quarta-feira, 4 de abril de 2012

GUEST POST: BRASILEIROS RECLAMAM DEMAIS

Aproveitando que nosso patriotismo deveria estar um pouco em alta, depois que o Brasil adotou medidas de reciprocidade para turistas e visitantes espanhóis (o que deixou a Espanha, que está numa séria crise, tristinha), publico hoje o guest post da Ana Paula, uma brasileira que mora nos EUA há oito anos. Ela é engenheira civil com mestrado e doutorado em Geotecnia, e é professora da Universidade da Flórida.
Não concordo com tudo que ela diz no post, mas não há dúvida que brasileiros, principalmente os de classe média, na qual me in
cluo, reclamam demais, e muitas vezes de barriga cheia. E basta morar um tempinho no exterior pra constatar que aquele mito de que "país civilizado é outra coisa!" é só isso, um mito. Eu vivi um ano nos EUA e tive um monte de problemas, daqueles que os brasileiros juram que só acontecem aqui. É disso que trata a indignação da Ana Paula.

Preciso desabafar e acho que você é a pessoa certa pra "ouvir". Essa minha revolta começou ao ler o post de uma amiga no facebook e ver a resposta de uma outra brasileira à ela.
Aqui está o post da minha amiga:
Recebi a conta da sala de emergência e estou chocada: 9,713 dólares! Deveria ser crime cobrar tanto de alguém que precisa de assistência médica! Não removeram meu estômago! Foi só dor! Meu seguro saúde pagou 8,406 dólares. O resto da conta, 1,300 dólares, sou eu que terei de pagar!" E aqui está a resposta que me deixou revoltada: Concordo contigo! Isso é fora de cogitação! Mas se fosse no Brasil, eles também teriam removido seu estômago!"
Estou tão de saco cheio dos brasileiros reclamarem do que têm. Moro nos EUA há 8 anos e quando vejo esse tipo de comentário, fico revoltada. É essa mania de todo mundo achar que lá nada presta e aqui tudo é uma maravilha. Durante uma visita ao Brasil, minha filha, então com um ano e meio, precisou ser levada a um ER, num domingo, pra fazer um enema. Esperei uns 15-20 minutos na sala de espera e fui levada pela enfermeira direto à sala da médica que já estava lá a minha espera. Fui super bem atendida e logo em seguida, a enfermeira veio nos buscar e levar pra sala do procedimento, sem esperas, e saí de lá com custo zero!
A mesma coisa já tinha acontecido aqui nos EUA quando minha filha tinha 3 meses, também num domingo. Ficamos uns 10-15 minutos na sala de espera. Mas aí vem a enfermeira te colocar numa sala, fazer mil perguntas (que serão perguntadas novamente pelo médico) e ficamos lá, uns 45 minutos esperando o médico chegar. O mesmo procedimento foi feito. A conta? Mais de mil dólares, dos quais meu seguro pagou uma parte e me sobraram U$ 350. Agora, e quem não tem seguro? Faz o quê?
No caso da minha amiga, foi descoberta uma úlcera, imagino que tenham feito exames. Mas uma conta de quase 10 mil?! Acho o atendimento médico no Brasil muito superior ao daqui. Mesmo quando se tem seguro saúde, os médicos sofrem uma pressão muito grande das seguradoras pra reduzirem pedidos de exames, procedimentos etc. Numa gravidez aqui, se fazem um ou no máximo dois ultrassons. Acho que aí no Brasil, mesmo pelo SUS, fazem-se uns seis ou sete.
E o sistema odontológico, então? Aqui, além dos dentistas quererem sempre partir pra canais, coroas e extração do dente (é a filosofia do “pra que arrumar, quebrou, joga fora”, como tudo aqui), o custo é absurdo. Conheço famílias que esperam uma viagem aos seus países de origem pra fazerem o tratamento. Mesmo com plano dental, os procedimentos são pagos somente 20% a 50% (quanto mais caro o procedimento, menos eles pagam). Eu nunca vi tantas pessoas jovens com dentes tão arruinados, pretos de cárie ou mesmo faltando muitos deles. E pessoas jovens. E não são pessoas paupérrimas não. Outro dia vi duas mulheres na Disney assim. A entrada na Disney custa caro, então dá pra imaginar que elas não eram muito pobres. E a faculdade de odontologia daqui não aceita nem o plano de saúde que a própria universidade oferece aos demais funcionários, quanto mais atender à população pobre de graça ou a custos módicos como as universidades do Brasil fazem.
Mas não foi só pelo comentário maldoso em relação à saúde no Brasil que fiquei revoltada. É porque tô cansada mesmo de ver brasileiro reclamando. Pode ser sim que ainda existam muitos problemas a serem solucionados. Por exemplo, a segurança. Eu admito que na cidade onde moro a gente pode andar tranquila, sem ter que se preocupar em ter a janela do carro fechada, ou ter que estar sempre agarrada à bolsa. Mas aposto que nas grandes cidades americanas existem problemas de segurança também.
Sabe o que tem me irritado também? As reclamações sobre a Copa no Brasil. Odeio ver no FB o famoso post mostrando números relacionados com a Copa e reclamando que primeiro deveriam arrumar escolas, estradas etc... Parece que o brasileiro sempre reclama de barriga cheia e tá sempre insatisfeito. Lola, você aposta quanto que, se o Brasil tivesse perdido mais uma vez ser sede da copa, tava todo mundo reclamando e metendo a boca na FIFA e se achando injustiçado porque afinal, somos os únicos pentacampeões, e nada mais justo que a copa fosse no Brasil?
Enfim, acho que é só quando a gente vai morar em outro lugar pra aprender a dar valor ao que tem. Cada pessoa que reclama do Brasil deveria ser obrigada a morar um ano aqui. Aposto que iriam voltar para o Brasil de braços abertos. Capaz até de beijarem o solo brasileiro, à la João Paulo II, quando aterrissassem!

262 comentários:

1 – 200 de 262   Recentes›   Mais recentes»
Marina disse...

Olha, é bem verdade o q ela escreveu!
Fiz uma viagem pela Europa no mês de janeiro, passando pelas principais capitais (Amsterdam, Berlim, Paris, Roma, Londres)..moro em São Paulo e pude constatar que minha cidadinha não perde pra essas capitas de primeiro mundo não!! Com exceção de Londres, e guardada as devidas proporções, pois só fiquei uns 5 dias em cada lugar, SP está melhor q todas as outras em quesitos como segurança no transporte público e limpeza.
Voltei pra cá livre do preconceito contra nós mesmos q eu tinha antes de conhecer o "primeiro mundo"!Além de compreender que a comparação de SP, com mais de 10 milhões de habitante, com Amsterdam por exemplo (que é uma cidade minúscula) não é mto justo...

Marina disse...

***habitantessssss

Niemi Hyyrynen disse...

Pois é, essa mania de brasileiro de reclamar de tudo, mais o combo da sindrome do vira lata, é péssimo...

Mas eu acho que parte do problema pode ser resolvido se as pessoas se mobilizarem no sentido de praticarem mais a "reclamação organizada", ou seja, partir par grupos de estudo de genero, abrir mais grupos estudantis, se mobilizarem em grupos de representação de bairros. Brasileiro tem muita vontade de reclamar mas pouco de se organizar, acho que se organizando a reclamação ganha função e passa de uma chatice a algo benéfico.

E sim, os paises ditos como "de primeiro mundo" tambem tem seus problemas.

Tem um documentario do Michael Moore, é o Sick? Sick eu acho que fala dessa situação ridicula da saude nos estados unidos.

*Não sei como a Lola não citou no texto...rs

Maíra disse...

Bom, não discordo de muita coisa, mas também não concordo com outras. Sinceramente, não acho que os EUA sejam comparação, porque eu particularmente não acho que seja um bom país para se viver. É uma péssima comparação, na verdade. A saúde nos EUA é uma merda, muito pior que o Brasil, sem a menor dúvida. Quem não acredita, asssista ao documentário SOS SAÚDE do Michael Moore. Agora, acho, SIM, que todo mundo tem o direito de reclamar! E quem acha o Brasil uma "maravilha" e mora no exterior, então por que não volta pra cá?! Engraçado, porque ninguém volta! Acho interessante fazer uma comparação do Brasil com Canadá ou países da Europa, por exemplo, onde as coisas realmente funcionam, e não os EUA. O sistema de saúde do Canadá, França, Holanda, por exemplo, são excelentes, e públicos. Mas a saúde é só um pequeno detalhe de todas as coisas que deixam a desejar no Brasil. Quanto a copa, bom, não tenho nada contra a copa ser aqui, mas é bem óbvio que todos esses gastos poderiam ser revertidos para outras coisas, né? Isso é indiscutível! Claro que teremos um retorno, o Brasil irá ganhar muito dinheiro com o turismo na época da Copa, que bom...! Mas também é muita ingenuidade acreditar que se a copa não fosse aqui, esse dinheiro seria usado para investir em saúde e educação. Óbvio que não iria. Mas, enfim, concluindo, achei bem pobre esse texto e os argumentos dessa moça.

Beijos

sex pistol disse...

Sei lá,Lola,
esses lances de pátria, nacionalismos, passaportes, acho que não é por aí... e justifica uma porrada de coisas que sou contra: superioridade de uma cultura em detrimento da outra,e portanto pessoas que se acham melhores do que outras por causa disso cagando regras, "merecimento" ao subjugar outros países "menos desenvolvidos", exércitos para defesa de "soberania", mas que em certos casos vão defender a "soberania" em território alheio, desenvolvimento de novas tecnologias destinada a construção de material bélico etc.Prefiro pensar como na música dos Titãs:

Lugar Nenhum

Não sou brasileiro,
Não sou estrangeiro,
Não sou brasileiro,
Não sou estrangeiro.
Não sou de nenhum lugar,
Sou de lugar nenhum.
Não sou de São Paulo, não sou japonês.
Não sou carioca, não sou português.
Não sou de Brasília, não sou do Brasil.
Nenhuma pátria me pariu.
Eu não tô nem aí.
Eu não tô nem aqui.

Anônimo disse...

Olha que vitória para quem não deu o caso por encerrado! http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1071627-decisao-do-stj-que-absolveu-acusado-de-estupro-e-alvo-de-recurso.shtml

sabrina disse...

ela dizer q a saude aqui é boa n passa de uma piada né,n sei em que hospital ela foi mas n é essa maravilha toda n.

o q mais tem é noticia de hospital lotada,pessoa q morre pq n foi atendida e até pra quem tem plano de saude está uma droga.

eu tenho e hospital particular que eu vou vive lotado,vc espera horas pra ser atendido,ja fiz um exame e depois de umas 4 horas esperando o enfermeiro vem e diz q meu exame sumiu.

sabrina disse...

maíra ta certa,tem muito brasileiro q diz ama seu país e bla bla mas continua nos eua,no canada...

Brasileira sim Senhor disse...

Olá Lola, moro no Japão e mesmo tendo alguns pontos positivos, também tem os negativos, que faço questão de alertar quem acha que aqui é um encanto. Eu acredito que possamos conviver com as diferenças, sem ser radical. Já aconteceu de amigos japoneses se espantarem com coisas que conto do Brasil pois não conhecem a cultura.
bjs,
Elo

Augusto disse...

Eu reclamo da Brasil, mas tenho certeza que iria reclamar dos EUA, que parece ser mais cruel com seus habitantes. Entretanto acho que tem países melhores que estes dois.

Anônimo disse...

Também não curto nada que tenha relação com patriotismo.
Patriotismo, geralmente carrega o sentido de hierarquia (mesmo sem percebermos).
Gosto de ser brasileira, mas não me considero patriota, me ofendo quando falam mal de brasileiro, mas se fosse para escolher queria que não houvesse separação de países.

Augusto disse...

Eu não sou nada patriota também, eu analiso cada coisa antes de sair dizendo "O Brasil é o melhor (ou pior) em tudo". Porque tem gente que é assim com um patriotismo que vai além da razão.

Scandella disse...

Sabrina, isso depende muito da região e da estrutura dos próprios hospitais. Um dos problemas do SUS (e ele é um sistema novo, até, por isso não acho que compreensível não ser PERFEITO) é que a coisa acaba sendo muito mal distribuída. Há bons hospitais e são feitos certos exames e tratamento de forma primorosa, assim como há essas filas e gente morrendo enquanto espera.

Penso no que ocorreu com minha sogra há uns três anos. Ela quebrou a tíbia, partiu no meio mesmo, foi para um hospital público, não teve de pagar nada, foi operada, ficou internada em boas condições durante a recuperação e hoje caminha bem, não tem sequelas, apesar da idade. E isso foi em Carapicuíba, que sempre foi a "cidade mais pobre da Grande São Paulo" (e ainda deve ser, sei lá). Enfim, acho que simplificar demais o caso da saúde no Brasil não permite enxergar as coisas de modo claro.

(eu sei das barbaridades, é claro. sei que há MUITO a ser melhorado e que há gente morrendo por falta de atendimento mas, como eu disse, não é tão simples)

Eva disse...

Tenho uns amigos nos EUA que já me perguntaram se estrangeiro tem direito a atendimento médico gratuito no SUS, porque sairia mais barato vir e passar mal aqui e receber atendimento do SUS do que lá, onde não poderiam pagar o tratamento. E esses tempos atrás estavam de luto por um amigo que morreu de apendicite porque não tinha dinheiro pra pagar a operação. Eu fiz a mesma operação pelo SUS e fui operada menos de um dia e meio depois de internada na urgência.

sex pistol disse...

Artista: Iggy Pop
Música: Louie Louie

"Louie Louie"

and now...the news:
louie louie
oh baby i gotta go
louie louie
oh baby i gotta go
the communist world is fallin apart
the capitalists are just breakin hearts
money is the reason to be
it makes me just wanna sing louie louie
louie louie
oh baby i gotta go
louie louie
oh baby i gotta go
a fine little girl is waitin for me
but i 'm as bent as dostoevsky
i think about the meaning of my life again
and i have to sing louie louie again
louie louie
oh baby i gotta go
louie louie oh baby
i gotta go
let's give it to' em right now
oh man, i dunno like...health insurance
the homeless & world peace
& aids & education ... i' m tryin to do right
but. ..hey
life after bush & gorbachev
the wall is down but something is lost
turn on the news it looks like a movie
it makes me wanna sing louie louie
louie louie
oh baby i gotta go
let's go

sabrina disse...

scandella realmente deve ter estados e cidades com atendimento,mas aqui no rj tá bem ruim.
ja devem ter visto propagando de upa,q nos comerciais é supostamente uma maravilha mas é outra porcaria,medicos atendem mal,horas esperando.

Augusto disse...

Acho que o problema daqui é que a ideia do SUS não é concretizada. Algumas cidades o SUS é bom e igualado a hospitais particulares, já em outras falta-se médicos e infraestrutura.

Scandella disse...

Sex Pistol, gosto da versão da Louie Louie cantada pelo Black Flag. Tem uma do Clash também, não tem?

Augusto disse...

Alguém sabe como são os serviços médicos no Canada?

André disse...

Não dá para comparar Brasil e EUA na questão de saúde. Os modelos são diferentes, tem que comparar Brasil e Canadá ou Brasil e Europa.
Evidente que o SUS tem muito hospital de primeira linha, mas a maioria está longe do satisfatório.

Augusto disse...

Enquanto lá um IPOD ou um eletrônico sai por um terço do preço, no Brasil a Saúde sai mais barata.

Acho que eles desenvolveram tanto a parte econômica e tecnológica deles e esqueceram a Saúde, Educação...

Paula disse...

moro na Alemanha e na semana passada precisei ir ao hospital por conta de uma infecção urinária...
cheguei lá, sem filas, esperei acho que uns 15 min, me fizeram os exames necessários, me deram o medicamento e fui muito bem atendida.
Custo: 10 euros, pq tenho seguro (pago 70 euros por mes)
beeeeem melhor do que o principal hospital PARTICULAR da cidade onde vivia no Brasil...

todos os países tem seus prós e contras..

Scandella disse...

Pois então, Augusto. Acho que é por aí, mesmo. Falta que se trace um planejamento sério para que a qualidade de atendimento e dos procedimentos seja "homogênea" em todos os postos. Claro que num patamar alto, também...

Mais que isso já não posso dizer, não entendo porcaria nenhuma de administração hospitalar e qualquer bagaça relativa a isso.

Augusto disse...

Leiam esta reportagem:
http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2012/04/04/nao-volto-de-jeito-nenhum-aqui-sou-um-ser-humano-nao-uma-condicao-desabafa-brasileiro-que-vive-no-canada.htm

Ele fala que ele até conseguiu óculos de graça no Canadá, por isso minha curiosidade.

suelen disse...

o texto dessa mulher é bem hipócrita,o brasil é melhor?pq ela ainda mora nos eua?

eu n sou patriota, patriotismo vira uma obrigação de amar o seu país,n importa se vc gosta ou n.

e eu n acho q devo idolatrar o brasil só pq nasci aqui,eu n gosto desse clima ,odeio calor,n gosto das musicas daqui,onde o grande sucesso da vez é "ai se eu te pego"
tem musica boa mas é minoria.

uma vez vi um concurso de miss universo e os apresentadores daqui,falavam direto vamos torcer pra brasileira ,ela é mais bonita,ou seja, TENHO q torcer pra ela só pq tb sou do brasil.

e os argumentos q as pessoas usam pra se gostar daqui são risiveis,geralmente é pq aqui é bonito,n tem terromoto e tem país pior q o nosso.

quer dizer,a pessoa leva um bala perdida,é assaltado,sequestrado,morre na porta de um hospital mas n tem problema,pelo menos ela viveu num país bonito

Anônimo disse...

