quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

CRÍTICA: DEMÔNIO / Prendam o Shyamalan num elevador

Vê se essa cena não parece saída de Apertem os Cintos, o Piloto Sumiu

Lembro de um filme alemão bem aterrorizante (pelo menos pra mim naquela época, 1983) chamado Elevador Assassino, em que várias pessoas eram mortas pelo personagem título de formas criativas (uma decapitada pelas portas do elevador, outra enforcada pelos fios, outra pelo calor sufocante dentro do troço; nenhuma comete suicídio por ficar exposta à musak, tradicional música de elevador). Descobri que o terror foi refeito em 2001 pelo mesmo diretor, então com a Naomi Watts. Existe também um curta de meia hora chamado Lift, sobre um ascensorista que nunca saiu do elevador em que trabalha e se apaixona por uma digitadora que tem fobia de elevador. Ou seja, praticamente todas as histórias envolvendo elevadores são interessantes. Foi por isso que pensei ao ler a sinopse de Demônio ― cinco pessoas ficam presas dentro de um elevador, e uma delas é o coisa ruim ―, opa, isso aí pode dar samba (eu tenho problemas psicológicos, você já deve ter notado).
Mas não dá. Começa até bem, com uma vista área de Filadélfia, só que de cabeça pra baixo. E uma narração em off estranhérrima, cafona, com um carinha contando como sua mãe sempre lhe falava do diabo. Aí temos um suicídio (nunca explicado) de um sujeito que pula do alto de um edifício. Entra em cena um detetive (o único nome famoso do elenco, Chris Messina, de Julie & Julia, Vicky Cristina Barcelona, e o namorado da Claire na última temporada da minha série de TV preferida de todos os tempos, A Sete Palmos) com problemas de bebida (toda vez que eu falo isso me lembro de Apertem os Cintos, o Piloto Sumiu ― agora mais na memória ainda por causa da morte do Leslie Nielsen ―, em que o “drinking problem” do protagonista consiste em derramar o copo na testa dele) após ter perdido sua mulher e filho num acidente de automóvel (essa última sentença deve ter sido um horror de ler, com tantas interrupções, né?). Na real, Cris faz um dos detetives mais incompetentes já vistos no cinema, quase rivalizando com o Inspetor Clouseau. Tá, exagero, mas me diga se não merece um Distintivo de Ouro (lembrei de novo do Leslie Nielsen, em Corra que a Polícia Vem Aí, que eu amo) um tira que, lá pela segunda ou terceira vítima no elevador, decifra que uma figura foi contratada para matar uma das pessoas lá dentro, e as outras mortes seriam só pra disfarçar?
Mais incompetentes que o Cris, apenas os bombeiros, incapazes de abrir uma simples porta de elevador, e o zelador (que, assim como os bombeiros, some durante meia hora do filme e aparece de repente, pra novamente não fazer nada que preste). O guardinha do prédio que assiste a tudo por meio de uma câmera de TV na sua sala não é exatamente um inútil (pelo menos ele acredita que há um demônio lá dentro), mas é um mala de qualquer jeito. Imagine você numa situação de terror, como estar preso num elevador. Aí imagine um guardinha que só se recorda de desligar a musak que toca lá um tempão depois, pra substitui-la por orações, do Pai Nosso a Ave Maria (tipo, se você estivesse preso com Belzebu num elevador, gostaria que uma voz provocasse a fúria dele?). Nas horas vagas, o gigante intelectual que é esse guardinha gosta de jogar no chão torradas com geleia para provar por a + b que Satanás está presente. Juntando tudo isso, talvez a gente encontre uma explicação para por que um anônimo se suicidou no começo da trama.
O que continua sem explicação é o nível a que despencou o diretor M. Night Shyamalan. É, Demônio não é exatamente dele (ele é só o produtor e criador da história), mas é a primeira parte de uma trilogia que leva seu nome, a Night Chronicles, todas lidando com temas sobrenaturais. Shya causou sensação com um grande terror, O Sexto Sentido, fez bonito com Corpo Fechado, derrapou feio em Sinais, recuperou-se um pouquinho (pelo menos eu achei, na hora; hoje não tenho mais tanta certeza) com A Vila, e chegou ao fundo do poço com Fim dos Tempos. Atualmente ele deve ter tantos admiradores quanto detratores. Eu sempre dou uma colher de chá, mas suas marcas registradas (Filadélfia, mais a total falta de humor e a religiosidade exagerada) começam a me cansar. Quero dizer, quem mais bolaria uma história sobre um demônio num elevador pra chegar à conclusão que, se o enxofrudo existe, é prova que deus também existe, então tá tudo bem? E entendo que Demônio seja uma produção B, de baixo orçamento, mas até aí O Nevoeiro também era, o que não o impediu de tornar-se o melhor terror da última década.
É uma boa pegar um medo primordial desses (ficar preso dentro de um elevador; só andar de elevador já é uma experiência assustadora pra muita gente) e fazer um filme de terror, ainda soltando um diabinho lá dentro. É como juntar dois medos comuns, quase universais, como fez (com péssimos resultados) Serpentes a Bordo (avião + cobras). Certamente tentarão unir os quatro medos num só filme no futuro (estranhos ficam presos com demônio dentro de um elevador num avião cheio de cobras soltas. Jogue aí umas baratas e realmente temos um filme de terror). E quer saber? Aposto que a conclusão não será “Ah, isso é um claro sinal que deus olha por nós”.

