sábado, 10 de agosto de 2013

GUEST POST: AI, O HUMOR E O SENSO COMUM NA INTERNET!

Pedro, um adolescente de 17 anos que mora em Brasília, me mandou este post que ele escreveu. Ele também tem uma página no Facebook.

O tema que eu quero abordar já é meio manjado, mas acho muito importante falar dele: o senso comum na internet e seu humor. Ou "humor", entre aspas.
Digo manjado porque existem diversos blogs, tumblr e sites que abordam os preconceitos já arraigados na sociedade e disseminados pela internet. O seu, por exemplo, faz um ótimo trabalho ao apresentar o feminismo às pessoas (eu e muitos amigos meus só percebemos a existência do feminismo pelo seu blog) e quebrar vários outros preconceitos, dar visibilidade a minorias, criticar certos valores da sociedade etc. 
Mas existem outros blogs focados em como a internet consegue perpetuar o senso comum de forma paradoxal e assustadora. O tumblr Classe Média Sofre, por exemplo, é hilário, e mostra pequenas atitudes cotidianas (ou discursos grotescos) que a sofredora classe média propaga aos baldes pela internet, especialmente no Facebook. O problema é que, mesmo na internet, o senso comum consegue calar, esconder ou ridicularizar ideias contrárias.
A internet tem uma característica única das mídias: qualquer um pode realmente se expressar nela. Crie um blog, uma conta em rede social, tanto faz, você pode colocar sua opinião pro mundo, a que seja. Ela tem um potencial maravilhoso de compartilhar qualquer coisa. Mas isso também tem suas falhas: as informações são efêmeras, as ideias se perdem, e a internet vira um balde de superficialidade. Ninguém tem interesse em se aprofundar em nada, em ler sobre um assunto polêmico ou uma ideologia pouco conhecida. E o pior, informações falsas e distorcidas são encontradas facilmente. A internet tinha que ser um lugar pra questionar, pesquisar, procurar, mas virou um poço de senso comum e superficialidade.
Não considero ruim que a internet vire um diário ou um lugar pra desabafar, se divertir, se desestressar. Acho ótimo, aliás. Ninguém merece politização o tempo todo. O problema é que a net virou a cópia de uma sociedade preconceituosa que não tem interesse em mudar. De forma geral, claro, há várias pessoas na internet dispostas a se modificar e a tentar mudar os outros (pro bem ou pro mal). 
Mas os sites mais famosos, mais acessados, e as redes sociais mais populares, quase sempre, propagam apenas mais do mesmo; os grandes portais de notícia priorizam tragédias, exploram sentimentos alheios, distorcem notícias, desprezam minorias, e o pior: deixam as pessoas comentarem as notícias. 
Os comentários de portais como UOL, G1, Estadão etc são de fazer chorar sangue. São comentários extremamente preconceituosos, alienados e mal escritos. Virtualmente todos os comentários são assim. Tem um ou outro que se salva, mas a quantidade de senso comum despejada nessas páginas é de dar medo. A internet, pra essas pessoas, não é um lugar pra trocar informações e ideias; é um altar em que você fala sua opinião e quem não venerá-lo deve ser expulso, ou pelo menos xingado, de preferência envolvendo seu gênero, sua suposta sexualidade, sua cor, sua preferência política etc.
As redes sociais são menos raivosas, mas são mais perigosas. Aquelas ideias beeeeem toscas, que qualquer pesquisa meia boca na própria internet derruba, se propagam à vontade. Frases como "direitos humanos pra humanos direitos", "foi estuprada por causa da roupa", "feminismo não tem mais o que fazer", "cotas são racistas", eventualmente aparecem na timeline de qualquer um. Dá pra ver que a pessoa que escreveu, na verdade, não tem opinião; ela escutou na TV ou na família (ou leu na internet, o que é pior), e passou pra frente, sem questionar a ideia. 
Considero as redes sociais piores do que os comentários bizarros dos grandes portais porque elas alcançam muito mais gente, geralmente na forma de humor preconceituoso. Páginas obscenamente homofóbicas e machistas são bem famosas, e qualquer crítica à ideologia de alguma página de humor não é levada a sério apenas porque a página tem piadas. Ninguém vê que a piada é um discurso político! Eles não se orgulham tanto de ser POLITICAmente incorretos? E o pior, quem curte essas coisas geralmente se acha "o moderno", o "hipster", porque usa uma mídia nova. E nem suspeita que seu discurso é medieval.
A pior "ideologia", pra mim, é a da friendzone. No Facebook, 9gag, Reddit e outras esse assunto é idolatrado. Nessas redes, sempre tem a manjada história do homem legal, carinhoso, simpático e preocupado que é apaixonado pela amiga. Ele se esforça pra agradá-la, mas se ela o dispensa, ela vira uma vadia. É demonizada. É manipuladora, escrota e faz isso apenas pra manter seu ego inflado. 
Uma pessoa sensata, ao levar um fora, continua sua vida e, no máximo, demoniza apenas a pessoa que deu um fora nela. Os machistinhas desses sites culpam o gênero feminino inteiro e acham que o objetivo das mulheres é ignorar os homens auto intitulados "legais" e transar com "cafajestes". E a pura verdade é: se você fosse tão legal quanto acha que é, você não xingaria metade da humanidade de forma sexista e preconceituosa só por ter levado um fora. E nem é um fora direito: ela quer ser amiga dele. E a amizade é horrível! 
Se você for um machistinha sem noção, a amizade é um castigo. Por quê? Porque não tem sexo. Vocês devem saber que mulher só serve pra sexo, claro, e não pra bater um papo. Ninguém gosta de ser rejeitado, claro! Mas quem reage de forma tão infantil e misógina só prova que não é tão legal quanto acha que é, e é um belo babaca.
A rapidez da internet impossibilita um debate sério. Por isso, ela é cheia de frases-pílulas; poucos têm paciência pra ler a opinião contrária ou pra escrever algo elaborado. Se alguém reclama dessa postura sobre o friendzone nesses sites é sumariamente desprezado e ridicularizado, nunca escutado. Claro, chamado também de viadinho se for homem, ou mal comida se for mulher. Qualquer ideia contrária e desafiadora do senso comum vai pro lixo.
Este é o mal da internet: o humor e o senso comum reforçando preconceitos no lugar onde tudo deveria ser questionado.

