segunda-feira, 14 de abril de 2014

"MEU NAMORADO ADORA PORNOGRAFIA"

A B. me enviou essas inquietações:

"Acompanho seu blog, foi um dos primeiros que me fez entrar em contato com o feminismo. Gostaria de pedir uma opinião. Esses dias, estava fazendo um trabalho no computador do meu namorado e encontrei muito material de pornografia. Eram mais de 50 gigas de filmes pornôs, mais de duas mil fotos, e isso me incomodou e MUITO.
Não pelo fato d'ele ver pornografia. Eu também vejo, mas vejo pelos sites por aí. Achei super estranho essa necessidade dele de armazenar, baixar e guardar essas coisas. Fiquei triste, pois 100% das fotos e vídeos eram de garotas com um corpo impecável, coisa que meu corpo está longe de ser. 
Tenho sérios problemas de autoestima, ainda mais depois de ter passado por um namoro abusivo (esse ex me largava na rua no meio da madrugada, me agrediu duas vezes, e dizia coisas horríveis, como: 'Estou com você porque é óbvio que mulher top eu nunca conseguiria levar pra cama, a não ser pagando'). 
Quando conheci meu atual namorado, me senti aliviada em ver que ele não era (tão) machista e tinha uma visão parecida com a minha sobre o mundo. O que me incomoda é: do que adianta ele vir me falar que simpatiza com o feminismo, que luta contra o machismo e as formas de opressão, sendo que ele é um grande consumidor de uma indústria que sustenta isso
Que adianta ele vir me dizer que não liga para o corpo das mulheres, que todo corpo é bonito em sua forma de ser, sendo que nas fotos/vídeos pornôs que ele guarda 100% eram corpos dentro do padrão de beleza?
Será que estou sendo radical demais? Será que tem algum fundamento ou isso tudo não passa de uma neurose da minha cabeça?"

Minha resposta: Eu realmente não sei, querida B. Sou uma pessoa que nunca gostou de pornografia. Minha opinião é que a pornografia é uma indústria que vive da exploração do sexo e das mulheres. Tem gente que entende a pornografia como algo de vanguarda, meio rebelde, que vai contra o sistema. Eu não penso assim. Pra mim, pornografia é capitalismo. Faz parte do sistema. Não está de jeito nenhum contra ele.
Acho que pornografia pode ser prejudicial à quem assiste. Não que eu pense que um cara que vê um vídeo pornô vai sair e estuprar uma mulher, não é isso. Mas a pornografia em geral tem uma narrativa de que uma mulher está sempre a fim de transar (no máximo ela se faz de difícil), que todas as mulheres se depilam e tem peitões, que todos os homens têm pênis enorme (ou devem ter pra dar prazer a uma mulher), que tudo bem transar sem camisinha, que toda mulher adora sexo anal, sexo com outras mulheres, penetração dupla, tapinhas, esperma na cara, o escambau. 
E isso que só estou pensando no pornô mais mainstream, o que não se baseia na humilhação de mulheres. Porque há um mercado gigantesco também pra humilhação e misoginia explícita.
Um dos problemas é que vivemos numa sociedade moralista, ainda cheia de tabus. Eu acho que se o mundo fosse mais livre, sexualmente falando, sem padrão duplo de sexualidade, haveria menos pornografia, menos prostituição, enfim, menos exploração comercial do sexo. Mas, no nosso mundo, meninos aprendem sobre sexo vendo filmes pornôs.
A educação sexual nas escolas e em casa é irrisória, e toda uma geração de meninos muito novos "aprende" tudo que sabe sobre sexo através da pornografia. Ou seja, aprende um monte de coisa errada. E a primeira vítima é ele mesmo, que vai ter certeza que seu pênis é minúsculo. Virará consumidor vitalício de fórmulas que prometem aumento peniano.
Imagino que, com a idade, boa parte dos homens perceba que filme pornô é ficção, não documentário. Que o que se vê em filmes pornôs é tão real quanto nesses filmes de ação em que um carinha pula de um prédio em chamas pra um helicóptero e consegue derrubá-lo com as mãos.
Mas será? Muitas de nós mulheres sabemos que as imagens femininas que vemos na mídia não são verdadeiras. Que são photoshopadas até a morte. Que nem a Angelina Jolie é a Angelina que aparece nas revistas. Mesmo que saibamos tudo isso, ainda somos afetadas pelas imagens que vemos. Elas afetam nossa autoestima. E as meninas, que talvez ainda não saibam que na vida real mulheres de 1,80 que pesam 50 quilos não são o padrão? Essas meninas que veem 500 imagens distorcidas por dia, como a indústria da moda e da propaganda as afeta?
Como a indústria pornô afeta a cabeça de um menino de dez anos? Ele sabe que aquilo não é real? Se ele sabe, isso evita que ele seja afetado por milhares de imagens de uma indústria que determina como deve ser sua sexualidade?
Eu pessoalmente não me importo se meu marido assistir pornografia. Quero dizer, certas coisas seriam inadmissíveis: pedofilia, zoofilia, pornô com violência sexual, que simula espancamentos e estupros.
Mas fantasias, pensamentos, todo mundo tem. Se seu namorado fantasiar que está transando com dez atrizes pornôs enquanto está transando com você, paciência. Não dá pra querer controlar o que cada pessoa pensa. Mas uma coisa é fantasia durante o sexo, na nossa cabeça (mulheres também fantasiam: imaginam que estão transando com um astro do cinema, ou com atores pornôs; muitas fantasiam que são atrizes pornôs ou prostitutas, ou que estão sendo estupradas -- o que é totalmente diferente de querer ser estuprada de fato). Outra é sustentar uma indústria pornô que interpreta essas fantasias. Ou, como diz Gail Dines, "fantasias acontecem na cabeça, pornografia acontece nos bancos internacionais".
Na realidade, eu estou por fora de tudo. Sei que a indústria pornô está em crise, porque pouquíssima gente hoje paga por pornografia. Tem um monte de coisa de graça na internet, não? Os cinemas pornôs fecharam quando o vídeo se popularizou; os dvds substituíram os vídeos, e hoje a internet é onipresente. 
A indústria musical não vive mais de venda de cds, só de shows ao vivo. O que faz a indústria pornô, então? Imagino que continua forte em outros filões de "entretenimento para (homens) adultos", como prostituição e casas de striptease. Porque, no fundo, é a mesma indústria.
Gail diz que "pornografia é para o sexo o que o McDonald's é para a comida". 
Se a gente falar mal do McDonald's, ninguém vai dizer que somos "anti-comida", porque obviamente a comida de lanchonete é apenas um tipo de alimentação (logo a mais comercializada, a que gera mais lucro). Mas é só falar contra pornografia que uma feminista se torna "contra o sexo". 
Não sei responder a sua pergunta. Entendo perfeitamente o seu incômodo, mas não saberia o que fazer. Conversar com o namorado, talvez?

115 comentários:

Anônimo disse...

Não sei também, acho que o melhor seria ela tentar informar o namorado sobre essas coisas da indústria pornográfica e etc. Mas não vejo um grande problema em ele ter vários vídeos pornô. Pessoalmente, justamente por esse nicho ser completamente focado no prazer masculino, é raro eu me sentir excitada com vídeos eróticos, mas acontece. Mas fosse o caso eu não me importaria de assistir na internet, mas não compraria um artigo desses.
Resumindo, acho importante a pessoa saber identificar o problema da pornografia mainstream, mas não vejo problema em ela usar da própria.
Só que isso é muito pessoal, sei lá, se meu namorado assistisse muitos vídeos de simulação de estupro eu ia ficar me sentindo mal, por mais que fosse a imaginação dele e etc.
Quanto ao padrão de beleza de vídeos eróticos, novamente, ele conhecendo as implicações do corpo perfeito inalcançável, acho tranquilo (é provável que com a informação ele naturalmente deixe de gostar de alguns segmentos da pornografia).

Anônimo disse...

E quando o "material pornográfico" do cara trata-se de fotos e vídeos das ex???
Isso pra mim é doença, na boa!
Tive um namorado assim: viciado em pornografia. Era um inferno e ele quase conseguiu destruir minha vida sexual, mas o "máximo" que conseguiu foi destruir minha auto-estima mesmo.

Um conselho? Converse com o cara! Tenha certeza do que esses filmes representam pra ele e, se for o caso, aconselhe-o a procurar uma terapia ou tratamento que o faça se livrar disso.

Eu falhei nesse ponto, não consegui mostrar ao meu ex que ele estava doente e resolvi abrir mão do nosso relacionamento. Espero que o seu caso tenha um final mais feliz que o meu.

Boa sorte!
E paciência...

Raven~ disse...

Ah eu acho que tudo depende. Eu gosto de pornografia. Mas assim... Tudo tem limite neh? Que ninguém esteja dormindo, nem sendo humilhada, nem apanhando, nem bizarrices afins. E é engraçado isso que vc falou de padrões. Pra quem procira e consome, sabe que a pornografia na internet é muito democrática. Tem pra tooodos os fostos mesmo. Essas perfeitinhas, aa centerfold, não curto.

Mas óbvio, por todos os motivos indiscutíveis do texto, meu filho não vai ter acesso a isso tão cedo. Eu sei discernir, ele não. Maior cagada achar que nossas crianças podem (credo, devem!) ter acesso a essas coisas.

Anônimo disse...

Ela diz que ela mesma vê pornografia mas diz que o namorado sustenta essa industria machista por ver pornografia. Aff.

Anônimo disse...

ela assiste pornô mas fica com raiva do namorado ver e guardar? bela hipocrisia.

Julia disse...

Por que uma pessoa armazena essa quantidade de pornografia? É pra se a internet cair não ficar na mão?

Ou ficar na mão, no caso?

Isso já é vício brabo. Interna ele numa clínica de dependentes!

Anônimo disse...

Que nada, o melhor seria ela cuidar da vida dela e parar de invadir a privacidade do namorado e ainda se achar no direito de ficar magoada e querer cobrar dele

Anônimo disse...

Direito dele ver pornografia, e você não tem nada a ver com isso.

Quanto ao que a Lola falou sobre ter muito porno misógino, eu como estou bem mais por dentro do mundo do que ela posso dizer que existe sim, mas curiosamente existe muito mais o mercado "misântropo"(é essa a palavra?) com dominação feminina e humilhação do masculino (femdom, chastity, cuckold, CBT, etc).

