sábado, 20 de outubro de 2012

GUEST POST: A SORTE DO MENDIGO BRANCO NO PAÍS QUE VIRA A CARA PARA NEGROS

Como não tenho Facebook, nem fiquei sabendo. Mas o Robson me contou que um grande assunto nas redes sociais desta semana foi um mendigo de olhos azuis em Curitiba que, hoje, foi internado em centro de recuperação. Esperamos que outros mendigos, com olhos de outras cores, também tenham a mesma sorte. 
Robson, que sempre contribui com ótimos guest posts, tem um blog. E enviou este texto sobre o mendigo curitibano.

Uma história em que pobreza, padrão eurocêntrico de beleza e cultura racista se chocam vem movimentando a internet. Um mendigo fotografado em Curitiba está sendo assunto em todo o Brasil, por ser um branco de olhos azuis “mas” ter sido castigado pela pobreza mendicante. Quando sabemos dessa novidade e a comparamos com a vida de milhares de outros mendigos pelo Brasil, percebemos o quanto a cultura brasileira ainda é muito impregnada de racismo.
O mendigo branco, cujo nome, Rafael Nunes, já foi revelado, vive nas ruas de Curitiba e posou para a foto desejando “ser colocado no rádio” para ficar famoso. A fotografia foi posta no Facebook e agora campeia pelo Brasil inteiro, chamando atenção de mulheres e homens. Ora é considerado “lindo de morrer”, com muitas mulheres querendo namorá-lo e abrigá-lo, encantadas com a beleza dele; ora vem sendo candidato às passarelas da moda, como o modelo “dos sonhos” das grifes; ora tem sua mendicância posta em dúvida principalmente por ser um branco de olhos azuis, parecido demais com um europeu para ter sua pobreza reconhecida. As opiniões convergem em sua maioria a um ponto: ele é lindo demais para continuar mendigo.
E enquanto isso, no mesmo Brasil, inclusive na mesma Curitiba, milhares de negros e pardos padecem de miséria igual ou pior, mas por sua vez permanecem tratados como rejeitos da sociedade, como seres dignos de nada mais do que pena ou virada de rostos. Muitos ainda clamam pela mídia, por um pouco de atenção e humanitarismo, e tudo o que conseguem são poucos minutos na TV ou no rádio, algumas doações e, com sorte, uma assistência de alguma ONG ou do órgão oficial de serviço social da prefeitura. Mas praticamente nunca são abraçados pelo padrão cultural de beleza dominante no país, tornados celebridades instantâneas em função de sua aparência física e alçados a modelos “sarados” e adorados.
É aí que começamos a pensar: se fosse um negro de fortes traços africanos ou um mulato, seria prontamente rejeitado em sua demanda de “ser colocado no rádio” ou receber ajuda humanitária, empregatícia e/ou habitacional de algum político ou empresa. Não chamaria a atenção de virtualmente ninguém na internet, fora algumas meias-dúzias de moças ou rapazes que gostam da beleza negra. Seria apenas mais um entre milhares de mendigos que vagam pelos centros das cidades do Brasil; sua foto seria vista com desdém pela sociedade, e ele voltaria, logo após a fotografia, às ruas para ali viver por tempo indeterminado, senão para sempre.
Em outras palavras, para nossa sociedade, não é normal ver em mendicância e miséria um branco de aparência europeia. Para ela, brancos merecem muito mais do que isso. Mas, por outro lado, ter negros nas ruas pedindo esmolas e implorando por dignidade é considerado algo mais que normal. É tradição já. Por que eles merecem ser alçados a modelos a serviço da alta costura? Que se virem, vão trabalhar, procurar um emprego, correr atrás da escola aonde não foram na infância -– assim pensa grande parte da sociedade que está agora se compadecendo com o pedinte eurodescendente.
Se fosse negro, sendo ou não um imigrante, seria considerado “feio”, rebaixado a apenas “mais um” e continuaria visto como um mero rejeito a ser tratado como lixo pela sociedade, pelo Estado e por seu braço violento, a polícia.
Se os brasileiros parassem de achar normal haver negros em miséria nas ruas e começassem a apreciar o padrão de beleza deles, será que passaríamos a ver as passarelas lotadas de ex-mendigos, fazendo companhia profissionalmente com o curitibano? Não, porque o racismo, destacadamente em suas vertentes social e estética, continua imperando forte e fazendo os brasileiros de todas as cores acharem brancos melhores que negros apenas por terem pele, cabelo e olhos claros.

127 comentários:

Anônimo disse...

Algumas dados estatísticos.

85% dos moradores de rua são homens !

de cada 10 suicidios no Brasil, 8 são cometidos por homens !

O desemprego entre os jovens de 18 a 25 anos no Brasil, e duas vezes maior
entre o homens

Os homens representam apenas 35 % dos atendimentos no SUS.

A expectativa de vida entre os homens e quase dez anos menor que entre as mulheres !

90% dos acidentes e morte no trabalho são o gênero masculino.

A depresão e diagnosticada até 3 vezes mais entre os homens do que entre as mulheres( porem e mais visivel entre mulheres,por uma questão cultural, a mulher "veste' a depressão, o homem a "engole seco")

E ainda ouvimos que um movimento masculinista e inutil, pois já temos tudo !

mariana. disse...

Lola, na verdade ele já foi identificado, tem 31 anos, seu nome é Rafael Nunes, ele é ex modelo...
Tem até uma entrevista com ele, olha que coisa triste http://www.youtube.com/watch?v=qGYwTsbSW68&feature=youtu.be

Essa situação toda tá me deixando enojada... Não só a reação do público ao ver um cara bonito nessa situação, mas da mídia também, expondo ao máximo esse cara que é visivelmente debilitado... A cobertura da mídia, mesmo nesse caso do mendigo bonitão, não é no sentido de "olha que situação triste a das pessoas viciadas em crack que vivem nas ruas, vamos abrir os olhos pros nossos próximos?", não, é de "olha, mas veja como mesmo esse europeuzinho também é doido de pedra e pode te machucar... fique longe dessa gente e, se possível, chame a polícia"...

Anônimo disse...

Nossa, o texto está muito repetitivo. Já deu para entender a mensagem no primeiro parágrafo.

Acho que faltou desenvolver mais sobre quais seriam as soluções para o problema.

Anônimo disse...

Texto muito bom, somente faço uma observação, na cultura feminina atual, a beleza de homens negros e muito mais admirada do que a de homens brancos,mas logico que vai do gosto pessoal de cada individua, apenas aponto uma tendencia mais geral.

Todos os membros da raça humana, sejam eles de que cor, credo, ou origem tiver, merecem uma vida digna, e muito triste passar pela praça da sé, e ver aquelas cenas, de verdadeiros mortos vivos, entregues ao vicio, ao descaso, e a depressão !

Cissa disse...

Lola, o nome dele já foi revelado: ele se chama Rafael Nunes, e inclusive já foi modelo. Hoje se encontra nas ruas por causa da dependência de crack, segundo dizem as reportagens.
De qualquer forma, ele é lindo mesmo.
Infelizmente, o racismo do brasileiro é exercido até de forma inconsciente, às vezes somos racistas sem perceber, e existe uma explicação histórica para isso. Vem laaa da época da colonização e império. (acatual novela das 6 da Globo mostra isso: como os ex-escravos e descendentes de escravos ainda eram vistos como inferiores anos após a lei áurea. Sugiro que veja algum capítulo, acho que vc iria gostar). O racismo está internalizado em nós. Os valores têm mudado, mas muito lentamente. O mendigo de Curitiba surpreendeu porque as pessoas justamente não estão acostumadas a ver brancos na miséria, afinal o negro já veio ao país marginalizado, entao é "normal", no nosso inconsciente, que um mendigo seja negro. Claro que não concordo com as manifestações racistas dos internautas, mas nao os culpos justamente por eles não perceberem (pelo menos a maioria) que estão sendo racistas.

Jordania Lopes disse...

Olha eu vi essa notícia no blog Consciência, é muito triste saber que enquanto há milhares e milhares de pessoas vivendo nas ruas expostas a todos os tipos de perigo,em condições sub-humanas um mendigo em especial provoca tamanha comoção apenas por sua aparência. Claro negros vivendo em condições miseráveis pode, agora um branco, de olhos azuis,oh não, é inadmissível.
Revoltante. :(

ViniciusMendes disse...

http://colunas.revistaepoca.globo.com/bombounaweb/2012/10/17/o-fim-do-misterio-sobre-o-mendigo-de-curitiba/

Não... ele não vai virar modelo (já foi) e provavelmente não vai mudar de vida também. Concordo com toda a parte do racismo fazer ele ser considerado lindo simplesmente por ter traços europeus, mas teve uma certa ingenuidade em relação a como funciona a fama enquanto "meme" na internet.

Anônimo disse...

Lolaxima!
Quando vi no FB tanta gente pagando pau-querendo levar pra casa esse mendigo, soh pensei com meus botoes "baralho! Se fosse negro ninguem ia querer!"
E as pessoas simplesmente nao se dao conta do racismo visceral, pq, neh, eh soh "uma questao de gosto pessoal". Soh Que nao.

JAC

Dri alves disse...

Vi essa matéria no bol, ele estava sendo chamado de mendigato, e tinha uma menina se dizendo irmã dele, explicando que ele estava nessa situação por ser usuário de drogas e que recusava ajuda da família. Um menina atentou para o racismo explícito nesse caso nos comentários, acho que muitos (como eu) não tinham nem reparado nisso, tanto que o nosso racismo é entranhado em nossas mentes.
Indepedente do futuro do rapaz, o episódio serviu para chacoalhar algumas cabecinhas que acham que racismo não existe. Ele existe e se mostra de tantas formas que mesmo quem não se acha racista as vezes deixa passar situações como essa,sem perceber no que ela implica.

Cíntia Milanese disse...

Nossa, Lola, você descreveu exatamente o que eu penso. Fico revoltada quando falo de racismo e preconceito e as pessoas rebatem dizendo que isso não existe, que é coisa da minha cabeça (sim, já ouvi isso inúmeras vezes).

Preconceito não existe? Então porque quando eu pesava mais de 100 quilos, era tratada de maneira diferenciada em lojas de roupa, por exemplo? Porque eu não conseguia emprego mesmo tendo experiência e qualificação?

Fico revoltada com o racismo mascarado que existe à nossa volta. Já fui discriminada pela minha cor e fiquei muito revoltada. Mas não tinha como provar (já que o preconceito racial é sutil).

Enfim... quando vi essa putaria toda à cerca desse mendigo do sul, fiquei muito chateada tb.

Mas o que esperar de um povo que em pleno século XXI ainda aceita a marchinha de carnaval mais preconceituosa que já ouvi? "O teu cabelo não nega, mulata - porque és mulata na cor... MAS COMO A COR NÃO PEGA, mulata, mulata eu quero seu amor!"

Enfim, eu gosto muito das coisas que escreve, mas nunca comento, essa em especial, não podia deixar de comentar... Um abraço, querida!

Elaine Telles disse...

Nao o achei bonito.E depois que vi a historia dele, achei-o horrivel. Trata-se de um cara cuja familia eh rica e caiu no mundo das drogas. Vive dando trabalho a familia, o cerebro derreteu de droga. E agora, soh por ter olho claro e ser branco, a vida vem e lhe estende a mao, novamente. Enquanto isso, tem milhoes por ai precisando de ajuda.
Desculpem, mas nao consigo respeitar pessoas que tem informacao, dinheiro e se envolvem com droga. Eh a sociedade que tem que engoli-lo depois. A familia sofre. Tenho um exemplo desse em casa, com a diferenca de que nao somos ricos.Nao soh acabou com a vida dele, mas acabou a com a vida de todos nos.

Anônimo disse...

Concordo totalmente com este post... Agora o nome já foi revelado e várias matérias ainda pipocam por ai sobre o assunto... O principal continua sendo o mesmo: ele é bonito demais para ser mendigo...
A questão principal talvez que gira em torno desta questão - além do racismo já bem destacado pelo post - é o fato da dependência química do rapaz que ficou famoso... Engraçado que em nenhum momento, ninguém toca no ponto de saúde pública que enfrenta a capital paranaense, que vê dia-após-dia mais e mais viciados em crack jogados por sarjetas ou pelas "belas praças" que tanto dão "orgulho" para a cidade.... É engraçado como nas propagandas, como na imagem passada por aí continua-se a ignorar a infinidade de homens, mulheres de todas as etnias e idades que estão desamparad@s de qualquer política pública que @s auxilie neste momento dificil... Pelo contrario, a atitude tomada pel@s planejadores é um antigo e conhecido no mundo inteiro: a higienização da cidade... o expulsar dependentes químicos dos lugares públicos e o escondê-los por algumas sarjetas menos movimentadas....
Ao meu ver o "mendigo de Curitiba" veio a tona por conta da sua "sorte" de ter olhos azuis e um porte europeu... Mas também traz a tona um problema sério que tem aumentado cotidianamente... Mesmo que as pessoas continuem a ignorar a existência de 99% destas pessoas....

Becx disse...

Bom, é revoltante. Principalmente quando vc lê que o bonitão aí já teve uma carreira, caiu nas drogas, e recusa ajuda. Nunca aceitou entrar num programa de reabilitação. Enquanto a maioria é marginalizada.

Carlos disse...

Agora tu viajaste na maionese...

Se fosse um negro com boa aparência teria a mesma repercussão.

Pessoas bonitas são "ricas" geneticamente e pessoas ricas são "bonitas" financeiramente.

No ocidente... ser bonito(a) ou rico(a), é estar no alto da pirâmide social... se for bonito(a) e rico(a) é quase "alguém superior".

***Não sou eu que tenho este ponto de vista e sim a sociedade em geral***

Luiza disse...

O cara é bonito, mesmo. E é uma pena que só por causa disso ela ganha destaque, enquanto outros também precisando de ajuda, não.

Só um detalhe sobre isso, eu vi muito machinho em comentários xingando mulher gratuitamente só porque comentaram que o moço é bonito, como se mulher não pudesse gostar do físico dos homens. Aí depois ficam querendo provar teorias absurdas por aí.

Agora, eu vivo repetindo aqui e repito mais uma vez: meus pais me ensinaram que antigamente era uma vergonha ser chamado de idiota/covarde, e a pessoa ficaria inflamadíssima para provar seu valor.
Viu, anônimo primeiro? Você é um idiota e deveria ter vergonha.
Mimimi homem não tem atendimento médico mimimiiiiiiiiiiiii. Sabe quem arrasta homem pra ver se pelo menos uma vez na vida vão se cuidar? A mulher.
Então vai enfiar seu maucaratismo no seu bumbum.

Josiane Caetano disse...

