quinta-feira, 26 de abril de 2012

“ME ACHO FEIA E MAGRICELA. ME AJUDA!”

Recebi o email abaixo, e quero aproveitá-lo para minha seção de perguntas e respostas. 

Meu nome é Laura e vim te parabenizar pelo seu blog, que é simplesmente maravilhoso! Lindo! Agora vem a parte difícil: eu queria muito a sua ajuda para um probleminha... Tenho treze anos e me acho feia e magricela, sabe? Nunca contei a ninguém porque tenho certeza que vão falar “Nossa, você é magrinha, meiguinha e ainda reclama. Tem um monte de gordinha que dava tudo para ser como você!”. Mas isso não ia me fazer sentir mais especial, sabe? Vimemos em um mundo em que a busca pela perfeição é uma rotina e já estou cansando disso. Me sinto feia e fora dos padrão... Não tenho olhos azuis ou verdes, não são tão alta digna de uma modelo e apenas estou perdida... Por favor, responda.

Minha resposta: Laura querida, queria muito poder te ajudar. Queria mesmo que uma resposta minha te resguardasse de todo o condicionamento da sociedade sobre o que é ser linda. Mas isso não é possível. Acho que já narrei uma conversa que tive com uma amiga, também feminista, doutora, e crítica da mídia: ela estava perguntando como que a gente, que está a par de toda a manipulação, que estudou e continua estudando tanto, não está a salvo de se deixar abater por um padrão de beleza que insistem em nos impor? É muito, muito difícil se autoaceitar. Somos ensinadas a odiar nossos corpos. Recebemos dezenas de lições todos os dias, vindas de todos os lados, de como nossos corpos são inadequados e vergonhosos, e de como problemas que a gente nem sabia que tinha precisam ser resolvidos com a máxima urgência (por exemplo: clareamento anal).
Não vou entrar na questão de que você provavelmente é linda, ou que você, por ser magra, já tem a vantagem de estar mais próxima do padrão de beleza vigente. Você já percebeu faz tempo que “a busca pela perfeição é uma rotina”, e, com treze anos, já está cansada. Parabéns por se cansar. Tem gente que passa a vida toda buscando essa perfeição que jamais virá -- e não se cansa, não se revolta. 
A pergunta talvez seja por que nos cobram essa busca eterna pela perfeição. Bom, a pergunta está muito inocente, muito sem sujeitos. Quem nos cobra? A mídia, nossos pais, nossos amigos, quem nos educa, todo mundo. E quem é cobrada? Certamente mulheres são cobradas pela beleza física muito mais do que homens. E quando digo “são cobradas” não excluo, de jeito nenhum, que nós mulheres fazemos enormes cobranças a nós mesmas. Aprendemos a ser implacáveis umas com as outras. Aprendemos que temos que estar sempre competindo, que o prêmio é a aceitação dos homens, e que nossas armas são a aparência física. Parece que é só isso que importa, né? Só nossa aparência, como se não tivéssemos ideias e conquistas que não dependem em nada da aparência.
Acho que há duas vertentes principais que respondem por que somos cobradas pela perfeição física. A mais óbvia é: pra consumir. Se a gente estivesse satisfeita com nossos cabelos, não gastaria um monte de dinheiro com cremes especiais, hidratação, pintura, cortes mil, chapinha, fivelinha, e sei lá o que mais se usa no cabelo. Fazer mulheres se sentirem feias dá muito dinheiro.
A outra vertente -– que não necessariamente contraria a primeira –- é que fazer com que as mulheres se preocupem unicamente com sua aparência nos distrai de pensar em coisas mais importantes, como, sei lá, mudar o mundo e ser igual a um outro gênero aí. Trata-se de uma forma de opressão extremamente eficiente. Pense em quantas meninas sabem que serão julgadas por sua aparência e, por esse motivo, evitam falar em público. Tem mulher que não vai à praia por ter vergonha do seu corpo. Se a gente pensar bem, verá que a exigência pela perfeição começou a vir com tudo num momento em que as mulheres estavam cada vez mais fortes. Foi no final dos anos 60 que o padrão de beleza ficou mais magro (e, portanto, mais impossível de se atingir). Um dado que eu considero interessantíssimo é que a celulite foi inventada nos anos 70. Não que ela não existisse antes, óbvio, é só que não era algo visto como preocupante. Não era um problema, e, portanto, não havia nome pra esse “mal” que acomete tantas mulheres. E quem é mais fácil de dominar? Alguém autoconfiante, que se gosta, ou alguém que se odeia? Imagine como deve ser acordar todo dia, se olhar no espelho, e gostar do que vê, em vez de ficar procurando mil e um defeitos? Imagine o poder que essa atitude nos dá.
Uma pergunta que você deve fazer a si mesma é: por que você quer ser linda? Por que estar fora do padrão (não ser tão alta ou ter olhos claros) te aflige? A propaganda vendida pra gente é que pessoas lindas não têm problemas, que a vida delas é perfeita. Mas ninguém acredita nisso de verdade. A contrapartida é que mulheres feias (e temos nomes pra elas que não temos pra homens: baranga, mocreia, dragão, etc) não seduzem ninguém e morrem sós. A gente também sabe que isso é mentira. Afinal, a enorme maioria das mulheres no Brasil está fora do padrão de uma Gisele ou Ana Hickman, e mesmo assim continuamos transando, namorando, casando, enfim, tendo relacionamentos afetivos e sexuais.
Logo, você não ser tão alta ou não ter olhos claros só deve te preocupar se você quiser seguir carreira de modelo ou miss. E, claro, nem toda modelo ou miss tem olhos claros, mas digamos que grande parte siga um padrão de cor, altura, magreza, pernas quilométricas, cabelo liso e tal. Aí a gente lê as entrevistas delas e quase todas dizem que, quando tinham 12, 13 anos, eram consideradas feias na escola... Você quer mesmo fazer parte de um padrão de beleza em que até as modelos ou estão fora da realidade (todas são photoshapadas à exaustão) ou são vistas como feias? Pra quê?

P.S.: Recomendo muito que você veja o documentário Miss Representation. Ele fala de como a mídia insiste que o único poder que as mulheres têm é a beleza, e como esse “poder” nos restringe de lutar por formas mais construtivas de poder, como representação política e posições de destaque na nossa vida profissional.

144 comentários:

Lord Anderson disse...

otimo pos :)

espero que o pessoal entenda que não é uma competição para ver quem sofre mais, e sim um desabafo e concientização.

Vitória disse...

Laura, querida, relaxe. Ouça de quem, aos treze anos, sentia as mesmas coisas que você. Hoje, sete anos depois, continuo tão magricela quanto antes. Mas com a diferença de que aceito isso numa boa, coloco um biquini e vou pra praia ser feliz. Os treze anos são terríveis mesmo. Lembro das transformações no cabelo, na pele, no corpo. O pior, lembro de me deixar afetar profundamente por tudo isso, a ponto de não querer sair de casa certos dias simplesmente por não estar me sentindo bonita. Mas, minha querida, pode parecer conselho de tia, uma hora tudo isso passa, as coisas melhoram, e você descobre qualidades que nem sabia que tinha, porque estava gastanto tempo demais preocupada em estar fora de um padrão imposto e inatingível. Então, trabalhe sua auto-estima (nem preciso dizer que o blog da Lola foi essencial no meu processo de auto aceitação), e ande por aí assim, magricela e feliz.

Anônimo disse...

Lola, magra nunca foi padrão no Brasil. O padrão aqui é curvilínea... sem barriga, peitão, bundão e coxão

Também não sou mulherão apesar de já ter 24 anos. Sou baixinha e magra, então pareço ter no máximo 18 anos. Mas eu gosto de ser diferente. Você precisa é mudar seus referenciais.

Tipo, essa mina aqui...
http://iska-ithil.tumblr.com/

Ela é freak, mas é linda, tem o seu próprio estilo de se vestir e se maquiar. Nego pode falar "ah mas ela é loira branca de olhos claros e magra", mas acho que nesse caso não se aplica. Ah, ela tem 1,50 de altura e é magérrima porque tem doença de Crohn.

Anônimo disse...

Ser uma adulta magra até que é fácil. Com tanto problema, isso é só mais uma coisa e muitas vezes bem vantajosa, admito. Mas na infância, adolescência, juventude, inicio da vida profissional, amorosa... ou seja 90% da minha vida foi duro demais. Ser magérrima não é padrão de beleza no mundo real, por isso que modelos vivem dizendo que eram consideradas feias antes da fama. Ideal de beleza aos 13, 15, 20, 30... é ser gostosa, ou seja, ser tão magra pra caber em uma calça 38, mas ter peito, bunda, pernão. Mas pra quem usou calça tamanho infantil 14 ou 16 até os 20 anos, esse padrão é desumano demais também. Ainda bem que na minha época não existia esse negócio de falar em anorexia, senão teria mais um apelido maldoso com certeza.

Anônimo disse...

Gente...por isso que feminista cria má fama. Num site "inocente" de enviar recados, a parte de scraps feministas, olha só as mensagens sexistas "mulher detesta e abusa de homem"

http://www.maniadescraps.com/gifs-animados/feminista.html

Rê_Ayla disse...

"como que a gente, que está a par de toda a manipulação, que estudou e continua estudando tanto, não está a salvo de se deixar abater por um padrão de beleza que insistem em nos impor?"

essa parte do post falou diretamente a mim. Antes de me "bandear" para a política internacional, estudei publicidade, trabalhei com publicidade... Conheço a parte teórica e prática da indústria cultural e, mesmo assim, não estou livre de cair na cilada... Quanto à aparência, talvez pelo fato de me encaixar sem esforço no estereótipo da loira-olhosclaros-alta-gostosa, não caio e nem nunca caí na cilada... Mas diversas vezes me vejo ainda caindo na cilada do consumismo, de "ter que ter" algo...

A publicidade tá aí pra isso: nos vender produtos - esses produtos podem ser materiais ou idéias... E essa idéia de perfeição feminina, que começa pela aparência, não passa de uma forma perversa de controle sobre nós mulheres. Me entristece quando vejo amigas lindas se achando horrorosas, fazendo dietas, se achando gordas, tendo vergonha de entrar na piscina porque precisariam mostrar o corpo...

Pode soar falso por vir de alguém que, de certa forma está dentro dos padrões estéticos, mas meu sonho é que um dia as mulheres não sejam mais julgadas pela aparência. Ou melhor: que não se julguem, elas mesmas, pela aparência! Que se exercitem pelo prazer, não para estarem bonitas. Que comam sem culpa uma pizza, que parem de começar a colocar botox aos 30, que parem de correr riscos desnecessários em cirurgias plásticas desnecessárias, etc etc...

Pili disse...

recado pra autora:

tudo isso passa. Mas o importante mesmo é voce se cuidar.
Eu com treze anos era magricela, com a voz de uma taquara rachada, os dentes separados e o cabelo parecia uma vassoura.
e eu era linda! E ainda sou!
Só que a escola me achava esquisitona, mas eu era linda mesmo. hahahha. Nada me impediu de namorar ir a praia, dançar, etc.
Só que a magreza pode te dar uma certa... segurança desmotivada em relaçao a saúde.
Pq uma das mensagens bombardeadas pra gente diariamente é que é saúdavel ser magro.
Mas isso é só mais um preconceito vazio.
Eu por exemplo tive colesterol alto aos dezoito anos.
Conheci amigas (também magricelas como a gente) que começaram a ter problemas sérios com a menstruação justamente por pelo baixissimo peso.
Sem falar que é no incio da adolesceencia que muitos problemas de coluna aparecem.
enfim...
nao quero tocar o pavor,
mas é sempre bom se conhecer, se observar e se tratar com bastante carinho.
beijocas e força na peruca!

