sábado, 2 de outubro de 2010

ESQUERDA VOLVER

Um leitor inteligente e simpático que eu gosto muito, o J.anquevitti, deixou este comentário hoje:

Ai Lola...toda vez que eu juro que vou votar no Plínio, leio o seu blog e me dá uma vontade de votar na Dilma, fico nesse dilema, quero participar da festa também! Principalmente se ela ganhar no 1º turno. E agora...tô em dúvida rsrs

Jonas querido, eu li o que vc disse no twitter sobre o Plínio após o debate (que ele foi o melhor, vamos votar 50 de ponta a ponta etc) e não quis dizer nada, mas... Posso falar agora, sem vc ficar bravo? Acho ingenuidade votar no Plínio. Esse entusiasmo que vc demonstrou até era justificado depois do primeiro debate, porque o Plínio parecia diferente, fazia rir, era caricato mas divertido. Ele sabia que não tinha absolutamente nenhuma chance (nem a Heloisa Helena vota nele!), e estava lá como franco-atirador. Mas esse personagem foi cansando, e se revelou, pelo menos pra mim, uma farsa total no último debate. Nem fazer rir ele conseguiu. Não tem propostas. Aliás, o PSOL inteiro não tem propostas concretas. Só dizer “Não vamos pagar a dívida!” não é realista. Tem que explicar como vai fazer isso, como vai convencer o Congresso (ou vai fechar o Congresso?), como vai lidar com a fuga de investimentos. Eu venho dizendo isso desde 2003, pô. Logo nos primeiros meses do governo Lula, já tinha amigo meu decepcionado, dizendo que esperava um governo mais à esquerda... Ainda não existia PSOL, mas alguns de meus amigos já juravam que iam votar mais à esquerda, não mais no PT. E eu só dizia que, sinto muito, esperei 20 anos pra que o PT fosse eleito, e não queria esperar mais 20 até que o Brasil (talvez) elegesse um partido mais à esquerda, pra que el@ chegasse ao poder e então fizesse o que é possível, não o utópico. Política é a arte do possível, quem falou isso? O PSOL age como um adolescente, cheio de sonhos e ideais, sem nenhuma chance de concretizá-los. Eu sou muito assim às vezes, e essa é uma das muitas razões pelas quais eu não me candidataria a nada. Votar no PSOL amanhã (no PV é pior ainda, porque aí não tem idealismo nenhum mesmo; se quer eleger uma mulher, vota na Dilma) é simplesmente dizer “Sim, quero um segundo turno entre Dilma e Serra” (achando que, ha ha, no segundo turno o Serra e a mídia discutiriam propostas, e não seguiriam com os meros ataques vazios). E o PSOL é tão míope que, nesse caso do segundo turno, nem apoiaria o PT, acredita? “Liberaria” sua meia dúzia de eleitores pra votar em quem quisesse ou anular o voto. Não tenho mais paciência pra esse tipo de cinismo eterno, sabe? E é um pouco de arrogância avaliar um governo com 80% de aprovação, com números tão bons de melhorias concretas pro país, e ficar repetindo “Tá tudo uma droga, PT e PSDB são iguais”. Porque aí você tá chamando o povo de burro ou vendido. E esse é o tipo de arrogância que a gente espera da direita, não da esquerda.
Vamos eleger amanhã a nossa primeira mulher presidente! Você pode votar na Dilma e, se ela for eleita no primeiro turno, simplesmente comemorar, ao invés de ter que decidir entre Dilma e Serra no dia 31 e ficar até lá se queixando, "Ah, eu queria tanto duas mulheres no segundo turno!" (porque o Plínio não tem a menor chance, né?). Deixa disso. Venha fazer parte da nossa festa vermelha, que a gente tem muito pra celebrar.

43 comentários:

tania freitas disse...

Concordo e vou me limitar a repetir a última frase, porque acho que tem muita gente desmemoriada (nada a ver com o rapaz a quem você se dirigiu no post, falo de modo bem mais geral). "A gente tem muito o que comemorar."
Boa eleição por aí!

GG disse...

Campanha pelo voto útil, ou melhor, estratégico(!!!!!), no Tiririca, afinal de contas, o partido dele está coligado com o PT. Esqueça suas convicções, vote no Tiririca que o PT leva candidatos sem nem precisar de fazer campanha!

Ainda gostaria de saber qual é o problema que tem de ter segundo turno...

aiaiai disse...

