quarta-feira, 12 de outubro de 2011

CAMPANHA DE CÂNCER DE MAMA OBJETIFICA HOMENS

Se eles pedirem com jeitinho, eu faço

O que achar desse comercial/campanha que a Isabella me recomendou? Não tenho muita opinião formada não. É o seguinte: um médico avisa que muitas mulheres se esquecem de fazer autoexames de rotina para detectarem câncer de mama. Ele diz que, apesar de querer discutir ideias de como mudar esse cenário, estudos apontam que mulheres prestam mais atenção em vídeos que mostram caras gostosos. O sujeito musculoso com peitões mostra como se tocar, em close. O restante do comercial se encarrega de apresentar os outros homens, que rebolam e fazem strip em frente da câmera — incluindo o médico. (Isso é bom, porque eu tinha achado meio racista o médico negro apresentar o exemplar-mór da raça ariana como “hot guy”). A mulher que assinar o serviço receberá mensagens pelo celular (é isso? Não tenho celular) do “cara gostoso da sua escolha” lembrando de fazer o exame. The end.
Sinceramente, não tenho opinião formada sobre a campanha. Tem o lado bom de mostrar que homem também tem peito, mamilo, e que são zonas erógenas tanto quanto os peitos das mulheres. A campanha faz brincadeirinhas com objetificar homens — como mostrá-los tomando banho com touca (aí a música muda); ou o olhinho que brilha; ou o médico tendo que ir atrás da câmera que só quer filmar o peitoril do gostosão. O serviço se chama Your Man Reminder (Seu aviso de homem?).
Sim, claro que a campanha objetifica os homens. E se fosse feita a mesma coisa com mulheres gostosas incentivando os homens a fazerem exame de câncer de próstata, provavelmente eu não gostaria. Não sei. Mas é uma falsa simetria, né? Primeiro que homens não têm como fazer autoexame de próstata. E a homofobia que cerca esse exame é tamanha que seria preciso muito mais que moças bonitas pra fazer um homem ir ao médico. Segundo que, no nosso mundo, homens não são objetificados o tempo todo, como são as mulheres. Um médico pode ser só um médico, e ele será avaliado pela sua competência na profissão. Já uma médica será avaliada por ser mulher. Ou seja, dane-se que ela seja uma médica competente! O que importa mesmo é que ela seja sempre linda e jovem.
Tampouco me agrada a ideia que um homem tenha que nos lembrar de um autoexame feito no nosso corpo. Mas pode funcionar? Pode recordar as mulheres de fazer o autoexame e, eventualmente, salvar vidas? Acho que pode. Então os fins justificam os meios? Pois é, não tenho certeza. O comercial não me ofendeu, mas não sei até que ponto eu (que não acho homens musculosos bonitos e jamais iria prum clube de strip masculino — por tudo que vi em filmes e séries de TV, não faz meu tipo mesmo) seria seu público-alvo. Mas achei que a ironia e o humor do loiraço estavam na medida certa.
Perguntei pra Isabella o que ela achava e ela respondeu (em vários tweets):
Sinceramente, eu achei divertida. Dei risada, até, pela interpretação do cara. Pensei se isso é ok, porque às vezes sou muito tolerante e ingênua pra publicidade, inclusive essas que exploram as mulheres. E também não concordo que o certo é fazer o oposto, botar os homens à venda, como fazem com a mulheres. Acho que mau gosto é mau gosto com os dois sexos. Mas pra mim,a propaganda não foi pesada. Então, pensando por mim, achei divertida. O problema de muitas campanhas com mulher é a ditadura, o quanto influencia, as mensagens subliminares”.
E aí, o que você achou?

P.S.: Enquanto isso, no Facebook do Brasil, homens pediram para mulheres colocarem fotos de seus seios como campanha de prevenção do câncer de mama. E várias colocaram, para terem seus seios avaliados por desconhecidos. Imagino que a campanha americana seja mais eficaz que esta invenção brasileira, certo?
UPDATE! P.S.2: O Starsmore lembrou (eu já tinha visto mas esqueci completamente) de uma campanha pros homens autoexaminarem a próstata feito por uma gostosona (com um twist bastante chocante, digamos). Vejam e opinem! (menores de 12 anos, talvez isso não seja pra vocês).

90 comentários:

ntwrdprss disse...

'Tem o lado bom de mostrar que homem também tem peito, mamilo, e que são zonas erógenas tanto quanto os peitos das mulheres.'

Pronto, começou. Cadê nessas horas o pessoal que falava 'n sei quem n pode falar isso, n é nem telepata da escola do prof Xavier'

Lord Anderson disse...

A campanha chama mais a atenção pela inversão de papeis, raro ver homens na posição de objetos na midia.

Sobre a babaquice de alguns que usam um assunto serio como cancer de mama para querer que as mulheres (as outras, pq as mães, irmãs, namoradas, eles não devem apoiar a fazer isso) exponham os seios, acho que a melhor resposta foi a que vi no FaceBook, onde algumas mulheres que precisaram retirar um dos seios, postaram as fotos, para mostrar como o assunto é importante.

Quero acreditar que isso deu um tranco no cerebro dessas pessoas, mas é dificil.

Mannï~ disse...

@Lord Anderson - a parte triste dessa melódia do facebook é que a ladainha tá rodando em cima da imagem dos peitos, e tão cagando e andando pro propósito do Outubro Rosa, cujo propósito é...

Divulgar a prevenção do câncer de mama!

Eu achei uma imagem bonita, duma moça que parece a Betty Page, numa posição que parece que se auto-examina:

http://24.media.tumblr.com/tumblr_lsqtezx1rS1qzuk38o1_500.jpg

Colei no meu mural, com o seguinte texto: "Pro Outubro Rosa, polêmicas e tetinhas a parte... Auto-Exame, moços e moças: se tem uma coisa que você pode fazer pra combater o câncer de mama, auto-exame é o que há.
Antes de discutir por besteira (e sair falando besteira), vâmo aprender a ajudar de verdade ne?"

Espero ter contribuido pra alguma coisa, mas sabe como é, pra falar sério, ninguém ouve =p

Giovana disse...

Ah...
Assim como a beleza, a objetificação está nos olhos de quem vê. Não vi os rapazes como objeto, muito pelo contrário. Eles são atraentes e agradáveis.
Achei muito divertido o vídeo, gostei bastante e talvez a ideia até funcione para algumas mulheres.
Só acho que se a sexualidade humana não fosse ainda vista com tanto tabu, não teríamos tantos problemas com objetificação e exposições desrespeitosas e agressivas tanto de homens quanto de mulheres.

jux_freedom disse...

