quinta-feira, 21 de maio de 2015

GUEST POST: DEPOIMENTO DE UMA EX-TESTEMUNHA DE JEOVÁ

A E. me enviou este relato: 

Oi, Lola. Depois de muito tempo lendo o seu blog resolvi contar a minha história. Minha e da minha mãe. Minha mãe nasceu e cresceu sozinha em uma família machista -- mãe, avós, irmão, tios extremamente opressores, e ela nunca teve voz. Saiu de casa para estudar em outra cidade e engravidou. Foi obrigada pelo irmão e a mãe a fazer um aborto e fez. Engravidou de novo aos 21 anos, de mim, e desta vez não quis abortar, mas foi obrigada a casar com o meu pai biológico (chamo assim porque "pai" é uma palavra forte e ele não merece ser chamado assim).
Este homem era Testemunha de Jeová. Sabe que as Testemunhas de Jeová não podem fazer sexo fora do casamento, né? Mas ele falou com os "anciãos" (assim que eles chamam os que têm um nível de autoridade dentro da congregação), confessou o que fez, pediu perdão e não foi "desassociado" (assim que chamam aqueles que eles expulsam lá de dentro, e ninguém mais pode falar com a pessoa, pra não contaminar) porque prometeu que não continuaria no pecado e casou. 
E, com o tempo, foi trazendo minha mãe para dentro dessa religião e eu fui criada lá também. Hoje eu entendo o quanto as Testemunhas de Jeová são machistas e opressoras e sou feliz todos os dias por ter conseguido me livrar do ex-marido da minha mãe e dessa religião.
Eles cercam você de todas as formas, reuniões três vezes por semana (onde você é condenado pelos outros se não for; se escolher um emprego ou faculdade que interfira com os horários das reuniões, vai ser mal visto), publicações pra ler e pregação toda a semana (os membros devem entregar relatórios mensais dizendo quantas horas pregaram, quantas vezes voltaram para revisitar os interessados, quantas publicações foram colocadas). 
A maior parte do tempo das pessoas é gasta com a manutenção da religião e captação de novos membros. Além disso você é encorajado a não investir na sua vida material (trabalho, estudo) e sim na vida espiritual, não ler revistas, livros e outras publicações "seculares" (do mundo), se relacionar apenas com outros "irmãos" e jamais namorar uma pessoa de fora da organização -- que eles acreditam ser a única a adorar o deus verdadeiro e a única que será salva. 
Lá só os homens podem ter cargos de autoridade e eles pregam a submissão da mulher e usam um texto bíblico que diz que "o homem é a cabeça da mulher". E meu pai biológico usava de tudo isso pra manipular a minha mãe e nos oprimir de todas as formas. Ele é alcoólatra, mau e egoísta. 
Ele fazia coisas como colocar minha cachorrinha de 4 kg na última prateleira da estante (encostando no teto) de madrugada e quando a gente acordou procurando por ela, ele dizia que tinha deixado ela na rua. E ficou olhando o nosso desespero durante uns 30 minutos até conseguirmos encontrá-la e o desespero do animal lá em cima, não conseguia nem chorar. Tudo isso porque ela tava no cio e sangrou em cima da cama. 
Quando eu tinha 12 anos e ganhei um computador novo da minha vó, não quis que ele usasse (porque ele nunca tinha deixado eu usar o computador dele). Tranquei a porta do meu quarto; saí e quando voltei ele tinha quebrado a minha porta inteira. Um dia chegou bêbado e quebrou em pedaços a bicicleta de uma amiga que estava na minha casa. 
Quando eu tinha 15 anos, ele e minha mãe estavam brigando, eu estava no meio da briga, defendi a minha mãe e ele me jogou na cara que minha mãe tinha feito um aborto (eu ainda não sabia), esperando me colocar contra ela. Mas isso não iria acontecer jamais.
Com a minha mãe era pior. Ele a humilhava constantemente, a fazia acreditar que era feia, que não servia pra nada, enquanto ela fazia tudo dentro de casa, além de me criar sozinha e trabalhar fora, tudo isso aguentando um bêbado que não fazia nada além de nos controlar e nos fazer sofrer. Quando minha mãe ia falar com os amorosos "irmãos" da religião sobre a situação, eles nunca tomavam nenhuma atitude. 
Prometendo o fim do mundo
há décadas (revista de 1975)
Todas as vezes que ela quis se separar, eles foram na minha casa pra convencê-la a não fazer isso. Duas vezes ele saiu de casa e aqueles homens a convenceram a deixá-lo voltar -- um homem que eles sabiam ser bêbado e abusivo. E eles queriam deixar ele cada vez mais perto da gente. Eu chorava muito cada vez que ele voltava. Eu detestava voltar pra casa todos os dias. Detestava ter que olhar pra cara dele. Tudo que eu queria é que ele fosse embora e não voltasse nunca mais. Até hoje tenho pesadelos em que ele volta e fico muito mal. Ele nos prendia dentro daquela religião que reforçava a atitude dele e nos impedia de nos libertar.
Mas há quase dez anos, quando eu tinha 16, minha mãe conseguiu se separar de vez. E então passamos juntas por um processo que durou uns dois anos em que fomos nos libertando aos poucos das obrigações religiosas e da culpa. Foi difícil pois não tínhamos amigos, visto que só podíamos nos relacionar com pessoas de dentro da religião e agora todos haviam nos dado as costas. Nesse período a internet me ajudou muito, fiz amigos com pessoas com quem eu me identificava e são minhas amigas até hoje. 
Em 2007 nos mudamos de cidade e foi aí que conseguimos mesmo deixar tudo aquilo pra trás, com um círculo novo de amigos. Apesar de eu ter conhecido pessoas ótimas que me ajudaram muito nesse processo de libertação, sempre tive vergonha de contar que fui uma Testemunha de Jeová, que preguei de casa em casa, acho isso ridículo. Tenho apenas um amigo que sabe. E demorei quase seis anos pra ter coragem de contar isso pro meu namorado. Tentei esconder essa parte do meu passado e fingir que não aconteceu, mas a verdade é que, de qualquer forma, passar por isso fez de mim quem eu sou hoje. 
Minha mãe ainda passou muitos anos sem ter outro relacionamento, com sentimento de culpa, até conseguir sair com outras pessoas. Ela descobriu que é bissexual e tem um relacionamento aberto com uma pessoa. Hoje valorizamos muito a nossa liberdade e encontrar o feminismo foi encontrar um lugar para nós. Para nossa vontade de nunca mais deixar que nada nem ninguém nos oprima.

131 comentários:

Anônimo disse...

Feministas contra uma determinada religião:

Tá, agora me conte uma novidade, pfvr!!!

Feministas ODEIAM e MENOSPREZAM qualquer tipo de religião, seja católica, protestante ou o carai a quatro. Só o feminismo serve na vida dessas "mulheres"...

Jonas Klein disse...

Anon: 11:22

Sim e tem boas razoes para isto.

Sabe eu apesar de não ser ateu, eu acho as religiões ditas cristãs que existem atualmente um lixo, porque baseiam suas ações nesse mar de incoerências que se chama bíblia, e ainda se guiam pelo lado mais estupido da bíblia.

Por sinal, pais onde religião e levada muito a serio e pais que não vai para afrente, e querem uma prova disto comparem a Suécia (que mais de 80% da população e eteia) com Afeganistão ou qualquer pais semelhante, e tirem as sua próprias conclusões.

Anônimo disse...

viram só? até a mais oprimida consegue sair da situação quando quer. parem de justificar comportamento de merda com a desculpa "mas a coitada foi criada pelo patriarcado".

Anônimo disse...

Anônimo das 11:22:

Você conversou com 100% das feministaspara ter esta certeza?

Em tempo: as aspas para a palavra mulheres significa exatamente o que?

Gle disse...

Devo ser a única feminista que tem religião. A diferença é que eu não deixo a religião cagar regras na minha cabeça/vida. Até porque, a que eu frequento, não me oprime, nem obriga. Na real, eu costumo sempre tirar o melhor de tudo na minha vida e deixar o resto pra lá, pq senão, não faço nada.
(e já adiantando, vá à merda quem disser que feminista não pode ter religião)

Conheço pouquíssimo do que rola entre os Testemunhas de Jeová, mas pelo o que a moça citou aí no texto, o negócio é tenso mesmo. Não existe DEUSA que tire minha liberdade, e pelo visto, aí o que não falta é opressão. Estudei com uma menina que era Testemunha de Jeová, nas séries iniciais... criança! Ela não ~podia~ participar de nenhum aniversário e não podia comemorar o dela... por causa da religião (oi?). Ainda bem que essa família teve a oportunidade de sair dessa situação e seguir. Muitas não tem. Nascem, vivem e morrem achando que o mundo gira em torno disso. SAD BUT TRUE!

Anônimo disse...

quem disse que ela era a mais oprimida? não tem competição de quem sofre mais opressão e não é tão simples assim sair dessa situação, como você tá insinuando, não basta só querer... culpar vítima é muito fácil ¬¬

quero ver é parar de culpar as vítimas e direcionar esses ataques, essa hostilidade e culpabilização pra quem realmente é a fonte disso, quem é o agente responsável pela opressão e está fazendo vítimas por aí... segundo sua própria lógica, fazer isso deve ser molezinha, muito mais fácil que sair de uma situação angustiante, massacrante e opressiva.

Camila D disse...

"Feminismo é minha religião."

Buuu! Kkkkkk

Não dá pra falar por todas as feministas, pessoa. Tem muitas leitoras feministas aqui no blog, a ver pelos comentários, e em todo o mundo, de diversas religiões, crenças etc. Super normal.
Pessoalmente, mesmo não crendo nem seguindo nenhuma religião, acho lindas as reuniões de mulheres que se reúnem pra celebrar o "sagrado feminino", fazem danças e ritos de celebração à energia da Deusa. Vejo isso como uma forma de empoderamento, onde as participantes assumem o arquétipo de deusas nas cerimônias e experimentam um sentimento de completude, de criadoras e mantenedoras do seu "mundo" e autoras de sua própria história. Pra mim isso é lindo, é um exercício de poder, onde a mulher reflete sobre a importância do seu papel pra si mesma e para o equilíbrio do todo.
Por isso amo o termo "bruxa" (maga, feiticeira etc) . Pra mim não remete à maldade, mas sim ao poder de transmutar sua realidade, de enxergar além do superficial e usar essa habilidade para transformar o mundo em um lugar digno para todos.

