domingo, 11 de agosto de 2013

MARCHAS, PALESTRAS, E UMA NOVA PAIXÃO

Muita coisa pra contar! 
Ok, começando pela minha semana paraibana (de 1 a 8 de agosto). Tirando o fato que o avião deu piti na ida e na volta, foi tudo muito legal. Cheguei uma hora e meia atrasada pra palestra na UFPB, na quinta retrasada. Ainda bem que o pessoal aguentou firme. 
Participação em programa de TV em João Pessoa
(Esta lindona ao lado foi quem pintou meu cartaz pra Marcha das Vadias. Minha letra é um horror, e como ela tem a melhor letra dela de todas, pedi pra ela. Fiquei sabendo que ela é a única estudante de Direito negra na sua classe na UFPB. E sonha em seguir carreira política. Torço para que consiga!).
No sábado participei da Marcha das Vadias de João Pessoa. Achei tudo lindo e animado, mas me disseram que tinha metade do pessoal do ano passado. Não sabemos se esse esvaziamento foi por causa da repercussão negativa da performance da Marcha do Rio, se foi consequência do enorme número de manifestações pelo Estado, se foi porque a Marcha não é mais uma novidade... Enfim, foi bonito, mas creio que o número de pessoas frustrou as expectativas. 
Na segunda-feira fui para uma mesa numa associação de mulheres em Santa Rita, região metropolitana de João Pessoa. 
Foi muito bacana ver mulheres da periferia mobilizadas, em luta. Agora, olha só a desgraça: só naquela rua em que fica a Associação, já foram mortas pelos companheiros três mulheres nos últimos anos. Numa só rua!
Ganhei uma bolsa de pano divina feita pela Tatyana Valeria, que se diz minha maior fã em JP. A bolsa já foi devidamente inaugurada pra levar meus livros de JP pra Campina Grande.
Só que antes de ir pra Campina, eu preciso falar do ponto alto da viagem, que foi ficar na casa da Karine. Conheci a jovem e espirituosa Kah ano passado, quando ela comprou meu livro. De cara, nas primeiras linhas que ela me escreveu, já deu pra ver que ela é my kind of gal, irônica, engraçada, inteligente. 
Kah em foto de sua filha Juh
Quando ela leu no meu blog que eu iria a JP, me convidou pra me levar à praia. Quando ficou sabendo que eu não me hospedaria em hotel (por falta de dinheiro da organização), me convidou pra ficar na sua casa. E eu fiquei, e foi um prazer. Praticamente as únicas mini-férias que terei o ano todo!

A casa de Kah e Bruno, seu marido bonitão e simpático (eles se conheceram num site de jogos na internet), é grande. 
Lá moram duas galinhas, dois pintinhos, uma pata, um dálmata feroz, e duas gatas, Fumaça e Fofoca, que Kah adotou quando já eram adultas. Por isso, Fofoca é um tanto medrosa, mas Fumaça é um sonho de gata. Numa das noites, ela dormiu comigo. Num dos dias, ela decidiu que meu longo trabalho no computador não tava com nada, foi até a sala e trouxe na boca um dos seus brinquedos. 
E entregou o brinquedo pra mim, nas minhas mãos! Daí é óbvio que não tive nenhuma alternativa: tive que brincar com ela. 
Kah passou pelo quarto, viu a cena, tirou uma foto, e perguntou: "É isso que vc chama de trabalho?!" Ela já havia notado que eu tinha planos para trazer a Fumaça pra Fortaleza e assim promover a boa convivência entre Calvin e Isabel. Só que, segundo Kah, "A Fumaça é uma gata, não uma embaixadora de paz da ONU". 
Além da Fumaça, outra que correu sério risco de ser sequestrada foi a Juh, filhinha de 3 anos e 8 meses do casal (por sinal, feliz dias dos pais, Bruno). Eu me apaixonei! A Juh conquistou completamente meu coração. Ela é um átomo de energia nuclear em forma de menininha. Acorda todo dia às 5 e pouco, e claro que enquanto eu estava lá, ela quis acordar a "titia". E eu tinha que colocá-la pra dormir à noite, uma tarefa que, como este vídeo prova, eu desempenhei com primor. 
No vídeo, eu tento hipnotizá-la pra induzi-la ao sono. Não consegui por muito pouco!
Na hora em que pedi um sorriso
Infelizmente, não tenho imagens de quando fui ler uma história em quadrinhos da Magali pra ela tendo como luz o pisca-pisca de uma tiara.
Kah e Juh me levaram pra Intermares, Areia Vermelha (amei! É uma faixa de areia no meio do mar), e Picãozinho. É engraçado entrar no mar com a Kah, porque ela tem problemas em pisar no que não vê e ser atingida por peixinhos, então ela fica trocando de pé. Eu ia ganhar uma grana boa se filmasse a cena e colocasse no YouTube. Em compensação, Kah está preparadíssima pra reagir a um ataque de tubarão. Mas tente falar pra ela que em JP não tem tubarão!
Uma menina revoltada
Quando Juh está com sono, ela fica mal-humorada. Esteve emburrada durante a viagem toda pra Picãozinho, como mostram as fotos. Picãozinho não tem areia, não tem praia, é "só" um monte de piscinas naturais (fundas) no mar. Pra criança pode ser um pouco assustador. Portanto, quando Kah decidiu voltar ao barco para devolver o colete salva-vidas que a filha não estava gostando e pegar um macarrão, ela deixou Juh comigo, nos meus braços. E aí eu recebi a declaração de amor mais espontânea que eu ouvi nos últimos anos. Juh olhou fundo nos meus olhos e disse: "Eu gosto de você!". Tem como não se apaixonar?
Com muita dor no coração, deixei toda essa belezura e fui pra Campina Grande. Que é uma cidade linda, não conhecia. Fui super bem recebida por lá. Nas fotos que pessoas queridas tiraram comigo, eu pude reparar: mudei de cor! Eu posso me dizer negra?
Eu e as lindas de Caicó que vieram pro Fórum
Adoro quando fico dessa cor. Pena que não dura muito.
Fila para autografar livro
A palestra de abertura no II Fórum sobre Feminismo e Direitos Humanos foi ótima, porque sabe quando vc olha pro auditório lotado e vê que tá todo mundo na mesma sintonia? Foi assim, perfeito. Sem falar que vendi todos os livros que levei (19), e teve gente que ficou sem. Aqui uma breve entrevista que dei depois da palestra.
Ah, e ainda ganhei dois alfajores veganos absolutamente deliciosos! Se eu tiver que comer só isso pro resto da vida, acho que nem reclamo. 
Ontem Campina teve sua segunda Marcha das Vadias. A julgar pelas fotos que vi, foi um sucesso. Parabéns!