Lolaxima Fofaronovich!
Primeiro, eu traduziria como "Seu homem-lembrete"

Sim, a campanha objetifica os homens - tipo, achei todos uns objetos muito gatoooooos ui ui ui :D

Mas acho bem interessante ter esse tipo de perspectiva, em que o homem se exibe para a mulher, em que ele quer seduzir a mulher e usa o corpo dele pra isso, no caso, para reforcar a ideia do auto-exame contra cancer de mama.

E ouso trazer a ideia de falta de simetria que vc indicou, na medida em que a publicidade objetfica quase majoritariamente as mulheres e seus corpos. Talvez se homens fossem igualmente objetificados para vender TUDO, desde pecas para carros a mobiliario de banheiro, as proprias relacoes entre homens e mulheres estariam num patamar mais proximo. A problematica eh exatamente a questao de que sempre somente a mulher se torna objeto enquanto o homem sempre eh mostrado como dono desse objeto.

Isso me fez lembrar, por exemplo, relacionamentos maduros e equilibrados (no caso, falo de relacoes hetero), em que tanto o homem e mulher podem brincar de fazer do outro seu objeto sexual, e nem por isso qualquer um dos dois vai ser subjugado e inferiorizado porque existe um respeito e reciprocidade. Tipo "hoje vc eh meu 'brinquedo', amanha eu sou o seu". Mas com o respeito e consentimento de ambos, pessoas adultas e inteiras, que se aceitam e se querem inteiras e integras.

Num sei... sao ideias!

Beijukkka pra vc, gostosissssima :D

Hel disse...

Eu achei engraçado. Esse tipo de beleza não me atrai muito, mas mesmo assim, achei gostoso e prestei atenção direitinho =D

E o próprio teor da campanha serve pra chamar a atenção.


Off-topic: no jogo Dead Island, recém-lançado, uma personagem feminina tem a habilidade "gender wars", que faz ela causar mais dano a zumbis machos. (meio nada a ver, mas... ok)

Aí alguém fuçou o código, e descobriu que algum programador colocou o nome dessa habilidade no script interno como... "feminist whore"!

Eu sinceramente não consigo ficar brava como as meninas do artigo, eu achei hilário imaginar o rapazinho incomodado, destilando o seu ódio num "easter egg" dentro do código.

O legal é que a desenvolvedora do jogo pediu desculpas e prometeu averiguar o caso, em vez de dar desculpa que é só uma piadinha.

http://persephonemagazine.com/2011/09/dead-island-developer-has-troubling-problem-with-feminist-whores/

denise disse...

Não vi essa campanha ainda Lola, mas só pelo pouco que vc falou já vi que vou adorar, diferente de muitas mulheres que dizem que não ligam a mínima se o cara é feio ou bonito, eu aprecio e muito a beleza masculina, já fui varias vezes no clube das mulheres, me diverti pra caramba com minhas amigas, não sei se ainda existe esse clube, porque já faz um bom tempo que não fui mais, eu só não entendo porque tão poucas mulheres gostam desse tipo de diversão, vai ver que sou uma depravada incorrigível mesmo kkkkkk.
Não consigo ser moralista e tenho muita dificuldade de entender quando vejo tanta gente, às vezes até vc vendo exploração ou mensagens subliminares como vc mesma citou, em propagandas onde mulheres ou homens deixem amostra o físico que tem.
Eu da minha parte simplesmente aprecio o que é belo e valorizo também, isso não significa que não saiba dar valor a outros aspectos.

Hel disse...

"Objetificação está nos olhos de quem vê."

Assino embaixo disso e de tudo mais que você escreveu, Jux.

carolinapaiva disse...

Nossa, achei a propaganda de muito mau gosto, não gosto de propagandas que objetificam seres humanos. Uma coisa é explorar a sexualidade em uma propaganda, outra é usar o outro como mero objeto de prazer. A solução não é objetificar homens, mas lutar contra a objetificação da mulher.

Eduardo Marques disse...

(Isso é bom, porque eu tinha achado meio racista o médico negro apresentar o exemplar-mór da raça ariana como “hot guy”)

Putz, vc não relaxa um segundo?!

Drianis disse...

Eu gostei e não acho que esteja objetificando. Porque eles não estão vendendo nada! Se fosse pra vender batom, calcinha ou sandália, daí seria outra coisa, mas é pra saúde da população. Então acho que (quase) toda forma de propaganda, nesse aspecto, é válida.

Acho que essa peça tem capacidade de alcançar várias camadas da população feminina, especialmente aquelas q não dão muita bola pras campanhas do tipo Avon... Essa é diferente, ousada e sensual, garanto que muitas mulheres vão se identificar.

PS: Quando li o título, achei que fosse sobre câncer de mama em homens. Pq muita gente não sabe, mas homem também pode ter câncer de mama... :P

Flávio Brito™ disse...

Não disse que ia falar da hope hj...
Amanhã vai falar sobre mascu ou Rafinha?

Lord Anderson disse...

Manni

Com certeza.

Piadas e brincadeiras se espalham rapidinho.

Quando o assunto é serio, fica mais dificil.

Muito bonita a imagem que vc escolheu.

Que consiga conscientizar o maximo possivel de mulheres da importancia do exame.

aiaiai disse...

Nossa achei de um mau gosto estúpido. Não acho q isso vá fazer mulher alguma lembrar de fazer o auto exame.

Acho q a ideia deve ter sido a de chamar a atenção pela inversão de papeis, mas a maioria das pessoas vai ver isso como objetificação do homem e vai usar para dizer q as mulheres também objetificam, blábláblá, e por isso não têm direito de reclamar de quando são objetificadas.

quanto aos homens, pra mim só se salva o médico. kkkkkkkkkkkkk

Mylena M. disse...

Como a Giovana disse, "objetificação está nos olhos de quem vê"... acho interessante tratar de um problema sério de uma forma leve como foi feito no comercial, além de que, a intenção de satirizar a objetificação da mulher, usando os homens, pode, inclusive, aproximar o público alvo... porque, convenhamos, quando passa um comercial de sabão em pó na televisão, quase ninguém presta atenção, porque são todos "iguais", porém quando passa o novo comercial da coca-cola, por exemplo, diferente da maioria, quase todos prestam atenção... e acho que isso é exatamente o que aconteceria no caso desse comercial americano... mais pessoas prestariam atenção por ser diferente, e não acho que, em geral, as mulheres se sentiriam ofendidas, porque o comercial é leve e não faz com os homens o que geralmente é feito com as mulheres em comerciais, que é designar papéis específicos pra cada sexo... pelo menos eu não notei isso! Além de a propaganda levantar a questão do peito do homem, que raramente é visto como uma zona erógena, como no caso das mulheres!
Apesar de, como disse, não achar que a propaganda ofenderia as mulheres, entendo que podem existir milhares de mulheres que sim, irão se ofender, afinal, cada um tem o direito de ter a sua opinião sobre o assunto e não vai ser eu quem vou tirar esse direito de ninguém, portanto, acho complicado dizer "a propaganda é boa" ou "a propaganda é ruim", mas uma coisa digo: na minha opinião, uma propaganda desse tipo seria muito melhor do que a campanha no facebook, que, mesmo eu não fazendo parte do facebook, procurei me informar sobre o assunto e vi que uma minoria está levando a campanha a sério... a maioria está usando como forma de "ver o peito alheio", o que, a meu ver, é muito triste... já que o assunto é sério, muito importante, e delicado também!

sueli halfen ( POA) disse...

