sexta-feira, 4 de abril de 2014

DEZ MOTIVOS PARA OS HOMENS AMAREM O FEMINISMO

"Preciso do feminismo porque conheço a interseccionalidade da opressão"

Esses dias me deparei com um artigo interessante de Liz Hall Magill, autora do Yo Mama, e pedi pra minha querida leitora Elis Portela traduzi-lo. Muitíssimo obrigada, Elis! 
Eu acho que homens precisam do feminismo, e que o feminismo precisa (também) dos homens. Não somos espécies diferentes, nem se muda o mundo sozinhx.

Após uma palestra que eu dei recentemente na Universidade Longwood, uma aluna me perguntou como podemos aumentar o envolvimento masculino no feminismo. Muitas pessoas estão pensando nisso, incluindo Jackson Katz (cuja palestra TED Talk sobre violência de gênero se tornou viral) e Lauren Rankin, do PolicyMic, que discutiu o papel dos homens aliados ao feminismo em seu artigo "Feminism Needs Men, Too" (“O Feminismo Precisa dos Homens Também").  
Minha resposta à aluna foi que ela deveria conversar sobre o feminismo com os homens que fazem parte de sua vida e compartilhar com eles recursos como o Good Men Project (Projeto Homens Bons). [No Brasil, o Instituto Papai realiza um trabalho parecido.] Muitos temas feministas, desde o pagamento igualitário no local de trabalho à maneira como construímos normas de gênero, afetam os homens. O pessoal é político para os homens tanto quanto para as mulheres, e eles precisam lidar com muitos dos mesmos problemas da sociedade que as mulheres (como a imagem corporal e as relações sexuais, por exemplo), além de muitos temas que são específicos da experiência masculina.
Enquanto ponderava sobre o tema e pensava no que direi ao meu filho sobre feminismo quando ele crescer (atualmente, ele tem sete anos), eu cheguei à lista abaixo. Embora, claro, eu queira que meu filho seja feminista para fazer do mundo um lugar melhor para as mulheres, eu também acredito que o feminismo tornará a vida dele mais feliz, mais rica e mais completa. Ou seja, eu quero que ele seja feminista para si mesmo, tanto quanto para outras pessoas.
Abaixo, o que você deve amar sobre o feminismo se você for homem:
1. Alívio da pressão de ser o arrimo de família
Siga discussões sobre quaisquer temas relacionados a homens e objetificação, ou homens e dinheiro, e você verá homens falando sobre a pressão que sentem para que sejam provedores financeiros. A questão é, claramente, um dos aspectos mais difíceis de ser homem em nossa cultura. Ao questionar as normas de gênero e trabalhar para que os locais de trabalho e os lares sejam mais igualitários, as feministas e seus aliados estão moldando um mundo no qual homens são muito mais do que a soma de seu salário.
2. Uma boa vida sexual 
Um estudo recente (embora as entrevistas sejam dos anos 1990) alegou que homens que realizam tarefas mais tradicionais em casa — coisas "de macho", como cortar a grama e consertar carros — fazem mais sexo do que homens que lavam a louça ou passam o aspirador. Estudos anteriores já apoiaram a ideia de que homens que realizam tarefas domésticas tradicionalmente femininas fazem mais sexo. E então? Como a vida sexual das pessoas casadas é afetada quando os papéis são trocados em casa? De acordo com a especialista em casamentos Stephanie Coontz, a parceria é a questão fundamental: se estiver em sincronia e feliz com a distribuição das tarefas, um casal tende a ser mais feliz na cama. E o feminismo é totalmente a favor da parceria.
3. Vida emocional mais rica
Caso seja homem, você não pode chorar. "Virar homem" significa ignorar seus sentimentos. Embora às vezes as emoções possam ser uma distração, reprimi-las o tempo todo é limitador e nada saudável. Feministas e seus aliados defendem uma versão mais completa da masculinidade, na qual não é vergonhoso os homens expressarem tristeza ou medo  — é simplesmente humano.
4. Relacionamentos significativos
De amizades relaxadas e emocionalmente comprometidas com outros homens — sem a necessidade do rótulo de "bromance" — a comunicações mais abertas sobre desejos e necessidades dentro de parcerias românticas, o feminismo abre as possibilidades para os relacionamentos. E quando os dois parceiros podem expressar seus desejos e necessidades, chega-se à conectividade: uma necessidade humana que a masculinidade tradicional nega aos homens.
5. Autoaceitação (sem a necessidade de músculos definidos ou barriga tanquinho)
Cada vez mais, a mídia está exibindo o corpo masculino como um objeto sexual, o que já acontece com o corpo feminino há muito tempo. (É só perguntar a Jon Hamm). Todos os papos feministas sobre as dolorosas consequências da objetificação feminina se aplicam também à objetificação do corpo masculino. As feministas e seus aliados discutem as complexidades do empoderamento sexual e da objetificação sexual e, para resolver os problemas de imagem corporal da nossa cultura, todos precisamos estar atentos a essas discussões.
6. Conversa franca
Se Cinderela engoliu minha filha, o Homem de Ferro engoliu meu filho — e as consequências de convencer os meninos de que ter uma força inatingível e intocável define o que é ser homem são tão danosas quanto a cultura da princesa o é para as meninas.  Em seu livro Macho Paradox, Jackson Katz discute a necessidade que temos de redefinir a masculinidade de forma que a violência não seja seu componente nuclear. Esses homens que estão oferecendo soluções para o problema da masculinidade e da violência — incluindo Katz e Michael Kimmel  — são aliados das feministas.  
7. Um lugar onde é possível ouvir e ser ouvido
No movimento rumo à igualdade, as mulheres são empoderadas não para usar seu poder sobre os homens, mas para sua autorrealização. Os homens precisam apoiar este esforço, e precisam ouvir. No entanto, isto não significa que os homens nunca devem ter a chance de falar e de ser ouvidos. Há aspectos do patriarcado sobre os quais os homens precisam conversar, entre si e com as mulheres; aspectos da masculinidade que precisam contar com perspectivas, força e vulnerabilidade masculinas se quisermos mudá-los. Conversas feministas — especialmente aquelas entre homens aliados ao feminismo — criam um lugar no qual os homens podem falar sobre seus temas e suas experiências, e suas vozes podem ajudar a definir a igualdade.
8. Mudança de jogo
Norah Vincent
Ao pesquisar para escrever seu livro Self-Made Man, Norah Vincent "se passou" por homem por um ano para descobrir como é, culturalmente, viver como homem. Sua conclusão foi algo que os homens aliados ao feminismo discutem frequentemente: a masculinidade é uma performance, um jogo no qual nunca se pode ser homem o suficiente. Ao mudar nossa sociedade de uma na qual o homem dominante reina supremo para uma na qual as pessoas são quem elas são, e homens e mulheres trabalham juntos como parceiros, o feminismo muda o jogo: homens deixam de ter que provar sua masculinidade continuamente.  
9. Aumento da renda familiar
Caso você seja um homem e se case com uma mulher, sua renda familiar será mais baixa do que deveria. Não porque você não ganha o suficiente, mas porque o poder da sua esposa de gerar receita é menor do que deveria ser: atualmente, nos EUA, as mulheres ganham 77 centavos para cada dólar que os homens ganham. A Paycheck Fairness Act (Lei do Pagamento Justo), que é apoiada pelas feministas, exigiria pagamentos iguais para trabalhos iguais, o que beneficiaria a todos economicamente.
10. Aumento do tempo com a família
A CEO da Yahoo, Marissa Mayer, chegou às manchetes após instituir a licença paternidade na empresa. O contribuidor do Good Men Project Scott Behson elogiou a decisão tanto do ponto de vista dos negócios quanto do ponto de vista cultural. Behson escreve sobre o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal no blog Fathers, Work, and Family (Pais, Trabalho e Família). Pais que trabalham estão sentindo a pressão do trabalho sobre a vida familiar tanto quanto as mães que trabalham, e a possibilidade de mudança está no feminismo e seus aliados.

124 comentários:

Ana Carolina disse...

Super concordo com o texto!

Homens não podem pautar o feminismo, nunca, jamais. PORÉM, como excluir 50% da população do movimento? E, quando estão juntos para debater e construir (e não querer usar argumentos paternalistas e condescendentes, para não entrar nos machistas mesmo), só dão força ao movimento.

Até porque o machismo é ruim para todo mundo.

Anônimo disse...

Homens pedindo desculpas por serem homens, deprimente.

Anônimo disse...

Iuzomismo aqui também, ta foda viu.

lola aronovich disse...

F*da é quando não dá pra diferenciar algumas feministas de mascus, porque o discurso de ódio se confunde.

Julia disse...

Anon 12:05, o que ser homem pra você?

E na minha concepção as pessoas só devem pedir desculpas qd fazem merda...

Anônimo disse...

Eu lembro que eu conheci um garoto que postava no Facebook uns "paradoxos do feminismo", tipo "Quero ser igual aos homens / Todos os homens são porcos"

Eu fiquei nervosa e mandei a real pra ele (hahaha) - igualdade ao machão repressor? De jeito nenhum! O negócio é libertar e libertar os homens que eu amo! Principalmente eu, que sempre gostei dos "bons meninos" que são espancados pelo patriarcado todo dia.

Claro, eles têm privilégio, e esse papinho todo de "Mimimimi minha vida também é tão difícil quanto a sua" é ridícula. Mas convenhamos, a NOSSA (das mulheres) vida vai melhorar se a gente der apoio pros rapazes que sofrem na mão dos "macho" justamente por respeitar a gente.

Carlos Eduardo disse...

Concordo com o texto, acompanho p blog faz um tempo já e posso dizer que aprendi coisas pra caramba aqui, mas é bem dificil se livrar do pensamento machista que parece ser imposto a partir do momento que nascemos, é uma briga com você mesmo o tempo inteiro.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com esse texto!Não consigo entender a insistência de algumas pessoas em transformar td em um campo d batalha. Tem q saber qdo brigar pessoal!

Anônimo disse...

Sawl

Anônimo de 12:05

Homem NÃO tem que pedir desculpa por ser homem.
Deprimente é ser um completo INGNORANTE como você!
Homem de verdade é aquele que ama e respeita as mulheres.
Todo machista cheio de ódio no fundo ou é um recalcado mal amado, ou foi muito corno e por isso generaliza ou é uma bichona enrustida(que com certeza deve ser teu caso, por achar que tem que mostrar que é o "machão", kkk, coitado de vc!).
Viva os homens feministas, pq de machistas escrotos este país tá cheio(que o digam as pobres indianas, árabes e africanas do Congo!).

