terça-feira, 28 de setembro de 2010

QUARTA ETAPA DO CONCURSO DE BLOGUEIRAS

E vamos pra quarta e última etapa deste concurso que atraiu tanta blogueira ótima! (lá embaixo eu comento o dia especial que é hoje). Esses são os posts que concorrem nesta etapa. E posso dizer: se vocês tiveram dificuldade pra votar em apenas um post nas fases passadas, depois de ler esses oito textos incríveis, vai ficar mais difícil ainda.

Quarta etapa do concurso (etapa atual)
Em defesa do feminismo - B, do Espaço B
Minhas asas feministas – Jux, do Dolcinha
Chega de maçãs – Luci, do Caso me Esqueçam
O pop que me deu o caminho – Luna, do Pernície
De raiz – Monix e Helê, do Duas Fridas
Meu feminismo não tem origem, tem futuro – Nathalia, do Letras na Tela
Mirem-se no exemplo – Somnia, do Borboleta Pequenina na Suécia
Coisas de menino – Valek, do Aline Valek

Vocês podem ver que incluí a B, a tartaruguinha manca mais atrasada de todas. Ficou bom, porque houve um número igual de posts competindo em cada etapa (oito). Por favor, ajudem a divulgar esta etapa também (coloquem o link para este post, http://escrevalolaescreva.blogspot.com/2010/09/quarta-etapa-do-concurso-de-blogueiras.html, e o selo que a Nathaly fez pro concurso).
Para a terceira etapa, infelizmente, não houve tantos votos como nas etapas anteriores. Apenas 155. Espero, porém, que cada uma das blogueiras concorrentes tenha recebido várias visitas, comentários, nov@s seguidor@s etc. O resultado foi o seguinte:

Terceira etapa do concurso - Resultados
A origem do meu feminismo – Ághata, do Se Perdendo 10 votos, ou 6%
Aos treze – Anastasia, do Relicariante 34 votos, ou 22%
Mulher da vida – Borboleta, do Borboleta nos Olhos 24 votos, ou 15%
Maternidade, plenitude e feminismo. Hein? - Carolina, do What Mommy Needs 21 votos, ou 13%
Origem da consciência do meu feminismo – Chris, do Mulheres de Atenas 36 votos, ou 23%
A origem do meu feminismo – Gabriela, do Ecdise 16 votos, ou 10%
Não! Eu não sou obrigada – Glória, do Apenas uma Fresta 6 votos, ou 3%
Liberal na Alemanha, feminista no Brasil – Isabela, do Berlin Direction 7 votos, ou 4%

E, só pra refrescar a memória (ou se tiver gente chegando agora, ávida pra ler todos os 32 posts do concurso), as participantes da primeira e segunda etapas foram (em negrito as três que tiveram mais votos):

Primeira etapa do concurso - Resultados
O feminismo que papai ensinou - Aline, Meus e Outros 28 votos, ou 13%
Como um machista me transformou em feminista – Amanda, Petit Journal de la Porte Dorée 45 votos, ou 20%
O Feminismo & Eu - Bia, Groselha News 36 votos, ou 16%
Aos 21, era muito mais feminista do que sonhava a minha vã filosofia – Clara, Gaveta Virtual 18 votos, ou 8%
Feminismo, ateísmo e outros “ismos” - Deborah, A Realidade, Maria, é Outra 9 votos, ou 4%
Sobre a origem do meu feminismo – Ge, O Ângulo Mais Bonito 25 votos, ou 11%
O começo de tudo – Fernanda, Grito de Fernanda 41 votos, ou 19%
Feminista graças a Deus (e olha que sou agnóstica) - Laurinha, Mulher Modernex 13 votos, ou 6%

Segunda etapa do concurso - Resultados
Mulheres, homens e mais mulheres – Leika, Proseando - 73 votos, ou 20%
Feminista, eu? - Leticia, Chá-Tice - 83 votos, ou 23%
O dia em que me tornei feminista – Lúcia, Memórias - 7 votos, ou 2%
A anti-garota Anglo – Maíra, Como Assim?! - 49 votos, ou 14%
Feminismo, hein? - Nanci, Lúdica e Ácida - 4 votos, ou 1%
Antes que o galo cante - Renata, Agruras e Delícias - 13 votos, ou 3%
Menina pode sim – Rita, Estrada Anil - 96 votos, ou 27%
A origem do meu feminismo - Wonderwoman, Coffeee, Clear Heels and Random Thoughts - 23 votos, ou 6%