Como sempre, como sempre mesmo, um ótimo post para reflexão. Parabéns Lola, pela lucidez de sempre- e por não se abater pelos comentários anônimos, que também são "de sempre".

Chuva disse...

De fato, uma situação que revela o racismo disfarçado... E não só isso: também revela o 'culto à beleza'. Se ele fosse muito feio, ainda que branco, também passaria desapercebido. Mas com certeza o sofrimento dos negros é, infelizmente, mais desprezado pela sociedade.
E sobre os dados estatísticos do Anônimo primeiro, de como o homem brasileiro sofre atualmente, isso nos leva a uma conclusão interessante... Mostra que o homem, na sociedade em que vivemos, sofre. E como é a sociedade em que vivemos? Machista! \o/ Portanto o machismo também faz mal para os homens, como a Lola sempre diz!Bem, claro que o situação que gera tais dados não é somente culpa do machismo, mas também da desigualdade, racismo e tantos outros fatores... Mas de certo o machismo é parte da culpa - e não as mulheres, daí que o masculinismo não faz sentido.
E concordo com a Luiza. De fato homens vão menos a médico, e quando o vão, muitas vezes, é por insistência de alguma mulher (parceira, irmã, mãe, tanto faz). E isto, meu amigo, do homem não querer consultar médico, também é consequência do machismo. Pois como você mesmo disse,o homem é ensinado a 'engolir seco'. Ignorar que tem um problema, não demonstrar as suas fragilidades. E os dados revelam o resultado deste tipo de atitude.

Li disse...

prezado senhor anônimo (e adepto ao movimento masculinista) do primeiro post, de onde o senhor tirou a seguinte estatística?

"A depresão e diagnosticada até 3 vezes mais entre os homens do que entre as mulheres( porem e mais visivel entre mulheres,por uma questão cultural, a mulher "veste' a depressão, o homem a "engole seco")"

sinto muito, mas o senhor está errado. conhece o dsm (diagnostical and statistical manual of mental disorders)? vale a pena dar uma olhada. a depressão é maior entre mulheres, até 10x.

Drica Leal disse...

A comoção gerada por esse rapaz é emblemática. Naquele post sobre " Como é difícil ser branco" vários comentaristas alegaram que na pobreza, brancos e negros se igualam e por isso cotas especificamente para negros não fazm sentido, e sim cotas para pobres. Tá aí a resposta: mesmo em condição de miséria, brancos e negros não se igualam no Brasil. Um mendigo loiro de olos azuis gerou tanta compaixão enquanto mendigos neors e afrodescendentes continuam sendo ignorados.

Entendam de uma vez por todas: VIVEMOS EM UM PAÍS RACISTA, PORRA! Aqui uma pessoa branca sempre tem mais atenção positiva que uma negra, sempre tem alguma vantagem que uma pessoa negra não terá no que diz respeito a ser ouvida, considerada, ajudada, pois a cor branca nesse país não pode ser associada á pobreza, à feiúra, à marginalidade. A sociedade jamais encara um branco por esse aspecto, mesmo que ele seja um mendigo!

Anônimo disse...

Ele só está recebendo todas essas "oportunidades", todo destaque e preocupação por corresponder a um padrão eurocêntrico de pele, olhos e cabelos claros e porque é homem! Quantas estão desabrigadas, nas ruas em situação de miséria, tendo de mendigarem e se prostituirem para sobreviver (muitas vezes com filhos para alimentar e criar), sofrendo mais riscos de violência que os homens em situação semelhante? Até a mulher mendiga é muito mais invisibilizada que o homem mendigo. Isso tendo em conta que apenas 1% do território apreciável do planeta pertence a mulheres e que as mulheres correspondem à grande maioria de pessoas em situação de pobreza no mundo.

bruno disse...

Lola,

Tirando suas críticas aos "mascus" mais amalucados, nunca li uma tentativa séria da sua parte em responder observações como a do primeiro anônimo (se ela existe, por favor me perdoe, mas não a encontrei).

O que ele escreveu é estrutural, verdadeiro, faz parte de uma lista muito maior e que você deve conhecer bem.

Há ainda a questão da guarda dos filhos (que quase sempre fica com a mãe), a obrigatoriedade do terno e gravata (entanto advogadas, por exemplo, possuem muito mais opções - salvaguardado o decoro), as exigências no mínimo curiosas do 'cavalheirismo' cobrado pelas mulheres (delicadezas e préstimos deveriam ser unissex, mas não o são), o estupro masculino (muito comum e pouco combatido por ações do Estado), o serviço militar obrigatório, a imensa população carcerária masculina, o menor acesso às condições materiais para o estudo universitário, o extermínio de homens jovens pela polícia, as políticas públicas desproporcionais para homens e mulheres, as ocupações de alto risco preenchidas majoritariamente por homens (que leva ao altíssimo índice de acidentes de trabalho que o anônimo citou), entre tantas outras desvantagens do universo masculino.

Acho que suas observações, muitas vezes, apenas focam os imbecis que surgem na internet. É como resumir as demandas feministas a grupos equivocados como o FEMEN, não acha?

Não sou masculinista e teria horror em sentar à mesma mesa com certos fascistas "mascus", mas convenhamos que os argumentos sobre o horror de ser homem no nosso tempo não podem ser mais desconsiderados.

Esse homem forte, poderoso, patriarca, dominador e senhor do mundo existe como ideia (realizada por uma quantidade mínima de indivíduos), mas está bem longe da MAIORIA dos homens. Negar esse fato e não criar políticas e programas que corrijam a situação degradante da existência dos homens normais, esses do mundo real, é uma injustiça sem tamanho, que obviamente é o ingrediente principal da revolta (muitas vezes descabida, concordo) de certos masculinistas.

Apontar o dedo é fácil. Quero ver aguentar crescer num mundo em que você deve ser macho, provedor, competente e vencedor. Se há alguns homens idiotas, o resto deles (a maioria!) não deve pagar o pato. Ou você acha que deve?

Um abraço
Bruno

Anônimo disse...

De acordo com Bruno, e ainda cito mais: As mulheres no Brasil podem aposentar-se 5 anos mais cedo do que os homens. Junta-se a isto o maior risco de acidente no trabalho e temos uma grande injustiça CONTRA O SEXO MASCULINO.

Mas nunca veremos o movimento feminista lutar contra isso. Porque não interessa aos ideais falsos de igualdade. Nunca veremos o movimento feminista colocar em prática algo que beneficiará os homens, tornando-os iguais às mulheres.

Nunca vimos e nunca veremos.

Moema L disse...

anonimo 11:11

que eu saiba a maior parcela de desempregados é de mulheres. não sei a idade mais sei que independente dela, no geral são as mulheres.

apenas 35% ? já se perguntou por que? será que é por que eles se preocupam menos com a própria saúde?

expectativa de vida entre os homens é menor pois os mesmos se envolvem muito mais com a violência, acidentes de transito e cuidam muito menos da própria saúde.

sabia que quase todos os homens depois dos 40 anos deviam fazer exame de próstata? Só que a maioria não faz por preconceito, machismo e vergonha?

90% dos acidentes e morte no trabalho são de homens ? eu tento ao máximo combater o machismo para que as mulheres possam exercer a profissão que quiserem. muitas empresas não contratam mulheres para determinados cargos a culpa não é nossa é do machismo.

Homens engolem a depressão? não sei disso não.Não tenho culpa se o machismo não permite que eles procurem ajuda necessária. ninguém tem que ter vergonha de estar doente.

Sim o masculinismo é inútil pois perpetua todas essas estatísticas que você colocou.

e você me responda vai fazer o exame de próstata quando tiver mais de 40 ou esta com medo de virar gay?esta com vergonha?acha desnecessário?tem preconceito?

agora falando do post...

Infelizmente é isso mesmo. E as pessoas já estão tão acostumadas que nem percebem. Se alguém tocar no assunto ou expor a situação como foi feito no post a maioria vai justificar dizendo que é apenas gosto pessoal, nunca preconceito.

lola aronovich disse...

Olá, Bruno. Para mim, como já disse no post de ontem (e acho que este seu comentário deveria estar lá, não aqui), não existe isso de "mascus mais amalucados". TODOS são igualmente amalucados. E não, o que um mascu escreve nunca é verdadeiro. Por exemplo, há várias estatísticas que demonstram que há mais mulheres com depressão que homens. Os próprios mascus adoram dizer que toda mulher acima de trinta é uma balzaca encalhada que vive com muitos gatos e antidepressivos.
Eu não debato com mascus. Debater sexismo com mascus seria como debater com a Ku Klux Klan sobre direitos dos negros. Vc debateria com a KKK? Não se debate com movimento de ódio como o masculinismo. A minha estratégia é ridicularizá-los, rir deles, mostrar quão estúpido um ser humano pode ser.
Às vezes eu rebato mitos mascus que acabam sendo mais divulgados e mais aceitos pelo senso comum, como a besteira de que feministas são contra a pílula anticoncepcional masculina, ou isso de que queremos que o serviço militar obrigatório prossiga, ou que queremos manter os poucos privilégios que temos, como homens pagar a conta num jantar.
TODOS os problemas que os homens têm hoje em dia são causados pelo machismo ou pelo capitalismo. Feministas questionam e muitas querem derrubar as fronteiras de gênero, que são péssimas tanto pra homens quanto pra mulheres. Mascus (nem aqui no Brasil nem nos EUA nem em lugar nenhum) lutam contra o machismo. Eles não estão nem aí para os direitos dos homens. Pelo contrário, chamam todos os homens que não fazem parte do masculinismo de manginas e matrixianos. E passam todo o tempo difamando o feminismo e as mulheres em geral, ou chorando sobre como foram injustiçados pelas mulheres no passado mas agora vão se vingar. Esse é o masculinismo, e qualquer pessoa que já passou 10 minutos em qualquer fórum ou blog mascu, tanto no Brasil quanto no exterior, pode comprovar isso. Eu já disse várias vezes que o feminismo não é só pra melhorar a vida das mulheres. É pra melhorar a vida dos homens também. Mas o foco do feminismo é a luta das mulheres. Não é difícil entender. Acabar com o racismo é uma das lutas dos movimentos negros. Mas um mundo sem racismo seria ótimo para todos, negros E brancos. Só que não cabe aos movimentos negros defender o pobre branco que foi chamado de branquelo e se ofendeu. O problema do machismo (assim como o do racismo) é muito maior que o drama pessoal de um mascu que levou um chute da namorada e começou um blog misógino. É um problema estrutural, histórico, de todo um sistema. Ignorar isso é fechar os olhos pra qualquer contexto.

Moema L disse...

anonimo 11:11

diga-se de passagem estatísticas essas bem duvidosas. cade as fontes?

foi tirada do instituto vozes do alem?

Anônimo disse...

Discordo do post. O diferencial do mendigo é ser bonito, e não branco. Um branco feio seria solenemente ignorado, assim como um negro bonito, seria exaltado.

Agora, se acham que ninguem acharia um negro bonito,não sei em que mundo que vivem. Conheço inúmeras mulheres que preferem relacionar-se com homens negros, assim como tem homens que preferem negras.

Anônimo disse...

Outra coisa também:
E se ele fosse feio de doer?
Alguém ajudaria?
Ele não recebeu essa atenção toda por ser branco apenas,mas por ser bonito(e considerado bonito dentro dos padrões eurocêntricos).

Anônimo disse...

Anon das 15:20
Por que os homens que compartilham da mesma idéia que você, não lutam por melhorias? Por que cobram isso das feministas?
Façam uma marcha, arregacem as mangas e vão a luta!

Anônimo disse...

Verdade Lola, masculinistas são os maiores crentes fanáticos e defensores do sistema religioso patriarcaico que conhecemos pelo nome de Gênero. Eles são os seres que mais acreditam na naturalidade dos artificiais estereótipos sexuais e que os sexos são pólos opostos e complementares (como isso pode ser verdade com base na realidade de que o sistema de gênero atribui aos homens o pólo positivo e o neutro ao mesmo tempo e relega as mulheres ao negativo do homem deve ser o grande mistério divino dessa religião). São eles os maiores defensores do fundamentalismo que prescreve um comportamento de dominação para os homens e um comportamento de submissão para as mulheres.

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Discordo do post. O diferencial do mendigo é ser bonito, e não branco. Um branco feio seria solenemente ignorado, assim como um negro bonito, seria exaltado.

Agora, se acham que ninguem acharia um negro bonito,não sei em que mundo que vivem. Conheço inúmeras mulheres que preferem relacionar-se com homens negros, assim como tem homens que preferem negras.

20 de outubro de 2012 15:57

O "fato" dele ser bonito é porque ele corresponde a um padrão de beleza eurocêntrico. Já ouviu falar nisso? Ou no seu mundinho heterocentrado e "perfeito" toda noção de beleza é subjetiva e não sofre nenhuma influência ou distorção do que é considerado belo por uma padronização sistemática baseada na exclusão?

Drica Leal disse...

Bruno:

Jura que você não encontrou a causa dos problemas levantados pelo anônimo na primeira postagem? Pois pra mim está muito claro de onde vem essa idéia de que o homen tem que ser sobrehumano, engolir a seco suas angústias, ignorar suas vulnerabilidades, nunca pedir ajuda ou apoio pra nada ao ponto de perder a sanidade física ou mental de forma muitas vezes irreversível. Tudo isso é fruto de uma sociedade machista e patriarcal, onde os homens tem muitos privilégios, mas em contrapartida tem que aguentar tudo isso aí que o anônimo citou.

O problema com o masculinismo é que ele aponta os efeitos, mas distorce estupidamente as causas. Para o masculinismo, se um homem não procura ir ao médico ou fazer exames a culpa é das mulheres e do feminismo. Se ele é culturalmente forçado a correr riscos desnecessários e estúpidos pra provar que é homem pra si mesmo e para os outros e por isso morre mais, se envolve em mais acidentes e mortes violentas, os masculinistas também acham que a culpa é das mulheres e do feminismo. Agora me diga onde etá a lógica de questionar as feministas sobre todos esses problemas pelos quais os homens passam apenas porque querem perpetuar um modelo de masculinidade estúpido que o feminismo há tempos aponta os danos sociais. O problema é que muitos homens que entram em discussões desse tipo parecem ressentidos pelo fato de feminismo se debruçar primordialmente sobre os danos que esa cultura machista causa às mulheres e em como saná-los, ao invés de colocarmos os problemas dos homens como o centro das discusões. Porque se o homem tem vantagens e desvantagens nessa cultura patriarcal e machistas, nós mulheres só temos as desvantagens.