Anônimo disse...

Testemunha de jeová = Seita estupida.
Mormons seguem o mesmo caminho idiota.

Anônimo disse...

Feministas ODEIAM e MENOSPREZAM qualquer tipo de religião, seja católica, protestante ou o carai a quatro. Só o feminismo serve na vida dessas "mulheres"...

Não e verdade, eles são adeptas da Umbanda e Quimbanda, e também de bruxaia inka>
As mais moderadas são gnosticas.

Tinúviel disse...

E o que tem de errado nisso, anônimo das 11:22?

Camila D disse...

Que bom que tu e tua mãe conseguiram sair dessa situação, E. Pra ver como não é a religião que oprime as pessoas, são elas mesmas. Tipo, o que se pensa de uma pessoa que se identifica com os preceitos dessa religião que vcs eram obrigadas a seguir? Justamente a semelhança no modo de pensar e agir.
O fato de vcs se sentirem mal nesse meio mostra que vcs não concordavam. Vcs sempre souberam que era errado, e mesmo diante de todas as circunstâncias que pareciam ir contra vcs, tomaram atitude pra sair desse lodo (e sei exatamente do que vc está falando).
Queria que minha mãe tivesse tido em vida a força e determinação da sua.
Parabéns, então. Espero que vcs consigam lidar tb com as marcas interiores que essa experiência pode ter deixado. Força sempre!

Anônimo disse...

Umbanda religião estúpida, quimbanda pior ainda, segue o mesmo caminho idiota. Essas religioes afros hoje em dia eu acho um lixo, porque baseiam suas ações nesse mar de incoerência de orixás, espíritos e o carai a quatro.

Anônimo disse...

Fora o sacrificio de animais.

Anônimo disse...

Umbanda não tem sacrifício de animais Anon 12:41 vai estudar e ver do que se trata.

Pq Orixás representam um mar de incoerência? incoerente é um cara bêbado humilhar sua mulher e filha e ser chamado de cristão!!!

Anônimo disse...

Volta e meia batiam uns testemunhas de Jeová na minha porta. Como meu marido é muito bonzinho, ele sempre falava com os caras mas eu disse que se um entrasse na minha casa ou tentasse pregar pro meu lado, seria enxotado a vassouradas.

E sim Anônimo 11:22 - eu odeio religiões, mas reconheço o direito de exerce-las e respeito quem quer segui-las (desde que que não seja debaixo do meu teto). O que eu não suporto é ser obrigada a viver sob dogmas e crenças das quais não compartilho.

Jane Doe

Anônimo disse...

confesso que achei a história legal, mas tenho sérias dúvidas que seja um relato real. Outro dia vi um depoimento falso no facebook que relatava todo o sofrimento que uma determinada garota passou por ter engravidado muito jovem...todo mundo comentava apoiando e torcendo pelo melhor da garota. Bom qualquer pessoa com o mínimo de atenção, que tentasse relacionar a história com outros elementos do perfil, perceberia que era uma história falsa, mas tocante...Acho que o feminismo não deve usar de contos para tocar as pessoas, o que não falta é mulher sofrendo de verdade nesse mundo.

Anônimo disse...

Ai ela descobriu que é bisexual, pudera, nuca conviveu com um homem de verdade.
Pela história o problema maior estava com o pai da garota, bebado e abusivo, mas a religiao se omitia.

Anônimo disse...

Chola mais Anonimo

Gle disse...

Affff, de novo essa galera falando mal das crenças afros? Pelo amor da Deusa, PAREM. Estudem! Me remeteu a um post da Lola que choveu desses comentários, no ano passado (ACHEI! Aqui: http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2014/08/umbanda-agradando.html ).
Por que vcs não se limitam a dizer que são ateus ou que não se identificam com as religiões? Que bosta, vamos nos respeitar!
(eu não frequento nenhuma crença afro, mas nem por isso vou sair falando mal e dizendo besteiras à respeito).

Anônimo disse...

Acredito que o relato seja real... Já vi histórias de desassociados e são beeeeeeeem estranhas...
Eu tento não falar nd contra religião nenhuma, pois acredito que o que estraga a religião é o posicionamento dos indivíduos que participa desta.
Mas confesso que toda vez que escuto o discurso de que o homem "manda", de que ele é "o cabeça" e essas coisas fico suuuuper com o pé atras...
Tenho amigos que são desassociados e amigos que são evangélicos (nos mais diversos níveis de rigidez). E me assusta algumas condutas, Geralmente a mulher não pode nada fica limitada a uma série de imposições.
Teve uma colega que aos 17 anos dormiu com um cara ( oq é normal) e teve que assumir diante da igreja o seu erro(Q erro????) ela foi considerada culpada, enquanto ele foi considerado vitima (ele tinha 18)... A culpa foi que ela o seduziu rsrsrs o fato foi que os dois estavam com vontade...
E tem o papo de se dar o respeito, que vc tem que ser uma princesa, que não pode ir a determinados lugares (nem barzinhos e restaurantes dependendo do caso)...
Que vc não vai arrumar um marido que seja de Deus e bla bla bla... Agora imagina somar essas ideologias a homens que tem um comportamento abusivo ou uma tendencia controladora ...

Anônimo disse...

Glee o ateu geralmente não ofende as crenças afro... Muitos respeitam e encaram como manifestação cultural e fim de papo...
Muitos cristão se posicionam de maneira errada pois são "enganados" sobre o que é a religião afro, tá cheio de líder religioso chamando de pai e mãe de encosto, falando que fazem matança de animais, comem criancinhas (ahhh esses são comunistas!!!rsrsrs)...
A Umbanda de maneira geral tem Orixás femininos e masculinos, entidades masculinas e femininas e com as mais diversas características...
e inclusive entidades que tem como missão auxiliar mulheres e crianças oprimidas e que sofrem violência.

Nas religiões afro o papel da mulher e do homem são iguais, vc não pode julgar... e acredito que essa igualdade dentro da religião, a questão do papel da mulher como sendo membro ativo incomode tanto.

Vivian S. disse...

Gente é de uma ignorância tão grande afirmar que feminismo está intrinsecamente ligado com ateísmo que algumas pessoas aqui não fazem idéia... teologia feminista, já ouviram falar? Simmmm! Feministas católicas. Simmmm! Desafiando o sexismo e patriarcalismo da instituição igreja! O que há de incoerente ou menos feminista nisso?
Pros que entendem espanhol, sugiro esse videozinho: https://m.youtube.com/watch?v=Y2nRKuauTSg --> obs. Alerta de ironia.

Nadia disse...

Infelizmente não duvido nem um pouco desse relato...sou dissociada há anos e minha família ainda está lá dentro. Entre outras coisas, dois parentes meus nunca mais me receberam em suas casas, amigos da família que me viram crescer mal me dão um oi. As minhas amigas da adolescência, bom, todas me tratam como estranha, ou melhor, uma assombração, porque não podem sequer me cumprimentar. Não falo por aí que fui dessa religião, mas se surge a oportunidade, falo exatamente como eles tratam quem escolhe sair de lá pro caso de alguém estar interessada em entrar nessa.

@vbfri disse...

Adoro quando a galera quer ditar sobre o que eu acredito ou não. Ou o que eu posso acreditar ou não.

Tipo: é OBVIO (pra quem?) que se você é feminista, você é ateia.

Moçx, para.

Eu raramente falo sobre religião, espiritualidade e tal. Isso porque eu acho, no contexto do feminismo, totalmente irrelevante. O que a pessoa acredita ou não é da conta dela.

Se a pessoa quer acreditar em Deus, demônio, bruxas, duendes, fadas, etc, quem sou eu para dizer em que ela deve crer?

Aqui, pra mim, a gente discute a liberdade DE ESCOLHA, a liberdade de ser quem somos, o tratamento igualitário entre TODOS OS SERES HUMANOS.

A pessoa não é "menas" humana porque acredita em um Deus carrasco, ou pq acredita na supremacia das borboletas cor-de-rosa.

Feliz ou infelizmente, até um pedófilo é um ser humano e merece ter os direitos e garantias fundamentais respeitados.

E em relação a religiões, crenças e afins, eu acho isso. Respeito todas, mesmo porque fui criada em um ambiente multicultural, numa escola onde tínhamos alunos representantes de todas as "tribos".

Hoje eu acredito em Deus, acredito em muita coisa, e gosto de pensar que eu faço um trabalho para o bem da humanidade, para trazer mais luz à Terra, para que todos os seres sejam respeitados. Só que eu não tenho religião alguma. Dia a dia me torno mais espiritualizada, acredito mais e mais em Deus e acho que a mensagem maior de todas as religiões é amar o próximo.

E eu parto do princípio que se você quiser saber se algo é bom ou ruim, você tem que ver se ele inclui ou exclui as pessoas. Eu acredito que todos somos um e tudo o que fazemos a outras pessoas, fazemos primeiramente, a nós mesmos.

E eu uso isso de base para o meu feminismo. Ou a gente inclui e aceita todas as pessoas, ou a gente não está fazendo um bom trabalho.

Simples assim.

Aí vem galera dizer que eu não posso acreditar em Deus.

Ouxi. Se eu acreditar eu sou "menas" feminista?

Ah, vai catar coquinhos.

Mila disse...

Conheço muito pouco da religião, só me perguntava se essa galera que fazia as visitas e te abordavam no meio da rua o faziam por livre e espontânea vontade.

Minha crítica com religião é a hipocrisia das pessoas. O cerne da religião cristã, por exemplo, é lindo: "amai o próximo", "humildade" e outras coisas. Mas os mesmos que criticam os outros se achando os julgadores e detentores da verdade suprema não praticam os princípios que a religião prega (são materialistas, preconceituosos, dogmáticos e maus mesmo).

Zero disse...

religião (qualquer uma) é um tipo um amigo imaginário publico.

o anônimo das 11:22 é crentelho, ele tem a ideia que a mulher "não-submissa" religiosa não é mulher-mulher, ou "pra casar", reparem nas aspas em "mulher" que ele escreveu.

Zero disse...

Testemunha de Jeová é igual Baidu, se bobear fudeu....

Tinúviel disse...

@Zero, morri com tua definição de religião HAHAHAHAHA

Anônimo disse...