O Outubro Rosa tb alerta para cancêr de mama em homens.
************
Pode parecer estranho, mas os homens serão homenageados, ao lado das mulheres, como vitoriosos no combate ao câncer de mama, na edição brasileira do Outubro Rosa 2011, no Rio de Janeiro. A campanha foi criada em Nova York, nos Estados Unidos, em 1990, para marcar a luta contra a doença. A decisão reflete a necessidade de alertar que os tumores nas mamas não são uma triste exclusividade feminina. Muitos homens sofrem com o mal – embora com uma incidência bem menor.

http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3463834,Homens-tambem-sofrem-com-cancer-de-mama-e-precisam-fazer-autoexame.html

Rodrigo Souza disse...

Gostei da propaganda. É inteligente, focada no público e certamente terá números finais muito bons. Parabéns à agência que criou.

- - -

(está em itálico por ser quase off-topic)

Eu penso, e posso estar errado, me corrijam, que objetificar, tornar objeto, é reduzir algo/alguém a um valor mais básico, elementar, e "consumir" (palavra ruim, mas vai servir para argumentar) esse algo/alguém com base nessa visão estreita, limitada. Ergo, objetificar e preconceito são mutualmente coniventes, posto que são reducionistas.

Se essa definição estiver certa, nós objetificamos frequentemente, no sentido que simplificamos, estereotipamos, muitas coisas em nossa vivência diária. E mesmo que nosso lado racional, quando bem desenvolvido, nos faça recuar ao menor sinal desse tipo de pensamento (e ainda mais em externá-lo, em função de uma convivência razoável), ele está lá, à espreita. E, pasmem, eventualmente é útil.

A propaganda, o humor, a comunicação em geral, se aproveita do estereótipo para agilizar a transmissão de conceitos. Notem que os três substantivos são neutros em suas funções. Cabe ao seu emissor, aquel@ que comunica, que divulga, que faz rir, escolher de que forma vai fazer isso, através de que ferramentas e, principalmente, apesar de quais consequências.

Nosso direito inalienável de liberdade de expressão não é infinito. Ele tem bordas firmes que chamamos ética, que estabelece fronteiras em todos os lados com as pessoas que nos cercam e que são (ou deveriam ser) soberanas em sua própria geografia.

A chave, penso eu, de uma sociedade mais igualitária, é que esse impulso tribal do estranhamento do que é diferente não é desculpa, em momento algum, para a manutenção de práticas derivadas desse impulso. A cultura apropriada, a racionalidade afiada e um gostar sincero de buscar sempre melhorar como pessoa podem facilmente suplantar esses milhões de anos de herança biológica. E isso é uma capacidade inata do ser humano, que é suprimida pelo machismo e um sem número de outras mazelas culturais.

Marilia disse...

Ixi, nem vou fazer comentário longo, mas acho super problemático dizer que "a objetificação está nos olhos de quem a vê" porque parece que todo mundo que se posicionou contra a propaganda da Hope que viu problema, como se a propaganda não fosse ruim.

Ou ainda, que todo mundo que reclamou do Bruno cantor sertanejo que fosse ruim, como ele mesmo declarou. E ele fosse uma vítima. Cuidado com isso, gente.

Mari Lee disse...

Achei a propaganda bem divertida!

Também não gosto de caras muito musculosos (e detesto tanquinho! Juro! Me lembra um trilobita! E eu adoro trilobitas, mas eles não têm absolutamente nada de sexualmente atraentes!).
Mas o Christian eu até pegava! rsrs

Mas, discutindo o assunto...
1) eu acho que é diferente usar "homens-objeto" ou "mulheres-objeto" para uma causa "nobre" como a prevenção de uma doença que pode matar, e para vender um produto;
2) achei que isso foi feito com bom humor, não foi grosseiro (como uma propaganda de cerveja, por exemplo)
3) como dito, não é uma relação simétrica. Culturalmente, mulheres são objetos dos homens. Assim, mostrar os homens como objetos acaba sendo irônico e um questionamento de papéis sociais, mesmo que indiretamente;
4) a mulher, espectadora, é um ser humano com desejos e vontades. Mostrar um homem como "objeto" em um comercial não tira a personalidade/vontade/etc. dos homens em geral (que eles já têm, segundo a sociedade). Eu não acho que os homens estão perdendo alguma coisa, mas as mulheres estão ganhando.

Em suma, achei positivo. Mas porque é exceção; se virasse regra, deixaria de ser.

Caos disse...

Puxa, não gostei do comercial.
Me sinto desconfortável vendo gente exibindo o corpo, sem roupa, sejam homens ou mulheres.

A única coisa engraçada embutida no comercial é a inversão dos papéis, fazendo o homem como objeto, como sempre se faz com as mulheres, apesar de ter sido BEM mais leve do que se faz nas outras propagandas onde a mulher é o obejto de forma descarada, realmente com a finalidade de parecer "sexy".

Assistir UM comercial desses, vá lá, mas se virar moda, não vou curtir.

Já me sinto desconfortável quando passa aquela propaganda do Neymar de cuecas (sem contar que meu namorado detesta(!), coisa que achei bem engraçada.. passa comercial de mulher "sexy" o tempo todo e ele curte, passa UM comercial de um rapaz quase sem roupa e ele fica meio p*to. Tem uns outros de perfume quase assim também).

Lola, você viu a propaganda - se não me engano - da Claro, onde o rapaz chama as gurias de "tchuchucas"? E aquele outro da Vivo em que o rapaz tem várias namoradas em vários Estados falando "quem é minha baianinha favorita?", "quem é minha 'ensira UF desejado aqui'?" e assim por diante?
Achei ridículo.

samira disse...

Concordo com Mari Lee, é positivo por ser exceção, se virasse regra não seria interessante- se perderia a ironia.
Quando ví a campanha contra o cancer de mama no FB respondí postando a foto de um homem sem cueca com a seguinte frase:"MENINOS, Troquem a foto do seu perfil por uma foto da sua bunda sem cueca!!! Uma manifestação contra o cancer de próstata!!"
Fez o maior sucesso, por ser inusitado, mas algumas pessoas certamente não entenderam q era uma resposta a campanha do cancer de mama. Hoje aproveitei seu post pra esclarecer as coisas, e pedí desculpas pela objetificação, mas queria ver o q ia acontecer quando os homens trocassem de papel com as mulheres. sério, acho que ando meio sem paciência pra certas coisas...