Talvez isso se dê também em função do machismo, pois o homem com tendências submissas tem que encontrar "alívio" na pornografia enquanto a mulher com essas tendências ou o homem com tendências "dominadoras" estaria apenas "cumprindo seu papel social".

No entanto, apesar de entender que ele ver pornografia é direito dele, seja qual for a vertente (excluída obviamente a pedofilia), ver pornografia e a masurbação são hábitos/vícios que fazem muito mal à saúde mental e consequentemente à física do homem.

Procure no youtube por um documentário chamado "your brain on porn", ele explica como a pornografia e masturbação alteram de forma intensamente negativa o sistema de recompensas do cérebro. Mostre para ele o documentário. Se ele quiser usar, é problema dele, mas é algo que infelizmente é propagandeado como inofensivo e saudável mas na verdade não é, por isso abandonei esses hábitos e sinto uma grande melhora.

Anônimo disse...

Ah, e quanto a só ver filmes com corpos perfeitos, ele deve estar em um estágio inicial da vício em pornografia. Já passei por esse.

No entanto, é como uma droga, cada vez vc precisa de uma dose mais forte para ter o mesmo efeito, no caso, cada vez de uma mulher mais perfeita, até o ponto em que não existe nenhuma atriz mais bela então começas a diferenciar as práticas (passando para bdsm leve, bondage, etc) e os estilos, como procurando por videos caseiros, por mulheres "imperfeitas" (gordinhas, gordas, obesas, anas, caolhas, 3 peitos, coroas, idosas, grávidas, etc). Chega um ponto em que a atrix de 20 anos perfeita não excita mais, apenas a mulher com uma barriguinha, cara de "mulher comum" de 35 anos filmado com uma camera caseira é que excita. Ou entao bondage. Ou entao spanking. Enfim, as possibilidades são infinitas.

Anônimo disse...

Curioso que situacao parecida aconteceu comgo algumas semanas atras. Numa conversa boba sobre janelas anonimas do google chrome, perguntei rindo ao meu namorado pra que ele usava as janelas anonimas. Ele respondeu "ue, pornografia..". Eu sabia que a grande maioria dos homens assistem pornografia e achava que tudo bem tambem, desde que nao tenham esses fetiches bizarros (estupro, pedofilia, zoofilia etc). Mas confesso que, na hora, fiquei bem triste e nao sabia exatamente o porque. Ele ficou triste tambem, disse que nao tinha nada a ver com insatisfacao com a nossa vida sexual, que nao sente necessidade quando to na casa dele, que era so pra aqueles momentos de quando ele quer dormir logo, quando so quer gozar e dormir. Eu tentava me dizer "po, nao grila, nao tem nada de mais", mas so fiquei meio pra baixo o resto da noite e fomos dormir.

Depois, conversando com dois amigos e pedindo opinioes sobre o tema, deixei claro que nao queria ter ficado triste ou zangada, mas nao conseguia explicar o motivo e nao consegui evitar ficar melancolica. Eles foram super compreensivos dizendo "olha, eh normal que voce tenha se sentido assim, porque eh um golpe na autoestima mesmo. Quando descobri o historico do meu namorado, tambem fiquei super mal. Mas nao fique triste, porque eh verdade isso de que as vezes temos essa necessidade de assistir so pra dormir logo". O outro disse "ah, nao fica matutando isso nao, porque pornografia eh uma coisa legal de assistir, a gente sabe que nao tem nada a ver com a realidade. So eh legal de ver mesmo"

Depois desses conselhos, fiquei mais de boa em relacao a isso... Talvez nao seja o mesmo que descobrir gigas e gigas de pornografia, mas de coracao eu diria pra voce nao se preocupar com as mulheres dos videos, porque seu namorado sabe muito bem que elas nao sao reais. Eu nao associaria o namorado atual que ve as mulheres "perfeitas" dos pornos com a cabeca do ex (que eh certamente um babaca)...

Bru disse...

Eu tb não contra a pornografia e ao contrário de vc Lola,eu me importaria se meu namorado/marido assistisse...não sei bem bem explicar, mas é como se eu sentisse meu companheiro assinando embaixo das opressões, padrões de beleza...

Isso sou EU, algo que ME incomoda...

Rafael disse...

Eu leio sempre o blog mas comento pouco. Quando você postou um texto sobre preconceito entre gays e machismo, comentei aqui que eu venho de uma educação machista e tenho comportamentos desse tipo, mesmo sendo contra. Lola, hoje eu sou feminista. Eu tenho orgulho de ser feminista. Feminismo não é só para as mulheres, o mesmo machismo que discrimina vocês é o que me impede de me assumir, levar um namorado em casa, ter a aceitação dos meus pais.

Não sou viciado em porn, nem de longe compara ao que a moça do texto descreveu. Mas eu acho difícil conciliar os meus ideais e o feminismo com algumas coisas que eu curto. Eu admito que tenho evitado me aprofundar em discussões sobre pornografia mesmo lendo muito sobre feminismo por causa disso. Claro que eu não estou falando de pedofilia ou zoofilia, isso eu também sou contra. Mas eu sempre gostei de sexo bruto e é o que eu gosto de ver no porno. Não é sadomasoquismo com chicotes e tapas, é mais uma questão de controle, dominação, rough sex como a gente chama em inglês. O que inclui esses videos com fantasias de estupro e humilhação. É um ambiente machista e a maioria segue esses esteriotipos de que o cara que é ativo é mais macho, e o passivo é puto ou é afetado. As cenas são bem falsas, dá para saber que não é real. Eu tento não ser um cara machista e não apoiar a cultura do estupro, mas esses videos são o tipo de coisa que me deixa excitado. Não estou dizendo que eu tenho tesão na ideia de estuprar alguém, mas é o sexo bruto, forte. Claro que na vida real a outra pessoa tem que consentir e tem gente que curte assim.

Meu ex-namorado curtia e quase toda vez que a gente transava era desse jeito. Eu me arrependo um pouco porque ele não tinha muita experiência antes de mim, mas era o que nós dois curtíamos, era consensual sempre. Só teve uma vez que a brincadeira meio que saiu do controle e eu forcei uma coisa que ele não queria. Disso eu me arrependo muito, fiquei mal na época e a gente conversou. Ele disse que não queria usar a palavra estupro porque era algo muito forte, mas eu acho que foi o que aconteceu. Eu não sei. Ainda me sinto mal pelo que aconteceu naquele dia. Não sei se o tipo de pornagrafia que eu assisto tem a ver com isso ou se tem algo errado na forma como eu encaro o sexo, eu realmente não sei. Uma vez eu assisti um video real em que uns caras abusam de um cara que parece muito bêbado e forçam ele a fazer sexo e eu fiquei excitado. Eu me sinto muito culpado por isso, mas eu vi aquele video mais de uma vez. Eu não estou perdido nisso. Significa que eu não sou feminista? Eu ainda posso ser se eu mudar? Eu não sei como mudar.

Anônimo disse...

Então, querida. Vou te dar a minha visão da coisa. Meu namorado (na verdade, é noivo há dois meses) também consome MUITA pornografia. E se masturba com frequência. Nós sempre tivemos um papo muito aberto sobre isso e inclusive assistimos pornografia juntos. E pelo que ele me conta, isto é absolutamente normal dos homens. Eu discordo da Lola sobre as pessoas não deverem ver pornografia porque é uma indústria que explora o sexo, etc. Eu encaro como algo normal e natural do ser humano e não acho que o meu namorado me ama menos por consumir muito isto. Às vezes, tentamos reproduzir algumas coisas. Quando eu não estou afim, digo não e pronto. Não vou te dizer que ele não acaba me cobrando pra fazer certas coisas que as atrizes pornôs fazem às vezes e que eu não gosto tanto, mas às vezes eu tento fazer pra deixá-lo feliz, assim como ele também retribui pra mim. E tudo sem nenhuma obrigação, sabendo que nós dois somos um homem e uma mulher de verdade, e não desses produzidos na TV. Então, meu conselho pra ti seria tentar ter um papo mais aberto com ele sobre isso. Eu acho que é muito comum os homens consumirem pornografia, mas eles não compartilham isso com as namoradas talvez por medo do que elas vão achar. Eu só acho que tem que quebrar o tabu e confiar mais em você mesma, também. Afinal, ele não é idiota e ele sabe o que é mulher de verdade e o que é mulher de mentira (assim espero), e se ele não souber, você, mulher decidida, vai lá e ensina pra ele até ele aprender. Sei que o que dá certo pra mim não dá certo pra todos, mas é que eu só acho que coibir, proibir e censurar não é o caminho. Um beijo e boa sorte.

Bruno BReis disse...

Na boa: Converse com o cara. Porno, como tudo na vida é bom, porém em demasia faz mal. O fato de ele ter os vídeos no PC não significa que ele os vê com frequencia. Há também as práticas sexuais onde um dos parceiros (seja o homem ou a mulher)se colocam em situação submissa em relação ao outro, e desde que isso seja de livre e espontânea vontade, não há problema. Porno é sim a ficção do sexo, e a percepção disso não conseguimos com o seu consumo, mas sim com o contato com outras pessoas, conversa mesmo. O namorado da leitora parece ser alguém que é aberto a um bom diálogo. Portanto sugiro a ela que faça exatamente isso: converse, abra as cartas na mesa, sem dramas e neuras. Esclareçam tudo, tirem as dúvidas de um em relação ao outro, vice-versa e acertem os ponteiros. Quem sabe, até a própria moça pode se interessar pelo assunto, e descobrir algum tipo de pornô que a agrade, ou não. Abraços a todos.

Anônimo disse...

Sei lá, viu. Eu penso que para uma pessoa saudável o pornô é uma "fantasia". Quando eu assisto eu curto que as mulheres tenham peitos grandes e os caras paus grandes. Mas na vida real não é assim, os mais diferentes tipos de corpos são bonitos e dão prazer. Não vejo motivo para encanar com isso... mas se você está muito incomodada, fale com ele!

Mauricio disse...

