quarta-feira, 17 de setembro de 2014

"NÃO QUERO UM MACHISTINHA NA FAMÍLIA"

A J. me enviou este email:

Já aviso que não sou feminista, mas foi graças ao feminismo que me livrei de DIVERSAS ideias e atitudes machistas (sim, tenho vergonha de falar que já fui machista). Sou o típico caso da família que é naturalmente machista, mas em contrapartida sou filha de mãe solteira que enfrentou o pai (meu avô) por amor a essa que vos escreve...
Quero cada vez mais conhecer o feminismo pois ele me faz crescer em TODOS os aspectos! E desde já te agradeço por me fazer crescer assim... Conheci seu bloguinho há mais ou menos um ano e meio e desde então, mudei muito e sinto orgulho de tais mudanças!
Estou com meu marido há sete anos, nos casamos há sete meses e estou grávida há cinco meses! Pois é, fomos rápidos, escolha nossa mesmo.
Meu marido é o caçula de três irmãos, uma família muito pobre, que lutou MUITO para levar uma vida digna. Sempre percebi em minha sogra uma mulher guerreira, batalhadora mas sempre um pouco solitária, sempre com algo a desabafar, por isso sempre conversamos bastante. Já com meu sogro a história é diferente. Sempre evitei dialogar com ele porque é algo enervante. Ele é aquela figura machista, que acha que mulher "deve se dar o respeito".
Mesmo antes de conhecer o feminismo eu sabia que tinha algo de errado nessas ideias dele. São tantas coisas que ele faz que me irritam... 
Como quando aparece uma moça de biquini na TV ele já solta "puta, vagabunda, biscate". Essas são as três palavrinhas típicas dele, que diz que "está apenas brincando". Ou quando ele (constantemente) começa uma conversa para falar sobre as mulheres que traem seus maridos ("porque é um absurdo, onde já se viu, muitas MULHERES fazem isso"). Ah, e teve o dia, logo no meu primeiro ano de namoro, que em meio a uma conversa, não me lembro sobre o quê, ele disse a famosa frase "filho do meu filho, meu neto É. Filho da minha filha, meu neto SERÁ".
Há uma semana estávamos conversando e ele me disse "Sei que você não gosta que peguem na sua barriga, mas quando ela estiver grande eu vou pegar sim, porque é meu neto e eu peguei na barriga das minhas outras noras também". Óbvio que ele disse isso na maior naturalidade, e eu? Bom, eu fiquei sem reação... como aconteceu das outras vezes em que ele disse as coisas que citei acima. 
Aliás, falando sobre "corpos grávidos", falei sobre o assunto no bendito Facebook e até postei o guest post do seu blog falando sobre isso. Não preciso nem falar o quanto as pessoas ficaram indignadas ao saber que "meu corpo não é público". Umas até levaram para o lado pessoal e pediram desculpas por querer fazer um carinho no meu bebê (oi?). Enfim...
Voltando ao meu sogro, Lola, em suma, tenho medo da influência que ele pode ter sobre o meu filho, afinal, pretendo fazer com que ele respeite as pessoas e suas escolhas, sem julgá-las, sem atacá-las. Quero ensinar que todo ser é ÚNICO e que ele pode ser quem ele quiser!
É claro que sei que tudo isso vai depender de mim e do meu marido. Felizmente, meu marido também discorda dessas ideias machistas do meu sogro. Mas também não posso evitar que meu filho conviva com os avós... Sei lá, muitas vezes não sei o que fazer.
Ah, apenas falando só um pouco da minha sogra. Em uma de nossas muitas conversas, ela me contou como meu marido foi concebido: ela e meu sogro estavam em uma festa. Na época, estavam quase se separando. Ela bebeu bastante nessa festa. Em um certo momento ela não estava se sentindo bem e meu sogro a levou p/ casa e a colocou na cama...e daí ela não lembra de muita coisa. Tempos depois descobriu que estava grávida.
Sem contar os relatos do meu marido sobre as vezes em que o pai chegou em casa bêbado e agrediu a mãe e ele, com apenas 14, 15 anos tendo que 'ir para cima' pai para evitar que sua mãe fosse agredida.
E aí Lola, como não temer uma influência dessa?

Minha resposta: De fato, parece ser uma figura bem nefasta esse seu sogro. Eu também não ia querê-lo perto de mim, e muito menos perto de uma criança. Mas não sei se você tem muita escolha. 
Ele será o avô do seu filho, e de repente as besteiras que ele diz pra você e pro mundo não serão repetidas pro neto. De maneira geral, as pessoas são diferentes com cada um. Só porque seu sogro é um escrotossauro contigo não quer dizer que ele será igual com o neto. Vai saber? Talvez ele seja um carneirinho com o neto. 
Acho que você pode cobrar que ele não fale essas asneiras perto de uma criança. Vai criar um climão, eu sei, mas comece a reagir de leve. Quando seu sogro soltar uma das dele, diga "Ah, as coisas ridículas que você diz!", sem muita seriedade, zombando dele. Quer dizer, estou sugerindo. Sei como é difícil, na hora, a gente rebater. Mas não é pra iniciar um debate, é só pra apontar que ele não está agradando. 
Termos como "puta, vagabunda, biscate" ele não vai poder usar diante de uma criança, vai? Tá, sei que os machistas ridículos usam, crentes de que estão ensinando o menino a "ser homem". Mas deixe claro que não aceita esses termos, e que você e seu marido, como pais do menino, não querem que ele seja educado pra ser um machista. Se seu sogro perguntar "por que não?", explique que, hoje, um homem chamar uma mulher de vagabunda por qualquer motivo que seja não é mais aceitável. Que esses julgamentos moralistas ficaram pra trás. Que você quer um filho que ame e respeite as mulheres (e os homens também), e que seja amado e respeitado por elas. 
E sobre tocar na sua barriga... A barriga é sua, toca nela só quem você quiser. Seja insubordinada. É uma pena que ele não vai gostar de você. Provavelmente já não gosta, mas dane-se. 
Se você conseguir se impor sem cortar a relação, ótimo. Senão... Não sei se tem algum jeito de sentar com seu sogro e falar pra ele o que te incomoda. Ou ele vai dizer que "estava brincando", ou ele vai ficar muito bravo por ser criticado por alguém que, pra ele, está numa posição duplamente subalterna (por ser mulher, e por ser casada com o fiho dele, em quem ele acha que manda). 
Eu digo tudo isso, mas a verdade é que eu nunca tive avôs. Só conheci, e muito pouco, a minha vó Tina, mãe do meu pai, uma senhora ranzinza, séria e distante (tanto emocional quanto fisicamente, já que ela morava na Argentina e creio que só veio nos ver duas ou três vezes). Ela morreu quando eu ainda era criança, então realmente me lembro pouco dela (não lembro de tê-la visto sorrir alguma vez; lembro do meu pai chorando quando soube da sua morte). Meus outros avôs morreram antes de eu nascer. Eu vejo crianças com avôs bondosos, e isso é muito bacana. Acho que é melhor pra uma criança ter contato com seus avôs, mesmo que eles não sejam tão boa gente, do que não ter. 
E lamento te informar, mas seu sogro não será a única má influência do seu filho. Nem de longe. Vamos ver se as boas influências que você e seu marido vão passar pra ele superem as más. Espero que sim!

