quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

VOCÊ VAI PERDER ESSA GAROTA

Um rapaz, F., me mandou este email:

Conheci seu espaço na rede há pouco tempo e entendi como um bom ponto de apoio para as mulheres e essa situação insuportável que as aflige diariamente.
Gostaria que, se possível, amparada por sua experiência na luta pela destituição desse domínio asqueroso e reacionário do pensamento patriarcal da nossa sociedade, me elucidasse numa questão.
Eu sempre procurei, ainda em minha vida inconsciente, trilhar caminhos mais progressistas e sem me guiar por ideias prontas que nos jogam para reproduzir como ovelhas. Isso fez com que, na época da faculdade, eu me aproximasse de organizações de esquerda e realmente lapidasse minha indignação ante essa sociedade. Não sou mais um militante ativo, contudo, a contundência da minha postura crítica não recrudesceu.
Mesmo com toda essa estrutura ideológica, estou, no plano pessoal, atacado por severa dúvida. Estou namorando uma menina da minha idade; inclusive, estudamos juntos  na faculdade. Nossa relação é ótima em todos os aspectos e estamos muito felizes. Há um detalhe. Quando não estávamos juntos, mas mantínhamos contato como amigos, ela me contou sobre uma noite que teve, casualmente, com um rapaz. À época, isso passou despercebido, porém, ultimamente, isso vem me assombrando. Eu já procurei por todos os motivos, mas não consigo encontrar alguma explicação plausível para tamanho incômodo com o assunto. Já conversamos sobre o fato, mas o assunto volta e meia aparece. Causa-me mal-estar e a ela, tristeza. Quis saber tudo, mas o que ela contou não me convenceu. Afinal, do que eu queria ser convencido?
O que eu quero de você, pedindo perdão por talvez destoar da linha mestra de seu blog, é que me elucide nisso: eu estou, com esse incômodo sobre esse caso (querendo saber, perguntando, etc), violentando-a de alguma forma? Estou, sem que eu perceba isso, reproduzindo algum sentimento machista autoritário? Eu não quero feri-la de modo algum, pois a amo muito. Quero saber se esse assunto pode violá-la como mulher de uma forma que, minha obstinação em resolver esse fato, não me deixa enxergar.
A priori, eximo-me da culpa, pois, como dizia Hegel: "A coruja de Minerva só levanta voo ao entardecer".
Agradeço desde já sua paciência e atenção.

Minha resposta: F querido, a frase-chave do seu email é a pergunta que você fez: "do que eu queria ser convencido?". Seria interessante ver você respondendo sua própria pergunta.
Desculpe, F, mas na minha opinião só os homens muito inseguros ficam obcecados pelo passado sexual de uma mulher. O que importa com quem ou quanto ou em que posição alguém transou antes de namorar com você? No que a experiência sexual (ou falta de) afeta o caráter da pessoa? Lógico, não estou falando de alguém que cometeu um crime. Se eu descobrisse que um namorado estuprou alguém, eu bem provavelmente não iria querer mais nada com ele. Mas a gente tá falando de sexo consensual, não de violência.
Sexo não tira pedaço, não gasta. Quem pensa que a vagina (ou o ânus) de uma mulher se alarga com a experiência sexual só demonstra não entender absolutamente nada de anatomia. Chamar uma garota de arrombada ou de rodada merece um carimbo automático de "Escrotossauro Machista" na testa. Você não chegou nem perto de fazer isso, mas tá cheio de homem que pensa que transar "gasta" a vagina. E o pênis, não gasta não? Não, não gasta. Nem a vagina. Legal, né? Lavou, tá nova.
Tão estúpido quanto esses adjetivos sem sentido (afinal, é tão "rodada" a mulher que transa todo dia com o mesmo cara quanto a mulher que transa cada dia com um) é o pensamento da psicologia evolucionista de que o homem está biologicamente programado pra só querer mulher virgem, porque assim ele garante que a prole carrega seus genes. É o argumento de que o homem não pode evitar ser ciumento e possessivo, tadinho. Eu não acredito nesse determinismo. E acho que controlar a sexualidade feminina está infinitamente mais ligado a uma questão cultural que biológica. Vamos parar de culpar nossos antepassados cavernosos pela nossa estupidez do dia a dia!
Então. Você conta que, quando vocês não namoravam, ela fez sexo casual com alguém. O que te incomoda tanto? A comparação? Que ela tenha feito sexo casual? Na cabeça de muita gente, mulher só faz sexo quando está perdidamente apaixonada. Claro que isso é balela e depende da mulher. Mas, né, convenhamos, não há problema algum em transar sem compromisso. A menos que você creia nesses dogmas religiosos de que só os casados podem fazer sexo, e só para fins reprodutivos. Duvido que você pense assim.
Talvez o problema é que você já estava interessado nela antes, e ela preferiu ter outro amante naquela ocasião. Bom, tem uma penca de razões pelas quais a gente muda de ideia. Vocês eram só amigos. Você considera aquela experiência dela uma "traição"? Por que ela te devia algum tipo de "fidelidade" quando vocês nem ao menos namoravam?
Mas aí você faz algumas perguntas que demonstram que você se preocupa com a sua amada. Vou ser direta: sim, meu caro, você está reproduzindo sentimentos machistas autoritários ao se obcecar pelo passado sexual da sua namorada. Não gosto de usar palavras fortes como violentar para algo que não seja estupro, mas você sem dúvida está ferindo quem você ama com tantas cobranças e suspeitas. Dependendo do seu comportamento ao vasculhar o passado dela, eu já teria terminado o namoro, se fosse ela. Porque, se você já é ciumento assim com o passado, o que dizer de como você reagirá diante da mínima suspeita no presente ou no futuro? Não é sua intenção, claro, mas você está se revelando um cara perigoso e bizarro (tô pensando em creep). Você mesmo diz que sua insistência causa tristeza a ela. 
Por que continuar com um comportamento desses, que só atrapalha o relacionamento de vocês? Estou muito beatlemaníaca ultimamente, então lembrei de You're gonna lose that girl. Onde você quer chegar com esses questionamentos? O que você quer "resolver"? Você quer que ela se ajoelhe aos seus pés lamentando o seu passado e peça clemência por todas as bocas que já beijou? Uma pessoa com amor próprio não faria isso. Eu me arrependo de um ou outro carinha com quem fiquei na juventude, mas me arrependo por mim, não pelo marido que eu nem conhecia na época. É totalmente sem sentido cobrar fidelidade retroativa!
Viva o presente. É clichê, eu sei, mas sua atitude também é. Não seja um clichê machista ambulante!

116 comentários:

Tales Gubes disse...

Eu acho incrível como após anos estudando sexualidade e pensando na liberdade dos sujeitos fazerem o que quiserem, eu ainda me pego remoendo o passado sexual dos meus afetos.

Para mim é muito claro que se trata de insegurança. Medo mesmo de ser comparado com alguém que transa melhor, bobagens assim. Sempre que posso e percebo, me controlo, repenso, comento essa insegurança.

Acho que a liberdade de poder conversar com a pessoa que se gosta é uma base importante para se libertar (ou, ao menos, confrontar) esses sentimentos...

Teresa disse...

F., amigo, procure um bom psicólogo. Sua questão me parece ter ligação mais com suas vivências singulares do que necessariamente com a sociedade machista. Às vezes essa preocupação toda tem a ver com experiências passadas suas, que vc nem imagina. Vá investigar e viver bem com sua namorada!

isa disse...

F., vem cá e senta aqui, vamos conversar.
Eu não acho que você esteja sendo um machista por se incomodar com o passado sexual da namorada porque uma mulher também pode se incomodar com o passado sexual do parceiro sem ser... (machista/ feminista?) Enfim, é uma questão mais profunda.
Eu já me peguei várias vezes remoendo o passado do meu parceiro, torturando-o para que ele me confessasse... o quê?
Já estive na mesma situação que você: queria saber o passado do meu companheiro por puro masoquismo. De que adianta saber detalhes do sexo dele com outra, o que ele sentiu, como ela era?
Isso me pareceu, no meu caso, algum tipo de voyeurismo que eu não queria admitir. Sério! Descobri que eu fantasiava com meu parceiro fazendo sexo com outra e que isso me excitava! Só que, claro, eu não admitia que queria ter essa excitação e logo me sentia mal por isso.
Ele também se sentia mal, se sentia violentado, sabia que não podia me contar tudo porque quanto "mais" eu soubesse mais minha loucura seria alimentada. Detalhes pediriam detalhes, e, de verdade, a gente não se lembra de detalhes no sexo. Se outra pessoa pede esses detalhes, aí é que a gente tenta lembrar.
Esse "mais" que eu queria que ele me contasse podia ser bem pouco, sabe?
No caso da sua namorada, um dia talvez você entenda que ela não tenha tido sequer um sexo bom com esse outro cara. A maior parte das transas de todo mundo não é lá essas coisas, vamos admitir. E, mesmo um bom sexo pode ser bom só uma vez e a gente sabe disso sem precisar querer de novo.
Se você não falar mais do passado dela, talvez ela nem se lembre mais que um dia ficou com esse outro cara. Você é que fica ressuscitando a memória dela.
Acho que o namoro de vocês é tão bom que você não quer admitir e procura se torturar com coisas vãs. Não se torture, não torture sua namorada.
Sinta-se amado, sinta-se querido. Você merece. Aliás, tem até alguém que gosta muito de você (ela).
Pare de sofrer com o passado dela e deixe que o tempo de vocês conte a partir de agora, e não a partir de um passado que é mais inventado (porque as lembranças são imperfeitas) do que real.
Se você, contudo, continuar pensando nisso, pergunte-se se você não quer um motivo para terminar o namoro e este lhe parece o mais forte. Terminando ou não o namoro, desejo que vocês sejam felizes.

Maria Valéria disse...

Que me desculpe o autor da mensagem, mas tenho NOJO de homem que faz esse tipo de coisa...fica enchendo o saco pra saber o que fiz no passado, e se conto, fica se remoendo todo e cheio de insegurança,

Meu conselho ao autor: nada pessoal contra vc( nem te conheco) mas para de por minhoca na cabeça e curte o presente.pare de tratar o passado sexual da sua namorada como se fosse um antecedente criminal.
Ou vc faz isso, ou vc vai perder sua namorada, porque paciencia e tolerância pra enchecao de saco por minhocas desnecessárias tem limite.Eu ja perdi a paciencia com meu ultimo ex- Blargghhh - namorado( ??) por coisas assim, e quando terminei, por nao agüentar coisas desse tipo, ele se relevou a pior pessoa do mundo,

Entao desculpa ai, nada pessoal, mas tenho trauma de gente assim,
Se vc nao consegue tirar isso da sua cabeça, procura uma terapia, e atenção: sua namorada NAO E sua psicóloga!!! Nao tente fazer isso, ou ela nao vai agüentar.
Palavra de quem ja passou por isso,

Ps: o fato de vc reconhecer que tem algo estranho e procurar ajuda, pedir a opinião da Lola,ja mostra que vc consegue passar por cima disso,
Bjs

Sara disse...

Onde eu assino Lola???

Tales Gubes disse...

E acabei me dar conta de uma coisa, refletindo sobre o que comentei antes... acho que não é só insegurança, mas também um desejo louco de ser DONO do outro (ou, no caso, da outra). Não dono de botar coleirinha, mas de saber que ele ou ela são TEUS e DE MAIS NINGUÉM.


