sábado, 20 de setembro de 2014

SUZANE, UMA SOBREVIVENTE DA MISOGINIA

No final de novembro do ano passado aconteceu um crime horrível. 
Suzane Jardim, uma jovem negra de 22 anos, ativista feminista, mãe de um filho de 4 anos, e estudante de História da USP, estava saindo pela terceira vez com o autônomo Luís Henrique Nogueira, de 27 anos. Por volta das três da madrugada, eles deixaram um bar em Diadema (cidade onde ambos moravam) para ir a um apartamento na Vila Mariana com Tito e Adelly, que haviam conhecido naquela noite.
Depois de um tempo no apartamento, Luis passou a agredir verbalmente Adelly, chamando-a de "piranha" e "puta". Suzane decidiu defender a mulher, e acusou Luis de ser um "machistinha". Luis a desafiou a colocar a cabeça para fora da janela e repetir. Suzane, sem se amedrontar, fez isso. Então ele agarrou os tornozelos dela e a jogou pela janela. Uma queda livre de no mínimo 9 metros.
Apesar de arremessada do quarto andar, Suzane sobreviveu. Quando a polícia chegou, Suzane, ainda consciente, contou que havia sido jogada. Luis Henrique disse que ela estava surtada, e a polícia registrou o crime como "queda acidental". Depois, provavelmente contando com a morte de Suzane, Luis alegou que ela havia tentado suicídio. Foi liberado e sumiu. 
Adelly fugiu quando a polícia veio. Encontrada dias mais tarde, relatou ao delegado que Luís havia jogado Suzane pela janela. Interrogado, Tito, o dono do apartamento, afirmou não ter visto o incidente, porque não estava no recinto. 
Suzane passou vários dias no hospital se recuperando da fratura de dez costelas, clavícula, bacia e perna, da perfuração de um pulmão, e de múltiplas hemorragias internas. Nos primeiros dias, precisou da ajuda de aparelhos para respirar. Assim que teve forças, contou o que aconteceu. Eu falei um pouco sobre isso tudo neste post.
Luis Henrique foi indiciado por tentativa de homicídio duplamente qualificado (motivo fútil e recurso que impossibilita a defesa da vítima). A prisão preventiva foi decretada, mas Luis não foi encontrado. Hoje foragido, ainda é procurado, dez meses depois. Há rumores de que ele esteja morando em Minas Gerais, usando documentos falsos. Por favor, se você o reconhecer pelas fotos, denuncie. Não só porque é terrível que uma tentativa de feminicídio fique impune, mas também porque um sujeito desses pode ser perigoso a outras mulheres. 
Publico aqui a carta recente de Suzane, uma sobrevivente da misoginia:

Caras pessoas,
Muitxs de vocês conhecem minha história. Diria até que grande parte dos meus contatos por aqui entraram em minha vida após meu caso se tornar público.
Para os que não acompanharam, relato aqui o ocorrido:
No dia 30 de novembro do ano passado sofri uma tentativa de assassinato covarde por parte de Luis Henrique Nogueira, 27 anos na época, morador de Diadema, cidade onde moro. 
O sujeito, com o qual estava saindo pela terceira vez nessa minha vida, me atirou da janela do quarto andar de um prédio localizado na Vila Mariana.
O motivo foi o fato dele não ter gostado, achado absurdo, uma afronta, por eu tê-lo enfrentado usando o termo "machistinha escroto". Fiz isso por ter me esgotado após uma noite aguentando atitudes machistas, violentas e de abuso direcionadas não só a mim como também à garota que nos acompanhava no dia.
Entrei em coma, fui levada de helicóptero ao Hospital das Clínicas com sério risco de falecimento. Sofri um hemopneumotorax (infiltração de sangue e ar no pulmão causada por perfuração), fraturas graves no quadril e fêmur, quebra de 10 costelas e outros problemas também da mesma gravidade. O responsável por isso, além de omitir socorro na hora, registrou a ocorrência como queda acidental, colocando no boletim que me joguei da janela em sua ausência.
Felizmente sobrevivi. Com muita dor, esforço e apoio de vocês, seja emocional, prático ou financeiro, pude literalmente me reerguer em um tempo extremamente rápido em relação a meus prognósticos. O ponto central desse texto é que por muito tempo me mantive calada. Fui machucada de modos absurdos pela imprensa que desde o início relativizou meu caso e a culpa do sujeito, tive que lidar com campanhas de apoio ao meu agressor da parte de pessoas da minha cidade, fora todos os problemas e dores físicas dilacerantes que eu jamais saberia colocar em palavras. 
Recentemente fui internada com uma pneumonia que não parecia nada grave; porém, como havia sofrido danos no pulmão nesse incidente, essa pneumonia tomou proporções absurdas e, mais uma vez, quase vim a óbito. Esse acontecimento me fez refletir sobre todas as sequelas que carregarei por toda minha vida graças a esse ato covarde, não só físicas como emocionais, e isso me deu uma força a mais para voltar a falar sobre o caso.
Não acredito em justiça. O sistema judiciário não está aí pra nos servir, muito menos se somos parte de um grupo oprimido. E mesmo que eu acreditasse nisso, a prisão jamais seria suficiente para que ele pague pelo que fez a mim. Se vou mexer com isso agora, não é por mim. Não é por minha dor. Não é por acreditar que com ele na prisão conseguirei paz ou terei algum tipo de vingança. Faço isso como ato político. Faço porque machismo existe e acho meu caso um exemplo claro do que ocorre com milhões de mulheres todo dia. Temos que nos sujeitar a humilhações e maus tratos para ter direito à vida e à paz. Temos que nos calar diante do opressor. Temos que pensar individualmente de modo egoísta se não quisermos sofrer.
Isso não está certo. Isso é absurdo. Enfrentei aquele homem e faria tudo de novo. Podem me chamar de burra por ter defendido a mulher que estava comigo e ter me revoltado. Fiquem à vontade. Não fiz isso por ela, na verdade. Fiz isso por mim, por minha autoestima, para meu amor próprio e até mesmo por minha segurança, por mais irônico que isso possa parecer. Ser conivente com aquela situação poderia ser sim um risco para mim no futuro e pensei sim nesse ponto naquele momento.
Hoje percebo o quanto minha história tem um poder mobilizador. Garotas de todo o Brasil vieram contar sobre seus casos, me contaram sobre como seus agressores estão livres, como foram humilhadas ao tomar a atitude de denunciar, me falaram do medo, da dor e do abandono. Senti a dor de cada uma e isso me fez perceber que não estamos sozinhas e que só o apoio mútuo entre todas pode nos fortalecer e empoderar. Agora que tenho saúde, após dez meses de reflexão, decidi me empenhar de corpo e alma em uma campanha para encontrar esse homem que pra mim representa a dor de toda mulher que anda por aí. E que é perigoso. 
Não sou uma pessoa rica, não tenho contatos na imprensa, não tenho influência alguma. Minha intenção é tornar isso tão grande quanto possa ser. Mostrar a cara desse machista para o maior número de pessoas que essa internet possa alcançar. Esse é um ato político em nome de todas as mulheres que morreram graças ao machismo. 
Suzane em marcha feminista
A todas as mulheres que não puderam provar o que sofreram. A todas as mulheres que foram tidas como culpadas, loucas, vitimistas ao tentar denunciar uma violência. A cada mulher que chorou em desespero com medo do amanhã. A cada mulher que a mídia expôs de modo leviano. A cada mulher que sonha em ser livre em um mundo seguro.
Levarei isso até o fim, nem que gaste toda minha vida e energia. Quanto mais divulgação melhor. Mascu tem que ser exposto. Agressor tem que ser exposto. Assassino tem que ser exposto. Divulguem, espalhem, entrem em contato, denunciem, se posicionem. Não apenas nesse caso, não apenas pra me ajudar a amenizar um pouco tudo o que sofri, não apenas por mim: comprar essa briga comigo é lutar por si mesma.
Obrigada.
Reportagem da Record em dezembro mostrou página no FB de Luis Henrique

43 comentários:

Patty Kirsche disse...