86 comentários:

Cão do Mato disse...

Espero que ele também não use, na frente de crianças, palavras como "corno" e "fracassado", xingamentos sexistas por excelência, pois só são dirigidos a homens...

Gle disse...

Coincidência ou não, acabei de ver uma notícia no jornal falando de um avô que estava abusando sexualmente dos seus netos de 6 e 12 anos. Eu nem consigo descrever o tamanho do NOJO que sinto com esse tipo de coisa! (não que tenha a ver com o post, mas enfim.)

O negócio é o seguinte! Antes de ser NETX dele, a criança é "sua". Você tem que deixar claro que tem sua família e ponto. Seu filhx será educadx por você e seu marido e qualquer deslize por parte do "véio", dá um tempo da casa do vô! Ele vai sentir com isso e vai entender que se quiser ter a criança perto dele, vai ter que respeitar vocês! Fácil não será, com certeza, mas creio que é a forma mais simples de resolver esse tipo de situação.

Boa sorte e saúde à vocês!

Sara disse...

J.com um sogrinho desses não vai ser nada fácil, o meu nem era tão machista, mas ficou extremamente ofendido pq eu pedi q ele passasse álcool nas mãos quando chegasse das ruas e quisesse mexer na netinha dele q era um bebe.
Imagina um cara q já tem esse tipo de comportamento, se for confrontado.
Vc terá q ter muito tato pra não criar um clima ruim na sua família, mas engolir isso tudo é q não dá.
Se fosse comigo tentaria uma conversa, a principio com muito respeito, se recebesse qualquer atitude desrespeitosa por parte dele, seria mas incisiva e taxativa, pra q ele não tivesse nenhuma dúvida a respeito de sua posição em relação ao machismo dele.

Lucas Pin disse...

Eu tenho um avô machista, inclusive uns anos atrás minha vó passou num concurso e ele não deixou ela assumir pq "mulher minha não trabalha". Meu avô é um bom avô, porém já está velho e é bem mente fechada, não gosta de tecnologia e tem sempre a mesma rotina, acorda, vê tv, dorme, acorda vê tv... Seria simplesmente impossível incutir ideias feministas na cabeça dele ou discutir a respeito, até msm pq ele não tem muito conhecimento para tal... Bem, eu falei disso pq queria perguntar, inclusive abordando o assunto do post, será que nesses casos vale mesmo a pena se desgastar com as gerações antigas? Ou será que vale mais a pena concentrar esforços para ensinar as novas gerações? Pra mim existem essas pessoas que são "caso perdido" quanto a esses assuntos de gênero, vão morrer pensando assim, e muitas vezes nem é culpa delas, é apenas a educação patriarcal que não tiveram maneira de se livrar. Mas fica ai minha pergunta para debate.

PS: Preguiça de ler dnv e formatar pontuação, acentuação e etc...

Anônimo disse...

Autora linda do texto, sei que é dificil, mas se imponha!
Pro meu cretino de sogro machista, que disse " ou você me faz um menino, ou pra mim não conta", repondi:
- então não vai contar, porque eu conto bem fazer uma menininha! E a sua filha deve ficar muito feliz com você falando coisas desse tipo.

Ele me detesta. Mas pelo menos nossa relação é clara. Eu nem gravida estou, mas no dia que ficar, ele que nem pense em vir com esse tipo de comportamento. Ele é vô, mas eu sou (serei) a mãe. Se ele não se comportar, não vai ver o/a netx.
Simples.

Talvez para mim seja mais facil, porque ja pus os pingos nos is com o meu marido. De repente você deveria fazer o mesmo.

beijão

lia38

Jonas Klein disse...

vou ser o primeiro a comenta nesse poste (que legal).

Bom Lola a nossa amiga precisa esta sempre ciente de que os principais responsáveis pela educação do filho dela, e ela o pai da criança, pois são eles que podem influenciar de forma mais significativa na educação da criança.

Quanto a seu sogro, pesa a seu marido que diga pro pai dele, que não quer que ele toque na sua barriga (caso você não queira mesmo), ai se o velho pergunta o porque ai seu marido deve dizer que não gosta disso e que você também não.

Eu não que eu seja ciumento, mas e que eu também não curto muito ver outro homem (mesmo que seja o meu pai) passa mão na barriga de uma mulher com quem eu namoro, sou noivo dela etc.

Quanto a influenciar na educação do seu filho, já que o seu sogro e machista (pena que isso não e crime) assim, também seu marido deve dizer pro pai dele não influenciar na educação do filho de vocês, e deixando bem claro que vocês já sabem bem o que filho de vocês deve e o que não deve aprender.

A razão de eu sugerir que seu marido diga essas coisas ao pai dele, e por que tem certas coisas que se uma mulher disser para um homem (se for machista nem se fala) o cara pode ate não da bola, agora se vier outro homem e disser aquilo ai a coisa muda um pouco de figura, e também evita que você afete muito a sua relação com o seu sogro.

Boa sorte

Anônimo disse...

vejam a "igualdade",mulher não pode ser xingada não importa o que ela faça e no mesmo texto o sogro dela é julgado e ofendido.

Milene Bernardes disse...

Eu realmente me identifiquei com a J. Não na parte do casamento e tal (porque tenho 17) mais na parte de ter um machista em casa. Meu pai é machista assumido (ele disse) e eu cresci com isso. Por isso acho importante para uma mulher saber se impor nessas situações e não se deixar ser dominada

Anônimo disse...

Você vai ter que ser firme e deixar claro com TODOS que você e o pai são os responsáveis pela educação da criança. E torce pro cara morrer logo.

Lídia disse...

Por falar em problemas com mascus, eu estou amando e muito um.

Estudo numa faculdade pública, dentre os alunos que eu conheço e já fiz muitas matérias, embora de cursos diferentes, eu conheço um cara por volta de 1.85 de altura, de aparência extremamente forte e muito inteligente. Consegue trabalhar, estudar e ainda assim faz exercícios e tem um físico sarado. Quero muito ele, mas o problema dele ser mascu me impede de tomar qualquer medida para me aproximar.

Como eu sei disto? Eu já tentei conversar com ele e acabamos caindo em coisas políticas. Ele é a favor de nas palavras dele "liberar todo e qualquer armamento, inclusive canhões 20mm com munição explosiva", é contra as cotas, usa termos mascus como "feminazi" entre outras coisas.

E pior, é que ele nem parece ser, ele não demonstra sentir ódio ou qualquer coisa do tipo. E outro detalhe. Achei um perfil dele no gpguia e percebi que o cara já saiu com mais de 400 garotas de programa. Pelo menos ele avaliou 417 garotas no perfil dele.

