terça-feira, 18 de dezembro de 2012

JOGUE SUA SUBMISSÃO NO TRONO E DÊ A DESCARGA

Desde o final de semana um montão de gente tem me pedido pra falar de um vídeo de 8 minutos chamado “Mulheres diante do trono”. Gente, falar o quê? Até os comentários no YouTube, que costumam ser tão hediondos quanto os dos grandes portais de notícias, desta vez parecem unanimemente condenar a ideologia do vídeo. E com razão, né? Porque o que é dito me faz lembrar deste quadrinho:
Príncipe: "Pai, vc está vivendo no passado. Este é o século 14!
No vídeo, um grupo de mulheres evangélicas discorre, diante de um templo lotado de mais mulheres evangélicas, sobre como a mulher deve ser sempre submissa ao seu homem, porque está na bíblia e deus quis assim e é o papel natural da mulher se portar desta forma. Quer dizer, nada que você não ouviu antes inúmeras vezes na vida, certo? Eu arriscaria dizer que essas bobagens ainda representam parte do senso comum. Mas num mundo que vem mudando em alta velocidade.
Diante do Trono, uma senhora, Helena, fala do “domínio jezabélico”, e sei o que você deve estar pensando (wtf?). Fui procurar que diabo é isso. Numa página da Assembleia de Deus de Curitiba, o espírito de Jezabel (ou Jezebel) é definido como imundo e maligno, algo que vai contra a família. Jezabel foi a rainha pagã escolhida por Acabe para governar Israel a seu lado. Esta referência é usada para condenar a situação em que o marido não toma sua posição como líder natural da família. 
“O diabo conseguiu inverter tanto os papéis, não só no casamento, mas na sociedade em geral, de forma que a mulher está tomando cada vez mais a posição do homem e, o homem cada vez mais toma a posição da mulher. O extremo dessa situação é o crescimento assustador do homossexualismo e do lesbianismo,” diz a página da Assembleia.
Em sua santa ignorância, esses religiosos confundem papéis de gênero com orientação sexual. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Um homem pode lavar a louça e pegar uma vassoura sem correr o risco de virar gay, assim como uma mulher pode jogar futebol e comandar uma empresa e continuar se interessando afetivamente por homens. Pelo jeito, um dos dogmas dos evangélicos é jamais perder a oportunidade de enfiar uma homofobiazinha em qualquer discurso.
Então Helena filosofa: “Onde tem um Acabe, é porque tem uma Jezabel”. A religiosa condena a autosuficiência da mulher, que faz com que os filhos ignorem o poder patriarcal.
Em seguida, uma senhora na roda chama a outra de “mulher virtuosa”, que deve ser o maior elogio que se pode fazer a uma mulher neste meio.
Ana então menciona um velho dilema de muita mulher conservadora e machista: apesar da religião ensinar que mulher não pode liderar, muitas mulheres conservadoras lideram. Por exemplo, uma notória americana anti-feminista, Phyllis Schlafly, fez toda sua carreira martelando que... mulheres não devem ter uma carreira. É um tanto contraditório. E quando chega em casa, não importa quanto poder a mulher exerce lá fora -– ela precisa entregar as rédeas ao marido. Senão, não estará sendo feminina.
A mulher sempre pode abrir espaço, ensina a pastora. Como exemplo, ela manda interromper qualquer pregação para pedir que o marido toque a gaitinha (eu acho que ela disse a gaitinha, embora chamaria muito mais atenção se pedissem para o marido tocar a gatinha).
Daí vem a vez da pastora Ângela criticar que mães e pais "estão criando suas filhas não para o lar, não para serem esposas, não para serem mães, mas pra sua carreira profissional". Ela lamenta que a menina prefira passar no vestibular ou num concurso, mas não sabe cozinhar ou, heresia suprema, pregar um botão! E é triste, porque depois a mulher já está praticamente rica (evangélicos creem que dá pra enricar trabalhando e pagando pedágio a deus) e vai querer casar, mas não haverá homem solteiro com o mesmo nível intelectual que ela, e ela terá de ir “atrás de qualquer um”.
A pastora tem certeza que o homem (vulgo “qualquer um”) que aceitar uma mulher nessas condições (rica e independente, argh!) vai casar por conveniência. Ué, e a mulher, quando casa com um cara que tem carro e casa, também não estaria casando por conveniência? Não, porque ela só está seguindo seu destino. A culpa de toda essa distorção é uma educação mal-direcionada. A missão é “preparar nossas meninas para o casamento”. E ela cita, toda coruja, a neta que já tem grandes planos pro seu futuro: vai conhecer e namorar com um “homem de deus” aos 18 anos, se casará aos 20, e aos 21 dará ao vovô o primeiro bisnetinho. Que menina precoce!