31 comentários:

Anônimo disse...

Minha timeline é um festival de piadas sem graça e "frases de efeito" que não dizem nada. As pessoas vão compartilhando tudo sem nem prestar atenção no que estão dizendo.

Anônimo disse...

Pedro, parabéns pelo homem sensato e de mente clara e aberta que está se tornando.
O mundo agradece.

Anônimo disse...

Estou encantada ao ver um jovem de 17 anos pensar diferente da maioria. De ter essa noção e sensibilidade de perceber de como as coisas funcionam na internet, se muito mais gente pensasse assim...as coisas, talvez, seriam melhores!

E qt ao senso comum disseminado pela internet, a coisa fica bem pior qd vejo pelas ruas conhecidos e amigos reproduzindo os mesmo discursos sem pensar bem no q estão falando, é tenso!

Julianny Schmitt disse...

Dá gosto de ler um post tão bem escrito, de um rapaz tão jovem! Que bom que há pessoas tão novas esclarecidas a tal ponto! Parabéns

Heloisa disse...

Concordo com muitas coisas, mas senti um pouco de ludismo no post. Não é a internet que é má, ou que é um balde de superficialidades. As pessoas em geral é que são assim. Comentários são feitos por pessoas, posts e piadinhas são feitos por pessoas, blogs machistas são feitos por pessoas. A internet é só uma extensão frenética daquilo que acontece na mente delas. Lógico que isso não deixa de ser assustador. Coisas como os fóruns "realistas" e a deep web muitas vezes me tiram o sono só por saber da sua existência. Mas não culpo a rede, e sim o ser humano.

No fundo, o lado "bom" de toda essa banalidade é que a internet "tira do armário" coisas que ficavam guardadas no interior de cada um e hoje você pode descobrir que alguém é um porco chauvinista em uma rápida zapeada em seu perfil do Facebook, enquanto em outras épocas esses tipinhos poderiam se mascarar por anos.

Maria Valéria disse...

Gostei do post e do concordo com o teor agressivo e intolerante dos comentários,principalmente no UOL.