Esse sujeito é misógino, credo... Tem que ser preso. Não tenho dúvidas de que ele vai machucar muitas mulheres ao longo de sua miserável vida. E que manchete repulsiva do Estadão, hein? O jornal e o jornalista que escreveu a matéria deveriam ser processados por calúnia e difamação. Só assim pra aprenderem a ter responsabilidade.

Anônimo disse...

Que pena né? Um cara tão gatinho e fazendo um coisa dessas. Eu sou gay e pegava ele fácil.

Sara disse...

O q mais me perturba nessa história, é q, se Suzane tivesse morrido nessa tentativa covarde de mata-la, esse crime sequer faria parte das grotescas estatísticas de feminicidios, pois as autoridades estavam bem dispostas a aceitar a palavra desse canalha.
Não sei dizer se é minha impressão, ou se realmente é uma triste realidade, mas são tantos crimes acontecendo, q a violência, ainda mais se é cometida contra mulheres, não choca mais ninguem.
A policia não sei se por machismo, ou por incapacidade de lutar contra essa avalanche de crimes, faz tempo, não nos ajuda mais.
Já fui ameaçada tb, e meu agressor cinicamente disse uma vez, que se quisesse matar, pegaria um avião, iria para algum ponto no nordeste, e contrataria um matador de aluguel, pagaria as passagens para q ele viesse aqui e fizesse o "serviço" e depois voltasse pra sua terra.
Quantos crimes contra mulheres e outros, não devem ocorrer dessa forma, e nem vão fazer parte da brutal estatística de crimes contra mulher, Suzane pra mim é um triste exemplo, se ela não tivesse sobrevivido pra contar sua história, o q ficaria valendo seria a versão desse assassino cruel.
Ao escutar tudo pelo q ela passou e ainda esta passando, não consigo tirar forças dessa historia, acho tudo tão injusto e absurdo, q perco a fé na humanidade, e sinceramente não consigo ver sequer uma réstia de luz no fim desse túnel.

Anônimo disse...

Não dá pra entender isso ai, tava saindo com o cara pela terceira vez, ja sabia que era machista, e continuava saindo porque? não faz sentido nenhum...
Po mulherada, viu que o cara é machista não sai mais ué, não pensem que vocês falando que os caras são machistas vão "curá-los".
Por isso que acho que só homens convencem homens a não ser mais machistas... um machista nunca daria atenção para o que uma mulher fala

Jonas Klein disse...

Sabe Lola a única coisa que A SUZANE fez que que eu acho que foi temerário, foi chega na janela estando no quarto andar e dizer aquilo tudo do cara, eu acredito que ela penso que esse lixo fosse só mais um machista (quanto tempo será que vai leva ainda, para o machismo ser considerado pela lei crime como e o racismo???) idiota, mas não imaginou que ele fosse um assassino também.

E a moça que estava com a Suzane a Adelly porque não tento ajuda ela???? Será que ela não teve oportunidade de ajuda????

Agora essa crime horrível serviu entre outras coisas para alerta que nunca se deve chega numa sacada ou qualquer lugar de onde possa ser jogada(o) quando estiver brigando com alguma pessoa, pois nunca e possível saber o que outra pessoa e capas de fazer.

Agora aqui volto a lembra, as mulheres já na faze da adolescência precisão ser preparadas para se defender diante de situações de violência, pois impendente de ter machismo ou não por traz, casos de violência contra a mulher sempre vai haver, e por isso que especialmente paras mulheres saber se defender e na medida do possível anda com alguma arma (mesmo que não seja de fogo), facilmente pode representa diferença entre a vida ou a morte ou ser vitima de uma grave agressão.

