sábado, 23 de junho de 2012

ELBA RAMALHO PEDE PROTEÇÃO DIVINA CONTRA FEMINISTAS

Fiquei sabendo ontem: Elba Ramalho diz que está sendo ameaçada por feministas, que vão persegui-la. Ok, então. Se “falar sobre” é perseguir, serei a primeira a persegui-la.
Primeiro que acho meio irresponsável mencionar “ameaças” quando um monte de celebridades realmente vêm sendo ameaçadas de morte e de estupro. Isso aconteceu (e continua acontecendo) com o deputado federal Jean Wyllys, Monique Evans, Simony... Óbvio que quem ameaça essas pessoas não são grupos feministas, e sim mascus sanctos. Alguns deles já foram presos, mas muitos ainda estão soltos. Segundo que, se vivemos numa sociedade “radicalmente democrática”, como afirma Elba, as pessoas têm o direito de se manifestar contra as declarações de alguém, sem que esse alguém se considere ameaçado.
Lembro quando, em 1989, a (grande) atriz Marília Pera se disse ameaçada e perseguida por petistas. Marilia, entre outras celebridades, como Claudia Raia, Alexandre Frota, Beatriz Segal, Dercy Gonçalvez, Ayrton Senna, e uma penca de cantores neosertanejos, apoiaram publicamente Collor em sua corrida contra Lula, na primeira eleição pra presidente desde (um pouco antes d)o golpe militar de 64. 
Em uma das inúmeras passeatas e comícios de petistas e simpatizantes (eram outros tempos; o PT ainda condenava alianças espúrias), na Av. Brigadeiro Luiz Antonio, em SP, essa militância parou alguns minutos na frente do teatro onde Marilia se apresentava e a vaiou. Eu sei, porque eu estava lá –- não no teatro, mas na passeata pró-Lula. Foi coisa de poucos minutos, só que, como havia milhares de pessoas, o barulho foi estrondoso. E pronto. Vaiamos e seguimos nosso caminho (a marcha terminava na Paulista). No dia seguinte, lá estava Marilia no programa eleitoral do Collor, dizendo como havia sido atacada por esses monstros, os eleitores do Lula.
Outra que fez campanha pro Collor inicialmente foi Elba, se bem que lá pelo meio da campanha de 89 foi cantar “Lula-lá”. Em 2002 se juntou ao coro da Regina Duarte — be afraid, be very afraid — e votou no Serra. Pois é, sei mais dos apoios políticos de Elba que de sua carreira ou da sua vida. Não acompanho muito. Gosto dela como cantora, só não gosto do seu repertório (exceção quando ela canta deus, que fez aniversário semana passada). Não sei nem quando ela se tornou cristã, se foi antes ou depois de 2001. Até lá ela era ufóloga, das que acreditam terem sido abduzidas por ETs.
Hoje Elba centra sua energia em causas mais sérias, digamos, como na defesa para que o aborto continue ilegal no Brasil. Pior ainda: pela declaração de Elba, ela quer que o aborto seja proibido até nos raríssimos casos em que é permitido (estupro, risco de vida pra mãe e, recentemente, na gestação de anencéfalos). 
As pessoas têm certa dificuldade em compreender essa palavra, “permissão”, e a confundem com “obrigação”. Se uma mulher que é estuprada quiser levar a gravidez adiante, é direito dela. As feministas somos contra que uma mulher seja forçada a realizar um aborto. Se uma mulher que corre risco de vida quiser continuar com a gravidez e acabar morrendo, é a escolha dela. Se uma mulher, como Elba, por convicções pessoais/ religiosas decidir que nunca fará um aborto, é uma decisão dela. Apoio totalmente. Mas outra coisa bem diferente é querer que a sua decisão valha para todas as outras mulheres. Lutamos para que o aborto seja legalizado para que a mulher possa escolher, sem que o governo ou grupos religiosos mandem no nosso corpo.
Eu, pessoalmente, nunca fiz um aborto. Mas um montão de gente fez: Hebe Camargo, Marilia Gabriela, Cassia Kiss, Cissa Guimarães, entre milhões de brasileiras. Ah sim, e Elba Ramalho. Sabemos porque, em 1997, época em que a Veja ainda não era rabidamente direitista como é hoje, a revista fez uma reportagem de capa com o título “Eu fiz aborto”. Se compararmos a discussão que havia naqueles tempos com o “debate” que tivemos no segundo turno das eleições de 2010, ou mesmo na decisão do Supremo em liberar aborto de anencéfalos, podemos ver como regredimos. Conseguem imaginar uma revista hoje reunindo oitenta mulheres, entre celebridades e anônimas, pra assumir que fizeram um aborto? A Hebe?! Só se fosse pra se arrepender de quando fez um aborto.
Estaríamos mais conservador@s hoje que quinze anos atrás?
Pras feministas, mulheres que fizeram aborto não são melhores nem piores que outras pessoas. Portanto, logicamente não somos nós que condenamos o aborto que Elba fez. Quem condena e quer mandar pra cadeia mulheres que tiveram a audácia de escolher o que querem que aconteça no seu corpo é o pessoal que é contra o estado laico. Talvez esse pessoal que criminaliza todas as mulheres desde Eva perdoe Elba pelo bem que ela está fazendo agora -- lutando contra feministas, essas bruxas.
Enquanto isso, milhões de brasileiras continuam fazendo aborto. Muitas delas morrem em decorrência desses abortos clandestinos. Obviamente, os embriões e fetos (que só viram “crianças” muito tempo depois) morrem também. Mas quem é contra o aborto acha que fazendo com que ele continue proibido as mulheres vão parar de abortar.
Enquanto isso, Elba critica a “contradição” do Brasil ter leis em que matar um passarinho seja crime, mas pense em legalizar “a morte de bebês inocentes”. No terço em que segura, cada conta representa um útero com um feto dentro.
Elba, isso não é uma ameaça, mas faça um favor: fique longe do meu útero.

339 comentários:

1 – 200 de 339   Recentes›   Mais recentes»
Shoujofan disse...

Backlash total...

Gabriel Nantes de Abreu disse...

Ela virou religiosa fanática o que significa que agora qualquer coisa que se diga contra ela vira ataque e perseguição!

Fanático é assim, quer constituição federal na hora que fala o que tem vontade, mas quer Biblia na hora que os ofendidos respondem.

Sabe como é, viu que a idade tava chegando e resolveu se entregar pra "Cheçus" e garantior a vaguinha no céu. Me chocaria, senão fosse a centésima vez que visse uma situação dessas!

End Fernandes disse...

Eu nao sou a favor do aborto. Sou a favor de revindicar mais condições sociais para as crianças sejam geradas por casais que realmente decidirão que é isso que querem para suas vidas. Isso significa exigir igualdade social, educação e acompanhamento. Liberar o aborto nao vai resolver isso, ao contrario é dar ao governo a chance de lavar as mãos...

Att

End Fernandes

lola aronovich disse...

Arnold, vai tomar sua medicação, vai. Nos últimos dias inventou dois fakes (no mínimo!) pra dialogar com ele mesmo, o Ange e o Smooth Operator. E não contentes em trollar apenas aqui, o trio dinâmico vai a blogs de comentaristas xingar lá também. Seria até engraçado ver um sujeito dialogando com ele próprio, tipo assim:

ARNOLD: A Lola deveria ter sido abortada.
ANGE: Guerreiros, unidos, todos às armas, agora! Atacar o blog!
SMOOTH: Êêê! Vamos floodar essa p*rra! Yay!
ANGE: Vamos! Vamos!
ARNOLD: Que demais! Eu gosto de vcs, Ange e Smooth. Vcs são caras legais.
ANGE: Também te amo, cara.
SMOOTH: Vcs moram no meu coração.

Quer dizer, se deixar essa conversa vai longe... E SERIA engraçada se não fosse patética. Então, Arnold, vai conversar no espelho. Espera sua irmã desocupar o banheiro antes.

Isabel SFF disse...

Lola, não sei dizer se estamos mais conservadores agora do que em 1997. Mas me arrisco a dizer que estamos vivendo um backlash fortíssimo exatamente porque estamos avançando cada vez mais em defesa dos direitos de minorias.

O grande problema, na minha opinião, é que vários preconceitos vêm se tornando intoleráveis socialmente (ainda bem!), mas a misoginia ainda rola solta e é super institucionalizada. Por isso, na minha opinião, é que nossos corpos são ainda tratados como um campo de batalha e nossas vozes são as últimas a serem levadas em consideração. Porque homofobia vem sendo cada vez mais condenada, assim como o racismo, mas misoginia é "coisa da nossa cabeça"...

Quanto à Elba Ramalho... Mas que papelão, sinceramente. Jamais vou condená-la por ter feito aborto e ter falado disso abertamente pra Veja, mas isso só a torna uma hipócrita. Sei lá, talvez tenha se arrependido, mas por que não se coloca no lugar de outras mulheres que querem ter o direito à escolha que ela teve?

Amanda disse...

Gente, vcs leram a reportagem da Veja a que a Lola se refere, de 1997? Está neste link:
http://veja.abril.com.br/170997/p_026.html

Nossa, estou impressionada com o teor da matéria, definitivamente não é a Veja que conhecemos hoje. De fato, é inimaginável uma capa como essa atualmente, e encontrar tantas pessoas famosas dispostas a mostrar a cara e assumir suas escolhas.Total backlash, nitidamente.

Blog Católico do Leniéverson disse...

Eu nunca vi um Post e comentários tão cheios de clichês marxistas.Se ela abortou todo mundo tem o direito de se arrepender e lutar contra isso, portanto esse argumento não cola.Quanto a fala da Isabel, o que ela chama de direitos são privilégios, porque essas mulheres que desejam o aborto não pensam nas mais pobres, pensam nas suas iguais ricas que moram em área nobre.Quanto a perseguição em si, isso é crime e qualquer coisa que vier acontecer a ela, saberemos quem foram as mandantes: as ONGS feministas.Tomem cuidado.

Cora disse...

"(...) enquanto segurava seu terço em que cada conta representa um útero com um feto dentro."

que medo!!!

Gabriel Nantes de Abreu disse...

Ela se entregou pra policia? Crime é só quando são as outras né? Entendi!

Dri Caldeira disse...

Gente, eu relevo, isso é sequela de muita droga nos anos 70 e 80, os neurônios se foram... como levar a fé cristã dessa mulher à sério, já que ela passou meses dizendo ter sido chipada por ET's? Eu disse CHIPADA, seu maldosos. Ah, e ela nem na mídia está mais, não é mais aquela Elba Ramalho, virou aquela velhinha engraçada e pitoresca, aquela que vai de saruê roxo e dourado na feira e fala sozinha. Dá pra se divertir com ela, apenas, levar à sério, se revoltar com ela é perda de tempo.

Drica Leal disse...

Acho que Elba não está batendo bem da cuca faz tempo. E não digo isso só pelo que ela disse sobre feminismo, mas por diversas coisas sem noção que ela vem dizendo nos ultimos anos.

Sobre pedir proteção contra feministas, ela deveria pedir proteção contra muita gente machista no Brasil, inclusive na mídia, que não escondem que acham Elba uma puta velha desclassificada por ter tido vários namorados bem mais novos que ela. Não são as feministas que fazem isso tipo de julgamento imbecil sobre a conduta amorosa e sexual dela.

Drica Leal disse...

*esse

Cora disse...

Lola,

esse cara ai do blog católico acabou de te ameaçar. na verdade, ameaçar todas as feministas. melhor tomar cuidado.

não duvido que façam algo na tentativa de impedir que opiniões contrárias tenham espaço.

não são as feministas que usam estratégias de terror pra manterem pessoas subordinadas aos ditames de senhores insensíveis ornados em ouro.

tenho asco (não consigo nem mesmo evitar a careta) da voz enternecida que religiosos usam enquanto justificam a opressão e a violência contra a mulher.

LisAnaHD disse...

23 de junho de 2012 15:33

LisAnaHD disse...
Elba Ramalho precisando chamar a atenção... poderia conseguir através de um novo estilo de cabelo. Ou de outro marido desta vez com 1/3 da idade dela. Mas optou pelo que mexe com o intelecto, pra se passar por mais culta do que curta de ideias. Erasmo Carlols cantou "vou acabar ficando nu pra chamar sua atenção". Elba Ramalho poderia regravar a canção. E chamar a atenção, agradavelmente

lola aronovich disse...

Blog Católico, vc concluiu após 6 ou 7 comentários que vc nunca tinha visto tantos clichês marxistas? Volte quando o post tiver cem comentários.
Mas vc não sabe muita coisa, né? Mulheres ricas ou de classe média têm muito pouca dificuldade em fazer aborto. É só pagar uma clínica clandestina ou encomendar Cytotec, que é um remédio que tem como contra-indicação ser abortivo. É raro uma mulher dessas classes sociais morrer fazendo aborto. Quem morre de aborto clandestino são as mulheres pobres. Vc provavelmente não sabe que um dos símbolos do aborto legalizado em países ricos é um cabide com símbolo de proibido por cima. Isso porque durante décadas o aborto clandestino foi feito assim, com a introdução de um cabide, até que perfurasse o útero. Imagina a hemorragia que isso causava. Pois bem, em paíes onde o aborto não é legalizado, como aqui no Brasil, muitos abortos (mas não de mulheres ricas ou de classe média) ainda são realizados assim.
Portanto, a luta pelo aborto legalizado não tem nada a ver com privilégios. Se eu precisasse fazer um aborto, eu teria esse "privilégio", poderia pagar, e duvido que eu iria presa. Já mulheres pobres não teriam a mesma sorte. Elas fariam aborto do mesmo jeito, com grande risco de vida pra elas.

Ana Carolina disse...

Pro católico aí: se entende tanto de leis sabe que ameaça, calúnia e denunciação caluniosa são crimes, né? Só pra saber.

Iara disse...

Não me surpreende o que ela disse.Sempre achei ela talentosa,mas não sou especialista em música, então minha opinião é relativa,mas nunca tive a impressão de que ela fosse uma pessoa com conteúdo,por isso o que fala ou deixa de falar não me assusta,pior seria uma mulher com informação e conteudo dizer o que ela disse, então sim, seria o sinal do fim do mundo.
Mas vou defender a Elba ,me desculpem .

Até por ser de classe média tenho meus preconceitos e meus limites.Não gosto de religiões nem do extremismo de todas, porque todas são extremistas quando se trata da mulher .Nos últimos tempos aconteceu alguma coisa no planeta e tive vários amigos convertidos.Cansei de discutir, de argumentar, de mostrar e não adiantou nada, então cheguei a uma conclusão e não quero ofender ninguém,mas vejo essas conversões como problemas psiquiatricos,sendo assim não posso fazer nada a respeito,mas também não posso levar a sério o que a pessoa diz no meio do surto dela ( falo isso com o maior respeito a psiquiatria,mas quem já conversou com um convertido sabe que eles parecem desequilibrados).
Se ela não tivesse se convertido eu pensaria que foi falta de informação,mas no caso é mais preocupação em agradar os bispos e autoridadas da Igreja.
Ah, também tem aquela lenda urbana de artistas meio esquecidos que se convertem a religiões de milhões de pessoas, para assim vender cds e tal.
Hoje estou malvada ! Mas sinceramente Lola, não se preocupe, pessoas convertidas não tem discurso propio, trabalham para enriquecer algum pedofilo ou construir Igrejas, portanto não tem nada a dizer ao mundo .

Iara disse...

A Elba está então abduzida, não é responsável pelas besteiras que fala.

aiaiai disse...

morrendo de vergolha alheia pela alba...que tristeza ...

Mordred Paganini disse...

http://www.facebook.com/photo.php?fbid=456682667676372&set=a.102044543140188.4635.100000039270246&type=1&permPage=1

Feminicídio agora é piada também, pelo menos segundo o Tico Santa Cruz...

Ana disse...

Me pergunto se as ameaças são de fato ameaças ou apenas críticas. Porque procurei na internet e não achei uma fala dela dizendo o que realmente aconteceu. Nada de provas também. Então fiquei no escuro.

É claro que se Elba foi ameaçada, ela precisa de proteção e quem ameaçou deve ser punido. Uma coisa é lutar por algo, outra coisa é ameaçar quem discorda de você, como fazem alguns mascus malucos. EM MOMENTO ALGUM o feminismo apóia violência de qualquer tipo.

Só me pergunto se ela não está exagerando. Grupos feministas tem direito de lutar pela legalização do aborto, isso é bem diferente de ameaçar.

Ariadne Buendía disse...

Eu tenho cada vez mais medo dessas pessoas que ficaram muito folclóricas por suas loucuras em épocas ditas mais liberais (não acho que o mundo esteja mais conservador, acho que não há como um conservador ignorar quem é diferente hoje em dia, daí o barulho e a organização deles). É só questão de tempo até cada uma "descobrir Jesus" e achar que TODOS têm de fazer o mesmo. Quem é o próximo, Serguei?

Sara disse...

ao saber sobre mulheres que pensam assim, não é irreal pensar que estamos próximos a uma era de trevas, a humanidade nem sempre caminha pra frente, ha períodos de retrocesso, as vezes tenho a impressão que caminhamos para um desses.

Ana disse...

@Roberto
Eu não sei se você notou, eu escrevi ALGUNS mascus malucos.

Não se responsabiliza um movimento inteiro por causa de uma "maçã podre". Vamos SUPOR QUE feministas tenham ameaçado Elba. Usar isso pra fechar o blog da Lola, por exemplo, seria ridículo.

Agora, no caso dos sanctos, a coisa é bem diferente. A Polícia Federal está fechando sites masculinsitas e prendendo seus autores, porque tem motivos bem fortes e provas mais que suficientes. Estão sendo caçados porque merecem. São um risco a qualquer coisa viva nesse planeta.

Está se punindo quem merece. Coisa que eu apoio. Seja feminista ou masculinista, ameaçou, tem que ser punido. Como aliás, eu já disse.

Satisfeito?

Vai aprender a ler.

Isabel SFF disse...

A Elba é uma das pessoas que ficaram indignadas porque as mulheres da marcha das vadias invadiram uma igreja no RJ? Oras, a igreja católica (e todos os seus filhotes evangélicos) invade os corpos das mulheres todos os dias há séculos e ninguém se revolta tanto...

ah, Lola, não acho que a decisão do Supremo tenha sido sinal de retrocesso. Acho uma pena que o STF tenha se mobilizado por algo que pareça tão óbvio, mas, como a própria reportagem da Veja diz, a legislação que condena o aborto é de 1940. Naquela época, imagino que o diagnóstico precoce de anencefalia fosse impossível, ao contrário de hoje.