Então antes que você seja mais um desinformado achando que os masculinistas inventaram a pólvora por enxergar todos os problemas masculinos dentro da nossa cultura eu digo que o feminismo já sabe e discute sobre eles há tempos. Mas nós sabemos que para erradicá-los, todos os conceitos vigentes de gêneros precisam ser modificados ou superados. Enquanto isso, os masculinistas acham que não há nada de errado com o modelo de masculinidade, com os valores vigentes e com as estruturas sociais machistas e patriarcais. Só acham que nós mulheres devemos voltar para os papéis de serviçais domésticas, objetos sexuais e enfeites do
mundo masculino, sem nunca desejar ser um ser humano socialmente ativo, livre e autônomo, para que as inseguranças, problemas e angústias masculinas desapareçam.

Agora cabe a você pensar sob que viés faz mais sentido reconhecer e tentar solucionar os problemas do gênero masculino na nossa sociedade.

Drica Leal disse...

Anônimo revoltado com as feministas:

No dia em que você e seus amiguinhos mascus lutarem para que o homem possa dividir todas as tarefas domésticas e cuidado dos filhos com a companheira a gente conversa. Porque a maioria das mulheres que trabalha fora como os homens em casa ainda tem obrigações que a maioria dos homens ainda não faz, ou faz muito pouco dando uma "ajuda" de vez em quando. Quando as tarefas domésticas e o cuidado com os filhos forem vistos naturalmente como obrigações de homens e mulheres igualmente, aí a gente conversa sobre aposentadoria de homens e mulheres com a mesma
idade também.

Carla disse...

Não sei se sou eu que vivo num mundo utópico, em que fé na humanidade ainda existe, mas para mim as pessoas não se admiraram por ele ser branco, mas sim por ser bonito, ex-modelo inclusive.Pelo menos comigo foi assim.
Sei que o padrão de beleza é racista, e praticamente só se encaixam nele os brancos, mas isso não quer dizer que esse mendigo foi ajudado por ser branco, só quer dizer que ele teve muito mais reconhecimento para sua beleza.
Desse modo acredito que ainda haja muitos mendigos brancos em Curitiba e outras cidades do sul precisando de ajuda, mas não a recebem, por serem feios; podem até ser eurodescendentes, mas tem rosto muito assimétrico, nariz muito grande, vesguice, qualquer coisa que os deixe "feios”.
Não que não haja certa diferenciação, afinal um negro deveria ser muito, muito, muito bonito para que metade das pessoas se mobilizassem como nesse caso.


Bem, essa foi minha opinião, baseando no que eu pensei quando ouvi sobre ele no jornal.

E repito, não estou negando que haja racismo no Brasil, que já está presente em achar esse cara tão mais bonito que muitos outros, só estou dizendo que nesse caso o diferencial foi muito mais a beleza do que a cor.Até porque é Curitiba, lá as ruas devem estar cheias de mendigos brancos.

Drica Leal disse...

Já que tem gente que ainda acha que o caso desse rapaz loiro que vive na mendicância ainda não prova que mesmo em situações de miséria brancos e negros recebem respostas diferenciadas da sociedade, me digam o que acham de crianças brancas serem mais adotadas que crianças negras no Brasil, sendo que nos orfanatos e abrigos crianças afrodescendentes são maioria. Será que é pela beleza também? Deve ser, né?

Lisbela disse...

Ótimo post, mas deveria tratar mais da dependência química do moço em questão... Ele precisa de ajuda, sim... muitas outras pessoas se encontram na mesma situação lamentável que este rapaz, sim... e igualmente precisam de ajuda!!! Pena apenas ele por ser bonito tenha chamado a atenção das pessoas!

Anônimo disse...

sinto muito, mas o senhor está errado. conhece o dsm (diagnostical and statistical manual of mental disorders)? vale a pena dar uma olhada. a depressão é maior entre mulheres, até 10x.
-
Tá, então porque os suicidios são 4 vezes mais entre os homens ?
Mas concordo que o machismo e a causa de todos estes males !


Maria disse...

O racismo no Brasil é enorme, mas não consigo deixar de fazer alguns questionamentos.

- A onda do politicamente correto está tão forte que uma notícia da descoberta de um mendigo branco de olhos azuis E bonito (sim, pq não basta ser loiro para ser considerado bonito), já soa como politicamente incorreto. Eu confesso que quando vi a manchete a primeira coisa que pensei foi "que coisa mais racista e de mal gosto", sem nem ao menos ler a matéria. Pq uma simples notícia soa assim?

- Fui modelo de uma das maiores agências do país, e apesar da maioria do casting ser composto por pessoas brancas (isso é inquestionável), tb havia pessoas negras e qual era o ponto em comum entre todos nós? Estar dentro dos padrões de beleza. Ter um corpo considerado legal, ser alto, ter um cabelo bem cuidado (e não liso. inclusive minha agência priorizava o cabelo em sua forma natural), um rosto bonito e marcante. Tendo em vista esse padrão, eu nunca vi um mendigo, branco ou negro, que cumprisse essas exigências para o mercado da moda. Então creio que esse rapaz é uma exceção. Será que se não descobrissem um mendigo negro com essas características, ele tb não seria destaque?

Anônimo disse...

única coisa errada que eu vejo no texto:" continuaria visto como um mero rejeito". na verdade, se não for "gato", não é visto. pq faz parte, passa despercebido. mendigos "feios" só são vistos se chegam perto demais. imagine quem tiraria uma foto de algum que se aproximasse. iria achar que era pra roubar a câmera.

mendigo dormindo no chão é um dos maiores clichês de qualquer curso de fotografia. mas nenhum caso tem repercussão se não for pela beleza ou se for ex famoso (como aquele cara que era da legião urbana)sugado por programas sensacionalistas atrás de ibope.

existem pessoas trabalhando todos os dias pra tentar ajudar muitos sem-teto. acontece que os problemas normalmente envolvem problemas psiquiátricos ou de dependência química. são pessoas que precisam ser tratadas. bonitas ou não. e quem trabalha com esse pessoal normalmente trabalha em silêncio e sem muita ajuda do cidadão comum.

uma vez conversei com um que me disse que tinha acabado de sair da prisão, mas que não queria voltar pra casa pq tinha vergonha da mãe e da mulher. ou seja, uma ajuda pra tratamento de depressão, reconquista de autoestima, reaproximação da família... era tudo que ele precisava.

isso tudo é a questão de que certas pessoas não são consideradas gente pelo senso geral da população. elas representam tudo que não se deve ser na vida.

mas, se for negro, nem precisa ser mendigo. uma vez eu tava chegando em casa e vi um senhor negro sentado no chão na entrada do meu prédio. cheguei pra perguntar se tava tudo bem e ele disse "moça, eu saí do hospital de base agora, já tomei remédio, tô melhorando, foi minha glicose que subiu. eu só queria um copo d`água pq eu pedi pro porteiro e ele disse que não podia dar". gente. nesse prédio, que é prédio de ministros de estado e afins, um copo não faria diferença.

só que o porteiro me viu pela câmera conversando com ele e apareceu pra perguntar se tinha alguma coisa acontecendo COMIGO. eu falei:"não, é com ele. esse senhor só precisa de um copo d`água". só então o porteiro trouxe. e, eqnto eu conversava com esse moço, vi um morador guardar coisas no porta-malas do carro, gente andando normalmente... gente, que mundo é esse?

alguém se lembra de qdo queimaram o índio em brasília? um dos criminosos disse que eles não sabiam que era um índio. ou seja, na cabecinha deles, o mendigo podia que tudo bem.

lola aronovich disse...

Queridas pessoas, muito obrigada pelos elogios, mas lembrem-se que o post não é meu. É do Robson. Toda vez que escrevo GUEST POST no título quer dizer que o post não é meu, é de outra pessoa convidada pra escrever aqui (ou que deixou um comentário muito legal e eu transformo em post, ou enviou um email interessante e eu peço permissão pra transformar em post). Já publiquei mais de 200 guest posts no blog, e acho que eles trazem muitas visões e experiências diferentes pra cá. Definitivamente enriquecem o blog.


Pra quem tá dizendo que o mendigo de Curitiba ganhou fama por ser bonito, não por ser negro (esquecendo que o que vc considera ou não bonito é uma construção social baseada num padrão eurocêntrico de beleza), aqui tem um tumblr de "mendigos que vc tem que pegar antes de morrer". CHEIO DE NEGROS, não?
Gente, desculpe, mas quem diz que tanto faz se o mendigo é branco ou negro, o que importa é que ele é bonito blablabla tá passando vergonha em público. Na minha modesta opinião.

Anônimo disse...

O tratamento foi diferenciado por ser branco E bonito. Não há dúvida que o "bonito" amplifica o fato de ser "branco".
Vai dizer se ele fosse a cara do Marquito também teria tanta atenção?
Sorte a dele que o fotografaram antes do crack derreter sua aparência, tão de acordo com aquele padrão da mídia.
Por outro lado também se tivesse a cara do Lázaro Ramos mas com pinta de mendigo poderia ter menos atenção ainda.
No Brasil, preto normalmente só tem algum destaque quando esta associado a sucesso , dinheiro.
E infelizmente nossos olhos estão mais "acostumados" com mendigos negros mesmo.
No Brasil existe preconceito racial E preconceito social (elevador de serviço, que ainda é usado para segregar, anyone) que muitas vezes se misturam, mas que também existem independentes.

Anônimo disse...

maria, se fosse um negro, ele teria que ser muito dentro dos padrões de beleza pra ser considerado merecedor de não estar nas ruas. negro de traços "suaves", "finos", "europeus"(esses termos me enlouquecem).

vc mesma respondeu a sua pergunta: existem mais modelos brancos. se vivemos num país de maioria parda (?) a negra, seria até difícil por probabilidade termos mais modelos brancos.

o que dana tudo é que qualquer traço que possa levar a pessoa a lembrar um negro já é tido como feio. todo mundo (até gente fenotipicamente branca) quer afinar nariz, clarear cabelo... se um negro nasce com nariz fininho, nossa, que lindo. de olho verde então!

repare nesses programas que dizem que vão "ajudar" as pessoas. primera coisa que fazem com as mulheres é alisar o cabelo. assim, ficam mais "bonitas". claro que existem negros de cabelo liso (preta gil é uma), mas não são a maioria e não é o que está no nosso imaginário.

selena disse...

eu acho q é mais pq ele é bonito,nem todo mundo q é branco é super lindo.

eu n sabia dessa noticia mas vi uma em que um negro q era bem bonito,foi preso,n lembro bem se ele era bandido ou drogado,mas se dizia arrependido, recebeu muita atenção e proposta pra ser modelo.

o problema é a fixação com beleza,na tv e na vida mesmo,quem nunca ouviu isso: ah fulano morreu,que pena,era tão bonito!

se for feio pode ir pro inferno q n tem problema.

nando disse...

É isso Lola,é a hipocrisia da nossa sociedade,que infelizmente só vê o padrão de beleza,ou a sua situação econômica,mais isso não vem de hoje no Brasil,passa desde os tempos da escravidão,e o nosso estado contribui pra isso tudo,começando na escola e infelizmente nas nossas famílias.

Raziel von Sophia disse...

Ah um tempo cheguei a viver num abrigo aqui em Porto Alegre, e lá conheci vários mendigos que me apresentaram outros mendigos. Cheguei até mesmo a pegar sopão com eles(e ainda ganhei de brinde uma bandeja de bolo de chocolate, meu amigo ganhou vários sonhos... Tudo de supermercado do último dia de validade).

E - ao menos aqui em PoA - eu digo com toda convicçãi

- Mendigo não passa fome. Alias, nos inúmeros albergues e abrigos, se tem 6 refeições por dia. Isso sem contar os sopões com bolo recheado, e as frituras que eles compram com as esmolas.

- Mendigo muitas vezes não vai para abrigo porque não quer, os "cachorros" como eles se chamam, tem extrema facilidade de conseguir drogas, e ainda com preços especiais.
Uma hora do mendigo mendingando ele consegue comprar 2g de maconha.

- A maioria NÃO quer deixar a rua. Como um mendigo que eu conversei numa fogueira no meio da Andradas me disse outro dia: "Boca Braba, a melhor coisa que eu fiz na vida foi vir pra rua. Aqui não tenho aporrinhação, não tenho contas, sou sustentado pela prefeitura e ainda posso fazer o que eu quiser."
De fato, uma assistente social me disse que o desafio não é da-los casa, comida e emprego. O desafio é fazer eles QUEREREM mudar de vida e assumir responsabilidades.

Deixo claro que o que eu digo não são achismos, mas uma experiência de viver 6 meses como "mendiga remediada"... A prefeitura me abrigava nos fundos de um hotelzinho(que nem comida servia), dividindo o quarto com outras três pessoas. As vagas nesse hotel serviam para mendigos que conseguiram emprego assumirem responsabilidades, uma vez que naquele hotel não se servia refeições, obrigando-os a administrar o dinheiro e sua alimentação. Essa lição de responsabilidade é inviável nos abrigos, pois lá se serve 6 refeições ao dia. Uma estatística da FASC(Fundação de Assistência Social e Cidadania) mostrou que a maioria deles é "sobrepeso".
... E numa boa? Tirando a falta de privacidade e segurança, eu vivi muito bem, obrigada.

Frida disse...

Isso me lembra um do tweet do Emicida, sobre o instagram para Android que a galera falava que o nível do aplicativo iria cair por causa dos pobres: 'as vezes vocês abaixam tanto, que dá p/ ver seu racismo inteiro.'

Natasha Strungis disse...

Tbm concordo com o pessoal de que o fato mais importante é que ele é lindo de morrer e não branco, tenho certeza que se fosse um negro bonito, como sei lá, o Denzel Washington ou como o moço do CSI, iria chamar muita atenção. E tem essa graaaaaande diferença de tirar o mendigo viciado das ruas, tá achando que é fácil? Pergunta é pros psicologos, assistentes socias e todo pessoal de apoio que tava lá na Cracolândia, pergunta pra eles se foi fácil ajudar o pessoal depois que a prefeitura armou todo aquele barraco e piorou a situação??? Não é bem assim não, é um trabalho de dias, meses, se duvidar: anos!
Não tem muito sentido pegar um caso isolado e jogar aí escancarado na internet chamando de preconceito, racismo e o cara**** a quatro! Isso tá errado, gente! Ninguem daqui é gênio pra saber como as estatisticas funcionam e já sair julgando. Só porque é branco foi resgatado das ruas? Ahhhh, logo assumimos que NUNCA, NENHUM negro, pardo, mulato foi resgatado!!! Vcs nao se lembram no daquele homem que era poeta, que tinha POR SINAL pele escura? Tambem foi viral no facebook e olha lá, alguem parou pra ajudar ele e TAMBEM tinha familia procurando por ele... o Sr Raimundo.. (link: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/05/morador-de-rua-de-sp-reencontra-familia-apos-perfil-criado-no-facebook.html)

Que tal ao invés de ficarmos de nhé nhe nhe contra negros e brancos, NOS UNIRMOS??? é bem mais facil néé´???? Acho que não percebem que quando falam do branco, ou do negro, sempre falam separadamente, como se negro fosse outra raça, e branco uma completamente diferente, pois ledo engano!! São apenas etnias diferentes, como eu sou branca de ascendencia europeia, mas existem brancos de ascendencia asiática! Optimo, a grande diferença é a nossa origem de terra, mas de RAÇA somos a mesma!!!!!!