Não adianta tentar demonstrar que o comportamento dele é machista. Para ele, o fato do homem "ir pro trabalho enquanto a mulher fica em casa", ou mesmo "a mulher que poligâmica ser taxada de vadia e o homem poligâmico ser taxado de garanhão" entre outras coisas, não é construção social. É questão biológica.

Já perguntei a ele se ele quer casar e ele disse que não tem absolutamente nada a ganhar e que o casamento só vai colocar o patrimônio dele em risco pelas "leis misândricas"

É uma pena que o movimento mascu tenha feito ele virar um sujeito solitário que só pega GP, porque "não tem joguinhos emocionais e coisas do tipo". Ele parece enxergar tanto os homens, quanto as mulheres, como meros animais sujeitos a seu instinto natural.

Alguém tem alguma ideia de como muda-lo? O cara acredita piamente que não esta sendo misógino em sair com várias garotas de programa e exigir uma virgem para algo sério, apenas esta "seguindo seus instintos"...

Anônimo disse...

Quando você permite que outros dominem a sua vida, é exatamente o que as pessoas fazem. O corpo é seu, o filho é seu, a família é sua e a hora de botar essa gente pra correr é agora. Do contrário, lamentarei pela criança ter uma mãe tão pamonhona.

Anônimo disse...

Te entendo perfeitamente, tbem estou gravida, e a família do meu marido eh extremamente machista. O outro neto tem 4 anos, e o maior pavor deles eh de que o garoto seja gay. Ficam a todo momento sexualizando o menino, apontando mulheres gostosas na TV. Eles dizem que ele já acha as mulheres bonitas, inclusive que fica olhando a própria mãe dele no banho. Esses dias ele me chamou de gostosa (!) e ao invés de levar brinca dos pais eles acharam engracadissimo, inclusive minha cunhada. Fui obrigada a dizer pra ele que não gostei daquilo, e ainda passo por chata. Pior que estou gravida de um menino, será um desafio mto grande, mas pelo menos meu marido tbem não concorda com isso.. Acho que não pode ser saudável essa sexualizacao precoce..

Anônimo disse...

Lidia: va catar coquinho. Você espera que o pessoal do blog te fale o que? Corra desse cretino enquanto é tempo.

E anonima das 13h15, adorei você. Realmente autora do texto,tem mais é que se impor. Preto no branco. o/ a filhx é meu, eu não quero e não aceito esse tipo de comportamento. E pronto.

Anônimo disse...

Lídia, caso seja verdadeiro o seu depoimento, pq diabos vc quer ficar com um cara desses??? CAI FORA, esse tipinho não muda!

Kittsu disse...

"Por falar em problemas com mascus, eu estou amando e muito um. (...) Alguém tem alguma ideia de como muda-lo??"

Como você pode amar alguém com quem não tem a mínima proximidade? E pra quê você iria querer proximidade com uma pessoa assim? Ninguém é capaz de mudar ninguém, não existe pessoa no mundo que seja tão especial a ponto de mudar a personalidade de outras pessoas... nem você, nem eu. Ele deve estar lá feliz sendo desse jeito. Vá você ser feliz com algo que dê futuro, também, porquê entrar para a empreitada de "mudar alguém" só leva a decepção para todos os envolvidos.

(particularmente creio que isso seja apenas uma historinha pra boi dormir vindo de um próprio mascu... mas realmente não duvido da necessidade que certas pessoas têm de buscar sofrimento pra sí mesmas)

Barbara O. disse...

Lacuna de formação minha: o que quer dizer "filho do meu filho, meu neto É. Filho da minha filha, meu neto SERÁ"? não entendi...

Anônimo disse...

Na boa, nao fique com toda a responsabilidade de educar e proteger seu filho das escrotices do seu sogro. Seu marido e filho do escrotossouro tambem tem responsabilidade de dar um basta no cara quando ele se intrometer na vida de voces e na criacao do menino. Alias e mais facil para ele enfrentar o pai do que pra voce, que certamente vai ser considerada a megera da historia.

Muitos ja disseram e repito: A educacao da crianca e tarefa DOS PAIS!!! A familia so deve interferir em caso de abuso.
Quando a crianca fica com os avos, tios whatever o que vale sao as regras do pais. Esse negocio de pai e mae educa, avos estragam e todo mundo acha bonitinho e errado e perigoso!!!!

Jane Doe
(escrevendo do tablet com muitos erros)

Ana Clara disse...

O que quer dizer essa frase "filho do meu filho, meu neto É. Filho da minha filha, meu neto SERÁ"?
Nunca tinha ouvido...

Anônimo disse...

lidia, não se muda ninguém.
as pessoas são o que são, e esse cara boa coisa não é. vc está ciente disso, se quiser investir faça mas, se quebrar a cara por favor não fique choramingando "cai na conversa de um mascu". afinal não é como se vc estivesse desavisada.

Anônimo disse...

Minha dica pra Lídia, é tente esquecer ele. Você não vai conseguir namorar com ele e mesmo que consiga, o cara não vai ter o mínimo de amor por você e vai te largar por qualquer motivo besta. Acredite, já fiquei meses tentando um cara parecido e quando consegui fisga-lo, ele me largou 3 semanas depois por um motivo besta... Dizia que estava fazendo "joguinhos", tem bilhões de homens no mundo. Procure um melhor bjs.

Raven Deschain disse...

Lidia pelamordedels sai dessa! Esse cara não vai mudar nunca!

Bom, com eu sou muito boca dura, com meu filho ninguém se mete nem fala merda. Realmente, moça vc vai ter que impor sua decisão. Se ele não quiser aceitar ele que se lasque. Vai trocar uma fralda? Vai comprar roupa, leite, acessórios, dar banho, levar no médico? Não vai. Então ele que não encha o saco tb.

Mirella disse...

Lidia das 13:09,


na boa, você não tem que mudar ninguém. o cara é desse jeito e vai ser assim até quando ele mesmo quiser mudar, se quiser - o que é improvável, na minha opinião.
o que não entendi é a sua atração por ele, já que você não citou nenhuma qualidade que te atraia além da física (o que nem qualidade é, na verdade, é apenas uma descrição). e, supondo que fazer exercícios, faculdade e trabalho simultaneamente seja algo importante para você, acredito que existam outros homens que não sejam completos babacas com os quais você poderia se relacionar.
o rapaz é adulto, não uma criança que cabe a você educar.
se você consegue sentir atração por ele apesar de ser uma pessoa com uma personalidade detestável (para os meus padrões), veja o que você quer, se é apenas sexo casual ou um relacionamento. se for só sexo casual, acredito que seja simples de resolver. agora, se o cara não quer relacionamento, tem toda essa visão negativa sobre mulheres e compromisso, pra que você vai querer se meter nisso? você não precisa salvar ninguém e nem é para isso que um relacionamento serve. você quer começar um relacionamento já mudando todo o jeito da pessoa? não faz sentido. se ele é babaca e você quer transformá-lo num homem ideal para você, então não é dele que você gosta, é dessa pessoa que você criou na sua cabeça e que não existe e nunca vai existir, pois é, justamente, idealizada.
é óbvio que eu preferia que homens não fossem misóginos, mas é por isso que sou feminista e converso com os homens do meu convívio, e é por isso que tento me empoderar e empoderar as mulheres do meu convívio. ouve quem quer, e eu certamente não irei em fóruns mascus ou o que for para "pregar o feminismo".
enfim, pense um pouco a respeito do que você espera desse relacionamento e se vc não está com uma intenção de "salvar a alma perdida", porque se for, você só vai se decepcionar. tente se relacionar com quem vc tem algo em comum e que tenha características que você já goste. acho um péssimo negócio isso de querer mudar uma pessoa, seja quem for.