Anônimo disse...

Eu também sempre fui magrela, MUITO magrela. Até os meus 20 anos ser chamada de "magrinha" nunca me incomodou. O engraçado é que eu não me achava muito feia aos 13, na verdade eu só odiava minhas pernas finas. Mas meus amigos nunca falaram nada, então nunca foi um problemão. Mas meus 15, 16, 17 anos, embora nunca tenha deixado de sair de casa, ou namorar, ou fazer nada (só usar short, não usava mesmo!), eu ouvi alguns comentários muito, muito bizarros. Um garoto perguntou se eu tinha AIDS. Sério. O outro comentou com o amigo que eu tinha vindo da Etiópia. Na hora eu fiquei um pouco chateada, porque, né. Quem curte ouvir isso? Mas o mais engraçado é que os dois melhores amigos dessse segundo garoto estavam a fim de mim. Então eu pensei : que se f***, eu não tenho problemas com isso e há quem goste. Na época era importante saber que tinha gente que gostava.

E olha, mesmo não dando mais importância a isso, sempre há. As pessoas mais legais e interessantes que você possa conhecer vão te achar legal pelo que você demonstra, pelo que você sabe, pelo que você conhece, nnão pela sua magreza. Os que te zoarem, SÉRIO: não dê importância a eles. Porque não vale a pena. Parece utópico quando você ouve isso aos 13 anos, mas você depois percebe que é verdade.

Quanto a você mesma, de verdade: não adiante pedir ajuda a Lola ou ao papa, ou ao Pai Joaquim da Conchinchina. Eles todos vão te dizer a mesma coisa no final: a mudança só depende de você. E eles vão te dizer isso porque é verdade. Eu sei o que é colocar um short e sair de casa pensando que as pessoas vão reparar na sua perna fina e te zoarem. Mas sabe qual é a verdade? Elas não estão nem aí. Acho que este é o único ponto positivo de as pessoas pensarem mais em si mesmas. Elas não estão nem aí se a sua perna é fina, elas queremm mais é saber se a bermuda delas é maneira, se o boné ficou bom, se o vestido caiu bem. Elas podem reparar, óbvio, e não comentarem nada. Assim como você repara na espinha daquele seu colega, ou na careca do inspetor da escola. Possibilidades não podem te afetar. E, por último, elas podem realmente virar pra você e te apontarem justamente o que você menos gosta em você mesma. Mas, na boa, tenha pena desta pessoa e faça com que ela perceba que está sendo mal educada. Ela sofre com uma auto-estima pior do que a sua, pois se compraz em te diminuir para poder se superiorizar. Isso é sério, não é teoria de tia velha. Ou você nunca falou mal do sapato de alguém querendo um igual? (A pessoa pode não querer ter nada igual ao seu, mas está certamente insatisfeita com algo que tem). Quando fiz 20 anos, depois de anos sem usar shorts, saias ou vestidos, saí de mini saia na rua. E sabe oque aconteceu? Nada. Ninguém nem reparou. Pra mim foi uma conquista, eu me libertei. E nunca mais liguei pra nada disso.

Voltando à minha história lá de cima... hoje eu tenho 24 anos e sou magra; não tanto quanto era, mas ainda sou. Estou bem com isso, engordei o que queria, mas com o tempo. Aos 13 anos é bem difícil saber se voce vai continuar magrinha pra sempre. É altamente provavel que não. Sendo algo mutável, você não pode definir isso como sendo algo fundamental na sua vida a ponto de te impedir alguma coisa ou de fazer com que vc se sinta feia.
Mas como eu disse, só você pode mudar. Beleza, pra mim, é um estado de espírito. E muitas pessoas são felizes com as belezas delas :)

p.s.: esse negocio de gordinha querer ser igual a você também se relaciona com o estado de espirito. aqui algumas gordinhas que estão muito bem, obrigada. e tenha certeza de que elas ouvem ou já ouviram algo ruim sobre elas.

www.fuckyeahchubbygirls.tumblr.com

Anônimo disse...

Deixa de bobagem e vai viver tua vida!

Anônimo disse...

Sabe o que e engraçado? Essa cobrança pela " beleza" padrão vem na maioria das vezes das próprias mulheres...

Anônimo disse...

Lola, mais uma pra coleção:

http://mundodomarketing.com.br/ultimas-noticias/23600/niely-alisa-as-curvas-do-calcadao-de-copacabana.html

Iara disse...

Treze anos é uma fase muito complexa, de muitas mudanças,não apenas fisicas,mas emocionais, sociais.Sendo assim quem pode dizer que foi feliz aos treze anos?É dificil mesmo passar por essa idade,mesmo que a menina fosse fisicamente o que ela acha adequado, mesmo assim não ia se sentir linda, porque são mudanças demais .Mas tem uma noticia boa, os treze anos passam! Os quatorze começam a estabilizar,melhora muita coisa ,mas aos treze não tem ainda o conjunto completo de nada, por isso uma avaliação de ser ou não bonita é precoce demais.A beleza só o tempo traz e aos treze anos ainda não se tem o desenho completo.Eu não passei por esse massacre da midia com treze anos, não tinha nem internet,mas era massacrada mesmo assim por ser gordinha .O único arrependimento que carrego desses dias foram os momentos que me deixei levar pelos meus complexos e não me diverti.Não ia na piscina, porque estava gorda, não usava saia, não fazia milhões de coisas.Me da tristeza pensar as coisas que perdi por complexos bestas .Só sinto falta disso aos meus treze anos,o que deixei de viver porque me diziam que eu não tinha o peso adequado.Queria voltar no tempo, mandar todos a merda e cair na piscina.

Hamanndah disse...

Sei que é difícil ter auto estima quando estamos fora dos padrões de beleza. Nunca fui feia, horrorosa, mas tambem estou distante dos padrões.

Quando eu era criança, a partir dos 9, 10 anos, quando fiquei dentuça, depois do nascimento definitivo dos dentes, sofri bullyyng , me chamavam bastante de feia e, com o tempo, isso foi se cristalizando em mim, inclusive psicologicamente, eu não me acha, realmente, bonita, nao gosto muito de me arrumar, pois o julgamento da beleza de mulheres é muito exigente.

Você vê os mascus esculhambando mulheres que não são modelos de beleza perfeitos.

Eles dizem que os homnes não exigem isso, mas provam o contrario o tempo todo, esculhambando mulheres que estao foram do padrão

No meu caso, uma pessoa de poder na minha familia disse que eu era feia, com meus 10 anos e eu não era feia, tenho retrato meu daquele tempo para provar, mas ele tinha muito poder, ele não passava de uma pessoa rejeitadora que, antes de morrer, ficou mais proximo de mim,mas ja era tarde, pois eu estava tao magoada, que peguei pesado , muito, com ele,,muita magoa, eu era adolescente bem malcriada, não o perdoei na época, não sou perfeita

Mas, a ferida do meu ego ainda não foi fechada e ela é reaberta constantemente, quando me olho no espelho, quando sou rejeitada por uma pessoa que paquere

Engraçado, Lola, desculpe, mas você tambem esta fora dos padrões de beleza, mas você é amada assim mesmo...talvez seja porque nenhuma figura masculina de poder tenha lhe humilhado quando pequena, entaõ, graças a Deus, voce conseguiu crescer com auto estima e a auto estima é a chave de ser respeitada/amada/admirada

bjs
Hamanndah

LisAnaHD disse...

"Tenho treze anos e me acho feia e magricela, sabe? Nunca contei a ninguém porque tenho certeza que vão falar “Nossa, você é magrinha, meiguinha e ainda reclama. Tem um monte de gordinha que dava tudo para ser como você!”. Me sinto feia e fora dos padrão... Não tenho olhos azuis ou verdes, não são tão alta digna de uma modelo e apenas estou perdida... Por favor, responda." --Laura, do Guest Post
============
Laura (nome de música de de filme), depois de guardar o segredo pessoal por tanto tempo, de supetão conta pro Brasil todo e até mesmo além mares... E desde qdo olhos azuis ou verdes representam padrão no Brasil?!!! E para sua magreza vc poderá se entupir de produtos engordativos, seja lá em forma de comida ou de suplementos e então engordar para sentir-se bem. E daí comprar lentes de contato verdes ou azuis e padronizar-se!

LoLa, desculpa lá se pareço insensível, mas já está passando dos limites esse chorachora dessa mulherada reclamando levianamente. Imagine como eu teria me sentido um lixo na minha mocidade... cabelo escuro, olhos escuros e tão magra que perguntavam pra minha mãe se eu sofria de raquistismo! Meu irmão, loiro de olhos verdes, lindo. Minha irmã do meio loira de olhos grandes, levemente puxados (como a Natália do Valle antes da plástica), minha irmã caçula de olhos verdes (linda como a Sharon Stone), até convidada pra ser capa de revista foi. Eu, olhos pequenos, ajaponesados, sempre usando óculos... o pessoal me achando parecida com a Renata Sorrah... com a Bette Middler... talentosas mas nada bonitas dentro do estilo Barbie e suas afins.

Agora, dou com essa mulherada toda reclamando ora pq está passada de peso e não é aceita, ora pq é magra e não tem olhos azuis e nem verdes? Que tal ler Victor Hugo em "Os Miseráveis"? Que tal ler Sommerset Maugham em "O Fio da Navalha? Que tal ler Sommerset Maugham novamente em "Servidão Humana"? -- A literatura universal não apresenta nenhuma mulher magricela, feiosa, sem estudo, pobre de leitura, grosseira, mal educada, sem atrativos físicos como Mildred, que virou a cabeça de Phil, quase o destruindo completamente; ele, médico, com talento para as artes... quer saber mais? Basta ler "Servidão Humana".

Anônimo disse...

Nossa, você é um poço de tato, LisAnaHD!!!

Anette disse...

LisAnaHD: Atitude completamente boçal, dizer que a reclamação de qualquer mulher é leviana. Ainda mais vindo de uma nojentinha de classe média alta como você!

Você não entendeu o post? A Lola está justamente querendo mostrar que nenhuma mulher vai conseguir se sentir bonita se o parâmetro for um padrão impossível. A ideia é que cada uma deveria se sentir bonita como é, ao invés de almejar por padrões artificiais e irreais.

Vê se presta mais atenção!

Carol M disse...

LisAna, a menina tem 13 anos, tá mesmo na fase de se encucar com essas coisas.

Laura, não posso acrescentar muito ao que a Lola já te disse no post. Não adianta correr atrás de um sistema que se vc satisfizer a regra A vai te fazer sentir mal com vc mesma por não estar dentro do padrão B. Vc pode passar a vida preocupada com isso ou mandar td pras cucuias.

O fato de vc já estar cansada mostra que vc não está muito a fim de correr atrás dessa baboseira de padrão de beleza ne. Vc é vc, e vc é linda apenas por esse fato, não interessa o que digam. Qd a gente se importa com oq as pessoas falam ou acham de nós acabamos dando a elas o poder de controlar nossa vida, e isso é inadmissível.

Muita força menina, vc aguenta o tranco. Quanto menos a gente liga, mais fácil fica de lidar.

Anette disse...

"E desde qdo olhos azuis ou verdes representam padrão no Brasil?!"

- você está confundindo padrão com a média.

Todo mundo sabe que a maioria dos brasileiros e brasileiras tem olhos castanhos. Mas quem você vê representado na mídia, em propagandas?
Pessoas brancas, loiras e com olhos claros. Ou seja, o "padrão de beleza" é parecer europeu, enquanto que a média dos brasileiros é parda, mestiça.

Aprende a ler antes de ficar esnobando literatura.

Gustavo disse...

