quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

GUEST POST: IGREJA ENFRENTA PROBLEMAS OU FECHA AS PORTAS

O papa Bento XVI, que eu e muita gente sempre chamamos pelo seu nome de batismo, Ratzinger, anunciou anteontem que renunciará no final do mês. Como desde 1415 um papa não renuncia, a notícia é importante e vem rendendo muitas especulações.
Eu comentei algumas coisinhas no Twitter. Disse que o papa atual deve ser um dos mais impopulares dos últimos tempos, já que, em Roma, souvenirs com a cara dele são vendidos pela metade do preço das de João Paulo II, morto há quase oito anos. Um leitor inteligente, o Bruno, respondeu: "que os próximos papas sejam cada vez mais impopulares". Tem razão. Nada como um chefe de igreja sem o menor carisma pra diminuir o impacto da religião no mundo.
Estava comemorando a notícia, porque acredito que será difícil a igreja escolher um papa mais retrógrado que o Ratzinger, mas pessoas queridas vieram me dizer que os cardeais podem escolher, sim, um papa ainda mais conservador. Eu não quero crer nisso, o que levou uma leitora desalmada que abandonou este blog a escrever:
Bom, eu já fui católica, já quis até ser freira, mas larguei essa ideologia quando tinha 13 anos, e desde então sinto-me muito livre sendo ateia. Portanto, o que a igreja faz ou deixa de fazer não me afeta pessoalmente. Mas sei que ainda afeta demais a sociedade, já que a religião continua tendo força num mundo cada vez mais secular.
Eu não ia escrever sobre o assunto, mas realmente é o tema do momento. E hoje de manhã a Letícia Maria, uma historiadora no Rio Grande do Sul, e mestranda em Ciências Sociais, compartilhou comigo o que escreveu no seu blog. Achei incrível, e ela me autorizou a publicar o texto aqui.

Chego em casa da praia, e minha mãe me pergunta se estou sabendo do último babado da igreja: o Papa Bento XVI renunciou.
Estava incomunicável, e não sabia. Eu disse o seguinte a minha mãe: nenhum Papa renunciaria por motivos de saúde, o único motivo que levaria a uma renúncia, seria um motivo político. Morrer no papado é uma "dádiva" da qual eles não abririam mão. 
Só um motivo político que conduz a uma pressão muito forte leva a uma decisão tão extrema. Agora a igreja católica tem dois caminhos: ou ela cede aos “progressistas” e se abre ao diálogo com a sociedade (dentre os temas mais polêmicos) ou cede aos conservadores, que atualmente são maioria (ao menos no Brasil), e se afasta definitivamente do povo a quem deveria servir.
Essa foi a minha fala sem saber da notícia.
À tarde, vi algumas notícias e confirmei minha opinião. Minha mãe disse “Que boca!”, respondi que “apenas conheço meu ofício”.
Trabalho em uma escola confessional (católica) e minha função está ligada à função pastoral que a escola exerce.
Este ano, a Campanha da Fraternidade traz um tema muito legal, e traz um material até que bem bom -– Fraternidade e juventude. Nesse sentido, a igreja se coloca a discutir as pautas da juventude, e isso é ótimo. Este ano ocorrerá no Brasil a Jornada Mundial da Juventude, um espaço de evangelização, mas sobretudo de ação política, que visa o protagonismo da juventude em relação à igreja.
Entretanto, os setores que estão formando a juventude católica atualmente (me refiro ao setor da igreja que está à frente dos movimentos de juventude) são alguns dos setores mais conservadores e reacionários, cada vez mais fechados ao diálogo, mais preconceituosos e voltados ao passado. E isso é muito preocupante.
Nos setores que estão à frente das Pastorais da Juventude a perspectiva é um pouco melhor, pois -- apesar de não serem setores revolucionários, longe disso -- estão mais articulados à conjuntura sócio-histórica e política, e estão abertos ao diálogo.
Não vou me adentrar nas pastorais e nos demais setores da igreja ligados aos movimentos sociais do campo, ligados à pobreza, à população carcerária, à infância, à teologia da libertação, enfim, voltados à população que realmente precisa -- pois esses setores, muito embora apresentem vários problemas, ainda podem ser vistos, em diversos aspectos, como progressistas.
Considerando esses elementos, frente à renúncia do Papa nesse momento, algumas observações precisam ser feitas.
- Historicamente, uma postura como essa dá margem a grandes rupturas, como teólogos já vinham prevendo para os nossos tempos.
- Agora é o momento de discutir ordenação de mulheres, o fim do celibato e do direito canônico. 
- Revisão da lista de instituições que compõe a Igreja Católica Apostólica Romana (e os diversos ritos).
- Repensar a pauta dos métodos contraceptivos e a postura da igreja sobre a mulher.
- Estado Laico.
Enfim, creio que pautas não faltem, mas esses seriam -– na minha visão -– os principais pontos de conflito e convergência para o debate frente às mudanças que sinalizam.
Certamente mudanças radicais não serão vistas pela minha geração, mas se a crise na igreja chegou nesse ponto, é porque já passou da hora de discutir essas pautas.
Questões como união e ordenação homossexual, aborto, políticas sobre drogas, penso que ainda é cedo pra problematizar, mas a hora vai chegar. O tempo está correndo: ou a igreja enfrenta os seus problemas agora e se abre para discutir mudanças reais, ou pode começar a encaixotar suas relíquias e fechar suas portas.

67 comentários:

Rob disse...

E estão falando que o novo papa pode ser brasileiro ou argentino.Eu não gostaria de ver um brasileiro na liderança de uma instituição tão retrograda e seria um contrassenso se um país que já liberou tantas coisas ultimamente,como o casamento gay,enviar um novo papa para lá.Não ia mudar nada,eu sei,mas seria mais legal se o novo papa fosse pior que o Bento XVI,pelo menos iria desmoronar tudo de uma vez e a igreja católica poderia parar de dar trabalho para as sociedades . Já mudar de discurso?Duvido que mudem.

Lord Anderson disse...

Bem, não sou catolico e num mundo ideal oq o Papa faz ou deixa de fazer não me afetaria, mas claro que infelizmente não é assim, ja que o Vaticano tem o duplo papel de sede de uma religião e de estado independente, sendo portanto a unica teocracia bem aceita por todo o mundo.

E detesto estragar o seu otimismo Lola, mas um papa é eleito por um colegiado de cardeais...e embora a renuncia de Ratzinger esteja marcada pro dia 28, no dia 22 ele vai escolher novos cardiais.

Ou seja, é pouco provavel que ele forme um colegiado que vá contra as suas ideias e posturas.

E acredite há bispos e cardeias ainda mais conservadores,apenas não tinham tanto espaço na midia quano o papa.

Mas aqui no Brasil acho que é bem mais serio a influencia de evangelicos cada vez mais homofobicos e conservadores do que a do papa.

e essa sim é uma tarefa mais ardua, como eu sei bem.

Mariane disse...

Até nunca mais, igreja católica. \o/

Seria bom demais pra ser verdade, né? mas eu ainda tenho esperanças... menos uma pra encher o saco.