Anônimo disse...

selena!!!

siiiimmm! fico super irritada com isso de "era tão bonita". porra, feios têm direitos na vida tbem!

Guilherme Freitas disse...

Quantos outros mendigos e viciados em crack não gostariam de receber o mesmo tratamento e atenção? Mas infelizmente, 99% deles não tem olhos azuis ou foram modelos no passado. Continuarão sendo invisíveis. O Brasil é um país hipócrita mesmo. E muito, muito racista.

Cora disse...

Sobre o suicídio...

parece que mulheres tentam mais (principalmente pela ingestão de medicamentos, o que possibilita o socorro), mas os homens têm maior probabilidade de êxito (usam métodos mais violentos). As principais causas são depressão, dependência de drogas (mais de 50% dos casos), anorexia, esquizofrenia e transtorno de personalidade.

(acredito que haja mais dependentes de drogas entre homens, incluindo aí o alcoolismo)

Para suicidar-se é necessário passar por cima do instinto de auto-preservação, que é muito forte. Um pesquisador do tema descobriu algo interessante sobre esse aspecto: além do desejo de morrer, a pessoa deve se acostumar com experiências dolorosas ou assustadoras (dessa forma, conseguiria “ignorar” o instinto de auto-preservação, pois se tornariam mais capazes de se colocarem nessas situações dolorosas).

Além, é claro, de ter acesso aos meios para concretizar o desejo de morrer.

Entre soldados, policiais e médicos as taxas de suicídio são mais elevadas do que entre a população em geral.

No brasil, ao contrário do resto do mundo, o suicídio é mais comum entre jovens (15 a 24 anos) do que adultos.

E por aqui, as taxas entre os indígenas são bem maiores que a média nacional (chega a ser 40 vezes maior em algumas populações!!).

E fiquei espantada ao descobrir que o rio grande do sul apresenta as maiores taxas (em relação ao mundo, o brasil tem uma das menores médias).

No brasil, os óbitos por causas externas são mais frequentes entre homens, sem dúvida nenhuma. Em 2005, 83% dos óbitos por causas externas (acidentes de trânsito, homicídios, suicídios, outras causas) ocorreram na população masculina. Mas, tem um dado interessante: o percentual de óbitos por suicídio entre as mulheres (8,7%) é ligeiramente maior que entre os homens (6,4%). E, se considerarmos apenas o grupo de 20 a 29 anos, o percentual de óbitos por suicídio é de 10,5% entre as mulheres e de 5,0% entre os homens. Homicídios predominam entre homens (40,8% contra 18,3% entre as mulheres).

Mais de 1 milhão de pessoas cometem suicídio a cada ano no mundo!!

O japão lidera as estatísticas. Na china, ao contrário dos demais países, são as mulheres que mais cometem suicídio.

Lia disse...

Mas que chatice isso, ein?
Agora ficam falando que o tal mendigo recebeu atenção porque é branco e que isso é racismo? Agora tudo é racismo?
O cara recebeu atenção não é porque o cara é branco. O cara recebeu atenção porque é bonito, dentro dos padrões de beleza, que não é um padrão SOMENTE contra negros, mas também contra pessoas gordas, contra pessoas com alguma limitação física, contra baixinhos, etc.
Se o cara fosse branco e feio (considerando os padrões de beleza impostos), também não receberia atenção.
Ou seja, a questão não é ele ser negro ou não.
Mas agora tudo virou motivo pra falar de racismo. Qualquer coisa, é racismo. Ninguém mais está suportando essa chatice!
E aquela menina negra do lixão que foi convidada pra ser modelo? Pô, a menina é bonita, é negra e também recebeu atenção.

Anônimo disse...

Dou minha cara a tapa que o 'mendigo' ou é um drogado/doente mental que a família enjeitou ou um pesquisador sociólogo ou coisa que o valha. Se TODA a família do mendigo estivesse na rua, vítima das enchentes, aí sim, eu acreditaria.

Luiz disse...

Ai, Robson!

Ao ler este texto seu eu me lembrei de um amigo meu que é um ótimo frasista. Certa vez eu e este amigo estávamos em um aeroporto onde embarcaríamos para os EUA. Ao chegar à imigração americana, apresentei meu passaporte israelense por uma questão de logística e comodidade. Tenho dupla cidadania. Brasileira e israelense. Quando um senhor ao lado percebeu que meu passaporte era israelense começou a me apresentar um monte sugestões para resolver o conflito entre Israel e países árabes (Deve ter achado que eu era o Netanyaru). Em 15 minutos ele resolveu um conflito milenar e mais, fez tudo isso sem precisar sair da sala da alfândega americana (Esse é um dos problemas de ser judeu. Todo mundo acha que a gente tem a solução ou somos os culpados pelo problema da Palestina). Bom, finalmente quando este senhor decretou a paz entre judeus e árabes e foi ser atendido pela imigração, este meu amigo disse algo simplesmente supimpa.

-Não se preocupe meu caro Luiz. Para todos os problemas do mundo alguém tem sempre uma solução simples, fácil e errada.

Bom, seu texto parece caminhar por essa trilha. Por que? A razão é simples. O seu diagnóstico está errado. Na cidade onde vivo, vejo bastante mendigo branco. Bom, não estou dizendo que não exista discriminação e preconceito por aqui (Ele é bem menor que em outros países). Basta ver o que houve no Supremo durante a posse de Joaquim Barbosa como presidente do Supremo quando dois amigos negros dele foram barrados pelos seguranças e depois não souberam explicar porque eles foram barrados. Discriminação? Sim.

Já posso ouvir o idiota gritando ao fundo. Precisamos das cotas! Não, Pedro Bó, não precisamos. Precisamos de educação pública de qualidade e de professores de matemática que ensinem matemática ao invés de doutrina política nas salas de aula das escolas públicas durante aulas de matemática. Em aulas de matemática deve se ensinar tabuada alem de ensinar os alunos a fazer conta, matrizes, geometria, funções e equações. Nada de tentar descobrir a beleza contida na miséria. Quem gosta de pobreza e miséria é intelectual "progressista" de esquerda. Pobre quer é sair da pobreza. Há sim, sou favorável também que os professores sejam bem remunerados. Os professores ruins não ganharão nada, pois devem ser demitidos para o bem de todos, principalmente dos pobres. Outra coisa Pedro Bó, sua mãe está muito nervosa contigo, pois você não perde aquela mania de comer o carpete verde que sua mãe coloca na sala.


Luiz disse...

Voltemos ao tema Robson. Será se a mobilização para tira-lo das ruas decorre do fato de ele ser branco? Não necessariamente, apesar de achar que seu texto tem uma leve simpatia pela ideia de deixa-lo na rua como uma espécie de punição aos brancos. Hum meu caro, suspeito que não. Acho que a mobilização e o alvoroço em torno do tema decorrem do fato dele ser bonito (Recomendo que você leia um livro do Umberto Eco intitulado "História da Beleza". Parece que você não o leu). Platão classificava como belo tudo aquilo que conserva uma simetria harmoniosa e proporcional. Parece que aquilo que temos como belo não mudou muito com o tempo. O belo é algo que contemplamos independente de querermos ou não de possuí-lo. Veja que não estamos falando do conceito de belo tendo como parâmetro as raças. Detesto este termo. Quem parece gostar dessa ideia era os nazistas e os tarados ditos progressistas que querem o estado classificando as pessoas por suas cores. Basta ver as leis racialistas recentemente aprovadas pelo nosso parlamento.

Robson, você se lembra da história uma moça que foi descoberta em um lixão em Gericinó no Rio de Janeiro por uma equipe d e TV? O que ela e esse moço tem em comum? Ambos eram bonitos e por isso suas histórias foram parar na TV. Na época a história gerou uma comoção semelhante à desse rapaz. Quem era a moça? Chamava-se Cristiane Andrade e era negra. Chegaram até a agenciar um trabalho de modelo para ela. A realidade é que pessoas bonitas tem esse plus da contemplação e num primeiro momento as portas se arem com mais facilidade para os belos. Portanto, confesso que achei a sua teoria da conspiração até bem elaborada, apesar do seu texto ser bastante repetitivo, mas o suas ideias em nada ajuda a discussão sobre racismo e preconceito. Pelo contrário, atrapalha. Suas conclusões sobre esse tema são falsas porque as suas premissas iniciais estão erradas. Pelo menos neste caso.

Dani Andrade disse...

Acho que eu não passo vergonha não Lola! Poxa sou branca mas acho tantos negros lindos, como: will smith, denzel washigton, rafael zulu (lindo demais!!!) se visse um mendigo desse eu me jogava ;)

Fernanda disse...

E ainda tem gente que diz que não existe racismo no Brasil. Lamentável.
Mas tbm é lamentavel a atitude de muita gente aqui dizendo que tem raiva do cara porque ele tinha tudo, foi pro mundo das drogas e recusou ajuda, insinuando que ele pediu pra ter a vida que tem. Só que o vicio não escolhe cor, credo nem classe social. Ele(nem ngm) esta nessa vida porque, porque gosta. É absurdo alguem dizer uma coisa dessa. Se ele(e muitos outros) recusam ajuda não é porque prerem essa vida, é porque não tem escolha, são escravos da droga, do vicio. Se fosse tão facil assim sair largar as drogas não existiram tantos drogados e tantas crackolandias pelo mundo a fora...

Maria disse...


Vou responder por partes, ok?




"maria, se fosse um negro, ele teria que ser muito dentro dos padrões de beleza pra ser considerado merecedor de não estar nas ruas. negro de traços "suaves", "finos", "europeus"(esses termos me enlouquecem)."

Vou falar pela minha experiência na agência Mega Model que é a que fiz parte do casting durante 1 ano, e é uma das maiores do Brasil. Ás vezes penso se essa coisa do traço fino e europeu é um mito. Hoje em dia as agências tem um defict de negros, indígenas e asiáticos que eles adoram quando alguém assim chega. Claro que não basta ser negro para entrar. Tem que ter certa altura e certo tipo físico, mas pelo que eu presenciei, eles adoram características etnicas bem marcantes. Tem poucos candidatos ao casting com características assim. Talvez os próprios negros deixem de procurar as agências por acharem que não terão chances, o que é fácil de entender, uma vez que há anos atrás as agências eram bem fechadas.


"vc mesma respondeu a sua pergunta: existem mais modelos brancos. se vivemos num país de maioria parda (?) a negra, seria até difícil por probabilidade termos mais modelos brancos".

Sim, e acho um absurdo termos poucos representantes negros no mundo da moda, mas ando vendo que isso está sendo muito pontual. Por exemplo, no concurso de miss Brasil está claro o racismo. Temos não sei lá quantos estados e sempre poucas negras, sendo que sempre tem candidatas negras ao posto de miss. Porém, o que presenciei na agência era diferente disso. Eu via constantemente os produtores reclamarem da falta de candidatos negros/indígenas para comporem o casting. Como falei no tópico anterior, são muitas poucas pessoas com essas características que procuram as agências. E quando aparecia uma pessoa assim, era aceita na hora (claro, cumprindo as exigências físicas que te falei. um baixinho dificilmente vai ser aceito). Eu mesma, por ser branca dos cabelos castanhos, corri risco de não ser aceita por já ter muita menina com as minhas características no casting.

"o que dana tudo é que qualquer traço que possa levar a pessoa a lembrar um negro já é tido como feio. todo mundo (até gente fenotipicamente branca) quer afinar nariz, clarear cabelo... se um negro nasce com nariz fininho, nossa, que lindo. de olho verde então!

repare nesses programas que dizem que vão "ajudar" as pessoas. primera coisa que fazem com as mulheres é alisar o cabelo. assim, ficam mais "bonitas". claro que existem negros de cabelo liso (preta gil é uma), mas não são a maioria e não é o que está no nosso imaginário".

Quanto ao cabelo, como eu disse, a agência a que eu pertencia prezava o cabelo NATURAL. Tanto é que quando a/o modelo vai fazer o primeiro book, eles destacam que, se a pessoa tiver cabelo liso cabe uma escova, e se tiver cabelo cacheado, vai no máximo um babe-liss para definir os cachos. Quanto ao padrão da sociedade, não corresponde a esse universo, embora a maioria das pessoas acreditem que sim. Por exemplo o lance da magreza feminina. Todo mundo acredita que mulheres magras (aka. padrão modelo) fazem parte do padrão social em larguíssima escala e isso é uma grande mentira, pelo menos aqui no Brasil. Na nossa realidade, mulheres abaixo do peso só são bem quistas por estilistas, GAYS, e justamente por parecermos um cabide. Mas na sociedade em geral isso é uma grande mentira. O que faz sucesso mesmo é a mulher com curvas, com a onda das mulheres frutas até um certo sobrepeso passou a ser bem visto (desde que, claro, seja aquele padrão cintura menor que quadris e busto). Aonde que mulher magra faz parte do padrão brasileiro?!

Luiza disse...

http://mulher.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2012/10/16/inglesa-cria-site-para-reunir-relatos-de-sexismo-recebe-oito-mil-posts-e-e-ameacada-de-morte.htm

Olha, Lola. Como a gente incomoda, né?

Maria disse...


"Gente, desculpe, mas quem diz que tanto faz se o mendigo é branco ou negro, o que importa é que ele é bonito blablabla tá passando vergonha em público. Na minha modesta opinião."

Fazer um questionamento não é passar vergonha, uma vez que não falei que tanto faz se é "branco ou negro. O que questiono aqui é se basta um mendigo ser branco para ser considerado bonito.

Karla disse...

"Tá, então porque os suicidios são 4 vezes mais entre os homens ?"

Porque homens são menos encorajados a buscar qualquer serviço de saúde, principalmente quando se trata de saúde mental. Porque homens não devem assumir que são "frágeis" como qualquer outro ser humano. Dentre milhões de outras razões. Eu escrevi sobre isso aqui: http://escritosfeministas.wordpress.com/2012/08/15/da-serie-mitos-sobre-o-feminismo-parte-3-1/

Pra resumir, vivemos numa cultura emocionalmente degastante para os homens, mas que não os encoraja a buscar apoio e ajuda para lidar com isso.

Sério: quando se trata de comportamento humano e transtornos mentais, conhecer meia-dúzia de estatísticas não é, nem de longe, o suficiente para se tirar alguma conclusão.