Pra mim, a decisão do STF foi um grande avanço, principalmente se a gente considerar que a maioria dos ministros foi a favor e que os votos deles foram muito liberais e favoráveis aos direitos da mulher. Acredito que, se dependesse do STF, o aborto já teria sido descriminalizado há tempos. Sinal de atraso e conservadorismo é o fato de que essa discussão não avança no Congresso principalmente por causa da bancada evangélica, da pressão dos religiosos em geral.

Ana Claudia disse...

kkkkk....S.A.B.I.A que você ia falar sobre isso! Ontem, quando vi o vídeo, pensei: hummm....Isso é material rico para a Lola!

lola aronovich disse...

Isabel, acho que não me expressei bem. A decisão do Supremo não foi um retrocesso. Foi importantíssima! Retrocesso foi a discussão (não do Supremo, mas de todo mundo) em torno de um tema tão óbvio. Afinal, é claro que nenhuma mulher deveria ser obrigada a carregar um feto anencéfalo por nove meses. A resistência diante de algo tão óbvio (só em países muçulmanos e alguns outros da América Latina é que o aborto de anencéfalos ainda é proibido) foi chocante. Tenho quase certeza que, se o Supremo tivesse decidido isso 15 anos atrás, não haveria tanta resistência quanto houve agora.

Rose disse...

Ariadne Buendía disse...
" É só questão de tempo até cada uma "descobrir Jesus" e achar que TODOS têm de fazer o mesmo. Quem é o próximo, Serguei?"
hahaha. Adorei!

Quanto à Elba,nesse caso, não sei mas acho que ela está servindo a algum propósito (e não é divino)A questão não é dar ouvidos ao que ela diz, mas prestar atenção a quem está dando voz ela e por quê?

LisAnaHD disse...

hum... ex-ufóloga praticante, já abduzida, estampando um poster de um jesus loiro parecendo um E.T. De fanática por ficção científica virou fanática por ficção religiosa.

então, Elba, agora que seu útero não frutifica mais vc quer se meter com os úteros alheios? A troco de quê? Um lugar no céu? Não é assim que "a coisa funciona", pois geograficamente o céu é um lugar que não existe... e se existisse seria lá que moram os ufinhos que já te abduziram no passado e deixaram vc retornar.

Além do mais, se ER abortou e se arrependeu então que se entenda com o perdoador. Não precisa dar uma de salvadora do mundo pra sentir-se perdoada, ou precisa? O perdoador perdoa sem pedir nada em troca... ele não quer sacrifícios e sim compaixão. Ou vc ainda não se sente perdoada e precisa fazer um carnaval como sempre foi o seu palco? Agora vai lá dançar, Elba. E cantar. E louvar o divino. No seu próprio palco, Elba, quer vc faça ou não dele (o palco) um palanque.

Isabel SFF disse...

Ah, sim. Entendi melhor o que você quis dizer, Lola.

Eu concordo com você que os conservadores estão levantando cada vez mais o tom de voz. Você chegou a ver que uma mulher do interior de SP vai ser levada a júri popular por ter feito um aborto? http://www.cartacapital.com.br/destaques_carta_capital/a-verdade-nua-e-crua/

Isso é um absurdo tão grande (e ainda suspeito que essa moça pode ser condenada. SP tá virando um poço de conservadorismo tão grande que está beirando o fascismo) que eu fico até triste. Mas só nos resta levantar a voz também e deixar bem claro que não seremos calad@s.

Anônimo disse...

Foi mal Lola, mas eu acho que vc minimiza muito a perseguição de grupos esquerdistas. Pela história que vc descreveu da Marília Pera, eu também ficaria com medo se esse grupo enorme de pessoas fizesse questão de saber o lugar onde eu estou, parar lá e vaiar. Claro que não fariam nada de mais no momento, pois mancharia a própria reputação do manifesto, mas e se ela saísse na hora? Vc faz idéia do efeito psicológico intimidador que deve ter uma turba enfurecida vaiando do lado de fora do prédio onde vc está, ou vocês estavam apenas "falando sobre" a Marília Pera lá?

Apoio totalmente a Elba Ramalho nesse caso e acho que vcs, os "de esquerda" (eu me considero liberal e os testes de internet sempre dizem que sou de esquerda) deviam rever seus conceitos de debates, que não passa de pura perseguição de quem pensa diferente. Intimidação e achincalhamento não é debate.

LisAnaHD disse...

bah... a tal cantora não sabe a diferença entre crítica e ameaça e já vai metendo os pés pelas mãos... ai meu padim cirço, os ufos estão revoltados encapetanu a cabeça di Elba. vc é tão melhor cantando, Elba. Cantando Chico Buarque, Mílton Nascimento,enfim esse pessoal que não curte fanatismo algum, e apenas dá o recado e deixa pro povo decidir livremente.

Luiz Prata disse...

Caramba, eu estava totalmente "por fora" dessa guinada conservadora da Elba.
Estes tempos estão estranhos.

Claudio disse...

Eu em relação ao aborto, sou "indiferente"... transo todas vezes com camisinha e depois de usada... toco no vaso e dou descarga para que por "acidente" não caia dentro da mulher com quem acabei de transar e assim a engravidando...

Se a autora é a favor do aborto, tanto a mulher como o homem podem decidir por isso... ex: quando o futuro pai ou a futura mãe ou ambos quiserem... o aborto terá que ser feito, sendo que o feto é uma nova vida e não continuação do corpo da mulher. Se a mãe optar ter o filho com a negação do pai... ela criará o filho sem auxílio financeiro do pai.

Aos não-abortistas... se for para a futura criança passar necessidades ou ter alguma deficiência, melhor optar pelo aborto, pois esta pessoa passará por dificuldades nesse mundo cão que vivemos...

Para àquelas pessoas a favor do aborto, principalmente as mulheres... DUVIDO qualquer mulher querer abortar um filho que o pai seja rico...

Como diz o ditado: "Cada um faz o que o convém."

Sara disse...

As vezes desanima a gente, quando percebemos que o caminho para um mundo mais igualitário esta muito distante ainda, hje estou especialmente descrente depois de conversar com algumas amigas que não via ha um bom tempo, e escutar a opinião delas sobre a marcha das vadias por ex.,é de doer os ouvidos, ao ponto de ficar na duvida se é melhor ser surda ou escutar as opiniões q tive q escutar.
Ate mesmo aqui que supostamente se espera posições mais progressistas, ver a quantidade de comentários endossando as barbaridades que essa artista emitiu.

lola aronovich disse...

Ha ha, tava demorando pra chegar um Claudio com as mentiras dos mascus! Esse universo alternativo de vcs é de lascar, hein? 1) Só no universo mascu um cara quer sempre usar camisinha, e a mulher é que insiste em que ele não use; 2) só no univ mascu é que as mulheres sonham em engravidar pra receber pensões tão altas que nunca mais precisarão trabalhar (porque, como sabemos, todo mascu é um Mick Jagger); 3) só no univ mascu uma mulher tá com tanta vontade de engravidar que ela CORRE pro banheiro, desesperada, pra pegar a camisinha usada (eca!) do parceiro! 4) só no universo mascu os espermatozóides numa camisinha jogada no lixo sobrevivem e são tão viris e potentes que uma mulher pode pegar a camisinha, lambuzar-se com ela, e engravidar. 5) só no unvierso mascu o homem quer muito, muito ter um filho (tanto que ele joga a camisinha usada no vaso sanitário, ops, me confundi!), e a mulher é que insiste em fazer um aborto e matar o valoroso herdeiro. 6) só no universo mascu os mascus transam com um monte de mulheres.
Continue entupindo privadas com suas milhares de camisinhas, Claudio!

Claudio disse...

Não sou mascu, apenas coloquei os dois lados da moeda e que as pessoas devem defender uma ideia independente da situação, pois quando envolve dinheiro, seres humanos movem o mundo por ele.

Alice disse...

só há dois argumentos defensáveis a favor da legalização do aborto:

1) não ser um assassinato, mas a interrupção do desenvolvimento de um amontoado de células.

2) a incapacidade (financeira, psicológica, física etc.) da MULHER de levar a gestação adiante.

dizer que é melhor legalizar o aborto já que as mulheres vão continuar abortando mesmo é a mesma coisa de dizer que a gente pode legalizar qualquer coisa (drogas, corrupção, homicídio, estupro), porque as pessoas vão continuar cometendo crimes mesmo.

não há nenhum argumento defensável contra a legalização do aborto. se você acha que é pecado: não faça.

LisAnaHD disse...

Luiz,
Elba já fez tudo o que conseguiu pra chamar a atenção e o público já se acostumou com as peraltices dela e não vai mais ligar se ela se casa com esse ou com aquele, se adota mais uma criança, se diz que voltou de uma viagem UFO... então, na virada da estrada ela foi dar com o cristianismo e seus mitos transformados em deuses, opa! em DEUS.

Alice disse...

Mordred, vi o link que você postou. Aquele ridículo do Sacha Baron é que fez a 'brincadeira'. E todo mundo achando engraçado. E, pasme (porque não ter senso crítico pra 'piada' machista é normal), um monte de gente (maioria homens) chamando a menina de feia (!!!) e gorda (!!!!).

LisAnaHD disse...

pelo que entendi do comentário 19:54 se lei pró aborto for aprovada, os homens que são pais ficam desobrigados de toda responsabilidade qto ao filho???!! isso é chantagem legalizada!!!

LisAnaHD disse...

Anônimo disse... In der Sprache der Feher Lola: vereinen feministischen Schwestern lasst uns alle töten die Männer. Feminismus vor allem. 23 de junho de 2012 19:51

>>>Falar em línguas, segundo uma das epístolas de SãoPaulo, vale somente qdo entre os leitores ou leitoras ou entre os ouvintes haja um tradutor ou tradutora... por enqto seu verbatum fica sem valor.

Bruna Araújo disse...

Adorei o blog, muito lindo, amei tudo. Parabéns mesmo, vou sempre estar aqui (:

ontendency.blogspot.com

Anônimo disse...

LisAnaHD disse...
pelo que entendi do comentário 19:54 se lei pró aborto for aprovada, os homens que são pais ficam desobrigados de toda responsabilidade qto ao filho???!! isso é chantagem legalizada!!!
Como é hoje ,dois fazem nenhum dos dois pode desistir.

Se o aborto for aprovado a mulher tem o direito de "desistir" de ser mãe até os 3 meses . o que o artigo propoe é dar o mesmo direito ao homem ou seja obrigar o cara formalmente a dizer se quer ou não aquela gestação. se a mulher não for até a vara de familia exigir que o cara se pronuncie,subentende-se que a gravidez seja apenas por conta e risco dela sem futura pensao em jogo.
Não é chantagem È igualdade .

Luiza disse...

Lola, por que você reabriu a caixa para anônimos? Eu não estava comentando, mas ler uma discussão entre adultos era enriquecedora sem homens que ainda estão na fase de sentir prazer ao evacuar.

LisAnaHD disse...

Os sacerdotres são UNGIDOS por DEUS. --Elba Ramalho em vídeo
Se seu namorado te largar Deus vai colocar outro melhor. --Elba Ramalho no mesmo vídeo
http://blog.opovo.com.br/ancoradouro/elba-ramalho-volta-para-a-igreja-catolica-e-assume-luta-contra-o-aborto/

LisAnaHD disse...

Anônimo 20:08
Obrigada por esclarecer. É que eu não li a matéria e havia entendido como expus. Agora sim, entendo que tanto a mulher qto o homem deve opinar sobre o aborto. Mas claro que deve haver como qdo a gravidez se dá por estupro.

lola aronovich disse...

Eu sei, Luiza. Reabri a caixa de comentários provisoriamente pra anônimos porque, em discussões sobre aborto e estupro, sempre pode ter alguma mulher que queira contar uma experiência pessoal sem se identificar, o que acho totalmente aceitável. Mas não dá. Pra cada anônima que aparece nessas condições, aparecem 30 anônimos trolls só falando besteira e ou sem coragem de assumir as idiotices que dizem, ou gente que já foi banida daqui. Realmente não vale a pena. Vou desativar a opção "anônimos".

LisAnaHD disse...

agora que notei, LoLa abriu os comentários a Anônimo !!!

LisAnaHD disse...

mas já vai fechar !!! boaaaaaaaaaaaa

lola aronovich disse...

Outra do universo alternativo dos mascus: achar que carregar um feto no útero E ter toda a vida modificada E ter que sustentar o bebê (ou seja, o que uma mulher tem que fazer quando decide continuar com a gravidez) é a mesma coisa que pagar pensão para o bebê. Não tem diferença nenhuma, né? Os mascus ignoram que, no Brasil e em boa parte do mundo, JÁ É ASSIM: homens não assumem os filhos, não pagam pensão. Descobri esses dias, graças a Aiaiai, que a socióloga Ana Liése me segue no Twitter, e vice-versa. Ela tem uma pesquisa importante sobre isso, e agora estou louca pra entrevistá-la: 30% das crianças no Brasil não tem reconhecimento do pai. 30 por cento! Aquelas coisas que a gente vê no Ratinho de teste de paternidade não é exceção, é a regra! É o clichê do cara sempre dizer/pensar "O filho não é meu!". Só que quase sempre é. Essa é uma das maiores causas da pobreza: logo a parte que ganha menos (ou seja, a mulher) ter que ser unicamente responsável pela criação de um filho. É isso que esses "homens honrados" defendem: forçar as mulheres a abortarem (ué, mas eles não são contra o aborto?), jamais assumir a paternidade, negar pagar pensão.

Maria Valéria disse...

Lola,

Admiro muito seu blog e os posts feministas em que vc poe o dedo na ferida.
Esse também gostei, mas permita me discordar de alguns pontos:
Primeiro, como alguns comentaristas já disseram acima, apesar de ser sim uma basta hipocrisia ou resultado de lavagem cerebral que a Elba recebeu, vc acha que alguém vai prestar atenção no que ela fala??? Se ainda fosse um político, uma figura publica de destaque, vá lá, Mas a Elba??? Como dizem alguns amigos meus, nao vale a pena gastar vela com defunto ruim, entendeu?:p
Sei lá, e meu posicionamento.
Quanto a sua marcha em frente ao teatro onde se apresentava Marliia Pêra, para vaia- la porque ela apoiava Collor e disse isso ou aquilo na Tv sobre petistas, discordo desse tipo de manifestação,
Embora nao seja muito bem informada sobre o assunto,pois a época eu tinha 14 anos, lembro que eu nao votava, mas se votasse nao votaria em Collor pq nao gostava dele.Na época, fazia pouco tempo que eu tinha assistido a novelas com Marília Pêra, Daniel Filho, Cláudia Raia, com excelentes atuações destes, e que tinha ficado extratamente decepcionada com a postura deles de fazer campanha pro Collor.
Lembro do papelão a que se prestou Regina Duarte ao fazer aquela tal da campanha " eu tenho medo", quando da eleição de Lula.na época, votei no Lula, nao porque eu seja petista, mas porque sou anti PSDB, o que no estado de sao paulo onde moro, deve ser o oitavo pecado capital:p
Hoje sou formada em medicina e amo minha profissão, mas faz pouco tempo que estudo teatro, num curso técnico profissionalizante, pq quero aprender mais teatro e me descobri nessa área,amo mesmo!!!embora nao pretenda largar a medicina.
Entao, a questão e que nao acho valido- e aqui digo como estudante de teatro- fazer passeata para vaiar um artista as portas do teatro onde sera o espetáculo dele naquele dia.Por pior, por mais infeliz que seja o que ele tenha dito em rede nacional, na porta do palco, ainda acho que o ator deve ser respeitado nesse sentido,
E olha que nem Regina Duarte( que considero péssima atriz e que cujo posicionamento parece ter sido mais infeliz do que o da Marília Pêra) merece tal tratamento na porta do espetáculo dela.
O dia que o artista estiver no palanque do lado do seu candidato, dai sim cabem vaias, etc, embora eu pessoalmente nunca tenha feito esse tipo de manifestação.ou cabe escrever uma carta de repudio a tv, aos jornais, na internet, mas vaiar um artista na porta do seu local de trabalho jamais, na minha opinião.
Entendo que ela nao foi agredida, mas para alguém que atua em teatro, uma vaia pode ter esse efeito.se fosse comigo, teria.
Mas aqui cabe um parênteses, que fiquei feliz ao saber que FHC foi vaiado em PoA quando da reinauguracao ao aeroporto de lá....kkk se foi verdade nao sei,, tenho amigos gaúchos que me contaram,
Mas enfim, o contexto pra mim, e completamente diferente, vaiar um político que ta fazendo discurso e vaiar um artista que ta se apresentando por conta do seu posicionamento político,entendeu??;))
Me perdoe vc e outros leitores do blog caso eu tenha cometido algum equivoco, mas e assim que eu penso-:)
Mas independente disso, continuo fã do seu blog,
Discordar faz parte-;)))
Bjs!!!

Drica Leal disse...

É curioso que em toda a argumentação de homens contra o aborto eu enxergo essa angústia de não poder ter controle absoluto sobre algo que ocorre no corpo da mulher, mesmo que a filho seja dos dois.

Já disse isso em outro tópico, e repito: não há como prevalecer a vontade do pai ou "direito do feto" no que tange á gravidez sem desumanizar a mulher. O homem ou o feto teriam tanto direito quanto a mãe em decidir levar uma gravidez adiante ou não somente se isso acontecesse fora do corpo da mulher, o que por hora é impossível. A angústia de muitos masculinistas e machistas reside justamente aí, por isso tantos meandros legais, religiosos, morias, para tentar impedir que a mulher interrompa uma gravidez que ela não queira ou que leve adiante se quiser.

Nem preciso perguntar aos homens de plantão como eles se sentiriam se fizessem qualquer intervenção radical nos seus corpos (querem coisa mais radical que gerar outra pessoa dentro de si, com todas as implicações físicas que isso traz?) á sua revelia só porque terceiros acham que é sua obrigação suportar isso?

Drica Leal disse...

*morais

lola aronovich disse...