Homens também passam por isso... e não acho q é tão diferente... o problema é q muitas mulheres q tem como valor "status" se vendem pra pessoas ricas(independente da beleza), elas querem dinheiro, eles querem sexo com uma moça bonita...
Eu era magro, faço musculação faz 7 anos , mas faço pq gosto, e sim isso ajuda na "conquista" ,mas se vc não for arrogante, usar roupas caras etc,não adianta.


Se puder assistir veja ae a arrogância do sujeito pq tem "um corpo" nos padrões , veja as mulheres gritando...
Assistam, gostaria de uma opnião de vcs http://www.youtube.com/watch?v=ZiCF9drTo4s

Anônimo disse...

'A publicidade tá aí pra isso: nos vender produtos'

A publicidade está aí pra mostrar o que existe.Se vc tem cérebro, vai usar, pensar e decidir se quer comprar ou não.Se vc tem mas não gosta de se responsabilizar pela própria vida, vai comprar e botar a culpa na publicidade.

LisAnaHD disse...

Anette, lentes de contato em cores estão à disposição pra quem quiser ser maionete da mídia.

Lord Anderson disse...

"LoLa, desculpa lá se pareço insensível"

na verdade tá mais para egocentrica. Afinal só pq vc teve um problema e aparentemente não reclamou outras pessoas não podem reclamar, pq afinal vc é o padrão para todas.

A falta de empatia com uma adolescente que passa pela fase de confusão e duvida que todos passamos e a arrogancia em ficar jogando citações de livros famosos e serios ao meu ver bem mais leviano.

LisAnaHD disse...

Anette, eu não havia lido seu post anterior referindo-se a mim e, em o lendo, vejo que vc compactua com a leviandade mediana que rola entre as pessoas de poucos recursos na área de comunicação.

LisAnaHD disse...

Lord Anderson, eu não considero que tive um problema!!!! O mundo é assim mesmo, há os que vivem passando a mão na cabeçola de gente que precisa, antes de tudo, cair na real. O paternalismo é o responsável por esse sem-número de gente que, pra se adequar, tem de viver em meio a uma manada: onde um vai, vai o outro tb.

E, antes de mais nada, quem se importa tanto com a Laura, deveria prosseguir aconselhando-a como achar conveniente E NÃO se empenhar em botar meu comentário em evidência, ou me atacar... o que, verdade seja dita, não me faz a menor diferença... apenas estimula meu talento pra escrever frases que causam efeito.

Anônimo disse...

Gustavo, vi os primeiros 5 segundos. Desculpa, kkkk, mas o corpo desse rapaz é considerado feio pela maioria das mulheres e o próprio sempre foi mais motivo de piada do que de desejo.

A.H.B. disse...

Laura: os caras da minha escola me "elegeram" como garota mais feia da classe uma vez e direto as pessoas perguntavam se eu tinha alguma doença ou era albina.
Eu tenho 1,80m e apesar do padrão de modelos altas, o padrão senso-comum já perguntou para meu namorado por que ele namorava uma mulher mais alta, que era estranho e feio, parecia um casal de gays (porque eu tinha cortado o cabelo e feito um moicano).
Obvio que sendo alta, loira e magra eu não serei estigmatizada como mulheres que não são. O que quero dizer é que nossa sociedade realmente odeia mulheres e sempre vaia char um jeito de dizer que vc está errada, seja por via do preconceito franco (contra negras e gordas) ou através dessa vontade incontrolável de apontar os defeitos de toda mulher, fazê-las se sentir mal, etc. Mesmo mulheres que os homens consideram "gostosas", por exemplo a Megan Fox, serão consideradas menos inteligentes ou meros enfeites/ objetos sexuais.
Quando resolvo por umas roupas estilo alternativo/dark que acho legais, um monte de imbecil vai dizer que tou parecendo uma p*ta.
Se você começar a levar a sério as expectativas dos outros, você nunca vai ser feliz com vc mesma, nem se sentir confortável fazendo o que gosta.
Minha mãe é profa de ed. fisíca aposentada e ela é obcecada por magreza. Eu já chamei a atenção dela por fat-shaming algumas vezes e realmente eu não deixo de comer chocolate ou bacon (vegans, sinceras desculpas a vocês, sério!) porque ela fica dizendo "vc vai engordar".
Se eu fosse dar ouvidos para tudo isso, realmente começaria a sentir culpa por fazer tudo que gosto e isso tornaria minha vida um inferno.

Lord Anderson disse...

Antes de mais nada, qualquer comentario num blog pode ser comentado e criticado.

e não vc não escreve frases que causam efeito, assim como os mascus que adoram dizer que a culpa das mulhers que sofrem violencia é delas, apenas a falta de empatia chama a atenção.

não sinta-se especial por isso.

:)

Anette disse...

LisAna, você não tem talento nenhum. Você é burra e arrogante. Não sei porque a Lola tolera uma mal-educada como você por aqui.

Muita falta de tato e cinismo chamar a menina de 13 anos de "marionete da mídia".
Você queria que com 13 anos, em uma sociedade que SÓ fala disso, de como as mulheres tem que ser belas e etc, ela já soubesse de tudo e não ficasse aborrecida pela aparência dela?

Nossa, lamentável sua atitude. Muito infantil, sem tato e realmente mal intencionada.

Gustavo disse...

Anônima, não é o q eu vejo por ae... apesar de eu treinar por gostar(não é pra entrar dentro de padrão),e por não gostar de apelar como o cidadão ali , fico em desvantagem

Maria disse...

"Sabe o que e engraçado? Essa cobrança pela " beleza" padrão vem na maioria das vezes das próprias mulheres..."

É, as mulheres também se cobram. Mas, sinceramente? Muitos homens adoram ficar julgando a aparência feminina, como se estivéssemos ali para agradar os olhos deles. E isso começa cedo. Na escola, quantas meninas são passaram pela humilhação de ter apelidos ofensivos, ligados a sua aparência. Eu era constantemente agraciada com a música "Gorda, baleia, saco de areia, etc". Isso é uma verdadeira humilhação, que, deixe-me dizer tende a continuar pelo resto das nosssas vidas.
E não me venham dizer que meninos também sofrem preconceitos na escola, eu sei disso. Mas quando eles crescem, as pessoas tendem a não dizer as coisas absurdas que pensam bem na cara deles.
Exemplo: quando meu namorado engordou, nenhuma amiga minha disse nada. Mas quando eu engordei, um amigo dele foi comentar para ele (e depois para mim) sobre meu excesso de peso.
E eu me pergunto o que as pessoas tem a ver com a nosssa vida, e porque não podemos viver em paz com nosso corpo. Já não basta toda pressão de mídia e propaganda, que a gente nunca vai alcançar? Enfim... daí vem uma pessoa rude e diz para a Laura comprar lente de contato..

Laura,
Muita força, porque, infelizmente, é provável que muita gente critique sua aparência.Uma hora acham que você tem de emagrecer, outra engordar, outra cortar o cabelo, ou que tem de fazer uma plástica. Tente não dar ouvidos, sei que é difícil e é um exercício constante, mas tente se aceitar.
Com o tempo, você vai perceber que perfeição não existe, é uma bobagem que criaram para a gente gastar cada vez mais em produtos e procedimentos relacionados a beleza.
Desculpem se o comentário está meio revoltado...

carolinapaiva disse...

Laura

É comum sentir-se assim na adolescência. Infelizmente, no nosso mundo, é quase como um "rito de passagem" para a fase adulta: notar que o corpo feminino será sempre julgado e avaliado como item decorativo.
O mais difícil é perceber que o defeito está na padronização, não nos nossos corpos, sabe?
Que bom que você está percebendo isso logo, eu demorei um pouco mais.
O problema de se sentir feia não é leviano, não dê ouvidos a quem te diz que você não deveria reclamar. Reclamar é um sinal de contestação, basta aprofundar a questão.
É difícil sair dessa sozinha. No meu caso, o apoio familiar e psicológico foi muito importante, já que acabei me tornando um alvo perfeito para bullying.
A baixa auto-estima te torna vulnerável a ataques, como bullying ou conflitos familiares.
Você está no caminho certo, percebendo a origem do problema.
----------
Lord Anderson:
"e não vc não escreve frases que causam efeito, assim como os mascus que adoram dizer que a culpa das mulhers que sofrem violencia é delas, apenas a falta de empatia chama a atenção.

não sinta-se especial por isso."[2]

Perfeito, empatia é tudo nessas horas.

Lord Anderson disse...

Black


1- estranho, ja discordei da Lola e de varios post e nunca fui expulso ou ameaçado

2- olha, vc colocou uns 30 coments dizendo que ia embora, que não ia mais comentar, que o assunto tava encerrado, que não volta mais aqui...e ainda continua?

Carol M disse...

Gustavo, se vc não está atraindo gente fútil vc realmente acha isso uma desvantagem? Eu considero que afastar gente vazia é a maior vantagem de todas.
Talvez vc deva procurar outro tipo de pessoa.

Roxy Carmichael disse...

talento pra escrever frase de efeito, hahahahaha, ai lisana, você é muito engraçada. senti falta de você por aqui, já que não te vi, se manifestando no post anterior.

mas não quero desviar do tema, portanto volto minhas atenções para a laura:
laurinha minha jovem, adolescencia é complicado que só, existe um número muito reduzido de pessoas celebradas e um sem número de pessoas que são alvos de comentários de mau gosto, ou mesmo invisibilizadas. na minha época era assim que banda tocava também e eu tava nesse segundo grupo, das invisíveis quase na fronteira das humilhadas. dentre as várias opções que você tem, uma delas é tentar fazer parte do padrão como lisana sugeriu, por meio de suplementos alimentares, mas você mesma já se mostrou pouco simpática a essa opção. e não sem razão!a outra opção é assumir um estilo que é só seu, todos temos estilos muito particulares e sentir-se segura, já que você se mostrou uma menina com capacidade crítica, coisa realmente rara nos dias de hoje, e não só entre adolescentes, basta ler os comentarios das versões impressas dos nossos jornais caducos. essas pessoas que se assumem geralmente crescem e vão fazer coisas realmente legais para si mesmas e para a sociedade em geral. acredito em você!

existe a opção de você abrir concessões só até onde VOCÊ julga necessário. existe a opção de não abrir concessão nenhuma. enfim muita coisa ainda vai rolar!

um beijão!

Lays, mãe e tudo o mais. disse...

Pois é, essa pressão em obter o corpo perfeito é tão mimimimi, que cada vez mais meninas detonam com a própria saúde (senão com a vida ) fazendo dietas loucas, tomando remédios... mas o importante é ser intelectual, de resto, ema, ema ema!!!

Claro, nada a ver se você é bombardeada a vida toda por padrões de beleza que não existem de verdade, nada a ver que as fotos de revista são todas manipuladas e vendidas como se não fossem, que a publicidade diz o tempo todo: compre e fique linda, use e conquiste, use e arrase. (como era mesmo aquele comercial??? A vida é boa, mas pode ser linda???? Era do que, mesmo???). Nada disso importa, importante é ler Schopenhauer e esculhambar quem cede à pressão do sistema.
E enquanto culpamos as vítimas por sem fracas, o sistema vai moendo cada vez mais gente...

Anônimo disse...

Totalmente off-topic mas isto merece um post:

http://modaalalira.blogspot.com.br/2011/01/para-facilitar-vida-1.html

Anônimo disse...