Anônimo disse...

Não se enganem. Nosso futuro ex-papa deve estar seguindo uma agenda. De graça é que essa renúncia não foi. Esperem pelo pior.

Anônimo disse...

Um dos favoritos para o papado é um negro. Entretanto, ele é bastante conservador, como a maioria dos negros na ICAR, provavelmente para poder agradar a instituição.

A eleição de um homem assim seria uma aposta arriscada, pois ela poderia tanto ser muito bem sucedida ou falhar miseravelmente. Veja as hipóteses:

1) Caso o papa negro conservador seja popular, ele poderá atrair progressistas e fazer uma boa imagem da ICAR, ajudando a manter o catolicismo sem ter de reformar a Igreja, que não está, definitivamente, morta no Brasil.

2) Caso falhe, afastará, juntamente com os progressistas e as pessoas de "centro", os extremamente retrógrados, que ficarão ainda mais isolados.

Outra coisa, segundo a profecia de S. Malaquias, o próximo será o último papa:

https://en.wikipedia.org/wiki/Prophecy_of_the_Popes

Claudia disse...

Concordo com o Lord Anderson no que diz respeito a influencia dos evangelicos. Sou catolica, frequento missas, rezo, mas nunca me deixei levar pelas opinioes da Igreja na minha vida pessoal, no que diz respeito a anticoncepcionais ou camisinha por exemplo. Conheco varios catolicos na mesma situacao, que nao seguem todos os preceitos da religiao e ouso dizer que a grande maioria dos catolicos brasileiros eh assim. Mas todos os evangelicos que conheco levam a serio a conversa dos pastores. Tenho primas evangelicas que nunca cortaram os cabelos, que nunca foram a praia por nao poder usar biquini, que se casaram aos 17 anos por pressao da familia e da igreja que frequentam. E por mais que tenham catolicos no congresso a grande maioria religiosa eh evangelica e eles sao muito mais conservadores. Me assusta o numero crescente de pastores no governo e o pior eh que sao eleitos pelos fieis das igrejas que nao sao poucos.

Anônimo disse...

Eu torço para que a Igreja Católica caia o mais rapidamente possível. Ragusa

Anônimo disse...

O papa atual pode ter sido eleito apenas para "purgar" a boa impressão causada pelo anterior, que era muito popular e abrir alas para que o papa seguinte pudesse trabalhar mais livremente, sem a sombra de Karol Wojtyla.

Tales Gubes disse...

Lendo o guest post sobre a igreja e as suas posturas conservadoras, ocorreu-me algo que aconteceu recentemente aqui em Goiânia, onde moro. Desde que cheguei nesta cidade, há três anos, conheci a Casa da Juventude, uma instituição jesuíta com um trabalho magnífico no atendimento e na formação de jovens. As causas e as lutas da Casa da Juventude sempre me inspiraram e me deram motivos para acreditar que, mesmo com toda minha resistência à religião, existem segmentos que podem e são motivos de esperança.

Agora (há alguns meses) o padre responsável pela casa foi substituído (pois estava sendo ameaçado de morte por contrariar e denunciar grupos de extermínio da polícia que estavam assassinando jovens da periferia) e parece que os jesuítas resolveram retomar as rédeas da Casa. O argumento foi que ela estava muito liberal, com muitos homossexuais e descuidos com os ritos.

Moral da história: a maior parte dos funcionários, muitos trabalhando lá havia mais de dez anos, foi demitida. Os projetos foram reduzidos ao mínimo. A Casa da Juventude de Goiânia, que era motivo de orgulho (para mim e muitas outras pessoas que não estão exatamente vinculadas à fé), acabou.

SeekingWisdom disse...

Pessoal,
alguns aqui devem saber, mas a questão da Igreja Católica é muito importante sobre a descriminalização e legalização do aborto. Na Rio +20 a menção aos 'direitos sexuais e reprodutivos da mulher' foi suprimida e substituída por 'serviços de saúde para a mulher' por pressão do Vaticano, principalmente membros da Santa Sé.

http://novotempo.com/noticias/2012/06/20/igreja-catolica-faz-pressao-e-barra-texto-que-sugere-aborto-na-rio-20/


Os acontecimentos dos últimos meses me deixam bastante preocupados com essa questão. A ong Women on Web não está mais entregando Cytotec no Brasil após denúncia à Polícia Federal e ouvi que algumas clínicas, de confiança, foram fechadas. Percebo que boa parte da população está interessada no debate. Um post no Facebook sobre o tema alcançou um número estrondoso de compartilhamentos (para o tamanho da page) em poucos dias.

http://www.facebook.com/photo.php?fbid=516552701728459&set=a.488667144517015.121798.487865237930539&type=1&theater

Apesar disso, em termos de mobilização formal parece que estamos parados, principalmente se considerarmos a presença política forte de fundamentalistas nesse setor.

Penso que a única saída seria a votação do novo código penal e é muito importante uma forte articulação política para pressionar essas mudanças.

Não acho que um papa mais progressista vai interferir positivamente para essa aprovação, mas com certeza um papa mais conservador será uma barreira para a mudança dessa lei retrógrada.

A situação atual, sinceramente, me deixou bastante abalado. Não consigo deixar de me preocupar com o drama dessas mulheres que estão desesperadas e sem alternativas. Essa situação somada à postura ostensiva das pessoas quando o debate é sobre aborto me fazem sentir um criminoso. De repente, parece que ser mocinhx na sociedade moderna é ser conivente com a morte e sofrimento de milhares de mulheres.
Abraços, Phillipe

Isadora S. disse...

"Conheço" o ex-cardeal Ratzinger desde 1999, quando a ultradireita internacional (Movimento Solidariedade Iberoamericana) o elogiava por alertar sobre os perigos das teologias libertárias na América Latina.
O papa só renunciou depois de alguma concessão. Não estamos falando só do "papa", mas do grupo que ele representa. Esse grupo só cedeu visibilidade porque conseguiu algo em troca. Política é assim.
Se vier um novo papa pop, muito cuidado. Se ele for brasileiro, então, vamos viver um fanatismo ensandecido como o dos poloneses (falo disso com conhecimento de causa) e nossa sociedade vai retroceder muito.
Adoraria que os 11 votos dos EUA valessem e fosse eleito um papa americano, porque só a nacionalidade já baixa o carisma perante os fiéis do restante do mundo. Duvido, porém, que um Papa Sam seja eleito. Minhas apostas e torcidas estão em um papa latino-americano. Gostaria que fosse mexicano, pelo bem do Brasil.

Anônimo disse...

A profecia dos papas foi removida da Wikipédia, mas ainda pode ser encontrada no histórico da página, clicando em "view history", na aba superior.

MARIA, L.P. disse...