Maria Valéria, querida, e algumam outra pessoa menos querida que comentou antes: a passeata não foi nem de longe sobre a Marilia Pera. Naquela eleição histórica que foi a de 1989 (era a primeira vez que toda uma geração votava pra presidente, e 89 ainda estava bastante próximo das Diretas Já de 83 e 84, em que PERDEMOS e não tivemos eleições diretas para presidente), havia muita energia no ar. Só se falava em política. Foi muito emocionante mesmo. Havia montes de passeatas e comícios. As passeatas na maior parte das vezes iam do centro de SP até a Av. Paulista, e reuniam milhares de pessoas (as passeatas pró-impeachment do Collor, dois anos depois, faziam o mesmo trajeto). Aliás, é igual ao trajeto da São Silvestre, sabe? Tem que subir a Brigadeiro Luiz Antonio. E o verbo realmente é SUBIR, porque é muita subida! Enfim, lá estávamos nós, milhares de pessoas, com nossos gritos de ordem e bandeiras, marchando pacificamente, quando passamos por um teatro na Brigadeiro em que estava passando uma peça com a Marilia Pera. O nome dela tava em letras garrafais na entrada. Então paramos por alguns minutos e vaiamos. Foi só isso. Ninguém invadiu o teatro, ninguém jogou nada no teatro, ninguém sequer mudou seu trajeto para passar em frente àquele teatro. E todas as passeatas iam (e continuam indo) por ali. Sei que pode ser assustador vc estar dentro do teatro e ouvir milhares de pessoas vaiando do lado de fora. Mas faz parte. Vaiar, aplaudir, cantar, falar -- pra mim, tudo isso é democrático. E foram vaias merecidas, pô! Collor ganhou do Lula no 2o turno por uma diferença ínfima. Sabe-se lá quantos votos essas celebridades conseguiram pro "caçador de marajás"? Na hora do confisco da poupança, dos escândalos, do impeachment, nenhuma delas se pronunciou...

ACT disse...

Alice, eu discordo de você em relação a sua posição de refutar argumentos do tipo 'muitos fazem, vamos legalizar'. Na verdade, eu odeio quando comparam, por exemplo, legalização do aborto ou das drogas à legalização do estupro e do homicídio.

Homicídio e estupros são atos praticados contra outros, ou seja, ferem o bem jurídico de outrem. Não é o caso do aborto, quando se assume que, até determinado mês, o feto não pode ser considerado um ser humano - seja ele propriamente dito ou 'em potencial'.

A mesma coisa, no meu ver, vale para as drogas. Usar drogas, colocar o que quer que seja dentro do SEU corpo, é direito seu. O argumento de que o uso de drogas é prejudicial a outros também é falacioso, porque a maior parte dos usuários de drogas ilícitas não é dependente - é usuário ocasional ou recreacional, assim como o álcool. No caso da maconha, inclusive, há menos risco de dependência do que com álcool e tabaco.

O fato de o uso de drogas e o aborto serem proibidos, portanto, nada tem a ver com a proteção do bem comum, da sociedade etc. É uma concepção puramente moral, em que é errado abortar, do mesmo modo que é errado usar substâncias psicotrópicas/entorpecentes. No fundo, são baseados no mesmo argumento de controle do corpo do outro.

Allice disse...

Lembrei-me do documentário 'Nós que aqui estamos por vós esperamos' (Marcelo Massagão) que foi uma das coisas mais lindas que vi na vida indico e aqui está o link http://www.youtube.com/watch?v=maDnJcVbAoQ .
O trecho que passa pela minha cabeça após ler esse post foi o que ele define paranóia como MANIA DE GRANDEZA, é isso que Elba Ramalho está demonstrando, se achando suprema, digna, grande e com poder de decidir por todas as mulheres POBRES, CASADAS E RELIGIOSAS que estatisticamente abortam mais!
http://www.agenciapatriciagalvao.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=386&catid=40


Então, sinto muito informar mas a religião e o sistema legal não estão impedindo que as mulheres abortem e morram a gente que é de classe média ou alta viaja e aborta ou compra remédio. Eu nunca fiz aborto, mas nunca conheci uma amiga que tenha morrido abortando, entretanto já ouvi e conheci muitas marias que morreram fazendo aborto clandestino, marias essas católicas, evangélicas ou atéias, marias essas que estavam com pés masculinos no pescoço.
"Sou a favor de métodos contraceptivos" conheço uma ginecologista na UNIFESP que engravidou sem querer com todo o cuidado, acontece.
Vão defender crianças com nacionalidade antes que elas virem trombadinhas por causa da falta de estrutura e reacionários que tanto amam a vida fiquem pedindo a pena de morte pra essas pessoas que um dia foram fetos, que vocês tanto defendem!
Melhor: vão defender as mulheres que estão sendo abusadas na hora do parto! Tirem as mãos do nosso útero, quer dizer do útero das mulheres pobres, religiosas e casadas das estatísticas!

Allice disse...

LEMBRANDO QUE EU SOU OUTRA ALLICE
RSRSRSRS

NÃO SOU A LÁ DE CIMA.

Cora disse...

Lola,

Tenho o mais profundo nojo desses comentários de homens justificando o abandono de filhos nascidos. É completamente nojento. O que mais tem é mulher cuidando sozinha dos filhos. É essa a regra (eu já conheço essa estatística dos 30% há um tempo. Será legal você falar com mais propriedade sobre isso). E esses homens nojentos ainda se achando. Achando que mulheres estão doidas pra terem filhos com eles.

Aliás, é um alívio saber que tomam todo o cuidado de nunca, jamais engravidarem alguma coitada que se dispôs a transar com esses insensíveis (aliás, a transa deve ser maravilhosa! Tipo venha a nós, vosso reino nada, né?). Ainda bem que usam camisinha sempre. Melhor não passarem esses genes podres adiante, obrigando uma mulher ou a fazer um aborto (sempre uma violência) ou ter um filho de um energúmeno que não consegue parar de olhar pro próprio umbigo. Minha torcida é para que não se reproduzam nunca.

É por essas e por outras que defendo que TODA mulher seja completamente independente. A brasileira média abaixa muito a cabeça pro machismo. Eu ando de ônibus e já perdi a conta de quantas vezes ouvi mulheres trabalhadoras conversando e corroborando o machismo. São retratos da amélia, completamente submissas aos reizinhos da casa, que muitas vezes ainda se acham no direito de maltratá-las.

Espero que esta realidade mude. Procuro fazer a minha parte, mas percebo discurso e comportamento machistas vindo de muitos adolescentes, o que mostra que a educação ainda é tradicional e patriarcal.

carolinapaiva disse...

Allice

Tô vendo esse documentário agora mesmo, no momento que li seu comentário cheguei a me arrepiar até. Muito bom.

Allice disse...

Que bom, Carolina Paiva, acho que está entre os filmes que todo mundo deveria ver, nos faz refletir sobre como as nossas ações podem incidir de forma dramática sobre o coletivo e que todos nós teremos o mesmo fim, me deixa mais coletiva, mais consciente.

Starlin disse...

Concordo.

Essa manifestação petista foi uma afronta a liberdade da Marilia Pera votar em quem ela quiser.

carolinapaiva disse...

Nossa, querer comparar aborto com pensão alimentícia é imbecilidade demais!
Primeiro: a igualdade, nos casos de pensão alimentícia, já existe. Caso vocês aprendizes de mascu não saibam, a mulher também tem o dever de pagar pensão, sabiam? A pensão serve para o sustento do FILHO, e não da mulher, logo, é um direito do FILHO. Deu pra entender essa coisa básica?
Exemplo: filho fica com a guarda do pai, a mãe pagará pensão, do mesmo modo que (deveria) acontecer com os pais. Na realidade, 30% das crianças não são registradas pelo pai. Quem é o verdadeiro prejudicado, então?
O aborto legal ocorreria até o 3º mês de gestação, pela interpretação simples de que a vida humana começa com a atividade cerebral. Aonde que a legalização do aborto daria direito aos pais de não pagarem pensão a um filho nascido? Bora pensar? Mulher também paga pensão.
Não querem pagar pensão? Existe guarda compartilhada, busquem a guarda de seus filhos!

Cora disse...

Drica Leal,

Como sempre uma excelente observação.

Essa angústia pela perda do controle sobre o feminino existe realmente. São milênios de controle e opressão. Milênios. Justificados por praticamente todos os livros sagrados. Corroborado por filósofos e pensadores e escritores.

Homem nenhum aceitaria esse nível de controle sobre seu corpo e comportamento. Homem nenhum.

E faço coro: “não há como prevalecer a vontade do pai ou “direito do feto” no que tange à gravidez sem desumanizar a mulher.”

Muitos homens compreendem isso perfeitamente. São seguros o suficiente para enxergarem a mulher como um ser humano autônomo e independente. Outros buscam de todas as maneiras formas de manter e mesmo aumentar esse controle.

Cora disse...

Mesmo que nenhuma mulher nunca, jamais, em tempo algum faça um aborto, ele deve estar garantido por lei.

O direito à escolha é muito simbólico.

Maria Valéria disse...

Entendi, Lola-:)

Cora disse...

Lola,

Olha só o alerta que aparece hoje quando acesso seu blog:


“Página da Web fraudulenta bloqueada

Você tentou acessar:
http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/

Esta é uma página da Web fraudulenta conhecida. Recomenda-se que você NÃO acesse esta página.

Para sua proteção, esta página da Web foi bloqueada. Acesse Symantec para obter mais informações sobre phishing e segurança na Internet.”

Aí tenho que clicar em “Continuar na página da Web de qualquer maneira”.

Rafael disse...

Cora disse...
Lola,

Tenho o mais profundo nojo desses comentários de homens justificando o abandono de filhos nascidos...

Atualmente os homens são obrigados legalmente a assistir senão cadeia é assim e é justo assim segundo nossa lei atual. Mas se a mulher tiver a opção de abrir mão da maternidade unilateralmente(aborto) o homem tem que ter a opção de abrir mão da paternidade unilateralmente(renuncia legal pre-3meses de gestação).
A lola apagou o comentario que expliquei que a mulher não pode ser obrigada a interomper uma gravidez apenas o cara que teria o direito de abrir mão de qq direito ou dever sobre o feto.
Mas isso seria igualdade ,que horror!!!

Fabiane Vinente disse...

Lola, como é que pode, você sempre consegue chegar ao âmago da questão! E essa Veja, gente, eu nem me lembrava mais! Perfeito. Parabéns, pela postagem.

Drica Leal disse...

Rafael:

pelo que entendi, o que você quer dizer é que se a mulher comunica ao parceiro que está grávida ainda em tempo hábil de interromper a gravidez sem maiores complicações, ele diz que não quer ser pai e se ainda assim ela optar em levar a gravidez adiante o cara não deveria ser forçado a assumir a paternidade, é isso?

Rafael disse...

Drica Leal

Sim mas se e somente se a mulher tiver a opção de fazer um aborto por vontade unilateral.

Drica Leal disse...

Entendi, Rafael, mas a decisão será unilateral de qualquer jeito: uma mulher não deveria levar uma gravidez adiante, no corpo DELA, só porque o parceiro quer assim como também não deveria ter que abotar só pela vontade dele.

O casal pode (e deve!) sim, discutir juntos sobre isso, ponderar sobre a situação, mas a decisão final será SEMPRE unilateral, até porque, repito, para fazer valer a vontade do pai de ter ou não o filho a mulher tem que ser desumanizada, ser tratada como mero receptáculo sem nenhuma autonomia sobre seu próprio corpo.

Drica Leal disse...

Mas, na hipótese de o aborto não ser crime, que uma mulher possa interromper a gravidez com segurança e cuidados sem correr maiores riscos, se o casal descobrir a gravidez no início e o cara terminantemente não quiser ser pai, aí sim, se a mulher quiser o filho de qualquer maneira não acho que o pai tenha que ser obrigado a assumir a paternidade futuramente, se houve um acordo entre os dois.

Mas você não acha que essa uma uma situação que foge totalmente à regra?

Luiz disse...

Primeiro ponto. Eu acho que homicídio tem que continuar sendo crime mo Brasil e em qualquer lugar do mundo mesmo sabendo que os assassinos não pararão de matar. Por esta razão, acho que aborto fora dos casos previstos em lei devem continuar sendo crime. O fato de um monte de gente continuar fazendo aborto, mesmo sendo ilegal, não faz a menor diferença.

Segundo ponto. Desafio qualquer pessoa a me mostrar que um feto e um embrião não é vida e que vira criança só depois.

Terceiro ponto. Tratar a questão do aborto é uma discussão meramente religiosa é demasiadamente reducionista. Não existe consenso entre os cientistas sobre a vida do embrião e a maioria tende a ser pró-vida. Mas não vejo as feministas reclamarem dos religiosos quando eles obstruem os projetos de lei que regulamenta a prostituição no Brasil. Pelo contrário, nessa matéria a bancada feminista e a bancada religiosa atuam em perfeita harmonia. Sem reclamarem de Deus.

Rafael disse...

Drica Leal
.....
Mas você não acha que essa uma uma situação que foge totalmente à regra?

Considero uma situação realmente ruim indesejavel de se estar,mas do jeito que os relacionamentos andam voluveis e as pessoas andam praticando sexo casual(nenhum julgamento moral incluso na frase) isso é uma situação bem possivel especialmente nas periferias.
Até porque em alguns casos a paternidade é um peso insuportavel tambem.

Drica Leal disse...

Ah, Rafael, ainda nessa situação hipotética que eu citei acima, e se no futuro o homem que combinou com a parceira que não queria o filho se arrepender e de repente decide que sim, quer participar da vida daquele filho depois que ele nasceu (e já cresceu até), você acha que ele teria esse direito de recorrer uma vez que o que ele acertou com a mulher foi que ela teria o filho por conta própria? Nesse caso, a mulher poderia negar à ele o direito de paternidade, já que durante a gravidez ele não quis ser pai?

Rafael disse...

Luiz
Segundo ponto. Desafio qualquer pessoa a me mostrar que um feto e um embrião não é vida e que vira criança só depois.

Teoricamente da pra pegar cada uma das tuas celulas ,obrigalas a voltar ao estagio embrionario e implantar em uteros .
Vamos ter alguns bilhoes de luizes.Voce continua vivo ?

Rafael disse...

Drica Leal disse...

Se o cara abriu mão legalmente não pode mudar de opnião depois...Sim nesse caso a mulher pode negar a ele qq direito de paternidade.

Cora disse...

Vamos lá, rafael,

Eu tenho nojo desses comentários, pois eles são feitos apenas pra tentar manchar uma reivindicação justa por autonomia como mero egoísmo da mulher perante a decisão de continuar ou não uma gravidez.

Eu tenho nojo desses comentários, pois eles são disfarçados de reivindicação por igualdade. O que demonstra imensa insensibilidade em relação à situação da mulher no brasil, notadamente das mulheres de baixa renda.

Eu tenho nojo desses comentários, pois eles são desprovidos de empatia.

Eu tenho nojo desses comentários, pois eles sempre colocam o masculino em pauta, desconsiderando totalmente a pertinência das reivindicações femininas.

Eu tenho nojo desses comentários, pois eles sempre contêm um SE. Concordaremos com esse direito SE... apoiaremos essa reivindicação SE... quer dizer, não há o reconhecimento de que essa reivindicação seja justa. Não há desejo por uma igualdade real, apenas despeito.

Eu tenho nojo desses comentários, pois eles desconsideram toda a problemática feminina no brasil, inclusive o fato da imensa maioria das mulheres separadas/mães solteiras arcarem sozinhas com as despesas na criação dos filhos.

Eu tenho nojo desses comentários, pois eles desconsideram que apenas sendo OBRIGADOS por lei, alguns homens assumem as responsabilidades perante os filhos. e, muitas vezes, apenas a responsabilidade financeira, deixando os filhos abandonados emocionalmente.

Eu tenho nojo desses comentários, pois eles desconsideram uma criança que existe e tem direito de conhecer e conviver com o pai.

Interromper uma gravidez é impedir a formação de um ser humano. Abandonar uma criança é muito diferente.

Mas, eu concordo com você. Acho justo que o homem tenha o direito de abrir mão da paternidade. E acho, inclusive, que isso já ocorre.

No entanto, no meu entender, as situações são completamente diferentes. Impedir o desenvolvimento, num caso. Abandonar, no outro. O filho pode desejar conhecer o pai. E aí, é direito da criança/adolescente, garantida por lei, inclusive.

Existe até um programa do MP que solicita da mãe, informações sobre o pai.

Drica Leal disse...

Luiz:

"O fato de um monte de gente continuar fazendo aborto, mesmo sendo ilegal, não faz a menor diferença."

O cara logo de entrada diz isso e depois vem fazer todo um discurso sobre o feto ser vida, ser uma criança, blá, blá, blá. Quem entende? Isso só prova o que já foi dito: o aborto só é considerado crime meramente pela questão moral/ religiosa SIM! Veja bem: ele não se importa que as "criancinhas" sejam "assassinadas" em abortos clandestinos, ele só quer que, pela lei, isso continue sendo crime. Temos que manter a "moral e os bons costumes" pelo menos no papel, né?

Hipocrisia moral e religiosa pura!

Cora disse...

Drica e Rafael,

neste caso vcs estão desconsiderando o direito da criança em conhecer o pai. esse direito é garantido por lei. a mãe pode negar ao pai arrependido o direito à paternidade, o homem pode abrir mão desse direito, mas o filho pode desejar conhecer o pai.

Cora disse...

Drica,

subscrevo totalmente.

"Veja bem: ele não se importa que as "criancinhas" sejam "assassinadas" em abortos clandestinos, ele só quer que, pela lei, isso continue sendo crime. Temos que manter a "moral e os bons costumes" pelo menos no papel, né?

Hipocrisia moral e religiosa pura!"

Cora disse...

“Desafio qualquer pessoa a me mostrar que um feto e um embrião não é vida e que vira criança só depois.”


Obviamente tudo está vivo. A vida é uma linha ininterrupta que liga todos os seres vivos através da descendência com modificação. Com exceção das primeiras estruturas auto-replicantes, apenas vida é capaz de gerar vida. Óvulos estão vivos, espermatozóides estão vivos, zigoto está vivo, embrião está vivo, feto está vivo... enfim, tudo está vivo desde sempre.

A questão é que a gestação serve justamente para formar (“montar”) um novo ser humano. Dessa forma, esse ser em formação é apenas uma expectativa de vida que se confirmará com o nascimento. É o nascimento que faz surgir uma nova pessoa, agora totalmente independente do organismo que a estava gerando (independente em termos da ligação física, rompida com o nascimento. É claro que o bebê depende da mãe.)

Assim, o que devemos discutir é se vamos ou não, enquanto sociedade, permitir a interrupção da formação de um novo ser humano. Discute-se a partir de quando podemos considerar o feto como vida humana, já que vivo, como eu disse, tudo está, desde sempre.