"eu acho as religiões ditas cristãs que existem atualmente um lixo, porque baseiam suas ações nesse mar de incoerências que se chama bíblia" - ninguém deu a mínima

"Testemunha de jeová = Seita estupida.
Mormons seguem o mesmo caminho idiota." - e ninguém se importou

Eu: "Umbanda religião estúpida, quimbanda pior ainda, segue o mesmo caminho idiota. Essas religiões afros hoje em dia eu acho um lixo, porque baseiam suas ações nesse mar de incoerência de orixás, espíritos e o carai a quatro." - começou o chilique

Ué, apenas utilizei as mesmas frases que o Jonas usou pra se referir ao cristianismo e que outro anônimo usou pra se referir aos TJs e aos mórmons. Ninguém deu a mínima quando eles falaram isso, agora se alguém usa as mesmas frases pra falar de religião afro, já começa o mimimi. Parece que o teste funcionou. Incoerência a gente vê por aqui.

Anônimo disse...

Pior foi a Gle pedindo "vamos nos respeitar", mas só porque falaram mal das crenças afro. Tá serto.

Zero disse...

ontem falaram sobre Game of Thrones, eu nunca assisti, acho uma babaquice...

há uns 2 anos, vi o babaca do Testosterona falando nessa serie, então confirmei o que eu já achava: é programa pra "homem" babaca.

tempos depois, South Park fez uma parodia, dizendo que George RR Martin, era um aficionado por pau, não sei se gay, mas um aficionado por pau...

aí um abraço, tudo que eu já achava foi confirmado, é a cara do Testosterona e "homem" machistinha...

e agora essa cena de estupro só mostrou o que eu, pelo menos, já sabia....

Zero disse...

p/ Tinuvel

valeu. eu zouo todas elas, sem exceção, não entra na minha cabeça como um adulto pode acreditar nessas fantasias em pleno Séc. XXI...

sobre as afro, acho errado esse negocio de meter o pau numa e proteger outra, é tudo a mesma porcaria, não se esqueçam que a mesma África da Umbanda é a mesma da mutilação genital feminina, então né?

Evy disse...

Eu sou feminista e cristã. Confesso que muita gente fica muito surpreso quando digo isso, mas temos que levar em conta que religião nada mais é que um grupo de pessoas que acreditam nas mesmas coisas, porém essas pessoas são falhas, julgam e prejudicam outras pessoas da mesma maneira. Existem pessoas ruins em todo lugar e nas religiões e igrejas isso não é diferente, nós não podemos deixar que essas pessoas interfiram na nossa crença e livre arbítrio, até porque Deus deu liberdade para nós, porque o ser humano quer interferir nisso? Temos liberdade e temos a consequência, algo individual.
Enfim, eu consigo entender que você passou por algo muito difícil, traumático, porém leve em consideração que nem todos Testemunhas de Jeová são assim, eles são seres humanos que erram e ainda existem diversos que são sinceros na sua fé e não prejudicam os outros como te prejudicaram. Consigo entender você se afastar e ter vergonha dessa fase da sua vida, mas tente pelo menos perdoar e evitar guardar mágoa para poder seguir em frente, as vezes alguns deles não tinham idéia do quanto te prejudicaram. Te desejo muito sucesso e que você e sua mãe consigam viver com muita dignidade e amor. A melhor coisa que ela fez foi ter se separado, acredito que Deus não quer que a gente viva em relacionamentos abusivos. Sucesso

Zero disse...

se eu abrir uma Igreja de Wolverine, e colar um adesivo no carro escrito "Foi Logan que me deu", vão debochar da minha cara...

troque Wolverine por Deus e serei um religioso que "TEM que ser respeitado".

entenda respeito por "não posso ser contrariado"....

Anônimo disse...

Zero, isso mesmo, tem toda razão.

O Anônimo das 14 e 44 tb, não se pode falar mal das religioes africanas em blogs progressistas, sendo que é o mesmo sistema opressor e imbecil de todas as outras, apenas não são majoritárias.

Anônimo disse...

É porque o respeito pra 90% das pessoas é seletivo (leia-se hipócrita), tem que respeitar algumas religiões mas outras não.

Jonas Klein disse...

Anon: 14:44

Só para garantir que não aja mal entendido aqui.

No que se refere as religiões afro, assim como as ditas cristãs, eu por outras razoes também acho um lixo, estas junto com islamismo por mim pode por no mesmo saco e joga no incinerador, depois enterrar cinzas que para não voltarem mesmo.

Raven Deschain disse...

Acredito no poder da ficção e Ray Bradbury é meu Senhor. Amém.

Anônimo disse...

http://educacao.uol.com.br/noticias/2015/05/21/meu-filho-nao-e-um-monstro-diz-mae-de-suspeito-de-estupro-em-escola.htm

Anônimo disse...

http://educacao.uol.com.br/noticias/agencia-estado/2015/05/21/voces-acabaram-comigo-diz-aluna-estuprada-a-suspeito-no-facebook.htm

Gle disse...

Anônimo querido das 14:4X:

Tu és chato pra caralho e ficar brincando de quebra-cabeças sem juntar todas as peças não dá certo. Distorcer as coisas é mais fácil que interpretar mesmo.
Eu respeito ateus e todas as religiões. Todas e todos devem ser respeitadxs, sem distinção. Inclusive, achei ótimo o comentário da @vbfri aqui!

Citei o teu comentário porque tu conseguiu juntar tudo de negativo que escreveram num só e, obviamente, chamou atenção. Se essa era a intenção, PARABÉNS, vc conseguiu.

Não vou ficar discutindo com uma criatura que nem coragem de se identificar tem. FLW VLW!

Anônimo disse...

Gente, é que a maioria das críticas que religiões afro recebem vêm de preconceito racial (macumba é coisa de preto) e nunca de pessoas que conhecem um pouco mais a fundo. Quantos aqui sabem a diferença entre candomblé e umbanda, por exemplo?
Religiões afro sofrem de extensa estigmatização social. A pessoa pode se identificar tranquilamente como evangélico, testemunha de Jeová, muçulmano, católico, judeu, budista. Experimenta dizer que é do candomblé ou umbanda pra ouvir um monte de piadinha racista/ elitista? Que tipo de visibilidade elas possuem pra que a gente tenha conhecimento e possa criticar? Vamos somar isso que a maioria do preconceito que essas religiões sofrem vêm dos cristãos (especificamente lembro do Malafaia reclamando da discriminação do evangélico, mas que se calou quando um membro de uma religião de matriz africana propôs uma caminhada ecumênica em favor da liberdade religiosa).
Eu não conheço religiões afro, não me sinto no direito de criticar e colocar no mesmo balaio que religiões como o cristianismo. E sou ateia.

Anônimo disse...

"sobre as afro, acho errado esse negocio de meter o pau numa e proteger outra, é tudo a mesma porcaria, não se esqueçam que a mesma África da Umbanda é a mesma da mutilação genital feminina, então né?"

Anon da 14:52 a Umbanda é uma religião fundada no Brasil apartir do inicio de 1900 e alguma coisa...
Estude junto com o colega que afirmou que mata-se animais...
Quanto à mutilação genital é uma pratica detestável , deplorável e desumana praticada por algumas tribos e seguidores do islã (mas não todos seguidores só algumas regiões)...

Bem quanto à defender a umbanda e não defender os mormons e etc... Como eu vou defender algo que eu não conheço? Toda religião merece respeito seus seguidores também... O que eu não respeito são pessoas que utilizam dos "valores" estabelecidos pela religião para diminuirem , humilharem e segregarem outras pessoas, especificamente mulheres...

Quando fico lendo os comentários do blog uma coisa fica muito cara pra mim... mascus são muito ignorantes. Não dominam assunto algum e só vêm aqui vomitar ódio...

Anônimo disse...

Ok, tenho certeza que se fosse alguém falando essas barbaridades do cristianismo você ia ficar revoltada assim também, ne? É só que vc tava com pressa e o comentário só te chama atenção quando é com crenças afro :/ Não precisava os parabéns mas obrigada, bjos

Anônimo disse...

/\ Para a Gle, esqueci de mencionar

Zero disse...

p/ anônimo 15:25

groselha. eu até ia mencionar isso, enquanto não separarem religião de raça, será essa "proteção".

nos EUA, a maioria dos protestantes (que se equivalem aos evangélicos aqui) são negros.
então criticar o mesmo evangelho é racismo?

é preciso separar as coisas.

Judeus hoje são quase "só" dos EUA, e eles próprios satirizam a própria cultura.

Zero disse...

p/ anônimo 15:32

sou eu o cara do comentário que tu respondeu e não um anônimo.

ah, mutilação é islâmica agora?

ocorrendo na MESMA África, foi isso que eu disse.

há inclusive um filme, não recordo o nome, que conta a historia de uma modelo africana que sofreu essa mutilação.

o filme é de 2009, é um bom filme.

Tinúviel disse...

@Zero, como assim judeus são "só" dos EUA?

Moro em Porto Alegre e aqui temos uma comunidade judaica forte e expressiva, acredito que nas demais capitais também seja assim.

Anônimo disse...

Zero,
"a maioria das críticas que religiões afro recebem vêm de preconceito racial"

Pergunta pra um fundamentalista religioso se ele consegue dissociar raça de religião afro.
Reforçando: a maioria das críticas que vejo sobre as religiões afro são baseadas no preconceito que já existe sobre elas e não no conhecimento de conteúdo da religião. Esses preconceitos se originam desde a época que o candomblé/umbanda era a religião dos escravos (seres sem alma) e tão cedo não serão esquecidos. Um pouco de ingenuidade achar que religião e racismo não caminham juntos, não acha?

Zero disse...

p/ Tinúvel

não fui muito claro. falaram ali sobre forte associação entre Umbanda e África.

quis dizer que hoje, judeus são mais lembrados midiaticamente pelos EUA do por Israel propriamente.

não quis dizer que não há em outros lugares....

Zero disse...

p/ anônimo 15:54

tu disse bem, fundamentalistas religiosos.

mas o que há de proveitoso em qualquer discurso deles?

me referia ao fato de ateus, agnósticos ou pessoas sem nenhuma ideologia, se privarem de criticar as merdas que as religiões africanas ou os povos africanos fazem pra não serem "racistas".

mutilação genital não poderá ser criticada pois são africanos / negros que fazem?

foi isso que quis dizer....

Anônimo disse...

Zero vc está certo numa afirmação sua , realmente do jeito que eu escrevi parece q a mutilação é islâmica.
Reiterando: A mutilação é praticada por diversas tribos africanas e inclusive praticantes do Islã.
Acontece mais precisamente em 27 países africanos, no Iémen e no Curdistão iraquiano, sendo também praticada em vários locais na Ásia, no Médio Oriente e em comunidades expatriadas em todo o mundo.
Sobre o filme eu já assisti chama-se "Flor do deserto" e é sobre Waris Dirie.