=/

Anônimo disse...

Quando comecei a namorar o meu atual marido tb tinha ciúmes do passado dele, apesar de ele não ter tido muitas experiências com outras mulheres. Hoje já não sinto ciúmes disso e nem incomodo ele sobre esse assunto. Acho que toda esse meu ciúme nada mais foi do que insegurança minha. Principalmente pq eu só namorei e transei com ele. Antes eu tivesse algum passado sexual, pois hoje morro de curiosidade em me relacionar e transar com outros homens, mesmo amando e querendo estar com o meu marido.

Anônimo disse...

Você so esta seguindo sua natureza, elas querem que você reprima sua natureza masculina, para o bem estar do fetiche delas! Se isto o esta incomodando, e de forma natural, quer dizer algo não ?

Mazinha disse...

Querido guest-poster,

Seu atual relacionamento está prejudicado pela bobagem que ela fez de ter sido sincera com você e lhe contado o incidente casual. Azar o seu. Para o seu próprio bem e para o bem dela, move on. Bola pra frente, tem muitas garotas por aí de quem você não pensa mal. Sim, porque o mal está TODO na sua cabeça e não vai sair facilmente não. Vai avançar relação adentro, vai infernizar seu casamento, e um dia vai ser a causa do seu divórcio.

Anônimo disse...

As feministas em geral pensam que a valorização da castidade feminina é uma forma de
controle da mulher, um rebaixamento da mulher e por último, a negação do desejo
feminino e da autonomia feminina. Ou seja, o homem que valoriza mulheres que se preservam sexualmente, seria incapaz
de suportar a liberdade sexual feminina. então, ele usaria essa valorização como uma
forma de opressão e controle.
essa explicação é limitada. O homem pode ser criado num país 100% liberal, promíscuo
e secular, que mesmo assim ele continuará valorizando as mulheres castas. A questão
não é cultural, nem moral, a questão é filosófica. a pessoa que quer entender essa
questão tem que ser capaz de entender a natureza do homem, a valorização da
castidade só pode ser compreendida a partir da natureza do homem. Talvez a terapia
genética encontre os genes responsáveis por essa valorização. Essa tese geneticista
está muito mais próxima da verdade do que a tese relativista e historicista.

Anônimo disse...

A mulher sempre foi idealizada de um ponto de vista sexual,porém, o amor dos homens
sempre teve um componente moral forte. e por isso que os poetas sempre valorizaram a
pureza e a castidade feminina. Os românticos não sonhavam com garotas de programa,
mas sim com donzelas castas de famílias tradicionais. mesmo os poetas que amavam mulheres
comprometidas, eles valorizavam mulheres que eram tradicionais, de vlores nobres.
Ou seja, a mulher casada tinha um status respeitável. Ela não era uma promíscua. a
mulher só tinha relação sexual com o marido dela.

Anônimo disse...

11,38, quer dizer sim: perdeu, amigão! A Lola está meio certa. Ele não vai perder a garota, já perdeu.

Woman Once a Bird disse...

O que me ri com o comentário do anónimo das 11.38. Faz lembrar os machões que aos saltinhos gritam «agarrem-me senão vou-me a ele/ela.» E ninguém os agarra e a fúria não sai do fundo da garganta...

Anônimo disse...

Esqueçam feministas, o homem jamais vai premiar a promiscuidade feminina, não esta em nossa natureza.

Anônimo disse...

Passo por algo parecido com minha namorada. Ela fica investigando meu passado, com minha irmã, mãe, amigos...

Eu acho que o que assombra pessoas assim (incluindo o cara do post, é claro) é o simples fato de acreditar que parceira pensa no ex ou em outra pessoa na hora do sexo.

Cada momento é um momento. Aquilo aconteceu... Já se foi...

Bola pra frente!

Kenny Guilherme disse...

Infelizmente, é normal sentirmos ciúmes do passado da(o) parceira(o). Acho que com os homens é mais frequente. Obviamente porque, por mais que a gnt tente se libertar do machismo, crescemos ouvindo coisas machistas, vivemos numa sociedade machista. Conscientemente até podemos achar a maior besteira do mundo se preocupar com o passado da parceira, mas inconscientemente nos incomodamos. Eu sinto ciúmes do passado da minha namorada, mas nunca fui de ficar especulando (vontade não falta às vezes, mas seria invasivo). O que eu sei do passado dela e ela do meu, falamos espontaneamente um para o outro.

Anônimo disse...

You're gonna lose that girl

If you don't treat her right my friend,
You're going to find her gone.
'Cos I will treat her right and then
You'll be the lonely one.
You're going to lose that girl,
You're going to lose that girl.


http://www.youtube.com/watch?v=SHjOxWdT8es


hahaha, better luck next time!

Carlos disse...

O problema não é o fato de ela ter feito sexo casual em si e sim pelo fato que mulheres quando fazem sexo casual se soltam mais e quando estão num "relacionamento" é bem arroz com feijão.

Mulheres no sexo casual = 1001 sacanagens; no sexo em algum "relacionamento sério" = bem mais ou menos.

Esta mulher só está contigo pois é conveniente a ela, quando a mulher gosta de algum homem é logo de cara e não tem essa de "com tempo" cria afinidades.

Se ela te colocou como "amigo" no começo foi porque ela acha que tu é menos que ela acha que merece.

Anônimo disse...

Se continuar pentelhando a moça desse jeito,espero que vc seja presentado com um belo PÉ NA BUNDA.


Cética

Huan Icaro Piran disse...

Tendo a crer que seja puro medo do comparativo. Eu sei pois também tenho esse medo, é uma fonte de insegurança. Quando o sinto, tento me policiar e me esforçar ainda mais para tornar o momento especial. Não posso ter certeza que serei a pessoa mais inesquecível (no bom sentido) da vida dela, mas posso fazer o possível e ter certeza de que tentei.
Não se martirize por ela estar sofrendo agora, tente apenas mudar, não somos perfeitos, mas não vamos insistir nos erros ;D

Anônimo disse...

11:54, da mesma forma, as mulheres românticas de outrora não sonhavam com perdedores, com cachaceiros barrigudos ou um calhorda filho de um cruz credo qualquer. Elas sonhavam com nada menos do que um legítimo príncipe, vindo de um reino distante, com muitos vassalos e uma riqueza infinita, dono de uma beleza apolínea, incapaz de dar um peido ou ter um hálito menos que celestial, tá ligado?

Arlindo

Anônimo disse...

Kenny, você tem um jeitinho John Lennon. Vê lá se não vai deixar sua Yoko Ono escapar, hein?

Carol M disse...

Acho incrível como que, mesmo a humanidade tendo surgido como espécie há 100 mil anos, os cretinos gostam de carimbar como biológicas e como "sempre" comportamentos que apareceram há cerca de 5000 anos só. Vai estudar minha gente.

E F., ou vc pára de neurose ou vc vai ser merecedor de um pé na bunda. Como diz a maravilhosa Regina Navarro Lins: vc se sente amado? se sente desejado e apreciado? se sim bola p frente que é isso que interessa.

toutjour disse...

como uma imagem vale 1000 palavras, a primeira imagem, mostra bem ao machista quem é machista mesmo, é o argumento feminino que equivale ao 'arrombada' mencionado no post. F., não deixe que essa semente que plantaram em voçê [...ela contou...] cresça, germine e se transforme numa planta carnivora que vai te devorar a ti e tudo o que te rodeia e tudo o que tu toques. e isso de voçê perder a rapariga... mulheres não são coisa para ter e possuir, são seres humanos com qualidades e defeitos. não procures onde não deves, vais encontrar o que não queres.

Anônimo disse...

Acho um pouco complicado essa estória de se tentar enquadrar sentimentos dentro de padrões de comportamento preconizados por ideologias. Não é porque o sujeito se sentiu incomodado com o passado sexual da moça que ele é um machista jurássico ou um ser pérfido e emocionalmente débil ou inseguro. Esse tipo de coisa é muito comum. Será que uma pessoa, para ser psicologicamente saudável, nunca deve sentir inseguranças, ciúmes ou algo desse naipe? É importante reconhecer que às vezes nos sentimos vulneráveis e trabalhar tais emoções de modo a não apenas nos harmonizarmos com as mesmas, mas também aceitá-las para então apaziguá-las.

Uma coisa que minha mãe me disse uma vez, em uma situação de natureza diferente, foi: "Nada do que você está sentido é ERRADO; sentimentos são sentimentos, e não podem ser controlados pela razão. Apenas tome cuidado para não tomar decisões estúpidas, pois você decide é com a lógica."

Sonia disse...

Anônimos e afins que estão com trocentas mil postagens dizendo que "esse é o jeito natural do homem, isso não tem como controlar" e suas variações: como vocês explicam o relato de várias MULHERES, aqui nos comentários mesmo, que contam ter problemas com sentimentos extremamente parecidos com o relatado?

Shey disse...

Acho que é uma boa verem esse vídeo:

Relacionamento aberto: respeito não faz mal a ninguém
http://www.youtube.com/watch?v=HF1vX3n93ns

Embora não seja RA em pauta, é interessante os comentários do cara sobre os "efeitos colaterais" do RA e que poderia servir de reflexão mesmo para quem é monogâmico.

Anônimo disse...

É por causa de sentimentos como esse que esses homens inseguros tem que as mulheres mentem. Eu mesma menti. Machistinhas, não achem que a sua mulher é pura, ela apenas mentiu pra não ser amolada por idiotas como vc!

;P

Brincadeirinha! Meu namorado sabe que ele não foi o primeiro, nem o segundo e etc... e não tá nem ai!

Luiza disse...

F., para de bobagem.

Ela fica te enchendo pra saber do seu passado? Ou você acha que o seu passado é problema seu? Da mesma forma, o passado dela é problema dela.

Se você acha que não dá, você vai continuar com esse papo, então termina com ela e deixe-a ser feliz.

Essas motivações são machistas e misóginas, sim, porque parte do princípio que mulher é mercadoria e pode ser "estragada", além de não poder exigir o mesmo do cara.

Bruno S disse...

Embora seja muito comum essa paranoia que as pessoas tem com o que os outros fizeram antes, acho que é algo que só faz mal aos dois. É algo ligado a uma cultura de propriedade em relação ao parceiro (mais forte do homem para a mulher, mas muitas vezes é recíproca).

Acho que é um risco desnecessário perguntar demais. Uma resposta sincera demais pode aumentar bastante a insegurança.

Se a pessoa é ex, ou se foi só um caso, geralmente há um bom motivo para isso, para essa pessoa ter ficado no passado. Acho que é mais importante se preocupar não com quem veio antes, mas com quem poderá vir depois de você.

Essa paranoia com o que a pessoa fez antes, sempre me lembra o filme "Procura-se Amy. O cara entra em parafuso e perde a mulher que gosta por não saber lidar com o passado agitado da mulher que ama.

Lola, o título desse post lembra uma brincadeira que tem feito suceso no facebook. http://g1.globo.com/musica/noticia/2012/11/publicitario-faz-sucesso-com-perfil-ficticio-joao-lennon-no-facebook.html

aiaiai disse...

cara, rindo muito com o comentário do carlos. Esse realmente entende tudo de mulher. Parabéns querido!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

E F., desencana e aproveita o amor que parece ser mútuo. Se ela aguentou até agora, é porque gosta de vc. Eu já teria desistido de você.

