segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

FAÇAMOS O MELHOR PARA NÃO CRIAR ESTUPRADORES

Esses dias a Amanda me enviou um texto muito bom da Eve Vawter do Mommyish (ou pelo menos uma parte). Pedi pra Amanda traduzi-lo, e ela, que é estudante de moda em SP e professora particular de inglês (além de ter um blog), me mandou a tradução rapidinho. Muitíssimo obrigada, Amanda!
O texto é necessário porque toda vez que dizemos “Ensinem homens a não estuprar, não mulheres a não serem estupradas”, vem alguém dizer que isso é ridículo, que é óbvio ululante que os homens sabem disso. Mas não sabem. Se na maior parte das vezes tantos homens (e muitas mulheres também) negam que um estupro foi estupro, como vão saber que não devem estuprar? 
As mulheres aprendem muito bem, desde muito cedo, o que devem fazer para tentar não serem estupradas. A ameaça do estupro é uma constante na vida da maior parte de nós. Pensamos nessa ameaça ao entrar num lugar deserto. Pensamos nisso ao sair sozinhas. Pensamos nisso o tempo todo, acredite. Este medo que nos é imposto ajuda para que sejamos domesticadas, para que sejamos controladas, para que saibamos nosso lugar na sociedade. É por isso que o estupro beneficia muito mais gente que o mero estuprador. A ameaça de estupro é uma forma de todo um gênero controlar outro gênero.
É engraçado como os homens que ficam revoltados com a frase "ensinem os homens a não estuprar, não as mulheres a não serem estupradas" não se revoltam com todo o discurso de que mulheres devem aprender a não serem estupradas. Porque, sabe, mulheres serem ensinadas a não ser estupradas não impede o estupro. Porque não depende de nós. Depende de quem estupra. Além do mais, somos enganadas. Ninguém fala pra gente que o que vemos como estupro-padrão (um estranho numa rua escura e deserta à noite) só representa uns 30% de todos os casos de estupro. A maior parte dos estupros é cometida por conhecidos (parentes, amigos, namorados, maridos) da vítima, e em sua casa. Isso não ensinam pra gente.
E ao mesmo tempo, o que é ensinado aos homens sobre estupro?
É muito fácil limpar a barra dos homens ao pensar que quem estupra é um monstro. Porque não é. É um cara que pode ser muito simpático em outras oportunidades, mas que aprendeu que “forçar a barra” não é estupro. Aprendeu que quando a mulher diz “não” ela só está se fazendo de difícil. Aprendeu que as mulheres adoram ouvir cantadas de teor sexual na rua. Aprendeu que mulher não gosta muito de sexo, então, se ele não insistir, não vai rolar. 
Aprendeu que sua masculinidade é medida pelo número de parceiras que tiver. Aprendeu que sair com uma garota e pagar o jantar significa que ela tem que transar com ele. Aprendeu tanta coisa errada que não é surpresa que a primeira pergunta de tantos (e só no caso dos estupros-padrões, na rua, à noite, por estranhos -- o único estupro que as pessoas acreditam que existe) é aquela, "O que ela estava vestindo?".
Está na hora de oferecer um outro aprendizado. É isso que Eve propõe no texto abaixo.

Todas nós adoramos nossos filhos. Não passa pela nossa cabeça que eles machucariam alguém deste modo, que seriam capazes de cometer este tipo de violencia. Mas o triste fato é que sim, eles são. E para cada mãe que já teve seu filho acusado de estupro, eu tenho certeza que a maioria delas se sentiu como eu e você: "Meu filho nunca seria capaz de fazer isto!". Nós não queremos que nossas crianças se tornem estupradores.
Pais e mães precisam estar envolvidos nesta conversa com seus filhos. Precisamos explicar aos nossos garotos como agir se eles estiverem numa festa e virem uma menina desmaiada. Precisamos dizer a eles de modo definitivo que, se houver hesitação por parte da garota, seja quando estiverem se beijando ou indo além disso, eles devem parar imediatamente. Precisamos nos certificar de que nossos filhos têm plena consciência de que pressionar uma menina para que algo aconteça nunca é ok, seja através de força física ou coerção verbal. Nós precisamos ser enfáticxs sobre isso. E isso precisa acontecer muito antes de nossos filhos começarem a pensar sobre sexo.
Quando meus filhos eram pequenos, eu e meu marido nos esforçamos em sempre focar num comportamento de empatia. Todos nossos filhos são como esponjas. Quando o seu filho é pego brigando com outra criança por ter que dividir um brinquedo e você pergunta “Como você se sentiria se alguém batesse em você?”, você está ensinando seu filho a não pensar somente em si mesmo. Quando você ensina empatia a crianças, você está evitando que elas se tornem adultos narcisistas, uma desordem que boa parte dos especialistas acredita estar presente na grande maioria dos estupradores. 
É preciso usar a mídia em seu favor. Quando seus filhos forem expostos a conteúdos violentos ou abusivos contra mulheres em filmes, videogames e música, você precisa parar e explicar a eles porque este conteúdo é errado. Também é necessário ensiná-los a respeitar mulheres e tratá-las com igualdade. Assim, se seu filho de 9 anos disser que uma menina da sua classe se veste como uma “vadia”, você deve chamar sua atenção, e explicar a ele que o modo como uma mulher se veste não é indicação nenhuma do valor dela como ser humano nem um indício de sua personalidade. Não que isso já aconteceu na minha casa...
Dizer aos nossos filhos “não estupre” não é suficiente. É necessário incluir muitos outros tópicos nessa discussão. Diga a ele: não repasse fotos íntimas que você receber de garotas para seus amigos. Não diga grosserias a meninas que passam por você na escola. Não dê álcool ou drogas para meninas em festas esperando que isso aumente as chances de que elas fiquem mais receptivas sexualmente. Não veja meninas e mulheres como seres sexuais desprovidas de intelecto, sentimentos e alma. Não chame meninas de vacas, vadias ou qualquer palavra similar. Não deixe seus amigos fazerem isso.
Quando nós falamos de sexo com nossos filhos adolescentes, além de pedir que eles não engravidem ninguém […], também conversamos sobre violência sexual. Espero que você também tenha essa conversa.

89 comentários:

Anônimo disse...

Estrategia inteligente a de educar feministas, mas incompleta , pois não leva em conta natureza masculina, apenas quer doma-la, como se homens e meninos fossem animais a serem domesticados,e por favor não me levem a mau, somente quero acrsentar algo ao debate,demonizar a natureza masculina apenas porque a tensão hormonal masculina é maior
é uma violência contra a natureza masculina.
Não estou dizendo que os homens são selvagens como leões, mas apenas que eles possuem uma natureza mais agressiva do que a mulher, logo, os homens deveriam ser alvos de políticas especiais. Ninguém leva um leão pra casa e cuida dele
como um animal de estimação. Por quê? Porque simplesmente a relação do homem
com o leão é uma relação muito perigosa. Nenhuma pessoa entra num zoológico e se
aproxima do leão pra fazer cafuné nele. Alguém já viu isso?
Não se trata de matar leões e homens. A questão não é essa. A questão é o
reconhecimento da natureza do homem. as feministas erram porque são
antinaturalistas ingênuas, elas simplesmente querem que os homens tenham o desejo
sexual de um urso panda, já que esse bonito animal possui o mínimo de agressividade
sexual. Se os homens tivessem o desejo sexual de um urso panda, eles seriam bem
menos violentos, a taxa de criminalidade seria bem baixa.
O mundo no qual o homem tem tanto desejo sexual quanto um urso panda não existe e jamais existirá, porque os genes do homem não mudarão ou mudarão muito pouco!
Esse mundo é tão ilusório quanto o mundo no qual o leão pode ser tratado como
animal de estimação, por mais que a natureza do homem incomode, ela precisa ser
vista de maneira realista. vocês feministas não podem viver de fantasias, elas querem que os
homens sejam conformistas como se eles não tivessem desejo sexual nenhum e como
eles não são conformistas do jeito que elas querem, então elas demonizam a natureza
masculina.
Parece feministas não conhecem o meio termo, o equilíbrio, elas dialogam na base dos
extremismos, para elas só existem dois pontos de vista extremos, diametralmente
opostos. Ou o homem tem um desejo de urso panda e não possui agressividade
sexual nenhuma, ou ele é um misógino que quer controlar toda a liberdade sexual das
mulheres.
o home presiisa sim de uma educação adequada, ate porque são os homens que mais sofrem com esta violência, basta ver o numero de mortes violentas na sociedade, muito maior entre o sexo masculino, mas lembrem-se, educar o homem, não significa domesticar o homem.

Tenham um bom dia !

Anônimo disse...

Estudos indicam que amigos influenciam mais que os pais, e esse fenômeno só aumenta com a idade. Portanto, tentar ensinar essas idéias de vocês a uma criança pode ser pouco efetivo, caso eles vivam em uma sociedade machista. Além disso, duvido que um homem heterossexual, ao ver uma mulher gostosa caindo de bêbada, vá pensar no que papai e mamãe ensinaram quando ele tinha uns 9 anos. Até porque, nesse momento, o rapaz provavelmente também estaria um tanto embriagado.