Uma outra senhora narra como interrompe o programa das crianças pra colocar no “jornal do papai”, porque isso sim é honrar o homem da casa. E elogia sua filha: “É tão lindo, porque ela já sabe quando ele vai chegar, e já coloca no canal dele”. Moça, desculpe te decepcionar, mas é o que as pessoas ensinam os cães a fazer com os chinelos, sabe? Quer dizer, eu não ensino, porque acho que cão tem que ter sua autonomia e não precisa ser submisso a um humano (quem falou que somos a última bolacha do pacote universal? Deus?).
Infelizmente, este discurso das senhoras evangélicas não é nem um pouquinho original. Eu diria que é a base de quase todas as religiões. Como o que essas moças falam no vídeo difere do que o Padre Paulo Ricardo ensina nas suas pregações virtuais, quando escolhe o feminismo como “o maior inimigo das mulheres”? Como o que ditam esses fundamentalistas cristãos é diferente do que dizem os fundamentalistas islâmicos sobre a posição subalterna das mulheres? 
Como esses ensinamentos são diferentes do que dizem os judeus ortodoxos? Não tem jeito não: toda religião monoteísta é extremamente machista. Todas vêm com esse papo aranha de que não, de jeito nenhum, não estão dizendo que mulher é inferior ao homem, apenas que é diferente, e que deus reservou papéis distintos a cada um, e nessa divisão binária calhou de o homem ter que mandar e a mulher ter que obedecer. Mas isso não é ruim! É só o jeitinho que as coisas são!
Acredito que, assim como tá cheio de “católico relaxado” no Brasil (que ignora solenemente quando o papa inventa que qualquer método anticoncepcional é pecaminoso, já que a única função do sexo aprovada pela igreja é a reprodução), deve haver um monte de evangélico relaxado, que acha um tantinho ultrapassado esse discurso de que mulher deve ser submissa. Sério, não é todo evangélicx que engole Silas Malafaia e seu discurso medieval.
Mas não dá pra negar que pode ser cômodo pra algumas mulheres ouvir essa pregação evangélica. É o que elas escutam desde criancinhas. É o que elas querem crer: que não precisam estudar, não precisam trabalhar, não precisam fazer esforço algum, porque surgirá um homem bom que as levará diretamente à década de 1950, ou aos tempos formosos do Velho Testamento, em que todo mundo sabia direitinho pra que servia um homem e pra que servia uma mulher, sem discussão.
Eu diria que essas mulheres no auditório-templo vendo as pastoras diante do trono podiam dar as mãos a misóginos como os mascus e sair andando por aí. Mas não posso dizer isso, porque: 1) existem dezenas de vezes mais mulheres naquele auditório que mascus no mundo, 2) não desejo a companhia de um mascu nem pra minha pior inimiga, e 3) apesar dos mascus assinarem embaixo de tudo que as pastoras falaram, eles odeiam evangélicas com todas as forças. Pra mascu, é o pior tipo de mulher, ou talvez o segundo pior tipo, só perdendo pra feminista, já que mulheres religiosas são, segundo eles, santinhas do pau oco. Não existe mulher exceção, repetem os mascus. Todas (inclusive as mães deles) são histéricas irracionais que eventualmente vão trair um homem, apesar de, estranhamente, não gostarem de sexo.
Portanto, não será com os mascus que essas moças vão reproduzir. Dentro da própria congregação, elas talvez encontrem um homem (eu digo talvez porque o número de fiéis do sexo feminino deve superar em muito os do sexo masculino) que nunca terá ouvido falar em masculinismo mas que acha bacana esse negócio de ser o rei do castelo. 
Embora estejamos vivendo num mundo cada vez mais secular, com cada vez menos espaço para superstições religiosas, a resistência ainda é grande. Se existe uma multidão de gente com saudades da ditadura militar (“naquele tempo é que era bom” etc), é claro que vai haver vários Maracanãs lotados de pessoas nostálgicas pelos anos 50.
Mas o interessante é que, cada vez mais, essas pessoas vão ter que falar apenas entre si. Terão que preach to the choir, pregar aos já convertidos, pois a urgência em mudar o mundo é avassaladora. Claro que essas mulheres com ideais dignos de Tradição, Família e Propriedade parecem muitas se trancafiadas num templo, mas, no mundo real, elas já são minoria. E são duramente criticadas desde a revolução sexual. Nos anos 70, nos EUA, o tipo de mulher que vive pro seu marido e pra casa, e está sempre maquiada e pronta pro seu senhor e amo, era chamada de Stepford wife, um termo pejorativo usado até hoje.
Segundo pesquisas, mais de um terço das mulheres brasileiras se assume feminista. E isso sem falar nos homens que também já perceberam que igualdade é bom pra todos, e que papéis de gênero arbitrários e inflexíveis são péssimos pra ambos. É um bocado de gente. É muito mais gente que as mulheres religiosas que ainda acreditam em submissão. E é justamente por isso que você está ouvindo essa gritaria diante de um vídeo tão banal.