Voltando sobre as tribos africanas que povoaram o Brasil, os sudaneses constituem os povos situados nas regiões que hoje vão da Etiópia ao Chade e do sul do Egito a Uganda mais ao norte da Tanzânia”. Quanto aos bantos, eram povos “da África Meridional, estão representados por povos que falam entre 700 e duas mil línguas e dialetos aparentados, estendendo-se para o sul, logo abaixo dos limites sudaneses, compreendendo as terras que vão do Atlântico ao Índico até o cabo da Boa Esperança. Então muitos destes negros trazidos não estão no mapa da mutilação, não era uma pratica dessas tribos.
A Africa é tão grande e diversificada quanto o Brasil, seria errado nivelarmos o Brasil por uma região somente... e o msm acontece no continente africano...

Ana [A. dos comentários do post anterior] disse...

Olá, Anônimo 11:43, resiliência infelizmente não é um botãozinho que se aperta e pronto um mundo novo se abre diante de você.
Volto a dizer, cada um tem seu tempo e as pessoas precisam de apoio. Nessa situação mãe e filha se apoiaram e não foi do dia para noite que o problema delas foi superado. E ainda não é uma memória fácil de ser apaziguada.
Sim, o relato pode ajudar muito quem está passando por uma situação opressora. E é por isso que o trabalho da Lola e das pessoas que narram suas experiências aqui são importantes.
Cada um sabe das suas dores e alegrias, e o peso que isso representa em suas vidas. Absolutamente ninguém quer ficar numa situação deprimente. Então, por favor, não é apenas um "querer" sair da situação e tudo se resolve.
Se bastasse querer, todo mundo no planeta seria feliz e não enfrentaria dificuldades materiais e emocionais. Há um peso enorme das estruturas sobre os indivíduos e isso não é só, não é pouca coisa.
Talvez seja um ponto a se pensar...


Anônimo disse...

O Movimento Umbandista é um movimento filo-religioso surgido no final do século XIX , no Brasil, quando entidades espirituais, integrantes da Confraria dos Espíritos Ancestrais, passaram a manifestar-se, pela mediunidade, em rituais de cultos praticados por Africanos e Indígenas, miscigenados com elementos do catolicismo introduzidos pela Raça Branca.
Candomblé difere da Quimbanda e da Umbanda de forma mais enfática enquanto Quimbanda e Umbanda são muito mais próximas.
No Candomblé, os cultuados, os Orixás [ou Orijás] são considerados deuses; na Quimbanda e na Umbanda, ainda que o culto também invoque e evoque Orixás, estes são considerados meros espíritos ancestrais mais antigos ao lado de numerosas outras entidades representativas de ancestrais mais modernos e/ou contemporâneos.
No Candomblé, os deuses, desde de sua origem em terras africanas, também são ancestrais porém sua antiguidade remonta a tempos imemoriais. São como os heróis e deuses gregos, grandes reis, guerreiros e personagens que viraram mitos, foram mitificados e, assim, alcançaram a condição de divindades. O mesmo processo que originou o panteão greco-romano.

Umbanda = 100% Brasil
Candomblé = origem africana, mas existe a pratica no Brasil

Zero disse...

não nivelei a África por uma região, apesar de não serem poucas as que fazem mutilação, ou até outras barbaridades que nem se tem conhecimento total.

sei que em partes da Ásia também ocorre.

o que digo é, não se pode isentar os africanos que o fazem, só por serem africanos.

não vejo a África tão diversificada assim, não é estereotipar, mas não é tanto assim.

há diferenças entre Marrocos, Egito e África do Sul em relação a todos os outros, mas de resto não destoam tanto assim, culturalmente falando...

Zero disse...

nenhum continente exceto Europa é tão diversificado.

na Ásia temos China, Hong Kong e Vietnã que são iguais.

boa parte são países árabes muito semelhantes.

Camboja e Tailândia é mais do mesmo.

Índia que destoa um pouco ali.

os paladinos da diversidade cultural terão um AVC com esse comentário kkkkkkkkkk

Zero disse...

América do Sul:

Brasil, destoa pelo idioma.

de resto é o mesmo.

Suriname e Guiana ninguém nem lembra (admitam).

América Central:

Canadá e EUA mesma merda.

de resto, tudo igual. são versões piratas do México.

Europa:

Reino Unido é meia dúzia de países iguais.

Bélgica e Holanda mais do mesmo.

Suíça mistura varias culturas, mas no fim ninguém sabe o que é direito.

Rússia e os antigos soviéticos mesma bosta.

Países nórdicos repetição total.

Países eslavos tudo igual.

É, no fim é tudo a mesma merda, todos....

Anônimo disse...

Fiquei tão contente quando a mãe decidiu encerrar o relacionamento \o/

Quel disse...

A verdade é que temos um cuidado insano em discutir religiões. Podemos discutir política, apresentar argumentos para defender nosso ponto de vista e rebater o do outro, mas temos que nos calar perante a força da religião. Tem que respeitar e pronto.
Você pode dizer: "eu acredito em um deus onipotente, onisciente e onipresente que apesar de todo poderoso e perfeito, se preocupa com quem está dando pra quem na terra"
A resposta invariavelmente é: "tem razão" ou "não acredito/concordo com isso, mas respeito sua opinião". Fale que você vota no PT, por exemplo, e inicie a 3ª guerra mundial.
Não existe respeito irrestrito e sem argumentos para uma preferencia política, mas é isso que acontece com a religião.
Claro que colocar testemunhas de jeová ou umbandistas no mesmo saco que católicos é de uma ignorância sem tamanho. O respeito irrestrito a religiões não atinge aquilo que aprendemos desde cedo a entender como cultos fanáticos.
A verdade é que não comemorar aniversário ou recusar transfusão de sangue tem a mesma base que comer um pedaço de pão mergulhado no vinho e acreditar que deus está em você - dogma. O dogma é o que sustenta a fé e nada mais é que uma verdade absoluta baseada na interpretação de um texto considerado religioso, em revelações a escolhidos ou vários outros mecanismos.
Entendo que a religião monoteísta/deísta cristã tradicional (aqui entra judaísmo, catolicismo, mulçumana, protestantes/evangélicas, etc.) é extremamente prejudicial, pois cultivam a noção do meu certo e seu errado. É esse tipo de religião que deve ser respeitada acima de tudo e acaba por influenciar no estado que deveria ser laico e garantir direitos civis básicos (oi, meu nome é casamento gay e trouxe meu colega aborto). É ela também que legitima ataques e agressões preconceituosas em nome da fé.

@vbfri disse...

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Eu respeito, SIM, a liberdade de crença, que nós temos o livre arbítrio de fazer o que bem entendemos, e tals.

Mas eu sou veementemente contra a mutilação genital feminina, porque ela é feita em CRIANÇAS.

Se uma mulher adulta virar hoje e quiser extirpar o clitóris, vá em frente e faça o que você quer.

Agora, obrigar a CRIANÇA a se mutilar, a casar, etc, aí não dá pra sentar e falar "ah, mas e a liberdade religiosa"???

A sua liberdade acaba no exato momento em que ela sai da SUA esfera e interfere na esfera alheia.

E uma criança não tem livre arbítrio para escolher essa m...

Se ela virar adulta e quiser, massa.

Mas tem que dar CONDIÇÕES pra pessoa escolher.

Se você impedir a menina de estudar, como é que ela vai poder escolher ser uma astronauta? A escolha só pode vir pelo conhecimento. Você ESCOLHE a partir do momento em que você tem esse conhecimento.

Ponto.

Mas eu não critico de forma alguma, por exemplo, uma mulher brasileira que, aos 20 anos, depois de adulta, vacinada, EDUCADA, etc, escolhe ser dona-de-casa ou virar muçulmana, ou fazer a cirurgia pra mutilar o clitóris.

Escolha dela. Vida dela. Liberdade de escolha dela.

Não sei se é tão difícil entender.

Zero disse...

p/ Quel

verdade.

há algumas semanas, discuti no twitter com um crente (que dizia não ser fresco) que bloqueou quando "descobriu" que eu era ateu e não suportou ser discordado.

ele, autor de uma grande frase no dia das mães: (acreditem ou não é REAL)

"comemorem bastante hoje, pois daqui 20/30 anos não haverá mais reprodução (mundo), bem como o Ratinho falou".

Luiza Bairros disse...

"Falam das crenças afro e começa o chilique"

Como se um guest post sobre religiões de origem africanas não tovesse recebido um monte de críticas a essas religiões.


Além disso, as pessoas rebatem críticas não significa que não possa falar

Luiza Bairros disse...

E duvido que umbanda, candoblé seja que nem essa religião descrita no post

Anônimo disse...

Gentee e esses 3 adolescentes que estupraram a garota de 12 anos no banheiro!! pelamor de deus, quero morrer com isso..

um confessou, outro negou!! e a mãe ainda defende o filhinho, e o outro está foragido (a família inteira se mudou da casa onde moravam, sumiram pra acobertar o bostinha!)

gente, sei que são crianças inconsequentes, mas tinha que torturar esses pirralhos, cortar a pica, sei lá

B. disse...

Não, que é isso anôn 16h45, são menores de idade, são coitadinhos, não sabem o que fazem (ironia)

Anônimo disse...