Jonas Klein disse...

Anônimo das 12:52 mas eu vou deixa que alguma feminista aqui te diga o que deve ser dito.



Lídia,

"Você diz "Por falar em problemas com mascus, eu estou amando e muito um" você não esta mando esse cara, você só esta atraída por ele, caras atraentes tem muito por ai deixa o tempo passa que você acha um cara atraente que seja uma pessoa legal.

você deve quando procura uma pessoa para ter um relacionamento com você, que seja uma pessoa que combine com o seu estilo ao natural, pois essa historia de procura ter um relacionamento com uma pessoa que você sabe que não e boa pra você, assim como querer muda cabeça dele para ficar com cara, e coisa de quem tem dependência emocional, que um transtorno psicológico serio que precisa ser tratado com ajuda de um psicólogo.

Por ultimo e nem porca seu tempo tentando faze esse cara muda, pois uma pessoa que tem um perfil como o dele, tem problemas psicológicos sérios, pois demonstra não ter qualquer empatia pelas demais pessoas, e tem visão distorcida da sociedade, que talvez não mude nem tratamento psicológico.



Anônimo disse...

Sawl

A autora do texto está certa em se preocupar com o avô machista.
Ao contrário dela que tem u marido compreensivo e de mente aberta(o meu atual felizmente é maravilhoso e sempre apoia minhas escolhas) no meu primeiro casamento TODA família era machista!
Minha ex-sogra, ex-sogro e ex-cunhada eram tão ignorantes e preconceituosos quanto meu marido.
Só pra ter ideia, meu sogro(da época) falava HORRORES pra mim tipo: "que bom que meu filho casou com uma virgem, ele já tava cheio de só encontrar vagabunda no caminho dele", depois de um tempo "agora que meu filho já tirou tua virgindade bem que vc podia engravidar não é mesmo"(minha sogra falou isso!! Sério!), depois "quando vai me dar um neto e de preferência macho hein, não quer menina não, norinha", quando assistia televisão minha cunhada falava quando via uma mulher de roupa curta "depois é estuprada e não sabe porque".
Quando me separei do meu então marido minha sogra veio e disse "um homem como meu filho vc nunca vai encontrar sua desqualificada!".
Mandei essa: "Um LIXO do mesmo tipo teu filho não quero encontrar nunca sua velha babaca". E saí do local ainda apontando o dedo do meio para meu sogro e cunhada. E vc não sabe a sensação DELICIOSA de se livrar de gente machista e asquerosa!!
Antes tinha raiva, ódio do meu ex, mas, depois de um tempo analisei que um cara como ele é muito mais digno de pena do que de raiva porque ele foi criado naquele ambiente, nocivo, preconceituoso cheio de regras e ódio!
Tenha força garota!!

Anônima de 13:21
Que medonha a família do teu marido!
A família dele NÃO tá criando um "macho, heterossexual", tá criando ou um homem cheio de taras, frustações e ódio das mulheres que o rejeitarem, ou um gay enrustido(por mais que eles não queiram) ou pior um tarado, um maníaco sexual que vai se achar no "direito" de estuprar mulheres ou até mesmo crianças!!!!
Achar "normal" que um menino fique olhando com desejo pra própria mãe tomando banho é uma mentalidade EXTREMAMENTE doentia destas pessoas que acham ser sinônimo de "masculinidade" um menino ver a PRÓPRIA mãe tomar banho!! Que pessoas doentes são essas?!!!
Fez bem em chamar atenção do menino porque por mais que ele não vá respeitar as meninas e futuramente as mulheres pela educação podre e misógina que tá recebendo pelo menos você ele irá respeitar!! Foda-se o que os parentes doentes da família do teu marido pensam!!
Não deixe seu filho ser influenciado por estas pessoas!!
Pra diminuir tanta agressões, humilhações e violência que as mulheres tanto sofrem, é indispensável que a educação machista de muitos homens seja revista!!

Sawl - Always the rebel

Anônimo disse...

sawl, acho que vc é fake.
teu "atual" marido deve ser invenção da tua cabeça, pq se ele é tão maravilhoso pq fica falando sempre do ex.

vê se cria vida própria.

Bizzys disse...

Sobre o ditado citado no texto:

Também não tinha entendido, pesquisei na internet e achei que é um ditado antigo português, escrito "filho de minha filha meu neto é, filho de meu filho será ou não."

Ou seja, não dá para duvidar quem da maternidade de uma criança, mas não se pode ter certeza de quem é o pai.

Lógico que sOGRO estava usando isso para ofender a moça do guest post. Espero que ela se imponha e não deixe esse cara estragar a educação do filho dela.

Anônimo disse...

"Quando você permite que outros dominem a sua vida, é exatamente o que as pessoas fazem. O corpo é seu, o filho é seu, a família é sua e a hora de botar essa gente pra correr é agora. Do contrário, lamentarei pela criança ter uma mãe tão pamonhona."

Simples e direto, concordo totalmente com o(a) anonimo(a). Ser "pamonhona", uma ESCOLHA que muitas pessoas fazem para evitar confrontos e depois pagam um preço alto demais por isso. Escolhi não ser e claro que funcionou.

Maria Cecília disse...

Sendo sincera. Nao acho que você deve perder tempo tentando mudar seu sogro. Apenas se esforce em desenvolver senso crítico na criança e aposte no seu próprio desenvolvimento. Revire-se do avesso e observe pequenas atitudes machistas que você possa ainda ter. Essas pequenas atitudes terão uma influência muito maior sobre seu filho do que as atitudes de um sogro.
Desenvolva e seu filho a sensibilidade e o senso crítico. Assim, rapidamente ele verá que você reprova o avô.
O machismo é ruim para os homens também, e tenha certeza que tendo a escolha (a partir de tua influencia) ele vai escolher o melhor lado.

Falo isso porque tenho um filho de 3 anos, família machista. Ele sofre com o machismo da família, e encontra apoio em mim.

lola aronovich disse...

Pois é, gente, eu também nunca tinha escutado isso de "filho de minha filha". Também não tenho certeza do que significa. Alguém já ouviu?

Maria Cecília disse...

Eu já ouvi. Acho que ela se perdeu um pouco, mas lembro que era algo como "Filho da filha, neto é. Filho de filho, neto, será?" Brincando com a dúvida da paternidade... Ridículo.