233 comentários:

«Mais antigas   ‹Antigas   201 – 233 de 233
Elisa disse...

Lola, gosto muito do seu blog, mas acho que tentar "explicar" esse discurso é dar ibope para os que já estão "pregando para o coro". É tanto absurdo que uma análise com argumentos racionais acaba caindo no óbvio. Deixa que eles e elas se enrolem entre eles mesmos, como a conservadora que faz a carreira pregando que mulher não deve ter carreira. Você já escreveu algum post aqui sobre porque ser nazista e criar campos de concentração é um absurdo? Porque não devemos torturar criancinhas? Porque não devemos entrar em escolas atirando a esmo? Pelo mesmo motivo, comentar que tem um bando de loucas falando sandices sobre cabeças, caudas, submissão, pregar botões em vez de estudar, esperar marido...ah francamente!

Morgana R. disse...

Sou católica e feminista, e não vejo problema nisso.
Toda a minha família é ateia (e só de mulheres, pois perdi meu pai e avôs quando muito pequena). Minha mãe tem doutorado e meu pai não tinha terminado o ensino médio quando eu nasci. Minha mãe trabalhava e minha avó parou de trabalhar para cuidar de mim e das minhas duas irmãs (ela fez esta escolha por amor a minha mãe, pois sempre trabalhou tanto quanto o marido) porque meu pai passava o dia todo no bar com os amigos.
Nunca sofri ~lavagem cerebral~, mas desde pequena (por iniciativa própria) sempre li sobre religião e me tornei católica (contra a vontade de minha família ateia). O engraçado é que minha avó, mãe e irmãs (ateias), se casaram e tiveram filhos, às vezes são homofóbicas e racistas (e nem por isso digo que todos os ateus são como elas). Sempre respeitei e respeito a fé (ou falta de) delas, muito embora eu não seja respeitada. Sou a única das filhas que trabalha e ajuda na casa (financeiramente e com trabalho). Minhas irmãs que são casadas moram na casa da minha mãe com marido e filhos e ninguém traz um centavo pra dentro de casa, ninguém lava o prato em que comeu.
Não penso em casar e em ter filhos, mas sempre pensei em trabalhar (estou fazendo mestrado em engenharia) e ser independente. Mesmo assim, quis aprender desde criança a cozinhar, lavar, passar para aumentar ainda mais minha independência.
Com esse relato peço que, por favor, NÃO GENERALIZEM DE NENHUM DOS LADOS.

Luiz Prata disse...

Sobre o post:
lamentável a criação pró-backlash que essas fundamentalistas querem fazer nas crianças.

Sobre o espiritismo:
O espiritismo está longe de ser uniforme, há opiniões diversas entre os espíritas, algumas mais esclarecidas, outras não.
Richard Simonetti e Gibson Bastos são autores com opiniões bem diferentes quando se trata de homossexualidade, por exemplo (o primeiro conservador demais, o segundo mais esclarecido).
E, às vezes, um mesmo autor muda de opinião ao longo do tempo. É o caso de Divaldo Franco, cuja postura hoje é menos conservadora que há alguns anos.
Por isso, a impressão das pessoas sobre o espiritismo varia de acordo com os espíritas com quem elas têm contato.

Bruno Fernandes disse...

Olá Lola e as outras e os outros,

eu não sou otimista assim não. Eu acho que esta reação ao vídeo se deve muito mais ao preconceito contra os evangélicos do que uma posição "pró-mulher".

Acho mesmo, e acho isto com pesar. Os evangélicos são constantemente retratados como o maior atraso do mundo, e o são porque a maioria deles são pobres.

Digo isto, porque grande parte dos revoltadinhos com estes vídeos que vi, pelo menos entre meus colegas de Facebook (por exemplo), são os mesmos que não veem exageros no excesso de surras que mulheres tomam em novelas da Globo, ou são os mesmos que defendem o Rafinha Bastos e o Danilo Gentilli... e assim vai.

E mais, como você mesmo aponta no texto, a doutrina católica é tão opressora quanto a evangélica, mas como está associada diretamente ao poder e "boas tradições" o suposto "feminismo" não se revolta contra um padre imbecil que prega pelo youtube chamando qualquer coisa que diferente da Igreja Católica de "plano do diabo".

Eu espero estar errado, e que esta reação faça parte da conscientização da ampliação dos direitos das mulheres. Quando falo isto, quero dizer: acesso das mulheres aos Direitos Humanos, afinal estes direitos hoje são acessíveis apenas aos homens brancos e ricos.

Sara disse...

Bruno Fernandes o q vc acha como evangelico q é, desse video feito por outro evangelico q esta no youtube, eu nunca em minha vida inteira jamais fui tão ofendida como mulher, como fui nesse video,

https://www.youtube.com/watch?v=WRaP-qA-pJU

e vc não acha justo que nos feministas não aceitemos de forma alguma o papel que essa religião junto com todas as outras dão a mulher???
Tenho q viver democraticamente no mesmo espaço com gente religiosa, mas NUNCA irei aceitar o modo como as religiões em geral nos tratam.

Elaine Cris disse...

Elas tem o direito de dizer o que quiserem e nós temos o direito de discordar e criticar o quanto quisermos. Pronto.
Que ideia é essa que algumas pessoas tem de liberdade de expressão, que quando algum reaça faz seus discursos somos obrigadas a ficar caladas ou fingir que não escutamos. Nâo somos.

Dayane disse...

Eu sou evangélica e sou feminista. Peço apenas para a tanto a Lola cm outros saberem que existem muitas igrejas, muitas linhas de pensamento, inúmersas doutrinas,etc. Ou seja: Falar que "Para os avenge´licos, parece que..." é tão erroneo quanto falara "Para as feministas, parece que..." colocando cm se tds pensassem da mesma forma.
Não são tds as linhas evangelicas que defendem a submissão feminina, que veem o sexo cm algo "sujo", etc. O que infelizmente acontece é que essas linhas que nos matam de vergonha e sujam o nome de todos são as que estão na mídia!Na igreja que frequento, sempre ouvi para que garotos e garotas estudassem, tivessem uma profissão, para que o homem honrasse a mulher e não pensasse que ela era sua escrava. bater em mulher então!Inadimissível!Não irei mentir que já não ouvi discursos mais machistas, mas isso pela mentalidade não apenas da igreja,mas das pessoas da epoca, que eram os irmãos antigos, que diziam mesmo muita baboseira.Mas hj em dia é muito difícil ouvir um discurso desses, e se é falado, a pessoa que o disse é repreendida.

Dayane disse...