Moro nos EUA há quase 2 anos e uma piada constante entre brasileiros aqui é que se ficar doente é mais barato a passagem para ir receber cuidado no Brasil, do que ser atendido aqui.
Eu amo o meu país, mas respondendo as pessoas sobre voltar, nem sempre é possível. Não são só as condições do país que prendem as pessoas, mas mercado de trabalho, oportunidade de crescimento, família e etc. Então não é tão simples assim voltar.

Ah, uma coisa que me choca bastante é infelizmente perceber como as pessoas são desonestas no Brasil.
Sabe, entrega aqui é deixada na porta de casa e a maioria das casas aqui não tem muro, ou seja, o seu pacote fica a mostra na rua. Ninguém pega. Isso funcionaria no Brasil?

E a questão nem é pobreza e necessidade, porque aqui onde eu moro, existem muitas pessoas pobres, muitas pessoas vivendo na rua e mesmo assim, não vejo ninguém se apoderando do que não é seu.

Isso me leva ter a tristeza de admitir, o quão desonestos somos. Acho que é isso que se reflete no "jeitinho brasileiro" e na corrupção. Como um povo pode exigir honestidade de seus políticos, se eles são reflexo da própria população, que por sua vez, não é exemplo de comportamento?

Augusto disse...

Também acho que o EUA > Brasil, mas isso não significa que o Brasil não seja melhor em nada. Falta educação aqui, falta conhecimento sobre direitos humanos, e principalmente acabar com essa onda religiosa e machista presente aqui.

sex pistol disse...

Sabrina,
Tudo Bem?
Olha a versão original é do The Kinks, lá dos anos 60, e a música teve várias regravações: Iggy Pop, que deu uma alterada nas letras, tornando a música sarcástica e política, Motorhead e o The Clash, como você mencionou.Essas versões são as mais conhecidas.Abraço.

Augusto disse...

Também não acho que podemos comparar os EUA como um único país com o Brasil, as leis são diferentes para cada estado. Gostaria de saber de vocês, moradores dos EUA, se vivem em estados democratas ou republicanos...

aiaiai disse...

Perfeito. Gente q reclama do brasil nunca morou fora ou conheceu estrangeiros.

sex pistol disse...

Desculpe, te confundi,Scandella, rsrsrsr... mais é isso aí.Abraço

F. disse...

Talvez a classe média esteja mesmo reclamando de barriga cheia, mas nós pobres nem sabemos o que é isso. Estou vivendo pela primeira vez a experiência de ter um plano de saúde pago pela empresa que trabalho, e digo que, o crescente acesso de pessoas mais pobres a esses planos deve ter servido de desculpa para o atendimento estar inacreditavelmente ruim. Cheguei a passar 4 horas na emergência de um hospital particular esperando atendimento e quando fui atendida, recebi um péssimo atendimento: o médico fez duas perguntas apenas e nem olhou no meu rosto. Já recebi atendimento melhor, muito melhor, no SUS: fui atendida mais rapidamente, os enfermeiros eram mais atenciosos e até já encontrei bons médicos (raramente), por isso se precisar passar na emergência novamente prefiro procurar um pronto socorro público. Agora, tirando a situação de emergência, não existe meio de marcar uma consulta pelo SUS. Quem tem um problema que envolve dor ou limitação não consegue esperar de seis meses a um ano para uma consulta com um ortopedista, dermatologista, ginecologista ou gastro. E mais alguns meses para fazer um exame, etc. E o médico da emergência só te dá uma injeção e te manda de volta pra casa ou pro trabalho. Os planos de saúde reduzem esse prazo de 6 meses para uma consulta para três ou dois, dependendo da especialidade, mas de qualquer forma, se a classe média reclama de barriga cheia, nós reclamamos pouco e de barriga vazia mesmo.

Anônimo disse...

Adorei o post. É um saco ver gente que não reconhece qualidade alguma, só vê defeito!!!

Scandella disse...

No problem, Sex Pistol! Obrigado pelas informações!


F., tem uns planos de saúde que são terríveis, mesmo. Concordo contigo. Minha namorada tem asma e qual foi a surpresa dela quando teve de faltar ao trabalho devido ao problema e, chegando no hospital conveniado, descobriu que o plano dela só permitia o atendimento depois das 6 da tarde! Ela ficou esperando, passando mal bagarai, e, quando foi atendida, não recebeu atestado porque, segundo o médico, poderia estar trabalhando (quase sem respirar) até as 6 horas, quando foi atendida.

Ah, a vontade de acumular dinheiro que alguns têm faz um bem enooooorme pra população.

Bruno S disse...

Aproveitando o gancho da Niemi sobre grupos organizados de reclamação eu vejo algo engraçado.

Todos gostam de reclamar do país, das autoridades, das leis.

Ao mesmo tempo, em meios de classe média acaba sendo mal visto participar de militâncias.

Escuta-se o clássico "é coisa de desocupado, deviam arrumar um emprego".

Ana Clara disse...

Lola, no Rio de Janeiro, a lógica é outra: é a do não-reclamar.

Tenho a impressão de que existe um ufanismo besta por aqui, um complexo de 'cidade maravilhosa' que faz as pessoas se deslumbrarem com as belezas do Leblon e de Ipanema e fecharem os olhos pra problemas muito críticos da cidade. A saúde e o transporte públicos no Rio são totalmente sucateados, especialmente no subúrbio, onde moro (a ponto do meu namorado, que é de SP, dizer que se passar mal no Rio, volta pra SP pra ser atendido no SUS de lá), os governadores e prefeitos têm pactos horripilantes com as escórias das mais diversas áreas de atuação criminosa do Rio (um determinado prefeito super estrela fez um num bairro pobre onde minha vó mora, pasme!, junto com o chefe da milícia de lá quando estava em campanha eleitoral) e muito mais. E pouca gente reclama, pois está todo mundo feliz porque vai ter Olimpíada aqui, porque o Papa vem, porque o Rio de Janeiro continua lindo, porque agora tem UPP...

Isso me entristece muito. Eu abomino, sim, as reclamações estilo 'classe média sofre', mas eu já tive de ir com a minha família, todos acidentados em uma batida de carro, à emergência do Souza Aguiar, um dos maiores hospitais públicos da cidade, e vi o que todos nós passamos ali, a ponto de a minha mãe tirar todo mundo de lá no dia seguinte, mesmo com 5 costelas quebradas, porque, depois de operada, nem numa maca com lençol tinham colocado minha vó com traumatismo craniano... Ela preferiu levar minha vó pra casa... Eu quebrei a cabeça em dois lugares, mas os médicos SÓ VIRAM uma, e quando eu voltei pra casa minha mãe teve que fazer curativo e 'ponto falso' pra cicatrizar sozinho...

Não sei os outros lugares, mas o Rio com certeza tem muito o que mudar... Só acho que a solução não é só reclamar, mas SE INDIGNAR.
Faltam pessoas indignadas por aqui.

sex pistol disse...

Ana Clara,
Como carioca, só digo que seu comentário foi certeiro, na jugular.
É isso mesmo que ocorre no Rio de Janeiro.Uma cidade que vai sediar eventos internacionais, mas está completamente sucateada, sem infraestrutura digna. E todos fecham os olhos para isso.Abraço.

Anônimo disse...

Lola e moça do post,

E quem foi que lhes disse que os Estados Unidos são um país civilizado???

Anônimo disse...

Moro na Alemanha e posso dizer que nem tudo aqui é do melhor, assim como no Brasil nem tudo é do pior.
Uma coisa me deixou bastante decepcionada aqui foi a universidade onde eu estudo. Eu fiz minha primeira faculdade no Brasil e estou cursando a segunda aqui na Alemanha.
Penso que no Brasil os professores se preocupavam muito mais com o aprendizado dos alunos, nos incentivavam e criavam várias oportunidades para aplicarmos nossos conhecimento e depois das aulas tínhamos acesso aos laboratórios. Lembro-me de podermos nos reunir com os professores e coordenadores para realizar melhorias no curso e nas aulas. Aqui isso NON ECXISTE!! É impensável no conceito deles permitir que um estudante de graduacao desenvolva sozinho uma pesquisa como nós fazemos no Brasil ou que um graduando possa se dirigir a um professor ou um coordenador para apresentar uma idéia.
Sim, o Brasil tem MUITA coisa boa, que só precebemos quando estamos fora. Assim como também vemos como estamos atrasados em coisas básicas.
Acho que o primeiro mundo tem muito a aprender com os barsileiros e os brasileiros tem muito a aprender com o primeiro mundo! É só ter vontade!!!

Anônimo disse...

Agora foi que deu!! Porque a saúde nos Estados Unidos tá uma merda, não se pode mais reclamar do Brasil!!

Temos que reclamar sim!!! E nos organizar sim!!!! Nos organizar para que as reclamações não sejam apenas palavras jogadas ao vento.

Não concordei com nada no post nem no guest post.

Raphael disse...

Esses guest posts estão pior que intervalo comercial de tv.

Mandei uma sugestão pra Lola, espero que ela veja! =D

Lord Anderson disse...

Niemi e Bruno tocaram num ponto hiper importante.

Um grande numero de pessoas reclama de tudo, mas são poucas as que se mobilizam para fazer algo e essas costumam ser hostilizadas por muitos dos que reclamam e pela midia tradicional.

Eu reclamo sim de muita coisa no nosso pais pq ele ainda tem muito oq melhorar.

Agora, as reclamações que ficaram conhecidas como "classe media sofre" não se focam nos problemas nacionais. Elas são pautadas pelo preconceito e por um senso de elitismo.

Isso é bem diferente de cobrar melhorias.

Bulinada pela Drica disse...

Se brasileiro parasse para ver seu proprio umbigo!

acho que brasileiro reclama demais, pq ta maravilhado com a imaginação que tem de lá de fora!

Anônimo disse...

Comparar com os Estados Unidos é dose, hein? Comparar com Dinamarca, Suécia, ninguém tem coragem, né?
Eu não gosto do Brasil. Ponto. Tenho meus motivos. E beleza, aquela mesma que tanto combatemos no sentido de não ser o mais importante, não é motivo pra se ter orgulho de país nenhum. Mesmo porque, eu acho mais bonitos os alpes suíços do que as praias do Brasil. Questão de gosto.

Anônimo disse...

Morena Mariah disse:

Esse guest post foi tipo: "em países islâmicos mulheres usam burcas, feministas, calem a boca. vocês não sabem o que é ser oprimida"

pelo amor de deus, gente...

Molly disse...

Alguem perguntou sobre saude no Canada. Pelo menos na British Columbia eh melhor que o Sus. Sempre que precisei fui atendida rapido e nao paguei nada. Mas eh um pouco dificil encontrar um medico da familia, entao sempre vou na emergencia. Os exames sao de graca e vc faz na hora os mais simples. Nao existe plano de saude particular que cubra a mesma coisa que o plano publico cobre. Os planos particulares cobrem remedio, fisioterapia,etc. Entao nao importa quanto dinheiro vc tem, vc nao pode ligar pra um endecrinologista ou gineco e marcar consulta...tem q consultar um clinico geral e se ele achar necessario te encaminha.

Acho que pra problemas desaude mais graves o sus eh melhor, pq cobre medicamentos caros. Minha mae recebe de graca um remedio que custaria 4 mil mensais...se morasse no canada ela teria que pagar parte dessa despesa.

Uma coisa que acho bom em todo, mundo ter o mesmo plano de saude aqui eh q as pessoas sao mais politizadas. Todo mundo fica de olho em como o dinheiro da saude eh aplicado e fazem passeatas contea alguma medida especifica que nao concordem. Acho esse um problema no Brasil...todo mundo reclama da saude, mas eh uma reclamacao meio vazia pq ninguem sabe exatamente como sao feitos os investimentos e o que precisa melhorar...uma passeata pra melhorar a saude tem poucas chances de dar resultafo, mas uma passeata pra contratar mais medicos no hospital X podia dar.

Ah, outra coisa eh que aqui os medicos te tratam com mais respeito pra fazer exame ginecologico e o parto eh mais humanizado.

Luciana disse...

O sistema de saúde dos Estados Unidos é inumado, com preços abusivos e irreais. Em todo o mundo, deveria ter um sistema de saúde gratuito para quem não tem condições de pagar. Afinal, saúde não é mercadoria, mas tratam como tal. Felizmente no Brasil temos o SUS. Não é um sistema perfeito, tem seu lado positivo, como negativo. Há, recomendo o documentário SiCKO, de Michael Moore. Fala sobre o sistema de saúde norte-americano.

Só discordo da Ana Paula em relação à copa do mundo no Brasil. Creio que o Brasil não tenha capacidade financeira de arcar com tamanho evento que não beneficiará em nada o país. A Grécia e África do Sul são bons exemplos de país que só gastaram para enriquecer empresas privadas fazendo uma dívida que vai ser pública.

Linda disse...

Lola, eu concordo em parte com a autora do guest post.
Vim morar nos Estados Unidos em janeiro, pra estudar. Tenho na minha mente sempre que não existe lugar perfeito e tambem nao gosto muito da ideia de patriotismo por que, pra mim, remete a ideia de que o seu pais é melhor que os outros.

Quando eu vim pra cá tinha uma ideia da cultura americana muito ambigua, que ia desde o lado liberal no sentido de você poder ser, vestir, fazer o que quiser sem que todo mundo te olhe torto (coisa que me irrita bastante no Brasil: 'Nossa, o que é o cabelo daquela fulada?!') até a ideia que eles são meio conservadores religiosamente falando. Também vim super consiente do preço dos serviços de saude por aqui e de como a segurança era uma questao bem melhor resolvida do que no Brasil.

Eu moro na região de New England e gosto bastante daqui. A questao da segurança veio a ser verdade: trancar carro, esconder celular, muros, cercas eletricas sao desnecessarias. A da liberdade de expressão, na universidade onde eu estudo tem muita gente de outros paises estudando tambem e a diversidade é enorme, o que torna o respeito ao diferente uma coisa de rotina, faz parte do ambiete. A umas semanas atras eu precisei do serviço de saude e apesar de eu ter seguro, é muita burocracia pra aciona-lo. Fiz o seguinte: fui até o cento comunitario de saude da cidade e disse que estava com dores. Eles me encaminharam pra fazer um registro de assistencia de saude gratuita (valido por seis meses, por causa do meu visto de turista) e em menos de uma hora eu fui atendida por uma medica que me encaminhou pra fazer os exames necessarios. Tudo sem gastar um centavo e sem ter que esperar uma eternidade como eu sei que algumas pessoas tem que esperar quando dependem do SUS.

O que eu quero dizer com isso é que, como o Brasil, os EUA é um pais muito grande e dependendendo muito de onde você está as coisas vão funcionar de formas diferentes. Eu dei sorte de vir estudar numa universidade liberal e de ter um sistema de saude desses na minha cidade (e de eu ter conhecimento dele). Agora que aqui tem coisas ruins, é claro que tem! E que o Brasil tem coisas boas, também! O que a gente tem que aprender é a melhorar nosso proprio pais de acordo com as coisas boas de ruins que a gente vê que funcionam ou nao nos outros paises, e se elas poderiam funcionar ai no Brasil.

Eu gosto muito do Brasil sim, assim como gosto muito daqui. Mas sei que lugar perfeito não existe e patriotismo é ter muito orgulho proprio pro meu gosto.

Carol NLG disse...

Acho que não dá pra sermos absolutos em nenhum item.

O Brasil é perfeito? Longe disso. É o melhor país do mundo? Imagino que não. Tem várias vantagens? Claro que sim.

Eu moro na África Saariana, na Mauritânia. É um dos países mais pobres do mundo. É o último refúgio do escravismo (sim, ainda existem escravos aqui). Pra grande parte da população, falta água, comida, dignidade, tudo. E é o povo mais HONESTO que eu já conheci. Não se tem notícias de roubos. Os rebanhos caprinos andam soltos pela cidade e mesmo o mais miserável e faminto, não rouba. Nem pra comer.

Por conta do meu trabalho, já viajei - por períodos mais ou menos longos, dependendo do caso - pra vários países. Desde os mais "avançados"(EUA, Itália, França) até uns bizarrinhos (a própria Mauritânia, Marrocos, Cazaquistão). TODOS tem alguma coisa que os torna únicos. Não vou dizer que tive vontade de morar em todos. Mas todos tem algo único.

Acho que patriotismo, o verdadeiro, consciente, é justamente isso. Identificar qual a grande vantagem do nosso país. Amá-lo por isso. E identificar as fraquezas e lutar pra mudá-las. Não, gritar no Facebook não vai mudar nada.