Semana que vem é a grande final! Vou pegar os três posts mais votados de cada etapa e fazer uma enquete com os doze. Essa eu vou deixar no ar mais tempo, por umas duas semanas, pra todo mundo poder ler e reler cada post.
É pura coincidência que esta quarta etapa caia logo num dia tão especial: hoje, 28 de setembro, é o dia pela Descriminalização do aborto na América e Caribe. Fale sobre este assunto no seu blog e no seu twitter (#legalizaçãodoaborto). Queremos duas coisas: a descriminalização, isto é, que mulheres que façam aborto ou quem as ajude não sejam presas (como acontece hoje), e a legalização - que o aborto passe a ser oferecido nos hospitais públicos. Esses dois itens que caminham juntos, a descriminalização e a legalização do aborto, são provavelmente as poucas unanimidades entre as feministas. É um tema importante pra todas as mulheres, já que o que está em jogo é o controle sobre nossos próprios corpos. Não resta dúvida que, se fossem os homens que engravidassem, ninguém iria legislar sobre o corpo deles. Mas como são as mulheres, esses seres não-confiáveis, traiçoeiros, TPMizentos, enfim, esse verdadeiro perigo pra humanidade, culpado de todos os males desde que Adão e Eva foram expulsos do paraíso, bom, nesse caso quem manda no ventre é o Estado. Um Estado que deveria ser laico, mas não é. O Estado sabe perfeitamente bem que milhares de brasileiras fazem
abortos clandestinos todos os anos. E que as mulheres de classe média e alta podem pagar por um procedimento seguro. Mas as pobres, geralmente negras, dependem de métodos altamente arriscados, que em muitos casos matam. Se o aborto fosse legaliz
ado no Brasil, seriam essas mulheres que deixariam de morrer. Mas direita cristã é direita cristã em qualquer canto: não liga pra essas mulheres, só pro feto, e só enquanto ele for feto. Assim que nascer, é cada um por si, e que vença o melhor. Estado é só pra salvar o feto, não pra garantir-lhe uma vida cheia de direitos. Direito do feto? Direito à vida? Só enquanto estiver no ventre da mãe, essa pecadora.
É preciso acabar com esse discurso hipócrita. Ou melhor, o discurso pode existir, o que não pode é que siga ditando o Estado. Um sinal de como estamos longe de ter um Estado laico é como, durante as eleições, praticamente todos os candidatos fogem de tomar posições
mais polêmicas. Pois é, a legalização do aborto, uma antiga reivindicação da mulher, algo aceito há décadas nos países ricos, ainda é visto como assunto polêmico. Até quando teremos religiões mandando nos nossos governos, nas nossas vidas? Religiões devem mandar nas suas igrejas e templos. No meu corpo mando eu.

22 comentários:

aiaiai disse...

putz, confesso que não votei nessa etapa...faltou tempo...mas vou ler todos os posts assim que der.

muito importante divulgar o dia de hoje e defender a descriminalização e legalização do aborto. to tuitanto!

aproveito para deixar um texto lindo sobre privilegios,dominantes e dominados

http://www.geledes.org.br/cotas-no-stf/manifesto-dos-brancos-da-universidade-federal-do-rio-grande-do-sul.html

Nathália. disse...

Estou participando da QUARTA ETAPA... o/

Sobre o concurso.. boa sorte para todas nós! Já li os textos das outras etapas todas, votei e tudo o mais. Os dessa etapa só li o meu (dãa) e o de uma outra guria, mas vou ler os outros seis logo!

Sobre o aborto... ih, questão complicada. Sou católica, mas meus motivos para não morrer de amores pelo Aborto em nada tem a ver com religião, ao contrário. Eu me preocupo tanto com a mãe quanto com a criança, talvez por isso tenha tantas dúvidas sobre o tema, mas o importante é a gente ir se informando mais, para que seja qual for nossa opinião, a tenhamos com embasamento real, não com achismos e moralismos falsos.

É isso aí, LOLA, obrigada pela oportunidade!

Beijos!

dolcinha disse...

Fofaronovich!!!
E cá estamos nós, tartarugas lutadoras e votadeiras e votáveis!!!

Enton, aborto, assunto que diz respeito a mulher, mas é essa mesma mulher que é a ÚLTIMA pessoa ouvida nesse rolo todo. Pra variar, ela deixa de ser titular de direitos para estar sujeita aos "direitos" e principalmente DEVERES que o patriarcado, o estado e a religião entendem cabíveis a ela.

PHODA.

Para a galera religiosa pro-life que se arrepia diante dessa discussão pro-choice, tenho apenas uma resposta:

"Se aborto for pecado, quem vai pro inferno sou eu. Portanto, o problema é MEU."

beijukkas

Jux

Caso me esqueçam disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Caso me esqueçam disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Caso me esqueçam disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ághata disse...