Ah, e uma coisa que sempre ouvi tbm: se vc não sente que quer se casar, não se case!Nem todos tem vocação para o casamento (ouvi isso na igreja muitas vezes). Ou seja, não julguem tds as mulheres evangelicas por esse vídeo, assim cm não se deve julgar tds as católicas pelo que esse padre fala. Eu li, aliás, um artigo muito bom escrito por um grupo feminista de mulheres católicas sobre aborto.

Dayane disse...

Aliás, escrevi um texto que aborda um pouco esse assunto: Cm a Bíblia é usada convenientemente a interesses moralistas e políticos. Ela já foi usada para defender a escravidão, por ex, na epoca da escravatura. Hj em dia, esses mesmos textos são usados para falar sobre outros assuntos. http://eterea-essencia.blogspot.com.br/2012/09/minha-forma-de-ver-o-cristianismo.html

Julia disse...

Sara, tem um momento em que esse pastor fala que "a mulher é um subproduto, que tem os mesmos direitos se se manter a sombra do ser original, o homem." 45:34

Que pessoa obtusa. Tenho até dó de umser desses.
Mentira. Tenho dó não.
Às vezes torço pra que o inferno existe e esse tipo de gente queime naquele fogo eternamente. Se deus e o demônio existirem esses pastores foram enviados à Terra pelo próprio capeta.

Anônimo disse...

Essa é a sua visão por enquanto Lola !
- O Deus que eu sirvo vai te mostrar que Ele é Deus e vai te ensinar todas as coisas nas quais você acredita saber. Ele vai mudar a sua direção em todas as áreas de maneira sobrenatural. Eu creio mesmo você achando isso rediculo. Você vai mudar, seu blog vai mudar e eu ainda vou ver isso !!!
Deus esta entrando neste momento na sua casa , na sua vida e vai te mostrar o teu poder.
Mesmo você rindo ai e já pensando em um Post para o meu comentário....Deus não vai deixar que essas palavras caim no chão. Conto os duas Lola....sua vida vai mudar !
Em nome de Jesus !

Maria Caroline disse...

Sou evangélica. Esse vídeo não abala a minha fé mas diminui (e muito) a minha confiança naqueles que dirigem grandes ministérios como esse e colocam ideias tão ridiculas nas mentes das pessoas. Meus pais , também evangélicos, criam a mim e as minhas irmãs para sermos "boas" pessoas, nos ensinando e amar o próximo, a nos respeitar e ter poder de decisão e lutar por aquilo em que nós acreditamos! E, eles tem todo o direito de ficarem contentes por eu conseguir fazer faculdades e um emprego público e ninguem,NINGUEM,tem o direito de dizer que eles me criaram errado porque eu não sei pregar a merda de um botão. Sinceramente, esse vídeo é uma VERGONHA para a comunidade evangélica.

Aline Jordan disse...

Sou evangélica mas não sou bitolada nisso não! Se algumx pastxr começar a pregar desse jeito eu levanto e vou embora! Não sou capaxo nem empregada doméstica de ninguém!

Anônimo disse...

Mesmo sabendo que vc provavelmente não terá coragem de postar meu comentário aí vai...
Fico muito decepcionada quando vejo esse tipo de postagem, por que eu acho que o que tem que reinar em primeiro lugar é o RESPEITO!!! Sou evangélica também e considero de grande sabedoria os ensinamentos não só do Ministério Diante do Trono, mas do Silas Malafaia,R.R Soares entre outros...
Acredito e sei que muitos evangélicos sim sujam a imagem da nossa religião, mas já ouviu aquele ditado: é preciso separar o trigo do joio...?
Já fui católica e considero tempo perdido da minha vida por que estudei tantos anos coisas que sequer são mencionadas na bíblia e acredito que não importa a placa da igreja desde que se siga o que está escrito na bíblia.
As pessoas pegam o assunto aos pedaços e escrevem o que bem entendem, o que foi o seu caso (com todo respeito)mas é preciso entender que o estudo biblico não é simples assim e requer aprofundamento, leitura, pesquisa, etc. As coisas não são simples assim: o marido manda na mulher e ela obedece e pronto, existe todo um estudo em torno disso... A mulher é submissa ao marido por respeito a ele não por ele ser maior ou melhor que ela mas por que o ama e o respeita entao quer saber a opinião dele; se queremos agir à nossa maneira, sem se importar com a opinião do outro então por que se casar? Se tudo é simplicidade então que fosse assim: temos que acreditar no que diz na bíblia pois foi inspirada por Deus se não cremos nisso então somos avessos a Ele e sendo avessos a Ele, então somos do Diabo e defender o que vem dele é isso! Criticar pessoas que estão fazendo a obra de Deus de livre espontanea vontade pois já dizia minha mãe cada um faz o que quer, e se é assim cada uma daquelas prováveis milhares de mulheres estão lá por que decidiram estar e não por que fizeram uma lavagem cerebral nelas(que bobagem) se assim fosse alguém fez em vc lola pra que acreditasse no que acredita? estão vendo armas apontadas pra cabeça delas as obrigando a estar lá? Creio que não importa a placa da igreja tem sim várias formas de Deus nos mostrar seu poder e muitas pessoas são convertidas por experiências com Ele e não simplesmente por que alguém obrigou a ir... Vou parar por aqui mas aconselho a todos antes de ficar blasfemando pessoas usadas por Deus pra levar a Palavra dele adiante antes prefiram calar se e não correrem o risco de um dia serem julgados por isso. Pois o mesmo Deus que os pede pra fazer esse trabalho é o mesmo que intercede por cada um deles e realmente admiro o Ministério Diante do Trono pela força e coragem pra fazerem o seu trabalho ministerial mesmo sabendo que existem pessoas como vc que sequer respeitam a fé alheia!!!