Li alguns estudos que indicam que o vício em pornografia, especificamente o vício em pornografia via internet, do ponto de vista neurológico, difere muito pouco dos vícios em substâncias psicotrópicas.
Segundo os estudos, o cérebro acaba desenvolvendo um padrão de comportamento que inclusive impediria a plena satisfação sexual em relações reais.
E segundo o estudo, a solução é a mesma que com as drogas: abstinência. Ou seja, nada de pornografia via internet, para não recair no padrão.
Não sei até que pontos os estudos são conclusivos ou mesmo confiáveis, mas pra quem se interessar, aqui vai o link: http://yourbrainonporn.com/

Anônimo disse...

Apesar de todas as colocações sobre os problemas da indústria pornográfica, gostar de pornografia em si não é um problema. Nem de longe pego no pé do meu marido por causa disso. Só ficaria preocupada se fosse coisas violentas, porque são coisas que eu não curto de jeito nenhum.

Anônimo disse...

A coerencia das feministas me mata de rir,ela acha que filme porno é opressão mas assisti assim mesmo e n tem nada demais.
Mas o namorado n pode ver pq é estranho e esta apoiando o machismo kkkkkkk

Liliane Mazuchi Fragoso disse...

Não sou a favor da pornografia, mas respeito as pessoas que apreciam. O casal deve ter conhecimento do que o outro gosta, acho válido a conversa entre eles pois, muitas vezes o casal pode apimentar a relação assistindo aos filmes juntos.

Mila disse...

Nós, homens e mulheres (mesmo que não público porn) somos porn educados e às vezes isso não nos liberta, mas nos aprisiona.
Mas creio que a questão seja mais complexa que o discernimento entre o mediático e o real.

debora disse...

Pois é lola acho o porno misógino também, é feito pra homem bem achar que mulher é boneca inflável.

Que eu saiba tem poucos vídeos pornos com homem sendo a estrela tipo a mulher dominando o homem.

dani disse...

Eu acho um erro a frase mulher tem que ser puta na cama, porque a puta tá sendo paga pro cliente fazer com ela o que ele quiser, a parceira namorada,peguete,esposa.
Tá querendo sentir prazer também e não fazer o que é a gosto do freguês.
Por isso que tem muita mulher frustrada na cama. Mulheres que não gozam

Anônimo disse...

Mas vamos combinar que é um saco esses homens que aprendem sexo vendo filme pornô né? Quer dizer, eles realmente esperam que a gente goste de todas aquelas coisas, sempre! O meu namorado é um cara super legal, de esquerda, mas tem esses fetiches de filme pornô. Eu gosto de sexo, MUITO, mas desculpa, não gosto de sexo anal nem que gozem na minha cara. E sim, eu já fiz ambas e digo com conhecimento de causa que não gosto , mesmo. E sempre que ele pede essas coisas, eu é que acabo me sentindo a errada, a frígida. Ele nunca disse isso, mas embora eu já tenha dito que não gosta, eventualmente ele insiste, e eu broxo na hora, porque acho um saco ele saber que eu não gosto e insistir, mas ao mesmo tempo e eu não tenho como evitar essa sensação de que eu o estou frustrando sexualmente.
Enfim, acabo sempre me perguntando se eu sou a fresca da história.
Obrigada por trazer esse tema a tona, Lola. Eu não tenho muita coragem de conversar sobre isso, nem de levantar essa pauta em grupos feministas e ser taxada de submissa.
Mil beijos!

Hamanndah disse...

contando tempo para aparecer mascu escrevendo;;"Não gosta de pornografia, não gosta de sexo."" 1..2...3...4....

DANIEL disse...

E Mulher também gosta de dominar, e pra dizer a verdade os homens adoram ser dominados tbm. EU NÃO ACHO QUE HOMEM QUE DÁ É GAY PORQUE SE ELE QUISER SER ATIVO NO ANAL COM UMA MULHER QUEM GARANTE QUE ELE NÃO VAI PEGAR UM HOMEM TBM?. É AÍ QUE O PESSOAL SE ENGANA... PRA MIM ISSO É PURO MACHISMO PORQUE ELES PENSAM QUE SER PASSIVO É SER MULHER E SER MULHER É SE REBAIXAR. PODEM ATÉ FAZER ISSO COM A ESPOSA MAS NÃO CONTAM PROS AMIGOS. FRESCURA DA ZORRA

joana disse...

Pois é tem muito homem querendo a puta na cama, mas o que acontece é que a mulher não vive em serviço do homem O CORPO DA MULHER É PRA O PRAZER DELA TAMBÉM. Eu tenho pena dessas mulheres que fazem tudo pra agradar o homem. Porque acham que não vão ser traídas e no final são.

ludy disse...

Lola adoro seu blog concordo porno é machista, já procurei vídeo de homem passivo com mulher e tem poucos, mas mulher tem vários, eles colocam sempre como submissas sujeitas a tudo, é dificil até ver eles fazendo oral nelas, parece que é justamente pra ser humilhante pra mulher, isso é nojento, eu queria que tivesse filmes de caras passivos e sendo humilhados.

Ta-chan disse...

De certa forma, essa situação da B., já aconteceu comigo duas vezes.
A primeira com um ex que pegava Playboys emprestadas com os amigos.Nós conversamos e eu falei que me incomodava e tal (eu me comparo com qualquer mulher e sempre saio perdendo...). E ele me contou que sim ele fantasiava com outras mulheres quando estava comigo, nem preciso dizer que depois dessa o sexo nunca mais prestou.
A segunda foi esses dias, achei um gif de uma stripper no hd do meu namorado.Mesma conversa gif apagado e pronto fim da crise, ele sabe que a minha autoestima não é boa então abre mão desse tipo de coisa.

Conversa com seu namorado pra saber se a pornografia é indispensável pra ele.Se for, avalie se é possível pra vc ficar nessa relação, se não for é melhor sair fora logo pois vc só vai ficar machucada.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

A maioria dos homens consome pornografia, mas 50 gigas de filmes, milhares de fotos baixadas, pelo menos pra mim parece que já tem algum tipo de compulsão e de exagero aí.
Sem falar que filme pornô convencional é quase tudo a mesma coisa né. Até a ordem das posições e dos tipos de sexo parece ser a mesma. Parece que o script de todos é o mesmo. Então parece que se você já viu uns três, já viu todos.

Anônimo disse...

Pornografia vicia.
Existem estudos concluindo que a descarga química é idêntica à dos viciados em narcóticos ou viciados em jogo.
De mais a mais, a pornografia aliada à masturbação, e 100% dos grandes consumidores de pornografia são masturbadores compulsivos, atrapalha o prazer e o desejo sexual.
No final das contas é como comer um sanduíche de mortadela antes de ir a um banquete, o cara até dá umas beliscadas, mas não vai aproveitar o banquete.
Existe um movimento crescente nos EUA chamado de no fap project.
Os adeptos relatam inúmeros benefícios.

Paula disse...

eu tenho algumas sugestões de sites para seu namorado (todos em ingles):

http://yourbrainonporn.com/

http://www.no-porn.com/breaking.html

vale a pena ver esse video tb:
https://www.youtube.com/watch?v=wSF82AwSDiU

E tem o site pago que as pessoas mandam seus videos de sexo para o site:

https://makelovenotporn.tv/

a explicação para o site está aqui:
https://www.youtube.com/watch?v=FV8n_E_6Tpc

Anônimo disse...

Sou mulher e adoro pornografia, de todos os tipos, especialmente aquelas que mostram coisas que eu, pessoalmente, não faria. Tem coisa que pra mim, é melhor na fantasia que no concreto e parte da diversão pornógrafa está justamente nisso.

A coisa que achei mais estranha no relato da postagem foi o cara salvar tudo isso no computador, que apego digital! Tem tudo de graça na Internet... fora que é muito fácil de achar também, usando os "agregadores de sites" como... devo mencionar aqui? Deixo só uma sigla então, pra quem quiser: TBLOP. Google.

Eu concordo que o porn tem um lado negativo sim, especialmente se alguém encara aquilo como educação sexual. Não é. Se a mulher tá sempre disposta e goza com o cara só de olhar pra ela, o homem por sua vez sempre tem um pau enorme e duríssimo por horas. O que sabemos não ser verdade. Pressão de um lado, pressão de outro, acho que sobra pra todo mundo nessa. Já sai com caras que tentaram coisas claramente vistas em filme pornô e eu usei meu lado Nina Hartley e ensinei uma coisinha ou duas pro colega. Tipo, chupar xana com a língua dura e a cara a um metro de distância... é só em porn que se vê isso. Foda cênica (aquela feita para a câmera, para melhor visibilidade da genitália etc.) tá bem longe de ser o que rola nos lençóis macios né.

Sobre qualquer implicância nisso, só posso falar da minha experiência em casa. Meu marido gosta de pornografia também, embora ele tenha uns nichos mais específicos que eu (mulheres peitudas é o que mais aparece nas suas buscas) mas a gente sabe separar a fantasia da verdade. E fantasia é coisa individual. Se ele quiser ver vídeos de mulheres urinando e eu gangbang em público, não quer dizer necessariamente que vou urinar nele ou que ele vai me entregar a dez desconhecidos em um cinema. Também não quer dizer que ele me trocaria pela Jenna Haze ou eu o trocaria pelo James Deen (que é um fofo, sempre trata bem suas colegas de cena durante as cenas, lembra de beijar na boca, de mexer nos peitos e não socar a coisa viril como se quisesse encontrar a camada de pré-sal), na realidade não tem nada a ver. Ele tem o direito de ter todas as putarias fantasiadas dentro da cabeça e eu idem e é gostoso manter esse lado de individualidade (junto com todos os outros). Gostoso e justo, na minha opinião. Sem contar que não é só com pornografia que se fantasia, ou ninguém aqui já suspirou profundamente pelo Brad Pitt sem camisa?

Se o porn é usado como acessório de masturbação, pra mim é tão escroto ter ciúmes disso quanto um cara ter problemas com o vibrador da dona patroa. Isso, pra mim. Tem gente que complica mais as coisas.

Bjo Lola, amo seu blog.

Anônimo disse...

Uma boa pergunta: é feminismo ou é ciúme? Sei que a autora disse que era feminismo e vou trabalhar com essa hipótese, mas é sempre bom considerar o quanto os ciúmes podem estar interferindo no incômodo.