Muitos consideram um limite importante, a emergência das estruturas neuronais responsáveis pela consciência. Isto significa então, que a partir de determinado ponto do desenvolvimento do cérebro, teríamos um ser humano.

Outros consideram um limite razoável, o ponto do desenvolvimento em que há chances de sobrevivência extra-uterina.

De qualquer forma, não vejo como um problema a interrupção da gestação até a nona ou a décima semana.

Ah! A criança só passará a existir como criança (ser humano sujeito de direitos), após o nascimento mesmo. Após o desligamento físico do corpo que a gestou. Não tem muito como ser diferente, né?

LisAnaHD disse...

qdo da próxima eleição, além do eleitor/a escolher o candidato ao cargo político, bastaria tb escolher uma das opções abaixo:
SIM ao aborto.
NÃO ao aborto.
Ou isso é complexo?

Cora disse...

Não considero que esta seja uma situação para plebiscito. Envolve questões sobre autonomia sobre o corpo, saúde pública e direitos reprodutivos. Deve ser pensada em termos de política pública mesmo.

O debate é difícil, mas precisa acontecer. Propor um plebiscito desencadearia campanhas maniqueístas (vimos uma amostra nas últimas eleições e não foi nada agradável) e não acho que este assunto deva ser assim tratado. O debate deve ser amadurecido.

LisAnaHD disse...

Seria interessante sabermos quais são os países em que o aborto é legalizado e em até qual mês da gravidez. Nos EUA, é legalizado em alguns estados apenas, assim como o casamento entre os de mesmo sexo.

Ju disse...

Por que utilizar a palavra "backlash" se existe uma em português equivalente??

O Herói do Ócio disse...

Olá a todos,

Pelo que ouvi do depoimento da Elba Ramalho, ela não entrou em detalhes acerca da natureza das ameaças.

Baseada no fato da Elba declarar-se religiosa, e também do fato dela identificar a origem da ameaça com grupos feministas, a Lola aplicou uma instância (por mim desconhecida) da lógica modal para sugerir que a Elba está só reclamando das feministas falarem sobre ela (e a Lola não diz isso, mas é precisamente isso que está sendo sugerido).

Pois bem. Eu não teria nada a declarar, se esse não fosse um blog cuja autora (e grande parte dos comentaristas) consideram repulsivo o ato de se colocar a culpa na vítima.

Então vamos ver se eu entendi: pelo fato da Elba afirmar que está sendo perseguida por grupos feministas, vocês estão assumindo a priori que não há ameaça violenta, nem perseguição criminosa por trás disso?

Não passou pela cabeça de ninguém de que há a possibilidade de alguém realmente ter ameaçado de forma séria a Elba, e ter se identificado como feminista (pouco importa, para a gravidade do fato, se essa pessoa satisfaz ou não o que vocês consideram como "feminista)? Ou será que por ela se declarar religiosa ela não merece o benefício da dúvida, ou uma interpretação de boa fé do desabafo dela?

fabio disse...

Iara disse.
Até por ser de classe média tenho meus preconceitos e meus limites.Não gosto de religiões nem do extremismo de todas, porque todas são extremistas quando se trata da mulher .Nos últimos tempos aconteceu alguma coisa no planeta e tive vários amigos convertidos.Cansei de discutir, de argumentar, de mostrar e não adiantou nada.
-
a fé cristã, e o maior obstaculo para os planos d feministas extremistas, se a marcha das vadis teve 500 gatos pingados em sp, a marcha para jesus teve 2,5 milhões, e contra a fé não a nada que possam fazer feministas, pois a fé e um encontro da pessoa com seu interior, o que "cerca" este encontro e passageiro e questionavel( igrejas, doutrinas, dizimos etc) mas a busca pelo DEUS que ha em nos, e eterna, assim como nossas almas.

fabio disse...

ja repararam, que todo mundo que e a favor do aborto indiscriminado...ja nasceu ??

fabio disse...

obvio que o aborto e uma questão de saude publica, que deve ser encarado com politicas publicas,que visem a informação, educação sexual,que sise o sexo seguro e responsavel, atravez de metodos anti-conseptivos, planejamento familiar, universalização da dignidade da mulher etc..
-]
e não indiscriminando uma pratica que defenda que alguem enfie uma helice no utero, e triture uma criança em desenvolvimento, pois este ano ela vai fazer cursinho, não quer tem filho, como se tivese tirando uma espinha.
-
a lei no brasil e bastante moderna e adequada, em casos de estupro
( no inicio da concepção) ou no caso de risco de vida para mulher, agora não devemos fazer com o aborto, como foi feito com cirurgias plasticas, uma banalização, com uma clinica a cada esquina.

fabio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fabio disse...

Alice disse...
só há dois argumentos defensáveis a favor da legalização do aborto:

1) não ser um assassinato, mas a interrupção do desenvolvimento de um amontoado de células.
-
-alice, VOCÊ, seja la que idade tenha, e um amontoado de celulas !!!
assim como todos nos, quem são voces feministas, para acharem que podem decidir quando começa ou não a vida ?? voces não são so ateias contra DEUS, querem subistitui-lo

Cora disse...

ócio,

como ela não entrou em detalhes, realmente não se pode afirmar nada com absoluta certeza.

Creio que o pessoal aqui esteja minimizando o que ela disse, pois o assunto não desperta este tipo de reação ou represália.

E isso, além do fato dela não ser uma pessoa de destaque neste debate (no sentido dela não ter poder de modificar ou manter a lei ou mesmo influenciar as pessoas que poderiam fazer isso).

Neste debate, as posições contrárias ao aborto são defendidas por pessoas e instituições com muito mais poder. Se é para ameaçar, há atores mais relevantes (veja bem, não estou defendendo ameaças ou coerção, heim!).

Difícil imaginar o tipo de ameaça que ela estaria sofrendo simplesmente por emitir uma opinião sobre um assunto controverso.

Talvez se ela formalizasse a denúncia...

Mas, deixa perguntar uma coisa: normalmente quem ameaça não é justamente quem está do lado da manutenção da situação? Quem está tentando manter as coisas como são?

Cora disse...

"ja repararam, que todo mundo que e a favor do aborto indiscriminado...ja nasceu ??"


dããããã...


isso sem contar que ninguém sério é a favor do aborto indiscriminado.

defende-se o direito de escolha. defende-se o direito ao aborto.
defende-se o direito sobre o próprio corpo.
defende-se a não interferência do estado e da sociedade numa questão que é estritamente pessoal.

tem uma diferença imensa.

Luiz disse...

Cora e Drica,

Me graduei em física, fiz meu mestrado no Brasil em Neurofísica. Meu doutorado foi TU-Berlin, na Alemanha, tendo como foco sistemas dinâmicos (Ou não-lineares) cujo aparato experimental usado como modelo era o sistema neuronal. Depois fiz meu pós-doutorado em Israel no Instituto de Neurociência da Universidade Hebraica de Jerusalém. Neste tempo eu tive um amplo contato com a formação embrionária, principalmente a formação do sistema neuronal no estágio de desenvolvimento do embrião e feto. Ainda um dos grupos de pesquisa acadêmica que atuo, foca se na Neurociência. Não costumo usar minha titulação acadêmica como arma de debate, mas quando peço para alguém me mostrar por A + B que as idéias que ela defende encontra eco em algum embasamento científico, ético e moral eu acredito que meus contendores, ao me contraporem, se embasam em alguns princípios que vão além de seus meros desejos. Quando eu arrisco a dar alguns palpites sobre esse tema, estou me embasando mas minhas experiências. Vocês tem todo o direito do mundo de me contestarem mas temos que adotar um médoto universalmente aceito. Sugiro adotarmos o método empírico e lógico dedutivo, comumente conhecido como método científico.

Falo de experiência própria. Já induzi uma centena de vezes aborto em animais para fins científicos e posso te afirmar que aquilo é sim tirar a vida de um ser vivo. Desafio alguém a me convencer do oposto. Hoje, dentro da ciência assistimos a extensão dos direitos então exclusivos dos humanos até para os animais. Os protocolos submetidos por nós, pesquisadores, aos comitês de ética em pesquisa animal se tornam cada vez mais rigorosos. Ou seja, estamos estendendo direito aos outros animais mas estamos querendo tirar esse direito dos fetos e embriões? Outra coisa, definir o início da vida é uma questão essencial para firmar posição sobre o aborto porque você há de concordar comigo, que no longo prazo somos todos cadáveres. Por essa lógica não faz sentido punir alguém por homicídio pois o assassino só acelerou um processo que seria natural. Concorda?

Outra coisa, não faz sentido ver a maternidade como uma punição. A razão é simples, não faz sentido falar em punição por razões naturais. Natureza não pune ninguém. Alguém que morre naturalmente de câncer não foi punido. Só faz sentido falar em punição em consequência de atitudes humanas. E um dos riscos que homens e mulheres correm quando transam é o da gravidez. Deveríamos saber disso. Assim como devemos tomar cuidado ao pegar um carro e não checar os pneus quando formos dirigir. Se acontecer um acidente somos responsáveis por essa imprudência.

Outra coisa. Não aceitei Jesus. Dia sim e dia também sou acusado de ter matado Jesus, apesar de ter nascido recentemente.

Cora disse...

é verdade, fabio,

todos os seres vivos multicelulares são amontoados de células.

estamos falando do estágio inicial do desenvolvimento, quando o amontoado de células ainda não é uma pessoa completa e independente fisicamente do organismo materno.

só pra esclarecer, viu?

fabio disse...

Cora disse...
-
senhora cora com todo respeito, se a senhora sua mãe não tivesse achado "importante' naquele momento levar adiante aquela gestação em que a "senhora era o feto" hoje a senhora não estaria aqui argumentando, algo que a senhora faz tão bem, portanto (hipoteticamente claro, afinal a senhora NASCEU)a senhora sua mãe, não estaria tendo autonomia somente sobre o corpo dela, MAS SOBRE A SUA VIDA, sobre o direito de a senhora existir !!

O Herói do Ócio disse...

Olá Cora,

Eu não sei se ameaças são mais praticadas por pessoas que defendem o status dominante ou se é por pessoas que clamam por mudanças. É uma questão factual, então não posso fazer especulação sentado em uma poltrona.

O que me deixa intrigado, entretanto, é que geralmente as narrativas aqui são sempre interpretadas com um pressuposto de boa fé. Não apenas nas narrativas de estupro, como também nas de violência doméstica, moral, etc. Já houveram posts mais vagos e indecidíveis que essa declaração que está no título do post. E ainda nesses casos, sempre aparece um engraçadinho que fala que "nada está provado", donde se segue um ragestorm generalizado de comentários dizendo que isso não é importante, e q o relevante é a EMPATIA com a vítima, o repúdio do estupro, da violência, etc.

Levando em consideração que mais de 60% do presente post consiste em colocações sobre o passado político, religioso (e a posição do aborto) da Elba Ramalho, a impressãoq ue eu tenho é que a estrutura desse post é:

Fato: Elba falou que está sendo ameaçada por feministas.

Lola: Elba tem um passado reacionário e cristão, e é contra o aborto. Logo, ela provavelmente está distorcendo o sentido da palavra "ameaça", só pra queimar o filme das feministas.

Tem um ataque pessoal e um non sequitur enorme nesse post. Eu só vejo duas conclusões possíveis que posso extrair dele (eu gostaria que alguém me apontasse uma terceira, se possível):

1) Não há coerência nenhuma com o tratamento das vítimas aqui, e elas são interpretadas a gosto político.

2) Há a suposição de que uma pessoa que se diz feminista é inatacável e moralmente blindável. OU a de que pessoas religiosas distorcem deliberadamente o conceito de "ameaça" para fazer as feministas parecerem violentas.

Eu posso entender a defesa de uma causa. O que não entendo é blindar pessoas (que nem conheço) em virtude da causa que elas *supostamente* defendem.

Não é mais producente um post sobre como ameaçar alguém NÃO é uma postura feminista?

Cora disse...

luiz,

acho que falei que tudo está vivo desde sempre, não? é claro que é interromper uma vida em formação. Ninguém vai te convencer do oposto porque não há oposto neste caso. Repito, tudo está vivo desde sempre.

no entanto, estamos falando de vida capaz de existência independente do organismo materno. neste sentido, não temos ainda um ser vivo completo e formado (óbvio, né, pois estamos falando justamente dos estágios de desenvolvimento do ser vivo em questão).

estamos estendendo direitos aos animais já nascidos e completamente formados, com vida independente e autônoma. ninguém está defendendo retirar direitos de pessoas nascidas e formadas.

pelo contrário. o que se pretende é proporcionar à mulher um pouco de autonomia e controle sobre seu organismo. é este o ponto q vcs não compreendem. a questão deveria ser o organismo vivo e nascido, pertencente a um ser humano sujeito de direitos (porque nasceu) – estou falando da mulher, claro.

não, não concordo. o assassino está interferindo na vida de uma pessoa nascida e sujeito de direitos. Um organismo completamente formado. está interferindo na vida de um terceiro. ele não tem este direito.

mas acho que, se a pessoa quer interromper a própria vida, ela teria este direito.

numa gestação, estamos falando de um organismo nascido e completo, sujeito de direitos – a mulher, e de um organismo em formação.

ninguém está vendo a maternidade como punição. só que imprevistos podem acontecer. e nem sempre o melhor a se fazer é permitir a formação de um novo ser humano. porque isso parece tão absurdo?

ter garantido o direito à interrupção da gravidez é só isso: a garantia de um direito. nada impede, pelo contrário, que a sexualidade e as questões reprodutivas sejam amplamente debatidas, os métodos anticoncepcionais de acesso facilitado e universal, campanhas de saúde e de apoio ao sexo seguro aconteçam.

é um erro pensar que feministas defendem o aborto. o aborto é também uma forma de violência contra a mulher. o que se defende é o direito à ele. e de preferência, muita política pública para diminuir ao mínimo a ocorrência deles.

como eu disse mais acima, mesmo que nenhuma mulher nunca, jamais, em tempo algum faça um aborto, ele deve ser um direito garantido por lei à mulher.

e o que jesus tem a ver com isso? a drica falou de jesus? porque eu nem mencionei esta figura.

Cora disse...

fabio,

se minha mãe tivesse optado pelo aborto, eu não teria nascido e vc estaria falando com outra pessoa neste momento.

e se eu não tivesse nascido, isso não faria diferença nenhuma pra vc.

e nem para o mundo.

qq coisa q eu faça, poderia ser feito por outra pessoa.

gosto de estar viva na maior parte do tempo, mas não acho q eu ou qq pessoa faríamos falta se não tivéssemos nascido.

fabio disse...

então a senhora cora acha que não faria falta ao mundo se não tivesse nascido ? por incrivel que pareça, eu discordo, somente a senhora poderia viver o que a senhora vive, viveu e viverá, cada um de nos e um ser unico, não obras do acaso sem proposito.

Cora disse...

somos obra do acaso sem propósito, sim. se vc soubesse o tanto de coisa q teve de acontecer pro meu pai conhecer a minha mãe, vc saberia que é obra do acaso, sim. qq coisa q tivesse sido diferente, e outra pessoa estaria aqui falando (ou não, né?) com vc.

vc chamará isso de destino ou desígnio de deus. pra mim é mero acaso (o q não tira a beleza de nada, pelo contrário. deixa td muito mais interessante do q imaginar td existindo como um plano de alguém ou alguma coisa superior).

depois q nascemos, aí sim temos propósito. dado por nossa família, num primeiro momento, e depois por nós. nós damos sentido pra vida. pra nossa vida e pra vida das pessoas q são importantes pra gente.

fabio disse...

talvez DEUS ( natureza, universo, conciencia cosmica) more no acaso senhora cora.

fabio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fabio disse...

eu ando reparando que algumas feministas odeiam a ideia de deus( não estou generalizando) por considerarem como um pai ! e sabemos que a maioria das feministas odeiam seus pais.
-
mas por favor entendam, eu concordo que o patriacardo durante seculos negou o divino ao feminino, mas numa visão espiritualizada deus transcende genero, deus e uma força universal, não algo ou alguem,eu particularmente tenho a opinião que deus transcende ate o bem e o mau,mas este sou eu, e diferenta para cada um, as religiões são humanas, portanto sujeitas a falhas humanas, mas a fé e individual, e ninguem segue algo que não sente, que lhe seja interior,.
-
mas eu percebo que as feministas são contra a ideia de deus, por acharem que num mundo sem deus, o que elas chamam de "liberdade" sem responsabilidades, seria muito mais facil (um mundo sem deus, tudo pode), engano total, as leis do universo, são muito maiores que nos, voce so colhe o que planta, nem mais nem menos, e a lei do retorno.

Cora disse...

ok, ócio,

vc não pode especular. mas eu posso! (provavelmente vc me fará me arrepender de ter escrito isso) e ainda acho q faz mais sentido ameaçar quem pede por mudança do que o contrário.

mas enfim, ela deve formalizar as denúncias. acho importante fazê-lo.

quanto ao ragestorm solicitando empatia, ele faz sentido aqui, pois os post são meios para se discutirem situações. vc tem razão, impossível colocar a mão no fogo pelas pessoas e situações apresentadas aqui, mas não são as pessoas que estão em discussão, mas as situações que elas vivem, verdadeiras ou não (com exceção de um ou outro post pedindo ajuda). porque precisaríamos de casos 100% verídicos pra discutir estereótipos ou repensar atitudes ou dar dicas de como superar um problema?

a lola contextualizou as posições da elba pra tentar entender o porque daquela declaração. alguns comentários foram mais ácidos (até preconceituosos), mas não achei o texto da lola com esse viés, não.

esse só pra queimar o filme é por sua conta. talvez ela encare as discordâncias como ameaças mesmo, vai saber? Talvez tenha sido ameaça, mas não consigo mesmo imaginar como e mesmo por que.

não vi ataque pessoal, mas uma contextualização. talvez eu seja muito boba, mas dizer que ela tem posições políticas conservadoras e acreditava em extraterrestres não é um ataque pessoal. ela é um figura pública e falava sobre isso abertamente. sempre foi mística. mencionar isso ao estranhar sua conversão ao cristianismo é um ataque pessoal?

1. vc cobra empatia pela vítima de ameaças, é isso? de fato a lola não acredita q ela esteja sendo ameaçada. mas, se as ameaças fossem (ou forem) reais, tenho certeza de que tds aqui serão solidários. apesar de críticas à xuxa, praticamente td mundo aqui se solidarizou com ela.