Sobre saúde: é interessante. TODA a comunidade diplomática presente aqui na Mauritânia ficou surpresa quando soube do SUS. Com maior ou menor grau, sempre existirão hospitais muito ruins ou muito bons/ O mágico é que a gente tem uma rede que atende a qualquer pessoa, tendo dinheiro ou não, sendo brasileira ou não.

Loli disse...

"Espanha que está em crise,tristinha?" Nossa Lola, realmente não esperava um comentário tão malicioso e feio como esse nesse blog tão maravilhoso que você tem. Fico mesmo triste porque adoro esse espaço.
Moro na Espanha há 10 anos. É o país que me recebeu bem, me acolheu, me deu um trabalho digno e principalmente, que sempre me tratou com respeito.
Estou totalmente de acordo com a decisão do Brasil de aplicar a reciprocidade e acho que isso deveria ser feito com o Reino Unido também
Agora, fazer piada e ironia com a crise que tem feito muitas familias sofrerem muito é mesmo muito feio.

Carol NLG disse...

Loli,

você não leu o link sobre o comentário do "tristinha", né? É uma entrevista com o Consul espanhol no Brasil, dizendo que a Espanha está triste de ser tratada assim - com reciprocidade. Não é nada com a crise!

Anônimo disse...

"Esse guest post foi tipo: "em países islâmicos mulheres usam burcas, feministas, calem a boca. vocês não sabem o que é ser oprimida"

pelo amor de deus, gente..." [2]


Totalmente. Comparar Estados Unidos com Brasil não vale né?! Afinal, Brasil não passa de um país que quer ser uma xérox dos Estados Unidos!! Se a comparação fosse Brasil-Suécia ou Brasil-Holanda, a gente aqui do Brasil poderia reclamar?? Acho que sim.

E outra, e essa estória de que classe média não pode reclamar porque estaria reclamando de barriga cheia???!!! Que absurdo!! Nunca vi tanto disparate num post só!! Faço parte da classe média de Aracaju, e apesar da fama que a prefeitura aqui insiste em espalhar por aí de "A cidade da qualidade de vida", a saúde particular aqui está igualzinha à pública. Igualzinha mesmo. A gente vai pra urgência do melhor hospital particular daqui e fica mais de 3 horas esperando em pé pra ser atendido, pois o hospital está sempre lotado. E quando o médico atende a gente, sem fazer nenhum exame, ele diz "É virose. Vá ali praquela salinha (lotada) tomar um soro na veia" Bem, se vc estiver desmaiando, se segura porque não tem leito, provavelmente ficará deitado numa maca no corredor. Até a enfermeira colocar o soro em vc, conte aí mais 1 hora. Se ela notar que vc está ali né! E a gente paga caro por esse atendimento. Então eu gostaria sim de que a saúde pública aqui funcionasse direitinho.

nina disse...

Achei ótimo o post, alguém falando bem do próprio país, pra variar.

E discordo de quem disse que as pessoas se encantam com algumas coisas bonitas e fecham os olhos pra problemas. Acho - pelo que vejo, leio, pelas pessoas com quem converso - que é o contrário. Estamos sempre olhando o lado ruim das coisas (apesar do otimismo geral que a gente tem em continuar lutando, mesmo com todos os problemas que a vida nos traz) e esquecemos que há muita coisa boa sim.

Quem fica compartilhando aquelas coisas sobre copa e olimpíada não sabe da missa a metade. Algum deles, por acaso, foi checar os planos pra esses eventos? As coisas estão funcionando - não perfeitamente, claro - mas funcionando muito mais do que esses posts mal informados fazem parecer.

Problemas todo país tem - uns mais, outros menos, nuns pontos mais que outros. Isso é comum, (e dizer que é comum não significa dizer que está ok, que é legal) as comunidades humanas cresceram demais em alguns pontos do mundo, então é óbvio que há problemas. Daí a fechar os olhos pro que funciona...

Valorizar o que tem de bom, ver o que tem de errado e tentar fazer algo pra mudar deveria ser o que nos motiva, não ficar o tempo todo postando 'essa merda de país', 'brasileiro é isso, aquilo', 'aqui só tem corrupção' e coisas do tipo.

Patrick disse...

Eu não costumo comentar só para aplaudir, mas Niemi e Bruno merecem, pois resumiram bem a questão: é muito comum no Brasil - ao menos no âmbito da classe média - a reclamação mimimimi. Mas se as pessoas se organizam para reclamar de forma consistente, aí o mimimi passa a ser contrário, e lá vem os rótulos de "baderneir@s", "encrenqueir@s" etc., etc.

Querem um exemplo bem óbvio: quase todo mundo concorda com a existência do machismo na nossa sociedade. Mas se as feministas se organizam e começam a reclamar com consistência, tornam-se "barraqueiras", "chatas", "mal-humoradas", ... A Lola tá cansada de ver isso como "argumento" nos debates em que se envolve.

Niemi Hyyrynen disse...

Esse povo do

Vamos comparar o Brasil com qualquer pais Escandinavo.

Poderia reler o texto né?

#ficadica

lola aronovich disse...

Ô gente, alguns de vcs estão lendo "reclamam demais" (o que a classe média brasileira faz sim, e muitas vezes de barriga cheia) e confundindo com "não pode reclamar". A Ana Paula dá exemplos concretos do que ela considera "reclamar demais". E quantas vezes a gente não ouviu ou fez algo parecido? Tipo: alguém fala do sistema de saúde americano, e a gente imediatamente fala, sem pensar, que o sistema brasileiro é pior. É ignorância mesmo. Isso não quer dizer que o sistema brasileiro seja bom, ou que a gente não deva reclamar para melhorá-lo.
E alguma dúvida que, se a gente não tivesse conseguido o direito de sediar a Copa, TAMBÉM estaríamos reclamando por isso?


Loli, é, quando vc vir uma palavra em azulzinho, tente clicar nela, porque geralmente tem um link que explica melhor ou complementa o que está sendo dito. No caso da Espanha estar triste, essa foi uma declaração do embaixador espanhol no Brasil quanto à reciprocidade adotada. Coisa que o governo brasileiro deveria ter feito bem antes!

Loli disse...

Oi Carol. Eu li sim e ainda acho que mencionar a crise antes do "tristinha" é uma ironia ofensiva e desnecessária. As declarações dele falam de crise, que a Espanha tem muitos desempregados, isso é uma coisa para rir? Principalmente quando esse país tb acolheu muitos brasileiros aqui....

Loli disse...

Lola, obrigada por responder, mesmo com sarcasmo e sugerindo que eu não li a noticia. Eu li sim.. e reitero meu comentário de que relacionar crise e a palavra tristinha é algo ofensivo.
Eu adoro esse blog e por favor, não sou um trol! Mas acho mesmo triste falar assim de um país onde muitas pessoas estão passando dificuldades.

sex pistol disse...

As pessoas reclamam em qualquer lugar do mundo, não só no Brasil.Isso não é uma característica apenas "brasileira", mas do ser humano em questão. E a inércia, é um produto de nossos dias atuais, devido a:
-Conformismo;
-E assumir uma postura "em cima do muro" para tentar agradar a gregos e a troianos.Todo mundo quer ficar bem na fita e não quer ser criticado. E tem medo de adotar uma postura mais ousada, mais atrevida.E assumem aquela cara tipo "poker face".
Mas repito, isso em qualquer lugar do mundo.Esse é o ponto central, que não pode ser mascarado por patriotismos estúpidos e cagação de regras de quem se acha superior a outro só por ter nacionalidade "mais desenvolvida" "culturalmente" que outra pessoa.

Anônimo disse...

A gente reclama pouco e ainda tem gente reclamando que a gente reclama. Claro que a postura do 'se fosse na Europa, nos EUA...' é tosca mas, vamos combinar, somos roubados a todo tempo na prestação de serviços públicos e privados. É aviltante!
É necessário organização e pressão social, sim, e não parar de reclamar (em quaisquer instâncias).

Anônima Beócia

Socióloga disse...

Eu não concordo, acho q não existe isso de reclamar de barriga cheia, se vc está reclamando é pq alguma coisa está errada, e por favor o SUS não faz 7 ultrasons em gravidas não, hahaha, até ri disso, muita ilusão, e outra, se os preços dos tratamentos dentários são caros é pq valorizam o profissional, aqui tem preço de banana, os profissionais são mal formados e ganham pouco, e tem muita gente de dente podre no Brasil tb, sinceramente, rídiculo texto, compara Brasil e EUA está totalmente fora de cogitação, são países com realidades muito distintas.. adoro o blog mas dessa vez esse texto apelou demais...

Carol NLG disse...

Loli,

copiei ips literis o trecho:

""A Espanha está triste", comentou o embaixador, em relação às medidas de reciprocidade que o governo brasileiro passou a adotar nesta segunda-feira."

Sério... é falando sobre as medidas de reciprocidade! Que sim, deveriam ter sido tomadas antes!

Loli disse...

Gente, acho que ninguém leu comentário! Estou super de acordo com a medida do governo brasileiro e acho que deveria ser aplicada tb com o Reindo Unido porque sei que muitos brasileiros tb são deportados de lá sem explicação. Só disse que relacionar a crise e a palavra "tristinha" da maneira em que foi feito no texto é ofensivo porque "a crise" não é só uma crise, são as pessoas. E não esperava ver isso aqui...

sex pistol disse...

ou seja hoje temos uma geração de bundas moles a nível global, que se escondem em suas "nacionalidades" para mascarar seus próprios defeitos e apontar o dos outros.Tenho dito.

Anônimo disse...

"Ana Paula, uma brasileira que mora nos EUA há oito anos. Ela é engenheira civil com mestrado e doutorado em Geotecnia, e é professora da Universidade da Flórida."

Se ela tivesse comparado os custos da saúde lá com o que ela pagaria aqui em um hospital particular ou em um plano de saúde, ok, mas comparar com o SUS acho que é forçar a barra. Engenheira civil, doutora, professora de universidade, estaria usando o SUS se morasse aqui?

Scandella disse...

Ô Socióloga, isso de o tratamento ser caro porque o profissional é valorizar é uma puta de uma besteira, vá.

Então o pobre tem de dizer "Pô, queria arrumar meus dentes mas, sabe como é, dentista é um profissional tão importante, tão bom, um profissional tão valorizado que não posso nem me aproximar dele. Mas fico feliz pelo sujeito ser reconhecido... Ele merece."??? Ah, vá.

O problema de com a organização é que reclamar não mexe com o status quo, já uma coisa organizada, sim. A lógica do reclamão padrão é que não há problema em ficar praguejando o dia todo, o problema está em atrapalhar o trânsito, se é que me entendem...

Má disse...

Até concordo que o tratamento seja dado em reciprocidade com a medida da Espanha. Afinal o Brasil "tá podendo" e me parece ser uma coisa da diplomacia estas reciprocidades...
Mas o triste disso é que, da mesma forma que os que foram deportados da Espanha foram os brasileiros que precisavam migrar por "necessidade", para melhorar a sua condição de vida, os mesmos espanhóis que estão vindo e sendo barrados, possivelmente são os necessitados, os "desqualificados", que vem para o Brasil pois seu país está em crise.
Ou seja, na prática, quem sempre paga é om pobre, seja o brasileiro pobre ou o espanhol pobre, pois os espanhóis qualificados com emprego tudo já vem com visto.

Bjo

Augusto disse...

"Esse guest post foi tipo: "em países islâmicos mulheres usam burcas, feministas, calem a boca. vocês não sabem o que é ser oprimida"

pelo amor de deus, gente..." [3]

Augusto disse...

Acho um absurdo os governantes brasileiros fecharem as portas aos espanhóis... Eles só querem melhores condições de vida que eles não acham em seu país. Não tinha que haver esse protecionismo imigratório. Isso tudo é uma grande bobagem.

Bruno S disse...

Essa discussão toda me lembra uma frase do Tom Jobim.

"Viver no exterior é bom, mas é uma merda. Viver no Brasil é uma merda, mas é bom."

Até porque essas comparações entre morar no Brasil X morar país a, b, c, d esquecem as contradições internas de cada um.

Possivelmente quem mora numa grande metrópole como Rio ou São Paulo tem estilo de vida mais próximo que os moradores das metrópoles estrangeiras do que moradores de regiões mais pobres ou rurais do outro país.

Augusto disse...

Leiam: http://www.paulopes.com.br/2012/03/ser-ateu-em-pais-muito-religioso-exige.html

Então, não tem como comparar Brasil e EUA, em alguns aspectos os EUA vai ser melhor, em outros o Brasil será melhor. FIM. O Brasil e os EUA têm seus defeitos. Não é recomendável morar neles se você é ateu, gay, feminista... Há países melhores para se morar se você é assim, como Suécia, Holanda.. Mas se você é um religioso, vai ser ruim morar em países como Suécia. Cada um tem que achar o país que melhor se adéqua e que permite desfrutar do máximo de itens necessários para uma boa vivência (ausência de teocracia, leis feministas e LGBT, Saúde pública, educação...)

Anônimo disse...

Penso que não é porque as pessoas reclamam que elas não enxerguem as coisas boas de nosso país. Toda moeda tem dois lados. E se há tanta reclamação é porque há algo de errado mesmo. E não é porque enxergamos o que há de bom, que devemos fechar os olhos pro que há de ruim.

Acho que o que está faltando é reclamação organizada e objetiva mesmo. E principalmente, que aquelas pessoas inertes, que não gostam de reclamar direitos, não atrapalhem quem se organiza pra reclamar.

Anônimo disse...

Tô besta com alguns comentários aqui. SP melhor q Amsterdan, Berlin, Paris, Roma? hahahahaha. SErá q a mesma SP q eu conheço? Esta tá louca. SUS ser bem tratado? Onde vcs estão indo, por favor? Meu pai morreu por falta de atendimento em um pronto socorro. E ele não é uma exceção. O plano de saúde aqui tb não é grande coisa. Pode-se fazer vários tratamentos, mas nem sempre de qualidade. Levei seis anos com uma dor na coxa pra descobrir q tinha uma simples tendinite e q após seis anos estava crônica, sem cura, pq os médicos do meu plano de saúde passaram anos procurando a origem da dor no lugar errado. Então me poupem, preferia pagar mil e tantos dólares e ser bem atendida q penar de graça. Pq aqui além do problema da corrupção no setor publico de saúde, temos um problema sério no preparo dos profissionais, ou seja, um problema na educação. E não é só na área de saúde. Essa praga da falta de formação adequada se alestra em todos os setores

Anônimo disse...

Talvez o problema não seja 'reclamar', mas o modo de fazê-lo e do que se reclama, acho que a autora se refere a essas reclamações tipo classemediasofre...é verdade, está cheio por aí de gente reclamando, comparando com EUA e outros países sem conhecer. Eu vivi em vários lugares, EUA inclusive, e aprendi a amar o Brasil. Quando fui viver na Europa, em 95, plena era Collor, era difícil não reclamar e não se entristecer com a situação do Brasil. Hoje, pelo menos é assim que eu vejo, é muito diferente, não é o paraíso, mas o país caminha, não do jeito que alguns queriam, mas eu e muita gente estamos contentes com o que estamos vendo. Leila

Carol NLG disse...

Quem está reclamando de barreiras migratórias.

Gente, pelamor, né? QUALQUER país do mundo faz isso. É claro que faz. Porque quando vem alguém ilegalmente, não paga impostos. Mas usa dos serviços bancados via impostos. Acaba tendo-se uma superutilização desses serviços, com prestação ruim para todos.

E é claro que essas medidas destinam-se, justamente, a quem quer imigrar ilegalmente. Novamente, é a mesma coisa em qualquer lugar do mundo! Ninguém quer afastar turistas. Turistas gastam, fazem a economia girar. Turistas são bons. Imigrantes ilegais, não.

Augusto disse...

Estão contentes com isso?
http://mixbrasil.uol.com.br/pride/pesquisa/novo-relatorio-do-ggb-mostra-recorde-de-assassinatos-de-lgbt-no-brasil.html#rmcl

Sério, preferia morar em um país com saúde mediana... ou paga..

Anônimo disse...

Pra mim o melhor comentário sobre esse post foi esse:

"Esse guest post foi tipo: "em países islâmicos mulheres usam burcas, feministas, calem a boca. vocês não sabem o que é ser oprimida"

pelo amor de deus, gente..."

Augusto disse...

E imigrantes LEGAIS? Todo mundo sabe que Países Europeus e EUA são bastantes xenofóbicos nesse aspecto.. E o Brasil está fazendo o mesmo.. Ou é por causa de dinheiro ou é vingança, que coisa babaca..

sex pistol disse...

Esse negócio de nacionalidade é uma babaquice sem tamanho:

-Vem gente de outros países criticar o Brasil e dizer o que os brasileiros devem fazer, evocando a superioridade cultural da velha europa e dos EUA., tentando nos mostrar o que é a "civilização";

-Vem os brasileiros retaliar os estrangeiros, numa suposta onda de ufanismo, que serve para mascarar o que realmente não queremos mostrar: um país intolerante, cheio de injustiças sociais, patinando em infraestrutura e serviços sociais, com uma economia dependente de commodities e cuja indústria está obsoleta.

Perda de tempo esse papo.Não leva a nada.

Fernanda disse...

Que mania certas pessoas tem de perguntar: "se o Brasil eh tao bom, porque nao volta pra ca?"