Sawl - Always the rebel

Anônimo disse...

F*da e ver um ícone feminista brasileiro como Lola, não saber diferenciar a reação do oprimido com, a violência do opressor.

Anônimo disse...

Ih, gente, não tirem dos machistas a noção de que o homem deve ser o provedor financeiro da família, senão não sobra nada pra levar uma louca a se casar com um imbecil machista, né

Anônimo disse...

O legal desse livro da Norah Vincent é que ela aponta a quantidade de rejeição e arrogância que um homem hétero tem que aguentar até conseguir a atenção de uma mulher, o que as feministas dizem que é só "recalque de mascu".

Anônimo disse...

Sou casada há mais de 20 anos e nosso relacionamento é totalmente feminista. Minha profissão me permite ter um belo rendimento e, por causa disso, ele acabou assumindo outras tarefas. Praticamente criou nosso filho sozinho.

Ele conhece a Europa inteira, o que não teria sido possível se fosse um machão babaca que não aceitasse o meu dinheiro.

Claro que, exatamente por ser uma sociedade machista, algumas pessoas olham torto para nós, como se ele fosse um perdedor. Mas nós sabemos que não é nada disso e, o melhor de tudo, meu filho cresceu vendo tudo isso e acha a coisa mais normal do mundo.

No fim das contas, é bem isso mesmo: o feminismo faz bem aos homens, sim.

Anônimo disse...

"Todo machista cheio de ódio no fundo ou é um recalcado mal amado, ou foi muito corno e por isso generaliza ou é uma bichona enrustida"

Putz, que tal não usar com os outros o discurso que não gostamos de ver usado contra nós? E, francamente, xingar alguém de 'bichona'? Nada a ver né.

Anônimo disse...

Gostei da lista, principalmente da parte que fala sobre homens serem mais do que sua condição financeira. Queria que isso fosse ensinado também às meninas.

No entanto, pra mim, o item 2 deu a entender que o cara só tem que fazer as tarefas domésticas a fim de conseguir sexo.

Além disso, parece que reforça um pouco a ideia de que o homem tem que ser "O Comedor". Boa vida sexual, na minha opinião, não é sinônimo de mais sexo e/ou de mais parceiros sexuais, mas sim de ter a liberdade de "moldar" sua vida sexual como vc achar melhor, seja tendo 0 ou +100 parceiros sexuais, fazendo sexo casual ou só dentro de um relacionamento sério, etc. ;)

Nesse ponto, me sinto um pouco mais aliviada por ser mulher, já que o prude-shaming parece afetar mais aos homens e geralmente vem acompanhado de homofobia (por ex. o cara que tem mais de 18 anos e é virgem é tachado de viado).

Anônimo disse...

O Feminismo Verdadeiro, de raiz, não precisa de homens, nem os assumidos, nem os de vestido("trans"). Homens são violentos e perigosos, independente de qualquer coisa, homem será sempre homem.
E você, senhora Lola, apenas está fomentando a perpetuação do Estupro Corretivo.

Anônimo disse...

Agora sim eu vi futuro na coisa!

Não tem como fazer o feminismo avançar sem mostrar aos homens o quanto o machismo é prejudicial a eles e que muitos de seus "privilégios" na realidade são extremamente danosos à sua saúde física e emocional. Além disso, homens ainda são a maioria nas casas do executivo, legislativo e judiciário tanto no Brasil quanto no resto do mundo. Eles precisam ser aliados não só do feminismo mas de si mesmos, parando de comprar essas ideias patriarcais travestidas de benefícios. Apoio totalmente a iniciativa!

Na minha vida particular eu não me canso de mostrar aos homens da minha vida que o feminismo não é inimigo deles e que sustentar uma condição de "macho" tem um preço que a grande maioria deles simplesmente não pode pagar. Menos um soldado do patriarcado é sempre uma coisa boa, ainda se seja apenas um. Já faz diferença no mundo.

Igor Pedras disse...

Esqueceu de mencionar o principal motivo: a não-obrigação do homem de ter atitude "ativa" no relacionamento e a mulher de ter atitude "passiva".

Julia disse...

Sawl, faz parte de ser feminista não ser homofóbica. O que mais tem é hétero misógino.

Nane disse...

Eu também tive que brigar muito comigo mesma para deixar de reproduzir o machismo.E olha que nem sou a privilegiada da história.Imagino para os homens! Mais do que entender o feminismo, é preciso ter boa vontade e empatia para abrir mão de privilégios, que ao final nem lhe trará perdas significativas.

deby disse...

Na verdade os homens sofrem com machismo, é ruim saber pra eles que o machismo tem sua parte ruim
porque muitos hoje em dia querem que as mulheres paguem as contas e se alistem no exercito, essa é uma das partes do machismo que não convém a eles

Julia disse...

Lola, qual feminista estava com discurso de ódio aqui?

Julia disse...

Mascu das 13:20, to querendo comprar esse livro. Mas mulheres são ensinadas a se fazer de difícil, né? Se não é vadia, rodada, biscate. Coisas do patriarcado.
Então, bem feito pra vocês :D

Marina disse...

Nossa Lola..é verdade..difícil saber se alguns comentários são de feministas (redfem?) ou de mascus msm...Vide o Anônimo das 14:03..E gente..Naonde a Lola está "fomentando a perpetuação do Estupro Corretivo"???????
Mto força Lolinha..que realmente é foda!

Maicon Vieira disse...

"No entanto, pra mim, o item 2 deu a entender que o cara só tem que fazer as tarefas domésticas a fim de conseguir sexo.

Além disso, parece que reforça um pouco a ideia de que o homem tem que ser "O Comedor". Boa vida sexual, na minha opinião, não é sinônimo de mais sexo e/ou de mais parceiros sexuais, mas sim de ter a liberdade de "moldar" sua vida sexual como vc achar melhor, seja tendo 0 ou +100 parceiros sexuais, fazendo sexo casual ou só dentro de um relacionamento sério, etc. ;)"

Adorei essa parte do seu comentário. Te aplaudiria em pé se pudesse.
----------------------------------

Sinceramente, esses motivos aí, para mim, foram bem fraquinhos., Fora aqui, é raro eu ver um blog abordando algo sobre como essa sociedade sexista e machista prejudica os homens, então por que apoiar um movimento que não tem como pauta ajudar questões que nos prejudicam? Para quê? Acabarei perdendo meus benefícios de ser homem e ainda ficarei com os malefícios. Não vejo muita vantagem. Outra coisa, por que não criar um movimento só nosso (dos homens)?

Julia disse...

Fora a anon das 14:03, acho que a Lola estava falando de comentários que ela não aprovou..

lola aronovich disse...

Julia, querida, além dos comentários que eu não aprovei, eu estava me referindo ao das 12:13, "Iuzomismo aqui também, ta foda viu". Como sempre, esses comentários são anônimos. Infelizmente, tem vezes, como quando se fala na presença de homens no feminismo, ou quando se fala em pessoas trans, que o discurso de algumas feministas e o de mascus se confunde. Acho horrível que isso aconteça, mas... acontece.

Julia disse...

Mas Lola, olha o comentário do Maicon Vieira. Isso aí é o que?

Maicon Vieira disse...

"Julia disse...
Mas Lola, olha o comentário do Maicon Vieira. Isso aí é o que?"

Oxe, por que meu comentário é de ódio? Apenas não vejo como um bom negócio apoiar o movimento.

Fá disse...

Ok, então, tá. O Feminismo raiz, feminismo moleque, feminismo arte não precisa de homens.
Qual a proposta, muda de planeta, segregar a população feminina da masculia )até que a espécie humana seja extinta, por sinal), matar todos?
Isso aí não tem nada de diferente do nazismo, racismo e qualquer outra forma de preconceito.
existem homens bons, sim, existem mulheres estúpidas como você!

Anônimo disse...

Só quem precisa de feminismo são os mangínas,pode ver que os homens de hoje são fracos, passei numa academia e vi um lutador homem perdendo para uma mulher, isso pq ele deixa de treinar pra aumentar a moral da garota.
Homem de verdade que nem eu ta difícil, os caras tem que entender que homem já nasce com mais força e as feministas tem que entender a diferença que a testosterona faz, ter ovos é algo que só homem tem, as mulheres deveriam entender que por temos dois OVOS, temos mais força

Anônimo disse...

Eu não costumo comentar muito, mas dessa vez gostaria de dar minha opinião. Eu vejo de vez em quando algumas feministas não aceitando as opiniões de homens simplesmente porque eles são homens e, por mais que possa haver um discurso pra isso, não acho que a técnica do "vamos fazer ele sofrer o que a gente sofre" seja um caminho muito justo. Até porque, tratar as pessoas a partir de características físicas (como um pênis ou uma vagina) não é muito diferente do que o Patriarcado vem fazendo há tanto tempo.
Por exemplo, em uma discussão sobre aquela campanha "Homens contra o Machismo", eu comentei que conhecia sim o preconceito porque eu sou homossexual e fui respondido por uma menina que "Não importava o quão gay eu fosse, eu era homem e não sofria tantos preconceitos", além de me chamar de misógino disfarçado, etc e tal. (até mandei um e-mail para a Lola para ver se, na opinião dela, eu realmente havia sido misógino ou não)
O problema disso é que a menina (que não me conhecia), ao dizer que, por mais que eu seja homossexual, eu sou homem e não sofro tantos preconceitos, ela simplesmente ignorou o fato de que eu sou afeminado e, por isso, eu escuto quase que diariamente caminhões pararem na rua simplesmente para me xingar, velhos bêbados me cantando para fazer chacota com os amigos, o medo de andar de mãos dadas com meu companheiro porque alguém pode querer bater na gente e colegas de trabalho que te tratam mal simplesmente porque eu "aparento ser gay". O patriarcado também me oprime e, sim, eu sinto que sou parte da luta do Movimento Feminista, até porque, na minha humilde opinião, um movimento igualitário deveria pregar, por fim, a igualdade.
P.S.: Porém, como já foi comentado no blog milhões de vezes, não acho que o movimento deveria ser liderado por homens.
P.P.S.: Sobre o discurso de "vamos fazer ele sofrer o que a gente sofre", eu só acho que, por mais que eu pudesse fazer um hétero ter os seus direitos negados e sofresse preconceito, eu, de verdade, não desejaria isso.

Luiz disse...

Pesquisa do IPEA sobre estupro estava errado. Hora de se retratartem todos que divulgaram a informação equivocada. O diretor do IPEA já foi inclusive exonerado.

http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/ipea-corrige-pesquisa-sobre-abuso-contra-mulheres

Anônimo disse...