Anônimo disse...

muito bem a educação de meninos deve ser assim, e a educação de meninas ?
porque vocês nunca dizem nada sobre a educação de meninas ? elas podem tudo no universo feminista ?
que tal ensina-las a não brincar com o sentimento dos outros ? ou a não ficarem se insinuando em joguinhos sexuais ? que tal ensina-las que não basta ela instalar os dedos, e terá qualquer homem aos seus pés, apenas por ser bonita ? que tal ensina-las que namorado não e pai delas, e não tem que ficar pagando tudo para ela ? que homem não e meio de trasporte ?
que ela não pode humilhar homem em publico, com gritos e discussões imbecis ?
ensinem suas filhas a isto, A NÃO COMETER VIOLÊNCIA EMOCIONAL !

Anônimo disse...

Eu poderia ensinar minha filha assim " por favor filhinha não entre em carro de homem que você mau conhece, e de indole estranha"
Mas ai vocês diriam que eu estou errado, que o pai e mãe do estuprador e que deveria te-lo ensinado a não estuprar ( e a não roubar, não mentir, não agredir etc)
Belê..., mas e se ele não aprendeu ?
Porque fica facil por a culpa nos pais por todo estupro, assalto, agressão roubo que acontece na sociedade, sem levar o livre arbitrio individual, e natureza individual em conta !
se tudo fosse uma questão de educação, não heveriam estupros na Suecia, e sabe-se que as taxas la são altas, porque ?

Bruninho disse...

Ai, Lola...

Enquanto vocês (amapôs) ficam aí reclamando que o cara forçou um pouquinho a barra e fazem uma verdadeira tempestade em poça d'água, nós, bichas, A-GRA-DE-CE-MOS!

Cada vez tem mais homem teso que, com medo da reação de vocês, vem se aliviar com a gente. E aí já viu, né? Depois que sai uma vez com homem, percebe que não tem frescura e que a oferta é ampla, dificilmente volta para o lado de lá.

Continuem assim, garotas! Só não vão reclamar depois que falta hétero no mercado.

bjussss
hahahaha

Pili disse...

é, na minha época de escola também teve um desses escândalos de internet. Umas quatro ou cinco meninas posaram pra uma foto juntas, sorrindo, sem roupa. E rapidamente todos da cidade compartilharam as fotos, fosse com um propósito de satisfação sexual ou fosse com o propósito de intimidar, rir, usar aquilo como uma acusação contra elas posteriormente...
Bom, na época eu tentei explicar que invadir a privacidade, e divulgar sem autorização a intimidade alheia, era mais do que apenas feio e mau. Era crime.
E eu tinha que explicar isso do alto dos meus 14 aninhos, sem um vocabulário tããão desenvolvido assim, sem ninguém que me apoiasse. Eu explicava isso justamente porque eu sabia que se tratavam as garotas da turma ao lado como coisa, sem nenhum receio ou punição, poderiam também fazer isso de qualquer outro modo, com qualquer uma. Eu achei difícil e triste carregar sozinha uma responsabilidade que não era das crianças, e sim dos adultos.
Eu também estava dentro do meio social sofri daquela "pressão" pra falar mal das garotas e pra continuar espalhando aquelas fotos. E teria sido vantajoso MOMENTANEAMENTE aderir a esse linchamento, porque afinal, não aderir fez com que as pessoas me colocassem no mesmo patamar que elas. Se eu não estava chocada com o que elas fizeram, era porque eu era tão "vagabunda" quanto elas.

E qual foi a postura da escola? dos pais? da igreja?
1-dizer preguiçosamente que não iriam correr atrás de cada um dos envolvidos.
2-Passar em cada uma das salas de aula dizendo que as garotas haviam assumido o risco de serem vilipendiadas.
3-Pior, os adultos da época tinham uma resposta pronta, que era repetida em todos os casos de crimes contra honra (injúria, calúnia, difamação), inclusive os de internet. Era muito comum dizer que usar o judiciário pra defender a moral de adolescente é perda de tempo, desnecessário.
e olha gente, isso foi na década passada. super recente.
e a escola em que eu estava era uma dessas chiques, que aparece nas revistas, tradicional, etc.
enfim...
na época era muito difícil de entender. Eu tinha as impressões e os sentimentos, mas não conseguia racionalizar tudo aquilo. Hoje eu consigo.
E é por isso que eu afirmo sem receio nenhum.
O sujeito que publicou as fotos daquelas meninas foi apenas um dos agressores. Os outros agressores estavam escondidos sob a alcunha de educadores. Professores, diretores e familiares que participaram daquele abuso sexual.
a dica que eu dou pra qualquer mulher de qualquer idade que tenha passado por esse infortúnio é:
levanta a cabeça e vai viver sua vida.
Não, amanhã ninguém vai lembrar de nada disso!!
Pode parecer difícil e demorado, mas isso passa. A "notícia" passa, e o povo esquece.
E não. Vc não fez nada de errado.

Bruno disse...

Para além da educação em casa há outra educação que também é falha e deve ser mais eficaz. O estupro é crime e sendo crime é discutido na justiça que muitas vezes reproduz esses mesmos pensamentos, essas mesmas idéias. Uma vez eu trabalhava como assistente de acusação em um caso de estupro (uma menina estava numa festa de república de faculdade, bebeu um pouco, o rapaz subiu com ela pra u quarto, ela se recusou a transar com ele e ele transou com ela a força) e o advogado do réu escreveu em sua defesa que a vítima estava na festa, usava um vestido muito curto, tinha bebido e tinha subido com o réu para o quarto, sendo assim ela queria o sexo e se arrependeu depois, o rapaz não podia adivinhar isso, bastava o consentimento de ter subido com ele. Por incrível que pareça era este o argumento que o advogado usada a sério, que a vítima não tinha o direito de mudar de idéia. As penas nos crimes servem também para educação, para educar a sociedade acerca das condutas mais corretas e sinto que a justiça penal tem falhado em também combater estas idéias de que quem estupra são monstros em ruas desertas, essa pergunta de o que a mulher estava vestindo, etc.

Gabriela disse...

Clap, clap, clap!

Daniele disse...

Lindo post como sempre Lolinha, concordo plenamente, tenho dois irmãos mais novos, 10 e 12 anos, e tento conversar muito com eles! Essa estória de "ensinar mulheres a não serem estupradas" é um discurso tão comum que nem se percebe o quanto é opressor e machista, sem falar que acaba por legítimar o estupro, poque afinal se a mulher não teve aquele comportamento esperado socialmente então esteve pedindo para ser estuprada, e ai é quele círculo vicioso que ja conhecemos! bjos ótima semana!!

Hamanndah disse...

"Quando o seu filho é pego brigando com outra criança por ter que dividir um brinquedo e você pergunta “Como você se sentiria se alguém batesse em você?”, você está ensinando seu filho a não pensar somente em si mesmo. Quando você ensina empatia a crianças, você está evitando que elas se tornem adultos narcisistas, uma desordem que boa parte dos especialistas acredita estar presente na grande maioria dos estupradores. "]

apesar do post ser sobre esupro, aproveitei essa frase para falar sobre violência verbal e fisica contra mulher

Na minha família, uma vez, dentro de um carro com alguns parentes, vi um homem da minha familia bater nas pernas da sua esposta, pois eles estavam discutindo, os dois falando palavras agresivas um ao outro, e ele se achou no direito de agredí-la fisicamente, devido à mútua( justiça seja feita) agressão verbal

Mas, dentro do carro, tambem estavam os dois filhos, que erem crianças de 9 e 11 anos

Quando o de 9 virou adolescente, deu um tapa na mãe dele

Ele aprendeu isso com o pai, é lógico!

Então, não só educação anti-esupro, também educação anti-violência, todos os tipos de violência

Bjs

Natália Muffato disse...

Eu tenho uma filha, e não nego que era meu desejo que fosse menina, mas lendo cada post aqui sempre penso que eu quero ter um menino um dia para ensiná-lo a respeitar as mulheres, quero ensiná-lo a ser "diferente" desses mascus e eu seria uma mãe realizada!!!!!

Hj, como mãe de menina desejo passar a ela uma vida sem preconceitos, é o que eu mais desejo que ela aprenda. E que ela seja muito feliz sendo quem ela for!!!

Espero que muitas mães de meninos(e meninas também) lêem esses post e eduquem melhor seus filhos. Sei que não é uma tarefa fácil, que mals exemplos bombam por aí, mas precisamos tentar ao máximo!!!

Momento fã: Adoro seu blog Lola, tenho lido muito sobre feminismo agora que sou mãe, tenho pesquisado o que quero passar, ensinar à minha filha e cheguei aqui e amei!!!
Bjos!!!!

Karla Shimene disse...

Essa cultura do estupro também é defendida quando dizem que os homens não são responsáveis pelo que fazem por que agem por "instinto". "Homens" não olham pra mulher na rua por instinto, mas sim porque não tem educação. "Homens" não estupram pq não conseguiram se segurar, mas sim pq são crápulas, monstros e acham que sua vontade deve ser saciada sem se importar com o sentimento alheio. E principalmente, "homens" que criticam essa cultura da bundalização, sexista e de estupro mas compactuam com ela ("elogiando" mulheres na rua, xingando mulheres de vadias, etc), além de hipócritas não são homens. Aliás, estão muito longe de ser.
Ter apetite sexual e pegar várias não te faz homem. Ter vontades e desejos "incontroláveis" não te faz homem. Comer churrasco e beber todas não te faz homem. Atitude, inteligencia e usar a cabeça de cima sim, te faz ser humano e digno de respeito. Devemos ensinar desde cedo aos meninos, como se tornarem homens de fato.

Anônimo disse...