29 comentários:

almanaque disse...

"Shya causou sensação com um grande terror, O Sexto Sentido, fez bonito com Corpo Fechado, derrapou feio em Sinais, recuperou-se um pouquinho (pelo menos eu achei, na hora; hoje não tenho mais tanta certeza) com A Vila, e chegou ao fundo do poço com Fim dos Tempos."

...mas antes de Fim dos Tempos (que nem achei tããão ruim), voltou a dar esperanças com A Dama na Água.

Marcos

cronicasurbanas disse...

Shyamalan deu mesmo uma só bola dentro, pro meu gosto, e foi com O Sexto Sentido. A Vila tem uma ideia legal e um desfecho interessante, mas revi há pouco e já achei meu nhéé demais. Os outros filmes dão sono e não chegam nem aos pés do 'I see dead people'. Tudo bem que o gênero não é dos meus favoritos, mas a promessa de um grande diretor parece ter ficado pelo meio do caminho...
abraço
Mônica
@madamemon

lola aronovich disse...

Pois é, Marcos. Não vi A Dama na Água, nem fiquei com interesse em ver (porque o trailer parecia muito ruim, todo místico e tal), mas pra muita gente, esse é o PIOR filme do Shya. Conheço gente que gosta tb, claro, mas mais gente que odeia. Agora, Fim dos Tempos é quase uma unanimidade.

Rodrigo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rodrigo disse...

também gostei muito de sexto sentido, a vila e corpo fechado. no caso de sinais, foi bom até chegar perto do final (acho que aqui começou a tendência do shyamalan de provar a existência de deus através das merdas que nos cercam).o último filme dele que eu vi foi o último mestre do ar, e achei péssimo, não por haver mudanças na história: isso ajuda a cativar quem conhece a história de cabo a rabo, o problema foi que nem as mudanças e nem a escolha do elenco faziam sentido

DINIZ K-9 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DINIZ K-9 disse...

Parabéns pelo blog, Lola, acompanho diariamente. Como já deve ter percebido me cadastrei como seguidor, pois o conteúdo do blog é show. Visite meu blog de variedades: Blog Diniz K-9
http://dinizk9.blogspot.com/

Vivien Morgato : disse...

O Sexto Sentido foi uma das melhores coisas que ja vi. Assisti com uma amiga que gritava cada vez que aparecia algo vermelho e isso acabou dando um tom de comedia, pois era mais engra;ado rir dela do que tremer com o filme.Mas adorei.


Corpo Fechado tb me agradou, a ideia da necessidade maniqueista do malque torna o bem real, dentro da logica das HQ, [e genial. BRUCE WILLIS BATEU UM BOLAO. Se remidiu, aos meus olhos,de todos os filmes toscos que ja fez.