Oras,nao eh porque uma pessoa acha que o Brasil eh melhor em certos aspectos que ela vai desistir de uma experiencia em outro pais... seja por trabalho, estudo ou apenas para tentar algo novo.

Ou sera que algumas pessoas aceitam empregos ou fazem intercambios em paises como India e China porque acham que as condicoes de vida sao melhores la?(nao escolhi por nenhum motivo espepcial, foram so os dois primeiros que me vieram a cabeca)

Anônimo disse...

'Sabe o que tem me irritado também? As reclamações sobre a Copa no Brasil. '

Mas essa é a melhor parte! Essa é a aula da companheirada pro mundo de como junta tudo faz um bolão de dinheiro aí nois vai e passa a mão e óóó

Anônimo disse...

Eu acho interessante o fato da Lola postar impressões diferentes d vários temas pelo guest post.
Lendo os comentarios concordo com a Niemi Hyyrynen.

Ana Clara disse...

Pessoal, acho que não é o caso de fazer uma lista de melhores serviços públicos do mundo e ver onde o Brasil se enfia (“melhor que os EUA!”, “ah, mas com certeza não é melhor que a Holanda!”). A questão é analisar o que a população necessita pra ter condições básicas de vida e ver como o governo está respondendo a essa necessidade, como está fazendo suas ESCOLHAS econômicas e políticas que vão dar suporte, ou não, à realização dessas respostas. E, a partir daí, DEMANDAR.

Nesse sentido, eu posso dizer sim que a prefeitura e o estado do Rio não estão fazendo nem o mínimo. Enquanto nos mostramos ao mundo com as UPPs, as comunidades lááá no final da agora famosa Avenida Brasil estão recebendo cada vez mais grupos criminosos fugidos das comunidades 'pacificadas' em suas ruas sem asfalto e seus esgotos a céu aberto. Enquanto deixamos de ver questões que estão sendo jogadas na nossa cara, como contratos de licitação altamente duvidosos (inclusive com o metrô e o trem, que têm parcas linhas, péssimas condições e tratam a população pobre da cidade feito lixo), o atual governador se reelegeu com grande popularidade e o nosso prefeito vai para o mesmo caminho (sem querer fazer propaganda política contra, mas já fazendo).

Fechamos os olhos, sim, para as remoções ilegais e forçadas de comunidades pobres para as obras da Copa e da Olimpíada lá nos confins da Zona Oeste (isso sequer sai nos grandes veículos de comunicação, e, Lola, eu acho que seria uma pauta interessantíssima pro seu blog), para os tratos escusos entre pessoas-chave do governo e grandes construtoras (alguém lembra ainda daquele episódio do helicóptero que caiu na Bahia? Não, né...), para a manipulação da pauta dos veículos de comunicação através do repasse de verbas governamentais de publicidade, entre muitas outras coisas. Não estou falando de reclamações do tipo ‘ah, fico muito tempo no metrô pra ir pra facul, que A-B-S-U-R-D-O’, falo coisas do tipo ‘poxa, acabei de ser CHICOTEADO por um agente da SuperVia em um trem que está lotado e SEQUER TEM PORTAS’. Falo coisas do tipo ‘tive de sair da BAIXADA FLUMINENSE até o centro do Rio, passei por QUATRO hospitais com o meu filho desmaiado, e ele morreu por falta de atendimento’. Falo coisas do tipo ‘peguei o ônibus do metrô e não tive de pagar duas vezes pelo mesmo serviço porque o motorista VENDEU os bilhetes de integração com o metrô pros cambistas que ficam na porta’.

Me desculpa, mas se você já ouviu falar, minimamente, que tudo isso acontece, e continua otimista, não reclama, não se indigna, não tenta convencer as pessoas a mudar alguma coisa, acha que o Rio é a melhor cidade do mundo pra se morar (quem nunca ouviu um carioca dizer isso?), parabéns, eu invejo você.

B. disse...

Moro nos EUA há 5 anos e vejo muita gente reclamar de muita coisa aqui. A reclamação não é uma característica apenas do povo brasileiro porque não existe um país perfeito(dã!).

Todo mundo sabe que o sistema de saúde americano tem uma abordagem falha ao comercializar o que deveria ser um direito. Mas o que não é tão divulgado é o fato do governo americano oferecer dois programas de serviços de saúde público gratuito: o Medicare para maiores de 65 anos e o Medicaid para grávidas, crianças e adolescentes, pessoas com necessidades especiais entre outros que comprovarem renda limitada. Trabalho na área de saúde aqui e sempre presencio em primeira mão pessoas mais humildes receberem DE GRAÇA antibióticos, vários remédios incluindo para pressão, colesterol, diabetes incluindo aquelas maquininhas que medem a glicose no sangue e as suas tirinhas (test strips) que são carésimas. As vezes existe co-pagamentos que variam de $1-3, mas curiosamente já vi pessoas receberem o equivalente a $300 de medicamentos numa única ida a farmácia e ainda assim reclamarem pela cobrança de $1. Proporcionalemente eu não acho o valor um motivo suficiente para virar uma reclamação, mas ainda assim eu presencio diariamente gente reclamando. Isso sem contar que alguns estados ainda contam com uma lei que diz que se o paciente do Medicare ou Medicaid não puder pagar, a farmácia tem que DAR sem receber o co-pay. Ainda assim ouço gente reclamando!

Eu consigo entender o ponto de vista da autora do post porque às vezes me irrito também com algumas reclamações exageradas e infundadas que ouço de brasileiros que moram no Brasil. Mas ela faz afirmações generalizadas demais em relação aos dois países, Brasil e EUA. Pela minha prática profissional na área de saúde aqui, americano também reclama mesmo quando teoricamente está "com a barriga cheia". Just my two cents ;)

Scandella disse...

Carajo... Gostei do post da Donnanina. Parabéns pelo vigor nas palavras! E concordo.

LisAnaHD disse...

É isso mesmo, o post está correto em que brasileiro reclama de tudo e acrescento que reclama de um pouco mais tb... A maior dificuldade desse pessoal é seguir regras e respeitar a lei e entender que "o mundo não é igual ao Brasil". Da próxima vez qdo algum brasileiro/a vier pro meu lado reclamando por exemplo dos hispanos que vivem nos EUA, vou usar essa parte do post pra dizer: "Volte para o Brasil de braços abertos." Mas daí lá vem a relação de tudo de bom que há nos EUA e carece no Brasil... ou seja:
reclamação é a motivação...
uma piração.

Ir a um país como turista e passar alguns dias nessa e naquela cidade acaba por dar uma impressão particular e não retratar a vida no dia-a-dia. Passei 10 dias em Londres e pelas ruas o que ouvi de brasileiro reclamando !!! da comida, do povo, disso e daquilo... comi otimamente bem em Londres... fiz passeios maravilhosos pois pra quem gosta de teatro "Londres é a cidade"... curti muito Piccadilly à noite... durante o dia museus, até vi uma exibição sobre a Amazônia Brasileira e me encantei tb vendo a Pedra Roseta, entre tantas outras maravilhas, claro... os parques em Londres são belíssimos, bibliotecas, enfim. E nem vou comentar sobre outras viagens, apenas digo que não sou de pegar pacote de viagem tipo passar 2 semanas na Europa, pipocando entre os países... isso não! é coisa de gente que quer tirar fotos pra mostrar que esteve lá. Acho Washington DC uma beleza; New York idem; Boston é um encanto; e não vejo como comparar com o Brasil sem deixar o Brasil desfalcado.

Nunca encontrei por aqui --mesmo entre os brasileiros que eram/foram professores no Brasil e alguns que estiveram por aqui fazendo mestrado em Literatura-- gente brasileira que tivesse lido o tanto que eu já li da Literatura Brasileira ou que tivesse lido o tanto que eu já li sobre escritores brasileiros e quase sempre por prazer... que brasilidade é essa, afinal? Não há interesse por aspectos culturais dos diversos estados brasileiros... é um eterno atirar pedras no Nordeste... que o carioca é folgado, que o paulista e sei lá o que... enfim, reclamação a não mais poder. Qdo convido gente brasileira pra minha casa, já aprendi a não misturar os estados pq uns dias depois eu tenho de escutar cada coisa de um criticando o outro no meu ouvido!!! Eu que curto tanto aprender sobre diversifiação socio-cultural. Claro que os brasileiros daqui se sentem se acham altamente superior aos portugueses tb.

Por todas as partes dos EUA todas as nacionalidades têm uma associação, suas festas tradicionais anuais, hispanos além de terem seu próprio grupo de origem tb se juntam como um todo... brasileiros??? Não, não sabem trabalhar em grupo pq todos querem ser o manda-chuva... o que tem um par de anos a mais de escolaridade se acha o maioral... e pode ser um ter mestrado e ter decidido parar aí e o outro estar a meio caminho do doutorado... sorry but it's not easy to deal with Brazilians abroad (desculpe-me mas não é fácil lidar com brasileiro no exterior)... é muita reclamação!!!

donnanina disse...

Bom, sobre comparar os sistemas de saúde do Brasil com USA, acho uma grande furada!! Aliás, comparar qualquer coisa com USA.. não acho um país de parâmatro bom para questões que envolvam humanos!!!! Robôs, peças automobilísticas, celulares, computadores, até vai, mas "humanos"....
Sobre o sistema de saúde do Brasil, só consegui lembrar do que eu mesma passei ao tentar fazer uma cirurgia emergencial de tímpano primeiramente pelo meu plano de saúde - que se negou a custear, depois, pelo SUS que me deu um prazo " emergencial" de 8 meses - detalhe, eu estava com infecção no ouvido e com o tímpano perfurado, e precisava prá ontem da cirurgia... Bom, prá resumir, não fiz com o SUS - pq esperar era IMPOSSÍVEL tamanha a dor e risco de maiores problemas além da surdez de um ouvido que ganhei, e nem pelo meu plano, que está sendo processado, e sim, tive que recorrer à um médico particular, e que só foi possível devido à um prêmio em dinheiro que ganhei por um projeto que fiz...ou seja, SE eu não tivesse os 18.000 reais desse prêmio para custear essa cirurgia e tudo o que ela envolveu, eu não sei como estaria, mas não teria como fazer, mas COM CERTEZA acredito em uma coisa: dignidade aqui, é para quem tem dinheiro e pode pagar um médico particular...o resto, é RESTO!
Quanto as reclamações sem ações serem de praxe dos brasileiros, "a mediocridade é necessária para manter a "paz"/ordem pública - assim isso é governado! VIva o Rio, Viva a Copa, Viva o Brasil, Viva São Paulo, a cidade mais rica do Brasil"...ARGHT!
Enquanto só falam, tudo continuará da mesma forma...e detalhe, tentar organizar algo decente, com uma midia tãaaao podre que temos, é pedir para ser chamado de "terrorista", o lance é correr na contra-mão, tentar ações certeiras mesmo, e não só "bateção" de panela e passeata na paulista, isso não resolve!!!! AINDA creio na educação, nas ações - sejam elas pequenas ou grandes de bairro, por exemplo, em cada um querer SER UM BOM CIDADÃO (alô alô jeitinho brasileiro...), e claro, PRINCIPALMENTE no voto consciente (pq a porram do PSDB AINDA ganha em SP sendo que isso aqui é uma merda???? Pq votam ainda no SErra, por exemplo???rs), mas enfim, um país decente prá mim, é aquele que consegue ter o BÁSICO funcionando bem, e dignamente...e infelizmente, não temos esse básico aqui, só se vc tiver dinheiro, daí, vc pode fazer TU-DO que nada o acontecerá!

donnanina disse...

Pots, apaguei sem querer meu comentário, mas escrevi de novo...rs...
Foi mals!

Anônimo disse...

Nossa velho, a Lola força a barra demais.

Não acho que pessoas que reclamam tenham culpa das coisas estarem assim, nem acho tambem que não estão ajudando, nada haver.

E atacar os EUA sempre que tem opotunidade? acho que cada um deveria olhar pro seu proprio nariz

nada contra comunista, mas eu acho que eles ajudam menos, do que as pessoas que reclamam

quer ver me xingarem?

Liana disse...

Ver exemplos externos para adaptar aqui o que interessa é algo ótimo de se fazer. Fora isto, de que serve realmente ficar comparando?

Essa síndrome de cão vira-lata, essas pessoas dizendo que vão embora porque Brasil é um lixo e país X é que é bom de se viver. Acontece que se o país X é bom de se viver é porque tem gente lá que fez isso acontecer, bem estar social não cai do céu, se constrói. Não tem muita gente aqui no Brasil se organizando pra mudar isso. Notem que eu não falo de quem sai por outros motivos, mas sim desses que fazem reclamações vazias.

Precisamos de pessoas que trabalhem para que as coisas por aqui melhorem, não pq lá fora é assim ou assado e queremos imitar, mas pq é o certo a se fazer, não pq é "Brasil", mas pq é aqui que estamos, devemos sempre tentar melhorar "nossa casa", onde quer que isso seja, pq cidadania é cidadania em qualquer lugar.

Mariana disse...

Oi Lola, sempre fui uma brasileira revoltada (e mobilizada) e agora moro na França ha quatro anos. Não concordo com a conclusão do post. Não voltei atras no que eu pensava do Brasil. Minhas "reclamações" so se confirmaram e cada vez que eu visito penso no quanto o dinheiro que dizem estar rolando no Brasil esta sendo mal aplicado. Talvez seja porque eu sou professora de formação (e professor no Brasil ganha mal pacas desde sempre), talvez seja porque hoje vivo num pais que dispõe de sistema de saude e um de educação publicos e de qualidade... não sei. No Brasil o sus é uma loteria (a qualidade do atendimento depende do hospital, do médico, do estado...) e a escola publica uma roleta russa. Não acho que o brasileiro reclame demais. Acho que o brasileiro reclama errado. Acho que o brasileiro não vai além da reclamação. E acho sim que ter escolas publicas e hospitais publicos de qualidade e que remunerem corretamente seus funcionarios seja mais importante que sediar uma Copa. Sorry mas, braços abertos my ass!!!

Mariana disse...

ps: meu plano de saude aqui me custa 0€ por mês cobre todos os custos de saude da familia, inclusive os medicamentos receitados pelo médico da familia.

qto custava meu plano de saude no Brasil, alguém adivinha????

Patrick disse...

De fato, metade dos comentários ou não leu o post ou não consegue fazer interpretação básica de texto (meu pitaco: muit@s não querem ler nem interpretar, mas disparar a opinião pré-concebida).

Por falar em mimimi, encher o tanque na Europa já está beirando os R$ 200,00, mas eu continuo recebendo o SPAM da gasolina :).

Ashen Lady disse...

A gente não reclama demais, nós resmungamos demais. Porque reclamar implica em ir dar queixa do problema para alguém ou um órgão. Mas somos apenas resmungadores, ninguém se mobiliza nem em enviar um email ou dar um telefonema para reclamar.

Anônimo disse...

Morena Mariah disse:

É tão absurda a opinião da Ana Paula que me dá preguiça de comentar. Pra mim, é o discurso que os políticos usam. Vocês reclamam demais! Isso é má-fé.

Partir de um ponto abominável como os EUA, e querer dizer que estamos muito bem é muita cara-de-pau. EUA não é sinônimo de bem estar social, não, minha cara. Saúde é direito! Nós pagamos os impostos mais altos do mundo, temos SIM o direito de reclamar. Eu tenho plano de saúde, pertenço a classe média e vou continuar reclamando por ter de pagar 2 vezes (impostos e plano) por um serviço que é pífio seja particular, seja SUS. Essa sua experiência com o SUS é praticamente única. Porque na maioria dos lugares as pessoas esperam, em média, 6 meses por uma consulta. Isso é desumano. E eu vou continuar reclamando. É direito meu reclamar por um atendimento de qualidade. Por mim, que não morro na fila do SUS e por outras pessoas que dependem desse serviço. Se você acha que a gente devia beijar o chão no Brasil, eu acho mesmo que você precisa rever seu conceito de Brasil.

Patrick disse...

Mariana, a França tem uma carga tributária 10 pontos do PIB maior que a nossa. Se alguém tentar fazer isso no Brasil de hoje, vai ser fuzilado em praça pública.

Anônimo disse...

O maior falácia direitista é esta história de que imigrantes "ilegais" não pagam impostos. Primeiro, acho ofensivo chamar alguém de ilegal. Em segundo lugar, o Brasil é um país de imigrantes. E, de volta ao ponto, no Brasil a maior receita de impostos vem da venda de produtos e serviços, alimentos, água, roupas, tudo! chega a ser taxado até em 80%. A maioria dos brasileiros também não declara imposto de renda, e aí? Ainda sim, temos uma das maiores cargas de impostos sobre os pobres do mundo, na forma de produtos que é o imposto mais cruel. Falácia.

donnanina disse...