Laura,
A minha filha é parecidinha com vc, sofre as mesmas inquietações, e eu vejo o quanto é difícil atravessar essa fase cheia de dúvidas e incertezas que é a adolescência. Mas as coisas tem melhorado bastante,sabe, ela faz terapia e começou a se sentir mais segura. A tendencia é essa mesma, de que as coisas melhorem para você também. Afinal, você já é crítica, tem acesso a informação, le o blog da Lola, tudo isso e mais as vivencias que voce terá vão te ajudar a superar essa fase difícil.
E não ligue para quem vem atitudes agressivas e infantis. São adultos que não resolveram seus próprios problemas de auto-estima na hora certa, e carregam ao longo da vida essa necessidade de afirmação.
Mas isso não vai acontecer com você, pois vc assume suas inquietações, e esse é o primeiro passo para resolve-las.
Amanda

LisAnaHD disse...

para a das 17:16
Obrigada por sentir minha, mas nisso não há reciprocidade, pois eu não teria sequer notado sua ausência. Não tivera vc me abordado e sua presença teria me passado sem a mínima immportância. Adieu... Good bye... Arriverdeci... Sayonarah... Ciao... Adeus.

LisAnaHD disse...

oops..
Obrigada por sentir minha FALTA

LisAnaHD disse...

Anette das 16:20, sua opinião a meu respeito me importa tanto qto me importa saber se aí onde vc está chove ou não. Seu vocabulário e sua maneira de se expressar são lamentáveis, contudo reflete seu meio-ambiente e sobre isso não tenho controle nenhum... a escolha é 100% sua.

Gustavo disse...

Carol M , Sou do meio do metal, tenho 25 anos e desde sempre só frequento isso,(apesar de ter aparência de baladeiro),no meu meio, 80 % são homens, e o mais engraçado, eu dentro dos padrões sociais de beleza, não faço sucesso no meu meio!, sabe pq? pq tem q ser tatuado, cabeludo, e músico(essas são as qualidades q as moças procuram no meu meio),e eu só me relaciono com quem me atrai, com quem eu julgo bonita.
Nunca frequentei baladas e coisas do tipo,mas ja sofri de preconceito no meu meio mesmo.

e não gosto desse negócio de julgar pela aparência, no sentido :
Só pq a moça é bonita, se veste de forma provocante, não quer dizer q não tenha caráter ou inteligência...

A.H.B. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

LisAnaHD


Vai uma maracujina aí?
Ou será que devo oferecer uma boa dose de Haldol?


Beijokas.

Anette disse...

Gente, essa LisAna é meio louca, né?

A mulher não fala coisa com coisa. O bot de um chat que participo solta frases com muito mais conteúdo que essa tola.

LisAnaHD disse...

Maracujina? Que boa pedida? Você costuma tomar qtas doses por dia? Sim, porque não se deve oferecer o que não se consome.
Qto ao Haldol, me surpreende que vc tb faça uso dele!

Anônimo disse...

Anette


O pior é a forma como ela trata os meros mortais que não estão no mesmo nível 'intelectual' que ela.

Tadinha, é muita arrogância e prepotência em uma pessoa só.
Disse e repito, taquem-lhe Haldol. Talvez essa agressividade toda passe.

LisAnaHD disse...

vc aí, das 17:40

ocupe-se melhor
Annette Bening
http://en.wikipedia.org/wiki/Annette_Bening

Anette disse...

E essa mania de mandar links da wikipedia? omg.

Anônimo disse...

1-2-3 e as medíocres já saíram do assunto do Guest Post, deixando a Laura pra escanteio.
MiMiMi

Anônimo disse...

acho que é porque a wikipédia oferece opção para leitura em vários idiomas, como por exemplo o português, mas nem sempre.
MiMiMi

anon disse...

anônimo, foi culpa da LisAna. Note que ela:
1 - começou fazendo pouco caso da situação da Laura.
2 - agiu que nem criança quando foi criticada por sua atitude petulante.

Anônimo disse...

Então, Laura, a Gisele Bündchen era considerada feinha também, por ser alta, espigada, magrinha, ter nariz grande. A Lucélia Santos foi considerada feia por um famoso diretor da Globo que não queria dar-lhe papel em novelas. E daí? Lucélia Santos se tornou a atriz preferida de nada mais e nada menos do que o Senhor Ditador Fidel Castro, quer mais? Gisele Bündchen taí incomodando um monte de mulheres enquanto ganha milhões em reais, em dólares, eu euros, em pesos. E que peso lhe falta!
MiMiMi

LisAnaHD disse...

para o das 17:52
E vcs que deixassem de lidar comigo e prosseguissem consolando a Laura, oras. Deixaram a menina de lado como se me atacando proporcionam-lhe consolo...

Luiza disse...

Oi Laura.

Quando eu tinha exatamente sua idade eu começei a ter problema com o meu cabelo. Ele é lisão e superfino, mas no início da adolescência ele ficou muito estranho, liso mas todo embaraçado, armado. Do nada!
Sabe o que era? Hormônios.
Relaxa, mocinha. Quando você ficar adulta vai ver que algumas coisas no seu corpo mudam pra melhor. Outras terão que ser aceitas por você. Então, força aí e não desanima!

aiaiai disse...

Laura,

fora os ótimos conselhos da Lola, eu te peço p fazer um exercício: pense em você como uma pessoa, não apenas como uma mulher. Daí, veja como as outras pessoas (homens) conseguem viver e são felizes mesmo não estando dentro de um padrão de beleza. acho que esse exercício ajudará você a ver que outras qualidades e poderes você tem. Isso fará com que a questão "beleza" se transforme em um detalhe idiota. O resto é muito mais interessante.

Anônimo disse...

Que inferno esse negócio de publicar post de criança num blog para adultos. A guestposter não tem mãe? nem pai? Somos nós que vamos resolver o 'problema' da garotinha que fica pendurada na internet ao invés de estar lendo um bom livro ou estudando?

Anônimo disse...

Aos treze anos, eu também me sentia esquisita. Carregava estrias e cicatrizes psíquicas da minha puberdade precoce, e ainda tinha que travar uma luta diária contra meu cabelo de fuá. Me sentia um patinho feio. Até que eu me dei conta de que ser diferente não era tão ruim assim! Em meio aos cabelos lisos, temperamentos extrovertidos e axés dos outros, eu era uma das poucas pessoas que se permitiam ser quem elas realmente são. Aos treze anos, nosso autoconceito é muito exteriorizado: costumamos pensar de nós mesmos aquilo que as outras pessoas pensam. Parece que a opinião e a aceitação dos outros é peça fundamental para a nossa felicidade, mas aos poucos você descobre que é impossível agradar a todo mundo e que a perfeição que buscamos não existe. Aos 25 anos, me acho linda. Tenho certeza de que você também o é, só falta descobrir! E você está no caminho certo para a autoaceitação quando se faz esse tipo de questionamento e busca ajuda nos lugares corretos. Beijos e sucesso!

Roxy Carmichael disse...

essa mania é antiga que só, de citar wikipedia. de nada lisana, imagina!gosto quando você faz a coroa vilã aqui nesse blog. você tava muito boazinha. tava um tédio, não por estar boazinha (não tenho absolutamente nada contra), mas porque a sua versão recém-convertida ao feminismo tava muito desengonçada, falta, falta muita coisa ainda. acho que você convence mais no papel de yara baumgart:
é só substituir aristóteles, kant e socrates por somerset maugham...
porque recordar é viver e rir é sempre o melhor remédio: http://veja.abril.com.br/201004/entrevista.html

Cida disse...

ai, pegaram pesado aí em cima.

A Laura se acha feia e magra. Todo mundo se acha alguma coisa negativa. Nada de novo no front.
Next!

LisAnaHD disse...

Cida, sua tirada é ótima!

Anônimo disse...

Welcome Home, Roxy Carmichael
http://en.wikipedia.org/wiki/Welcome_Home,_Roxy_Carmichael

oopssssssssss
http://pt.wikipedia.org/wiki/Welcome_Home,_Roxy_Carmichael
Dita

Anônimo disse...

Não acho que o problema da Laura seja um problema de criança. Muitas comentaristas disseram que é uma fase normal e eu concordo, adolescência é terrível mesmo, mas o post da Laura tem algo mais: o corpo dela vai mudar, mas não significa que ela vai entrar no padrão, ela pode continuar sendo magérrima a vida toda, se for genética, ela pode se alimentar bem, praticar exercícios, ser saudável e ser magra, muito magra. Então, se isso não mudar, ela vai ter que se aceitar assim, vai ter que enxergar a própria beleza assim, do jeito que ela é. Vai ter gente má que vai insinuar que ela está doente, fingindo querer ajudar, vai ter gente mais má ainda dizendo que ela reclama sem motivo, mas a decisão de se amar e de ser amada por quem vale a pena tem que ser conquistada, trabalhada. Se o corpo dela mudar, naturalmente ou por esforço, ainda assim ela pode continuar se cobrando demais, pq não é o corpo dela que está errado é o padrão. É disso que trata a resposta da Lola e que bom que a Laura só tem 13 anos, mas a resposta serve pra todas nós.

Anônimo disse...

A decisão de se amar e de ser amada por quem vale a pena tem que ser conquistada, trabalhada.

endossado!
Annette

Anônimo disse...

18:19, provavelmente o problema da Laura é falta de atenção e presença dos pais, de frases assertivas, de estímulo, de conversa. Faço ideia do tempo que ela gasta em redes de relacionamento, jogos e até aqui no blog numa idade importantíssima para a formação escolar e psicológica.
É isso.
Se ela está magra demais, ela deve que ir ao médico. Se não tem nada, vai praticar esporte.
Simples assim.

Anônimo disse...

Tirando dessa página a tal Anette e a Roxy de tal isso aqui ficaria agradável da gente ler.

Laura, todos os problemas da sua vida parecerão pior se você continuar obcecada com seu visual. Olhos verdes ou olhos azuis são facilmente obtidos conforme sugestão anterior: lentes de contato. Se quiser engordar, também foi feita a sugestão de como proceder. O que mais há de errado com seu visual? Seu cabelo? Algum problema com ele? Não é loiro? Tinja. Não é ruivo? Tinja. Não é castanho? Tinja. Não é negro? Tinja. Não é liso? Alise. É liso? Arrepie. O que mais de errado você ainda pode e consegue encontrar no seu físico, no seu visual? Concentre-se em tudo aquilo que você não gosta em si mesma e se autodestrua e depois culpe a mídia.
Midiátic@

Anônimo disse...

esse blog nem é para menina de 13 anos e isso é falta de mãe em casa cuidando da cria

Anette disse...

^
LisAna aprendeu a dar logoff e postar como anônimo. Que bonitinha.

Caramba, "anônimo", esse post é justamente para dizer que uma pessoa NÃO precisa se autodestruir em nome da aparência. Um dos temas que a Lola mais discute aqui é como a insatisfação com a aparência é provocada pela sociedade e como uma pessoa não precisa retalhar o corpo ou queimar o cabelo, que o significado de beleza em uma sociedade não é um conceito eterno, etc.
Pelos deuses, as pessoas aqui realmente postam pela vontade de falar besteira, porque ler o blog que é bom, pelo visto gente como você não faz!

Anônimo disse...

Não liga não, um dia você perceberá que essas pessoas que investem dinheiro e tempo demais na aparência também sofrem críticas o tempo inteiro. E pra que? Pra ficarem todas iguais, como saídas da mesma forma. Isso me faz lembrar de uma atriz francesa belíssima, de ascendência judaica, que submeteu seu nariz grossinho a uma rinoplastia para ser aceita em Hollywood. Resultado: ficou com cara de todo mundo. Hollywood é que nem aquele gradeado das companhias aéreas no qual você insere sua bagagem para verificar se o tamanho e formato são compatíveis com o aceitável a bordo: se não couber, você tem que despachar.

Anette disse...

"esse blog nem é para menina de 13 anos"

A Lola não colocou um limite de idade para acessarem o blog, qualquer pessoa pode e deve ler os posts dela.