Eu não tenho ciúmes. Já tive dois namorados bastante obcecados por pornografia, nesse nível mesmo da autora do post. Como sempre fui clara em relação a não ter restrições a esse respeito, percebi em ambos a fixação pela quantidade de sites que visitavam quando usavam meu computador. Achei curioso, principalmente da segunda feita, porque eu pessoalmente vejo muito raramente pornografia (em geral, acho chato. De vez em quando interessa).

Enquanto fantasia, acho que se pode ter qualquer uma. Enquanto indústria, não sei até que ponto é um problema... Como qualquer faceta do capitalismo na mídia (isso para mim é claro!), a pornografia é tanto formadora quanto respeitadora da demanda -- em parte, o que se deseja é o que se oferta, e em parte, o que se oferta é o que se deseja. Nesse sentido não acho que o machismo na pornografia é necessariamente diferente do machismo em seriados televisivos ou blockbusters de cinema. O machismo está lá porque a sociedade é machista e em geral, os produtores desses programas querem vender propaganda, e não transformar a sociedade. Não é arte, é comércio.

Acho o cinema e a televisão mais culpados do que a pornografia, talvez. Cinema e televisão estão em posições de árbitros ou espelhos morais de alguma forma, enquanto a pornografia não representa necessariamente ideais; no máximo, se apropria de padrões para vender fantasias. Na pornografia não tem médico superbonzinho ídolo dando lição na mocinha que quer abortar. Não se constrói uma aproximação afetiva ou julgamento moral de qualquer natureza sobre as pessoas que ali participam, os personagens mal tem nome.

E quanto à pornografia mainstream, acho até legal que mostre sempre mulheres interessadas no sexo, e realmente seria estranho um filme destinado a excitar e retratar fantasias que mostrasse homens ou mulheres que se recusassem a fazer coisas propostas pelos parceiros.

Enfim, quando falou em capitalismo, acho que a Lola tocou um ponto importante... Será que as atrizes pornôs são mais exploradas do que as atrizes "regulares" pelos seus empregadores? Será que são muito mais discriminadas pela sociedade do que os homens atores pornôs? Não sei até que ponto a pornografia é especialmente danosa ao feminismo.

Anônimo disse...

Se estivesse no seu lugar eu conversaria com ele e tentaria saber a visão dele sobre isso, perguntar por que ele guarda tudo isso em vez de ver online e só depois formar uma opinião. Ver pornô é uma coisa que os meninos aprendem desde cedo, então talvez ele nunca tenha pensado sobre o assunto ou talvez o hábito acabe falando mais alto que algum questionamento que possa ter surgido nele.

Anônimo disse...

"Uma boa pergunta: é feminismo ou é ciúme? Sei que a autora disse que era feminismo e vou trabalhar com essa hipótese, mas é sempre bom considerar o quanto os ciúmes podem estar interferindo no incômodo."

Eu voto no ciúme, já que ela relatou ter, sim, problemas de autoestima e ficou comparando a si mesma com as atrizes. Além é claro de ter fuçado nas coisas dos outros e achado o que não devia.

Anônimo disse...

" eu queria que tivesse filmes de caras passivos e sendo humilhados."

Pode procurar que você acha, tem muito femdom por aí, pegging... tem pornografia de TODOS OS TIPOS, absolutamente todos, é só caçar.

Anônimo disse...

O que se defende no "Your Brain on Porn" é altamente questionável e de fundo conservador. Uma infinidade de artigos sérios tratam do tema, peguei um com linguagem mais simplificada:

http://www.psychologytoday.com/blog/women-who-stray/201307/your-brain-porn-its-not-addictive

(em inglês)

Dizer que pornografia é uma coisa que vai te viciar e causar grandes males me parece a forma como a masturbação já foi tratada um dia... "garotos bons dormem com as mãos por cima das cobertas". Diziam que matava, deixava cego, doente. Não vejo diferença.

jonatas disse...

Vou dar minha opinião , esperando não ferir os sentimentos da autora. Concordo que a industria pornográfica pra nós homens tem muito de misogenia. Concordo também que crianças não devam ver pornografia e que muitos não conseguem separar o real da ficção... Inclusive a autora. Digo isso pq me surpreendeu ela ficar irritada pelo namorado ter foto de mulheres perfeitas. A industria pornográfica já está com problemas financeiros, logicamente que as mulheres perfeitas atraem mais publico ( mesmo q elas não sejam perfeitas na vida real).

Se o atual namorado dela não desfaz dela, talvez o trauma do antigo relacionamento seja muito grande e mereça uma terapiazinha. Ajuda.

Fernanda Somenauer disse...

Meu namorado (com quem moro e me obrigam a chamar de marido) tem uma quantidade enorme de pornô armazenada no pc dele. Eu tenho uma vasta quantidade armazenada no meu celular. Nós gostamos de categorias diferentes (digamos que eu goste de coisas mais hardcore e ele mais mainstream) mas não falamos sobre isso, curiosamente, nem assistimos juntos, nunca! Não sei o que dizer pra garota, já que eu mesma sou ávida por porn desde meus 8 anos, quando descobri as revistas do meu tio...

Ana disse...

Não sei qual é a com esse James Deen. Pra mim ele é igual aos outros. Não tem nada d especial. Acho ele meio violento tbm. Não curto.

Anônimo disse...

Gente, me desculpem. Mas esse papo de que ver pornografia e se masturbar muito faz mal pra mim parece papo de igreja. Sabe, que se vc se masturbar nasce pelo na mão? Então...

Anônimo disse...

Antigamente eu baixava pornografia. Não acho que ele seja um obcecado, apenas ocorre que o streaming desses sites é muito ruim, de forma que geralmente é melhor baixar para ver. Geralmente se baixa, vê uma, duas ou três vezes e deixa para lá. Ai acaba acumulando. Outro dia descobri que meu pc tinha 20gb de pornografia só nessa de baixar para não se estressar com o streaming.

Renata disse...

Eu não entendo como uma pessoa feminista pode ser consumidora de pornografia. Não entendo mesmo.
É como se uma pessoa vegetariana comesse carne!
Pra mim, isso é de uma hipocrisia sem tamanho.
Diz que entende dos males que a indústria causa, que sabe como é nocivo, mas, e daí, né? "Abrir mão do MEEUU prazer por causa disso? EU não!"

Tem vários artigos sobre o assunto na internet, mas, vou deixar aqui 3 links interessantes pra posts do (falecido) tumblr Misoginia Pura:

"Você vai encontrar na pornografia mulheres se penetrando com espadas e adagas, e vai ver seu sorriso[...]:
http://euescolhifornicar.com/post/72871549111

O que você não vê quando assiste um pornô:
http://euescolhifornicar.com/post/72765292842

Ver pornografia na internet faz crianças acharem que estupro é comportamento normal:
http://euescolhifornicar.com/post/74721530537

Anônimo disse...

Acho curioso quando existe ciúmes baseado em algo não palpável. É um vídeo ou uma foto de algo distante, que serve ao espectador como uma fantasia. Nada mais.

Em geral, se vê pornografia pra admirar o sexo ou a forma que se pratica sexo e não pra ficar alucinado pelo corpo de uma atriz X ou Y, nem ficar comparando os detalhes com a própria namorada. O sexo no lado de cá da telinha é outra realidade.

Quando alguém quebra essa barreira da fantasia e começa a maltratar o outro com comentários abusivos, é hora de dar tchau!

E por favor, meninas, sem essa de que assistir pornô é falta de informação.

Anônimo disse...

Bom eu não acho que ela devesse se sentir mal, mas compreendo...
Aqui em casa eu acesso pornografia, alias é uma coisa que acontece há muito tempo antes msm de namorar com meu atual e meu namorado não assiste pornografia como a maior parte dos homens que eu conheço...
O fato que na maioria das vezes que eu to vendo eu não conto pra ele, ele não chega a se ofender mas fica grilado, mas o grande motivo do grilo é o seguinte todo mundo comenta que o porno é feito pra homens humilhando mulheres e coisas desse tipo e eu sempre tive muito nojo desses filmes convencionais, esperma na cara , tapa na bunda da coitada e britadeira na garganta não é legal pra ngm , mto menos pra mulher. Com isso comecei a procurar algo que me despertasse curiosidade até pela falta de experiência sexual que eu tinha (tá certo aprender no pornô não é o melhor mas eu tava saindo da adolescência), daí comecei a procurar por pornô lésbico. Tem algumas variações que vão do gosto de cada um, mas a vdd que é td voltado pra mulher sem ter o espectador masculino punheteiro do lado ( ou ate pode ter se for o gosto), mas o foco é a mulher. Isso deixa meu namorado louco pq ele acha que tem haver com meu interesse por mulheres ( eu as acho lindas e me sinto extremamente atraídas por garotas, sou msm Bi) mas com ele n sinto atração dessa forma é só a questão de não ver a mulher como mero saco de esperma e com sensualidade sem possuir essa imagem tão bruta.

Anônimo disse...

Off-topic
Sobre gravidez, olha o desserviço q o Yahoo fez: http://yahoo.minhavida.com.br/familia/galerias/15841-entenda-as-diferencas-entre-parto-normal-e-cesariana

Anônimo disse...

Nao precisa exagerar, se o cara tem 50 giga de porno so com mulheres lindas e perfeitas, e um indicio que e alguem bem normal...

MonaLisa disse...

A moda dos punheteiros agora é ficar adicionando mulheres pra pedir pra ficar pela na cam.

Wellington Fernando disse...

Olha, eu acho que nesse caso é preciso haver diálogo entre o casal. Se ela se sente magoada, traída, desrespeitada, etc, deve conversar com ele. Acho muito cruel dizer que a garota é fresca ou neurótica, porque ninguém nunca está errado com relação aos seus próprios sentimentos. No fim das contas, alguém vai ter que ceder, porque nenhum relacionamento funciona sem que haja flexibilidade dos dois lados. Se não chegarem a um denominador comum, então é hora de repensarem se vale ou não a pena continuarem juntos.