Muito bacana o seu texto, lola. Chegou a hora de ver a verdade: o PV e o Psol, se fossem de esquerda mesmo, estariam com Dilma agora para barrar a guerrinha insana da midia e do psdb/dem contra a vontade do povo brasileiro.

dois outros links interessantes para quem ainda tá pensando:

Maria Rita Kell - no estadão - dizendo com todas as letras que a elite brasileira não admite que o povo esteja sendo incluido na cidadania (via mariafro)

http://mariafro.com.br/wordpress/?p=19842


dirigente do PV antecipando que a partir de 2. feira estará junto com o serra (não esperaram nem a votação...já estão se coligando) - transforma a onda verde em ONDA LARANJA

http://www1.folha.uol.com.br/poder/808388-em-despedida-de-campanha-serra-recebe-apoio-do-pv-sp-a-partir-de-segunda-feira.shtml

aiaiai disse...

GG,
duas coisas:

o tiririca é bem melhor do que os candidatos que a elite brasileira sempre elegeu, como maluf, por exemplo. Você não acha? Pode ser que ele até se transforme em um grande deputado. Vai saber? Eu não voto nele, mas se tivesse que escolher entre ele e maluf, pode ter certeza que meu voto seria dele.

o Brasil não precisa de segundo turno. O povo brasileiro quer dilma na presidência. Quem quer segundo turno são as oligarquias que estão desesperadas por ver que perderam o trem da história e vão perder mais uma eleição.
segundo turno é bom quando vc tem dois candidatos com propostas diferentes mas igualmente adequadas para o país. Não é o caso agora. O psdb/dem não tem proposta, apenas denúncias vazias e promesas ocas. Por isso eu não quero segundo turno. Eu quero a dilma eleita logo para que ela possa começar a trabalhar. O lula avançou um bocado, mas ainda temos muito o que avançar. Afinal, não é em 8 anos que se tira o atraso de 500.

Espero ter respondido às suas perguntas. Bom voto! Vote 13 e venha comemorar com a gente!

lola aronovich disse...

GG, quem tá fazendo campanha pelo voto útil é o outro lado! Repito: votar na Marina ou no Plínio equivale a voto útil... no Serra!
NENHUM problema em ter segundo turno. Não tenho a menor dúvida que a Dilma ganha no 2o turno. Mas se puder eleger agora, por que não? Se não houver 2o turno, vai ser por uma porcentagem minúscula. Desconfio que o Serra não queira 2o turno. Ele sabe que perde! E ainda é capaz de repetir a façanha do Alckmin em 2006, de ter MENOS votos no 2o turno que no 1o.
Sobre o Tiririca... sem comentários. Por favor, se você conhecer UM só petista que vote no Tiririca, me apresente, por favor. É um bicho raro pra caramba. Petista é bicho politizado. Tiririca é voto alienado, de quem acha que político é tudo igual, nenhum presta. Simplesmente não combina.

Koppe disse...

Lola disse... "(...)essa é uma das muitas razões pelas quais eu não me candidataria a nada."

:'-(

GG disse...

O Tiririca É o candidato das elites Aiaiai. Quem buscou ele para concorrer foi o próprio partido, PR, fruto da conjunção carnal entre PL e PRONA. É uma candidatura em que o demagógico não é o candidato, mas sim o próprio partido.

Aliás, gostaria de ver um post da Lola sobre a política de coligações do PT. Aqui em Brasília eles cometeram um atentado contra a própria dignidade política, ao se aliar com o PMDB, inimigo histórico do PT em Brasília e partido da base do Arruda. Agora me diga, pra quê? Será mesmo o PT um partido contra "as velhas oligarquias"?

Em momento algum digo que hoje está pior do que ontem. É burrice pensar assim. O governo Lula realmente melhorou o país.

E Lola, PTista de carteirinha pode não votar no Tiririca, mas eu aposto que a imensa maioria de seu eleitorado vota na Dilma sem pensar direito o porquê.

Voto Dilma no segundo turno porque acho difícil a Marina estar lá. Mas não é porque não há chances de vitórias que não votarei de acordo com o que acredito.

Koppe disse...

aiaiai, sobre esse assunto da elite não aceitar o povo sendo incluído, dia desses saiu um texto interessante na Zero Hora, escrito por Diana Corso. O título do texto é "Saudosa Senzala":

http://www.entrelacos.blogger.com.br/2010_09_26_archive.html#40854893

J.anquevitti disse...

Oi Lola, não estou nem um pouco bravo com você, entendo perfeitamente a sua opinião, e concordo que muitas vezes o PSOL é radical demais, vive de acusar o PT como outros partidos de direita como o PSDB e o DEM.

Cansa mesmo essas atitudes, principalmente quando eles se fazem de guardiães da moralidade política, livres de qualquer corrupção (o que não é verdade, lembra do Geraldo Mesquita, que cobrava mensalinho de seus funcionários? Foi acusado mas recebeu o apoio de Heloisa Helena, mas saiu do partido pois, de acordo com a presidente do PSOL, não poderia pairar nenhum tipo de dúvida em seus aliados..hoje ele faz parte do PMDB e apóia o Serra). Nenhum partido é 100% livre de corruptos, infelizmente. Mas sei que o número é bem menor no PT do que no DEM.