Dae Lolinha, você não costuma dizer "Instituto Mascu as Vozes me Disseram" para fontes em que você não confia? Não precisa mais, agora é só dizer IPEA.

Madalena Barros disse...

Não adianta se retratar, já ficou comprovado que o IPEA está aparelhado pela militância esquerdista. O Rei está nu. Dá próxima vez que vocês quiserem começar uma nova onda de protestos, todos vão se lembrar do caso do IPEA.

Bizzys disse...

Mascu das 16:34 diz:

"as mulheres deveriam entender que por temos dois OVOS, temos mais força"

--------------

Engraçado, porque justamente esses dois ~ovos~ são o maior ponto fraco de vocês. Qualquer chutezinho ou joelhadazinha "lá" faz vocês caírem no chão chorando. Grande força, essa.

;)

donadio disse...

Olha, houve um erro na divulgação da pesquisa, não um erro na pesquisa. É profundamente desonesto tentar fazer uma coisa passar por outra.

Além disso, o erro se refere exclusivamente a uma das perguntas, não a todas elas.

E 28% acharem que mulheres que se vestem assim ou assado merecem ser atacadas ainda é muito grave, pô.

O diretor do IPEA, Rafael Guerreiro Osório, pediu exoneração por causa do incidente. Acaba aí o papo da pesquisa propositalmente errada, não é?

E eu espero que o pedido não seja aceito; o Dr. Rafael Osório é um profissional de alto gabarito, que qualifica o IPEA com sua gestão.

Maria Fernanda Lamim disse...

Amei o texto. e de fato, ler que a Lola apoia o estupro corretivo é de lascar...o povo é doido!

gente, e o mascu que disse que a superioridade masculina é porque eles tem dois OVOS? Demorou, vou no mercado agora mesmo comprar uma dúzia. e se a questao é testosterona (que não é, obvio), as mulheres tb a tem.

Julia disse...

Maicon, o seu comentário foi iozominismo puro. Não quer apoiar? Problema seu. Mas não venha atrapalhar, ok? Vá ser um machista egoísta imbecil bem longe da gente...

Julia disse...

Anon 16:34, homens realmente são mais fortes. A natureza preparou vocês pra carregar saco de cimento. Parabéns!
Estamos cagando pros seus ovos, ok? Bjus

Julia disse...

Nossa Luiz, e você veio até aqui nos dar essa bela notícia? No aguardo de você vir ser o mensageiro quando o machismo acabar e o patriarcado ruir..

Júlia disse...

10 motivos? Sinceramente, homens sofrem de muita falta de empatia para com mulheres se eles realmente precisam de mais motivos pra apoiar o feminismo.

Julia disse...

Madalena, a mãe do ano, também veio nos dar a bela noticia que "SÓ" 26% dos brasileiros acham que mulheres merecem ser atacadas. No aguardo de vcs provarem que esse numero é o certo e não o outro. Que não mudaram o número pra fazer a gente a calar a boca. O rei tá peladão mesmo.

Anônimo disse...

Lola e pessoal,

Estão sendo divulgadas pelo whatsapp imagens horríveis de uma suposta orgia entre 1 mulher e 5 homens. Horríveis pq a mulher está deitada de costas aparentando estar desacordada e toda vermelha. Em uma das fotos eles estão sorrindo enquanto um deles abre a bunda dela... Enfim. Horríveis. Uma notícia na globo . com hoje dizia que suspeitavam de estupro e tudo mais. Agora a noite, saiu outra notícia sobre isso, com ela dizendo que foi tudo consentido, exceto a divulgação das imagens. Eu sinceramente preciso saber como lidar com o julgamento que fiz. Fiquei com ódio dos caras e agora continuo achando eles babacas, mas pelo menos não são estupradores. O que vcs acham disso?

Maicon Vieira disse...

"Maicon, o seu comentário foi iozominismo puro. Não quer apoiar? Problema seu. Mas não venha atrapalhar, ok? Vá ser um machista egoísta imbecil bem longe da gente..."

Percebe-se que quem está disparando ódio é você.
Egoísta? Sim, assumo que sou. Machista? Por quê? Só por que não apoio o feminismo então sou taxado de machista? Não nego que a sociedade favorece os homens, por isso mesmo não apoio o feminismo. Para que perder privilégios em troca de talvez conseguir resolver os problemas que atingem os homens provocados pelo machismo e sexismo? Como eu disse, não vale a pena, não é um bom negócio.
Se gente = pessoal daqui do blog, olha, sinto muito, mas não vou. Se a dona do blog está aceitando meus comentários então não vejo motivos para sair daqui só porque você não gosta.
Sobre iozominismo, bem, não sei o que significa e procurando na net não fui esclarecido. Se puder me passar um link com a definição desse termo eu ficaria grato. ^^

HEADBANGER ZETA MGTOW disse...

pressão social só existe pra quem se importa com isso. não é preciso apoiar feminismo pra não se sentir pressionado pra casar e ter filhos. achei esse argumento da pressão social muito pobre, e vejo que esse argumento é voltado pras massas, porque ja percebi ao longo da minha vida que a maioria das pessoas são guiadas pela pressão social.

Anônimo disse...

Bizzys
As próprias feministas admitem que o homem é mais forte, um chute nos ovos doí, mas não é perigoso nem causa complicações futuras, é só esperar a dor passar e levantar

Ana disse...

@Maicon Vieira
"então por que apoiar um movimento que não tem como pauta ajudar questões que nos prejudicam? Para quê?"

... Cara! Você me abriu os olhos!

Eu não sei porque eu fui contra o racismo esse tempo inteiro! Eu não sou negra. Pra que perder energia apoiando o movimento a favor da igualdade entre brancos e negros? Para que? Não me beneficia em nada!

... Espera - Eu também não sou gay! Vou parar de dizer coisas anti-homofobia. Os LGBTA não estão fazendo nada por mim. Cara, pra que que eu fui perder meu tempo dizendo que gay não devia apanhar esse tempo todo? Não ganhei nada com isso!1!111

[/ironia]

Maicon, acho que você devia ter pensado um pouquinho mais antes de escrever uma coisa dessas. Pegou muito, muito mal.

"Acabarei perdendo meus benefícios de ser homem e ainda ficarei com os malefícios. Não vejo muita vantagem."

Quais benefícios o machismo te traz? E quais malefícios o feminismo preserva? Não, sério - Fiquei curiosa.

"Outra coisa, por que não criar um movimento só nosso (dos homens)?"

Tem o Masculinismo. Talvez seja sua praia. Numa escala de 1 a 10, o quanto te agrada ser chamado de Guerreiro da Real?

Parei. Desculpa, gente.

Anônimo disse...

Sério? Motivo pruzómi amar o feminismo? Concordo com a moça lá de cima. Iuzómi em todo lugar. :(

Anna Milani disse...

Anon das 16:34... Sua grande força acaba quando leva um chute no meio das pernas.

Esse assunto de homem feminista me deixa feliz, porque antes, eu namorava com um machistão ridículo e quando começou a pegar muito no meu pé, ter ciúmes dos meus amigos e enviar um olhar de taturana para minhas roupas, eu dei um pé na bunda dele. E agora eu tenho um cara feminista do meu lado. Eu não invado o espaço dele, deixo-o andar sem camisa por aí e ele me deixa andar de saia, ele vai nas festas com os amigos e eu saio com as minhas amigas.

Confiança é a base do relacionamento, não é? Aliás... Eu não sei como algumas mulheres conseguem namorar machistas '-' Um idiota que te controla,faz slut shaming com as outras que passam na rua e etc.

E, anon das 12:05: Se mata. Nenhum tá pedindo desculpas, babacão. São melhorias que um homem pode adotar, simplesmente deixar de achar que o corpo de uma mulher é seu, ou apoia que a vítima de estupro é sempre culpada pelas roupas que usou. Se você acha legal oprimir o sexo oposto, é problema teu.

Maicon Vieira disse...

Ana disse...

"Quais benefícios o machismo te traz? E quais malefícios o feminismo preserva? Não, sério - Fiquei curiosa."

Não disse que o feminismo ajuda a preservar, mas que não vai ajudar a acabar com esses malefícios.
Bem, se o machismo prejudica a vida das mulheres então me ajuda, afinal, se metade da população é impedida de largar durante certo tempo depois que a corrida começa então estarei na vantagem se largar certo. Num mundo onde sou prejudicado por outras coisas é bom pelo menos ter alguma vantagem em relação aos demais.

"Tem o Masculinismo. Talvez seja sua praia. Numa escala de 1 a 10, o quanto te agrada ser chamado de Guerreiro da Real?"

O masculinismo nem chega perto de de ser um movimento sério. Não aborda nada disso, não luta para mudar esse conceito de masculinidade, essa cobrança para sempre provar que é homem. Apenas é um monte de caras que estão querendo despejar o próprio ódio em alguém.
Exagerei sobre o movimento, realmente não é necessário, mas acho necessário abordar certas causas que afetam os homens, uma delas seria a questão da saúde, um incentivo para que homens procurassem mais o médicos e não bancassem o super-homem, e algo como isso o feminismo não irá abordar, não que deva. Então, não vejo como algo maravilhosos esse texto aí. Poderia apoiar por empatia, por achar justo que as mulheres não sejam prejudicadas e não por esses 10 motivos citados aí. Mas, mesmo assim, prefiro não apoiar, mas também não luto contra. Se bem que não apoiar seria uma forma de lutar contra, né? Então luto contra, mas de uma forma sutil, sou uma força fraca contra isso.

Ana disse...

@Maicon Vieira

"Não disse que o feminismo ajuda a preservar, mas que não vai ajudar a acabar com esses malefícios."

Ok. Quais?

"Bem, se o machismo prejudica a vida das mulheres então me ajuda, afinal, se metade da população é impedida de largar durante certo tempo depois que a corrida começa então estarei na vantagem se largar certo. Num mundo onde sou prejudicado por outras coisas é bom pelo menos ter alguma vantagem em relação aos demais."

Eu não sei se eu comemoro porque você entende que o machismo te rende frutos, ou se eu fico chocada que você gosta de ter vantagens em cima dos outros.

Porque né, sempre aparece um cara pra dizer "eu não sou machista!11!" e aí é um drama pra explicar por indivíduo que, mesmo que ele não seja ~praticante~, ele colhe frutos dessa idéia. Pelo menos com você não tem esse problema.

Agora, você quer ficar com essas vantagens mesmo sabendo de onde elas vêm, e o que elas causam pros outros 51% da população? É memo?