Hel disse...

Sobre "objetificação está nos olhos de quem vê", eu penso assim:

Tem gente que acusa a mulher de estar "se" objetificando porque usa uma roupa curta, mesmo que ela faça isso porque gosta ou por mero conforto.

Eu posso usar uma roupa curta que isso não anula a minha inteligência, meus sentimentos, desejos, não me desumaniza. Quem me desumaniza é quem olha pra mim e acha que perdi o meu valor por causa da roupa.

Por que mulher é o único ser do planeta que precisa PROVAR alguma coisa antes de tirar a roupa? (provar que é inteligente, dona de si mesma, trabalhadora, etc etc..)
Isso não é machismo, também?

Liana disse...

A idéia de brincar com essa inversão de papéis é boa, o humor ficou leve, sem ser aquela coisa agressiva ou idiotizante comumente associado aos papéis femininos. Ri em algumas partes, tem a questão de ser desproporcional ao modo como a mídia retrata mulheres, mas eu dispenso. Chama atenção para o assunto por ser diferente e a intenção da campanha é essa mesma, só espero que não vire moda.

Já isso que está acontecendo no facebook é muito lamentável. Estão tratando um assunto sério como mais uma oportunidade para exibir mulheres nuas para o deleite de punheteiros. É uma espécie de reedição do LingerieDay, qual vai ser a próxima? 25 de outubro Dia Internacional contra a Exploração da Mulher? tá pertinho.

don't call me thaisinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
don't call me thaisinha disse...

Achei a propaganda legalzinha, achei que o homem objetificado trouxe uma ironia pra propaganda. Mas concordo que se virar moda perde todo o significado. Até porque eu não quero ver ninguém falando "mas homens também são objetificados, então as mulheres também podem ser objetificadas".

Como a relação homem e mulher na nossa sociedade não é igualitária, "inverter os papéis" causa um estranhamento que é engraçado e considerado ousado, nos meus sonhos mais otimistas acredito que pode até levar as pessoas a se questionarem a respeito da objetificação feminina.

Ághata disse...

Cara, eu acho que tá bem óbvio que o comercial é de brincadeira mesmo e de zona. E acho que nem tem como entrar na questão ou não da 'falsa simetria' porque nenhum dos 'hot guys' foi diminuído em momento algum (não é só porque o cara tá com pouca roupa que ele é objetificado, a propaganda só passou a ideia de que eles eram bonitos, atraentes e bem humorados).

cabanadeinverno disse...

A última coisa que eu diria é que objetificação está nos olhos de quem vê, assim como (e no mesmo teor, no mesmo contexto), eu nunca diria que racismo está nos olhos de quem vê, ou que sexismo está nos olhos de quem vê. Tudo é questão histórico-social-econômica e não depende de quem vê.

Assim como é totalmente tolo tentar comparar este comercial com comerciais onde, ao invés de homens, mulheres estão fazendo a mesma coisa. Reafirmando que o significado sempre é histórico e etc. Sabem aquela piada em que homem chamado de primo é o filho da sua tia, enquanto mulher chamada de prima é puta?

Caso o comercial seja isento de traços ideológicos, por que os atores são todos idênticos? Teoria Estética da Psicologia evolucionista?

don't call me thaisinha disse...

Por exemplo: A propaganda argentina sobre assédio inverteu os papéis para levar os homens estranharem a situação e se questionarem, quem sabe numa propaganda de câncer de mama haja chances da inversão de papéis possibilitar um questionado hein? Mas se tornar comum, o estranhamento que causaria o questionamento desapareceria, assim como o humor leve.

(Além disso, ao objetificar os homens na propaganda, acho que pode chamar atenção do problema do câncer de mama para os próprios homens, de forma que eles perceberiam como é sério. Sonho alto que poderia rolar mais empatia da parte deles com doenças que são tipicamente femininas...)

Estou tão pollyana hoje. Sonhando com um mundo melhor...

Starsmore disse...

Lola o mesmo já foi feito com mulheres ensinando homens a fazerem exame - no caso testículos -
http://www.youtube.com/watch?v=oGgByLLQwSw
Sei que você disse que não queria ver, mas está aí em qualquer caso.

Nesse tópico fica meio difícil pra mim opinar, já que não me senti ofendido, mas, mais uma vez, o homem tanquinho vem pra me fazer sentir um lixo.
:[

yulia disse...

essa propaganda me parece mais tipo assim:

ta bom, parem de reclamar, toma ai os boladões para vcs se divertirem...

é assim que pensam em calar a nossa boca? inverter papéis é fácil. dificil mesmo é mudar conceitos e ver que NINGUÉM merece ser objetificado.

Ághata disse...

Acho que tem gente confundindo objetificar algo sexualmente com ser sensual, atraente ou coisa assim.

Não consigo ver como tornar alguém um objeto sexual possa ser aceitável em qualquer ângulo.

yulia disse...

quanto ao facebook, pior do que falarem para ficar de peito de fora, foram as tontas que seguiram isso a risca e postaram suas fotos de peito desnudo. será possivel que tem gente assim tão burra?

denise disse...

É isso ai Hel vc disse tudo o que faz sentido pra mim.
Sua frase "Objetificação está nos olhos de quem vê."

é simplesmente ´perfeita.

Niemi Hyyrynen disse...

A idéia é meio idiota...

Quando uma propaganda que fala de prevenção usa desses artificios do erotismo e do humor tem que se tomar muuuuuuuuito cuidado para que isso não fique mais em foco do que a propria questão da prevenção.

Pra mim ali, nesse comercial foi o que aconteceu, o auto-exame ficou como plano de fundo.

E ha, homens Ken tb não me atraem muito não, prefiro os normais.

Marilia disse...

Assim como a beleza, a objetificação não está nos olhos de quem a vê. Sabemos que existe um padrão para beleza e que as mulheres são objetificadas em uma escala infinitamente maior que os homens.

No mais, Ághata disse tudo que eu penso: não consigo ver um aspecto em que ser objeto sexual seja positivo.
Se há consenso, há jogo sexual, há liberdade, não se é objeto. De resto, chamar alguém de objeto sexual é reduzi-lo a um objeto, sem vontades.
Prefiro parceir@.

ericka disse...

Antes mesmo de ler o texto eu já pensei no que você escreveu mais ali no meio, sobre os homens não serem objetificados o tempo todo. Sei lá, ninguém tá duvidando que os homens que aparecem no comercial sejam ótimos profissionais, por exemplo.