O fato de eu simpatizar mais com o PSOL é justamente pelo motivo de ele ser mais à esquerda, e garanto que tem uma certa ingenuidade juvenil da minha parte...nasci em 88, não acompanhei a criação do PT, então talvez eu veja o Plinio, com seu discurso "revolucionário", em um partido mais "radical" e me identifico com ele, mesmo sabendo que o PT é mais realista e tem feito um excelente governo.

No debate, odiei quando ele acusou a Dilma, mas acho que o discurso final dele me animou...admito que o foi o único debate que eu assisti inteiro (saí mais cedo da faculdade pois não queria perdê-lo). Talvez eu teria me cansado dele se tivesse assistido a todos.

Moro em uma cidade pequena em São Paulo, e aqui é um reduto de tucano...onde você vai é gente falando mal da Dilma, do PT, do Lula e da esquerda em geral.
Hoje mesmo eu quase discuti com meus colegas no meu curso de inglês porque eles estavam falando horrores a respeito da Dilma (disseminando mentiras que receberam por e-mail) e eu tentava argumentar, mas não tive sucesso, (até o professor estava do lado deles, ou seja, 6 tucanos contra a minha pessoa, me senti totalmente acuado). Naquele momento ficou mais clara a idéia que a Dilma realmente merecia meu apoio, que levar a eleição pro segundo turno só vai fazer o jogo sujo deles ficar ainda pior. E quando cheguei em casa, li o seu post e pensei dessa vez em não votar mais no PSOL de ponta a ponta, mas votar na Dilma, no Mercadante e na Marta (que eu já pretendia votar como a segunda senadora) e votar no PSOL para os outros cargos (que no caso são candidatos menos radicais que o Plínio). Estou pensando até em votar no Netinho (o que até ler o seu post a respeito dele, jamais pensaria nessa opção). Li um artigo muito bom sobre o Netinho no site do vermelho, e ele tem o apoio do MST, o que considero ótimo.


Em 2006, vi muita gente que tinha votado na Heloísa votando no Alckmin no 2º turno, o que também me leva a acreditar que muitos votos em partidos como o PSOL e o PSTU sejam também votos do contra. Ué, por que não apoiar o PT, sabendo que está fazendo um bom governo? Por que tudo precisa ser "se não está do meu lado, está contra mim?" Imagino que com toda essa guerra desonesta que está sendo feita, a esquerda deveria se unir, independentemente se é pouco ou muito à esquerda.

Então é isso...muito obrigado por me esclarecer e pode ter certeza, amanhã eu vou de vermelho votar e participar da festa de ter ajudado a eleger a primeira mulher presidente do Brasil!

Abraços
Jonas

J.anquevitti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Shey, Sheid, enfim... disse...

Ah, Lola... reconheço q nunca fui politizada, mas o seu blog contribuiu e muito pra transformar a minha birra pela direita brasileira e pela imprensa/TV em nojo mesmo... a últimas capas da Veja me deu asco.
Apesar de algumas coisas q não gostei,o Governo Lula foi o melhor q o Brasil teve até agora... quando houve tamanha inclusão social? Quando é q o governo assumiu o seu papel de dar suporte para pessoas saírem da miseria? quando é q as nossas eleições seriam notícia lá fora? Quando é q algum presidente brasileiro seria considerado"o cara"?
Sei q amanhã irei de bata vermelha pra votar. E blogs como o seu me fizeram entender q preciso criar vergonha na cara e me interessar mais por politica ao inves de só repetir q nenhum presta.

Rita disse...

Votar na Dilma é votar pela diminuição da pobreza, votar pela inclusão social. Vou repetir: votar na Dilma é votar pela inclusão social. É votar pelo bem daqueles que, antes do Lula, nunca tiveram políticas públicas pensadas em seu benefício.

Dilma, 13, pela inclusão social.

Meu coração vai sair pela boca, juro.

Beijos, Lola.
Rita

GG disse...

Li um artigo muito bom sobre o Netinho no site do vermelho, e ele tem o apoio do MST, o que considero ótimo.

Nossa, vou te passar um artigo na Veja que fala muito bem do Serra!

Concordo completamente com a Shey... quanto ao seu blog Lola, é um ótimo espaço para discussões e conscientização política, principalmente por não ser seu único enfoque.

lola aronovich disse...

Ah, Jonas e Shey, assim vcs me comovem... Vcs não imaginam como me deixam feliz em saber que contribuí um pouquinho pra politização de vcs. Eu acho fundamental ser politizado. Política faz parte da nossa vida, mesmo que a gente não queira. Existe gente de direita que é politizada também, mas a diferença é que são pessoas raivosas, que vivem espumando pela boca (modo de falar) de ódio, porque não são movidas a favor de nada na política, apenas contra a esquerda. E a gente que é de esquerda tem paixão e esperança. É melhor ser assim, mais leve (modo de falar MESMO, principalmente no meu caso).