Sinais .. devo confessar, ouvi ser descrito coma tanta ironia por um amigo ha anos,que nunca consegui assistir sem achar pastelao.


A Vilafoi uma decepcao. Fui ver com meu irmao e primos em uma tradicao natalida que criamos~ ir ao cinema todo dia 25 de dezmebro .
No come;o achei que fosse uma releitura de Chapeuzinho Vermelho,comoadoro contos de fada, viajei. Achei o mote muito bom, mas a interpretacaodos atores pessimas eacho que faltou algo, ele perdeu a mao.


O Fim Dos Tempos foi uma expectativa increivel...pirei quando vi o trailer.


Agora, que meeeeerda de filme, heim?

beijocas

Cirilo Vargas disse...

Shyamalan é o mestre das histórias esquisitas, mas nem sempre consegue convertê-las em filmes bons. Gostei bastante de Sexto sentido, a Vila e Dama da água. Detestei Fim dos tempos e Corpo fechado. Li o post e fiquei com vontade de ver Demônio. Mais uma história bizarra. Um abraço.

Alessandro R. C. disse...

Não concordo que ele tenha derrapado feio em Sinais. O filme é o 7º de terror/suspense que mais arrecadou em todos os tempos. E foi o último que Shya recebeu críticas positivas.

Worldwide gross: $408,247,917
Adjusted for inflation (2010): $495,650,000

Signs was the last M. Night Shyamalan movie to receive mostly positive reviews. It was also the last movie to feature a pre-scandal Mel Gibson as an actor. Both the director and the actor had some very challenging years ahead of them, but at the time of Signs they had the Midas touch, and the perception that they could do no wrong was reflected in the film’s worldwide take of over $400 million.

Gibson plays a former priest who has lost his faith after the death of his wife in a car accident. Now he’s a farmer, hoping to enjoy agriculture and lost faith in peace . But crop circles have begun appearing on his land, while turning up in the rest of the world too. The film is notable for featuring Shyamalan in a supporting role, as well as starring a very young Abigail Breslin, who would go on to great success in Little Miss Sunshine a few years later.

http://www.cnbc.com/id/39870833?slide=10

Well Bernard disse...

Mas Lola, para quem quer entender a dinâmica do poder, domínio e alienação, como constroem um imaginário e tudo mais a Vila é ótima, eu acho.

PoshDrosofila disse...

ele fez the last Airbender, que é baseado num quadrinho, e foi muito bom...
Acho que o pior mesmo foi O fim dos tempos...

Lord Anderson disse...

Sexto Sentido e Corpo Fechado são os unico do Shymalan que eu realmente curti.

A Vila me decepcionou com seu final conservador.

E os outros simplesmente não engrenam.

Pena, ele foi uma otima promessa.

Luma Perrete disse...

Eu adoro o Shyamalan. É meio meu guilty pleasure hahaha

Amo Sexto Sentido. Corpo Fechado eu nunca vi, mas morro de vontade de ver. Sinais é um dos meus filmes favoritos. Não sei como tem gente que não gosta. A Vila eu achei um tédio. Nem assisti todo. A Dama da Água eu não vi porque tinha ouvido falar que era muito chato, mas vi umas chamadas na tv e me interessei. Fim dos Tempos eu não achei tão ruim assim. Já vi filmes muuuito piores. E gosto pra caramba da Zoey Deschanel. O Último Mestre do Ar foi bem ruinzinho. O roteiro era péssimo e foi totalmente incompetente ao transferir a história do desenho pra linguagem de cinema, mas a fotografia é bem bonita.

Eu gosto bastante dele como diretor. Acho que é como roteirista que ele erra feio às vezes (ou muitas vezes hahaha).

Depois vou assistir a esse Demônio.

Mosaico Cultural disse...

Parabéns Lola.
Melhor texto que li falando sobre esse filme.

@snoopy_xxx disse...