Olá gente,

Obrigada pelas considerações.
Lord Anderson, não creio que sejamos otimistas em esperar que a igreja católica se abra ao diálogo de algumas questões, porque a renúncia do então Papa não foi uma questão política para agradar alguém, mas devido a uma série de problemas enfrentados pela igreja há anos, em relação a estes temas dentro da sua própria cúpula.
E quando sugiro que estas coisas precisam ser pensadas, não creio que mudanças reais aconteçam logo, mas, se elas não forem discutidas, esta mesma igreja vai sofrer 'rachas' nunca vistos antes.
Sobre o que o Tales comentou, essas situações normalmente são enfrentadas pelas pastorais sociais, mas quando outros setores tomam a frente, o resultado é conhecido.
Sobre o negros serem mais conservadores, como colocou o comentário anônimo, eu não sei exatamente a que vc se refere.
Enfim, esse é um momento de mudanças, e vamos ter que esperar pra ver o que vai acontecer e os rumos que vão tomar.

Anônimo disse...

Você quer mulher padre então crie sua própria igreja e deixe de se incomodar com a vida dos outros.

Carlos disse...

deus não existe.

Esse pessoalzinho ai do vaticano, tentam fazer o mundo seguir os comandos deles. É só quebrar o sigilo bancário / fiscal deles que vocês verão o porquê deles estarem lá.

vaticano é um estado independente que cobram altos impostos. Eu admiro o governo italiano permitindo autonomia dessa região.

Anônimo disse...

Sinceramente, eu acho sim que a ICAR está próxima do fim.
Infelizmente, já deu para perceber nada irá mudar por causa isso.
O problema é que as igrejas passam, mas o fundamentalismo continua. E o que não falta são candidatas a ser uma nova ICAR: IURD, Assembleia de Deus, etc. só para ficar nos exemplos do brasil. E o exemplo recente do Mala Falha já demonstra que os lideres dessas novas seitas tendem a ser ainda piores do que os piores papas da história, e seus seguidores são fanáticos e alienados o suficiente para até mesmo promover uma nova cruzada ou uma nova inquisição.

Drica Leal disse...

A desalmada aqui responde de o carnaval passou, o verão está acabando e estou lendo os posts para voltar ao único blog onde comento na net. e nem precisa ser Pollyanna pra acreditar nisso, Lolíssima! bjs!

Aline disse...

Tbm acho que o papa renunciou por questões políticas... Penso que a impopularidade dele e sua renúncia não são fatos isolados, mas são reflexos da impopularidade da igreja em si... Não é de hoje que esta religião vem perdendo fieis para outras religiões e para o ateísmo... Acho que um novo papa não vai trazer de volta o que a igreja busca... Pq ela não conseguiu acompanhar as mudanças... Muita coisa no mundo mudou e ela continua com as velhas imposições... Minha família é um bom exemplo... Alguns parentes apenas posso lembrar agora que ainda vão na missa... Pessoas próximas frequentam outras igrejas ou nenhuma... Eu fui batizada, fiz primeira comunhão e não quis fazer crisma por na época ter 13 anos e saber que muita coisa que a igreja prega não faz menor sentido... Desde então não vamos na missa (nem íamos muito) e quando me perguntam sobre religião, não consigo responder que sou católica... Mesmo que tenha minha fé e busque minha espiritualidade... As vezes vamos ao centro espírita que me parece mais aberto ao diálogo... Enfim, acho que fé e igreja definitivamente não são a mesma coisa....
Assisti Os Pilares da Terra e Mundo Sem Fim (agora quero ler os livros), e mesmo sendo ficção, traz uma boa reflexão sobre o poder da Igreja...

Aline disse...

Pessoal, acabei de receber sobre isto: Fim à guerra contra as mulheres no link: https://secure.avaaz.org/po/end_the_war_on_women_loc/?bOyivbb&v=21933&a=4&c=BRL&p=1 ... Não se já viram, mas achei importante compartilhar aqui...

Megatherium disse...

Gente, sem querer ser otimista (ou pessimista) a possibilidade de um papa não conservador é mínima. Como o pontificado de João Paulo II foi muito longo, e ele deu uma virada conservadora na igreja, hoje quase não há cardeais em situação de se eleger (ou mesmo de votar) mais progressistas. O colégio foi todo formado por João Paulo II e Bento XVI. A briga hoje, dentro da cúpula, não é entre progressistas e conservadores, mas entre conservadores como Ratzinger e muito conservadores. Todos os cardeais que estão sendo "votados" em casa de apostas são, no mínimo, tão conservadores quanto o Papa atual.

aiaiai disse...

Letícia Maria,

você não acha que o ratzinger renunciou para poder fazer o sucessor? Acredito mesmo q ele esteja doente e, ao perceber que tem pouco tempo, resolveu renunciar para ficar nos bastidores costurando a eleição de seu sucessor. Morto ou muito debilitado ele não teria poder algum.

Agora, nas sombras (que foi onde ele sempre gostou de atuar) vai poder direcionar o processo sucessório para q seja eleito um outro papa conservador como ele, um que ele tenha certeza que vai seguir o que ele acha certo.
Enfim, acho que foi estratégia.
to maluca?

dantezcoman disse...

Achei o texto bem legal, mas discordei de uma parte: de que isso seria preocupante.

Eu acho ótimo. A Igreja Católica, apesar das coisas boas que trouxe, sempre trouxe muitas coisas ruins, e em um mundo mais racional, uma organização que protege pedófilos já teria sido fechada e seus líderes julgados.

Mas, sobre a mudança de Papa, o melhor comentário foi o do blogueiro PZ Meyers, do excelente blog Pharyngula:
"Livrem-se de um, e eles vão simplesmente indicar outro. Não é como se a descrição do trabalho tivesse mudado: o critério primário é a habilidade de professar cretinices que entorpeçam a mente e conseguir lidar com a hierarquia medieval da política da igreja, então não é como se fosse ser algo surpreendente. Será outro velho que dedicou a vida inteira à bobagens supersticiosas."

Anônimo disse...

"Agora a igreja católica tem dois caminhos: ou ela cede aos 'progressistas' e se abre ao diálogo com a sociedade (dentre os temas mais polêmicos) ou cede aos conservadores, que atualmente são maioria (ao menos no Brasil), e se afasta definitivamente do povo a quem deveria servir."

Mais, se você mesmo diz que os conservadores são maioria (não só no Brasil, creio), como é que tomar decisões conservadoras seria se afastar do povo? Pessoalmente acredito que a maior parte da população é conservadora, até pela própria definição da palavra.

Nah. disse...

Eu não sou católica, nem evangélica, nem nada, apenas acredito em Deus. Entendo o que o papa simboliza, mas não o que ele faz. Quer dizer, ele faz alguma coisa? Não vi nadinha sobre os feitos dele na mídia nos últimos anos... Quer dizer, só quando ele rezava por alguém ou era contra os homossexuais.

Lord Anderson disse...

Maria L.P.

Acho que o anonimo não se referia aos negros em geral, mas sim a Peter Turkson cardeal de Gana, que apoia as leias homofobicas do pais.

Inclusive dizem, a lei que pune homosexualidade com a morte.

http://paroutudo.com/2013/02/13/forte-candidato-a-papa-defende-pena-de-morte-para-gays-em-uganda/

Lord Anderson disse...