Ághata disse...

Niemi, é verdade, a prevenção ficou muito no segundo plano [mas eu acho que a intenção era mais fazer as gurias baixarem o bendito programa, né].

Lola, concordo com você, eu também achei estranho colocarem um médio negro pra apresentar um exemplar da raça ariana ali - ainda bem que acrescentaram ao menos um negro entre tanto caucasiano...

Starsmore, os caras gostaram desta propaganda do exame das bolas...? Porque após assistir o comercial, achei que muitos deles iam dar um ataque assim que ela puxa a coisa lá... Mas note como o tom é diferente da propaganda do exame do câncer de mama... [E não precisa se sentir um lixo, é fato bem conhecido que os homens são os que mais apreciam os corpos de homens musculosos.]

Flávia disse...

Lola, o lance do facebook sobre os seios é tosco (concordo), mas nasceu como uma forma de ridicularizar aqueles que trocaram suas fotos dos perfis por desenhos animados dizendo ser uma campanha para combater a violência infantil...

yulia disse...

pensei que fosse por causa do dia das crianças.

Blanca disse...

Vi o comercial e achei muito engraçadinho xD

Interpreto como uma crítica a alguma propaganda de mau gosto lá dos EUA mesmo. Tem que saber o contexto exato pra entender melhor...

Matheus disse...

No início do vídeo, quando o médico explica que o modelo falará sobre a importância da prevenção contra o câncer de mama exatamente por ser "gostoso" (nas palavras do médico) e porque mulheres supostamente prestariam mais atenção a caras "gostosos", ele não passa a mensagem de que o modelo fará uso do seu apelo sexual para atingir um determinado objetivo?

Se isso não significa objetificação sexual, o que seria "objetificação sexual", então?

Será que se ele dissesse, claramente, "ele é seu objeto, faça o que quiser", a objetificação ainda estaria "nos olhos" de quem visse?

Como muitos já disseram, considero o comercial interessante por propor a conscientização feminina acerca da prevenção contra o câncer de mama e por trabalhar com a inversão dos papéis em uma situação na qual o homem usa a sua aparência a fim de persuadir a mulher a fazer algo - atribuição historicamente destinada à mulher.

A discussão, a meu ver, é: de uma forma geral, os homens são socialmente avaliados pelo sua função decorativa e precisam provar a todo tempo que são mais que uma bela aparência?

Alexandre disse...

Não ia comentar, mas resolvi ler os comentários, uma vez que não chegaram a uma centena...

Vamos por partes, ei-las:

1-Objetificação
2-Inversão de Papéis
3- Campanha do Facebook


1-Objetificação

Sinceramente, esse termo é muito mal empregado. Perde para uns poucos outros. Mas isso é assunto para outra hora.

Tornar outrem meio para satisfação própria excluindo-a do diálogo é uma coisa. Ter desejo por uma pessoa é outra.

Óbvio que não são excludentes, já que se determinam em esferas diversas. Posso usar alguém como meio sem necessariamente nutrir por ela desejo Bem como posso ter desejo e não atropelar as manifestações da outra.

Comumente se reclama pela conjugação da exclusão como redução à objeto de desejo.
É associação necessária? Não.

Alguém ser e aceitar ser objeto de desejo retira de modo algum suas capacidades. Sério.

A 'objetificação está nos olhos de quem vê'. Aqui é ponto complexo. Aceitar isso é abraçar a negação de uma realidade objetiva. Afinal, se a 'objetificação' está no olhar, não haveria condutas naturalmente excludentes. Mas negar que há elemento pessoal é abraçar a visão tacanha de que absorvemos diretamente o que é passado.
Minha opinião, no c aso de uma propaganda, por ser construção dentro de uma comunidade linguística , se constrói por base os 'lugares-comuns' fixados nessa 'comunidade'. Se cria uma realidade objetiva que é um interseção de diversas visões. Ou seja, está nos olhos de quem vê, mas não se constrói de uma só visão.


2-Inversão de Papéiss

Quando se fala em 'papéis' refere-se à padrões de expectativas. Padrão pelo padrão não é mal. Problema é forçar a realidade no padrão que, por definição não é lei natural, se o fosse, deixaria de ser padrão para ser definição.

A inversão é má? É boa? Funciona?
Vai depender de como é articulada Mas, no mínimo, por fugir do padrão chama a atenção. E isso para uma propaganda é uma cousa a ser tomada por virtude.

A inversão, peloamordedeusouentidademetafísicadesuapreferência, não constitui crítica. Ela pode ser usada para, mas não é crítica em si. Supor isso é crer que algumas piadas repetidas por setores não mui queridos pelo blog (sério, não estou valorando se é válido ou não a repulsa) estão a propagar uma crítica a seus hábitos. Duvido que o objetivo da propagando fosse precipuamente atacar a 'objetificação' da mulher.


3-Campanha do Facebook

Não sei a origem por certo. Mas creio que tenha relação à propaganda de 'sensibilização' em relação à violência infantil.

Creio que a resposta foi, no mínimo, imbecil. Equivale a colocar, em resposta aos protestos de que a campanha usando desenhos é ineficaz , a foto de alguma criança que sofrera violência (direta, já que o sentido foi o de chocar ao se colocar alguém que teve que se submeter a uma mastectomia). Ou em resposta a alguma imagem que propugna a adoção de religião X a foto de alguma vítima de alguém que efetuou barbárie em nome dessa mesma religião X.
Nesse caso se foge á argumentação e fica tratando de tópico outro.

E as que colocaram fotos suas, qual o problema? Elas viram burras?
Já sei, só se é permitido um esteriótipo. Se diferir, coloca-se no padrão.



Para quem leu tudo isso, eu não abordei a propaganda, mas alguns tópicos correlatos. Como fui muito geral e resumido, vai ter sérios problemas de definições meio equivocadas ou conclusões um pouco rápidas de mais. Vou responder as críticas na medida do possível.


Cordialmente,


Alexandre

Novas Descobertas disse...

Do que adianta fazer o auto exame, descobrir um caroço e depois ter que entrar na fila do sus pra conseguir se tratar? Quem depender do governo se ferra nessas horas, tanto mulheres como homens, tem que ter muita sorte pra conseguir um tratamento a tempo. E tem mais o cancêr aumentou conforme o nosso estilo de vida sedentário, que serve a muitos propósitos, menos o de ajudar a nossa saúde, o governo pode até fazer uma campanha contra o cancer de mama, mas eu duvido que ele diga não coma isso, não coma aquilo, isso vai te destruir. Não é interesse do governo.

Lord Anderson disse...

Novas

Isso depende do local.