Como método de defesa pessoal atualmente eu sugiro as mulheres o Krav mega, que ótimo mesmo quando e preciso se defender de uma pessoa armada.

Antes que alguém venha me xinga, eu já aviso que eu não estou dizendo que culpa de alguma forma foi da vitima, a culpa e do agressor e PONTO

Michele Negra disse...

É por essa e por outras que eu sou a favor do porte de armas feminino.
Sou a favor de que homens e a polícia masculina percam qualquer direito de acesso às armas, só as mulheres teriam acesso a elas. Assim, nenhum covarde metido a machão teria coragem de mexer com uma mulher. Mas sempre que eu exponho essa minha proposta, alguma feminita burguesa torce o nariz. Essas mulheres não sabem o que é viver em uma periferia do Brasil.

Ana Nazaré disse...

Lola, mas no seu post está falando que a menina jogada foi a que defendeu (Suzane), e no depoimento, ela fala que era ela quem estava saindo há 3 dias com o cara . Dá uma olhada aí.

lola aronovich disse...

Não entendi sua mensagem, Ana. Sim, a menina jogada foi Suzane, quem defendeu. Era Suzane que estava saindo pela 3a vez com Luis Henrique. Eles conheceram o outro casal naquela noite. Acho que está claro.

Ana Eufrázio disse...

Valeu Lola, bom poder contar com você nesses casos. Muito bom o artigo.

Lulu disse...

O engraçado é que continuam tentando culpar a Suzane pelo que o covarde fez a ela. Oi?

Esses caras só continuam com essas brutalidades porque existem cúmplices em todos os lugares.

Anônimo disse...

Também pegava se não soubesse que era assim bonitinho + escroto, Deus me livre, pior é saber que existem város luís por aí.

Anônimo disse...

"É por essa e por outras que eu sou a favor do porte de armas feminino.
Sou a favor de que homens e a polícia masculina percam qualquer direito de acesso às armas, só as mulheres teriam acesso a elas. Assim, nenhum covarde metido a machão teria coragem de mexer com uma mulher. Mas sempre que eu exponho essa minha proposta, alguma feminita burguesa torce o nariz. Essas mulheres não sabem o que é viver em uma periferia do Brasil."

Bem difícil usar sua arma de fogo quando você está sendo jogada de uma janela.

Anônimo disse...

Escroto? Você usa um órgão sexual masculino como forma de xingamento? Acho que você tem ódio de gênero dentro de você e nem sabe.

Anônimo disse...

Sei la, por mim vacilou.
Ta vendo que o cara é locão, xinga e vai pra janela, estando no 4º andar?
E nem vem com papo de q ele é normal, esse aí é loco memo, ele devia gostar de bater a cabeça na parede qdo era pequeno.

L. Archilla disse...

Mais uma coisa que a gente não deve fazer: chegar perto de janelas com homens no recinto.

Além de: não usar roupa curta, decotada, colada, não andar sozinha à noite - nem de dia, dependendo do local, não frequentar bares e danceterias, não usar transporte coletivo, não andar de carro com janela aberta, não sair sem a calcinha antiestupro e o esmalte que detecta substâncias estranhas, evitar rabo de cavalo - que facilita ser agarrada pelo agressor, andar com arma, spray de pimenta, apito rosa e fazer aula de autodefesa. Tá facinho ser mulher.

E depois a gente fala de homens agressores generalizando e é taxada de exagerada. ¬¬

Anônimo disse...

"Suzane Jardim, uma jovem negra de 22 anos, ativista feminista, mãe de um filho de 4 anos, e estudante de História da USP,"

Qual a necessidade de mencionar a raça da moça? Pq as pessoas brancas não tem sua raça mencionada?

Claudio disse...

Se de fato ele fosse misógino, não se relacionaria com mulheres e seria assexuado, o que acontece, é que a maioria dos homens não tem controle emocional para lidar com a superioridade sexual da mulher.