GG, já escrevi sobre alianças do PT mais de uma vez... Aqui e aqui, por exemplo.
Petista é o eleitor mais politizado que tem. Não tô dizendo que todos que votam no PT são politizados, mas, sinceramente, esses 25% a 30% que votam no partido, certamente são.

Shiryu de Dragão disse...

Lola... pelo amor de Satanás!
Tem um monte de gente que vai votar na Dilma e que vai votar no Tiririca. Ele terá aproximadamente 1 milhao de votos. Combina muito bem com a população brasileira que é de 29 % de analfabetos e nao podemos esquecer dos 75 % analfabetos funcionais.

Tomara que a Dilma afunde o Brasil!!!

Ah, como que eu gostaria de ter nascido na Suecia, Noruega ou Japao!

Desgraça, tive que nascer bem aqui no Brasil falando essa lingua de pobre que é a lingua portuguesa, juntamente com esse bando de favelado que fica satisfeito com dentadura e cesta básica.

Brisa disse...

Lola,

Leio seu blog através dos feeds e nunca comentei - sempre tenho vontade, mas me falta tempo para acompanhar discussoes de comentarios, infelizmente.

Concordo plenamente com o seu post no que diz respeito ao executivo, mas considero importantíssimo ter uma base do PSOL no legislativo. Esse radicalismo é pouco eficaz em termos de planos de governo, mas dentro de discussoes de projetos de lei é mais do que necessario. Precisamos de gente sonhadora na Camara para fazer passar projetos que garantam direitos das minorias sociais e que barrem privilegios da elite. Além disso, uma bancada de extrema esquerda ajuda e muito a puxar o próprio governo para a esquerda, pressionar para que esse "possível" se amplie cada vez mais.

Por isso nao tenho duvidas quanto aos meus votos para deputados: PSOL sempre!

Anastasia disse...

Lola, dessa vez terei que discordar de vc nos dois últimos posts.

Vc fala das coligações do PV, mas como o GG já falou, o PT em Brasília tem coligação com o PMDB e outros partidos bem nada a ver com a ideologia petista. Filipeli é vice do Agnelo, Benício Tavares (aquele mesmo, que além de corrupto é pedófilo) está na mesma coligação. E aí? O PT aqui de Brasília fez aliança com deus e o mundo e isso está servindo de crítica para a oposição.

Fora que no outro post vc falou uma coisa que EU me ofendi. Disse que eleitor do PV não é politizado. Como assim???? Defina politizado? Sou eleitora da Marina, não para ir contra Dilma ou Serra e sim pq eu gosto do PV, gosto da Marina e estudei muito antes de escolhê-la. Para mim politizado é isso, é o eleitor que tenta se informar, que estuda as propostas e ideologia do partido. Que procura pelos podres e virtudes dentro dele e ainda entra em contato com os seus filiados. O PV vai de encontro a muitas coisas que eu acredito. O partido pode ter seus defeitos, como TODO partido tem, até o PT que eu respeito MUITO.

Quanto ao PV dar apoio ao Serra caso ele vá para o segundo turno, tem que ver isso aí. Conheço muitas pessoas que votam na Marina pq não suportam a Dilma, mas não querem votar no Serra num primeiro momento (isso é verdade). ESSAS pessoas em particular, são aquelas que votariam no Serra num segundo turno, mas fazer ligação entre elas e o partido é meio surreal. Claro que temos pessoas filiadas ao PV e candidatos do PV que votariam no Serra numa situação como essa, mas eu não imagino a Marina ficando ao lado do Serra e pedindo votos para ele num segundo turno. Essa cena não consegue nem entrar na minha cabeça.

E quando vc fala que eleitor do PV não é politizado soa muito preconceituoso e senti certo incômodo com isso. É o tipo de frase que me soa no mesmo nível quando os reaças dizem que eleitor do PT é tudo analfabeto.

Respeito o PT muito mais do que o PSDB. Gosto muito da Dilma, estou feliz com sua possível vitória no primeiro turno, e se assim acontecer, claro que irei comemorar. Contudo eu estaria mentindo para mim mesma se não votasse na pessoa e no partido que eu acredito e que julgo ter mais afinidades.

Adoro o seu blog, entro aqui quase todos os dias, concordo com a maioria das coisas que vc diz e não preciso falar do imenso respeito e admiração que tenho por vc. Mas esse comentário me incomodou e não pude ficar calada. Espero que vc entenda.

Abraços

Ághata disse...