As redes sociais nao considero o pior,porque se eu nao gostar da pagina eu nao freqüento, ou se o comentario agressivo de algum contato meu fica se repetindo, eu deleto o contato sem do nem piedade, mesmo que seja amigo, parente,etc.nao tenho paciencia pra ler besteira nem coisa agressiva.E ja deletei amigo, parente do facebook que ficou pedindo pra adicionar de novo e nao aceitei.

Bjs

Anônimo disse...

Antes me importava com as coisas idiotas que as pessoas compartilham no facebook. Pensava como essas pessoas conseguiam ser tão atrasadas em pleno séc. 21. No sites de notícia também. Me incomodava os comentários das notícias. Agora, não ligo mais. Se alguém compartilha algo preconceituoso, escondo a publicação ou desfaço a amizade. Já desfiz amizade com um monte de gente que curte aquela página "Orgulho de Ser Hetero".

Pensando no lado positivo, é bom para separar quem eu posso ter uma amizade legal de quem não posso. Agora vejo o senso comum na internet assim: desse vou ser amiga, desse não vou.

Koppe disse...

Concordo com a Heloisa.

A internet é um espelho, que reflete o que a humanidade é. E a humanidade é, em grande parte, podre. Logo, grande parte do conteúdo da internet também vai ser.

Muitas dessas pessoas que deixam comentários preconceituosos por aí não iriam ter coragem de falar as mesmas coisas na vida real. Muitos machistas/misóginos que demonizam as mulheres na internet, não têm coragem de dizer uma palavra sobre isso no grupo de amigos. Mesmo o senso comum pode virar motivo de vergonha quando dito em voz alta, muitas vezes soa preconceituoso.

Eu costumo dizer que a internet potencializa o melhor e o pior de cada um. A cada dia vejo isso se confirmar.

Quanto à Deep Web, o que falam sobre ela tende a ser mais mito do que realidade. Um bom texto sobre o assunto é esse: http://www.desfavor.com/blog/2012/11/desfavor-explica-deep-web/

Anônimo disse...

"Uma pessoa sensata, ao levar um fora, continua sua vida e, no máximo, demoniza apenas a pessoa que deu um fora nela. Os machistinhas desses sites culpam o gênero feminino inteiro e acham que o objetivo das mulheres é ignorar os homens auto intitulados 'legais' e transar com 'cafajestes'."

Pior que isso foi o cara que terminou comigo, sem nenhuma briga ou picuinha da minha parte, e hoje xinga a todo o gênero feminino e ao "amor" (se é que essa criatura sabe o que é amor) por todo canto.

Até hoje não sei de onde vem tanto ódio, sendo que nunca tivemos uma briga sequer!

Pois é... hilário kkkkkkkkkkkk!!

Eu que sofri muito mais decepções não vocifero contra os 3 bilhões de homens no mundo...

Anônimo disse...

Vejam esse vídeo, seriously.

http://www.youtube.com/watch?v=WnBNe5ZIPyc

O melhor são os comentários. Teve um que disse que se fosse nos EUA o comandante chamaria o FBI e eles enviariam 2 caças para escoltar o avião até o aeroporto! Tudo isso por uma dancinha gay! Inacreditável.

Anônimo disse...

Acho que isso meche tanto com a gente, porque na Internet temos maior poder de filtrar a informação que nas outras midias tradicionais. Daí vc ve aquele mesmo dicurso arcaico todos os dias e pensa, que é só mais uma midia. Um exemplo meio nada haver com o assunto, mas ontem postaram na minha timeline uma foto de como foram encotrados os corpos daquela familia la de brasilandia. Cara eu não queria ver isso, isso não me interessa em nada, e acho que não ajuda nehnum cidadão leigo a concluir inqueriot. Mas tava la postada com todo horror, que um bom sensacionalismo pode provocar. Dai eu penso, cade meus filtros sociais? cade minhas escolha de conteúdo? que a internet me prometia, a verdade ta na musica do Belchior "ainda somos os mesmos, e vivemos como nossos pais".

Leandro disse...

A autora dese guest post é de mentalidae autoritária incrível.