Ai gente, sei lá, mas eu ainda acho que a questão não é o tanto ou quanto lemos e formamos doutores, mestres aqui no Brasil, (grande motherfuckershit isso, esses grandes mestres e doutores dificilmente darão aula pro estado ou pra prefeitura) e lá fora os alemães, ou americanos não leem sequer um livrinho; ou o tanto que temos de beleza natural (alô empresas do Eike que pode F*** tudo aqui) e lá fora eles precisam criar suas belezas naturais, ou o quanto as UPPs no Rio são eficientes (essa "pacificação" seria similar com a "INCRÍVEL" resolução tomada na cracolândia em SP? Só "espalharam" o problema, ou modificaram ele de lugar?...2ª opção, certo? Quem será o fodão que se meterá com os grandes traficantesempresáriospoderosos das zonas sul das grandes metrópoles?)... Bom. a questão é que aqui - pelo menos prá mim - NÃO temos o básico para viver dignamente, e fazer qualquer tipo de comparação com países como USA, Alemanha, chega a ser leviano...O lance é, se lá tem o básico (mesmo citando a joça da saúde dos USA), que bom para eles, AQUI, no Brasil, EU NÃO TENHO SEQUER ISSO, e é de direito meu me indignar e cobrar EFETIVAMENTE para que isso mude... só não vale eu reclamar e continuar votando no FDP que não fez mierda nenhuma, mas diz que fez, e eu tontamente, acredito que sim pq penso que poderia ser pior, já que tem gente que morre na Africa de fome, e as mulheres usam burca no paquistão, e aqui não temos guerra, nossas mulheres são as mais lindas e o brasil é o país do futuro...HUNF! Bom,se eu continuar a votar nesses FDPs q tão aí, e concordando com pequenas ações que até mesmo o idiota do meu vizinho comete (alô beber e dirigir), sim sou um completo estúpido(a)...

sex pistol disse...

Fora esse lance da revolução do sofá...gente que diz que os outros reclamam muito, e acham que fazem muito, e que não fazem porra nenhuma e posam de vanguarda das lutas sociais.

Anônimo disse...

Carol NLG
"Turistas são bons. Imigrantes ilegais, não."
Vc diz isto da sua perspectiva ou do governo?
Imigrantes ilegais pagam impostos sim, ué, eles fazem compras não?
Eles trabalham "mais barato", não usufruem de direitos como cidadaõs etc etc .
Sendo assim, do ponto de vista do governo, legalista ou de discriminação (pois são de origem e país pobre) sim imigrante ilegal é ruim.
Do ponto de vista dos direitos humanos, universalista, eles são pessoas que saíram de seu país em busca de melhorar sua condição, sendo assim eles não podem ser tratados como "ruim".

corujinha disse...

Acho muito reducionista essa comparação. Ela está certa em alguns aspectos e erra em generalizar. Bem como acho muito errado a pessoa achar que se reclama tem que ir embora, se elogia o Brasil tem que voltar pra cá. Eu sou reclamona, reclamo mesmo, acho que Brasil precisa melhorar em muita coisa. Morei ano passado na França e sinto a maior falta de muitas comodidades de lá, como bons transportes, movimentação cultural etc.
Outra coisa é que o Brasil não é um, são muitos Brasis, é um país muito heterogêneo e o que um vive aqui não reflete o país como um todo. Então a gente tem que buscar o equilíbrio, nem se sentir pior, eterna colônia acéfala, nem achar que somos a última bolacha do pacote (como alguns brasileiros insistem em achar). Temos muitas vantagens, mas muitas desvantagens. Mesmo em crise os países da Europa tem uma estrutura invejável, mas eu amo meu país, sou patriota e isso não faz de mim uma ingênua como outros colocam... enfim é preciso dar a dimensão correta as coisas.
E não venham me dizer que os europeus não leem e que lá não tem beleza natural, porque eu poderia listar lugares belíssimos, inclusive praias e o povo aqui acha que só nós temos.

Anônimo disse...

subscrevo tudo oq a niemi e a maíra falaram. to com preguiça de ler os outros 100 coments

Ju disse...

Tô morando na Espanha e, apesar de estar gostando e ser bem legal, maravilhosa não é... há mil coisas que o Brasil ganha, a começar pela questão burocrática (juro).

Comecei a amar mais o Brasil depois de vir pra cá, isso afirmo com certeza absoluta.

Anônimo disse...

Tudo que a Ana Clara disse x2 e isso: "Não acho que o brasileiro reclame demais. Acho que o brasileiro reclama errado. Acho que o brasileiro não vai além da reclamação."

Anônimo disse...

Ainda sobre o estupro no BBB:

"Já Monique e Daniel emendarem, pela primeira vez, um longo papo sobre o ocorrido com ele durante a passagem pelo reality. Na conversa, Monique revelou se sentir culpada pela expulsão do paulista no início do jogo, e os dois colocaram finalmente um ponto final na questão."

http://extra.globo.com/tv-e-lazer/bbb/renatinha-beija-ronaldo-analice-pega-dois-ana-furtado-corrige-bombom-que-ninguem-contou-da-final-do-bbb-12-4461348.html

nina disse...

Concordo com o Patrick.
Quando entro nos comentários sempre tenho a impressão que poucas pessoas leram o mesmo texto que eu. Falam umas coisas tão sem nexo com o texto em si que a gente fica sem saber de onde veio.

A autora está comparando situações que ela viveu com situações que ela sabe que aconteceram. Ninguém disse que não se pode reclamar, mas a crítica é mais àquelas pessoas que tem acesso a muita coisa e ficam no facebook e twitter postando coisas do nível 'classe média sofre' mesmo.

Como esse caso do spam da gasolina, tem o spam dos impostos e tantos outros do tipo 'tal lugar é assim, aqui no Brasil é assado - e é uma merda'

Anônimo disse...

Curioso que achei o texto dela meio classe média sofre, pq ficar lá nos EUA reclamando de quem reclama aqui é o q?

"Ninguém disse que não se pode reclamar, mas a crítica é mais àquelas pessoas que tem acesso a muita coisa e ficam no facebook e twitter postando coisas do nível 'classe média sofre' mesmo."

Augusto disse...

Lola, viu essa imagem que está rolando no facebook?

http://a1.sphotos.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash4/422543_202583873175143_100002705942389_272057_240136256_n.jpg

Só acho que tinha que ter imagens de algumas negras também...

Daniel disse...

Bem, eu não conheço com profundidade hábitos e deficiência de outros países para comparar... Obviamente existem problemas em vários povos e culturas e embora ficar ouvindo reclamações possa ser chato, protestar é legitimo, necessário. Infelizmente não há garantias de que uma coisa venha após a outra.

sex pistol disse...

Quer dizer, o cara trabalha para cacete, paga imposto acachapante, vê o país cada vez na merda em termos de infra estrutura pública, inclusive social, casos e mais casos de corrupção, é chamado de classe média e portanto não pode reclamar.Sendo que a maioria aqui é da dita classe...
Quer dizer, para reclamar o cara tem que ter "direito adquirido"
-O homem não pode ser feminista e tecer críticas a algumas intelectuais feministas da segunda onda pois "não tem validação" por ser homem;
-O cara não pode dizer que o país tá sucateado, pois tem acesso a muitos serviços ( de quinta categoria..) e é "zelite".
Agora para reclamar e expor uma opinião tem que ter "validação" e "direito adquirido"
Hipocrisa sinistra.
A imagem no espelho anda um pouco distorcida para alguns...

Anônimo disse...

Eu parei de falar mal da saúde pública quando, por acaso, precisei ser atendida em um grande hospital público de SP. Ao contrário de tudo o que eu já tinha ouvido falar fui super bem atendida, e rápido, e ainda saí de lá com todos os remédios na faixa (Hospital Jabaquara). Ninguém acredita, mas blz.

Daniel disse...

Uma coisa que me incomoda é o conceito de pátria que frequentemente vejo. As pessoas se confundem entre, os problemas presentes no território Brasileiro e problemas do Brasil.

Se existem por exemplo, políticos corruptos no Brasil, isso não quer dizer que o Brasil seja corrupto. Estes político que não honram a nossa pátria.

Embora Nação e Pátria, possam ser usados eventualmente como sinônimos, não representam essencialmente a mesma coisa.

Nação = Agrupamento humano, fixados num mesmo território...

Pátria = O país onde nascemos.

Deveríamos lutar para que a nossa pátria não seja descriminada, mal vista, mal falada por causa dos problemas causados por alguns poucos pertencentes a nação brasileira e que nem deveriam falar em nome de todos.

Tão pouco da pátria.

Esclarecendo:

Problemas da nação brasileira: A corrupção.

Problemas do Brasil: Os corruptos. (temos que nos livrar deles)

Augusto disse...

O problema do Brasil não é a corrupção! Todo país tem políticos corruptos e isso foi comprovado por pesquisas. A corrupção não indica melhor ou pior desenvolvimento. Acho que no Brasil o problema maior é a falta de conhecimento sobre direitos humanos. Aqui é cheio de reacionários a favor da pena de morte, contra as cotas, contra a descriminalização do aborto e parece que nada vai mudar. EITA

Anônimo disse...

Já eu, acho que "aquelas pessoas que tem acesso a muita coisa e ficam no facebook e twitter postando coisas do nível 'classe média sofre' mesmo." têm todo o direito de reclamar.

Será mesmo que a classe média brasileira reclama de barriga cheia?

sex pistol disse...

Daniel,
Beleza a explanação conceitual,
mas, cara, o lance é esse "direito adquirido" para emitir sua opinião, e argumentar suas posições. É aquela coisa: o cara chega para você e diz que você não pode criticar o páis, pois você é das "zelite" ( sendo que passa muuuuiiiito longe disso) e o mesmo cara se unge de intelectual das lutas sociais e não faz nada...
Entende?
O cara diz que você tá reclamando muito, mais ele mesmo fica no discurso.Um exemplo que citei foi o caso da corrupção que muito se fala, muita passeata é feita, muita ladainha e nada! porque? essa pusilânimidade de tentar desqualificar as ações de pessoas que realmente querem fazer algo, e enfraquecendo mobilizações.

Augusto disse...

Reclamar a nível de "Classe média sofre" sim, é totalmente equivocado e errado. Quando essa classe média capitalizada passar a ter argumentos sólidos para diminuir o preço do Ipad 3 e mostrar que isso é um grande fator para o melhoria do país, aí sim terá algum crédito. Fora isso, reclamar por não ser da elite é totalmente insano.

Eu sinto pena dessas criaturas infantis que até reclama quando os pobres começaram a usar a internet, porque para eles isso não pode, já que internet é coisa de rico. E eles são contra a inclusão digital, acha que não tinha que haver lan house, lugar de pobre é "na favela"

sex pistol disse...

Augusto,

E é aí que a coisa é mais perniciosa, pois a corrupção a nível que está drena recursos para investimentos sociais e políticas públicas de direitos humanos.A corrupção interfere de tal forma na governabilidade que se não for dado "dim dim" ou "carguinho público", aquele projeto crucial não é votado.Entende?

Augusto disse...

Repito, a corrupção no Brasil não será resolvida enquanto a população ainda for contrária aos direitos humanos. A população não tem informação sobre isso, no tanto que a maioria da classe média é direitista e acham certo essa exclusão de pobres e negros da sociedade.

Anônimo disse...

Entendi o que ela quis dizer no guest post. As pessoas reclamam de um modo geral como se o Brasil fosse uma porcaria e outros países fossem o paraíso, como se tivessem somente Hollywood como ponto de referencia..rs
Bem, eu particularmente não suporto a cultura brasileira, os hábitos , o clima, a música vulgar - salvo raras exceções -, o descaso e a corrupção política, etc etc. Mas sei que, seja lá para que lugar do mundo eu for, cada país terá seus prós e contras.
Eu por exemplo sou uma reclamona. Mas quando tenho que agir, faço, não fico parada dizendo que a culpa é dx "outrx". Exemplo na saúde, mesmo:
Dia desses eu acompanhei a minha avó de 76 anos num exame de sangue no SUS.
Depois de enfrentar uma fila enorme no sol durante quase 3 horas, veio a noticia que os exames seriam adiados pois as seringas e os tubos não foram entregues. Desculpa? "Falta de transporte para o material de coleta." Rá rá rá!
Na mesma hora eu peguei o celular, liguei p/ a prefeitura, expliquei a situação e pedi que o material de coleta fosse entregue. Duas outras senhoras fizeram o mesmo. Em menos de 30 min o material foi entregue e os que esperaram realizaram seus exames.
Agora, teve gente que me chamou de ridícula, riu da minha cara e disse que não adiantaria nada.
Pois é, há muito descaso dos próprios profissionais da saúde pública, mas as pessoas também são muito acomodadas.
E olha, é cada caso de arrupiar os cabelos do sovaco, hein?!
Ginecologista machucando paciente no preventivo, geriatra maltratando idoso, psiquiatra entupindo paciente de medicação para fazer a fila andar... O SUS tá cheio de médicos ruins.
Ou seja, a corrupção política não é o único problema no Brasil. Xs próprixs civis é que sempre foram, e estão cada vez mais individualistas. Tipo, "se eu me dei bem, quero que você se dane. Não tenho nada a ver com o problema de ninguém, cada um que se vire."
Nisso, o mundo vai virando um caos, não só o Brasil.


Mr. Sex Pistol, Louie, Louie é originalmente um R&B composto por Richard Berry em 1956. A primeira versão foi gravada em 1957. Confira no youtube:

Richard Berry and The Pharaohs - Louie, Louie (1957.)
http://www.youtube.com/watch?v=4woOaEIevnE

Mas a minha versão preferida é essa:
Motörhead - Louie Louie
http://www.youtube.com/watch?v=bS8Fn2gaGpM

sex pistol disse...

Augusto,
claro cara, isso rola aí de montão, é um facismo a moda brazuca... mas fico de cara com alguns intelectuais que querem desqualificar seus argumentos, dizendo que você é da "zelite", posando de baluarte das lutas sociais, e depois os mesmos ficam no sofá, pensando em qual restaurante do Leblon vão jantar...

sex pistol disse...

Obrigado cara!
vou ver a canção original do Richard Berry!
Abraço

Anônimo disse...

Não sou um cara ( AnônimA - 4 de abril de 2012 19:00), sou uma mulher, mesmo. [risos]

De nada.
E vida longa ao rock'n'roll!

\,,/,

Linda disse...

LisAnaHD, tem o Brazilian Day em NY! dizem que é legal.

Eu concordei com quase tudo que você falou, alguns brasileiros que conheci até agora só sabem ficar competindo pra ver que estado é melhor. É paulista enchendo o saco de nordestino, mineiro falando de carioca.. nunca vi coisa mais insuportável. O que me conforta é que não é todo mundo, e pra ser bem sincera, os brasileiros que eu mais vejo fazerem isso, são os mais velhos. Os que eu tenho conhecido que estão mais perto da minha geração (19 anos, eu) estão geralmente mais dispostos a entender a cultura do outro e aprender com ele, o que eu acho muito mais enriquecedor.

Mas sim, não é fácil lidar com brasileiro no exterior.

sex pistol disse...

Augusto
Outra coisa,
Ficar caracterizando os outros pelo status social é um grande equivoco...tem que ver a mentalidade e as idéias daquela pessoa.O cara pode ter grana, mas é um sujeito que não tem cultura nem educação nenhuma, quanto mais educação humanista.A educação e a cultura é uma faca de dois gumes tanto para os pobres, quanto para os abastados.Educação de escola e faculdade, não tem nada a ver com o aprendizado de valores como civilidade, respeito as diferenças, humanidade.
E é essa parte da educação, que está sendo colocada em escanteio, que está deixando suas consequencias no país.

sex pistol disse...

Então um abração, lady !
rsrsrsrs

sex pistol disse...

E o dinheiro desviado poderia ser empregado em projetos sociais, para gerar essa consciência...

Daniel disse...

Sex Pistol:

Entendi, não discordo de você.

Só estendi meu comentário daquela forma por querer combater juízos como:
"O Brasil é uma m&#%@..."

Juízos que além de não representar a verdade, acabam gerando algumas confusões. Como a pessoa dizer que o Brasil não presta por causa do problema X ou Y.

Mas todos nós temos o direito de reclamar e protestar contra esses problemas.

É o que penso. Até mais.

Luciana Guerra disse...

hahahaa Serio isso, Lola?
me fez lembrar das pessoas que reclamam de quem ajuda animais "porque tem tantas criancas famintas na Africa"... Se os EUA estao mal e no's estamos um pouco melhor (estamos, eh? ta certo entao, se vcs tao dizendo...) entao nao vamos reclamar, vamos ficar esperando os governantes arrumarem. Isso 'e NIVELAR POR BAIXO! Nao 'e porque os EUA nao tem Saude que preste que a nossa 'e boa, talvez, TALVEZ seja comparativamente boa. Como uma moca disse por ai: a gente reclama mesmo, mas tem que fazer ainda MAIS, tem que se INDIGNAR. Ou vcs nao sabiam: "A situacao das mulheres ta tao ruim no Oriente Medio e a gente fica reclamando desse pais livre do machismo que 'e o Brasil..." E o Rio de Janeiro continua lindo!!!

Daniel disse...

"que além de não representarREM a verdade"

correção.

Anônimo disse...

Sex Pistol, concordo com tudo o que vc postou aqui em grau, número e gênero, you sexy thing!! hahahaha

sex pistol disse...

sexy thing? que isso...
são seus olhos.... me sinto lisonjeado... HAHAHAHAHAHAHHAHAHAHA

Loana disse...