Anônimo disse...

PARA INSEGURO Anônimo das 11:50
Aí que vc se engana meu caro e estúpido comentarista.
Antigamente as moças se "preservavam"(que termo ridículo) porque queriam homens semi-virgens, ricos, lindos, enfim, verdadeiros príncipes.
Claro que a valorização da castidade feminina é forma de controle da sexualidade da mulher.
O homem ser criado em um país 100% "liberal", promíscuo e secular só REFORÇA o argumento machista de que homem pode(no linguajar machista) COMER várias mulheres mas se ver na obrigação de casar com uma mulher virgem pra poder "controlá-la achando que casando com uma virgem ela não irá trai-lo e irá lhe dar um legítimo
herdeiro varão. kkkkkkkk
Quanto mimimi e viadagem destes machistas como vc!!!!
Conheço INÚMERAS garotas que tiveram alguns namorados durante sua vida e foram fiéis aos maridos(uma delas era até atriz pornô) e conheço INÚMERAS mulheres que casaram "virgem" e CORNEARAM a torto e a direito seus maridos.
Outra MUITAS "virgens" tanto de antigamente quanto de hoje em dia fizeram e fazem SEXO ORAL E ANAL com seus namoradinhos respectivos e depois casam "virgem"(do buraco da frente,kkk) com babacões como vc.
A natureza do homem é encontrar uma mulher que ele tenha atração e tb afinidades sexuais.
Não acho que mulheres devam ser promíscuas assim como também acho que homens TAMBÉM não devem ser promíscuos.
Tive poucos namorados, mas, já conheci babacas misóginos como vc que eram mulherengos, galinhas, infiéis, mas achavam que eu tinha que se ruma "princesinha".
Até que achei um homem de verdade, másculo, gentil que não teve muitas mulheres e é um marido maravilhoso.
Se vocês homens não gostam d emulheres promíscuas nós mulheres(pelo menos as inteligentes, independentes que não se humilham a homem nenhum) DETESTAMOS homens promíscuos e metido a fodões. Este tipo é o que há de mais OTÁRIO e CORNO neste mundo,kkkk!
Tenha certeza, Kaká é muito mais MACHO que ESCROTOS MACHISTAS como Renato Gaúcho, Romário entre outros escrotassauros que estão agora pagando a língua por terem filhas mulheres,kkkk.
Não acho que mulher deva ou não ser casta, isto é de fundo pessoal, assim como tb acredito que é de fundo pessoal o homem ser ou não casto.
A tal "valorização da castidade SOMENTE feminina" é algo cultural, machista e patriarcal imposto para homens de mente vazia como vc.
Mas, para exigir TANTO das mulheres, talvez você goste é de MACHOS isso sim!


Sawl

Dayane disse...

Acho que a questão aqui não é necessariamente o passado sexual da garota, F. No meu entender, vc está preocupado com um caso específico que ela teve, não com todos os caras que ela pode ter se envolvido sexualmente.
Isso a meu ver está ligao ,na verdade, ao ciúme.
Vc se certa forma está inseguro com esse caso que ela teve. Acho que cm vc já gostava dela na epoca, ficou meio "mas se ela tbm estava meio a fim de mim, pq se envolveu com esse cara?", acho que é uma pulga atrás da orelha muito mais sentimental do que sexual. Eu não acho que vc seja machista, nem que esetja sentindo isso por ser machista. Mas por gostar da garota e estar enciumado.
Eu sou assim com meu namorado.Ele já teve muitos outros casos, mas um em específico volta e meia fica batendo na minha cabeça, pq sei que ele gsoatava da garota, que ela foi importante pra ele.

Angélica disse...

Nossa.
F., vou te contar um breve relato:
No começo de setembro conheci um cara muito legal. Ficamos, fizemos sexo na primeira noite, ele dormiu na minha casa, e por ele morar em outra cidade, passou a me visitar nos finais de semana e eu a ele. Mantivemos esse relacionamento até a semana passada.
Terminei porque ele passou a me perguntar, sempre, coisas sobre ex namorados, sexo com outros homens, ou chegar ao absurdo de me perguntar porque eu gostava de ir trabalhar bonita.
Infelizmente, para uma pessoa com a minha mentalidade, esse tipo de homem é tudo aquilo que eu não quero.
O caso durou pouco mais de dois meses, mas foi suficiente para que eu entendesse:
1. existem homens interessantes que não querem saber quantos homens já tive ou terei, mas algo sobre o meu caráter;
2. eu estava numa fase carente e insegura, e permiti o deslize de manter qualquer coisa com esse cidadão depois de ele questionar coisas absurdas e machistas.

Cuidado, you're gonna lose that girl...

Dayane disse...

O que eu acho que vc deve analisar, F, é pq vc se sente tão inseguro com essa história???Vc diz que o namoro de vcs é bom, que estão felizes e que se amam. Vc acha que se o caso que ela teve fosse significativo, ela estaria com vc?
Vc tbm não teve casos antes, até mesmo casos, transas que maracaram sua vida, foram exeperiências boas ou ruins? E aí, vc fica imaginando eles, fantasiando, ou se foca nesse seu novo amor?Com ela é a mesma coisa!
Se ela estivesse insatisfeita com vc, não estaria mais com vc.
E olha, eu sei cm é chato isso.A gente não quer sentir esse tipo de sentimento, sou ciumenta tbm, sei cm isso tbm nos tortura. Não é fácil cm as pessoas dizem. Procure fazer terapia, se auto-analisar e tentar reconstruir sua auto-imagem, sua auto-estima.

Verô! disse...

Não podemos nunca esquecer que antes de qualquer coisa somos seres humanos que no seu estado mais elementar são egoístas: crianças de tenra idade não dividem brinquedo, têm ciúmes das mães e não conseguem manter uma conversa com outras crianças, as regras da sociabilidade são construídas com o amadurecimento, a educação, a formação no sentido mais profundo da Bildung.

O que quero dizer com isso é que não devemos nos martirizar pelo sentimento do ciúme, mas quando tomamos consciência dele e de suas consequências já demos o primeiro passo para controlá-lo. A autoconsciência da Razão é liberdade, remetendo mal e porcamente ao Hegel já citado.

De todo modo acho muito reducionista afirmar que ciúme é fruto do machismo, pode ser em algumas de suas manifestações, mas eu acho que é um sentimento muito mais complexo e primitivo, mesmo que tomemos consciência dos significados do ciúme para nós e os outros, não o superamos. É um sentimento com o qual brigaremos a vida toda. E falo de homens e mulheres.

Não vamos tratar machismo como um conceito "bombril" com mil e uma utilidades e que explica tudo, né gente? Não estou dizendo que o machismo é desimportante, mas ele não é a causa primeira de todas as coisas, não deve ser banalizado desse jeito.

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Bem, primeiro....
Vamos esquecer um pouco a "supercivilidade", tu não estás sendo "machista opressor" por ter meia dúzia de neuras. Já começa parando de querer pôr rótulo sociológico em tudo.

Segundo... Por alguma razão tu te perturbas com a experiência dela. Mas sabes que não é com ela, mas sim com a experiência.
Qual será a causa? Descobrir seria um bom início para se livrar disso.
Caso tenhas sofrido de celibato involuntário, isso pode ser um certo "complexo de inferioridade", por outro lado, caso tenha sido criado em uma sociedade conservadora(interior e talz), pode ser apenas alguns pensamentos automáticos.
Enfim, um bom início seria tu ser sincero contigo mesmo e descobrir a REAL causa de teu tormento, e tu não vais conseguir fazer isso usando chavões marxistas.

Entre as causas que eu teorizei. A primeira(complexo de inferioridade) de longe não é machismo, pode ser algum triggering de tristezas e frustrações passadas com insucesso social(que nada tem a ver com machismo x feminismo), se for o caso, desabafar com ela sobre ISSO seria uma boa, afinal, namoradadas também servem para cuidar de nossos trauminhas! ^__^
Se for o segundo, é apenas condicionamento, tenta não pensar nisso e forçar pensamento contrário que logo as vias de pensamento automático se desfazem.

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Gente, sério, a uns meses venho com um projeto solo de ajudar proto-mascus a saírem desse caminho, com um relativo sucesso(já teve gente me mandando e-mail só para agradecer ^__^ ), e o que eu percebi é que a GRANDE MAIORIA do pessoal que tem cisma com mulher experiente, tem é um complexo inferioridade por ela ter tido sucesso em suas investidas e ele ter tido muitas falhas.

André disse...

Luiza,
Sentimento de posse não é necessariamente misoginia ou machismo. Mulheres também podem ser possessivas.

Anônimo disse...

Lola, não seja tão dura com o garoto. Ele está se policiando, ele está preocupado com seu comportamento. Essa aflição "comparativa" acontece mesmo e não é evolucionista, é algo que a gente aprende que é e pronto. E não é tão fácil mudar. Certo, ele está desgastando o relacionamento ao insistir no tema, e deveria desencanar porque, ora essa, ela está com ELE e não com o outro cara, mas cuidado com suas palavras, porque você pode fazê-lo sentir o cocô do cavalo do bandido. E ele não é. Ele reconheceu um problema e quer resolver.

F., fique tranquilo, mas desencane. Se ela quisesse estar com o outro cara, ela ESTARIA com ele, e não com você. Ela quer você, independente de quem ela tenha dormido antes... e você a quer, mesmo que tenha tido outras na cama. Aproveite seu namoro, e não crie caso com um passado que você não pertenceu.

Anônimo disse...

Pelo que entendi, a preocupação é com a intensidade do orgasmo. com quem ela gozou mais. ela saiu de si com o outro esqueceu o nome e o rumo de casa e transou tanto que ficou com as pernas bambas depois. é a antiga diferença entre "fazer amor" e "praticar sacanagem". no pesadelo do maridão enciumado, com ele ela tem é o prazer regulado, utilitarista. Parece que to lendo As Noites na Taverna, romantismo com mal de século tá na moda e a ordem careta venceu a batalha, apesar das aparências em contrário.

Radhra disse...

Antes de eu e meu marido namorarmos, quando éramos ainda só amigos, eu fiquei com um cara e hoje, mesmo depois de 10 anos de relação ele ainda se sente enciumado e triste quanto a isso. Segundo ele, ele já gostava de mim e eu "deveria saber disso". Geralmente eu retruco que eu não devia nada a ele e que fiz muito bem o que quis da minha vida, goste ele ou não. E ficamos assim, eu com minha posição e ele com a birra dele, mas sem me encher o saco.

Cá pra mim eu interpreto que isso tá incluído no grande pacote de Entitlement masculino (que eu prefiro chamar de "Mimo") que a sociedade dá de presente quando eles nascem. Na cabeça dele, por ele me querer eu já pertencia a ele e ponto, e apesar de ele saber racionalmente que isso não faz sentido o "mimo" cultivado e trabalhado desde criancinha fez com que um sentimento de mágoa muito grande crescesse quando a realidade não correspondeu.

Fato é, eu nunca tive problema em me posicionar, oras não é culpa dele se ele se sente triste por alguma coisa, mas o mimo dele não é problema meu. Que ele tenha a opinião dele desde que não me encha o saco, denigra nem questione por isso, tudo bem. Já no caso do F., ao que parece, a situação vai além e sim colega, um dia ela vai se encher disso, ninguém tem que dar satisfação do que fez na vida quando não tinha compromisso com você.

