camila D disse...

Verdade. Eles saem da infância, mas a infância nunca sai deles.

Anônimo disse...

assim*

Camila D disse...

Falou tudo.

Anônimo disse...

Elas já fizeram isso, mister óbvio!

Patty Kirsche disse...

O trote é um ritual violento e conservador, utilizado para manter a hierarquia dentro da universidade. É uma versão mais adulta do bullying escolar, caracterizado predominantemente pela reiteração de preconceitos. Não sei como ainda tem gente que defende e alega que ele ajuda na "integração". Não tem como haver integração entre pessoas que se consideram superiores ao outro grupo.

Taty disse...

Credo vc já está sendo misandrica sou mulher e te digo existem homens e homens e toda generalização é burra.

Anônimo disse...

O comunismo e as mulheres dizem que todos os homens são iguais. — Sofocleto

lica disse...

No curso de direito da minha faculdade tem um hino famoso e idiota que diz:

piso no seu cu mulherada do pré coito. Empina o cu gatinha que eu te enfio meu biscoito....

E continua a tosqueira.

Mas todo mundo canta, ninguém parece se dar conta do absurdo que se está sendo dito. A humilhação da mulher é tão comum que passa despercebido.

Anônimo disse...

Fiz uma letra de música debochando dos homens machistas e a Lola apagou, teve até alguém que elogiou minha música das 22:04.

Essa daí a Lola apagou, mas letra debochando das mulheres pode ficar bem visível no texto do post que não tem problema. E discurso radfem ela não apaga, mas letra de música ela apaga. Tá serto Lola.

Anônimo disse...

Feministas radicais são bode expiatório até de outras mulheres que debocham de homem, nem as "misândricas" se unem. As mulheres preferem ficar se atacando, se antipatizando, falando mal, afastando, desprezando e silenciando umas às outras. Enquanto isso o patriarcado continua aí firme e forte, adorando os conflitos entre as mulheres, se alimentando disso.

Doutrinador disse...

Os homens estão enfrentando um ataque frontal completo sobre os seus direitos, saúde e cultura como nunca aconteceu antes. A guerra contra a masculinidade nunca foi tão brutal, mas não é uma guerra que está sendo travada por mulheres. O ataque está vindo diretamente de cima, com o estabelecimento tentando desesperadamente efeminar e enfraquecer os homens, a fim de forçar as mulheres a serem mais dependentes do Estado, permitindo assim mais poder a ser centralizado e auxiliando o crescimento do grande governo.

Aqui estão dez maneiras em que o estado declarou guerra contra os homens e a masculinidade:

1) Diminuição da fertilidade
A contagem de esperma entre os homens diminuiu significativamente ao longo do último meio século e particularmente, ao longo dos últimos 25 anos. Em alguns países europeus, a contagem de esperma reduziu em até um terço desde 1989. Parte da queda pode ser explicada pela exposição a pesticidas, produtos químicos de desregulação endócrina como o Bisfenol A (BPA), e os muitos outros horrores cada vez mais artificiais que permeiam nossa água e fornecimento de alimentos. Muitos fizeram a conexão entre a queda de contagens de esperma e os clamores feitos por inúmeras elitistas para reduzir drasticamente a população mundial em até 95%. Pesquisas mostram que a sub-população, e não a superpopulação, será a grande crise demográfica do século 21, como resultado de humanos falhando em alcançar a taxa de substituição de 2,1 filhos.

2) Guerra Química "feminizante" de Meninos
A exposição a ftalatos, que são encontrados em muitos plásticos, está "feminizando" meninos bloqueando a testosterona masculina normal e causando anormalidades genitais, de acordo com cientistas. "Os meninos expostos a altos níveis destes ftalatos no útero tinham menos probabilidade ​​do que outros meninos de brincar com carros, trens e armas ou envolverem-se em jogos mais "duros" como jogos de luta", de acordo com um artigo da BBC News . De acordo com Elizabeth Salter-Green, diretora do grupo de campanha contra químicos CHEM Trust, ftalatos são um verdadeiro "entorta-gênero" porque levam a uma redução do "comportamento masculino".

3) A degradação do papel masculino positivo
Considerando que há 50 anos, a publicidade de Hollywood e da televisão era cheia de exemplos de modelos positivos masculinos que os jovens podiam admirar, a indústria de entretenimento de hoje rotineiramente retrata homens como sem noção e trapalhão imbecil na melhor das hipóteses (pense em Homer Simpson, Everybody Loves Raymond, Married with Children) ou na pior das hipóteses, como predadores sexuais agressivos. A publicidade é direcionada principalmente para as mulheres, os homens em comerciais também são rotineiramente descritos tanto como seres perdedores efeminados ou idiotas estupefatos. Os jovens que consomem este conteúdo crescem pensando que é aceitável e até mesmo encorajados a aspirar a esses traços de caráter. Ao fazê-lo, eles são roubados de sua masculinidade natural e acham extremamente difícil atrair mulheres experientes, que são justamente revoltadas por tal comportamento. A indústria do entretenimento é em grande parte controlada pelos homens, mais uma vez ressaltando o fato de que este ataque é uma tendência de cima para baixo que tem pouco ou nada a ver com a guerra entre os sexos.

Anônimo disse...

É preciso começar a judicializar esse problema, com a criação de coletivos com advogadas e ingresso de ações criminais e de danos morais contra as instituições. Na hora que começar a doer no bolso, na hora em que o Ministério Público for chamado para conter a exposição de menores (muita gente entra na faculdade com 17 anos, ainda sob a tutela jurídica especial da menoridade), as coisas vão mudar. Mas é preciso que parem de tratar com boa vontade quem só trata as pessoas com má fé. Não adianta entrar com representação administrativa disso e daquilo, tem que entrar NA JUSTIÇA logo, ninguém é obrigado a se sujeitar aos tais procedimentos administrativos que não dão em nada e só servem para manter agressores na instituição.

Anônimo disse...

Sempre respiro aliviada quando os passos apressados atrás de mim são de uma mulher. Fato!

Anônimo disse...

Estou apenas reconhecendo a natureza babaca do homem. Eles dão mostras disso o tempo todo, desde os primórdios da humanidade. Essa letra babaca, por exemplo, é totalmente gratuita e desnecessária. Qual é a necessidade de tanta violência gratuita contra a mulher? Contra o feminino? Pra que essa violência simbólica contra o feminino? O homem tem essa necessidade patológica de agredir mulheres. Quando eu estudava, tinha um professor metido a "simpático", " boa gente", que vivia com camiseta "engraçadinha" com chistes misóginos. Professor, veja bem. E era tido como "gente boa". Não existe homem exceção. TODOS têm essa necessidade de agredir simbolicamente a mulher e o feminino. A violência do homem contra a mulher nunca será debelada, por isso a mulher precisa se defender. Esperar que o homem pare, por si, de ser violento contra a mulher é inútil. Ilusório. A mulher precisa abrir os olhos, levar isso a sério e se defender.

Anônimo disse...

Não é infantilidade. A violência simbólica do homem contra a mulher não tem nada de infantil.

Anônimo disse...

Os homens dizem que todos os homens são iguais. E, observando bem, são mesmo.

Anônimo disse...

Bullshit!!