Lamentável que venha tanta gente que não entende bulhufas e usa o anonimato - cuja utilidade é proteger a identidade de mulheres que sofreram abuso doméstico e desejam compartilhar sua história, por exemplo - para ser otári@.

Anônimo disse...

18:31, primeiro que sempre desconfio quando a conclusão é um mero "Simples assim". Segundo que o que eu penso já está claro no meu primeiro comentário, o que você pensa também ficou claro, não se preocupe. Terceiro que ela disse que se acha magra demais, provavelmente ela só é magra demais para esses padrões insanos que insistem que existe um único modelo de beleza e saúde. E, por último, duvido que ela passe mais tempo na internet que você e se passa, pelo menos está lendo algo muito bom.

18:19

Anônimo disse...

“Eu perdoaria uma traição do Kaká. E sabe por quê? Porque quando o homem trai, é sinal de que a sua mulher falhou em algum ponto. Eu não estaria dando o necessário. E não falo só de sexo. Falo de carinho, diálogo, cumplicidade. Se eu descobrisse um caso do Kaká, seria complicado, claro. Mas se ele me trair, tenho certeza de que o motivo seria algo de muito errado feito por mim”.

A mulher do Kaká

Anônimo disse...

hahahahaha!!!! Desculpa, Laurinha, já fiz meu comentário pra vc.
Mas agora preciso rir aqui, porque bom humor faz bem também!!

Roxy Carmichael, essa yara baumgart é cômica, mas a nossa lisana, "coroa vilã", ganha longe!!! hahahaha!!!

Amanda

Roxy Carmichael disse...

pois é anette, se a lisana e seus alter egos tivessem um pouquinho de paciência, entenderiam que a leitura e compreensão de texto está bastante comprometida, já que para a imensa maioria dos comentaristas, ficou claríssimo que laura não tá afim de se render à paranoia do padrão de beleza, já que ela disse que estava cansada.

Maria disse...

Eu gostaria de saber como esse Anônimo do "MIMIMI" está focando no post, quando a única a coisa que ele fez em relação a Laura foi desqualificar o que ela sente, ao dizer e daí? Olha a Gisele, ganhando tão bem!
Claramente, dinheiro e sucesso NÃO são as preocupações da Laura. O problema dela é como se sente desconfortável com o próprio físico, independente de carreira, dinheiro, sei lá o que mais.

Outra coisa chata é a mania que algumas pessoas tem de achar que não se pode levar em conta a opinião ou vivência da pessoa devido a idade. Vide: "Que inferno esse negócio de publicar post de criança num blog para adultos". E ainda manda a garota estudar...
Bem, eu gostaria que nessa idade da Laura eu tivesse tido a oportunidade de conhecer um blog como o da Lola, teria me ajudado muito.

Anônimo disse...

Laura,

Os 13 anos são terríveis mesmo, mas ainda bem que você está aqui, contando sua história. Se eu, aos 13, tivesse tido algum contato com as idéias feministas e soubesse o tanto que a mídia influencia e pode inclusive acabar com a auto estima de alguém, provavelmente eu tivesse uma adolescência menos complicada.
Sugiro que você fique por aqui e leia, leia muito. Uma das idéias mais importantes, e que levam mais tempo para se internalizar é que o problema não está em você.

Maria disse...

Post das 18:33, Midiátic@

Eu ri, ri para não ter que chorar... Ai, a inocência da mídia!

Jaqueline disse...

Engracado: quando eh a lisana que vem desfilar sobre a vida dela, esmiucando os detalhes do marido lindo de olho claro, pele branca, nariz perfeito, da avoh da perna torta mas dos dedos bonitos, da afilhada do cabelo ruim que tinha dentes assim, da sogra cuja vida era assado, e tinha ascendencia em bla, sotaque de x, pele y, e orelhas zeta, da vizinha negra de pele branca, de origem europeia que morava na argentina, ela acha que todos estao interessadissimos em ler, mil comentarios, um atras do outro, comentando o quao benevolente ela eh em dar esmola, o quao rica ela eh, e o quao mao de vaca.... booooooring... quando nao eh, eh uma garota expondo seus pensamentos, basta trollar e dizer que eh bobagem. Quanta consideracao, quanta capacidade de se compaceder e se por na pele de outro humano.

Jaqueline disse...

Mas Laura, 13 anos foi uma idade complicado para mim tambem. Eu sofri muito tentando caber nos padroes, e quando consegui isso, fazendo academia, indo ao salao de beleza, o vazio foi muito grande. Por que eu tive que mudar o que era para ser aceita. Passei a deixar isso de lado, e foquei em outras coisas: literatura, musica, conhecimento, o que me tornou uma pessoa muito mais interessante aos meus olhos, e aos olhos dos demais tambem. Atrai as pessoas certas para perto de mim, fiz poucos, mas bons amigos e consegui ir longe assim.

Cristiane disse...

"LisAnaHD: LoLa, desculpa lá se pareço insensível, mas já está passando dos limites esse chorachora dessa mulherada reclamando levianamente."


É muita petulância, prepotência e arrogância dessa pessoa, no mínimo, estabelecer os LIMITES de assuntos de posts de um blog que NÃO É DELA!!!!

Desde quando, Lisana, a LOLA te deu este poder??? O blog é da Lola, o e-mail para o qual adolescentes e quem mais quiser mandam perguntas e depoimentos pessoais é da Lola, e é a Lola quem decide que assunto ela vai abordar, que guest post ela vai publicar, e que pergunta ela vai responder.

Lisana, veja se se enxerga e percebe que a leviana aqui é você.

Ana disse...

Adoro como sempre chove gente pra dizer "seu problema não é nada demais, get over it". Nem sei porque a pessoa se dá ao trabalho de comentar uma coisa dessas.

Laura, essas coisas são engraçadas. Minha mãe era loirinha, pele de porcelana, olho verde, cabelo cacheado, gordinha. Se odiou a vida inteira, queria emagrecer, achava que pele branca era HORRÍVEL e não gostava do cabelo volumoso. Eu puxei meu pai, tenho pele, cabelo e olhos escuros. Minha mãe venera meu tom de pele, e jura que meu cabelo cacheado é 100 vezes mais bonito do que o dela jamais foi. Mas ainda assim passei a vida inteira ouvindo desaforo porque eu TINHA QUE emagrecer de qualquer jeito, ESPECIALMENTE porque ser gorda era "jogar fora" todo o resto que era "bonito". Perceba como minha mãe desenvolveu todo um complexo por não ser "bela" o bastante e passou isso direto pra mim. Ela sabia exatamente como é ser tachada pela aparência, mas fez a mesma coisa comigo.

Estou te contando isso porque sei que minha mãe um dia foi uma menina de treze anos preocupada com a aparência, assim como você. Só que ninguém disse pra ela que estava tudo bem ser somente quem ela era, e isso ficou com ela a vida toda - chegando a pautar até como ela tratou a filha.
Eu fui na onda dela por um bom tempo, não conseguia gostar de mim de jeito nenhum, só ia ser feliz quando perdesse peso. Vivia a vida como se fosse um rascunho do que eu ia ser quando fosse magra. Depois de descobrir o feminismo consegui analizar melhor a situação e perceber como essa perseguição pelo padrão é algo que passa por todas as mulheres. A paranóia começa cedo, com meninas na sua idade, e se a gente não acorda, fica vivendo nessa angústia a vida toda - e claro, passa adiante para as amigas, para as filhas... Como no nosso caso a pressão era o contrário da tua, não sei como te falar sobre ser magrinha especificamente, mas sei sim como é devastador não gostar de si mesma.

Laura, sempre vão aparecer pessoas julgando a nossa aparência, fazendo comentários maldosos, agindo como se o nosso corpo tivesse obrigação de lhes agradar. Mas não se deixe abater, acredite que você é mais que isso. Já começaste muito bem, com consciência desde cedo. Daqui pra frente cuida da tua saúde, sempre, mas não te estressa em ser algo que tu não és. Tem gente com biotipo gordinho, e gente com biotipo magrinho. A minha avó, por curiosidade, foi magra a vida inteira - e eu sou testemunha viva, a alimentaçao dela nunca teve nada de exemplar, ela sempre comeu tanto quanto eu e a minha mãe. É assim mesmo. Se isso te preocupa muito, procura uma nutricionista. Mas não perde teu tempo te estressando com coisas que, no fim, não querem dizer nada.

A única pessoa que tem que gostar do teu corpo é você mesma. Ele deve permanecer saudável, mas de resto o importante é você se gostar.

Agora você (e mais ninguém!) deve decidir se vai se aceitar como está ou se vai tentar ganhar peso ou coisa assim.

Eu me aceitei, porque apesar de toda a minha paranóia, meu IMC nunca chegou no sobrepeso e meus exames médicos sempre estiveram ok. Depois do feminismo ser magra deixou de ser questão de vida ou morte, hoje eu me olho no espelho e vejo várias coisas que me agradam.

Força, segue em frente e boa sorte :)

Anônimo disse...

Eu sofri muito tentando caber nos padroes, e quando consegui isso, fazendo academia, indo ao salao de beleza, o vazio foi muito grande.

isso sim é uma grande bobagem. o vazio já estava lá. Tod@s nós temos esse vazio existencial. Antes tivesse praticado um esporte que é o indicado para essa faixa etária. Mas sacumé, tod@s querem pertencer ao mundo adulto ANTES DA HORA, o que a Laura está fazendo, inadvertidamente, aí, faltam pais atentos e dá nisso.

Ana disse...

@Jaqueline
"Mas Laura, 13 anos foi uma idade complicado para mim tambem. Eu sofri muito tentando caber nos padroes, e quando consegui isso, fazendo academia, indo ao salao de beleza, o vazio foi muito grande. Por que eu tive que mudar o que era para ser aceita."[2]

História da minha vida, rs. Teve uma época, quando eu era novinha tipo a Laura, em que salão de beleza era INDISPENSÁVEL, eu NÃO PODIA deixar de fazer chapinha. Não era nem que eu não gostava do meu cabelo cacheado, era que cabelo ao natural era "desleixo". Eu me desdobrava pra manter tudo nos padrões, sempre "arrumada", mas era um stress... Exatamente como a Jaqueline disse: um vazio, porque eu sabia que tava mudando quem eu era. No fundo eu sabia que não concordava de verdade com aquilo, mas levei um bom tempo até conseguir escapar da pressão e ligar o botão do 'whatever'.

Hoje eu faço chapinha e afins só quando dá na telha, quando eu quero e tal :) Verdade seja dita, esse tipo de coisa não muda uma vírgula na vida - os amigos que a gente tem ficam com a gente com ou sem estética. As pessoas que não gostam da gente não mudam de opinião por causa de uma tarde no salão. E assim por diante.

Um homem normal. disse...

Eu vou deixar o meu comentário aqui.

Baseado em observações da vida real.

Eu e muitos outros caras não vemos problema algum nas garotas magrelas. Na verdade é muito mais fácil encontrar um homem com desejos por uma magrela do que por uma gorducha. Eu conheço poucos caras que tem tara por gordinhas, mas por outro lado conheço vários que tem tara por magrelas.

Eu tenho um amigo que só gosta de mulher chubby, essas bem gordinhas e felizes com a vida.

Eu tenho amigos gays. Alguns só gostam de gordões peludo, o chamado ursão. Outros gostam de caras discretos que não dão pala em público. Outros gostam é de causar.

Um dos caras mais fortões e desejado da turma gosta de baixinha e magrela. Ele não sente atração por mulheres normais ou gordinhas.