Essa posse disfarçada de curiosidade pode minar um relacionalmente aos poucos ou, na melhor das hipóteses, ela pode acabar dando de ombros como eu e vc vai ficar sofrendo com uma obsessão sozinho.

MCarolina disse...

Eu não isso mais insegurança que machismo.
É bom o fato de você perceber que isso não faz sentido, mas mais importante ainda é parar de atormentar. Ele deve ser muito paciente para estar aguentando tanto ciúme sem sentido. Acredite, isso é chato, MUITO chato, e faz você parar de gostar da pessoa com o tempo.

Blanka da Real disse...

"F", siga seu instinto. Se você quer vasculhar o passado, faça isso. Seja um homem honrado! Não caia nessa conversa, promiscuidade não é qualidade!

Anônimo disse...

Pior que alguém que fica querendo saber do passado é alguém que fica escondendo.

Como homem, acho que a explicação mais fácil para o caso do F, é que ele foi preterido por outro. Não é que ele exigia fidelidade da menina, e sim de ela estar com ele porque é o que sobrou.

Ninguém quer ser a segunda opção e nem deveria aceitar. Ele também não conta o que ouviu, então os temores podem ser relacionados a comparação com o anterior.

Agora, se a namorada dele não pode ter uma conversa franca e ele se incomoda tanto acho melhor terminar também.

No final das contas essa insegurança só vai afastar ela dele.

Anônimo disse...

Luiza,

pq a mulher não pode exigir o mesmo do homem? Uai, se uma mulher se sente da mesma forma que exija saber do passado.

E com DSTs correndo por aí, qualquer ser humano pode chegar "estragado" na sua mão.

CSM disse...

Acho que é uma boa procurar alguma ajuda psicológica. Não tem pq insistir numa situação que faz os dois sofrerem.

Anônimo disse...

"Desculpe, F, mas na minha opinião só os homens muito inseguros ficam obcecados pelo passado sexual de uma mulher."

- Não é questão de inseguros e de ser "obcecado" pelo "passado sexual de uma mulher". É que uma mulher promíscua não é confiante para um contrato de casamento monogâmico. É como um investidor apostar num fundo de investimento de um notório vigarista como o Madoff. Que confiança ele tem? As relações funcionam da mesma maneira, como confiar na fidelidade de uma mulher promíscua?

Priscila Boltão disse...

[off topic]
Só passando pra dizer pra galere ler o texto do Alex no papo de homem que achei demais.

"Fazer rir é relativamente fácil. Difícil é fazer rir sem ser babaca."

http://papodehomem.com.br/carta-aberta-aos-humoristas-do-brasil/

Liana hc disse...

F. isso me parece insegurança. Não acho que tenha a ver com ela, mas sim com você e seja lá com que você precisa lidar internamente, e que por algum motivo se manifestou nesse momento, dessa maneira, com cobranças e machismos. E parece que você já sabe a resposta para a sua pergunta. Me parece também que você deu muita importância a parte do "ferir", "magoar", "violentar", e menos a parte do "entender", "seguir a diante", "amadurecer". Acho que há aí algo a ser trabalhado também. Ou não, vai saber. Isso é só um email rsrs, não um relato pormenorizado de toda a sua vida, e mesmo assim seria problemático. Conclusões apressadas podem estar sendo tiradas aqui.

E à propósito, se sua namorada estiver com a autoestima dela em dia, ela não vai ser ferida, nem magoada, nem violentada pelas suas opiniões tacanhas, a menos que ela se permita isso. No máximo vai ter pena de você. Ou nem isso.

Seus problemas nada tem a ver com ela, então aconselho a não tentar resolvê-los com ela (pois me parece que não foi esse o papel que ela assumiu no relacionamento de vocês), mas sim no consultório de um psicólogo ou em qualquer outro lugar que te permita lidar com isso de maneira responsável e madura. Conversar com nossxs companheirxs sobre o que estamos passando e sentindo é bacana e coisa e tal, mas acho que para tudo há um limite. Não temos que despejar tudo em cima deles. Esses são os meus dois tostões.

Anônimo disse...

Ciúme não é um sentimento que vem sozinho. É sintoma de alguma outra coisa, normalmente de insegurança.
Como poliamorista, lidei muito com isso com os meus parceiros (e comigo mesma). Meu conselho é que você pare e pense de verdade em qual é a origem desse incômodo seu. Se é insegurança ou qualquer outra coisa.
Depois comunique isso pra ela, diretamente: "Descobri que pergunto tanto sobre isso por que me sinto 'X', entendo que 'Y' e gostaria da sua ajuda para resolver, pois não quero que isso seja um incômodo para nós.

Comunicação, sinceridade e maturidade emocional são as chaves para manter um relacionamento saudável.

Boa sorte. ^^

Anônimo disse...

Meu alerta de troll está piscando. A linguagem dele é meio caricata no começo da mensagem: "amparada por sua experiência na luta pela destituição desse domínio asqueroso e reacionário do pensamento patriarcal da nossa sociedade".

Ramilla disse...

Acho que esse garoto está se sentindo incomodado pq o machismo está tão preso no nosso subconsciente, que pequenas atitudes são resquícios dele. Eu mesma, que estou saindo da caverna (ou da Matrix), ainda tenho alguns pensamentos machistas. Creio que o problema não é ser machista, mas não trabalhar essa questão de uma forma sadia.

Vivi disse...

Eu acho que isso é um descompaso natural do que "entendemos em teoria" e "sentimos ou fazemos na prática".
A sociedade tem suas ideologias dominantes (capitalista/machista/racista), cabe a nós uma transformação não?

Se o autor sabe que não importa o passado sexual da namorada (porque isso faz parte do machismo/sentimento de propriedade), acho que pode ter várias reações:
1) se importar com isso e prejudicá-la, cobrar dela isso
2)sentimentalmente se incomodar com isso- mesmo sem querer- mas de maneira alguma dizer isso pra ela ou importunar com isso, pois vc SABE que isso faz parte do machismo e não é justo
3) realmente conseguir interiorizar que isso não tem nada a ver com o relacionamento de vcs não dar importância!

A meu ver , este cara está entre o 1) e 2) já que sabe EM TEORIA que isso não importa, mas não consegue se livrar de deixá-la triste com isso.

Acho compreensível (tod@s nós somos influenciados em alguma medida pela ideologia dominante), mas cabe a nós a transformação!
Espero que ele conssiga chegar ao 3) que mencionei!!
Força!

Mirella disse...

Assim.


Por um lado, acho que não faz muita importância se o que você está fazendo é "machista opressor etc". Se você sabe que isso a incomoda, se você se sente mal fazendo, por que insiste?
Nem tudo que um homem faz para encher o saco de uma mulher é machismo. Pode ser pura babaquice.
Então, na minha opinião, SIMPLESMENTE PARE.

Claro que é importante entender o porquê de você agir de maneira tão infantil e reprovável. Entender o que faz você se sentir assim. Mas, antes disso, é mais importante que você pare de agir assim. Se isso só faz todo mundo infeliz, para que insistir?

Honestamente, ciúme é um problema de pessoas, sejam mulheres ou homens, é comum. Tem gente que sente, tem gente que não sente. Por vivermos, geralmente, em relações monogâmicas e também por conta do sistema patriarcal.
Mas o ponto principal, para mim, é: por que continuar um comportamento que machuca sua namorada, que você ama? E que machuca você mesmo? Por que?
Como já sugeriam, acho que procurar um psicólogo pode ajudar demais a você aprender a lidar com isso.
Ciúme e insegurança, para mim, vem de uma combinação de fatores. Um deles é o machismo. Mesmo que não fosse, não deixaria de fazer você agir como um bobo.

Mirella disse...

Anon das 15:46


também to com um asterisco aqui nesse post. Mas, mesmo que seja troll, é absurdamente comum. Só ver os comments por aqui. É um troll que levanta discussão e debate. Não será um troll muito efetivo haha.

Como já aconteceu outra vez de suspeitarem de trollagem, e se for? Ui escrevi um relato de mentira e depois apareceram várias pessoas dizendo que sentem a mesma coisa e debateram a respeito?

Hehehe.

Anônimo disse...

Tenho 20 anos e namoro um cara de 25, nosso relacionamento é incrível, mas assim como F. eu não consigo ficar tranquila em relação ao passado sexual do meu namorado.. eu fico muito triste por me sentir assim, porque eu sei que não importa o que ele fazia ou deixava de fazer antes de começar a ficar comigo. Agora já estamos namorando há mais de um ano, mas antes eu não conseguia sossegar em relação a isso, queria saber tudo, e quanto mais eu sabia, mais eu ficava triste e se eu não perguntava, eu ficava aflita, só imaginando. Hoje, não sou totalmente tranquila em relação a isso, mas já me desapeguei bastante. O importante é perceber que não existe resposta que vai te deixar satisfeit@, é difícil lidar com as experiências que @ outr@ teve sem a gente, eu sei. Eu cansei de projetar as minhas inseguranças nele, principalmente as que tem a ver com a vida dele e não a minha, com o passado dele e não o meu. Se a gente não pode (nem deve) mudar a pessoa hoje, imagina querer mudar o passado dela.

Anônimo disse...

Nenhum homem merece nenhuma mulher.

Anônimo disse...

Eu me casei virgem e bem cedo, com um cara muito machista, mas depois de um bom tempo, senti falta das experiências q nunca havia vivido.
Tentei me separar para viver minha vida, mas meu marido machista nunca aceitou uma separação.
Então vivo minhas experiências secretamente e quando tenho vontade.
Acho uma estupidez sem tamanho q os homens tenham essa preocupação com o passado de suas companheiras.
Casar com uma virgem como eu fui no meu passado não garantiu minha fidelidade ao meu marido, muito menos meu amor por ele.

Anônimo disse...

Anon 15.30, meu comentário foi em especial p homens como vc.

Augusto disse...

Que menino pedante! Eu que não gostaria de namorar alguém com tanto artificialismo e objetivismo.

Sara disse...

Legal Raziel seu trabalho com esses mascus,e tb acho q vc tem uma certa razão na sua teoria.

Anônimo disse...

Acho a resposta da Lola (estruturalismo, machismo, história) e muitos comentários (genética, determinismo de gênero) preguiçosas.

Não acredito em pós feminismo, mas muitos já levantaram a bola de que esse "mal" atinge homens e mulheres nas mesmas proporções. Acredito que o ciúme do passado é uma questão muito ligada à história pessoal, e não somente aos condicionamentos externos.

Eu já tive e tenho sentimentos muito parecidos com o autor desse guest post. E desconfio seriamente que o motivo é uma espécie de inveja.

Eu comecei tarde com mulheres. Nada de mais, e até tive muitas experiências depois da "estréia", experiências que até me fazem sentir como um bom entendedor do assunto. Mesmo assim, eu não consigo me livrar da cisma de que toda mulher viveu e aproveitou muito mais do que eu. Eu sinto isso até com garotas mais novas que tiveram menos experiências, mas só por terem começado antes na vida delas provocam um certo ranço lá do fundo.

Não me sinto ameaçado no presente. Não busco comparações em relação à performance dos outros homens. Meu único problema é a mágoa dos tempos do "celibato involuntário" (termo hilário, exagerado e inadequado, hahaha).