Por mais que fosse interessante ver duas mulheres no segundo turno (de um lado uma antiga guerrilheira que lutou contra a Ditadura e do outro uma cabocla que teve uma vida difícil, de origem simples), não vai ocorrer.

Marina não tem tanto voto assim.

Mas eu devo admitir que tô otimista que Dilma ganhe no primeiro turno.

lola aronovich disse...

Anastasia, desculpe se te ofendi, não foi minha intenção. Please, releia o que escrevi:

"Marina não tem propostas, tem só um discurso vago. E eleitor da Marina não é o ser mais politizado do mundo – se fosse, saberia que votar no PV é fria. Votar no PV é votar no PSDB e no DEM ..."

Eu não disse que eleitor do PV é despolitizado, só que não é o mais politizado. Vai uma diferença aí, não acha? Realmente não considero eleitor do PV politizado como eleitor petista (e aí estou falando dos 25% a 30% que votam no PT, no partido, não num eventual candidato). E só porque VC é politizada, isso não te torna a regra, né? Eu estava pensando mais nos meus amigos e conhecidos que vão votar amanhã na Marina. Eles não são muito politizados. Gostam da Marina, mas não conhecem suas propostas. E esses meus amigos são mais do tipo "Adoraria ver duas mulheres no 2o turno, por isso voto na Marina", desconsiderando a realidade - que é que quem vai com Dilma pro 2o turno, se houver, é Serra. E acho que ser politizado é tb saber que o PV está coligado com o PSDB/DEM em quase todos os estados. E que o presidente do PV já declarou que, num eventual 2o turno, o partido apoiará o Serra. Não estou falando dos eleitores da Marina, e sim das diretrizes do partido. Por isso acho que é fria votar no PV. Tá próximo demais do PSDB/DEM.


Brisa, concordo, e já disse no último post (ou foi no penúltimo): acho muito válido votar em candidatos de partidos pequenos de extrema esquerda para o legislativo (vereador - não agora, na próxima eleição!, dep estadual, dep federal, senador). Pra cargos executivos é que acho que não funciona (Se bem que amanhã vou votar no candidato do PSTU pra governador).

Victor disse...

Eu voto no PSOL para o Legislativo principalmente porque sei que os meus candidatos do PT vão ganhar e gosto de alguns candidatos do PSOL que precisam mais dos meus votos.

Mas pra presidente, vai ser DILMA 13 AMANHÃ!

Ághata disse...

Huhauhauahuahahuahuah, aaah, Shiryu, cê é uma gracinha, huhauhauhahah!

[Cê sabe que o Japão sentiu mesmo esta última crise, né?]

Lolinha, vou me gabar que para deputada federal eu tenho uma excelente candidata: Érika Kokay (quem é de Brasília, ó, indico!) e, para distrital, tem ótimas opções também. Fiquei até em dúvida.

GG disse...

Lola, sua lógica faz parecer que quem vai votar no Ivan Pinheiro (PCB), no Rui Costa Pimenta (PCO) e no Zé Maria (PSTU) estão torcendo pro Serra ganhar.

Masegui disse...

Belo texto, Lolinha. Vou repetir o que disse tempos atrás: Dilma no 1º turno!

Quanto a esse Shiryu de Dragão, ele é um imbecil, melhor não dar confiança pras besteiras que ele fala!

Koppe disse...

Quem acha que estaria melhor vivendo no Japão, deveria saber disso aqui primeiro.

Nefelibata disse...

Lola, queria ter comentado no seu post sobre o debate, mas minha net caiu no meio e nem deu. Mas como você falou do Plínio de novo, vou tentar aproveitar metade daquele comentário... e esperar que seja pertinente ainda. Para que você não pare de ler no meio, porque infelizmente escrevi muito, já adianto que votarei na Dilma amanhã.

Maaas... discordo radicalmente do que você fala do Plínio. Sobre a esquerda em geral, ela é desunida e isso é de fato um problema, mas é um problema que tem sua provocação. PT faz, sim, alguns acordos completamente utilitaristas do ponto de vista político, que eticamente são muito, mas muito questionáveis, e que foram a principal causa, a meu ver, da fragmentação do partido nesses vinte anos. Por isso que muita gente o chama de "Partido dos Traidores".

Contudo, é obvio que isso não o faz pior que NENHUM outro partido. Essa flexibilidade moral da política é nota de TODOS eles. Então dizer que "não voto no PT porque ele não é 100% ético" não faz o menor sentido a não ser que se anule o voto - opção essa de problema muito grave também, mas que não é o assunto agora.