Uma vez uma super magrela começou a me flertar, eu estava altamente inclinado a ter uma relação estável com ela. Mas um dia ela aparece com a cara toda ferrada de DST. Ela pegou herpes e estava toda arrebentada. Foi quando descobri que ela era promíscua e não se cuidava. Me afastei dela não por ser magrela, mas por ser promíscua.

A verdade é que existe todo tipo de homem, assim como existe todo tipo de mulher. Por isso que existe aquele ditado "toda panela tem a sua tampa". O problema é a mulher fora do padrão exigir um cara bombado, alto, branco de olhos verdes. Ai não costuma dar certo.

Portanto não tem problema algum em ser magrela, o problema é ser noiada com isso e se comportar como uma chata ou se desesperar e se entregar para os caras tranqueiras que só vão abusar e chutar depois. Se pegar fama de rodar na mão da galera, depois os caras que curtem minas magrelas com certeza vão manter distância.

Outra coisa que corta pela metada os possíveis pretendentes são as tatuagens, porque não é todo cara que gosta disso. Eu mesmo tenho repulsa por esses deseinhos e não me relaciono com uma garota que tenha tatuagem. Convivo normalmente com essas pessoas, mas não para uma relação mais íntima.

Portanto eu acho que a aparência é muito mais uma questão de posição diante a vida, uma questão psicológica.

E a magrela pode trabalhar os músculos em uma academia, pois em 2 a 3 anos com certeza ficará com um corpo muito modelado. Eu mesmo conheci mais de 10 garotas que eram miúdas e depois de uns 2 anos de academia ficaram gostosas de causar na rua.

LisAnaHD disse...

Jaqueline (19:04), ocupe-se um pouco... aprendendo um pouco sobre um misterioso desaparecimento
http://www.ovadiasaadia.com.br/mauriciokus.cfm?id=9xjw3&n1&CFID=2673548&CFTOKEN=98339543

Dri Caldeira disse...

Olha, eu tô pensando o dia todo sobre o que eu poderia dizer pra Laura de útil. E vi opiniões e conselhos ótimos. Tb vi muita bobagem dos "pilares" do blog da Lola. Mas tb concordo em parte com a LisAnaHD, a mulherada anda mais desesperada em não ser linda do que em não ser boa, com caráter. E tb concordo que com 13 anos ninguém poderia ou deveria sofrer pq não se é bonita. Olha, tenho mais coisa pra elaborar sobre o post de hj, mas acho importante q vcs leiam sobre uma modelo considerada cabide dizer que é melhor ser magra do que gorda. Acho que a Laura até deva se parecer com ela: http://www.plus-model-mag.com/2012/04/natalia-vodianova-quoted-its-better-to-be-skinny-than-fat/

Mévia disse...

Laura,

Você é muito novinha! (Eu odiava quando me falavam isso, hehehe) Alguém disse aí e é verdade, com o tempo você vai encontrar o seu próprio estilo e se sentir muito bem com ele.

Mesmo as bonitonas têm as inseguranças delas! E os meninos da sua idade também. A maioria das pessoas da sua sala só finge que é fodona, pode ter certeza! ;)

Quanto a quem falou pra menina parar de mimimi e comprar umas lentes de contato, putzgrila, só rindo mesmo! O espaço aqui é de questionamento, de desabafo. Jura que, se ela se acha magra demais e com olhos feios, basta comer pra engordar e colocar lentes?? MAS QUE GRANDE GÊNIO! UAU! E aí, todos os problemas dela serão resolvidos? R: NÃO! Eu não daria 2 meses pra ela encanar com outra parte do corpo.
No que diz respeito à aceitação do corpo na nossa sociedade doente, buscar o "ideal" é, por mais contraditório que pareça, o melhor jeito de se sentir permanentemente inadequada.

Anônimo disse...

Um Homem Normal disse... "Acho que a aparência é muito mais uma questão de posição diante a vida, uma questão psicológica."

e pelo visto essa mulherada está com a questão psicológica bem conturbada.

Madonna, a famosa cantora americana, descendente de italianos, disse, numa entrevista, que sua filha Lola/Lourdes não é autorizada a ver TV. Perguntada se nem mesmo ver a própria mãe na TV, Madonna disse que não, que não achava apropriado para a idade da filha que na época tinha menos de 10 anos. Quando lhe foi rebatido como ela sentia que outras crianças a vissem na TV em cenas eróticas (MTV), Madonna retrucou que isso é responsabilidade das mães de tais crianças. Portanto, não é responsabilidade da nossa Lola a idade de quem aparece por aqui.
Amén Nenén

Roxy Carmichael disse...

homem "normal" e anônimo
seguinte: nós mulheres adultas já temos mecanismos para ignorar comentários tão desnecessários, preconceituosos e asquerosos como esses. pagamos nossas contas e etc. temos uma certa experiência de vida e tal, realmente não vamos nos importar ou nos impressionar com esse discurso de vocês. mas que tal economizar e poupar a laura, que tem 13 anos e não merece sequer cogitar se desencantar com a vida assim tão precocemente, ao se deparar com escória como vocês?

Dri Caldeira disse...

Um Homem Normal - cara, vc é tudo, menos normal e muito menos homem. Um homem não defecaria essas bobagens pregadas pelos machistas só que com outras palavras. Vai arrumar o que fazer, moleque, senão daqui há pouco tua mãe te tira do computador e te deixa de castigo!

Anônimo disse...

Concordo com a LisAna e tal. Eh muita choradeira com bobagem. Todo mundo querendo ser fora dos padroes e tal. A garota que escreveu vai achar seu lugar. O fato de ela vir aqui, requisitar o discurso do mestre, "me digam o que fazer", nao deveria ser incentivado como voces estao fazendo. Laura, vai em frente, procura teu caminho, luta. Mas nada de ficar por ae pedindo pros outros tomarem as decisoes por ti.

lola aronovich disse...

Dri e Lisa, a ditadura de um padrão único de beleza ataca a tod@s nós. Algumas pessoas lidam melhor com isso, outras menos. Dizer pra uma menina de 13 anos (quem não teve 13 anos? Quem já não passou por isso? Quem conseguiu superar as pressões?) que o que a perturba é besteira certamente não vai ajudá-la, e parece insensível sim. Empatia, gente! Além do mais, ela disse que estava cansada dessa rotina de opressão. Ela não quer se deixar afetar mais.

lola aronovich disse...

Maicon, desculpe, mas repetir num comentário seu o que um mascutroll disse vai fazer com que eu delete o seu post também. Não quero essas palavras odiosas no meu blog, ainda mais pra uma criança de 13 anos.


Homem Normal é mascu detected. Cara que faz musculação, odeia tatuagens nas mina (tatuagem é coisa de homem, dizem eles), e reclama da promiscuidade (que só é promiscuidade se vir de uma mulher) quase sempre é mascu. Ainda mais neste blog frequentemente visitado por eles.

Dri Caldeira disse...

É, posso até estar errada, mas com 13 anos eu queria aprender, queria ler todos os livros, ouvir todas as músicas, fazer todos os cursos. Nem me preocupava (ainda não me preocupo muito) com cabelo, se tava bom ou ruim... é de dar uma tristeza muito grande, ver uma juventude sem esperança por um motivo bobo (NA MINHA OPINIÃO) como a aparência. Quando ela tiver minha idade e tiver segurança de quem é, não vai se deixar abater por críticas.

LisAnaHD disse...

Obrigada a tod@as que se referiram a mim. Estou de saída. Retorno para comentar na página de comentários do próximo post.
Acompanhem-me!

LisAnaHD disse...

ooops... LoLa, somente qdo cliquei pra enviar meu comment te vi aqui... legal ter vc de volta pra nos contar sobre o evento em Jacobina, BA. Fquei encantada com o que li sobre a cidade, na página da Wikipedia.

Dri Caldeira disse...

Eu fico pensando na Dª Dilma. Sera q qdo. ela tinha 19 anos e foi presa e torturada ela se incomodava com o cabelo? E olha q ela não era bonita não como a gente vê nas fotos. E olha onde ela está hj. Pensa nisso, Laura, grandes conquistas pessoais e profissionais independem de aparência. É preciso ter atitude pra vencer, seja feia ou bonita.

Anônimo disse...

Portanto, não é responsabilidade da nossa Lola a idade de quem aparece por aqui.

Mas postar email de criança é da responsabilidade da Lola sim.
Ainda mais que incentiva a que outras crianças fiquem perambulando por aqui lendo posts e comentários os mais cabeludos.

lola aronovich disse...

Gente, que tem coisa muito mais importante que a nossa aparência é algo que muitas de nós já entendemos. Mas, aos 13 anos, é difícil. Duvido muito que vcs não tinham as inseguranças que a Laura tem. Aliás, como disse no post, somos perseguidas por essas inseguranças a vida toda, mesmo conhecendo as artimanhas da manipulação da mídia. Atitude a Laura tem, senão não teria escrito um email se rebelando contra a rotina de pressões.


A quem está reclamando da idade, nem sei o que dizer. Fiz uma pesquisa em novembro, 6,500 pessoas responderam, e eu vi, surpresa, que mais de 50 pessoas responderam que tinham menos de 12 anos. Conheço minha responsabilidade, e por isso tomo cuidado com as palavras e imagens postadas aqui. E deleto os comentários cabeludos. Mas eu não estou falando nada de terrível pra ess@s leitor@s tão jovens que me leem. Não estou falando nem nada de muito novo, aliás. As crianças hoje têm acesso a muita coisa. Espero que minha influência, se ela existe, seja positiva.

Anônimo disse...

Foi no final dos anos 60 que o padrão de beleza ficou mais magro (e, portanto, mais impossível de se atingir).


HAHAHA COM TANTA TORTA DE CHOCOLATE ME TENTANDO E EU CAINDO EM TENTAÇÃO TODA VEZ FICA IMPOSSÍVEL MESMO
PERDER 100G QUE SEJA.

DEPOIS O QUE PEGA É O PADRÃO DE BELEZA , A MÍDIA, A SOCIEDADE E O ESCAMBAU.

Majô disse...

"Quem nos cobra?"

Mais uma resposta possível: os terapeutas. Fiz cinco anos de terapia. Três anos com um psicanalista jungiano e dois anos com um terapeuta transpessoal. O primeiro foi excelente para me ajudar a resolver meus problemas familiares. Mas na hora de tratar dos meus problemas nos namoros, sempre a "cura" passava por: "você tem que despertar sua feminilidade. você tem que ser mais feminina". não questionei esse terapeuta, embora a minha forma de me vestir e me apresentar nunca tivesse me incomodado. sempre gostei do meu jeito que é despojado. usava direto tênis, camiseta. me sinto bem em trajes informais, despretensiosos e confortáveis. nunca achei que tivesse de "valorizar as formas" como caminho para me dar bem nos relacionamentos, como o terapeuta chegou a sugerir. mas ok, incluí umas coisas mais de mulherzinha no guarda-roupas, acreditei que devesse começar a me maquiar (aos 30 anos) e ganhei elogios do terapeuta. e só. um tempo depois, mudei de terapeuta. precisava ajuda para resolver questões profissionais. ele foi ótimo. dei três guinadas consecutivas na minha carreira e em parte devo isso às coisas que ele me fez enxergar. mas, de novo, quando o problema entra na questão relacionamento, ou ço as mesmas orientações: "você tem que despertar sua feminilidade. você tem que ser mais feminina". dessa vez, deixei o cabelo crescer até a cintura, dei uma sofisticada no guarda-roupas, troquei os tênis por sapatilhas. mas lógico que nada disso fez mudar as coisas para mim. a única diferença realmente prática que notei foi que hoje eu escuto mais insultos na rua.

a verdade é que eu consegui chegar aos 30 anos sem desejar pertencer a um padrão de beleza e me sinto bem por isso. não me preocupo com o meu peso (pq acho que ficar controlando muito o que se come deixa as pessoas neuróticas), gosto de me vestir informalmente e à vontade, não curto ficar me pintando (quase nunca uso batom), deixo meu cabelo livre e à vontade para ondular, se encher de pontas. aliás procuro cortar de um jeito que favoreça essa característica dele.

mas daí, eu confio em dois terapeutas e passo a acreditar que, nisso, estou errada.

não, eu não estou. aliás, a minha fase mais desencanada foi a mais produtiva em questão de parceiros. detalhe: eu ainda usava óculos e tinha os cabelos curtos.

então pergunto: padrão de beleza serve mesmo para quê?