Anônimo disse...

Me identifiquei bastante com a autora. Também tenho um sogro machista. Ele xinga muito, é extremamente racista, adora inventar namoradas poros netos, falar do quanto serão fudiões (desculpa o termo mas é exatamente isso que ele diz para os netos de 16, 13 e 7 anos.). É visível o constrangimento dos meninos. Não bastasse isso tudo ele ainda é alcoólatra. E quando bebe (diariamente) as coisas ficam piores.

Só que apesar disso tudo ele é extremamente carinhoso com os netos (vai entender). Ainda não estou grávida, mas já estou tentando e todas as vezes que estou com ele e vejo o comportamento dele com os netos sinto esta mesma angustia que a autora do texto. Não quero criar meu filho neste ambiente mas não posso afasta-lo da família do meu marido.

É uma situação complicada...

MonaLisa disse...

Um cara bonitão, boa pinta, estudante universitário, supondo que tenha 20 poucos anos e saiu com 417 GPs?

Levando em conta que mascus só pegam "tops" e o preço do programa delas daria R$ 150,00. Isso daria em torno de R$ 62.550,00?

SQN

Anônimo disse...

não acho que a Sawl seja fake... mas ela tem uma fixação nesse ex mesmo...

Anônimo disse...

O ditado que eu conheço é: filhos de minha filha meus netos são, filhos de meu filho serão ou não. Minha avó usava muito quando queria atacar os próprios filhos ou as noras.

Elaine Pinto disse...

A autora errou o ditado. O correto é "Filho de minha filha, meu neto é. Filho de meu filho, será ou não". Você tem certeza que o filho da sua filha é mesmo dela, mas não tem certeza se for da sua nora. Ditado asqueroso e machista. É isso.

Anônimo disse...

Lola, me identifiquei muito quando você falou da sua avó. A minha também é muito brava e ranzinza, com uma diferença: moramos pertinho uma da outra. É uma relação difícil, e uma das poucas em que, acho, minha avó não foi humilhada pelo meu avô. Acho que no caso deles, o machismo teve um efeito diferente: fez da minha avó uma pessoa amarga, talvez por sofrer muito com o pai machista. Já o meu avô, órfão de pai e mãe desde pequeno, e criado em colégio interno, sempre foi obediente e subordinado. Uma pessoa com um ótimo coração e que faz TUDO pela minha avó, mesmo que as vezes ela não mereça. É ela quem humilha e constrange ele o tempo todo. Enquante ele se desdobra em mil para fazê-la um pouquinho satisfeita – o que nunca acontece. Enfim.

Pra autora do post: moça, minha solidariedade. Tenho problemas semelhantes com a família do meu namorado, e penso que terei os mesmos problemas quando tivermos filhos. A influência da família paterna existe e é muito significativa. Espero que você exponha sua força e seu descontentamento. Não leva desaforo pra casa não! A criação do seu filho vai ser com base no que você e o seu marido acreditam. Se alguém tentar colocar na criação dele alguma coisa diferente, vocês devem cortar sim. No começo pode ser mais traumático, mas mais pra frente o seu sogro deve parar com esse tipo de comentário.


Melissa

Anônimo disse...

"vejam a "igualdade",mulher não pode ser xingada não importa o que ela faça e no mesmo texto o sogro dela é julgado e ofendido."

Ele é um babaca. Babacas merecem ser julgados e ofendidos. Se ele não fosse idiota desse modo, não seria 'julgado'.

Vá à merda, "Capitão Salva Rola".

LeiDe Mamariquinha disse...

"Já aviso que não sou feminista

Quero cada vez mais conhecer o feminismo pois ele me faz crescer em TODOS os aspectos!"

Esse é o caminho.
se mais mulheres fossem responsaveis que nem tu...

Do que adianta carregar o rotulo e vomitar machismo.De exemplo publico vemos muito nas celebridades, ai feministas fica naquela discussao se é ou nao é.So dando nó na cabeça do povo.

Anônimo disse...

"filho do meu filho, meu neto É. Filho da minha filha, meu neto SERÁ".


O que isso quer dizer? Não entendi.

Anônimo disse...

Ah, ela copiou o ditado errado.

-----
Sobre a Sawl, ela passou por uma experiência extremamente forte. Ela já contou aqui que era muito religiosa, casou virgem com uma babaca machista, sofreu agressão.
E hoje é uma feminista feliz e realizada no trabalho e relacionamento.
Eu a admiro muito por dar essa virada na vida dela.
Podia estar até hoje sendo uma esposa submissa, infeliz e resignada - ou seja, uma pamonhona, como disseram aí, mas não aceitou esse destino pra ela.

Anônimo disse...

Lugar de velho escroto assim é abandonado em um asilo, se questionando pq ninguém aguentou ficar com ele. Só acho.

Anônimo disse...

O ditado é machista? Alguns estudos apontam que até 30% (os resultados variam, na Inglaterra foi calculado 4%, que ainda é alto) dos pais criam filhos não-biológicos achando que são.
Machista por que?

Anônimo disse...

Sawl

Para Anônimo ridículo das Anônimo das 15:22

Eu falo do meu ex ô imbecil, porque quero que garotas e mulheres ingênuas SAIBAM identificar um calhorda com fachada de cavalheiro.
Vc que vá criar vida própria invés de julgar a dos outros seu fracassado!
E outra se tá tomando tanto as dores do meu ex, quer que ele te enrabe? Eu posso passar o endereço dele pra vc sua enrustida!!!


Sawl - always the rebel

Anônimo disse...

Sawl para anônimo(a) das 15:53

Não sou fake ao contrário do que anônimo imbecil das 15:22 acha mas a tal "fixação" é TRAUMA de um homem que tirou tua virgindade e em compensação TRAIU, AGREDIU e até tentar ESTUPRAR fez!
Eu ainda faço terapia porque tenho traumas por ter sido casada com um homem misógino e doente então não venha querido(a) cagar regras sobre o que vc "acha" que eu sinto. bjs


Sawl - always the rebel

LeiDe Mamariquinha disse...

"filho do meu filho, meu neto É. Filho da minha filha, meu neto SERÁ".


Gente,na natureza nao existe paternidade nao.Paternidade é uma construção social,uma variante do patriarcado.

Nas antigas tribos as crianças tinham pais e mae.

Mas hj com o dna...

é um ditado antigo

LeiDe Mamariquinha disse...



pera,confundi com o ditado dos cometarios acima

agora reparei melhor e tem cara de ditado nao.

"filho do meu filho, meu neto É. Filho da minha filha, meu neto SERÁ".

significa que o menino vai ter uma educaçao machista por parte do pai,ser homem,e essas bobagens e logo sera neto dele.Ja com a filha... tem suas duvidas.

LeiDe Mamariquinha disse...

Entao realmente moça
esse velho nao é flor que se cheire

Anônimo disse...

sawl, escreva um guest post contando o que passou, ate chegar ao feminismo, sempre vejo seus comentários e acho interessante.

Sara disse...

sawl vc é demaissss!!!!