Eu comecei respondendo no Twitter, mas deletei e preferi escrever aqui porque acredito que aqui serei menos atacada. Sou Testemunha de Jeová e sou feminista. No momento, estou desassociada pela segunda vez. Minha mãe é ativa na religião e eu moro com ela (e meu pai que é catolico). Não tive que sair de casa (tenho 28 anos) e tenho uma relação otima com minha mãe, sem nenhuma descriminação. Eu já fui casada e me separei. Não fui julgada pelos meus amigos Testemunhas de Jeová pela minha separação, pelo contrario, fui muito bem acolhida. Os anciãos não aconselham a separação, mas eles não criticam alguem que deseja se separar. Sei disso porque vivi isso e posso dizer com propriedade de causa.
Sobre o comportamento deste senhor, digo primeiro que a religião condena o alcoolismo, embora não seja proibido ingerir bebida alcoólica. A religião, com base biblica, também condena o abuso e agressões de qualquer forma (inclusive abuso ao animais). A religião incentiva ser pacifico com todos, respeito total a mulher, acima de tudo. Há sim questões de "hierarquia", por assim dizer, mas isso é entendimento biblico. Eu insisto em destacar "base biblica" porque, além de tudo, estamos falando de uma religião que respeita a biblia como livro sagrado e procura seguir o que a Biblia diz.
Sobre o agressor, só o que eu posso dizer é que as Testemunhas de Jeová não estão isentas de idiotas em seus membros. Esse senhor é claramente uma pessoa com problemas, mas eu não acredito que ele seria uma pessoa diferente se pertencesse a outra religião ou fosse ateu. A mulher que escreveu o post está claramente magoada e eu entendo perfeitamente o sofrimento dela. Contudo, não acredito que a maior causa de sofrimento tenha sido por causa da crença do agressor (que reafirmo, sua agressão está totalmente contra ao que aprendemos nas reuniões). No mais, o que posso dizer na posição de Testemunha de Jeová desassociada é que existe muitas desinformação com respeito a isso. Posso afirmar que recebo muito carinho dos meus amigos, mesmo estando desassociada. Assim como varias religioes sofrem preconceito por aqueles que não conhecem seus dogmas, as TJs sofrem muito preconceito pelas conclusoes daqueles que não os conhecem, ou que não souberam lidar com algumas frustações. Pra finalizar: Idiotas, pessoas ignorantes, odiozas e etc existem em todo lugar.
Tatiane Souza

Tati disse...

Que lindo, gente que diz lutar por respeito mas que acha que pode ridicularizar religiosos e a crença alheia, e na base da ignorância, já que nem fazem parte da religião que criticam.
Hipocrisia é pouco. Religião ajuda muita gente, tem gente que se livra de depressão, de drogas, larga a bandidagem...

Zero disse...

p/ Tati

tem como ridicularizar algo mais ridículo que religião?

é exigir "respeito" por acreditar em Papai Noel aos 30 anos....

esses mesmos crentes do amigo imaginário, que há anos se metem nas leis de um país baseado em historinha milenar de outro país, perfeito isso....

"Religião ajuda muita gente, tem gente que se livra de depressão, de drogas, larga a bandidagem..."

e precisa ser religioso pra não ser drogado ou bandido?

é trocar um vicio pelo outro...

eu odeio bebida, nunca me droguei e nem cometi delitos e jamais pisei numa igreja...

Bianca Lima disse...

ah meu que sofrimento hein?

Isso se chama religião, as pessoas se equivocam muito ao falar sobre determinada igreja. Acho que mesmo sendo uma prática de um ser humano fraco, baixo,medroso, a imposição do ritmo de vida que essa moça e sua mãe tiveram pelo "homem da casa", ainda não justifica à crítica que desclassifica os membros do Testemunho de Jeová, antes o respeito. Pois é uma máxima o fato de que muitos vivem oprimidos pelo machismo, e não só por ele.



donadio disse...

"apenas utilizei as mesmas frases que o Jonas usou pra se referir ao cristianismo e que outro anônimo usou pra se referir aos TJs e aos mórmons. Ninguém deu a mínima quando eles falaram isso, agora se alguém usa as mesmas frases pra falar de religião afro, já começa o mimimi. Parece que o teste funcionou. Incoerência a gente vê por aqui."

As religiões não são todas iguais, já te ocorreu isso?

Não sou católico, não gosto do catolicismo - mas sei muito bem que a Igreja Católica não faz esse tipo de coisa ("desassociação") que as TJs fazem. Fazer o quê? Tenho de fazer de conta que as TJs não "desassociam" ex-membros? Ou tenho de fingir que os católicos fazem o que não fazem?

As religiões são diferentes, ora essa. Na minha opinião de ateu, são todas estúpidas. Mas algumas são estúpidas e brutais, outras são estúpidas e monomaníacas, outras são estúpidas e desrespeitosas. Não tenho que ficar fazendo de conta que são exatamente iguais, caramba.

Tati disse...

Zero,
Tenho 28 e acredito em muita coisa, e daí?. Só vejo religioso se metendo em aborto e alguns contra homossexuais, isso tá errado sim, mas é alguns não todos e de resto segue quem quiser os preceitos de cada religião, não sei onde eles obrigam alguém a seguir seus ensinamentos( falo no geral, sempre loucos por aí). Falar que querem manipular a vida de todos é ridículo.

"e precisa ser religioso pra não ser drogado ou bandido?"
Isso é serio? Está fraco para entender as coisas, a resposta é óbvio que não, mas assim como alguns procuram psicólogos ou qualquer outro meio para lidarem com seus problemas, outros procuram a religião.

É seu direito não acreditar em nada, mas não tem direito de ofender quem acredita, mas já que vc n mostra respeito algum, posso dizer que vc é um babaca.

Engraçado que ficam revoltados quando julgam todo o feminismo por causa de umas loucas, mas n tem problema algum, julgar uma religião inteira por causa de alguns fanáticos. Tá serto.

Anônimo disse...

Eu tenho religião sim, sou politeísta mas não gosto do termo "wicca", "pagã" ou mesmo "bruxa" então uso feiticeira mesmo.

Fui criada nas TJ, nunca batizei, mas sei como é tenso lá. As pessoas são desassociadas e perdem a familia toda, bem como os amigos.

Anônimo disse...

Anonima das 17:00 me perdoe a grosseria mas vc é super incoerente, na "sua" bíblia diz que Deus odeia o divorcio e só permite o mesmo com a chamada base bíblica (adultério) aí vc vem e diz q é TJ e que é divorciada?

Crentes, cristãos e etc são quase todos uma piada mesmo, vivem cheios de incoerência e só seguem o que querem da bíblia.

Zero disse...

p/ Tati

tudo bem, nesse mundo distorcido o "babaca" é o que não acredita em fantasia, beleza.

não muda em nada a minha vida, dane-se, não é o meu dinheiro que pastor gasta.. kkk

eu tenho dificuldade em entender?

quem associou igreja com a livra de vícios foi você, e outras tantas pessoas que acham que é 8 ou 80, conheço varias assim.
ou é caindo de bêbado ou é dentro da igreja 24h por dia.

por isso perguntei.

pode julgar feminismo ou que você quiser, isso não me ofende, não sou "feminista" assim como não sou "ateu".

não me denomino nada, não tenho ideologia.

sua revolta só prova o que eu já disse. crentes se sentem no direito de atacar pessoas pelo que nasceram, mas ninguém pode atacar por algo que você crê....

Graciema disse...

Sobre a religião, eu tento respeitar liberdade de crença. Mas olha, tá difícil. Tenho mais simpatia pelas religiões de matriz africana, porque elas não estão batendo na minha porta domingo de manha, me abordando na rua e muito menos no Congresso tentando transformar o Brasil num estado teocrático.

Sobre as TJ, claro que existem pessoas e pessoas. Em todo canto. Afiliação religiosa ou falta dela não é afirmação de caráter de ninguém, em minha opinião. Uma das pessoas que mais respeito em relação á ética, não de ouvir falar, mas de ser viver isso cotidianamente é TJ.

Mas conheço gente da familia que foi dissciado e se tornou um pária sim. Gente fingindo que a pessoa não existe, parecendo que carregava a peste. Posso dizer que é padrão isso? Não. Mas o proprio fato desse procedimento existir, a meu ver, é medonho. Banir alguém. Tornar pária. Excluir da comunidade da qual ela participa e que toma-lhe muito tempo. Por algo como namorar um nao seguidor.

Sobre as Igrejas protestantes e neo-pentecostais e a arremetida contra o estado laico e direitos de minorias, eu já ouvi muita, muita gente falar isso. Não me representa. Nem todos concordam. Etc...Mas o silencio nessa situação é concordância. Não é intenção de ofender, mas os Malafaias da vida falam em nome dos milhoes de evangelicos em seus discursos e ninguem se opõem, sim eles estão representando vocês, nem que seja por consentimento tácito.

Claro, já ouvi vozes discordantes e publicas. Muito poucas

Anônimo disse...

Eu não odeio ou menosprezo qualquer religião, porém digo uma coisa, as religiões que deveriam pregar o amor entre as pessoas, unir as famílias, só servem para disseminar a desunião a violência, preconceito, etc. É muito triste. Conheço pessoas que são testemunhas de Jeová e tem um pai que já está a três anos sem falar com o filho por conta da religião.

Não estou falando que essa ou aquela é pior...Infelizmente a realidade é essa, as religiões dificilmente unem as pessoas, e pregam o amor, o respeito, a igualdade.

Sou católica, mas confesso que a única religião até hoje que vi e frequentei onde vi homossexuais, serem tratados com respeito, que vi as pessoas engajadas em ajudar o próximo foi na religião espírita.

Morei com pessoas espíritas e presenciei elas se doando sempre para o próximo, acordando as 3 da madrugada do Sábado pra trabalhar pelos próximos, entregar cesta básicas, roupas, cobertores, nossa era muito legal mesmo.

Fico muito triste mesmo com igrejas, principalmente porque minha mãe após frequentar uma igreja de determinada religião (que não vou citar o nome) teve depressão, e depois o quadro evoluiu para esquizofrenia, tudo bem, ela ia desenvolver o problema de qqr jeito, mas até hoje ela bate os pés toda hora gritando "Saí Capeta!", ela chora muito e fala que é um encosto, as vezes fala que o mundo vai acabar e se tranca no quarto com a bíblia.

Já chegou a entregar praticamente todas as roupas que ela tinha pra igreja, pra uma tal fogueira sei la de quê, até hoje ela não consegue ter uma conversa normal com alguém sem gritar "ta amarrado!"...Fizeram uma lavagem cerebral na minha mãe!!!

Frequentem a igreja que quiserem, mais cuidado com o que ouvem, cuidado com tudo, não vamos ser ingênuos. Tâmara Almeida

Anônimo disse...

"Sou Testemunha de Jeová e sou feminista. "


hahahahahhahahaha pfv pare amigo

Anônimo disse...