Como partido, o PSOL está vulnerável a todos os males que assolam partidos políticos num país corrupto de sociedade corrupta. Pra ter "governabilidade", é preciso ter muita "bolsa-político". Logo o discurso ético não serve, absolutamente, para medir e orientar voto. Todos têm podres, mesmo o PSOL. Mas acredito que a figura do Plínio está destacada da do PSOL quase tanto quanto a do Lula está destacada da do PT. De forma que a crítica ao PT não serve bem ao Lula, como a crítica ao PSOL não serve bem ao Plínio.

Realmente, conheço pessoas no PSOL, como no PSTU, que são, digamos, utopistas. Embora discorde deles e nesse sentido eu seja tão pragmático quanto você, Lola, eu não vejo nesse utopismo um defeito, ou um grave defeito (desde que não se converta num pragmatismo político disfarçado, que é o que pode fazer um segundo turno entre Dilma e Serra).

Você chama o Plínio de farsante, é o seu julgamento. Mas na minha interpretação (e com todo o respeito a você, lógico), você caiu no que ele disse no último debate: na categoria de pessoas que não o entenderam. Você sabe que ele não estava lá para ser eleito. Ele chegou a dizer isso numa palestra para estudantes no RJ; disse que não tinha muito interesse em voto. O que o Plínio tentou fazer foi não deixar morrer um debate importantíssimo, que é o questionamento do capitalismo. Como o Brasil está crescendo e distribuindo renda (embora ainda falte muito...), as pessoas estão eufóricas (vide aprovação do governo Lula), e acabam achando que tudo está se resolvendo. Mas não está! Melhorar a situação é diferente de resolver seu problema.

(...)

Nefelibata disse...

(...)


O governo Lula foi ótimo sim. Tenho orgulho de ter votado nele nas duas vezes, agradeço ao destino por eu ter feito 16 anos a tempo de votar no Lula em suas duas vitórias. Ele melhorou muito o Brasil, sim. Mas isso se explica em parte no fato de que o Brasil é que estava muito ruim. Era capitalismo para poucos, como ele mesmo diz. Mas colocar todos no mercado é uma maneira de mitigar os grandes problemas da população, e não uma forma de resolvê-los, não é? O que ele fala de não pagamento da dívida externa não é mera pregação do calote, mas sim suspensão do pagamento para auditoria, que é algo realmente necessário, a meu ver. Alguém aí sabe o quanto o Brasil deve "lá fora"? Alguém sabe para quem, "lá fora", o país deve? Quais são as taxas de juros dessa dívida? Eu não sei de nada, e olha que já fui atrás. Questionar um pagamento de uma quantia que não sabemos não me parece uma questão tola. Mas mexe com os interesses mais poderosos do planeta...

De toda a forma, eu acho que o papel do Plínio nestas eleições está cumprido. Tudo bem, ele pediu voto no PSOL porque o partido conta com ele para sobreviver, bah. Mas o principal foi feito: que foi transmitir à juventude a semente do debate que não deve morrer (já que o próprio Plínio vai morrer daqui a pouco). Não é só porque temos emprego e porque nosso salário melhora que está certo o fato de sermos seres humanos cindidos entre capital e trabalho.

PT construiu um Brasil menos injusto, sim. Plínio reconheceu isso. Mas corretamente nos alertou para que não ficássemos satisfeitos com tão pouco. Um país menos injusto, ainda é fundamentalmente injusto. É nesse sentido que não vejo defeito no "utopismo" em si.

Assim, eu iria votar no Plínio no primeiro turno em reconhecimento a esse papel que ele cumpriu. Mas se por uma doideira do destino ele fosse para o segundo turno, eu votaria na Dilma, então (mas jamais no Serra). Porque sei que, por enquanto, não podemos fazer uma "revolução", digamos. No máximo um trabalho de questionamento do sistema e conscientização. Na verdade, eu tristemente desconfio que a nossa tragédia capitalista não será superada, que antes nós desapareceremos, e que se um dia for superada, será muito longe no futuro.

Por isso, embora eu ache o Plínio o detentor das melhores ideias, não o quero como presidente. Quero Dilma, porque que se a humanidade é escrava do sistema, pelo menos que todos tenham igualmente o mínimo de conforto em seus grilhões. Dilma não pode, como Lula não pôde, emancipar a classe pobre. Mas pelo menos representa um governo que tenta tratar pobres como gente onde dá, e não como capacho, como é o governo PSDB.

(Joãosinho Trinta dizia que "pobre não gosta de pobreza, gosta é de luxo. Quem gosta de pobreza é intelectual". É... ele não conhecia o FHC, hehehe).

Mas agora votarei na Dilma no primeiro turno por conta da vergonhosa campanha contra ela, encampada pela velha mídia e que surtiu algum efeito. Dilma no primeiro turno seria um cala-boca delicioso na Folha, Estadão, Globo e na Veja. Eles veriam que não podem mais manipular leitores e telespectadores como títeres. E, de quebra, poderia sepultar a arrogância tucana de achar que o governo é só para ricos.