Anônimo disse...

Você gosta de sofrer né querida? Ainda tem um tanto de homem legal no mundo, e tu querendo esse tipinho...

Anônimo disse...

Ele é um babaca. Babacas merecem ser julgados e ofendidos. Se ele não fosse idiota desse modo, não seria 'julgado'.

Vá à merda, "Capitão Salva Rola".

só reforça o que eu disse,homem babaca pode ser xingado mas mulher faça a merda que for não pode ter seus santos ouvidos maculados com uma ofensa.

Anônimo disse...

mas que coisa... uma feminista querendo um mascu,agora não podem jogar a culpa no machismo,nem se fazer de vítima.

LeiDe Mamariquinha disse...

Eu te entendo moça apaixonada por mascu
se for conta o tanto de paixoes furadas que ja tive...E nao me envolvi com nenhum deles,nao esperava nada deles.

Usa a razao.Nao se envolva com esse cara pq é so decepçao a te espera.

Tenha paciência.

Anônimo disse...

Pensando nos fatores biológicos essa frase "filho do meu filho é meu neto, filho da minha filha meu neto será" é totalmente equivocada.
Se sua filha tá grávida é 100% óbvio que o neto é seu, já se uma mulher tá grávida do seu filho, você tá acreditando na palavra dos dois que o filho é dele...

Quanto à Lidia tá muito estranho esse depoimento. Pra mim parece comentário de mascu sonhando com a possibilidade de alguma feminista querer alguma coisa com ele ou ajudar alguma mulher a ter alguma coisa com ele.

Anônimo disse...

"mas que coisa... uma feminista querendo um mascu,agora não podem jogar a culpa no machismo,nem se fazer de vítima."

mas que coisa... aposto que foi a "lidia" que escreveu esse comentário...

@dddrocha disse...

Gente, tem mesmo que conviver com o sogro? Não entendo porque temos que tolerar certas coisas na vida, mas pro caso de não ter como fugir da convivência, passe por arrogante ou o que for, mas não deixe ele te invadir, não deixe que passe tempo sozinho com seu filho, essas coisas... com certeza ele já não gosta de você, e nada vai mudar a cabeça dele. Foda-se.

Anônimo disse...

E o machismo nas "equipe econômicas"? Todos tão preocupados com o mercado, mas quanto machista é dizer que em prostituta se pode bater e depois chamar para jantar?:

http://terezacruvinel.com/2014/09/17/terrorismo-e-dizer-que-dilma-trata-empresarios-como-prostitutas/

Juba disse...

Eu já ouvi, mas de alguém criticando o ditado preconceituoso: filhos de minha filha, meus netos serão; filhos de meu filho, de quem serão?

Moça do guest, pelos filhos a gente aprende a falar não de uma forma que não se julgava capaz. Para mim, ter filhos foi empoderador, nesse sentido. E a gente consegue mudar as coisas se afastando, se necessário, sem briga e nem chantagem. Os netos vêm para abalar as convicções, mesmo. Ainda mais quando começar a corrigir o avô, não dizendo "você é machista", e sim "nossa, vô, que feio isso!".

Pessoal, acredito que Lidia é fake, valoriza obviamente os sinais de status valorizados pelos mascus/afins que vêm aqui. Releiam o comentário dela.

Anônimo disse...

O que quer dizer ""filho do meu filho, meu neto É. Filho da minha filha, meu neto SERÁ"????

donadio disse...

""filho do meu filho, meu neto É. Filho da minha filha, meu neto SERÁ""

É interessante. Sempre ouvi essa frase ao contrário:

Filho da minha filha, meu neto é.

(Claro, saiu de dentro da barriga dela, não há a menor dúvida de que é filho dela, portanto, meu neto.)

filho do meu filho, meu neto será - ou não.

(Também claro: pode ser filho dele, mas pode ser filho de outro, eu é que não vou por a mão no fogo.)

E eu sempre achei a frase bem patriarcal do jeito que eu ouvi.

Maria Fernanda Lamim disse...

autora do post, acho que posso dar umas dicas. tenho um filho de dois meses e a familia do pai dele nao chega a ser escrotossaura feito o seu sogro, mas rola aquele machismo "velado"; saca? so pra vc ter uma nocao: a avo paterna do meu baby tem NOVE irmas. sao nove pra dar pitaco na tua barriga, no teu parto, na tua amamentacao. .haja saco, viu? rsrs
olha, minha politica e: sorria e acene. a principal referncia da crianca e sempre a mae, isso ng tira de vc. entao discorde e se imponha sem se estressar (e dificil mas e possivel, rsrs)
por exemplo, eu ja fui criticada por querer amamentar exclusivamente ("o leite e fraco e nao sustenta a crianca", risos eternos), por querer dar bonecas pro meu filho ("ele vai virar gay") , por vesti-lo com cores variadas ("mas menino.NAO PODE. vestir rosa e fica liiindo de azul!"), por deixa-lo dormir proximo a mim ("ele vai ficar viciado"- essa eu acho otema! hahaha ). ate meu sling ja foi alvo de olhares. e Sara, pq as pessoas se ofendem tanto com isso.do alcool?? uma tia -avo do Arthur parou de falar comigo pq pedi a mesma coisa! hahahaha
enfim, querida, toda familia tem essas chatices. eu so faco cara de alface e fal "aham" e faco tudo do meu jeito depois.se seu sogro disses alguma besteira pro teu filho, depois, a sos com a crianca,.diga wue aquilo e uma enorme besteira. creia-me, ele vai ouvir vc. minga mae fazia isso. :)
e tem outra coisa: as mesmas pessoas que te criticam sao as que elogiam depois qd a coisa da certo. qurr um exemplo? qd a pediatra constatou que o meu "leite fraco" tava fazendo o Arthur ganhar peso e crescer saudavel, todo mundo elogiou a minha dedicacao de mae por amamentar! e ao verem que ele nao chora de madrugada (pq dorme proximo a mim!), o discurso do "bebe viciado" (hahaha) rapudinho mudou pra "nossa que bebe calminho, como ela e boa mae". ;)
siga a sua cabeca e se empodere. boa sorte com seu ou sua filhote!<3

Elaine Pinto disse...

@dddrocha, isso que você levantou é interessante. Teve um post relativamente recente no Blogueiras Feministas falando desse tipo de relacionamento. No caso, o texto era sobre filhos que se afastavam dos relacionamentos tóxicos que tinham com os pais/mães, mas acho que a lógica se aplica a esse caso também: http://blogueirasfeministas.com/2014/08/algumas-vezes-e-preciso-se-divorciar-de-seus-pais/

Anônimo disse...

Ahhh o ditado tá errado...agora lendo os comentários entendi....kkkkkkk...se eu ouvisse isso ia mandar na boa: que ótimo, assim meu filho pode ir só na casa dos avós maternos!!Já que vocês nem sabem se são avós mesmo...

donadio disse...