"O masculinismo nem chega perto de de ser um movimento sério."

Sim, por isso eu fiz uma piada haha

"acho necessário abordar certas causas que afetam os homens, uma delas seria a questão da saúde, um incentivo para que homens procurassem mais o médicos e não bancassem o super-homem, e algo como isso o feminismo não irá abordar, não que deva."

Super necessário mesmo.

Por exemplo, não vi até hoje nenhum evento do Novembro Azul, nem passeata de sobrevivente, nada. Só vejo mesmo gente fazendo piada com o exame do câncer de próstata... :/

"Poderia apoiar por empatia, por achar justo que as mulheres não sejam prejudicadas"

É, assim. Um pouco de empatia vai bem. Sabe como é.

"Se bem que não apoiar seria uma forma de lutar contra, né? Então luto contra, mas de uma forma sutil, sou uma força fraca contra isso."

Sim... Com outros milhões de ~forças fracas~ que ~preferem não apoiar~... .__.

Olha, direito seu não ser feminista mas se você pensa que a sua participação é ~desprezível~, eu acho esse pensamento beeeem equivocado.

Anônimo disse...

Bem que podiam botar uns motivos mais interessantes do tipo:

Não ter que pagar a conta.
Não ter que sempre dar carona ou se a mulher tiver carro, não ter que dirigir o carro dela.
Não precisar adivinhar as vontades das mulheres porque elas simplesmente falariam.
Não esperar mais o período que a mulher acha que você tem que esperar pra transar porque "ela tem que se valorizar"
entre outras coisas, haha


Julia disse...

Maicon, além de tudo vc é burro. São muitos defeitos pra uma pessoa só. Percebam que o "imbecil" ele não refutou..
O feminismo não precisa da sua ajuda pra nada. Vê se te enxerga.

Julia disse...

Anon 19:48 Meu filho, já carregou seu saco de cimento hoje? Vai trocar um pneu então, carregar uma caixa. Vai se ocupar vai.

Mila disse...

Concordo! Embora eu acredite que o foco do feminismo sempre deve ser a mulher, não há dúvidas que os homens se beneficiarão com uma sociedade mais igualitária.
Há uma opressão do patriarcado (como a Naomi Wolf já postulou) à mulher (na forma da beleza) e ao homem (na forma do dinheiro). Vejo muito homens achando que só vão conquistar mulheres se tiverem dinheiro (oi? Fosse assim pobre não casava) e agora se forem sarados e "másculos". Também deixam de fazer coisas que gostam com medo do rechaço social.

Carlos Eduardo disse...

Maicon,

Existe uma literatura americana dos anos 90 que chamam de Men's Movement (diferente do Men's Rights) que trata de reflexões sobre a masculinidade e formas de sofisticá-la.

Falam de jornadas pessoais, se absteem de criticar o comportamento comum mulheres, não se enxergam como vítimas do feminismo e não tocam em política. Talvez seja o que está procurando.

"Fire in the Belly" do Sam Keen e "Iron John" do Robert Bly são algumas obras dessa geração.

Até.

Julia disse...

O anon 21:57 me deprimiu. Vc passa por tudo isso? Gente, quantos problemas graves...
E ainda dá uma risadinha no fim o cretino.

Bom, então é isso, né gente? O pensamento desse estrupício do Maicon e desse anon é o do homem comum. Eu deixo muito comentário irônico aqui mas qd digo que problema de homem não é problema meu, não to brincando. O anon do mimimi do encarceramento que disse que homens tem penas mais severas pelo mesmo crime. Não tenho dados mas espero que seja verdade. Ok? Alistamento obrigatório pra homens to cagando tbm. E andando. Só falta o Brasil entrar numa guerra pra ficar mais divertido. É isso. Paciência não tenho mais. Que.se.fodam.

Maicon Vieira disse...

Julia, vc é uma pessoa que se irrita fácil. ^^
Para que refutar um xingamento? Apenas ignoro, muito mais fácil e saudável. Pensei que o pensamento do homem comum era que não existia mais machismo e que o feminismo não é necessário.
Onde eu disse que precisava?
Olha, você me parece com os guerreiros da real. Acho que amazona da real combinaria com vc. É muita raiva em um só comentário. :p
----------------------------------

Carlos Eduardo, interessante isso. Gostei desse Men's liberation movement. Mas pelo que eu vi o Men's rights estaria incluso no men's movement.

Panthro disse...

Eu sempre achei que o feminismo é uma libertação de papéis pré-definidos e que é uma bênção pra qualquer ser humano que queira se tornar auto-gerido. É uma merda a ideia de que você vai passar a sua vida cumprindo um papel pré-determinado por outras pessoas infelizes. Eu quero correr atrás da minha própria felicidade. Ela pode até ser de acordo com a vida pré-fabricada que vendem como normalidade, mas eu quero ter a capacidade de escolher essa vida.

Agora eu acho uma bobagem quando dizem que só mulheres podem ser feministas ou que só mulheres podem assumir o protagonismo (oi?) do feminismo. Vou dar um exemplo pra vocês entenderem: Aqui todo mundo (tirando os mascus de estimação) é contra o estupro. Mas pouquíssima gente por aqui foi estuprada. A Lola mesmo vive postando textos sobre a cultura do estupro e nunca disse ter sido estuprada. Estaria ela roubando o protagonismo da luta contra o estupro?

É claro que eu não sei como é ser negro. Não sei mesmo. Um amigo me contou, por exemplo, que ele é parado pela polícia coisa de uma vez por semana. Eu nunca ia imaginar uma coisa dessas se ele não tivesse me contado. E é claro que eu preciso dele me contando essas coisas pra ter noção do que é estar na pele dele, do mesmo jeito que os posts sobre estupro no blog nos fazem ver o estrago que fica após o estupro. É importante pra que a gente possa usar a nossa empatia e se colocar no lugar do outro. Mas isso não significa que quando eu puder vou condenar o racismo ou o estupro.

Eu não me ofendo quando o <3 Ben Cohen <3 resolve começar uma campanha contra a homofobia só porque ele é hetero. Pelo contrário, eu fico feliz que exista gente disposta a sair do seu mundo e defender uma causa que não é só sua, mas de todo mundo. Então fica muito difícil pra mim entender qual que é a do "protagonismo". Juro que me parece algo mesquinho, como uma briga por atenção.

Por mim, qualquer pessoa que resolva militar contra o racismo, contra a homofobia, contra o sexismo, enfim, todas as pessoas que acreditem que as pessoas são indivíduos e que devem ser tratadas como tal, está no meu time. E se vai encabeçar um projeto, trabalhar num projeto, ou só não ser mais um babaca genérico, eu já estou achando positivo.

Panthro disse...

E eu achei engraçado que o Maicon quer ter uma vantagem na disputa e ao mesmo tempo gostaria de não ser cobrado pela disputa, quer dizer.

Ele percebe o mal que o machismo faz com ele, mas está tão imerso na cultura que não consegue deixar de ver o mundo como uma disputa.

vivian disse...

Maicon, é difícil ter paciência com você.

Imagine você no meio de vários negros dizendo: olha gente, estou cagando e andando pra vocês por que lutar contra o racismo não me traz vantagens. Então eu vou continuar aqui de boas largando na frente e o mundo já que é assim vou me beneficiar mesmo, fodam-se vocês.

É exatamente isso que tu tá dizendo.

Só quero ver você ter uma relação de amor verdadeiro com qualquer mulher se não consegue amar as mulheres.
"Mas eu amo minha namorada". Sim, tanto quanto um branco racista ama um negro. Eu lamento por isso.

Quero ver ter uma amizade saudável com "qualquer" homem com essa postura que precisa manter de homem privilegiado. Não pode vacilar não é? Abraçar o pai na rua confundem com gay, pode até levar uma surra. Qualquer amizade mais íntima é perigo de perder a masculinidade. Acha que não precisa do feminismo? Homens não fazem ideia do nível de amizade entre mulheres, e nunca seremos lésbicas. Eu lamento mesmo.

Bem, se aproximar das pessoas é mesmo para pouc@s.

Boa sorte ai.
Infelizmente o machismo faz você perder a parte delicada da vida.

Miranda disse...

Vc não fazer parte das minorias (negros, mulheres, homosexuais, etc) realmente não é sinônimo de liberdade plena. esse privilégio é limitado. Um mundo mais igualitário é um mundo com mais liberdade.

E é uma pena ter que ler gente achando que não existe homem verdadeiramente feminista, que o verdadeiro feminismo é só de mulheres. Pra mim (que sou mulher, negra e bi) isso é coisa de radicais e que não percebem que ser radicais não as levará a lugar algum pois nutrir raiva ou sentimento de vingança pelos homens (o que algumas sentem) não trará sucesso algum ao movimento. Estão fazendo o mesmo que o machismo, segregando alguém pelo seu gênero.

Felizmente a maioria esmagadora não é assim, o que me dá esperanças de obtermos cada vez mais resultados na nossa luta.

HEADBANGER ZETA MGTOW disse...

vendo esse papo da vivian, da pra ver porque mulheres são tão apegadas Às pessoas. todo esse papo de amor, amizade etc pra mim é tudo lixo. nessehan alita defendeu o desapego, desapego eu relaciono com minha misantropia, de encontrar felicidade apenas em mim mesmo e não nos outros. amizade é porcaria, os caras que eram meus ''amigos'' 10 anos atras hoje em dia tão planejando me matar. amor pra que? é a paixão que faz homens matarem mulheres em relacionamnetos, homem desapegado caga e anda pra mulher logo as chances de acontecer violencia contra mulher são mínimas vindo de homens desapegados.

Julia disse...

Amazona da real. Gostei. Agora só preciso do arco e flecha.. alvo já tenho..

Julia disse...

"vendo esse papo da vivian, da pra ver porque mulheres são tão apegadas Às pessoas"

err.. e é pra ser apegada ao que? Ao videogame? Ao carro?

Não é paixão que fazem homens matarem mulheres. É o sentimento de posse derivado do machismo.

E você tem que ver essa paranoia sua aí..

Anônimo disse...

Não sei qual a necessidade de ficar xingando em uma discussão. Pra quê tanto ódio?

donadio disse...

"Bem que podiam botar uns motivos mais interessantes do tipo:

Não ter que pagar a conta.
"

Ninguém tem que pagar a conta. Combine antes que a conta vai ser dividida, ou - se ela ganhar muito mais do que você - que ela é quem vai pagar. Ah, aí ela não vai querer sair com você? Que bom, você acaba de evitar sair com uma machista...