Claudia

Parte da minha familia é evangelica (nas outras parte tem quase todas as religiões possiveis rs)

E talvez por isso eu não me incomode tanto com o estilo de vida conservador que eles adotam. Pelo menos enquanto ficarem apenas em nivel pessoal.

Oq me incomoda e preocupa é como vc disse, o avança desses grupos na esfera politica, sempre querendo determinar que todos vivam por seus codigos e preceitos.

Sara disse...

Bom seria se todas as religiões estivessem em crise, ou no mínimo repensassem a posição de inferioridade que sempre colocaram a mulher.
Na Europa que eu saiba existem diversas igrejas q fecharam as portas, e hje as edificações que as abrigavam mudaram totalmente o foco, muitas viraram danceterias.
Pra mim isso é muito positivo, mas adoraria de verdade ver o dia em que mesquitas perdessem sua finalidade, e tb se transformassem espaços mais úteis a sociedade, e não foco de disseminação de injustiças e preconceito contra as mulheres e homossexuais.

Marcos Arthur Viana disse...

Olá Lola! Eu acompanho o seu blog há muito tempo e é a primeira vez que eu comento (e estou nervoso). Eu sou católico, mas não professo de todas as opiniões da doutrina da Igreja (o que tecnicamente já me caracteriza como herege rs) e posso ser considerado como um "progressista".

Algo que deve ser dito sobre a Igreja, e que a maioria das pessoas desconhece (quer porque não são católicas, ou porque não conhece sua doutrina) é que tem certos assuntos em que a Igreja simplesmente não vai mudar de opinião. Como uma instituição religiosa (ou a Esposa de Cristo para mim), a Igreja tem como base da sua doutrina a Bíblia e a Tradição, que são os ensinamentos acumulados em 2000 anos. Logo, ela não pode ir de encontro ao temas que a Bíblia e a Tradição condena, como por exemplo a homossexualidade.

Ela nunca vai afirmar que a homossexualidade é legal, porque iria contradizer a Tradição e a bíblia (eu discordo completamente dela nesse ponto). Tendo em mente isso, a Igreja nunca vai permitir a ordenação de mulheres, por exemplo. O próprio papa afirmou que nem mesmo ele tem autoridade para ordenar, então é um assunto encerrado. Já o celibato é algo que pode ser mudado. Sobre as outras Igrejas, todas elas fazem parte da Igreja Católica. O que muda é o rito.

Sobre a renúncia papal, eu acredito nas duas explicações. Bento XVI abdicou porque não conseguiu conciliar as duas correntes da Igreja (tradicionalista e progressista), e com isso tem a possibilidade de influenciar o conclave. Soma-se isso ao estado de saúde frágil dele. Bem, eu senti vontade de comentar para explicar alguns pontos, que eu achei necessário. Apenas não sei se ficou realmente bom.

Leandro disse...

"Agora a igreja católica tem dois caminhos: ou ela cede aos “progressistas”"

- Sim, claro. Ceder a “progressistas” como estas:

http://www.youtube.com/watch?v=xM5mJukThYQ

É a este tipo de gente que a autora quer que a Igreja ceda espaço. Gente que comemora a renúncia do Papa, invadindo e depredando a Igreja, fazendo topless como se entivessem um Show de Striptease. Isso que é respeito e tolerância...

Anônimo disse...

@Nah, o que o papa pode ou não fazer está explicitada em alguns comentários aqui, como no de Tales Gubes e de SeekingWisdom.
Acho perigo subestimar esse tipo de coisa.
Me lembrou qd caiu o WTC e uma amiga disse que não ia mudar nada a vida dela...

Anônimo disse...

O texto é coeso, mas a realidade é bem diferente, mesmo falando do ponto de vista técnico.

Pontos importantes são:

Por um parte dos católicos este papa está sendo considerado um abnegado quase um mártir, o que abre a possibilidade de o próximo papa ser mais retrogrado, reacionário, é como se essa fosse a vontade geral, uma volta.

Por outros católicos sua saída está sendo considerada absurda, prova de fraqueza, mas isso dá mais força para as alas reacionárias, posto que estas pensam que é melhor que ele tenha saído mesmo, assim a igreja pode ficar pequena como queiram (como se insinua no texto, fechar as portas) mas pelo se manterá fiel a seus princípios.

Eu não sou católica, sou evangélica, mas acompanho sites e tenho amigos católicos com quem partilho textos teológicos, e o que entendi foi isso.

Só estou falando que as coisas não são tão simples assim, começar a encaixotar suas relíquias e fechar suas portas, está muito muito longe de acontecer.

dantezcoman disse...

@MarcosArturViana Diga, qual é a postura da Igreja frente ao estupro de mulheres? E o que ela acha da escravidão?

Uma instituição que pára no tempo é exatamente o que o mundo não precisa.

Jéssica disse...

@Marcos Arthur Viana

Olha, a Igreja liga mesmo e' para dinheiro e poder, por exemplo, a Igreja ja' foi a favor do aborto, ela passou a ser contra (nao lembro ao certo, mas acho q ha uns 400 anos atras) porque os nobres estavam precisando de mais pessoas nascendo, para servirem de soldados nas guerras.

A propria questao da homossexualidade possui brechas para ser aceita, como fato de que Jesus NUNCA falou nada contra homossexuais, inclusive se diz que ele era a favor dos direitos homossexuais. Mesma brecha para o caso das mulheres: Jesus nunca recriminou mulheres.

As partes de Biblia que falam as maiores aberracoes sobre homossexualidade e mulheres sao tb as que dizem coisas como q qm trabalha aos domingos, come mariscos, ou corta a barba merece pena de morte. Se ja' se ignora partes da biblia por serem consideradas absurdas, nao e' impossivel que outras partes venham a ser consideradas absurdas tb.

Lívia Pinheiro disse...

Marcos Arthur Viana, e como ficam coisas como esta: http://books.google.com.br/books/about/O_que_a_B%C3%ADblia_realmente_diz_sobre_a_ho.html?id=XhkMPUeA5b0C&redir_esc=y ?

Se tem uma coisa que a história me ensinou é que as instituições (ou melhor, as pessoas por trás delas) fazem o que for preciso para não perderem o poder que têm.

Não que eu ache que chegou a hora da igreja católica se conformar aos tópicos que foram mencionados no post, senão vai cair. Esta hora ainda vai tardar horrores, se é que vai mesmo chegar (eu definitivamente não acredito no caminhar da história necessariamente como um progresso em termos de nada, consigo facilmente imaginar um ano 2100, 2200, etc., mais retrógrado do que hoje).

É que como vc parece entender do assunto, fiquei curiosa com até onde vão essas visões alternativas. Não poderiam abranger também as mulheres no sacerdócio? Ou alguma outra das coisas que este blog está constantemente falando sobre?

Marcos Arthur Viana disse...