Não entendi a finalidade desse guest post, não mesmo. Foi dito que brasileiro reclama demais...foi dito que os EUA não são o melhor lugar do mundo nem ganham todas as competições de "quem é o melhor" com o Brasil...mas e daí? E DAÍ? E daí que você foi a um hospital americano e te cobraram um absurdo?...e daí que indo em determinado hospital brasileiro para o mesmo tratamento te cobrariam menos ou não te cobrariam? Realmente em que esse caso isolado é importante, onde estão as soluções...será que você não é só mais uma brasileira a reclamar...Ora estás a reclamar que em seu país o povo só reclama....pois eu digo...isso não é nada...mesmo com nossa má fama de reclamões não reclamamos o quanto deveríamos pq vivemos num país onde temos uma Constituição linda que nos promete muito e que não é cumprida.... e o que fazer quando não cumprem o que merecemos, quando nos negam o que é nosso de direito?? Ora..nós usamos as armas que temos e alguns só conseguem RECLAMAR....Por que reclamar é visto como algo tão ruim...sério....por que reclamar é errado...você poderia dizer por que não há atitudes..só reclamações e blá blá....mas poxa não seja injusta você também não tá agindo.

Anônimo disse...

Olha, não concordo com o comentário da Marina sobre a segurança do transporte em SP e na Europa...

Se vc comparar só o metrô de SP e Paris, o de Sp é mais limpo, mas não mais seguro....Mas SP não é só metro, é trenzão tb...

Eu morava em Osasco, pegava CPTM todos os dias. Fiz isso por 20 anos. Agora moro na periferia de Paris há dois, também pego trem todos os dias.... E pesadelo como a CPTM às sete da manhã ainda não existe em nenhum lugar do mundo, hehehe.. Isso sem contar andar de ônibus em SP, que são cheios, e cheios de assaltos
Então,os daqui não são perfeitos, mas não dá pra comparar transporte ficando poucos dias numa cidade e usando só metrô

Renata

Anônimo disse...

Que isso Renata? cptm agora tem qualidade de metrô!!!

ou será que o metrô é que tá virando cptm...

Má disse...

Loana, pelo que entendi, o "reclamar" que o post se refere não é algo que tenha a ver com "reivindicar" "debater" "buscar justiça" "tentar melhorar o mundo".
Mas algo muito peculiar daqui, que nasce da desigualdade social, do preivilégio (e porque não do mimo?) de parte da classe média que reclama, no alto de seu privilegio, de coisas que não necessariamente vão ser melhor p a sociedade, mas mais como reclamar de algo que exclusivo do seu mundo, que para quem está de fora (a maior parte da população) não faz sentido nenhum. Em determinadas circustâncias é até ofensivo para quem nem sequer sonha em "poder" reclamar de coicas como: transito no carro (para quem anda de onibus), "mensalidade escolar" (para quem estuda em escola pública) etc etc..
Espero que tenha entendido, reclamações nem sempre são "reivindicações" e muito menos algo que beneficiará a todos, no Aqui no Brasil, geralmente quem não compreende isso é quem faz parte deste tipo de classe média que só enxerga o próprio umbigo.

Bjo

Anônimo disse...

Lola, leio praticamente todos os posts q vc coloca no blog e esse foi o pior que já li.
Falar da Copa como se estivéssemos reclamando de pouca coisa, é um roubo declarado desde quando assinaram os papeis.
quanto pagar as contas de médico nos EUA, eles não pagam impostos como aqui pra receberem a atendimentos gratuitos...
bom não preciso entrar em detalhes.. adoro seus posts, comento com meus amigos a maioria deles e faço deles uma discussão imensa com meu irmão e consegui mudar muito a opinião machista que ele tinha... mas esse realmente foi um tanto infeliz!

bjos

Lobo Mau disse...

A Lola é filiada ao PT, por esse motivo está fazendo o papel de defensora do serviço público no Brasil nesse Guest Post, ou seja, um artigo 100% movido a interesses político-partidários. Já pode fechar o tópico.

Anônimo disse...

uma slogan praqueles que acham que reclamamos demais: BRASIL, AME-O OU DEIXE-O!
E, claro, vamos censurar a imprensa que só publica coisa ruim também.
esse blog já foi mais inteligente, PQP.

Raphael disse...

O Futuro do blog tá complicado: Os Guest Posts tiram muito da Qualidade Aranovich, porém se ela começar a se sentir "obrigada" a escrever, o texto não será tão bem feito e também perderá a qualidade.

De qualquer forma, dei a ela uma sugestão intrigante de post =]

Starsmore disse...

Eu já acho que o guests posts são a melhor coisa por aqui, talvez a única coisa que impeça a Lola de escrever a mesma coisa toda todo dia.

lola aronovich disse...

É, gente... Algumas caixas de comentários me dão preguiça, e esta certamente foi uma delas. Acho que pouca gente entendeu o post. E concordo com o Patrick: não quiseram entender. Não chegaram nem perto de tentar entendê-lo.


Loli, eu não estava sendo sarcástica. É que, pelo que vc falou, pareceu que não leu o link. Eu já expliquei, a Carol já explicou... E vc continua achando que meu comentário ironiza a crise da Espanha, e não a declaração do embaixador de que “a Espanha está triste” (com as medidas de reciprocidade adotadas pelo Brasil). Desculpe, mas acho que há uma falha sua em interpretação de texto aí. Algumas frases realmente são ambíguas. Esta não é uma delas.

Loana disse...

Não acho que o futuro do blog esteja comprometido com os guest posts não,muito pelo contrário, a maioria deles são muito interessantes, muitos até melhores que os maravilhosos posts da Lola (minha opinião) o certo é que eles aumentam o conteúdo, trazem novos assuntos e novas formas de escrever...enfim contribuem grandiosamente com esse MARAVILHOSO blog. Eu gosto desse blog mas eu penso e tenho minhas opiniões, claro que estou aqui devido minha afinidade de pensamento com a ideologia do blog, mas não digo amém pra tudo. Esse guest post, por exemplo, foi muito "senso comum" pro meu gosto...mas me fez pensar...me fez discutir (kkk) e é isso que importa!!!!!!!
E outra, a própria Lola deixou a opinião dela sobre o guest post...ela não concorda com tudo, mas não significa que ele não deva ser postado!
=]

Ana Paula disse...

Só agora abri o blog e vi meu texto. Queria poder ler todos os comentário mas não dá, são muitos. Vou responder a principal questào (que aliás já foi muito bem explicada por um anônino): não moro aqui porque quero, por que escolhi e sim pelas circunstâncias. Sou casada e meu marido não é brasileiro, não fala portugues e é um professor renomado na universidade daqui. A área dele é aeronáutica e mecânica e ele até tentou fazer colaborações com USP, ITA, Embraer e UNB mas ninguém se interessou. Muitos trocaram alguns emails mas partir pra colaborações nada foi pra frente. O plano era poder passar de 6 mses a 1 ano no Brasil, e de repente uma mudança definitiva.

Tb sei que devo ter dado sorte de parar num hospital publico bom. Tenho noção que ainda existem muito problemas no Brasil em relação à saúde e que USA talvez não seja comparação. Mas sempre que escuto ou leio alguém comentar sobre como "lá fora é melhor", esse lá fora se refere aos USA. Nunca ouvi alguém comprando direto com Canadá ou Escandinávia por exemplo.

Essa mania de brasileiro reclamar é que foi o pnto em questão. Eu sei eu era assim tb. Tipo o lance da copa. Há qto tempo se esperava por isso e finalmente qdo aconteceu, agora o povo reclama. E reclama que as pessoas perdem tempo vendo BBB ou idolatrando o tal Michel Teló. E fora do Brasil qtos reality shows existem, alguém tem ideia? E idolatria à músicas de quinta categoria?? Isso tem em qq lugar do mundo. Não precisa ficar só achando que é no Brasil . Esse foi meu ponto. Brasiliero qdo reclama, acha que é só aí, no resto do mundo tudo funciona.

E concordando com o anônimo tb, uma coisa que entristece é a falta de honestidade do brasileiro. Isso sim é triste. E eu realmente acho que a falta de segurança é um problema muito gde no Brasil.

Qto a patriotismo, tb concordo, qdo falo que brasileiro reclama, não quero dizer que é pra todo mundo bater no peito de gritar ao mundo que orgulho ser brasileiro não, mas só pra parar de reclamar um pouco, tem problema em qq canto do mundo. E mesmo a escandinávia, onde parece que tudo é lindo e tudo funciona, tem seu lado negativo como por exemplo, 6 meses de escuridao por causa do inverno.

Enfim, não quis compar saúde do Brasil com a dos USA, só quis desabafar pq acho tem brasileiro reclamado demais...

lola aronovich disse...

Mascus vivem dizendo que sou filiada ao PT e que o governo me paga pra escrever o blog. Isso porque eles são de extrema direita e detestam o PT (e outros partidos de esquerda, mas nenhum tanto quanto o PT). Bom, não sou filiada. Nunca fui filiada a partido algum. Sou eleitora do PT desde 1985, isso sim (quer dizer, na realidade só me naturalizei brasileira e pude começar a votar em 98, mas antes eu fazia boca de urna, participava, comprava minhas estrelinhas e bandeiras, essas coisas que os simpatizantes do PT mais antigos conhecem tão bem).
Teve uma época, em Joinville, que eu cheguei até perto de me filiar ao PT. A ficha de inscrição passou pelas minhas mãos, e eu pensei seriamente em me filiar... Mas faz muito tempo, mais de 15 anos, e acabei não levando pra frente. Um dos motivos era que eu ganhava mal, e teria que dar não sei quanto por cento pro partido. Pois é, filiados ao PT pagam (ou pagavam) uma porcentagem do salário pro partido. E era bem alta. Estou muito por fora disso tudo. E sobre receber do partido ou do governo pra fazer o blog, faz-me rir. Primeiro que o PT e o governo (que não são necessariamente a mesma coisa) nem sabem da existência do meu blog. Segundo que o blog (infelizmente) não dá dinheiro. Quer dizer, dá uns R$ 150 por mês da comissão do Submarino, E SÓ. Não é possível viver disso, né? ALIÁS, se alguem souber: preciso declarar pro imposto de renda os R$ 2.368 que o blog rendeu no ano passado? É que não tenho nada do Submarino, nenhum informe de rendimentos, nada.
Esses dias eu vi, não sei onde, num fórum ou orkut ou caixa de comentários mascu, mascus me acusando de receber dinheiro do governo pelo blog. Sabem qual post os fez chegar a essa brilhante conclusão? ESTE AQUI. É um guest post sobre o “estado de calamidade da saúde”. Não entendo como publicar um guest post dizendo que a saúde no país não vai nada bem esteja beneficiando o governo atual. Mas, sei lá, mascuzões têm uma lógica diferente daquela dos reles mortais...

Augusto disse...

Gostei bastante do seu depoimento final aqui. Esclareceu bastante coisa para os outros. Mas o post valeu por conhecermos sistemas de saúde de outros países também. Talvez o ideal para você e seu marido seja mudar-se para outro país que não seja o Brasil e que tenha um bom sistema de saúde e seja um país mais humanitário.

Augusto disse...

Lola, eu não posso concordar com barreiras migratórias. Isso parece xenofóbico sempre que citado aleatoriamente e sem nada explicando. Não posso concordar...

lola aronovich disse...

Ai, ai, o Raphael é meio que um mascutroll sem nenhuma noção que fica me mandando sugestões por email... A sugestão de hoje (que ele considera brilhante) é que eu escreva sobre por que homens não podem usar saias. Sério, o email dele tem uma frase (não estou reclamando!), e ele acha que essa pauta tão inspiradora vai salvar o blog.
Eu ADORO os guest posts que publico aqui. Toda semana chega pelo menos um guest post novo, ou um email interessante que eu perguntou se posso transformar em guest post. E a maior parte das pessoas aceita e fica feliz com a ideia de ver sua opinião publicada no blog. Pra mim realmente é ótimo, porque os guest posts trazem visões, experiências, opiniões, que muitas vezes não são as minhas. Não quer dizer que eu concorde 100% com o que está escrito em cada guest post. Mas eu adoro publicá-los. E tem alguns, não muitos, mas tem, que eu não concordo em nada. Esses dias chegou um email de uma leitora contra o aborto. Ela pediu pra eu publicar seu texto como guest post. Bom, eu sou totalmente a favor da legalização do aborto, mas, mesmo assim, tenho vontade de publicar o guest post da leitora. Só que ele estava gigantesco, e eu pedi pra que ela o encurtasse. Em geral os guest posts têm até 1,5 página do Word em corpo 11. E acho que esse email dava umas 4 ou 5 páginas!
Meu blog deve DEMAIS às minhas leitoras e leitores. Mesmo quando a caixa de comentários não é muito bacana, como esta, acontece um debate aqui. Eu acho isso ótimo.
Só que acho que tem gente que não está muito acostumada à dinâmica deste blog que não entende o que é um guest post. Eu perco a conta das vezes em que uma galera acha que um guest post reflete a minha opinião. Não sei se é pelo nome estar em inglês (guest post, post convidado), ou talvez por não ser uma prática tão comum nos blogs, mas o pessoal tem dificuldade em entender que guest post não é escrito pelo autor/a do blog. Eu sempre “apresento” o autor/a do guest post, deixo claro que o texto é del@, não meu, e ainda assim o pessoal vem dizer “a Lola escreveu que...”. SEMPRE! Em todo guest post acontece isso.

nina disse...

É, Lola.
Mas isso é um problema de leitura. Toda vez você explica que o post é de outra pessoa, fala o motivo da publicação e tudo mais. Se ainda acham que o post é seu - muita gente comenta como se achasse - é porque não leu direito. Se você tiver que ensinar as pessoas que frequentam o blog a ler, complica, né?

Ariane disse...

Lola, esse texto publicado foi muito pobre mesmo. Opinião de uma pessoa completamente alienada a realidade do Brasil

Anônimo disse...

Ainda bem que eu não li o guestpost.

N.

Ana Paula disse...

Augusto, nós já pensamos memso muito em nos mudar daqui. Volta e meia ficamos imaginando como seria morar em determinados países. E vou te falar, não é nem pela questão da saúde, pq graças a DEus, temos plano de saúde aqui. Meu exemplo sobre asaúde aqui e lá foi ver um comentário de brasileira no post da minha amiga lamentnado como as pessoas pobres fazem nos USA. Ouvir ela falar que no Brasil teriam tirado o estomago, foi falar que médico brasileiro é incopetente. E isso
é achar que médico dos USA é sempre bom.
A nossa razão por querer nos mudar daqui é pq assuta um pouco morar num lugar onde se justifica tudo em nome de religião. Fora o racismo, o ode às guerras, o bulling. Agora que mudei pra FL, tudo isso é mais acentuado ainda pq estou no cinturão bíblico. O racismo aqui tb é imenso e assutador. Saber que em cidades a poucas milhas de onde moro existe um dos maiores grupos de Klu Klux Klan ativos dos USA é bem assutador.
Mas essa misigenia que tem acontecido no Brasil me assusta muito tb. Tenho acompanhado tudo pelo bog da Lola e estou chocada.

E ola, essa história de "se não ta bom aqui, pq não volto pro Brasil" vc já tinha previsto que ia acontecer. Acho engraçado que quem fala isso nào me da o direito de reclamar de onde vivo mas se acha no direito de reclamar do Brasil. Como se a única solução ao se encontrar um problema no país onde moramos é trocar de país.

Ana Paula disse...

PS.: o último parágrafo era pra ser "E Lola..." ao invés de "E ola..."

Anônimo disse...

Mas essa misigenia que tem acontecido no Brasil me assusta muito tb.

=========

Essa misoginia é virtual. O machismo rola como sempre rolou. O Brasil continua sendo um país pouco sério com muito faz de conta que não deve ser novidade p/você.