Anônimo disse...

a giovana antoneli ao gravar num lixão descobriu uma mulata linda escondida embaixo de sujeira e trapos revirando lixo: "Quando cruzou com Cristiane, Giovanna sorriu. “Veio me dar um abraço. Fiquei constrangida, porque estava fedendo muito”, lembra a modelo. Encantada com os belos traços da mulata esguia – vestida ali com botas de borracha, colete amarelo e gorro do Flamengo – conseguiu divulgar a personagem em jornais do Rio e abriu-lhe as portas da carreira de modelo. "

Anônimo disse...

Passando pela rua no município de Leopoldina, MG o estudante de fotografia Vinícius Alves, 25, reparou em uma moça magra e alta ajudando a mãe a separar papelão para revender.
Ele conta que sentiu vontade conversar com ela para reparar um pouco mais naquela moça que não era comum, ela tinha medidas e traços de uma modelo.
A moça era realmente muito bonita apesar de estar vestida de forma simples.
Com traços exóticos a morena, de olhos verdes, magra, 1,78, cintura 60 e quadril 80 medidas averiguadas posteriormente confirmaram uns dos requisitos mais difícieis para uma modelo, estar dentro dos padrões.
Hoje trabalhando pelo mundo a moça não se esquece do começo simples, quando não tinha dinheiro para ir para o Rio de Janeiro e precisou da "vaquinha" dos amigos e também da ajuda do fotógrafo que a descobriu.

ViniciusMendes disse...

Raziel von Sophia

Eu lembro vagamente de ter lido algo nesse sentido, mas preferi não falar por não ter como sustentar... Existem pessoas que vivem nas ruas por falta de oportunidade? Não duvido, ainda mais crianças... Existem pessoas que vivem nas ruas por questões psicológicas, por estarem se destruindo com drogas ou simplesmente pq querem? Muito mais do que nós gostamos de assumir, já que assumir A)Nem todo mundo que a sociedade vê como vítima é de fato uma vítima. B)Algumas pessoas se recusam, nesse nível, a viver as convenções sociais... Do mesmo jeito que esse rapaz, que foi modelo e tem uma família financeiramente estável continua nas ruas...

Certa vez andando por São Paulo fui abordado por um mendigo pedindo comida... O sujeito falava tão bem, tinha tanta eloquência que o fato dele ser (bastante) estudado ficava óbvio em 5 minutos de conversa... Falem pra mim o que quiserem, mas alguém assim não vive nas ruas por falta de oportunidades, e foi essa a primeira coisa que pensei naquele momento.

E eu concordo plenamente que se fosse um rapaz negro com aparencia de modelo a repercursão poderia ser igual, mas também concordo que um rapaz negro teria que ser bem mais bonito que esse rapaz pra ser considerado bonito.

ViniciusMendes disse...

E Lola, a maioria dos rapazes desse Tumblr dos "mendigos gatos" nem são mendigos, são publicitários com barba... (vergonha da minha área nessas horas)

Anônimo disse...

Beleza que veio do lixo.

esses dois posts são apenas os que achei na internet procurando rapidamente. Casos como esses são comuns pois o que chama atenção das pessoas é a beleza. Se a pessoa for bonita e estiver no lugar certo na hora certa vai ser notada e alguém vai querer dar uma força.Pode ser no lixo, na favela, onde for. Uma menina, mulher de traficante, ficou famosa há alguns anos por ser linda. Tinha 14 anos e foi morta pouco depois. Se já tivesse facebook.. Assim é o mundo. Esse garoto tem família que estava procurando por ele há um mes, ele fez muitos trabalhos como modelo e agora é viciado em crack. A família fazia campanha para encontrá-lo até no facebook. Aliás quase toda semana alguém posta a foto de alguma pessoa desaparecida. É comum, são jovens, são de famílias de classe média ou mais modestas mas irmãos e amigos desesperados em busca de notícias. Chamam a atenção por serem jovens e bonitos e podem, em algum momento, estar mendigando por drogas. É a vida.

Anônimo disse...

Eu vejo mais a ditadura da beleza do que o racismo, sinceramente. Uma mulher, negra, foi ajudada pela Giovana Antoneli que grava cenas em um lixão e conseguiu um contrato com uma agência de modelos. Mas 'feias' e 'gordas' não conseguem a ajuda de ninguém.

Maria disse...

Lola, de onde vc tirou que esses caras do tumblr são mendigos????? KKKKKKKKKKKKKKK

Acho que vc entendeu mal. Pelo que eu entendi, são caras ESTILO mendigo (entende-se barba, cara de bagunçado, etc). De mendigo, não tem nada. Na unb tem vários assim. Classe média branca, maconheiros, barbudos, e papai funcionário público ganhando mais de 4 dígitos por mês. E claro que eles tem uma boa mesada \o/

Lucas disse...

Eu imagino como você faz pra ler tantos comentários assim e manter a sanidade num nível saudável. Porque deve ser de enlouquecer ter tanto trabalho assim, né? Mas é bom, significa que as pessoas se importam.

Bem, quanto ao mendigo, eu tinha visto por cima ele no facebook, mas salvei a foto dele pra ver com mais calma depois. Estava todo mundo comentando com tanto alvoroço, que deve ser alguma coisa de louco. Ele tem um físico de modelo mesmo e é muito bonito. Sinto muito por ele ter se envolvido com drogas e sinto mais ainda por ele ter tido a oportunidade de escolher se iria se drogar ou não.

Também não consigo aceitar isso, mas tenho escutado esses casos com mais paciência. Não é porque ele tem uma vida boa, que não lhe falta nada materialmente, que ele é feliz.

Ah mas mimimi ele nunca passou fome, tinha onde morar, um emprego... Sim, e fico triste por ele ter perdido tudo isso. Pra mim também nunca faltou comida nem roupas nem uma casa e mesmo assim eu já tentei me matar.

É engraçado que agora pipoca gente pensando que a situação seria outra se ele fosse negro. Mas opa, se tanta gente discorda da fama repentina dele, porque ele fez sucesso?

E o cara é lindo mesmo. Se foi através da beleza dele que a vida decidiu lhe dar uma segunda chance; ótimo. Ele ganhou mais uma oportunidade para se recuperar e manter uma vida digna. Fico feliz e torço por ele.

E realmente, ninguém está acostumado a ver alguém tão bonito como ele passando necessidade na rua. Todo mundo aqui sabe que alguém bonito tem um caminho muito fácil pra se dar bem na vida. Geralmente é isso o que acontece, mas claro que nem sempre é assim. Se isso deu uma nova chance pra ele, beleza. Bora fazer algo pelos outros que continuam na rua, não é mesmo?

Opa, é trabalho demais. É mais fácil vir aqui postar um comentário e esquecer o assunto. E é mesmo. Já fiz trabalho voluntário, já trabalhei com o povo, e quero muito um dia conquistar dinheiro e fazer algo grande por essas pessoas. Mas até lá, sobrevivo de um mínimo de de trabalho voluntário e de comentários como esse.

Mas já te digo uma coisa, conviver com o povo cansa, viu? É gratificante, mas cansa.

Admito que sou uma pessoa preconceituosa. Mas com o tempo eu vou mudar isso. Sei que vou.

Opa, nem foi difícil comentar aqui como eu achei que seria ;D

{http://umgurientregurias.blogspot.com.br/}

Anônimo disse...

Penso que no resto do Brasil seja mesmo diferente, mas em Curitiba tem muito mendigo branco, tanto que isso nem me chamou atenção. Claro que tem mendigo negro e pardo também, mas acho que por causa da quantidaade de brancos que tem no sul, encontrar um mendigo branco no sul nao seja raro.
Eu não me admirei por o tal "mendigato" ser branco, mas por ele estar com o cabelo cortado e coisa e tal. Colocasse uma roupa limpa nele, nem dizia que é mendigo.

Eu não vi a entrevista toda do rapaz, mas me pareceu que ele tem algum tipo de problema como esquizofrenia ou algo assim. Acho muito babaca essa mulherada que fica "ai, dou arrego pra esse mendigo" porque pelo menos pra mim parece óbvio que uma pessoa que ta na rua tem alguma coisa errada. Ve se vou colocar viciado dentro da minha casa? Pra mim é o cúmulo da futilidade.
E concordo que o fato dele ter chamado tanta atenção talvez seja por ele ser branco, mas se fosse um negro com cabelinho cortado e tal, com a cara do Taye Diggs ia ter um monte de maluca oferecendo cama pra ele. (http://images2.fanpop.com/images/photos/7800000/Sam-Promotional-Photo-Season-3-private-practice-7896128-994-1325.jpg)

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Algumas dados estatísticos.
(...)
de cada 10 suicidios no Brasil, 8 são cometidos por homens !


Isso se deve apenas pelo método escolhido, pois mulheres cometem mais tentativas.

Os homens representam apenas 35 % dos atendimentos no SUS.

A expectativa de vida entre os homens e quase dez anos menor que entre as mulheres !


Ninguém recusa atendimento a homens no SUS e nem proíbe que homens procurem atendimento médico. Isso é simplesmente um hábito que as mulheres adquiriram, o de cuidar da própria saúde. Inclusive já li pesquisas que indicam que grande parte dos homens que cuidam da saúde só fazem isso porque são incentivados pelas parceiras. Se homem não cuida da saúde é por causa de cultura machista (duvida? mande um machão fazer exame de próstata)

(...)
A depresão e diagnosticada até 3 vezes mais entre os homens do que entre as mulheres( porem e mais visivel entre mulheres,por uma questão cultural, a mulher "veste' a depressão, o homem a "engole seco")


"Engole seco" a depressão me parece ser uma boa causa pro teu questionamento acerca da taxa de suicídio entre homens ser maior. Agora afirmar que a depressão atinge mais homens - ou nas suas palavras, é diagnosticada mais frequentemente em homens - vai contra todos os artigos que eu já li sobre o tema, inclusive em periódicos de psicologia.

Enfim, você poderia colocar as fontes dessas estatísticas? E poderia explicar como o feminismo contribui para esses números?

Anônimo disse...

As mulheres tentam o suicidio, como uma forma de pedido de socorro, no subconciente feminino, a tentativa de suicidio, e uma forma de chamar atenção para sua dor !

infelismente os homens são mais pragmaticos ate nisto, eles não tentam se matar ,ele vão la e se matam mesmo !

Anônimo disse...

85% dos moradores de rua são homens !

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2007-03-04/homens-sao-maioria-da-populacao-de-rua-no-brasil-constata-entidade-de-direitos-humanos
-
de cada 10 suicidios no Brasil, 8 são cometidos por homens !

http://ressurreicao.com/index.php?option=com_content&view=article&id=132:suicidio-mata-mais-que-guerras&catid=25:curiosidades&Itemid=97

-
O desemprego entre os jovens de 18 a 25 anos no Brasil, e duas vezes maior
entre o homens

http://www.dinheirovivo.pt/Economia/Artigo/CIECO056062.html

-
Os homens representam apenas 35 % dos atendimentos no SUS.

http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI6842-10511,00.html
-

A expectativa de vida entre os homens e quase dez anos menor que entre as mulheres !

http://leonardof.med.br/2010/08/27/por-que-os-homens-morrem-mais-cedo/
-
90% dos acidentes e morte no trabalho são o gênero masculino.

http://guarapuava.diarioagora.com.br/noticias/saude/24,157,17,08,homens-sao-principais-vitimas-de-acidentes.shtml
-
A depressão e mais frequente entre mulheres, por questões hormonais, elas também se recuperam com mais "facilidade",aparentemente são mais fortes emocionalmente, lidam melhor com suas ocilações sentimentais, entre os homens a depressão e mais letal, e profunda !

http://www.blogger.com/comment.g?blogID=1486619705951395295&postID=5954826432290850454&page=1&token=1350791700981

robot girl disse...

Esse post é simplesmente sensacional. Desnuda o racismo velado que há na sociedade. Um racismo que de tão "naturalizado" nos costumes, passa despercebido. O caso desse mendigo de olhos azuis é gritantemente um exemplo de que mesmo entre os pobres, e vejam só, mesmo entre os mendigos, o branco pode ter privilégios apenas por ser branco. Sabemos que há muito preconceito contra o pobre. Mas alguns querem negar que haja preconceito contra o negro, alegando que há apenas o preconceito social.

Anônimo disse...

E poderia explicar como o feminismo contribui para esses números?
-
Em nada, muito pelo contrario, acredito que o feminismo, em sua forma mais libertaria, no sentido de direitos e DEVERES iguais, e muito benefico também para os homens ( alem de proporcionar mais sexo)
Apenas observo que muitas feministas descrevem o "patriarcado' como sendo o paraíso masculino, e sabemos que não e verdae, a a mairoria dos homens, vive uma realidade dura no dia a dia, a sociedade ocidental, nos cobra uma postura de sucesso o tempo todo, não nos e permitido fraquejar, sem contar que os dito " lideres patriarcais, o topo da piramide são infima minoria entre nos, os homens que estão no poder são POUCOS homens, não nós em nossa totalidade. A percentagem total dos homens nesses altos cargos mal chega a 0,0000001% da população masculina.
Eu não sou um deles. E se você é homem e está lendo esse comentário neste blog, também sabe que não está governando o mundo.
Quando a ONU vai decidir o futuro de alguma nação eles não ligam lá em casa e dizem: "estamos ligando para todos os homens que controlam o mundo para pedir opiniões".
Somos em maioria somente peões num tabuleiro" matando um leão por dia, e fugindo de dois para sobreviver !

Anônimo disse...

Elaine Telles disse...
Nao o achei bonito.E depois que vi a historia dele, achei-o horrivel. Trata-se de um cara cuja familia eh rica e caiu no mundo das drogas. Vive dando trabalho a familia, o cerebro derreteu de droga. E agora, soh por ter olho claro e ser branco, a vida vem e lhe estende a mao, novamente. Enquanto isso, tem milhoes por ai precisando de ajuda.
Desculpem, mas nao consigo respeitar pessoas que tem informacao, dinheiro e se envolvem com droga. Eh a sociedade que tem que engoli-lo depois. A familia sofre. Tenho um exemplo desse em casa, com a diferenca de que nao somos ricos.Nao soh acabou com a vida dele, mas acabou a com a vida de todos nos.
20 DE OUTUBRO DE 2012 13:02

concordo totalmente. meu tio foi um desses, um traste. fiquei morrendo de dó da irmã desse traste de curitiba. gente de classe media que joga fora as oportunidades que receberam de mao beijada não me causa nem um pingo de pena

Anônimo disse...