Gustavo disse...

Penso, assim: se quer passar no vestibular, vc tem q estudar.
Se vc quer se relacionar com pessoa X, Q gosta de uma pessoa diferente de vc, vc tem q se adaptar...
só não garanto q vai dar certo
o problema das pessoas "feias",é q elas só reclamam disso, pq não são aceitas por quem elas desejam...

lola aronovich disse...

Nossa, vc é meio burrinh@, né, anônim@? O padrão de beleza não tem nada a ver com escolhas individuais. O padrão de beleza é impossível de se atingir pra enorme maioria das mulheres não porque as mulheres comem torta de chocolate, mas porque medir 1,75 m, pesar 55 quilos e ter pernas quilométricas é pra poucas. Não é um biotipo comum, principalmente entre as brasileiras. Eu posso não colocar mais uma só migalha de torta de chocolate na boca pro resto da vida, e, ainda assim, nunca farei parte do padrão de beleza imposto. Que, por sinal, é um padrão de beleza racista. Uma negra que não cede às tentações de uma torta de chocolate (e por que deveríamos ceder?) nem por isso estará dentro do padrão de beleza. Mas é mais fácil pra vc fingir que nada disso existe e culpar as gordas por comerem demais, né? Assim vc vai longe

20:44 disse...

e de como problemas que a gente nem sabia que tinha precisam ser resolvidos com a máxima urgência (por exemplo: clareamento anal).

Olha aí, Lola, nem você que é uma mulher adulta, experiente, sabia dessa bobagem pornográfica, mas a criança de 12-13 anos já fica sabendo pelo seu blog, como eu também. isso não é cabeludo? Isso é assunto e parte de uma resposta responsável pra uma garota de 13 anos? Isso é ajuda?

Majô disse...

Gustavo, se vc quer se relacionar com pessoa X, q gosta de uma pessoa diferente de vc, responda: vc se adapta, você se molda?

Você já fez isso alguma vez na vida? E você se sentiu realmente bem fazendo isso?

Gustavo disse...

Alguém ae gosta de pescar? bem eu gosto, pra vc atrair os peixes, vc precisa da isca, pra cada tipo de peixe tem uma isca diferetente, se vc só tiver a isca(beleza), vc não fisga(conquista), se vc só tiver o anzol(qualidade interior), vc não atrai.
Acho q o ideal é um equilíbrio

Anônimo disse...

Hahahahahha. A LisanaHD é o troll oficial da Lola. O encosto que se nega a sair. Hhahahahhahahaha.

Gustavo disse...

Majô, Ex: do vestibular de novo, vc quer passar, não gosta de uma ou outra matéria, porém é fundamental vc estudar ela pra conseguir passar, vc não se esforça? a questão da mudança, é complexo, pq as vezes "sou assim vou morrer assim" é meio egoísta, e pessoas egoístas morrem sozinhas,se a mudança ajudou a vc consquistar o q vc queria, sim acho válido.

Sara disse...

Laura muito esquisito ia ser se vc com 13 anos estivesse se achando o máximo, portanto querida tenha certeza o que vc esta passando, 99.99% das mulheres tb passaram, o mais triste vai ser quando vc chegar na minha idade e ficar olhando as fotos que vc tira agora e dizer pra si mesma como eu era bonita, pq não aproveitei melhor minha vida em vez de ficar me sentindo mal comigo mesma.

Gustavo disse...

ahh e a questão do vestibular ali, tem o curso q vc quer(ou vc acha q quer), só passando, entrando na faculdade, fazendo o curso, pra saber se é isso q vc quer, logo as mudanças , as escolhas , tem lá suas consequências, dependendo da situação, acho q vale a pena arriscar

Sara disse...

oooooo la em casa kkkkkkkkkk

lola aronovich disse...

20:44, pois é, eu também pensei bastante antes de incluir este exemplo de clareamento anal para ilustrar um problema que nem sabíamos que existia, e que, hoje, várias mulheres consideram prioridade. Mas eu já havia falado disso em outro post (e o clareamento anal não era o assunto principal do post, era um exemplo, a meu ver, bem irrefutável de uma indústria que vive criando “soluções” para problemas invisíveis), e talvez a Laura e outr@s leitor@s de 12 e 13 anos tenham lido aquele post. Mas sim, não é algo que elas precisam saber que existe. Eu acho bem perturbador também. Por outro lado, eu não vi essa nova cobrança por ânus rosa em qualquer site ou blog pornô ou fechado para adultos. Foi em blogs e fóruns mascus e outros igualmente machistas (mas que nem sabem que mascus existem).

Majô disse...

Gustavo, você está comparando relacionamento com vestibular, conquista com pesca...

Essas metáforas são bem tortas.

Até acho que entendo o que você quer dizer com "se esforçar". Interpretei como ser tolerante e respeitar as diferenças, estar de ouvidos abertos e disposto a melhorar certas atitudes, ou ajustar os pontos em nome da convivência com quem você gosta.

mas se moldar a alguém para conquistá-la, pra mim, só existe em dois casos: 1) qdo a pessoa tem uma autoestima baixíssima ou 2) quando a pessoa é mal caráter e quer fazer o outro achar que você não é quem realmente é.

Anônimo disse...

Laura muito esquisito ia ser se vc com 13 anos estivesse se achando o máximo, portanto querida tenha certeza o que vc esta passando, 99.99% das mulheres tb passaram, o mais triste vai ser quando vc chegar na minha idade e ficar olhando as fotos que vc tira agora e dizer pra si mesma como eu era bonita, pq não aproveitei melhor minha vida em vez de ficar me sentindo mal comigo mesma.


CARA, MATOU A PAU.

+100000000000000000000000

Gustavo disse...

Exatamente majô, tolerar e tals, isso q eu quis dizer...
acima eu disse, sou do meio do rock, tenho 25 anos, e nunca fui em lugares diferentes (apenas shows e bares do tipo), 80% do público é masculino, e o público feminino , entende como qualidade ser cabeludo, tatuado e músico , estou dentro de um padrão social aceito(fortinho,cabelo curto etals), e não sou "aceito" assim no meu meio, porem sou como EU quero,mas tenho q conviver com as consequências das minhas escolhas...

20:44 disse...

Nos anos 60-80 o padrão twiggy cabide foi estabelecido para modelos e o padrão Coca-Cola & McDonald's et al foi estabelecido para a população em geral. Estava criado o conflito em que estamos até hoje.

Anônimo disse...

Gente, será que a Laura estava querendo um conselho da Lola para tomar coragem e tentar a carreira de modelo?

Maria Valéria disse...

Conheço pouquíssima gente que se achava bonita aos 13 anos. As exceções eram as meninas ' lindas' do colégio, que todas as meninas que se achavam feias queriam imitar e tentar( em vão) ser iguais.
Essa menina, a Laura, deve ter ouvido insultos bem cabeludos quanto a sua aparência,vai saber se sofre bullying na escola( provávelmente sim, senão nao estaria com a auto estima tao baixa)
Quem se acha feio, quem sofre bullying, nao conta aos pais e muitas vezes nem ao psicólogo, tamanha a vergonha que sente pelo que esta passando.
E crianças de 13 anos nao podem ter a mesma maturidade que se exige dos adultos, nao sabem discernir muita coisa ainda.Na minha epoca,quando se faziam os ' bailes' em festas de aniversario, o que restava a uma garota de 13 anos que nunca era tirada pra dançar, e com os meninos caçoando,' ninguém tira vc pois vc e feia?'claro que a tendência , quando temos 13 anos, sera acreditar em tudo que ouvimos,( eu aos 13 anos, magrela, cabelo armado e óculos fundo de garrafa)... Palavra de quem já passou por isso e só se libertou aos 18 anos, depois de escutar muito xingo de meninos...
Entao, Lola, espero que vc consiga ajudar essa menina,
De verdade-:)
Bjs

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Queria muito dizer pra Laura que na adolescência somos mesmo mais dramáticos, temos a auto-estima mais baixa, só enxergamos defeitos, que isso é coisa dos hormônios, que depois passa, mas infelizmente não é verdade.
A Lola já disse tudo no post, a gente vive em um mundo capitalista onde mulheres eternamente insatisfeitas com a aparência e que precisam de "reparos" constantes são uma mina de ouro pra publicidade, indústria de maquiagem, cabelo, moda, plástica, dieta, etc.
A gente pode se deixar levar por tudo isso ou não.
Lembro de quando eu era adolescente e me achava obesa, porque eu pesava cinquenta e oito quilos, mas abria as revistas e todas elas me mostravam mulheres com o dobro da minha idade que pesavam menos do que eu e todas me dizendo que eu podia e devia ser como elas. Hoje eu vejo como eu era inocente e manipulada, como não tinha nada errado comigo, mas como eu era levada a achar que tinha.
Hoje em dia acho que encontrei um meio-termo, não vivo em função dos rituais de beleza, mas também não abdiquei daqueles que acabei por gostar, gosto de me sentir bonita, mas passei a encontrar beleza não somente no que a mídia dita que é o bonito.

Abçs e que vc encontre o seu equilíbrio.

Anônimo disse...

http://blogueirashame.blogspot.com.br/2012/04/classe-media-sofre.html#comment-form

nada a ver com o assunto... mass que ano é hoje?

Anônimo disse...

Oi Lola e pessoal.
Vi muitas aqui dizerem que aos 13 é difícil mesmo e tal, mas sempre fico pensando que quando eu tinha 13 lá em meados da década de 90 era uma coisa e ter 13 em 2012 ao meu ver deve ser beem pior. Só para usar o que a Lola falou, na década de 90 não tinha clareador anal...rs, e nem mania de chapinha, nem era o auge da loucura querosermodeloaltamagra, nem tinha esta indústria da beleza tão forte como hj no Brasil.
Ou seja de lá p cá mudou pracaramba..;(
Mesmo assim, se é que a menina vai conseguir entender meus sentimentos, pois não vou dizer nada sobre o que muitas leitoras já disseram (padrão de beleza, opinião dos outros etc..) por já me sentir contemplada.
Mas o que quero dizer é que Laura, se vc conseguir se entender como ser humano neste mundo, assumindo o papel de ativa, critica, feminista e transformadora desta merda que é, e conseguir se sentir menos pressionada pelo mundo patriarcal (ainda que haja esta estrutura que te tente moldar), e conseguir dar um foda-se para isto, viu, esta sensação é tão, mas TÃO , TÃO libertadora, tão feliz que garanto que não tem beleza padrão ideal que vai trazer tamanha sensação de liberdade caso vc consiga se livrar, ainda que individualmente e subjetivamente, destas amarras. Depois disso, é só partir p luta e mudar esta merda que tá...Te garanto que se sentirá realizada como ser humano, plena de vida para querer transformar isso que temos.

Vivi disse...

opa, sou a Vivi aí em cima.

Vivi disse...

Só para acabar..
Eu sou uma pessoa muito feliz e realizada como ser humano. Claro que isso se deve a inumeros fatores, mas te garanto que o feminismo é um desses que me traz mais satisfações. ;)

Marta SP disse...