Então Lola, o Shyamalan nunca me chamou a atenção, mesmo depois do excelente "O sexto sentido". Vi "Corpo fechado" e também achei um bom filme, de resto, nada chamou minha atenção. Tenho um amigo de SP que ama "Dama da água" que me parece o tipo de filme que, ou você acha uma porcaria, ou o considera um achado.
Não vi o filme, mas sempre é ótimo ler suas críticas! E essa leitura valeu muito por um outro motivo: Saber que você é fã de six feet under (sim, melhor série ever!) e ter gostado de "O nevoeiro" me deixou emocionado rsrsrss
Viva você!

PS: Já postei aqui como Pedro Monção e Pedro M., mas acho melhor usar o meu nick do twitter mesmo já que blogs e twitter andam cada vez mais juntos...

Lidiany CS disse...

Eu assisti A Dama na Água e gente não sei explicar, mas eu não entendi patavinas daquele filme!
Sério vi o filme inteiro e além de ser um lixo, eu não entendi NADA!

Nem penso em ver mais nada desse cara e além disso não gosto de terror eheheh

Kori disse...

HAHAHAHAUA
eu SEMPRE lembro do "problemas com a bebida" só que ninguém mais lembra desse filme por aqui, então até explicar a piada já perdeu a graça.
Eu nem assito mais filmes de terror, mas gostei de fim dos tempos. devo ter problemas também, pois adoro a zooey deschannel e ninguém no mundo parece gostar dela além de mim e a família dela.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Adorei! E eu que achava que tinha sido a única pessoa da terra a assistir um filme chamado Elevador assassino, rs. Lembro que assisti esse filme no começo da adolescência e adorei. Era bem trash, mas legal, chegava a dar medo mesmo de andar de elevador depois, rsrs.

Pentacúspide disse...

Sexto sentido é altamente, pela maneira como foi levada e pelo twist final. A Vila tem uma temática diferente do sexto sentido, é um filme de terror, mas numa abordagem diferente. Quem esperava um Sexto Sentido 2 n' A Vila, de certeza sairia desiludido. São filmes e temáticas apartados.
O terror d'A Vila é muito mais real e assustador, porque demonstra a prisão da mente em dogmas e questiona se a repressão por mentiras justifica uma utopia. A Vila é cheia de imagens, referências e críticas sociais, tanto no plano religioso como político. Eu adoro A Vila, porque tal como a nossa realidade, faz-nos pensar que os nossos medos são produtos do "verdadeiro", quando na verdade são ecos dos medos alheios. Enfim o filme teve um final que revelou a falsidade, mas aqui, na vida real, tem que se questionar muito para perceber a falsidade.

Não vi este O Demónio, tinha curiosidade, para ver se o gajo consegui recuperar depois da derrapagem do Last Airbender, além do trailer deveras aliciante (pensava que talvez teríamos um filme de qualidade visto que, segundo o próprio, ele nasce dos seus trabalhos antigos), mas... já perdi a vontade.

Leo disse...

Realmente o Sexto Sentido foi um dos melhores filmes que já vi...o restante achei todos mais ou menos..não gostei muito do Corpo Fechado, pois pra mim ele foi inspirado nas meninas superpoderosas (repara como o vilão lembra o macaco louco em várias falas! Aparece até uma parte do desenho numa cena), A Vila achei péssimo, Sinais, sem graça, Dama da Água também, mas gostei um pouco mais de Fim dos Tempos...achei surreal o suicídio em massa. O final que deixa a desejar. Agora, O último mestre do Ar foi a maior decepção. Fiz questão de assistir a todos os episódios do desenho com meu filho pequeno pois é dos poucos onde a temática principal é a não-violência. Fiquei feliz que ele pegou a história porque achei que ia se redimir de histórias bizarras, mas ele conseguiu estragar a história e o visual de um dos melhores desenhos da atualidade. Mas não sei porque, ainda dou um crédito pra ele...acho que um dia vai nos surpreender novamente.
Abraço Lola

Barbara O. disse...

Lolinha,

basta digitar "anna ardin" e "feminist" no google e você verá quantos sites dizem que a mulher é feminista, muitos deles dizem que é feminista radical (além de cristã e antiabortista, dizem).