"Mas os sites mais famosos, mais acessados, e as redes sociais mais populares, quase sempre, propagam apenas mais do mesmo; os grandes portais de notícia priorizam tragédias, exploram sentimentos alheios, distorcem notícias, desprezam minorias, e o pior: deixam as pessoas comentarem as notícias."

Oh, que coisa triste. Olhe só. As pessoas expressarem suas opiniões. Isso deveria ser um crime. Só deveria deixar os esquerdistas se expressar. Perfeito! Belíssima noção de direitos humanos que vocês têm. Belíssima sociedade que esquerda construir, sem liberdade de expressao nenhuma. Tem que pensar como os esquerdista, seno é "paredón" como em Cuba.

A propósito, pq a autora não se muda pra lá? Lá não tem este "reacionários" enchendo a saco dela. Aliás, lá nem internet deve ter...


"Digo manjado porque existem diversos blogs, tumblr e sites que abordam os preconceitos já arraigados na sociedade e disseminados pela internet. O seu, por exemplo, faz um ótimo trabalho ao apresentar o feminismo às pessoas (eu e muitos amigos meus só percebemos a existência do feminismo pelo seu blog) e quebrar vários outros preconceitos, dar visibilidade a minorias, criticar certos valores da sociedade etc.
Mas existem outros blogs focados em como a internet consegue perpetuar o senso comum de forma paradoxal e assustadora. O tumblr Classe Média Sofre, por exemplo, é hilário, e mostra pequenas atitudes cotidianas (ou discursos grotescos) que a sofredora classe média propaga aos baldes pela internet, especialmente no Facebook. O problema é que, mesmo na internet, o senso comum consegue calar, esconder ou ridicularizar ideias contrárias."


Hm, então segundo você, só o blog da Lola e outros blogs feministas se manteriam. Os outros deveria ser tudo fechados. Se vc governasse o Brasil, iria implantar censura n Internet.


"Ninguém vê que a piada é um discurso político! Eles não se orgulham tanto de ser POLITICAmente incorretos?"

É claro que isso deveria ser um crime. Deveria ser considerado um crime horrendo. Todos devem ser punidos por portar pensamentos politicamente incorretos. E quem não concorda com isso é, hum, reacionário!


"Mas isso também tem suas falhas: as informações são efêmeras, as ideias se perdem, e a internet vira um balde de superficialidade. Ninguém tem interesse em se aprofundar em nada, em ler sobre um assunto polêmico ou uma ideologia pouco conhecida. E o pior, informações falsas e distorcidas são encontradas facilmente. A internet tinha que ser um lugar pra questionar, pesquisar, procurar, mas virou um poço de senso comum e superficialidade."

É evidente que o cara que está no Facebook fzendo pidinhas, chamando os outros de gay, ou rindo de tumblr, não leram grandes autores, filósofos, economistas como Aristóeles, Platão, Bastiat, von Mises. Mas isso não é necessário para ter uma boa dose de ética e de bom senso. O aprofundamento intelectual ajuda a aguçar ideias, vencer falácias, e aperfeiçoar a capacidade argumentativa; mas o bom senso e a ética são características predominantes da própria natureza humana (há explicações para este fato tanto nas religiões como na biologia evolutiva); desde que esta não seja contaminada e distorcida pela nefasta doutrinação política socializante, descambando assim para um estranho estado autodestrutivo cuja pulsão de morte Freud já tentou explicar.

Pedro Joffily disse...

meu post, que honra! E ainda saiu no dia do aniversário da minha mãe, que lê o blog! Muito obrigado, Lola!

lola aronovich disse...

Pra variar, sua capacidade de leitura impressiona, Leandro. AUTORA?!


Pedro, desculpe a demora em publicar seu post. Aposto como vc já tinha até desistido. É que ainda tem guest post de fevereiro pra publicar aqui! Eles ficam numa fila enorme, esperando. Mas agora saiu, e vc vem sendo muito elogiado. E feliz aniversário pra sua mãe!

Pedro Joffily disse...

Muito obrigado, Lola! Não precisa se desculpar! Nem é que eu tinha desistido, eu tinha é esquecido mesmo, cabeça de vento a minha :D

Leandro, confesso que quando disse "e o pior: deixam as pessoas comentarem as notícias", realmente me expressei muito mal. Todos devem ter direito à qualquer expressão, independente da minha opinião.