Olá dantezcoman! Bom, como eu já havia dito, eu sou católico, mas não respondo pela Igreja porque não faço parte do clero. Eu realmente não sei dizer qual a posição oficial da Igreja (porque não sei onde se encontra no catecismo) sobre o estupro, mas acredito que seja condenar veementemente. Sobre a escravidão, eu posso falar um pouco melhor. A Igreja foi ambígua quanto a escravidão. Primeiro ela condenou, depois apoiou e depois ela condenou. Eu acho triste, mas a Igreja é uma instituição histórica. Eu tento entendê-la a luz do contexto histórico, para não cair em anacronismo.

Oi Jéssica e Lívia Pinheiro! Bem, eu concordo sobre a homossexualidade (por acho que seria um herege xD). Para mim a Igreja deveria reconhecê-la como uma orientação saudável, e não como uma desordem generalizada. Mas eu digo que isso não vai mudar (mas espero que sim), porque essa posição é baseada no direito natural, na bíblia e na Tradição. E quando eu digo a bíblia, eu me refiro aos escritos de São Paulo também. E mesmo que Jesus não tenha condenado, o catolicismo também se baseia na Tradição, logo nos ensinamentos ao longo dos séculos que condenam a homossexualidade. Por isso eu acho infelizmente que não vá mudar.

Bom Lívia Pinheiro, algumas coisas são abordadas pelos progressistas. Por exemplo, o celibato. O celibato só foi instituído na Idade Média, e é algo que pode ser mudado, apesar de eu achar muito difícil. Quanto a ordenação de mulheres, é algo impossível. Bento XVI disse que a Igreja não tem a autoridade de permitir, apenas Jesus. E encerrou o tema. Acho que nenhum futuro papa pode modificar isso. Apesar disso, existe a lenda (que eu acho verdadeira, mas carece de fontes para ser dada como verdadeira) de uma mulher que governou a Igreja, a papisa Joana, no século IX :b

Agora algo que me deixou triste, não sei se vocês iriam compartilhar,foi ver várias feministas seminuas dentro da Catedral de Notre Dame. Elas não poderiam ter respeitado o local de culto? Acho isso um gesto de intolerância :x

Anônimo disse...

@Marcos Arthur Viana
Acho que a Igreja pode mudar naquilo que é doutrina, dogma, no que não está na bíblia.
Simples assim.
Ainda me pergunto se sou católica, passei a oscilar mais como cristã.
Em geral esses fomulários são muito complicados pra mim, esse negócio de cor, sexo, religião me embaralham...

Agora, passando a especular...
Alguém aqui falou na Profecia dos Papas (ou de São Malaquias), nela diz que o último papa será Pedro Romano. O engraçado é que li esses dias que o próximo papa será justamente um italiano.
Isso me faz pensar que o título do post não poderia ser melhor!
Pelo jeito a igreja vai msm fechar as portas. rs

Seria legal se a autora do guest-post que entende mais desse trâmite aparecesse nos comentários tb, pra bater um papinho, falar o que acha que está acontecendo...
Queria que ela comentasse a última: http://m.tsf.pt/m/newsArticle?contentId=3052005&page=1

Não entendo bem... se a saída do papa foi uma questão política, e ele está dizendo que é preciso rejuvenescer a igreja, colocar alguém 'antenado' com as novas tecnologias, que é preciso acabar com a hipocrisia dentro da igreja, como tudo isso aponta para uma guinada mais conservadora?
(ainda mais ele, que acobertou uma porção de pedófilos...)

Eu pensava que ele fosse um passo do extremismo conservadorismo (tendo só mais um além dele).

Não entendo... rs

Anônimo disse...

Acho q nem tem muito pra onde correr. Se a Igreja Católica perde poder, o seu espaço é logo ocupada por ceitas evangélicas, que são tão reacionários ou até mais. A maioria, senão todas, as religiões tem idéias q oprimem mulheres e homossexuais.

O jeito não é torcer pela queda de uma religião específica. É torcer pela inexistência de todas elas.

Anônimo disse...

Só mais um link:
http://noticias.terra.com.br/mundo/europa/renuncia-do-papa/papa-decidiu-renunciar-apos-ler-relatorio-sobre-vatileaks-diz-revista,ce42383d77fcc310VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html


Papa decidiu renunciar após ler relatório sobre "Vatileaks", diz revista

Anônimo disse...

Qto a renuncia do Papa, acho que deve ser algo relacionado a política. Coincidentemente a poucos meses o antigo mordomo do papa foi condenado por vazamento de documentos sigilosos de Bento XVI. Tb por coincidencia esse mordomo recebeu um indulto do Papa em dezembro de 2012. Estranho...

Anônimo disse...

Se a Igreja aceitar a ordenação e a união homossexual, estará indo contra os princípios bíblicos para satisfazer à sociedade. Vou sentir falta do Papa Bento XVI, que foi o que melhor representou a doutrina católica. Vera Alves

SeekingWisdom disse...

Olá pessoal,
Anon 18:10, quando a autora menciona a maioria conservadora ela menciona os membros da Igreja aqui e não os seguidores.
Os seguidores são pessoas comuns uai, alguns seguem os dogmas à risca e alguns pouco se importam, mas todxs se identificam com a igreja. Considerando o posicionamento geral da população uma frente conservadora não está muito compatível com a opinião dos seguidores não né? Imagino que a grande maioria de católicos faça sexo com motivos além de reprodução e se protegem né? Também acho que boa parte dos seguidores não acha necessário o Celibato. N sei exatamente onde está a aceitação dos católicos à homossexualidade (tipo, que eles sigam a religião sem ser perseguidos). Aborto é complicado... chutaria que a maioria ainda está no senso comum da discussão.
Esse posicionamento da igreja faz com que os fiéis se afastem e por isso a autora diz que um papa mais progressista seria uma maneira de melhorar a imagem com eles. Se ela continuar caminhando para trás, vai continuar minguando, graças a deus.

Leandro é o Lawlyet? Passa-me o número da sua cartomante (que feio católico usando de meios esotéricos), pq pra saber o que a Lola, ou qualquer outra pessoa, quer para o mundo ela deve ser muito fodona.

Abraços, Phillipe

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

Jéssica


mas tem Paulo no novo testamento.Ele era um judeu perseguidor de cristaos no inicio,note.

MARIA, L.P. disse...

Aiaiai, penso que se ele quisesse ‘parecer’ mártir, não teria renunciado. Não questiono a saúde dele, mas pelo que consta, não é tão frágil assim.
Lord Anderson, obrigada. Mas o fato do cardeal ser negro não muda em nada, considerando que ele representa a igreja mais reacionária da Uganda.
Marcos, entendo bem sobre o que tu falas sobre a ‘tradição’ da igreja. Mas afirmar-se na bíblia, é uma característica neopentecostal. A ICAR apesar de utilizar como argumento, ela não nega que a bíblia é um conjunto de livros selecionados. Como católica, não posso deixar de considerar que existem vários livros apócrifos (que ficaram de fora da bíblia cristã) que podem trazer informações que contradizem os principais livros que orientam a doutrina. Como disse a Jéssica, Jesus, pregou apenas o AMOR e a CARIDADE. E com o Novo Testamento, todo o Antigo pode ser considerado superado, pois o NT traz a ‘boa nova’ – com a passagem de Cristo pela terra, todos os erros e acertos do AT são superados pelo NT.
Lívia, existem muitos setores que compõe a ICAR, não apenas ‘progressista’ e ‘reacionário’, foi uma generalização. Há muitos anos se reivindica a ordenação feminina. E sobre isso a Igreja Anglicana nos ensina, sem o celibato, ordenando mulheres, e (bem recentemente, em alguns países) gays. Apesar de ser muito pequena, é um bom exemplo. A Igreja Luterana também ordena mulheres há anos, apesar de ainda estar pouco aberta sobre o diálogo sobre a homoafetividade.

dantezcoman disse...