Aline disse...

As pessoas tem que buscar conhecer melhor aquilo que querem falar...
Sou evangélica, casada e já assisti quase todas as pregações ministradas no culto mulheres diante do trono,em nenhum momento foi me passado a idéia de que a mulher é uma coitadinha capacho do marido, vcs entram no mundo evangélico para criticar aquilo que não conhecem. Para terem uma idéia a maioria das mulheres que falaram ali trabalham e algumas ganham até mais que seus maridos, são mulheres bem sucedidas, casadas ha muito tempo e com uma família estruturada na palavra de Deus, agora se obedecer à Deus é ser massacrada pela sociedade que não sabe respeitar a decisão de pessoas que querem se render realmente ao Senhor, então assim eu serei.Já pensaram no que a bíblia fala aos maridos? o homem deve AMAR a sua esposa e assim DAR A VIDA POR ELA, sabem o que isso significa??? não sabem porque não conhecem a palavra da salvação nem o significado do amor do Pai celestial, que em tudo o que fala na palavra é para nosso bem, por nos amar. Essas mulheres que muitas aqui criticam e zombam são pessoas que Deus tem usado para restaurar casamentos distruidos, assim também tem ministrações para homens diante do trono, isso vcs não procuram saber antes de falar né?!
submissão não é abaixar a cabeça e dizer sim senhor, tanto é que a mulher consegue mudar toda a cabeça do homem se ela tiver sabedoria, e isso também vem de Deus, por isso a mulher sábia edifica a casa e a tola destroi.
Deus nos Ama e deu um papel importante tanto para o homem quanto para mulher.
Parem de entrar no mundo cristão para zombar do que é ministrado ali, aquelas palavras são para pessoas libertas em cristo, e não vão ficar choramingando algumas palavras que podem ser mal interpretadas, cada pessoa e tocada pelo espirito Santo de forma diferente, umas trabalham fora e outras ficam em casa e devemos respeitar... ninguém é obrigado a ouvir nada ali, se vc não gosta e tem seu ponto de vista respite o das outras.
Deus abençõe todas nós

Unknown disse...

Bom, minha opnião sobre esse assunto é o seguinte: "Claramente as feministas lutam por uma causa necessária ao bem comum, porém existe uma linha tênue entre a luta e a intransigência. Discordar todos podem sobre tudo, porém se estabelecemos uma patrulha afim de censurar a liberdade do próximo, perdemos nossa razão. É claro que para essa liberdade há limites, inclusive legais, como por exemplo para a pedofilia, exploração infantil, racismo, misoginia e tantas outras mazelas sociais. Entretanto, em não sendo um crime praticado, devemos respeitar as crenças e opniões do próximo, mesmo que essa opnião seja completamente divergente da nossa. Dizer que no meio evengélico pratica-se lavagem cerebral chega a soar como um insulto, ainda mais vindo de pessoas tão esclarecidas e que sabem o quão dificíl é manipular alguém. Ver um vídeo e editá-lo afim de ressaltar somente a parte que nos interessa é desleal, na melhor das hipóteses. O mundo nunca será melhor se a mudança não começar por mim.

A Filosofia de Carla Schneiders disse...

Certamente, há um problema de discurso e entendimento. Quem não é evangélico dificilmente o entederá e vice-versa... é a torre da babel, ainda q na mesma lingua, não se entendem! Sou evangélica e sou feminista e Professora de filosofia. Sou contra a submissão humana e machista que tem escravizado as pessoas, mas favorável à sub-missão: que significa estar sob uma missão sobrenatural. Digo que se o homem é o cabeça, eu sou o pescoço... pois, sem o qual não se movem. Infelizmente, há igrejas e evangélicos herdeiros de uma cultura patriarcal que "engessaram" (tornaram paradigmático) alguns móldes que não precisamos reproduzir ou imitar. Entretanto, penso que num futuro bem próximo, poderemos dialogar com maturidade sobre assuntos tão humanos quanto estes tratados aqui.

Unknown disse...