Sobre a pornografia, como já falaram nos comentários: há para todos os gostos. O problema é que a pornografia mainstream, que é a que mais atinge mais crianças e adolescentes, é bastante problemática. No mainstream tudo é mecânico, caricaturado e performático. O foco desse estilo de pornografia são os ângulos e limita-se muito o sexo aos genitais. E para uma criança ou adolescente aprender sobre sexo assim é muito ruim, afinal, o sexo é uma experiência multissensorial, sinestésica e feita com o corpo inteiro. A pobreza e a repetição do mainstream mostra apenas que os atores e atrizes estão ali como meros atletas sexuais cumprindo um contrato. A pornografia tradicional engloba menos de 1% da sexualidade humana, infelizmente. Nunca vi filmes pornôs explorando de forma criativa as preliminares, mostrando massagens sensuais. posições sexuais diversas (kama sutra), pompoarismo, fantasias sexuais femininas e nem danças eróticas como a transcendental Dança de Shiva (sexo tântrico). Concordo plenamente quando diz que se houvesse menos moralismo, as pessoas se permitiriam experimentar mais e melhor - além de abrirem suas mentes para todas as possibilidades que existem dentro da sexualidade humana. Mas, infelizmente, o nosso moralismo vai continuar nos obrigando por tempo indeterminado a descarregar as nossas frustrações sexuais na pornografia.

Com relação a esses sites antipornografia, já vi eles serem citados em vários fóruns evangélicos. Eu até concordo que a pornografia e a masturbação, principalmente em excesso, podem trazer problemas - agora vir com esse papo de que afeta o cérebro como uma droga ou de que causa disfunção erétil não possui base científica. O próprio Christopher Hitchens já mostrou em um de seus livros como a religião afeta negativamente a sexualidade das pessoas quando alega mentiras para promover a castidade.

Maria Valéria disse...

Sei lá,acho que cada um sabe se as fantasias do parceiro lhe incomodam ou nao,
Anos atras,uma amiga que tinha começado a namorar me perguntou ' o que eu achava ' do namorado dela gostar de ir a zona de vez em quando ' so pra ficar olhando , sem fazer sexo com ninguém ' ( sic)
Complicado a amiga perguntar o que eu acho ne? respondi que quem sabe ou deixa de saber se isso a incomodava era ela, nao eu,
Resultado ?? Seis meses depois ela estava noiva do cara,dois anos depois casou, feliz da vida, e ainda contando que tem fetiche de ir a casa de Swing com ele com peruca colorida, fingindo que e prostituta,etcetc.
Fantasia ? Cada um cuida da sua e eu cuido das minhas,
Nao me meto nas de ninguém não!!!rsrssr
Quem sabe a resposta é você mesma, amiga autora do post .
Beijos ;)

Anônimo disse...

A frase mais famosa de Sun Tzu, filosofo autor de "A arte da guerra" e ; "Conheça seu inimigo"
Vocês feministas não conhecem 1% da natureza masculina, como pretendem lutar contra o machismo assim?
Não se muda metade e um mundo.

Anônimo disse...

A sexualidade masculina e extremamente visual, não que a feminina também não seja, mas no caso das mulheres, ela e mais votada para um contexto.

Anônimo disse...

Puxa, acho que há uma diferença entre a fantasia sexual e a prática sexual. Raramente eu consumo pornografia porque não me excita muito, mas as vezes eu vejo e tenho minhas preferências nos vídeos (nada bizarro, gosto de vídeo com duas mulheres transando), isso não quer dizer que eu procuro a mesma estética dos vídeos na minha prática sexual real. Enfim, pornô para mim é só um estímulo para um orgasmo rápido e sem compromisso :D

Agora, hoje em dia tem pornô para todos os gostos e a indústria está mal mesmo. De todo modo a pornografia nunca esteve tão em alta na internet e muitos desses vídeos não foram postados por nenhum estúdio pornô, mas por pessoas comuns transando e se exibindo (estou excluindo os vídeos postados sem consentimento dos participantes, óbvio!). Então essa história de pornografia e capitalismo é falácia. Embora exista uma indústria pornográfica, ela nunca monopolizou a distribuição de material pornográfico! Amadores sempre existiram e distribuição de representação do ato sexual também. Desde o "tempo das cavernas" a galera já pintava cenas de atos sexuais, pesquisem sobre isso nas pinturas rupestres. O fato é que a indústria pornográfica foi um fenômeno de curta duração na história da pornografia, fenômeno que já está em franco declínio e que não significará o fim da pornografia.

Eu quero deixar claro que não defendo a INDÚSTRIA PORNÔ, ela é suja mesmo e explora principalmente as mulheres.

Eu digo isso por um motivo: vocês podem até alegar que a indústria pornô é "anti-feminista" e "pró-capitalista", mas a pornografia em si não é, ela há milênios estimula a humanidade e continuará a estimular. Por que? Isso eu já não sei.

Enfim, eu deixo uma dica aqui. Eu quando quero ver algo pornô eu procuro sempre fugir dos vídeos dos grandes estúdios - até porque eu detesto os vídeos que eles fazem. Tem uns estúdios pequenos, alguns até com um proposta pornofeminista (sim, existe, leiam sobre a guerra do sexo que ocorreu entre as feministas nos anos de 1980).

Anônimo disse...

Mulheres consomem pornografia emocional, ou novelas da 9 e 50 Tons de cinza são o que?!

Anônimo disse...

Gosto de pornografia, gosto muito. Acho bem normal ele gostar tb. Eu mesma tenho cds com dezenas de fotos e vídeos. Não acho problema, ele sabe que a vida real não é aquilo. So acho estranho tantos corpos perfeitos, pq a maioria dos filmes pornos tem gente normal, nada de padrão de beleza, bom, pelo menos os que eu assisto.

Anônimo disse...

Oxente, você com certeza já imaginou transando com um cara forte ou um galã de cinema e creio eu que seu namorado não esteja em nenhum desses dois quesitos citados e o cara é machista por causa que está vendo mulheres de corpo perfeito? Acho que não hein.

Anônimo disse...

Me confundiu a parte de o problema não ser ele assistir mas ter armazenado no computador.

Não entendi também como ao mesmo tempo que ela acha que o namorado sustenta uma indústria que sustenta a opressão, ela também consome.

Na questão dela com o namorado, considerando o exposto acima, penso que o problema mora todo na insegurança. Toda a conversa sobre a indústria é válida mas acho que não pertence ao caso dela.

Sobre a indússtria pornô e o papel "deseducador" da pornografia, concordo com tudo que a Lola colocou. No entanto, o problema não é a existência dela mas o vácuo que ela preenche pela falta de diálogo saudável sobre o tema.

Raven~ disse...

Não Julia. É pra ficar justamente na mão se a internet cair. Huashuab

Raven~ disse...

Ta-chan, primeiro, tu é linda, amiga =). Segundo, eu não te conheço de algum blog sobre gatos? Tenho quase ctza que já te vi por aí.

Quanto ao se comparar com o corpo das moças, acho que isso não acontece comigo pq sou bi. Gosto de mulher. Então em vez de perder tempo me sentindo a horrorosa, fico admirando elas. Huashuahs

Anônimo disse...

Eu sou meio tradicional, e penso que ninguém é dono de ninguém, mas que quando passamos a nos relacionar com alguém, temos que abrir mão de algumas coisas.

Eu também assistia muito a esses filmes, e pensando apenas racionalmente, eu não via nenhum mal nisso. Mas realmente, ele condiciona o pensamento do homem de que aquilo é o "ideal" no sexo. Faz os atores e atrizes parecerem deuses, e nós apenas mortais. Só mais tarde (e muitas vezes muito tarde) percebemos que não é assim. Concordo que não é saudável um menino ou menina aprender sexo com pornografia. Falta mesmo educação sexual, e diálogo.

Minha namorada se sentia mal quando eu via. Ela gostava de ver também, mas foi bem sincera comigo, e disse que se sentia mal quando eu via. Se eu fosse pensar racionalmente, eu pensaria: "Ué, mas eu não ligo de ela assistir. E se ela pode, eu também tenho todo o direito". Mas eu resolvi abrir mão, entendendo algo meio que a "falsa simetria". Tipo, aquilo não me incomodava, mas a incomodava. Então eu tentei ser compreensivo. Resolvi abrir mão. Aos poucos, passamos a fazer as coisas juntos. Nós passamos a assistir juntos, assim como só bebemos juntos. Essas coisas que requerem equilíbrio, é sempre bom fazer com alguém que possa nos ajudar a ter limites.

Anônimo disse...

Eu tenho na minha máquina os programinhas em clipper que eu fiz no colegial.

Eu tenho na minha máquina um monte de foto de artesanato que fui baixando ao longo da vida e agora nem uso mais.

Eu tenho um monte de lixo do passado, quando não era natural subir tudo na nuvem.

Olha, houve um tempo em que era absolutamente necessário baixar e armazenar pornografia. houve um tempo em que ter 50G de conteúdo pornográfico era um troféu!

Portanto, acho que o problema do armazenamento pode ser explicado pela falta de timing do seu namorado, mais do que fixação por pornografia. Afinal ele não deve ter percebido ainda que 50G livre no HD é melhor pro SO do que 50G de pornografia que ele não deve ver.

Carlos Eduardo disse...

As pessoas realmente afetadas pela pornografia são os atores e atrizes que correm o risco de contrair doenças e quase sempre se afastam de suas famílias.

É conhecido também que os atores homens de filmes hetero ganham bem pouco nessa indústria.

Os prejuízos para quem assiste são somente especulações, e digo isso porque assisto bastante a esses filmes e sempre me interessei em entender os efeitos colaterais, mas todos que encontrei são bem pessoais e pouco relevantes. Esse Your Brain on Porn só explica um mecanismo de recompensa do cérebro, que funciona tanto na pornografia quanto na pilha de ficar discutindo em caixas de comentários de blogs.

A Lola viajou ao falar de "aumento peniano". Nunca senti incômodo ao ver atores com o pau maior do que o meu, e em uma roda de conversa entre homens sobre o assunto esses caras tipo Kid Bengala são motivo de piada, e não de inveja. A irrealidade da pornografia pode ser vista aí: não é qualquer uma que aguenta um pau muito grande e mesmo eu que tenho um de tamanho normal para grande já tive várias vezes que segurar a onda porque a garota sentia muita dor por ele tocar no fundo do útero.

Anônimo disse...

O documentario tao citado acima o Your Brain on Porn eh tao conservador que nao consegui assitir a 10 minutos. Trata a masturbacao como coisa errada como era tratada ha 50 anos.

Pornografia e saudavel sim, eu curto, meu namorado curte, e nao vejo como traicao. Eu me masturbo muito assistindo a pornografia sozinha, e outro dia ate descobri novas zonas erogenas que logo que meu namorado chegou contei a novidade e experimentamos novamente. Nos aprendemos sobre nossas preferencias mais com masturbacao do que com parceiro, tenho certeza disto.