Marcos Arthur Viana, tu resumiu exatamente o que eu considero o pior e mais execrável lado da religião organizada: a ideia absurda de que é possível absolver uma organização criminosa como a ICAR com base em "contexto histórico". Contexto histórico não absolve ninguém de nada. Criminosos de Guerra são julgados, apoiadores de ditaduras também (ou deveriam ser), e organizações "terroristas" (uma denominação extremamente dependente de contexto).

Falando pra ti e pra Vera Alves (Anônima das 21:50), a ICAR, com sua proibição de métodos anticoncepcionais (especialmente a camisinha), aborto, igualdade de direitos de lgbteoutrasletras, proteção à estupradores de crianças, entre outros crimes, deveria ser julgada pela sociedade, e se adaptar aos tempos. Vera Alves tinha razão, o Papa das Trevas representou muito bem a doutrina católica: retrógrada, antiquada, ignorante e intransigente.

Maria LP: Jesus não pregou apenas amor e caridade. É do Novo Testamento a ideia do inferno como um lugar onde corpo e alma seriam destruídos em fogo eterno, além de em pregar que as leis antigas (Velho Testamento)deveriam ser mantidas.
João 3:16-18
Lucas 16:17
João 7:19
Mateus 5:17-19
Mateus 10:28
Marcos 9:43

Marcos Arthur Viana disse...

Dantezcoman, mas eu não disse que absolvi e nem que julguei a Igreja Católica pelo seu envolvimento com a escravidão. Eu apenas disse que entendo o apoio dela, e posterior condenação, a luz do contexto histórico. Outro historiador diria a mesma coisa. Se eu concordo com ela? Lógico que não! A escravidão foi/é uma instituição terrível que existiu e ainda existe! Mas como eu disse, analiso por meio do contexto. Como historiador, eu tento encontrar os "fatos" e analisá-los. E não julgá-los. Por isso, se você quiser, eu posso trazer algumas bulas papais que aprovam e que condenam a escravidão /o/

Rachel disse...

A decisao de renunciar foi feita por um homem.A saida do papa nao eh um evento mistico,a prova final de que a Igreja esta fadada ao fracasso.Foi so a escolha de um ser humano.
Defendo o estado laico,mas nao eh obvio que lideres religiosos e outros individuos
usarao de variados argumentos e posicoes para defender as suas convicçoes?Algumas escrevem blogs,outras palestram,outras divulgam enciclicas.Nao precisamos concordar com tudo.mas entender que ha espaços corretos e permitidos para expressao da religiosidade ou do ateismo.

Anônimo disse...

Eu não entendo o que homossexuais querem com a igreja católica, a igreja não obriga ninguém a se catolico, seguem que quer.

Se homossexuais querem se casar numa "igreja" que fundem uma, de acordo com seus principios, e fique longe de todos nos.

SeekingWisdom disse...

Marcos Viana, o video postado (~supoostamente~ o sonho da Lola para o Feminismo) é um protesto do Femen q nem sei se dizem feministas mais (era neofeminismo né?).
É um grupo conhecido por fazer intervenções com topless e adotam várias posturas extremas (algumas misândricas).
Algumas pessoas as chamam de Femistas, mas eu não concordo com esse termo. São radicais e radicais tem em qualquer movimento. Com certeza não é o feminismo que eu pratico e nem o da gigantesca maioria que li até hoje.
Não acho o termo apropriado pq seria o exato oposto de machismo. Só que, ao longo da história, nunca existiu uma sociedade com valores opressores baseados na superioridade feminina, então nunca existiu femismo, mas é minha opinião.
Abraços, Phillipe.

Priscila disse...

"Se a Igreja aceitar a ordenação e a união homossexual, estará indo contra os princípios bíblicos para satisfazer à sociedade."

Sim, é exatamente isso.

So não entendi por que isso seria um problema.

Anônimo disse...

"Anon 18:10, quando a autora menciona a maioria conservadora ela menciona os membros da Igreja aqui e não os seguidores."

Mas acredito que a maioria dos seguidores também é conservador. Ser conservador implica buscar manter o status quo. Se a maioria da população fosse "radical", então haveria um novo status quo para manter, e os "radicais" é que seriam considerados "conservadores". Entende?

Anônimo disse...

QUESTÃO.

O objetivo do feminismo para a religião qual e ? a desconstrução total da moral cristã e dos dogmas de fé ?

Anônimo disse...

"Se a Igreja aceitar a ordenação e a união homossexual, estará indo contra os princípios bíblicos para satisfazer à sociedade."

Sim, é exatamente isso.

So não entendi por que isso seria um problema.
-
o problema e que ai não seria a igreja, que e baseada nos pricipios biblicos, esta ruptura forçada seria uma violência com seus fieis, que o são por livre vontade.
Homossexuais não encontram representatividade dentro do catolicismo, porque algum iria querer fazer parte dele ?

Anônimo disse...

Duas coisas:
1º) Ordenando homossexuais e permitindo a união deles a Igreja não iria contra a Bíblia, necessariamente. Iria contra a INTERPRETAÇÃO atual da Bíblia, que já é contestada há muitos anos. Por exemplo: o trecho mais usado da Bíblia onde diz que um homem se deitar com outro é uma abominação, está no mesmo livro que diz que fazer a barba também é uma abominação. O problema é que a Bíblia é seguida ao pé da letra quando interessa, e quando não interessa "tem que considerar o contexto". Quem quiser saber mais, assista o documentário "Como diz a Bíblia", no Youtube.
2º) Se analisar a fundo, a Igreja não precisa mudar seus dogmas cretinos, afinal, são dogmas! Quem precisa mudar são as PESSOAS, que aceitam uma religião preconceituosa e excludente. As pessoas é que devem dar um pé na bunda de crenças que dividem e excluem as pessoas.
3º-bônus) Para os desavisados, os homossexuais têm lutado pelo casamento CIVIL e não religioso. E os católicos lutam politicamente contra o casamento CIVIL, ou seja, lutam para impor suas regras para toda a sociedade, mesmo quem não é católico.

Anônimo disse...

Anônimo escreveu: "Eu não entendo o que homossexuais querem com a igreja católica, a igreja não obriga ninguém a ser catolico, seguem que quer".