LisAnaHD disse...

ai, LoLa, escrever sobre homem usar saia? brincadeira, né? e salvar eu blog??? não percebo que seu blog esteja à beira da falência, ao contrário! e essa baboseira toda de que vc é afiliada... que recebe grana... até eu que volta e meia te causo um mal entendido desde de cara saquei que vc é totalmente descompromissada com qq força oculta e nem se discuta... (hoje comprei uns chocolates pra vc que vão te deixar muito feliz da vida! ihihih se alguém quiser dizer que tô puxando o saco, saiba tb que comprei um treco de cozinha pruma amiga portuguesa que me viu esquentando um leitinho pro café dela e achou legal minha vasilha... qdo o futuro genro dela veio pra aula de inglês, ele levou o presentinho... ai sou tão carente que preciso presentear as pessoas pra me sentir amada... rs... rs...) enfim, ao GUEST POST.

eu acho muito legal vc publicar GUEST POST quer eu aprecie ou não o texto; quer eu concorde ou não com o exposto: pra mim é um forma de acompanhar a mentalidade brasileira onde quer que quem tenha escrito more.

sobre a Saúde nos EUA isso é um eterno debate político... houve uma época em que o modelo canadense (canadiano se vc que me lê é de Portugal) era muito citado como exemplo a ser seguido... nos EUA não existe seguro de saúde tudo de graça a menos que a pessoa seja pobre... e quem saiu de seu país pra estudar no exterior não está na categoria de carente, de pobre.

nenhum seguro de saúde paga 100% e sim 80% no máximo, inclusive pra quem é inquilino da Casa Branca seja por 4 ou por 8 anos. a cada vez que vou ao médico pago 20 dólares e o seguro paga o resto... toda medicação que tomo com receita médica o seguro paga mais de 50% e por lei o médico tem de receitar genérico qdo existe genérico, mas qdo falei que o genérico não estava sendo bom pra mim, imediatamente me foi receitado o medicamento orginal...
se eu for pra sala de emergência, pago 50 dólares na entrada aliás nunca querem receber qdo da consulta médica e preferem mandar a conta depois... se espantam qdo eu insisto em pagar no ato. se a despesa médica foi de 10.000 dólares o paciente tem de pagar 2.000 dólares MAS paga como puder... basta ir ao setor administrativo do hospital e fazer o acordo... imigrantes com filhos até 5 anos, mãe solteira, mesmo morando com o pai das crianças, recebe 500 dólares por criança... mais ajuda com alimentos e assistência médica até mesmo com tratamento para alguma condição em particular de que a criança sofra... conheço uma brasileira sem marido e com dois filhos já passados dos 10 anos que mora num apto. muito bom e ela paga um miserê pq o governo ajuda em TUDO... imigrantes com filhos até 18 anos, mesmo indocumentados, têm direito a seguro de saúde do estado... um exemplo foi que o seguro de cada criança era de 70 dólares por ano, pois a família podia pagar... eu acompanhei as duas crianças ao médico inclusive uma delas foi submetida a uma cirurgia com uma médica de prestígio e não custou um centavo para a família... assim é em Massachusetts e Rhode Island... e no Texas então é um paraíso de tantos beneficios as carentes famílias recebem.

como intérprete tradutora acompanhei cirurgia de mulheres que haviam chegado do México a menos de um mês e recebiam tudo tudo de graça, na Carolina do Norte... tb assistência que aidéticos recebiam e até visita à casa... realmente brasileiro gosta de reclamar onde quer que esteja... se está no Brasil, lá não está bom... qdo vem pros EUA cá não está bom... que tal Cuba? Coreia do Norte? Síria? Turquia? pois se for pra reclamar não há que deixar por menos!

LisAnaHD disse...

Linda disse...
LisAnaHD, tem o Brazilian Day em NY! dizem que é legal. Eu concordei com quase tudo que você falou, alguns brasileiros que conheci até agora só sabem ficar competindo pra ver que estado é melhor. É paulista enchendo o saco de nordestino, mineiro falando de carioca.. nunca vi coisa mais insuportável. O que me conforta é que não é todo mundo, e pra ser bem sincera, os brasileiros que eu mais vejo fazerem isso, são os mais velhos. Os que eu tenho conhecido que estão mais perto da minha geração (19 anos, eu) estão geralmente mais dispostos a entender a cultura do outro e aprender com ele, o que eu acho muito mais enriquecedor. Mas sim, não é fácil lidar com brasileiro no exterior. 4 de abril de 2012 19:11

Linda, vc está em MA ou em RI? Qual universidade? se vc não se importar, claro.

LisAnaHD disse...

Ana Paula, do guest post, antes da FL em que estado vc morou?

Luiz disse...

Bom, já morei em dois países. Na Alemanha eu tinha que pagar um plano de Saúde para termos um certo nível de atendimento. Em Israel, não. Pelo contrário tinha uma excelente rede de serviços públicos. Tudo funcionava bem. Concordo que o sistema de saúde brasileiro pode ser melhor que nos EUA, mas na média é muito pior que Israel, Reino Unido, Canadá e França. Amigos meus que moraram nesses países dizem a mesma coisa. Aqui convém ressaltar que redes públicas de excelência, como o Sarah, são excessão. Na segurança pública, tanto Israel quanto Alemanha estão a anos luz a nossa frente, principalmente porque esses dois povos tratam a criminalidade como uma escolha moral e não como um problema social, como os esquerdistas dizem. Quando alguém pega uma arma de fogo e vai para o semáfaro assaltar ele está fazendo uma escolha moral. Não tem problema social nenhum nisso. Tem mau caratismo. Alemanha, Israel e EUA interpretam assim. Homicídio em Israel recebe condenação perpétua e em alguns casos um poster com a foto da vítima é colocado dentro da cela e preso por homicídio fica em regime de completo isolamento. Aqui o discurso pseudo-esquerdista vê os presídios como uma anomalia social. O resultado é essa violência que vemos. Na Alemanha a maioridade penal é 14 anos. Aqui projetos de redução relativa da maioridade penal para 16 anos enfrenta forte resistência. Qual o resultado disso?

Enquanto nos EUA, com uma população de 300 milhões habitantes tem uma taxa de homicídios de 13 mil anuais, no Brasil com 200 milhões temos 53 mil homicídios anuais. Isso basta.

Ham, mas é a pobreza a responsável pela criminalidade, diz o sociólogo de botequim. Falso. A região que mais cresceu a criminalidade foi o nordeste. Ironicamente foi a região que mais cresceu economicamente no Brasil. Ou seja, no passado o Nordeste era mais pobre e menos violento (Não estou dizendo que riqueza causa violência. A Alemanha é rica e pouco violenta).

O Brasil tem inúmeros problemas e discuti-los de maneira sóbria é honesto e necessário. Estamos muito atrasados por exemplo no aspecto de desenvolvimento tecnológico, científico. Nossas Universidades quase não figuram entre as 100 melhores do mundo. No ranking de educação básica nossa classificação é semelhante a dos países mais pobres da Africa e Asia. Tem alguns setores do nosso país que consegue algum destaque. Somente um setor do Brasil é top de linha. A Agroindústria e pecuária. Ironicamente é um dos setores mais demonizados internamente.

lola aronovich disse...

Olha, LisAnaHD, pra ser bem sincera, eu me envolvo bastante com política em época de eleições, principalmente eleições presidenciais. Se vc ler meus posts de setembro e outubro de 2010, vai encontrar um monte de coisa sobre política partidária. E é lógico que eu sou de esquerda. E também, quando eu morava nos EUA, no ano de 2008, me envolvi bastante com as eleições americanas. Era um tema que me interessava horrores. Mas, depois de passadas as eleições... É terrível revelar isso, porque eu me sinto muito alienada, mas não acompanho muito o noticiário. Esses dias fui dar uma olhada rápida no blog do Reinaldo Azevedo e de outros reaças – blogs que eu não entrava há muuuuito tempo, quase que desde novembro de 2010 – e fiquei surpresa ao ver como esses blogs andam CHATOS. Não tem nada lá. Quer dizer, não sei se blogs políticos à esquerda andam menos chatos, porque não costumo lê-los tampouco. Ou se não são os assuntos tratados que não me chamam muito a atenção, não sei. Enfim, nem sei o que quero dizer com este comentário. É só que eu já fui um animal político, desses que respiravam política (partidária). Mas ultimamente a política só me fisga nas eleições. É chato isso, porque acho que temos que acompanhar a política o tempo todo, não só a cada dois ou quatro anos. Mas tem vezes que me falta paciência e vontade, sabe?
E ha ha ha, bando de mascutroll se unindo pra SALVAR o meu bloguinho é fogo, viu?

Jamie Barteldes disse...

Não se se beijaria o chão e nem sei se a Índia é melhor ou pior que o Brasil, mas uma coisa é certa: quando você viaja, você entende sua cultura melhor, uma vez que se vê se fora. A gente percebe certas coisas que não percebíamos antes, que achávamos que eram comuns ao mundo inteiro.

Acho errado quem pisa no próprio país quando está morando fora ou o exalta em excesso. Cada país tem suas vantagens e desvantagens; a diferença é que no seu país você ainda pode fazer a diferença e trabalhar os aspectos com os quais você não concorda - já no estrangeiro é mais difícil.

Antes a percepção, antes a observação. Juízo de valor (aqui é melhor, aqui é pior) apenas pelo que ele é (reclamação)não gera mudanças.

Jamie Barteldes disse...

Raphael, eu adoro os guest posts. É legal ler outras visões sobre assuntos que talvez a Lola não domine. Ela é ótima mas é só uma:) Sem contar que acho extremamente democrático, até pq ela nem sempre concorda completamente com os guest posts, mas acha interessante postá-los em nome da discussão.

O Escreva Lola Escreva deixou de ser um blog faz é tempo....virou fórum:)

Anônimo disse...

Pois é, Lolinha. E isto é mto ruim. Pois estamos numa conjuntura política e econômica internacional interessante. Estamos vendo com os movimentos dos indignados e dos Occupys (que foram inspirados nos indignados) um certa conscientizaçao política da população. Os espanhóis ocuparem a praça de Madri exigindo uma "Democracia Real" e os americanos do Occupy Wall Street com placas "99% contra 1%", já é uma conscientizações, pois os trabalhadores estao questionando a democracia burguesa e o capital financeiro...

Anônimo disse...

E com esta conjuntura interessante, eu vejo vc preocupada com o Oscar, com as asneiras que os mascus pega-ningu escrevem nos seus blogs e fórum misóginos, e outras futilidades. Pq vc ñ escreveu nada sobre a truculência da polícia tucanalha em Pinheirinho, São José dos Campos, no Estado de SP? Pq se preocupa apenas com coisas fúteis?

LisAnaHD disse...

O Diário de um Enfermeiro
http://www.odiariodeumenfermeiro.com.br/2008/07/termos-tecnicos-de-a-z.html

pra aprendermos termos técnicos em medicina

Sara disse...

Nosso pais tem sim muitos problemas, e não acho errado aponta-los, mas não creio que exista outro melhor que o nosso, desculpem o ufanismo, mas é isso que penso.

Jamie Barteldes disse...

Anônimo, se tudo é tão fútil, o que você está fazendo por aqui?

Fútil pra você, meu caro.

Cada um, viu?

Anônimo disse...

O que a publicidade brasileira deveria entender e o que a população brasileira deveria entender sobre publicidade: http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2012/04/04/anuncio-pornografico-e-abusivo-e-banido-na-inglaterra.jhtm

Mariangela disse...

Bom, eu moro na Espanha e posso garantir que quase todos os brasileiros que vem aqui entram sem a menor dificuldade,menos de 5% são impedidos de entrar em Barajas.E em praticamente 100% das vezes o barrado/a não está cumprindo algum dos pré-requisitos exigidos para a entrada no país(o que não acontece apenas na Espanha mas em quase todos os países do mundo,e que agora o Brasil resolveu por em prática). No caso desta senhora que atingiu grande repercussão vale ressaltar que seu filho e nora vivem ilegais na Espanha,por isso não apareceram no aeroporto para acompanhá-la. Enfim, a senhora não cumpria com uma série de pré-requisitos exigidos para entrar na Espanha como turista(apresentava apenas passagem de ida e volta,sem carta-convite,ítem indispensável para quem se hospeda em casa de parentes,entre outros).
Vale ressaltar que todo país é soberano e apenas os seus NACIONAIS tem livre acesso e SEMPRE em suas fronteiras.O que não é tolerável é provocar situações de constrangimento e humilhação ao cidadão impedido de entrar por não cumprir algum pré-requisito que isto é desumano!!
Vamos acompanhar como o Brasil colocará em prática esta lei de reciprocidade pois,na boa,acho que é conversa para boi dormir e logo termina em pizza,como quase tudo sempre..

Anônimo disse...

SUS nos olhos dos outros é refresco:

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/04/adolescente-perde-bebe-apos-esperar-15-horas-por-parto-em-sp.html

Milady Carol disse...

Moro na França há mais de 12 anos. Adoro morar aqui, sou feliz, é a minha casa. Mas reclamo. Aliás, franceses reclamam MUITO, eles dizem isso com uma pontinha de orgulho. "Les Français sont râleurs", os franceses são reclamões. Mas é uma reclamação ativa, eles reclamam, fazem greve, correm atrás, tentam mudar. Porque eu não vejo nada de errado em reclamar, o que eu acho horrível é essa mania de achar que é tudo melhor lá fora. Isso é uma maneira de deixar tudo como está.

Patrick disse...

Anônimo, guerra de links não leva a nada:

G1 - Mulher morre em clínica particular após realizar cirurgia plástica em BH.

Becx disse...

Bom, EUA pode não ser o exemplo de saúde pública, existem sim mais clinicas publicas em muitos hospitais, pelo menos aonde eu estava. Se a coisa for grave, vc precisa de convenio. Mas ainda sim os problemas sao menores. Não vamos comparar EUA. Na Australia tudo funciona, tudo funciona mesmo. Todo cidadão aqui tem medicare, vc para em qlq hospital, qlq Clinica, Fisioterapia, qlq coisa, apresenta o cartão e eles te atendem, e depois a conta vai pro governo.
Imposto aqui é um dos mais caros, pode chegar a 40% da sua renda, mas existem tantos programas sociais, tantas atividades patrocinadas pelo governo....educação aqui perde um pouco... pra Holanda, Suiça, Suecia.Por mais que EUA não seja modelo, ainda não dá nem pra comparar com Brasil,pois alguns pontos do SUS funcionam, a grande maioria não. Assim como nos EUA existem free clinics, mas na grande maioria, não.
Uma coisa é vc passar férias aqui e precisar de uma consulta médica, outra é vc morar no Brasil e lidar com essa realidade todos os dias. Uma coisa é vc ler no jornaluma ou duas ou 3 notícias ruins, outra é vc ser bombardeada por elas todos os dias.
Uma coisa é uma estatistica de 10% ano, outra eh de 10 ao mês... Agora vem uma falar que reclama demais???Please tell me more about how you are conditioned to live there?!

Anônimo disse...

O Brasil é o melhor país do mundo àquele que nunca conheceu nada melhor. Pergunte para algum argentino qual é o melhor país do mundo.

Anônimo disse...

Minha gente brasileira,
Pelo visto a Sara das 06:33 de hoje acredita piamente nos Contos da Carochinha, afinal ela crê que não há país melhor do que o nosso Brasil !!! para a corrupção não punida sim, ela tem razão.
Cris

Anônimo disse...

Concordo com você, Cris.... Tal pensameneto parece algo fervendo numa caldeirada.
N.

Anônimo disse...

daqui (do Brasil) não saio
daqui (do Brasil) ninguém mim tira.
Bianca.

Juliana disse...

Concordo com a Mariangela. E, infelizmente, ainda que tenhamos cumpridos todas as condições exigidas para a nossa entrada num país estrangeiro, é discricionário eles liberarem ou não a nossa entrada. O que se pode criticar é a maneira como algumas pessoas são tratadas nas imigrações.
Morei durante um ano na Espanha pelo convênio bilateral entre universidades (no caso: UFBA e USC). Nesse período alguns colegas de Salvador estavam morando em Portugal na mesma situação que a minha, e resolveram conhecer a Irlanda. Apesar de apresentarem todas as documentações, foram barrados na imigração e, como não havia vôo para Portugal no mesmo dia, foram levados para a PRISÃO onde permaneceram durante 48h (veja aqui: http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u385843.shtml)Isso sim é inadmissível.
No entanto, a minha experiência na Espanha não poderia ter sido melhor. Sou completamente apaixonada pelo país e sinto muito pela situação que estão enfrentando agora. Me encanta a força dos movimentos sociais espanhóis.
Mas voltando à questão das imigrações: também fui muito bem tratada em todas por onde passei, inclusive nas mais temidas: Madrid (1 vez voltando de Marrakesh, e dizem que eles são super preconceituosos com quem vem da África por causa da quantidade de imigrantes ilegais no país), Londres (1 vez) e Dublin (4 vezes).
Também tive outros amigos barrados em Londres porque o americano estava com o passaporte vencido, uma das brasileiras tinha esquecido ID espanhola de estudante em intercâmbio e a outra brasileira porque estava junto com eles hehe Mas eles disseram que foram super bem tratados. Ficaram numa sala com bebida e comida "for free" durante 3h até que o pessoal da imigração resolveu liberar a entrada dos 3.
Até concordo que o BR seja mais exigente com os imigrantes europeus EM GERAL (não um daqueles povos em particular). Reciprocidade nas relações. Por outro lado, penso também como deve ser difícil para um país que já sofreu as consequências de um atentado terrorista (como por ex. o do metrô de Madrid) controlar suas fronteiras.

Sara disse...

Anonimo Cris, não disse que nosso pais não tenha problemas, se vc aprendeu a ler, notara que isto esta escrito em meu comentário.
Mas comparando o Brasil com os demais paises, não tenho duvidas de que somos privilegiados sim.

Juliana disse...

Eu concordo com a autora no guest que nós reclamamos demais. Mas reclamamos porque gostaria de ver o meu país melhorar, ainda que não tomemos nenhuma atitude para tal, como muito disseram aqui.
Por outro lado não posso concordo de maneira nenhuma com o que ela diz sobre a Copa do mundo. E nem vou defender aqui a questão óbvia de que precisamos muito mais de outras coisas do que de mega estádios de futebol. Para além disso, nosso Governo pouco está preocupado com os problemas que virão ou serão potencializados com essa tal dessa copa, como, por exemplo, o do turismo sexual. Não se fala em nenhuma estratégia para combater os aspectos negativos que obviamente virão. Só se precupam com seus bolsos, além do trânsito, dos aeroportos, dos hotéis e dos estádios.