E o fato de se ter gravado 50 gb nao tem nada de mais. Voces estao se esquecendo que banda larga so ha pouco tempo se tornou popular, lembro que ha uns dois anos eu pagava carissimo por 1mb de velocidade, entao ter arquivos gravados era o que salvava!

E outra coisa, ques filmes sao esses que voces estao vendo com pessoas de corpos perfeitos? O que mais tem em porn sao mulheres mais cheinhas, homens com pau pequeno (e circuncidado), gordos ate. Tem de tudo em pornografia ate homens sendo humilhados e so procurar.

O que a autora da pergunta tem e ciumes de imaginar que o namorado a "trai" no pensamento. Nos nao somos donos dos pensamentos de ninguem e, ao contrario do que se prega, quando estamos em um relacionamento ainda temos desejo por outras pessoas sim.

Maria Lia.

Anônimo disse...

Eu sou bem hipócrita: não gosto quando meus parceiros vêem pornografia, porque eu sei que não sou padrão de beleza e sei que não faço nada espetacular na cama (eles discordam). Eu também não posso prever as expectativas deles e eu ODIARIA que sugerissem repetir alguma performance que eles assistiram.

Em compensação, ÀS VEZES eu procuro pornografia. Eu não vejo vídeos, só imagens (geralmente fotografia de arte), e posso passar um baita tempo até achar alguma coisa que não me dê nojo. Esse que é o problema: eu sei que vejo coisas que não são impossíveis, e não tô lá pra julgar os corpos dos caras. E, se eu quiser algum dia tirar do porn alguma idéia pra fazer, eu SEI que não vou estar obrigando eles a fazer nada extremo, já que o foco é nos desejos DELES.

E depois que eu consumo pornografia eu fico morrendo de nojo - o tesão passa e fica só aquela sensação suja.

Sem falar que eu sou contra a indústria da pornografia. É que nem comida - depois que a gente sabe como é produzido, passa a saber que faz mal. Até atrizes que supostamente amam o que fazem (vide Belladonna) já passaram péssimas situações nas quais elas não tinham controle.

Fernanda disse...

Pode ser que meu comentário seja inútil, já que não vou me estender muito...

Mas só pra lançar uma reflexão a mais aqui na discussão (que tá muito boa, por sinal): acho que o que deve ser levado em conta é a relação que se estabelece com a pornografia, e não a pornografia em si. E aqui eu tô fazendo a mesma distinção da pessoa que comentou aí em cima que a pornografia e a indústria pornô têm lugares diferentes. Pra mim, são coisas bem distintas mesmo.

Aliás, é como tudo na vida: o consumo do álcool, para falar de alguma coisa mais aceita socialmente, pode ser um consumo moderado, com o simples desejo de relaxar e se divertir, ou pode ser um consumo abusivo, trazendo várias consequências nefastas para a pessoa. Então, não considero que o problema seja o álcool, mas a forma como nós nos relacionamos com ele. Acho que a mesma ideia se aplica à pornografia...

Love Gótic- disse...

Tudo tem que ter um limite. A indústria pornográfica é assim com imagens de mulheres "perfeitas", mas pela quantidade que ele tem parece obsessivo. E se o cara está pensando é nas mulheres dos filmes pornôs quando ta com a namorada? E ele sabe que nenhuma daquelas atrizes vai estar com ele e ele se aproveita da mulher que gosta dele só pra satisfazer a tara? É desagradável. Isso está abalando a autoestima dela. Fale com ele amiga e esclareça isso. Descubra se é tão importante ele se estimular vendo filmes de mulheres que nada tem a ver com você. Ver pornografia a maioria ver e ponto final, mas dedicar um acervo a isso se torna vício.

Anônimo disse...

Procurr por cuckold, femdom, chastity, orgasm denial, ruined orgasm, bdsm, a quantidade de video eh gigantesca, ru q nao olhou direito

Julia disse...

Anon 21:16, poderia ter aproveitado que você veio até aqui e ter respondido a minha pergunta já que você faz a mesma coisa pelo visto.

Julia disse...

Anon 02:17, você parou na década de 70 em que só mulheres assistiam novela. Pois volte 3 casinhas e se atualize.

Anônimo disse...

Poxa, assim como uma usuária comentou, não sou lésbica nem bissexual, mas gosto mito de vídeos lésbicos. É como se fosse tirar a imagem de mulher que seposita esperma, simplesmente. Não há nada que eu odeie mais nos pornôs do que mulheres totalmente passivas, sem rosto, sem voz, sem vontades, sem nada. Detesto. Também odeio aqueles que anulam os homens e eles se tornam só um pinto que entre e sai deum buraco. Pra mim sexo tem tudo a ver com troca e é isso que busco nos filmes. Por isso curto os lésbicos. São mulheres dando atenção pra mulheres, todo tempo.

Ta-chan disse...

Raven~ sua linda!Acho que já te vi por ai tbm, frequento vários blogs sobre gatos :)

Eu queria ser bi, acho que quem é aproveita melhor a vida :D!!

Luiza Original disse...

"A sexualidade masculina e extremamente visual, não que a feminina também não seja, mas no caso das mulheres, ela e mais votada para um contexto. "

Não.

Anônimo disse...

ator e atriz pornô? desde quando gemer é atuar?

Anônimo disse...

Concordo com a Fernanda, que a industria da pornografia e o consumo da pornografia tem lugares diferentes, mas também acho que nós, consumidores, temos influencia e estamos mudando a cara da pornografia. Assim como ninguém deixa de fumar um baseado por não apoiar o tráfico de drogas, ninguém deixa de consumir pornografia por ser uma industria prioritáriamente machista. E a pornografia está mudando. Cinco minutinhos olhando os resultados npruma busca de feminist porn (que é uma industria consolidada no Canadá, por exemplo), provam isso. Mulheres no roteiro, na direção e na edição dos filmes, roteiros e cenas pensando sempre no sexo consensual (mesmo quando tem dor) respeito aos diferentes tipos de corpos e práticas sexuais e principalmente segurança para os trabalhadores da modalidade. São as mulheres que foram objetificadas por tanto tempo nessa industria transformando ela.

E com realação ao namorado que curte uma pornografia, que tal mostrar uns pornôs igualitários pra ele? Ver junto uns outros tipos de corpos fazendo um sexo consensual delicia onde o prazer da mulher (de peito pequeno, sem mamilo rosa, com celulite, dobrinhas delicia e tudo o mais) é tão importante quanto o prazer do cara que vai (ou não) gozar na pele dela depois?

Camila

Leila disse...

Eu acho que a pornografia se explica porque na nossa sociedade o prazer está ligado à transgressão. É bom transgredir,sobretudo quando se está na zona da fantasia. Quem não gosta de fantasiar coisas que jamais faria? A pornografia aparece estimulando esse lado.
O problema é que algumas "transgressões" apenas reforçam a moral padrão. Bom, teria que desenvolver o tema, mas acho que é por aí.

Daniela disse...

Acho esse negócio de pornografia bem complicado. Eu tive um namorado que gostava muito de pornografia e aquilo me incomodava. Um dia tive a intuição de dar uma olhada no computador dele enquanto ele tava no banho e achei uma pasta com nome esquisito bem escondida, quando abri eram fotos de meninas.. ele era um pedófilo!! Não sei se praticava mas só por ter essas fotos no computador.. saí correndo de lá e depois ele foi atrás de mim e eu falei o que tinha visto, deixei aberto na casa dele pra ele ver que eu vi! Ele teve a cara de pau de dizer que foi um amigo que salvou, liguei pro amigo que negou obviamente! Ficou me perturbando mais de um mês pra eu voltar com o namoro, quero distância!! Pra sempre! Fiquem de olho nos seus namorados pornografia não tem limites! Se eu não tivesse visto isso e tivesse uma filha com ele??? Todo cuidado é pouco!!

Anônimo disse...

Que Maravilha, estou salvo!
Só vejo porno lésbico, então tá permitido, ou o lésbico também é machista?

Anônimo disse...

Viu Julia, aproveitando que você tá por aqui, explica ai porque as mulheres como a moça ai do post ficam magoadas com esse tipo de coisa?
Seria equivalente a... por exemplo, se ele fizesse uma coisa que ela não pudesse ou não quisesse participar? Eu juro que to tentando mas não to conseguindo entender como a pessoa consegue se magoar com uma coisa que o outro gosta... tem como dar uma ajuda ai?

Anônimo disse...

Adoro porno gang bang e não tenho vontade de experimentar...

Adriana Couto Pereira disse...

Sobre perfeição do corpo e comparação com filmes pornôs, não sei se vc conhece o Banco Mundial da Genitalia (genitalia.me), que é um projeto desenvolvido justamente para que as pessoas vejam genitálias alheias (sem apelo pornográfico, de forma completamente espontânea e com fotos doadas pelas pessoas anonimamente) e percebam como não existe exatamente um "normal". Assim como temos narizes, mãos, olhos diferentes, as genitálias também variam bastante. Vale a pena dar uma olhada, é altamente educativo.

Raven~ disse...

Gente pegando onda num coment aí encima: realmente, banda larga é recente, grandes memórias tb. Se forem recentes os filmes dele, hd por exemplo, 50 gb é pouco. Bluray tem mais ou menos 8gb. Alguém me corrige se estiver erraod. Poxa, meus jogos de wii tem 4, 5 gb. Parece fácil falar, B... Mas desencana, gata.

@Ta-chan, huashu quem dera hein? *-*

Anônimo disse...

Gosto de ver porno gay (homem e homen) .Morro de tesão vendo dois homens se pegando, mas sou mulher e hetero.

Julia disse...

Hahahaha
Gostei do resumo da Luiza Original.
Não mesmo, anon. Toda a vez que leio que mulheres não são visuais me sinto uma cegueta.
Isso não parece uma desculpa muito furada? Ah, mulheres não são visuais então pra que elas deveriam ter um mercado de pornografia hétero e lésbico voltado pra elas? Ou porque o pornô mainstream deveria se adequar aos gostos delas também?

É a desculpa perfeita pra nos excluírem!

Julia disse...