Muito interessante o texto, vou ser pai agora, e tenho lido tudo o que posso sobre educação, mas pergunto, em um mundo onde as 15 horas da tarde uma moça ganha 80 mil reais para mostrar a bunda(ou nádegas,para não ofender as suscetibilidades do site) onde pagam milhares de reais para outras moças ficarem na piscina o dia todo sem fazer nada, no qual mulheres
dizem abertamente na tv que homem tem que "ter atitude, pegada" , enfim,fica complicado educar especialmente meninas, sim, pois a mocinha da novela nunca vai se destacar pelo doutorado em física de párticulas, e sim pelo beijo roubado do mocinho, creio eu que nesse contexto, devemos educar da mesma forma meninas e meninos,pois elas também enganam, mentem, dopam outras pessoas.

Anônimo disse...

Alguma das leitoras daqui que tem filhos homens acredita que ele vai ser um estuprador se não for martelado na cabeça dele que ele não deve fazer isso ?

Ramilla disse...

Acho que esta é uma das questões que poderiam ser discutidas em aulas de educação sexual, por exemplo (as minhas só falavam de como evitar a gravidez e as DSTs, como se todo mundo na sala fosse ativo sexualmente).
Mas creio que também a educação venha de casa e de cada um fazer o seu papel, começando não considerar normal que o irmão maior bata na irmãzinha (repreendo meu primo quando faz isso com a irmã, ele não está sendo criado para bater em mulheres), ou que, por ser homem, significa que não tem deveres e direitos iguais aos das mulheres.
É um trabalho de formiguinha.

Helena disse...

Esse post me fez lembra intensamente de uma vez, há uns dois anos atrás, quando um amigo meu me disse que gostava de uma amiga. Ele me perguntou o que ele deveria fazer, sutilmente, pra que a menina percebesse que ele gostava dela.
Quando eu perguntei pra ele o que os meninos (os amigos dele, no caso) tinham falado, ele disse que a maioria tinha dito pra ele "empurrar a fulana num canto e simplesmente agarrá-la, que esse negócio de ser sutil com mulher não funciona". Meninos de 15 anos, todos morando com os pais, todos numa escola boa, falando esse tipo de coisa. Meninos que eu conhecia, meus amigos. Eu nunca, nunca, esqueci dessa frase, pq na mesma hora eu pensei que se os pais (as mães, principalmente) deles soubessem que eles saíam por aí falando esse tipo de coisa, eles certamente NAO DIRIAM. Pq nenhum pai, em sã consciência, deixaria o filho falar uma idiotice daquela. Achava que alguém devia informar os pais no que os filhos estavam se tornando, que eles certamente corrigiriam aquilo tudo. Eu meio que senti PENA dos pais daqueles, com o perdão da palavra, IDIOTAS, por ter criado filhos daquele jeito, inconscientemente.
Com esse post, eu percebi que eu nao posso presumir que os pais daqueles garotos sejam "inocentes" só pq nao falaram nada. Talvez eles tenham incentivado aquele comportamento -"joga na parede e beija ela"- só por nao falar nada. Talvez eles tenham se omitido, ou preferido nao lidar com aquilo tudo. Deixar que o filho aprenda sozinho.
Eles deviam ter percebido que numa sociedade machista, e pq nao, misógina, deixar o filho "aprender sozinho" o que é sexo pode gerar comportamentos que mais tarde darão àquelas mães motivos pra dizer "eu nunca achei que ele era capaz disso. Blablabla."

Anônimo disse...

Falar o óbvio é sempre bom.

Anônimo disse...

Natália Muffato. Concordo com o post e com o que você disse. Menos que os homens que olham mulheres na rua não tem educação. Ora, como não olhar? Se eu vou atravessar a rua, preciso olhar para os lados, onde certamente haverão muitas mulheres. Olhar é uma coisa, babar feito cachorro com raiva é outra, não?

Anônimo disse...

Este discurso, dependendo de como é colocado pela mãe, pode parecer um apelo, um pedido, um conselho, e não fazer efeito algum se a criança não vir autoridade na mãe ou do interlocutor. Uma mulher condescendente, permissiva, dissimulada, ausente, descompensada não terá a mínima autoridade junto aos seus filhos para que estes absorvam a cultura anti-estupro nem anti-drogas, nem anti-fumo/álcool anti sexo-desprotegido, anti-obesidade e por aí vai. Se fosse assim, tava bom demais.

Anônimo disse...

Desculpe Natália...o comentário anônimo era pra Karla e não para você.

Alice disse...

Acho que para muitos pais e mães é muito complicado ensinar um filho homem a não estuprar. Um estuprador (aquele do terreno baldio, na noite escura) é uma pessoa tão horrível que eles não julgam que seu filho que está comendo sucrilhos em frente a TV seja capaz de fazer uma coisa dessas. Mas o cara que 'força a barra' é outra coisa. Lamento dizer, mas, todos os homens já 'forçaram a barra' em algum momento. E o mais difícil: as meninas acham normal. Já ouvi de amigas que deixaram o namorado fazer sexo com elas (essa é a expressão, elas não participaram do sexo, deixaram seu corpo ser usado) por 'obrigação'. Afinal, se o seu namorado não faz sexo com você, qual a sua serventia, não é mesmo? Eu tb já tive desses momentos. De me deixar usar por namorado pq achava que ele 'merecia' um agrado. A minha vontade era zero, mas você se deixa levar para que a pessoa que vc gosta não se sinta frustrada. Isso é horrível. Sexo é vontade, desejo e paixão, não obrigação. Hoje eu sei, mas nunca vou esquecer do gosto amargo que fica na alma da gente quando a gente se 'deixa usar'.

Bruno S disse...

Podemos ver pelos primeiros comentários que bastante "gente" se sente incomodado em ser retirado de sua zona de conforto e ser apontado como parte do problema.

Cultura de estupro vem de longe e está em todos nós, homens e mulheres, adultos e crianças.

Se não trabalharmos bem essa ideia com os mais novos (filhos, sobrinhos, alunos) o problema permanecerá.

Alice disse...

Concordo com o Anônimo das 10:48. Colocar todos os homens-leões no zoológico e jogar a chave fora. Afinal, leões não podem conviver na sociedade, afinal: 'Ninguém leva um leão pra casa e cuida dele
como um animal de estimação. Por quê? Porque simplesmente a relação do homem com o leão é uma relação muito perigosa. Nenhuma pessoa entra num zoológico e se aproxima do leão pra fazer cafuné nele. Alguém já viu isso?'

Mirella disse...

"que tal ensina-las que não basta ela instalar os dedos"


Fiquei em dúvida, precisa atualizar o software?

Tem gadgets divertidos?
Tem bug report?

Dá pra comprar na AppStore?

#duvidinhasfeministas

Anônimo disse...

"Instinto", "natureza masculina"

É do instinto/natureza de qualquer animal se alimentar.

Até hoje nunca vi nenhum mendigo atacar uma pessoa por causa de comida. Há o roubo/ataque AO LUGAR, mas à pessoa, briga por sobrevivência, pelo melhor alimento... Nop.

Tentem novamente.

Carolina Paiva disse...

Eu realmente não entendo esses comentários relacionando estupro com "natureza masculina" e dizendo que, por isso, uma educação feminista não seria eficaz.
Só eu acho que esse tipo de discurso é ofensivo aos próprios homens? Não somos nós, feministas, que relacionamos estupro com a natureza do homem (sério, procurem aqui mesmo no blog e não acharão isso), mas justamente os críticos do feminismo. Isso não faz o menor sentido.
Nós relacionamos estupro com comportamentos influenciados pela cultura. A cultura de estupro é simplesmente fomentar a falta de empatia pelas vítimas. Ensinar as filhas a "como não serem estupradas" não é um problema onde as vítimas de estupro não são culpadas por terem sido estupradas. Não é o que vemos. Infelizmente, vítimas de estupro são geralmente hostilizadas, porque "pediram" ou "mereceram" a violência sofrida. E muita gente tende a ter uma ideia limitada sobre o que é um estupro.
Por trás dessa educação de "não seja estuprada", tem sim uma sociedade machista que julga e denigre quem é estuprada, já que a vítima fica marcada por ser "desonrada".
Nós não vemos o mesmo estigma acontecer entre vítimas de outros crimes, como de agressão física, roubo, etc. Somos ensinados a sermos cuidadosos com nossos pertences, mas se formos furtados/roubados, não seremos estigmatizados pelo crime que sofremos.
De nada adianta apenas educar as filhas para não serem estupradas, se não educarmos as pessoas para terem empatia, para não julgar vítimas de estupro, para não acharem normal o estupro de pessoas bêbadas, etc.
É preciso educar para a prevenção sim, mas antes é preciso saber o que é estupro, e não ter uma ideia limitada e falaciosa sobre o que é estupro. Essa educação previne que vítimas de estupro sejam hostilizadas por terem sido estupradas. É a educação da empatia.

Helena disse...

Anônimo das 10:53,
Sim, os pais não tem culpa de tudo. Os amigos influenciam mais que os pais. É verdade, indiscutível.
A questão é: os amiguinhos que influenciam negativamente aprendem isso em algum lugar. Sinceramente. Se vc for sondando e buscando, vai chegar em alguém que aprendeu em algum lugar (filmes, propagandas de cerveja, até mesmo em casa) que empurrar meninas e beijá-las sem elas quererem é normal e todo mundo faz.
Mas é aí que tá: esse alguém deveria ter uma pessoa pra falar "nao, vc nao pode fazer isso pq isso é estupro e isso é errado. Mesmo se a coleguinha usar roupa curta, ou se ela tiver beijado outro coleguinha.". E essa pessoa, Anônimo das 10:53, ou essas pessoas, tem que ser alguém que imponha algum respeito na criança (respeito não quer dizer medo, veja bem.). É aí que entra o papel da mãe/pai/responsável.