(vc não está sendo justo nesta crítica.)

2. vc extrapola. não há essa suposição, mesmo pq feministas já foram criticadas aqui, mais de uma vez.

e há essa ideia de feministas como malvadas, cruéis, violentas, intolerantes... mas é evidente que não são imunes. não há blindagem, pq muito provavelmente não há feminista atacando. Se houver, q se diga quem é e o que foi dito, para que possamos formar uma opinião a respeito. Do jeito que a coisa ficou solta, não parece q exista ameaça mesmo, mas apenas críticas.

se vc acha necessário um post com este tema, é pq compartilha desses estereótipos de feministas como mulheres cruéis e castradoras.

mas isso aqui no brasil? aqui, as feministas mal se fazem notar fora da web!

não há discurso radical, pelo contrário. estão sempre dispostas ao diálogo e à ponderação.

quem dera existissem feministas radicais aqui.

Cora disse...

conveniente chamar natureza, universo, consciência(?) cósmica de deus.

todos os deuses de todas as mitologias são sempre seres dotados de vontade, q planejam e executam algo.

natureza, universo e suas leis não são nada disso. não há planejamento. por isso essa ideia não faz o menor sentido, já q a ideia de deus é justamente a ideia de um planejador capaz d interferir na criação subvertendo as leis q ele mesmo teria criado (milagre) e mudando o curso da vida das pessoas (o q acaba com a ideia de livre arbítrio, já q deus tem um plano pra vc).

quanto ao resto dos seus comentários, sobre o que você percebe, só uma coisa a dizer:

péssima percepção. entende tudo errado. e isso q pessoal aqui já gastou teclado te explicando as coisas.

então, véi, pense como quiser e boa sorte pra sua noiva. vc deve dar um trabalho danado entendendo errado qq coisa q ela faça ou diga.

O Herói do Ócio disse...

Olá Cora,

Todo mundo pode especular à vontade sim, só que eu gostaria de alguma fonte melhor do que um DataEU. =)

Vou desenvolver o que eu quis dizer com ataque pessoal. O fato de alguém ser religioso, reacionário, sionista, patrocinado por Wall Street ou cavaleiro templário não desempenha papel nenhum na caracterização (ou, como vc queira falar, "contextualização") de uma ameaça. Uma ameaça é uma ameaça, independente de quem é ameaçado, do que acredita ou o que está vestindo (assim como um estupro é SEMPRE estupro, não é mesmo?).

O ponto em questão é que não há certeza de que houve ameaça. E cada um acredita no que quer, certo?

Mas esse não é o tratamento que USUALMENTE se dá nesse blog a respeito de pessoas fazendo denúncia de violência (ameaça não é uma forma de violência?). Em todos os outros casos, sempre foi concedido o benefício da dúvida à vítima, um tipo de solidariedade tácita. Mas isso não aconteceu nesse caso. Pois bem, o que esse caso tem de diferente dos outros? Eu só vi duas variáveis: (1) Uma pessoa pública com preferências políticas dissonantes das defendidas aqui, assumidamente cristã e contra o aborto; (2) a atribuição da autoria da ameaça a "grupos feministas".

1- Eu não cobro empatia de ninguém, só estou cobrando coerência.

2- Ok, vou conceder que eu esteja extrapolando. Mas então qual a diferença da declaração da elba com outras narrativas apresentadas no blog cuja verdade é igualmente difícil de averiguar?

Já que existe essa ideia de "feministas como malvadas, cruéis, violentas, intolerantes..." não é uma EXCELENTE ideia esclarecer às pessoas desinformadas que esse não é o caso? Certamente nenhum post aqui tem a intenção de convencer um masculinista (não é saudável conversar com paredes). Se há feministas lendo o blog, tenho certeza que elas(es) concordam que ameaças (por qualquer motivo) não são método legitimo de feminista de verdade. Então sobra esclarecer às pessoas que realmente compram esses estereotipos baratos.

O que se observa, entretanto, é um post que faz pouco caso do relato da Elba Ramalho, desprezado como "ameaça" (algo que ninguém, a não ser talvez ela, possa confirmar). Isso era necessário? Não. Isso acrescenta algo à imagem das feministas como um grupo de ativismo legítimo? Não. Uma pessoa desinformada poderia ler esse post, ouvir a declaração da Elba e tranquilamente inferir que feministas não tem escrúpulos pois são coniventes com a ameaça (afinal se a vítima apoia Collor e é contra o aborto não existe ameaça, mas "ameaça").

Cora disse...

Não há muito mais o q dizer sobre a elba. Pra resolver isso, só ela formalizando a denúncia. De outra forma fica o dito pelo não dito.

Quem ameaça? Ameaça de quê? Por quais meios a ameaça foi recebida?

Podemos apenas aguardar. E não havendo denúncia formal, ficaremos eternamente nesta dúvida.

Mas entendo q não é este seu problema, não precisa explicar.

Não gosto de minimizar violências (não foi justa a comparação, no meu entender) e acredito que a lola tb não.

O caso é q a lola não acredita mesmo em ameaça, por isso o post desta forma.

(vc consideraria o comentário do blog católico uma ameaça?)

A diferença que eu vejo é a que apontei pra você: por quem e por que a elba seria ameaçada por um opinião desfavorável ao aborto, quando a maioria esmagadora das pessoas e da mídia é contrária ao aborto? Por que justamente ela seria ameaçada? No que uma ameaça a ela favoreceria o debate pró-escolha (a ideia da ameaça seria favorecer a causa, não?)?

Vc vai dizer que estou incorrendo no mesmo erro da lola, mas o contexto não conta nada? (e, por favor, não use mais o estupro como termo de comparação, ok? A origem e a motivação dessas violências são muito diferentes. Você não precisa recorrer a este tipo de argumento para debater. Considerei um golpe baixo.).

A diferença é a prevalência da violência ou da situação. Essa ameaça pode ser real? Claro que sim (e, sendo denunciada, tenho certeza que tds condenariam.). E com que frequencia ameaças assim acontecem? Essas ameaças são factíveis?

O post não faz pouco caso. O post defende a ideia de que ela confunde críticas com ameaças. Ideia fácil de ser derrubada, bastando a denúncia. Que só a elba pode fazer, como vc disse.

Seu fechamento foi exagerado, como já expus. A elba não tem expressão no movimento pró-vida. Não faria sentido ameaçá-la, simplesmente pq ela não ameaça. Os evangélicos ameaçam. A icar ameaça. A mentalidade machista ameaça. Ela é mais uma mulher a engrossar as fileiras contra o movimento pró-escolha.

Pessoas que frequentam blogs feministas e participam de debates com feministas entendem o que é dito (com a honrosa exceção dos masculinistas) e reconhecem a pertinência do discurso. Pessoas com ideias estereotipadas não são ou estão abertas ao diálogo. Tendo a considerar posts de desagravo contraproducentes. Principalmente no diálogo(?) com detratores.

Luci Mendes disse...

Feministas tem problema com o pai...mais uma conclusão fresquinha saída do instituto de pesquisa As Vozes Me Disseram.

O Herói do Ócio disse...

Olá,

Golpe baixo? Eu certamente não queria ofender, mas precisava de um exemplo de algo que não pode nem precisa ser contextualizado.

Mas afinal vc acabou levantando um ponto interessante. De fato, vou conceder que há margem para contexto na ameaça. Eu não interpretei o "tomem cuidado" como ameaça. Mas isso é certamente discutível.

No entanto, ameaças como "vou te matar se te encontrar na rua, sua gorda estúpida" não são exatamente passíveis de contextualização, que seria uma descarada tentativa de fingir que não houve crime.

Quanto à justificativa de ameaça, não creio que há a necessidade de postular algum motivo realmente político para que tenha ocorrido. O fato é que pessoas estúpidas fazem estupidez. Cito como exemplo um caso recente (na verdade de dias atrás) de uma moça que foi ameaçada com diversos e-mails muito tensos depois de fazer um pequeno protesto contra um escritor de jogos de rpg machista. A coisa beira o surreal, mas muito provavelmente as ameaças foram escritas por fãs desmiolados (suposição minha). Segue o link da versão dela:

http://quidsquared.wordpress.com/2012/06/22/how-not-to-handle-a-pr-crisis-mongoose-edition-2/

Allice disse...

Sou feminista, sou atéia e meu papai é o melhor do mundo!
Nunca levantou a mão pra me bater, está sempre me dando apoio! Tenho lembranças maravilhosas sobre ele, sou orgulhosa de dizer a todo mundo que ele é meu pai!

Não tenho problemas com meu pai, tenho problemas com a mitologia opressora!
beijos.

Raffa C.L. disse...

Lendo os comentários diverso sobre o aceite unilateral (homem e mulher) do aborto dentro do prazo de 3 meses, me veio um questionamento: embora os dois concordem, não será 3 meses um tempo pequeno para que as mulheres consigam no SUS uma data hábil para realizar o aborto dentro da lei? As vezes a mulher descobre a gravidez com mais de 2 meses!

Estão entendendo a dimensão do problema? O nosso Sistema Único de Saúde (SUS) não disponibiliza, infelizmente, as mínimas condições de atendimento público em serviços básicos como a própria consulta médica. Sabemos que as pessoas marcam uma consulta para serem atendidas, muitas vezes, em 3 meses depois da marcação ou até mais (casos na minha familia); uma cirurgia simples no SUS pode demorar mais de 1 mês (mas nem sempre é assim, vale ressaltar). Como é então que uma mulher terá seu direito preservado no tocante a uma situação de aborto?

Muitas mulheres passam pelas situações as quais seriam legais o aborto. Acho que assim como nas demais áreas de atendimento médico, casos de aborto serão realizados em sistema de cotas mensais nos hospitais. Todas serao atendidas? Nao sabemos quantas procurariam pelo auxílio. O atendimento é imediato? Como garantiriam para essas mulheres, o aborto em tempo hábil?

E se ela nao conseguir até os 3 meses, terá que gerar um ser indesejado pelo "pai" e "mae"?

Nós ainda assim, temos a capacidade de amar aquele ser e modificar nossa vida por ele porque temos a maternidade na natureza (nem todas, como vemos nas midias sociais) mas e o pai? que hoje sem a lei que legaliza o aborto acham que criar é dar pensão ( e olhe lá) e muitos nem assumem ou vao conhecer a criança?

Essa mulher entao, nas condiçoes que eu citei terá que criar o filho sozinha, pq o pai em tempo habil afirmou nao querer a continuação da gravidez e o SUS nao conseguiu realizar o aborto dentro dos 3 meses?

Quem tiver acesso por atendimento particular tudo bem, mas nós sabemos que sao as classe pobres que utilizam os hospitais públicos e é lá que está a defasagem no atendimento.

Apoio que o homem nao seja responsável pela gravidez que ele nao desejou, desde que a mulher a aceite assumir sozinha, porque nem sempre a continuação da gravidez terá sido uma imposição só dela. E quando for, que seja comprovado.Estamos no Brasil e órfãos de pai e mãe ja tem demais por aqui.

Abs.

Vato Loco disse...

Quer dizer que os tais "sanctos" não podem fazer ameaças e as feministas podem?

Feministas dizem lutar a favor da igualdade e contra a intolerância, mas cadê a tolerância e igualdade de vcs? Qual o problema de ser contra o aborto? Ah... ela já fez aborto... mas ela não tem o direito de ter se arrependido?

Interessante que vcs vivem dizendo que os homens não devem se importar com o passado das mulheres pq é machismo, opressão e blá blá blá... mas lembraram e condenaram o aborto feito pela Elba Ramalho... impressionante com vcs são contraditórias.

Não foram vcs ESQUERDISTAS que lutaram a favor da democracia e liberdade de expressão? vai ver que vcs queriam a ditadura imposta por vcs pelo jeito...


OBS: Não sou e não estou defendendo os tais "sanctos", mas acho que sanctos, feministas e seja lá quem for que fizer esse tipo de coisa merece CADEIA!

Ludwig Beilschmidt disse...

fabio disse...

eu ando reparando que algumas feministas odeiam a ideia de deus( não estou generalizando) por considerarem como um pai ! e sabemos que a maioria das feministas odeiam seus pais.
-
mas por favor entendam, eu concordo que o patriacardo durante seculos negou o divino ao feminino, mas numa visão espiritualizada deus transcende genero, deus e uma força universal, não algo ou alguem,eu particularmente tenho a opinião que deus transcende ate o bem e o mau,mas este sou eu, e diferenta para cada um, as religiões são humanas, portanto sujeitas a falhas humanas, mas a fé e individual, e ninguem segue algo que não sente, que lhe seja interior,.
-
mas eu percebo que as feministas são contra a ideia de deus, por acharem que num mundo sem deus, o que elas chamam de "liberdade" sem responsabilidades, seria muito mais facil (um mundo sem deus, tudo pode), engano total, as leis do universo, são muito maiores que nos, voce so colhe o que planta, nem mais nem menos, e a lei do retorno.



Feministas odeiam os pais? Você novamente com sua ladainha de merda está generalizando todas as mulheres.E o cristianismo foi SIM desde o ínicio dos tempos machista e opressor a mulheres,o corpo e o sexo feminino eram vistos como fonte do pecado e enquanto isso os homens eram e ainda são o sexo mais livre.
Como homem eu nunca vou poder entender completamente o que elas passam quando engravidam,menstruam,entram na menopausa,mas uma coisa que eu tenho que vocês mascus trolls de merda não tem nem um pouco é uma coisa chamada EMPATIA.
Elas tem o direito de escolher se querem ou não serem mães,os machões aqui sabem LÁ o que uma mulher grávida sente?
Emoções,corpo tudo muda e o que tem de cara dando no pé quando descobre que a mulher está grávida não é brincadeira.
Minha namorada tem uma amiga mais nova do que ela,ainda na adolescência e a moça acabou engravidando e o que o namorado espertão fez? DEU NO PÉ! Disse que a culpa era dela,que ele era muito novo pra ter filho,mas na HORA DE ABAIXAR AS CALÇAS ele fez com gosto né?E claro a culpa é toda dela.
A moça chorou,pensou em abortar,minha namorada e eu conversamos com ela e dissemos para ela escolher o que a fizesse feliz SEM remorsos.
Ela optou por ter a criança,mas nenhum homem poderia entender como ela se sentiu depois de ouvir tudo aquilo e ainda ser culpada por algo que era responsabilidade de DUAS PESSOAS,DOIS SERES HUMANOS e não de uma só.

Allice disse...

Vato Loco:
Cadeia por criticar alguém? Isso sim é uma visão ditatorial.

Os sanctos não criticam, eles são terroristas que ameaçam, planejam atentados e captam dinheiro e armas, vá se informar primeiro antes de comparar críticas feministas com ameaças (com provas encontradas pela polícia federal e anônimos) e passeatas contra a violência e a opressão, ditadura?
Não, só queremos a "ditadura" do direito de escolha se é que isso existe.
E o passado não importa no que tange ao direito sobre si mesmo, agora uma pessoa, que por exemplo, não casou virgem, teve toda liberdade e agora porque mudou a mente quer obrigar os filhos a ser santinhos sem ter sido é contraditório, assim como é contraditório milhares de mulheres ricas que abortam e depois se dizem contra o aborto é o famoso: "eu posso, você não pode"
Minha pergunta é, por que você pode e eu não posso Elba?
Por que você tem o direito de escolher abortar antes, tem o direito de mudar de ideia agora mas quer privar as mulheres do direito de escolha que você exerce abortando ou mudando de ideia?

Por que você pode escolher se sim ou não em diferentes etapas da sua vida e as outras mulheres não podem, Elba.
Essas são as perguntas que eu faria À ela.

daniel, preocupado com o paraguay disse...

quando vc acredita que um feto é portador de uma alma imortal dada por uma deidade, logo sua existência é sagrada, fica difícil defender o aborto, SALVO se vc for extremamente laicista em relação ao Estado, o que é uma ridícula minoria entre os cristãos.
e sim, estamos mais conservadores. e em boa parte é efeito da explosão neo-pentecostal

Niemi Hyyrynen disse...

Da onde o Fábio tirou essa de que feministas odeiam seus pais? Da Superinteressante?

Maria Valéria disse...

" se sua mae tivesse te abortado, vc nao teria nascido"

Acho tão cansativo esse papo!!!
Se minha mae tivesse me abortado, ue, eu nem estaria aqui e provavelmente ia fazer diferença só na vida de meia dúzia de gato pingado,em que incluo : meus pais e irmã,2 melhores amigas e 1 pessoa que amei mas que nao de certo entre nos,
Nem sei se faria falta, alias, porque essas pessoas citadas cm certeza encontrariam no caminho outras parecidas comigo, aconteceriam outras coisas, tipo obra do acaso, etc, etc, etc e nao sei o que seria melhor ou pior para elas- terem me conhecido ou nao.
Enfim, bobagem ficar discutindo isso
Ate porque quem e contra o aborto também nao foi abortado pela mae...
Se fossemos raciocinar por esse prisma, os fetos/ embriões abortados deveriam fazer contato do além através de algum médium e dar sua opinao nesse debate.dai sim, seria valido.
" vcs estão desconsiderando deus" - ue, que diferença me faz??? Nem sei se acredito em deus, as vezes sim, as vezes nao, nao creio em cristo( apesar de ter sido batizada catolica),digamos que sou uma espiritualista de meia tigela sem religião definida, e nao vejo problema nisso.isso invalida qualquer comentário ou argumentação contra o aborto que envolva " deus".
Alguém aí em cima que falou das dificuldades do Sus: entendo, mas nao acredito que esse argumento possa ser usado para nao legalizar o aborto. Vamos dizer assim, que primeiro discute - se se vamos legalizar ou nao, dai, SE legalizar a gente discute como melhorar o sus, o acesso a saúde pela população de baia renda, as filas de espera pra consultas e cirurgias, etc,etc.o que nao da e pra ficar sentado e acomodado, pensando " isso nunca vai funcionar porque estamos no Brasil..."
Quem sabe isso nao abriria um espaço e nao seria o inicio de uma melhoria no sus???
Quanto ao plebescito sobre o aborto, discordo,uma vez que já tenho certeza que grupos religiosos farão campanha contra, etc e poderão influenciar, como mais alguém aí em cima disse.
Ps: eu era radicalmente contra o aborto, ate ver acontecer com uma pessoa próxima,e nao, essa pessoa nao dependia do sus, e pode pagar uma clinica decente , tendo meu apoio,dos pais dela, e um namorado na época que participou do processo de decisão junto com ela.ambos optaram pelo aborto.nem por isso vou dizer que essa pessoa nao sofreu, alias, sofreu muito.
Se tudo fosse simples....
Obs: quem nao gostar do meu post, faz favor, me pula, me ignora, etc.to dialogando aqui com a Lola e com a Cora,principalmente, de quem tenho gostado de ler os comentários.
To com preguiça de ficar repetindo mil vezes o que a Cora já teve paciência de fazer N vezes nos posts dela-:))
E com quem estiver aberto a debate civilizado, mesmo que discorde de mim-:))

Maria Valéria disse...