"Não ter que sempre dar carona ou se a mulher tiver carro, não ter que dirigir o carro dela."

Sério?

Eu nunca "tive" de dar carona. Dou carona se acho que a companhia é agradável, ou se vejo que a pessoa está numa situação em que realmente precisa.

E só dirigi carro de mulher uma vez na vida, por que ela cometeu um erro e ficou nervosa.

Eu acho que você precisa conhecer mulheres menos desinteressantes, cara.

"Não precisar adivinhar as vontades das mulheres porque elas simplesmente falariam."

De fato... seria uma ótima idéia; é muito chato esse negócio de que "quem ama vira telepata". Mas sabe o que é que faz com que as mulheres achem que não devem falar? Adivinha? Pois é, o machismo.

"Não esperar mais o período que a mulher acha que você tem que esperar pra transar porque "ela tem que se valorizar"
entre outras coisas,
"

Também é uma boa idéia. De novo, quem põe na cabeça das mulheres que elas "tem que se valorizar" é... o machismo.

Para tornar seu sonho realidade... evitar xingar as mulheres que "não se valorizam" (é, cada vez que você chama uma mulher de costumes menos tradicionais de "piranha", você está sabotando suas possibilidades de conseguir sexo casual, meu); apoiar o direito das mulheres ao aborto e à contracepção; apoiar o acesso igualitário das mulheres ao mercado de trabalho - em outras palavras, apoiar as reivindicações feministas.

O que não dá, cara, é apoiar um sistema em que as mulheres ganham menos, e querer que elas dividam a conta. Apoiar um sistema que nega às mulheres o direito de falar, e reclamar que elas não falam. Apoiar a repressão sexual contra as mulheres, e exigir que elas se comportem como pessoas livres.

Quer comer o bolo? Vai ficar sem bolo amanhã. Quer guardar o bolo para amanhã? Vai ficar sem comer bolo hoje.

Carlos Eduardo disse...

Maicon,

Bom, não sei do diálogo que aconteceu entre os dois na época, mas esses autores que te passei não dizem NADA a respeito da forma como os homens são possivelmente prejudicados pelas leis envolvendo divórcio e assédio sexual ou pela equiparação da mulher ao homem no mercado de trabalho e nos hábitos sexuais, que é a birra do Men's Rights.

Eles não são conservadores, pelo contrário, acreditam em outras formas de masculinidade que não a "guerreira" (apesar dessa também ter a sua importância), e tentam enxergar os relacionamentos com mulheres de forma empática. Isso não quer dizer que os textos não contem alguns traços de presunção machista - uma empáfia, na verdade - mas nada que invalide o projeto.

É uma viagem que busca popularizar a filosofia, antropologia dos ritos de iniciação e psicologia jungiana entre o estilo de vida dos homens contemporâneos, é algo bem simples até, e pode até ser considerado literatura de auto ajuda. Nunca vi nenhum desses que vocês chamam de "mascu" falarem desses autores, pois de fato não é para o bico deles.

Outro exemplo: "King, Warrior, Magician, Lover: Rediscovering the Archetypes of the Mature Masculine", do Robert Moore.


Abraço!

Julia disse...

Anon 10:50, tá falando comigo? Coloca meu nome, cagão ou cagona. A pessoa acha que odiar é chamar alguém de imbecil ou cagão. Vocês precisam rever os parâmetros de vocês. Eu não vou rever os meus.

Maria Valéria disse...

Lola

Totalmente off topic, mas escreve um post sobre a grávida que foi obrigada a fazer cesárea !!
A Lígia ( do cientista que virou mãe ) escreveu um post sobre isso, vc podia pedir autorização pra transcrever o dela aqui, ou entao escrever o seu!!!
Acho muito apropriado pro seu blog.
Queria dar minha opinião e conversar com mais pessoas a respeito, mas num post específico pra isso !!
Beijos :))

lola aronovich disse...

Querida Maria Valéria, quero muito escrever sobre isso, mas eu não teria muito pra acrescentar, só mostraria minha indignação. Então estou esperando um guest post sobre o assunto. Tomara que venha logo! É um assunto muito importante, sem dúvida.

Maria Valéria disse...

Lola,

Eu nao me sentiria a vontade pra escrever o guest post porque nao sou GO e tenho medo de passar alguma informação equivocada sobre a parte técnica ( médica)
Mas, pede autorização pra Lígia transcrever o dela aqui -:) beijao

Joselma Maria disse...

Estamos vivendo na era do modernismo, porém muitas atitudes e pensamentos arcaicos prevalecem na sociedade, como achar que o homem deve ser o único provedor financeiro do lar, que este não pode chorar, não pode fazer os serviços domésticos, cuidar de uma criança, pois não é macho. E também tem o preconceito da diferença salarial entre a mulher e o homem. Precisamos mudar esses pensamentos e atitudes, essa corrente tem que continuar, e aumentar mais adeptos, a fim de termos uma sociedade mais justa.

Anônimo disse...

Valéria, me explica algo,

Tu és médica, né? Que mania de médico é essa de nunca saber porra nenhuma sobre outras especialidades? Vocês só estudam na residência e a graduação foi só decoreba? E o bom senso? Sério, queria entender, sou Biofísica, e essa postura limitante me parece ridícula, cercada de medo. Cientistas não podem ter medo.

J.M. disse...

"Todo machista cheio de ódio no fundo ou é um recalcado mal amado, ou foi muito corno e por isso generaliza ou é uma bichona enrustida(que com certeza deve ser teu caso, por achar que tem que mostrar que é o "machão", kkk, coitado de vc!)."
-------

Contraditório combater o machismo xingando um mascu com termos homofóbicos, como se ser homosssexual fosse algo ruim e digno de piada, ignorando que a homofobia é intimamente ligada ao machismo. Bem suspeito esse tipo de comentário que tenta combater opressão xingando quem também é oprimido...

vivian disse...

HEADBANGER ZETA MGTOW

Bom, se você acha que é uma ameaça para as mulheres e que é melhor praticar misantropia, quem vai discordar, não é?

Mas seguramente não é a paixão que faz homens matarem mulheres, do contrário crimes passionais seriam equivalentes entre as partes, pois mulheres também sentem paixão. O que faz homens matarem mulheres é a visão das mulheres como seres inferiores, a qual a vida vale menos do que a do homem.

Leia sobre isso para não se privar das coisas com base em teorias errôneas.

vivian disse...

Lola, eu tô lendo o livro... e tô achando que a autora faz umas comparações sem noção.

Ok, ela retrata como o homem sofre para conquistar uma mulher que sofre muita rejeição e etc... não tiro nem um pouco a veracidade desse fato. Mas me parece que ela usa a medida desse sofrimento dos homens como simétrico ao sofrimento das mulheres conforme ela faz a descrição...

Então mulheres recebem menos, tem medo de ser estuprada tanto em casa por pessoas de "confiança" quanto na rua, sofre com misoginia e violência doméstica, e ela parece colocar na mesma medida que homens serem rejeitados na balada?

Fiquei de cara, mas enfim.
machismo não é 100% bom para os homens, mas definitivamente essa simetria não existe.

Você não ficou com essa impressão também?

Raven~ disse...

Ovos. Huashuahsu ovos. Bagos. Esses caras não fazem idéia da sua estrutura corporal.

Raven~ disse...

Mas Maionese. Chato do jeito q vc é até eu já tou querendo te matar. E para de trocar a porra do nome...

Anônimo disse...

Acredito que todo debate, no que diz respeito à igualdade social, seja a anunciação de que estamos muito atrasados. Homens com suas características, mulheres com as suas. Os direitos? São iguais por natureza. A discrepância surgiu pelas atribuições e pelos valores que a sociedade, erroneamente, estabeleceu.
Hoje, o que vemos: uma sociedade com regras predominantemente machista. E o Mercado predominantemente feminista. O que mudar? Começando principalmente pelos meios de comunicação. Já que grande parte da opinião genérica é feita por eles. É um começo.

Maria Valéria disse...

Valéria, me explica algo,

Tu és médica, né? Que mania de médico é essa de nunca saber porra nenhuma sobre outras especialidades? Vocês só estudam na residência e a graduação foi só decoreba? E o bom senso? Sério, queria entender, sou Biofísica, e essa postura limitante me parece ridícula, cercada de medo. Cientistas não podem ter medo.


Anônimo,21:43:

Seu comentário grosseiro nem merecia resposta, ate porque você nem teve coragem pra assinar seu nome, mas lá vai :

- eu entendo um monte de " porra de coisas " de obstetrícia, mas serio, nao estou habilitada a fazer ou indicar uma cesárea, uma cirurgia. O estagio de obstetrícia dura seis meses ( aproximadamente ) , e depois o medico pode ou nao se aprofundar no estudo de uma area que ele nao escolheu exercer.
- faculdade de medicina dura SEIS ANOS e o conteúdo e muito vasto, muito amplo.: você exige que todo medico saiba tudo de todas as áreas ? Que saiba : fazer cesárea, operar olho, indicar cirurgia ( ou nao ) pra fratura? Acho que você vive no século passado, quando ( ainda ) era assim, hoje nao mais.
Seria o mesmo que exigir que um professor de português soubesse lecionar tambem: matemática, ciências, etcetc
Tenha santa paciencia ne.
Ou que um advogado criminalista pudesse opinar sobre :direito de família , direito tributário, etc.

Lola , desculpa , nao e da minha índole responder de maneira agressiva, mas da maneira como foi colocado, o comentário so me permite responder nesse tom.
O dia que você colocar um post sobre o assunto,venho dar minha opinião aqui, ( que formei após ter falado com uma amiga GO ), alias se vc quiser ler eu postei lá no blog da Lígia,

Beijos e bom domingo, anônimo !

Anônimo disse...

Bom, a grávida que passou por uma cesária contra a vontade quer processar hospital, médico, promotor, juiz, policiais, delegado por não ter tido o parto normal para o qual ela não estava apta? ah, tá. Se tivesse que ser parto normal, a criança já teria nascido há mais tempo e nada disso estaria povoando essa mídia chata que achou apropriado dar visibilidade a esta senhora mal orientada. Se os médicos tivessem ido na onda dela, e a deixassem em casa a ter o filho desassistida, sabe deus em que condições e quais as consequências, seriam processados por omissão de socorro do mesmo jeito, mesmo com a autorização prévia que ela teria dado.
Fosse ao contrário, eu não diria nada...mas parto normal que não acontece não muito tempo depois de as cólicas fortes começarem pra mim é parto forçado. Já cansamos de ler relatos de mães bem intencionadas que fizeram de tudo para ter um parto normal mas não conseguiram. Nâo é o fim do mundo. Melhor uma cesária bem feita do que ter um filho com anóxia cerebral (para não falar das inúmeras complicações do parto 'normal') como o filho de um amigo do meu pai.