Galera, na boa, eu leio certos comentarios e fico meio "cabrera" Uma fala que ter 13 anos e phoda mesmo, outra que passou pela mesma coisa e vai passar Nao vai passar assim (ou vcs soh conhecem pessoas frustradas com suas aparencias na adolescencia???po quero ir morar aí nesse lugar de vcs)! Essa garota vai sair na rua e vai continuar sendo pressionada a ser assim e assado a vida INTEIRA Aguentar até aguenta ou nao, e se aguentar, com que danos morais e físicos?) Mas vamos indicar links legais pra ela ler, autoras e autores, blogs (como esse aki, que tem um monte de links interessantes, dicas de filmes excelentes), falar sobre a questão de gênero e discriminação...Esse discurso de vai passar é muito foda, a garota se sente bem 2 minutos e amanha começa tudo de novo Estamos sendo massacradas há sei lá qtos mil e esse discurso do "procure quem te ama do teu jeito" não basta porra! sabemos que não funciona, queremos ser livres em um contexto mais amplo, não se trata apenas de "achar alguem que goste da gente do jeito que a gente é", "não ligar para o comentário dos outros"...Poxa, tem certas pessoas que vao aconselhar que parecem que estão brincando!

Marta SP disse...

Agora que vi que saiu um monte de palavrão, desculpe Lola e leitoras e leitores

Caroline disse...

Gatinha, acredita: tu é LINDA! Não importa que tu não pareça modelo ou algo que o valha. Ser gorda ou magra, alta ou baixa, ter cabelo liso ou crespo não te faz ser um ser humano melhor nem pior. Algumas pessoas não vão saber reconhecer o teu valor, claro, mas não liga. Ninguém consegue ser admirado por todos.

Quando eu tinha 13 anos, meu problema era o oposto do teu... eu era gordinha. Sofri muito bullying na escola por isso, mas passa. Um dia tu percebe que, mais importante do que ser bonita, é ser feliz. E isso só acontece quando tu aprende a reconhecer o quanto tu é uma pessoa maravilhosa, independente da aparência física. Força!

Anônimo disse...

Anônimo disse...
http://blogueirashame.blogspot.com.br/2012/04/classe-media-sofre.html#comment-form

nada a ver com o assunto... mass que ano é hoje?

27 de abril de 2012 00:07 ////////////////

Hehehehe, mais gente que lê a Lola e Shame. Postei o link do blog da gongada aqui. Mas o que me revoltou mesmo é que tem gente que não achou nada de mais esta listinha. Vá para PQP. Isto é coisa da época da Colônia!

Anônimo disse...

Anônimo das 08:50

Eu também li o citado blog e fiquei indignada.
Papel higiênico dobrado em V? Campainha na mesa para chamar a 'mucama'? WTF?
Essa aí é a Nazaré Tedesco do Ceará.

Medo, muito medo de uma 'humanidade' onde os viventes acham esse tipo de coisa normal.


Bruna.

A tal da menina xisdê disse...

Comentários fenomenais Lola! Sou fã do seu blog... Comento poucas vezes mas gosto muito de ler.

Uma coisa que eu acho engraçada nessa história toda é o seguinte: garotas com 13 anos de idade se incomodando com ter um corpo de mulher adulta!

Quer dizer, a exigência desse padrão de beleza e de "perfeição" (o que eu acho muito vago, dizer que o padrão de beleza atual é perfeito, pois, sinceramente, pra mim não é lá aquelas coisas), chegou a um ponto tão além do limite, por meio da mídia, do discurso social e companhia, que seres que são ainda praticamente crianças estão sendo afetadas por ele! Parece muito óbvio.. Sempre que eu expresso essas minhas indignações, as pessoas acham que eu estou meio lelé da cuca porque elas veem isso como algo normal, ÓBVIO. Mas eu não consigo me conformar: acho um A-B-S-U-R-D-O!!!

O pior é que eu, quando tinha essa idade, passei pela mesma coisa. Me sentia feia, cabelo armado de mais (tenho cabelos cacheados), magrela demais.. Queria ter seios, quadril... O que era impossível pois eu estava no início da puberdade! Agora com quase 19, meu corpo está bem mais amadurecido do que na época. Ainda sou bastante magra, alta feito um poste, a aparência do meu rosto também amadureceu, só que eu, com tudo o que aprendi até então, e MAIS AINDA após conhecer e agregar-me ao feminismo, sinto-me perfeitamente satisfeita comigo mesma. Acho-me bonita e isso não é só bem estar com meu corpo... É bem estar com minhas ideias, minha autonomia, minha postura crítica... É meu bem estar com meu esforço em colocar-me como Sujeito e não como Outro (já dizia Simone de Beauvoir). Cá entre nós: até acho minhas marcas, que são consideradas pelo padrão de beleza como "falhas" no corpo, um charme! Elas são MINHAS, fazem parte do meu ser e eu as aceito. Porque esse é o processo natural! E hoje tomo uma postura indignada com meu incômodo ao início da adolescência em querer ter curvinhas. É uma exigência que atropela o processo biológico! E depois ainda me vem machista querendo justificar seu machismo, a inferiorização da mulher com "dados biológicos" totalmente distorcidos, com características "inatas" do ser. CONTRADIÇÃO DETECTED!!!

Amanda disse...

Olá a todos, para quem se interessou pelo documentário citado pela Lola ao fim do texto, aqui está o link atual legendado no YouTube:

http://www.youtube.com/watch?v=7ADwg9fBEB0

Por causa dos direitos autorais não dá pra saber por quanto tempo ficará no ar, então é uma boa oportunidade de assistir sem ter que baixar.

Abraços a todos.

Dri Caldeira disse...

Que vergonha esse monte de gente esclarecida, mulher metida a "avançada" e "tolerante" criticar a Lola por publicar um post de uma menina de 13 anos! Serviu pra vermos como anda a cabeça da juventude hj em dia, como a nossa geração não fez nada pra facilitar a vida das gerações futuras. Bando de hipócrita, só sabem botar reparo nos q os outros fazem! VTNC!!

LisAnaHD disse...

calma, Dri. segura a peteca, santinha.

Thata disse...

Querida Lola,
Peço sua autorização para publicar, com as devidas referências, este seu guest post no blog que fiz para minhas alunas (www.nosnaideia.blogspot.com.br), e no meu blog (www.feminismonanet.blogspot.com.br)
Obrigada!
Thais

Diana disse...

Comentário gratuito e aleatório, mas, hhahahaa, acho que as fivelas podem ser descontadas de modo geral, afinal, elas servem só pra manter o cabelo fora da cara/diminuir o calor. Não é tanto pela aparência - por isso que as "piranhas" e "bicos de pato" fazem tanto sucesso apesar de deixarem seu cabelo completamente zoneado e horrorosamente embaraçado - é afinal um país tropical.

Anônimo disse...

Com 13 anos é normal ser magricela, o lado bom é que depois, na idade adulta, vc vai ser magra normal. Quase toda menina de 13 anos se acha feia. E outra, se achar feia só porque não tem olho claro e não é muito alta, sério mesmo?

Anônimo disse...

E outra, uma grande parte das meninas de 13 anos é bem magra, olívia palito estilo, mas poucas dessas continuam sendo assim depois dos 20 anos, a maioria ganha corpo e fica bonita.

Anônimo disse...

no meu caso é parecido todos me acham feia tenho 12 anos e me acho feia as calças caiam em mim não tenho nenhuma doença tenho espinhas no rosto e já pensei de parar de estudar mas minha mãe me animou mais não sou popular, linda o q eu posso fazer pelo menos para acabar as espinhas ?

vanessa disse...

o q eu faço para acabar as espinhas?
q todas meninas sofrem

Anônimo disse...

poxa tenho as canelas tao finas e sou mto desprezada por isso

Eduardo Freitas disse...

Pensem (não só a missivista) nisso: Não é você quem tem que ser linda. A beleza é que tem que ser você.
Ainda que eu já achasse minha esposa linda antes de casar, ela fez meu padrão de beleza mudar junto com ela, o que é ainda mais importante.

Anônimo disse...

amiga as pessoas de hoje em dia ve a beleza por fora as vezes aquela pessoa que esta ali no cantinho sentada calada de cabeça abaixo sem nenhum amigo muitas das vezes aquela pessoa que tem a beleza por dentro por ser linda brincalhona as pessoas de hj em dia sao muito preconceituosas eu mesma ja sofri esse tipo de brinacadeira de mau gosto por eu ser magra e um pouco alta hj sou uma mulher determinada hj todos aqueles meninos que me chingavam tempos atras hj choram pra terem a minha amizade entao siga seu coraçao ninguem e perfeito!

Nilza Oliveira disse...

eu queria que eu não pensase assim de mim!!!

Anônimo disse...

Mania de gente gorda, e de quem tem o corpo "ok", é achar que ser magro é coisa boa haha vcs não sabem de nada. Eu peso 45 kg, tenho mais ou menos 1.64m com 17 anos e visto roupas de criança (ou tamanho 36 ou PP, que ainda fica meio fogada quando tem). Vcs não sabem a dificuldade de comprar roupas, são horas e horas procurando, tem vezes que fico com raiva e vou embora. Quando chego numa loja que não acho roupas para mim e vejo que tem roupas GG fico revoltada, mas fazer oq neh? O povo só tem pena de gordinho. E não vem com essa de dizer que estamos mais próximos do padrão de beleza (gostosos) pq não estamos! Ah, mas é fácil engordar, vc pode dizer. E eu lhe reponde que não, estou tentando chegar a 45 a 4 meses e nada, vc nem imagina a facilidade de perder peso que os magrinhos têm. Sem contar que os comentários vem de todos os cantos, cansei de ouvir minha família perguntar se eu não tenho comida em casa, entre outras coisas. Tudo bem que eles também riem dos gordinhos mas é mais ou menos assim que acontece: fulano vc esta muito gordo pq não dá um pouquinho de gordura para ela... ou: fulano vc come muito deixe um pouco pra ela que esta precisando. Sem contar que tenjo duas primas de 12 e 13 ano que tem mais corpo que eu e ficam rindo de mim por isso, e me perguntando pq minha bunda e pernas são tão magros. Isso é muito triste, mas nem se compara com a parte amorosa... já pensou em escutar do garoto que vc gosta:"quem gosta de osso é cachorro"?
Sei que deve ser duro a vida de uma pessoa a cima do peso, mas, na minha opinião, estar abaixo é bem pior!!
Obs: e isso é apenas 50% do que eu sofro.

Josiane Gonçalves disse...

agora vejam minha situaçao. tenho 15, sou loira, alta , com olhos verdes e branca. a 2 anos atras sofria por ser tao magra... nao pesava mais de 50 kilos. agora que esses dois anos se passaram peso 64 kilos. muitos ate me chamam de gorda. outros dizem qe meu corpo ta lindo. com pernas e bunda grande. mais mesmo assim sofro... nao consigo nem me olhar no espelho. quando olho so vejo osso.. queria engordar muito mais. muita gente me chama de louca quando falo isso . nao sei mais o que fazer. minha aparencia .. me faz muito mal. sendo que todo mundo diz ao contrario. ao eu vejo que sou feia .

Anônimo disse...

Eu tenho 21 anos sou magra e me acho feia , todos dizem que eu preciso engorda ou como falam cria um corpinho.As pessoas dizem que e bom se magro mas qual e a Parre boa ?
Não acha roupa fácil e ainda tem que ouvir frases como " vai na ala infantil " affs , e os homens tbm não gostam de mulheres magrinhas , as vezes e muito ruim senti como se ninguém visse você vivemos em uma sociedade em que oque importa e a beleza o resto e merro detalhe .