Zero,
Ter uma grande quantidade de negros evangélicos não invalida que a discriminação contra religiões afro não tenha cunho racial.
Não sei muito sobre as religiões afro-americanas, mas pelo que já estudei sobre história brasileira permite perceber que essa discriminação faz parte do processo de aculturação. Sabemos que a Igreja Católica foi muito responsável pela justificativa de escravidão, primeiro com índios e depois com negros. Não vamos negar que a religião é um aspecto étnico cultural. O xintoísmo é uma religião de raiz japonesa por exemplo, e, embora os japoneses modernos não sejam tão adeptos assim, essa religião deixou marcas no comportamento dessa sociedade. O mesmo com religiões "pagãs" cujos traços podem ser notados até hoje.
Se a religião é um aspecto etnico cultural, no processo de aculturação é esperado q ela seja clandestinizada. No caso dos negros escravizados, por muito tempo tiveram suas práticas demonizadas e eram obrigados a adotar nome cristão.
O tempo passou, mas é inegável que as religiões de matriz africana continuam marginalizadas por discursos que vamos replicando sem saber.

"Pq o povo se doi qndo é religião afro?" Não se trata de proteção ou coitadismo. Mas essas religiões ainda não são plenamente reconhecidas. Como eu disse, o cristianismo (falo por ele, pq já ouvi) não gosta muito de se misturar com a "macumba" (pecado, adoração do demônio).
"Sou ateu e odeio religião. Pq devo poupar as afros": A maioria dos ateus q conheço criticam o cristianismo (e o judaísmo e o islamismo, por terem muitas similaridades) depois q conheceram a religião e viram a hipocrisia. Fizeram o mesmo com candomblé/umbanda. Ou vão odiar pq "ateu tem q odiar religião". Mas pera... Repetir e agir pq alguem disse q era assim... Não é o q as religiões fazem?

Zero disse...

p/ anônimo 19:14

não tente me dar lição de moral sem me conhecer e sequer entender o que eu disse.

como eu falei, você pode criticar o que quiser, mas quando é religião não pode.

eu já disse aqui, sou ateu e não "ateísta", não conheço e não faço parte de nenhum grupo.

eu penso com minha própria cabeça, eu não critico ou ironizo religião porque é "coisa de ateu", e sim porque eu quero.

já vi ateu que crê em muita groselha como horoscopo ou "energias místicas", se acham ateus ou "lógicos" só por não serem crentes.

sobre seu comentário, não quis dizer que "anula" racismo.

ninguém entendeu, não estou falando de conflito religioso como você mencionou, e sim um ateu não criticar os absurdos de religiões afro por serem negros, e não querer ser "racista", isso é coitadismo sim...

e não falei sobre a católica vs. religiões afro, mas ninguém entendeu...

Tati disse...

Zero

Você não é babaca por n ter religião e sim por n respeitar os outros.
É assim que vc debate "educadamente"? Insinuando que a pessoa é idiota e acredita em papai noel? E ainda quer resposta bonitinha? Vai esperar sentado, se quer respeito, respeite primeiro.
Eu converso com outros sobre religião, tem coisa que n faz sentido, mas isso com gente que tenha o mínimo de respeito e n é seu caso. Dinheiro para pastor dá quem quiser.
Eu disse que alguns encontram ajuda em religião e vc conclui que eu disse que isso é a cura de todos os males, n entendeu mesmo.
E continua o julgamento babaca, sou católica e nem por isso ataco gays, se é isso que quis dizer com ataques ao jeito que as pessoas nasceram, tenho gays na família e respeito eles.
Sobre a parte do feminismo, eu n disse que eu julgo mas sim que pessoas julgam o movimento inteiro pelas loucas que querem que homem morra, pelas radfem, daí ficam revoltadas, mas generalizar todo religioso, tá ok, eu falei para todos, n só pra vc.
Pelo que eu vejo o julgamento é esse, quem é religioso é babaca, preconceituoso, quem não é maravilhoso. Ridículo.

Anônimo disse...

Ter uma religião não é motivo para desrespeitar o próximo, foi isso que quis dizer o Amor é respeitar as diferenças!! Como amar o próximo sem respeitá-lo do jeito que ele é??

Não vou mais a igreja, tenho a minha fé muito forte, acredito que deus existe.

Mais não acredito em igrejas, não acredito em padres, pastores, e etc..

Acredito em ações, em pessoas que buscam o bem, que respeitam o próximo, que fazem realmente algo para melhorar o mundo. E é isso que eu vi na religião espírita e apesar de eu não ser espirita eu vi isso de perto, apesar do que acrdito que tem pessoas boas em qualquer religião.

Porém a maioria é fanático desmiolado, ingênuos, preconceituosos, as igrejas infelizmente tem formado os piores tipos da sociedade, um bando de hipócritas!

Tâmara Almeida

Anônimo disse...

Estudei com um Testemunha de Jeová na faculdade. Houve um acidente gravíssimo com ele, a irmã e mais outra pessoa que não lembro. A irmã morreu no acidente e ele foi em coma pro hospital, muito mal mesmo. Precisou urgente de transfusão e a mãe (que já tinha perdido uma filha no acidente, lembrem-se) não permitiu. O pai dele, apesar de ser da religião também, voltou ao hospital escondido e permitiu a transfusão.
Tive colegas adventistas também. Eles não colaram grau na faculdade pois a cerimônia foi na sexta à noite.

Sei lá... Que Deus é esse que não deixa você lançar mão da medicina pra salvar seu próprio filho? Que Deus é esse que após cinco anos num curso numa federal difícil, considera pecado você ir lá pegar seu diploma nas mãos do reitor?
Se a pessoa me falar que não pode ir pra balada/farra/putaria, eu entendo de boa. Mas não poder comemorar seu próprio aniversário? Salvar vidas?

Acho que religiões que possuem livros (Bíblia, Torá, Alcorão, etc), ficam passíveis de diversas interpretações, muitas vezes ERRADAS, de coisas que ocorreram há trocentos anos. Em contrapartida, religiões cujos conhecimentos e tradições são transmitidos oralmente, de geração pra geração, acabam se modificando e adaptando à época.
E quanto à asneira dita pelo primeiro anônimo: não alimentem os trolls.

Anônimo disse...

Zero,
É uma pena sua exaltação. Quem sou eu para dar lição de moral em quem quer q seja. Ninguém está proibindo de vc odiar religiões, vc é livre para discordar. Também não disse q vc era racista, falha de interpretação sua.
O que eu quis dizer (e nem disse que vc é ateu q odeia por odiar) é que pra não gostar de religião é bom que, no mínimo, saiba como ela funciona e não classificar tudo como sendo a mesma coisa.
Eu não gosto de religiões porque elas, em geral, retiram a autonomia do indivíduo e atribuem a deidades acontecimentos e vitórias pessoais (do nível "Foi Deus quem me deu").
Enfim, mas como vc está exaltado e neste nível, as coisas saem do debate e terminam em ofensas ou extremismo, creio q a reflexão pode não lhe interessar.

Julia disse...

Porque vc não vá jogar bola na rua ao invés de ficar regulando a coerência alheia, anon 14:44?
Criança chata.

Zero disse...

p/ Tati

como é bom receber palavras de amor do povo de Deus, obrigado.

ateus que são do demônio, mesmo...

nunca pedi resposta bonitinha, só disse o que é verdade, na nossa sociedade distorcida é quem não crê em fantasia, ok.

não falei de você pessoalmente, mas que religioso se acha no direito de julgar alguém por algo que ele nasceu, mas não tolera o mesmo só por algo que ele crê, isso é verdade...

Anônimo disse...

Já vi um monte história de pais iguais ou piores que esse cidadão. E não eram Testemunhas de Jeová. Muitos sequer eram religiosos.
.
Intolerância religiosa, a gente vê por aqui.

Zero disse...

p/ anônimo 21:17

lendo seu comentário me soou assim, se não era tua intenção, desculpe. mas não tenho como saber.

muitas vezes sou mal interpretado também.

é que já cansei de ouvir discursinho prepotente de muita gente que as vezes não sei se é ou não...

PS: nunca tomei o "racismo" pra mim ou disse que me acusaram de tal, leia de novo.

Luiza Original disse...

Já cansei de ser parada na rua por religiosAs (geralmente é mulher) para me entregar folheto da religião delas.
Já fizeram isso em um ponto de ônibus lotado e só entregaram pra mim.
É óbvio que sempre me escolhem por causa das camisetas de metal e roupas pretas.
Nunca me disseram nada de mais, mas não gosto de ter meu jeito avaliado e meu trajeto, interrompido, só pra satisfazer os religious juices dessa gente. Me irrita.
Uma vez uma mulher me parou. A vi novamente na semana seguinte, e ela me parou de novo. Ela não lembrou de mim, claro. Entregou aquela droga só pra se autocongratular. Mas eu, ohhoo, lembrei muito bem da cara dela.

Estragadinha disse...

Feministas odeiam e menosprezam qualquer tipo de religião? Menos,anônimo das 11:22, bem menos.

Anônimo disse...

e o budismo?

Fê Cardoso disse...

Não acho que GoT seja programa pra homem, muito menos babaca... acho que sua conclusão é precipitada.
Tanto a série quantos os livros são repletos de personagens femininas fortes e centrais, inclusive uma das figuras mais importantes é uma mulher. É claro que por ser ambientada num mundo de inspiração medieval existem situações de machismo mas isso não desqualifica a série nem a torna um programa masculino.

Anônimo disse...

{off-topic}
Ué, Lola, depois de ler a notícia abaixo não estou entendendo mais nada! E a "Pátria Educadora"?
Vai haver uma greve nacional??

"A UFF (Universidade Federal Fluminense), em Niterói, região metropolitana do Rio, aprovou hoje (21) a adesão dos professores à greve nacional dos docentes, com paralisação a partir do dia 28 deste mês. Por unanimidade, os técnicos administrativos da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) também aprovaram indicativo de greve a partir de 29 de maio.

Em assembleia geral de docentes, convocada para hoje à tarde, no campus do Gragoatá, os professores da UFF decidiram que a única saída para pressionar o governo federal a ampliar os investimentos para educação pública é a adesão à greve nacional."

Raven Deschain disse...

Ih Luiza. Me acontece direto tb. E agpra que vc pontuou: mais pura vdd. Mormons normalmente são meninos, mas Testemunha? Só mulher!

Aí me escolhem por causa das roupas, mas se quebram pq só ando de fone de ouvido, não preciso nem fingir, não escuto mesmo. Reparei que quando me visto mais "arrumadinha" (leia dentro de algum padrão tido como normal) ninguém me pergunta nem as horas, mas é usar camiseta do ac dc vem gente perguntei se já encontrei Jesus. Ow busca mal organizada! Ninguém encontra esse cara nunca.

Raven Deschain disse...

*perguntar

Maldito corretor.

Anônimo disse...