Um homem normal não é desejado pelas mulheres, já a mulher normal (nem precisa ser bonita) tem a esmagadora maioria dos homens a fim dela.

Quem de fato é misógino, as mulheres nem suspeitam... são os gays, pois eles controlam o mundo da moda, e querem que as mulheres fiquem mais magras possível, porque sabem que homens heterossexuais gostam de mulheres com corpo no mínimo levemente destacado na região do busto e do quadril. Vocês já repararam que gays nunca são 'amigos' de mulheres muito feias? Eles ficam em volta das bonitas com o desejo de um homem heterossexual fazer um 'combo' com ele e a amiga bonita.

Anônimo disse...

19:04

Machitos ESCROTOS culpando a vítima :D
NOTHING NEW! Depois não querem ser chamados de tal.

Presta atenção, omis que amam fazer papel de babaca: A culpa não foi da Suzane. A culpa é desse machistinha escroto (termo mais que adequado) que não gosta de ser chamado de machista, sendo que é! Se fosse minha amiga, eu também teria defendido! NÃO, se fosse qualquer mulher eu teria defendido!

E pala última vez, Danilo, se você aparecer por aqui: Esse tipo de merda NÃO É AMOR. É misoginia, é coisa de babaca que merece ficar trancado na cadeia.

Vamos lá, molieres. Vamos anotar mais essa pra nossa listinha de coisas para não fazer para se proteger:

1- Não tire fotos pelada
2- Não ande sozinha na rua
3- Não use roupas curtas
4- Não entre em ônibus lotado
6- Não saia de casa
E agora, 6- Não fique perto das janelas se tem algum ômi perto de você.

Resumindo: Não viva.

Na boa, "vão se foderem".

lola aronovich disse...

Claudio, vc falou um monte de besteira, pra variar. Eu nem ia publicar, mas como hoje tá paradão mesmo... Esta semana li num fórum mascu que "misógino de verdade" nem fala em mulher. Ate tuitei como "pérola mascu do dia", porque é impressionante. Misógino só fala de mulher, só pensa em mulher. Assim como homofóbico só fala e pensa em gay. A pessoa que odeia um grupo adora falar no grupo que odeia. Senão como as pessoas vão saber que ele odeia? E mais: tem bastante gay misógino, mas é minoria. Assim como, felizmente, tem bastante hétero misógino, mas é a minoria.


Anon das 19:28, eu nem ia falar, mas é uma questão de identidade. Ontem, quando falei sobre a Silvia, minha candidata à deputada estadual, não disse que ela é mulher, trans, feminista? Mulher trans é tão mulher como mulher cis, então, no fundo, nem seria necessário dizer que ela é trans. Mas é preciso porque essa é uma identidade política, assim como ser negra e/ou lésbica. É uma bandeira de luta.

Anônimo disse...

Ser negra não é, necessariamente, uma bandeira de luta. Diferente de uma candidata politica que visa defender uma determinada minoria, que tem uma agenda voltada para determinado nicho.

Particularmente em relação ao post não achei que havia nenhuma razão pra classificá-la qto a raça.

Aline J disse...

"Se de fato ele fosse misógino, não se relacionaria com mulheres e seria assexuado, o que acontece, é que a maioria dos homens não tem controle emocional para lidar com a superioridade sexual da mulher."

Vai dizer que o assassino de Goiânia não era misógino? Matando só mulher? Um misógino é amargo e fodido porque é tão fracassado que não consegue se relacionar com mulher, então fica fazendo bosta, falando bosta e enchendo o saco. Quem não se relaciona com pessoas em geral é um misantropo. Misógino tem ódio, ódio e mais ódio de MULHER. Seria ótimo se essas pragas ficassem longe, mas não ficam.

"Um homem normal não é desejado pelas mulheres, já a mulher normal (nem precisa ser bonita) tem a esmagadora maioria dos homens a fim dela."