Felizmente na minha cidade há um esforço da prefeitura em proporcionar um atendimento rapido e completo a pessoas que precisam de exames para prevenção.

Mulheres da minha familia ja passaram por isso e foram muito bem atendidas.

Agora, o governo não pode mesmo dizer oq temos que comer ou beber.

Isso seria uma interferencia absurda na nossa vida privada.

O governo pode e deve é fazer campanhas, orientações atraves dos servços de saude, mas não pode ser paternalista a ponto de tomar a decisão no nosso lugar.

Dayane Ok. disse...

Eu achei divertida. E mais: achei anti-machsita, já que mostra que os homens também estão preocupados com isso, com a nossa saúde.
Também não vejo nada de mais em a mulher usar a sensualidade. Eu mesma, uso do meu charme quando quero um desconto em loja,rs,ou quando quero que meu namorado faça algo pra mim. Não me vejo cm objeto por isso! Só acho ruim quando reforça um estereótipo, como foi a propaganda da Gisele. Mas se fosse apenas mostrando uma mulher usando da feminilidade, não acharia pesado. Pq eu gst de homens masculinos, musculosos, que passam segurança, então é normal um cara gostar de uma mulher feminina.

Dayane Ok. disse...

Agora, essa coisa estúpida que o facebook faz é ridícula!!!!!!!!mesma coisa que falar pros caras botarem foto do saco "contra o câncer de próstata!".

Liana disse...

sobre a questão da objetificação sexual

eu interpreto isso como retirar da pessoa sua condição de sujeito, vendo-a somente como um mero receptáculo ou como algo a ser usado e jogado fora, afinal isso é passível de fazer com uma coisa, que não tem sentimentos nem precisa de empatia, podendo portanto ser descartada sem constrangimento. significa rebaixar essa pessoa a uma coisa que não guarda em si mesma um valor intrínseco de respeito. afinal o próprio nome já diz, é um "objeto". naturalmente que muito disso é incosciente.

isso me lembra um pouco os filhos que são incapazes de olharem a mãe como um pessoa com outras necessidades e realizações na vida além da maternidade. acho que essa visão da sexualidade feminina e da maternidade padecem dos mesmos preconceitos na sua base. ambas são muito castrantes para a mulher, mas estão tão naturalizadas que muitos nem veem problema.

já isso é completamente diferente de quando observamos uma pessoa, sabemos que ela é um ser completo e decidimos que só a sexualidade dela nos interessa, porém sem que isso tenha como consequência o completo desprezo por sua subjetividade e sem que isso se torne desculpa para abdicarmos nós mesmos da obrigação de respeitá-la enquanto indívíduo. não dá pra dizer que neste caso se está tratando o indivíduo sexual como objeto sexual.

e tem a questão da noção de valor próprio e a da cultura na qual estamos todos inseridos. decisões individuais, num contexto íntimo e restrito, têm peso muito diverso dos estereótipos que a sociedade ratifica e que a mídia explora.

Dayane Ok. disse...

Denise,

Concordo tbm com vc. Parece que as mulheres, apesar de se dizerem feministas, ainda tem medo de usar e usufruir da sexualidade. Acho muito errado estereotipar a mulher cm objeto, mas acho natural um homem nos ver com olhos mais sexuais, assim cm também os vemos!Ué, somos humanos!A sexualidade atrai!Não vejo nada de errado nisso!Agora, concordo com a Liana: o ruim é quando vemos, homens ou mulheres, não importa, apenas cm objetos sexuais, não como seres completos.

denise disse...

Tenho impressão que vai chover pedras, mas vou dizer o que penso , há certos momentos em minha vida que encaro alguns homens apenas como objetos, um bom exemplo é as visitas que fiz ao clube das mulheres, eu não fui ali para saber da maravilhosa personalidade do “TONINHO DA MANUTENÇÃO” ou do “PERSONAL TRAINER” que pra quem não conhece são personagens que os rapazes La do clube interpretam.
Fui La apenas pra ter uma experiência divertida visual, tátil e porque não dizer sexual também, não conversei nada com eles, nem tive vontade de fazer isso e saber mais sobre eles, foi só aquele momento e mais nada.
Há muitos homens que fazem a mesma coisa com as mulheres, e desde que a mulher ou homem que esteja ali prestando esse tipo de serviço, esteja por livre e espontânea vontade, não consigo alcançar qual o mal intrínseco nessa situação.

Liana disse...

olha denise, eu tô aqui comendo maria-mole e tentando imaginar o Toninho da manutenção. talvez eu deva ir para o pé-de-moleque porque essa imagem não tá funcionando pra mim.

denise disse...

Vo te falar uma coisa Liana ele é tuuuuuudo de bom !!!!!

mundomel disse...

Eu acho que é uma falsa simetria. Por mais que a propaganda objetifique o homem, nunca vai ter a mesma carga cultural da objetificação da mulher. Eu classificaria a propaganda como engraçadinha, mas não sou totalmente a favor não porque acho que ninguém merece ser tratado como objeto, seja homem ou mulher.

Ártemis disse...

A inversão dos papéis (homem sexy se exibindo para mulheres) é tão diferente do resto que o comercial chega ali no nonsense o.O

Mas o médico é gatão.

Death Neko disse...

Lola, muito bom o texto. Na verdade, existe um vídeo sobre uma campanha também que usaram uma mulher em poses sensuais pra falar do auto-exame masculino. Porém, eles fizeram de uma forma que ficou cômico (não vou contar, veja por si própria!). Eu mesma que sou "implicante" com comerciais não me senti ofendida, espero que eu não tenha sido inocente demais. Aqui está o link se quiser ver http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=oGgByLLQwSw#!

Niemi Hyyrynen disse...

Denise

olha eu fui umas duas ...ou tres vezes em clube para mulheres, mas foi mais para zuar do que pra ver os dançarinos.

Já comentei aqui de numa erotik fair o cara não conseguia ter uma ereção de jeito algum, foi muito vergonha alheia.

Sei lá, talvez seja trauma ou decepçao mas eu não cogito ir mais não...kkkk eu dou mais risada dos caras do que fico com tesão

Marilia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lívia Pinheiro disse...

Rachei com o tanquinho que parece um trilobita. Biólogos... rsrsrs

denise disse...