Lola e Bárbara no II Fórum
Enquanto estive na Paraíba, recebi alguns convites, incluindo um pra fazer parte de uma banca de seleção de docentes em... Rondônia! Queria muito ir, até porque ainda não conheço a região Norte, mas é impossível. Eles querem que a gente fique lá durante duas semanas! Sem chance. 
Mas é o seguinte: esta semana agora, terça e quarta, haverá o XV Seminário Nacional e VI Seminário Internacional Mulher e Literatura, na UFC. Eu vou mediar três mesas. Numa delas farei tradução simultânea (glupt), e em outra apresentarei um trabalho. Nesta mesa estarão professores que eu chamei do Rio -- Susana, Henrique e Lina. Vai ser uma mesa incrível!
Como já anunciei, sábado que vem estarei em SP para participar da Casa TPM. Já se inscreveu? Estarei lá também no domingo, mas minha palesta será sábado à tarde.
Antes da Casa TPM, já na sexta, dia 16, às 16:30, vou palestrar na Universidade Federal do ABC sobre Estatuto do Nascituro e Aborto. Será no Bloco Beta, no Campus de São Bernardo do Campo. Apareçam! É aberto a todxs!
Dia 30/8 vou conhecer Limeira, SP, para palestrar na II Semana Pró-Conceito da Faculdade de Ciências Aplicadas, na Unicamp.  
Preciso voltar correndo pra João Pessoa pra novas férias!

13 comentários:

Maura C. Parvatis disse...

Lola, fiquei tão feliz ao ler seu relato dos dias na PB.
Nasci em Araruna, mas não conheci minha cidade natal nem meu estado, moro em São Paulo desde os 2 anos de idade e sou revoltada desde criança quando me disseram que eu não tinha sotaque da Paraíba, rs.
Quando li um post comentando que a Marcha de JP teve poucas pessoas, eu fiquei triste... Mas, eu também espero que o número menor se deva ao fato de que, ainda, a Marcha é pouco conhecida.

Irei na Casa Tpm! :D
Você levará livros para vender?! Se sim, vou reservar um 'dinheirinho' para adquirir um exemplar ^^

Beigos,
Maura - Blog da /mauraparvatis.

afrolesbofeminista disse...

Muita gente escreve sobre coisas interessantes que encontra na internet (fugindo do tema desse post).
Eu descobri uma série pela qual me apaixonei. Não sei se você conhece ou se alguém aqui conhece. Gostaria apenas de indicá-la, o nome é The Fosters.

É sobre uma família com filhos adotados. A série é linda. E assisti on-line em um site, todos os capítulos de uma só vez.

Um grande beijo.

Tales Gubes disse...

Um comentário e uma pergunta:

O seriado que a afrolesbofeminista citou, The Fosters, é excelente! Simplesmente maravilhoso, me cativou desde a primeira cena que vi circulando na internet. Vale muito a pena ver porque pode proporcionar discussões fabulosas.