Se um homem não é desejado, o problema deve ser com ele. Ou ele é machista escroto ou é um babaca geral que só fala merda. Entenda uma coisa: Homens e mulheres são rejeitados, porque ninguém é obrigado a desejar ninguém. Ponto. Sem mimimi.

"Quem de fato é misógino, as mulheres nem suspeitam... são os gays, pois eles controlam o mundo da moda, e querem que as mulheres fiquem mais magras possível, porque sabem que homens heterossexuais gostam de mulheres com corpo no mínimo levemente destacado na região do busto e do quadril. Vocês já repararam que gays nunca são 'amigos' de mulheres muito feias? Eles ficam em volta das bonitas com o desejo de um homem heterossexual fazer um 'combo' com ele e a amiga bonita."

Me recuso a responder isso. É tanta besteira que eu estou ainda processando o que acabei de ler.

Anônimo disse...

Hã?

Kittsu disse...

"Como método de defesa pessoal atualmente eu sugiro as mulheres o Krav mega, que ótimo mesmo quando e preciso se defender de uma pessoa armada."

Cara. não. pára. é "krav maga", não krav mega, e não se aprende a defesa contra arma de fogo assim logo de cara. vamos com calma aí...

Anônimo disse...

"Vocês já repararam que gays nunca são 'amigos' de mulheres muito feias? Eles ficam em volta das bonitas com o desejo de um homem heterossexual fazer um 'combo' com ele e a amiga bonita"

Acho que vou sair mais com meus amigos gays pra fazer esse tal de "combo", valeu pela dica. Danilo diva, sabe tudo do mundo dos gays <3

Anônimo disse...

Graças a alguns comentaristas aprendi mais essa, não posso chegar perto de uma varanda quando houver um homem no recinto. É sério isso? Vontade de chorar...

Anônimo disse...

Vai dizer que o assassino de Goiânia não era misógino? Matando só mulher?


esse é misógino,sai matando mulher a rodo,agora o que vcs dizem é que qualquer mulher morta por um homem é misóginia e isso é ridículo.
no caso da autora,o cara provavelmente tinha um ciúme doentio e achava que era dona dela e isso queridas,não é exclusividade dos homens.
mulheres agridem e matam os parceiros e n vejo "mimimi matou pq é homem".
aquele caso da médica que mandou cortar o pinto do cara,cadê o mimimi matou pq é homem,misândrica? é um crime qualquer,agora se fosse o contrário...
há agressão entre casais de gays,lésbicas,como é que fica? é tudo misógina e misândria?

~~ disse...

Sabe, aqui é a Suzane.
Eu sinceramente não vou ficar aqui me defendendo de cada um dos argumentos problemáticos e culpabilizadores. Se eu for fazer isso sempre que os encontros, nunca mais terei uma vida.
Porém uma coisa em particular me chamou a atenção: o questionamento do porquê me anunciar como mulher negra.
Pois bem, pra quem questionou - colocar minha raça me situa quanto a minha identidade, lugar de fala e sistemas de opressão a qual estou sujeita.
"Ser negra não é, necessariamente, uma bandeira de luta", ok, muitas negras sequer sabem que o são, afinal a sociedade racista quer cada vez nos embranquecer e nos bombardeia com seus padrões, cultura e modos brancos o tempo inteiro. PORÉM, é sim a MINHA bandeira de luta e faço questão de reforçar isso em todos os meios.

Então, Lola, além de agradecer por dar atenção ao meu caso, digo - mantenha esse padrão. Negras precisam se reconhecer por aí, precisar saber que são representadas e tem quem lute por elas.

Beijo

Anônimo disse...

Eu JURO que não entendo os direitistas... Pregam que o culpado do crime nunca é vítima do sistema, o crime nunca é causado pela desigualdade, etc; é sempre o bandido o culpado. Ai quando a vítima é mulher, a roupa, o local, em fim, tudo vira justificativa pro crime.

Daniel disse...