O que acham? Já procuraram traduzir "ciúme de passado" para "inveja de passado"?

Dayane disse...

Bom, eu não vi aí um caso de possessão ligado ao machismo, nem achei que ele está preocupado se a garota é "rodada" ou não. Cm disse, parece muito mais uma dependência emocional, sentimental que MULHERES tem muito, aliás, tanto que tem o grupo de apoio MADA (Mulheres que amam de mais).
Machismo seria se ele ficasse pensando "será que ela gaozou?Com quantos mais ela ficou?Eu não fui o primeiro dela?". Parece mesmo, um ciúme com esse caso em específico, com esse cara q ela ficou, por causa do momento da vida.

André disse...

Concordo 100% com o que Verô! disse.

Camila Strongren disse...

Eu tenho o msm problema que o F.

Mas no meu caso, descobri que a melhor resolução é ficar sozinha até eu me resolver comigo mesma.

É importante estar bem consigo, só assim é possível ter uma relação construitiva

Anônimo disse...

Lola, preciso confessar uma coisa: também me sinto como o amigo que escreveu o guest post. Hoje, menos, mas no começo do meu relacionamento, me sentia muito assim. E era recíproco por parte do meu companheiro.

Posso dizer claramente que isto não está associado à machismo ou qualquer coisa opressora. Também não é insegurança. Acho que, como o Tales disse aí em cima,é um desejo da pessoa ser sua e de mais ninguém.


Fico com pena da pessoa que escreveu o guest post, pois já passei por isso e sei que é muito ruim. Tinha vontade de chorar, pois é algo que foge ao nosso controle...

Bom, eu procuro não pensar nisso. É claro que me incomoda o fato da pessoa que eu estou hoje já ter estado com outras. Sei lá, tem tanta gente condenando o cara aqui e, na verdade, nem sabem o quanto isso é ruim.

Mas, amigo, isso passa!! Acredite. Tente não pensar nisso, e só assim será feliz.

Abraços e boa sorte :)

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Ele diz que o que ela contou não lhe convenceu. Não entendi essa parte. Ele está achando que ela mentiu sobre algum detalhe ou está querendo que ela minta, que diga que gostava do cara, que a transa foi ruim, que na realidade nem chegaram a transar... enfim. Não entendi. E parece que nem ele consegue se entender.

Sabe, até certo ponto eu compreendo. Se você cresce com quase todo mundo te dizendo que as coisas são de um jeito, não é de se estranhar que algumas pessoas se sintam perdidas diante de outra realidade. Te disseram que mulheres só transavam por amor ou que mulheres não gostam do sexo pelo sexo ou que até gostam, mas que não podem admitir gostar.
Acho que só tem dois caminhos: ou você trabalha isso em você e continua com ela ou deixa de ficar com alguém que gosta por uma concepção machista idiota. A sociedade machista fica feliz, seus colegas machistas ficam felizes, só resta saber se você também fica, e parece que não.

No mais, acho que essa história de se ficar questionando demais o parceiro a respeito do que aconteceu em seu passado amoroso e/ou sexual nunca dá muito certo e não serve pra nada.
Uma coisa é saber porque o último namoro dele terminou, mas eu não gostaria que meu namorado me contasse em detalhes uma transa que teve com alguém. Creio que isso aconteça com a maioria das pessoas, homens ou mulheres. Ficar remexendo nessa história não vai resolver nada.

Anônimo disse...

Não sei porque essa guria resolveu contar isso prá ele!!!
Repartir experiência sexual?!
A mulherada precisa se acostumar que a vida é dela...só dela.

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Anon das 17:28

Aceite a seguinte imagem como resposta

http://media.tumblr.com/tumblr_mdilplk6r01rpxog6.png


Sara,

Obrigada! ^__^

Mirella disse...

15:30

pergunto a mesma coisa, como confiar num homem promíscuo?




#tenhadó

yulia2 disse...

Vcs sabiam que o contrário também existe???

ex: ele quer saber o passado dela...
e fica enchendo e atormentando com isso..

e tem o seu contrário, vc nem quer saber do passado da pessoa mas ela faz QUESTÃO de contar e várias e várias vezes para provocar ciúmes...
ou tentar provocar, enfim, o cumulo da infantilidade e da imbecilidade.
Fazem isso para tentar se valorizar ou depreciar o outro, isso também desgasta a relação e muito.
Tanto quem pergunta quanto quem responde sem ser perguntado tem sim problemas sérios de autoestima. precisam de tratamento.

Vato Loco disse...

Se importar com o passado da mulher não é machismo mas TERRITORIALISMO, está na nossa personalidade e movimento feminista algum vai mudar isso na gente, a não ser os fracos sem personalidade alguma.

Interessante que homem que se importa com o passado da mulher é machista, misógino, inseguro... mas a mulher pode se importar como passado do homem como a do comentário abaixo:

Anônimo disse...
PARA INSEGURO Anônimo das 11:50
Aí que vc se engana meu caro e estúpido comentarista.
Antigamente as moças se "preservavam"(que termo ridículo) porque queriam homens semi-virgens, ricos, lindos, enfim, verdadeiros príncipes.
Claro que a valorização da castidade feminina é forma de controle da sexualidade da mulher.
O homem ser criado em um país 100% "liberal", promíscuo e secular só REFORÇA o argumento machista de que homem pode(no linguajar machista) COMER várias mulheres mas se ver na obrigação de casar com uma mulher virgem pra poder "controlá-la achando que casando com uma virgem ela não irá trai-lo e irá lhe dar um legítimo
herdeiro varão. kkkkkkkk
Quanto mimimi e viadagem destes machistas como vc!!!!
Conheço INÚMERAS garotas que tiveram alguns namorados durante sua vida e foram fiéis aos maridos(uma delas era até atriz pornô) e conheço INÚMERAS mulheres que casaram "virgem" e CORNEARAM a torto e a direito seus maridos.
Outra MUITAS "virgens" tanto de antigamente quanto de hoje em dia fizeram e fazem SEXO ORAL E ANAL com seus namoradinhos respectivos e depois casam "virgem"(do buraco da frente,kkk) com babacões como vc.
A natureza do homem é encontrar uma mulher que ele tenha atração e tb afinidades sexuais.
Não acho que mulheres devam ser promíscuas assim como também acho que homens TAMBÉM não devem ser promíscuos.
Tive poucos namorados, mas, já conheci babacas misóginos como vc que eram mulherengos, galinhas, infiéis, mas achavam que eu tinha que se ruma "princesinha".
Até que achei um homem de verdade, másculo, gentil que não teve muitas mulheres e é um marido maravilhoso.
Se vocês homens não gostam d emulheres promíscuas nós mulheres(pelo menos as inteligentes, independentes que não se humilham a homem nenhum) DETESTAMOS homens promíscuos e metido a fodões. Este tipo é o que há de mais OTÁRIO e CORNO neste mundo,kkkk!
Tenha certeza, Kaká é muito mais MACHO que ESCROTOS MACHISTAS como Renato Gaúcho, Romário entre outros escrotassauros que estão agora pagando a língua por terem filhas mulheres,kkkk.
Não acho que mulher deva ou não ser casta, isto é de fundo pessoal, assim como tb acredito que é de fundo pessoal o homem ser ou não casto.
A tal "valorização da castidade SOMENTE feminina" é algo cultural, machista e patriarcal imposto para homens de mente vazia como vc.
Mas, para exigir TANTO das mulheres, talvez você goste é de MACHOS isso sim!


Aí pode, né? Cadê a tal igualdade que vcs DIZEM lutar?

Luiza disse...

Acho que todo mundo devia fazer terapia pelo menos em um momento da vida. Para se entender, entender o outro e tentar viver mais em paz e com menos neurose que a sociedade demanda.

Ou porque foi virgem por muito tempo, ou porque é insegurx e acha que ex foram melhores, ou porque é muito ciumentx, sei lá. Todo mundo deveria procurar ajuda e ficar em paz consigo mesmo, porque chega uma hora que cansa a beleza dx companheirx, e quem vai ficar sozinhx é você.

Anônimo disse...

Esse post atacou minha gastrite.
Meu marido faz isso, de ficar enchendo o saco pra saber o que fiz no passado, e se conto, fica sei lá... esquisito.
É horrível!
Quase que a gente não casa...
Vira e mexe ele chega no meu ouvido e diz que 'ainda espera que eu me abra com ele'.
Mas ele melhorou muito!
E minha insegurança tb... pq antes de casar parte de mim morreu, sabe?
A certeza de que não haveria vida sem ele.
E isso me fez mais forte.
Não acho tudo isso ruim, vejo como amadurecimento dos dois. Começamos a namorar muito jovens, então vejo como parte de um processo.
É duro.

Anônimo disse...

Hahahaha, gostei do meme. Eu me sinto bem quando sou franco a respeito dessa suposta inveja. Toda vez que a vejo com clareza, me liberto um pouco. Seguimos.

Tinoco disse...

E quando os papéis são opostos. Quando a mulher desempenha o papel que o moço está desempenhando? O que é?

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Luiza,

Na teoria é fácil, na prática bastante difícil. A grande maioria dos psicólogos(sobretudo os do SUS) são desinteressados ou mesmo incompetentes, fizeram a graduação de brincadeira e agora ganham dinheiro fingindo estarem ouvindo o paciente enquanto olham para o relógio.
Estou nessa estória de tratamento com psicólogo a uns dez anos e digo que NUNCA ajudou pois eles não tinham a menor boa vontade.

Mirella disse...

Vato Loco, (oh god, why?)


Você é analfabeto funcional ou só muito ingênuo?

"Não acho que mulher deva ou não ser casta, isto é de fundo pessoal, assim como tb acredito que é de fundo pessoal o homem ser ou não casto."

Isto tá no comentário que você mimizou a respeito. A Sawl deixou bem claro que ela só se opõe ao controle exclusivo da sexualidade feminina. Você entenderia se soubesse ler.

Se doeu com que parte? Quando ela diz que "Se vocês homens não gostam de mulheres promíscuas nós mulheres(pelo menos as inteligentes, independentes que não se humilham a homem nenhum) DETESTAMOS homens promíscuos e metido a fodões. Este tipo é o que há de mais OTÁRIO e CORNO neste mundo,kkkk!"

Por que? Tá chateadinho com o fato de que mulheres podem tratar homens tão mal quanto são tratadas? Ué, mas isso não é exclusividade do macho alfa fodão ezzzzzzzzzzzzROINC

Ok, champz, já entendi que você é fodão e coisa e tal. Você pode retirar sua carteirinha de macho no guichê 2. A Prova de Cuspe de Longa Distância começa em vinte minutos!
Não esqueça de coçar o saco antes e dar aquela ajeitadinha nos gêmeos, senão alguém vai achar que você se rendeu às feminazi aproveitadoras! Volte sempre.


---

Sawl,

Minha única ressalva é quanto a dizer que nenhuma mulher gosta de "homem promíscuo". Puts, menos cagação de regra pra sexualidade alheia, né? Seria bom se ninguém se envolvesse com gente mal resolvida, mas promiscuidade não tem nada a ver com isso. Se cada um deixar suas intenções claras antes de qualquer coisa, não tem problema nenhum. Cada qual se envolve com quem sente atração e vice-versa, né?
Mas assino embaixo do comentário de "metidos a fodões". Desses que precisa vir aqui, num blog feminista, dizer "eu sou assim e ninguém vai me mudar pq eu sou fodão", sendo que ninguém perguntou. Deve ser para exibir sua mais nova carterinha de macho man.