Ps: tenho um primo filho de mae solteira.
Que amo muito.
Obvio que se minha tia tivesse abortado, eu nao conheceria a pessoa maravilhosa que e meu primo.
Mas,... Aonde essa discussão leva mesmo?
Vamos dizer assim: e se Hitler tivesse sido abortado???
.... A discussão nao teria fim
Ps: meu primo,contrariando tudo o que poderiam dizer dele, e a favor da legalização do aborto!!:)))

Allice disse...

Outra coisa que o ser humano não entende é:
Você não é especial só por ter nascido, se não tivesse nascido, não existiria, não faria falta, outra pessoa faria suas descobertas porque o mundo não pára.
Você tem linguagem e isso te garantiu tanto desenvolvimento!
Assim como você está bem há crianças na sua cidade morrendo de fome.
Assim como é bom viver pra você é um inferno viver pra uma criança na sua vizinhança ou na África Subsaariana, Na Europa, Na Ásia, não importa...é o acaso, uns tem sorte, outros não, então não venha me dizer "é muito bom defender o aborto depois que nasceu."
Nasci e poderia não ter nascido e isso não faria diferença, ou poderia ter sido qualquer espermatozoide, é aleatório
Há os dois lados da moeda e isso é aleatório.
"Há mas veja só, poderia ser qualquer um, mas foi você!"
Se isso é destino estou muito feliz por ser não acreditar em Deus, porque sinceramente, eu como ser humano não permito que ninguém sofra se eu posso ajudar, ou faço o possível pra aliviar qualquer incômodo dos que estão à minha volta, imagine um ser superior e todo poderoso.
Sadismo. Seria a palavra e aí dizem "ah mas a culpa é nossa, nós regemos o mundo, nós é que somos responsáveis.
ótimo, sou responsável, se sou responsável não preciso usar o nome de Deus pra nada, sou maior de idade, posso usar minha própria assinatura e diferente do que alguém disse que "um mundo sem Deus é um mundo que tudo pode"
Não, um mundo sem Deus é um mundo onde você colhe as consequências de seus atos e não tem ninguém pra te socorrer nem pra te castigar, é a realidade nua e crua e ai de você se tentar se apartar dela!
Um mundo sem Deus é um mundo onde aqui se faz aqui se paga, sem ninguém pra passar a mão na sua cabeça ou te punir é você e seus atos e eles influem no coletivo.
E se a coisa está feia a culpa é nossa, porque nenhum ser mitológico vai nos punir ou salvar, vista a camisa e assuma: eu faço eu aguento!
Caso contrário Deus pode trocar meu carro zero por comida pra pessoas famintas, isso é muito mais importante.
É a minha visão sobre esse argumento furado de que ser ateu é ser covarde. Eu me pergunto, se não tem nenhuma força suprema me protegendo ou guiando, se eu não preciso de muletas e aguento as consequências dos meus atos, eu sou o covarde da situação?
Nem eu nem quem crê, o ser humano tem seus modos plurais de expressão e esse pra mim é um deles, como museóloga eu respeitarei a todos, mas não vou aceitar que me chamem de covarde ´porque meu modo de viver é viver por mim mesma assim como aprecio e tenho muitos amigos religiosos e nós nos respeitamos.
Covarde, monsieur, é quem usa o mesmo argumento furado e raso sempre pra tirar o corpo fora ou se achar mais digno.

Maria Valéria disse...

Alice, como faz pra assinar embaixo???

Allice disse...

Eu não preciso de nenhum mandamento divino pra ser ética porque aprendi que tudo o que faço tem uma consequência, não recebi uma receita de bolo inflexível de milhares de anos atrás.
Nada contra há até reformas acontecendo de forma tímida, um exemplo disso é o católicas pelo direito de decidir, a ideia é simples: se eu creio que é pecado então eu não o farei, não é uma lei sobre não aborto que vai acabar com os abortos e não é uma lei que PERMITE (ela não obriga) que vai me fazer abortar.
Que livre arbítrio é esse se não posso nem ter uma lei que me faça decidir? Tá difícil demais usar a cabeça? Está viciado no modo automático da Era do Cobre?

O que se defende é a informação, os métodos contraceptivos e evitar a gravidez, mas quando a coia foge ao controle, -porque nós estamos tentando burlar a natureza todo mês e isso pode acontecer- cabe a mulher decidir.
Castigo?
Não preciso disso, não sou um animal de circo que precisa ser punido, punido, punido e dançar a cada vez que a música toca com medo da chapa ficar quente sob meus pés!

Se você tem sua convicção religiosa e ela te faz uma pessoa feliz continue, mas não declare uma guerra santa

Ludwig Beilschmidt disse...

Allice se tivesse um curtir aqui no blog da Lola já teria apertado umas 10 vezes no teu comentário.

Maria Valéria disse...

Alice, nem te conheço, mas se conhecer melhor aposto que vou virar sua fã,
Assino embaixo de tudo o que vc falou.

Maria Valéria disse...

Ahhh para as pessoas que dizem que" engravidou porque nao se preveniu"

Primeiro , todo método anticoncepcional falha,
Ate laqueadura, ate vasectomia, e ate camisinha fura ou falha quando mal colocada( isso quando o homem TOPA usar a bendita)- a grande maioria dos homens nao gosta de usar com namorada ou mesmo com ficante fixa.ao usam mesmo com desconhecida e olhe lá , se ele estiver muito bêbado esquece,
Entao a maioria dos homens joga toda a responsabilidade da contracepção pra cima da mulher.

Segundo, mesmo que seja pílula e a mulher tenha esquecido de tomar um ou dois comprimidos no dia certo- atire a primeira pedra quem NUNCA esqueceu de tomar um comprimido na vida,
Seria o mesmo que dizer que" sua pneumonia piorou, Vc foi internado, BEM FEITO pra vc, que nao tomou os comprimidos direito"
Há???? Em que mundo vivemos??? Me recuso a viver num mundo punitivo desse jeito,se viver assim e escolha de uns, nao e minha escolha, da licença de pensar diferente.
:xxxxxxxxxx

Vato Loco disse...

Allice, aborto é ASSASSINATO, coisa que vcs feministas não entendem ou até sabem, mas fingem não saber.

Eu sei que os tais sanctos fazem várias ameaças pesadas, o lugar deles é na cadeia, mas por acaso feministas tem o "direito" de fazer ameaças? Só pq ela é contra o aborto? Cadê a liberdade de expressão? Isso que estão fazendo é ditadura, mordaça em que somente a opinião e vontade de feministas é que vale.

Com essa atitude, não digo todas, mas estas feministas estão se igualando aos sanctos sim, pois estão começando a ter as mesmas atitudes deles.

Sara disse...

Tb quero me juntar ao fãn club da Alice, disse tudo.

fabio disse...

engraçado como feministas extremistas se dizem humanistas, mas consideram a formação da vida, um ato corriqueiro como outro qualquer,sem importancia, tipo " se nascer ou não tanto faz" " se não existir não faz diferença nenhuma, cada um no seu quadrado", contraditorio isto, ainda bem que são extrema minoria entre as mulheres.
-
na verdade são contra uma lei da natureza,de as femeas das especies gerarem suas crias, portanto isto tira o foco valido dos direitos e deveres iguais, e as tornam eternas rebeldes sem causa
-
os pais de nossa especie, que não assumem seus filhos são calhordas, ma para isto vivemos em sociedade, para termos regras,leis, e a lei exige que um pai assuma seu filho, quer ele ou não, no maximo ele pode( e tem todo direito) de questionar a paternidade, mas a evolução da ciencia, nos eu condições para isto, uma vez constatada a paternidade, que asuma suas responsabilidade, por força de lei, liberdade não quer dizer fazer o que bem entende na sociedade sem medir consequencias não,quem não concorda que va morar numa ilha sozinho, ai sim pode andar nu, tacar pedra na lua etc.

Sara disse...

Vato loco em vez de se empenhar em tirar o direito de uma mulher ao aborto, pq não faz o mesmo empenho em cuidar dos milhares de crianças que nascem sem condições nenhuma de sobreviver, mas que vão sendo assassinadas lentamente pela fome e falta de perspectivas de uma vida decente.

fabio disse...

teve um cidadão "fake" mau educado ai em cima( eu não nasci ontem feministas) que afirmou que o cristianismo, foi muito opressor com as mulheres durante os seculos, eu ate concordo em partes, pois a evolução do ser humano passou por varias etapas, e houve muitas barbaridade de todo tipo para chegarmos ate aqui, e ainda ha muito a evoluir, mas JESUS CRISTO não ensinou nada disto, pelo contrario, quando uma multidão iria apedrejar uma mulher ate a morte, ele interveio a favor dela.
-
alias podemos comparar aonde a fé cristã levou a mulher e onde a fe ilamica a levou,
tentem fazer uma " marcha de vadias em teerã, ou cabul ? e sentirão a diferença, ai depois voces podem desmerecer jesus com as piadinhas que quiserem.

fabio disse...

Sara disse...
sara um erro não justifica o outro, devemos cuidar das crianças que ja nasceram, e cuidar para que elas tenham o "direito de nascer" com dignidade, e não legalizar o genocidio ( e esta e a palavra) em massa de seres humanos em formação, eu ja vi as imagens de um feto abortado, e ninguem vai me convencer que aquilo não era um se humano morto.

lola aronovich disse...

Herói, vc está partindo do pressuposto que HOUVE de fato uma ameaça de um grupo de feministas a Elba. Ela não especificou quais ameaças seriam. Dizer “Vou te perseguir” não é exatamente uma ameaça. Quer dizer, depende, sim, de quem vem a ameaça. Quando um sancto diz pra mimi “Vou te perseguir, vou acabar com sua reputação, sua p*ta” , quem está falando é gente com histórico de violência (eles mesmos se dizem responsáveis pelo massacre de Realengo e pelas ameaças de atentados terroristas a UnB). Mas se qualquer outra pessoa dissesse pra mim “Vou te perseguir”, bom, eu nem piscava. Ok, acho que eu nem pisco com as ameaças dos sanctos, mas é que elas não param no “vou te perseguir”. Tem muita ameaça de morte e de estupro envolvida. Realmente tenho minhas dúvidas se Elba recebeu ameaças de morte e de estupro. Que ameaçar alguém não é uma postura feminista (ou não deve ser postura de qualquer pessoa) é algo tão óbvio que, se eu fosse escrever um post sobre isso, daria duas linhas. Ah, e sobre as pessoas que se dizem ameaçadas, a gente vê as ameaças. Se a Myriam Rios só dissesse que foi ameaçada pelos sacntos, a gente poderia até ficar com pé atrás. Mas são os sanctos, que realmente andam ameaçando todo mundo, e eu vi as ameaças. Tudo está documentado. Existem diferenças. Há ameaças e ameaças.


Vato Loco, vc é ridículo. Aproveite que publiquei seu comentário porque, pela sua ira, os próximos serão deletados. Se é que vc já não é fake do Arnold...

Drica Leal disse...

Fabio:
"quem são voces feministas, para acharem que podem decidir quando começa ou não a vida ?"

Tá, nós até podemos não decidir quando começa ou não a vida, mas devemos ter o direto de decidir se queremos essa "vida" DENTRO DE NÓS. Ou vocês não entenderam ainda que a questão maior é exatamente essa: Se acontece no MEU corpo, no MEU corpo eu decido o que pode ser feito ou não? Essa é a grande angústia primordial de homens como você: não ter o controle absoluto sobre a gestação. E por isso inventam moralismos, políticas, leis ou sei lá o que, numa tentativa de controlar uma fatalidade biológica: essa suposta vida só pode ou deveria existir se a mulher quiser, pois como ser humano pleno a mulher deve poder escolher o que quer no seu corpo ou não. Vocês homens são donos absolutos dos seus corpos, ou não são?

Por que interromper uma gravidez é cruel com o feto, ou com o pai, mas obrigar uma mulher a manter uma gravidez não é cruel para com a mulher?

Não, eu não acho que o feto (ou amontoado de células, ou vida em potencial, ou qualquer definição dentre as inúmeras que temos) deva ser mais importante que a mulher que o carrega. O que pode ser nunca é mais importante do que o que já é. Quem pode vir a existir nunca deve ser mais importante do que quem já existe.

lola aronovich disse...

Fabio, vai ver se a gente tá na esquina. Continue dizendo coisas babacas e sem o menor sentido como “sabemos que a maioria das feministas odeiam seus pais”, que vc será deletado. Quem é o “SABEMOS” no caso, hein? Vcs homens? Os mascus? Qualquer anti-feminista? O que vc anda lendo pra dizer algo tão idiota? Meu pai foi a pessoa mais importante, mais amada, dos meus primeiros 26 anos de vida, e aposto como muitas feministas sentem a mesma coisa. É altamente OFENSIVO vc dizer algo assim, ainda mais como se fosse uma verdade científica. Em geral vc já não faz a menor ideia do que está dizendo, mas neste post vc está se superando. É só um amontoado de bobagens. Comentários tão ridículos como "Só pessoas que já nasceram são a favor do aborto indiscriminado" são um insulto a nossa inteligência. Qualquer pessoa que já discutiu 5 minutos sobre aborto já ouviu essa asneira!

LisAnaHD disse...

uma dose de humor pra aliviar a tensão por aqui... marido anda às voltas com um gadget que é um dicionário inglês-espanhol e chegou pra mim dizendo "aqui está algo que os homens não querem ouvir" e fui ler... "tengo dolor de cabeza".

Ludwig Beilschmidt disse...

Fake só porque não sou um mascu troll igual a você?
Eu devo ser mais um dos fakes da Lola como um dos mascus aqui já disseram né?
É muita imbecilidade pra pouco eu.
Você é um troll e ponto.Tu é persona non grata aqui e já foi convidado a se retirar faz é tempo,ta esperando o que pra vazar e voltar pra sua bíblia alitiana?

fabio disse...

Drica Leal disse...Por que interromper uma gravidez é cruel com o feto, ou com o pai, mas obrigar uma mulher a manter uma gravidez não é cruel para com a mulher?
-
porque a vida que cresce dentro da mulher não e ela, e a vida de outrem, que depende dela para existir, ai dependerá dela se com toda sua "superioridade" ela permitirá que esta vida exista ou não, como alguem um dia permitiu que voce existisse drica.
-
talvez o que deixa as feministas loucas, e o fato de por mais ateias que sejam, sabem no inconciente que DEUS se manifesta nelas de forma maravilhosa, na criação da vida, algo que nenhum homem jamais tera a honra.

LisAnaHD disse...

fabio, meu sogro fez das duas filhas feministas e minha sogra endossou... tudo que era permitido aos quatro rapazes tb o era às duas meninas. Meu sogro tinha problema com o pai dele? Não. Qdo meu sogro morreu, ele deixou uma das filhas cuidando do testamento, o que deixou o filho mais velho muito cabrero da vida. Uma filha nunca se casou e pelo visto nunca se casará e a outra, casada há uns 20 anos, nunca quis ser mãe. Vive um casamento feliz.

Ludwig Beilschmidt disse...

Se eu fosse a Lola e ainda bem pra vocês trolls que eu não sou,não iria sobrar pedra sob pedra de trolls aqui nesse blog.

fabio disse...

Ludwig Beilschmidt disse...
-
vou me dirigir a voce fake, pela primeira e ultima vez, ME ERRA, voce pra mim e problema seu, eu quero distancia de gente sem empatia como voce, disfarçado de intelectualeba, eu pulo quase todos os seus comentarios, e voce tem o direito de fazer o mesmo referente aos meus, tenha uma boa vida.

fabio disse...

LisAnaHD disse...24 de junho de 2012 12:42
-
que bom...
mas eu nunca quis individualizar a questão entende, falei num sentido amplo da coisa, afinal "muitas" feministas querem atacar ( justamente o patriarcado) inferiorizando a imagem da paternidade, e não a humanizando.

LisAnaHD disse...

o que deixa as feministas loucas, e o fato de por mais ateias que sejam, sabem no inconSciente que DEUS se manifesta nelas de forma maravilhosa, na criação da vida, algo que nenhum homem jamais tera a honra. --fabio
24 de junho de 2012 12:41

>>>ah fabio se deixar o apelo a deus pode-se conversar inteligentemente... e foi Deus quem me pediu pra te dar esse recado.

Ludwig Beilschmidt disse...

O mascuzinho ficou nervoso,ele vai se dirigir pela última vez a mim ÓÓÓ que grande perda.
Eu que sou sem empatia né?
Sou eu que generalizo as mulheres,chamo elas de interesseiras,digo que todas as feministas tem problemas com os pais,eu o senhor da razão que digo o que as mulheres devem fazer.
Parabéns champz você é muito empático mesmo.

Dri Caldeira disse...

Lola, por mim pode apagar todos os demais comentários e deixar somente os da Alice.

Maria Valéria disse...

Lola,eu acho tudo tão simples, sabia?

Se eu sou a favor de aborto, eu nao vou num blog anti aborto pra tentar convencer que o Blogueiro os seguidores estão equivocados,
Eu freqüento blogs cujas idéias eu compartilho.
Da mesma maneira, nao entendo pessoas que sao tão contra a legalização do aberto, perderem seu tempo num blog que e a favor, em vez de freqüentarem outros blogs com o mesmo posicionamento delas ou ainda, em vez de criarem o seu próprio blog para difundirem suas idéias.
Alias, nao vejo nada errado em difiundir suas idéias, as pessoas tem o direito de pensar diferente das outras, desde que vc use o espaço adequado pra falar delas.
Enfim, nao sei por que tem tanta gente que gosta de dar murro em ponta de faca, de perder tempo freqüentado espaços cujas idéias nao compartilha.
O mundo ta perdido mesmo....
!!! Fui!!!

Dri Caldeira disse...

Maria Valéria, querida, vc tá sendo hipócrita, pq aqui é um blog que combate a gordofobia e vc cansa de vir encher a paciência dizendo que odeia ser gorda, que era infeliz quando era gorda e etc. Vai mesmo, vai com Deus.

cabanadeinverno disse...