Só um adendo, machismo e misoginia não são sinônimos.

Machismo é o pensamento que foca na superioridade masculina e misoginia é ódio a mulheres. Um sujeito pode se colocar na situação de inferior e ainda odiar mulheres, como pode ser um sujeito machista, que acredita que as mulheres são mais fracas, emotivas e menos inteligentes e ainda assim, não odiar, agredir ou fazer qualquer coisa do tipo com uma mulher.

Já fui machista, embora nunca tenha tratado mal nenhuma das minhas 4 ex namoradas. Mas após aprofundar mais, muitas das minhas indagações contra o feminismo foram "sanadas" e hoje entendo que estava errado em muitos pontos. Por exemplo, considerar de mais fatores hormonais e evolutivos e de menos, fatores culturais.

Hoje sou plenamente contra a homofobia, esteriótipos de gênero e outras coisas do tipo.

Danilo "aeghavitabkoik" disse...

Resposta: A sociedade caminha à passos largos para absoluta destruição e não há qualquer perspectiva de um "mundo melhor". Na Terra, parece que existe forças malignas que estão arrastando a humanidade para a destruição.

Anônimo disse...

Entao, é QUALQUER UM chegar perto de uma janela durante uma briga. Nunca se sabe oq o outro pode tentar num momento de raiva.
Faltou interpretação de texto aí ne?

Anônimo disse...

Poisé gurias... agora temos que começar a procurar apartamentos sem janelas ou tirar os vidros e fecha-las com cimento e tijolos. Sacada? Tá doida "minina"!!! Se escolher apto. com sacada não pode reclamar depois que um homem te empurrou!!!

Quando eu li post eu pensei - quer ver que algum imbecil vai citar novamente o caso da médica que castrou o marido pra amenizar esse caso aqui???? BINGO!!!

Em 31 anos de vida eu não me lembro de um único caso de violência contra mulher que não tenha aparecido umx otárix pra justificar ou amenizar o ato do agressor e culpar a vítima!!!

Na boa mascuzada... voltem pro buraco de onde vocês nunca deveriam ter saído... não sabem conviver na civilização, retirem-se dela...

Jane Doe

Anônimo disse...

Chorando de rir com os comentários!!! Mascuzada acabou com o estoque de cogumelos aê!

lia remz disse...

Suzane, você é uma linda!!! Esepro de coração que algo aconteça com esse cara.

Era soh o que faltava, esses cretinos querendo te culpar porque você ficou perto da janela? Que vão todos a merda!

VAmos mobilizar o que pudermos, para ver se algo acontece. E teria como você entrar com um processo contra o estadão? esssa manchete deles é ofensiva, falsa e machista. PArce que estamos no oriente médio, onde a palavra de uma mulher vale a metade da palavra de um homem. Ele te joga, e o estadão usa uma manchete ridicula dessas?
Se não podermos entrar com um processo contra, pelo menos vamos nos mobilziar, para ir no twiter do estadão exigir uma retrataço.

Abraço

Beatriz Correa disse...

"no caso da autora,o cara provavelmente tinha um ciúme doentio e achava que era dona dela e isso queridas,não é exclusividade dos homens."

Vc se deu ao trabalho de LER o post? O fato ocorreu qnd ela defendeu outra moça (q estava saindo com OUTRO cara) dos ataques machistas dele, chamou o cara de machistinha e ele a jogou da janela!!!
Ciúme doentio? Me poupe.

Anônimo disse...

"É por essa e por outras que eu sou a favor do porte de armas feminino.
Sou a favor de que homens e a polícia masculina percam qualquer direito de acesso às armas, só as mulheres teriam acesso a elas. Assim, nenhum covarde metido a machão teria coragem de mexer com uma mulher. Mas sempre que eu exponho essa minha proposta, alguma feminita burguesa torce o nariz. Essas mulheres não sabem o que é viver em uma periferia do Brasil."

Uma medida impraticável e injusta.