Anon inocente das 13:49, nunca ouviu falar que o pornô lésbico é feito pra homens?Que lésbicas nem curtem assistir pornô lésbico por causa disso?

Julia disse...

Anon 13:55, você pedindo com tanta gentileza eu ajudo sim. Primeiro que descobrir que o namorado tem 50 gigas de pornografia não é fácil pra ninguém. E estamos falando de pornografia não de jujuba, por exemplo. Ninguém se magoa porque o outro gosta de jujuba. Mas se o namorado da moça gosta de armazenar e assistir videos pornô de mulheres completamente diferentes dela é de se perguntar porque ele está com ela. E se ele sente tesão nela do jeito que ela é.

Essa não vai ser a reação de todas mas é natural que esse questionamento passe na cabeça de algumas mulheres.

Anônimo disse...

Não sei nada sobre a industria porno, mas a verdade é que assisto à pornografia há umas duas décadas.

Eu as vezes penso se o que assito me faz menos feminista. Gosto de coisas bizarras. Gosto gang bang, com homens ou mulheres, tortura, humilhação, estupro, situações de abuso de poder. Minhas buscas caem sempre nas palavras chaves: bruto, em público, violencia, sado-maso, policial, professor, médico, ginecologista...

Não assisto nada que pareça real, mas costumam ser situações de abuso.

Nunca vivi um abuso ou abusei de ninguém.
Não quero viver uma situação de abuso.
Luto contra o abuso de todas as formas.
Mas, por algum motivo, gosto loucamente da fantasia.

Anônimo disse...

Estou longe de ser uma pessoa ciumenta, inclusive, dependendo da situação, eu toparia um relacionamento aberto e eu jamais namoraria um consumidor de pornografia.

Primeiramente, eu penso no meu prazer e eu acho que 99% dos consumidores de pornografia fazem sexo de uma forma muito mecanizada. E eu não curto me sentir apenas um buraco e acho que o sexo que imita a performance do pornô mainstream incita isso.

Segundo, eu acho a indústria pornográfica nojenta, misógina, violadora de direitos trabalhistas e da própria dignidade da pessoa humana. Pode até existir exceções, mas eu prefiro não arriscar, porque vai que eu contribuo pra isso continuar rolando? Eu, hein?

Conheço muita gente que acha uma boa ver vídeos caseiros com pessoas comuns, sabe? Mas eu acho tenso porque pode ser que a gente acabe vendo vídeos de pessoas que não deram o consentimento para serem filmadas ou se deram pra serem filmadas não deram pra seu filme ser divulgado.

Enfim, ainda tem a questão do reforço ao padrão de beleza. Eu conversaria com o namorado pra ver se é um vício, o que ele acha da indústria, falaria como eu me sinto a respeito e com isso tentaria melhorar a situação. Mas eu, na minha individualidade, me sentiria muito mal ao transar, eu acho, porque sempre pensaria que ele pode estar fantasiando de uma forma em que eu seja objetificada ao extremo e isso é um incômodo meu.

Alana disse...

Eu assisto pornô gay, 90% das minhas fantasias são com homens+homens com corpos "perfeitos". Coleciono animes e mangás yaoi, meu último ex não ligava para as animações e desenhos, mas se incomodava muito com os filmes, não entendia como uma mulher pode curtir sexo gay.

Não entrava na cabeça dele como uma mulher pode se exitar com isso, já que não somos visuais, não nos importamos com aparência mas sim com sentimentos (e outras coisinhas suuuuper verdadeiras, só que não). Ele via pornô também, desses mais clichês possíveis e achava que eu deveria gostar de sexo "como uma mulher" e me portar na cama como uma, não desejar penetrá-lo e ficava falando que eu deveria me entregar mais (deixar ele fazer o que quisesse com meu corpo).

Eu nunca me importei que meus namorados vissem pornografia mas sempre teve essa desaprovação da parte deles por eu curtir pornô gay. Aposto que se fosse lésbico isso não aconteceria.

Esse último ex achava meu gosto problemático porque eu não poderia satisfazer as fantasias com ele (claro, porque o desejo da mulher só pode existir se for para satisfazer o homem).

Alana

Arnold Sincero disse...

Tem muitos manginas que aceitam que suas maridos feministas podem tudo, porno, video game, amigos, breja, até o P**** se ela quiser.


Lola, seu blogue (só vc escreve assim 'blogue') está cada vez mais fedorento.


PS: agora eu aprendi a bater em partes que não deixam roxo, tão roxo, ou o roxo some logo, logo é um conhecimento muito prático para educar

Anônimo disse...

Julia,
Não armazeno pornografia no meu pc (prefiro ver online). O que eu quis dizer e que se o camarada tem so videos de porno comum (mulheres bem bonitas e nada de bizarrices) não acho correto considera-lo um dependente.

Ana Nazaré disse...

Nossa, não tinha visto esse Post, tema maravilhoso!
Pornografia representa uma VIOLÊNCIA a mulher e principalmente, a feminilidade , é só uma evidência de que vivemos numa sociedade masculinizada, opressora, que praticamente aniquilou a verdadeira identidade feminina....
Parece ser algo distante de nós, moças estudadas, mas na ausência de um modelo feminino forte e centrado, o papel de objeto sexual tem força e ás vezes aparece tão bem disfarçado que nem parece oq é .....................
Pra mim, pornografia não representa nada e independente de qualquer coisa poderia ser abolido AMANHÃ,eu sairia amanhã nas ruas por uma campanha contra isso, é uma indústria que movimenta milhões que podiam ser usado pra coisas mais construtivas, é uma perda de tempo de todas as partes envolvidas.....

Anônimo disse...

Muito lúcido.

Anônimo disse...

Eu conheço UM MONTE DE GENTE que só não fuma baseado para não contribuir com o tráfico de drogas. Se te deixa confortável achar que essas pessoas não existem, ok, mas elas existem sim.

lola aronovich disse...

Arnold, e vc tá treinando isso de bater sem deixar roxo com quem? Só pode ser com vc mesmo, porque na sua irmã vc não bate mais sem levar uma Maria da Penha no meio da testa.
Triste a vida de quem só pode ser "guerreiro" por trás de um teclado. Continua assim, Rambinho.

@dddrocha disse...

Dispenso pornografia... às vezes até vejo algumas fotos, mas na terceira já acho chato.
Tudo muito maquiado e perfeitinho, pra quê vou ficar vendo essas merdas?
O padrão da pornografia é o mesmo das revistas de moda, panicats etc. Nada disso me atrai.

Anônimo disse...

Meu marido também vê muita pornografia e isso me deprime.
Nas vezes que tentei ver um filme com ele, a atriz fazia tanto contorcionismo e estava tão seca que fiquei frustrada demais pra continuar.
Acho uma droga, já falei com ele algumas vezes, mas a resposta é que é uma forma de aliviar etc. Penso que ele está errado, mas não posso fazer mais nada.

Eduardo Nobre disse...

Coloca um cinto de castidade nele, guarda a chave e pronto, resolve o problema.

Anna Milani disse...

Eu não ligo de ver, e nem do meu namorado ver. DESDE QUE não tenha estupro, pedofilia e humilhação de ambos os sexos. Ok, eu exigi muito, porque como muita gente citou, mulher em filme pornográfico é sempre humilhada. Mas eu encontro algumas coisas assim, que me agradam. Contanto que não mostre só o cara tendo prazer, pra mim tá de boa.

Ah, ele também tem essa dos corpos perfeitos, mas sabe que isso é ficção. Assim como eu sei que ele não é nenhum Jensen Ackles da vida. Se o seu namorado começar a exigir que você fique como as atrizes, aí é hora de conversar. Ou se ele insiste em posições que você não gosta, também é hora de conversar. Afinal, sexo é pra ser bom para os dois, certo?

Cada um com suas fantasias malucas, e eu não gosto de me meter, mas sinceramente? Se eu pego meu namorado vendo pornografia com estupro, pedofilia, zoofilia ou humilhação, pra rebaixar a mulher à um objeto mesmo...
NÃO. Eu não aguento. Eu sei que é ficção e tal... Mas eu não me sinto bem namorando com alguém que curte essas merdas doentias, mesmo que ele não faça.

Anônimo disse...

Eu gosto de pornografia pesada, que não se encontra em um RedTube da vida, essas aí que todo mundo fez questão de dizer que mimimi odeia mas que duvidooooooooooooo que já não tenha procurado na vida. Nem de longe significa que vou fazer xyz, porque gosto de um lance bem carinhoso com o maridão que nessas partes aí manda muito bem mesmo. Transa normalzinha não me agrada em pornografia porque isso eu faço em casa, daí minha preferência pelo lado mais podrinho das coisas quando quero dar uma gozada solitária.

Ele não gosta do que eu gosto de assistir. E fez mimimi muito tempo por conta disso, mas nem casou enganado porque na época do namoro eu já contava quais eram minhas preferências pornográficas. Nas coisas mais acessíveis, digamos assim, ele já me perguntou timidamente algumas vezes se eu queria realizar a fantasia, disse que não, porque quando se realiza uma coisa ela deixa de ser fantasia. Não é tão difícil de entender, é?

Ele se conformou mas às vezes se choca com uma coisinha mais brutal ou outra. Nem ligo. Ele aprendeu a não ligar também. No fim, isso nunca influenciou em nada na nossa vida de casal ou como amantes.

Anônimo disse...

"Conheço muita gente que acha uma boa ver vídeos caseiros com pessoas comuns, sabe? Mas eu acho tenso porque pode ser que a gente acabe vendo vídeos de pessoas que não deram o consentimento para serem filmadas ou se deram pra serem filmadas não deram pra seu filme ser divulgado."

Eu não gosto de vídeos caseiros porque além de mal filmados, tremidos e escuros, geralmente as pessoas não são muito bonitas. Sou mais um PornIsArt, por exemplo. Gente linda trepando gostoso com imagens em altíssima resolução. Aí sim.

Anônimo disse...

Gente quanta hipocrisia junta. A moça ver vídeos em streaming é normal, já o namorado ter conteúdo no PC é contribuir com a indústria pornográfica e objetificação da mulher. Por favor, ambos estão contribuindo igualmente com a indústria, ele pode ter esses arquivos há anos, fora que hoje em dia tem arquivos de vídeo bem pesados por conta da qualidade de imagem.
Quanto ao padrão de beleza, eu só aceito a reclamação(mesmo ainda sendo completamente discutível) se a moça só assistir pornô com atores que tenham as mesmas características físicas do namorado dela. Senão é mais hipocrisia, ciúme e baixa auto-estima.