Tatiane souza, feminista e TJ, entendo que alguém possa ser femnisa e ter religiao. mas não entendo como uma femnista pode concordar com o fato que o homem é superior hieraquicamente.

Alias, contra vontade os meus pais, fui rata de igreja até meus 13 anos. Parei de ser quando sobe que eu não podeia ser padre. Como assim? Eu queria rezar a missa, virar papa, sei la! =) . E dai comecei a ver os absurdos da igreja catoclica e cai fora. Não poderia continuar numa igreja que fala que o "homem é o cabeça da casa" e que fala que uma mulher gravida de uma menina é mais impura que uma mulher gravida de um menino.

Como você fez para conciliar essas duas vertentes?

Yara

Gle disse...

Raven Deschain, hahahahaha.
Eu tive épocas de só usar camisetas de bandas de metal e minha mãe me enchia o saco pq eu só tinha, obviamente, camisetas pretas. Até hoje quando vejo alguma menina/mulher usando camisetas de banda fico *-* ... e essa questão de gente te abordando, rola mesmo!
Uma vez eu tava andando pelo centro, num sábado de manhã, e uma mulher estilo "rippie" me abordou dizendo que queria ler a minha mão. Eu disse que não queria. Ela insistiu dizendo que não iria cobrar nada. Eu olhei nos olhos dela e falei: EU NÃO QUERO QUE VOCÊ LEIA MINHA MÃO, ENTENDEU? Ai ela ficou olhando fixo pra mim e disse: não é que vc não queira, é que eu realmente jamais conseguiria ler tua mão.
??????????????????????

Raven Deschain disse...

Huashuahsua viu? Ela não conseguiria! Culpa tua com essa mão lisa, sia grossa! Huahuas

Testemunha disse...

Oi Lola, tudo bem?

"reuniões três vezes por semana"

Na realidade são duas por semana.

Tem algumas verdades nesse texto, mas outras partes não. Eu percebi que a autora credita as atitudes do seu pai malévolo às Testemunhas de Jeová, como quem dissesse "meu pai é uma pessoa má mas a culpa não é dele". Ela fala como se houvesse orientações da religião em questão para colocar a cachorrinha na prateleira da estante, hahaha. A culpa de ser assim é do pai dela, a rigidez da religião foi um agravante.

Mas há coisas no texto em que eu concordo.

A questão da desassociação nada mais é que um método de retenção de fiéis através do medo. A "organização" cria uma bolha onde a pessoa simplesmente fica alheia do mundo lá fora, caso seja desassociada (expulsa) ela precisa recomeçar a vida do zero e simplesmente esquecer seus antigos amigos.

Estimo que no mínimo 40% dos associados estejam lá por medo de perder o convívio com amigos e até mesmo com parentes. Preferem continuar "enrolando" e aparecendo lá de vez em quando do que se desligar e se tornar um perigoso "apóstata" (dissidente).

É uma discriminação enorme que os desassociados passam, mas sem esse método de retenção haveriam pouquíssimas Testemunhas de Jeová. Portanto, do ponto de vista "organizacional", esse bárbaro método de controle é muito eficiente. Eles se escondem atrás da máscara do amor e deixam o serviço sujo para os amigos e parentes, a ponto de atravessarem a rua quando veem um "desassociado" se aproximando, ou, como eu já presenciei, pai e mãe pegando o prato e saindo da mesa quando o filho desassociado chega para comer, afinal, "não pode sequer comer com tal homem".

Gle disse...

Aham, mão de Lady, de mulher delicada... #SQN hahahaa.

Obs.: Lola, sacanagem essas fotos de comida no anti-robô. Só pra deixar a gente com água na boca! :P~

Panthro Samah disse...

"Feministas contra uma determinada religião:

Tá, agora me conte uma novidade, pfvr!!!

Feministas ODEIAM e MENOSPREZAM qualquer tipo de religião, seja católica, protestante ou o carai a quatro. Só o feminismo serve na vida dessas "mulheres"..."

Te contar uma novidade? Católicas pelo Direito de Decidir.

Jonas Klein disse...

Yara o seu comentário foi muito pertinente.

Realmente a pessoa fazer parte de uma religião crista e incoerente com o fato de ser feminista mesmo.

Ate que pessoa faça parte de uma religião Afro ou qualquer oura onde ninguém fica controlando, genitália aleia nem impondo papeis de gênero, tudo bem isso não se contra põem aos ideais do feminismo.

E um dos problema das religiões monoteístas (ate onde eu sei), e que em todas elas, os papeis de gênero e proibição do sexo fora do casamento e um dogma sagrado para eles.

Dito isso seria interessante se alguma feminista ligada alguma religião monoteísta, explicasse como lida com esta incoerência.

Anônimo disse...

http://noticias.band.uol.com.br/cidades/noticia/100000752539/gravida-luta-por-direito-de-abortar-siameses-sem-chance-de-vida.html

"Grávida de seis meses, Joseana ainda luta na Justiça pelo direito de abortar após descobrir, no terceiro mês de gestação, que os gêmeos siameses que carrega na barriga não têm chances de vida.



Ela apresentou um laudo médico, assinado em um hospital que é referência em gestações de alto risco, comprovando isso; mesmo assim, a juíza do caso, Elisabete Machado, negou o aborto, alegando que a taxa de mortalidade de gêmeos siameses é de 54%; sendo assim, “a vida dos bebês é viável e se sobrepõe aos interesses da mãe”, definiu.



O laudo, no entanto, deixa claro que os bebês, que possuem apenas um corpo e partilham de órgãos vitais – como o coração – não sobreviverão. “Má formação congênita com desfecho letal”, diz o documento."

Parabéns Juíza, desejo à senhora uma gravidez nessas mesmas condições.

Anônimo disse...

Feminista que não se opõe às religiões não tá fazendo o dever de casa direito. Ou está cumprindo a socialização de obeceder ómi, rezar pra ómi, reverenciar ómi, dar crédito a tudo que ómi fala.

Anônimo disse...

Sou homem, ateu e não tenho uma definição política certa. E me sinto parecido com a escritora do post, o feminismo me fascina, mas tem uma parte do "feminismo" que acaba me assustando, as vezes vejo atos de intolerância e ódio tão grande que me parece um "patriarcado as avessas". Percebo também que os conceitos do que é feminista ou machista varia conforme o "grupo feminista" (é como se existisse um micro universo dentro do universo feminista). E por último, a mídia aparentemente dá mais atenção para esse "feminismo as avessas" do que um feminismo Lola....

Anônimo disse...

"E me sinto parecido com a escritora do post, o feminismo me fascina, mas tem uma parte do "feminismo" que acaba me assustando, "


Ótimo, porque feminismo que agrada homem nunca serviu para mulher alguma.

Anônimo disse...

(off-topic)

Diante do caso estarrecedor do estupro sofrido pela garota de 13 anos e cometido por outros 3 adolescentes, gostaria de saber o que o pessoal que é contra a redução da maioridade penal tem a dizer.

(seria interessante um post sobre o caso dessa menina, até porque envolve misoginia, cultura do estupro, etc.)

Anônimo disse...

Quer dizer, o cara é um bêbado imundo, mas a culpa é da religião?
Coerência, por favor...

Laranja podre existe em todo cesto, assim como existem padres pedófilos e pastores ladrões, bem como pastores pedófilos e padres ladrões.

Nem todos que se dizem cristãos realmente seguem a Jesus (testemunhas de jeová nem são cristãos).

O próprio Jesus fez tal advertência, quando disse que nem todo que O chama de Senhor herdará o reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de Seu pai, que está no seu.

B. disse...

"Diante do caso estarrecedor do estupro sofrido pela garota de 13 anos e cometido por outros 3 adolescentes, gostaria de saber o que o pessoal que é contra a redução da maioridade penal tem a dizer."

POIS.

Essa coisa de ter peninha de estuprador menor de idade é mais um dos reflexos de nós, feministas, querermos abraçar o mundo. Até estuprador menor de idade merece "acolhimento".

Mila disse...

Anon das 11:16,

acho que povo tá criticando que o cara não vive de acordo com o que prega a religião e é o primeiro a apontar o dedo pros outros.

Fê Cardoso disse...

Tenho uma familiar que é Testemunha de Jeová e acredito piamente em tudo que é dito no post.
Já tivemos várias discussões pois o familiar em questão insiste em interferir na educação de nossa filha (eu sou panteísta e meu marido é ateu), dizendo coisas como "se você assistir ou ler tal coisa estará abrindo a porta de casa para que o demônio entre" - detalhe, minha filha tem 7 anos.
Não tenho nada contra religiões em geral, desde que não tentem empurrá-las aos outros goela abaixo, principalmente por meio do terror, como os TJ costumam fazer.
Quando criança, uma TJ que trabalhava em nossa casa me disse que no apocalipse meus pais seriam destruídos pois já viviam há muito tempo no caminho errado e que, se eu quisesse me salvar, teria que passar a estudar a bíblia com ela. Eu chorei a noite inteira aquele dia, aterrorizada..... Passamos a estudar a bíblia e as publicações TJ escondido todas as tardes, até que minha mãe descobriu e deu uma dura na moça. Meus pais tiveram uma conversa franca comigo (assim como faço com minha filha) e entendi que nada daquilo faz sentido.
Essa mesma moça apanhava frequentemente do marido, aparecia em casa machucada e quando tentávamos interferir ela não permitia.
Essa pessoa que disse ser TJ e feminista.... me desculpe mas isso é impossível. Ser feminista é ir de encontro com sua crença de modo que não existe meio plausível de Exercer as duas coisas.

Anônimo disse...

Sim, há uma carga de preconceito contra as religiões afro, culturalmente arraigada, mas isso não lhes poupa de críticas, há atrocidades cometidas em terreiros, abusos morais e sexuais, que ficam embaixo dos panos, se miramos nas tres grandes monoteístas, por coerência, temos de mirar também nas demais, por seus absurdos e crimes.

Anônimo disse...

Vocês não tem vergonha de querer esse moleque de 13 anos estuprador va para prisão? So porque ele acha que tem direito sobre uma mulher, digo, menina, e a estupra, não quer dizer que ele seja uma pessoa horrivel, quer dizer que ele vive em uma sociedade patriarcal e precisa de compreensão.

Precisa ir para um centro que o acolha e converse abertamente para ensinar que ele não tem direito de enfiar a piroca dele em seres humanos, e que mulheres, mesmo que não parecem, tb são seres humanos.