Sheldon disse...

Até na hora da agressão, feministas querem privilégios.Agredir uma mulher é muito mais grave e por isso é feminicídio,agredir um homem é um crime comum,mesmo que seja uma mulher agredindo.
A não ser que um homem mate mulheres aleatoriamente,não dá para engolir esse de que ele está agredindo só porque é mulher,porque odeia mulheres.

"O fato ocorreu qnd ela defendeu outra moça (q estava saindo com OUTRO cara) dos ataques machistas dele, chamou o cara de machistinha e ele a jogou da janela!!!"

E por isso ela foi agredida só por ser mulher? Do jeito que esse cara estava,agrediria qualquer um que enfrentasse ele.

Anônimo disse...

"É por essa e por outras que eu sou a favor do porte de armas feminino.
Sou a favor de que homens e a polícia masculina percam qualquer direito de acesso às armas, só as mulheres teriam acesso a elas. Assim, nenhum covarde metido a machão teria coragem de mexer com uma mulher. Mas sempre que eu exponho essa minha proposta, alguma feminita burguesa torce o nariz. Essas mulheres não sabem o que é viver em uma periferia do Brasil."

radfmens... sempre um poço involuntário de humor e asco.

Maria Valéria disse...

"Anônimo disse...
Não dá pra entender isso ai, tava saindo com o cara pela terceira vez, ja sabia que era machista, e continuava saindo porque? não faz sentido nenhum..."

Sabe, a palavra " machista " nao vem escrita na testa do sujeito .
Provavelmente o cara disfarçou, e muito , o machismo dele nos dois primeiros encontros.
Nos primeiros encontros todos os caras posam de santos,feministas, nao tem ciúmes, nao traem...etc...
Nas próximas saídas ou no decorrer do namoro eles vão tirando as manguinhas de fora e se revelando...
-:o

Anônimo disse...

Estou de cara com a falta de empatia de algumas "pessoas" aqui, já teve até quem preferiu dizer q a menina "vacilou" do que registrar alguma indignação ou solidariedade. Mas eu já sabia que muitos teriam essa atitude asquerosa de responsabilizar a vítima. No mais, desejo tudo de melhor pra ela, e tudo de pior pra ele.

Gle disse...

Primeira coisa:
" Danilo "aeghavitabkoik" disse...
Resposta: A sociedade caminha à passos largos para absoluta destruição e não há qualquer perspectiva de um "mundo melhor". Na Terra, parece que existe forças malignas que estão arrastando a humanidade para a destruição."

Daqui a pouco ele vai dizer que vai cair uma nave aqui na Terra e vai abduzir todo mundo! HAHAHAHAHAHAHAHAHA.

-----------------------------
Suzane, querida! Nem é preciso citar a questão da sua reação do momento. Acredito que eu não reagiria diferente. E é LÓGICO que você não tem culpa de absolutamente nada. O culpado é esse cara que não sabe ter respeito pelas mulheres, assim como não deve respeitar ninguém.
Espero que o encontrem e que a justiça ao menos tome alguma providência. Vamos denunciar sim!!! Pelo menos a Legislação está do nosso lado.
Espero que você se recupere não só fisicamente, como também psicologicamente. Acredito que não deva ser fácil conviver lembrando de tudo isso que te aconteceu! Que encontres a paz e que a justiça seja feita! Beijo.

Raven Deschain disse...

Ih Kittsu larga a mão. Outras pessoas e eu já corrigimos esse krav mega umas quatro vezes. Haha desisti. Deixa ele.

Ai Suzane. Suzane. :( nem sei oq dizer. Muito triste.

Anônimo disse...

"Em 31 anos de vida eu não me lembro de um único caso de violência contra mulher que não tenha aparecido umx otárix pra justificar ou amenizar o ato do agressor e culpar a vítima!!!"

Nem eu. Não é uma coisa pontual, que só acontece de vez em nunca. É SEMPRE ASSIM.