Bom Niemi Hyyrynen eu sou um tipo de pessoa em que o visual me impressiona, não tenho vergonha de dizer que achei os caras la do clube bem excitantes, mas também fui pra me divertir, acho que essa é a proposta, sinceramente não notei se os caras com quem eu dancei e fiz umas performances la estavam excitados ou não, mas eu fiquei.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

"estudos apontam que mulheres prestam mais atenção em vídeos que mostram caras gostosos"

Verdade. Tinha muito tempo que uma propaganda não prendia minha atenção dessa forma, rsrs...
Olha, eu gostei. Acho que no mínimo é uma questão de justiça. Não basta ligar a tv pra ver um montão de mulheres lindas de biquini?
Então. Já que a tv vai continuar desse jeito, pra mim o mais justo é que façam o mesmo com homens. Eu gosto de ver homens bonitos, a maioria das mulheres gosta. Quando um rapaz muito bonito entra em um ambiente, costuma ser muito notado pelas mulheres, ainda que de forma bem discreta.

Outro dia mesmo fui em um festival de chopp e fiquei me perguntando porque eles colocavam mulheres lindas pra tirar e servir as bebidas, mas homem podia ser qualquer um, a aparência não importava.
Não passou pela cabeça de quem organizou, que se os homens iam gostar de ver mulheres bonitas, as mulheres também gostariam de ver homens bonitos. Ou vai ver até passou, mas o evento foi organizado por homens e me parece que da mesma forma que eles gostam tanto de apreciar a beleza feminina e deixar isso bem claro pro resto do mundo, parecem se sentir incomodados se mulheres fizerem o mesmo.

Aliás, não duvido que os mesmos que aplaudem de pé programas que vivem de exibir o corpo feminino, que defendem o direito sagrado de homens assediarem mulheres nas ruas, seriam os primeiros a jogar pedras em uma propaganda como essa, falar que é desnecessária, indecente, de mal gosto, que as mulheres hoje em dia são isso, são aquilo, enfim.

Tiago disse...

Homem com pelo não se vê em nenhum lugar da mídia.

denise disse...

Eu pelo menos acho lindo um homem peludo Tiago, acho uma besteira enorme esses caras que tiram os pelos pra impressionar.
Mas talvez algumas mulheres gostem, eu não.

Relicário disse...

Entendi a brincadeira, mas não gostei não...

Não gosto de padrões, sejam padrões femininos ou masculinos.

Sou da opnião da Niemi, prefiro um homem mais "normal"...

E sobre a inversão dos papéis, é a inversão de um papel que eu como mulher não gosto de fazer, nem ver uma outra mulher fazendo, sendo assim é um papel que não me serve, é nesse ponto que eu entendo que a brincadeira toma um sentido bobo, pois eu só posso considerar irônico se eu entender que a mulher é objeto sexual ou de sedução, o que não concordo.

Hel disse...

Tiago, mulher com pêlo menos ainda. =)

Amo homem de peito peludo, ainda mais se tiver uma bela barba. Pena que essa aparência anda meio fora de moda. Mas pelo menos já garanti o meu, hahahha

Niemi Hyyrynen disse...

denise

Ai sim! A-DO-RO homem peludo

*___*

to contigo! kkkk Toni Ramos alô? Tá solteiro gato? rs me liga!

Gabriele disse...

Não sei se ri mais com o vídeo que a Lola postou ou com o da Death Neko euheuheuheu
Enfim... Também não sei bem o que pensar. É que é tão descaradamente cômico e cafona... Mesma coisa com a "versão masculina" que a Death Neko postou.
Mas acho que ainda não é o melhor jeito de se trabalhar com a prevenção...

Luísa Schenato disse...

Eu gostei da propaganda. Não acho que seja a mesma coisa que a da Hope, por exemplo, pois não faz parecer que os homens são burros e idiotas que só fazem "merda" e no fim só servem para bonito.
Se fizessem uma propaganda igual só que com mulheres também não veria problema, pois só está mostrando pessoas sexualmente atraentes para chamar a atenção, e eu não vejo mal nenhum nisso.
Em nenhum momento eles são desvalorizados ou ridicularizados.
E também gosto dessa iniciativa de usar a sensualidade masculina focada no público feminino. As vezes, parece que para os publicitários e comunicadores as mulheres não gostam de ver homens bonitos e com pouca roupa, pois até as revistas com homens pelados são destinadas ao público gay.
Quanto aos rapazes, adorei todos! Só prefiro homem que não seja tão depiladinho, no resto está demais.

Ártemis disse...

Isso é verdade.

Os homens da propaganda são mostrados como interessantes E atraentes. Inteligentes no caso do 'protagonista'.

O médico não tem sua credibilidade afetada, é considerado um profissional E também é sexy.

Não são bobalhões usando a sensualidade para conseguirem algo.

bike disse...

isso é que é um blog democrático e muito enriquecedor , todas revelando suas preferencias kkk se peito peludo se peito pelado kkkk

segue o jogo...

Amanda disse...

tem um lado bom: a ideia de que mulher gosta de sexo sim!

KlaussGoytacaz disse...

Nos gays adoramos a campanha! rs...

Flora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Yohanna Cordeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flora disse...

Lola, enquanto isso outra campanha foi criada no Facebook:

"Homens que vieram com essa campanha pelo câncer de mama, pedindo que nós mulheres tirássemos fotos com o seios aparecendo, façam a sua parte também! Tirem uma foto com o dedo no CU em combate ao câncer de próstata"
(junto, uma figura que mostra como o exame de próstata é realizado)

Ri muito. Sei que homens não tem como fazer o auto exame, sei da homofobia existente em torno disso, mas não tem nada a ver com isso. É uma resposta extremamente irônica a essa "brincadeira" machista e desrespeitosa de mostrar os peitos.

nenhum disse...

Só um ponto: o peito masculino nao é a mesma coisa que os seios, erogenamente falando. Tomem cuidado ao apertar os peitos ou chupar os mamilos dos seus namorados. ;-)

Cristal disse...

Mas e as lésbicas, não precisam se prevenir contra o câncer de mama? kkkkkkk

Yohanna Cordeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Guilherme Balan disse...

Hm, tá faltando um ponto aí, galera. O comercial é uma sátira aos comerciais apelativos com mulheres. É uma inversão, um 'agora é a vez delas'. Ele objetifica, mas obviamente se aproveitando do fato de que o corpo do homem dificilmente é destacado assim como sensual, pra fazer humor. Também pra causar desejo feminino, provavelmente, mas com esse humor. Então, se a idéia é justamente ser a excessão, não é bem 'o contrário' que está rolando, né?

O post em si tá ótimo, pra variar :). Valeu!