Então, só pra concluir: é, os amiguinhos podem influenciar negativamente sim. IMPEÇA QUE SEU FILHO SEJA ESSE AMIGUINHO. Fale com ele que mesmo que "todo mundo faça", não é legal sair por aí chamando as meninas de vadias. Se todos os pais/responsáveis fizerem isso, QUEM SABE um dia toda essa violência diminua. O que nao pode é não fazer nada, bater palma e achar lindo, vamos combinar né.

Mirella disse...

E, como sempre, mascu dando F5 no blog pra comentar.

É amor enrustido demais, gente.

Anon das 11:07

Vou te fazer um favor e postar um link de bandeja

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/09/120917_suecia_estupro_lgb.shtml

Ler antes de falar besteira costuma ser bom, viu? E não mata.

E, btw, ensine sua filha como quiser, mas não se esqueça de ensinar seu filho também.
Deu para entender ou é difícil? Aqui se questiona justamente o enfoque em ensinar a criança/mulher a evitar um crime que não é ela que comete. Por que não ensinar que não se deve cometer o crime?
Entrar num carro convidada não é crime, estuprar é.
Mas é a menina/mulher que é ensinada a não entrar, o homem vê o estupro como uma oportunidade. Será que falta tanta empatia assim na sua vida que você é incapaz de perceber que este comportamento culpabiliza a VÍTIMA e deixa o agressor impune? Parabéns para você, acabou de perpetrar um sistema que, caso a sua filha seja estuprada, a culpa será dela!
Retire sua estrelinha dourada na recepção.

Anônimo disse...

Para uma mãe, o projeto de criar um menino é o projeto mais satisfatório que ela pode esperar. Ela pode assistí-lo, enquanto uma criança, brincar com os jogos que ela não era autorizada a brincar; ela pode investir nele suas ideias, aspirações, ambições, e valores — ou tudo o que tenha sobrado delas; ela pode assistir ao seu filho, que veio da sua carne e cuja vida foi sustentada pelo seu trabalho e devoção, personificá-la no mundo. Então, enquanto o projeto de criar um menino é repleto de ambivalência e leva inevitavelmente à amargura, ele é o único projeto que permite a uma mulher ser — ser através do seu filho, viver por meio do seu filho.

— Andrea Dworkin em um discurso pronunciado na Faculdade de Queens, Cidade Universitária de Nova Iorque, em 12 de março de 1975.

Anônimo disse...

Não querem criar estupradores? Parem de ter filhos homens!










É a maneira mais eficaz, garantida e duradoura de acabar com a cultura do estupro, pra sempre.

Sara disse...

Sinceramente acho dificil esperar de uma mãe, mais empatia com seu genero do que com seu filho.
E mesmo aquelas q são mães tanto de filhas como de filhos, geralmente protegem mais o filho, pelo menos nos exemplos de amigos q eu tenho e partilho mais intimidade.
Ja me perguntei o porque disso, e a única explicação q consegui elaborar, é q talvez as mães acreditem q o garoto tem mais chances de sucesso que suas filhas, ja q ainda vivemos em sociedades patriarcais.
Dificilmente uma mãe deixa de defender o filho em uma situação de estupro, e o q se Vê é o alinhamento automático com o padrão de se culpar a vitima ou mesmo negar o fato apesar de evidências.
Sei q vou ser criticada por pensar assim, mas sempre achei q a maternidade é o calcanhar de Aquiles do feminismo, pois ela gera sentimentos muito poderosos na grande maioria das mulheres, que faz com q elas muitas vezes coloquem em segundo plano a luta de seu próprio genero, e muitas mulheres ainda nos dias de hoje ao se verem confrontadas com a maternidade abandonam suas carreiras e sua independência, colocando-se assim no papel de vitimas ideais para q o machismo exerça todo poder que tanto nos oprime.

Hamanndah disse...

Aos anónimos imbecis de 10:48 e 10:57

O fato de o homem ter mais ou menos desejo sexual que a mulher não dá direito a ele de fazer sexo com ela contra a sua vontade

Ex:

Eu estou com uma bruta fome no meio da tarde , no trabalho, e nao trouxe grana para o lanche. O que devo fazer? Roubar o de meu colega?

"Tô com fome, tô sem dinheiro, passe para cá seu lanche, eu tenho muito apetite, portanto, tenho todo direito de roubar sua comida"

Acha isso correto essa atitude da minha parte?

Entendeu, pamonhas?

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Empatia é a palavra-chave nessa e em todas as situações.

Abçs Lola e boa semana.

Camila F. disse...

Estupro não é nem nunca será sexo. Estupro é relação de poder, é domínio. E se não fosse uma questão cultural os dados de violencia contra a mulher, os dados sobre estupro e os dados de morte violentas de homens seria muito parecidos em todas as sociedades e culturas. E até um leão sabe que não são.

Mila disse...

esses mascus dão vergonha à humanidade. Colocam no mesmo patamar de discernimento homens e animais. Milênios de desenvolvimento cultural e científico pra vir uns idiotas e vomitarem isso.
Notei que sempre tem mascu comentando algum post da Lola e até hj não aprenderam nadica sobre feminismo.
Nunca vi aqui no blog ou em outros blogs feministas posts que glamurizam a mulher ser um objeto de contemplação ou de onanismo masculino. Todos nós já tivemos nossas desilusões amarosas, no entanto nunca vi a Lola dizer "Vamos pisar nos sentimentos dos homens, pq eles também pisam nos nossos!" ou que aconselham as meninas a procurarem homens com carro e com dinheiro para sustentá-las.

Anônimo disse...

Olá Lola... Sei que meu comentário foge ao assunto do post... Mas estava lendo sobre a j.k rowling, autora de harry potter... parece que editoras pediram que ela não assinasse com seu nome os livros por medo de que não seriam lidos por meninos, ou seja, pq os meninos poderiam não querer ler a obra escrita por uma mulher... não sei se é verídico o fato pq não acompanhei a saga, há pouco despertou meu interesse... Mas enfim, ao ler sobre isso na internet, pensei em sugerir para que vc faça um post sobre as escritoras - não de obras feministas, mas ficcionais e que com suas obras conquistam público independente de identidade de gênero... Abraços...

Anônimo disse...

"Empatia é a palavra-chave nessa e em todas as situações."

O que falta de empatia para com as vítimas, é o tanto de empatia que recebem os estupradores e demais odiadores de mulheres. Triste, mas é a realidade.

Sofia L.B. disse...

[Foi mal, meu pc deu problema. Mandei um comentário, mas não sei se chegou. De qualquer forma, se possível, preferia que ficasse SÓ este, tem como?]

Impossível não me lembrar:

"ÉPOCA – O senhor cresceu na periferia de Nova York. O que a sua família e sua comunidade lhe ensinaram sobre ser homem?

Tony Porter – Aprendi o que a maioria dos homens aprende: as mulheres devem nos obedecer, elas são frágeis e têm menos valor. Morei nos bairros do Harlem e do Bronx, onde existia muita violência doméstica. Todo mundo sabia que o vizinho agredia a mulher, mas isso “não era da conta de ninguém”. Era comum a ideia de que cada um age como quer dentro de casa, com a própria família. Eu ouvia comentários do tipo “se ela está apanhando, deve ter feito por merecer”. Cresci rodeado de homens bons, que amavam suas mulheres, mas que não se davam conta de que seu comportamento de inferiorizá-las perpetuava a violência. Eles só estavam fazendo o que os homens sempre fizeram.

(...)

ÉPOCA - Colocar esses homens agressores na cadeia é a solução?


Porter - Prisão não vai acabar com o problema. A solução passa por algo bem mais complexo: significa educar os homens para serem melhores, desafiá-los a pensar de forma diferente. A violência é fruto de uma equação que ensinamos a esses meninos: desvalorizar a mulher, tratá-la como propriedade e objeto. Eles não são doentes, não precisam de tratamento psiquiátrico. Estão apenas fazendo aquilo que ensinaram a eles desde menino. A sociedade sempre permitiu que ele se comportasse desse jeito. "

Daqui: http://revistaepoca.globo.com/Sociedade/noticia/2012/11/tony-porter-os-homens-que-agridem-mulheres-foram-educados-para-isso.html?fb_action_ids=461309077243499&fb_action_types=og.likes&fb_source=aggregation&fb_aggregation_id=246965925417366

Anônimo disse...

Off topic:

Hoje é dia de Ada Lovelace no Google, considerada a primeira pessoa na história a escrever um software, quando tudo ainda era teoria e apesar de ter sofrido uma série de preconceitos desde que nasceu.
Claro, ela foi uma privilegiada em uma época em que uma maioria na Europa não tinha muito acesso a educação e uma esmagadora maioria quase absoluta das mulheres não tinha acesso a educação alguma.
Por isso ferve o sangue ver mascuzinho dizer que mulher nunca inventou nada sendo que as mulheres só vem tendo acesso a educação recentemente na história. E aliás ainda não é nada universal e em alguns lugares é ainda algo "polêmico" até ( né, Malala Yousafzi?)

Anônimo disse...