Se você não mora com os pais do seu marido, as coisas são mais fáceis - visite pouco, visite ainda menos se se comportar mal. Se vier visitar, bem, a casa é sua, nela mandam você e seu marido.

Se você mora com eles, é mais complicado. Ir morar em outro lugar seria a melhor solução.

Se o seu marido te apóia nessas posições, tudo fica mais fácil. Se ele gosta muito do pai, ou se tem medo dele, pode ficar mais difícil. Mas converse com ele, e procure combinar de apresentarem uma frente única diante dos seus sogros, com o mesmo discurso e a mesma ênfase.

Boa sorte, e lembre que vizinhos, colegas de escola, professores, são influências também muito importantes, e muitas vezes nefastas.

Nós vivemos numa sociedade machista, e não podemos nos isolar dela. O machismo tem de ser combatido todo dia, inclusive dentro de nós mesmos, e nunca ficamos realmente "prontos", livres dele. Especialmente se somos homens.

Anônimo disse...

Esse ditado não é patriarcal não. Eh a verdade, oras bolas. Não dá pra ter certeza da paternidade...

Uma vez na casa dos meu avós meu vô paterno disse quando a filhA dele estava gravida: ahhhhh, esse sim, terei certeza que é neto meu.

E minha avó materna manda na mesma hora: e quem disse que você que é o pai da tua filha?

Ué, quem fala o que quer, ouve o que não quer. O ditado pode ser de mau gosto, mas não é machista. Pode duvidar da indole da mumher, as não a põe como ser inferior.

Na mesma visita, estava falando que é injusto as crianças terem como nome principal o nome do pai, pois a mãe a gente tem certeza, ja o pai.... minha tia -avó ficou CHO CA DA! me chamou de mulher indigna e tudo.

Só mandei ela ir mamar na teta da vaca. Nem em abalo, sou diva! :-)

Anônimo disse...

Não sei se a Lídia é fake. Por um lado, eu tenho um pé atráz, por outro, duvido que um mascu conheceria a teoria de que papeis de gênero gêneros são construções sociais. Mascus são como crentes bitolados, a diferença é que os crentes só conhecem a bíblia e os mascus o Nessahan...

Anônimo disse...

Só um adendo ao que falaram de mascus verem a sexualidade humana de forma similar a animais. O Nessahan Alita vive comparando a sexualidade humana com a sexualidade animal. Eu li os livros dele, embora não concorde com nem metade da metade do que ele coloca, assim como li livros do Adam Smith e não concordo com nada do que é colocado.

O curioso, é que um homem que "cede aos instintos animais" pra eles, não tem problemas, mas uma mulher que faz o mesmo é uma "vadia hipergâmica"...

Os mascus não acham que existe "construção social de gêneros", para eles é tudo questão genética.

Julia disse...

Concordo com a diva que postou as 09:59 e com a LeiDe sobre o ditado, paternidade é construção social.



Raven Deschain disse...

Noooossa Maria Fernanda. Essa do bebê ficar viciado em dormir junto ouvi no hospital. A obstetra que fez meu pré natal nem apareceu (parto de madrugada, neh?), quem fez meu parto foi um medico que eu nunca tinha visto, aí quando a bonitona resolveu aparecer, foi de manhã, só pra perguntar se eu tava sangrando (uat, quase morri de tanto sangrar fia) e dizer que eu não devia dormir com o piá, pq isso deixa eles mal acostumados. Dorme comigo até hoje e já tem seis anos u.u.

LeiDe Mamariquinha disse...

E ainda quanto ao ditado lembrou-me dos judeus.Uma coisa coerente que eles determinam é que filho de mae judia,judeu é.
É o único determinante a ter sangue judeu.

Anônimo disse...

como sempre sawl, só sabe apelar pra ignorânçia. loamento o que houve contigo e torço para que se recupere totalmente.
só pra constar, mão quero que teu ex me "enrabe" e nem me interessa o endereço dele, tira um pouco desse ódio de vc que isso só vai te fazer mal mas, por favor não desconte em ninguém.

LeiDe Mamariquinha disse...

E esse ditado dito por uma avó é coerente.Ja por um avo é nonsense

LeiDe Mamariquinha disse...

veio,agora vejo o quanto a ciencia comportamental é nojenta de tao manipuladora.

Graças temos a net hj em dia.Imagina ae as grandes midias, que adora divulgar esses dados manipulados, se nao fosse...vixe!

A era da internet é o verdadeiro renascimento.
A verdadeira maquina de Gutemberg.

E santo google um grande auxiliador.


Anônimo disse...

@Lídia:
Que barra, hein? Deve ser mesmo difícil estar apaixonada por um mascu mesmo sabendo disso. É como dizem, ninguém é perfeito.

O que eu posso aconselhar é avaliar o que você sente por ele, o quão tolerável é para você esse defeito e se você tem condições de suportá-lo apesar disso (por exemplo, se você domina uma arte marcial, que para um cara desses você VAI precisar).

Já estive entre os mascus (e é algo que eu me envergonho hoje em dia, mesmo considerando que eu não sou feminista). E posso dizer que só existem duas formas de fazer um masculinista perceber a besteira que está fazendo:

1. Se isso gerar consequências negativas diretas para ele. Como foi o caso, por exemplo, do The Truth, que sofreu perseguições (dos próprios mascus) e contraiu algumas doenças mentais sérias decorrentes do ódio que rola lá dentro. E esse caso ainda não garante que haja a mudança;

2. Se ele tem o mindset que o permita amadurecer. Ou seja, ele tem (alguma) empatia, é inteligente, procura se informar a respeito do outro lado da moeda e, principalmente, tem maturidade o bastante para assumir que a sua opinião está errada e mente aberta para mudar de opinião. Mas essa mudança ainda assim leva tempo e é algo que ele precisa se interessar. Ele precisa ter essa curiosidade de saber o que "as feminazis" realmente defendem.

E, sinceramente, os mascus que estariam dispostos a mudar são raros. A maioria é daqueles die-hard, em especial os guerreiros da real e os sanctos. E entre os poucos que mudariam, a maioria é porque se encaixam no primeiro motivo.

Os do segundo são raros. Raríssimos, aliás. Mas acho que uma forma de que talvez você possa reconhecê-los é se eles citarem autorxs feministas fora daquelas que os mascus normalmente mencionam (Valerie Solanas, Andrea Dworkin e as autoras das obras radfems, por exemplo). Se ele citar algo sobre Simone de Beauvoir além da primeira frase de O Segundo Sexo, é sinal de que ele está se informando a respeito do feminismo. Mas, para saber isso de forma discreta, você precisa investigar o perfil dele no Facebook, Twitter, Google+/YouTube, Disqus, etc.

De qualquer forma, se você achar que o cara realmente valha o esforço apesar de ser mascu, eu recomendo que você faça essa investigação nas redes sociais de qualquer maneira. Até para avaliar o quão mascu ele é e o quanto essa posição te afetaria em um eventual relacionamento. Mas não se esqueça que você não pode mudá-lo. É impossível.