Abraços e boas eleições amanhã.

Borboletas nos Olhos disse...

Faço minhas as palavras da Rita (e sei que ela não se importa)"Votar na Dilma é votar pela diminuição da pobreza, votar pela inclusão social. Vou repetir: votar na Dilma é votar pela inclusão social. É votar pelo bem daqueles que, antes do Lula, nunca tiveram políticas públicas pensadas em seu benefício.
Dilma, 13, pela inclusão social.
Meu coração vai sair pela boca, juro."

Numa esperança danada de resolver logo amanhã...

primeirocego disse...

Nem tenho muito o que acrescentar aqui depois do que já disseram. Concordo totalmente com o que a Brisa falou sobre a importância da extrema esquerda no legislativo. Concordo também com o Nefelibata a respeito do Plínio. Pra mim é totalmente aceitável que ele não tenha muito bem definido de que forma seria possível pôr em prática suas propostas, porque todo o mundo sabe que ele não tem a menor chance de ser eleito. Eu votaria nele não porque ache que ele seria necessariamente o melhor presidente, mas porque acho que suas propostas (mesmo se mal definidas) merecem maior visibilidade, merecem participar do debate público. Apesar disso, vou votar na Dilma, porque quero que a velha mídia e a direita quebrem a cara vendo-a ser eleita no primeiro turno e também, claro, porque acho que ela será uma boa presidenta (e, aliás, quem não quer participar da festa amanhã? ;)

Victor disse...

Adorei muito o que o Nefelibata disse. Embora tenha sentido muito do que a Lola falou - Plínio era um candidato muito mais carismático no começo; nos últimos debates, se tornou meio ríspido, perdeu sua simpatia comigo, pelo menos -, as idéias que ele defende são CORRETAS - um pouquinhozinho anti-democráticas (como aquele lance de aluguel compulsório), um pouco impossíveis, mas CORRETAS.

Laetitia disse...

Lola, eu nunca direi "PSDB é igual a PT". No entanto, PT está longe de ser a esquerda que eu sonhei. A esquerda que teria coragem de romper com o neoliberalismo, parando de dar mesada a rico e migalha a pobre. Uma esquerda que, ainda que não tornasse o Brasil 100% igualitário, lutasse ao menos para educar o povo, fazendo-o passar de massa de manobra pra massa guerreira, gente que sabe o que melhor pra si e luta, luta de verdade por isso. Não vi o PT fazer isso. Vi pipocarem universidades carentes de recursos pelo Brasil. Vi a educação ficar ainda mais entregue aos particulares, com o ProUni. Vi confusão no Enem, vi Enem substituindo o ensino médio. Não vi valorização do ensino básico, não vi nacionalização das escolas, não vi alunos sendo incentivados a gostar de política. Em resumo, não vi o mínimo do que esperava ver pra continuar confiando no PT.

Se confio no Plínio? Não sei. Mas ele fala a minha língua. Não tem como mudar um país dando a mão pro pobre e pro rico e querendo que os dois se entendam por conta própria. Não tem como mudar de verdade sem romper com o sistema que temos, que se pauta no desigualdade e dele se alimenta. É impossível construir um país forte e soberano sem fazer um esforço colossal para tomar de volta o que é nosso, nossos recursos básicos: energia, transportes, produção de matérias primas.

Temos o que comemorar, sim, mas é como se eu fosse convidada pra uma festa alheia; a minha festa ainda vai demorar muito pra acontecer.

Laetitia disse...

Faço minhas as palavras do Nefelibata: "O que o Plínio tentou fazer foi não deixar morrer um debate importantíssimo, que é o questionamento do capitalismo. Como o Brasil está crescendo e distribuindo renda (embora ainda falte muito...), as pessoas estão eufóricas (vide aprovação do governo Lula), e acabam achando que tudo está se resolvendo. Mas não está! Melhorar a situação é diferente de resolver seu problema."

joshua disse...

A Argentina já tem uma cabeleireira como presidente. O Brasil, ao escolher a sra. D. Dilma, fica com a manicure. Não é por acaso que toda aquela latinada americana descende de nós. («Eles não sabem ser modestos, nunca! Entre muitas, o PT tem uma característica muito típica dos fascistas: não sabe vencer. O ressentimento de quem perde pode ser uma manifestação desagradável, mas é sadia; não se trata de uma patologia. Quem gosta de perder, afinal? A doença moral está em quem não sabe ganhar. Quando se vêem ou se imaginam em situação privilegiada, os petistas são arrogantes, grosseiros, autoritários.»)

joshua disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bárbara disse...

Acabei de chegar da votação, Lola. Foi a primeira vez que eu votei.
Dilma para presidente! :-)

Ana disse...