Luiza disse...

É, Raziel, eu sei. Sou da área da saúde, sei como são alguns profissionais.

Mas que todos nós nos beneficiaríamos com terapia, isso eu acredito.

Anônimo disse...

Essa historia de mulher rodada não presta é balela ,mas convenhamos alguem com um vida sexual estremamente ativa enjoaria em dois toques de ter apenas um parceiro...mas pra quem esta atras de um relacionamento curto ou relacionamento aberto não faz a menor diferença...

Oliver disse...

Não gostei muito da resposta da Lola, não. Acredito que isso que te causa mal-estar não tenha nada a ver com sua namorada em questão, ou seja, nada a ver com o fato de ela ter feito sexo com outro cara. Você mesmo se pergunta: do que você quer ser convencido? Ora, me parece claro que você gostaria de ouvir que você é melhor que o outro cara, que seu desempenho sexual é melhor, que ela te ama mais do que um dia amou ele, e etc. Tudo isso é fruto do machismo, mas a Lola fez com que isso atingisse sua namorada, mas aqui o caso é contrário, o machismo fez sintoma em você mesmo! Essa ideia de você esperar alguém provar você mesmo de sua virilidade é o machismo fazendo sintoma no homem, ou seja, causando mal-estar no homem. Não recomendo ficar querendo resposta pra isso, ou regras de como você deveria agir. Tudo isso só vai fazer você ficar mais neurótico obsessivo do que já é. Aliás, muitas feministas não tem ideia do quanto o machismo pode causar sofrimento nos homens, de forma que, como a Lola fez, podem vir a causar ainda mais sofrimento. Recomendo ir fazer análise, na boa =)

Anônimo disse...

Pra mim, esse cara é estranho pelo jeito que ele escreve. Pedante demais

AmericoAmerico disse...

arrasou!

Anônimo disse...

Acho que não se trata de ser machista, por que o que você sente é ciúme e ciúme, ao contrário do que muita gente pensa, não ē demonstração de carinho, mas sim, de possessividade (e isso independe do gênero). Liberte-se desse sentimento de posse (é mais fácil do que se pensa, basta querer) e curta seu relacionamento.

Anônimo disse...

As feministas exigem "não se reprima!" Contudo, se algo der errado, elas não
vão se responsabilizar!
elas acham um absurdo a mulher ter valor por ter tido poucos parceiros sexuais! porque a preservação sexual condicionaria o valor da mulher aos ideais do homem. ao se manter 'pouco rodada", uma
mulher estaria se reduzindo ao desejo do homem. mas e se a mulher quiser, escolher por
conta própria se preservar para um homem? por valores e principios da natureza dela ?

Anônimo disse...

Ao anônimo das 17:28

Achei que seu comentário define o que eu sinto com relação ao meu namorado. Não é ciúmes de outras mulheres que ele teve, mas é inveja dele ter tido uma vida sexual no mínimo boa, enquanto os garotos não se interessavam por mim ou enquanto meu primeiro namorado achava que eu era um buraco para meter.
Me deu um certo alívio ver que eu não sou a única. É algo com que a gente tem que lidar diariamente. Na verdade, acho que eu ainda não consegui lidar.

Anônimo disse...

Cara por que querer saber do passado do(a) seu(a) companheiro(a)? Isso é bobagem, se tu se interessou pelo que conheceu hoje não queira saber de transas passadas, nem namoricos idiotas! Isso fica desconfortavel para os dois, tanto para o que questiona quanto para o que tenta evitar responder ou acaba respondendo por insistencia! E a questão do casamento virgem (lá vem os religiosos com a biblia debaixo do braço dizendo barbaridades). Se a mulher não quer casar virgem o problema é dela, o corpo é dela então ela faz as escolhas que bem entender!
Agora imaginem: "A moça quer casar virgem por causa da sociedade, dos pais e do namorado. No entanto o namorado acaba agindo como se fosse dono do corpo dela e exige que ela transe com ele antes do casamento, ela vai la e transa só para satisfazer a vontade dela e para não perder o seu homem -pensamento arcaico- , deoois da transa o cara vai e termina o namoro." Agora me respondam queridos homens que querem casar com uma moça virgem! Que culpa essa moça teve? Ela se guardou para um só unico homem, mas esse dito cujo usou e caiu fora, agora ela vai transar com quem bem entender. Isso é ser puta? Ou ser 'rodada', ou até mesmo 'arrombada' como muitoa dizem? Gente por favor parem de intitular as pessoas! Virgindade para a mulher é muito importante, mas se ela quer perder antes do casamento isso não faz dela uma puta e se ela quer casar virgem isso não faz dela uma santa!

Anônimo disse...

Fiquei pensando sobre o depoimento do rapaz... sou mulher e já senti exatamente o que ele está sentindo: já me incomodei com o passado sexual de um homem.

Sei como é essa sensação, é horrível mesmo. E considerando o meu caso e outros comentários aí deduzo que pode atingir ambos os sexos, então não diria que tenha muito a ver com a sociedade machista, acredito que seja insegurança mesmo, medo de perder e tal.

Acredito que a tendência é essa sensação passar conforme o relacionamento se tornar mais sólido.

F., procure psicoterapia, será bem bacana.

Aracele disse...

Olha Lola, eu penso que esse rapaz deveria ou esquecer essa questão, ou largar da namorada. Fazer o que ele está fazendo só machuca e desgasta os dois.
Mas não concordo com sua posição do "lavou tá novo". É claro que não existe da perspectiva do fisiológico,diferenças de "tamanho" ou "aperto", mesmo porque uma mulher que conheça pompoarismo poderia facilmente ter o mesmo ou mais "aperto" do que uma inesperiente.
Mas a questão está na ótica do psicológico e da moral. Algumas mulheres podem pensar que sair por aí transando com quem dá na telha é liberdade, mas pra mim isso não passa de libertinagem.
A promiscuidade é um comportamento deplorável para homens e mulheres.Mas para nós acho ainda pior. Nós devemos ter direitos iguais juridicamente. Mas não temos de negar nossa natureza feminina, nem nos masculinizar. Porque haveriamos então de nos igualar ao pior tipo de homem que existe: o cafageste? Poque pra mim sexo casual é coisa de cafageste. A pessoa que não consegue ser fiel ou manter um compromisso pra mim tem sérios problemas de constancia e de equilibrio interior. A liberdade com maturidade deveria nos levar a uma vida mais equilibrada. É pena que para a maioria das mulheres está é levando a ruina. Nós temos de respeitar nossos corpos como expressão do mais íntimo de nossas almas e não como um objeto de prazer apenas.

Anônimo disse...

O relacionamento do homem com a mulher liberal é marcado por dúvidas e
inseguranças! O homem se sente boicotado e pouco importante para a mesma. Ele
sente que poderá ser trocado e abandonado a qualquer momento! A mulher moderna,
independente demais, não transmite segurança

Sara disse...

Aracele vc esta medindo a moral das pessoas pela sua régua, acho q se vc pensa assim é um direito seu viver de acordo com seus conceitos, mas não é direito seu exigir isso de todos, mesmo porque muitos não pensam como vc, eu inclusive.
A promiscuidade pra começar é muito discutivel, o que é ser promiscua??? ter dois, tres ou 50 parceiros??? em q período de tempo???
Não acho que ter varios parceiros signifique um comportamento deplorável como vc diz, muito menos que isso seja sinônimo de desequilibrios.
Desde que sejamos concientes e façamos sexo com segurança (alias tem muitos que estão em supostos relacionamentos monogamicos e mesmo assim estão em risco)sou propensa a acreditar que é justamente o contrário do que vc falou, pessoas q se reprimem demais é que acabam tendo comportamentos desequilibrados, que muitas vezes se refletem em seu modo de lidar com o mundo.

Sara disse...

Eu to chocada com o monte de depoimentos de gente que tem esse tipo de ciumes obsessivo, isso assusta....

Jorge disse...

Olha brother, eu não acho que machismo seja a única forma de explicar a sua inquietação. Se você aceita de boa que ela seja sexualmente livre, provavelmente o problema seja insegurança mesmo. E digo isso baseado em experiência própria, só que no meu caso eu não tinha curiosidade de saber sobre o passado, a iniciativa de compartilhar essas experiências partia dela, e confesso que não me sentia confortável com isso. A realidade é que ela tinha tesão em compartilhar isso, e também gostava de ouvir as minhas histórias (vide contribuição da Isa, 3º comentário) que na época não eram muitas (e até hoje não são tantas assim). Nesse ponto eramos muito diferentes, eu sou bem mais reservado, e isso acabou inviabilizando o relacionamento.
Se ela não quer tocar no assunto, melhor esquecer.
Provavelmente o motivo real de você estar preocupado, principalmente se na época você já nutria algum sentimento por ela é saber o que o diferencia do cara, que transou por ela em uma relação casual, em relação a você, que talvez teve que correr atrás e provar ser merecedor de estar com ela. Sinto muito, talvez não haja resposta para isso, ou talvez ela considere a resposta muito cruel para ser dita abertamente.
Sendo puramente racional, a questão se torna bastante simples: Ela mantinha um relacionamento com você enquanto ficou com o cara? A resposta a julgar pelo seu texto é não, portanto o assunto não é da sua conta.
Infelizmente (ou felizmente, não sei) não somos puramente racionais e a emoção nos governa boa parte do tempo, então imagino que talvez a maior preocupação seja "e se aparecer denovo um cara tão interessante para ela como aquele, será que ela vai ter uma aventura com ele e me trair? Será que eu sou um quebra-galho enquanto não aparece outro mais interessante?", e talvez ela também não saiba responder.
Inútil tentar buscar uma resposta que talvez não exista, se você não consegue passar por cima disso, melhor terminar o relacionamento. Foi isso que eu fiz, mas não estou dizendo que seja a solução para vocês. Se ela não toma a iniciativa de tocar nesse assunto, talvez fingir que o assunto não exista seja a melhor solução.
Sucesso!

yulia2 disse...

''Olha Lola, eu penso que esse rapaz deveria ou
esquecer essa questão, ou largar da namorada.
Fazer o que ele está fazendo só machuca e desgasta os dois.''

Acontece que largar a namorada agora não vai adiantar de nada.
Ele precisa se tratar e parar com essa insegurança, pois o que
ele faz agora com ela, ele fará com as próximas sempre.
O problema está com ele. ele tem que se livrar da sindrome
de corno.



''Mas a questão está na ótica do psicológico e da moral.
Algumas mulheres podem pensar que sair por aí transando com quem dá na telha é liberdade, mas pra mim isso não passa de libertinagem.
A promiscuidade é um comportamento deplorável para homens e mulheres.''

isso já é uma coisa particular sua, vc que pensa assim, mas a sua moral
não serve para o outro, o que serve pra vc fica com vc.
nem todos pensam como vc.
Não existe uma unica moral para todos, até porque isso
é uma questão puramente pessoal.
tem quem goste e tem quem não goste disso, as pessoas não devem ser julgadas
por isso.