Ola, primeiramente quero me apresentar como mulher que vive no padrao do Senhor, mas eh o padrão o qual temos sabedoria e discernimento das coisas do Senhor e nao o padrao de julgo e mundano igual ao do poster, primeiro pq vc estar sendo muito errada em julgar pois o papel de acusador cabe apenas ao diabo ele qud veio para distorcer a paz, segundo que a biblia diz que temos o livre arbítrio, entao amada se vc cre no Senhor Jesus vc entende o que significa o livre arbítrio, se bem q infelismente hje ha um grande nivel de pessoas que dizem crê no Senhor Jesus, mas vivem fazendo a vontade do inimigo a vontade do mundo, nao esquecendo que o mundo jaz maligno, por fim a Ana ou a Pastora Helena que eu glorifico ao Senhor pod serem mulheres corajosas que nao vivem na direção desse mundo podre fazendo o que todos estao fazendo mais conhecido como "maria vai com as outras", elas entenderam de verdade o "Ide e pregai o evangelho" e infelismente se vc eh contra eu lamento e oro muito por vc pois nao estou aqui pra julgar simplesmente pelo fato de tbm um dia ter sido "cega" e dizer sim ao padrao do mundo se conformando com o que a midia prega ou melhor com o que o inimigo lança no mundo e as pessoas aceitam, o que a Pastora estava querendo mostrar eh q devemos viver segundo o que o Pai nos ensinou, ou seja lembra do "seja feita a Tua vontade" da oração do Pai Nosso? Então era e eh isso q queremos pregar, pois sei q a criação geme pela manifestação do povo de Deus, creio que se vc deixar o Senhor agir Ele arrancará todo espirito critico de vc por mais que vc nao aceite a colocação dela vc apenas respeitará em vez de criticar. E o que ela fala nao eh pra sermos cavalos que olham apenas pra uma direcao, pelo contrario podemos ter a profissão que quisermos, mas nao esquecermos de honrar nossos maridos, pois quer vc queira ou quer nao quem plantoj essa verdade foi quem te criou entao quando vc criticar ela nao esqueca que ela so esta pregando o que o Senhor ensinou, ou seja vc estara abominando o Senhor e isso nao eh bom, pois tenho a plena conviccao qus o Senhor e perfeito em graca com vc observo que ele te deu dons e infelismente vc nao esta fazendo bom uso dos mesmos. Nao estou aqui com demagogia quando se grata da Helena ou Ana, ou querendo lhe "comprar" quando reconheco suas qualidades, a verdade eh q glorifico ao Senhor pq reconheco isso em ambas, e creio que tempos melhores virao, eh so deixar o coração atento ao Espirito Santo, creio que Ele esta ansioso lara fazer parte da sua vida.
Saude e paz eh o que desejo a todos que criticam em vez de amar ou que cditicam em vez de respeitar, Deus os abençoe e crescam em graça.

Unknown disse...

Glorifico ao Senhor por sua verdade, simplesmente pela sua profissao observa-se que o que estao pregando que crente tem q ser ignorante, nao eh verdade as pessoas procuram tanto por inteligencia e nao tem sabedoria, espero que veja em vc o padrao do Senhor e a sua vida profissional e nao como eles entendem q temos q ser como cavalos olhando apenas pra uma direcao sem estudar etc... lamento pela cegueira as pessoas e desse mundo pervertido.
Saude e Paz, em nome Cristo.

Hamanndah disse...

"A mulher é submissa ao marido por respeito a ele não por ele ser maior ou melhor que ela mas por que o ama e o respeita entao quer saber a opinião dele;"

Anônima de 10/02 as 17:57

Uma mulher pode e deve respeitar o seu marido, mas o marido pode e deve respeitar a sua mulher

Se a(o) mulher(marido) respeita a(o) sua(seu) esposa(marido) não quer dizer que tenha de obedecê-lo cegamente

A mulher merece tanto respeito quanto o homem.

Uma vez vi uma cena lamentável na minha familia. Um casal bateu boca, os dois estavam-se agredindo verbalmente um ao outro e a discussão acabou com o homem batendo na mulher

Quando vocês pregam que só a mulher respeite o marido, vocês dão margem para que abusos verbais e fisicos de maridos para mulheres sejam vistos como coisas normais, tanto é que ninguém da nossa familia que estava na hora, eu inclusive, defendeu esta mulher da agressao do seu marido

SE A ESPOSA DEVE RESPEITAR O MARIDO, O MARIDO TAMBEM DEVE RESPEITAR A ESPOSA, COM A MESMA INTENSIDADE E NÃO É COM SUBMISSÃO AO MARIDO, COMO SE FOSSE ELE SEU SUPERIOR, QUE A MULHER SE "SANTIFICA" NÃO, POR ISSO QUE ATÉ O ESPIRITISMO QUE PREGA"MULHER, O ANJO DO LAR", EU LARGUEI.

Hamanndah

Anônimo disse...

esse s vídeos e essa noticia sobre submissao feminina é tão nojento que prefiro nem comentar.que nojooooooooooooooooooooo.

Anônimo disse...

Sabe Lola,a julgar pelo bando de asneiras que aqui li,é por isso que abomino este feminismo "politicamente correto" em que tudo é "escolha","democracia"...como se a cultura machista não nos induzisse a nada. Os homens nos impões um bando de regras hediondas,chamadas eufemisticamente de "feminilidade",sofremos quando não a seguimos,e agora vem com este papo de "escolha feminina",porque "as mulheres aqui ou ali estão escolhendo serem submissas" e bostas afins.Eu lhes pergunto: somos tão condizentes assim com racismo? e com homofobia? negros e homossexuais "escolhem" ser discriminados,apedrejados,mortos? eles gostam?

Até quando vamos ver o machismo como "uma questão de opinião" ao invés de uma violação grave aos nossos direitos humanos??

Clarice

Anônimo disse...

Eu acho que se essas mulheres cristãs estão incomodando tanto, é porque vocês estão prestando atenção de mais nelas não? Olha tem muita feminista que ADORA ser submissa na cama, e fazer todos os gostos do seu parceiro, e pra isso não se dá um piu. Agora para as evangélicas, é um Deus nos acuda, ficam horrorizadas, escandalizadas...como pode? Para as prostitutas que se vendem e se expõem como mercadoria, também não dão pitaco, algumas feminista inclusive, defende a sua regulamentação, poucas, poquíssimas são abolicionistas. Só que essa a submissão por dinheiro, ou por fantasia sexual para vocês podem, por crença não pode, aí assusta né? Então deixa elas em paz, que mesmo que não concordemos é escolha.

vic disse...