"talvez o que deixa as feministas loucas, e o fato de por mais ateias que sejam, sabem no inconciente que DEUS se manifesta nelas de forma maravilhosa, na criação da vida, algo que nenhum homem jamais tera a honra."


Porra, huahuahuahuhuahuhua, não apela.

O legal é que a Elba não tá "ameaçando" ninguém com o discurso pró-vida, dela, não? Digo, se alguém a critica, beleza, é ameaça, se ela critica, aí é só o amor sendo espalhado pelo mundo.

fabio disse...

eu nunca generalizo nada, cada cabeça e um universo, apenas procuro ver as coisas com o distanciamento necessario,sem as paixões ideologicas, de forma completa e não pelas suas exceções, mas as respeitando individualmente.

Drica Leal disse...

"porque a vida que cresce dentro da mulher"

Eis a questão! Sobre o que acontece no MEU corpo decido eu, ou não? Como eu disse, fatalidade biológica. E entre decidir pelo direito dessa vida em potencial existir e eu ter autonomia sobre a minha própria existência, sobre o meu próprio corpo, vão uma série de questões. Mas eu devo ter o direito, como ser humano PLENO e incontestavelmente existente, autônomo e consciente, de decidir sobre o meu corpo e a minha existência.

Dri Caldeira disse...

fabio - moleque, não brinco nem discuto com criança pq quando se faz isso se acaba mijada. E quantos filhos vc já criou pra saber o que fazer? Hipócrita tb, nunca viveu a experiência e vem defecar bobagem que leu na internet. Viva a coisa, pra poder dar uma opinião. E agora vai lá pegar tuas cartas, tua capa e tua espada de plástico pra ir brincar de RPG, menino.

Maria Valéria disse...

Santa, paciência, Dri caldeira, vc nao recebeu educação na sua casa? ???
Vc nao me conhece,e e a segunda vez que me agride com comentário infeliz e mal educado.
Nao to a fim de discutir contigo, nao me dirija a palavra, fica na sua que eu fico na minha, ok!!!!
E se eu fico aqui ou deixo de ir, nao e por sua causa, e sim pela comentários infelizes dos machistas que cansei de ler.
Da licença que tenho mais o que fazer,

Niemi Hyyrynen disse...

E tem gente que vem num blog que é contra a gordofobia insultar de graça pessoas magras, assim como tem idiotas que vem num blog em prol do aborto falar suas ladainhas "pró-vida".

Drica Leal disse...

Cora e Alice:

Parabéns pela paciência e pela argumentação precisa, minhas caras.

lola aronovich disse...

Dri Caldeira, totalmente desncessário e gratuito o seu ataque a Maria Valéria, que é uma comentarista muito importante por aqui, e uma pessoa que eu respeito e admiro.
Pelamor, né? Já tem troll suficiente por aqui. Vamos brigar com eles, não entre nós.

Maria Valéria disse...

Obrigada, Niemy!!! Vc e uma fofa. E por causa de pessoas como vc e a Lola, que nao desisti de freqüentar esse blog,

Alias, achei que tava demorando pra receber uma pedrada aqui.... E nao estamos falando deseje asusnto( peso) nesse post;)))

Beijos e fiquem com deus, :))

fabio disse...

Dri Caldeira disse...
-tem toda razão, eu não criei nenhum filho, poque uma moça que eu amava muito tirou um filho meu sem eu saber, como se eu fosse um utilitario, não alguem com sentimentos.
-
adoro RPG, principalmente MU, muito bom.

Maria Valéria disse...

Obrigada, Lola:))) nao tinha visto seu comentário antes, mas endosso a vc o que escrevi a Niemy.!!!


;))

Vc e um doce, mesmo qdo as vezes discorda de mim:)))
Bj!!

fabio disse...

eu e minha mulher queremos ter um filho, ( sou louco para ser pai) mas ela ainda e novinha quer estudar primeiro, e eu apoio, então estamos nos precavendo, e sou totalmente a favor do anti-concepcional masculino,espero que chegue logo, acho que não deve ficar so com a mulher tal responsabilidade e peso, mas a companho sempre com a medicação.

Niemi Hyyrynen disse...

Fábio

vc é um chato de galocha, mas eu acho que não mereça ser hostilizado por gostar de RPG.

(existe rpgfobismo?)

Maria Valéria

Não se sinta intimidada por certas pessoas! vc contribui muito aqui com seu jeito sincero

"Drica Leal disse...
Cora e Alice:

Parabéns pela paciência e pela argumentação precisa, minhas caras." [2]

LisAnaHD disse...

Dri, a MV não é uma pessoa a criticar as pessoas obesas. Ela, como médica, comentou sobre a experiência dela em estar passada de peso, optou por emagrecer e disse que se sente melhor. Ela abordou o assunto na boa, sem críticas e qdo citou os problemas advindos da obesidade, ela o fez de maneira séria, como médica responsável.

Sinceramente, eu não gosto de estar acima do peso e bem acima acho que passei do IMC 30 pq eu sinto uma grande diferença entre o incômodo de agora e o bem-estar anterior, MAS não estou conseguindo emagrecer pq estou com uma condição que me limita muito a atividade física e ficar sem comer está sendo difícil pra mim, digo comer aquele pouco necessário pra me fazer emagrecer.

E tb, Dri, LoLa aprecia muito a presença da Maria Valéria aqui. Então pega mal vc fazer comentário como esse das 12:55 -- E tb não é nada saudável a gente guardar sentimento negativo pq alguém alguma vez falou algo que feriu nosso ego... o objetivo é mantermos nosso ego sob controle, nós sermos a voz mais forte, a voz equilibrada.

Raphael disse...

Oi Helpdesk de sociologia da Lola, alguém me tira uma dúvida ou dá palpite?

A figura do "travesti gay" parece ser predominante na América Latina. De fato, em outros lugares do mundo, o travesti homossexual é minoria, sendo a maioria bissexual e heterossexual, e os mesmos se veem simplesmente como homens que "se modificaram", muitos inclusive preferindo manter a identidade masculina apesar de publicamente ostentarem aparência feminina.

Porque isso?

Cora disse...

Olá ócio,

Exagerei no golpe baixo? É que achei tão estapafúrdia a comparação!!

Eu concordo com vc: ameaças não devem ser minimizadas e nem ridicularizadas. A denúncia deve ser feita, até pra podermos falar sobre ela, analisá-la, criticá-la, enfim.

Quando a ameaça existe realmente, não devemos ficar contextualizando, entendida aí no sentido de encontrar desculpas ou justificativas para a ameaça. Toda ameaça deve ser criticada e condenada e combatida.

O caso é: houve, de fato, ameaça?

Este ponto sendo esclarecido, podemos fazer o que a garota que vc linkou fez: podemos encaminhar as ameaças ao grupo em questão, questionando-o.

Grupos feministas têm por estratégia de ação ameaçar detratores e adversários?

E esta pergunta não tem o objetivo de blindá-los contra críticas. Qualquer pessoa, por mais justa que seja a causa, pode cometer erros ao defendê-la. O que, aliás, não invalida a causa e nem sua defesa.

LisAnaHD disse...

Raphael, isso se deve à complexidade do ser humano aliada à liberdade de escolha. Porém, como o blog é feminista, sugiro que vc busque a resposta entre os gays ou entre travestis ou entre os homens trans ou entre os homens bi ou entre os homens tri e depois, qdo vc tiver a resposta correta, retorne aqui e nos explique claramente. E o HelpDesk de sociologia agradece.

Elvis disse...

Povo falando de deus isso, deus aquilo. Será que é tão difícil entender o conceito de estado laico?
Se a pessoa não quiser abortar por motivos religiosos (mesmo não querendo/não tendo condições de criar o filho), ótimo, ela tá no direito dela.
Mas forçar quem não quiser ter filho a seguir com a gestação, ou a se submeter a abortos clandestinos e ainda ser tratada como criminosa, aí é demais.

Concordo com a Lola, quando ela disse que vemos como regredimos no caso daquela discussão toda em torno do aborto de anencéfalos. Aliás, cada vez aparece mais discussão sem pé nem cabeça, parece que o povo não sabe mais pensar. Na época que eu estudava, por exemplo, o que ensinava na escola era teoria da evolução e pronto, agora é um tal de discutirem ensino de criacionismo e blablabla, esse tipo de discussão é algo tão absurdo que não consigo descrever.

Outra coisa que não faz o menor sentido são esses caras que quando a mulher quer abortar, eles são pais amorosos perplexos pela crueldade da mulher em querer matar o amado filhinho que está por vir. Mas se a mulher quer ter o filho, ela é uma vadia que deu o golpe da barriga e eles querem o direito de não pagar pensão. Tem coisa mais bipiloar? Aliás, bipolar não, doido varrido mesmo.

O que vejo é uma ascenção de um cristianismo fundamentalista (se bem que esse fundamentalismo é meio relativo, né), querendo que a população do Brasil inteira seja obrigada a agir de acordo com seus dógmas. E por outro lado, muitas pessoas que simplesmente não querem se envolver e, pra não se comprometer, são contra a tudo que não lhes diz respeito. Se não são gays, são contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, se não pretendem fazer aborto, são contra o aborto, se não têm medo de estupro, são contra a marcha das vadias, e assim vai.
Eu, por exemplo, poderia simplesmente não me envolver, dizer que sou contra e pronto que não correria risco das pessoas me olharem como se eu fosse um terrorista pronto pra explodir uma bomba. Eu não sou mulher mesmo, nunca vou precisar fazer um aborto, sou gay, não vou engravidar ninguém. Que diferença faz pra mim? Acho que nenhuma né?
Mas se eu for pensar de forma um pouquinho racional, será que socialmente, não seria interessante que tantas crianças não fossem largadas por aí e tratadas como lixo? Será que pra saúde pública não seria bom não precisar atender tantas mulheres com sequelas de aborto feito em clínica de fundo de quintal? Será que não seria bom que fetos com más formações graves, não tivessem que nascer e sofrer tanto até morrer, e ainda por cima fazer a mãe perder anos e anos da vida vivendo o sofrimento do filho e sem apoio de ninguém (porque nessas horas, some todo mundo).
Será que no final das contas a médio/longo prazo, pensando de uma forma um pouquinho racional pra variar, o benefício da legalização do aborto não vai ser pra sociedade como um todo? Inclusive pra mim, que nunca vou precisar fazer um aborto?
Mas pensar dá muito trabalho, né? Melhor deixar tudo como tá.

Cora disse...

fabio disse:

"eu nunca generalizo nada"


hauhauhauahauahauahuahauahauhauahauahauahauahau

sérios problemas cognitivos!

Vato Loco disse...

Allice, quer dizer que MATAR uma criança é "direito da mulher"? Impressionante a mentalidade de muitas feministas...

LOLA, ira onde, eu por acaso xinguei alguém diretamente? Pelo jeito o que eu escrevi só se confirma, vcs querem é uma "ditadura feminista" mesmo onde quem for contra,s erá "severamente punido(a)" logo vc que vive criticando os "mascus sanctos" que fazem ameaças, mas encobre feministas criminosas que ameaçaram a Elba Ramalho somente por fazer uma crítica a vcs, portanto vc tá se igualando aos que protegem aos tais sanctos que vc tanto critica.

De fato a verdade dói mesmo...

fabio disse...

modo ironico ativado)talves então, devesemos fazer o " favor' de matar essas crianças largadas por ai ne elvis? qual a diferença de "aborta-las com uma ano, com cinco meses,com dois, com cinco anos ne mesmo?( modo ironico destivado)

-
o estado deve ser laico !! mas não maniqueista desumano, e obvio que oborto se combate com educação, e não policia, e quanto aos pais que largam mulheres gravidas e as chamam de vadias, etc. não nos meça a todos pela sua regua, a proporção de pais que assumem seus filhor por acaso e menor dos crapulas sem honra que os largam ? em que realidade ? qual a proporção?para que existe lei ? voce conheceu seu pai ?

Cora disse...

Agradeço o carinho, Drica, Niemi e Maria Valéria.

Sara disse...

Seu comentário foi muito lucido ELVIS, adorei os pontos que vc focou pra falar nesse assunto.
Mas lendo alguns comentários aqui como desse Vaco Loco, fico pensando como tem gente nesse mundo disposto a fazer papel de vilão, vem agredir gratuitamente, e fazer valer suas ideias cheias de preconceitos e injustiças, nao movem uma só palha para fazer o bem para alguem, SANTA HIPOCRISIA...

Sara disse...

Sr Fabio isso que vc disse no seu MODO IRONICO ATIVADO ja acontece milhares de vezes, a vida se encarrega disso, qts crianças ja não morrem lentamente de desnutrição, abandono em situações totalmente precárias, não precisam da sua ironia pra q isso aconteça.

fabio disse...

eu conheci nos tempos de escola, uma menina que tinha ma formação dos membros superiores, não sei o nome
( sou um ignorante) mas ela so tinha os toquinhos dos braços, e se virava com eles, era muito amada pelos pais e apesar da dificuldade, via-se que ela amava viver, era feliz,(mais que muita gente com os dois braços que reclama de tudo feito mariquinha) pois estava viva.

Elvis disse...

Fabio ligou o modo irônico, jurava que tudo que vc falou até agora tinha sido ironia.

E pra mim, tem uma diferença muuuito grande entre abortar um amontoado de células e sair matando crianças por aí. Porque abortar não quer dizer que vai esperar o feto crescer e ficar com todas as feições de um bebezinho fofo pra matá-lo cruelmente. Aliás, legalizar o aborto é exatamente impedir que isso aconteça, porque esse feto abortado que vc andou vendo por aí é de aborto de clínica clandestina. Um aborto legalizado, não seria assim, até porque abortar quando o feto já está completamente desenvolvido é perigoso pra própria mulher.

E meu pai vai muito bem obrigado, não falei em nenhuma parte que todos os homens abandonam as mulhers a própria sorte, vc que se doeu.

fabio disse...

Sara disse...
Sr Fabio isso que vc disse no seu MODO IRONICO ATIVADO ja acontece milhares de vezes, a vida se encarrega disso, qts crianças ja não morrem lentamente de desnutrição, abandono em situações totalmente precárias, não precisam da sua ironia pra q isso aconteça.
-
senhora sara o rabo não deve "abanar o cachorro" se estas crianças, homens e mulheres que sofrem mundo afora não forem assistidas pelo humanismo, e pela empatia alheia, não e abortando-as que se vai resolver a questão !!!
-
sabem porque eu sempre toco no ponto da praça da sé, porque eu faço parte de um programa que a empresa de segurança que eu trabalho junto com a igreja catolica, que distribui sopas aos cidadãos em situação e rua na praça da se, e vejo mulheres crianças, homens( maioria) uma vez eu perguntei a uma mãe com seu filho, (devia ter dois anos aparentemente) na fila, e perguntei:
_porque a senhora não entrega esta crança para adoção ?
ela resopondeu:
voce ja sentiu uma vida crescendo em voce ? porque eu não tenho direito de ter meu filho?
eu não concordei nem discordei, apenas calei minha boca !!

Sil Teixeira disse...

Acho que tocaram em um ponto muito importante sobre a legalização do aborto. Mesmo legalizado, em muitos casos não daria tempo de ser feito o aborto pelas condições que temos hoje no Brasil. Acredito que o problema não seja bem a campanha de prevenção à gravidez, mas sim o sexismo que envolve toda a sociedade, já que parece que no imaginário social a mulher só está completa quanto tem filhos e parceiro, já o homem é completo sozinho, não precisa de nada disso.
Observei casos de meninas adolescentes dizendo que queriam ter um filho para se sentirem completas, isso sem condição nenhuma para criar a criança! Afinal, qual era o objetivo de vida dessa menina? Sem ambição nenhuma profissional e ainda entorpecida com o "romantismo falso" que costuma aparecer na adolescência. Só será mulher se for mãe.

Gostaria de deixar minha opinião sobre a paternidade: realmente espero que um dia a ideia de pai pare de ser de provedor para ser de pai presente. Um pai carinhoso, que sente, que chora, que ama seu filho. Não uma porta que acha que está exercendo fusão de pai dando pensão.
Deve a discussão de que toda feminista não teve pai, no meu caso não tive um pai presente, mas tive uma figura masculina MUITO importante que foi meu avô, então esse argumento imbecil não conta.

Com essa questão sexista esclarecida e o aborto legalizado teríamos uma sociedade bem melhor.

Cora disse...

vato,

ninguém está falando ou defendendo o assassinato de crianças. estamos falando do direito de interromper uma gravidez no em seu terço inicial.

claro que vc nunca entenderá isso, e nem mesmo fará um mínimo esforço pra tanto. pra isso seria necessário colocar-se no lugar do outro, coisa q vc, evidentemente, não é capaz de fazer.

a criança é sujeito de direitos pois NASCEU!! estamos debatendo a possibilidade de interromper o desenvolvimento fetal até um limite (normalmente até a 12ª semana).

pra seu governo, muitas cristãs já recorreram ao procedimento. e isso, porque, muitas vezes, não há a menor possibilidade de cuidar de uma outra pessoa naquela fase da vida.

não entendo porque isso parece tão absurdo!

pessoas nascidas devem ser cuidadas, devem ter seus direitos garantidos, devem ser protegidas. muitos pró-vida só se importam com o feto. nenhuma preocupação com a mulher em questão e muito menos com a criança depois de nascida.

muitas vezes, os mesmos defensores pró-vida são contra creches públicas, contra licença maternidade, contra a ampliação da licença paternidade, contra contratar mulheres gestantes, acham que tudo bem demitir gestantes, dificultam a saída de mães e pais do serviço pra tratarem da saúde de filhos ou participarem de reuniões escolares, enfim, pessoal quer apenas controlar o organismo materno. não há preocupação real com feto coisa nenhuma.

a questão aqui é simplesmente de controle. a icar e outras denominações cristãs jamais abrirão mão do terrorismo psicológico no controle da sexualidade e do comportamento de mulheres. é a submissão feminina o que elas defendem. e td disfarçado de preocupação com o feto.

no outro blog, um cara ferrenho defensor da “vida”, no mesmo post(!!) chamou as crianças e as famílias que recebem o bolsa-família de sub-cidadãos. quer dizer, antes de nascer, defesa apaixonada e radical. depois de nascido, que se phodam!

Raphael disse...

Acho que o aborto deveria ser legalizado, mas não algo exclusivamente feminino. A condição deveria ser: Ambos os pais negarem legalmente a paternidade.