''Mas não temos de negar nossa natureza feminina, nem nos masculinizar.''

não existe essa de natureza feminina ou masculina, isso é puramente
cultural. Minhas atitudes e pensamentos NADA TEM A VER com esse
CABRESTO que tentam me enfiar de que mulherzinha tem que ser meiga
delicada , e só transar por amor.... ah que ridículo!
não sou meiga e nem delicada.... e transo se tiver vontade
sim, e que se dane o que vão pensar. ninguém paga minhas
contas e ninguém me sustenta... portanto....

''Porque haveriamos então de nos igualar ao pior tipo de homem que existe''

se igular ao homem? o que quer dizer com isso exatamente?
que somente homem sente desejo e mulher não?
se informe melhor sobre isso... nada tem a ver com
ser homem ou mulher... desejo sexual tem os dois.
se vc acha isso tão ruim, porque não acha que os
homens devam se corrigir primeiro?

Poque pra mim sexo casual é coisa de cafageste

não vejo nenhum problema em sexo casual desde
que as partes estejam cientes disso.


. ''É pena que para a maioria das mulheres
está é levando a ruina. Nós temos de respeitar
nossos corpos como expressão do mais íntimo de nossas
almas e não como um objeto de prazer apenas''

Isso não leva ninguém a ruina, muito menos a mulher...
mulher não tem que passar vontade em momento algum, se quiser vai
e pronto. JAMAIs me arrependi disso.
só me arrependi de não ter feito.
O resto é discursinho ilusório e manipulativo para controlar o corpo
da mulher.

yulia2 disse...

A mulher moderna,
independente demais, não transmite segurança
____________

cansei de ver mulher que casou virgem e agora trai o marido a rodo!
vcs são ingênuos demais... não sabem de nada.

Luiza disse...

"O relacionamento do homem com a mulher liberal é marcado por dúvidas e
inseguranças! O homem se sente boicotado e pouco importante para a mesma. Ele
sente que poderá ser trocado e abandonado a qualquer momento! A mulher moderna,
independente demais, não transmite segurança

7 de dezembro de 2012 12:34"

Ele que se adeque ao mundo moderno, do contrário desaparecerá.

Anônimo disse...

isa, isa, peloamordedeus, que foi isso de "machista/feminista" Morri só de pensar que ainda neste blog seja usada a palavra feminismo como machismo ao contrário! ai, que dó :(

Anônimo disse...

qual o problema do feminismo ser visto como uma força contrária ao machismo, tão poderosa a ponto de acabar com ele para sempre? parece que querem que o feminismo seja inefetivo e que feministas fiquem eternamente se contendo, se explicando, se desculpando pelas conquistas que o feminismo alcança. sinto informar mas o feminismo provoca mudanças, profundas e radicais! que pensem que feminismo é o contrário de machismo, o contrário de algo péssimo, sem sentido e desnecessário não é uma coisa ótima, que tem toda razão de existir e que é muito necessária?

Anônimo disse...

PARA Vato Loco

Caro e mal informado Vato "louco" ou será LOUCA?kkk),kkk.
Se importar com passado de mulher é MACHISMO SIM!
Territorialismo = Machismo.
Mulher NÃO é propriedade, é ser humano! Simples.
Está na personalidade de homens: inseguros, machistas e ignorantes achar que alguns, muitos ou nenhum
namorado no passado de uma mulher pode influenciar em sua personalidade.
Fracos e sem personalidade são homens ridículos, inseguros e com a sexualidade confusa como vc.
Caso não tenha entendido minha opinião, o que ÓBVIO não entendeu, é que NINGUÉM deveria se importar com o passado de ninguém.
NÃO é o passado que vai influenciar o presente e sim as atitudes de cada pessoa no momento em que está comprometida com outra.
Você se contradisse meu ignorante colega,kkk. Alegou que homem pode fazer patrulha na vida passada de uma mulher, mas, uma mulher NÃO pode se importar com o passado de um homem?!
Contraditório.
Se uma garota que é virgem se envolve com um homem que transou com 1000 mulheres, ela tem direito de NÃO confiar nele, e ate rejeitá-lo, simples.
O que não quer dizer que ele não possa mudar.
Mas, isso é uma decisão DELA.
Agora um cara que transou com várias mulheres namora e até casa com uma garota que teve alguns namorados ou até um pouco mais, ele não tem moral de cobrar NADA!
O problema não é o cara se envolver com uma mulher que seja virgem ou experiente o problema é ele medir o CARÁTER dela a partir de um aspecto sexual.
Afinal, todas nós mulheres não medimos as qualidades, personalidade e caráter dos homens a partir de um aspecto sexual.
Saber porque machistas como vc querem namorar e casar com virgens?
Pra poder CONTROLÁ-LAS!
Não conheço UM CASO, de um homem ultra rodado que tenha casado com uma virgem REPRIMIDA(to fizendo reprimida, porque existe a opção da virgindade não só de mulheres mas de homens tb) que seja "fiel" a ela.
TODAS que conheci, apanham e são chifradas a torto e adireito.
Tem uma prima minha que teve uma educação repressora da família, e agora o marido(que era conhecido como um "comedor, garanhão, etc") a vive a traindo, agredindo e chegou a transar com uma mulher na cama deles!!!
Nossa como vcs machistas são bonzinhos!
Temem uma mulher independente, mas querem uma reprimida, castrada pra poderem fazer de "gato e sapato"!
Há outros casos em que a mulher se revolta e acaba corneando vcs, o que acaba mostrando que casar com uma virgem reprimida NÃO poupa homem otário de um bom CHIFRE!
Há virgens por opção, mas, estas NUNCA irão se envolver com um traste do teu tipo(ou vcs acham que estas não tem inteligência pra selecionar homens que valham a pena?)!
Há "virgens" que fazem oral e/ou anal.
Há "virgens" que casam com homem, mas, depois larga porque era lésbica enrustida.
Há "virgens" que depois de conhecerem um homem de verdade, vêem o quanto o marido é um machista otário e o enche de chifre!
Há virgens que foram "educadinhas" desde a infância pra serem: belas, passivas, doces, prendadas e cordiais, e estas não erram nunca. Em compensação, são estas que escondem hematomas, escondem da família que apanham, pegam DST de seus "adoráveis" maridos galinhas e que em uma boa parte aparecem nas páginas policiais MORTAS!
Vocês machistas, são misóginos, simples assim.
Nenhuma mulher precisa ficar com um tipo de lixo como vc, a menos que ela tenha sérios problemas mentais e de baixo alto estima,kkk.



Para Mirella
Obrigada por compreender meu texto querida, mas, eu não quis dizer que homens promíscuos não podem ser bons namorados ou maridos. Me expressei mal pelas opiniões machistas de certos trolls deste post.
EU acredito que a pessoa, seja homem ou mulher, pode ser experiente, virgem, promíscuo, mas, não pode ser sacana, mal caráter e nem fazer mal a ninguém, simples assim.
Apenas quis comparar que se um homem se acha no direito de patrulhar a vida de uma mulher, uma mulher tem o direito de fazer o mesmo.
Abraço.


Sawl

Layla disse...

Gente mas pra que contar essas coisas, se ele perguntar não conte tudo né... homem costuma ser ciumento, meu marido morre de ciúme e olha que quando casamos eu tinha só 18 anos. Reclama das roupas... eu uso o que quiser mas ele tem ciúme simmm... eu tb sou ciumentinha hein, as vezes pergunto uma coisa ou outra...

Erres Errantes disse...

"Não é sua intenção, claro, mas você está se revelando um cara perigoso e bizarro (tô pensando em creep)."


Eu achei essa frase da Lola meio exagerada.
A princípio, somente essa angústia que ele sente com o passado da namorada não é um indício de que ele irá se tornar um cara perigoso.
Ciúme do passado dx companheirx eu acho que muita gente tem. Eu mesma tive demais, e meu companheiro também teve ciúmes do meu passado quando começamos a namorar, mas foi um sentimento que passou.
Na minha opinião, o F. não deve se preocupar tanto. Ele não disse, mas parece que o namoro dele é meio recente. Então, eu acredito que essa insegurança toda que ele sente em relação ao psssado da namorada vai passar. Pode parecer a pior dor do mundo agora, mas vai passar um dia, é só dar tempo ao tempo e com certeza, quando menos esperar, ele não vai mais dar a mínima para quem a garota namorou ou deixou de namorar (ou beijar, ou transar, enfim).

Mirella disse...

Sawl,


sem problemas =)
Gosto muito das suas opiniões, acho que vc se expressa muito bem e entendo q às vezes, no afã de escrever, pode haver margem p má interpretação de texto.
Nada que a gente não resolva, né!

Abraço!

Aracele disse...

Para Sara e yulia2

Não estou medindo ninguém pela minha moral. A ética e a moral estão aí querendo ou não e não é minha. Nem estou exigindo isso de ninguém, só estou comentando minha posição a respeito do assunto.
A promiscuidade não é medida por uma formula matemática, mas pelo comportamento. E explico melhor sair da balada com um cara que você nunca viu na vida e ir pro motel é promiscuidade. Não a quantidade de parceiros que torna isso deplorável. Mas o fato da pessoa seja homem ou mulher, achar que vai conseguir preencher o vazio existencial com sexo. Isso é desequilíbrio.
Também acho que ele poderia fazer terapia sim para parar de encanar com essas coisas.
Relativizar a moral é fácil cada um faz o que dá na telha e não precisa se preocupar com a consciência (aliás muitos nem sabe mais o que é isso). Mais uma vez estou expondo minha opinião não pedindo o exigindo que pensem igual a mim. Não estou julgando ninguém. Aliás as pessoas que têm esse comportamento acham que todos a estão julgando. Porque será? Eu não estou me sentindo julgada porque você discorda de mim.
A questão do masculino e do feminino, não é puramente cultural, a psicologia explica.
A questão de você chamar de mulherzinha, ou seja, de maneira depreciativa, as mulheres que GOSTAM de ser meigas e delicadas e que só transam por amor, mostra que você é que tem preconceito comigo, ridicularizando minha maneira de pensar , ninguém igualmente paga a minhas contas, não obstante não saio por aí me entregando meu corpo pra qualquer rostinho bonito, porque ninguém tem nada com o que eu faço, não me achei no lixo pra fazer uma coisa dessas com o meu corpo.
Quando digo que sexo casual é coisa de cafajeste, penso assim mesmo e pouco importa se é de comum acordo. Penso sim que algumas mulheres estão se saindo melhor até que os homens nesta arte da cafajestagem. E acho esse comportamento horrível, e é meu direito pensar assim, não estou exigindo que ninguém pense como eu, só expondo ainda minha opinião.
Eu sou mulher se vocês ainda não perceberam. Tenho desejo sim. Mas não preciso me entregar a cada desejo animal que tenho, para isso tenho intelecto para distinguir o que é bom ou não para mim. Isso se chama equilíbrio.
Ninguém controla o meu corpo a não ser eu mesma, a diferença é que controlo corpo e mente. Aliás eu penso que alguns comportamentos denotam que a pessoa não controla o corpo é controlada por ele.

Mirella disse...

Aracele,

"Ninguém controla o meu corpo a não ser eu mesma, a diferença é que controlo corpo e mente."

Então porque você quer controlar quem faz o que quer com seu próprio corpo?
Você não gosta quando chamam você de mulherzinha, por que então chamar alguém de promíscua? Quer que respeitem seu modo de vida e não respeita o dos outros? (Sendo que ninguém aqui rotulou você de nada, apenas rebateu seus argumentos).