A pior parte é que, além de ainda se considerado polêmico, quando o povo se dá ao trabalho de discutir o assunto, não batem na tecla de que o aborto é uma questão de autonomia feminina (só que é questão de saúde pública)!

E o aborto deve ser descriminalizado e legalizado porque chegou-se a compreensão de que é exercício regular da autonomia da mulher (e não apenas porque é uma questão de saúde pública).

Ághata disse...

Quem é de Brasília, apareça lá na UNB, hoje, às 16 horas, vamos ter umas palestras e debates feministas sobre aborto, direitos homossexuais e cotas!

B. disse...

Oba! Obrigada, Lola, por aceitar a tartaruguinha mais manca aqui! Os posts tão realmente muito bons!

E bora já fazer post sobre esse dia tão importante!
Fiquei sabendo que na Argentina, eles tão discutindo sobre a descriminalização já... Tão dando banho de "progressismo", hein!

E aiaiai, óóóótimo o manifesto da ufrgs, muito bom mesmo, também vou divulgá-lo!

Laurinha (Mulher modernex) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dolcinha disse...

Não é novidade que a crminialização do aborto seguem uma pauta, dentre outros, do controle do corpo feminino. É o corpo da MULHER que é objetificado e se torna sujeito aos arbítrios alheios.

Dou um exemplo de como O judiciário entende que o corpo DO homem não é passivo de tentativas de controle externo.

O juiz da 7ª Vara do Trabalho de Salvador CONDENOU de forma EXEMPLAR o Banco Bradesco por discriminação estética - no caso, baseada na exigência de que os homens não pudessem usar barba. Por óbvio o Banco recorreu mas caso seja mantida a decisão, terá o réu que pagar a indenização de R$ 100 mil por dano moral coletivo. Além disso, a empresa ré será obrigada a publicar por 10 dias seguidos, no primeiro caderno dos jornais de maior circulação na Bahia e em todas as redes de televisão aberta, a seguinte mensagem:

“O BRADESCO S/A, em virtude de condenação imposta pela Vara do Trabalho de Salvador, conforme determinação contida em decisão prolatada em ação civil pública proposta pelo Ministério Público do Trabalho na Bahia, registra que a Constituição de 1988 refere que são direitos de todos os trabalhadores brasileiros a preservação de sua dignidade e proteção contra qualquer prática discriminatória, especialmente aquelas de cunho estético, cumprindo salientar ainda que o BRADESCO S/A, ao reconhecer a ilicitude do seu comportamento relativo à proibição de que seus trabalhadores do sexo masculino usassem barba, vem a público esclarecer que alterou o seu Manual de Pessoal para incluir expressamente tal possibilidade, porque entende que o direito à construção da imagem física é direito fundamental de todo trabalhador brasileiro.”

Fiz basicamente 2 interpretaçõe acerca disso: 1) idéia de associar barba à falta de higiene, a uma espécie de trangressão ou mesmo ao desrespeito ao código “velado” de aparência está impregnado no (in)consciente da maioria das pessoas; e 2) a naturalidade com que se condena quem porventura praticar ato de controle do corpo MASCULINO.

http://dolcinha.wordpress.com/2010/09/26/e-se-fosse-proibido-usar-barba-e-bigode-no-trabalho/

Partindo desse tipo de informação, é possível imaginar que tipo de discussão haveria se a gravidez ocorresse no corpo do homem.

Lógico que existem outras formas de controle impostas ao corpo do homem, porém tais práticas dificilmente passam por algum questionamento do tipo "O homem tem direito a fazer do corpo o que bem entender" e ainda o entendimento de que é uma violação ao direito humano esse controle é muito mais pacífico quando o corpo em questão é masculino.

Bah!

aiaiai disse...

recomendo ainda a leitura do site da semiramis. tem post dela sobre aborto e links para vários outros
http://cynthiasemiramis.org/

aiaiai disse...

e pra quem acha que a dilma é a melhor opção, mas tá pensando em dar voto para a marina para ver se ela consegue ir para o segundo turno, recomendo a leitura dos dois posts de hoje do NPTO:

http://napraticaateoriaeoutra.org/

primeirocego disse...

Pois é, nessas horas é que fica ainda mais evidente a necessidade de mais mulheres na política. Fui dar uma verificada e dos deputados federais em exercício hoje, 91% são homens. Dos senadores são 86%. Eu não tinha me dado conta que a desproporção era tão absurda.