Em tempo :
Medo dos argumentos apresentados aqui contra tentar educar crianças decentemente e para respeitar as pessoas

"Por que não ensinam meninas a não brincar com os sentimentos?" Quer dizer que alguém te deixou magoadinho pode estuprar ou cometer outras violências pra se vingar? Confere? Isso se ele não entende que "brincar com sentimentos"= " aquela vadia ousa não corresponder ao meu "sentimento" "

"Homens são como leões" Homens são como animais agora? Tipo, não tem a parte racional para controlar os tais "instintos"?E não eram as mulheres as irracionais nesse típico discurso "naturalista"?

"Por que não se ensina as meninas que namorado paga tudo/ é meio de transporte?" Afinal pegou uma caroninha, tá devendo né? E só tem um jeito de pagar, tá liberado estuprar também... Talvez você tenha sido "vítima" de alguma namorada folgada/ interesseira - mas vou te contar um segredinho: isso aí é fruto de uma educação machista que define papéis rígido pra cada gênero e não de uma educação feminista

Anônimo disse...

O anônimo do discurso do começo da página me parece mais um acomodado com a realidade e preguiçoso demais para mudá-la. Não estamos pedindo nada mais, apenas não estuprar. É difícil entender isso?

Anônimo disse...

Anônimo IMBECIL e MISÓGINO das 10:48

Homens são seres racionais, leões são seres irracionais. Simples assim.
Natureza masculina não tem NADA A VER com tendência à violência sexual seu acéfalo!
Pra justificar e enaltecer tanto a "natureza masculina" vc deve ser uma BICHONA(gay não porque eles são MACHOS pra terem a vida que desejam) ENRUSTIDA! Junta tua misoginia e ignorância e enfia tudo no teu rabo!




Anônimo BABACA das 17:50

Eu tenho filho HOMEM. E daí?
Ele vai se tornar um "criminoso sexual" por isso?!
Ele só tem 2 anos, mas, eu já o ensino a tratar suas amiguinhas da mesma forma que os amiguinhos.
NÃO é evitando ter filhos homens que vamos acabar com a cultura do estupro, é acabando com a educação machista, falida e decadente que certos indivíduos como VOCÊ, receberam.
Se teu pensamento fosse válido, tua mãe teria abortado você, seu cretino, mas, a pobre acreditava que tava dando a luz a um ser humano normal.
Você NÃO é homem, todo mascu-misógino é uma desgraça para o pai e a mãe!
Você faria um grande favor a humanidade, se invés de pregar o extermínio de meninos, você se MATASSE!
Enfia teus conceitos de MERDA no TEU RABO! Se quiser eu ENFIO toda a merda que vc fala no teu rabo! kkk

Não querem criar estupradores? Parem de ter filhos homens!


Sawl

Anônimo disse...

Para Mascus-misóginos, preconceituosos em geral e todos que defendem a "cultura do estupro" e culpam as vítimas:

"Que os jogos comecem"





Sawl(ou melhor Jigsaw)

Aninha disse...

Fiquei me perguntando o que o Anônimo das 10:57 quis dizer com 'instalar os dedos'. Eu tenho dez dedos... se instalar mais alguns será que ganho mais homens?

Afinal, o que eles vão querer com tanto dedinhos?

Anônimo disse...

ps:

Esqueci de deletar o "Não querem criar estupradores? Parem de ter filhos homens!" foi a afirmação do escroto acéfalo do Anônimo das 17:50,kk.

Abraço para todos homens e mulheres que desejam um mundo melhor.
Desejo que machistas, racistas, homofóbicos e preconceituosos em geral MORRAM com o veneno que existe em suas mentes. Hehe.



Sawl

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

"achei q a maternidade é o calcanhar de Aquiles do feminismo, pois ela gera sentimentos muito poderosos na grande maioria das mulheres, que faz com q elas muitas vezes coloquem em segundo plano a luta de seu próprio genero, e muitas mulheres ainda nos dias de hoje ao se verem confrontadas com a maternidade abandonam suas carreiras e sua independência, colocando-se assim no papel de vitimas ideais para q o machismo exerça todo poder que tanto nos oprime."

Bem,aqui vc esquece dos pais adotivos,das maes adotivas e dos pais adotivos.Barrigas de aluguel tbm.

Anônimo disse...

Os agressores e estupradores estão apenas fazendo aquilo que ensinaram a eles desde meninos. Mas eles têm uma escolha, e de fato, alguns homens escolhem não serem violentos e agem como pessoas minimamente decentes. Mas por que tantos agem muito pior do que animais irracionais? O que há de errado com os homens que são agressores e estupradores, que não são uma minoria de maníacos psicopatas? Eu não acredito que a culpa é toda da cultura machista, pois vejo que os homens têm sim escolhas e podem não ser violentos se eles quiserem. Além do mais, a cultura machista não veio misteriosamente do nada, ela foi criada por pessoas e é mantida e formada por pessoas, por nós.

Anônimo disse...

Lola, olha esse blog de tirinhas...não sei de quem é a autoria, mas acho fodástico. Ainda sem tradução.

Humor erocrítico ( se é que existe isso; se não, definitivamente Oglaf inventou) do mais bacana...e ainda por cima é pura nerdice de rpgista dos antigos... espero que goste.
bjos,

baiana Su

http://oglaf.com/punching/

Luiza disse...

Me mijando de rir com os comentários da Sawl hahaha

Ah, e eu só quero a quantidade padrão de dedos, não quero mais nenhum instalado, não.

Anônimo disse...

achei q a maternidade é o calcanhar de Aquiles do feminismo, pois ela gera sentimentos muito poderosos na grande maioria das mulheres, que faz com q elas muitas vezes coloquem em segundo plano a luta de seu próprio genero, e muitas mulheres ainda nos dias de hoje ao se verem confrontadas com a maternidade abandonam suas carreiras e sua independência, colocando-se assim no papel de vitimas ideais para q o machismo exerça todo poder que tanto nos oprime."
-
Perfeita como sempre Sara, eu fico muito irritada com este feminismo que fica se justificando, e você vai direto ao ponto como sempre, o patriarcado se perpetua em toda uma cultura construida, e a de familia e mair construção social que oprime a mulher desde sempre, devemos desconstruir isto sim, esta e sim uma luta feminista, negar-se a ser uma incubadora, e um direito da mulher.O gostinho pela liberdade pode fazer com que mulheres decidam não ter filhos, não conseguiria abrir mão de seus desejos e prioridades por ninguém, mesmo que por um filho. “Em algum momento da minha vida eu o culparia pelas coisas que teria que abrir mão por ele” ele não seria amado, e provavelmente, por conta deste " desamor materno" que me seria natural, ele se tornaria isto que vocês aqui chamam de mascu misógino.
acredito que uma feminista conciente não traria uma vida ao mundo para isto, e nem se anularia em sua vida por algo do qual ela sabe que não le seria benefico.

Ana Clara

Anônimo disse...

Sim, Anônimo das 10:57, mas uma coisa não exclui a outra; eu tenho um filho homem e ensino ele a mesma coisa que a minha filha, e é tão simples:

não faça com os outros o que não gostaria que fizessem com você.

Violência sexual, emocional, joguinhos, pressões, trapaças etc incluídos.

E também preciso ensinar a não andar em ruas escuras e muito menos se expor na internet, já que não estamos no mundo encantado.

aiaiai disse...

Fiquei chocada com o comentário da Sara:

"Sinceramente acho dificil esperar de uma mãe, mais empatia com seu genero do que com seu filho. "

Tá doida?

Eu já falei aqui várias vezes e vou repetir: ter um filho homem me tornou uma feminista mais atuante e consciente. Simplesmente porque percebi o quanto o machismo é degradante para o homem também.

Eu quero q meu filho viva num mundo de igualdade e respeito. Não quero que meu filho tenha "privilégios" como: poder subjugar uma mulher; poder esconder sentimentos; poder estuprar; etc.

Anônimo disse...

Esse texto parte da premissa falsa de que educação faz alguma diferença na cabeça de um estuprador

Quem é psicopata, isso já vem de berço.

A única diferença que uma educação dessas vai fazer é aumentar a revolta no dia que ele sair da matrix.

Dani Andrade disse...

"por mais que a natureza do homem incomode, ela precisa ser
vista de maneira realista. vocês feministas não podem viver de fantasias, elas querem que os
homens sejam conformistas como se eles não tivessem desejo sexual nenhum e como
eles não são conformistas do jeito que elas querem, então elas demonizam a natureza
masculina."

Masculinista anônimo: a natureza feminina tbm merece respeito sabe? Se a mulher diz não na hora do sexo
isso deve ser respeitado. O homem tem desejo sexual sim porém também é provido de um cérebro e racionalidade para controlar tal instinto. Ninguém está demonizando a natureza masculina e tbm não queremos domá-los, mas será que escrever um texto ensinando como educá-los,conversar, abrir os olhos das mães (que são as que na maioria educam seus filhos) não pode?? Aí estamos querendo domá-los??
Nós vamos continuar espalhando essa semente, fazendo esse trabalho de formiguinha vcs querendo e gostando ou não! Não é a opinião de um mascutroll anônimo que vai nos fazer mudar de ideia! Desiste!

Dé H. disse...

Li outro dia num blog feminista um depoimento sobre sexismo e assédio na infância. É revoltante quando os adultos acham a atitude dos garotos "bonitinha" e que a menina está "fazendo escândalo". O negócio é mesmo "ensinar os filhos a respeitar e as filhas a lutar"!

http://subvertidas.blogspot.fr/2012/07/que-educacao-dar-seu-filho.html

Rose disse...