Mas você pode facilitar para que ele faça essa mudança caso ele seja do tipo 2. Por exemplo, sabe aquelas táticas que funcionam com crianças para que elas gostem de leitura (como deixar um livro com capa que desperte interesse à vista, sem pressionar a ler)? Pois é. Mas isso só funciona se você tiver se relacionando com ele e se for um cara relativamente jovem ou imaturo. Isso é só um exemplo. O que vale aqui é a criatividade e ressaltar que a tática usada varia de acordo com a personalidade, a situação do momento e das condições psicológicas não apenas dele, mas as suas também. Afinal, não adianta forçar um cara cabeça-dura a entender uma situação dessas.

E se ele for do tipo 1, você precisa estar no lugar certo e na hora certa para que ele mude. Ou seja, ele precisa se fuder gostoso por causa do masculinismo. E você precisará ser a pessoa para quem ele vai pedir ajuda. Aí é você quem dá as cartas e vai ter de dominar a relação enquanto ele estiver melhorando. Isso não é muito feminista, mas é absolutamente necessário.

Se não for de nenhum dos dois tipos, fuja enquanto é tempo. Você vai ter o maior pesadelo de sua vida.

Aliás: Nunca, jamais transe com ele sem camisinha, mesmo que ele reclame ou vocês façam exames. Ele pode ter doenças venérias e transmiti-las para você. Até mesmo HIV, mas HPV é certeza que ele tem.

Anônimo disse...

"Esse ditado não é patriarcal não. Eh a verdade, oras bolas. Não dá pra ter certeza da paternidade..."

De acordo com a teoria de Engels, daí teria surgido a família patriarcal e a vigilância da sexualidade feminina.
Do incômodo dos homens de não saber quem era seu filho, quem era filho do irmão, do melhor amigo, etc.

Anônimo disse...

Que amor esse sogrinho heim! Corre que eh ciladaaaaaaaaaaaaaaaaa

Juba disse...

Ah, mais um toque pra moça do guest, que aqui em casa resolveu os problemas...

Minha família é mais complicada que a do marido, mas acabava que eu tinha que me resolver com a minha E com a dele. Fizemos então um acordo: cada um lida com as encrencas com suas respectivas famílias. Apresentamos uma frente unida, não demonstramos discordâncias entre nós (se houverem, discutimos em particular), ficou tudo muito mais fácil.

donadio disse...

"li livros do Adam Smith e não concordo com nada do que é colocado"

Então leu mal. Smith não é a caricatura que dele fazem seus pretensos seguidores.

Anônimo disse...

Quem muda as pessoas e carreto. Namore com ele na esperanca de muda-lo quando vc for ver estara apanhando dele e proibida de ver suas amigas.

Anônimo disse...

"Minha família é mais complicada que a do marido, mas acabava que eu tinha que me resolver com a minha E com a dele. Fizemos então um acordo: cada um lida com as encrencas com suas respectivas famílias. Apresentamos uma frente unida, não demonstramos discordâncias entre nós (se houverem, discutimos em particular), ficou tudo muito mais fácil."

na teoria era esse o esquema na minha casa, a família do marido é enrolada demais. Mas pelas minhas costas, essa tal de frente unida não existia, o fdp ficava falando mal de mim até não poder mais

gentinha q se merece

larguei e dei graças a deus por não ter engravidado desse boçal

Anônimo disse...

A.J.
sempre pensei que estivesse buscando um modelo de família diferente, mais cooperativo, sem os problemas antigos. Mas o modelo de família machista que meu ex marido sempre teve em casa foi invadindo nossa casa, em meio a outras turbulências que não vem ao caso, muitas causadas tbm pelo machismo. Desisti do casamento, mas jamais deixaria meu filho sem pai, faço questão que eles passem muitos dias juntos mesmo sabendo as influências que ele terá ao conviver com esses exemplos. O que me confortou muito foi pensar que eu tbm tive muitos exemplos ruins, alguns muito muito ruins, mas em um certo momento eu alcancei maturidade para enxergar o que tinha de bom e escolher o que eu ia levar comigo de tudo que me mostraram. Ensina seu bebê a ser crítico, mostre tudo de melhor que vc puder e acredite nele... Beijinhos e muita saúde pro bebê!!! :)

Joane Farias Nogueira disse...

Lola , é que ninguem vai duvidar que o filho de sua filha é seu neto. Saiu da barriga da sua filha. Mas o filho de sua nora pode nao ser bem do seu neto. A sua nora pode ter traido seu filho.
Os filhos de minhas filhas sao meus netos. Os filhos de meus filhos,nao.
Lembrei daquele post onde vc disse que filhos de gentios e judeus só sao judeus se as maes forem judias. Mas se um judeu casa uma gentia,aí,nao vale.
Na hora hora eu lembrei desse ditado e desconfiei que tivesse algo a ver com isso.
So palpite...

Joane Farias Nogueira disse...

Nunca reparei nisso e nem acho que seja da nossa conta o que ela sente a respeito do ex. Minha solidariedade a a ela e só. Mas lembro de ter lido algo triste a respeito da vida dela. E entendo que por esse ser um site que remonta as tristezas da misoginia que sofremos , o mais natural é que a gente se refira ao que mais nos causou magoas. Nesse caso, creio ter sido o marido dela. Qual o problema nisso?

Joane Farias Nogueira disse...

Anon de 18 de setembro, 21:07 , a Sawl as vezes responde c raiva, m nunca responde à toa. Quem fala o que quer sobre a vida dos outros... acaba ouvindo o que nao quer.

Anônimo disse...

Hummm... Eu tenho um sogro desses! Mas tenho também sorte e moro longe. Meu sogro foi um pai agressivo e sem paciência e meus cunhados diziam que se meu filho fizesse alguma coisa que o sogro não gostasse ia levar na cara. Hahahaha Imaginem quantas vezes deixei meu filho bebê sozinho na casa dos sogros? Nunca, nunquinha! Ocorre que meu sogro é um doce com meu filho e respeita minhas escolhas mais do que eu esperava! Ele me surpreendeu. Meu filho e ele se adoram e estão sempre conversando pelo telefone, com saudades... Claro que tem uma misoginia, tem uma homofobia, que eles acabam falando na frente dele, mas como não se veem sempre eu consigo contornar dizendo que é o jeito diferente do vovô pensar, mas que eu não acho certo. Eu te desejo boa sorte, pra saber quais brigas comprar e o que deixar pra lá, que o pai do seu bebê seja parceiro e te apóie, e muita paciência, porque mulher grávida e mãe recém-parida são para-raio de maluco e gente sem noção...

Anônimo disse...

Aqui não tinha essa de mão na barriga não, eu saia fora mesmo. Não tem essa de "carinho no bebe", é minha barriga ainda e me incomodava demais gente tocando, ainda mais sem permissão. é igual agora, meu bb tem 2 meses e costuma colocar as mãozinhas na boca, faço todo mundo lavar mão antes de pegar nele e peço pra não tocar nas mãos. Se não gostar, azar. Quem passa noites acordada cuidando dele sou eu.