EXATAMENTE, Anônimo. O problema é que a Igreja Católica (juntamente com a evangélica) luta CONTRA O DIREITO dos gays se casarem NO CIVIL. Meio contraditório, não? Afinal, se não sou obrigado a ser católico, por que sou obrigado a seguir suas regras, que consideram a homossexualidade um pecado?

Qual o argumento não-religioso para proibir o casamento civil dos gays? "Não procriam"? "É pecado"? "É anti-natural"? "É imoral"?

SeekingWisdom disse...

Anon 18:10 e depois 08:08, pelo que entendi (já sugeri uma vez para quem n quiser identificar que assine um pseudônimo ou primeira letra do nome para facilitar a discussão.

É simplista dizer que as pessoas são conservadoras. A bem dizer muitas pessoas mal param para pensar nos assuntos, o preconceito fala por elas. Posturas conservadoras e progressistas mudam ao longo do tempo e váias práticas tradicionais da igreja não são vistas pela população como importantes, tanto que não seguem. Aliás ser progressista? Uma pessoa pode ser progressista em vários assuntos e ser extremamente conservadora em outros. Exemplo clássico é a postura liberal de várias feministas no que tange liberdade sexual e a postura conservadora no que tange a estrutura de classes na sociedade. O governo revolucionário de Cuba foi progressista em vários aspectos e conservaor em tantos outros (homossexuais foram perseguidos e mortos, por exemplo).

Deixo esse texto muito bom sobre essa questão de ser conservador (direita) e progressista (esquerda).

http://ensaiosdegenero.wordpress.com/2013/01/07/e-estupidamente-facil-ser-de-direita/


Att, Phillipe.

Cora disse...

a igreja não tem q abandonar dogma nenhum. pode ser tão fiel à bíblia qto quiser ser.

(embora não seja, já q sempre há interpretação. impossível ser fiel ao comportamento q é descrito lá, já q ele reflete uma época. os princípios podem continuar, podem ser considerados permanentes, mas comportamento? nem tem como. o ser humano é distinguível dos demais seres vivos justamente pela cultura, pelo simbólico, e pela mudança de comportamento.)

o q não é possível é esperar q pessoas q não professam dessa fé compartilhem seus dogmas. é essa a questão de algumas religiões. quem quer seguir, q siga. somente os seguidores devem ser fiéis aos dogmas. e somente deles isso deve ser cobrado.

o problema dos evangélicos no brasil considero bem grave, pois pretendem usar o estado para impor sua visão de mundo a toda a sociedade, criando leis q vão contra a laicidade do estado. a pregação de dogmas deve ser feito no púlpito e não na tv, em programas q não sejam religiosos. a religião está invadindo a esfera privada de pessoas não religiosas, o q não é correto.

qto ao próximo papa, será mais conservador q este, já q deverá proteger com mais agressividade os esqueletos sagrados.

em tese, bento xvi, extremamente conservador, defendia alguma transparência. renunciou. não vislumbro nada de bom no horizonte.

Anônimo disse...

Éééé o pop não poupa ninguém (desculpem a piadinha, mas cai como uma luva de pelica) hahahahaha

Sou ateia, lésbica, não quero e nunca quis compactuar com instituições que condenam isso ou aquilo (falando em orientação sexual). Sinceramente esse papinha foi cedo... Unico medo é que o novo eleito para disseminar tanta bobagem em relação a homossexualidade seja pior que esse dissimulado ai do bento sei la quanto, como esse suposto candidato de Uganda.
Pior de tudo que até acho que será o escolhido.
Bom, mais fiéis ainda formando o clube de "venha para o lado negro da força".
Ai vamos retroceder a uma inquisição "moderninha"... - Queimem os homossexuais.

Tudo pode (e acho) que vai piorar.
Odeio muito tudo isso. Pronto, desabafei!

Lillian Cardoso disse...

Caro @Marcos Arthur Viana.

A Bíblia é uma coleção de histórias escritas por dezenas de autores diferentes, em épocas diferentes, sendo que há livros que foram escritos séculos depois dos outros. São milhares de páginas de histórias místicas, parábolas, simbolismos e metáforas. Ao contrário do que você faz parecer, a Bíblia não é a Constituição, com leis e cláusulas pétreas (e mesmo que fosse, Constituições sofrem alterações ao longo do tempo). Está mais para um conjunto de fábulas adultas ilustrando os conceitos de moralidade da época em que foram escritas.

A despeito da minha crença ou não nela, vamos nos ater apenas aos fatos: se fôssemos seguir à risca tudo o que está escrito nela, como bem mencionaram antes, quem come coelho ou camarão deveria ser exilado e quem comete adultério, morto (tá tudo lá no Levítico... aliás, citam sempre os Levíticos na hora de condenar a homossexualidade, mas nunca citam todas as outras trocentas proibições lá presentes que seriam deveras comprometedoras para 99% da população). Entretanto, nunca vi católicos tentando fechar restaurantes franceses ou barraquinhas de praia com o mesmo afinco com que tentam cercear os avanços dos direitos dos homossexuais. Por quê? Por que de um mesmo livro, certos mandamentos são "mais mandamentos" que outros? Certamente, houveram mudanças ao longo do tempo que descriminaram o adultério e o ato de comer coelho. Logo, a Bíblia não é esse conjunto de cláusulas pétreas que você diz ser. Tudo nela e na Igreja está sujeito ao tempo e à mudança dos costumes (e olha que eu peguei dois exemplos beeeeem ilustrativos). O mesmo deve ocorrer para os temas mais espinhosos como ordenação de mulheres, celibato, aborto e homossexualidade. Se a igreja tivesse se recusado a abrir mão de seus mandamentos ao longo da História, não teria sobrevivido por tanto tempo. Uma hora ou outra ela já teria se tornado um anacronismo (como está acontecendo agora). Mas ela soube adequar suas doutrinas às necessidades dos fiéis ao longo do tempo, por isso está durando.

Por uma questão de reconquistar o espaço perdido e também por uma questão de espiritualidade, a Igreja poderia sim (e deveria) abrir mão de alguns dogmas e se tornar mais humana. A História deixa claro que isso é plenamente possível - e necessário. O único problema é que tentar recuperar a fidelidade de quem deixou de se importar com ela por conta de sua intolerância e desumanidade é a solução a longuíssimo prazo. Infelizmente, acredito que o Vaticano vai tentar o curto prazo: adotar um radicalismo ainda mais extremo para simpatizar com os extremistas que se mantém fiéis a ele. Por sorte, cada vez as pessoas ligam menos para a Igreja.



Cristina disse...

Gosto muito do blog da lola mas sempre que vem a tona a questão do Igreja católica procuro ficar de fora; discuir religião é muito perigoso.
Sou católica mas ultimamente me sinto caçada como se fosse um crime professar a minha fé. Fico tão triste ao ver o igreja católica ser atacada sistematicamente. Minha religião é linda tem coisas maravilhosas e não sei o que seria de mim sem ela, e ninguém é obrigado a gostar, mas agradecemos ao respeito. E antes que digam que sou uma fanática eu não sou, nós não somos. Sou a favor da união civil de homossexuais, e muitos catolicos são a favor como eu. A história da camisinha é relativa e pouquíssimos a seguem todos sabem que a idéia de condena-la é absurda!
E historicamnte falando essa é outra questão que sempre reaparece, os erros. Poque sempre levantam a questão contra nós? Não somos perfeito e a Igreja catolica é feitas por pessoas e também passivel de haver erro das mesmas. Ainda sim é de nossa vontade fazer diferente, melhorar e evoluir.