Oi Lola!
Eu também queria te agradecer por me colocar na mesa...
Depois que eu comecei a ler o seu blog as coisas começaram a fazer mais sentido. Aqui em MG não é tão diferente assim de SP, pois o PSDB já está no 'comando' há 8 anos e caminhando para 12. O populismo do Aécio Neves aqui é chocante. O interessante é que ele é só uma imagem e não faz absolutamente nada. As escolas estaduais ficaram de greve por 2 meses aqui, neste ano mesmo. As aulas não serão repostas e ninguém vai se lembrar disso hoje.
Aqui é muito difícil de discutir política, porque as pessoas são individualistas e não votam na Dilma porque, segundo eles, ela é feia. Isso me entristece bastante, mas eu ainda vejo a vitória da Dilma hoje!


ps:: é chocante esses artistas dando apoio a Marina.
bjs boa eleição

Ághata disse...

Nefelibata, que dizer, gente, eu posso até estar enganada, mas... A dívida Externa Já foi paga. Nós agora somo é Credores do FMI.

O que não foi pago é a Dívida Interna. E, que eu saiba, não tem como não pagar a dívida interna - a menos que a gente provoque uma crise econômica na nossa economia.

Ághata disse...

Aliás, foi mal o pleonasmo aí.

Nefelibata disse...

Então, Ágatha... mas o FMI é nosso único credor? Eu realmente não sei. E como funciona a dívida interna? Também nunca consegui entender direito.

Mas o ponto interessante é que a maioria das pessoas (e eleitores) também não sabe. E no entanto aceitam de boa o discurso de que "temos que pagar". Mas peraê, pagar o quê? Pra quem?

Enfim... essas eleições foram muito diferente do que estava previsto.

Mariana. disse...

que nojo desse post, lola. que NOJO.

Mariana. disse...

vocês estão se mostrando um bando de fanáticos.

Não voto no plínio para 'dar segundo turno'. Voto porque acredito que ele seja o mais preparado. voto porque gosto de sua presença nos debates. Que diferença faz se ele me faz rir? se isso é tão importante, deixem de votar na dilma então, porque to pra ver pessoa com menos chance de me fazer rir...
Querer polarizar a eleição como se a proposta e a presença dos demais fosse insignificante.
Não votar em outro partido de esquerda pq esperou vinte anos pro PT chegar lá e não quer esperar mais vinte. Só lamento por você, lola. Por essa mente acomodada. Estou triste e decepcionada com esse post.

Mariana. disse...

meu voto não é útil, mas é consciente.

vergonha alheia de quem se julga esquerda e pede para votar em quem tá na frente, só pra não ajudar fulano.

vergonha alheia de quem fundou um novo conceito de esquerda, diznedo que a atual conduta do PT se encaixa perfeitamente nela.

Voces podem não concordar; pode não ser possível ou viável: mas as diretrizes do psol, pstu e pc do b é que são esquerda. acordem!

Társio disse...

Po, Lola, estava conversando com um amigo agora. Ele é uma pessoa razoavel e até se identifica com a esquerda, mas colocou na cabeça q a Dilma representa perigo de ditadura.

Tento falar com ele e outros amigos, mas sempre ficam irritados qndo defendo a Dilma, sabe. E tipo defendo, não gritando Dilma! Dilma!, apenas tento dizer q ela foi torturada por 4 anos pelo q acreditava, por um país melhor e depois continuou lutando através da política e nunca se envolveu em nenhum escândalo. Como pode ser uma ditadora, alguém q nem pensava em ser presidente.

E vc pode até criticar o PSDB, mas não defender a Dilma. Isso eu acho mt esquisito.

Ela é mt impopular com as pessoas liberais(estudantes universitários e professores) e não entendo pq. Acham td dela. Desde super terrorista comunista a super ultra conservadora.

Agora a Dilma toma ares de autoritária, mas não a globo e nem a esquerda q diz estatizar td. Eles são heróis.

Não fico chateado por votarem no Serra ou na Marina. Mas fico chateado pela razão pq não vão votar na Dilma.

Társio-RJ

Gabriel disse...

Vou ter que discordar de você. Os deputados do PSOL, como Ivan Valente, Chico Alencar e Luciana Genro sempre foram a oposição "não-raivosa". Lutam contra a MP da Grilagem, aquela palhaçada que, infelizmente, gente do PT apóia, mas não são contra o lado bom do Governo Lula. O Plínio de fato é bem fraco, mas é muito importante que se tenha um partido como o PSOL no Congresso. Veja o Ivan Valente falando do PNDH-3, dos royalties do pré-sal e outros vídeos. Embora eu ache que seria ruim ter um presidente tão de esquerda assim, é ótimo que se tenha gente no Legislativo que vai contra a corrupção de ambos os lados. E o PSOL foi contra o Serra ;-).