"o menor acesso às condições materiais para o estudo universitário"

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA deixa de ser ridículo. só pq AGORA as mulheres ocupam a METADE das vagas nas universidades (a que sempre fizeram jus, mas eram dominadas por homens), ele quer cotas para homens! é de rolar de rir mesmo. sim, mulheres são maioria: 55% dos estudantes de graduação. nossa, que imensa margem de diferença ¬¬

e mesmo sendo maioria, o mercado de trabalho prefere absorver homens. entra em qualquer escritorio de advocacia de alto nível e a maioria é homem. ou seja, na hora de ganhar dinheiro e ser remunerado por essa qualificaçao, o mercado nao reflete a realidade das salas de aula.

Anônimo disse...

http://www.ecofinancas.com/noticias/jovens-negros-mulheres-sao-maioria-desempregados-no-df

Sara disse...

gostaria de ver um dia a solução para esse problema de moradores de rua, mas acho tão complexa que não tenho essa esperança.

Cora disse...


anon 01:21

você acredita que o feminismo seja responsável por essas estatísticas?

porque eu considero muito pertinente que os homens atuem debatendo e discutindo questões de gênero, por exemplo, a questão da violência, da saúde, do uso de drogas, da paternidade, das novas relações entre os gêneros, mas o masculinismo passa o tempo todo criticando uma caricatura de mulher e dizendo que tudo é responsabilidade dessa caricatura de mulher.

passa o tempo todo dizendo que os homens devem maltratar, agredir e desprezar as mulheres. são os masculinistas que veem mulheres como inimigas.

a crítica feminista sempre esteve relacionada ao machismo e ao patriarcado, que prejudica mulheres e também homens.

na verdade, não faz muito sentido as críticas que os masculinistas fazem às feministas, já que todas as queixas deles são devidas ao machismo. falta coerência e foco ao movimento masculinista.

hoje ele é, sim, um movimento de ódio. um movimento que pretende manter as relações sociais desiguais entre os gêneros. um movimento que prega o uso da violência física, moral e simbólica contra mulheres (e também contra homens que não pensem como vocês). isso é muito claro no discurso de vocês.

o tom acusatório da sua fala, demonstra-o bem.

o masculinista tem medo que as mulheres passem a tratá-lo como ele trata as mulheres.

o masculinista tem medo que a sociedade passe a tratá-lo como trata as mulheres.

o masculinista sabe que o tratamento dispensado ao gênero feminino ao longo da história foi degradante e tem medo que a situação se inverta.

Cora disse...

aê, luiz, sempre na luta pra minimizar preconceito e discriminação contra grupos que VOCÊ não considera discriminados, né?

o autor ressalta a questão do padrão de beleza e menciona, inclusive, a questão dos traços eurocêntricos, mais desejáveis, contra traços marcadamente africanos, mais rejeitados.

menciona a naturalidade com que lidamos com a pobreza de negros e pardos.

mas você nega isso, claro. diz que é coisa de esquerdista coitadista.

o único grupo verdadeiramente discriminado é o de judeus, os únicos que podem dizer que sentem a discriminação e o preconceito. os únicos que podem se queixar de piadas, de discursos, de atitudes, de ações, de olhares, de falas em comentários, de posts.

(esta é, claro, mais uma oportunidade de você me rotular de ex-cristã antissemita, o que me ofende muito. mas tenho que dizer isso. gostaria que você tomasse minha fala como uma provocação mesmo. você sempre faz isso. minimiza e despreza todo problema relatado por outros grupos historicamente discriminados fazendo esse contraponto com a causa judaica. e perguntando “até que ponto” a discriminação relatada é real.)

o autor não propôs solução pra nada, ele apontou um problema, pra gente refletir. e fez uma provocação no final. e se apreciássemos também os traços marcadamente africanos? será que haveria mais equilíbrio nas passarelas?

não tem nenhum idiota gritando cotas aqui. mas tem um monte dizendo que preconceito racial não existe no brasil. o fato de também existirem mendigos brancos (e eles, de fato, não existem. brasileiros não são brancos, com poucas exceções. somos uma mistura. somos mestiços. brasileiro acha que é branco), pobres brancos, negros ricos, mestiços ricos, não elimina a discriminação racial. ela continua existindo. só não vê quem não quer.

(é de uma desonestidade e pobreza de espírito a toda prova dizer que quem enxerga a desigualdade social e reconhece a indecente concentração de renda brasileira quer que pobres permaneçam pobres.)

uma leitora disse que as agências valorizam o cabelo natural. bacana as coisas estarem começando a mudar. eu percebo muitas pessoas, negras e negros, mestiças e mestiços, assumindo o cabelo natural com orgulho. mas, ainda existe a pressão pelo cabelo liso. repare como garotas adolescentes e crianças(!) de 10, 11, 12 anos ainda alisam os cabelos, enquanto os garotos ainda mantêm a cabeleira raspada. repare.

fantástico que alguma mudança já seja notada. quanto mais reflexão sobre o problema, mais ele deixa de ser problema. fingir que o problema não existe não resolve nada. falar sobre ele, sim.

qual a teoria da conspiração presente no texto? não pesquei.

Robson Fernando de Souza disse...

A quem diz que "um rapaz negro igualmente bonito teria a mesma sorte desse mendigo branco", pergunto:

Como seriam as características físicas faciais desse hipotético rapaz negro bonito?

Anônimo disse...

Fernanda
Você esta errada.
Ele esta no mundo das drogas por escolha sim. Usar drogas é uma escolha, ninguém te põe droga goela abaixo. E como toda escolha que fazemos há uma consequência, a dele foi virar o que virou. Eu já tive uma comunidade, sem fins lucrativos, quis realmente ajudar o dependente químico, mas a maioria não quer, se podem enrolar os pais com suas mentiras e voltar para casa , porque parar? Mas há os que preferem ir para rua, evita cobranças. Sabem muito bem o que fazem e a quem enganar, sabem escolher de quem roubar para correr menos riscos. Sabem que se devem em um traficante vão morrer e não aparecem mais lá. Agora como todos nós, eles também devem arcar com suas escolhas, pois lembre eles não são coitadinhos, eles mesmo sabendo o que a droga faz , decediram experimentá-la. Mas continuo estendendo minha mão para quem realmente quer sair dessa.

Rose disse...

Se o seu dia está ruim e uma pessoa bonita olha pra você e ri, você pensa:pelo menos o (a) lindo(a) riu pra mim, meu dia não ta tão ruim assim. Mas se uma pessoa feia faz o mesmo, você pensa: era só o que me faltava para o dia ficar pior, até esse feio rindo pra mim. É como se ser feio fosse uma ofensa pessoal a pessoa que o vê (surpresa,em situação de miséria elas não sofrem menos por serem feias).
Aos que argumentam que a comoção foi devido ao rapaz ser bonito e não por ele ser loiro, me digam quais são as características observadas numa pessoa branca para ela ser considerada feia? Quais são as características observadas numa pessoa negra ou parda para ela ser considerada bonita?
E anônimo estatístico, se só 35% dos atendimentos médicos são de homens, onde eles recebem os diagnósticos três vezes maior de depressão? Será que , além de exímios matemáticos ilusionistas, os miguxos viris também são excelentes psicólogos de adivinhação a distância?

Rebeca Silva disse...

o Jornal a noticia dedica uma pagina inteira ,ao Rafael ,"Pergunto :Se fosse um Preto ?teria a mesma repercurssão segue link http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&section=capa_online

Hugo Stteodore disse...

O texto revela o que realmente deveria ser dito... Quando vi a foto pela primeira vez sendo compartilhada no facebook, minha cabeça já foi em outros rostos que jamais terão a mesma sorte.
Uma pena que nesses casos não exista celular tão poderoso a ponto de revelar uma personalidade surpreendente, pois essas pessoas são extremamente humildes e tem uma história muito rica que valeria muito mais do que os olhos claros e a pele branca.
O caso não é enxergar beleza negra, parda ou branca. É enxergar o que está por dentro. É enxergar aquilo que viraria um texto e não uma foto.
É uma pena saber que se um mendigo de rosto sofrido pelo tempo contasse sua história e alguém postasse em rede social, no mãixmo haveria uma comoção coletiva gerando milhares de compartilhamentos de uma história que seria esquecida em poucos dias...

Gabriela disse...

Anônimo das11:11

85% dos moradores de rua são homens !

sabe porq?Porq homens tem maior tendência a terem doenças mentais e a se envolverem com drogas.

Os homens representam apenas 35 % dos atendimentos no SUS.

Aparentemente a população feminina está crescendo.Isso deve ter algum efeito nas estatísticas.E é o machismo q mantém o homem longe do médico.Afinal de contas um macho não pode ficar de frescura e ir ao médico toda vez q sente uma dorzinha.

90% dos acidentes e morte no trabalho são o gênero masculino.

Será q isso tem alguma coisa a ver com o fato q certas profissões são praticamente proibidas ás mulheres.?E essas são as q oferecem mais risco.São os trabalhos braçais.

A depressão e diagnosticada até 3 vezes mais entre os homens do que entre as mulheres( porem e mais visível entre mulheres,por uma questão cultural, a mulher "veste' a depressão, o homem a "engole seco")
Fonte?Porq até onde eu sei é o contrário.Eu tenho depressão e Síndrome do pânico e venho me tratando há anos.Passei tanto tempo com psiquiatras q me sinto uma.

de cada 10 suicidios no Brasil, 8 são cometidos por homens !
Homens escolhem métodos mais violentos.Suicídio por arma de fogo por exemplo.Como alguém q explodiu o próprio cérebro pode ser socorrido?As mulheres preferem tomar overdoses.Então elas conseguem ser socorridas.

A expectativa de vida entre os homens e quase dez anos menor que entre as mulheres !

Homens comumente são vítimas da violência urbana.Mulheres da violência doméstica.Homens se recusam a ir ao médico com regularidade.Homens são mortos por outros homens.Quantos homens são mortos pelas namoradas?Quantos homens são estupradas por dia nesse Brasil?Quantos homens estão sendo espancados agora nesse exato momento por suas namoradas?

Alguém aí disse q dependência química é uma escolha.Sério essas é uma das maiores besteiras q eu já ouvi.Experimentar drogas é uma escolha.Se viciar não.Dependentes nascem dependentes.É genético.É sangue.Têm gente q passa a vida cheirando e não se vicia para outros basta uma única vez.Eu tenho muita raiva de quem não tem sensibilidade para essas coisas.Eu sei na pele oq é ser discriminada por algo q vc não controla.Ninguém com câncer tem q aturar neguinho dando conselhos sobre como vc pode melhorar.É só querer sabe."Essa garota quer é chamar atenção.Ela tem tudo.Tem gente q não tem nada e é mais feliz q ela".Acho o cúmulo da hipocrisia gente q vive repetindo q dinheiro não é tudo se revoltar quando alguém financeiramente privilegiado não se sai bem.Ele vem de uma família com condições e aí?Foi amado?Amou?Teve uma infância segura?No mais vou citar meu psiquiatra.

Depressão assim como vício não é doença.É sintoma.É a alma gritando q algo não está bem.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Lola, há alguns dias esses dados do IBGE estão circulando em várias notícias sobre brasileiros se casarem mais com pessoas da mesma etnia e mesmo nível de instrução. Não sei se você viu. Acho que é uma reportagem que rende boas análises.
Abçs e bom domingo.

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1170344-brasileiros-casam-se-mais-com-pessoas-de-mesma-etnia-e-instrucao-diz-ibge.shtml

Anônimo disse...

Gabriela
Quando você é internado em uma cliníca para reabilitação, a primeira coisa que um psicólogo e um psiquiatra te diz é que usar drogas é uma escolha. O Amor Exigente grupo de apoio a familiares de dependentes químicos, ensina aos pais a mesma coisa(entre outras), a culpa de usar drogas é somente de quem usa, se você se tornou um dependente químico é porque um dia você fez a escolha de experimentar a droga e correr o risco. Agora cabe a você querer sair, fácil não é com certeza, mas se realmente quiser sai.

Anônimo disse...

'Alguém aí disse q dependência química é uma escolha.Sério essas é uma das maiores besteiras q eu já ouvi.Experimentar drogas é uma escolha.Se viciar não.'

Ô inteligente, se qualquer idiota sabe que essas porcarias viciam quem ESCOLHE 'experimentar' está fazendo o quê?

ViniciusMendes disse...

Usar drogas é totalmente escolha e psicológico... Por isso mesmo que se você forçar alguém viciado a cortar o consumo a pessoa simplesmente acorda no dia seguinte como se nada tivesse acontecido. =) Só que não:

http://www.jb.com.br/ciencia-e-tecnologia/noticias/2011/08/04/crise-de-abstinencia-pode-mesmo-levar-a-morte-dizem-especialistas/

Quem já assistiu o processo de ver alguém viciado largando as drogas sabe que "ele usa pq não pensa em ninguém e merece sofrer" não é só um pensamento simplista, mas escrotíssimo tbm...

Anônimo disse...

Hoje encontrei duas reportagem sobre o racismo: um sobre a incidência dele no futebol europeu e outro sobre cotas, não só em escolas mas tbm em âmbito profissional, como esse é o tema desse post resolvi deixar aqui:

http://br.esporteinterativo.yahoo.com/blogs/futebol-cinco-estrelas/maior-chaga-futebol-globalizado-003538956.html


http://noticias.bol.uol.com.br/entretenimento/2012/10/21/globo-poe-no-ar-tres-producoes-em-que-personagens-negros-sao-destaque.jhtm

Anônimo disse...

Lola porque vc não faz mais criticas de cinema.

Filmaço do Luiz Gonzaga, liga no trailher
http://www.cinepop.com.br/filmes/gonzaga-de-pai-pra-filho.php

Anônimo disse...

Vinicius
Claro que os viciados precisam de tratamento(alguns saem da droga sem) , não sei se alguém acha que é só cortar a força. Alguns tem crise de abstinência e é horrível. Mas a questão não é essa e sim que experimentar drogas é uma escolha. Se hoje a pessoa se tornou um dependente químico é porque um dia ela mesmo sabendo de todo o mal que a droga faz, resolve experimentar. Então, cabe a ela querer se tratar.

Ana

Anônimo disse...

http://www.cinepop.com.br/filmes/na-terra-de-amoreodio.php

Sinopse: 'Na Terra de Amor e Ódio' acompanha um homem e uma mulher de etnias diferentes que se apaixonam durante a guerra. Segundo boatos, o filme da atriz apresenta uma mulher muçulmana que vive uma história de amor com um sérvio que a teria violentado.

Anônimo disse...

A mendigagem é uma profissão super rendosa e facílima de exercer. É só sentar no chão e estender a mão.

Anônimo disse...