Se o pai abjurar a paternidade, a maternidade se torna exclusiva da mãe, sem o pai ter de pagar pensão.

Se a mãe abjurar maternidade, a pai ganha paternidade exclusiva. Sem a mãe ter direitos ou deveres.

Se ambos abjuram a paternidade, a criança é abortada.

Cora disse...

"qual a diferença de aborta-las com uma ano, com cinco meses,com dois, com cinco anos ne mesmo?"

e a verdadeira face dos pró-vida aparece.


esse pessoal SEMPRE diz isso, demonstrando toda a insensibilidade e incoerência, mas sempre tomando o cuidado de escreverem "ironia" pra disfarçarem o pensamento tacanho.

a diferença, véi, é q a criança nasceu!! e, portanto, é um ser humano completo e com vida independente (fisicamente, ok?) de outro organismo.

é essa a pequena diferença q vcs se recusam a ver.

Cora disse...

fabio disse:

"não nos meça a todos pela sua regua"



hauhauhauhauahauahuahauahauahuahauahauhau

sério problemas cognitivos!

fabio disse...

tem toda rezão senhora cora, eu sou pró vida, mas concordo com a senhora que alguns idiotas são maniqueistas, não tem empatia pelo outro, acham que o estado dar condições de vida para os menos desfavorecidos, ate queles se reestabeleçam e assistencialismo inutil, não veem que as pessoas tem fomo hoje, agora, não daqui seis meses, eu era assim tambem, mas eu vi a realidade de perto, e fui obrigado a engoli-la, e humildemente mudar meus conceitos.
-
so pra fazer o saudavel contraditorio sra cora ( a senhora inteligente que e, sabe que e importante) algumas crianças nascem de sete meses, seis, são chamadas prematuras, então a vida e os direitos do individuo não começam com o corte do cordão umbilical

Sil Teixeira disse...

Cora,

Concordo plenamente com você. Acredito que a legião pró-vida só quer ter controle do corpo da mulher ou puni-la por ter feito sexo (não importa se seguro, se o método falhou tem que pagar por isso também). Muitas mulheres casadas e com estabilidade financeira abortam! Não é desejo de toda mulher ser mãe, eu mesma não tenho a mínima vontade. Depois que a criança nasce, dane-se a assistência, problema único e exclusivo da mãe. Aí é só problema da mãe, né? Antes de nascer é problema do Estado.

Cora disse...

fabio,

a criança nasceu!! 6, 7, 8 ou a termo, NASCEU!! começa sim com o corte do cordão umbilical! a criança prematura não permanece ligada ao corpo materno. ELA NASCEU!! é, a partir deste evento, o nascimento, um organismo fisicamente independente do outro.

eu falei sobre isso num comentário mais acima.

******

e só pra vc saber, me dou muito bem com meu pai. nos amamos e nos respeitamos muitíssimo.

o questionamento aqui, pela enésima vez (n → ∞), é ao patriarcado e ao machismo.

fabio disse...

Sil Teixeira
-
não sil, depois que nasce( e antes tambem), a criança e problema da mãe e do pai, e de toda sociedade em que estão inseridos tambem, ninguem e uma ilha, o que deve prevalecer são as liberdade individuais, o livre pensamento, mas não a libertinagem sem consequencias.

fabio disse...

Cora disse...
fabio,

a criança nasceu!! 6, 7, 8 ou a termo, NASCEU!! começa sim com o corte do cordão umbilical! a criança prematura não permanece ligada ao corpo materno. ELA NASCEU!! é, a partir deste evento, o nascimento, um organismo fisicamente independente do outro.
-
não, não e, a criança no utero existe como individuo, a ciencia comprova isto. !!
-
e felicidades a senhora a ao seu pai, fico feliz por voces !!

Drica Leal disse...

Ah, tá, Rafael:


"Se a mãe abjurar maternidade, a pai ganha paternidade exclusiva. Sem a mãe ter direitos ou deveres."

Então nesse caso a mulher seria OBRIGADA a levar a gravidez adiante e parir só porque o pai da criança quer? E o direito sobre o próprio corpo que se dane, né, mulher nesse caso é só receptáculo. Tá.

Luca disse...

Acho muita hipocrisia dessas pessoas fazerem tudo o que querem, e depois virem querer dar uma de moralistas e sairem julgando e condenando todo mundo!

Sil Teixeira disse...

Fabio,

Gostaria de saber o que significa libertinagem pra você. Se a camisinha estourar, é libertinagem? Nunca vi o termo libertinagem ser usados para homens que fazem muito sexo, agora para mulheres e homossexuais, nossa!

daniel disse...

'libertinagem' pra mim significa minha vida.
ainda bem.

lola aronovich disse...

Uma leitora me enviou este email, que publico aqui como anônimo:

"resolvi te mandar esse email, porque não consegui enviar como anônima o que escrevi. MAs senti vontade de compartilhar.
Eu passei por um aborto recentemente. Digo recentemente, mas já vai fazer um ano, em agosto.
Sempre disse que era a favor do aborto em qualquer situação. Hoje entendo quem diz, não sou a favor do aborto, mas da liberdade de escolha das mulheres. É assustador que as justificativas para o controle do corpo feminino sejam tantas vezes "amorosas". É tudo horrível. Ainda não superei essa história, e a verdade é um luto que vai me acompanhar pela vida. Porque eu me apaixonei pelo bebê. Mesmo sendo uma gravidez de muito pouco tempo. Pra mim, a vida existe a partir do desejo. Como dizia uma professora psicanalista, a diferença entre o bebê e a placenta é que a mãe deseja o bebê. Eu desejei meu filho. Eu estava num relacionamento muito ruim, que me destruia. Em um determinado momento, vomitava pelo menos 3 vezes por semana, de stress. E quando fiquei um pouco mais forte, decidi terminar. E já estava grávida (acho que foi a gravidez que me fortaleceu). Eu ainda não me sustento, e o "dono do pau" disse não quero. ponto. Eu "optei" dentro de uma possibilidade limitada. Eu já tenho uma filha, que é sensacional.(de outro pai). Além de amar o filho, por mim, eu ainda amava porque pensava que ele só seria amado por mim, e foi um movimento muito difícil, um turbilhão, de amar, querer proteger e depois ele não existir mais. Fiz o aborto numa clínica horrível. sem anestesia. Ainda vou ao psiquiatra, tive depressão, etc. Fico triste, ainda, por não ter conseguido construir até hoje uma vida em que coubesse esse filho. Não posso me arrepender, porque, apesar de tudo, fora dessa relação ruim que o gerou, hoje sou mais forte, mais confiante e começo a construir uma vida melhor. E durante essa relação, minha relação com minha filha também ficou ruim. Hoje estamos super companheiras - como éramos antes.
Enfim,
Aborto nunca é uma situação simples. E ser a favor ou contra não é uma decisão leviana, não pode se pautar por argumentos levianos. Eu apoio qualquer pessoa que precise se submeter a um aborto. MAs minha alegria é muito grande quando tenho notícias de nascimentos de bebês e mulheres felizes por estarem grávidas. Sei que a existência do meu filho transformou minha vida. E eu amei e me senti amada. E, nesse ponto, sou mais feliz do que se só tivesse sobrado dor. MAs é mesmo muito difícil.
Aí, li em algum desses posts, ou na tal matéria da Veja, que em alguns países onde o aborto é legalizado, a mulher tem apoio psicológico no processo. E isso faz mesmo muita diferença! Além de todas as questões psicológicas, esse acreditar que tem que dar conta de qualquer jeito, sozinha, porque não é algo que se diz, porque você vai ser considerada uma louca irresponsável por ter engravidado numa situação econômica tão instável, ou assassina porque tomou essa decisão... É uma solidão muito grande.
Sou solidária, na verdade, às mulheres, porque a condição feminina é dura.
Me assusta muito quando mulheres vivem situações em que a dureza da condição feminina se mostra tão cruamente, se voltarem contra as mulheres. Movimentos psi, quem pode entender, mas hoje sinto um respeito maior pela vida de todas as mulheres, e um desejo de lutar para que essa atual condição machista se transforme.
Começo pela minha filha que aos 11 anos tem posturas maravilhosas em relação ao feminino, à liberdade...
E detesto homens que têm problemas em usar camisinha. São uns tiranos mimados."

Cora disse...

organismo capaz de vida independente do organismo materno, fabio.

se o desenvolvimento não se completou até o estágio em que possa se manter vivo sem a ligação física com a mãe, ainda não temos um indivíduo independente (fisicamente falando), percebe?

é claro q, do ponto de vista genético, existe um outro "indivíduo". mas pensando em termos de desenvolvimento e vida idependente, não, não temos até cerca de 6 ou 7 meses de gestação, quado o feto torna-se viável, ou seja, capaz de sobreviver fora do útero.

o momento do nascimento é que marca o surgimento da pessoa para o mundo. vir à luz ou dar à luz. bonita essa ideia, não? até então somos (e fomos) mera possibilidade.

Maria Valéria disse...

Lisanahh

Obrigada pelo carinho.
.!!!!

Como sempre digo, já tenho idade ( quase 38) pra me defender sozinha, mas e sempre bom ver que pessoas esclarecidas apóiam meus comentários aqui,e que nao me Julgam apenas por uma foto que foram conferir no meu blog, sem ter lido o blog todo.;))
Alias meu blog ate meados desse ano tinha um desabafo sobre esse processo pelo qual passei, mas acabei apagando, porque ia me expor sem necessidade e falava de relações afetivas que tive....
Desnecessário me expor assim, inclusive aqui nesse espaço.bj no coração;))

Luca disse...

Nunca abortei, mas conheço muito bem a realidade de muitas mulheres.Concordo que cada uma tem o direito de fazer o que quer com o seu corpo.Se ela não está preparada para a maternidade, concordo plenamente que venha a abortar, caso queira. Essa lei contra o aborto só prejudica e oprime as mulheres pobres.Quem tem dinheiro aborta quando quer e com poucos riscos, como a Lola nos mostrou muito bem. A verdade é que as mulheres pobres tem menos direitos sobre o seu corpo do que as mulheres das classes média e alta. Nem o tipo de parto não podem escolher. Quando li os posts sobre o parto natural fiquei pensando no quanto essa discussão é distante da realidade das mulheres das classes D e E.Em hospitais, maternidades públicas, não existe opção de parto. É parto normal e ponto final.Já perdi a conta de inúmeras mulheres que vi sofrendo horrores em filas de maternidades porque gritavam de dor, sofriam, implorando por uma cesária, e os médicos, grossos e estúpidos , se recusavam a fazer, ordenando que elas continuassem a sofrer até estarem suficientemente prontas para o parto normal. Acho um absurdo a misoginia, principalmente pelo fato de ela pesar mais sobre mulheres pobres que morrem tentando fazer abortos com cabides, que perdem o seu filho , ou tem o seu bebê no meio da rua (como aconteceu recentemente aqui em Goiânia) por ter um parto negado. Absurdo.

LisAnaHD disse...

OFF TOPIC - Lola, talvez te interesse visitar o blog
C. de Cinema
O Prazer dos Olhos
O slogan do blog é inspirado no título de um livro do diretor francês François Truffaut (1932-1984), O Prazer dos Olhos.
http://pontocedecinema.blog.br/blog

=======
Maria Valéria, vc é sempre muito legal. A DriCaldeira é impulsiva. Muito. É boa pessoa, mesmo que duvidem dada a agressividade dela em muitos comentários. Essa impulsividade não lhe permite tratar de forma equilibrada assuntos polêmicos, qdo envolvem emoções. Qdo a Dri se desligar dos grilos do passado e entender que enqto insistir em ligar o presente ao passado negativo seguirá pela vida metendo os pés pelas mãos, então ela se livrará dessa necessidade de rebater duramente tudo que a incomoda. Na verdade, ela tem sim o entendimento intelectual pq ela é inteligente e preparada, mas sabemos que qdo se trata de lidar com o EGO o intelectual e o emocional travam uma luta de foice! E leva tempo para o EGO ser domado e dominado e a impulsidade derrotada. Agora vou lá no seu blog. Axé! ;>)

Comentador Observador disse...

O direito sobre o seu corpo, para mulher, vai até o momento em que ela e um homem fazem sexo sem camisinha, de forma consentida, e desse evento gera-se um feto. A partir do momento que ela descobre que está grávida, o feto, além de ser uma vida em potencial, também pertence ao homem.

Fez sexo sem camisinha pq? não tomou pílula pq se estourou a camisnha?

Ana disse...

Vai me desculpar, mas vir falar de aborto usando 'libertinagem' como ponto de partida é muita ignorância.

Existem casos e casos.

Tem quem seja idiota o suficiente pra fazer sexo sem proteção apostando num milagre? Tem. O exemplo clássico são os famosos caras que põem a maior briga pra usar camisinha (não, não são todos! muitos homens são extremamente responsáveis! mas o lendário tipo resistente à camisinha é bem famoso).

Mas tem também quem seja só desamparado, sem informação. É só pensar que algumas mulheres dão a pílula anticoncepcional pro marido tomar também (acreditem gente, acontece de fato. Pessoas mais pobres, sem informação, às vezes acabam usando métodos anticoncepcionais de um jeito todo errado).

Tem ainda quem se proteja e tenha informação, mas acabe encontrando um acidente. Uma camisinha que fura, por exemplo. É raro, mas acontece.

E devem ter outras várias situações possíveis... Uma conhecida minha engravidou sem querer, porque ficou doente. Explico: ela não sabia que tomar amoxilina (infecção de garganta, se não me engano) afeta o efeito do anticoncepcional. Aí fez sexo com o namorado, que era um desses gênios que não quer ter filho de jeito nenhum, mas transa sem camisinha, apostando só na pílula. E assim, nenhum dos dois queria, mas o filho está aí.

Só por contar, ela não abortou. Mas o pai, adivinhem, queria por toda lei que ela abortasse (numa clínica clandestina, claro, já que né, aborto é crime). O gênio tava sem camisinha, mas não quer pagar pensão. Se o filho quiser ter algum direito, vai ter que ir pro tribunal. O pior de tudo é, o guri pode até ganhar uma grana no fim do mes, mas é fato que não vai ter um pai presente. Coisa que eu sei bem como é, e não é nada fácil.
Antes que alguém venha atirar pedras, é, também acho que ela não devia ter aceito fazer sexo sem camisinha em hipótese alguma. Ela também tem responsabilidade. Mas ela pelo menos se protegeu de algum jeito né. E assumiu o filho. Neguinho não fazer nada pra evitar e depois querer forçar a namorada a se arriscar num açougueiro é dose né.

Enfim, meu ponto é que não dá pra achar que a discussão sobre aborto se reduz a ter direito de viver na 'libertinagem', seja lá o que isso for. Tem mil e uma possibilidades de uma mulher engravidar sem querer, por n falhas. Tem mil e um cenários nos quais uma criança não vai ter a assistência que precisa. Não tenho respostas pra todos os casos e não vou julgar quando é justificável abortar e quando não é. Mas sei que reduzir tudo a uma razão só é um engano.

Uma coisa é achar que legalizar o aborto não vai resolver o problema por razões a, b e c. Outra coisa é bater o pé por algum moralismo idiota.

Ana disse...

"É claro que se Elba foi ameaçada, ela precisa de proteção e quem ameaçou deve ser punido. Uma coisa é lutar por algo, outra coisa é ameaçar quem discorda de você, como fazem alguns mascus malucos. EM MOMENTO ALGUM o feminismo apóia violência de qualquer tipo."

Só copiando meu comentário de cima, pq tem uma galera dizendo que as feministas defendem o ataque à Elba. E não é bem assim.

Só gostaria de lembrar, não sabemos o que realmente aconteceu. Se ela de fato foi ameaçada ou apenas criticada, não vi evidências ainda. Todo o apoio à ela se ela se sente ameaçada, mas me pergunto se não ela não está cometendo um exagero.

Crítica é diferente de ameaça. Não sei qual dos casos é, mas repito: se ela foi ameaçada, punição a quem o fez, seja quem for!

Sara disse...

Me assusta muito quando mulheres vivem situações em que a dureza da condição feminina se mostra tão cruamente, se voltarem contra as mulheres [2]

É até suportavel ver homens mimados vomitando seu machismo, pq estamos acostumadas a ver isso desde q nascemos, mas doi muito mais quando parte de uma outra mulher como no caso a Elba Ramalho, e tantas outras infelizmente, reproduzirem o machismo em seus discursos.

LisAnaHD disse...

Há vários anos, um cara do grupo pró-vida assassinou a tiros fria e covardemente um médico no Estado da Carolina do Norte. Esse estado tem o aborto legalizado. O maluco matou o médico e fugiu para as montanhas. Ficou lá acossado. Teve seu nome na lista dos mais procurados, mesma lista em que Osama bin Laden teve seu nome. Depois de muito tempo, meses e meses, talvez mais de ano/s, o cara foi encontrado morto no mato, morreu de fome e frio. E esse não foi o único caso de cara maluco matando médico (e tb enfermeira) que pratica aborto em estado onde o aborto é legalizado. Me referido aos EUA. Oras, se o aborto é legalizado no estado, por que essa gente pró-vida não se muda de estado e vive lá entre os de mesma ideia já que não sabem respeitar a ideia alheia? Ou por que não fazem sua luta de forma pacífica? Afinal, estão pregando pró-vida ou estão impedindo o direito de escolha?

Comentador Observador disse...

Ana,

O fato de um homem não gostar de camisinha e a mulher aceitar, fazer sexo assim mesmo, torna ambos responsáveis, de igual forma. A mulher tem todo o direito de dizer não.

E a maior parte dos abortos hoje não são gerados por situações excepcionais como vc trouxe, mas sim em situações normais, em que ambos decidem de forma consentida fazer sexo sem camisinha.

O que acontece hj na sociedade é que essa discussão não é bem feita. As posições são binárias: sou a favor do aborto, acho q a mulher tem direito de dispor sobre o seu corpo; sou contra, etc.

Pra mim, o aborto deveria ser descriminalizado, não tem sentido isso, td mundo faz, e ta cheio de mulher morrendo ou perdendo o útero em clínicas sem estrutura alguma. Entretanto, deve haver pesadas sanções a essas mulheres (e parceiros), pagamento de multa, pagamento do procedimento, obrigação de frequentar cursos sobre educação sexual, prestação de serviços à comunidade.

Não faz sentido algum criminalizar, mas liberar e não impor nada seria uma insanidade, ainda mais por causa de DSTs.

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 339   Recentes› Mais recentes»