Ah, parabéns ao pessoal da terceira etapa e que bom que apareceu a última tartaruga. :)

Anastasia disse...

Cheguei hoje de viagem e tive essa grande surpresa! Obrigada a todos que votaram em mim, estou muito feliz mesmo com isso!

Abraços

Gabriela Galvão disse...

Lola, eu ñ tenho o melhor embasamento teórico do mundo e qero escrever um post razoável sobre o aborto. Sinuca d bico, no mínimo.

Aih comecei a ler a respeito nos blogs. Eu posso ñ ter embasamento, mas tenho um senso crítico dos bons. Jah eh alguma coisa. Mas para debater com elegância e competência, eu precisaria comer mto arroz com feijão, tenho consciência.

Mas eu hei d conseguir ao menos redigir um post coerente.

O q me fez qerer e tomar tal decisão, foi uma discussão no Twitter:

Dois jovens homens. Um contra, o outro a favor do aborto. Qando eu entrei na discussão, um deles -o q eh a favor- me tirou da jogada, assim: "Acho que a @madamedeau não entendeu o que eu quis dizer no tweet anterior. Não sou contra o aborto." Tipo: falou como se eu ñ pertencesse à 'conversa'. Ainda respondi. Disse q sim, q havia entendido. E antes d ele 'desenhar'.

Me deu uma tristeza, um desânimo, enfim, a discussão.

Dois caras novos... Mas tb ñ acho q o Twitter seja indicado para falar bem falado d tal assunto.

Aih vim aqi e irei ali e acolah pra ver como vcs organizam suas idéias e vou fazer o meu post. Depois eu mostro.

Brigada e beijo.

P.S.: Um deles falou q "Aborto não é questão social, é pessoal. " e eu rebati, dizendo q se homem engravidasse, a qestão seria social, 'acredite'. Tipo q eu acho q nego nem faz idéia d q estah sendo machista, mtas vezes. Eh tudo mto perverso, nojento.

Marussia de Andrade Guedes disse...

O Amer H disse uma coisa interessante: não adianta fazer guerra de sexos, o importante é unir pessoas legais dos dois gêneros para combater os cretinos dos dois gêneros. Eu sou pediatra, neonatologista. Casos de abortamento são rotina no meu dia a dia. As mulheres do meu meio são, na sua imensa maioria, contra a legalização e descriminalização do aborto. Diante de um abortamento supostamente provocado, são as mulheres que costumam fazer as críticas mais severas. Acho que nossa pior inimiga nesta luta é a religião. As lideranças religiosas fazem verdadeira campanha e pressão política contra o direito da mulher abortar. Fico até chateada quando vejo, no blog da Dilma, vídeos de pastores evangélicos dizendo que vão votar na Dilma por ela ter dito que os apoiaria na luta contra o direito das mulheres abortarem. Mas um amigo disse: fazer o que? A direita anda espalhando vídeo dizendo que a Dilma vai matar criancinhas! Bom, eu pergunto: Quem mais apoia religião neste país? As mulheres! Sabe Lola, pode parecer que eu não sou feminista mas eu sou sim. Todos os dias luto para ter os mesmos direitos que os homens. Mas acho que nossa luta será inglória se a mulher não botar na cabeça que tem os mesmos direitos que os homens e que é ela que tem que conquistar estes direitos e não esperar por concessões dos homens.

aiaiai disse...

Mais uma recomendação sobre esse assunto. o movimento contra o aborto divulgou a lista dos deputados que são favoráveis à descriminalização. Eles fizeram isso para que as pessoas não votem nesses deputados. Mas eu achei ótimo para a gente poder saber em QUEM VOTAR, né?
então, vejam a lista em

http://www.acidigital.com/noticia.php?id=20035

aiaiai disse...

E outro ótimo post sobre o assunto é o do Primeiro Cego, uma pessoa que eu to amando cada dia mais kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

http://primeirocego.wordpress.com/

leiam e me digam se eu não tenha razão para me apaixonar!

Gabriela Galvão disse...

Escrevi, Lola, escrevi:

http://mgabrielagalvao.blogspot.com/2010/09/soube-d-maneira-ingrata-q-hoje-eh-o-dia.html

Beijo.

Ju Steck disse...

Onde vota? É aqui? Voto nas duas fridas.

lola aronovich disse...

Ju, vc não vota aqui não. É na enquete do lado, logo embaixo do cabeçalho do blog. Viu?
Sei que seria mais fácil pra todo mundo se eu pudesse linkar os textos (ou pelo menos este post com todos os textos) na própria enquete, mas o blogspot não permite links na enquete. Infelizmente!