Lembro-me de um amigo meu que uma vez disse, ao ler um bando de radicais comunistas (nada contra quem é comunista, só contra o radicalismo de qualquer espécie), que ainda bem que o ateísmo não é uma religião, e que cada um tem sua autonomia, portanto. E eu acho que é a mesma coisa com ser evangélico: Não existe só um tipo de evangélico, um só modelo. De fato, esse é o bonito e o perigoso do Sola Scriptura: Cada crente, após reconhecer que Jesus é Deus e que morreu e ressuscitou para nos salvar, pode interpretar o resto da Bíblia da sua própria forma. Eu, por exemplo, sei muito bem que a mulher descrita como exemplar no capítulo final de Provérbios era dona de negócios, empreendedora, mãe e esposa, como a maior parte das mulheres de hoje. Também sei que a Bíblia não menciona NADA sobre Jezebel sendo ruim por ter seu marido curvado a ela. Não, ela é citada porque foi uma governante cruel e era politeísta, o que era crime no Israel antigo. Além disso, Débora, Ester, Febe e Priscila são mulheres trabalhadoras que aparecem liderando exércitos, reinando em favor de seu povo, levando mensagens a uma igreja perseguida e, junto ao marido, fundando sua própria igreja. Quanto á parte da submissão á moda antiga, proponho uma reflexão: Uma parte da Bíblia cita o uso de véu, então, porque não o usamos hoje, como cristãs? Ora, porque no texto o próprio Paulo diz que, afim de que não se instalem polêmicas, deve-se apenas dizer que o costume de não usar véu não é o costume deles, nem das demais igrejas de Deus. Ou seja, ele deixa claro que boa parte do que ali está escrito são costumes, parte da moral da época greco-romana. Mas então é certo desobedecer os mandamentos? (Alguém escandalizado vai pensar do outro lado). NÃO!!! Os Mandamentos (inclusive o de não usar o nome do Senhor em vão, que esse pessoal sempre esquece), não são negociáveis para mim. Só acho que a parte de submissão deve ser melhor interpretada, que deve haver uma discussão sobre que tipo de submissão seria essa (afinal, homens e mulheres são iguais espiritualmente diante de Deus, de acordo com a Bíblia), e se a mulher pode trabalhar e sustentar a família, então não é material... Que submissão seria então essa? Provavelmente a emocional. E o homem também teria que ser submisso à mulher emocionalmente, pois deve amar a ela "Como Cristo amou a Igreja, e deu a vida por ela". E amar, para quem é cristão, é servir. Ou seja, em um casal, um deve servir e prestigiar o outro. Pelo menos, essa é minha interpretação.

Anônimo disse...

Eu sou cristã e acredito em Deus, mas considero a bíblia um livro que conta uma historia, sou católica e ão sou a favor nem contra a homosexualismo entre outras coisas, simplesmente acho que não interferem na minha vida e se eles estão felizes eu estou feliz ( isso vale para todos ) acho certos costumes deploraveis mas se eles estão felizes acho que devem continuar assim. Não li a bíblia por varios motivo, nenhum deles é uma boa justificativa mas ja li versiculos sobre a submissão a mulher e desculpas falando que não é machismo, mas eu não sinto que fui criada por Deus e por meus pais para ser submissa a um homem e nem a ninguem
considero Deus um amigo que converso as vezes e acho que essas "ordens de submissão foram para as pessoas daquele tempo". acho que a perfeição esta tanto nos detalhes ótimos como támbem nos defeitos, mesmo que Eva tenha sido a primeira a pecar acho que isso foi mais uma fraqueza e ingenuidade, qualquer um poderia ter cometido um erro daqueles, homens poderiam e não poderiam assim como mulhereres poderiam e não poderiam.
Não quero estar acima de ninguem, mas tambem não quero estar a baixo. Gosto que as pessoas tenham opiniões diferentes das minhas e ideias támbem desde que não fiquem ofendendo a mim e a outras pessoa.
Não acho bom as pessoas ficarem ofendendo outras pessoas por causa de suas religiões tudo por causa de pessoas exageradas, tenho amigas evangelicas, catolicas, ateias e acredito no respeito de outras opiniões.
odeio que falem que os cristãos são todos uns burros e homofobicos, não apoio nem tento derrubar o homosexualismo e o hetero, as pessoas não pensam que o hosexualismo sempre existiu e sempre existiu, e não é que esta crescendo simplesmente estão se revelando.
sinto repulsa com certos comentarios machistas e sinto repulsa quando falam que homosexualismo é doença, sinto repulsa quando falam que uma pessoa é burra ou ignorante por ser cristão, ateia...
quero muito ler will grayson e will grayson. Meus pais são cristãos e me criaram para não ser submissa a ninguem e ter opinião propria.

desculpe por qualquer ofensa
desculpe pelos erros de ortografia
desculpe se desperdicei seu temo ou exagerei

apoio a igualdade
viva a vida
morte aos estupradores
viva a você
viva a literatura
viva ao respeito
viva a musica e para aqueles que nao tem alguma parte do corpo ou não tem algum sentido: você é perfeito.

Anônimo disse...

Anônima das 21:41, s2 pra você

Uma ressalva: como você mesma disse, há passagens na Biblia que demonstram claramente o machismo (entre outros absurdos). O problema é que a maioria das pessoas religiosas não tem essa mesma consciência que você e segue o livros e os sacerdotes da sua religião ao pé da letra. A religião, por si só, acaba estimulando isso. E

Joane Farias Nogueira disse...