Mas eu adoraria saber de onde você tirou que eu quero fuzilar/censurar as pessoas com quem eu discordo. Tentar convencer uma pessoa a mudar de ideia através de uma discussão não é a minha definição de censura.

Anônimo disse...

Leandro, ia comentar sobre seu comentário, mas acredito que sua capacidade de leitura e interpretação esteja um pouco falha. Se não conseguiu nem ver que se trata de um autor e não de uma autora (só mulher escreve em blog feminista, né?)... Nem preciso dizer mais nada!

Anônimo disse...

Leandra,

é incrível como vcs defensores do humor são mal humorados...

Anônima da saia disse...

Anônimo 20:06 eu tb tinha um monte de colegas que curtiam o "orgulho de ser hetero". Um deles, acho que ja contei, pai de 3 MENINAS único homem da casa dele (mulher, sogra e as 3 FILHAS) um dia cheguei pra ele e falei "como que vc pode curtir esse tipo de pagina, vc tem filhas, mulher..." E ele respondeu "brincadeirinha ne senão a vida fica muito dura" nao pude elimina-lo porque era conhecido da infância, somos dois empresários e fazemos negócios. É delicado
Depois uma conhecida que virou evangélica na epoca do estatuto do nascituro ficava mandando textos longuíssimos de mulheres más que abordavam porque tinham filhos sem se prevenir, etc

O que eu fiz? Deletei a MINHA conta de facebook, porque sair brigando com todo mundo nao da certo,
Sai de rodas as redes sociais agora entro nas páginas que eu escolho.

Grão da Noite disse...

Também fico abismado com comentários que leio em certas notícias, especialmente aquelas que envolvam a homossexualidade, como o casamento gay, adoção de crianças por pessoas do mesmo sexo, e outras que dizem respeito mais diretamente às mulheres, como a descriminalização do aborto, a prática de estupro (sempre tem comentários culpando a estuprada...), feminismo... Apesar de os comentários serem repetitivos no conteúdo, ainda fico indignado. Mas, ao mesmo tempo, vejo um lado positivo em que as pessoas expressem seu preconceito. Uma ferida infeccionada só fica limpa quando todo o pus é retirado dela. Vejo nesses comentários o pus que está saindo. De tanto extravasar seu preconceito, muitas vezes misturado a ódio, acho que muitos vão se esvaziando de suas opiniões equivocadas e de seus sentimentos negativos relacionados a elas. Ainda que muito lentamente, a internet proporciona que muita gente faça uma faxina daquilo que têm de ruim em sua visão de mundo. Além desse lado da limpeza, acabam lendo, também, opiniões que mostram o contrário. Talvez seja só uma esperança boba minha, mas acho que, de tanto extravasarem preconceito e ódio, de um lado, e lerem opiniões mais progressistas e positivas, de um outro, com o tempo muito gente vai se melhorar, diminuindo a tacanhice de sua mentalidade. Oxalá seja assim.

Anônimo disse...

Ops, não é Leandra, é Leandro. Desculpaí, é que prestei tanta atenção ao seu tijolão quanto vc ao texto que vc queria criticar.

Eva disse...

Exatamente por isso que eu deletei minha conta "pessoal" do Facebook e criei uma com apelido. Só adiciono quem eu quero, e reaça toma block. Tenho o direito de não ser obrigada a conviver, ao menos virtualmente, com gente escrota.

E fico feliz de ver meninos que estão se tornando homens com uma visão crítica do que o certa. É o tipo de coisa que me dá esperança.

Paulo Tarso disse...

Pessoas fazem a internet, e não a internet faz as pessoas.

o que vocês chamam de "senso comum" nada mais é do que a realidade dos fatos.
Um racista por exemplo, tem o direito de ser racista, de ser quem ele é, de pensar o que pensa,o que ele não tem o direito e de incomodar terceiros com seu racismo.Mas o politicamente correto, lhe diz que ele deve vestir uma masara "limpinha cheirosinha" para ser socialmente aceitável, fingindo pensar o que não pensa.
O que seria isto senão uma distorção do senso comum ?
Obvio que se a opinião dele não foi solicitada, ele não deve da-la e constranger ninguém, mas ele tem o direito inviolável a sua opinião.