Estupro é aquele crime que a sociedade, especialmente os homens, se solidarizam com o estuprador (porque, uma vez, em um lugar um conhecido de um vizinho do amigo foi acusado injustamente). É claro que as pessoas em geral ficam revoltadas com casos mais extremos de violência sexual, mas essa revolta tem prazo de validade e não passa de três meses (quando muito), depois vem as dúvidas, os questionamentos: "por que estava lá" ou "tem certeza que foi ele". Todos tem consciência da crueldade que é um estupro (não precisa passar por um pra saber), mas é mais fácil pra nós mulheres acreditar que foi um mal entendido, é mais confortável para os homens acreditarem que, se a maioria faz o mesmo, não é ruim. Cada vez que justificamos um abuso, milhares de vítimas são novamente estupradas (de uma forma mais cruel e dolorosa ainda)e um abusador fica com a consciência tranquila.

Anônimo disse...

Anônimo disse...

Os agressores e estupradores estão apenas fazendo aquilo que ensinaram a eles desde meninos. Mas eles têm uma escolha, e de fato, alguns homens escolhem não serem violentos e agem como pessoas minimamente decentes. Mas por que tantos agem muito pior do que animais irracionais? O que há de errado com os homens que são agressores e estupradores, que não são uma minoria de maníacos psicopatas? Eu não acredito que a culpa é toda da cultura machista, pois vejo que os homens têm sim escolhas e podem não ser violentos se eles quiserem. Além do mais, a cultura machista não veio misteriosamente do nada, ela foi criada por pessoas e é mantida e formada por pessoas, por nós.
-----------------------------------

O machismo veio da necessidade que o ser humano tem de manter privilégios e benefícios, de buscar os caminhos mais fáceis e do desprezo pelo ônus de suas escolhas. Um bom exemplo disso na atualidade, onde o feminismo se faz mais presente, é o de muitos homens que querem se envolver sexualmente com as "vagabundas"(emancipadas pelo feminismo), mas só namoram as "corretas"; e das mulheres que querem trabalhar e ter liberdade sexual, mas acham que os homens tem que provê-las em todos os sentidos.

Anônimo disse...

Esse foi o post com a maior quantidade de comentários completamente vazios e idiotas dos últimos tempos?

A ideia que alguns homens têm do que significa ser "homem", "mulher", "feminista", "instinto"... olha, me dá depressão. Não sei se eu rio ou choro.... muito deprimente.

- Isabel

Anônimo disse...

Lola, você não publicou o meu comentário sobre como é difícil deixar de ser machista.

Sara disse...

aiaiai desculpe se te choquei mas tb acho q vc não pode medir o mundo por suas atitudes (alias meus parabens por elas).
Mas o q vejo em grande quantidade é q mães de garotos muitas vezes defendem os privilégios que seus filhos tem nesse sistema patriarcal.
E pra mim esse é um agravante a mais no desencanto q esses garotos vão sofrer no futuro, pq lhes é prometido que receberão uma garota por companheira docil , submissa e linda, e nós feministas justamente lutamos com todas as forças para q esse tipo de mulher não exista mais, e temos obtido uma boa medida de exito nisso, e esse tipo de garota ja virou artigo raro no mercado, ai o q vemos é esse bando de homens procurando nesses movimentos masculinistas as respostas para suas carencias.
Tenho muitas amigas mães de rapazes e todas elas sem excessão acham que seus filhos vão encontrar esse tipo de garota a moda antiga, e o q vejo é q esses garotos por não encontrarem mulheres submissas assim, acabam se envolvendo com garotas mais independentes e de mentalidade mais atual, e nunca são bem aceitas por essas minhas amigas, que pelo q me falam queriam mesmo é q o filhinho encontrasse uma espécie de hibrido de princesa com empregada doméstica.

Anônimo disse...

Os agressores e estupradores estão apenas fazendo aquilo que ensinaram a eles desde meninos. Mas eles têm uma escolha, e de fato, alguns homens escolhem não serem violentos e agem como pessoas minimamente decentes. Mas por que tantos agem muito pior do que animais irracionais? O que há de errado com os homens que são agressores e estupradores, que não são uma minoria de maníacos psicopatas? Eu não acredito que a culpa é toda da cultura machista, pois vejo que os homens têm sim escolhas e podem não ser violentos se eles quiserem. Além do mais, a cultura machista não veio misteriosamente do nada, ela foi criada por pessoas e é mantida e formada por pessoas, por nós.
-----------------------------------

O machismo veio da necessidade que o ser humano tem de manter privilégios e benefícios, de buscar os caminhos mais fáceis e do desprezo pelo ônus de suas escolhas. Um bom exemplo disso na atualidade, onde o feminismo se faz mais presente, é o de muitos homens que querem se envolver sexualmente com as "vagabundas"(emancipadas pelo feminismo), mas só namoram as "corretas"; e das mulheres que querem trabalhar e ter liberdade sexual, mas acham que os homens tem que provê-las em todos os sentidos.

11 de dezembro de 2012 11:48

____________________________


Masculinistas... Sempre desesperados para expôr "suas" ideias tão superficiais e deturpadoras da realidade... A pergunta não era "de onde veio o machismo?" mas sim "o que há com a maioria dos homens? por que agridem, estupram, matam?". Essas perguntas vocês não conseguem responder sem se utilizar de ideologias machistas que dão desculpas e justificativas para manter seus privilégios e benefícios não é?

Anônimo disse...

É mais fácil desprezarem a relevância das escolhas dos homens e colocarem a culpa nas mulheres ao final. "A culpa é da mãe que o criou sendo machista", "a garota estava provocando, a culpa é dela", "ela pediu por isso", "ela queria", "as mulheres são naturalmente masoquistas", "ela aguentava por vontade própria, a culpa é dela", "quem mandou ela não procurar a independência? quem mandou ela ficar com ele? a culpa é dela". As mulheres que sempre carregam por toda a vida o ônus das escolhas dos homens.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Que mundo é esse onde alguém entende um post sobre meninos sendo educados para respeitarem as mulheres como um post sobre homens sendo demonizados, domados e ensinados a serem conformistas.
É dose, viu. Força aí, Lola, e tomara que continue esse trabalho maravilhoso que vc.
Abçs.

Anônimo disse...

Sara:
Conhece a piada?
- Comadre, como está vc, e seus filhos?
- Minha filha está muito bem, casou com um homem muito bom. Ele chega em casa, limpa, cozinha, cuida das crianças, um amor.
- E sua filho?
- Meu filho está péssimo. Casou e acredita que agora ele chega em casa e tem que limpar, cozinhar, e cuidar das crianças?

Sinto muito informar, mas suas amigas (as que esperam que os filhos encontrem companheiras híbridas de princesas com empregadas domésticas) são machistas.
Conheço muitas mulheres que não esperam nada disso para as companheiras de seus filhos.
E me espanto de ver quando AS CRIANÇAS não são um dos baluartes das lutas feministas, independente de por quem sejam criadas. Falta MUITO suporte para educar nossas crianças, mas isso é problemas das mulheres, né? Xápralá...

Só de exemplo, sindicato dos metalúrgicos daqui da minha cidade, levanta como bandeira o direito das MÃES trabalhadoras se ausentarem duas vezes por mês para levar os filhos ao médico. Como se esse fosse um direito feminino, e não um direito DA CRIANÇA. E fiquei pasma de ver como as lideranças "feministas" da cidade não perceberam o absurdo e o preconceito. Pq não concedem esse "direito" a todo responsável por uma criança, independente de gênero?

Falta falar muito de CRIANÇA e EDUCAÇÃO dentro do feminismo.

yulia2 disse...

É por isso que o estupro beneficia muito mais gente que o mero estuprador. A ameaça de estupro é uma forma de todo um gênero controlar outro gênero.
____________________

Matou na mosca. È isso mesmo. por isso que não há muito interesse em um certo gênero em mudar a situação

yulia2 disse...

''Estrategia inteligente a de educar feministas''

não tem nada de inteligente fazer apologia ao crime hediondo como esse.
educar? vc ficou doido? isso não é educação, é terrorismo sórdido e horrendo para controlar e reprimir a mulher.

''pois não leva em conta natureza masculina, apenas quer doma-la, como se homens e meninos fossem animais a serem domesticados,e por favor não me levem a mau, somente quero acrsentar algo ao debate,demonizar a natureza masculina''

vc não está acrescentando nada ao debate. essa é a questão. vc apenas está repetindo a velha falácia de que isso é assim mesmo, homem é assim e ta tudo certo, porque a natureza a biologia bla bla bla bla....sempre animalizado o homem e tirando a humanidade da mulher, não é fato, é sordidez a serviço do domínio machista.
Taxa hormonal JAMAIS será desculpa para crimes hediondos... JAMAIS!
Lugar de animal é na jaula e lugar de estuprador é na cadeia.

''logo, os homens deveriam ser alvos de políticas especiais''

já está sendo, o que acha que significa o não estupre?

''Nenhuma pessoa entra num zoológico e se
aproxima do leão pra fazer cafuné nele.''

decida-se, vc mesmo diz que não quer comparar homem com animal selvagem e depois da uma dessa. haja incoerência.

''A questão não é essa. A questão é o
reconhecimento da natureza do homem''

pelo que entendi da sua postagem então a natureza do homem é criminosa, sórdia e cruel?
é o que eu entendo da sua postagem.
se for isso, então ta tudo justificado , cadeia, punição e etc...
como já disse, animal fica na jaula e estuprador na cadeia.