Sara disse...

Nosso clima e geografia são propicios.
Nossa gente é um caldeirão de raças, o que faz com que o racismo não tenha razões para mostrar suas garras com tanta intensidade como em outros lugares.
Nossa economia mal ou bem, esta entre as melhores do mundo.
O terrorismo é pouquíssimo praticado por essas bandas.
Temos uma mulher como presidente, e isso é um indicativo de que o machismo esta sendo derrotado por aqui.
Ha muitos outros pontos positivos para se citar.
Temos problemas terriveis a serem enfrentados ainda.
Mas tenho muita fé, que estamos mais próximos das soluções que outros paises.
Tenho conciência que em muitos pontos ha paises mais desenvolvidos que o nosso, mas na somatória, fico por aqui mesmo.

Anônimo disse...

Não entendo pq o pessoal da esquerda não gosta da privatização, está provado por A+B que serviços privados são infinitamente melhores!

vamos privatizar o Brasil Já!

Anônimo disse...

e moro fora do Brasil,quem fez o guest post com certeza NUNCA saiu da cidade que nasceu,pelamor!!!!!

Anônimo disse...

Sara, também gosto demais do meu país, principalmente do nosso povo e de tudo o que eu sou, pq foi aqui que eu cresci e aprendi a lutar sim, pq a gente que batalha todo dia, 10, 12 horas, 2 ou 3 só ônibus, no trem, paga as contas, não paga as contas, educa os filhos, sabe que sabe lutar sim.
Só é triste essa sua frase (Nossa gente é um caldeirão de raças, o que faz com que o racismo não tenha razões para mostrar suas garras com tanta intensidade como em outros lugares) até faz muito sentido, mas ainda não deu certo desse jeito não, como diria A. do Nasc. "no Brasil se mata negro como se mata cão". Ele é que estava certo.

Anônimo disse...

sério,que decepção esse post!!!contribuir ainda mais para a ALIENAÇÂO do brasileiro!!!o pessoal precisa ACORDAR pra saber o que é realmente um pais desenvolvido,de primeiro mundo até para EXIGIR MELHOR condição de vida no Brasil.O GUEST POST É RIDÍCULO,MORO FORA DO BRASIL E VEJO O QUANTO AQUI A VIDA É BEM MELHOR.O que tá acontecendo nesse blog que eu sempre achei que era um blog sério?????

Sara disse...

Ao anonimo que não gostou da minha frase "caldeirão de raças" não disse que estamos isentos de racismo, aqui existe racismo sim mas com bem menos intensidade que em outros paises, onde vi com meus próprios olhos, bairros separados para brancos e negros, onde o tipo fisico mais comum que existe por aqui o mulato, é raramente encontrado nesses paises.
Sei que esse assunto gera controversias, e que cada um tem sua maneira de ver, mas a minha é essa e não vai mudar.

Anônimo disse...

Concordo com o anonimo de cima, quem fez esse Guest Post, nunca saiu do quintal de casa.

E a dona deste blogue que vergonha, é estrangeira, e se mete a dar pitacos no Brasil.

Vc ve brasileiro dando pitaco na argentina dona Lola?

Fernanda disse...

Não li todos os com porque já são 188, mas achei uma baboseira o que a moca escreveu. Moro na suécia e garanto que êh muito melhor q morar no Brasil.
Brasileiro tem que reclamar, sim! E lutar pra melhorar. Povo passivo que só sabe rir e sambar.

Anônimo disse...

finalmente alguém fala uma coisa que sempre falo e tem gente que ainda me olha com cara de "ah, deve ter sido maltratada lá fora pra falar isso". nosso país tem MUITOS problemas e eu, ingenuamente ou não, acredito que muita coisa melhorou e tenho fé no meu trabalho pra tentar ajudar a melhorar alguma coisa ainda. já usei serviço médico tanto na inglaterra quanto na alemanha. na inglaterra, por conta de burocracia, sofri uma tarde inteira e fiquei até urinando sangue. e o remédio que me deram, que me recusei a tomar, era no mesmo esquema do pensamento do dente:"tira logo". liguei pro meu médico no brasil e ele resolveu pra mim. se o remédio que eles tinham me dado iria resolver? iria. do mesmo jeito que tirar um dente resolve. ou que um tiro mata uma formiga. mas a que preço? e digo preço na minha saúde. meu médico aqui ficou de cara com o remédio passado. se tem uma coisa que me prende ao brasil é o serviço médico. e vejo médicos meus atendendo pacientes no hospital público com o mesmo interesse e respeito. um deles até me pediu um exame dia desses e disse que é assim que ele trata todas as pacientes, seja do público, seja da clínica. não vai além da obrigação dele, claro, mas todo mundo sempre acha que o atendimento do público é pior. geralmente é. mas tem essas pessoas que ainda querem mudar tudo. que fazem campanhas e mutirão pra ensinar sobre saúde e tal. na inglaterra, na década de 90 (hj não sei como tá), rolou um grande debate sobre o direito de as mulheres fazerem a mamografia mais cedo pq muitas estavam morrendo de câncer de mama por conta de diagnóstico tardio.

fora tudo isso, ainda acho que grande parte (em todo lugar existem os podres)dos médicos aqui tem o mínimo de empatia e interesse. sei que não é em todo lugar pq vejo na tv, mas eu mesma nunca me deparei com tratamento ruim por parte de médicos, mesmo em posto de saúde (precisei por conta de vacinas).

agora a parte triste da coisa é que, se vc mexe um pouco pros lados das políticas públicas, todo mundo sabe que bons hospitais atraem pessoas de outras regiões. vide sarah kubitschek e o hospital de base, em brasília, atolados pq o serviço médico do entorno de brasília não é sempre lá essas coisas. mas o triste foi qdo eu li que, para atrair o tipo certo de população, mantém-se o nível mínimo de "funcionamento" para forçar as pessoas a não irem pra capital. até pq, quem mora lá teria plano de saúde (que tbem não são essa maravilha toda). só que o serviço do entorno é tão ruim que, ainda assim, o de brasília é melhor. e aí vemos médicos dando o sangue pra conseguirem atender maior quantidade. eu acredito que os médico aqui tbem são vítimas.

como um todo, vejo a parte podre da coisa. mas acho os médicos mais humanos e com mais empatia pelo paciente aqui. pela qualidade de vida do paciente.

Anônimo disse...

Sara, vc está com mtas pedras na mão. Não disse que não gostei da sua frase, apenas refleti sobre ela. Foi pra isso que vc escreveu não foi? pra que outras pessoas pudessem ver e pensar? Todos vemos mtas coisas com "nossos próprios olhos" e como vc mesma disse esse assunto gera controvérsias, então qual é o problema de fazer apontamentos? O racismo aqui é uma coisa mto triste, gera violência, morte, segregação financeira (e consequentemente geográfica). Eu vejo isso com meus "próprios olhos" e, infelizmente, sinto na pele.

Patrick disse...

Muitos comentários apressados, se comparados com o post da Ana Paula, poderiam ganhar como réplica a expressão C.Q.D. (*).

(*) em linguagem matemática como queriamos demonstrar.

Filósofo disse...

Quero ver é a Lola responder um dos quase mistérios da Humanidade: Porque nesses tempos mudernos mulheres já usam calças mas homens não usam saia?

Socrates disse...

Filosofo

é de nosso mister saber:

quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha? ou a idéia ovo ou a idéia galinha?

Deixe as saias para depois.

EneidaMelo disse...

Ué, Filósofo, essa é fácil, até eu sei responder.

Homens não usam saia no Brasil (e na maior parte do Ocidente) porque não querem enfrentar o preconceito.

Quando a calça comprida foi lançada para mulheres, também houve muito preconceito, que mulheres ficariam masculinizadas e todo tipo de bobagem. Mas as mulheres passaram a usar mesmo assim. No início, só as mais rebeldes, corajosas e seguras de si. Depois, aos poucos, todas as outras (quase, acho que muitas evangélicas ainda não usam).

Então, se você acha uma injustiça "não poder" usar saia, vai à luta!

Anônimo disse...

Reclamar é uma coisa, revindicar e lutar por seus direitos é outra. Acho que o problema no Brasil, em relação a essas duas questõs, é que quem reclama e faz mimimi o tempo inteiro, e não só do país como dos brasileiros, é a classe média alta e os ricos. Esses invejam as facilidades do primeiro mundo, mas não estariam dispostos JAMAIS a encarar a carga tributária que isso significa. Então ouvimos muito que brasileiro não trabalha, que os políticos são corruptos, que no Brasil nada funciona. Acontece que para que os serviços públicos funcionem, é preciso que alguém pague por eles. Estudei na França dois anos, então conheço um pouquinho dessa realidade. Os impostos são ALTISSIMOS se comparados ao que se paga no Brasil. Os franceses trabalham 35 horas por semana e tem 5 semanas de férias anuais, fora a quantidade maluca de feriados. Ora, por que será que eles têm todas essas vantagens? Em primeiro lugar, porque são um país rico, que desfruta de uma posição privilegiada no jogo capitalista do mercado mundial. Segundo lugar, porqque os franceses sabem renvindicar. É um povo que vai à luta, que conquista seus direitos e não espera por eles. No entanto, eles tem respaldo para isso. Acho de uma injustiça atroz falar mal dos brasileiros, que batalham cotidianamente, que trabalham muito mais, que não tem saúde, educação, moradia, etc. E que não ficam de mimimi como a classe média e alta.
E mais, os brasileiros que conheci na França eram maravilhosos. Descobri que somos um dos povos mais solidários e gregários entre os que lá conheci. Todos se ajudavam, recebi ajuda que nunca imaginaria de brasileiros desconhecidos, que tinham empatia por quem estava chegando, sabiam o quanto é difícil os primeiros momentos em uma cidade hostil como Paris. Sim, os parisienses são em regra hostis para com os estrangeiros. Bom teria muito a falar, mas acho que a discussão aqui não está rolando. Apenas vejo acusarem o Brasil e os brasileiros. Não é por aí. Precisamos sim aprender a nos organizarmos melhor, a renvindicar, a exigir nossos direitos. Mas é verdade também que a conta tem que ser paga, como em todos os paises desenvolvidos.

Daniel disse...

respondendo perguntas esquisitas parte I: ¬¬

"Quero ver é a Lola responder um dos quase mistérios da Humanidade: Porque nesses tempos mudernos mulheres já usam calças mas homens não usam saia?"

Filósofo:

Se você quer saber por que homens e mulheres usam atualmente algumas vestimentas em comum, não basta olhar culturalmente sobre como se originou cada vestuário e a quem era destinado mas também teria que comparar os hábitos dos povos antigos com os hábitos atuais.

As calças e shorts são mais práticas pra subir escadas, correr, saltar e muitas outras atividades (referentes ao trabalho e participação em eventos sociais) além de serem menos expositivos.

Muitas destas atividades descritas acima eram mais comuns entrem os homens por que as mulheres ficavam praticamente restritas ao cuidado dos filhos.

Por isso na medida em que as mulheres se tornaram economicamente ativas, adquiriram direitos e se tornaram participantes, adotaram também um vestuário mais adequado as atividades das quais passaram a participar.

Mesmos os sacerdotes na bíblia (levítico 6: 10) usavam calções de linho por baixo das vestes, o ofício deles podia os expor, então adaptaram o vestuário.

Até mais... :)

nina disse...

Lolinha,
tenho pena de você com caixas de comentários como essa. E nem ouso imaginar o teor de alguns dos e-mails que vc recebe.
Parabéns por não desanimar :D

LisAnaHD disse...

Nosso clima e geografia são propicios.
Sara
>>> Onde se plantando tudo dá e o Nordeste e o Vale do Jequitinhonha à mingua...

Nossa gente é um caldeirão de raças, o que faz com que o racismo não tenha razões para mostrar suas garras com tanta intensidade como em outros lugares.
Sara
>>> Sim, o racismo no Brasil é enrustido e machuca mais e prejudica mais e perpetua o racismo. O que é demonstrado às
claras pode ser posto à prova; o que é feito por debaixo do pano fica difícil, mais difícil.

Nossa economia mal ou bem, esta entre as melhores do mundo.
Sara
>>> Graças a um salário mínimo de fome!!! E a salários vergonhosos que professores recebem?!!!!

O terrorismo é pouquíssimo praticado por essas bandas.
Sara
>>> Existem outras formas de terrorismo além do terrorismo a que vc se refere. E o que existe no Brasil é um TERROR e nem é preciso do ISMO para causar o estrago que causa.

Temos uma mulher como presidente, e isso é um indicativo de que o machismo esta sendo derrotado por aqui.
Sara
>>> Não tiro o valor de ter uma mulher na presidência, mas ela chegou lá unicamente pq LULA a colocou lá... qq candidato apoiado por Lula teria ganho a presidência fosse homem ou mulher, fosse homem um negro ou um homem indígena, ou seja: Lula teria conseguido eleger a minoria que ele tivesse escolhido. Ótimo ter escolhido uma mulher e, melhor ainda, a mulher que ele escolheu.

Ha muitos outros pontos positivos para se citar.
Sara
>>> Então cite-os e prove que são válidos e não utópicos e subjetivos.

Temos problemas terriveis a serem enfrentados ainda.
Sara
>>> Finalmente vc está CAINDO na REAL pq até então vc estava CAINDO DO Real.

Mas tenho muita fé, que estamos mais próximos das soluções que outros paises.
Sara
>>> Isso seus avós diziam há qtas décadas? E antes deles o que disse Ruy Barboza? Rui BArbosa, se vc for sensível à ortographia. Os evangélicos e os pentescotais têm fé na volta de Jesus... e isso vem de mais de 2.000 anos! O primeiro a morrer jurando a volta de Cristo foi Estêvão, três anos após a ida do Senhor. E a partir daí essa fé cresceu mais pq a ignorância dos incautos não lhes permite distinguir entre sacrifício e misericórdia.

Tenho conciência que em muitos pontos ha paises mais desenvolvidos que o nosso, mas na somatória, fico por aqui mesmo.
Sara
>>> Muito bom saber que vc escolhe ficar no seu país e aproveite para se candidatar a algum cargo político e fazer algo realmente sério e bom para esse Brasil que vc acredita existir mas está longe de um dia existir.

LisAnaHD disse...

e essa grande _erda de alguém ousar dizer que LoLa não é brasileira!!!!! ela nasceu na Argentina e foi criada no Brasil... sei lá, desde os 4 anos? aposto como LoLa não sabe o espanhol tão bem qto ela sabe o português e o inglês, o que prova que ela é brasileiríssima... ah e brasileiro qdo fala da Argentina e do povo argentino é pra fazer chacota... tremenda dor de cotovelo... aprendi o idioma espanhol debaixo dos lençóis em branços portenhos, portanto se for atacar a ARgentina, esteja preparado/a.

LisAnaHD disse...

Filósofo disse... 5 de abril de 2012 11:54 Quero ver é a Lola responder um dos quase mistérios da Humanidade: Porque nesses tempos mudernos mulheres já usam calças mas homens não usam saia?

simples, meu caro Watson, pq os homens preferem usar calças, oras... se tivessem vontade de usar saias, estariam usando saias... agora vá lá e vista sua saia e faça companhia pro Laerte. é difícil? lute pelo seu direito! as mulheres estão lutando. uma pena vc ser um filósofo de araque pra postar uma pergunta tão sem noção.

LisAnaHD disse...

reclamar não é o mesmo que revindicar e essa distinção não é clara ao brasileiro.

alguém abordou férias no trabalho na França... nos EUA após um ano de trabalho a pessoa tem UMA SEMANA de férias e pelo que sei para chegar a ter 4 semanas somente a partir de 5 anos de trabalho e nem sei se é assim para todas as empresas... o empregado americano que tem direito a 4 semanas de férias toma isso como um tremendo benefício !!!

ainda sobre cuidados médicos:
no ano 2002 eu fui ao laboratório para fazer exame de sangue... o lab fica no subsolo do consultório médico... após o exame de sangue, qdo eu ia subindo a escada para deixar as premissas, caí desmaiada... acordei ali mesmo ao pé da escada com 2 médicos e 2 enfermeiras ao meu lado... o caminhão de bombeiro já havia chegado com 2 caras... uma ambulância já havia chegado com 2 paramédicos... !!!!!!!

e agora quem quiser ler (em espanhol ou em inglês) sobre um grande matemático boliviano saído de universidade boliviana e radicado nos EUA, de limpador de chão em restaurantes chegou a ser prof. na NASA entre outros feitos... eu ainda o peguei cheio de vida saúde vigor.
http://en.wikipedia.org/wiki/Jaime_Escalante

LisAnaHD disse...

homem não usar saia é um grande mistério da humanidade ???!!! o cara tá grogue ou o quê? querendo competir sua grande estupidez com a de Rafinha Bastos?

se bem que usar saia seria bem mais saudável ao órgão reprodutor masculino, pois o saco escrotal não deveria ser mantido preso e nem privado da circulação de ar para mantê-lo em baixa temperatura e isso não é brincadeira.

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 262   Recentes› Mais recentes»