O mesmo acontece com os masculinistas e a tal friendzone, se e um sentimento que eles tem, e m direito deles expressar este sentimento entre eles,assim como as feministas tem suas questões internas e sociais validas, eles tem as deles.

Ao contrario do que prega o "senso comum" coletivista fanático, nós não somos seres coletivos, mas sim indivíduos, com questões internas complexa e pessoais.

lola aronovich disse...

Paulo Tarso, por que vc trata "os masculinistas" como "eles", não como "nós"? Quer dizer, sei que nunca na história da humanidade um mascu se assumiu um mascu, porque dá vergonha mesmo, mas pô, nem num avatar?
Fico curiosa em saber como um racista "incomodaria terceiros", na sua percepção, já que falar e agir de forma racista não devem ser tolhidos. Vc está chateado que o politicamente correto impede uma pessoa racista de ser racista?

Paulo Tarso disse...

Lola você acha que pode impedir um racista de ser racista ? explique-me como ?
Eu acredito que podemos impedir pessoas de oprimir, subjugar, e agredir outras pessoas, com regras sociais claras, e leis, mas não podemos impedir que elas sejam quem são.
E se você prefere que eu exista com um rotulo, sim! eu sou masculinista.

Elaine Pinto disse...

A internet só propaga o que já existe. Ela, por si só, não cria nada. O relativo anonimato e a aparente falta de consequências mais sérias são os fatores que estimulam os internautas a escreverem coisas que jamais diriam na vida real.

Por isso, concordo com quem disse que, pelo menos com a internet, essas pessoas não conseguem mais ficar "dentro do armário". Hoje em dia, para conhecer verdadeiramente uma pessoa, basta ler 15 minutos do seu perfil no Facebook...

Leandro disse...

Mas qual é o problema de eu chamá-lo de autorA? Vocês não querem abolir a distinção de gêneros? Então, tanto faz.

E a empresária Anônima da saia, demonstra como o politicamente correto é hipócrita e demagago. Me diga uma coisa: o que a impede de cortar as transações com esse seu "amigo" de infância homofóbico? Ou o que lhe impede de pelo menos romper a amizade com ele, mantendo apenas relações de negócios com ele? Se você é "anti-homofóbica", faça a sua parte: boicote homofóbicos (e se associe com outras pessoas para boicotar homofobicos). Mas não. Você está esperando que a PL 122 seja logo aprovada para mandar este "homofobico reaça" para a cadeia, não é? Assim é tudo mais fácil. Ora, não é assim que se combate a homofobia. A homofobia deve ser combatida com o boicote. Vai lá, tenha coragem e boicote este seu amigo. Faça negócios com outros empreendedores que pensam + ou - como vc.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

É sempre bom saber que existem adolescentes conscientes.
Sou traumatizada da época em que orkut bombava e tenho um pouco de medo que a maior parte dos adolescentes se identifique de alguma forma com os guerreiros de um real.
Recentemente uma escritora de livros infanto-juvenis disse que o perfil do adolescente de hoje é muito parecido com o do personagem adolescente da série Two and half men. Tomara que ela esteja errada.

Louise disse...

17 anos? Recuperei minha fé na humanidade com esse texto. Obrigada, Pedro.

persona fóssil disse...

Viva a nova geração!

Ellen Joyce disse...

Esse texto tem tanta coisa boa q pensei prontamente em compartilhar no facebook. O maior problema é q as pessoas q mais precisam ler esse texto sequer vão se dar o trabalho de olhar do q se trata. Isso é triste, acabo notando q muitos textos q postamos com a intenção de tornar as pessoas mais reflexivas e menos preconceituosas acabam "saindo pela culatra", essas pessoas se sentem agredidas, como se fosse algo pessoal e repelem nossa opinião. Assim, muitos dos meus posts acabam fazendo parte do q chamam de masturbação intelectual, seria só pra mostrar o quão consciente e bem informada eu sou. Quem lê e curte são obviamente aqueles q concordam, ou seja, aqueles q ñ "precisam" do texto, q ñ são o "alvo" dele.

Anônimo disse...

17?
Duvido.