SeekingWisdom disse...

Olá Cristina,
a questão aqui toda cai sobre a instituição e não sobre os seguidores (apesar de algumas pessoas acreditarem ser melhor para o mundo se ninguém acreditar - pode ser mas quem dirá? Somos livres para crer ou não e isso que importa).

A questão da instituição é séria pois a interferência política do Vaticano na América Latina ainda é grande e lamentável, sempre conduzindo retrocessos.
Existem vários grupos de católicos mais progressistas - veja por exemplo as "católicas pelo direito de decidir".

Bom termino por aqui, abraços, Phillipe

Mari Lee disse...

Ratzinger já vai tarde.
Mas tudo que é ruim sempre pode piorar...

"Forte candidato a papa defende pena de morte para gays"
http://www.advivo.com.br/blog/implacavel/forte-candidato-a-papa-defende-pena-de-morte-para-gays

Claro que torço por uma guinada um pouco mais progressista, mas infelizmente não sou "Polyanna" como a Lola

roseanjos disse...

Não só o catolicismo, mas qualquer religião, seita, doutrina que faça do povo instrumento para a propagação da intolerância, devia cair de vez.

Qualquer instituição religiosa que influencia no Estado, tirando a diversidade de opiniões e o tão festejado livre arbítrio, deveria ser extinta.

Assim como Sarney saiu e entrou Renan Carlhordeiros, Bento XVI vai sair e o que virá? Festejar antes é meio imprudente.

Anônimo disse...

Quem me dera que Sarney realmente tivesse saído...
Esse só morrendo, viu?!

Anônimo disse...

Cristina, sua religião não tem muitas coisas bonitas. Na verdade, ela tem muitas coisas horríveis.

O mito de criação já começa mal, com um deus que, apesar de onisciente, ignorou o detalhe de ter criado seres que iriam desobedecer a ordem de ficar longe da árvore. Isso é obviamente uma falha de design, feita por um criador irresponsável, mas os culpados são os humanos (culpar a vítima).

Não satisfeito, um deus onipotente ficou séculos vendo o mundo cair em pecado (leia-se "fazer coisas que ele não gosta") para então tomar uma atitude: matar quase todo mundo. Um deus ONIPOTENTE e sua melhor solução é matar todo mundo. Como não é possível aceitar a ideia de que ele seja incompetente, só resta a hipótese de ele ser maligno.

Aí temos a história de Jesus, um cara bonzinho, que pregava que as pessoas deviam amar umas as outras, que deviam amar deus, e que quem não o fizesse seria jogado num lugar horrível, de tortura e de fogo, por toda a eternidade (ou seja, um crime finito tem punição infinita), e a culpa seria toda da pobre vítima (culpar a vítima + relacionamento abusivo + uma pena que não condiz com o crime).

Você poderia dizer que ele veio para negar o antigo testamento, mudar aquela imagem de deus. Só que Jesus diria que vc está errada (duvida? Lucas 16:16-17, João 7:16-19, Mateus 5:17-19).

E, pra encerrar, temos a história do maior sacrifício da história, na qual todos os pecados da humanidade são redimidos através de um ritual de sacrifício humano. Novamente, um deus que pode tudo só consegue solucionar os erros de suas criações através de barbarismos. E, dependendo de pra quem você perguntar, temos a história divertida de como ele sacrificou-se a si mesmo (Jesus) em homenagem a si mesmo (deus) para consertar as consequências da criação imperfeita.

Sinceramente, não existe muita coisa de bela no cristianismo. Talvez o burro falante.

AngieB disse...

Eu fiquei chocada qdo vi nas noticias a renuncia do papa... Como assim pode renunciar? O.o

E como foi falado, morrer papa é uma honra para eles, nem de longe acreditei nesse argumento de "razoes de saude". Ele saiu por grandes pressoes internas; pode-se pensar nos escandalos (padres pedofilos,estupros de freiras, o mordomo e os papeis confidenciais, o caixa 2 no banco do Vaticano...) e no descrecimo cada vez maior do rebanho. Acrescente a falta de carisma do novo lider, em uma organizaçao que passou decadas se beneficiando desta caracteristica magica do antecessor que bafou mto varios destes escandalos que ja explodiram bem antes.

Concordo que em politica, se ele concordou com a renuncia, algo foi negociado. Nao tinha pensando em ele poder orquestrar seu sucessos tao retrogrado como ele. Ratzinger sempre foi um homem dos bastidores, de 2o em comando... Confere com seu perfil. Gostaria de poder acreditar que algo nestes papeis que foram extraidos pelo mordono poderiam ser tao nocivos que o obrigaram a sair de cena; e que a perda de fieis os obrigaram a mudar a direçao do navio. Sim, Lola, tenho um lado forte de Poliana.
Gostaria muito que o novo papa se afastasse em muito ao molde do Bento XVI, mas como aqui foi dito que nao fosse apenas em carisma como foi o Joao Paulo II, e tinha como braço direito e abençoado sucessor alguem como o Ratzinger. Alguem que realmente quer mudanças e ve que apenas com mudanças, a Igreja catolica vai superar a crise.
E tambem creio que longe de ser os catolicos, o maior problema de intolerancia religiosa que temos hoje, e me preocupa demais ao ver sua organizaçao politica eficiente, sua ignorancia socia, sua intolerancia cruel ...é a massa de evangelicos.
Eles me lembram da bancada catolica no Chile que mergulhou aquele pais nas trevas sociais por decadas e mais decadas; com leis comparadas ao Iran, e totalmente isolados na America latina. Por minha familia ser de la, acompanhei por toda minha vida qdo o pais tinha uma das melhores economias do contimente, mas isso nao refletia nem na equidade social, nem numa mentalidade mais tolerante e progressista... E isso pela Bancada Catolica que fazia o mesmo que a Evangelica está engatinhando em fazer aqui: acreditar que suas crenças sao pilares nacionais e nao entender o que é um estado laico.

Ju disse...

Que análise genial, anon 00:29. Coisa linda.

Isso aí é invenção de gente maluca, com um parafuso a menos.
Um dos maiores mistérios da humanidade é como uma coisas tão sem sentido resiste por tanto tempo. Será que é tudo medo da morte? Mas eu me borro de medo da morte e nao acredito nessas pataquadas.

Anônimo disse...

Lola, adoro seu blog e gosto mto do q escreve, mesmo qdo discordo de vc. Mas acho que nesse post faltou um pouquinho de tolerância ao credo dos outros, pra dizer o mínimo. =(
Ou será que só os católicos é que precisam respeitar o credo (ou a falta de credo) dos outros?