Larissa disse...

eu também não tenho opinião 100% formada sobre a campanha, que vi há algumas semanas, antes de v. colocar o post. O que eu acho de cara é que o objetivo principal talvez seja fazer com que as mulheres lembrem de fazer o exame.. e eu bem que fiquei com vontade de comprar o app pois eu nunca lembro disso. Querendo ou não, me fez pensar no auto-exame.. e sinceramente, se fosse um daqueles comerciais com modelos lindíssimas usando camisetas com "câncer de mama no alvo da moda" eu não assistiria nem cinco segundos. Aliás, quanta gente não deve comprar aquelas camisetas caras (e na minha opinião feias) mas no fundo não relacionam uma coisa com outra e nem fazem o auto-exame?
assisti a propaganda há um tempão e ainda me lembro bem de tudo que foi falado lá - e olha que o moço não faz meu "tipo". enfim, pensando no público-alvo e na mensagem que quer ser transmitida, achei razoável e não me senti ofendida. Lola, vc viu a polêmica sobre o site que a campanha "got milk" colocou no ar, e depois tirou? era pra falar sobre como o leite ajuda a diminuir sintomas de TPM, mas foi um site totalmente feito pra homens que "sofrem" com isso. Antes o endereço era www.everythingidoiswrong.org, agora mudaram pois tiraram do ar e colocaram a página com a polêmica: http://gotdiscussion.org/#/

Ukiyou disse...

Só pra especificar: essa campanha do Facebook é só pra sacanear os "ativistas de redes sociais", a ultima dos quais foi a onda de colocar foto de desenho animado da infância no avatar como movimento "contra a violência infantil". 

É exatamente a mesma coisa que o #LingerieDay. Referência sobre a origem no meu blog:

http://ukiyou.wordpress.com/2011/08/01/lingerieday/

Mariana. disse...

sinceramente, vou concordar com o troll:

"vocês não relaxam nunca?"

Giovanni Gouveia disse...

Sobre a "campanha" de mostrar os peitos no facebook, eu questionei se os proponentes iriam concordar quando fosse em relação ao câncer de próstata...
Mas aí as feministas radicalizaram ainda mais, colocaram mulheres mastectomizadas mostrando os peitos, pra ver se rolava um pouco de simankol... Chocou-me, mas achei perfeito.

Marianna disse...

Adorei tanto a propaganda do Câncer de mama quanto a propagada do câncer masculino... As duas usam de certa forma o sexo/corpo semi-nu para passar a mensagem, mas não de uma forma desagradável, que rebaixa o homem ou a mulher. Mas achei interessante uma coisa: a propaganda dos homens gostosos utiliza o humor, passaria tranquilamente aqui no Brasil... mas a da mulher gostosa, que é mais "chocante"? Vixi, certeza que o povo ia chiar com a "revelação" da mocinha, nunca que seria exibido aqui no país...

Mari disse...

Isso me faz lembrar OZ.Por mais que essa série tenha seus lados ruins, mistrou um dos personagens principais(um Mascu)tendo cancer de mama, e de forma bem séria, sem fazer chacota dele, pelo contrário.

ALaCartePS disse...

Nossa, Lola, taaanto tempo! Acho valida a campanha. Num primeiro momento achei que era cancer de mama masculina ja que conheco um rapaz que teve...

Lia Gloria disse...

A questão é:
Câncer de mama em homem mata muito mais rápido, é mais agressivo e invasivo. É tiro e queda.
Cuidado contigo aí, que só se preocupa em ver peito de mulher.
Vai fazer o auto exame também.
Raridade não é isenção.

Gansoh disse...

Finalmente uma campanha objetificando um ser humano masculino! Como sei que nunca vão nos alforriar da obrigação da sensualidade, o jeito é obrigar os homens também, quem sabe assim eles enxergam o inferno que é ser visto como um pedaço de carne o tempo todo e passem a nos tratar um pouco melhor.

ana_alice disse...

sim, objetificaram os homens, mas concordo com quem disse que é ok pq é um fato isolado q soa crítico, mas que a ironia se perderia se virasse um padrão, ia soar sexista. claro q não se compara UMA propaganda objetificando homens com MILHÕES de comerciais q fazem isso com mulheres.

e "objetificação tá nos olhos de quem vê" é o caralho. é o tipo de discurso q legitima propagandas sexistas utilizando corpos de mulheres, q feministas tanto combatem.

tb tenho dúvidas se propósito deles era esse, pq a intenção declarada, ao menos, é a de conscientizar pro exame. e nisso eles falham miseravelmente. colocassem homens de tipos variados fazendo o auto-exame, então, oras. ou, se eles querem brincar com sensualidade como forma de dizer q o exame não precisa significar sofrimento, podem colocar os atores apalpando as mamas das parceiras e vice versa. mas aí a sociedade moralista ia ficar chocadérrima -_____-


sobre a campanha de facebook... EIKE PREGUIÇA. ano passado eu tinha trocado o avatar pro dia das crianças, mas esse ano, qd soube dessa babaquice de enfiarem um "propósito" falso ativista, não quis trocar. perdeu a graça.

mas não acho errado ativismo virtual, não, acho q ele ajuda práticas reais. sempre q chegam aquelas imagens de pessoas desaparecidas, bandidos procurados ou alguma outra causa bem intencionada, eu dou uma conferida no perfil q começou a divulgação.

todas as vezes q eu vejo q REALMENTE cai no mural da vítima ou de algum parente da vítima, aí eu repasso. e depois de uns dias vou lá checar se funcionou (já acharam um velhinho perdido em minas, já acharam um babaca q atropelou estudantes de lancha na lagoa da barra, etc).

daí eu sempre aviso no meu mural pra q meus amigos saibam q a pessoa foi encontrada e parem de repassar a corrente. pra não virar um spam desacreditado, né?

me sinto muito bem de ter ajudado, mesmo q eu mesma n conhecesse a vítima. qd vejo q pelo menos um dos meus amigos repassou, me sinto feliz por ver q a mensagem está indo adiante.

agora se as correntes são religiosas ou falando mal da corrupção, genericamente, ou qq bobabem do tipo, eu bloqueio e denuncio como spam.

Vera disse...

Cara Lola, a gente faz o autoexame, descobre o nódulo, em seguida realiza todos os procedimentos (eco, ultra, mamografia, e vai parar na fila de espera por uma cirurgia no SUS. Estou nela há três anos, acho corretíssimo que as mulheres de idade avançada sejam atendidas primeiro. O problema é que elas não são, e ninguém sabe como são distribuídas as vagas para cirurgias e diagnósticos. É tudo lindo, monumentos cor-de-rosa, campanhas publicitárias, mas onde está o suporte clínico?

Vera disse...

Acho que vou fazer como a Patrícia Galvão, ícone do gatinho escrevente, e me candidatar a deputada, quem sabe eu ajudo a amenizar o problema na saúde pública!

Monique disse...

O homem se objetificar nao há problema pq eles mesmo querem se objetificar.Quem é o popular na escola?O bonitao.O bonitao arruma trabalho so o acham bonito e o aprova ou nao por sua competencia mesmo tendo ele se expondo a mulheres,pq as mulheres ja tem essa consciencia de separar as coisas.
Agora com uma mulher nao acontece o mesmo.