Outra, leão fica preso em jaulas ou no zoológico, não fica solto nas ruas como homem , não fica nas nossas casas, nas escolas, trabalho etc.. né filhote? pffff
é cada uma que eu tenho que ler viu.

''as feministas erram porque são
antinaturalistas ingênuas''

vc é um falador de bobagens... querer comparar leão com homem, francamente.
È impressionante as desculpas que vcs inventam pra aliviar o crime dos estupradores.

''o home presiisa sim de uma educação adequada, ate porque são os homens que mais sofrem com esta violência, basta ver o numero de mortes violentas na sociedade''

cobre isso dos seus amigos masculinistas.... é pra isso que eles existem, ou não?

yulia2 disse...

Estudos indicam que amigos influenciam mais que os pais, e esse fenômeno só aumenta com a idade. Portanto, tentar ensinar essas idéias de vocês a uma criança pode ser pouco efetivo, caso eles vivam em uma sociedade machista.
________________
Essa eu não entendi....

Quando acontece qualquer agressão ou crime e etc... vcs são os primeiros a culpar a mãe por ter dado educação machista.

Agora vc vem me dizer que a influência mesmo são dos amigos?

yulia2 disse...

putz, ta cheio de troll mascu....

''Cada vez tem mais homem teso que, com medo da reação de vocês, vem se aliviar com a gente. E aí já viu, né? Depois que sai uma vez com homem, percebe que não tem frescura e que a oferta é ampla, dificilmente volta para o lado de lá.

Continuem assim, garotas! Só não vão reclamar depois que falta hétero no mercado.''

troll mascu se passando por gay?
essa é inédita.
boa sorte camarada, leve a mascusada daqui.

yulia2 disse...

O próprio troll mascu está demonizando a ''natureza'' masculina.
Ele mesmo está colocando a nível animalesco irracional....
como devemos proceder com animais irracionais desprovidos de intelecto?

hein?

Julianny disse...

Ih, não é verdade isso?! Putz! Eu achei que agora poderia parar de me preocupar com a educação das pessoas que EU puser no mundo pq, né... Os amigos depois educam, eu nem preciso me estressar. Opa! Surgiu uma dúvida agora: esses amigos foram educados por quem? Espero que tenham uma boa mãe, que tenha dado uma boa educação... Não queria delegar assim, né! Mas já que o infeliz me mandou parar de educar meus filhos, vou obedecer e deixar que o "Fulaninho" faça isso, numa boa!

Anônimo disse...

É como dizia minha avó. Feminismo é esperar do homem aquilo que ele não pode ser. Esperar do homem aquilo que ele não pode dar.

Sara disse...

Anon 20.37hs Concordo plenamente c vc sobre minhas amigas, infelizmente são todas machistas, não é comum fazer amizades com feministas sem ser no meio virtual, a coisa piora ainda pela idade q eu tenho, embora tenha amigas q trabalham e tiveram um bom nível de educação formal, o machismo ainda esta muito impregnado nas suas atitudes, inclusive em relação a educação dos filhos, na verdade elas me tratam como uma exentrica, no fundo devem achar q sou uma lunática, mas mesmo assim uso todas as oportunidades para importuna-las com meu feminismo rrsssss.
Tb concordo com vc no que disse sobre que falta muito discutir criança e educação dentro do feminismo.
Essa luta por direitos das mulheres em relação a seus filhos, tem efeitos, no meu ponto de vista nocivos na vida profissional da mulher.
E o enfoque desse tipo de reenvindicação deveria ser a criança, não a mulher como presumível responsavel por ela.
Até a licença maternidade, acho q seja sim uma conquista, pois o parto é a amamentação representam um momento especial na vida da mulher, e acho até que deveriam haver mais leis que protegessem a mulher e sua carreira profissional nesse momento.
Mas a luta pela distribuição igualitária do trabalho doméstico ainda esta longe de acontecer e por isso o cuidado com os filhos ainda é atribuido somente a mulher.

Anônimo disse...


Masculinistas... Sempre desesperados para expôr "suas" ideias tão superficiais e deturpadoras da realidade... A pergunta não era "de onde veio o machismo?" mas sim "o que há com a maioria dos homens? por que agridem, estupram, matam?". Essas perguntas vocês não conseguem responder sem se utilizar de ideologias machistas que dão desculpas e justificativas para manter seus privilégios e benefícios não é?
-----------------------------------

Não sou masculinista, e nem concordo com o machismo, só expressei o que eu acho. E se eu não respondi corretamente a sua pergunta daquela vez, eu respondo agora: Eles agridem, estupram e matam para intimidarem o outro sexo e manter seus privilégios. Ou você acha que os homens fazem isso por serem inerentemente malvados ou terem algum desarranjo cerebral?

Lucas disse...

Lola, já é hora de mudar o template do blogue por um mais largo, não?

Anônimo disse...

Helena disse...

Então, só pra concluir: é, os amiguinhos podem influenciar negativamente sim. IMPEÇA QUE SEU FILHO SEJA ESSE AMIGUINHO. Fale com ele que mesmo que "todo mundo faça", não é legal sair por aí chamando as meninas de vadias. Se todos os pais/responsáveis fizerem isso, QUEM SABE um dia toda essa violência diminua. O que nao pode é não fazer nada, bater palma e achar lindo, vamos combinar né.
-----------------------------------

Concordo, mas tem que se pensar que, não tendo atitudes machistas, ele irá destoar do grupo, e, destoando do grupo, ele terá tudo pra ser perseguido e ridicularizado. É uma situação complicada.

Anna disse...

Gente ignorem esses machistas, eles só querem tumultuar, na cabecinha pequena deles acham que vão parar o feminismo assim.

Bom texto, embora eu fico sem esperanças porque cada vez mais ouço (ou leio) feministas que não querem ter filhos, assim fica difícil.

Anônimo disse...

Anônimo disse...

É mais fácil desprezarem a relevância das escolhas dos homens e colocarem a culpa nas mulheres ao final. "A culpa é da mãe que o criou sendo machista", "a garota estava provocando, a culpa é dela", "ela pediu por isso", "ela queria", "as mulheres são naturalmente masoquistas", "ela aguentava por vontade própria, a culpa é dela", "quem mandou ela não procurar a independência? quem mandou ela ficar com ele? a culpa é dela". As mulheres que sempre carregam por toda a vida o ônus das escolhas dos homens.
-----------------------------------

Mas e a escolha da mãe(caso o pai seja machista, ausente, ou ela seja mãe solteira) que teve a possibilidade de educar o filho de modo não machista? Admito que as outras questões são bem complicadas para a mulher, mas aqui eu vejo uma grande falta de sensibilidade em ver o que causou o machismo no homem, e o que o mantem. Se a mulher dança de fio dental num programa machista; é interesseira; fala um monte de merda contra as próprias mulheres, ela é vista como machista, mas vem sempre um atenuante de que ela é uma vítima(apesar de também ser culpada em perpetuar todos esses padrões de conduta) e fica nisso. Se é um homem falando besteira machista vem logo uma torrente de insultos de gente que tá pouco se fodendo com o fato do indivíduo ter crescido num ambiente severamente machista e ter tido pouca ou nenhuma instrução. Se é questão de escolha, os dois também tem escolhas.

Anônimo disse...

ANNA
... feministas que não querem ter filhos, assim fica difícil.


Que deus cumpra tua profecia...

Vivi disse...

Sara o "espécie de hibrido de princesa com empregada doméstica" achei uma ótima colocação!
E pra classe média pra cima seria um híbrido de princesa que sabe comandar a diarista/empregada.

Não lembro se neste blog já foi tratado sobre a divisão (des)igual dos trabalhos domésticos em especifico (já?) e isto, incluindo o cuidado com filhos acho ser umas das provas cabais e o calcanhar de aquiles dos homens até mais progressistas. Para alguns podemos até ter orgasmos e gostar de sexo, ter profissão, somos tratadas com respeito, mas dividir a tarefa IGUALMENTE MESMO?? Isso ainda parece estar longe ainda, mesmo pra homens mais conscientes..Aí é onde eles tem que perder seus privilégios mesmo, e isso parece dar preguiça né..
abraço!!

Mihaelo disse...

Anna:

Ter filhos é uma opção pessoal e não uma obrigação. não há nenhuma desgraça em pessoas não quererem ter filhos.Filhos exigem dedicação e compromisso e não dá para ficar incomodando a mãe, todo fim de semana quando se quer ir à balada.
As pessoas têm direito de levar e manter um estilo de vida totalmente independente a vida inteira e para isto terão que evitar ter filhos. Caso contrário pode ocorrer como no caso da menina inglesa Madeline em Portugal. Os pais deixaram-na dormindo no hotel,foram se divertir na noite e misteriosamente ela sumiu sem deixar rastros!
Liberdade como disse a Cecilia Meirelles é algo que não há quem não comprrenda embora bem poucos saibam defini-la!

Ramilla Souza disse...

Educar o homem não significa domesticar homem, sem dúvida. Mas, comparar homens a leões (de novo, aliás. não existe outro animal no imaginário dessas pessoas) não é um pouco exagerado? Até onde eu sei, um dos fatores que nos diferenciam dos outros animais é a capacidade de tomar decisões com base na racionalidade e a nossa profunda influência cultural (por isso sempre se bate na tecla da educação).

Comparar homens a leões não é como dizer que eles são incapazes de pensar e tomar decisõe sobre os próprios atos? E, se for desse jeito, homens também não podem gerenciar empresas ou ser pais ou dirigir, uma vez que seus impulsos agressivos são incontroláveis.