Julia disse...

Vivian, agora lembrei que já tinha visto esses mesmos comentários sobre esse livro. Essa falsa simetria ridícula. Não vou comprar mais essa porcaria.

XxLGxX disse...

Concordo com o comentario anonimo.. Julia voce nao sabe o que e ser homem..nos temos que ser a rocha sentimentalmente estavel de nossa relacao.. Pois um homem instavel nao e so um homem chorao.. E tambem um homem VIOLENTO e que nao consegue controlar seus IMPULSOS como deveria.. E pra uma comunidade que adora condenar o estupro eu acho isso altamente controverso.

Anônimo disse...

""Bem que podiam botar uns motivos mais interessantes do tipo:

Não ter que pagar a conta."

Ninguém tem que pagar a conta. Combine antes que a conta vai ser dividida, ou - se ela ganhar muito mais do que você - que ela é quem vai pagar. Ah, aí ela não vai querer sair com você? Que bom, você acaba de evitar sair com uma machista...

"Não ter que sempre dar carona ou se a mulher tiver carro, não ter que dirigir o carro dela."

Sério?

Eu nunca "tive" de dar carona. Dou carona se acho que a companhia é agradável, ou se vejo que a pessoa está numa situação em que realmente precisa.

E só dirigi carro de mulher uma vez na vida, por que ela cometeu um erro e ficou nervosa.

Eu acho que você precisa conhecer mulheres menos desinteressantes, cara.

"Não precisar adivinhar as vontades das mulheres porque elas simplesmente falariam."

De fato... seria uma ótima idéia; é muito chato esse negócio de que "quem ama vira telepata". Mas sabe o que é que faz com que as mulheres achem que não devem falar? Adivinha? Pois é, o machismo.

"Não esperar mais o período que a mulher acha que você tem que esperar pra transar porque "ela tem que se valorizar"
entre outras coisas,"

Também é uma boa idéia. De novo, quem põe na cabeça das mulheres que elas "tem que se valorizar" é... o machismo.

Para tornar seu sonho realidade... evitar xingar as mulheres que "não se valorizam" (é, cada vez que você chama uma mulher de costumes menos tradicionais de "piranha", você está sabotando suas possibilidades de conseguir sexo casual, meu); apoiar o direito das mulheres ao aborto e à contracepção; apoiar o acesso igualitário das mulheres ao mercado de trabalho - em outras palavras, apoiar as reivindicações feministas.

O que não dá, cara, é apoiar um sistema em que as mulheres ganham menos, e querer que elas dividam a conta. Apoiar um sistema que nega às mulheres o direito de falar, e reclamar que elas não falam. Apoiar a repressão sexual contra as mulheres, e exigir que elas se comportem como pessoas livres.

Quer comer o bolo? Vai ficar sem bolo amanhã. Quer guardar o bolo para amanhã? Vai ficar sem comer bolo hoje."

Então donadio,posso dizer que penso assim como você, no momento tenho optado por tentar fazer uma diferença no machismo dessas mulheres "menos desinteressantes" afinal, não acho interessante esperar que elas sejam "tocadas" por uma feminista na função, como recomendam as mesmas, haha.
E julia, eu não vejo essas situações como problemas, e nem "sofro" com elas, só disse que acontecem, pois além dos privilégios do machismo ainda tenho outros privilégios.
Ainda sobre isso... num mundo sem machismo vai ser "educado" o homem pagar a conta? acho que não né.
Só porque as "vantagens" femininas não superam as desvantagens no machismo não quer dizer que não existam.
Mas vamos lá me digam onde eu estou errando... haha ( mais uma risadinha cretina pra voce julia, :x)

Anônimo disse...

Concordo, e ainda acrescento:

Apoiar o feminismo para uma maior liberdade sexual, tanto nossa, quanto delas.

Apoiar o feminismo para usar roupas coladinhas de poliester sem cueca.

Apoiar o feminismo pra ficar pegando carona de carro, de moto, de barco e nunca mais precisar dirigir.

Apoiar o feminismo pra achar uma feminista rica que me sustente

que mais que eu quero dessa vida? nem sei...

Julia disse...

Então anon da risadinha cretina, que bom que você tem uma coleção de privilégios. Deve ser uma beleza. Mas você vai continuar vindo chorar as pitangas aqui ou já deu?

Julia disse...

Raven, hahahahaha
Ri muito do seu comentário! Onde vcs acharem esse apelido pra ele - Maionese?
Eu só tive vontade de matar ele uma vez, o que prova que sou uma pessoa muito tolerante e paciente :)

Anônimo disse...

Julia, só me responde, no seu feminismo o homem paga seus jantares, suas viagens, suas roupas, sua academia, suas jóias, te leva pra onde voce quer ir ou não?
Só quero saber isso ai... tem como responder? se não responder, o motivo só pode ser sim né e tá com vergonha de assumir

Julia disse...

XxLGxX, Homens não tem que pedir desculpa por serem homens, tem que pedir desculpa se oprimem, agridem, violentam, abusam. E em alguns casos desculpas não são suficientes, pelo menos pra mim. Quem está dizendo que ser homem é isso foi o anon e vc esta concordando com ele.
E eu não sei o que é ser homem mesmo, nem quero saber..

Julia disse...

Anon 19:46, faltou o Toddynho.

Anon 21:26, não.

Boa semana a todas!

Anônimo disse...

sou homem e nao vejo razao alguma para amar uma ideologia que nunca me beneficiou em nada e nunca se preocupou em atender meus interesses, pelo contrario, sempre fez questao de demonizar o homem e vitimizar a mulher para atender os interesses de mulheres egoistas.

Julia disse...

Anon folgado das 12:52, se está esperando que o feminismo atenda aos seus interesses pega uma cadeira pra sentar porque em pé você vai cansar.
Engraçado vc ter falado em egoísmo pq vc me pareceu bem.. egoísta. Mas vc é homem, né? Você pode.
Coisa fofa.

lola aronovich disse...

Sinto muito, anon que fez dois emails com listas. Não vou publicar. Mentiras demais por centimetro quadrado. Não publico mentiras. Quando vc fala mentiras mascus como "o salário do marido é pra casa, o salário da mulher é pra ela", por exemplo, vc mostra como não sabe nada. Tanto a mulher é considerada mais responsável e menos egoísta com seu dinheiro que o Bolsa Família vai pras mãos dela. Porque é mais difícil ela deixar de comprar comida pros filhos pra ir beber num bar. Impressionante como vcs mascus são ignorantes.

MARCIO disse...

Problemas que o feminismo não resolveu e se recusa a discutir.1) diferença entre as mulheres; o feminismo é generalizante e apaga as diferenças. Assim como nenhum homem é igual ao outro, as mulheres também não são. Por isso mesmo a situação da mulher negra é desesperadora, mesmo dentro do feminismo elas são desprezadas. Existem todos os tipos de relatos de mulheres negras mostrando como as feministas brancas as tratam. Pergunto a vcs, o feminismo não busca a igualdade, então pq as mulheres negras são discriminadas a ponto de ter que criar um novo feminismo? No fundo o feminismo parece defender ideias das mulheres burguesas da classe média. Vou além, a mulher negra no Brasil faz o trabalho da maioria das mulheres que dizem ter dupla jornada. O salário da mulher negra é tão baixo e miserável que no Brasil não é difícil ter empregada doméstica. O TRABALHO QUE O HOMEM NÃO FAZ, QUE A MULHER NÃO TEM TEMPO DE FAZER, A NEGRA SEMI ESCRAVA FAZ, É POR ISSO QUE AS FEMINISTAS ESCONDEM A MULHER NEGRA. Veja o desespero das mulheres com a melhoria das leis trabalhistas para as domésticas. 2) Já falei abaixo do erro histórico ao não relativizar dados históricos. 3) O feminismo usa os mesmo artifícios de ideologias opressivas que ele condena. Essas ideologias tem comum a construção de um grande inimigo, por exemplo: no nazismo: os judeus; no socialismo: o capital; catolicismo: ateus etc. Sem o grande opressor não existe feminismo, nesse ponto ele é tão opressor quanto a ideia que combate. 4) Pluralização do inimigo; "o inimigo está em toda parte", "fiquemos alerta", "isso é uma guerra", "lutemos", "estamos sofrendo um ataque". Não parece discurso do presidente americano após o 11 de setembro. É sim, lembre-se disso, os americanos nunca foram tão opressivos depois de ter se tornado vitima. O vitimismo americano legitimou atrocidades bárbaras e advinha o que fazem as feministas, lutam, mas lutam principalmente para continuar a serem tratadas como vitimas.

MARCIO disse...

Homens são sempre violentos, que generalismo bobo. Mahatma Gandhi era uma mulher por acaso? E homens pacifistas que lutaram pelo fim da guerra do Vietnã? Dizer que todo homem é violento é o mesmo que dizer que todos os brasileiros são acomodados. Exitem milhões de brasileiros, assim como milhões de homens. Assusta perceber que o feminismo é tão generalizante.

Anônimo disse...

sim julia, os homens podem ser egoistas se quiserem, assim como as mulheres. e nos sabemos que o feminismo nao defende nossos interesses. por isso surgiu o masculinismo ;)

vivian disse...

Julia!

Eu não comprei o livro, eu achei pela internet mesmo =) ironicamente achei o link pro livro no forum do bufalo hahaha! Finalmente estes mascus serviram pra algo.

Ela faz essa falsa simetria mesmo >< Mas ela também deixa claro quais as desvantagens de ser homem, vale a pena ler por este motivo.

Dá um orgulho em ser mulher, por que temos coisas que são exclusivas mesmo, como por exemplo podemos ser nós mesmas entre as pessoas e demonstrar afeto, homens jamais poderão ser transparentes em função do machismo. Segundo ela, homens vivem uma máscara da mentira, mentem o tempo todo contando vantagem, mesmo entre amigos, foda! Mentem pra mulher, mentem pro chefe e colegas. Eles não se conhecem por que não se abrem um com os outros e o pouco que falam mentem descaradamente. Não consigo me imaginar vivendo assim!
Ela também mostra que homens não podem esbarrar em nada que seja considerado gay, sob pena de ser expulsos do círculo que frequentam. Homens podem ser tão amigos entre si que se acharem que fulano é gay simplesmente o descartam! A situação parece bem desesperadora nesse sentido, simplesmente homens não tem em quem se apoiar afetivamente, pois "precisam" manter a máscara da onipotência o tempo todo e com TODO mundo, inclusive pessoas íntimas.