Educar seus filhos de acordo com sua religiao e esperar que a sociedade faca ajustes depois é desrespeitar seus filhos. Antes de acontecer esse ajuste, sua cabeca talvez estara fodid quee talvez nao sobre nada p ajustar. Se uma religiao incentiva violencia , ainfa que simbolica, vc acha q se posicionar contra é cagar regra? Entao nao deveria ser femimista. Vai bastar dizer q minha religiao me ensinou p vc nao ligar se eu to fazendo barbaridades.

Anônimo disse...

Para as cristãzinhas que vieram aqui nos ensinar o que é ou não é submissão feminina: "Calem-se!" É o que ordena a própria Bíblia - mulher é proibida de liderar ou ensinar qualquer coisa, só pra começo de conversa. Na igreja, não lhes é permitido falar - o que as mulheres do vídeo postado quebraram, profanando a palavra do "Senhor"!! :o

Assim sendo, não há menor moral para falar qualquer coisa aqui. Eu não estaria falando de modo tão machista se não estivesse diante de uma situação ainda mais machista.

Esmeralda Castro.

Ivani Medina disse...

Quando iniciei minha pesquisa diletante acerca da origem do cristianismo, eu já tinha uma ideia formada: nada de Bíblia, teologia e história das religiões. Todos os que haviam explorado esse caminho haviam chegado à conclusão alguma. Contidos num cercadinho intelectual, no máximo, sabiam que o que se pensava saber não era verdade. É isso o que a nossa cultura espera de nós, pois não gosta de indiscrições. Como o mundo não havia parado para que o Novo Testamento fosse escrito, o que esse mesmo mundo poderia me contar a respeito dessa curiosidade histórica? Afinal, o que acontecia nos quatro primeiros séculos no mundo greco-romano, entre gregos, romanos e judeus? Ao comentar o livro “Jesus existiu ou não?”, de Bart D. Ehrman, exponho algumas das conclusões a que cheguei e as quais o meio acadêmico, de forma protecionista, insiste ignorar.

http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver

Diana disse...

Parabéns Lola.
O século XIX tema em tirar nossa energia.

Clara Marinho disse...

Eu tambem sou meio feinha e sofro muito com isso hoje tenho 12 anos mas aprendi a ser madura o suficiente para enfrentar esse tipo de problema , mas ainda tem alguns comentarios que realmente eu nn consigo me controlar eu choro aos prantos nos banheiros da escola e eu queria saber o que dizer para as pessoas q nos criticam mas sem tocar nos defeitos dela, como a maioria das pessoas fazem?

Anônimo disse...

Eu li o artigo, achei bem interessante o conteúdo. Mas falando sério, não somos crianças, temos que parar com essas briguinhas de crianças, de quem é melhor, quem tem que fazer isso fazer aquilo. Entendo de verdade o ponto de vista da autora, mas pensando bem temos que nos tornar pessoas equilibradas, as crianças não só devem ser educadas para passar em concursos ou entrar em faculdades, mas também na vida adulta, acredito eu fortemente que tarefas domésticas não tem gênero, os dois gêneros tem de aprender a tocar uma casa, não apenas um. Acredito também na boa ordem na familia quando os papeis já são estabelecidos não há briga por posições. Sei que cada gênero tem qualidades fantasticas que se complementam, não precisa brigar discutir. Existem familias que seguem a Biblia e são ótimas, claro também existe as que não dão certo, mas não é porque a Biblia fez dar errado muito provavelmente alguém deixou de cuidar do casamento, A Biblia diz que o marido deve amar a esposa a ponto de entregar sua vida por ela, e a esposa deve respeitar o marido profundamente. O que há de errado nisso? Deixem de brigar por besteira. E olhem em volta como o mundo está horrivel, familias se despedaçando e crianças, filhos nossos filhos, ficando a Deus dará.

Black giro disse...

Eu confesso que eu gostava do Diante do trono, mas de lá pra cá, meu amor por eles diminuiu muito quando me tornei feminista, primeiro foi esse vídeo do mulheres diante do trono que foi muito ultrapassado e machista, depois foi a declaração da Helena Tannure, uma das ex-integrantes do Diante do trono, ela disse que Deus tinha criado ela pra ser somente dona de casa, isso tem lógica? Sem falar da declaração ultra preconceituosa da Ana Paula Valadão sobre pessoas gordas, isso me fez perceber que essas pessoas não são cristãs de verdade e só reinforçam estereótipos sobre os cristãos, mas a boa notícia é que atualmente eles nem tem tanta popularidade que nem era antigamente, no começo dos anos 2000 tinha vários CDs e DVDs deles, lembro que tinha o Crianças Diante do trono que era igualmente popular, mas hoje em dia essa febre passou, os novos CDs deles não vendem direito e o Crianças Diante do trono não lança mais nada, então Lola você não precisa se preocupar por que eles perderam metade dos seus fãs com essas declarações e sem falar que o Crianças Diante do trono perdeu a criatividade, por exemplo: o último DVD “Davi” era só uma cópia descarada do “Samuel: o menino que ouviu Deus” que era uma cópia do “Arca de Noé”, todos esses três tinham a mesma formula: os personagens viajavam no tempo pra ver acontecimentos da Bíblia, o que era muito bizarro, gostava mais quando eles focavam na conexão das crianças com Deus que nem era os primeiros quatro DVDs ao invés de dar uma aula de Religião, tudo bem colocar esse tema em um DVD, mas em três DVDs chega a ser repetitivo, mas, como eu falei antes, o Diante do trono não faz mais sucesso que nem antigamente por causa das ações recentes deles.

«Mais antigas ‹Antigas   201 – 233 de 233   Recentes› Mais recentes»