"A mendigagem é uma profissão super rendosa e facílima de exercer. É só sentar no chão e estender a mão"
-
Fácil e vomitar abobrinhas, um homem, sem dignidade, sem honra, e um homem morto por dentro, um homem deve ter honra e não honras, e o comércio da honra não enriquece,somente um homem que honra a si mesmo é capaz de ver as virtudes de um outro homem !

SERC disse...

É verdade Lola

SeekingWisdom disse...

Querido Mascu estatístico das 11:11, existe uma convenção social chata na sociedade civilizada que espera que os homens de bem (as feminazi pira qnd escrevemos homens de bem, n entendem q estão incluidas) incluam uma coisinha chamado FONTE quando divulgam estatisticas. Mas n se preocupe meu caro, por acaso conheco um sitezinho batata para encontrar as fontes. Então segue aí:

http://www.ipea.gov.br/sites/000/2/boletim_mercado_de_trabalho/mt37/mt37a/09_juventude_e_trabalho.pdf
http://portal.mte.gov.br/data/files/8A7C816A333FE61F013341780DBB382F/mercado.pdf
http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1043&

Então meu caro pode ficar tranklo, sentado com sua camisa regata branca, oculos rayban e pochete porque as xexelentas continuam se suicidando mais (desde 1980), continuam com maior taxa de desocupação, e continuam ganhando menos. A expectativa de vida é maior, oito anos maior em média, mas n se preocupe, isso ocorre porque a taxa de homicídios é muuuuuuito maior entre os machos, pois vamos pra guerra, e nos arriscamos pela família, ato muito nobre! E os atendimentos no SUS? Ah, n se preocupe c isso, afinal a maioria dos atendimentos por violência são casos de violência sexual, pura conversa fiada e vitimização, faz parte do joguinho pra continuarem a ser o sexo frágil!

http://www.mp.go.gov.br/portalweb/hp/7/docs/abuso_sexual_lidera_atendimento_adolecente_sus.pdf

Então é isso, questão cultural que existe chama machismo, seu babaca!

Anônimo disse...

Concordo.

Anônimo disse...

16:23, comentário no tópico errado.

ViniciusMendes disse...

Ana

Bom saber que estou lidando com um robô, já que eles são os únicos que tomam todas as decisões baseadas simplesmente em fatores lógicos. =)

Já os seres humanos tendem a achar que são invencíveis. Quando viciados tendem a negar pra si mesmos "já uso maconha todo dia por 3 anos e ainda não me viciei", já ouvi isso sendo dito sem nenhuma pitada de sarcasmo... Assim como também já ouvi "Meu pai ficava bebado todos os dias o dia todo, quando minha mãe ameaçou de ir embora, ele nunca mais colocou uma gota de alcool na boca, ele não é alcolatra". Humanos tendem a tomar decisões estúpidas por questões emocionais e julgar todas as nossas ações a partir de conceitos de "certo e errado" não é só arrogante e insensível, mas também muito ingenuo.

Luíza disse...

Concordo que seja indignante que tantas pessoas se "comovam" com o morador de rua e sua situação, apenas por sua dita beleza. Mas é uma atitude um pouco extremista colocar o racismo em pauta, nesse caso. É verdade que se fosse qualquer negro "feio", não teria chamado tanta atenção, PORÉM, um branco "feio", um branco velho, um branco gordo, ou um branco com qualquer outro atributo físico que não se encaixe nos padrões, tampouco teria causado tanta repercussão.
Racismo ainda está sim, muito presente na nossa cultura, e acontece o tempo todo. Mas não é em toda e qualquer situação desagradável, que a cor da pele deve ser discutida. Existem outros pontos a serem vistos e revistos, nesse e em outros casos, mais plausíveis do que etnia.
Aos negros, e a todos que defendem a ideia de que somos iguais, independente da origem, é preciso maior discernimento ao chamar o argumento do racismo, nos assuntos em que não há relação direta entre eles.

Elaine Telles disse...

Vinicius, voce tem uma familiar dentro da sua casa, viciado?
Posso te dizer que é o inferno. Ele não só se destruiu, como destruiu a familia toda. Eu realmente não sinto essa empatia de " ah todos erram e mereçem uma chance". Ninguém me deu opção de querer isso dentro de minha casa, dentro de minha família. Aconteceu e eu tive que suportar ser agredida fisica e verbalmente, roubada, ver meus pais serem agredidos, ver nossa casa ser literalmente destruída a cada vez que diziam não quando ele pedia dinheiro. Ver meus pais machucados, e a polícia dizendo que não podiam fazer nada, que tínhamos que aguentar aquilo. Ou internar. Da dívida do meu pai de 7k pra internar numa clinica e ve-lo voltar com chatagens emocionais e já ir encher o nariz no primeiro dia fora da clinica. De todas as chantagens, dizendo que iria parar se ganhasse uma moto, se lhe pagassem a faculdade. Nada. Hoje, aos 35, continua na casa dos meus pais, agredindo-os, exigindo dinheiro para drogas, sem trabalhar. Os amigos dele estão todos mortos (dívida com traficante, suićidio), e eu invejo muito os parentes desses caras, porque eles se livraram de ter suas vidas destruída irremediavelmente, para sempre. São nossos vizinhos e eu sempre os vejo. Apesar de lamentarem a morte dos filhos, seus semblantes são de sossego. Enquanro que meus pais tem o semblante de puro sofrimento, envelhecidos, esgotados. Por fim, se eles podem se dar ao direito de serem tão irracionais, tomei esse direito para mim também.

Cora disse...

Coitado dos mascus!!

(eu sei que sentir pena é terrível, mas não consigo evitar.)

O ressentimento é tão grande que os caras não conseguem nem interpretar os textos que eles mesmos indicam.

(porque os textos feministas os caras não compreendem mesmo, a gente sabe.)

O cara das estatísticas lê muito mal. Ou escreve muito mal. Ou as duas coisas.

Fui olhar só agora os links que ele deixou e nenhum dá margem pra leitura capciosa.

Sobre o desemprego, inclusive, o link é português e reflete a crise econômica. Os dados são de portugal e o gajo escreve como se fossem do brasil, além de não haver nada sobre “taxa duas vezes maior”.

E depois comete aquele texto (01:46) em que cobra as feministas por reconhecerem algo que as feministas reconhecem desde sempre: o patriarcado é uma bosta pra todo mundo!

O cara sabe disso, mas passa o tempo todo criticando e minando um movimento que pretende justamente desconstruir esse sistema.

Mas ele não reconhece as demandas femininas. Ele não reconhece as desigualdades entre os gêneros. Ou melhor, reconhece, mas não se importa. Ele não se solidariza com as mulheres.

O problema dele é não ser um dos “líderes patriarcais” (o que quer que isso signifique). Se fosse, manteria o sistema exatamente como ele sempre foi. Ele não questiona ou critica papéis de gênero engessados e limitantes. Ele não critica o patriarcado. Ele apenas se ressente de não estar na posição de quem se beneficia das coisas como as coisas sempre foram.

Enfim, o mascu esclarece (agora num tom confessional, fugindo da agressividade costumeira) o que é o movimento ao qual pertence. Um movimento de ódio que pretende manter as relações desiguais entre os gêneros. Um movimento de ódio que quer submeter as mulheres. Um movimento de ódio que não vê mulheres como iguais.

Não importa o tom do discurso.

Como sempre soubemos.

Mas a confissão é sempre bem-vinda.

ViniciusMendes disse...

Elaine Telles

Não disse "todos erram e merecem uma chance", disse "é muito mais complexo do que falta de vontade de vontade de se recuperar", e se você convive com alguém viciado, por mais sentimentos negativos que tenha acumulado por essa pessoa, provavelmente também sabe que as coisas não são tão simples assim. Tem gente nos comentários tratando a recuperação do vício como se fosse tão simples quanto ir na padaria comprar meia dúzia de pão, e que se fica mais complicado do que isso, é pq a pessoa é ruim/desleixada/incompetente/vagabunda/etc. Estando eu num blog que defende que a obesidade não pode ser encarada dessa forma simplista (e eu enquanto gordo concordo), é um absurdo falar isso de quem tem dependência química, psicológica e emocional de uma substância que altera profundamente o funcionamento físico do seu corpo.


Os dois exemplos que que citei aconteceram na minha família, embora (graças a Deus) não na minha casa. Inclusive a parte de pensar que talvez seria melhor que aquela pessoa fosse logo levada pelo vício e parasse de fazer todos sofrerem, já vi o antes, o durante e o depois.

Ingrid disse...

"A depresão e diagnosticada até 3 vezes mais entre os homens do que entre as mulheres"

Isso é mentira! Pode ser q homens tenham mais depressão, mas mulheres são MUITO MAIS diagnosticadas. Minha fonte é o compêndio de psiquiatria, livro que eu usei pra estudar psiquiatria na faculdade. É isso!

Leio Lola Leio disse...

Ouvi dizer que muitos dos moradores de rua estão nessa por opção, por maneira de romper com a sociedade. Ouço dizer também que a maioria dos moradores de rua possuem algum transtorno psíquico que afetou diretamente para ele estar nas ruas, por exemplo, um sujeito que não conseguia se manter em nenhum emprego por ter um problema de concentração ou deficiência de aprendizagem e por isso, só lhe restou as ruas e a mendicância. Já escutei coisas horríveis também de pessoas que trabalham com uma espécie de assistencialismo e falam das pessoas que moram nas ruas como se elas não fossem seres humanos.
Mas, enfim, tudo isso para dizer o que muitos já disseram: a repercussão do caso só foi desse nível pelos traços europeus do camarada.
As mulheres que vivem nas ruas, ouvi dizer também que a maioria é vítima de estupro, que elas se associam a algum homem como forma de se proteger desse tipo de violência, ao passo que o sexo também acaba se tornando moeda de troca em algumas situações. Mas, pessoalmente, não tenho muitas informações a respeito disso.
Acho que deve existir uma parcela de pessoas que de fato acabaram indo morar nas ruas por não compactuar com a sociedade, por não se adaptar, por até um excesso de coerência entre a repulsa que sentia diante da violência e hipocrisia da sociedade e essa vontade de evadir-se daqui.
Sei lá, falei demais.

SeekingWisdom disse...

Me deixa triste constatar que até nessa seleta gama de comentaristas admitir que vivemos numa sociedade elitista e racista é um desafio. Quanta resistência em admitir que não sabemos quais são os traços do Padrão de Beleza "para negros" que alguns incitam existir. Srta modelo Maria, a próxima vez que os estilistas da Mega Model (ou seja lá o q for) estiverem chateados por não encontrarem negrxs bonitxs para o cast fale com eles para botar um anúncio gigantesco no jornal de maior circulação, para juntarem com outras agências e fazerem um Concurso para contratarem VÀRIOS negrxs lindxs, fale para eles darem uma "chegadinha" nas favelas e vilas das nossas grandes cidades. Já que falou do cabelo natural cadê o crespo? Só pode cachedado com Babyliss (seja lá o que for isso)?. E melhor, me mostre na prática a valorização da beleza negra pela grande mídia. Até a primeira Miss Universo Negra foi julgada pelo seus traços brancos de beleza. A sociedade é racista, xs negrxs são representadxs por estereótipos ofensivos o tempo todo pelas mídias. Várias pessoas (eu incluso) já comentaram se sentir ameaçadas ao andar à noite e avistar um negro em nossa direção.

Há algum tempo cheguei a uma terrível conclusão: nosso racismo velado, escondido exceto quando as estatisticas falam por si, é pior que o racismo declarado existente em outros Países. Nos EUA é assim, segregado, uma guerra (fria, mas existente). Contudo, lá xs negrxs sabem que são inferiorizadxs e mordem de volta. Era horrível pra mim ver isso pois apesar de ver o racismo explicito, eles não procuram acabar com a segregação. Mas ainda assim, com todos os poucos negativos disso, parece mais justo do que o que ocorre em nossa sociedade, onde quem é marginalizado não tem muitas vezes consciência disso; onde quem é opressor se esconde atrás da desigualdade social que estava aí antes de nascer; onde as pessoas embarcam num ciclo de exclusão e são incapazes de admitir o óbvio: HÁ racismo, e ele é forte, é cruel, e afasta oportunidade de muitas pessoas.

Quero viver num País onde haja igualdade de gênero mas também quero um País mais justo com seu povo. Para mim não existe raça do ponto de vista biológico, mas do ponto de vista sócio cultural, a estratificação da sociedade é nítida e precisamos corrigir isso. Então precisamos começar a admitir as falhas da nossa sociedade. Eu não tenho medo de dizer que vivo numa sociedade machista e racista, que já, vergonhosamente, assumi posturas machistas e racistas (tudo bem, me faltava informação), mas quero mudar, quero um futuro diferente, quero mais justiça social no Mundo!

ViniciusMendes disse...

Tenho um problema com a ideia de que "Só são considerados bonitos os negros com traços europeus", pq isso inevitavelmente cai naquela coisa de que dentro da Africa, que é um continente enorme, só exista um tipo de traço Africano, o que está bem longe de ser verdade. Acho esquisita a ideia de "esse traço afro é mais africano do que aquele". Não deixa de ser uma forma de padronizar todo um grupo humano.

Digo isso sem discordar que nossos padrões de beleza são sim muito racistas, e que traços eurocentricos são sim bastante valorizados, que o cabelo afro é desprezado... Mas a construção da beleza a partir da simetria e harmonia do rosto, algo inconsciente e que vai além do nosso legado cultural não pode ser ignorado... Muito menos o fato de que com o crescimento do poder econômico de algumas minorias, dos movimentos pela igualdade racial e resultante aumento no número de pessoas negras e pardas bem sucedidas, alguns traços mais comuns da população afro passaram não só a ser aceitas, como valorizadas... Um exemplo básico é a bundificação das mulheres consideradas atraentes nos EUA.

Anna disse...

Em São Paulo há muitos moradores de rua ( há uma diferença entre moradores e mendigos) brancos e com trejeitos refinados, que denunciam que já foram ricos uma vez e ninguém dá bola.

Karol disse...

Cora disse "... também existirem mendigos brancos (e eles, de fato, não existem. brasileiros não são brancos, com poucas exceções. somos uma mistura. somos mestiços. brasileiro acha que é branco)"

Credo! Parece a regra do one-drop-rule americana.

-------------------

Sabem aquela nova droga que apareceu nos Estados Unidos que faz a pessoa ficar descontrolada e ter ataques de canibalismo? A droga se chama "SAIS DE BANHO".
http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI5805289-EI8141,00-Policia+investiga+se+drogas+levaram+zumbi+de+Miami+ao+canibalismo.html

Que tipo de relação se deve ter com uma pessoa que chegou a esse nível? Que coloca drogas em seu corpo que podem levá-la a comer a cara das pessoas na rua? Não sei vcs mas eu as quero bem longe de mim. Eu, que evito ao máximo tormar remédios mesmo precisando por medo de me viciar, me dou esse direito.