Gostaria que os caras lessem pra me dizer se concordam...

vivian disse...

XxLGxX

Você deveria ler este livro!
Explica muito por que homens são tão instáveis e tendem a violência!

Simplesmente reprimem e sufocam tudo o que sentem, e a única forma de expressão que é permitida é ser violento.

Machismo é mesmo ruim pra todos, pois homens estourados e violentos atacam mulheres E homens.

Neste aspecto as mulheres podem ensinar muito, mas os homens tem que querer ouvir!

MARCIO disse...

Vivian, vc é sexista. A violência atinge a todos, homens e mulheres. O feminismo erra qd generaliza. Sou homem e não sou violento, Gandhi era homem e era violento? Os maiores pacifistas, inclusive que lutaram junto com mulheres, eram homens. A sua visão vêm do machismo, pois é o machismo que pensa dessa forma. Sobre sensibilidade, Fernando Pessoa, Vinicius de Moraes e outros poetas não eram sensíveis. Sensibilidade pode ser masculina e feminina, sensibilidade é algo humano. Homens são humanos, mesmo quando são agressivos, por acaso as mulheres nunca foram agressivas? Mentira, só os homens mentem. Então é bom saber que os orgasmos femininos são sempre verdadeiros.

MARCIO disse...

Vivian que absurdo. Homens jamais vão poder ser transparentes em função do machismo, ou seja, o machismo vai existir para sempre?? Então pq luta? Vc lê um livro para descobrir as vantagens que tem como mulher, assim vc se sente bem. Lembre-se, toda vantagem é relativa, um homem que não é transparente faz a mulher sofrer. Um homem violento faz as mulheres sofrerem. Portanto, vcs não ganham com essas vantagens, pelo contrário, também perdem muito.Por exemplo, vc pode achar uma vantagem um cara dizer "sim" para todas as mulheres, mas isso é machismo. Além disso, o cara não gosta da garota, ele está cumprindo uma missão. O pior é que tem mulheres que acham isso ótimo, mas depois reclamam que o cara é cafajeste. Vcs mesmas dizem que o cara é gay, se eles dizem "não" para vcs. Todo homem que é honesto, e que não gosta de uma garota precisa dizer "não" a ela, pois é uma forma de respeito. A maioria não faz isso, diz sim, usa a garota e no dia seguinte muda de rua quando a moça passa. Homens não são máquinas de sexo, podem dizer não, sem serem chamados de gays. E os gays também são maravilhosos, sou homem e digo isso com muito orgulho.

Julia disse...

A Vivian não está dizendo como ela acha que os homens devem ser, ela está me falando sobre um livro que ela leu em que uma mulher se disfarça de homem durante um período pra saber como é estar na pele de um homem. E ela não disse que o machismo vai existir pra sempre, mas que enquanto existir homens mentirão para se encaixar no estereótipo de macho que o patriarcado exige.

Julia disse...

Vivian, obrigada pelos esclarecimentos. Na verdade eu queria ler esse livro desde o lançamento, depois fui procurar mais informações e olhando aqui e ali achei que era meio sexista/machista e desisti. Mas se você ainda tiver o link eu agradeço. Não custa dar uma olhada e eu fiquei curiosa :D
Bjus

vivian disse...

Julia!

Obrigada por esclarecer por mim!

Claro que jamais não é jamais pra sempre, é jamais dentro da cultura machista! Espero sim que um dia acabe, por isso faço minha parte =)

Tem o livro neste link, Julia, se a Lola liberar:

http://www.mediafire.com/view/pmkrmz2d45rvusc/Feito_Homem_-_Horah_Vincent.pdf

vivian disse...

Julia,

Leia com as anteninhas ligadas. Outro ponto a se prestar atenção na leitura é: não sei que tipo de mulher essa pobre escritora convive, mas ela pega pesado na descrição dos relacionamentos entre mulheres. Como eu não me identifiquei nem um pouco (as mulheres da minha vida são absolutamente maravilhosas), li com ressalvas e com pena dela mesmo, pois ela usa os clichês batidos de competição, inveja blá blá blá de "amizades femininas" para descrever como ela convive com as mulheres. Porém ela também critica as amizades masculinas, então pega pesado com ambos. Enfim, depois quero saber que você achou, vamos trocar figurinhas ^^

vivian disse...

Marcio, pelamordedeus, não apoio nada disso! Apenas li o livro e estou descrevendo o que a escritora relata Oo também acredito que não é inerente ao homem nem a mulher esse machismo que vivemos, é cultural. A educação que recebemos nos tornou assim, todos saem perdendo.

O lance de dizer que é bom mulheres serem transparentes e eu me orgulhe disse é: mulher é ensinada a não gostar de coisas que são só de mulheres. A gente aprende a se auto desprezar, "coisa de mulherzinha" é termo usado para xingar inclusive a homens. Então este livro me fez coisas boas em ser mulher, é bom ver isso de vez em quando numa cultura que acaba com nossa auto estima.

MARCIO disse...

Oi Vivian, sou um cara bastante diferente dos outros, pois desde pequeno só tive mulheres ao meu redor. Mãe, irmãs, tias, primas... Fui um dos raros homens da minha família.
O que aconteceu comigo: me tornei um cara bastante sensível, mas também com muitos problemas, problemas que os homens toleram nas mulheres(insegurança), mas que as mulheres abominam nos homens. Já escutei dizer que tem mulheres que preferem cafajestes a homens inseguros. Ser inseguro faz parte da minha criação, não tem nada a ver com gênero. É o mesmo que acontece com as mulheres, são criadas com a ameaça do estupro, por isso são defensivas. Mulheres se sentem inseguras em uma sociedade que não foi criada pra elas.
Mas se tudo se inverter e a sociedade passar a ser feminina, todos os homens vão se tornar como eu, inseguros. Só que isso vai dar uma confusão absurda, pois como já disse , mulheres não abrem mão da segurança dos homens.Então vai acontecer o seguinte, as mulheres vão exigir segurança, mas como os papéis foram invertidos não vai encontrar. Vai demorar um tempo para que todas as mulheres percebam que não precisam da segurança dos homens. O dia em que isso acontecer o mundo vai se tornar um matriarcado. Então o feminismo vai sofrer fortes criticas de que na verdade é um machismo invertido e novas ideologias vão nascer para criar uma igualdade de fato.
O mundo acredita que precisa experimentar o matriarcado. Se alguém não tivesse se queimados um dia, não saberíamos que o fogo doí. Experimentar é da índole humana.
Eu ainda não li esse livro, mas vou procurar na internet. Pra variar, eu sou bibliotecário, uma profissão que no Brasil sempre foi ligada as mulheres.

Anônimo disse...

Gostaria de falar que o Machismo não é um movimento social, e sim algo que surgiu com a evolução da nossa espécie, jamais mulheres e homens serão iguais BIOLOGICAMENTE falando, à exemplo, as feministas adoram a idéia de poderem andar exibindo os seios, os seios femininos são um órgão sexual, é como se deparar com um homem nú no meio da rua, atentando ao pudor.
Mulheres engravidam, passam todo mês por alterações hormonais altíssimas, o que faz com que o rendimento delas em uma série de funções caia bastante, problema que homens não tem!
Mulheres (feministas ou não) gostam de homem que é HOMEM mesmo, não de um babaca que não é nem capaz de satisfazer-la sexualmente, ou de prover segurança, conforto... O movimento feminista em sua amplitude é a favor do aborto! Nenhum movimento a favor do aborto deve ser levado em consideração, matar o próprio filho na minha humilde concepção é uma atitude covarde e imbecil, se não teve controle da situação e engravidou, não queira matar seu filho por ser uma imbecil. Em fim, foda-se o feminismo, queremos que a sociedade seja IGUAL, homens e mulheres com os MESMOS direitos, apoiar a criação de uma classe especial é grotesco e deveria ser inaceitável.

Anônimo disse...

Perdoa-me entrar de gaiato, só queria tirar uma dúvida:


Ontem estava a conversar com minha noiva sobre o mundo gay, e percebi que para gays e lésbicas é relativamente fácil conseguir parceiros sexuais e afetivos. Para os gays ridiculamente fácil: Um colega de trabalho que é tímido e desengonçado, tem um programinha no celular em que ele pode literalmente escolher uma transa para a noite com um clique. Então comentei com minha noiva: "Nossa, enquanto isso no Mundo Hétero para se ter só um beijinho o homem tem que ter dinheiro, status, confiança, beleza, virilidade, dar mortal quadruplo pra trás, só falta saber soltar hadouken." E então ela disse: "Ah, isso é graças ao machismo, que diz que as mulheres tem que se fazer de difícil, senão é uma fácil qualquer, é rodada e ninguém gosta.". É sério que vocês precisam se fazer de difícil para manter, sei lá, a "honra"?

Leonardo Dias Brito disse...

As duas blogueiras feministas mais lúcidas e sensacionais do Brasil chama-se Lola Aronovich e Regina Navarro Lins. Os textos de vocês são sensacionais e me introduziram ao pró-feminismo. Hoje, por eu apoiar o feminismo, me sinto mais livre de esteriótipos e exigências.

Mas, infelizmente, às vezes me deparo com uns discursos estranhos.

Outro dia, na página "Homens Contra o Machismo", uma menina disse que os homens não devem opinar, que os homens não sofrem, que homens são livres e etc. Eu tenho total consciência que é completamente impossível equiparar a opressão que as mulheres sofrem com alguns prejuízos que os homens têm devido ao machismo, mas alguns termos como "male tears" e "iuzomismo" me parecem problemáticos.

Eu acho que homens que reclamam do peso do rótulo da masculinidade deveriam ser apoiados pelas feministas e não ridicularizados, afinal, estes rótulos "feminino" e "masculino" nada mais são do que ferramentas do patriarcado para oprimir as mulheres.

Se os homens reclamam do peso que é sustentar esta inatingível "virilidade", é porque estão começando a acordar e perceber que o patriarcado é violento e não vale a pena.

Todo rótulo é violento.

Mais uma vez, parabéns pelo texto, Lola!

Julia disse...

Vivian, vou ler sim. E aí trocamos as figurinhas.

Julia disse...

Marcio, o que você quer dizer com "se a sociedade for feminina os homens serão inseguros"? Eles vão pegar a insegurança das mulheres? É contagioso isso?
Pessoas são inseguras, homens apenas mentem que são seguros porque precisam passar essa imagem. E estão constantemente se policiando pra não escorregarem, prova de quão inseguros são.
Lembrando que essas são exigências do patriarcado, mulheres não tem nada a ver com isso.