Acredito que é super válido discutir pornografia e objetificação da mulher, mas definitivamente não dentro do viés e da experiência colocados pela moça do depoimento.

Pornografia é uma instituição que não precisa do machismo, é só ver a quantidade de temáticas diferentes que podem ser encontrados em sites pornográficos.
A indústria lucra muito com a objetificação da mulher, mas esta não é motivo sine qua non para a existência da pornografia.

Beijos.

Anônimo disse...

Meu espanto com os sei lá quantos gigas de pornografia no computador é a total desnecessidade de se salvar esse material quando streaming é o que não falta! Vai ver que a internet do amiguinho não é mesmo grande coisa rsrsrsrsrsrsrsrs

E o que ela foi fuçar lá, heim? Tsc tsc tsc..........

Um beijinho no coração da anônima que deu a dica "TBLOP", era tudo o que eu precisava na vida pra satisfazer minhas necessidades masturbatórias!

Anônimo disse...

Quanto ao padrão de beleza, eu só aceito a reclamação(mesmo ainda sendo completamente discutível) se a moça só assistir pornô com atores que tenham as mesmas características físicas do namorado dela. Senão é mais hipocrisia, ciúme e baixa auto-estima.

Na verdade a baixa auto-estima explica toda a reclamação da moça uma vez que, em suas palavras:

"Fiquei triste, pois 100% das fotos e vídeos eram de garotas com um corpo impecável, coisa que meu corpo está longe de ser.
Tenho sérios problemas de autoestima, ainda mais depois de ter passado por um namoro abusivo"

Ela projeta na pornografia do namorado suas próprias inseguranças, inclusive valendo-se de invadir a privacidade dele.

Eu "mataria" meu namorado se ele fuçasse nas minhas coisas, acho que não existe baixaria maior que essa - nem o porn mainstream.

Anônimo disse...

Eu não vi nada demais no namorado da autora, eu mesmo já tive quase 3 mil fotos de pornografia no PC, eu baixei de uma pasta compartilhada em um grupo e nunca vi nem 10%.
Quando eu encontro um vídeo que me chama a atenção eu gosto de fazer o download simplesmente porque depois não preciso procurar no histórico (ou pior, deixar salvo nos favoritos) e esperar carregar, ter 5, 10, 20, 300 vídeos não quer dizer que eu já tenha assistido todos completamente ou que assista todos os dias e seja obcecado com isso, é só um "acervo" pessoal que foi crescendo lentamente durante vários anos.

E outra coisa, ela não deveria se incomodar com o fato dele gostar de ver corpos perfeitos, isso é uma fantasia, é necessário para as pessoas fantasiarem um pouco, se a vida se resumir só a realidade o tédio toma conta (a menos que vc seja um paraquedista).

Juliana disse...

Ai Lolinha, eu adoro o "blogue só vc escreve assim" do Arnold, ´e a frase de efeito dele.
E o dossiê contra a Lola, estou no aguardo hahaha
Sou mulher hétero e assumo ak minha fantasia de homi com homi, fushoji total. E sou muito visual sim, quando vejo um cara atraente eu vou mesmo pensar "ai que bunitim", claro que não. Nem por isso sou uma tarada doida, ou talvez eu seja, sei lá rsrsrs
Lola adoro seu BLOGUE porque só VC escreve assim haahahaa

Anônimo disse...

Babaca doente!

Daniela disse...

Se te incomoda faça alguma coisa sim!! Vc não é obrigada a aceitar.. se vc chega a ficar deprimida vale a pena pensar em mudar.. nem que seja de marido! ;)

Daniela disse...

Foi fuçando nas coisas do meu ex namorado que encontrei fotos de mininas, meninas apanhando, pedofilia e aí? E se eu nunca tivesse fuçado? Fode-se a privacidade, me livrei de uma bucha!!!

Anônimo disse...

Talvez ele seja doente, talvez seja só uma coisa normal, mas vale a pena avaliar se ele deixa de estar com ela pra ver pornografia. Mas essa coisa de transar com a namorada e imaginar atriz pornô ou uma alface pra mim é demais. Se vai pra cama com alguém, não tem nada que ficar pensando em outra pessoa/coisa. Como não dá pra saber, é melhor ir pelos instintos: se a insegurança dominar, acho que não vale a pena insistir na relação.

Feminista capitalista disse...

Ah também nem soube direito o que pensar desse texto.


ASSIM, eu gosto de pornografia e não sou contra ela, a não ser que sejam aqueles fetiches misóginos bizarros de mulheres apanhando,levando choque,muitos choques, com prendedores pelo corpo até ficarem cheias de hematomas, esses acho nojento, fomentadores da misoginia e sem perdão,além claro de pedofilia e zoofilia como já foi dito.

Acho pornô parcialmente transgressivo, pois quando surgiu era crime, e foi necessário a coragem de filmar o ato sexual, visto como 'obsceno' e 'inadequado' pra ele surgir.

Outra coisa, é que históricamente é curioso observar que há mais de 80 anos atrás já existiam a maioria das taras e praticas sexuais que existem hoje, nada é tão recente como pensamos, era tudo muito parecido!

Mas também fiquei estarrecida com os 50 GB de pornô, credo pra que tudo isso?
Sei lá,acho que cada um com seus hobbies, vai ver ele quer ter uma videoteca porno! kkkkkkk


Agora falando sério, me incomodou um pouco ver nos comentários mulheres dizendo que choraram ou sentiram-se ofendidas ao descobrirem que seus namorados se masturbam ou assistam pornô, como se fosse proíbido fantasiar, sei lá, nunca vi problema não.

Acho que esse mal estar está calcado naquele velho esteriótipo de que pornô não nos interessa, de que temos menos desejo sexual e de que sexo não é tão importante pra nós quanto é pros homens,um ideal patriarcal.

Eu conheço muitas mulheres que não admitem se masturbar ou que não assistem pornô justamente por conta dessa mentalidade de que sexo não é pra nós e sim um interesse masculino, que masculiniza na melhor linha :
'Boys will be boys'

Fico bem contente de ser diferente delas e não deixar que o interesse em pornografia e masturbação seja exclusivamente masculino.


Gosto de pornografia caseira pois é mais autentica, porém evito, visto que tem muita coisa nojenta do tipo mulheres que caíram na internet sem consetimento.
Não se pode fomentar isso.

Anônimo disse...

Pra quem duvida que a indústria pornográfica pode ser nociva...

"Garoto de 13 anos estupra irmã de 8 após assistir pornografia no Xbox."

http://www.mirror.co.uk/news/uk-news/13-year-old-schoolboy-raped-sister-8-3114189

É claro que ninguém concorda que crianças devam ver isso. Mas os pais não tem 100% de controle sobre o que as crianças vêem (quem já foi criança um dia sabe do que eu estou falando). Quem me ajuda a solucionar esta questão? Numa boa mesmo, discussão saudável...

Anônimo disse...

Eu acho que a pornografia é nociva tanto para o psicológico da mulher, quanto do homem. Simplesmente pelos simples fatos de que: A maioria dos homens não ão tão bem dotados quanto os atores (isso porque a maioria não percebe o jogo de câmeras e angulação pra deixar o "assunto" maior), sabem que nunca vão ter aquelas mulheres perfeitas e esculturais (talvez não sem pagar horrores), e ainda mesmo que que implicitamente, homens sentirão inveja e ódio dos atores que estão "comendo" a deusa que eles adoram.
Agora eu pergunto, que bem isso faz ao homem? Ele também se sente um lixo e fracassado, somente desejando estar no lugar daquele ator e sabendo que não terá como.

Anônimo disse...

Vicio em pornografia não é normal e pelo contrario do q muito homens falaram, não tem essa de invadir privacidade não, se ele é viciado vc tem mais que direito de saber, e ele não vai deixar de ver, vc ficando magoada ou não, por isso digo está na sua mão ( passo por uma situação parecida to me cansando também mas sei que a decisão de aceitar ou não é minha, porq sei q ele não vai deixar por minha causa)

Lain disse...

Eu não tenho namorada, dificilmente alguém olha para mim, não sou bonito e dificilmente alguma menina que não esteja drogada ou desesperada "Virgem de 50 anos" vai querer algo comigo.
De certa forma a pornografia é o único momento que eu posso imaginar que uma pessoa está a fim de algo.
Sem isso a única visão que eu tenho é todo mundo feliz com seus namoradinho e eu olhando.

Claro que é legal dizer não ver pornografia quando se tem uma vida sexual ativa, mas e quando isso é a única forma de se imaginar que não se é ignorado.

Sim eu sinto desejo sexual, deveria negar isso, sei que para mim é impossivel me relacionar tenho que mudar totalmente minha personalidade e aparência, isso é quase impossível se mudar por completo e saber como se mudar, deveria começar a evitar sentir desejo e me reprimir?

Anônimo disse...

Sei o que a dona do post está passando pq estou passando por algo parecido, mas com suas peculiaridades....
Gosto de filmes pornôs mas não costumo assistir.
Porém já havia percebido que ele gostava, assistia, se masturbava...até então achava saudável e normal.Nunca pediu pra assistir comigo. OK.
Descobri depois pelo meu cunhado que ele adora pagar por sexo. Vai á casas de massagens sempre que pode e acha isso o máximo.Inclusive já o chamou.Meu namorado nega até a morte.
Terminei, mas depois de 3 meses voltamos e pensei que ele havia mudado, porém em poucos dias vi que ele visitou um site se casa de massagem. Meu mundo desmoronou!!! Ele disse q foi uma amigo que entrou... Tentei acreditar, e deixei passar.
Depois de dois meses, acabei encontrando no celular dele por acidente Um acervo dantesco de mulheres nuas, lindas em posição genicológica...Fora as pornografias...que ele manda para os grupos. Ele é praticamente o fornecedor da porra toda!!!
Fiquei muito frustrada, pq depois dos boatos de traição, falei que não queria mais aquilo no celular dele e ele concordou.Acho que da pornografia pra traição há uma linha tênue. Não sei mais o que faço. Minha auto estima está deteriorada fora a confiança! Não sei mais o que pensar!