Esse argumento é tão sem sentido...

Outra coisa: desde quanto mulheres não tem impulsos agressivos?

Anônimo disse...

"Eles agridem, estupram e matam para intimidarem o outro sexo e manter seus privilégios. Ou você acha que os homens fazem isso por serem inerentemente malvados ou terem algum desarranjo cerebral?"

Concordo totalmente. Eles escolhem agredir, estuprar e matar para manter a maior parte da humanidade na escravidão e assim terem uma vida mais confortável. Eles poderiam escolher ser empáticos, mas não o fazem. O que os torna piores do que se fossem inerentemente malvados e não pudessem escolher ser diferentes de maneira nenhuma.

Anna disse...

Mihaelo


E quando eu disse que as mulheres são obrigadas a ter filhos?? Leia novamente antes de falar besteira.

yulia2 disse...

É como dizia minha avó. Feminismo é esperar do homem aquilo que ele não pode ser. Esperar do homem aquilo que ele não pode dar.
__________________

aposto que a sua avó, assim como vc não sabem nada sobre feminismo.

Beatriz disse...

Olha, Anônimo das 10:48, devo dizer que discordo contigo. Quantidade de libido ou agressividade não é algo natural do sexo, mas sim da personalidade de uma pessoa (que é construída ao longo do seu desenvolvimento). Dizer que homens são naturalmente mais agressivos ou mais libidinosos é completamente falacioso do ponto de vista biológico (digo isso pelo motivo de além de ser estudante de medicina - ou seja, de biologia eu entendo alguma coisa - também já li diversos artigos científicos acerca dessa "diferença" de atitude entre pessoas do sexo feminino e masculino, e todos eles atestam que essa suposta diferença é algo imposto pela CULTURA e pela SOCIEDADE, não tendo nada a ver com o fato de alguém ser XX ou XY). Enfim, espero que leia minha resposta com carinho e reflita um pouco mais sobre isso :)

Anônimo disse...


Concordo totalmente. Eles escolhem agredir, estuprar e matar para manter a maior parte da humanidade na escravidão e assim terem uma vida mais confortável. Eles poderiam escolher ser empáticos, mas não o fazem. O que os torna piores do que se fossem inerentemente malvados e não pudessem escolher ser diferentes de maneira nenhuma.

-----------------------------------

Mas o que eu disse antes disso é que TODOS tem uma tendência a tentar manter seus privilégios e que é muito difícil renunciar a isso - não é algo exclusivo dos homens. A diferença é que eles, por terem superioridade física usam isso como artifício de dominação, matando, estuprando e agredindo.
Você deve ter me confundido com um masculinista por eu ter falado das mulheres -apesar de também ter falado coisas negativas sobre os homens- que, apesar das oportunidades que tem, continuam com a idéia fixa de que o homem tem que sustentá-las. E não existem muitas delas ainda? O funk -o ritmo mais popular do país- é um bom exemplo disso. A Lola sempre fala da idéia por trás do discurso quando se refere ao humor politicamente incorreto e isso também se aplica às letras de funk. Se letras onde as mulheres dizem que os homens não valem nada, que são uma carteira ambulante e onde elas dizem querer um "patrão" fazem muito sucesso entre as mulheres, é porque muitas delas concordam com esse tipo de discurso.

PS: Pra que ninguém venha falar merda, eu já deixo bem claro que CONCORDO QUE A SOCIEDADE DEVE COMBATER TODO TIPO DE MACHISMO E O QUE EU DISSE NÃO É FRUTO DE NENHUM CONFORMISMO COM O STATUS QUO OU COISA QUE O VALHA.

Mihaelo disse...

Ana escreveu:

"Bom texto, embora eu fico sem esperanças porque cada vez mais ouço(ou leio) feministas que não querem ter filhos, assim fica difícil."

Por que mulheres não terem filhos( seja feminista ou não, tanto faz, nao tem a menor importância a ideologia da mulher) seria algo que fica difícil? Difícil para uem cara pálida? E por que alguém vai perder as esperanças com as escolhas individuais das demais pessoas. Que mulheres não desejem ter filhos em nada influi na vida das demais pessoas e não torna nada difícil o mundo. Difícil fica quando mulheres sem acesso a meios contraceptivos ou a dinheiro para uma clinica de aborto clandestino têm filhos e os abandonam. Aí sim, é uma situação social difícil para a sociedade e o país.
Agora que muitas feministas não queiram ser mães,em hipótese alguma pode ser taxado de um problema social e como algo desesperançador!!!!!!

Anônimo disse...

"Você deve ter me confundido com um masculinista por eu ter falado das mulheres -apesar de também ter falado coisas negativas sobre os homens- que, apesar das oportunidades que tem, continuam com a idéia fixa de que o homem tem que sustentá-las."

Onde que as mulheres têm todas as oportunidades e foram emancipadas pelo feminismo? Talvez na visão superficial e limitada dos homens (masculinistas ou nem tanto) e das mulheres privilegiadas por eles (feministas heterossexuais de classe média incluídas).

"E não existem muitas delas ainda?"

Até parece que as mulheres possuem poder para exigir que os homens as sustentem. Foram as mulheres que criaram o sistema que as mantêm economicamente dependentes dos homens para sobreviverem e fazê-los se sentirem necessários? NÃO!

Que benefício real as mulheres obtêm da própria dependência e submissão? Permanecerem vivas? Porque as mulheres que servem os homens estão, na maioria das vezes, apenas tentando sobreviver.

Todo privilégio que as mulheres têm na sociedade é concedido pelos homens através da relação delas com eles. Os homens que criam e que controlam todo esse sistema que existe para beneficiá-los (se não fosse assim ele já teria acabado há muito tempo, aliás, eles nem o teriam inventado).

Só em uma mente bastante distorcida pelo masculinismo vigente que os homens são (ou podem ser) os provedores das mulheres em todos os sentidos. Os homens não provêm nem para si mesmos. Eles dependem completamente das mulheres para inicialmente se formarem dentro de seus corpos, depois para lhes darem alimento e conforto físico e psíquico-emocional durante todas suas vidas. Em nível macro-estrutural são as mulheres que realizam todo o trabalho de produzir a vida e preservá-la. São as mulheres que realizam praticamente todo o trabalho doméstico não-remunerado e o trabalho mal-remunerado de base para todo o sistema. É o trabalho das mulheres que sustenta a sociedade dos homens em pé.

Os homens precisam de uma base feminina para construir suas sociedades, mas as mulheres não precisam de uma base masculina para construir as delas. A questão é cortar o cordão umbilical que os mantêm ligados a elas. Assim que essa decisão for tomada, de nada adiantará que eles se segurem com força, ou que chutem e se debatam, nada poderá pará-las.

Anônimo disse...


Anônimo disse...
"Você deve ter me confundido com um masculinista por eu ter falado das mulheres -apesar de também ter falado coisas negativas sobre os homens- que, apesar das oportunidades que tem, continuam com a idéia fixa de que o homem tem que sustentá-las."

Onde que as mulheres têm todas as oportunidades e foram emancipadas pelo feminismo? Talvez na visão superficial e limitada dos homens (masculinistas ou nem tanto) e das mulheres privilegiadas por eles (feministas heterossexuais de classe média incluídas).

"E não existem muitas delas ainda?"

Até parece que as mulheres possuem poder para exigir que os homens as sustentem. Foram as mulheres que criaram o sistema que as mantêm economicamente dependentes dos homens para sobreviverem e fazê-los se sentirem necessários? NÃO!

Que benefício real as mulheres obtêm da própria dependência e submissão? Permanecerem vivas? Porque as mulheres que servem os homens estão, na maioria das vezes, apenas tentando sobreviver.

Todo privilégio que as mulheres têm na sociedade é concedido pelos homens através da relação delas com eles. Os homens que criam e que controlam todo esse sistema que existe para beneficiá-los (se não fosse assim ele já teria acabado há muito tempo, aliás, eles nem o teriam inventado).

Só em uma mente bastante distorcida pelo masculinismo vigente que os homens são (ou podem ser) os provedores das mulheres em todos os sentidos. Os homens não provêm nem para si mesmos. Eles dependem completamente das mulheres para inicialmente se formarem dentro de seus corpos, depois para lhes darem alimento e conforto físico e psíquico-emocional durante todas suas vidas. Em nível macro-estrutural são as mulheres que realizam todo o trabalho de produzir a vida e preservá-la. São as mulheres que realizam praticamente todo o trabalho doméstico não-remunerado e o trabalho mal-remunerado de base para todo o sistema. É o trabalho das mulheres que sustenta a sociedade dos homens em pé.

Os homens precisam de uma base feminina para construir suas sociedades, mas as mulheres não precisam de uma base masculina para construir as delas. A questão é cortar o cordão umbilical que os mantêm ligados a elas. Assim que essa decisão for tomada, de nada adiantará que eles se segurem com força, ou que chutem e se debatam, nada poderá pará-las.
13 DE DEZEMBRO DE 2012 22:20
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk eu não preciso e nunca precisei de mulher pra nada
. Eles dependem completamente das mulheres para inicialmente se formarem dentro de seus corpos, depois para lhes darem alimento e conforto físico e psíquico-emocional durante todas suas vidas. Em nível macro-estrutural são as mulheres que realizam todo o trabalho de produzir a vida e preservá-la. kkkk atá a mulher de repente faz um filho aparecer na barriga atá não e o semen de um homem que e fecundado nela na verdade a vida esta com o homem o tempo todo pois o que seriam os espermatozoides né !!??