Você encontrará aqui MUITAS pessoas sendo CONTRA o uso de "mulherzinha" e demais sexismos. A yulia2 disse que é contra a idéia fixa de "mulherzinha tem que ser X e Y". Não ofendeu ninguém de "mulherzinha", apenas disse que não quer ser assim porque ela não é assim.
O que fazemos aqui é questionar essa lista exclusiva de "obrigações e preocupações" que somente a mulher tem de seguir e, caso não siga, é julgada. E, caso queira acompanhar mais debates, verá que continuamente criticamos mascus e machistas, que julgam uma mulher que não seja depilada/magra/cabelo liso/etc e, ao mesmo tempo, dizem que mulher que se preocupa com isso é fútil. É o patriarcado, que nós combatemos, quem dita isso. Nós apenas dizemos que não há problema nenhum em se aceitar pelo que se é. Feministas lutamos contra essa mania de querer rotular todo mundo e questionamos o ato que nos é impingido, não questionamos a pessoa.
Você está julgando sim. Chamar de promíscua e cafajeste é o quê? Elogio? Você já disse que isso é querer se igualar no que o homem faz de pior. E daí, e se for? Não tá prejudicando ninguém, tá?
Você sabe o que é melhor para você tanto quanto as outras pessoas sabem o que é melhor para elas. Para de querer cagar regra para a vida dos outros. Se não acha bom, não faça. Querer chamar de promiscuidade e cafajestagem o comportamento alheio é julgamento moralista e querer controlar a sexualidade alheia é perda de tempo.
Felizmente não estou mais na época de achar que fazer sexo desvalorizava alguém, nem que não fazer sexo torna alguém melhor, porque não torna.

Sara disse...

Aracele entendi seu ponto ok, só q NUNCA vou me reprimir e deixar de ser feliz por me preocupar com gente q pensa como vc ok?

Aracele disse...

Não estou rotulando pessoas, estou comentando comportamentos, em lugar nenhum eu disse que acho fulana ou ciclana alguma coisa. Apenas pontei comportamentos (promiscuidade e cafajestagem) com os quais discordo.
E daí? E daí? Daí que nossa liberdade não serve para nos fazer piores, mas melhores. Quando fazemos coisas que vão contra a nossa essência estamos prejudicando a nós mesmos.
Concordo porém que são homens e mulheres que têm de ter um comportamento melhor, nunca disse que somente a mulheres.
Não quero por regra na vida de ninguém, só achei que seria interessante um debate de opiniões. Já que considero essa uma forma de aprimoramento das próprias ideias. Mas já vi que por aqui qualquer pensamento diferente vai ser motivo de rebates veementes com palavras que não vou gostar de ler (não gosto de palavrões). Então não se dê ao trabalho de me responder eu me retiro.

un peu de moi pour moi disse...

Quanta gente bem resolvida que segue em frente e supera com facilidade. Em meio a tanta criminalização da insegurança, tudo o que consegui me questionar foi: Como teria sido essa menção ao sexo casual dessa moça? Quão enfática ela foi? Aparentemente não se trata de um passado vivo, mas não se sabe.

E quando a insegurança é implantada, cultivada e alimentada pela outra parte do relacionamento que não o dito inseguro? O tão enfaticamente considerado o inquisidor. E quando é a moça quem traz o passado à mesa consigo, como uma dona flor com dois maridos, um vivo, e um morto que insiste em se fazer presente? E quando a culpa não é de nenhum dos dois, mas do próprio passado em si que necessita marcar presença na vida da moça e se fazer relembrado E PRESENTE, seja em festas, no facebook ou numa webcam? Então as distintas almas intelectuais que aqui apedrejam o rapaz não comparam? Não é como funciona o cérebro humano? Hipocrisia negar que comparações são feitas - tanto quanto é hipocrisia negar que a consciência disso fere o ego, e a sensação (ou ilusão) de ser importante para o outro, que alguns chamam de amor.

Lugar de passado é mesmo no passado? É certo pressupor que é onde o passado de todo mundo esteja?

A, Srta. disse...

É simplesmente tão bom ver uma resposta tão direta e coerente. Às vezes a gente fica preso em coisas assim, e só o que nos faz deixar pra trás é a força de vontade e inteligência, a percepção de que estamos sendo estupidamente idiotas. Espero que ele siga sua orientação!

Vanessa L. disse...

Achei lamentável a resposta da Lola. O F. já apresenta uma reflexão, ele sabe qual é a base política do incômodo dele. Ficar acusando ele de machista, de creep, de bizarro, só vai piorar a insegurança e a culpa dele. Essa separação entre nossas crenças políticas e nossas emoções, não saber modificar o que sentimos mesmo sabendo que é algo causado pelo machismo, é bem comum e é presente inclusive nas mulheres. Não precisamos de ter mais essa culpa.
F., te desejo paciência e força, ninguém é perfeito e com o tempo você e a sua namorada talvez consigam lidar melhor com essas coisas :)

Raposa disse...

Gente,que exagero.

Não acho que isso tenha a ver com machismo ou nada parecido,nem que ele está violentando a namorada.Muito menos que ele vai perder a menina!Isso é só ciúmes,ninguém está isento de senti-lo algum dia e nenhum namoro é um mar de rosas o tempo todo!

Relacionamentos,principalmente no início,tem focos de ciúmes.Eu tenho até hoje ciúmes das garotas que meu namorado dormiu no passado,e admito que é por pura insegurança,por não gostar da idéia de ele poder ter lembranças com outras mulheres.Admito que como humana tenho a tendência de achar que as coisas me pertencem.Mas consigo administrar esse ciúmes e essa tendência possessiva muito bem,e de forma alguma acho que ameaça o meu relacionamento.
E isso não tem nada a ver com ser mulher ou homem!Que enorme babaquice ficar atribuindo comportamentos específicos aos sexos!

Anônimo disse...

Eu enviei esse email com uma dúvida sincera. Fui achincalhado pela dona do blog e tratado como um estuprador em potencial pelos comentaristas. Sou uma pessoa esclarecida, não um "escrotossauro" como fui carinhosamente chamado pela dona do blog. Jamais usei nomes como "arrombada", "rodada" entre outros, para minha namorada, pessoa por quem tenho amor imenso. Enganei-me quanto a intenção desse blog. Mas não culpo Lola, por entender que sua missão é árdua e, nesse embate, cria-se mesmo esse espírito estereotipador e combativo contra todos os que tem um lampejo de patriarcalismo.
Só lamento ter enviado esse email, pois fui usado de tabula rasa para exemplificar atitudes que denigrem a liberdade sexual da mulher. E eu, logo eu, vejam, humanista e democrático que sou, sendo veementemente taxado de machista e "creep".
Louvo a atitude aguerrida do blog: o assunto em questão na maioria dos posts deve mesmo ser encarado com ferocidade, haja visto a situação da mulher na sociedade brasileira. O problema é que a arma está apontada para todas as cabeças... Acredito que pessoas com problemas muito pessoais, não devem se utilizar desse canal, pois sua área de atuação forma a sistematização e o reducionismo de compreensão.

sem mais.

lola aronovich disse...

F (e outras pessoas que acharam que eu fui agressiva com o F), releia o que escrevi. Eu te chamei de querido, e não foi irônico. Não te chamei de escrotossauro de jeito nenhum. Olha o que escrevi:

“Chamar uma garota de arrombada ou de rodada merece um carimbo automático de "Escrotossauro Machista" na testa. Você não chegou nem perto de fazer isso, mas tá cheio de homem que pensa que transar "gasta" a vagina.”

Acho que tem que ter um mínimo de interpretação de texto para saber quando estou falando com vc e quando estou falando com machistas. Por exemplo, todo o parágrafo que começa com “Tão estúpido quanto esses adjetivos...” não está dirigido a vc. O motivo é porque há outras pessoas além de vc que leem este blog, e consigo mais ou menos antecipar quais serão seus (delas) argumentos.
Vc me perguntou diretamente se seu comportamento estava violentando sua namorada de alguma forma. E eu respondi diretamente que sim. Desculpe se não era a resposta que vc esperava.
Minha resposta a vc não foi agressiva. Saiba separar as coisas – o que eu escrevi do que outras pessoas escreveram nos comentários. E os comentários não são homogêneos, são?
Eu não mudei uma vírgula da minha resposta. Sugiro que vc e outros a releiam sem tantas pedras na mão, para ver que não houve agressão. Eu estava falando da sua atitude em particular (que é o que eu conheço de vc, e o que pode ser julgado), não da sua pessoa. Em nenhum momento eu te chamei de machista. Chamei seu comportamento de obsessão pelo passado da sua namorada de machista. E disse que, pelo seu comportamento, vc está se revelando perigoso e creep. Não que vc é -- que vc está se revelando, porque essa obsessão é comum entre pessoas verdadeiramente machistas, stalkers, sabe?
Vc me mandou um email. Eu pedi autorização para publicá-lo e respondê-lo aqui no blog. Vc permitiu. Não sei que tipo de resposta vc estava esperando. Mas não considero minha resposta agressiva de jeito nenhum.

Anônimo disse...

Lola, boa tarde.

Isso que eu escrevi não apaga em nada o seu trabalho, tão importante quanto árduo, nesse espaço na internet. Mulheres como você deveriam existir aos montes, para que nossa sociedade, tão degenerescente não aquiescesse aos absurdos diários a que somos obrigados a tolerar. Eu te confesso que, até conhecer seu blog, não me dava conta nem tinha sequer dimensão do tamanho do problema que as mulheres enfrentam no Brasil. Eu entendo, como um cientista social, que as bases patriarcais de nossa sociedade nos legaram diversas mazelas que reproduzimos como herança cultural, mas não que as coisas estão no pé que estão. Tanto ódio e intolerância. Isso precisa e deve ser combatido, dura e maneira contumaz.
Entro no blog agora, diariamente, para ler as notícias e os relatos dessas nossas mulheres que estão sendo massacradas por pessoas psicóticas e doentes.
Apesar de nosso "1º encontro" ter sido conturbado, asseguro-lhe que, de minha parte, só tenho boas impressões de você.
Força em sua luta!

Anônimo disse...

Eu acho, F, que sua dúvida é pertinente e extremamente coerente. Por outro lado, perguntar para uma mulher que diz que transar muitas vezes com um (marido, por exemplo) e uma vez com muitos (dando geral em balada) é a mesma coisa não vai te levar a um entendimento profundo da situação. Me parece que a verdade passa exatamente por você investigar em si que tipo de mulher você deseja. Para muitos a mulher que dá muito tem valor. Para outros não passam de piranhas. O que você quer para você? Não julgue as mulheres. Julgue os seus sentimentos. O que te faz feliz? Se for o caso, case com as que te agradam e deixe as que não te agradam colher os frutos de sua conduta. Quem dá para qualquer um, que colha os frutos de dar para qualquer um. Quem dá para alguns, colha o fruto de dar para alguns. Quem dá para poucos, colha os frutos de dar para poucos. Mulheres e homens pensam diferente mas o bom é que ambos pensam. Só não sei se a mulher que faz sexo casual é feliz em ser tratada como uma mulher casual. Como mulher da minha vida eu não trato. Respondo anonimamente porque continuo comendo as putinhas mas um dia, apesar do discurso, vou encontrar alguém que tenha valor.

Anônimo disse...

Muito bem!