Anônimo disse...

Interei-me da história pelo facebook e o primeiríssimo pensamento que me ocorreu foi exatamente esse: "E se fosse um mendigo negro/pardo/mulato, com a mesma história de vida e nas mesmas condições, teria recebido a mesma atenção da mídia e nas redes sociais?"

A resposta é óbvia demais, claro que não. Sequer teria conseguido a foto solicitada, quem dirá sua publicação e repercussão.

Vejam bem, não estou com esse questionamento a menosprezar o drama deste rapaz e de sua família, mas bem sabemos que dezenas de milhares de pessoas encontram-se em situação igual/parecida nas grandes e, hoje também, nas pequenas cidades brasileiras. Por que justamente esse moço conseguiu chamar para si a atenção?

Talvez porque a miséria e a degradação para os negros/pardos/mulatos em nosso país seja instituída, aceitada e justificada. Se está 'lá', está porque merece e quer. Agora com o branco, de olhos claros e beleza européia a história não é bem assim. Este foi parar 'lá' por engano, por descuido ou deslize, merece, portanto, que forças se unam p/ sua salvação... Triste!

Desejo sinceramente que esse rapaz receba atendimento, tenha a oportunidade de se tratar e, sobretudo, que queira e consiga mudar sua história. Espero que sua relação com a família seja restabelecida, sabemos como os familiares sofrem sobremaneira em condições tais. Porém, não há como não me entristecer pelos tantos outros que jamais terão a mesma oportunidade, que jamais verão seu apelo/pedido de socorro ser atendido.

Esses tantos outros "Rafaéis", permanecerão no anonimato e entregues à própria sorte, afinal, não possuem atributos físicos suficientemente 'bons, belos e corretos'.

Anônimo disse...

só quem teve um drogado dentro de casa entende oq a elaine telles está dizendo. ela descreveu exatamente o meu tio. e ela já disse mil vezes que a questão não é o viciado se curar, todo mundo sabe que vicios são dificeis de curar. a questão é o retardado de classe media COMEÇAR a beber e a se drogar. se não for dar trabalho para os outros, caguei. mas se for pra transformar a vida da família num inferno, merece ser responsabilizado pelas ESCOLHAS erradas que fez.

elaine, sinto muito por você. eu tomaria cuidado com esse cara, me mudaria para longe e não daria o endereço depois que os seus pais morrerem.

depois que meus avós faleceram, o sanguessuga do meu "tio" foi pra cima da irmã, transformar a vida DELA num inferno também. explorou, arrancou dinheiro, causou bastante sofrimento e até tentou estupra-la num dia em que chegou em casa cheirado. minha mãe trocou a fechadura de casa e ele arrombou, enfim, um horror que só foi resolvido quando ela se mudou e nunca mais falou com ele.

muito cuidado com esse seu "irmão", torço pra que ele se recupere ou morra logo e deixe vocês em paz. força!

Cora disse...

ué, karol, é ruim nos percebermos e nos aceitarmos como mistura? mistura essa visível nas diferentes tonalidades de nossa pele, resultado de diferentes quantidades de melanina produzidas pelas células epiteliais?

melanina que tem apenas a função de proteger a pele da radiação solar?

porque a diferença é só essa mesmo: diferentes quantidades de melanina sintetizadas por células da pele.

essa diferença justifica a discriminação e o preconceito?

discriminamos pessoas que tem muita proteção contra radiação solar.

faz sentido?

mas, se vc acha que ter qq traço de mestiçagem, mesmo uma gota, é motivo pra tratamento diferente, pra você é credo mesmo.

Anônimo disse...

Elaine,
Você está certíssima.
Fiquei com pena de você, me identifiquei com essa situação.Todo drogado é um cancer não só pra ele mesmo como pra família.Se seus pais não conseguem ver isso, paciência.
Você não tem que esculhambar a SUA vida por causa deles.

Anônimo disse...

http://subvertidas.blogspot.com/2012/10/capital-erotico-my-ass_19.html

supervalorização da beleza.

Anônimo disse...

Pelo que acompanhei do caso, por mais que realmente ele só tenha ganho destaque por ser bonito, claro e de olhos verdes, eu vi muito pouca compaixão nos comentários. Vi muito "Dou casa, comida e roupa lavada" e similares, o que achei um absurdo, porque quem fala uma besteira dessas desconhece a dificuldade que é conviver com um dependente de drogas, que destrói a sua própria vida e a dos seus familiares. E, depois de tanta gente compartilhando, a mídia se voltou pro caso, não por ser um "Homem branco de olhos azuis", e sim pela avidez por ibope e em vender notícias. Esse vídeo da RIC Paraná "entrevistando" o rapaz me deixou enojada. São quase dez minutos de pura exposição de uma pessoa incapaz de compreender o que estava acontecendo.
E ele não está tendo oportunidades "por ser branco e de olhos azuis", e sim porque finalmente aceitou o tratamento. Uma das irmãs dele criou uma casa de reabilitação há alguns anos pra tentar ajudar pessoas com transtornos mentais decorrentes de uso de drogas, e como ela mesma disse "santo de casa não faz milagre", e ela nunca conseguiu tratar o irmão, mas presta ajuda a dezenas de outras pessoas que fazem tratamento no local que ela mantém com doações e recursos próprios. E certamente estas pessoas são, em sua maioria, negras e pardas.
Eu entendo perfeitamente o ponto de vista de ele só ter ganho tamanha repercussão pela sua pele, beleza e olhos, mas vendo a história por completo, acho que foi o destino, algo muito maior que isso. Acredito que com a divulgação, a irmã vai conseguir ainda mais doações pra atender às pessoas que atende, ainda que o Rafael não se recupere na clínica que lhe ofereceu o tratamento.
Mas mentalidade das pessoas é mesquinha mesmo, tanto ao denotar racismo por conta dessa situação, quanto por demonstrar tão pouca sensibilidade com um problema tão sério, achando que pelo cara ser bonito um "ô lá em casa" fosse ajudar...

Sofia V

ViniciusMendes disse...

Cora

Se a única coisa que faz a diferença quando se trata do tom da pele é a própria variação na cor da pele, pouco importa se há ou não mistura, pouco importa a carga genética, já que essa diferença é meramente estética e avaliada a olhos nus.

One drop rule, que a Karol comentou, é a ideia de que alguem deixa de ser branco a partir do momento que tem uma gota de sangue de qualquer outra raça, ou seja, alguém branco de olhos azuis com um tataravô negro nos EUA é considerado negro... E essa ideia é racista pq parte do principio que o sangue branco se "contamina". Se, de acordo com você mesma, no Brasil não existem brancos, também não existem negros.

Carolina Lucas Paiva disse...

O fato de o cara ter chamado a atenção por ser bonito não anula o racismo do caso. Primeiro, porque é bem mais fácil que se reconheça a beleza em brancos do que em negros; e segundo, porque é mais fácil que se tenha empatia com brancos do que com negros.

Um exemplo disso foi a recepção do filme Jogos Vorazes. Muita gente reclamou que Rue era negra no filme, o que fez com que sua morte "não fosse tão triste assim", segundo essas pessoas.
A questão é que isso tudo é tão velado no Brasil que as pessoas acham que é natural, apenas questão de gosto pessoal, sem se questionar a origem deste gosto pessoal uniforme.

O preconceito com pessoa fora do padrão de beleza não anula o preconceito de cor. Ambos andam de mãos dadas.

Cora disse...

A karol mencionou essa regra de “uma gota” dos eua como interpretação do que eu disse. Foi uma leitura dela.

(fiquei um pouco irritada, confesso)

Eu não acho que há e nem disse que há contaminação nenhuma. Passo longe (distância medida em parsecs) dessa “regra” americana.

A mistura a que me refiro é genética, pois são genes que determinam quanta melanina nossas células epiteliais produzirão. É só isso. Não há, em minha opinião, valoração nenhuma.

E quantidade de melanina, pra mim, não é motivo pra discriminar ninguém.

Quero justamente mostrar o inverso da regra “uma gota”. Tem problema nenhum ser mistura. Não há motivo pra discriminar, pois não somos diferentes.

Acredito que reconhecer isso – somos uma mistura – ajude a percebermos o absurdo de discriminar alguém baseado na quantidade de melanina que as células produzem.

E sim, a maioria dos brasileiros não é nem branca, nem negra, e sim mestiça.

Agora, Vinicius, veja bem, EU acho que NÃO HÁ MOTIVOS pra discriminação. Mas ela, a discriminação, existe. E reconheço que existe. Não nego a discriminação racial no brasil. Não sou dessas que nega o que é esfregado na nossa cara todos os dias.

ps. se estiver muito confuso, fala que eu explico melhor amanhã. o dia não foi nada legal, tô dormindo aqui sobre o teclado, e isso daí foi o que deu pra arranjar. sorry!

Anônimo disse...

Que texto repetitivo. Bate numa tecla só. Só o fato de fazer as pessoas se questionarem sobre o racismo velado já é interessante, mas tantas outras coisas chamaram minha atenção, além da formosura do desequilibrado. Eu sei que a história teve repercussão no país todo, mas aqui em Curitiba ninguém estranha ver mendigo branco de olhos claros. Aqui tem uma porcentagem tão menor de gente negra que a gente até esquece o problema do racismo (o que também é péssimo, porque permite que uma minoria sofra sem que a população saiba). O aspecto mais interessante é como as pessoas reagem, julgam suas escolhas, diminuem a sua dor pelo fato de ele ter tido um dia familia e oportunidade (claro, porque beleza é oportunidade, só que não, ou não sempre). E se tem droga, tem julgamento, né? Ele quis essa vida, é mau-caráter, leviano e egoista. E se ele foi parar nas ruas justamente por causa do problema psiquiátrico? Quantas empresas você conhece que empregam pessoas que surtam? que falam nada-com-nada? De qualquer forma, as pessoas com um mínimo de sensiblidade devem ter concluido que não só o mendigato, mas todos os mendigos tem uma história, um passado, uma alma, mesmo aqueles que andam na rua parecendo zumbis, como esse daí, apesar da fotogenia...

Anônimo disse...

Não sei se ninguém vai nem ler esse comentário pelo post já ter alguns dias, mas me lembrei agora de uma história que aconteceu comigo.

Minha irmã e eu temos pouca diferença de idade, então até a adolescência fazíamos tudo juntas. Somos as duas brancas, mas eu tenho olhos escuros e ela tem olhos verdes. Uma vez quando eu tinha uns 10 pra 12 anos (ela um pouco menos) resolvemos mandar nossas fotos pra uma agência de propagandas. A única vez que uma de nós duas foi chamada pra fazer alguma coisa foi quando eu fui chamada pra fazer um comercial do governo sobre crianças de rua indo pra escola. E aí no nosso grude de querer fazer tudo juntas pedi pra minha mãe perguntar se minha irmã não podia participar também (já que eram várias crianças), e aí a mulher da agência falou que existia sim a possibilidade, e perguntou como ela era. Minha mãe a descreveu fisicamente, mas quando chegou nos olhos verdes a mulher falou "Não, não pode. Não existe criança de rua com olhos verdes, as pessoas adotam." Na época eu pensei "Nossa, que preconceito, será que é assim mesmo?". Agora com essa história estou vendo que é verdade, que a nossa sociedade é racista assim mesmo.

@vbfri disse...

Anônim@ da irmã com olhos verdes...

O preconceito está bem vivinho na sociedade brasileira... Manda lembranças, inclusive...

Anônimo disse...

Este post do mendigo branco me lembra uma situação que vivenciei mês passado.

Sou Estudante de Enfermagem de uma instituição pública aqui do Rio de Janeiro. Estava fazendo um estágio em uma unidade de saúde que pertence a universidade que estudo.

A portaria principal estava em obras, e todas as pessoas tinham que entrar pela lateral, o que era muito ruim, pois tínhamos que dar uma enorme volta. Certa vez, arrisquei tentar entrar pela portaria principal, que estava aberta, já que estava atrasada. O guarda logo se apressou a dizer que não poderia entrar por ali. Aceitei, pedi desculpas e voltei.

Uma semana depois, chegando a unidade, havia uma mulher, branca, alta, "no salto", provavelmente alguma residente de medicina. Vale lembrar que sou negra.

Percebi que ela entraria pela portaria principal, e fiquei observando se o guarda falaria alguma coisa. O guarda não falou nada. Então, com minha cara de pau, entrei também, só para testar sua reação.

Ele me parou e disse: "Hoje vou deixar você entrar, mas não pode". Olhei para ele, só para ver se o cara explicaria o por quê de não ter impedido a entrada do "Loira alta". Ele percebeu e tentou explicar: Deixei ela entrar por que ela é médica...

Ele, negro, provavelmente pobre, cheio de idéias tão pré concebidas. Como o cara sabia se a mulher era médica se nem crachá pediu? E o que faz ele pensar que uma determinada categoria profissional pode entrar pela portaria principal, enquanto as demais categorias, além de usuários e estudantes devem entrar pela lateral?

Ou seja, a discriminação não parte somente do cara branco e rico. Parte das camadas mais populares. Ou melhor, de todos os segmentos.

Gustavo Mathias disse...

Nessa questao não tem muito o que ser comentado, além do fato explicito de preconceito.
Todos nós passamos por moradores de rua todos os dias, e não damos a minima importancia tratamos até com indiferênça. Mas no caso desse "mendigo" teve grande repercusão na midia só porque ele é louro de olhos azuis...E os demais que não têm essas caracteristicas e que se encontram na mesma situação???

Anônimo disse...

me perguntaram explique o processo de perdas gradativas onde a pessoa se expõe ate morrer em função da fome ... porque medingos e moradores de rua não tem auxilio da delegacia da mendicância porqueeeeeeeeeeeeeeee

Anônimo disse...

Sei que isto ja faz tempo e que e uma postagem antiga, mas preciso desabafar, acredito que exista sim muito racismo entre o povo brasileiro (algo absurdo nos dias de hoje), mas neste caso a questão esta longe de ser sobre raca, a questao e a aparencia fisica, ja vi muitos moradores de rua brancos e vi eles sendo "ignorados" como qualquer um.

A questão ali foi a beleza e nao a cor... no entanto sei que existe sim muito racismo e outras situações.

Grande abraco querida.

Rogério Penna disse...

Não tem nada a ver com o cara ser branco. Tá lotado de mendigo branco no Sul do país. Se no resto do Brasil somente negros são mendigos, isso é problema do resto do Brasil e seu racismo. No Sul tem branco mendigo, branco em subemprego, faxineira loira de olho azul, empacotador loiro, etc.

O que chamou a atenção pra esse cara é ele ser ex-modelo. Se fosse branco e feio como vários, passaria despercebido.