Eh apenas mais uma vitima do sistema.

yara.

Anônimo disse...

ah, just kidding. Pegadinha do malandro!
Tomara que apanhe, arranquem os dentes, etc. SO tem 13 anos,né? MAs duvido que será algo que se preste qdo tiver 20.

YAra

Raven Deschain disse...

Uma vez li que religião é que nem pinto. Muito legal vc ter um. Mas não enfie ele na goela dos outros.


Engraçado que a turminha vem com o papo de "nem todos são assim", mas preciso dizer: vcs tão mal representados pra cacete então hein? Pq os "religiosos" conhecidos aí são quem? Macedo, Malafaia, aquele infeliz infernal do Feliciano. Se nem todos são assim, pq são escolhidos os piores pra representá-los? Sem contar que pedir respeito e tolerância por quem tem direitos tolhidos pela sua escolha de crença é uma babaquice. Mulheres não tiveram direito a atendimento em caso de aborto assegurado por pressão da porra da bancada evangélica. Mulheres. Morrendo. Sem atendimento. Pq malditos evangélicos não podem cuidar só do qie tá dentro das próprias calças. Respeito? Lá na casa do caralho quando pararem de se meter na vida alheia.

Anônimo disse...

Qual é a dificuldade de entender que umbanda é uma religião BRASILEIRA, criada e praticada no Brasil. O queridão que insiste em falar da mesma África que faz mutilações genitais é a da umbanda, não é não, nunca foi. E se tu fizer uma pesquisa rápida sobre religiões hoje praticadas na África vai ver que o candomblé são as menos praticadas, tem radicais islâmicos, tem radicais cristãos. E o outro que falou que umbanda e candomblé merecem ser enterrados junto com o islamismo, não deve saber minimamente como é a organização dessas religiões. Não sei porque a fé das pessoas anda incomodando tanto. Acho que como feministas devemos lutar por liberdade, liberdade essa inclusive de crença, a única coisa que não pode se aceitar é que dogmas interfiram na vida de quem escolheu não os seguir.

Evy disse...

Gente, nem todos os islâmicos são pessoas ruins, alias a maioria é muito generoso. O problema é que eles estão em guerra desde sempre com os Judeus, além de ter grupos radicais que matam pela fé, mas a maioria dos que seguem o islamismo não são a favor dessa matança.

Evy disse...

Não sou TJ não, sou cristã. Apenas disse que nem todos TJ são ruins. E sim, eu acho possível ser cristã e feminista, até porque o ponto fundamental da Bíblia é amar o próximo e seguir os dez mandamentos. Quem ama o próximo como a ti mesmo não julga, não machuca, não agride, não corrompe, não é violento, é caridoso. Nós humanos somos cheios de erros, não é por que você segue ou não uma religião que você é melhor ou pior do que alguém.
E ser cristão é seguir modelo de Cristo Jesus, não existe nenhum personagem na bíblia que demonstre mais amor pelo próximo do que Jesus. Ele inclusive tratava as mulheres de forma diferente da sociedade, sempre em posição de igualdade. Agora tenha certeza de que se alguém se considera cristão prejudicando o próximo, essa pessoa está equivocada. Nós não devemos pegar apenas os maus exemplos e generalizarmos o que eles representam, se fosse assim não teríamos nada em nossas vidas.

Ser humano devia ser livre para fazer suas escolhas sem julgamento, nós temos consequências individuais perante nossas escolhas. O que uma pessoa menos precisa é outro, que também é falho, apontando o dedo. Não sou ninguém para falar do erro do outro, basicamente isso. ;)

Evy disse...

Raven, a intolerância está por todo lado.
Eu reconheço que muitos movimentos políticos religiosos querem impedir pessoas de exercer sua escolha individual, como o aborto. E eu sou total contra isso, mas ao mesmo tempo também acho que o Brasil tem muito caso de intolerância religiosa. Temos exemplos todos os dias de casos como a menina que foi impedida de fazer a prova da OAB com véu, cadeias impedindo detentas de se alimentar como a fé sugere ou sabatistas que são prejudicados em concursos públicos e enem. Concurso, provas e educação pública deviam suprir a todos os grupos, mas isso não acontece e nenhum desses casos estão corretos, mas a gente as vezes enxerga só nosso caso.

Nosso estado é laico, em tese devia respeitar a crença ou não crença de todos. Ser laico não é ser sem religião ou satisfazer apenas um grupo, basicamente é isso. Concordo com você que tem muito religioso tentando botar seu modo de vida no outro, assim como tem muita gente que não é religioso que faz a mesma coisa, acho que isso é do ser humano mesmo, sempre vão existir pessoas assim.

Joane Farias Nogueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joane Farias Nogueira disse...

Longe de menisprezar seu sofrimento, mas o tempo em q estudei c as TJ foi bom. Sim, eles querem seguir td ao pé da letra da Bíblia. E a Bíblia foi escrita por homens e p homens.
Mas daí a quase culpar as TJ pelo tratamento q seu pai dava é um pouco complicado. Eu fumo e bebo MUITO , se eu fosse me batizar fazendo isso, nao ia conseguir. Eles condenam a bebedeira, nao a bebida. Me espanta q os acioes nao tenham disassociado ele por esse tratamento. Te digo q mesmo sendo machistas como td religiao, eles sao os poucos q ainda falam das obrigacoes do homem p com a mulher, uma delas é se sacrificar pela mulher e viver c ela c td o conhecimento.

Fê Cardoso disse...

Na boa mas não acho que homens tenham qualquer obrigação com as mulheres além de respeitá-las como um igual.
Se sacrificar pela mulher? Acho muito mais sacrificante ser privada de estudar, ter um emprego e evoluir na carreira pra ficar em casa fazendo serviços domésticos sem receber absolutamente nada por isso. Algumas vezes é uma escolha..... OK, mas não deixa de ser sacrificante.

Joane Farias Nogueira disse...

Fê Cardoso, se sacrificar pela mulher na Bíblia, seria sacrificar-se da mesma forma como Jesus se sacrificou e tratou a igreja.
Minha observação não foi em forma de aprovação, embora confesso que tenha parecido, mas foi para dizer que em um mundo onde todo mundo cobra da mulher o "papel" dela, pouco se fala do "pape" do homem.
Nas reuniões e nas publicações, sempre é incentivado e cobrado que faça as tarefas domésticas e que o pai CRIE os filhos tanto quanto a mãe. Então, nesse sentido, eu poucas vezes vi essa cobrança nas outras religiões.

Anônimo disse...

Hahahahahahaha, que patético.
Até quando vão continuar apagando meus comentários só porque são verdadeiros?
Vcs não tinham um compromisso com a verdade?
A igreja católica foi responsável pela criação das primeiras universidades do mundo, foi responsável pela iniciativa de abolir a tortura nos processos legais e é diretamente responsável pela liberdade de nosso estilo de vida ocidental, sim.
Atenção porque vcs querem acabar com o cristianismo e esquecem que se o cristianismo acabar é o islamismo que tomará seu lugar.
Otárias...

Anônimo disse...

Fui estudante das TJ por cinco anos,tenho vários familiares que fazem parte dessa religião.De fato, é uma religião bastante rígida mesmo,mas não é diferente de algumas igrejas evangélicas que vemos por ai.Mas não acho que o mal caratismo do pai da autora do post tenha a ver com a religião.Este homem é um canalha, um patife e isso não tem nada a ver com as TJs.Eles não apoiam esse tipo de comportamento.Permitem a bebida somente com MODERAÇÃO,apenas para degustação, praticamente.Os anciãos da congregação onde ela frequentava foram coniventes com esse absurdo, mas geralmente não é assim.
Náy

Andressa disse...

1° anonimo eu sou feminista e e acredito em deus, reencarnação, e outras coisas apesar de não me vinculaar apenas a uma religião... tem feminista ateia, catolica, umbandista, evangelhica , que acredita em deus sem ter religião especifica , que acredita em deuses tem feminista de todos os jeitos pra sua informação

Anônimo disse...

não sou testemunha de jeová, mas se formos ver em porcentagem a religião que segue melhor a bíblia e prega coisas que servem até para os dias de hoje são as testemunhas de jeová.
no caso do pai dela, ele sabia que não deveria beber mas mesmo assim agiu dessa forma, concerteza ele deve ter se arrependido muito para não ter sido dezassociado, pois aquele que é dezassociado é por que foi descoberto pecando, prometeu parar, mas mesmo assim perssiste no pecado.
se formos ver outras religioes existem pecadores que não são nem punidos, como os proprios lideres que praticam pedofilia, prende mulheres para trabalho forçado, entre outros. como alguns dos papas.

Anônimo disse...

Religião não é Deus, religião é uma bosta que o homem inventou para manipular mulheres e pessoas fracas da cabeça e principalmente tomar dinheiro, dinheiro e dinheiro. Então creia apenas em Deus....

Anônimo disse...

Estou decepcionado com as testemunhas de jeova.a quase dois anos conheci o meu namorado e nao posso me casar com ele poi s ele ainda e casado com uma muher testemunha de jeova ela atormenta nossa vida nao dar o divórcio sai da casa dela e vai lavar roupas na casa dele manda mensagens pra mim absurdas fiquei sabendo que e a propria testemunha de geova que manda ela fazer isso.estou indignada mais Deus vai romara à frente de tudo e vai libertar meu namorado. Eu creio

andre souza disse...

Cristo disse: assim como me odiaram e cuspiram em mim , odiaram e cuspiram em vs,
Isso e so prova de que as palavras d le cristo estavam corretas

Anônimo disse...

Vcs devem ver algo, q não devemos jugar uma religião por pessoas, principalmente pq são imperfeitas outra coisa uma pessoa não faz religião, conheço muitas religioes e sempre tem um e outro q não adora a Deus, último ponto ninguém não pode e nem se atreve a culpar a Deus pelo diabo ser ruim, vejamos quem fez ele foi Deus ele era um anjo e participava do corpo celestial, e ele fez coisas terríveis, pós eu falo q não tem nada aver contar uma história dessa de um pai mal e culpar religião, teve pessoas q o pai foi um verdadeiro monstro q ate violentou os filhos, e era isso e era aquilo então religião não faz caráter e era isso q seu pai não tinha caráter

1989 disse...

Muito interessante essa história dela, eu já fui da igreja mórmon e a seita mórmon é muito parecida com as TJ's me identifiquei com o texto dela eu até poderia um dia contar minha história de sofrimento naquela SEITA.