Este aqui é um dos que claramente inspiram os neomachistas brasileiros (auto-proclamados masculinistas),para aproveitar e difamar o feminismo, inclusive no blog do nassif :

http://nicholasmead.com/2010/08/21/how-to-smear-a-hero/

é difícil achar uma fonte confiável. estou aguardando as suas descobertas!

nelsonalvespinto disse...

Eu nem gostei muito de Sexto Sentido. Só o final que surpreende mesmo.

Corpo fechado e Sinais só tem o final bacana. Dariam ótimas histórias de meia hora.

A Vila vai bem até o meio. O fim é meio decepcionante. Neste caso o Shya inverteu a ordem.

Só vou discordar sobre a melhor série de todos os tempos. A minha favorita é Além da Imaginação, da década de 60.

Paulodaluzmoreira disse...

Atenção, pessoal: um clássico indispensável para quem gosta da combinação de assassinatos e elevadores é o conto "Cabeças de Segunda Feira" de Ignacio de Loyola Brandão do livro de mesmo nome de 1983.

Bruno Stern disse...

Sinais é aquele em que brigam com o ET usando taco de beisebol?

Com certeza é um dos piores filmes que já vi!

disse...

Oi Lola! Leio o blog há alguns meses, nunca comentei, mas já segui algumas dicas de livros/filmes que peguei aqui =) o que me tras mesmo aqui são seus textos feministas, algo que só há pouco tempo comecei a me interessar e até me "assumir" assim rs

Vi "o nevoeiro" hj de madrugada, tinha ele baixado no computador há algumas semanas e como foi comentado aqui resolvi ver de uma vez, adorei! Mas que final depressivo hein =/ e morri de pena do milico gatinho... só nos créditos vi que era baseado em um livro do Stephen King. Faz tempo que tenho vontade de ler os livros dele, apesar de que quase sempre se referem a ele como sendo fraco... não sei se com razão ou apenas por ele ser muito "popular". Dele só li o que virou A Espera de um Milagre e gostei muito (ou seja, chorei do início ao fim, mais que no filme)

Sobre o Shya (gostei rs), vi o sexto sentido no cinema, tinha uns 11 anos! E amei, certeza que todos lembram a expectativa em cima do Shya. Não falta gente decepcionada, mas não acho os outros filmes dele ruins, só não chegam no nível daquele (se bem que só vi outros tres). Eu adorei Sinais, já Fim dos Tempos não gostei da primeira vez que vi, até que um dia deu vontade de rever e já sabendo desse jeito pastelão dele (pelo menos na minha opinião) me diverti bastante. A Vila não gostei. Fiquei animada pra ver Demonio pelo trailer, aliás tinha esquecido dele mas agora vou correr atrás (e desse "elevador assassino" e do conto que comentaram aí em cima, já disse que adoro seguir as dicas daqui)

Lord Anderson disse...

cá.

A qualidades dos livros do King variam muito.

O problema principal é quando ele resolve escrever demais, criando um monte de subtramas que fogem da trama principal.

Mas quando ele acerta, faz muito bem.

Tanto a Espera de Um Milagre quanto o Nevoeiro são originalmente contos publicados em coletaneas.

A qualidade dos filmes são mais resultados do bom trabalho dos diretores e atores.

Mesmo assim, tente ler os "classicos" dele, como Carrie, Cristine, O Iluminado, Jerusalem Lost...etc

disse...

Oi Lord! Obrigada pelas sugestões, vou prestar atenção nesses que vc citou

Já ouvi isso mesmo de que os livros não são aquela coisa, que os filmes ficam melhores, falam bastante disso quanto ao Iluminado. Mas também já peguei umas bombas "baseadas na obra de Stephen King"...

Júlio César disse...

Lembrei de um comentário de um colega porque The Last Airbender e Inception estrearam nos EUA com pouco tempo de diferença. E ele falou que era interessante ver estes dois diretores juntos, Nolan melhorando a cada filme e Shyamalan só piorando.