Julia disse...

Anon, porque os seios são órgãos sexuais? Desde quando? A função dos seios é amamentar. Por isso são mais desenvolvidos que os dos homens. Ok, mamilos são uma zona erógena. Mas homens têm mamilos também, portanto os peitos masculinos são zonas erógenas também mas somente os seios femininos devem ser cobertos. Por que? Seios não são genitais. Homens podem andar sem camisa mulheres também deveriam poder.

Quanto ao aborto, pra resumir, você é homem e esse assunto não te diz respeito.

As outras idiotices não tenho paciência pra responder.

Também sou contra a criação de uma classe especial, por isso sou feminista. Desejo que um dia ninguém mais repita as coisas estúpidas que foram ditas no seu comentário.

Julia disse...

"É sério que vocês precisam se fazer de difícil para manter, sei lá, a "honra"?"

É sério que você não conhece as regras do mundo onde vive? Mundo não, porque em muitos lugares mulheres já conquistaram uma liberdade sexual muito maior do que aqui.
É muito chato que você só perceba o quanto a sexualidade das mulheres é reprimida porque assim é mais difícil pra você pegar mulher.

É o privilégio que cega, não?

MARCIO disse...

Uma solução simples para acabar com a dupla jornada. A mulher deveria escolher homens que tem esse costume. A mulher reclama, reclama, reclama e reclama. Mas não são os homens que podem escolher as mulheres e sim o contrário.
Mulheres podem escolher homens que não são violentos, homens educados e até aqueles que como disse acima, fazem tarefas domésticas. Agora eu pergunto pq não fazem isso? Vc pode me dizer que os homens mentem ou mudam depois da conquista, mas isso é ilógico. Se eu não gosto de cozinhar no momento da conquista, também não vou gostar depois. A mulher tem o direito a escolha, e mesmo assim escolhem pessimamente e depois reclamam para o Estado. Existe a possibilidade inclusive de escolher viver sozinha ou sozinho. A violência doméstica começa em uma escolha, assim como a dupla jornada.

Anônimo disse...

Julia, sou anônimo das 12:23
Peço desculpas, cresci jogando videogame trancado no quarto e ouvindo metal e não conheço as regras do Mundo. Tentei ter namorada dos 14 aos 16 anos, e desisti por ser difícil, tendo me entregado por anos ao vício dos antidepressivos.
Aos 25 minha noiva é minha primeira namorada.

MARCIO disse...

Julia, me explique o seguinte o que de fato é a tripla jornada de trabalho feminino? Procurei explicações e fiquei ainda mais confuso. Em alguns casos a tripla jornada é colocada como: trabalho, trabalho doméstico e educação; já em outros: trabalho, trabalho doméstico e casamento. Em um site achei a seguinte definição: trabalho formal, trabalho doméstico e cuidados com a beleza. Eu reconheço a existência de uma dupla jornada feminina, mas acho que o feminismo força a barra criando mais termos que nem sempre são claros. Se a terceira jornada pode ser colocada como qualquer coisa, tipo ida ao mercado, será que isso mereço ser enquadrado como mais uma jornada de trabalho? Na minha opinião a tripla jornada e quadrupla na verdade são parte da dupla jornada, essa é minha opinião. o próprio feminismo não conseguiu definir a tripla jornada como demonstrei acima, por isso mesmo em algumas definições aparece fatores tão distintos como; casamento, beleza e educação. Posso estar errado, mas é a minha opinião.

Julia disse...

Marcio, parece que você ainda tem muitas dúvidas básicas.

"A mulher tem o direito a escolha, e mesmo assim escolhem pessimamente e depois reclamam para o Estado."

Pra que haja escolha precisa ter opção. O que não é legal é você jogar a culpa no colo das mulheres com essa cara de pau. Acho que o problema é social e não as mulheres que tem dedo podre. Se meninos são criados com a ideia que não tem que fazer serviço doméstica, que vai sempre ter uma mulher (mãe, irmã, esposa) pra lhe servir, se há no inconsciente coletivo a ideia de que é da mulher a responsabilidade pela casa e pelos filhos, o problema não é das mulheres que escolhem mal.

E do jeito que você fala parece que a violência doméstica é culpa da mulher. Não é. Assim fica muito fácil pros agressores. Tenho certeza que sua intenção não foi aliviar o lado deles.

E não entendi o que quis dizer com "depois reclamam para o Estado".

Acho que você está num estágio de machismo tão alto que está começando a delirar.

Espero que você não esteja se referindo às mulheres que denunciam violência doméstica. Vou esperar você voltar aqui e explicar antes de ter certeza do quão babaca você é.



MARCIO disse...

Vou dizer pq penso desse modo. O meu pensamento está estabelecido em autores como: Nietzsche, Bourdieu, Foulcalt. Todos esses autores criticaram as ideias que consideravam o individuo passivo. Segundo eles, os homens e as mulheres fazem escolhas conscientes para suas vidas. É evidente que as mulheres não querem ser vitimas da violência, mas existem determinados padrões que podem ser notados desde o primeiro momento da paquera. As mulheres querem negar isso, mas a natureza deu a vcs instintos, principalmente para selecionar melhor o parceiro. A psiquiatria já comprovou que as mulheres tendem a escolher perfil de homens de forma repetida ou padronizada. Não sou eu quem está dizendo, é a própria ciência que já concluiu isso.
O feminismo precisa continuar acreditando que a mulher não faz escolhas, que a mulher é sempre vitima das circunstancias. Existem casos comprovados de mulheres que começaram a ser agredidas no primeiro dia de namoro. Isso não é questão de culpar a vitima, mas o contrário, mostrando que a vitima pode agir. A mulher pode escolher homens que não são agressivos, podem escolher homens que fazem tarefas domésticas. Julgar a mulher, como algo passivo, que é sempre vitima, é uma forma de dizer que vcs são fracas. Na condição de vitimas a mulher ganha privilégios dos Estados, mas quem disse que isso é o ideal. Nos EUA, país protestante e com outra lógica de pensamento, as feministas recusaram a proposta de se aposentar antes dos homens. Elas compreendiam que isso seria um privilegio. Tudo que um americano ou americana mais odeia é ser vitima. Pq as mulheres brasileiras não pensam assim, a resposta é que somos viciados em assistencialismos estatais. Além disso, somos herdeiros do catolicismo, religião que prega o coitadismo. Em vez de ajudar um mendigo a encontrar trabalho, damos esmolas a eles. Com as mulheres fazemos o mesmo, damos privilégios. No entanto, privilégios não são direitos. O Estado brasileiro está condenado a falir, inclusive o seu sistema previdenciário, mas continua distribuindo privilégios. Quando a quebradeira começar não vai existir bolsa filho, bolsa estupro e o brasileiro e a brasileira não vão saber para onde ir, pois não foram educados em uma cultura de construção como os EUA. Os EUA também vão quebrar um dia, mas vão se reerguer rapidamente. As mulheres americanas lutam contra a condição de vitimas, elas lutam pelo respeito verdadeiro dos homens, um respeito baseado na igualdade de fato, infelizmente a mulher brasileira não pensa da mesma forma.
Eu sei o que eu sou, desculpe a indelicadeza Julia, mas babaca ou não, só quem pode dizer isso sobre mim, sou eu mesmo. As minhas ideias podem ser mudadas, não estou fechado a outras argumentações, mas não vou mudar por ameaças e por ofensas. Por fim, vc não me respondeu sobre a tripla jornada?

Anônimo disse...

Explicando a tripla jornada:

É isso mesmo:

trabalho formal
+
trabalho doméstico (cuidar da casa)
+
cuidar dos filhos/marido

MARCIO disse...

Amigo, a melhor definição ou a mais coerente deveria ser: jornada formal, outra jornada formal ou informal e trabalho doméstico. O feminismo é muito inteligente e ardiloso. Incluir o casamento como jornada é uma forma de criticar essa instituição. Imagine uma mulher que vai fazer sexo com o marido e diz. "Amorzinho, esqueci de bater o ponto e agora?". Veja bem, o feminismo está tornando tornando toda a existência da mulher em jornada de trabalho. Por que não definir a tripla jornada como escrevi acima, simplesmente porque existe uma critica a todas as instituições domésticas. É um enorme equivoco, pois já existe uma parcela de trabalhadores que exercem o oficio em casa. Aliás os maiores empresários já vivem assim, mas não querem que a maioria pense da mesma forma. A maioria precisa acreditar que o trabalho, na sua forma clássica, vai existir pra sempre. Nessa maioria estão as mulheres, por isso mesmo essa jornalização da vida feminina. Resumindo, as mulheres estão nadando contra a corrente. Enquanto grandes empresários constroem escritórios em casa, as mulheres demonizam os lares por influência do feminismo. Na Inglaterra o resultado disso é assombroso, pois os homens ingleses além de participarem das tarefas domésticas, fazem escolhas privilegiando uma carreira ligada aos interesses da família.

Anônimo disse...

"O feminismo é muito inteligente e ardiloso. Incluir o casamento como jornada é uma forma de criticar essa instituição."

Eu não considero o "cuidar do marido" como obrigação do casamento, digamos assim... cuidar do marido no caso, seria cozinhar, lavar e passar a roupa do mesmo, poderia estar incluido nas atividades domésticas, mas pelo numero de horas que isso demanda considero duas jornadas diferentes.


Imagine uma mulher que vai fazer sexo com o marido e diz. "Amorzinho, esqueci de bater o ponto e agora?".

Se a mulher vai fazer sexo com o marido imagino que seja pra prazer de ambos e não um serviço que ela esteja prestando a ele.

"Na Inglaterra o resultado disso é assombroso, pois os homens ingleses além de participarem das tarefas domésticas, fazem escolhas privilegiando uma carreira ligada aos interesses da família."

E de que forma isso é algo negativo?

Anônimo disse...

Nem li esse texto, mas tenho que dizer que esse blog fala muita bosta e fica disseminando as ideias erradas do feminismo.
"Motivos para homens amarem o feminismo", fiquei tipo "oi!? desde quando feminismo tem que agradar homem???"
Outra besteira federal já postada aqui dizia que homens podem ser feministas.
Deixa eu explicar uma coisa, querida: Não, não podem! Homens não podem se apropriar de uma luta que não diz respeito a eles. Podem no máximo apoiar a luta, quando se esforçam para se desconstruir e não serem machistas! Mas jamais poderiam protagonizá-la, e uma menos ditar como ela deve ser!