A pergunta, agora... tu falou em seminário sobre literatura + mulheres... existe algum evento ou programa de pós-graduação dedicado a pensar literatura + diversidade sexual? Procurei rapidamente na internet e encontrei em Brasília esse foco, mas gostaria de saber se alguém conheceria outros lugares/possibilidades. :)

lola aronovich disse...

Ué, Tales, não entendi a sua pergunta. Praticamente qualquer pós que trabalha com Estudos de Gênero vai te permitir pesquisar sobre literatura + diversidade sexual. Acho que será mais difícil vc encontrar uma federal que NÃO te permita esse enfoque do que uma que permita. Meu mestrado e doutorado (que adorei, foram ótimos) não foram nessa linha de pesquisa em Estudos de Gênero, e hoje sonho em fazer um pós-doc nessa área. Mas na própria Pós-Graduação em Inglês da UFSC (onde fiz minhas pós) pode-se trabalhar com gênero.
E obrigada pela dica de The Fosters, Afro e Tales. Alguém já tinha recomendado antes. Vou tentar ver sim. (se não fosse recomendação das leitorxs o maridão nunca teria se viciado em The Good Wife, por exemplo).


Maura, vamos nos ver em SP! Eu só fui a Paraíba pela 1a vez no ano passado, e foi amor à primeira vista. Eu moraria tranquilamente em Campina Grande. João Pessoa, então, nem se fala. A verdade é que muita gente do Sudeste não faz a menor ideia de como o Nordeste é maravilhoso. Eu mesma quando morava no Sul não sabia que aqui tem Serra, lugarzinhos frios. O maridão não imaginava a variedade da vegetação daqui, pensava que era só caatinga. A gente só ouve falar das capitais nordestinas, e olhe lá. Estou muito feliz de morar aqui! Minha vida é muito parecida em todo lugar, mas não sinto falta de chuveiro elétrico nem casaco... (Aliás, preciso levar casaco pra SP semana que vem?).
Vou levar uns livros pra vender em SP sim, Maura! Quero comprar mais cem da editora pra poder revender, porque agora só tenho em mãos uns 25 exemplares.

Sara disse...

Ai Lola não queria perder sua palestra na TPM, mas ta tudo embaçado pra mim esse final de semana com uma maluca q resolveu se casar na minha família (é inacreditável mas ainda tem doido pra isso rrrsss).
Mas pro próximo não vou faltar, mas precisando da gente, sabe q pode contar.

Renatinha disse...

Valeu a pena esperar a sua viagem improvisada de Recife pra JP pra dar tempo chegar na mesa redonda na UFPB! Fiquei muito feliz de te ouvir e de te conhecer!
Venha sempre à Paraíba!!!

Nina disse...

Lola, parabéns por desempenhar tão bem o seu ativismo e, nessa jornada, conhecer excelentes pessoas.
Foi uma semana cheia, para dissipar a tormenta daqueles reaças que lhe jogaram pedras. Nada mais digno. Todos os sorrisos acolhidos superam a maldade desse pessoal.
Um abraço.

Aninha disse...

Sugiro trazer casaco e vestido aqui para Sampa, o clima está mudando de um dia para outro e tá meio difícil de prever.

Kah disse...

Lolita, adorei passar esses dias com você. Foi muito, muito divertido. A Juh também se divertiu pra valer entre praias, horas de dormir e, a parte favorita dela, te acordar. Aliás, se você oferecer pra ela o emprego de despertador, aposto que a baixinha faz as malas e vai embora na h-o-r-a.
Foi tensa a hora de você ir embora, admito, fiquei morrendo de medo de você sequestrar algum membro da família!
E nem é tão engraçado assim o jeito que entro no mar. E, bem, estar prevenida nunca é demais. Você viu o filme Pássaros, não viu? Se bichinhos fofos como pássaros podem atacar porque mini-micro-tubarões (aka peixinhos), não?
Vou lá dar banho na Juh, quer vir colocá-la pra dormir, Lola? hhaha
Beijão. <3

Moreira disse...

Alguem falou ai em Araruna,digo que é uma tipica cidade onde quase todo mundo se conhece.tenho pessoas da familia por lá.É pequeninha mas esta a crescer.É serrana quase divisa com o RN.
Vale a pena conhecer.

Will disse...

Lola na UFABC!!!!!!!!!!!!
Desmaiei de emoção.
Já to te esperando.

William

Will disse...

Lola, você vai vender seu livro aqui em SP quando vier pra UFABC? Será que terei uma chance de ganhar um autógrafo? rs

@dddrocha disse...

Ahhh, Lola. Que fofurice esse relato dos dias na casa da Kah e Ju, rsrs.

Só tô triste com sua agenda super lotada e nenhuma passagem por BH ou Ouro Preto ou qualquer lugar da região dos Inconfidentes =////